NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 31/12/2013



Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




REUTERS


BNDES aprova financiamento de R$1,5 bi para Aeroporto de Viracopos



O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou a concessão de financiamento de longo prazo no valor de 1,5 bilhão de reais para a concessionária do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), a empresa Aeroportos Brasil Viracopos.
A participação do BNDES corresponderá a 62,6 por cento do investimento total no aeroporto, informou o banco de fomento nesta segunda-feira, por meio de comunicado.
A Aeroportos Brasil Viracopos já havia recebido empréstimo-ponte de 1,2 bilhão de reais em dezembro de 2012.
A concessionária também emitirá debêntures de infraestrutura, no valor de 300 milhões de reais, numa operação que também contará com a participação do BNDES.
As debêntures de infraestrutura têm isenção de Imposto de Renda para o investidor pessoa física e para o investidor estrangeiro, além de alíquota de 15 por cento para a pessoa jurídica.
A Aeroportos Brasil Viracopos tem como sócios a Infraero (49 por cento) e a Aeroportos Brasil (51 por cento). Esta última, por sua vez, é controlada pela UTC Participações, pela Triunfo Participações e Investimentos S.A. e pela empresa aeroportuária internacional Egis Airport Operation, que opera 13 aeroportos no mundo, além de Viracopos.

A concessionária fará investimentos na ampliação e modernização do aeroporto até dezembro de 2014, como construção de um novo terminal, com capacidade para atender, inicialmente, 14 milhões de passageiros, podendo chegar a até 22 milhões.




REVISTA ÉPOCA


Renan Calheiros devolve R$ 27 mil por ter usado avião da FAB em viagem para fazer implante capilar


Foi a segunda vez neste ano que o presidente do Senado utilizou um avião da FAB em compromissos particulares

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), recolheu R$ 27.390,25 aos cofres públicos nesta segunda-feira (30/12). De acordo com a assessoria de imprensa da Presidência do Senado, "o valor se refere ao uso da aeronave em 18 de dezembro entre as cidades de Brasília e Recife e foi calculado pela Força Aérea Brasileira (FAB)". O pagamento foi realizado por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU).
Renan viajou para a capital de Pernambuco com o objetivo de fazer um implante de cabelo e não tinha compromissos oficiais naquela data. De acordo com dados do site da FAB, o presidente do Senado saiu de Brasília às 22h15 e chegou a seu destino às 23h30. A aeronave levou outros quatro passageiros, provavelmente convidados de Renan, uma vez que não há registros de que o voo tenha sido compartilhado. O senador informou à FAB que a viagem era "a serviço".
Diante do episódio, a Aeronáutica informou no último dia 23 que disponibilizou um avião para o transporte do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), em voo de Brasília a Recife, atendendo regras firmadas e abstraindo questões de mérito relacionadas ao motivo da viagem. Nota divulgada pelo Centro de Comunicação Social da Aeronáutica citou que fugia à alçada do Comando da Aeronáutica julgar os motivos da viagem.
Foi a segunda vez neste ano que o presidente do Senado utilizou um avião da FAB em compromissos particulares. Em junho, ele pegou carona para ir ao casamento da filha do líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), em Trancoso, Bahia. Após o fato ser revelado pela imprensa, Renan decidiu devolver o dinheiro aos cofres públicos.




VEJA.COM


Renan devolve R$ 27 mil gastos em viagem para fazer implante capilar


Senador usou avião da FAB para fazer implante de cabelo em Recife; foi a segunda vez que o peemedebista utilizou jatinho da FAB para agenda particular

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-RN), devolveu nesta segunda-feira aos cofres públicos o valor gasto indevidamente em viagem para fazer um implante capilar. O parlamentar utilizou um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) para viajar de Brasília a Recife, onde a cirurgia foi realizada – 10.000 novos fios de cabelo foram implantados. O caso foi revelado pelo jornal Folha de S. Paulo.
A assessoria do peemedebista informou que o valor de 27.390,25 reais, calculado pela Força Aérea Brasileira, foi devolvido por meio de uma Guia de Recolhimento da União (GRU).
Renan é reincidente: em julho, ele também teve de ressarcir os cofres públicos após a revelação de que usou uma aeronave da FAB para viajar a Trancoso (BA) e comparecer ao casamento da filha do senador Eduardo Braga (PMDB-AM). Na ocasião, o peemedebista se desculpou. O episódio foi um dos motivos pelos quais a Aeronáutica passou a divulgar na internet os voos realizados para deslocamento de autoridades.
O uso de aeronaves da FAB é autorizado apenas em deslocamentos a serviço do mandato.




EXAME.COM


Demanda por transporte aéreo cresce 4,59% no país


Em relação à oferta, pelo conceito de "assentos-quilômetros oferecidos" (ASK), o crescimento foi de 0,60%

Demanda e oferta do transporte aéreo doméstico cresceram em novembro, informou nesta segunda-feira, 30, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).
Sob o lado da demanda, considerando o critério de "passageiros-quilômetros pagos transportados" (RPK), a alta foi de 4,59%. Em relação à oferta, pelo conceito de "assentos-quilômetros oferecidos" (ASK), o crescimento foi de 0,60%.
Nesses dois casos, as comparações são realizadas com dados de novembro do ano passado. "Trata-se do maior nível de demanda no mercado doméstico para o mês de novembro nos últimos dez anos", cita a Anac, em nota.
A Anac destaca que as maiores taxas de crescimento de demanda doméstica em novembro de 2013 foram obtidas pela Azul Linhas Aéreas (36,45%) e a Avianca (26,03%), quando realizada comparação com igual período de 2012.
A TAM registrou queda de 5,89% na demanda doméstica de novembro deste ano, quando comparada com o mesmo mês do ano anterior. A GOL apresentou crescimento de 13,58% no mesmo período. Se consideradas somadas as operações de GOL e Webjet, a demanda doméstica de tais empresas apresentou crescimento de 7% no mesmo comparativo.
Na divisão de mercado, entretanto, GOL e TAM apresentaram as maiores participações. A TAM obteve 38,81% de RPK, ou seja, de passageiros transportados. A GOL, em segundo lugar, abocanhou fatia de 36,40%. Mas a Anac ressalta que a participação das demais empresas no mercado doméstico cresceu 6,18%, passando de 23,35%, em novembro do ano passado; para 24,79%, em novembro deste ano.
O número de passageiros transportados no mercado doméstico em novembro de 2013 alcançou a marca de 7,8 milhões de pessoas, o maior para o mês nos últimos 10 anos.
A taxa de aproveitamento das aeronaves em voos domésticos de passageiros (RPK/ASK) foi recorde para o mês de novembro nos últimos dez anos, alcançando 79,27%. A taxa de ocupação acumulada de janeiro a novembro de 2013 ficou em 75,84%, contra 72,51% no mesmo período de 2012.



VALOR ECONÔMICO


Renan devolve R$ 27 mil por voo da FAB usado para ir a Recife



O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), devolveu aos cofres públicos, nesta segunda-feira, 30, os mais de R$ 27 mil gastos em viagem feita em avião da Força Aérea Brasileira (FAB) de Brasília para Recife para se submeter a uma cirurgia de implante capilar.
De acordo com nota distribuída pela assessoria do senador, o valor foi calculado pela FAB e o pagamento foi feito por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU).
A viagem foi realizada em 18 de dezembro e, embora utilizasse avião oficial, não foi registrada na agenda do presidente do Senado. Renan Calheiros decidiu devolver o dinheiro após a repercussão negativa do caso na imprensa.
Em julho, o senador também reembolsou a União em R$ 32 mil por também ter utilizado um avião da FAB para ir com a família ao casamento da filha do líder do governo no Senado, Eduardo Braga (AM), em Trancoso, na Bahia.






DIÁRIO DE PERNAMBUCO


Aeroportos têm movimentação tranquila



Os aeroportos brasileiros têm movimentação tranquila nesta segunda-feira (30) que antecede o feriado de Ano Novo. Até as 15 horas, a Infraero registrou 31 voos com atrasos superiores a 30 minutos, 2,5% dos 1.265 voos programados, número considerado normal. E 54 voos foram cancelados.
Desde o final de novembro a Infraero trabalha com um plano de ação para a movimentação da alta temporada, que seguirá até o final de janeiro de 2014. Para o período, o fluxo estimado de passageiros nos 63 terminais administrados pela empresa é 26,27 milhões de pessoas. A previsão não inclui os aeroportos concedidos, como o de Guarulhos e de Brasília.
O planejamento da Infraero para o atendimento à alta temporada envolve o reforço das atividades operacionais, de atendimento direto ao público e de manutenção e limpeza. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) também divulga diariamente dois boletins sobre a situação dos voos nos 12 aeroportos onde ocorre a Operação Fim de Ano .
Já nas rodovias, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) continua com a Operação Rodovida, intensificando as fiscalizações nas rodovias federais de todo país. Ela envolve vários órgãos de trânsito, saúde e segurança para reduzir a violência no trânsito durante o período das festas de fim de ano, férias e carnaval. Segundo a PRF, o balanço das operações de fim de ano deve ser divulgado no início de janeiro.
A ANTT também continua com operações de fiscalização nos principais terminais rodoviários do país.

ZERO HORA


BNDES aprova empréstimo de R$ 1,5 para aeroporto de Viracopos, privatizado em 2012


O valor corresponde a 62,6% do investimento total que será feito pela concessionária

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou nesta segunda-feira a aprovação de financiamento de longo prazo no valor de R$ 1,5 bilhão para a concessionária do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas. O empréstimo corresponderá a 62,6% do investimento total. Com isso, o BNDES encerra em R$ 5,8 bilhões o pacote de financiamento aos três aeroportos privatizados em 2012 – os empréstimos para Guarulhos e Brasília foram anunciados no último dia 17.
Em dezembro de 2012, a empresa Aeroportos Brasil Viracopos já havia recebido empréstimo-ponte de R$ 1,2 bilhão, aproximadamente. Além do financiamento de longo prazo do BNDES, a concessionária emitirá debêntures de infraestrutura, no valor de R$ 300 milhões - segundo nota enviada pelo BNDES, a participação do banco na emissão já está aprovada.
As debêntures serão do tipo simples (não conversíveis em ações). Por serem de infraestrutura, terão incentivo fiscal previsto na Lei nº 12.431/2011 - isenção de Imposto de Renda para o investidor pessoa física e para o investidor estrangeiro, além de alíquota de apenas 15% para a pessoa jurídica.
O controle da Aeroportos Brasil Viracopos é da UTC Participações, Triunfo Participações e Investimentos S.A. e a operadora aeroportuária Egis Airport Operation, que opera 13 aeroportos no mundo, além de Viracopos.




JORNAL DO BRASIL


Renan anuncia devolução de recursos por uso de avião da FAB


Segundo o presidente do Senado, foi devolvida aos cofres públicos a quantia de R$ 27.390,25

O presidente do Senado, Renan Calheiros, divulgou na tarde desta segunda-feira (30) uma nota à imprensa sobre a devolução aos cofres públicos de R$ 27.390,25 pelo voo em aeronave da Força Aérea Brasileira entre Brasília e Recife para realizar cirurgia de implante capilar. A viagem foi realizada no último dia 18 e não constava da agenda oficial de Renan.
Em Recife, o senador passou por procedimento cirúrgico de implante capilar durante cerca de 7 horas na última quinta (19) no Hospital Memorial São José. Foram implantados mais de dez mil fios de cabelos.
Confira a nota:

O presidente do Senado, Renan Calheiros, recolheu aos cofres públicos, nesta segunda-feira (30), a quantia de R$ 27.390,25. O valor se refere ao uso da aeronave em 18 de dezembro entre as cidades de Brasília e Recife e foi calculado pela Força Aérea Brasileira (FAB). O pagamento foi feito via Guia de Recolhimento da União (GRU).




PORTAL G-1


Renan devolve R$ 27 mil à União por voo da FAB para implante capilar


Voo do último dia 18 não constava na agenda do presidente do Senado. Senador prometeu devolver valor caso FAB considerasse voo irregular.

A Presidência do Senado informou nesta segunda-feira (30), por meio de nota à imprensa, que o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), devolveu aos cofres públicos R$ 27.390,25 pelo voo em aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) entre Brasília e Recife para realizar cirurgia de implante capilar.
A ida a Pernambuco ocorreu no último dia 18 e não constava na agenda oficial de Renan. No registro de voos da FAB, a viagem é justificada por motivo de “serviço”. A assessoria da presidência do Senado havia informado que, caso a FAB considerasse que o uso do jato não respeitou as regras, Renan Calheiros devolveria os valores gastos, conforme cálculo que seria feito pela própria FAB.
O valor devolvido por Renan foi calculado pela própria FAB. Na última sexta, o presidente do Senado encaminhou ofício à Força Aérea questionando o valor do voo.
Na última segunda (23), Renan havia enviado outro ofício ao comandante da FAB, Juniti Saito, perguntando se cometeu alguma “impropriedade” no uso da aeronave no voo entre Brasília e Recife. O comandante respondeu que disponibilizou a aeronave para uma viagem a “serviço”, conforme solicitado pelo presidente do Senado, e que não cabe à FAB “julgar” o mérito dos traslados.

Esta é a segunda vez neste ano que Renan devolve dinheiro à União por uso de voo da FAB. Em julho, ele devolveu R$ 32 mil referentes à viagem que fez em 15 de junho em avião da FAB entre Maceió, Porto Seguro e Brasília para participar de festa de casamento em Trancoso, na Bahia. Na ocasião, a nota à imprensa sobre a devolução do dinheiro não informava o motivo da viagem ou se Renan viajou com acompanhantes.
Implante capilar
Em Recife, aonde chegou na noite do dia 18, Renan passou por procedimento cirúrgico de implante capilar durante aproximadamente 7 horas no Hospital Memorial São José, área central da cidade. De acordo com o médico que realizou a cirurgia, foram implantados mais de dez mil fios de cabelos. Renan passava bem após o procedimento.

Veja a nota da Presidência do Senado:
"O presidente do Senado, Renan Calheiros, recolheu aos cofres públicos, nesta segunda-feira (30), a quantia de R$ 27.390,25. O valor se refere ao uso da aeronave em 18 de dezembro entre as cidades de Brasília e Recife e foi calculado pela Força Aérea Brasileira (FAB). O pagamento foi feito via Guia de Recolhimento da União (GRU)."





Aviação tem maior número de passageiros para novembro


Marca obtida neste ano é a maior para o mês nos últimos dez anos. Em voos domésticos, alta foi de 6,5% sobre 2012; nos internacionais, 7%.

O número de passageiros transportados no mercado doméstico de aviação somou 7,8 milhões em novembro de 2013, com alta de 6,5% sobre o mesmo mês do ano passado, informou a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) nesta segunda-feira (30). É a maior marca para meses de novembro dos últimos dez anos.
No período de janeiro a novembro de 2013 a quantidade de passageiros transportados cresceu 0,70% em relação ao mesmo período do ano anterior, acrescentou a Anac.
A taxa de aproveitamento das aeronaves em voos domésticos de passageiros também foi recorde para o mês de novembro nos últimos dez anos, alcançando 79,27%, percentual 3,96% superior ao de outubro. A taxa de ocupação acumulada de janeiro a novembro de 2013 ficou em 75,84% - contra 72,51% no mesmo período de 2012.
Voos internacionais
Já o número de passageiros transportados por empresas brasileiras no mercado internacional em novembro de 2013 atingiu 484,5 mil, tendo sido, também, o maior para o mês nos últimos dez anos - com alta de 7,1% em relação a novembro de 2012.
No período de janeiro a novembro de 2013 a quantidade de passageiros transportados acumulou crescimento de 4,4% em relação ao mesmo período do ano anterior.
"A TAM foi a empresa que mais transportou passageiros no mercado internacional em novembro de 2013, com 349,9 mil. No acumulado de janeiro a novembro, a TAM foi responsável pelo transporte de 4,08 milhões de passageiros em 2013 e a GOL transportou um total de 1,44 milhão", acrescentou a Anac.
A taxa de aproveitamento dos voos internacionais de passageiros operados por empresas brasileiras, por sua vez, alcançou 79,70% em novembro de 2013, contra 72,42% do mesmo mês do ano anterior, representando alta de de 10,05%, informou a Anac. Foi, também, o melhor aproveitamento das empresas brasileiras em voos internacionais para o mês de novembro registrado nos últimos dez anos.
Demanda no mercado doméstico
A demanda no mercado doméstico, medida pelo critério de passageiros-quilômetros pagos transportados (RPK), informou a Anac, registrou crescimento de 4,59% em novembro de 2013, sobre o mesmo período do ano passado, e obteve o maior nível, para este mês, nos últimos dez anos. No ano, a demanda doméstica acumula alta de 0,75%.
"Entre as principais empresas aéreas brasileiras, a Azul Linhas Aéreas e a Avianca destacaram-se com as maiores taxas de crescimento de demanda doméstica em novembro de 2013, quando comparadas ao mesmo período de 2012, com alta de 36,45% e 26,03%, respectivamente", acrescentou a Anac.
Se forem somadas as operações de Azul e Trip, essas empresas registraram crescimento de 18% na demanda doméstica no mesmo período, ao mesmo tempo em que a TAM registrou queda de 5,89% na demanda doméstica de novembro de 2013 e a Gol registrou crescimento de 13,58% no mesmo período. Se consideradas somadas as operações de Gol e Webjet, a demanda doméstica de tais empresas apresentou crescimento de 7% no mesmo comparativo.
Participação no mercado doméstico
Ainda segundo a Anac, a TAM e a Gol lideraram o mercado doméstico em novembro de 2013 com participação (em RPK) de 38,81% e de 36,40%, respectivamente. Entretanto, a participação das demais empresas no mercado doméstico passou de 23,35% em novembro de 2012 para 24,79% no mesmo mês deste ano.
"Entre as principais empresas aéreas brasileiras, Azul e Avianca registraram o maior crescimento em sua participação no mercado doméstico em novembro de 2013, passando de 9,92% para 12,94% (crescimento de 30,46%) e de 6,40% para 7,71% (crescimento de 20,49%), respectivamente", afirmou a Anac.



Lanchonete popular do aeroporto de Fortaleza começa a funcionar


Quinze produtos têm preços tabelados. Unidade está no saguão de check-in do terminal.

 A lanchonete popular do aeroporto internacional de Fortaleza começou a funcionar neste domingo (29) no saguão de check-in do terminal. A lanchonete oferta 15 produtos com preços tabelados, como café, refrigerante, suco e pão de queijo), definidos pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) após pesquisa no mercado local.
“Com a inauguração da lanchonete popular, os usuários do aeroporto de Fortaleza ganham mais uma opção de alimentação. Essa iniciativa também tem como objetivo oferecer aos usuários do terminal uma alternativa de alimentação mais acessível e estimular a concorrência entre os estabelecimentos comerciais do aeroporto”, afirma Wellington Santos, superintendente do aeroporto Pinto Martins.
Preço mais baixo
A instalação de lanchonetes populares ocorre nos aeroportos das 14 cidades-sede da Copa de 2014 sob a adminstração da Infraero.
Em fevereiro deste ano, o G1 fez uma pesquisa nos estabelecimentos dos principais aeroportos brasileiros e constatou que a maioria praticava valores acima do mercado.
No Pinto Martins, uma xícara de café de 50 ml saía por até R$ 3,55; 500 ml de água custava R$ 3,50; a unidade do pão de queijo, R$ 3,45; a lata de cerveja, R$ 5,00; o refrigerante, R$ 4,60 e a coxinha, R$ 5,60.
Atualmente, sete aeroportos da Infraero contam com lanchonetes populares: Curitiba e Londrina (PR), Recife (PE), Porto Alegre (RS), Natal (RN), Congonhas (SP), Salvador (BA), Galeão e Santos Dumont (RJ). No Aeroporto de Manaus (AM), a lanchonete popular está em fase de contratação.




Voo para Cruzeiro do Sul apresenta pane no motor e é cancelado



O voo 1939 da companhia aérea Gol, com destino a Cruzeiro do Sul foi cancelado na manhã desta segunda-feira (30) por conta de uma pane no motor da aeronave. Segundo informações da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), o voo estava programado para sair de Rio Branco às 11h20 e, ainda na pista, apresentou problemas no motor.
O fiscal da Infraero,Jean Lopes, informou que a pane é algo normal. "Uma pane normal mesmo, como acontece com veículo, avião, qualquer coisa", explica. Sem vítimas ou danos, o voo foi cancelado pela manhã e transferido para madrugada desta terça-feira (31). Até o fechamento desta matéria, o G1 entrar em contato com a Gol, mas a empresa não foi encontrada para comentar sobre o assunto.


Índios refugiados em Batalhão do Exército retornam à aldeia no AM


Índios se comprometeram a colaborar com as investigações da polícia. Operação busca por três homens desaparecidos desde o dia 16

Os índios que estavam fora de uma reserva indígena no sul do Amazonas puderam voltar para casa. Eles se comprometeram a colaborar com as investigações da polícia, que procura três homens desaparecidos desde o dia 16.
Os 138 índios que estavam refugiados a pedido da Funai no Batalhão do Exército foram levados de ônibus para a Reserva Tenharim, que fica a 200 quilômetros de Humaitá. Outros seis foram encaminhados a Porto Velho para receber atendimentos médicos. Os índios se comprometeram a não atrapalhar o trabalho das forças de segurança nas buscas por três homens que estão desaparecidos desde a segunda-feira (16).
“Serão catalogadas todas as pessoas que entrarem na área de reserva e na balsa em Humaitá. Dentro da área indígena toda, nós vamos ter 24 horas por dia patrulhamentos da Polícia Rodoviária Federal e da Força Nacional”, diz João Bosco Ribeiro, inspetor da Polícia Rodoviária Federal – RO.
As buscas começaram perto do pedágio. Equipes de comunicação, cães farejadores, navegadores e equipes técnicas científicas para exames periciais do local do crime participam da operação.
O delegado que investiga o caso disse que os índios que estavam detidos não têm envolvimento com o sumiço dos três homens.




FOLHA DE SÃO PAULO


Renan devolve R$ 27 mil por usar jato da FAB


Presidente do Senado viajou em avião das Forças Armadas para fazer implante de cabelo

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), anunciou ontem a devolução de R$ 27,4 mil aos cofres públicos por ter usado jato da FAB (Força Aérea Brasileira) para fins particulares.
Renan viajou a Recife (PE) no dia 18 de dezembro, onde foi submetido a cirurgia para implante capilar. Na ocasião, a agenda oficial não registrava compromissos do senador na capital pernambucana.
O caso foi revelado pela coluna Painel, da Folha.
O decreto que regulamenta o uso de aviões da FAB por autoridades não prevê viagens para fins particulares. A norma permite o uso por questões de segurança, emergência médica ou em deslocamentos para o local de residência permanente.
Pelas regras, "o transporte de autoridades civis em desrespeito" ao decreto "configura infração grave", sujeita "às penalidades administrativas, civis e penais" cabíveis.
Em nota, o Senado informou que o valor, calculado pela FAB, foi pago à União.
É a segunda vez neste ano que Renan usa jato da FAB para fins particulares. Em junho, foi a Trancoso (BA) para o casamento da filha do senador Eduardo Braga (PMDB-AM). Na ocasião, informou ter devolvido R$ 32 mil à União.


O ESTADO DE SÃO PAULO


Renan devolve R$ 27 mil por uso de avião da FAB em voo particular


Presidente do Senado viajou para Recife para fazer implante de cabelo em dia que não tinha compromissos oficiais

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), recolheu R$ 27.390,25 aos cofres públicos nesta segunda-feira, 30. "O valor se refere ao uso da aeronave em 18 de dezembro entre as cidades de Brasília e Recife e foi calculado pela Força Aérea Brasileira (FAB)", informou a assessoria de imprensa da Presidência do Senado. O pagamento foi realizado por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU).

Renan viajou para a capital de Pernambuco com o objetivo de fazer um implante de cabelo e não tinha compromissos oficiais naquela data. De acordo com dados do site da FAB, o presidente do Senado saiu de Brasília às 22h15 e chegou a seu destino às 23h30. A aeronave levou outros quatro passageiros, provavelmente convidados de Renan, uma vez que não há registros de que o voo tenha sido compartilhado. O senador informou à FAB que a viagem era "a serviço".
Diante do episódio, a Aeronáutica informou no último dia 23 que disponibilizou um avião para o transporte do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), em voo de Brasília a Recife, atendendo regras firmadas e abstraindo questões de mérito relacionadas ao motivo da viagem. Nota divulgada pelo Centro de Comunicação Social da Aeronáutica citou que fugia à alçada do Comando da Aeronáutica julgar os motivos da viagem.
Foi a segunda vez neste ano que o presidente do Senado utilizou um avião da FAB em compromissos particulares. Em junho, ele pegou carona para ir ao casamento da filha do líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), em Trancoso, Bahia. Após o fato ser revelado pela imprensa, Renan devolveu o dinheiro aos cofres públicos.




Mirage faz último voo hoje, rumo ao museu


Caça francês será substituído pelo Gripen NG, da Suécia, escolhido há duas semanas pelo Brasil

A festa do adeus foi na segunda-feira, dia 20 - o último voo, será hoje às 10h40, na base de Anápolis, a 140 km de Brasília. O Mirage 2000, de matrícula 4948, vai decolar rumo ao Rio de Janeiro. Chega lá uma hora depois. Pousará para sempre. Foi doado ao Museu da Aeronáutica, seu destino final.
Será pilotado pelo capitão Antonio Augusto da Silva Ramalho, do 1º Grupo de Defesa Aérea. Ramalho se diz "feliz, como piloto, pela honra da missão". Aos 33 anos, operando desde 2010 os interceptadores Mirage, Ramalho reconhece "o salto qualitativo da aviação de caça brasileira", com a chegada do novo jato supersônico de tecnologia avançada, o modelo sueco Gripen NG, selecionado dia 18, pela presidente Dilma Rousseff na definição do longo processo F-X2; durou cerca de 20 anos a contar do estudo preliminar e das consultas iniciais.
Encomenda.
A possibilidade é de que a expectativa do capitão, seus colegas e, ainda, a da complexa rede da indústria aeronáutica, seja superada. A encomenda inicial de 36 aeronaves, mais o conhecimento sensível - cuja liberação irrestrita é "cláusula pétrea" do acordo -, vai custar US$ 4,5 bilhões. E deve ser seguida de pacotes subsequentes, de longo prazo, até um total de 124 unidades contratadas a longo prazo, coisa de 10 a 15 anos, contemplando um horizonte além de 2030. A previsão pode ser maior, chegando a 160 jatos Gripen NG. O número é considerado o ideal para proteção integral dos pontos estratégicos do País, de acordo com um oficial combatente ouvido pelo Estado. O plano da Força Aérea é substituir a frota atual por um só tipo padrão, capaz de ser configurado de forma personalizada para cada necessidade.
A Marinha está na mesma sintonia. A aviação naval embarcada hoje no porta aviões São Paulo A-12 e, no futuro, a bordo do novo navio dessa classe que vai liderar a 2.ª Frota, no litoral Norte/Nordeste, quer empregar a versão especializada do mesmo avião escolhido para a FAB.
Em Anápolis, na sede do Grupo de Defesa Aérea, a dupla inicial de caças F-5M, que cumprirá a tarefa de proteger Brasília até a chegada dos Gripen, estimada para 2018, está pronta. Vieram de Santa Cruz (RJ) e de Canoas (RS). Na segunda mobilização ao menos um sairá de Manaus.
Os 12 Mirage 2000C/B comprados usados, na França, pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2005, deveriam ter sido aposentados em 2011. A Aeronáutica montou um esquema de manutenção que imobilizou seis caças e manteve no ar o esquadrão remanescente. Até o voo do capitão Ramalho, hoje, o GDA terá somado 10.500 horas.
Em sete anos o supersônico entrou em ação real apenas uma vez, em março de 2009, quando foi acionado para reagir a uma ameaça - um piloto amador, desequilibrado, pretendia invadir o limite da capital. Acabou caindo e morrendo com a filha de 5 anos no estacionamento de um shopping de Goiânia.


Demanda por voos sobe 4,59% em novembro



A demanda e a oferta do transporte aéreo doméstico cresceram em novembro, em relação ao mesmo período de 2012, informou ontem a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A demanda por voos subiu 4,59% e, a oferta, 0,60%. A Azul foi a empresa com maior expansão no período, com alta de 36,45% na demanda. O pior resultado entre as grandes empresas foi da TAM, que registrou queda de 5,89% na demanda em novembro. A empresa, no entanto, manteve a liderança, com 38,81% do mercado.


PORTAL TERRA


Renan Calheiros devolve R$ 27 mil gastos com voo para implante capilar



O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), devolveu aos cofres públicos nesta segunda-feira o valor de R$ 27.390,25 por um voo irregular que fez com aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) para um procedimento de implante capilar. O custo da viagem de Brasília para Recife, realizada em 18 de dezembro, foi calculado pelo Comando da Aeronáutica.

Segundo nota divulgada pela Presidência do Senado Federal, o pagamento foi realizado por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU). Renan consultou a Aeronáutica há uma semana questionando se houve irregularidade do uso do avião oficial.
No registro da FAB, o motivo do voo utilizado pelo senador consta como “serviço”. Na agenda de Renan Calheiros não constava, no entanto, compromissos oficiais na capital pernambucana.
Em junho, Renan Calheiros foi até a Bahia para o casamento da filha do também senador Eduardo Braga (PMDB-AM) num avião da FAB. Na ocasião, o alagoano reembolsou R$ 32 mil à União pelo voo. Há duas semanas, antes da cirurgia de implante capilar, Renan Calheiros fez um balanço anual do Senado e comemorou uma economia de R$ 275 milhões com políticas de cortes de gastos. Ele disse que comunicaria o governo federal para que o dinheiro fosse aplicado em ações sociais.


PORTAL R7


Renan Calheiros devolve R$ 27 mil aos cofres públicos, diz assessoria


Valor se refere ao uso da aeronave da FAB para implante capilar; é a 2ª devolução de Renan

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB)-AL), recolheu aos cofres públicos, nesta segunda-feira (30), a quantia de R$ 27.390,25, informa a assessoria de imprensa da Presidência do Senado em nota.
No último dia 18, Renan viajou em avião da FAB (Força Aérea Brasileira) para a capital pernambucana para fazer um implante de cabelo e, apesar de não ter compromissos oficiais naquela data, informou que estava ”a serviço”.
O motivo da viagem foi revelado por reportagem da Folha de S.Paulo — foi a matéria que acabou motivando a devolução da quantia.

 Segundo a assessoria da Presidência do Senado, o valor devolvido foi calculado pela FAB e o pagamento foi feito via GRU (Guia de Recolhimento da União). E esse não foi a primeira devolução de dinheiro feita por Renan enquanto presidente do Senado.
No dia 15 de junho, o presidente do Senado foi de Maceió para Porto Seguro, no sul da Bahia, para acompanhar o casamento da filha do senador Eduardo Braga (PMDB-AM) em Trancoso. Depois de descoberto o uso indevido da aeronave, Renan anunciou que devolveria R$ 32 mil aos cofres públicos.




Sob o lado da demanda, considerando o critério de "passageiros-quilômetros pagos transportados" (RPK), a alta foi de 4,


Empresas brasileiras embarcaram 7,8 milhões de passageiros no mês passado, segundo Anac

As empresas aéreas brasileiras transportaram 7,8 milhões de passageiros em novembro e o mercado registrou o melhor resultado para o mês nos últimos dez anos. A alta em relação ao mesmo mês de 2012 foi de 6,5%, segundo balanço divulgado pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) nesta segunda-feira (30). 
Entre as empresas, os principais destaques foram a Azul Linhas Aéreas e a Avianca, que tiveram as maiores taxas de crescimento quando comparadas ao mesmo período de 2012. A Azul teve alta de 36,45% e a Avianca, de 26,03%.
Se consideradas somadas as operações de Azul e Trip, essas empresas registraram crescimento de 18% na demanda doméstica no mesmo período. A TAM registrou queda de 5,89% na demanda doméstica e a GOL teve alta de 13,58% na mesma comparação. Ao considerar as operações de Gol e Webjet juntas, a demanda doméstica cresceu 7% no mesmo comparativo.
 Divisão do mercado 
A liderança do mercado de aviação civil permanece nas mãos da TAM e da GOL, que têm fatias de 38,81% e 36,40%, respectivamente. No entanto, as outras empresas aumentaram sua participação no mercado. Juntas, as outras companhias conquistaram, em novembro, 24,79% do mercado — antes o percentual era de 23,35%.
Na comparação entre novembro deste ano e o mesmo mês de 2012, a Azul ampliou sua parcela no mercado de9,92% para 12,94%. Já a Avianca aumentou sua fatia de mercado de 6,40% para 7,71% — crescimento de 20,49% — no mesmo período. Se somadas as operações de Azul e Trip, a ampliação foi de 14,51% para 16,44% do mercado.
Ocupação dos aviões
O balanço da Anac indica ainda que a taxa de aproveitamento das aeronaves em voos domésticos foi recorde para o mês de novembro nos últimos dez anos, alcançando 79,27%.
A taxa de ocupação acumulada de janeiro a novembro de 2013 ficou em 75,84%, contra 72,51% no mesmo período de 2012.
Voos internacionais
O transporte aéreo internacional de passageiros também teve crescimento em novembro, de 7,14% em relação ao mesmo mês de 2012.
Ao todo, o número de passageiros transportados por empresas brasileiras no mercado internacional em novembro de 2013 atingiu 484,5 mil. Também foi o melhor resultado para o mês de novembro dos últimos dez anos, segundo a Anac.
A oferta de lugares, na mesma comparação, nas aeronaves diminuiu 2,64% no mesmo período — foi a primeira redução após 12 meses consecutivos de alta.
A ocupação das aeronaves brasileiras que voam para o exterior ficou em 79,7% em novembro de 2013, contra 72,42% do mesmo mês do ano anterior. Trata-se do melhor aproveitamento das empresas brasileiras em voos internacionais para o mês de novembro registrado nos últimos dez anos.
Quanto a participação de mercado, o Grupo TAM e a GOL representaram a totalidade das operações de empresas brasileiras no transporte aéreo internacional de passageiros em novembro de 2013, com 86,77% e 13,23%, respectivamente.


AGÊNCIA BRASIL


Renan devolve R$ 27 mil aos cofres públicos depois de usar avião da FAB para viagem particular



O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), devolveu aos cofres públicos quantia no valor de R$ 27.390,25 referente ao uso de uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) para fins particulares. A quantia foi paga hoje (30).
Segundo nota divulgada pelo gabinete da presidência do Senado, o valor dos gastos com a viagem foi calculado pela própria FAB e o pagamento feito por meio de uma Guia de Recolhimento da União (GRU). Renan utilizou a aeronave para fazer uma viagem de Brasília a Recife no último dia 18.
Após a divulgação na imprensa de que Renan Calheiros viajou para a capital pernambucana para se submeter a duas intervenções estéticas – implantes de cabelo e cirurgia de pálpebra –, o presidente do Senado disse que consultaria a FAB para saber se o uso do avião tinha sido indevido. Agora, após a resposta da Força Aérea, ele decidiu recolher o valor aos cofres públicos.
Renan adotou a mesma postura em episódio anterior, quando utilizou aviões públicos para ir ao casamento da filha do senador Eduardo Braga (PMDB-AM), na Bahia, em junho. As viagens de autoridades e chefes de poderes em aeronaves da FAB são autorizadas quando ocorrem a serviço e para levá-los para suas residências em outros estados.




Dilma cita concessões de aeroportos em pronunciamento



No último pronunciamento nacional em cadeia de rádio e televisão do ano, a presidenta Dilma Rousseff procurou passar para população uma mensagem de otimismo para 2014. Em um balanço de 2013, Dilma frisou que país termina o ano “melhor do que começou”, mesmo passando por crises internas e externas.
Em um recado aos “críticos”, a presidenta disse que a “instalação da desconfiança” é muito ruim para o Brasil e que uma “guerra psicológica” pode inibir investimentos e retardar iniciativas.
Em pouco mais de 12 minutos, Dilma frisou que o Brasil tem motivos para esperar um 2014 “ainda melhor do que foi 2013”. “Sinto alegria de poder tranquilizar vocês dizendo-lhes que entrem em 2014 com a certeza que o seu padrão de vida vai ser ainda melhor do que você tem hoje, sem risco de desemprego, podendo pagar as prestações, em condições de abrir sua empresa ou ampliar seu próprio negócio”, disse a presidenta.
Aos jovens, Dilma pediu que “usem a fotografia do presente e do passado recente” para projetar um “futuro melhor”. Em relação à economia, a presidenta frisou que seu governo teve “ação firme”, cortou gastos e “garantiu” o equilíbrio fiscal, reduziu o preço da conta de luz e dos impostos.
“Nesses últimos casos, enfrentando duras críticas daqueles que não se preocupam com o bolso da população brasileira”, discursou em relação à oposição. Ela acrescentou que o governo está “firme” na luta contra a inflação na manutenção do equilíbrio das contas públicas. “Sabemos o que é preciso para isso e nada nos fará sair desse rumo”, frisou Dilma.
A presidenta lembrou ainda do processo de concessões de portos, aeroportos e rodovias que, segundo ela, estão “melhorando a infraestrutura, iniciando a mais ampla, justa e moderna parceria de todos os tempos com o setor privado”.
Dilma acrescentou que, em 2013, o governo viabilizou a exploração do pré-sal, o que vai garantir “fabulosos recursos” para a educação e a saúde. “Estamos fazendo um esforço redobrado nesta área [educação]. Além de garantir mais vagas e mais qualidade em todos os níveis de ensino, aumentamos o número de creches e escolas em tempo integral, universidades e escolas técnicas”, disse.
A presidenta disse que o Programa Mais Médicos levou 6.658 profissionais para 2.177 cidades e, em 2014, serão mais 13 mil médicos e 45 milhões de brasileiros beneficiados. No ano marcado pelos protestos de rua, a presidenta acentuou que o governo ampliou o diálogo com todos os setores da sociedade. “Escutamos seus reclamos implantando pactos para acelerar o cumprimento de nossos compromissos”, discursou.
Em recado direto a trabalhadores e empresários, ela se disse disposta a ouvi-los “em tudo que for importante para o Brasil.” Dilma frisou ainda que “apostar no Brasil é o caminho mais rápido para todos saírem ganhando”. Sem citar ações, Dilma ressaltou que o seu governo tem buscado apoiar “fortemente” as populações tradicionais, em especial os grupos indígenas e quilombolas. “Não deixamos, em nenhum momento, de lutar em favor de todos os brasileiros, em especial dos que mais precisam”, disse.
Reforçando o tom otimista para o próximo ano, a presidenta disse que o Brasil melhorou e pode melhor mais. “O Brasil será do tamanho que quisermos, do tamanho que imaginemos. Se imaginarmos um país justo e grande e lutarmos por isso, assim teremos”, prometeu Dilma.




JORNAL O POVO


Renan devolve dinheiro gasto para usar jato da FAB em vôo para Recife


De acordo com cálculo da FAB, viagem do presidente do Senado de Brasília a Recife, para que ele fosse submetido a um implante capilar, custou R$ 27,4 mil aos cofres públicos. Dinheiro já teria, inclusive, sido depositado

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), anunciou hoje que devolverá R$ 27,4 mil pelo uso de uma aeronave da FAB para atividade pessoal. Renan foi de Brasília (DF) para Recife (PE) no dia 18 de dezembro para fazer uma cirurgia para implantar 10 mil fios de cabelo, conforme o Painel da Folha de S.Paulo mostrou em 21 de dezembro.

De acordo com a curta nota oficial divulgada no site do Senado Federal, o valor foi calculado pela Força Aérea e o pagamento foi feito por via bancária, através de uma Guia de Recolhimento da União.

Segunda vez

Renan Calheiros havia enviado ofício à FAB (Força Aérea Brasileira) pedindo que fosse calculado o valor a ser pago aos cofres públicos pelos gastos da viagem. De acordo com dados do site da FAB, o presidente do Senado saiu de Brasília às 22h15min e chegou a seu destino às 23h30min. A aeronave levou outros quatro passageiros, provavelmente convidados de Renan, uma vez que não há registros de que o voo tenha sido compartilhado. O senador informou à FAB que a viagem era “a serviço”. 
O decreto que regulamenta o uso de aviões da FAB por autoridades não prevê viagens para fins particulares. A norma permite o uso por questões de segurança, emergência médica ou em deslocamentos para o local de residência permanente.
Pelas regras, o transporte de autoridades civis em desrespeito ao decreto é infração administrativa grave, ficando o responsável sujeito às penalidades administrativas, civis e penais cabíveis.
Foi a segunda vez neste ano que Renan usou um avião da FAB para fins particulares. Em junho, foi a Trancoso (BA) para o casamento da filha do colega Eduardo Braga (PMDB-AM). Na ocasião, ele também informou ter reembolsado R$ 32 mil à União pelo uso indevido.


Leia também:










terça-feira, dezembro 31, 2013 | Posted in , , , , , , , , , , , , , | Read More »

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 30/12/2013

Imagem


Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




JORNAL A CRÍTICA


Cabo da aeronáutica é morto a tiros na frente do irmão na Zona Oeste de Manaus


Diego Soares foi atingido com um tiro no peito, chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital

O cabo da aeronáutica Diego Soares, 24, foi alvejado com um tiro no peito enquanto bebia com seu irmão na rua do Areal, bairro Compensa ll, Zona Oeste de Manaus.
Segundo testemunhas dois homens passaram atirando, os suspeitos estavam em um veículo modelo Gol, quatro portas, de cor vermelha.
A vítima foi levada ao Serviço de Pronto Atendimento (SPA) Joventina Dias, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.
O irmão da vítima ficou muito revoltado com o ocorrido e teve que ser levado ao 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP) após agir com violência tentando quebrar o SPA Joventina Dias.
O caso será investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (Dehs).

FOLHA DE SÃO PAULO


Tropa fará buscas por desaparecidos em reserva indígena


Após protestos de moradores de Humaitá (AM), cerca de 150 índios continuam abrigados em batalhão do Exército. Na quarta-feira, sede da Funai foi incendiada na cidade; ontem, houve novo ataque, desta vez na vizinha Apuí

Forças federais deverão realizar a partir de hoje uma operação na reserva dos índios tenharim, próxima ao município de Humaitá (AM), à procura de três homens desaparecidos na região desde o último dia 16.
Segundo a PF em Rondônia, já houve autorização do Ministério da Justiça para entrada na reserva indígena.
Cerca de 3.000 moradores de Humaitá promoveram na quarta um protesto violento contra os índios, a quem responsabilizam pelo desaparecimento dos três homens. Atearam fogo à sede local da Funai (Fundação Nacional do Índio) e da Funasa (Fundação Nacional de Saúde) e a 13 veículos e três barcos usados no transporte dos índios.
Ontem, cerca de 300 pessoas destruíram, em Apuí (AM), o local utilizado por índios tenharim como pedágio ilegal na rodovia Transamazônica, em área localizada no interior da reserva da etnia. Segundo a Polícia Militar, casas de apoio próximas ao pedágio também foram queimadas. Não há registro de feridos --os índios deixaram o local e a situação foi controlada, segundo a PM.
Ameaçados, cerca de 150 indígenas continuam em um batalhão do Exército.
Os moradores suspeitam que os três desaparecidos --Aldeney Salvador (funcionário da Eletrobras), Luciano Ferreira (representante comercial) e Stef de Souza (professor em Humaitá)-- foram sequestrados pelos índios, após a morte de um cacique. A polícia diz que o índio morreu atropelado.
Os índios ameaçavam resistir à operação de busca, mas recuaram após a garantia de que a Polícia Federal realizará a vistoria. Cerca de 300 homens da Polícia Federal, da Força Nacional, do Exército e da Polícia Rodoviária Federal deverão vasculhar os 1.309 hectares da área.
Segundo autoridades policiais, o atual conflito é resultado de tensões acumuladas entre índios e não índios.
"A população está revoltada, há um ódio acumulado. Além dessa situação [desaparecimento de três homens], os índios começaram a cobrar pedágio há cerca de 20 dias na rodovia [Transamazônica, que atravessa a terra indígena]", disse o primeiro-tenente da PM Gebes Santos.
A Funai afirmou que não cabe a ela investigar o desaparecimento de pessoas.
"É fundamental reafirmar, nesse momento, os princípios que regem o Estado Democrático de Direito, no âmbito do qual são reprováveis a prática de ameaças, de violência física e moral contra indígenas e contra servidores públicos, e a depredação do patrimônio público, causadora de enorme prejuízo ao erário", diz a nota divulgada pela Funai.

PORTAL G-1


ES tem 300 resgatados em 24 horas e cidadãos recomeçando a vida


Em Linhares, pessoas foram salvas pela FAB e Santa Leopoldina, renasce. Governo vai apresentar 1ª etapa de Plano de Reconstrução na quinta (2).

 Imagem
No quarto dia sem chuvas na maior parte do Espírito Santo, enquanto mais de 1,7 mil pessoas já conseguiram voltar para suas casas, algumas ainda estão sendo retiradas de áreas de risco. Apenas nas últimas 24 horas, a Força Aérea Brasileira resgatou mais de 300 moradores em Pontal do Ipiranga, em Linhares, região Norte. No mesmo município, no distrito de Povoação, uma jovem deu à luz ao segundo filho em um bote dos bombeiros, enquanto era resgatada. Bairros da Grande Vitória ainda continuavam alagados neste domingo (29).
O governo vai apresentar o Plano de Reconstrução nesta quinta-feira (2). No estado, 69% das cidades foram afetadas pelas chuvas, mais de 60 mil pessoas estão desabrigadas ou desalojadas e foram registradas 24 mortes.
No município de Santa Leopoldina, região Serrana do estado, onde a água que transbordou do Rio Santa Maria da Vitória chegou até o segundo andar das casas, os moradores começaram a retornar para as residências neste domingo (29) e a calcular os prejuízos. Para o comerciante Marco Aurélio Binda, que teve a loja atingida, 2014 será um ano de "novo começo".
Em Pontal do Ipiranga, parte da ponte que liga a sede de Linhares ao distrito desabou na manhã deste sábado (28), deixando o local isolado. Alagamentos também começaram na sexta-feira (27). Muitos moradores foram resgatados pela FAB e levados para abrigos.
Já em Colatina, na região Noroeste, a preocupação da Defesa Civil é retirar as mais de 10 famílias que ainda estão em área de risco no bairro São Marcos, onde mais mortes ocorreram por conta de um deslizamento de terra. Em todo o município, ainda existem mais de 2 mil desabrigados ou desalojados.
Em dez dias de atuação na missão humanitária, a Força Aérea Brasileira já resgatou mais de 550 pessoas, principalmente nas regiões Norte e Nordeste do estado, e transportou mais de 30 toneladas de mantimentos para os municípios isolados.
Grande Vitória
Em Vila Velha, mais de 10 bairros continuavam alagados. Para resolver o problema, a prefeitura abriu as três comportas do Rio Jucu e também montou uma draga neste domingo (29), para desassorear o rio, que vai começar a funcionar nesta segunda-feira (30). O objetivo é dar vazão a água acumulada nas comunidades pelo Canal Guaranhuns.
No bairro Darly Santos, os moradores contaram que não aguentam mais ter que conviver com a água da enchente. Quem deixou as casas, ainda não conseguiu voltar. O militar reformado Carlos Alberto Cabral usa um barco para se locomover pelas ruas. "Ainda tem muita água na casas, a maioria dos meus vizinhos foi embora. É muito ruim viver num lugar assim", disse.
Na Serra, os bairros mais afetados pela chuva foram Central Carapina e José de Anchieta II. Pelo menos duas mil casas ficaram embaixo da água.
Reconstrução
O governador Renato Casagrande informou, neste domingo (29), que a primeira versão do Plano de Reconstrução será apresentada na próxima quinta-feira (2). "Pela nossa organização e gestão, o governo do estado tem condições de ajudar os municípios. A presidente Dilma também falou que ajudaria. Até a quinta teremos uma primeira ideia de quanto será gasto", disse. O Plano de Reconstrução também será apresentado ao governo federal.
Ele afirmou que irá reconstruir o Espírito Santo no ano de 2014. "Pedi minha equipe para fazer um planejamento, para que dentro do ano de 2014 consigamos reconstruir o Espírito Santo e dar apoio às famílias, sempre orientando os capixabas. Temos duas vertentes nessa reconstrução, que é a reconstrução da infraestrutura dos municípios e também a da vida das pessoas que perderam muita coisa. Entraremos com ações que facilitarão a vida dos capixabas", frisou.
A quantia de R$ 150 milhões foi separada para reconstrução de rodovias estaduais, mas o governador informou que esse valor é apenas inicial. "Nessa quantia não estamos incluindo a recuperação de estradas vicinais e nem as obras especiais. Temos que contabilizar ainda as vias municipais e outros pontos", falou.
Alta dos preços
Os produtores rurais tiveram muitos prejuízos com as chuvas dos último dias. De acordo com a Secretaria de Estado da Agricultura, lavouras e pastagens foram destruídas no interior do Espírito Santo. Muitos dos produtos que conseguiram ser levados para a Central de Abastecimento do Estado (Ceasa), em Cariacica, local de distribuição para os pontos comerciais, também não estão com a melhor qualidade, segundo os produtores. A Secretaria informou que a consequência é a alta dos preços, como o do tomate, que uma semana antes da chuva, a caixa custava entre R$ 20 e R$ 25, e nesta foi vendida a R$ 60. Uma alta de 200%, segundo a Ceasa.
O gerente de mercado da Ceasa, Marcos Magnago, contou que em uma semana as folhas subiram 64% e as hortaliças 88%. A caixa de alface que saía a R$ 15, agora não custa menos de R$ 25. "O impacto das chuvas no setor hortifrutigranjeiro foi muito grande. Isso vai implicar não só nos preços como na qualidade dos produtos. Há muito anos eu não via uma situação como essa", disse.
Rodovias e estradas
O km 79 da BR-259, em Colatina, deve ser liberado nesta terça-feira (31), segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Na última sexta-feira (27), foi retirada a barreira de terra que impedia o trânsito nos quilômetros 33 e 44 da BR-262, em Domingos Martins, região Serrana do Espírito Santo. O local foi fortemente atingido pelas chuvas que castigaram o estado. Por cinco dias, o trânsito seguiu lento e em meia pista. Confira a situação de todas as rodovias estaduais.
Quanto às estradas de terra rurais, o secretário de Estado da Agricultura, Enio Bergoli, explicou que o Espírito Santo tem 50 mil quilômetros desse tipo de via e que cerca de 20 mil quilômetros foram prejudicados. Na próxima quinta-feira (2), o governo do estado vai finalizar a contratação de serviços hora/máquina para os 50 municípios que estão com problemas em suas estradas.
"Essas máquinas, junto com outras que já havíamos cedido para os municípios, darão conta do serviço. Nós estamos em uma época de chuvas até março, então a recuperação vai ser lenta. Acredito que conseguiremos recuperar as estradas de terra até o final do período seco", falou o secretário.
Cartão Desastre
Os quarenta e cinco municípios que decretaram situação de emergência no Espírito Santo, atingidos pelas fortes chuvas dos últimos dias já podem receber o cartão eletrônico da Defesa Civil, também chamado de Cartão Desastre. Isso também vale para as cidades na mesma situação em Minas Gerais. O cartão é cedido pelo governo federal e, conforme explicou a presidente Dilma Rousseff, nesta sexta-feira (27), pode ser usado para pequenos gastos na assistência de vítimas. A presidente não informou quanto pode ser gasto por cada município.
Doações
Mesmo com a diminuição das chuvas em todo o estado, as doações de donativos às vítimas das chuvas continuam sendo importantes. Muitas pessoas perderam o que tinham em casa e também dependem de cestas básicas e água potável. São mais de 70 pontos de doação estão espalhados pelo Espírito Santo. As doações seguem suspensas na Praça do Papa, em Vitória.
Governo federal
O governo federal enviou ao Espírito Santo quatro toneladas de medicamentos e insumos farmacêuticos.
Além dos medicamentos, o governo autorizou o repasse de recursos no valor de R$ 6.648.042 ao estado, para execução de ações de Socorro, Assistência às Vítimas e Restabelecimento de Serviços Essenciais.
A medida foi tomada por causa da quantidade de estragos em vários municípios, devido às chuvas dos últimos dias. A decisão foi divulgada no Diário Oficial da União nesta quinta-feira (26).

REVISTA ÉPOCA


A bordo da FAB - e sem noção



O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), submeteu-se a uma cirurgia de implante capilar no Recife. Qualquer um tem o direito de fazer uma cirurgia estética. Mas é inadmissível que o presidente do Senado requisite um voo da FAB, pago com o dinheiro dos contribuintes, para um fim pessoal. A lei permite que autoridades usem voos da FAB por motivos profissionais e para ir a seus Estados de origem. Não ficaria caro para Renan adicionar a seu pacote estético a compra das passagens do próprio bolso.
Em 2013, Renan alardeou um corte de despesas no Senado. Segundo seus dados, medidas de "racionalização" economizariam R$ 275 milhões, num orçamento de cerca de R$ 3,5 bilhões. Ele pode crer que um implante capilar melhora sua aparência - isso fica a seu critério. Mas o uso do jato da FAB piora sua imagem perante os brasileiros que pagam o custo das prerrogativas a que ele tem direito - ainda que, a descoberta do fato, Renan tenha anunciado a devolução aos cofres públicos do dinheiro gasto no voo. Ele já deveria estar careca de saber isso.

JORNAL DO COMMERCIO


O mensalão do Caruaru



Repercutiu em todo País a prisão de 10 vereadores de Caruaru, a mais importante cidade do Agreste de Pernambuco, acusados de tentar extorquir o prefeito José Queiroz para aprovarem projetos de interesse da municipalidade. As cenas tiveram o mesmo tratamento jornalístico que se costuma dar nas televisões às quadrilhas de assaltantes e traficantes de drogas e o que isso significa pode ser aferido na reação das pessoas nas ruas, entre a indignação e o mais absoluto desencanto com a classe política brasileira. Sim, porque a razão das prisões foi como que uma reprodução em menor escala de outros mensalões, desde o que atingiu parte da cúpula do PT ao que se estendeu a políticos de partidos da oposição, como o PSDB e o DEM.
Assim como vem ocorrendo nos escalões mais altos, a expectativa é de que a maracutaia municipal deve ter pronta resposta legal. Se as denúncias se confirmarem, a Justiça não pode ser leniente com os acusados e todos terão de pagar pelo erro. Até aí, nada de extraordinário, exceto o fato de que a impunidade vai deixando de ser a regra e até esperamos que não venha a ser a exceção, que simplesmente ninguém mais esteja acima da lei. O que pesa fortemente, contudo, é o enredo dessas tragédias que entram em cena por toda parte, expondo tramas de que sempre se deu conta no País e para as quais faltava a atenção das instituições a que a Constituição atribui a competência de investigar e fazer cumprir as leis, escancarando o que virou quase um escândalo cotidiano.
Agora, podemos dizer que dispomos do aparato policial, científico e legal, para aprofundar a depuração nacional, inclusive com o que se imaginava impossível até num passado recente: órgãos públicos formados por servidores de carreira atuam como agentes de Estado e não de governantes eventuais, como se dava no passado. Da mesma forma, os poderes vão perdendo a impermeabilidade com que atuavam, indiferentes às leis e à ética. Um senador da República não pode mais, por exemplo, usar de bens e equipamentos públicos - como aviões da Força Aérea Brasileira - como bem entender, para deleite pessoal, de familiares e amigos, indiferente ao custo e à liturgia do poder.
Assim, por extensão e pelo bom senso que deve presidir toda atividade política brasileira, não se entende que um vereador se sirva da função que lhe foi dada pela comunidade, com remuneração quase sempre acima da qualidade do serviço prestado, para tirar proveito financeiro. Essa é uma doença conhecida de muito tempo e de que já tratamos neste espaço, ao falar da fúria sagrada de um Tavares Bastos contra a corrupção no poder do Brasil imperial e, da mesma forma, de um Rui Barbosa no alvorecer a República. Hoje a fúria é coletiva e se manifesta nas ruas. Entretanto sentimos que falta chegar às urnas, com um processo de depuração pelo voto, tirando os sujos e impedindo que entrem outros na vida pública.

REVISTA ISTO É


Tropa da Elite


Renan Calheiros, presidente do Senado, e Henrique Eduardo Alves, presidente da Câmara, enviam seguranças do Congresso para missões secretas longe de Brasília. O problema é que a ação é ilegal

Em pleno feriado natalino, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), foi a público justificar o uso de jatinho da FAB para ir a Pernambuco fazer um implante capilar. Na virada do Réveillon, o senador será obrigado a dar novas explicações. Desta vez, sobre os motivos que o levaram a enviar seguranças do Senado para missões sigilosas em sua terra natal. ISTOÉ identificou ao menos três dessas viagens, feitas em fevereiro, outubro e novembro, que incluíram diligências ilegais, monitoramento de pessoas e tomada de depoimentos numa delegacia de polícia. Ao menos três servidores foram usados na empreitada: Everaldo Bosco, Gabriel Reis e Floriano Pinheiro. Com o aval do senador alagoano, os policiais não se intimidaram ao bancar “os xerifes” de Renan, violando competências que são exclusivas da Polícia Federal e da Civil. 
A chamada “polícia legislativa” não passa de um corpo de servidores do Congresso com atribuições de guarda e proteção dos parlamentares e daquilo que pode ser classificado como patrimônio do Legislativo, como veículos, edifícios, móveis e equipamentos. Esses policiais podem até fazer apuração de infrações penais, desde que tenham ocorrido dentro de seus domínios. A Procuradoria da República, inclusive, já emitiu parecer que veda o uso dessa turma fora das Casas.
Renan, porém, parece fazer vista grossa para o que diz a lei. Mais grave ainda: com suas ações, sugere ocupar um espaço privilegiado acima dela. Protegidos pelo manto do sigilo dessas operações, os servidores do Senado se abstêm de dar explicações, o que dá margem para especular se o trabalho externo seria apenas um exagero administrativo ou uma vexatória ação política contra rivais eleitorais em Alagoas. O presidente do Senado quer eleger Renan Calheiros Filho, o Renanzinho, governador do Estado em 2014.
Até agora, apenas uma das viagens foi parcialmente justificada sob o argumento de que senadores alagoanos – existem apenas três – estavam sendo vítimas de tentativa de extorsão por meio de telefonemas anônimos. Dessa maneira, os policiais do Senado foram enviados para tentar desbaratar o suposto esquema. O Senado, porém, não abriu à reportagem os autos da investigação. A assessoria de imprensa da Casa garante que a missão teve como objetivo investigar a extorsão e informou que um dos depoentes confessou ter obtido R$ 20 mil com o golpe. Mas não disse qual parlamentar pagou.
Seja como for, o deslocamento dos três agentes custou aos cofres públicos R$ 30 mil, considerando as passagens, diárias e o aluguel de automóvel. Sem distintivo de verdade, sem viatura oficial e sem a autoridade legal, os servidores tiveram que levar os suspeitos para uma delegacia da Polícia Civil, onde tomaram os depoimentos. Não houve autorização judicial para essas ações. Logo, as investidas determinadas por Renan foram ilegais. Depois dessa primeira viagem, o trio de agentes voltou a Alagoas outras duas vezes, mas o Senado mantém os motivos dessas missões em segredo. Pelo que se sabe, foram as únicas investigações da polícia do Senado fora de Brasília.

OLHO NA ELEIÇÃO
No lado verde do tapete do Congresso, a polícia da Câmara também se investe de falsa autoridade policial para sair pelo País em missões secretas. Em abril passado, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), autorizou dois servidores da Casa, Edilson Brandão e Thiago Elízio, a ficarem dez dias no Tocantins “colhendo provas” para um processo administrativo. Com R$ 7 mil em diárias, passagens e aluguel de carro pago pela Câmara, os servidores percorreram os municípios de Formoso do Araguaia e Gurupi dando carteiradas, realizando interrogatórios e reunindo informações. Para explicar as diligências de sua polícia, a assessoria de imprensa da Câmara alega que o trabalho externo faz parte de uma investigação de fraude previdenciária. ISTOÉ solicitou detalhes da investigação, mas a Câmara se negou a fornecer. Coincidência ou não, em outubro passado o deputado federal Osvaldo Reis, do PMDB de Tocantins, subiu à tribuna para denunciar fraude no Instituto de Gestão Previdenciária do Estado (Igeprev). Na ocasião, Reis entregou um dossiê do caso ao ministro da Previdência, Garibaldi Alves. Desde então, o episódio se tornou um cabo-de-guerra entre oposição e governo tocantinense.
Além dessas investigações não oficiais, as polícias legislativas também têm sido usadas para fazer a escolta de parlamentares. O deputado Anthony Garotinho (PR-RJ) só anda em Brasília acompanhado por uma equipe de segurança da Câmara. No Rio de Janeiro, ele usa seguranças privados. Outro a usufruir do privilégio é o senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), que tem à disposição três policiais legislativos para acompanhá-lo fora de Brasília. Além das passagens aéreas, a “segurança público-privada” de Mozarildo custou, em 2013, R$ 48 mil só em diárias. Dezesseis servidores se revezam na missão de acompanhar os passos do senador, que alega ser alvo do governador de Roraima, o tucano José de Anchieta Júnior.
O efetivo da polícia da Câmara é hoje de 220 servidores, um pouco menor do que o do Senado, com 260 agentes. Um projeto de resolução da Mesa Diretora pretende ampliar o número de agentes e criar a figura do “delegado”. O problema é que a medida prevê a existência de 20 delegados para apenas uma delegacia, a unidade da polícia legislativa do anexo I da Câmara. O projeto prevê, ainda, contratação de outros 80 policiais. A remuneração desses agentes legislativos está entre as maiores do País, variando de R$ 13 mil até R$ 20 mil. Fora das dependências do Congresso, as polícias legislativas não têm nenhum amparo legal para investigar ou repreender ninguém. Seu trabalho equivale ao serviço prestado por uma empresa privada de segurança – ou seja, são forças paralelas ao aparato de proteção do Estado.
No início de 2014, está prevista para entrar na pauta do Supremo Tribunal Federal (STF) uma ação declaratória de constitucionalidade que vai limitar as atribuições administrativas da polícia e transformar em crime as ações informais de investigação e repressão realizadas por essas equipes de segurança do Congresso. Na ação, relatada pela ministra Cármen Lúcia, a PGR argumenta que investigações criminais sempre atingem direitos fundamentais dos cidadãos. Por isso, apenas órgãos públicos que estejam formalmente submetidos à fiscalização do Ministério Público podem conduzir inquéritos. “À Polícia Federal é reservada, com exclusividade, a função de polícia judiciária da União”, diz a PGR. Pelas atitudes de Renan e seus colegas, e considerando o início de um ano eleitoral que promete muitos embates, a regulamentação das atividades da Polícia Legislativa é não só urgente como imprescindível para a garantia do equilíbrio democrático.

Semana



O Gripen NG vai usar os mísseis A-Darter, produzidos no Brasil pela Mectron em parceria com Avibrás e Opto Eletrônica. O teleguiado já passou por três fases de testes e entra na pré-produção em 2014. Na África do Sul, o equipamento vem sendo integrado ao Gripen JAS-39.
CORREIO BRAZILIENSE


Nas entrelinhas


Forças desafinadas

A compra dos caças suecos Gripen respondeu a uma necessidade urgente das Forças Armadas que já ia para quase duas décadas. A solução, no entanto, abre outro leque de medidas sobre as quais a defesa brasileira terá de se debruçar com igual emergência, com foco especial para uma: a integração de Aeronáutica, Exército e Marinha, especialmente no quesito tecnológico. A partir de agora, já parcialmente reequipadas, as três corporações terão de sentar à mesma mesa para desenvolver a conversa de diferentes equipamentos, importados de países distintos, cada qual com seus sistemas e realidade particulares. Em síntese, o desafio é conseguir fazer a comunicação entre os submarinos nucleares, os caças e os helicópteros, para que eles, de fato, cumpram toda a funcionalidade — só para citar o que foi comprado nos últimos anos pelo governo brasileiro.
Até aqui, o histórico de atuação de Aeronáutica, Exército e Marinha sempre pecou na comunicação e na cooperação. São três forças, mas de atuações quase distintas, separadas. O professor de relações internacionais Gunther Rudzit, das Faculdades Rio Branco, reforça que, em operações de fronteira, por exemplo, espera-se que pilotos da Força Aérea e tropas do Exército consigam manter um diálogo comum, integrado, o que hoje não é tarefa fácil, mas extremamente necessária. Para tanto, tudo indica a necessidade urgente de desenvolvimento de sistemas de comunicação exclusivos das Forças Armadas e por elas compartilhados. Durante audiência pública promovida no Senado em novembro, o chefe do Centro de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército, general Antonino dos Santos Guerra, chegou a exemplificar a confusão que impera no setor. "Fazemos operações de fronteira que reúnem até 42 agências do Estado. É uma confusão. Ninguém fala com ninguém, não há interoperabilidade e o resultado é aquém do potencial." Melhor resumo da situação, impossível.
Esse avanço tecnológico no setor de comunicação é quase tão importante quantos as outras aquisições no horizonte. Enquanto a Aeronáutica pleiteia a compra de aviões de transporte desenvolvidos pela Embraer, a Marinha precisa substituir navios de superfície por fadiga do material atual. A corporação ainda sonha com a organização de uma segunda esquadra para proteção mais efetiva da Região Norte e da Foz do Amazonas. Nada disso resultará em uma política real de segurança nacional, no entanto, sem a tal integração tecnológica e um sistema próprio de comunicação.
Hoje, esse sistema demanda a necessidade de um satélite exclusivo para as Forças Armadas, inclusive com faixa de frequência para transmissão de dados restrita à Defesa. O problema disso reside no caráter nacional desses equipamentos. Para Rudzit, é vital que tudo seja de fabricação brasileira, ou o mais próximo disso. Somente com essa característica, o Brasil estaria livre de interferências como a da National Security Agency (NSA) evidenciada pelo caso Snowden. O desenvolvimento de um aparato genuinamente tupiniquim, no entanto, talvez demore um tempo que o país não pode esperar.
Pontos críticos
Durante os últimos eventos considerados de alto risco para a segurança pública nacional no ano passado, especificamente a Copa das Confederações e as manifestações de junho, o Exército montou operação sobre uma banda específica, na faixa de 700MHz — destinada, em sua maioria, para tecnologias de celulares 4G. Em caráter de teste, foi utilizado um sistema piloto desenvolvido pela Motorola Solutions, orçado em US$ 2 milhões. A aplicação efetiva, no entanto, esbarra exatamente no fato de a empresa ser situada nos Estados Unidos. Pelos mesmos argumentos apresentados neste espaço pelo professor Gunther Rudzit, especialistas veem com reserva a contratação. O Exército, no entanto, tem se posicionado favoravelmente à aquisição definitiva do sistema e afirma que ele funcionou bem quando demandado. Faltaria, no entanto, convencer o Palácio do Planalto de que ele é a prova de interferências externas. A empresa garante que sim, mas especialistas mantém reservas.
O fato é que, para o Brasil poder chamar de política de segurança as atuais ações isoladas do setor, é preciso ir além de caças e de submarinos. Na Copa do Mundo, provavelmente, funcionaremos na base do jeitinho. Em sistemas versão teste.

O ESTADO DE SÃO PAULO


Presidente passeia de barco pela Baía de Todos os Santos



Pelo terceiro ano seguido, desde que chegou ao Palácio do Planalto, a presidente Dilma Rousseff aproveitou o descanso da virada do ano, na Base Aérea de Aratu, para fazer um passeio de lancha. A bordo da lancha Amazônia Azul, da Marinha brasileira, Dilma foi flagrada ontem cedo dando uma volta pela Baía de Todos os Santos. Pouco antes das 11 horas ela estava de volta à residência oficial da Marinha onde está instalada com seus familiares, na praia de Inema.
Em 2011 e 2012, ela fez um programa semelhante e repetiu a dose nas folgas do carnaval de 2012 e no deste ano. A exceção foi o carnaval de 2011, quando preferiu viajar até Natal, no Rio Grande do Norte, onde se instalou em uma base da Aeronáutica em Parnamirim, não muito longe da capital do Estado.
Dilma chegou a Aratu na noite da quinta-feira, 26, com a mãe, Dilma Jane, a filha, Paula, o neto e o genro. Deve ficar na praia de Inema até dia 5 ou 6.
Logo em sua primeira manhã em Aratu, na sexta-feira, a folga foi interrompida: Dilma voou até a cidade mineira de Governador Valadares, uma das áreas mais atingidas pelas chuvas que caíram dos últimos dez dias naquela região e no Espírito Santo. Depois de um sobrevoo por outras áreas atingidas, voltou a Aratu no meio da tarde.
A exemplo de outros anos, as medidas de segurança tomadas pela Marinha na área de Inema alterou a rotina dos moradores. Muitos se queixaram de que, com o fechamento de algumas passagens, são obrigados a dar uma volta maior para ir ao trabalho - o que lhes toma mais tempo e gasta mais combustível. Segundo a Marinha, as medidas têm sido as mesmas de anos anteriores.

Fortaleza é tricampeã em aprovação no ITA


Historicamente capital do Ceará tem um dos melhores desempenhos do País

FORTALEZA - A capital cearense é pela terceira vez terceira seguida campeã em aprovação no vestibular do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Para 2014, Fortaleza aprovou 71 candidatos contra 37 da cidade sede do ITA, São José dos Campos (SP). O feito está sendo comemorado pelos colégios particulares, que mais aprovaram em Fortaleza. Através de anúncios nos jornais locais deste sábado (28), os colégios Ari de Sá e Sete de Setembro festejam seus alunos aprovados. O Ari de Sá aprovou 20. O Sete de Setembro aprovou 17. A quantidade de aprovados no vestibular do ITA é hoje o maior trunfo das escolas particulares de Fortaleza. Nos últimos 11 anos, 376 aprovados fizeram a prova em Fortaleza.
Em 2012, Fortaleza aprovou 40. Em 2013 foram 43. Agora para 2014 acusando um desempenho 67% melhor que em 2013, subiu para 71. Das 170 vagas oferecidas pelo ITA 2014, 42% foram conquistadas por alunos de escolas de Fortaleza.
O Ari de Sá diz em anuncio das duas páginas nos jornais de Fortaleza, deste sábado, que foi o colégio individualmente, que mais aprovou neste ITA 2014. Foram 20 alunos, representando 12% do total de vagas. O Ari comemora o feito destacando que teve de 2011 para 2014 um crescimento de 300% no índice de aprovação no ITA. Em 2011 aprovou cinco. em 2012, sete; em 2013, 10; e agora em 2014, 20.
A direção do Ari de Sá destaca ainda que os 20 aprovados para o ITA 2014 são de alunos exclusivamente das quatro unidades de Fortaleza (Duque de Caxias, Major Facundo, Washington Soares e Aldeota). "Não estão incluídos os alunos aprovados de outras escolas conveniadas ao Sistema de Ensino Ari de Sá", lembra o diretor Oto de Sá Cavalcante.
Já o Sete de Setembro parabenizou os 17 alunos aprovados com anúncio de página inteira nos jornais de Fortaleza dizendo "Temos orgulho de parabenizar nosso 17 alunos aprovados no Instituto Tecnológico de Aeronáutica, o mais difícil do Brasil". O anuncio do colégio salienta que para a aprovação foram necessários: "Inteligências, dedicação e companheirismo". Em 2013, o Sete de Setembro aprovou 9. Para 2014 quase dobrou este desempenho indo a 17 aprovações.

General diz que não há conflito étnico


A Força Nacional e o Exército vão ficar na região até o fim das investigações da Polícia Federal, segundo o comandante da 17ª Brigada de Porto Velho

Humaitá - O general Ubiratan Poty, comandante da 17ª Brigada de Porto Velho, disse ao Estado que o clima em Humaitá não é de guerra e que não há conflito étnico entre brancos e índios. Segundo ele, após a morte do cacique Ivan Tenharim num acidente na estrada, houve o desaparecimento de três civis, fato entendido como uma ação dos indígenas em relação à morte do cacique. "Isso gerou uma reação que já foi controlada e, à medida que os fatos sejam esclarecidos e as providências tomadas, tudo tende a voltar ao normal." A Força Nacional e o Exército vão ficar na região até o fim das investigações da Polícia Federal. Segundo ele, os 140 índios abrigados na base militar de Humaitá podem deixar o local quando se sentirem em segurança. 

Está se lidando com uma situação de conflito étnico em Humaitá?
Não é um conflito ético. A questão ganhou vulto em razão do desaparecimento daquelas três pessoas. Esses fatos levaram a um incidente maior no dia 25 de dezembro, com a queima de alguns estabelecimentos que são patrimônio da União por parte da população de Humaitá como forma de protesto. O processo investigativo é demorado, depende de provas, investigação e às vezes essa demora não é bem aceita pela população, que quer respostas rápidas, mas temos de ter paciência para não cometer nenhuma injustiça.
Qual o papel do Exército nessa crise?
A missão do Exército, dada pelo ministro da Defesa, será de apoio logístico ao trabalho da Polícia Federal, e para isso vamos montar uma base no quilômetro 180, em Santo Antonio do Matupi, de onde sairão as ações. Esse apoio será dado também daqui de Humaitá. É importante salientar que o nível de segurança na região já foi aumentado, com aumento no patrulhamento das ruas e controle dos veículos que estão em trânsito. A área da reserva está sento patrulhada pela Polícia Rodoviária Federal, reforçado pela Força Nacional de Segurança, que está fazendo a guarda das pontes, que são de madeira.
Qual a condição dos índios abrigados no batalhão?
No dia 24, foi fechada a balsa e alguns índios, na maioria mulheres e crianças, vieram a Humaitá para fazer compras e com o fechamento da balsa não puderam voltar. No dia 25, os ânimos se inflamaram e a população se voltou contra os índios e foram para destruir a sede da Funai e outros locais e vimos que a integridade deles estava ameaçada. Também por solicitação do bispo de Humaitá, dom Francisco (Merekel) e da Funai, aceitamos guardar esses 140 índios aqui no quartel. Foi mais uma ação humanitária. Acredito que a partir de terça-feira (31) possamos liberar os índios gradualmente para retornar às aldeias.


PORTAL TERRA


Em 24 horas, FAB resgata mais de 300 vítimas da chuva no ES


Desde o início da missão humanitária, mais de 550 pessoas foram resgatadas no Estado pelas aeronaves da FAB

A Força Aérea Brasileira (FAB) resgatou entre a tarde de sábado e a manhã deste domingo mais de 300 vítimas das enchentes no Espírito Santo, em Pontal do Ipiranga, distrito da região nordeste do Estado.
"Recebemos a informação da Defesa Civil que aproximadamente 300 pessoas precisavam de socorro em Pontal do Ipiranga. Montamos um esquema especial para retirá-las de lá o mais rápido possível", afirma o coronel aviador Arnaldo Augusto do Amaral Neto, coordenador das operações de resgate da FAB. "Graças a Deus, apesar dessa emergência pontual, a meteorologia está ajudando bastante e as demandas por socorro reduziram consideravelmente", complementa.
Neste domingo, as buscas se concentram principalmente na região do Baixo Guandu, a exemplo do que já foi realizado na região de Linhares, para identificar pessoas que ainda estejam isoladas necessitando de mantimentos ou remoção. "Dessa forma, a Força Aérea busca a certeza de não deixar ninguém sem o apoio adequado", disse o coronel Arnaldo.
Em dez dias de atuação na missão humanitária, a FAB já resgatou mais de 550 pessoas e transportou mais de 30 toneladas de mantimentos para os municípios isolados. Ao todo, 53 militares e seis aeronaves da FAB participam da missão.
Famílias inteiras são resgatadas, como a de Inacelina Carlo, 75 anos. Ela, os cinco filhos e os oito netos agora estão alojados em um abrigo na cidade de Linhares, norte do Espírito Santo. "Nunca vi tanta água, fiquei com muito medo. Não tinha luz e nem o que comer", conta.



Leia também:










segunda-feira, dezembro 30, 2013 | Posted in , , , , , , , , | Read More »

Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos







Publicidade






Recently Added

Recently Commented