|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 17/06/2016 / Equipes acham caixa-preta de avião da EgyptAir que caiu no Mediterrâneo


Equipes acham caixa-preta de avião da EgyptAir que caiu no Mediterrâneo ...


Avião caiu no Mediterrâneo no dia 19 de maio com 66 a bordo. Airbus A320 fazia a rota Paris-Cairo quando desapareceu dos radares ...

As equipes que participam das buscas do avião da EgyptAir encontraram uma das caixas-pretas do Airbus A320, informaram nesta quinta-feira (16) as autoridades egípcias. O avião da EgyptAir caiu no Mar Mediterrâneo no dia 19 de maio com 66 pessoas a bordo.

Na quarta-feira (15), destroços da cabine do avião foram localizados em "vários lugares", segundo a comissão de investigação egípcia. Os objetos foram achados pelo navio da empresa francesa Deep Ocean Search (DOS), que participa das operações de buscas.

O Airbus A320 fazia a rota Paris-Cairo, quando caiu com 66 ocupantes a bordo, depois de desaparecer repentinamente dos radares por causas ainda desconhecidas.

Na aeronave estavam 40 egípcios, incluindo a tripulação, 15 franceses, dois iraquianos, dois canadenses, assim como cidadãos de Argélia, Bélgica, Reino Unido, Chade, Portugal, Arábia Saudita e Sudão.

Buscas

O barco "John Lethbridge" chegou em 9 de junho ao Egito para se unir aos trabalhos de buscas na área onde caiu a aeronave, entre a ilha grega de Creta e o Egito.

Esse navio conta com um sistema de radar de sonar lateral, que pode fazer imagens do fundo do oceano. Também tem um robô submarino que pode descer a até 6 mil metros de profundidade para "fazer observações visuais".

Na última segunda-feira, a comissão de investigação advertiu que as duas caixas-pretas parariam de emitir sinais em 24 de junho. O navio da Marinha francesa "Laplace" havia conseguido detectar em 1º de junho o sinal de uma das caixas.

De acordo com os investigadores egípcios, confirmando o que já havia sido dito pelas autoridades gregas, a aeronave fez um giro de 90º à esquerda e, depois, de 360º à direita, antes de cair no Mar Mediterrâneo.

Inicialmente levantada pelo Egito, a hipótese de atentado cedeu terreno à do incidente técnico. O aparelho emitiu dois alertas automáticos dois minutos antes da queda, sinalizando fumaça dentro da cabine dos pilotos e uma falha no computador que gerencia os comandos.

Vários investigadores franceses da BEA e especialistas da Airbus participam das buscas na costa egípcia.




Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.



PORTAL G-1


Equipes acham caixa-preta de avião da EgyptAir que caiu no Mediterrâneo

Avião caiu no Mediterrâneo no dia 19 de maio com 66 a bordo. Airbus A320 fazia a rota Paris-Cairo quando desapareceu dos radares.

Do G1, Com Agências Internacionais

As equipes que participam das buscas do avião da EgyptAir encontraram uma das caixas-pretas do Airbus A320, informaram nesta quinta-feira (16) as autoridades egípcias. O avião da EgyptAir caiu no Mar Mediterrâneo no dia 19 de maio com 66 pessoas a bordo.
 Na quarta-feira (15), destroços da cabine do avião foram localizados em "vários lugares", segundo a comissão de investigação egípcia. Os objetos foram achados pelo navio da empresa francesa Deep Ocean Search (DOS), que participa das operações de buscas.

O Airbus A320 fazia a rota Paris-Cairo, quando caiu com 66 ocupantes a bordo, depois de desaparecer repentinamente dos radares por causas ainda desconhecidas.
Na aeronave estavam 40 egípcios, incluindo a tripulação, 15 franceses, dois iraquianos, dois canadenses, assim como cidadãos de Argélia, Bélgica, Reino Unido, Chade, Portugal, Arábia Saudita e Sudão.
Buscas

O barco "John Lethbridge" chegou em 9 de junho ao Egito para se unir aos trabalhos de buscas na área onde caiu a aeronave, entre a ilha grega de Creta e o Egito.
Esse navio conta com um sistema de radar de sonar lateral, que pode fazer imagens do fundo do oceano. Também tem um robô submarino que pode descer a até 6 mil metros de profundidade para "fazer observações visuais".
Na última segunda-feira, a comissão de investigação advertiu que as duas caixas-pretas parariam de emitir sinais em 24 de junho. O navio da Marinha francesa "Laplace" havia conseguido detectar em 1º de junho o sinal de uma das caixas.
De acordo com os investigadores egípcios, confirmando o que já havia sido dito pelas autoridades gregas, a aeronave fez um giro de 90º à esquerda e, depois, de 360º à direita, antes de cair no Mar Mediterrâneo.
Inicialmente levantada pelo Egito, a hipótese de atentado cedeu terreno à do incidente técnico. O aparelho emitiu dois alertas automáticos dois minutos antes da queda, sinalizando fumaça dentro da cabine dos pilotos e uma falha no computador que gerencia os comandos.
Vários investigadores franceses da BEA e especialistas da Airbus participam das buscas na costa egípcia.

RJ pede ajuda das Forças Armadas por 3 meses, inclusive na Olimpíada

Informação foi publicada pelo (O Globo) e confirmada pelo Governo. Contingente vai além dos 85 mil que ficarão no Estado nos Jogos.

Portal G1 (rj)

O governador em exercício do Rio, Francisco Dornelles, pediu às Forças Armadas reforço no contingente para a Olimpíada, mas também para antes e depois dos Jogos. O número vai além dos 85 mil agentes que já cuidariam da segurança do evento.
A informação foi publicada nesta quinta-feira (16) na coluna de Ancelmo Gois, do "O Globo", e confirmada pelo Governo.
O auxílio foi requisitado através de um ofício enviado por Dornelles ao presidente interino, Michel Temer. O emprego extra das Forças Armadas iria de 24 de julho a 19 de setembro, após até mesmo a Paralimpíada.
Segundo a nota, o contingente extra ficaria em locais como a Avenida Brasil, o aeroporto do Galeão e as linhas Vermelha e Amarela.
No documento, Dornelles cita o elevado número de visitantes na cidade e diz que a PM não dispõe de recursos humanos e logísticos para cumprir as demandas.
O Governo informou também que a Força Nacional de Segurança Pública não apoiará a PM no policiamento ostensivo da cidade. O serviço será relacionado, "de maneira maciça", à segurança interna das instalações olímpicas.

Aeroporto de Paranavaí era porto seguro de contrabandistas, diz PF

Terminal Edu Chaves funcionava como entreposto operacional de quadrilha. Operação Celene foi deflagrada em quatro estados nesta quinta-feira (16).

Portal G1 (pr)

O aeroporto de Paranavaí, no noroeste do Paraná, funcionava como um porto seguro para a quadrilha de contrabandistas que foi desarticulada nesta quinta-feira (16) pela Polícia Federal. A constatação é do delegado Alexander Noronha Dias, responsável pela Operação Celene. A ação cumpriu mandados judiciais no Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Espirito Santo.
De acordo com a Polícia Federal, os criminosos utilizavam o aeroporto Edu Chaves de Paranavaí como entreposto operacional. O terminal era utilizado para abastecimento e manutenção dos aviões utilizados para o contrabando de mercadorias.
"O aeroporto em Paranavaí era o porto seguro do grupo. Para se ter uma noção, era tão porto seguro que a quadrilha optou por deixar a aeronave alvejada em Paranavaí ao invés de deixá-la no Paraguai. O aeroporto está em uma posição estratégica, não tem fiscalização e os criminosos eram próximos a algumas pessoas que trabalhavam no terminal. Tudo isso favoreceu", explica o delegado da Polícia Federal Alexander Noronha Dias.
Conforme a PF, as investigações começaram após apurações realizadas pela Polícia Civil em Paranavaí, que apontaram que aviões que frequentavam o terminal já tinham sido apreendidos em outras ocasiões.

Em menos de um ano, dois monomotores ainda foram apreendidos na região noroeste. Um deles foi localizado pela Polícia Civil em março de 2015, em uma estrada rural de Amaporãx, e a segunda aeronave foi encontrada dentro do aeroporto com várias marcas de tiros. O avião foi interceptado pela Força Aérea Brasileira (FAB) quando retornava ao Paraguai com mercadorias contrabandeadas. A mesma aeronave já tinha sido apreendida em 2012 por contrabando no Paraguai.
Na operação desta quinta-feira, uma mulher responsável pelo abastecimento dos aviões no aeroporto de Paranavaí foi presa e o dono da bomba de combustível foi levado coercitivamente à Delegacia da Polícia Civil para prestar esclarecimentos.
No estado, um piloto de Maringá e outras três pessoas de Foz do Iguaçu, que atuavam como agenciadoras de frete, também foram presas. No interior de São Paulo, seis pilotos foram presos. Outras duas pessoas, sendo pai e filho, foram presas na cidade de Guararapes (SP). Segundo as investigações da Polícia Federal, o pai é piloto privado e é suspeito de pilotar um avião interceptado pela FAB.
Sete aeronaves também foram apreendidas nesta quinta-feira em Londrina, Ituverava, Orlândia e Barretos, as últimas três localizadas no interior de São Paulo.
Investigações

De acordo com a PF, a quadrilha movimentava cerca de R$ 3 bilhões por ano em mercadorias contrabandeadas. O grupo transportava principalmente equipamentos eletrônicos, mas também foram apreendidos medicamentos e anabolizantes.
As investigações começaram em 2013 e identificaram quatro grupos criminosos que atuavam conjuntamente. Ainda conforme a PF, eles conduziam aeronaves de Salto Del Guairá, no Paraguai, até pistas clandestinas no interior de São Paulo. As mercadorias eram então retiradas dos aviões e escoadas para entrepostos de armazenamento, de onde eram transportadas por caminhões e veículos até os destinatários finais.
Para despistar a fiscalização, as aeronaves voavam, quase que diariamente, em baixas altitudes para desviar de radares.
A Polícia Federal agora deve investigar os clientes finais desse grupo criminoso. A polícia quer saber se os clientes que compravam as mercadorias contrabandeadas têm algum envolvimento no esquema.

Exército apreende 300m³ de madeira extraída ilegalmente no Sul de RR

Material, avaliado em R$ 112 mil, foi apreendido e entregue ao Ibama. Apreensão ocorreu durante fiscalização da "Ágata 11".

Portal G1 (rr)

Cerca de 300 metros cúbicos de madeira extraída ilegalmente foram apreendidos por militares em Rorainaópolis, no Sul do estado. O material, avaliado em R$ 112 mil, foi encontrado durante fiscalização da "Operação Ágata 11" e foi divulgada nesta quinta-feira (16).

Conforme o Exército, parte da madeira estava sendo extraída e outra estava armazenada sem documentação legal. Os responsáveis pelo material foram notificados e a madeira foi entregue ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). Na terça (14), 43 metros cúbicos de madeira também foram apreendidos em Rorainópolis.

A "Operação Ágata 11" foi iniciada na segunda (13) em Roraima. A ação visa fiscalizar as áreas de fronteira para coibir crimes como o narcotráfico, contrabando e descaminho, tráfico de armas e munições, crimes ambientais, contrabando de veículos, imigração ilegal e garimpo ilegal.

JORNAL DIÁRIO CATARINENSE


Três toneladas de explosivos apreendidos na Operação Ágata


Três toneladas de explosivos que estavam armazenados de forma inadequada no interior de Anchieta, no Oeste do Estado, foram apreendidos durante a Operação Ágata, ação das Forças Armadas com o apoio de outros órgãos de segurança e fiscalização, que iniciou na segunda-feira, na faixa de fronteira do Brasil.
A apreensão dos explosivos foi na quarta-feira. Foram encontradas bananas de TNT, que também é chamada de dinamite, dentro de um caminhão.
De acordo com o general Richard Fernandez Nunes, comandante da 14ª Brigada de Infantaria Motorizada, que reúne as unidades do Exército em Santa Catarina, ocorreram algumas infrações no manuseio, como a não utilização dentro do período autorizado e armazenamento de forma inadequada.
Ele não informou o nome da empresa mas ela atua no ramo de construção de barragens para empreendimentos hidrelétricos. O uso de explosivos é regulado pelo Exército. A empresa responsável pelo produto foi autuada e pode ter seu registro cassado.
O general informou que o Exército está intensificando a fiscalização do uso dos explosivos, pois o descuido na armazenagem representa um risco de acidentes ou até de parar na mão de criminosos. O Exército chegou no produto após um trabalho de inteligência realizado antes da operação Ágata.
Cerca de mil militares estão atuando na faixa de 150 quilômetros de fronteira de Santa Catarina com a Argentina. Ele estão fazendo barreiras, vistoriando veículos e combatendo crimes transnacionais, como tráfico de entorpecentes e descaminho.Nesta semana já houve apreensão de uma carga ilegal de madeira, pequena quantidade de drogas , recuperação de quatro veículos furtados e uma prisão. A operação não tem data para ser concluída.

JORNAL A CRÍTICA (AM)


Operação Ágata 11 apreende cinco veículos irregulares no interior do Amazonas

Quatro motos e um veículo sem documentação foram retidos pelas Forças Armadas em Santa Isabel do Rio Negro. Ação tem o objetivo de combater crimes como narcotráfico e contrabando nas regiões de fronteira

Regis Góes Santa Isabel Do Rio Negro (am)

Em poucos dias, cinco apreensões foram registradas pela Operação Ágata 11, realizada no município de Santa Isabel do Rio Negro (a 720 quilômetros de Manaus). Quatro motocicletas e um carro foram apreendidos por falta de documentação. As abordagens estão sendo realizadas nas principais comunidades e rios da região. O objetivo da operação é combater crimes como narcotráfico e contrabando.
A operação iniciou na segunda-feira (13). Cerca de 60 militares do 3º Batalhão de Infantaria da Selva (BIS) participam da Operação Ágata, prevista para se encerrar no dia 22 de junho.
Segundo informações do município, cinco veículos foram apreendidos por estarem irregulares. “Nós fazemos orientações no trânsito. Sabemos da dificuldade de muitos motoristas para regulamentar os documentos, no entanto, os condutores têm que ter pelo menos a documentação do veiculo. Sem isso é claro que pode haver irregularidade”, disse o comandante da operação, capitão Diego Medeiros.
Forças Armadas
Como a operação se desenvolve ao longo de toda a fronteira terrestre, as tropas contarão com centros montados nos Comandos Militares da Amazônia (CMA), em Manaus (AM); do Oeste (CMO), em Campo Grande (MS); do Norte (CMN), em Belém (PA); e do Sul (CMS), em Porto Alegre (RS).
Nesses locais, atuarão conjuntamente militares da Marinha, do Exército e da Força Aérea Brasileira (FAB). A Marinha empregará, durante toda a Ágata, navios patrulha fluvial e de assistência hospitalar, helicópteros, lanchas, balsas e agências escola flutuantes.
Participam da operação os Distritos Navais das cidades envolvidas, capitanias, agências, delegacias e destacamentos fluviais e grupamento de fuzileiros navais. Já o Exército atuará no período da operação com efetivo de brigadas e batalhões.
Olimpíadas
A Ágata 11 acontece às vésperas dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Em função do evento, o Ministério da Defesa optou por uma mobilização que envolvesse toda a faixa de fronteira terrestre, assim como ocorreu na época da Copa do Mundo de futebol.

JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Aeronáutica diz não ter registro de quem entrou em base aérea em 2012


Gabriel Mascarenhas

A Aeronáutica informou que não possui os registros das pessoas que entraram na Base Aérea de Brasília em 2012, ano e local em que, segundo o delator Sérgio Machado, o presidente interino Michel Temer lhe pediu para "ajudar" na campanha do então candidato do PMDB à Prefeitura de São Paulo, Gabriel Chalita.
Machado, ex-presidente da Transpetro, relatou aos investigadores que, "provavelmente no mês de setembro" daquele ano, encontrou-se com Temer numa sala da Base Aérea da capital, onde o então vice-presidente solicitou recursos para Chalita, hoje filiado ao PDT.
Nesta quarta (15), a Folha solicitou à Aeronáutica as datas em que foram identificadas entradas de Machado na Base Aérea ao longo segundo semestre de 2012 e, em quais dessas ocasiões Temer também esteve no local.
Em e-mail enviado pela assessoria de imprensa, nesta quinta-feira, a Força informou não dispor "dos registros relativos ao ano de 2012".
Sergio Machado firmou acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal. Num dos depoimentos, ele relatou a conversa com o peemedebista e afirmou que se identificou para entrar na área militar.
"O depoente se encontrou com Temer na base militar em Brasília antes de ele embarcar para São Paulo; Que a conversa foi numa sala, reservada; Que o espaço era formado por 2 salas; Que um é o da presidência da República", detalhou Machado.
O ex-presidente da Transpetro contou que atendeu à solicitação de Temer e acertou com a Queiroz Galvão a doação de R$ 1,5 milhão em favor de Chalita.
Ele argumenta que, embora não tenha usado o termo propina durante a conversa e a contribuição tenha sido oficial, "o contexto da conversa deixava claro que o que Michel Temer estava ajustando com o depoente era que este solicitasse recursos ilícitos das empresas que tinham contratos com a Transpetro", diz trecho do depoimento.
Temer,em pronunciamento nesta quinta-feira (16), chamou de "mentirosas" e "criminosas" as acusações feitas pelo delator.

PORTAL CAMPO GRANDE NEWS


Maior aeronave já construída pela Embraer faz testes na Capital

Saiba porque Campo Grande foi escolhida para os testes do cargueiro brasileiro

Guilherme Henri

A maior aeronave já construída pela Embraer, o KC-390, está na Base Aérea de Campo Grande, onde faz uma série de testes como parte do seu processo de certificação para ser entregue à Força Aérea Brasileira e posteriormente colocada à venda. Até o momento, apenas dois modelos do cargueiro já foram fabricados.
Segundo informa a assessoria de comunicação da empresa, Campo Grande foi escolhida para receber a aeronave por oferecer as condições adequadas para esta etapa de testes. É a primeira vez que o cargueiro deixa a fábrica onde foi construída, localizada em São José dos Campos (SP).
O avião deve permanecer na Capital Morena cerca de um mês. Contudo, sua agenda de testes começou no dia 3 de fevereiro do ano passado. A certificação do KC-390 está prevista para o segundo semestre de 2017, com as primeiras entregas no primeiro semestre de 2018.
Nesta quinta-feira (16), a Embraer informou que, por enquanto, não será permitida a aproximação de civis à aeronave. Uma apresentação oficial está prevista para ocorrer a partir da próxima semana, ainda sem data definida.
Ficha Técnica – KC-390

Fabricante  - Embraer S.A.
Envergadura  - 35,05m
Comprimento - 35,20m
Altura - 11,84m
Velocidade máxima de cruzeiro - 470 nós (870km/h)
Altitude máxima - 36.000 pés (11.000 m)
Alcance (c/ 23 toneladas de carga) - 1.380 milhas náuticas (2.556 km)

Transporte tático – Ainda de acordo com as informações da Embraer, o KC-390 é uma aeronave de transporte tático desenvolvida para estabelecer novos padrões na sua categoria, apresentando ao mesmo tempo o menor custo do ciclo de vida do mercado. É capaz de operar em diversas missões, como transporte e lançamento de cargas e tropas, reabastecimento em voo, busca e resgate e combate a incêndios florestais.
Ele é capaz de transportar até 26 toneladas de carga a uma de 870 quilômetros por hora, com capacidade de operar em pistas austeras, inclusive não pavimentadas, ou danificadas. Sua fuselagem é capaz de acomodar cargas de grandes dimensões, com acesso por meio da rampa de carga.
A aeronave ainda pode ser empregada como reabastecedora aérea, utilizando dois tanques internos removíveis, e possui grande flexibilidade, podendo reabastecer tanto helicópteros a baixas altitudes e velocidades, quanto caças de alto desempenho em elevadas altitudes e velocidades.
Em maio de 2014, a Embraer e o Comando da Aeronáutica assinaram contrato para a produção seriada do KC-390, que prevê a aquisição de 28 aeronaves. Além da encomenda da Força Aérea Brasileira, existem intenções de compra de outros países totalizando 32 aeronaves.

AGÊNCIA BRASIL


PF desarticula quadrilha que movimentava R$ 3 bilhões por ano em contrabando


Da Agência Brasil

Uma organização criminosa que atuava em vários estados e movimentava anualmente cerca de R$ 3 bilhões em mercadorias contrabandeadas é alvo de uma operação da Polícia Federal (PF) na manhã de hoje (16).
A Operação Celeno envolve várias equipes que somam 360 policiais. Eles cumprem 138 mandados judiciais, sendo 28 mandados de prisão preventiva, 15 de prisão temporária, 18 de condução coercitiva e 77 de busca e apreensão, nos estados do Paraná, de São Paulo, do Espírito Santo e de Minas Gerais.
As investigações começaram em 2013 e detectaram a existência de quatro grupos criminosos que, quase que diariamente, pousavam e decolavam seus aviões da cidade de Salto Del Guairá, no Paraguai, até pistas clandestinas no interior do estado de São Paulo.
As mercadorias eram então retiradas dos aviões e levadas para entrepostos de armazenamento, de onde eram transportadas por caminhões e outros veículos para os destinatários.
Durante as apurações, os policiais constataram que pelo menos 12 aviões eram usados pelos criminosos, fazendo até dois voos por dia. Cada aeronave levava cerca de 600 quilos de mercadorias, num valor estimado de US$ 500 mil dólares por frete.
Os grupos criminosos, responsáveis pelos fretes, eram contratados por agenciadores baseados em Foz do Iguaçu, no Paraná, e no Paraguai. Além disso, uma dessas organizações comercializava as mercadorias em empresas próprias, estabelecidas em Ribeirão Preto e na capital paulista.
Ao longo das investigações, foram apreendidas quatro aeronaves, sendo uma delas um monomotor, alvejado pela Força Aérea Brasileira – FAB, em outubro de 2015, quando tentava retornar ao Paraguai carregado de mercadorias.
O nome da operação remete à mitologia grega. Celeno é uma harpia – um monstro mitológico – e o nome tem o significado de obscuro ou escuridão.


AGÊNCIA CÂMARA


Relações Exteriores rejeita inclusão do crime de escravidão no Código Penal Militar.

A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados rejeitou proposta que pretendia incluir, no Código Penal Militar (COM – Decreto-Lei 1.001/69), o crime de escravidão.

Carol Siquera

A medida está prevista no Projeto de Lei 3051/15, do deputado Cabo Daciolo (PTdoB-RJ), que prevê pena de três a oito anos de prisão, em regime inicialmente fechado, para quem submeter militares a condição análoga de escravidão.
A intenção da proposta é coibir jornadas exaustivas, condições de trabalho degradantes e restrição do direito de ir e vir dos militares.
O relator, deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP), no entanto, avaliou que a lei penal militar tem ferramentas para coibir excessos cometidos em quartéis e que não há de se falar em escravidão quando há vínculo legal válido entre os militares.
“Como conceber que um militar contratado pelo Estado, com todas as prerrogativas, benefícios e vantagens remuneratórias decorrentes de seu posto ou graduação, possa se encontrar em condição análoga à de escravo?”, questionou.
O relator também explicou que os eventuais excessos cometidos por superiores contra subordinados tem uma lei própria (Lei do Abuso de Autoridade - Lei 4.898/65). “A eventual inclusão do crime de redução à condição análoga de escravo no CPM criaria um conflito de normas”, afirmou.
Tramitação
A proposta ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania antes de ser encaminhada ao Plenário.
OUTRAS MÍDIAS


ONORDESTE (NO)


EXÉRCITO ABRIRÁ 2.650 POÇOS ARTESIANOS NO NORDESTE DO BRASIL

O Comando Militar do Nordeste (CMNE), anunciou nesta quarta-feira (08.06.16), em Recife (PE), que irá construir 2.650 Poços Artesianos na região Nordeste do Brasil, até 2018.
Com isso, não haverá necessidade de enviar Carros-Pipas às COMUNIDADES RURAIS, as quais terão a disposição água pura e saúdavel para uso abundante.
A  medida tem total apoio do Ministro Raul Jungmann, do Ministério da Defesa e Integração Nacional.
“Nós estamos com 40 perfuratrizes aqui, ao longo de todo o programa nós devemos fazer aproximadamente 2.650 poços. Ainda este ano, devemos construir 500 poços, fazendo com que aumente a oferta de água e ao mesmo tempo reduza o custo da Operação Carro-Pipa.” Afirmou Jungmann.
O governo Temmer(PMDB-SP) começa a mudar a realidade do Brasil, destruindo a mentalidade comunista da gestão pública vermelha implantada desde o ano de 2002 pelo ditador LULA e pela comunista guerrilheira Dilma Rousseff, ambos lideranças da esquerda comunista totalitária no Brasil e na América Latina, a frete do PT(Partido Dos Trabalhdores), e ainda, do FORO DE SÃO PAULO, criado por Lula e Fidel Castro de Cuba, para implantar o comunismo nos países Latino-americanos, escravizando o povo para estorquir os Cofres Públicos por meio da CORRUPÇÃO SISTÊMICA INSTITUCIONALIZADA NOS TRÊS PODERES DO BRASIL.
A mentalidade do PT, sempre foi de oferecer ao povo o pior, seguindo a risca a ideologia MARXISTA ” Do quanto pior para o povo, melhor para os políticos”.
O programa de construção de Poços Artesianos terá início em julho de 2016, com investimentos na casa de R$ 16 milhões de reais, oriundos do Ministério da Defesa e Integração Nacional.
Se fosse no governo Dilma/PT, teria um custo de bilhões de reais e nunca sairia do papel.
A proposta do COMANDO MILITAR DO NORDESTE é substituir por POÇOS ARTESIANOS, alguns pontos de Abastecimento ou Cisternas, onde a água é transportada por meio de Carros-Pipas,
Diga-se de passagem que este modelo MEDÍOCRE, DESUMANO E HUMILHANTE, além de ser repugnante, foi implantado pelos petistas e esquerdistas, com reforço do apoio de sua militância comunista perversa e Anti Brasil(Pró Comunismo).
A iniciativa possibilitará uma oferta maior de água para as COMUNISDADE RURAIS atingidas pela estiagem e pela seca.
Com o programa de construção de Poços Artesianos nas COMUNIDADES RURAIS, é certo que a agricultura familiar, a agropecuária e demais culturas do campo agr[icola serão fortalecidas, promovendo a melhoria do Abastecimento no mercado e barateado o custo final dos produtos aos consumidores.
Segundo o ministro Raul Jungmann, os recursos já foram disponibilizados pelo Ministério da Defesa e Integração ao Exército Brasileiro.
Com a conclusão deste projeto até 2018, a redução dos gastos com a Operação Carro-Pipa será de R$ 133 milhões por ano.
Acompanhado do comandante Militar do Nordeste, o general Manoel Luiz Narvaz Pafiadache, o ministro Raul Jungmann seguiu para o município de Poço Redondo, em Sergipe, onde visitou o manancial “Jacaré-Curituba”.
“Me sinto feliz em levar água potável para as famílias e trabalhar com o Exército”, comenta o pipeiro Álvaro Santos, de 29 anos, que recolhe água no manancial e distribui por mês em 44 Pontos de Abastecimentos.
Já na cidade de Queimada (SE), o ministro teve a oportunidade de verificar comunidades atendidas por Cisternas e conversar com moradores, além de inspecionar todo o processo da Operação Carro-Pipa, como contratos e pagamento de pipeiros.
“Esse programa é socialmente importante porque corta na raiz a indústria da seca”, acrescentou Jungmann.

CAPITALDOPANTANAL (MS)


Apa Baía Negra recebe ação social da Operação Ágata neste sábado.

Redação
Centenas de pessoas são esperadas pela Marinha do Brasil, Exército Brasileiro, a Força Aérea Brasileira e Prefeitura de Ladário para a Ação Cívico Social que será realizada no dia 18 de junho, das 9
horas às 16 horas na Apa Baia Negra, próximo as imediações da Pousada LeviTur.
Os atendimentos médicos e hospitalares acontecerão no Navio da Marinha de Assistência Hospitalar Tenente Maximiano e na embarcação do Exército, Forte Coimbra.
Atendimentos médicos, como consultas com pediatras e clínicos gerais, palestras odontológicas, escovação e aplicação de flúor, entrega de medicamentos mediante receitas médicas, bem como palestras sobre orientações de prevenção à doenças sexualmente transmissíveis, aferição de pressão arterial e teste de glicemia, integrarão os serviços clínicos.
Para participar do Aciso o morador precisa estar munido de documentos pessoais. As consultas serão disponibilizadas à toda população ladarense. No intuito de proporcionar comodidade também serão oferecidos translados da cidade até o local do evento.
A operação trabalha em coordenação com órgãos de segurança pública da esfera federal. Órgãos de segurança pública estaduais, municipais e civis também cooperam. A operação faz parte do cumprimento do Plano Estratégico de Fronteiras do Ministério da Defesa e tem como objetivo reduzir as ações do crime organizado e práticas ilícitas nas regiões da faixa de fronteira.
Prefeitura de Ladário disponibiliza transporte aos interessados em participar de Ação Social na Apa Baía Negra
Para facilitar a locomoção dos ladarenses até a Apa Baía Negra durante a Ação Social das Forças Armadas em parceria com a Prefeitura será disponibilizado transporte gratuito.
O objetivo da iniciativa é oferecer conforto para que o público possa participar dos atendimentos médicos e odontológicos que serão realizados no período de 9h00 as 16h00, nas imediações da Posada LeviTur, na Apa Baía Negra.
Para garantir lugar no ônibus é necessário que os interessados estejam nos pontos de espera pelo menos 10 minutos antes do horário estipulado. Os locais de partida e chegada serão:
7h30- Escola Municipal Nelson Mangabeira- Alta Floresta
7h45- Escola Municipal Maria Ana Ruso- PA 72
8H00- Local do Evento
8h30- Coreto- Avenida 14 de março
8h45 Escola Municipal Professor João Baptista
9h00- Escola Municipal Marquês de Tamandaré
9h20- Chegada ao evento

CORREIO DE CORUMBA (MS)


Ações conjuntas da Operação Ágata levam a apreensões que ultrapassam R$ 500 mil

Fonte: Assessoria de Imprensa 6º DN em 16 de Junho de 2016.
No terceiro dia de atividades da Operação Ágata 11 nos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, a cooperação entre militares (da Marinha, Exército e Força Aérea) e órgãos governamentais resultou na apreensão de material com valor aproximado total de 500 mil reais em pontos de bloqueio e patrulhas (foram realizadas mais de 80 patrulhas fluviais, navais, terrestres e reconhecimentos aéreos).
Além do combate aos ilícitos, a Ágata contempla também Ações Cívico-Sociais (ACISO), que consistem em atividades assistenciais como atendimentos médico, odontológico e hospitalar nos locais onde concentram famílias carentes.
Não há previsão de término das ações.

Sobre a Operação Ágata
A Ágata 11 acontece às vésperas dos Jogos Olímpicos - Rio 2016. Em função do evento, o Ministério da Defesa optou por uma mobilização que envolvesse toda a faixa de fronteira terrestre, e em áreas específicas de fronteira fluvial.
A ação conta com a participação de agentes da Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Receita Federal, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (IBAMA), Fundação Nacional do Índio (FUNAI), Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público Militar (MPM), entre outras.

FOLHA MILITAR ONLINE


Aeronáutica prepara estrutura para atender demanda de tráfego aéreo em Parintins (AM)

Movimentos aéreos saltam de cerca de 20 para 300 voos por semana no período do festival
O Festival de Parintins, evento realizado a cerca de 370 km de Manaus (AM), faz os movimentos aéreos do Aeroporto Júlio Belém, na cidade às margens do Rio Amazonas que dá nome ao evento, saltarem de 22 para 300 voos semanais. “Temos uma previsão de 1.263% de acréscimo de movimentos aéreos”, explica o comandante do Destacamento de Controle do Espaço Aéreo Eduardo Gomes (DTCEA-EG), Capitão Carlos Eduardo Azevedo Alvares.
ESTRUTURA 1
Os números estimados para o evento programado para o próximo fim de semana (de 24 a 26 de junho) motivam as medidas da Aeronáutica para a segurança das operações aéreas na região.
O Quarto Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA IV), unidade da Aeronáutica para gerenciar o tráfego aéreo em toda a região Norte do País, preparou uma estrutura para prover os serviços de navegação aérea e controle de tráfego aéreo durante o evento. A operação para atender as demandas do boi bumbá é realizada desde 1995.
A estrutura composta pelo Controle de Área de Terminal (APP) e Torre de Controle (TWR) é ativada pelo CINDACTA IV. O aeródromo passa a ser monitorado e coordenado pelo Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), localizado no Rio de Janeiro (RJ), para que a capacidade de operações previstas não seja ultrapassada.
A montagem e a operação conta com 30 militares somente do CINDACTA IV, entre técnicos de eletrônica, controladores de tráfego aéreo, engenheiros, meteorologistas e especialistas em informações aeronáuticas. “O suporte técnico-operacional é fundamental, uma vez que garante o controle de tráfego aéreo naquele aeródromo, contribuindo para a fluidez e a segurança das operações aéreas durante o evento”, explica o comandante da CINDACTA IV, Coronel Carlos Henrique Afonso Silva.
Treinamento extra
A montagem da estrutura operacional, iniciada na semana passada (08), inclui a instalação de equipamentos de telecomunicações, preparação do ambiente da torre de controle, da sala de informações aeronáuticas e da estação meteorológica de superfície.
Em paralelo ao trabalho da área técnica em Parintins, os controladores de tráfego aéreo que participarão da operação treinam simulações das condições que terão de gerenciar, como procedimentos de emergência utilizando medidas de Serviço de Gerenciamento de Fluxo de Tráfego Aéreo, separação convencional e meteorologia desfavorável.
“O objetivo é que os controladores possam se familiarizar com a circulação aérea da zona de controle de Parintins e estejam devidamente capacitados para lidar com o aumento do fluxo de tráfego aéreo durante o evento”, afirma o Capitão Alvares.
O Grupo Especial de Inspeção em Voo (GEIV) fará a aferição da qualidade dos sinais recebidos pelos auxílios à navegação aérea, assegurando a sua operacionalidade.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented