|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 04/12/2016 / Aeronáutica realiza vistoria para ampliação de aeroporto em Araguaína


Aeronáutica realiza vistoria para ampliação de aeroporto em Araguaína ...

Governo Federal estipulou que obra seja realizada ainda no início de 2017. Estão previstas mudanças na pista e área de embarque e desembarque ...

Engenheiros da Aeronáutica fizeram uma vistoria no aeroporto de Araguaína, no norte do Tocantins, para que seja realizada a ampliação do local. Eles passaram dois dias na cidade levantando informações e foram embora nesta sexta-feira (2). O governo federal estipulou que a obra seja realizada ainda no início de 2017.

Serão 1.400 metros quadrados a mais de área total, com ampliação da pista, da sessão de combate a incêndio, da área de embarque e desembarque para passageiros, entre outras melhorias. Com isso o aeroporto poderá receber voos maiores.

"São modificações na pista de pouso. Ela será dimensionada de 1.800 metros para 1.904 metros. O pátio de aeronaves será ampliado para receber mais simultaneamente, também serão feitas ampliações no terminal de passageiros" explica o gerente executivo do aeroporto, Marcelo Oliveira.

A expectativa é de que essas modificações possam atrair mais empresas aéreas para a cidade, que hoje conta apenas com um voo comercial por dia. Mas para isso a prefeitura terá que fazer algumas adequações como uma possível desapropriação de casas que estão muito próximas a pista de pousos e decolagens. "Tudo isso está sendo estudado, viabilizado para que os investimentos sigam o cronograma", afirma Oliveira.

A conquista vem sendo buscada pela Associação Comercial e Industrial de Araguaína. "Com o cancelamento de três voos no ano passado, ficando apenas com um, agravou muito o nosso mercado de Araguaína porque os empresários que querem investir em Araguaína e nós que queremos ir para fora para nos especializarmos, buscar oportunidade precisam desses voos", explica o presidente da Aciara Marcos Parente.

Para os passageiros a mudança vem em boa hora. "Para trazer mais negócios para o município, para proporcionar uma realidade melhor para quem vem não só a trabalho, mas a turismo na cidade ", defende a psicóloga Gislaine Ruaro.



Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Após críticas, Temer recua e decide participar de velório de jogadores


Gustavo Uribe / Juliana Gragnani

Sob críticas de parentes, que classificaram uma ausência como "desrespeito" e "falta de dignidade", o presidente Michel Temer recuou neste sábado (3) e participou de velório coletivo dos jogadores e dirigentes do Chapecoense, mortos em acidente aéreo na Colômbia na terça-feira (29).
Com uma ameaça de vaia contra o governo federal, o peemedebista havia decidido inicialmente receber os familiares das vítimas apenas em uma cerimônia militar reservada, no aeroporto municipal de Chapecó (SC).
A assessoria de imprensa da Presidência da República chegou a dizer na sexta-feira (2) que Temer "jamais cogitou" participar do velório na Arena Condá e que o objetivo era não "explorar a dor de ninguém" nem causar "constrangimentos", mas apenas dar a "devida homenagem e o devido respeito que o tema exige".  
Com a reação crítica dos parentes das vítimas, contudo, o presidente mudou de posição na manhã de sábado (3). Na tentativa de evitar uma saia justa durante a cerimônia reservada, prometeu aos familiares presentes que participaria do velório coletivo.
Perguntado pela Folha sobre o motivo de ter recuado, o presidente afirmou que já havia decidido ir antes, mas que não poderia anunciar.
"Não poderia dizer na sexta (2) [que iria] porque se eu dissesse, a segurança iria colocar pórticos na entrada do estádio e revistar as pessoas que entram. Então, só comuniquei que agora para facilitar a vida [de todos]", disse.
A participação do peemedebista na cerimônia fúnebre, contudo, foi discreta. Temer não discursou e, quando citado publicamente, não foi vaiado ou aplaudido, diferentemente do embaixador colombiano no Brasil, Alejandro Borda, que foi ovacionado.
Em rápida declaração à imprensa, Temer disse que a forte chuva em Chapecó na manhã deste sábado "deve ser São Pedro chorando pela morte dos jogadores". "Eu quero dizer que a União se uniu ao governo de Santa Catarina e à Prefeitura de Chapecó para prestar uma última homenagem aos falecidos nesse trágico acontecimento, que abalou o país e o mundo", disse.
Além do avião presidencial, mais três aeronaves da FAB (Força Aérea Brasileira) foram utilizadas para transportar uma comitiva ministerial, com os ministros Leonardo Picciani (Esporte) e Ronaldo Nogueira (Trabalho) e o comandante da Aeronáutica, Nivaldo Rossato.
GRACIAS, COLÔMBIA
No velório coletivo, o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon (PSB), fez o seu discurso vestindo a camisa da equipe colombiana Atlético Nacional e agradecendo, em espanhol, à solidariedade dos colombianos.
O time e a torcida do Atlético Nacional, que enfrentaria a Chapecoense na quarta-feira (30), fizeram uma calorosa homenagem às vítimas que repercutiu pelo mundo.
O país foi lembrado diversas vezes durante a cerimônia. Uma grande faixa na arquibancada dizia "Gracias por todo, Colômbia". O torcedor Gustavo Braun, 29, mandou fazer uma bandeira personalizada do país também com a palavra "gracias" para "para agradecer o carinho".
"Todos devemos tomá-los como exemplo e amar o próximo como eles fizeram", disse. "O Atlético Nacional será o segundo time de Chapecó."
O velório deste sábado também foi transmitido ao vivo pelas principais emissoras de TV do país vizinho.

PORTAL UOL


Aviões da FAB com corpos de vítimas de acidente pousam em Chapecó


Bruno Freitas

ImagemO primeiro avião Hercúles da Força Aérea Brasileira (FAB) com corpos dos mortos em acidente aéreo em Medellín pousou às 9h30 deste sábado (03), no aeroporto de Chapecó. A segunda aeronave pousou exatos 15 minutos depois. Parentes das vítimas estão no local para receber os corpos e também receberem homenagens do presidente Michel Temer. 
Os caixões com as vítimas do acidente são recebidos com honras militares e os parentes das vítimas aplaudem cada um que passa.
Muito emocionados, eles se abraçam e choram bastante no desembarque dos caixões. O prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, foi o primeiro a desembarcar do avião e abraçou conhecidos.
A programação inicial era de que três Hércules seguiriam para Chapecó com corpos de vítimas. No entanto, os caixões foram reacomodados em Manaus e apenas dois seguiram para a cidade catarinense.
Um corredor com militares, todos em posição de sentido, foi formado com uma estrutura para que os corpos sejam desembarcados dos aviões.
A presidência da república e outras autoridades estão em uma tenda ao lado da dos familiares. Emocionados, os familiares aguardam o desembarque.

JORNAL VALOR ECONÔMICO


Milhares se despedem das vítimas de voo da Chapecoense em estádio


Por Luiz Henrique Mendes | Valor

CHAPECÓ (SC) - (Atualizada às 15h50) Mais de 20 mil torcedores acompanharam na Arena Condá, em Chapecó (SC), o velório das vítimas da tragédia com a delegação da Chapecoense. A cerimônia começou após a chegada de todos os caixões, com hino nacional e discurso de autoridades locais e do esporte. O cortejo entre o aeroporto e o estádio levou mais de uma hora e foi realizado com caminhões abertos.

O presidente Michel Temer, que havia programado ir ao aeroporto apenas, acabou indo ao velório no estádio. O pemedebista não discursou. Ao ser anunciado, não foi vaiado nem aplaudido. O técnico da seleção brasileira, Tite, também esteve no local, assim como jogadores, políticos brasileiros e representes do governo da Colômbia, onde ocorreu o acidente.

Tite e os representantes da Colômbia foram bastante aplaudidos.

O velório coletivo reuniu 50 vítimas. As demais foram veladas em outras cidades, como São Paulo e Rio.

Os caixões ficaram sob uma tenda branca, onde puderam estar familiares e amigos. Os torcedores ficaram nas arquibancadas e não puderam descer ao gramado por questões de segurança.Houve alguns discursos de autoridades locais e do esporte, mensagens de apoio, leitura de uma carta do Papa Francisco e cantos da torcida. Choveu quasde todo o tempo.

Segurança

Temer alegou que não informou sua presença antes para desobrigar o evento de realizar medidas de segurança extras, como instalação de detector de metais.

"Na verdade, eu não poderia dizer ontem. Se eu dissesse, a segurança iria colocar pórticos na entrada e iria revistar as pessoas que entram. Eu só comuniquei que vou lá agora para facilitar a vida [de todos]", alegou.

Até ontem, a informação era de que o pemedebista iria apenas ao aeroporto de Chapecó, onde recebeu os caixões com as vítimas, trazidos por aviões da Força Aérea Brasileira (FAB), e distribuiu medalhas de honra desportiva a familiares.

No aeroporto, Temer falou sobre a tragédia: "Estou aqui com o embaixador da Colômbia no Brasil para prestar uma última homenagem aos falecidos deste trágico acontecimento que abalou o pais e abalou o mundo. Alguém há pouco me dizia que essa chuva que está acontecendo deve ser São Pedro chorando".

Acidente

Ao todo, 71 pessoas morreram no acidente que ocorreu na madrugada de terça. Desse total, que inclui jogadores, dirigentes da Chapecoense e jornalistas, 50 pessoas foram veladas na Arena Condá.
Além de Temer, os ministros do Trabalho, Ronaldo Nogueira, e do Esporte, Leonardo Picciani, e o comandante da FAB também vieram a Chapecó. Os três chegaram em três aviões separados, antes do presidente.
Também esteve presente na cerimônia o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, entre outras autoridades.

PORTAL G-1


Aeronáutica realiza vistoria para ampliação de aeroporto em Araguaína

Governo Federal estipulou que obra seja realizada ainda no início de 2017. Estão previstas mudanças na pista e área de embarque e desembarque.

Do G1 To

Engenheiros da Aeronáutica fizeram uma vistoria no aeroporto de Araguaína, no norte do Tocantins, para que seja realizada a ampliação do local. Eles passaram dois dias na cidade levantando informações e foram embora nesta sexta-feira (2). O governo federal estipulou que a obra seja realizada ainda no início de 2017.
Serão 1.400 metros quadrados a mais de área total, com ampliação da pista, da sessão de combate a incêndio, da área de embarque e desembarque para passageiros, entre outras melhorias. Com isso o aeroporto poderá receber voos maiores.
"São modificações na pista de pouso. Ela será dimensionada de 1.800 metros para 1.904 metros. O pátio de aeronaves será ampliado para receber mais simultaneamente, também serão feitas ampliações no terminal de passageiros" explica o gerente executivo do aeroporto, Marcelo Oliveira.
A expectativa é de que essas modificações possam atrair mais empresas aéreas para cidade, que hoje conta apenas com um voo comercial por dia. Mas para isso a prefeitura terá que fazer algumas adequações como uma possível desapropriação de casas que estão muito próximas a pista de pousos e decolagens."Tudo isso está sendo estudado, viabilizado para que os investimentos sigam o cronograma", afirma Oliveira.
A conquista vem sendo buscada pela Associação Comercial e Industrial de Araguaína. "Com o cancelamento de três voos no ano passado, ficando apenas com um, agravou muito o nosso mercado de Araguaína porque os empresários que querem investir em Araguaína e nós que queremos ir para fora para nos especializarmos, buscar oportunidade precisam desses voos", explica o presidente da Aciara Marcos Parente.
Para os passageiros a mudança vem em boa hora. "Para trazer mais negócios para o município, para proporcionar uma realidade melhor para quem vem não só a trabalho, mas a turismo na cidade ", defende a psicóloga Gislaine Ruaro.

Aviões com corpos de vítimas de acidente aéreo chegam a Chapecó

Primeiro avião da FAB pousou às 9h28, e o segundo, às 9h43. Presidente Michel Temer acompanha chegada das vítimas.

Do G1 Sc

Chegaram a Chapecó, Oeste de Santa Catarina, os dois aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) com 50 corpos das vítimas do acidente aéreo com a delegação da Chapecoense. A primeira aeronave pousou no Aeroporto Municipal Serafin Enoss Bertaso às 9h28 deste sábado (3), sob aplausos e choro dos familiares. O segundo voo da FAB chegou às 9h43.
Por volta das 10h, os caixões começaram a ser retirados por militares, sob uma chuva constante. O primeiro foi o do jogador Thiaguinho, de 22 anos. Salvas de tiros foram disparadas no início e no final do cortejo, pouco antes das 11h, até os veículos abertos que levarão os caixões à Arena Condá.
A chegada foi acompanhada pelo presidente da República, Michel Temer, e por familiares das vítimas. O presidente chegou às 8h46 a Chapecó. Ele estava acompanhado de ministros, do governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, e de senadores catarinenses.
"Foi um trágico acontecimento que abalou o país, abalou o mundo. Quando vejo essa chuva que está caindo aqui acho que é São Pedro chorando pela mortes desses jogadores", declarou o presidente.
Entre as autoridades que acompanhavam Temer estavam Ronaldo Nogueira, ministro do Trabalho, Leonardo Picciani, ministro do Esporte, Walter Feldman, secretário geral da CBF, e Nivaldo Luiz Rossato, comandante da Aeronáutica, também estão no aeroporto de Chapecó para a cerimônia
Durante a cerimônia de honras militares, o presidente pretendia entregar às famílias a Medalha da Ordem do Mérito Desportivo como reconhecimento do governo federal e do povo brasileiro pelos serviços prestados ao país por todos os que estavam no voo que caiu na Colômbia na madrugada de terça (29), porém essa etapa da cerimônia foi adiada.
Na sexta (2), a assessoria havia informado que ele não participaria do velório coletivo na Arena Condá. Porém, já em solo catarinense, ele informou que iria ao estádio. "Não poderia dizer ontem que iria ao estádio porque a segurança colocaria pórticos e revistaria as pessoas que entram. Só comuniquei agora para facilitar a vida de todos", disse Temer para justificar porque confirmou apenas hoje que iria à Arena Condá e não apenas ao aeroporto.

Aeroporto de Botucatu recebe aeronave multimissão da Embraer

Avião pousou na manhã deste sábado (3) no aeroporto da cidade. Jato deve estabelecer um novo padrão para categoria de voos.

Do G1 Bauru E Marília

O aeroporto de Botucatu (SP) recebeu um gigante da aviação neste sábado (3). Pela primeira vez na cidade foi realizada a aterrissagem da nova aeronave multimissão da Embraer, o KC 390. O pouso faz parte das atrações do evento de fim de ano da unidade local da Embraer. 
O jato está sendo desenvolvido para transporte tático/logístico e deve estabelecer um novo padrão para a categoria, segundo a empresa. O KC 390 é capaz de realizar diversas missões, como lançamento de cargas e tropas, reabastecimento em voo, busca e resgate e combate a incêndios florestais, informou a Embraer.
O avião será capaz de transportar até 23 toneladas de carga, incluindo helicópteros, veículos blindados e tropas com até 64 paraquedistas. A expectativa da Embraer é que as entregas do modelo comecem durante o primeiro semestre de 2018.

Voo de Honduras a Guiana faz pouso de emergência em Boa Vista

Aeronave pousou no Aeroporto Internacional de Boa Vista neste sábado (3). Voo 8039 da Easy Sky seguia de Honduras para Georgetown, disse Infraero.

Valéria Oliveira / Do G1 Rr

Um avião que seguida de Honduras para Georgetown, na Guiana, fez um pouso de emergência no Aeroporto Internacional de Boa Vista neste domingo (3), segundo informou a assessoria de imprensa da Infraero.
Ainda de acordo com a Infraero, o voo 8039 da companhia área Easy Sky pousou em Boa Vista às 17h45 (19h45 de Brasília). O motivo da emergência ainda não foi informado. 
"Era um voo que ia de Honduras para Georgetown, o piloto declarou emergência e pousou em Boa Vista. Foi um pouso com emergência declarada, isso acontece ou pode acontecer. Ele pousou normalmente", explicou a assessoria de imprensa da Infraero.
Ainda não se sabe quantos passageiros e tripulantes estavam na aeronave.
Eles desembarcaram do avião por volta das 18h (20h de Brasília) e ficaram em uma área restrita do aeroporto.

MINISTÉRIO DA DEFESA


Em telefonema, ministro Jungmann agradece apoio do ministro da Defesa da Colômbia e do prefeito de Medelin


Assessoria De Comunicação Social (ascom)

ImagemRecife, 02/12/2016 – O ministro da Defesa, Raul Jungmann, conversou por telefone, no início da noite desta sexta-feira (2), com o ministro da Defesa da Colômbia, Luís Carlos Villegas Echeverri, para agradecer o apoio do governo colombiano aos familiares e às vítimas do trágico acidente aéreo ocorrido em Medelin que matou 75 brasileiros, entre técnicos e jogadores da Associação Chapecoense de Futebol (ACF) e jornalistas. Antes, Jungmann fez a mesma manifestação em ligação ao prefeito de Medelin, Frederico Gutierrez, e ao diretor da Polícia Nacional da Colômbia, Jorge Ernando.
“Liguei para o ministro Echeverri e para o prefeito Gutierrez para externar o agradecimento do governo e da sociedade brasileiros pelo apoio e solidariedade da Colômbia e da cidade de Medelin. Eles nos disseram que Brasil e Colômbia estão unidos num só coração. Para o comandante da Polícia Nacional, destaquei a eficiência e competência como atuaram neste triste episódio”, destacou Jungmann.
No início da noite desta sexta-feira, três aeronaves C-130 Hércules da Força Aérea Brasileira (FAB) começaram a decolar de Medelin, na Colômbia, com destino a Chapecó (SC), com os 56 corpos das vítimas do acidente aéreo da delegação da Chapecoense.
Desde o dia do acidente, ocorrido na última terça-feira (29/11), o ministro Jungmann e o comandante Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Rossato, mobilizaram esforços no sentido de assegurar todo o tipo de apoio logístico para os familiares das vítimas, além da colaboração com as investigações da tragédia.
Mesmo cumprindo agenda em Cannes, na França, o ministro manteve contato constante com o embaixador do Brasil na Colômbia, Júlio Bitelli, para assegurar todo o apoio aos familiares das vítimas.
Na volta, as aeronaves farão escala em Manaus e têm previsão para chegada à Chapecó na manhã deste sábado (03/12).
Em cada avião, estarão embarcados oito tripulantes. Também está confirmada a presença de dois membros do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) que viajam a convite do Grupo de Investigação de Acidentes Aéreos (GRIAA), da Colômbia.
Cada técnico participa da investigação como representante acreditado, profissional designado pelo Estado Brasileiro para acompanhar o processo sob responsabilidade das autoridades locais.
Todo o trâmite para o transporte dos corpos pelas aeronaves da FAB foi feito pelo adido de Aeronáutica na Colômbia, Coronel Jefferson César Darolt.
Na terça-feira, um avião C-99 decolou do Rio de Janeiro. Antes de seguir para Medellín, foram realizados embarques em São Paulo e Brasília, além de duas paradas técnicas. No total, foram transportados 24 passageiros, entre eles, representantes dos Ministérios das Relações Exteriores, dos Esportes e da Saúde, além de membros da Polícia Federal e da Prefeitura de Chapecó.
Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
61 3312-4071


OUTRAS MÍDIAS


ESPN.com.br


Argentina veio ao Brasil com a LaMia, e avião chegou com combustível perto do limite


ESPN.com.br

No começo de novembro, a seleção argentina utilizou os serviços da companhia aérea LaMia para ir de Buenos Aires até Belo Horizonte, local do jogo contra o Brasil pelas eliminatórias sul-americanas. E o avião chegou ao destino com combustível para apenas 15 minutos a mais de voo.
A informação é da rádio La Red, da Argentina. O veículo tornou público declarações feitas por Guilherme Dietrich, ministro de Transporte do país, para pessoas de sua confiança.
O ministro recebeu um informe técnico e disse que "O avião que fez o translado da Argentina até o Brasil aterrissou com apenas 15 minutos mais de autonomia."
A situação se mostra semelhante ao do desastre aéreo que levava a delegação da Chapecoense e convidados para Medellín, na Colômbia.
Dados e fatos preliminares mostram que o avião provavelmente sofreu uma pane seca enquanto aguardava instruções para pousar no aeroporto de Rionegro.

Após o acidente, veio a público que o avião saiu de Santa Cruz de la Sierra com o tanque cheio e que o plano de voo previa uma viagem sem escalas.
Cinco pontos do planejamento chegaram a ser questionados por uma funcionária do aeroporto de origem, inclusive a questão da quantidade do combustível ser praticamente igual a da distância que precisava ser percorrida. No fim, porém, o avião foi autorizado a partir.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented