|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 09/01/2018 / Embraer afirma que eventual acordo com Boeing respeitará interesses de segurança nacional



Embraer afirma que eventual acordo com Boeing respeitará interesses de segurança nacional ...  


A declaração foi feita em resposta a uma consulta da B3 sobre notícia veiculada pelo Estadão / Broadcast informando que a as empresas estariam discutindo maneiras de driblar a resistência do governo brasileiro ao negócio ...  


Fabiana Holtz ...  


A Embraer afirma que uma eventual combinação de negócios com a Boeing, se e quando concretizada, deve preservar, antes de mais nada, "os interesses estratégicos da segurança nacional e respeitar incondicionalmente as restrições decorrentes da ação de classe especial (golden share) constantes do estatuto social da empresa, de titularidade do governo brasileiro".

A declaração foi feita em resposta a uma consulta da B3 sobre notícia veiculada pelo Estadão / Broadcast em 5 de janeiro, informando que a Boeing e Embraer estariam discutindo maneiras de driblar a resistência do governo brasileiro ao negócio e que a empresa norte-americana estaria disposta a pagar US$ 28 por ADR, conforme fontes afirmaram à agência Dow Jones.

Segundo a fabricante de aviões brasileira, não há qualquer intenção de "driblar" a alegada resistência a qualquer transação com a Boeing. No comunicado, a empresa também ressalta que sua administração tomou nota das manifestações públicas do governo brasileiro e seguirá em conformidade com elas em quaisquer futuros entendimentos.

Embraer em números
Apesar da queda de ontem, papel da companhia acumula alta de 25% desde o anúncio da operação com a Boeing.

Em relação ao valor por ADR mencionado na notícia, a Embraer esclarece que não possui neste momento elementos para manifestar-se sobre esse tema, uma vez que "nesta data não há sequer definição sobre a estrutura de uma potencial combinação de negócios". Dado esse cenário, a empresa diz que não lhe cabe especular acerca dos critérios de avaliação adotados pela Boeing.



Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Desorientação do piloto é principal hipótese da PF para morte de Teori


Rubens Valente Publicada Em 09/01/2018 - 02h01

A Polícia Federal trabalha com a hipótese de desorientação espacial do piloto como principal explicação para a queda do avião King Air que matou o ministro do STF Teori Zavascki em 2017.
Ele não teria percebido, sob chuva intensa e visibilidade baixa, que o avião estava perto demais da água, onde bateu com a ponta de uma das asas.
A Folha apurou que as perícias da PF já descartaram, além de sabotagem no interior do avião como explosões ou incêndio interno, também algum problema no motor ou intoxicação do piloto Osmar Rodrigues, 56, que não havia tomado bebida alcoólica, drogas ou medicamentos controlados antes do voo.
Além do ministro e do piloto, também morreram na queda, ocorrida em 19 de janeiro passado perto do aeródromo de Paraty (RJ), o dono do avião e empresário Carlos Alberto Fernandes Filgueiras, 69, a massoterapeuta Maíra Panas, 23, e sua mãe, Maria Hilda Panas Helatczuk, 55.
Exames foram realizados no corpo do piloto para saber se ele havia ingerido alguma substância que pudesse comprometer sua capacidade de trabalho ao causar, por exemplo, sonolência. Essa hipótese incluía supostos envenenamento criminoso e presença de compostos químicos dentro do avião, os quais ele teria inalado involuntariamente. As duas suposições não foram confirmadas.
Descartados supostos prejuízos à condição física do piloto, os investigadores cada vez mais se aproximam da mesma hipótese com a qual já trabalha o Cenipa, centro de investigação e prevenção da Aeronáutica, que faz um trabalho paralelo mas com objetivo diverso do da PF.
O inquérito policial é presidido pelo delegado Rubens Maleiner, que também é piloto e trabalhou em outras investigações sobre acidentes aéreos, e acompanhado pelo procurador da República Igor Miranda.
O inquérito procura apontar eventuais responsáveis, ainda que culposos, ou seja, que não tenham tido a intenção de causar a queda. A Aeronáutica se preocupa em apontar "fatores contribuintes" a fim de prevenir futuros acidentes.
A PF e o Cenipa trabalham com indicações de que o avião não teve problemas mecânicos, mas ainda serão concluídos alguns exames em peças da aeronave.
Diferentemente do que se sabia até então, a PF descobriu que o piloto estava prestes a abortar a segunda tentativa de pouso. Até então, dizia-se que o avião havia arremetido apenas uma vez e caído quando se preparava para pousar.
A PF chegou a essa conclusão porque o gravador do avião registrou o trem do pouso do avião sendo recolhido na segunda tentativa de pouso.
SEM SUSPEITOS
Ao longo do inquérito a PF realizou 18 perícias criminais federais e ouviu cerca de 40 pessoas. Com uma parte das testemunhas a PF procurou saber que pessoas haviam tido acesso à informação de que Teori embarcaria naquele voo. Essa linha investigativa também foi abandonada porque ninguém foi considerado suspeito.
Nenhum um político investigado na Lava Jato e que estaria descontente com Teori, por exemplo, soube do voo antes do acidente.
A PF também procura estabelecer as condições psicológicas do piloto no momento da queda. Dois aspectos foram destacados. O primeiro é um possível "excesso de confiança" do piloto, que de fato era muito experiente em pousos na região e exercia a profissão havia cerca de 30 anos.
Um investigador disse, porém, que, quando se tem muita confiança, geralmente se vai no limite da máquina e das condições externas e que todos os pilotos cometem um erro ao longo da vida -o problema é o momento do erro.
Um segundo aspecto são as circunstâncias particulares daquele voo, o transporte de um ministro do STF relator da Operação Lava Jato.
O peso político do passageiro pode ter exercido uma pressão psicológica sobre o piloto para que ele cumprisse a viagem ainda que sob chuva, de modo a não causar um aborrecimento ao ministro e ao dono do avião, em vez de cancelá-la devido às más condições do tempo. O aeródromo de Paraty não possuía instrumentos para auxiliar o piloto, restando o voo visual como única opção.
A Folha tentou localizar familiares do piloto, mas não conseguiu contato.

Nova ministra passou virada do ano em hotel da FAB em Fernando de Noronha


De São Paulo, De Brasília Publicada Em 08/01/18 - 23h21

 A nova ministra do Trabalho, Cristiane Brasil, passou a virada do ano em um hotel de trânsito da FAB (Força Aérea Brasileira) em Fernando de Noronha, considerado uma das melhores hospedagens da ilha pernambucana.
Para ficar no local, que já hospedou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em 1997, a deputada federal fez uma solicitação ao Comando da Aeronáutica, que atendeu prontamente ao pedido por haver vagas disponíveis.
Na época, ela ainda não havia sido convidada para assumir o cargo, o que ocorreu apenas no final da viagem. Segundo a Folha apurou, as diárias da hospedagem militar são inferiores a de outros hotéis e pousadas da ilha.
Procurada pela Folha, contudo, a FAB se recusou a informar os valores. A nova ministra disse que a hospedagem foi "lícita" e que pagou pelo período que ficou no hotel.
Segundo a FAB, apesar de ter ficado hospedada no hotel de trânsito, a ministra se deslocou em voo comercial e não utilizou aeronave oficial no deslocamento para a ilha.
Na época da viagem, Cristiane colocou fotos nas redes sociais acompanhada de um grupo de amigas.
O hotel, chamado de casarão, é conhecido pelo conforto e pela privacidade. O imóvel fica em um ponto privilegiado, com visão de praticamente todo o arquipélago.
Para a visita de FHC, o Comando da Aeronáutica chegou a gastar pelo menos R$ 6 mil com reparos no hotel, que serviu de cenário para a minissérie "Riacho Doce", da Rede Globo.
NOTA OFICIAL DO CECOMSAER A RESPEITO DE HOSPEDAGENS EM FERNANDO DE NORONHA 
Com relação a demandas recentes sobre hospedagens em instalações do Comando da Aeronáutica localizadas no arquipélago de Fernando de Noronha, no estado de Pernambuco, o Centro de Comunicação da Aeronáutica esclarece que:
- A casa em questão é uma propriedade administrada pelo Comando da Aeronáutica, que abrigará ainda este ano uma Estação Meteorológica de Altitude . O imóvel tem disponibilidade para hospedagem de militares, autoridades e personalidades civis, desde que haja disponibilidade de vagas e que seja feita a devida indenização;
- Os recursos arrecadados com as hospedagens são utilizados para a manutenção do referido imóvel;
- No caso da hospedagem recente da deputada Cristiane Brasil, tudo transcorreu dentro dos trâmites legais previstos, ou seja, havia disponibilidade de vaga, a parlamentar indenizou a sua permanência na casa por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU) e realizou a sua viagem em voos comerciais.

CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA AERONÁUTICA

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


Embraer afirma que eventual acordo com Boeing respeitará ´interesses de segurança nacional´

A declaração foi feita em resposta a uma consulta da B3 sobre notícia veiculada pelo Estadão/Broadcast informando que a as empresas estariam discutindo maneiras de driblar a resistência do governo brasileiro ao negócio

Fabiana Holtz, Broadcast Publicada Em 08/01/18 - 09h50

A Embraer afirma que uma eventual combinação de negócios com a Boeing, se e quando concretizada, deve preservar, antes de mais nada, "os interesses estratégicos da segurança nacional e respeitar incondicionalmente as restrições decorrentes da ação de classe especial (golden share) constantes do estatuto social da empresa, de titularidade do governo brasileiro".
A declaração foi feita em resposta a uma consulta da B3 sobre notícia veiculada pelo Estadão/Broadcast em 5 de janeiro, informando que a Boeing e Embraer estariam discutindo maneiras de driblar a resistência do governo brasileiro ao negócio e que a empresa norte-americana estaria disposta a pagar US$ 28 por ADR, conforme fontes afirmaram à agência Dow Jones.
Segundo a fabricante de aviões brasileira, não há qualquer intenção de "driblar" alegada resistência a qualquer transação com a Boeing. No comunicado, a empresa também ressalta que sua administração tomou nota das manifestações públicas do governo brasileiro e seguirá em conformidade com elas em quaisquer futuros entendimentos.
Embraer em números
Apesar da queda de ontem, papel da companhia acumula alta de 25% desde o anúncio da operação com a Boeing
Em relação ao valor por ADR mencionado na notícia, a Embraer esclarece que não possui neste momento elementos para manifestar-se sobre esse tema, uma vez que "nesta data não há sequer definição sobre a estrutura de uma potencial combinação de negócios". Dado esse cenário, a empresa diz que não lhe cabe especular acerca dos critérios de avaliação adotados pela Boeing.

‘País deveria manter o controle da Embraer’, diz economista

Para professor de Cambridge, Brasil pode perder capacidade tecnológica com venda da empresa para Boeing

Luciana Dyniewicz Publicada Em 09/01/2018 - 05h00

Entrevista com Ha-Joon Chang
O economista coreano Ha-Joon Chang, tornou-se famoso globalmente por seu livro Chutando a Escada, em que defende que países ricos já adotaram medidas protecionistas e agora tentam impedir os emergentes de fazerem o mesmo. Professor da Universidade de Cambridge, Chang diz que o Brasil perderá capacidade tecnológica se a Embraer for vendida para a Boeing e vê falhas no modelo de protecionismo que já foi adotado no País por não ter implementado garantias de aumento de produtividade. A seguir trechos da entrevista concedida ao Estado em São Paulo, onde ele está para participar de palestras na escola de economia da FGV e na PUC.
A ex-presidente Dilma Rousseff adotou medidas protecionistas para algumas indústrias, como o IPI (Imposto sobre Produto Industrializado) no setor automotivo. O que deu errado?
Várias coisas precisam ser feitas para a proteção funcionar. Só proteger não é suficiente. É como mandar uma criança para a escola: se ela não vai à escola e começa a trabalhar aos 6 anos, não se tornará uma pessoa produtiva como um engenheiro. Mas mandá-la à escola não será suficiente, tem de se certificar de que ela estuda. Um dos problemas daqui, não falando apenas do período Dilma, foi não adotar medidas para garantir que a proteção estava aumentando a produtividade. Na Coreia, se as indústrias protegidas não melhoravam a performance, a proteção era retirada. Outro problema no Brasil são as políticas macroeconômicas, como de juros altos e câmbio valorizado. Quando se tem uma taxa de juros de 10%, quem vai pegar crédito para expandir seu negócio? No Brasil, a política econômica não ajudou os investimentos e então o BNDES tinha de fazer empréstimos especiais. Em um ambiente favorável, um banco de desenvolvimento precisa financiar apenas alguns setores. No Brasil, virou a fonte de financiamento geral.
Agora temos um governo mais liberal: o BNDES restringiu os empréstimos e uma reforma trabalhista foi feita para aumentar a produtividade.
Basicamente, governos liberais enfraquecem os direitos dos trabalhadores para reduzir os custos trabalhistas. Na Alemanha, trabalhadores recebem US$ 40 por hora porque a tecnologia justifica esse salário. No curto prazo, relaxar a regulamentação trabalhista pode ter impacto positivo para as corporações. No longo prazo, você não vai conseguir competir com empresas da Alemanha. O que determina o sucesso é a tecnologia e a produtividade, não o custo com salário.
Os ex-presidentes Dilma e Lula tentaram criar empresas ‘campeãs nacionais’ com financiamento do BNDES, em um modelo similar ao dos ‘chaebols’ coreanos (companhias de controle familiar como Samsung). Aqui, essa política não teve muito sucesso no desenvolvimento do País...
É preciso muitas coisas para que o modelo dê certo: as políticas econômicas têm de ser corretas, tem de dar suporte à infraestrutura, à pesquisa, à educação e também proteger essa companhia. Também é preciso ter certeza de que ela não abusa da proteção, com punições, por exemplo, se ela não atingir a meta. Levam-se décadas para que essas empresas cresçam.
O ponto criticado aqui é que o governo escolheu apenas algumas companhias. Elas cresceram, mas com muita corrupção.
Não sei os detalhes disso. Corrupção é sempre um perigo. Por outro lado, se você não direciona essa política a um pequeno número de empresas, é improvável que tenha campeãs. É um conflito de escolhas. Se pode ter uma política mais geral, o que não deve criar muita corrupção, mas acaba espalhando demais os recursos. Para ter sucesso, é preciso concentrar recursos, mas aumenta o perigo de corrupção.
O sr. afirma que é importante para um país ter empresas com alto nível de tecnologia. O Brasil tem hoje a Embraer, que está negociando um acordo com a Boeing. Como o sr. vê isso?
Acho que se deveria tentar manter (o controle da empresa). A Boeing vai tornar a Embraer uma segunda marca, para coisas simples, levar as tecnologias importantes (da Embraer) para os Estados Unidos.
O que o País pode perder com esse negócio?
A habilidade de gerar sua própria tecnologia. Pessoas dizem que empresas nacionais não são mais importantes. Não é verdade. Quando uma empresa alemã compra uma americana, os alemães ficam com a gerência e passam a fazer os trabalhos de desenvolvimento mais importantes na Alemanha. É por isso que compram, para controlar. Não digo que nunca se deve vender as companhias líderes para estrangeiras, algumas vezes é necessário, mas é preciso ter cuidado. A Embraer é a única companhia que compete com Boeing e Airbus, apesar de ser menor. Se for vendida, é muito importante garantir que o Brasil mantenha a capacidade tecnológica.
O Mercosul e a União Europeia estão negociando um acordo de livre comércio. O Brasil pode ganhar com isso?
Se o Brasil assinar um acordo assim com a Europa, vai aumentar a dependência do País de commodities. Provavelmente, no curto prazo, poderá se beneficiar exportando mais soja. No longo prazo, você coloca o País na direção errada.

PORTAL UOL


Bandidos atiram em policiais que tentavam resgatar corpos em Natal


Ricardo Araújo, Agência Estado Publicada Em 08/01/18 - 18h03

A interminável disputa pela liderança do tráfico de drogas entre bandidos de facções criminosas rivais na zona de oeste de Natal culminou na morte de dois homens neste domingo, 7. As vítimas foram assassinadas em uma região de dunas entre os bairros de Bom Pastor e Felipe Camarão, uma das mais violentas da cidade. Peritos criminais e policiais civis que foram aos locais dos crimes não conseguiram realizar os procedimentos, pois foram recebidos a tiros de arma de fogo pelos bandidos que dominam o tráfico de entorpecentes na região e foi preciso pedir apoio de Tropas Federais.
Somente na manhã desta segunda-feira, 8, quase um dia após os homicídios, conforme relatos de moradores da região onde os corpos foram vistos, os agentes da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) retornaram à região das dunas com apoio de 12 militares das Tropas Federais.
Os corpos, porém, ainda não tinham sido localizados até a tarde desta segunda-feira. O helicóptero do Exército Brasileiro também ajudou nas buscas, mas não conseguiu identificar os corpos entre as dunas ou no meio da mata que cerca a área.
De acordo com o delegado Marcos Vinícius dos Santos, da Divisão de Homicídios, as informações que foram repassadas aos policiais civis e aos militares das Tropas Federais é de que os homens mortos tinham envolvimento com drogas e os familiares desconfiam que eles deviam aos traficantes.
"A informação que recebemos foi a de que eles foram mortos a tiros e enterrados com a cabeça para fora da areia. Mas nós não conseguimos localizar os corpos", declarou.
Acompanhados das Tropas Federais, os agentes de Polícia Civil e do Instituto Técnico de Perícia (Itep/RN) continuam procurando os corpos. Os homens mortos têm, segundo relatos de familiares, entre 25 anos e 30 anos.
Paralisação
Desde o dia 19 de dezembro, policiais civis e militares fazem uma operação denominada "padrão". Reclamando o pagamento dos salários atrasados - dezembro e décimo terceiro -, os agentes de segurança pública reduziram o efetivo ao mínimo possível. O Estado não divulgou o cronograma para quitação de tais dívidas, e a paralisação continua.
No dia 23 de dezembro, militares das Tropas Federais chegaram a Natal após pedido formulado ao ministro da Defesa, Raul Jungmann. Até a próxima sexta-feira, 12, o policiamento ostensivo no Estado está garantido.

Governador do RN diz que ato de polícias é político e pede manutenção de tropas federais


Carlos Madeiro Publicada Em 08/01/18 - 21h24

Em sua primeira entrevista desde o início da paralisação das polícias Civil e Militar, o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), afirmou, na tarde desta segunda-feira (8), que o protesto dos policiais tem cunho político e disse que não falta estrutura para trabalho na segurança pública. Além disso, ele adiantou que já pediu ao presidente Michel Temer a manutenção das tropas federais até que o movimento acabe.
Os policiais estão com atividades parcialmente paradas desde o dia 19 de dezembro em protesto contra o atraso salarial e melhores condições de trabalho.
"Essa questão de dizer que é falta de condição, isso não existe! Nunca houve um governo que deu tantas condições como o nosso. Aumentamos a quantidade de carros e motos, investimos em tecnologia, então isso é uma desculpa, um pano de fundo para dizer que não estão em greve. Está na hora de falarmos a verdade. Eu estive calado, mas agora o governador vai dialogar ponto por ponto com a população", disse.
O governador afirmou que pretende pagar os salários dos policiais apenas com a confirmação da volta ao trabalho. "Temos uma proposta para pagar dezembro até o dia 12 a todas as polícias, mas com a exigência de acabar a greve", pontuou.
Faria afirmou que está trabalhando para buscar saídas para o caos financeiro do Estado, que ainda deve as folhas de dezembro e 13º a todos os servidores.
"Eu estou tentando encontrar caminhos do ponto de vista financeiro. A minha preocupação é a população. A Polícia tem o direito sagrado do salário, mas a população também tem o direito sagrado de ser protegida. O apelo que faço é que com o pagamento que vou fazer a greve acabe. Ela tem, por trás dela, um pouco de um componente político que eu não concordo. Temos que pensar no cidadão", disse.
O governador ainda disse que está "sendo hoje injustiçado, pagando o preço por essa greve." "Eu fui o governador que deu aumento de 32% à PM, que ganha quase o dobro da Paraíba; que deu o maior número de promoções da história. Temos um dos melhores salários do país", afirmou.
Robinson Faria disse que há um interesse em manter a presença das Forças Armadas no Estado enquanto durar a paralisação dos policiais. "Tivemos uma reunião com o presidente Temer no fim de semana, e ele disse que iria diligenciar para renovar até que a greve seja suspensa", afirmou.
Hoje, o Rio Grande do Norte conta com 2.800 homens das Forças Armadas e Nacional de Segurança Pública. O prazo inicial para presença das forças é até o dia 12 de janeiro.

REVISTA VEJA


Cristiane Brasil passou o réveillon em hotel da FAB

FAB comunicou, porém, que deputada viajou até a ilha por contra própria

Por O Globo Publicada Em 09/01/2018 - 00h33

A deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ), indicada para o Ministério do Trabalho, se hospedou no hotel da FAB (Força Aérea Brasileira), na ilha de Fernando de Noronha (PE), durante o réveillon. A notícia foi divulgada pelo portal “Metrópoles” e confirmada pelo GLOBO com a FAB. O local, mantido com verba pública, é reservado a autoridades como o presidente de República e militares.
Por meio de nota, a FAB informou que Cristiane Brasil enviou solicitação ao Comando da Aeronáutica sobre a possibilidade de hospedagem no hotel de Trânsito de Fernando de Noronha e que “o pedido foi atendido, pois havia disponibilidade de vaga”. Comunicou, porém, que ela viajou até a ilha por contra própria.
A assessoria de imprensa do Palácio do Planalto afirmou que o presidente Michel Temer “não tinha conhecimento e nem autorizou nada a quem quer que seja” e que a FAB era a responsável pelo assunto.
NOTA OFICIAL DO CECOMSAER A RESPEITO DE HOSPEDAGENS EM FERNANDO DE NORONHA
Com relação a demandas recentes sobre hospedagens em instalações do Comando da Aeronáutica localizadas no arquipélago de Fernando de Noronha, no estado de Pernambuco, o Centro de Comunicação da Aeronáutica esclarece que:
- A casa em questão é uma propriedade administrada pelo Comando da Aeronáutica, que abrigará ainda este ano uma Estação Meteorológica de Altitude . O imóvel tem disponibilidade para hospedagem de militares, autoridades e personalidades civis, desde que haja disponibilidade de vagas e que seja feita a devida indenização;
- Os recursos arrecadados com as hospedagens são utilizados para a manutenção do referido imóvel;
- No caso da hospedagem recente da deputada Cristiane Brasil, tudo transcorreu dentro dos trâmites legais previstos, ou seja, havia disponibilidade de vaga, a parlamentar indenizou a sua permanência na casa por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU) e realizou a sua viagem em voos comerciais.

CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA AERONÁUTICA

PORTAL G-1


Embraer reafirma que vai respeitar interesse nacional em possível fusão com a Boeing

Comunicado ao mercado foi divulgado nesta segunda-feira (8). Americana Boeing e a Embraer negociam parceria.

Por G1 Vale Do Paraíba E Região Publicada Em 08/01/2018 - 13h41

Em comunicado aberto ao mercado sobre notícias veiculadas na imprensa, a Embraer reafirmou que em uma eventual parceria com a norte-americana Boeing serão respeitados os interesses de segurança nacional. "Não há qualquer intenção da Embraer de ‘driblar’ alegada resistência a qualquer transação" - o governo brasileiro, que tem que dar aval ao negócio, afirmou ser contra eventual transferência do controle acionário da Embraer.
O documento, divulgado nesta segunda-feira (8), é uma resposta à B3 (bolsa de valores), que questionou a Embraer sobre reportagens em veículos de imprensa que citavam a intenção da Boeing de incluir a divisão militar da Embraer na parceria.
O comunicado é assinado por José Antonio de Almeida Filippo, vice-presidente executivo Financeiro e de Relações com Investidores da Embraer.
"A administração da Embraer tomou, como sempre tem feito, boa nota das manifestações públicas do Governo Brasileiro e seguirá em conformidade com elas em quaisquer futuros entendimentos", diz trecho do documento.
A resposta desta segunda é a mesma que a Embraer deu, na última semana, à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).
Sobre a especulação de valor das ações no mercado norte-americano (ADR), cujas notícia chegou a dar conta que a Boeing estaria disposta a pagar US$ 28 por ADR, a Embraer diz não ter elementos para se manifestar sobre o tema. "Nesta data não há sequer definição sobre a estrutura de uma potencial combinação de negócios. Dados esse cenário, não cabe à Embraer especular acerta dos critérios de avaliação adotados pela Boeing", disse a companhia brasileira.
O documento termina com a informação de que os acionistas e o mercado serão mantidos informados à medida que o assunto evolua.

REVISTA SUPER INTERESSANTE


Beber e pilotar drone deve virar crime em breve nos EUA

Nova Jersey está em processo de aprovação de lei — com projetos similares em 38 outros estados

Lucas Baranyi Publicada Em 08/01/18 - 13h12

Era uma madrugada chuvosa em janeiro de 2015. Um funcionário de uma agência de inteligência do governo norte-americano decidiu aproveitar sua folga com uma ideia curiosa (para dizer o mínimo): encher a cara junto com um amigo e pilotar um drone de 60 cm x 60 cm. Minutos depois da decolagem, o piloto embriagado perdeu o controle da máquina, que caiu nos arredores da Casa Branca.
O incidente não gerou grandes problemas para o bêbado atrapalhado, mas se a artimanha tivesse acontecido três anos depois, em janeiro de 2018, as consequências poderiam ser bem desagradáveis: uma nova lei, já aprovada pelos senadores estaduais (mas que ainda precisa ser votada pela assembleia), prevê uma multa de US$ 1 mil e até seis meses de prisão por pilotar um drone sob o efeito de drogas.
Nova Jersey, porém, não é o único estado preocupado com seus céus – e, consequentemente, a cabeça de seus moradores. Pelo menos 38 estados norte-americanos estão considerando restrições para drones, e todas devem ser votadas ainda em 2018. A preocupação vai além do incidente ocorrido na Casa Branca, que incomoda muito mais as agências de segurança do governo do que cidadãos comuns: em 2017, a venda dos robôs voadores nos Estados Unidos atingiu, pela primeira vez na história, US$ 1 bilhão.
Nove estados já proíbem que drones sobrevoem prisões – Arizona, Louisiana, Nevada, Carolina do Norte, Oregon, Dakota do Sul, Tennessee, Texas e Wisconsin.
No Brasil
Em maio de 2017, depois de alguns anos em deliberação, a ANAC aprovou um regulamento liberando oficialmente o uso de drones no Brasil – até então eles não eram proibidos e tampouco totalmente liberados.
Para ter um drone no Brasil é preciso ter mais de 18 anos e, em caso de máquinas que possam voar acima de 121 metros ou que pesem mais de 25 kg, também se faz necessária uma habilitação específica – mas, como quase 100% das aplicações comerciais dos robôs no país está abaixo disso, a legislação é considerada extremamente flexível.
Equipamentos que pesem mais de 250 gramas e menos de 25 kg precisam ser cadastrados no site da ANAC, enquanto drones com menos de 250 g podem voar sem nenhuma restrição.
Mas, ainda que não exista nenhum tipo de punição ou regulamentação brasileira sobre beber e dronar, aconselhamos, em nome do bom-senso (e de nossa própria segurança), que você evite este tipo de aventura.

JORNAL DIÁRIO DO NORDESTE


PF: avião de Teori não foi sabotado


Publicada Em 09/01/2018 - 00h00

Brasília. O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, vai se encontrar com a ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal, às 10h30 (9h30 em Fortaleza) de amanhã para tratar do andamento da investigação sobre o acidente aéreo que matou o ministro Teori Zavascki e outras quatro pessoas, em janeiro de 2017. Segovia vai compartilhar detalhes da apuração com a ministra.
Embora não tenha concluído a investigação, a PF descartou a ocorrência de sabotagem. De acordo com as investigações, não foram encontrados vestígios de qualquer falha que pudesse ter sido evitada antes da decolagem da aeronave.
Também não foi possível encontrar nenhum vestígio de explosivos ou produtos químicos que pudessem causar incêndio dentro do avião.
O resultado da investigação da PF foi antecipado pela "Folha de S.Paulo".
Desde o dia da queda, os motivos do acidente são investigados pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes da Aeronáutica (Cenipa) e pela PF de Angra dos Reis.
Exames
Além de periciar destroços da aeronave e gravações das conversas entre piloto e torre de controle, o inquérito realizou exames nos corpos do piloto, do ministro do STF e das outras vítimas para descartar qualquer tipo de anormalidade que possa ter causado o acidente aéreo.
A aeronave prefixo PR-SOM, modelo Hawker Beechcraft King Air C90, decolou às 13h01 do Campo de Marte, em São Paulo, e a Marinha foi informada da queda às 13h45.
O avião caiu perto da Ilha Rasa, em Paraty (RJ), a 2 km da cabeceira da pista do aeroporto onde pousaria.
Além do ministro Teori, morreram no acidente o empresário Carlos Alberto Filgueiras, dono da avião, o piloto Osmar Rodrigues, a massoterapeuta Maíra Panas e sua mãe, Maria Hilda Panas Helatczuk.

PORTAL JANES (Inglaterra)


Brazil launch opportunity at Alcantara intrigues US companies


Pat Host - Jane’s Defence Weekly

Key Points
  • Brazil is courting US companies to launch from its Alcantara launch site in northeast Brazil
  • The equatorial location is enticing, but regulatory and logistical hurdles are large
Brazil’s welcoming climate for small satellites and a prime equatorial launch location is intriguing US space companies.
The Brazilian military is actively courting companies to launch out of its Alcantara Launch Center (ALC), located in the country’s northeast region on the Atlantic Ocean, just south of the equator. A number of companies went to Brazil on an industry delegation in December. Vector Space Systems, Microcosm Inc, Lockheed Martin, and Boeing all confirmed to Jane’s their participation on the trip.

JORNAL TRIBUNA DO NORTE (RN)


Robinson solicita que Forças Armadas fiquem no RN até fim das paralisações


Publicada Em 08/01/2018 - 14h08

O Governador Robinson Faria solicitou ao presidente da república Michel Temer, a prorrogação da Operação Potiguar III, em vigor desde o último dia 29 de dezembro. A solicitação foi feita por telefone neste fim de semana e o chefe do executivo nacional teria acenado positivamente para o pedido do governador potiguar.
"Conseguimos as Forças Armadas, falei, por telefone, com o presidente Michel Temer neste final de semana e ele me disse que diligenciaria um pedido para renovar a permanência das Forças Armadas até que a greve dos policiais seja suspensa", disse o Governador Robinson Faria.
A prorrogação para que as Forças Armadas continuem no Rio Grande do Norte seria até que os policiais militares cessem as manifestações na chamada Operação Padrão, a qual os oficiais estão aquartelados e só saem às ruas com os materiais adequados para o trabalho. A Operação Potiguar III tem previsão de encerramento para o próximo dia 12.
Paralisação
Nesta segunda-feira (08) os policiais e bombeiros militares do Rio Grande do Norte completaram três semanas de paralisação das atividades, na chamada Operação Padrão. A reivindicação da categoria é por pelo menos dois meses de salários atrasados, sendo dezembro e o 13º.
Calamidade pública
No último sábado (06), o Governo do Estado decretou calamidade na segurança pública. O texto diz que o motivo é a paralisação dos policiais civis e militares, além do aumento da violência. O decreto tem prazo de 180 dias e autoriza a adoção e execução de medidas emergenciais para restabelecer a normalidade no quadro da segurança no RN.
OUTRAS MÍDIAS


PORTAL EDITAL CONCURSOS BRASIL - Aeronáutica 2018: abertas inscrições em 183 vagas para sargento

Certame recebe inscrições na carreira que exige formação em nível médio/técnico, com iniciais de até R$3 mil. Provas previstas para abril

Redação Ecb Publicada Em 08/01/18 - 14h10

Estão abertas as inscrições para o Estágio de Adaptação à Graduação de Sargento (EAGS) da Aeronáutica. A Força Aérea Brasileira (FAB) lançou as instruções específicas para o processo e abriu, para esta segunda-feira (08), as inscrições que seguem até o dia 06 de fevereiro. Ao todo, são 183 oportunidades para sargento de níveis médio e técnico.
As vagas são distribuídas entre as especialidades de Radiologia, Administração, Laboratório, Enfermagem, Topografia, Eletricidade, Obras, Eletrônica, Informática e Pavimentação. Candidatos de ambos os sexos deverão atender, também, requisitos de idade (entre 17 e 25 anos) e conclusão da escolaridade exigida.
Os candidatos serão selecionados por meio de provas escritas de Conhecimentos Específicos e Língua Portuguesa; exame de aptidão psicológica; inspeção de saúde; teste de avaliação do condicionamento físico; prova prática e validação documental. As provas escritas estão previstas para o dia 22 de abril.
Ao ser aprovado em todas as etapas do processo, o candidato selecionado pela Junta Especial de Avaliação (JEA) deverá executar sua apresentação perante a Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), no dia 13 de janeiro do próximo ano, na cidade paulista de Guaratinguetá. Com isso, será matriculado no curso de formação com duração de 12 meses.
Após a conclusão do estágio, o próximo passo é a promoção do aluno à graduação de terceiro-sargento, com distribuição nas organizações do Comando da Aeronáutica localizadas em todo o Brasil, seguindo a demanda da corporação. A remuneração inicial prevista é a partir de R$3 mil. Maiores informações podem ser vistas em edital, acessível pelo link: https://goo.gl/AHPnRu

PORTAL TELESÍNTESE (SP) - Internet para Todos: empresas já podem se credenciar

As empresas interessadas devem enviar solicitação à Secretaria de Telecomunicações do MCTIC

Da Redação Publicada Em 08/01/18

Já está aberto o credenciamento para o programa Internet para Todos. As empresas interessadas devem encaminhar à Secretaria de Telecomunicações do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) um documento com a solicitação.
As conexões do programa Internet para Todos serão feitas por meio do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), em órbita desde maio de 2017 e com previsão de 18 anos de vida útil.
“Em qualquer momento a empresa interessada pode mandar um ofício para entrar no programa. Em princípio, a Telebras, parceira do programa, deve apresentar seu credenciamento para que a gente já possa começar a atender essas localidades, mas qualquer outra empresa pode se credenciar”, explicou o diretor de Inclusão Digital do MCTIC, Américo Bernardes.
Além do Imposto Sobre Serviços (ISS), as operações serão isentas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e contarão com infraestrutura local. Bernardes esclarece que o Internet para Todos não oferecerá o serviço gratuito, mas a preços reduzidos.
“Muitas vezes a empresa tem um ônus grande para manter essa infraestrutura. Então, a empresa que atender essas localidades, por ter essas garantias e isenções, pode oferecer um produto com um preço menor”, avaliou.
De acordo com a Portaria nº 7.437/2017, da Setel do MCTIC, a empresa deve indicar a localidade de interesse, demonstrar capacidade para atendê-la e apresentar proposta de atendimento indicando velocidades, cronograma, estimativa de preço, tecnologia e serviço a ser ofertado, além de comprovar que atende aos requisitos previstos pela Anatel para a prestação do Serviço de Comunicação Multimídia.
“Queremos garantir que as pessoas que moram nessas localidades tenham condições de contratar um plano de acesso à internet. Hoje isso não existe, mesmo que ela queira. Uma boa parte da população tem telefone celular ou smartphone, mas não consegue usar”, afirmou.
Caberá ao município selecionar um terreno na localidade indicada para a instalação de uma antena pela empresa de internet credenciada para prestar o serviço. Além de garantir a segurança desse terreno, a prefeitura também deverá arcar com as despesas de energia elétrica que essa antena vai consumir. (Assessoria de Imprensa)

JORNAL DA MÍDIA (BA) - Grupamento Aéreo promove encontro em Salvador para operadores de drones


Publicada Em 08/01/18

Policiais e pessoas que trabalham, manuseiam ou admiram drones podem aproveitar a oportunidade para participar do IV Encontro com Operadores de Drone, promovido pelo Grupamento Aéreo (Graer) da Polícia Militar, na manhã do dia 26 de janeiro, no Centro de Operações e Inteligência da Secretaria da Segurança Pública.
Instrutores do Graer, juntamente com integrantes das polícias Civil e Federal, da Força Áerea Brasileira e da Anatel, irão esclarecer, dentre outras coisas, as funcionalidades, os cuidados e os riscos da tecnologia áerea.
Também neste evento, o Segundo Serviço Regional de Investigaçao e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa II) fará uma reunião com o objetivo de harmonizar os procedimentos entre os pilotos de aeronaves tripuladas e não tripuladas, para voos durante o Carnaval de Salvador 2018.
Entre os itens abordados pelo Seripa II estão os prazos e canais de cadastramento das aeronaves, altitudes de segurança e sentidos de circulação do tráfego aéreo em evolução na área do evento.
“A utilização de drones tem crescido exponencialmente, porém é necessário que os pilotos saibam sobre as regras para uso. É uma grande oportunidade também para troca de informações”, declarou o comandante do Graer, tenente-coronel Renato Lima.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented