|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 29/09/2016 / Míssil que derrubou voo da Malaysia Airlines na Ucrânia foi disparado por pró-russos, diz MP da Holanda


Míssil que derrubou voo da Malaysia Airlines na Ucrânia foi disparado por pró-russos, diz MP da Holanda ...

Uma centena de suspeitos se envolveram na ação que matou 298 vítimas de diferentes nacionalidades em 2014 ...

O míssil que derrubou o avião da Malaysia Airlines em 17 de julho de 2014 no leste da Ucrânia foi transportado da Rússia. A informação foi divulgada nesta quarta-feira em um inquérito criminal holandês que afirmou ter identificado uma centena de pessoas envolvidas.

Os investigadores também confirmaram que o míssil foi lançado de uma zona localizada no território controlado pelos separatistas pró-Rússia.

O Boeing 777 que havia decolado de Amsterdã com destino a Kuala Lumpur transportava 298 pessoas, entre passageiros e tripulantes. A maioria das vítimas tinha nacionalidade holandesa.

Os investigadores identificaram uma centena de pessoas que "tiveram papel ativo no armamento do sistema BUK ou em seu transporte, assim como outras que facilitaram ou ajudaram no transporte do mesmo", afirmou o coordenador da investigação, Fred Westerbeke.

- Nenhuma destas pessoas é considerada automaticamente como suspeita - disse.

O promotor convidou estas pessoas a entrar em contato com os investigadores para explicar seu papel no caso ou fornecer informações adicionais. Com base em fotos, vídeos, depoimentos, dados de telecomunicações e conversas telefônicas, os responsáveis pela investigação recriaram a rota do comboio que transportou o sistema. Ao atravessar a fronteira estava escoltado por vários homens de uniforme.

- Nossa investigação demonstrou que o local a partir do qual foi disparado o míssil se encontrava em mãos rebeldes - afirmou Wilbert Paulissen, um dos investigadores, em uma entrevista coletiva para apresentar os primeiros resultados da investigação penal.

Resposta russa
O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, insistiu nesta quarta-feira que a Rússia forneceu "informações completas" aos investigadores.

- Os dados não têm erros, não há nenhum míssil. Portanto, se houve um míssil, só pode ter sido disparado de outro território - disse.

Outra investigação, coordenada pelo Escritório Holandês de Investigação para a Segurança (OVV), concluiu no ano passado que o Boeing 777 havia sido derrubado por um míssil terra-ar de fabricação russa BUK lançado de uma zona controlada pelos separatistas ucranianos pró-Rússia, sem identificar os autores do disparo.

Moscou e os separatistas negam esta versão e acusam as forças ucranianas como responsáveis.



Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




PORTAL SPUTNIK BRASIL


Rússia pretende criar drone-libélula


ImagemA Corporação Unida de Construção de Equipamentos (OPK) vai criar uma versão em miniatura de drone de reconhecimento e outros modelos de drones equipados com sistemas avançados de vigilância.
O anúncio foi feito na quinta-feira (29) pela assessoria de imprensa do consórcio. De acordo com a entidade, "no momento está sendo elaborada uma linha inteira de drones de vários tipos, cada modelo cumpre determinadas tarefas", conforme as condições meteorológicas e o relevo.
Segundo a fonte, o tamanho do drone equivale ao de uma libélula e cabe na palma da mão, sendo, de fato, uma versão de bolso. O aparelho não produzirá qualquer ruído, terá controle de direção excelente e será capaz de manobrar. Embora seu raio de ação não seja grande, será suficiente para realizar missões de reconhecimento em combate de proximidade e operações antiterroristas.
Outra vantagem do drone-libélula é o custo, que não será alto, sendo bastante fácil de substituí-lo no caso de perda.
Os drones em miniatura vão transmitir vídeos e fotos no formato HD em tempo real.
Um aspeto importante é que basta apenas um minuto para o aparelho poder estar pronto para operar, o que facilitaria seu uso por especialistas, ao invés dos drones usados para fins militares e civis, que requerem muito mais tempo de preparação. O drone-libélula é um análogo do drone holandês Black Hornet que pesa 16 gramas e é usado pelo Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA.


PORTAL G-1


Força Nacional reforçará a segurança de 11 cidades do RJ nas eleições

Na Barra da Tijuca, 500 homens da Força Nacional estarão no lugar da PM. Além do RJ, outros 7 estados receberão reforço das forças federais.

Homens da Força Nacional e das Forças Armadas vão reforçar o esquema de segurança das eleições em 11 cidades do estado do Rio de Janeiro para as eleições municipais no próximo domingo (2). Além da cidade do Rio, os agentes também estarão em Duque de Caxias, Nova Iguaçu, São João de Meriti, São Gonçalo, Belford Roxo, Campos, Macaé, Magé, Queimados e Japeri.

O Tribunal Superior Eleitoral aprovou o envio das tropas federais, além do estado do Rio, pra outros sete estados do país. O número de militares que participarão desse esquema ainda não foi divulgado pelo Ministério da Justiça e da Defesa. De acordo com o Governo Federal, os militares do Exército e da Marinha se dividirão entre as cidades do estado. No caso da região da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, 500 homens da Força Nacional farão o policiamento no lugar da Polícia Militar.
Segundo a Polícia Civil do Rio, 14 pessoas ligadas à política foram mortas nos últimos nove meses na Baixada Fluminense. Após investigações, a polícia descobriu que, de 13 crimes, apenas dois foram motivados porque as vítimas estavam ligadas à política. O mais recente ocorreu na segunda-feira (26), quando criminosos invadiram o comitê eleitoral do candidato a vereador Marcos Vieira de Souza, o "Falcon", e o executaram com tiros de fuzil. Falcon também era policial militar e presidente da escola de samba Portela. A polícia ainda está apurando a motivação do crime e ainda não descartou nenhuma possibilidade.
O envio de Forças Federais para garantir a segurança da votação e a apuração também acontece em Mato Grosso, Alagoas, Rio Grande do Norte, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Acre e Pará. Os pedidos de envio de tropas federais para essas localidades foram feitos ao TSE pelo respectivo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de cada estado.
Em julho, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, já havia pedido ao ministro da Defesa, Raul Jungmann, que as tropas enviadas ao Rio a fim de reforçar a segurança para a Olimpíada continuassem na cidade até outubro.
No dia 26 de agosto, Gilmar Mendes visitou o Cartório Eleitoral de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, para ver de perto a realidade da região por causa do grande número de mortes envolvendo políticos, pré-candidatos e candidatos nessas eleições.
´´É a primeira visita que eu estou fazendo a uma zona eleitoral e nós, por conta de todas essas razões, optamos por fazê-lo aqui na Baixada Fluminense. É uma situação extremamente grave. Há incidentes que podem não ter conotação eleitoral e outros, a maioria, com conotação eleitoral´´, disse Gilmar Mendes, em agosto.
Na ocasião, o ministro informou também ter enviado um ofício ao Ministério da Justiça, no qual solicitou que a Polícia Federal ficasse responsável por investigar os assassinatos.

Acre tem 147 seções eleitorais em locais de difícil acesso, diz TRE

Seções estão em aldeias, ramais e comunidades ribeirinhas no estado. Aviões, barcos e helicópteros devem ser usados para transporte.

Aline Nascimento Do G1 Acre

O Acre terá 147 seções eleitorais instaladas em locais de difícil acesso como aldeias e comunidades nas eleições de 2016. A informação foi divulgada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC).
Locais como ramais e outros que ficam distantes dos centros urbanos devem receber os mesários e urnas nos próximos dias para o pleito. Para chegar até lá, o TRE-AC montou um esquema que conta com barcos, helicópteros, aviões de pequeno porte e caminhonetes traçadas.
As eleições 2016 ocorrem no próximo domingo (2) e os locais de votação serão abertos às 8h e fechados às 17h (horário local).
Ao todo, o estado possui, segundo dados do TRE-AC, 1.779 seções eleitorais. Dos 147 locais de difícil acesso, 42 só são acessíveis por helicópteros. A maioria delas estão, de acordo com o órgão, nos municípios de Cruzeiro do Sul, Porto Walter e Marechal Thaumaturgo, interior do Acre.
Assim como nas eleições de 2014, helicópteros da Força Aérea Brasileira (FAB) devem ser usados para levar os materiais aos lugares de difícil acesso. O TRE-AC informou ainda que um helicóptero da FAB começou, na segunda (26), a fazer o transporte dos equipamentos.
Um segundo helicóptero deve chegar ao Acre nesta terça (27) para reforçar o transporte, que deve ser feito até a sexta (30).
Número de eleitores no Acre
O estado do Acre conta com um eleitorado de mais de meio milhão de votantes. Um total de 500.077 pessoas, que representam um aumento de 4,4% de eleitores, se comparado ao ano de 2012. Os dados são do Cadastro Nacional de Eleitores. A capital, Rio Branco, é a cidade que apresenta maior número, somando 230.090 eleitores.
Eleitoras são a maioria no estado
As mulheres são a maioria do eleitorado no estado, somando um total de 252.774 mil, contra 248.667 mil eleitores do sexo masculino. As estatísticas mostram também que no Acre há mais eleitores na faixa etária de 25 a 34 anos, somando 135.262 mil. Os eleitores com 16 anos são a minoria e representam 4.437 mil eleitores.
Partido com maior número de candidato
O partido com o maior número de candidatos no Acre é o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), segundo estatísticas coletadas no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Conforme a lista, o partido lançou a candidatura de 234 candidatos aos cargos de vereador e prefeito.
O segundo lugar ficou com o Partido dos Trabalhadores (PT) com 220 e logo em seguida aparece o Partido Progressista (PP), com 202 inscritos.
O Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC) recebeu 2.266 pedidos de registro de candidatura em todo o estado para o pleito de 2016, segundo o TSE.

Esquema de segurança para eleições do RJ terá 10 mil militares

Homens do Exército, Marinha e Aeronáutica estarão em 11 cidades. Reforço começará no sábado e terminará no domingo, ao encerrar a votação.

Do G1 Rio

O esquema de segurança para as eleições no estado do Rio de Janeiro contará com a participação de cerca de 10 mil militares do Exército, Marinha e Aeronáutica. O efetivo e os locais onde os militares atuarão foram definidos na noite de terça-feira (27) em uma reunião na sede do Comando Militar do Leste, no Centro do Rio, como informou a Globonews.
Os homens da Força Nacional e das Forças Armadas estarão distribuídos em 11 cidades do Rio no próximo domingo (2). Além da capital, os agentes também estarão em Duque de Caxias, Nova Iguaçu, São João de Meriti, São Gonçalo, Belford Roxo, Campos, Macaé, Magé, Queimados e Japeri. O reforço na segurança começará no sábado e terminará no domingo, depois de fechadas todas as urnas de votação.
De acordo com o planejamento, o Exército e a Aeronáutica atuarão em Jacarepaguá e outros bairros da Zona Oeste da capital, onde é forte a atuação de milícias. Já o Exército e a Aeronáutica também vão estar no Arco Metropolitano, rodovia estadual no entorno da Região Metropolitana que passa por nove municípios da Baixada Fluminense e do Leste Fluminense.
Os Fuzileiros Navais estarão em São Gonçalo, que é o segundo maior colégio eleitoral do estado, e também no Complexo de Favelas da Maré, na Zona Norte da capital.
O Exército vai atuar sozinho nos municípios de Magé, na Baixada Fluminense, além de Macaé e Campos dos Goytacazes, no norte do estado.
De acordo com o governo federal, os militares do Exército e da Marinha se dividirão entre as cidades do estado. No caso da região da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, 500 homens da Força Nacional farão o policiamento no lugar da Polícia Militar.
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou o envio das tropas federais para outros sete estados, além do Rio de Janeiro. O número de militares que participarão desse esquema ainda não foi divulgado pelo Ministério da Justiça e da Defesa.
Segundo a Polícia Civil do Rio, 14 pessoas ligadas à política foram mortas nos últimos nove meses na Baixada Fluminense. Após investigações, a polícia descobriu que, de 13 crimes, apenas dois tiveram motivos relacionados à política.
Crimes

O caso mais recente ocorreu nesta segunda-feira (26), quando criminosos invadiram o comitê eleitoral do candidato a vereador Marcos Vieira de Souza, o "Falcon", e o executaram com tiros de fuzil. Falcon também era policial militar e presidente da escola de samba Portela. A polícia ainda está apurando a motivação do crime e não descartou nenhuma possibilidade.
O envio de Forças Federais para garantir a segurança da votação e a apuração também acontece em Mato Grosso, Alagoas, Rio Grande do Norte, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Acre e Pará. Os pedidos de envio de tropas federais para essas localidades foram feitos ao TSE pelo respectivo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de cada estado.
Em julho, o presidente do TSE, Gilmar Mendes, já havia pedido ao ministro da Defesa, Raul Jungmann, que as tropas enviadas ao Rio para reforçar a segurança da Olimpíada continuassem na cidade até outubro.
No dia 26 de agosto, Gilmar Mendes visitou o Cartório Eleitoral de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, para ver de perto a realidade da região por causa do grande número de mortes envolvendo políticos, pré-candidatos e candidatos nessas eleições.
"É a primeira visita que eu estou fazendo a uma zona eleitoral e nós, por conta de todas essas razões, optamos por fazê-lo aqui na Baixada Fluminense. É uma situação extremamente grave. Há incidentes que podem não ter conotação eleitoral e outros, a maioria, com conotação eleitoral", disse Gilmar Mendes, em agosto.
Na ocasião, o ministro informou também ter enviado um ofício ao Ministério da Justiça, no qual solicitou que a Polícia Federal ficasse responsável por investigar os assassinatos.

Temer ainda fará "pente-fino" na reforma da Previdência, diz Padilha

Ministro foi questionado se texto seria enviado ao Congresso nesta semana. Segundo ele, presidente quer conversar com centrais e passar "olho clínico".

Filipe Matoso E Luciana Amaral Do G1, Em Brasília

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou nesta quarta-feira (28), que o presidente Michel Temer ainda fará um "pente-fino" na proposta de reforma da Previdência que o governo vai enviar ao Congresso Nacional.
Inicialmente, o governo trabalhava com a hipótese de apresentar a proposta ao Legislativo ainda nesta semana, antes do primeiro turno das eleições municipais. Após ser questionado por jornalistas se o texto seria enviado ainda nesta semana, Padilha não defiu uma data.
"Está e uma questão [quando o governo vai enviar o projeto] que o presidente vai definir. Tem alguns passos que ele diz que devem ser dados. Devemos concluir o grupo de trabalho [que discute o tema] possivelmente nesta semana e ele [Temer] quer conversar com as centrais sindicais, depois com as confederações [...] para que tenhamos as lideranças com o conhecimento do teor do projeto", declarou Padilha.
Questionado, então, se a proposta elaborada pelo governo ainda pode sofrer modificações, o chefe da Casa Civil respondeu: "Seria prematuro falar em alterações enquanto se discute tudo o que ainda pode ser mudado. O presidente fará um pente-fino [...], ele faz questão de passar um olho clínico em toda a reforma. Portanto, o olho clínico do presidente ainda não foi passado".
Na noite desta terça (27), o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, responsável pela interlocução do Palácio do Planalto com o Congresso, já havia dito ser "pouco provável" que o projeto fosse encaminhado até sexta (30).
Militares e servidores
Indagado sobre se haverá uma espécie de "regime especial" para os militares e servidores, Eliseu Padilha disse que "quando (a proposta de reforma) estiver pronta, a gente se fala".
Padilha enfatizou que basta "olhar" a Constituição para ver que militares e servidores públicos têm regime próprio de aposentadoria.
Para o ministro, no caso dos militares, eles são "completamente diferentes", porque "ficam na ativa, depois vão para a reserva e ainda continuam à disposição do Estado, quer dizer, não é a mesma coisa, é diferente".

Ao menos 265 municípios receberão reforços na segurança na eleição


João Quero

ImagemA Força Nacional de Segurança e as Forças Armadas vão reforçar o esquema de segurança em pelo menos 265 municípios, em 11 estados brasileiros, durante as eleições municipais, no próximo domingo (2), segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O número ainda pode aumentar, já que haverá novos julgamentos de pedidos ainda não analisados.
Até agora, receberão reforços 79 munícios do Rio Grande do Norte, 70 do Pará, 44 do Maranhão, 15 do Amazonas, 13 do Sergipe, 13 do Tocantins, 11 do Rio de Janeiro, 9 de Mato Grosso, 8 do Acre, 2 de Alagoas e 1 do Mato Grosso do Sul.
Os reforços ajudarão na segurança e na logística da votação, auxiliando, por exemplo, no transporte das urnas em locais de difícil acesso.
Cerca de 20 mil militares das Forças Armadas – Marinha, Exército e Aeronáutica – serão destacados para atuar no final de semana, de acordo com levantamento do Ministério da Defesa. O Ministério da Justiça ainda não tem uma estimativa de quantos homens da Força Nacional serão destacados para o evento.

JORNAL O POVO (CE)


COLUNA TURISMO


Joia rara em Joinville
A cidade de Joinville – SC é detentora de uma joia rara, que traz muitas alegrias, enche os olhos de beleza, faz sentir leveza e emociona habitantes e visitantes. É a Escola do Balé Bolshoi, única fora da Rússia, que reúne alunos de todas as raças. Ensina-lhes postura, comportamento social e principalmente, dança. Os que possuem talento e persistência podem tornar-se grandes profissionais e conquistar o mundo com sua arte. Muitos já ali formados alcançam plateias em diversos países. Periodicamente a Escola Bolshoi de Joinville realiza noites de gala para o público da região, como fez em 21 e 22 de setembro. Além da rígida e maravilhosa dança clássica tão preservada na Rússia, o Bolshoi se integra, de forma gradativa nas danças típicas – frevo, carimbó, entre outras do criativo folclore brasileiro, bem como danças populares de outros países. Figurinos e performance no rigor de cada estilo, levando a plateia a aplaudir de pé. Já o 2º ato foi sagrado para trechos do balé “Quebra -Nozes”, em que a suavidade e elegância dos figurinos e o desempenho dos bailarinos lembram plumas fluindo ao vento. Nada menos que a perfeição. O Brasil e o mundo precisam conhecer ainda mais esta joia rara, a Escola do Balé Bolshoi de Joinville.
Rainha da Festa das Flores
Estão abertas as inscrições para o concurso rainha e princesas da 77ª Festa das Flores de Joinville, que será realizada de 10 a 15 de novembro. As interessadas deverão comparecer à Fundação Turística de Joinville, no Centro Comercial da Expoville, das 8 às 14 horas, até dia 11 de outubro. Levar documentação completa conforme regulamento, a ser solicitado pelo e-mail rainhafestadasflores@gmail.com. As candidatas devem ser solteiras, sem filhos, brasileiras ou naturalizadas, 18 anos completos até a data do concurso, residir em Joinville há dois anos, ensino médio, desfilar vestindo traje determinado pela comissão do concurso, não ter sido eleita rainha da Festa das Flores em edição anterior e não exercer o mandato de rainha ou princesas de outras festas de Joinville. Pré-seleção no dia 17 de outubro e concurso final dia 15 de novembro. Saiba mais detalhes no momento da inscrição.

Expoflora bate recorde de público em 2016
A 35ª edição da Expoflora foi um sucesso. Nos 17 dias do evento, incluindo a abertura para convidados e imprensa, 328 mil pessoas visitaram a maior exposição de flores e plantas ornamentais da América Latina, em Holambra, interior de São Paulo. Foi um recorde de público e cerca de 16% maior do que o registrado em 2015.
Entre as atrações que mais agradaram os visitantes estão a exposição de arranjos florais; os jardins interativos, espalhados pelo parque, que serviram de cenário para milhares de selfies; a 12ª mostra de paisagismo, que trouxe sugestões da utilização das flores e plantas ornamentais nos mais diferentes cômodos de uma residência, e as novidades gastronômicas lançadas este ano, como o Bloem Berry Ross (ganache de frutas vermelhas sobre bolacha de chocolate) e a “chuva de pétalas” em potinho. O público também encantou-se com a “parada das flores”, com a “chuva de pétalas”, com as apresentações dos grupos de danças típicas holandesas e com os artistas performistas itinerantes que entretêm os turistas.
O evento foi elogiado pela organização, pela limpeza do parque, pela excelente culinária e pela beleza de seus jardins.
A 36ª edição da Expoflora já começou a ser planejada. A previsão é que a venda de ingressos antecipados, com desconto, comece em fevereiro de 2017.
Milhares de flores
Para realizar a edição 2016 do evento foram utilizadas cerca de 200 mil hastes de flores apenas na exposição de arranjos florais. Já para a “Mostra de Paisagismo” foram necessários cerca de 6 mil vasos de flores e plantas ornamentais para decorar os 19 ambientes de uma residência propostos por decoradores, designers e paisagistas.
Os jardins e canteiros espalhados pelos 250 mil m² do parque receberam mais de 28 mil vasos de flores.
Cidade das Flores
Holambra, cidade onde o evento é realizado, é a maior produtora e centro de comercialização de flores e plantas ornamentais do país. As duas cooperativas - Veiling e Cooperflora - respondem por 45% do mercado brasileiro de flores.
Grupo Radar de Comunicação lança o XII ESFE na ABAV Expo
O trade do segmento de turismo e M.I.C.E. estará reunido, de 28 a 30 de setembro, na ABAV Expo Internacional de Turismo. O Grupo Radar de Comunicação marca presença no evento para lançar no mercado o XII Encontro do Setor de Feiras e Eventos (ESFE) – considerado um dos principais encontros do setor de Turismo, Feiras de Negócios e Eventos do Brasil. Organizado pela empresa há 11 anos, o ESFE chega a sua décima segunda edição, em fevereiro de 2017, e visa a promover ainda mais o segmento, por meio de conteúdo, networking e geração de negócios.
Além do lançamento do XII ESFE, o Grupo Radar apresentará também os temas das matérias de capa, assim como a nova linha editorial da revista Radar Magazine – publicação bimestral, e bilíngue, editada pela empresa – que em 2017 contará com novas colunas e mais conteúdo sobre o setor de M.I.C.E.
“A ABAV é uma das principais e mais tradicionais feiras do setor de turismo no Brasil. E apresentar os nossos novos projetos, durante o evento, está diretamente alinhada com a nossa estratégia, que visa compartilhar ideias e promover cada vez mais o setor de turismo de negócios com líderes empresariais e formadores de opinião”, diz Octávio Neto, CEO do Grupo Radar de Comunicação.
Serviço:

ABAV Expo Internacional de Turismo
Data: 28 a 30 de setembro
Horário: 12h às 20h
Local: Expo Center Norte
Localização do estande do Grupo Radar de Comunicação: J 100


Primeiro A330neo entra na linha de montagem final em Toulouse
A Airbus iniciou a montagem final do seu primeiro A330neo, um A330-900, com a junção das asas e da fuselagem central, na Estação 40 de sua linha de montagem final, em Toulouse (França).

Mais novo membro da mais popular família de aeronaves wide-body do mundo, o A330neo baseia-se na comprovada economia, versatilidade e confiança da família e foi concebido para reduzir em mais de 14% o consumo de combustível por assento. As duas versões, A330-800 e A330-900, contam com os dispositivos de ponta de asas sharklets, inspirado no design de ponta do modelo A350, além incorporar a última geração de motores Rolls-Royce Trent 700 e a nova cabine AirSpace by Airbus, para uma experiência definitiva em termos de conforto.
“Iniciamos com um cronograma bem apertado para o desenvolvimento, mas hoje estamos dentro do previsto”, afirma Odile Jubécourt, head do programa A330 da Airbus. “Estou por feliz por atendermos os elevados padrões de maturidade e confiabilidade que nossos clientes esperam e quero agradecer a toda a equipe por essa grande conquista”, diz.
Graças ao baixo consumo de combustível da nova geração, o A330neo amplia as oportunidades de mercado para seus operadores ao oferecer um alcance adicional de 400 milhas náuticas, levando o alcance do modelo A330-900 para 6.550 milhas náuticas e o da versão A330-800 para 7.500 milhas náuticas. Até hoje, 10 clientes encomendaram um total de 186 aeronaves A330neo.

O A330-800 e o A330-900 são 99% similares e compartilham um percentual de 95% de comunalidade com toda a frota de aeronaves A330, pensada para otimizar custos e entregar flexibilidade a todos os seus operadores. As companhias também serão beneficiadas pela confiabilidade líder de mercado da família e dos custos com manutenção reduzidos.
O A330 é a aeronave wide-body de médio porte mais popular da história, com encomendas por mais de 1.600 unidades até hoje. Atualmente, mais de 1.250 modelos estão em operação e mais de 120 companhias aéreas no mundo utilizam o A330, operando de rotas domésticas e voos regionais, até voos intercontinentais de longa distância.
Oferecendo o mais baixo custo operacional em sua categoria, e por conta dos seus investimentos contínuos em inovação, a nova geração A330neo é a aeronave mais lucrativa e com a melhor performance em sua categoria.


80 Anos da Base Aérea de Fortaleza
Solenidade militar assinalou os 80 anos da Base Aérea de Fortaleza, com a presença do tenente-brigadeiro do ar Gérson Nogueira Machado de Oliveira, do Comando-Geral de Operações Aéreas, maior autoridade presente, que presidiu a cerimônia, sendo acompanhado pelo major-brigadeiro do ar Luiz Fernando de Aguiar, comandante do Segundo Comando Aéreo Regional e pelo tenente-coronel aviador Frederico Cesarino, comandante da Base Aérea de Fortaleza.
O major médico Paulo de Tarso Almeida comandou a tropa da Base Aérea durante a formatura que se iniciou com o Hino Nacional cantado por todos presentes.
A solenidade seguiu com a entrega de título honorífico “Amigo da Base Aérea de Fortaleza” ao general Estevam Cals Theófilo Gaspar de Oliveira, ao coronel do Exército, Alexandre Cals Theóphilo Gaspar de Oliveira, aos tenentes-coronéis PM Ricardo de Almeida Porto, Sinval da Silveira Sampaio Costa e Vinícius Costa Saraiva, aos delegados de Polícia Federal Wellington Santiago da Silva, Francisco José Martins da Silva, entre outros agraciados. Também foram entregues os títulos de Membro Honorário da Força Aérea Brasileira.
PAINEL
• Os agentes de viagens que visitarem a “44ª Abav Expo & 46º Encontro Comercial Braztoa” poderão ganhar até 12 mil pontos, nos três últimos dias que antecedem o fim da campanha “Passaporte Braztoa”. Até o dia 30 de setembro, os corredores do Expo Center Norte -(São Paulo) estarão repletos de possibilidades de pontuação que, com certeza, serão muito importantes na disputa pelo grande prêmio: uma viagem de volta ao mundo de 30 dias.
• Equipotel 2016 aponta queda de 32% no número de visitantes em relação a edição de 2015.
• O governo brasileiro informou que o governo da República Democrática de São Tomé e Príncipe concedeu o "agrément" a Vilmar Rogério Coutinho Júnior como embaixador extraordinário, e plenipotenciário, do Brasil, naquele país.
• O tradicional almoço da turma de aspirantes e oficiais R-2, no Náutico Atlético Cearense, foi programado para sábado vindouro (01/10/2016), sugestão esta que contou com a concordância dos tenentes R2 José Weidson, e Lincoln Azevedo.
• Eventos para você agendar: dia 1º/10 - FIT 2016, Buenos Aires (Argentina); dia 05/10 - Oktoberfest Blumenau 2016, Blumenau (SC); 06/10 - 8º Festival Internacional de Cultura e Gastronomia, Gramado (RS); 07/10 - 2º Hiper Feirão Flytour Santos (SP).
• Aniversariantes do mês de outubro: Francisco de Assis Philomeno (02/10); Gláucia Maia (07/10); Darlan Teixeira Leite, presidente da ABIH - Ceará (14/10).

PORTAL BRASIL


Documentário da FAB reconta operação após acidente do voo Gol 1907

O documentário revive histórias dos militares que atuaram no resgate, que contou com empenho de cerca de 800 pessoas

Portal Brasil Com Informações Da Fab

Imagem
O documentário está dividido em oito episódios que
serão publicados no YouTube na quinta (29)
Os desafios dos militares que participaram da operação de resgate das vítimas do acidente com o Boeing da Gol, em 2006, serão revividos no documentário Voo 1907 – 10 anos depois – Bastidores da maior operação de resgate da Força Aérea Brasileira (FAB), a ser lançado nesta quinta-feira (29), no canal do Youtube da FAB.
Com cenas inéditas, o documentário, produzido pelo Centro de Comunicação Social da Aeronáutica, entrevistou os principais agentes da operação desencadeada após o acidente, que aconteceu em 29 de setembro de 2006.
Dividido em oito episódios e com duração total de cerca de 40 minutos, militares de várias organizações, principalmente os especializados em Busca e Salvamento do Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento, detalham a experiência vivida em 44 dias na selva amazônica e revivem os momentos marcantes.
"Eram seres humanos, famílias que haviam sido destruídas. Então, quando você chega ao local, supera tudo, como picada de abelha, distância da família, para devolver os corpos das vítimas aos seus familiares. A gente não deixou ninguém para trás", destaca o Suboficial Orenil Andrade, ressaltando o fato de que todas as 154 pessoas a bordo foram encontradas e identificadas.
A produção também mostra a logística montada na operação, principalmente no Campo de Provas Brigadeiro Velloso (CPBV). Essa base da Aeronáutica, localizada na Serra do Cachimbo, no sul do Pará, proveu a infraestrutura necessária para a operação que durou 44 dias, empregou 52 aeronaves, consumiu 1.534 horas de voo e mais de 1 milhão de litros de combustível.
10 anos depois
Um grupo de militares retornou ao local do acidente e passou as impressões após 10 anos do acidente. "Essa missão nunca vai sair da minha cabeça. Eu lembro cada dia da minha vida, eu lembro desse local, desse acidente. Marcou para sempre, mudou a minha [vida]. Trouxe para mim uma nova maneira de encarar a vida", enfatiza o Tenente Médico Felipe Lessa que, em 2006, foi um dos primeiros a chegar ao local e passou 40 dias na mata no trabalho de resgate das vítimas.
No documentário, familiares das vítimas também contam como ainda estão superando a dor causada pelo acidente em 2006. "Hoje estou tranquila. Choro, mas é um choro de saudade. Tudo o que vocês fizeram foi muito gratificante para nós", diz Creusa Paixão Lopes, mãe de Marcelo Paixão, a última vítima a ser encontrada pelas equipes de resgate da Força Aérea Brasileira.

Sistemas integrados viabilizam os transplantes no País

Sistema Nacional de Transplantes (SNT) e Centro de Gerenciamento de Navegação Aérea (CGNA) são responsáveis pela captação, distribuição e transporte dos tecidos e órgãos transplantados pelo SUS

Para viabilizar o processo de transplante de órgãos no Sistema Único de Saúde (SUS), dois órgãos federais são imprescindíveis para que a operação logística seja bem-sucedida: Sistema Nacional de Transplantes (SNT) e Centro de Gerenciamento de Navegação Aérea (CGNA). Essas entidades são responsáveis pela captação, distribuição e transporte dos tecidos e órgãos. Segundo o Ministério da Saúde, 87% dos transplantes de órgãos são realizados com recursos públicos.
Ao SNT cabe gerenciar todo o processo de captação e recepção de órgãos e tecidos. O sistema integra diversos órgãos do sistema de saúde que têm papéis específicos no encaminhamento dos transplantes.
Um deles é a Central de Notificação Captação e Distribuição de Órgãos e Tecidos (CNCDO), que funciona nos Estados e no Distrito Federal. Nesses locais, há equipes especializadas e estabelecimentos de saúde autorizados para realizar diagnóstico de morte encefálica, retirada de órgãos e tecidos e transplantes e enxertos. Os hospitais notificam a central quando há falência da atividade cerebral irreversível e a família concorda em doar os órgãos do parente.
A estrutura do SNT abrange uma vasta estrutura administrativa, que engloba o Ministério da Saúde, secretarias estaduais, municipais e hospitais e a Central Nacional de Transplantes (CNT). É esse órgão que aciona o Centro de Gerenciamento de Navegação Aérea (CGNA) para organizar o deslocamento das equipes com o órgão para o local em que o receptor aguarda para fazer a cirurgia.
Além disso, os enfermeiros da CNT também gerenciam a lista única nacional de receptores quando surge um doador em potencial. Eles inserem os dados do doador no Sistema Informatizado de Gerenciamento (SIG), que indica o candidato compatível conforme o tempo de espera na fila, a urgência pela operação e o tipo sanguíneo.
Cerca de 30% dos órgãos transplantados no País são encaminhados aos destinos de avião. A Força Aérea Brasileira (FAB) mantém um acordo com o Ministério da Saúde para priorizar o transporte desses órgãos no tráfego aéreo, mesmo em rotas civis, controladas pela instituição. Apenas em 2015, 3,8 mil voos comerciais transportaram órgãos para serem transplantados.
Os profissionais da CNT recebem as informações sobre o doador e o receptor selecionados que foram enviadas pelas sucursais em qualquer parte do País. O centro encaminha os dados para a CNT no Rio de Janeiro, onde enfermeiros acompanham a definição do transporte ideal para os órgãos de dentro da sala de decisões colaborativas do CGNA, responsável pelo controle do tráfego aéreo.
Na sala de controle, a equipe verifica a rota mais rápida e comunica às companhias comerciais sobre a necessidade do translado. A FAB também pode ser acionada, sobretudo quando o transporte envolve órgãos que têm menor tempo de isquemia, como coração e pulmões, que só resistem por quatro e seis horas, respectivamente, sem irrigação fora do corpo.
Por isso, as equipes priorizam as rotas mais rápidas, que não fazem escalas ou conexões e nos quais os médicos e enfermeiros possam embarcar da cidade do doador. Representantes do tráfego aéreo, que também acompanham o processo na sala de controle, analisam condições meteorológicas e podem solicitar a prioridade dos voos em determinada rota. Os pousos e decolagens desses aviões que carregam tecidos e órgãos que serão transplantados têm prioridade nos aeroportos.

Mostra de defesa promove indústria brasileira

4ª Mostra BID Brasil deve gerar novas oportunidades de negócios internacionais e fortalecer promoção do setor junto ao mercado externo

Por Portal Brasil

A indústria brasileira de defesa realiza, até a quinta-feira (29) em Brasília, a 4ª Mostra BID Brasil, com o objetivo de gerar novas oportunidades de negócios internacionais, fortalecer a promoção do setor no exterior e abrir mercados para as empresas brasileiras apresentarem seus produtos e serviços.
O evento deve receber um público de cerca de 3.500 pessoas, incluindo representantes de forças armadas estrangeiras, membros de corpos diplomáticos e mídia especializada.
O ministro da Defesa, Raul Jungmann, ressaltou a importância da base industrial de defesa na economia brasileira. Ele citou que em 2014, o setor movimentou mais de R$ 200 bilhões, representando 4% do Produto Interno Bruto (PIB), gerando 60 mil empregos diretos e 240 mil indiretos. O volume de exportações no mesmo período foi de R$ 3,8 bilhões.
A indústria brasileira de defesa também exerce papel decisivo para a independência, a autonomia e a soberania do Brasil, afirmou Jungmann. "A base industrial de defesa são as nossas pernas, por assim dizer, e sem base industrial de defesa, sem tecnologia, sem pesquisa, não há defesa do Brasil. Essa é a importância dessa indústria, desse setor, dos serviços que ela comporta para o nosso País", disse.
A participação das Forças Armadas brasileiras, que utilizam e ajudam a desenvolver produtos da indústria de defesa nacional, exercem papel fundamental na promoção do setor para o exterior, avalia o secretário de Produtos de Defesa do ministério, Flávio Basílio.
"Nós não vamos conseguir exportar produtos brasileiros se as nossas próprias forças não utilizarem esses produtos. E essa feira também permite que possamos apresentar os nossos produtos e que mostrar a integração entre indústria e forças armadas", declarou.
A mostra é realizada pela Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (Abimde) com apoio do Ministério da Defesa, das Forças Armadas e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

AGÊNCIA SENADO


Senado vai discutir regulamentação das empresas de táxi aéreo


A comissão especial que analisa a proposta do novo Código Brasileiro de Aeronáutica (PLS 258/2016) promoverá audiência pública na próxima terça-feira (4) para debater a regulamentação das empresas de táxi aéreo. Os senadores debaterão com especialistas a criação de uma nova categoria para as empresas que fazem transporte aéreo público não regular. O evento faz parte do ciclo de audiências públicas organizado pela comissão com o objetivo de colher subsídios para aprimorar a legislação. Na avaliação do vice-presidente da comissão especial, senador Pedro Chaves (PSC-MS), o Código de Aeronáutica em vigor está defasado e precisa ser modernizado.

AGÊNCIA BRASIL


Vítimas de explosão de bueiro no Rio permanecem internadas


Tatiana Alves

As vítimas da explosão de um bueiro na Lapa ainda estão hospitalizadas, mas o estado delas é estável. Maurício dos Santos Julianelli, Claudiney Barilo e Aline Barreto Paes, que teve 50% do corpo queimado, permanecem internados no hospital da Força Aérea do Galeão.
No último domingo, um bueiro da concessionária de energia elétrica Light explodiu próximo a um bar na Lapa, centro da cidade. Oito pessoas ficaram feridas. Foi a terceira explosão em menos de uma semana.

Após 10 anos, pilotos do jato que bateu em avião da Gol ainda não cumpriram pena


Sabrina Craide

Dez anos depois do acidente aéreo que provocou a morte de 154 pessoas, os dois pilotos condenados ainda não foram presos. Os norte-americanos Joseph Lepore e Jean Paul Paladino, que pilotavam o jato Legacy que se chocou com o boeing da Gol, foram condenados a reclusão de três anos, um mês e dez dias em regime aberto, mas ainda não foram notificados da sentença.
A condenação final dos pilotos foi definida em outubro do ano passado. Em maio deste ano, a Justiça Federal determinou que os pilotos se manifestem sobre o local em que preferem cumprir a pena: no Brasil ou nos Estados Unidos.
A sentença está sendo traduzida pela Secretaria de Cooperação Jurídica Internacional do Ministério Público Federal e deve ser encaminhada ao Ministério da Justiça, que enviará a decisão para os Estados Unidos. Depois de intimados, os pilotos, que moram no estado de Nova York, terão 15 dias para se manifestar, e a partir daí a pena começa a valer.
"Acredito que eles vão querer cumprir a pena nos Estados Unidos obviamente, porque nunca demonstraram interesse em voltar para o Brasil, tanto que foram interrogados lá", diz o advogado da Associação de Familiares e Amigos das Vítimas do Vôo 1907, Rogério Botelho. O Brasil e os Estados Unidos são signatários da Convenção de Manágua, que autoriza a transferência de sentenças penais.
Rosane Gutjahr, que perdeu o marido no acidente, diz que a pena dada aos pilotos é "ridícula" e critica a demora na aplicação da sentença. "Até agora, na prática não aconteceu nada com eles, estão livres, leves, soltos, voando, trabalhando normalmente, como se nada tivesse acontecido", diz Rosane, que é diretora da associação.
A psicóloga Neusa Machado, esposa de uma das vítimas, também considera a pena branda. "Acredito que eles não deveriam estar pilotando o avião. Eram duas pessoas jovens, que não tinham experiência", avalia. Salma Assad, que perdeu o sobrinho no acidente, considera que as leis do Brasil têm muitas brechas. "O avião é uma arma engatilhada. E eles não tinham preparo para pilotar aquele jato, isso está comprovado, eles mesmos perceberam que os aparelhos estavam desligados", diz.
Na avaliação do advogado das vítimas, no entanto, apesar de ser branda, essa é a pena prevista na legislação para o crime de atentado contra a segurança aérea. "É uma pena intermediária, mas é uma pena branda, três anos em regime aberto para 154 mortos", diz Botelho. Segundo ele, o regime aberto nos Estados Unidos é parecido com o do Brasil, com reclusão à noite e nos fins de semana. "É até um pouco mais severa nos Estados Unidos porque lá existe uma fiscalização maior, existe a possibilidade de tornozeleira eletrônica e existe o fiscal da condicional - se eles infringirem a liberdade vigiada, vão para uma mais gravosa", diz o advogado.
A Agência Brasil entrou em contato com o advogado dos pilotos do Legacy no Brasil, mas não obteve retorno.
Colisão entre aeronaves
O acidente aconteceu no dia 29 de setembro de 2006, quando o Boeing 737-800 da Gol, que voava de Manaus para Brasília, foi atingido em pleno voo por um jato Legacy pilotado por Lepore e Paladino, que ia de São José dos Campos em direção a Manaus.
O choque entre as duas aeronaves ocorreu por volta das 20h, a 37 mil pés de altitude, na região norte de Mato Grosso. A ponta da asa esquerda do jato Legacy colidiu com o boeing da Gol, provocando a desestabilização e a queda do avião em uma área de floresta. O jato Legacy conseguiu pousar na Base Aérea da Serra do Cachimbo, no Pará.
A conclusão das investigações foi de que os pilotos do Legacy desligaram o transponder, um aparelho obrigatório que informa a posição e altitude das aeronaves aos controladores de voo, e o TCAS, que informa ao piloto a existência de outros aviões nas proximidades.
Além dos dois pilotos, a denúncia do Ministério Público Federal pediu a condenação de quatro controladores de voo por condutas que caracterizariam atentado contra a segurança de transporte aéreo. Os controladores foram absolvidos na justiça comum, mas Jomarcelo Fernandes dos Santos foi condenado pela Justiça Militar por homicídio culposo.
Para o MPF, os controladores tinham o dever legal de tomar providências para evitar o acidente, informando sobre a falta de comunicação com o jato ao centro de controle do espaço aéreo de Manuas. Para Rosane Gutjahr, os controladores não tiveram culpa pelo acidente. "Os pilotos desligaram o rádio, o transponder, como os controladores iam entrar em contato? Não tinha como", afirma.
Nos meses que se seguiram ao acidente, o país enfrentou um dos piores momentos da história da aviação civil. Em um movimento para denunciar excesso de trabalho, os controladores de voo iniciaram uma operação padrão, que resultou em longos atrasos e cancelamentos de voos. Em julho de 2007, a situação foi agravada com o acidente com o avião da TAM, no aeroporto de Congonhas, que resultou na morte de 199 pessoas.
Famílias fizeram acordos
A maioria das famílias das vítimas fez acordo com a Gol logo depois do acidente para receber as indenizações. "Muita gente não tinha condições de enfrentar um processo, por exemplo, uma pessoa que perdeu um marido ou mulher que sustentava a família, então a grande maioria fez acordo logo após o acidente", explica o advogado Daniel Roller, que cuida de processos administrativos de diversas famílias.
Segundo ele, cerca de 80% das famílias entraram em acordo com a companhia aérea, mas aproximadamente 30 entraram com processo na Justiça. Alguns fizeram acordos dentro da ação judicial, outros esperaram o julgamento. O valor das indenizações foi calculado de acordo com a idade e o salário do familiar que morreu no acidente.
Segundo Salma Assad, tia de uma das vítimas, os valores das indenizações pagas variam entre R$ 100 mil e R$ 1,5 milhão. "Teve gente que não quis nada, o que a seguradora da Gol ofereceu, foi aceito", diz. Como seu sobrinho, Átila Assad, não tinha salário e dependia dos pais, a família recebeu apenas indenização por danos morais.
Rosane Gutjahr foi uma das familiares que não quis fazer acordo com a companhia aérea e levou adiante os processos na Justiça contra a empresa, que foi condenada a pagar indenização por danos morais e materiais para a viúva e uma pensão de cerca de R$ 8 mil por mês para a filha Luiza, que tinha 4 anos quando o pai morreu no acidente. Ela também irá mover um processo contra os dois pilotos do Legacy na Justiça dos Estados Unidos.
"Eu não aceitei qualquer acordo, as outras famílias aceitaram, não as culpo. Recebi proposta de US$ 2,5 milhões, depois de US$ 5 milhões para desistir dos processos no Brasil e lá fora. Mas não desisti, não abri mão. Eu não vou vender a minha dignidade, da minha filha, do meu marido por dinheiro nenhum. Eu tenho uma vida confortável, mas mesmo se não tivesse eu não aceitaria, porque tem coisas que não são vendidas", diz Rosane. Ela diz que as indenizações que já recebeu foram doadas para entidades filantrópicas.
A companhia aérea Gol não respondeu aos questionamentos da reportagem da Agência Brasil sobre o pagamento das indenizações às vítimas. Em nota, a empresa lamentou o acidente. "Nesses dez anos, carregamos o nosso pesar e solidariedade aos familiares e amigos das vítimas do acidente com o voo 1907, em 29 de setembro de 2006. Essa data será para sempre lembrada por nós com profunda tristeza", afirma a Gol.
Lembranças
O estudante de medicina Átila Assad tinha 24 anos quando decidiu viajar de Manaus, onde estudava, para Brasília. Ele seguiria para Rubiataba (GO), onde mora sua família, para votar nas eleições. "O pai dele me ligou perguntando se eu tinha alguma informação do Átila, mas eu não sabia de nada. Depois, ele me disse que assistiu na TV que o avião estava desaparecido", conta a tia de Átila, Salma Assad. Ela ainda se emociona quando lembra o último diálogo do sobrinho com a mãe. "Ela pediu para ele trazer uma sacola térmica e ele respondeu: "viu". Até hoje, quando alguém dá um recado, a gente fala "viu" para lembrar dele", diz Salma.
O marido de Neusa Felipetto Machado estava há 15 dias trabalhando em Manaus e voltava para Brasília no dia do acidente. Valdomiro Henrique Machado, 61 anos, pediu para que os dois netos, de 6 e 10 anos, fossem ao aeroporto para buscá-lo. "Ele era um super avô, dizia que era muito gostoso ser recebido pelos netos no aeroporto". Neusa conta que ficou sabendo do acidente com uma ligação da nora, que assistia ao noticiário pela televisão. "Aí foi uma tristeza. Eu já sabia que era o avião dele, era o horário em que ele iria chegar. Sentei no tapete e ali fiquei a noite toda".
As duas contam que foi muito difícil obter informações sobre as causas acidente. "Gastamos muita sola de sapato, implorávamos para acelerar as investigações, e era muito demorado. E isso foi muito dolorido", diz Neusa. O corpo do marido dela foi identificado 13 dias depois do acidente. "Até então, eu pensava que ele deveria estar no meio dos índios, acendendo fogueira e contando piada".
Entre as 154 vítimas do acidente estavam dois funcionários da Radiobrás, empresa pública que foi incorporada em 2008 pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Osman de Oliveira Melo e Francisco Alves de Oliveira retornavam de uma viagem a Tabatinga, no Amazonas, onde trabalharam na instalação e manutenção de um transmissor da Rádio Nacional da Amazônia.

MINISTÉRIO DA DEFESA


Jungmann recebe o presidente da Confederação Israelita


O ministro da Defesa, Raul Jungmann, recebeu nesta quarta-feira (28) o presidente da Confederação Israelita do Brasil, Fernando Lottenberg. Na audiência, o dirigente da entidade aproveitou para parabenizar o ministro pela atuação das Forças Armadas na segurança dos Jogos Rio 2016. Ainda durante o encontro, Jungmann e Lottemberg lamentaram a morte do ex-presidente israelense e Prêmio Nobel da Paz, Shimon Peres.


MD promove aproximação de Indústria Nacional de Defesa com Forças de Segurança Pública


Aproximar a Base Industrial de Defesa (BID) das Forças de Segurança Pública e ampliar as possibilidades de negócios internos para as empresas nacionais. Esse foi o objetivo do Ministério da Defesa ao realizar uma palestra com representantes do Conselho Nacional de Comandantes Gerais das Polícias Militares e dos Bombeiros Militares (CNCG) e da Diretoria de Administração e Logística Policial da Polícia Federal, no segundo dia da 4ª Mostra BID-Brasil.
No debate, representantes da segurança pública apresentaram a uma plateia de empresários quais são as principais demandas por equipamentos e produtos que eles terão nos próximos anos. Tecnologia e integração de sistemas despontaram entre as principais necessidades e, também, como o grande desafio a ser suprido, não só pelas indústrias de defesa, como pelos diversos parques tecnológicos existentes no País, e que também estão presentes na 4ª Mostra.
O coronel Fernando Arantes, diretor de tecnologia da Polícia Militar de Minas Gerais, explicou que, atualmente, o trabalho da segurança pública depende cada vez mais do uso da tecnologia de ponta, que dá mais agilidade na solução de diversos crimes. A PM de São Paulo, por exemplo, faz uso de câmeras instaladas em diversos pontos do estado que fotografam e fazem o envio de informações das placas de carros. Esse mecanismo resultou num aumento significativo na solução de casos de roubos de veículos.
No entanto, os representantes das forças de segurança destacaram que ainda existe uma dificuldade na transmissão dessas informações de forma segura. "Somos carentes de projetos de infraestrutura de transmissão de dados. Precisamos fomentar a discussão em torno disso, para que tenhamos, no futuro, estruturas cada vez mais integradas", avaliou o diretor de tecnologia da PM de Minas Gerais.
O presidente da ABIMDE (Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança), Frederico Aguiar, agradeceu a oportunidade de poder ouvir de forma tão clara as demandas do setor. "A indústria nacional é bem diversificada, nós temos excelência em diversos nichos e podemos oferecer o que há de mais moderno em tecnologias, tanto em produtos, quanto em serviços de software e em todas as cadeias produtivas, desde que a gente consiga saber com antecedência o que vai ser adquirido", explicou.
"O anseio do empresário é participar da criação do projeto base da Força Armada ou da força auxiliar, seja Polícia Federal, Militar ou Civil, porque isso será significativo para que a gente tenha, na hora em que for ser feita a aquisição, o produto para oferecer", enfatizou o presidente da ABIMDE.
Para o diretor do Departamento de Catalogação do Ministério da Defesa, almirante Antônio Carlos Guerreiro, essa foi uma oportunidade única de unir os setores de defesa e segurança, o que deverá render frutos para ambos os lados. "Sem dúvida, aqui, as forças de segurança vão encontrar boas soluções para suas demandas", disse.
"Elas trouxeram para a nossa indústria uma visão muito ampla de suas necessidades para os próximos anos. Foi uma oportunidade de colocarmos os dois setores em contato efetivo e direto, numa relação que não terminará por aqui", completou o almirante.

JORNAL ZERO HORA


Míssil que derrubou voo da Malaysia Airlines na Ucrânia foi disparado por pró-russos, diz MP da Holanda

Uma centena de suspeitos se envolveram na ação que matou 298 vítimas de diferentes nacionalidades em 2014

Afp

O míssil que derrubou o avião da Malaysia Airlines em 17 de julho de 2014 no leste da Ucrânia foi transportado da Rússia. A informação foi divulgada nesta quarta-feira em um inquérito criminal holandês que afirmou ter identificado uma centena de pessoas envolvidas.
Os investigadores também confirmaram que o míssil foi lançado de uma zona localizada no território controlado pelos separatistas pró-Rússia.
O Boeing 777 que havia decolado de Amsterdã com destino a Kuala Lumpur transportava 298 pessoas, entre passageiros e tripulantes. A maioria das vítimas tinha nacionalidade holandesa.
Os investigadores identificaram uma centena de pessoas que "tiveram papel ativo no armamento do sistema BUK ou em seu transporte, assim como outras que facilitaram ou ajudaram no transporte do mesmo", afirmou o coordenador da investigação, Fred Westerbeke.
- Nenhuma destas pessoas é considerada automaticamente como suspeita - disse.
O promotor convidou estas pessoas a entrar em contato com os investigadores para explicar seu papel no caso ou fornecer informações adicionais. Com base em fotos, vídeos, depoimentos, dados de telecomunicações e conversas telefônicas, os responsáveis pela investigação recriaram a rota do comboio que transportou o sistema. Ao atravessar a fronteira estava escoltado por vários homens de uniforme.
- Nossa investigação demonstrou que o local a partir do qual foi disparado o míssil se encontrava em mãos rebeldes - afirmou Wilbert Paulissen, um dos investigadores, em uma entrevista coletiva para apresentar os primeiros resultados da investigação penal.
Resposta russa
O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, insistiu nesta quarta-feira que a Rússia forneceu "informações completas" aos investigadores.
- Os dados não têm erros, não há nenhum míssil. Portanto, se houve um míssil, só pode ter sido disparado de outro território - disse.
Outra investigação, coordenada pelo Escritório Holandês de Investigação para a Segurança (OVV), concluiu no ano passado que o Boeing 777 havia sido derrubado por um míssil terra-ar de fabricação russa BUK lançado de uma zona controlada pelos separatistas ucranianos pró-Rússia, sem identificar os autores do disparo.
Moscou e os separatistas negam esta versão e acusam as forças ucranianas como responsáveis.

OUTRAS MÍDIAS


DIÁRIO DIGITAL (PORTUGAL)


Drone norte-americano causa 18 mortes no Afeganistão

Pelo menos 18 pessoas morreram, incluindo civis, e vários outros ficaram feridos hoje num bombardeamento com um drone dos Estados Unidos contra o Estado Islâmico que atingiu uma casa na Província de Nangarhar, no leste do Afeganistão.
O vice-presidente do Conselho Provincial, Zabihullah Zmarai, afirmou que o ataque ocorreu no distrito de Achin, em Nangarhar, causando a morte de civis, enquanto as forças norte-americanas confirmaram que estão a rever os dados do ataque para apurar como realmente aconteceu.

O porta-voz da polícia de Nangarhar, Hazrat Hussain Mashriqiwal, confirmou que o bombardeamento ocorreu nas primeiras horas da madrugada.
"Não podemos confirmar ainda se há vítimas civis, mas incluindo um líder e um juiz (dos jihadistas), 18 membros do EI morreram", afirmou.
"Enviámos uma delegação investigar se são vítimas civis ou não", acrescentou.
O porta-voz das Forças Armadas dos Estados Unidos, brigadeiro-general Charles Cleveland, afirmou em comunicado que houve um ataque aéreo "antiterrorista" em Achin.
"Estamos cientes de algumas queixas sobre vítimas afegãs e estamos neste momento a revistar os materiais relacionados com o ataque", afirmou o militar.

AEROMAGAZINE (SP)


FAB recebe mais um H225M

Helicóptero é o último do modelo que será entregue este ano as forças armadas
A Helibras, a divisão brasileira da Airbus Helicopters, entregou no mês de setembro o último H225M planejado para este ano. O helicóptero, em versão básica, foi recebido pela FAB e será operado pelo 1º/8º GAv, em Belém do Pará.
Algumas aeronaves do primeiro lote também estão sendo modernizados, recebendo equipamentos extras, de acordo com o programa inicial.
Também nesse mês, aconteceram as reuniões gerenciais da PMM Offset (Program Management Meeting) que definiram ajustes do contrato do H-XBR.
Foi assinado um novo aditivo permitindo a continuidade da implantação dos Projetos de Cooperação Industrial e offset, bem como do processo de transferência de tecnologia para o Brasil e sua base industrial aeronáutica.

A TRIBUNA (MT)


MT realiza 55 transplantes no primeiro semestre

O estado de Mato Grosso realizou no primeiro semestre deste ano apenas 55 transplantes. Com o objetivo de ampliar cada vez mais o número de doadores de órgãos no país, o Ministério da Saúde lançou a campanha nacional de doação de órgãos no espaço Casa Brasil, no Rio de Janeiro. Com o slogan "Viver é uma grande conquista. Ajude mais pessoas a serem vencedoras", a campanha é estrelada por atletas transplantados em alusão aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016. A divulgação marca o mês de comemoração do Dia Nacional da Doação de Órgãos (27 de setembro).
No primeiro semestre deste ano, o país bateu recorde de doador por milhão da população, com 1.438 doadores, 7,4% a mais que no mesmo período de 2015. Essas doações possibilitaram a realização de 12.091 transplantes entre janeiro e julho, registrando aumento nos procedimentos de órgãos mais complexos, como pulmão, fígado e coração, de 31%, 6% e 7%, respectivamente.
Embora o país tenha avançado muito nos últimos anos, a taxa de aceitação familiar foi de 56% nesse primeiro semestre. Em Mato Grosso, a recusa das famílias está em 75%, isso quer dizer que quase a totalidade das famílias ainda rejeita a doação de órgãos de um parente com diagnóstico de morte encefálica. Mesmo assim, o Brasil possui a menor taxa de recusa familiar entre os quatro maiores países transplantadores da América do Sul, como Argentina (49%), Uruguai (47%) e Chile (52%).
Atualmente, 89% dos transplantes de órgãos sólidos são realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), tornando o país referência mundial no campo dos transplantes e maior sistema público do mundo.
"Um dos nossos principais desafios atualmente é diminuir a taxa de recusas familiares à doação de órgãos. A família brasileira é tipicamente solidária e precisa ser bem informada e acolhida em momentos dolorosos, como a perda de um ente querido. É preciso mostrar que essa perda pode significar a vida de outra pessoa e, por isso, estamos empenhando todos os esforços necessários para capacitar os profissionais responsáveis pela entrevista familiar em busca da autorização para doação de órgãos, de modo a esclarecer todas as dúvidas e reduzir as taxas de recusa", destacou o secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Francisco de Assis Figueiredo.
PREMIAÇÃO – Para incentivar iniciativas que buscam exatamente o diálogo com as famílias e a sensibilização da população para o tema, o Ministério da Saúde premiou pessoas físicas e jurídicas que se destacam em ações com esse objetivo. Este ano, receberam os troféus o cantor Fábio Beça, do Grupo Bom Gosto, que foi submetido a um transplante renal em 2015 e emplacou diversas ações sociais em prol da doação de órgãos, lançando, por conta própria, campanha com videoclipe reunindo diversas personalidades do samba; a Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB), que tem atuado de forma expressiva na capacitação de médicos intensivistas para o diagnóstico da morte encefálica e na manutenção e validação de potenciais doadores; e a Secretaria de Saúde do Paraná, grande incentivadora de doação de órgãos no estado, viabilizando recursos e estrutura para ampliação do processo de doação/transplante; o cantor Fábio Beça, do Grupo Bom Gosto, que foi submetido a um transplante.
No Brasil, a autorização para a doação de órgãos é concedida pelos familiares. Dessa forma, para que a vontade em doar os órgãos após a morte seja atendida, é importante avisar a família sobre essa decisão e pedir que ela atenda ao desejo. A doação de órgãos pode ocorrer após a morte encefálica. A rede brasileira conta com Centrais Estaduais de Transplantes em todos os estados e DF, 494 Centros de Transplantes, 1.244 equipes de Transplantes e 72 Organizações de Procura de Órgãos (OPOs). Desde 2010, houve aumento de 16% na quantidade de serviços habilitados pelo Ministério da Saúde para realizar transplantes no país, passando de 712 para 826.
TRANSPORTE DE ÓRGÃOS – Para ampliar ainda mais o número de transplantes no país e viabilizar o transporte de órgãos, os ministérios da Saúde e da Defesa assinaram em agosto deste ano um Termo de Execução Descentralizado (TED) no valor de R$ 5 milhões para ressarcir a Força Aérea Brasileira (FAB) dos voos realizados para transporte de órgãos em todo o Brasil.
A parceria, viabilizada por um decreto do presidente Michel Temer publicado em junho, prevê sempre a disponibilidade de uma aeronave em solo, garantindo que o órgão chegue ao seu destino e salve vidas dentro do prazo necessário. Este ano, até antes da publicação do decreto, a FAB realizou apenas cinco transportes de órgãos no Brasil. Após a publicação do decreto foram 61 transportes, sendo 28 corações, 21 fígados, três pulmões, quatro rins e cinco pâncreas.

AEROMAGAZINE (SP)


Aviação regular embarca mais de 4,5 mil itens para transplante

Mesmo com redução nos voos número de embarques cresce no país salvando vidas
De janeiro a agosto desse ano, Avianca, Azul, Gol e Latam embarcaram em suas aeronaves 4.530 itens para transplante (órgãos, tecidos e equipes).
Graças a sua velocidade e a extensão territorial do país, o modal aéreo é responsável por 95% dos transportes entre doadores e receptores. Apenas entre itens essenciais para as cirurgias foram 2.553 viagens.
Apesar da redução no número de voos realizados entre 2013 e 2014, o volume transportado aumentou 18%, com 7.993 itens em 2014. Entre os órgãos e tecidos que registraram maior ampliação no mesmo período, estão válvulas cardíacas (55,3%) e rins (49,8%). Em 2015, foram 5.625 itens transportados..
"É um trabalho que nos enche de orgulho, um exemplo de parceria entre o público e o privado que tem como único objetivo beneficiar toda a população", diz o presidente da Abear, Eduardo Sanovicz. O executivo ressalta que só é possível atingir a conectividade e a agilidade necessária para salvar tantas vidas por meio da aviação.
Em dezembro de 2013 foi assinado um acordo de cooperação entre as quatro empresas aéreas membros da ABEAR, o Ministério da Saúde, a Secretaria de Aviação Civil, a Força Aérea Brasileira, o Centro de Gerenciamento de Navegação Aérea do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (CGNA/DECEA) e os aeroportos. O convênio estabelece fluxos de atividades entre esses atores para viabilizar transportes ágeis, com a criação de vagas específicas nos voos para órgãos e equipes médicas. Além disso, voos de transporte de órgãos recebem prioridade no tráfego aéreo, poupando preciosos minutos nessa luta contra o tempo e pela vida.

PORTAL SEGS


Infraero é homenageada pelo trabalho de logística do transporte de órgãos

Gustavo Serra
A Infraero foi uma das homenageadas durante cerimônia em comemoração ao Dia Nacional da Doação de Órgãos, no Palácio do Piratini, sede do governo do Rio Grande do Sul (RS). O gesto, promovido nesta terça-feira (27/9) pela Secretaria da Saúde (SES) do estado, agraciou instituições e profissionais que colaboram com a logística do transporte de órgãos, auxiliando no êxito da operação.
Na ocasião, a estatal foi representada pelo gerente de Gestão Operacional do Aeroporto Salgado Filho, Odone Bizz, que participa ativamente na agilização da logística de transporte de órgãos no terminal gaúcho. “O papel da Infraero nesse processo é de facilitador, fazendo acionamentos locais e agilizando ações para alocação da aeronave, acesso dos órgãos de saúde do estado envolvidos no processo, tudo de forma rápida e segura, para garantir o sucesso da operação”, afirmou.
De acordo com o governador Ivo Sartori, que participou da homenagem, o estado sempre será parceiro de ações dessa natureza, pois elas fortalecem laços de unidade. "Não existe solidariedade melhor do que a doação de órgãos. A melhor solidariedade é a de quem dá uma parte de si para o próximo. É um gesto vital, compartilhando saúde e reforçando a existência", destacou.
"O sucesso dos transplantes tem muito a ver com as condições do órgão. Em razão disso, contamos com equipes totalmente dedicadas ao projeto, com hospitais e instituições competentes, além de uma logística eficiente e de qualidade", afirmou o secretário da Saúde do Rio Grande do Sul, João Gabbardo.
O Dia Nacional da Doação de Órgãos e Tecidos é comemorado no dia 27 de setembro e é realizado anualmente pela Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (Abto). Este ano, o tema da campanha foi Brasil Verde, em que os principais monumentos e pontos turísticos das cidades brasileiras foram iluminados.
Além da Infraero, foram saudadas no evento outras instituições, empresas aéreas, pilotos e motoristas da Secretaria da Saúde, além de cinco hospitais que receberam certificação de destaque no processo de captação de órgãos no ano passado.
A INFRAERO E O TRANSPORTE DE ÓRGÃOS
A Infraero participa do acordo de cooperação técnica que tem o objetivo de facilitar o transporte aéreo de órgãos e tecidos (inclusive medula óssea) para transplantes no país. O convênio foi originalmente firmado em dezembro de 2013 entre o Ministério da Saúde, Secretaria de Aviação Civil (SAC), Ministério da Defesa, Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Infraero e companhias aéreas.
Entre as ações, a iniciativa estabelece medidas que possibilitem a prestação de serviços de transporte aéreo gratuito de órgãos, tecidos e partes retirados do corpo humano para transplante no território nacional.
A Infraero prioriza nos procedimentos de inspeção de segurança e acesso aos portões de embarque as equipes responsáveis pelo transporte de órgãos. Além disso, a empresa garante a isenção de tarifa de embarque e conexão para equipes transportadas dentro do escopo do termo nos aeroportos sob sua administração; e indica funcionários para acompanhar o condutor do material em áreas restritas, quando demandado pela Central Nacional de Transplantes. O objetivo é agilizar a entrega e recepção nos casos de conexão entre empresas aéreas diferentes.
TRANSPLANTES NO PAÍS
O Brasil é o segundo país em número de transplantes realizados por ano no mundo, mais de 90% deles pelo Sistema Público de Saúde (SUS). O Sistema Nacional de Transplantes conta com Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos em cada estado, que coordena a alocação dos órgãos baseada na fila única estadual ou regional. Para se candidatar, é necessário credenciamento no Ministério da Saúde. Hoje, mais de 80% dos transplantes são realizados com sucesso, reintegrando o paciente à sociedade.




Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented