|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 29/11/2017 / Mercedes-Benz planeja mais entregas com drone após 100 voos perfeitos



Mercedes-Benz planeja mais entregas com drone após 100 voos perfeitos ...  


A Mercedes informou que, entre café moído e celulares, já realizou 100 entregas usando drones na Suíça ...  


Elisabeth Behrmann ...  


A Mercedes-Benz, que realiza o maior teste com drones para entrega de itens cotidianos, como café moído e celulares, anunciou que concluiu 100 entregas com miniaeronaves em vans posicionadas de forma estratégica em Zurique com um histórico de segurança perfeito e que estão previstas mais entregas no ano que vem.

Cerca de 50 clientes individuais realizaram pedidos na plataforma de compras on-line suíça Siroop e escolheram a opção “ofertas por correio aéreo” de itens selecionados da empresa de varejo Black & Blaze Coffee Roasting para entrega no mesmo dia. Os drones, então, voaram para quatro pontos fixos da cidade, cobrindo uma distância de até 17 quilômetros, e pousaram no teto de vans Mercedes-Benz Vito especialmente adaptadas. Os pacotes foram transportados por terra nos trechos finais antes do retorno dos drones.

“Todas as nossas expectativas foram cumpridas — nossos principais objetivos eram a viabilidade técnica e a execução”, disse Corinna Elosge, coordenadora do projeto de drones e vans logísticas para trecho final da Daimler, empresa controladora da Mercedes, em entrevista. “Estamos muito, muito satisfeitos porque tivemos uma pontuação de segurança perfeita.”

Os helicópteros em miniatura, desenvolvidos com a empresa americana Matternet, entregaram pacotes em um total de 11 dias como parte de um teste de três semanas. A Daimler informou no ano passado que mirava os drones como parte de uma iniciativa de 500 milhões de euros (US$ 597 milhões) para acelerar os tempos de entrega dos pedidos feitos pela internet devido à explosão do comércio eletrônico. Em dezembro, a Amazon.com fez sua primeira entrega com drones, e a rede de lojas de conveniência 7-Eleven entregou por via aérea, no ano passado, um pacote com sanduíches de frango e rosquinhas a uma residência privada em Reno, Nevada.

Evitar o trânsito
Na Mercedes, as aeronaves sem piloto são componentes de um protótipo de van que conta com um conjunto de sistemas de bordo, como, por exemplo, um equipamento de classificação digital, que poderiam reduzir pela metade os custos da parte final do trajeto de uma encomenda. Os drones não efetuaram a entrega diretamente à porta do cliente, mas evitaram boa parte do trânsito do centro da cidade e economizaram uma viagem do vendedor até o centro logístico.

Em um momento em que mais empresas de entregas buscam reduzir custos e oferecer serviços para o mesmo dia, o potencial dos drones chamou uma atenção significativa, embora existam regras que limitam o voo dessas aeronaves. A Mercedes pretende realizar mais testes-piloto com os drones no ano que vem, mas a concretização do plano dependerá muito da regulação, disse Elosge, e as entregas em vans particulares estacionadas em lugares aleatórios continuam fazendo parte dos planos da empresa.

“A regulamentação é um fator decisivo para nós”, disse ela. “Trabalhamos em cooperação com as autoridades e estamos prontos para conversar sobre nossas experiências com elas porque sentimos que os governos dependem da visão do setor e querem aprender mais.”



Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Aeronaves de última geração puxam crescimento do mercado


Mariana Barbosa Publicada Em 29/11 - 02/h00

O mercado brasileiro de aviação civil deve crescer cerca de 5% ao ano em média na próxima década, segundo projeção da Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas). Um outro estudo, da Airbus, prevê que em duas décadas o mercado doméstico deve ser 2,6 vezes maior em volume de tráfego.
Esse crescimento deve ser puxado por ganhos de eficiência na operação das companhias aéreas, que planejam uma importante modernização de frota, com a chegada da nova geração de aeronaves estreitas, com apenas um corredor, da Boeing e da Airbus –os 737 MAX e os A320neo.
Juntas, Avianca, Azul, Gol e Latam encomendaram 300 aviões dessa nova geração, que chegam principalmente em substituição a aeronaves mais antigas.
"Esses aviões são em média 20% mais eficientes do que os da geração anterior", explica Maurício Emboaba, consultor técnico da Abear.
Segundo Emboaba, a concorrência entre as empresas deve garantir que o ganho de eficiência ajude a reduzir o preço, estimulando a demanda. No entanto, ele lembra que no caso da modernização da frota, os ganhos de eficiência devem ser escalonados, uma vez que essas aeronaves serão substituídas ao longo de cinco ou mais anos. 
Em recuperação
Setor aéreo mostra sinais de retomada 
Ainda que um crescimento de 5% ao ano seja motivo de comemoração –no ano passado o setor encolheu 5,7%–, alguns entraves limitam uma alta mais expressiva, na casa de dois dígitos, como aconteceu no período pós desregulamentação tarifária, no início dos anos 2000.
Na época, o crescimento foi puxado pela redução da tarifa média, que hoje custa cerca de um terço do que custavam em 2000.
"No mundo todo, a taxa de crescimento da economia e o preço médio impulsionam o crescimento do setor. Para cada um real de aumento no preço médio nas tarifas, a demanda cai 0,53%", explica o consultor da Abear.
Para a entidade, uma redução na tarifa do ICMS dos combustíveis, medida que está em discussão no Congresso, ajudaria a estimular a demanda se repassada aos preços. "Uma redução no valor dos combustíveis, que representam 26% dos custos das empresas hoje, teria um impacto direto e muito forte", afirma Emboaba.
EFICIÊNCIA
A nova fronteira de eficiência no setor deve vir da capacidade das companhias aéreas de explorar ao máximo fontes auxiliares de receita, segundo Alessandro Oliveira, coordenador do Núcleo de Economia do Transporte Aéreo do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica).
"O indicador de eficiência não vai mais ser só o custo por assento, mas quanto a empresa produz por hora voada", afirma Oliveira. "Quanto mais as empresas conseguirem entender o consumidor e segmentar o serviço, mais vão conseguir obter receitas com bagagens extras, comida a bordo, espaço maior entre as poltronas, se acumula ou não milhas."
Para Oliveira, a maximização das receitas auxiliares deve garantir uma maior sustentabilidade dos lucros em um setor conhecido por fortes oscilações nos balanços.
As operações também ganharam produtividade com os investimentos gerados pela privatização dos principais aeroportos, que trouxeram melhorias principalmente em termos de terminais de passageiro e de pátio.
Para avançar em eficiência será preciso investir em melhorias no controle de tráfego aéreo, para permitir rotas mais diretas.
Nos últimos três anos, melhorias de gestão e a interação entre companhias e o tráfego aéreo permitiu reduzir a taxa de ineficiência nas aerovias de 11% para 8%. O indicador é uma referência entre o trajeto real e a distância em linha reta entre dois aeroportos.

JORNAL CORREIO BRAZILIENSE


SPU e Ministério da Defesa farão troca de imóveis


Vicente Nunes Publicado Em 28/11 - 17h23

Na tentativa de conter os gastos públicos e de melhorar a administração dos imóveis da União, os ministérios do Planejamento e da Defesa acertaram um protocolo de intenções. Com isso, a Secretaria do Patrimônio da União (SPU) vai transferir, ao Ministério da Defesa, apartamentos funcionais, projeções para apartamentos e lotes no Distrito Federal. Em contrapartida, a Defesa repassará à SPU projeções para apartamentos, lotes comerciais e um lote residencial, todos em área nobre de Brasília.
Com essa transferência, a SPU não terá mais gastos com manutenção, pagamento de taxas, impostos e condomínios das unidades que estão desocupadas. “Além disso, a permuta será benéfica aos dois órgãos: para as Forças Armadas, que diminuem sua demanda por apartamentos; e para a SPU, que incorpora ao seu patrimônio, imóveis de ótimo lastro comercial”, explica o secretário do patrimônio da União, Sidrack Correia. 
O protocolo, publicado nesta segunda-feira (27/11) no Diário Oficial da União, foi assinado na última semana pelos ministros Dyogo Oliveira e Raul Jungmann. Os órgãos terão prazo estimado de 30 dias para fazer a transferência dos seus respectivos patrimônios.
No total, seis imóveis serão incorporados à gestão da SPU, todos em Brasília: três projeções para edifícios residenciais na Asa Norte, um lote comercial na 903 Sul, um lote no Setor de Garagens Oficiais e um terreno na QL 12 do Lago Sul.
O Ministério da Defesa, por sua vez, receberá 142 apartamentos nas Asas Sul, Norte, Setor Octogonal e Cruzeiro; três lotes no Guará II; uma projeção na 114 Norte, uma projeção na 311 Sul e um lote no Lago Sul. Esses imóveis serão destinados aos Comandos do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, mas continuarão a integrar o cadastro patrimonial da União.

AGÊNCIA BRASIL


Arquivo Nacional recebe exposição que homenageia Santos Dumont


Ana Cristina Campos – Repórter Da Agência Brasil Publicada Em 28/11 - 17h02

ImagemO Arquivo Nacional, no centro do Rio de Janeiro, recebe a partir de hoje (28) a exposição que homenageia os 110 anos do primeiro voo do Demoiselle, o segundo avião de Santos Dumont (1873-1932).
Em novembro de 1907, o Demoiselle voou pela primeira vez em público. Para marcar a data, o Centro de Documentação da Aeronáutica (Cendoc) apresenta no Arquivo Nacional a exposição que exibe uma réplica da aeronave em tamanho natural, com condições de voo.
“Santos Dumont é a razão de existir de toda a atividade aeronáutica”, diz a curadora da mostra Asas que protegem o país – tributo a Santos Dumont, coronel Sahara Burity Fernandez Cyrino.
Ela lembra que o Demoiselle veio depois do avião mais conhecido de Santos Dumont, o 14 Bis. “Santos Dumont não patenteou este invento [Demoiselle] de propósito porque ele queria popularizar seu uso na França. Foram feitas várias séries dessa aeronave. Era um avião leve, prático, transportável. Santos Dumont o carregava em automóvel. Ele utilizava esse avião para visitar os amigos.”Imagem
A mostra também conta com uma maquete artística do balão nº6 que contornou a Torre Eiffel em 1901, com o qual o Santos Dumont provou a dirigibilidade dos balões.
Também estão expostos recortes de jornais colecionados pelo próprio aviador, com notícias a respeito de seus inventos, além de documentos de Santos Dumont e de um acervo inédito de fotografias de aviação de Johnson Barros.
Para o diretor do Cendoc, coronel intendente Carlos Alberto Leite da Silva, Santos Dumont deve ser lembrado por seu caráter inovador e por lançar as bases da Força Aérea. O aviador é patrono da Aeronáutica brasileira. “Ele tem uma grande relevância por sinalizar os valores importantes para a Força Aérea: o empreendedorismo, a forma de pensar rápida e arrojada.”
A exposição fica em cartaz no Salão Nobre do Arquivo Nacional até 31 de janeiro de 2018, das 10h às 17h, na Praça da República, 173, com entrada franca.

Marinha faz balanço da missão no Haiti e destaca missão cumprida


Léo Rodrigues - Repórter Da Agência Brasil Publicada Em 28/11 - 21h56

A Marinha do Brasil deu início hoje (28) no Rio de Janeiro a um seminário para avaliar os 13 anos da experiência brasileira na Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti (Minustah). O evento, que vai até amanhã (29), conta com a participação de oficiais das três Forças Armadas brasileiras - Marinha, Exército e Força Aérea -, além de diplomatas, pesquisadores e outros interessados.
A Minustah foi criada por Resolução do Conselho de Segurança da ONU em fevereiro 2004. O objetivo era restabelecer a segurança e a normalidade após sucessivos episódios de turbulência política e violência que culminaram com a partida para o exílio do então presidente Jean Bertrand Aristide. A missão foi encerada no mês passado. Durante os 13 anos, o Brasil foi responsável pelo comando militar, que teve ainda a participação de tropas de outros 15 países.
"Quando chegamos lá, o país estava a beira de uma guerra civil e passados esses anos se tornou um lugar melhor. Só não ficou melhor ainda devido a uma série de catástrofes naturais. Mas, em termos de segurança, houve a estabilização do país. Em termos do processo político, tivemos pela primeira vez uma sequência de dois presidentes democraticamente eleitos. Antes, era raríssimo um presidente concluir seu mandato", avalia o contra-almirante Carlos Chagas, que foi assistente do primeiro comandante da missão, o general Augusto Heleno.
Tragédias
Durante os 13 anos da Minustah, as forças de paz presenciaram no Haiti dois furacões, inundações em períodos chuvosos, uma epidemia de cólera e um terremoto, ocorrido em 12 de janeiro de 2010, que deixou 240 mil mortos e 1,5 milhão de desabrigados. Diante de tantas adversidades, Carlos Chagas afirma que a sensação das Forças Armadas é de dever cumprido.
"Fizemos o melhor que podíamos. E foi também uma experiência real de emprego das Forças Armadas, o que as deixa cada vez mais profissionais, mais treinadas e capazes de assumir novos desafios. Também permite um preparo maior para a própria defesa do país, que é a nossa missão fundamental", acrescentou.
O oficial da Marinha dividiu a missão de paz em fases. Segundo ele, primeiro houve a chegada e acomodação das tropas, passando em seguida para o confronto com grupos que colocavam em risco o processo de paz. Após o terremoto, teria se iniciado um trabalho humanitário mais intenso, até que fosse desencadeado a fase final de desmobilização.
Embaixador do Brasil no Haiti na época em que houve o terremoto, Igor Kipman lembrou que o hospital da Força Aérea Brasileira (FAB) realizou mais de 36 mil procedimentos clínicos e mais de 1,1 mil cirurgias. “Nós trouxemos um aprendizado muito grande sobre a integração das Forças Armadas com a comunidade”, disse o diplomata, atualmente cônsul-geral na cidade de Faro, em Portugal.
Perspectivas
O seminário também abriu espaço para se discutir as lições e perspectivas das forças de paz da ONU. Segundo Ricardo Oliveira dos Santos, pesquisador de relações internacionais da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, um dos principais desafios destes trabalhos é coibir os casos de abuso e exploração sexual.
De acordo com ele, estes episódios podem ocorrer em decorrência da cultura hipermasculinizada que frequentemente existe nas Forças Armadas dos diversos países e a também do contexto frágil dos Estados assistidos, o que faz com que muitas vítimas não exponham a situação pelo medo de perder as ajudas humanitárias, fazendo com que esses casos sejam subnotificados. “Nenhum brasileiro foi efetivamente condenado por exploração sexual, o que denota um comportamento de excelência das Forças Armadas do Brasil, mas, infelizmente, nós observamos a persistências desses casos em forças de paz”, disse o pesquisador.
De acordo com o contra-almirante Carlos Chagas, a experiência no Haiti coloca o Brasil em boa posição para integrar novas missões de paz. Atualmente, o foco é a Força Interina das Nações Unidas no Líbano (Unifil). Desde 2011, a Marinha brasileira comanda a Força-Tarefa Marítima da Unifil. São realizadas operações marítimas para coibir a entrada de armas ilegais e contrabandos no país. Além disso, são organizados treinamentos para a Marinha libanesa, de modo que ela possa futuramente conduzir as atividades de forma autônoma.
A Unifil teve início em 1978, com a participação inicialmente de países integrantes da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), cujo objetivo era assegurar a retirada de tropas israelenses do Líbano e restaurar a segurança na região. Após a crise de 2006 entre forças de Israel e o grupo islâmico político e militar Hezbollah, as atribuições foram ampliadas. As forças da ONU assumiram as tarefas de monitorar a cessação das hostilidades, de apoiar o deslocamento das Forças Armadas libanesas e de garantir acesso humanitário à população civil, permitindo ainda o retorno seguro e voluntário dos deslocados.

Plenário aprova autorização de empréstimo para Espírito Santo


Da Redação Publicada Em 28/11 - 19h27

Foi aprovada em Plenário nesta terça-feira (28) autorização para o estado do Espírito Santo contratar operação de crédito externo no valor de US$ 56 milhões com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O dinheiro será destinado ao financiamento parcial do Projeto Estado Presente, que tem como objetivo contribuir para a redução dos índices de crimes violentos em municípios capixabas.
O empréstimo (MSF 70/2017), que conta com a garantia da União, foi aprovado na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) na manhã desta terça-feira. O relator da matéria na comissão, senador Dalírio Beber (PSDB-SC), ressaltou que o estado possui capacidade de endividamento e que está adimplente com a União.
O Projeto Estado Presente tem como ações o aumento da efetividade da Polícia Civil e da Polícia Militar no controle e investigação de crimes violentos; das oportunidades de inclusão social dos jovens de 15 a 24 anos sujeitos à violência; e a redução da reincidência da população jovem em conflito com a lei.
No início de 2017, o Espírito Santo viveu sua pior crise de segurança pública. Em fevereiro, os policiais militares entraram em greve, pedindo reajuste salarial e pagamento de benefícios como auxílio-alimentação e adicional de periculosidade. Foram 21 dias de paralisação até que o governo federal enviasse as Forças Armadas para fazer a segurança do estado. Neste período, ocorreram mais de 200 homicídios no estado.
A matéria vai à promulgação.

AGÊNCIA SENADO


Programa espacial: diretor de Defesa e Segurança nega privatização da Base de Alcântara


Da Redação Publicado Em 28/11 - 08h39

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) promoveu, nesta segunda-feira (27), audiência pública para debater a relação da tecnologia com a defesa. Os debatedores convidados foram unânimes em apontar o avanço tecnológico como um importante fator para o desenvolvimento da defesa nacional. Eles também destacaram que a Base de Alcântara tem uma importância estratégica para o sistema de defesa do país. A Base de Alcântara, localizada no estado do Maranhão, é usada para o lançamento de satélites e para o desenvolvimento de tecnologias de defesa.
Realizada em caráter interativo, a audiência registrou uma alta participação popular. Por meio do portal e-Cidadania, alguns internautas lamentaram o sucateamento das Forças Armadas e sugeriram medidas de proteção para as tecnologias de defesa nacionais. Já outros manifestaram preocupação com uma possível venda da Base de Alcântara para outros países.
Em resposta, o diretor de Assuntos de Defesa e Segurança da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Joanisval Brito Gonçalves, afirmou que o uso da Base de Alcântara preserva a soberania nacional. Ele, no entanto, defendeu os acordos com outros países como meio de acesso a novas tecnologias. O presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), José Raimundo Braga Coelho, afirmou que existem salvaguardas em todos os acordos internacionais e negou que exista dentro do governo alguma intenção de privatizar a Base de Alcântara.
A audiência ocorreu dentro 17° Painel do Ciclo de Debates da CRE, com o tema “O Programa Espacial Brasileiro e o Aproveitamento Comercial da Base de Alcântara”, que faz parte do ciclo de debates “O Brasil e a Ordem Internacional: Estender Pontes ou Erguer Barreiras?”
O presidente da CRE, senador Fernando Collor (PTC-AL), agradeceu pela contribuição dos debatedores e anunciou que o 18º painel está marcado para o dia 11 de dezembro, às 18h, com o tema “Um destino natural: o Brasil e seu destino estratégico”. Collor destacou que na próxima quinta-feira (30), às 9h, haverá reunião deliberativa da CRE.

Estados devem ser protagonistas no combate à violência, afirma relator na CCJ


Sergio Vieira Publicada Em 24/11 - 18h54

Os estados devem ter uma ampla autonomia na definição de suas estratégias de combate à violência, num novo modelo orçamentário que possibilite acesso a recursos de forma condizente com esta missão institucional. Este será o destaque do relatório a ser apresentado pelo senador Wilder Morais (PP-GO) à Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) na avaliação da Política Nacional de Segurança Pública, segundo anunciou o próprio senador nesta terça-feira (28).
A comissão realizou a última audiência de avaliação da Política Nacional de Segurança Pública, eleita entre as políticas de governo para análise do colegiado este ano, conforme determina resolução do Senado. Wilder voltou a reiterar que considera o atual modelo de segurança adotado no país "intrinsecamente disfuncional", pois entende que os atores subnacionais não dispõem de autonomia e recursos suficientes para efetivamente combaterem o crime organizado, e nem para adotarem abordagens mais amplas.
Para ele, empoderar efetivamente os estados possibilitará a adoção de estratégias mais efetivas, como ocorre nos Estados Unidos, onde cada unidade federativa pode inclusive definir o que é crime e as punições respectivas.
- Para um país continental, uma abordagem como esta é mais inteligente. Cada estado deve ter autonomia para definir como vai enfrentar o tráfico de drogas, as relações deste crime com outros, as regras para "saidões" etc. Cada unidade federativa enfrenta sua própria realidade, o papel da União deve ser o de garantir a estrutura e os recursos para que ele possa agir - afirmou o senador.
Até mesmo no monitoramento das fronteiras Wilder entende que os governos subnacionais tem sido subutilizados, produzindo entre outros graves problemas um serviço "claramente insuficiente, pois armas e drogas continuam penetrando em enormes quantidades dentro no território".
Mas o senador deixa claro que este novo desenho institucional só será possível dentro de uma ampla reformulação do Fundo Nacional de Segurança Pública, que passaria inclusive a contar com percentuais orçamentários vinculados, sem possibilidade de contingenciamento.
Orçamento
A senadora Simone Tebet (PMDB-MS) lembrou que o Senado já pode dar um passo para impedir que verbas para a área da segurança pública sejam contingenciadas, pois a CCJ pode aprovar nesta quarta-feira a PEC 118/2011, que tem este objetivo.
Para ela, a adoção de uma regra como esta é mais efetiva do que utilizar as Forças Armadas no combate direto ao crime, como ocorre hoje no Rio de Janeiro.
- Antes das drogas e das armas chegarem ao Rio, ela atravessou as fronteiras. Por isso é errado cortar repasses estaduais para a área da segurança pública, ou a União não colaborar efetivamente com os estados - ponderou a senadora.
Drogas
No que tange às políticas antidrogas, o diretor-geral do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), Josué Filemon, avalia que este debate não deve ser conduzido por posições puramente moralistas.
Ele informou aos senadores que o Depen e a Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) já iniciaram um amplo levantamento nos presídios brasileiros que mapeará cientificamente a relação existente entre o uso de drogas e a prática de crimes.
Este estudo estará concluído em 2019, e possibilitará ao poder público a adoção de estratégias de enfrentamento ao fenômeno do uso de drogas com base em evidências empíricas, tornando mais efetivas estas abordagens.
O presidente da CCJ, Edison Lobão (PMDB-MA), e a senadora Ana Amélia (PP-RS) acrescentaram que a literatura médica e da área da Psiquiatria já demonstraram "sobejamente" o prejuízo que o abuso de drogas traz às pessoas. E que é com base nestes estudos, além das posições morais, que entendem que qualquer política liberacionista no que se refere às drogas deve ser sempre encarada com muita cautela pelo poder público.
O diretor da Senad, Humberto Viana, também participou da audiência, e informou que a Secretaria tem visto com preocupação a grande disseminação de drogas sintéticas nas festas rave. Ele informou que o órgão tem procurado agir para estancar a rede de tráfico que tem alimentado estes eventos, frequentados em sua maioria por jovens.

REVISTA EXAME


Mercedes planeja mais entregas com drone após 100 voos perfeitos

A Mercedes informou que, entre café moído e celulares, já realizou 100 entregas usando drones na Suíça

Por Elisabeth Behrmann, Da Bloomberg Publicada Em 28/11 - 17h59

A Mercedes-Benz, que realiza o maior teste com drones para entrega de itens cotidianos, como café moído e celulares, anunciou que concluiu 100 entregas com miniaeronaves em vans posicionadas de forma estratégica em Zurique com um histórico de segurança perfeito e que estão previstas mais entregas no ano que vem.
Cerca de 50 clientes individuais realizaram pedidos na plataforma de compras on-line suíça Siroop e escolheram a opção “ofertas por correio aéreo” de itens selecionados da empresa de varejo Black & Blaze Coffee Roasting para entrega no mesmo dia. Os drones, então, voaram para quatro pontos fixos da cidade, cobrindo uma distância de até 17 quilômetros, e pousaram no teto de vans Mercedes-Benz Vito especialmente adaptadas. Os pacotes foram transportados por terra nos trechos finais antes do retorno dos drones.
“Todas as nossas expectativas foram cumpridas — nossos principais objetivos eram a viabilidade técnica e a execução”, disse Corinna Elosge, coordenadora do projeto de drones e vans logísticas para trecho final da Daimler, empresa controladora da Mercedes, em entrevista. “Estamos muito, muito satisfeitos porque tivemos uma pontuação de segurança perfeita.”
Os helicópteros em miniatura, desenvolvidos com a empresa americana Matternet, entregaram pacotes em um total de 11 dias como parte de um teste de três semanas. A Daimler informou no ano passado que mirava os drones como parte de uma iniciativa de 500 milhões de euros (US$ 597 milhões) para acelerar os tempos de entrega dos pedidos feitos pela internet devido à explosão do comércio eletrônico. Em dezembro, a Amazon.com fez sua primeira entrega com drones, e a rede de lojas de conveniência 7-Eleven entregou por via aérea, no ano passado, um pacote com sanduíches de frango e rosquinhas a uma residência privada em Reno, Nevada.
Evitar o trânsito
Na Mercedes, as aeronaves sem piloto são componentes de um protótipo de van que conta com um conjunto de sistemas de bordo, como, por exemplo, um equipamento de classificação digital, que poderiam reduzir pela metade os custos da parte final do trajeto de uma encomenda. Os drones não efetuaram a entrega diretamente à porta do cliente, mas evitaram boa parte do trânsito do centro da cidade e economizaram uma viagem do vendedor até o centro logístico.
Em um momento em que mais empresas de entregas buscam reduzir custos e oferecer serviços para o mesmo dia, o potencial dos drones chamou uma atenção significativa, embora existam regras que limitam o voo dessas aeronaves. A Mercedes pretende realizar mais testes-piloto com os drones no ano que vem, mas a concretização do plano dependerá muito da regulação, disse Elosge, e as entregas em vans particulares estacionadas em lugares aleatórios continuam fazendo parte dos planos da empresa.
“A regulamentação é um fator decisivo para nós”, disse ela. “Trabalhamos em cooperação com as autoridades e estamos prontos para conversar sobre nossas experiências com elas porque sentimos que os governos dependem da visão do setor e querem aprender mais.”

PORTAL DEFESANET


FAB - Curso de Comandos e aniversário do PARA-SAR

A Unidade celebrou 54 anos com diversas homenagens

Tenente Barbieri / Tenente João Elias Publicado Em 28/11 - 10h00

O Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento, conhecido como PARA-SAR, formou, nessa sexta-feira (24/11), em Campo Grande (MS), militares que concluíram o Curso de Comandos de Força Aérea (CCFA) e vão atuar em operações especiais.
Durante três meses, os alunos participaram de atividades nos mais variados ambientes operacionais do País: selva, mar, montanha, área urbana e rural e foram testados tanto na condição física quanto psicológica.
O CCFA é realizado pela Força Aérea Brasileira (FAB) a cada dois anos e inclui oficiais e graduados do PARA-SAR e de outras Unidades de Infantaria do País, que são treinados para cumprir as ações de Reconhecimento Especial, Ação Direta e Contraterrorismo.
Durante a formatura, os familiares realizaram a entrega dos brevês de conclusão de curso aos militares e o Tenente de Infantaria José Ivan Pedroza Bezerra Ribeiro foi homenageado como Destaque do Curso.
O Comandante do Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento, Tenente-Coronel de Infantaria Anderson de Oliveira Schiavo, parabenizou os militares que conseguiram chegar até o fim do curso. “Integrar o rol de homens especializados é uma tarefa de grande responsabilidade, pois devem estar sempre em condições de cumprirem as missões que, dentro da FAB, somente o PARA-SAR cumpre”, ressaltou.
Aniversário
A cerimônia também foi marcada pela celebração dos 54 anos da Unidade e contou com diversas homenagens feitas pelo Esquadrão, tanto para militares quanto para civis, que receberam os títulos de Destaque Operacional, Graduado e Praça Padrão, Amigos do PARA-SAR, Pastores e Pastores Honorários, como forma de reconhecimento aos que contribuíram para o cumprimento de sua missão.
O Comandante do PARA-SAR ressaltou todas as conquistas durante esses 54 anos, em especial, as que aconteceram neste ano, devido ao processo de Reestruturação da FAB. Ao finalizar a solenidade, antigos integrantes incorporaram-se à tropa para o desfile militar, em conjunto com os demais grupamentos da Guarnição de Aeronáutica de Campo Grande.

PORTAL CAMPO GRANDE NEWS


Coração, rim e fígado de jovem morto são enviados para salvar vidas em SP

Paciente de Campo Grande também receberá um dos rins de Lucas Matheus, que teve morte cerebral aos 21 anos, dois dias depois de acidente

Anahi Zurutuza E Geisy Garnes Publicado Em 28/11 - 12h55

O coração, o fígado e um dos rins de Lucas Henrique Souza Matheus, de 21 anos, que sofreu morte cerebral após ser atropelado na madrugada de sábado (25), foram captados na Santa Casa de Campo Grande e já estão a caminho de São Paulo. O outro rim do jovem será transplantado no mesmo hospital da Capital.

No Incor (Instituto do Coração) de São Paulo, um homem de 50 anos espera para ter a vida salda pelo coração de Lucas. “O coração dele está tão severamente comprometido, que ele precisa de medicamentos para continuar vivo”, explicou o médico Ronaldo Honorato, da equipe do Incor.
O fígado e um dos rins serão transplantados para pacientes do Hospital das Clínicas. Já em Campo Grande, uma mulher passará por cirurgia ainda na tarde desta terça-feira (28).
As córneas serão armazenadas no banco da Santa Casa.
"Operação de Guerra" – A captação dos órgãos começou a ser organizada às 23h de ontem (27), depois que foi confirmada a morte cerebral de Lucas. O trabalho mobilizou ao menos 50 profissionais – 21 deles estavam na sala de cirurgia da Santa Casa nesta manhã.
A equipe do Incor veio até a Capital por um avião fretado pelo Governo do São Paulo e os médicos responsáveis pela captação do fígado foram trazidos pela FAB (Força Aérea Brasileira).
O cirurgião transplantador do Incor explicou que o coração é o órgão mais delicado, tem prazo de quatro para ser transplantado.
A cirurgia na Santa Casa começou por volta das 10h30 e terminou pouco depois do meio-dia. Em São Paulo, segundo o médico, o coração é levado sob a escolta da equipe de batedores da PM (Polícia Militar) para chegar o mais rápido possível no Incor.
“Mas nada disso não seria possível se a família não tivesse a Bondade o amor ao próximo que eles tiveram. Mesmo neste momento de dor eles entenderam o gesto e estão compartilhando os órgãos do filho dele”, afirmou Ronaldo Honorato.
O médico aproveitou para fazer um apelo a outras famílias. “Quanto mais órgãos forem doados, maiores chances de transplantes, 40% dos receptores morrem a espera de órgãos na fila”, destacou.
O acidente - Lucas foi atingido por um Hyundai HB20, conduzido pelo estudante de Medicina de 24 anos, preso por embriaguez no momento do acidente. A vítima atravessava a via na faixa de segurança, localizada na Ceará com a Rua Euclides da Cunha, quando foi atropelada pelo acadêmico que, segundo testemunhas, dirigia em alta velocidade. Lucas acabou arremessado a cerca de 10 metros.
O sinal estava verde para o HB20. Rodrigo não negou socorro, mesmo assim, o delegado que atendeu a ocorrência resolveu manter o motorista preso porque teste do bafômetro comprovou embriaguez. O acadêmico foi solto na mesma noite da prisão, após pagar fiança de 54 salários mínimos, o equivalente a R$ 50.598.
OUTRAS MÍDIAS


TRANSPORTES EM REVISTA (Portugal)


Indra desenvolve projeto para melhorar pontualidade dos voos

por: Pedro Venâncio

Publicada em 28/11

O projeto 4DTM – Four Dimensions Trajectory Mangament está a desenvolver soluções e procedimentos de forma a facilitar o acompanhamento do tráfego aéreo em toda a Europa, assim como melhorar a pontualidade dos voos. A Indra lidera o consórcio formado por 28 ANSP"s, empresas tecnológicas e organismos de investigação da UE, Noruega e Suíça que vão trabalhar neste desafio.
O projeto, inserido na iniciativa SESAR, pilar tecnológico do Céu Único Europeu, será financiado pelo programa de investigação e desenvolvimento Horizonte 2020. Um dos principais objetivos para avançar na construção do Céu Único Europeu é garantir que os ANSP – Air Navigation Services Providers, operadores de aeroportos, linhas aéreas e toda a comunidade aeronáutica partilhem uma visão mais atualizada dos movimentos dos aviões civis e militares em todo o continente.
Uma vez desenvolvidos, os voos 4D vão permitir que as aeronaves e o centro de controlo em terra partilhem de informações sobre a posição da aeronave em qualquer momento da sua rota. Para o concretizar destes objetivos, o projeto 4DTM visa integrar a informação dos centros de controlo de cada país, do gestor global da rede europeia de tráfego aéreo e dos operadores dos aeroportos.
O 4DTM pretende ainda desenvolver ferramentas para melhorar o fornecimento de informação aeronáutica e meteorológica mais precisa, de modo a detetar com antecedência qualquer imprevisto que possa gerar atrasos nas ligações. Uma vez desenvolvido, este projeto permite inclusive às aeronaves escolher rotas mais diretas, reduzindo o consumo de combustível, as emissões de CO2 e os custos operacionais.
O programa SESAR tem como objetivo triplicar a capacidade da gestão do tráfego aéreo na Europa, multiplicar o coeficiente de segurança, reduzir o impacto ambiental em 10% e cortar o custo dos serviços da gestão do tráfico aéreo em 50%. Está previsto que o tráfego aéreo passe dos dez milhões de voos anuais que se registram atualmente na UE, para 16,9 milhões em 2030.

PORTAL AVIACION EN ARGENTINA


SE FORTALECE LA INTEGRACIÓN REGIONAL EN NAVEGACIÓN AÉREA

Publicada em 27/11
En el marco del ALTA Leaders"Forum, de la Asociación del Transporte Aéreo de Latinoamérica y el Caribe, que tuvo lugar Buenos Aires, Argentina, durante los días 19-20-21 de noviembre, representantes de los cuatro países celebraron el 2do Encuentro Regional de Integración y Cooperación ANSP (sigla que define en inglés a los prestadores de estos servicios).
Organizado por Empresa Argentina de Navegación Aérea (EANA, Ministerio de Transporte) y Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA, Comando de Aeronáutica de Brasil), el encuentro contó una vez más con la presencia de representantes de la Dirección Nacional de Aviación Civil del Paraguay (DINAC), y de la Dirección Nacional de Infraestructura Aeronáutica del Uruguay (DINACIA). En la reunión, los responsables de la navegación aérea de los cuatro países analizaron los resultados alcanzados luego del 1er Encuentro Regional (Puerto Iguazú, abril 2017) y trazaron los próximos pasos a seguir.
Como resultado, se aceleró el inicio de la actividad de diseño, se implementaron decenas de procedimientos instrumentales PBN -muchos de ellos ya vigentes- y se optimizaron rutas aéreas que se implementarán el año próximo. A la vez, se comenzó a medir la capacidad operativa de las pistas de aeropuertos de todo el país y del espacio aéreo.
Esta actividad conjunta, que le permitió a EANA ahorrar muy importantes recursos, benefició también a DECEA, gracias al intenso intercambio cultural generado en un aprendizaje compartido. La vision "fresca" del personal de EANA produjo nuevos abordajes a procesos ya establecidos. Ambos países avanzan además hacia un concepto regional de la gestión del tránsito aéreo, sentando las bases para una mayor integración continental. El valor del trabajo desarrollado en conjunto por ambas prestadoras de servicios fue reconocido durante una reciente conferencia aeronáutica internacional.
El ámbito de la cooperación e integración entre Argentina y Paraguay produjo un resultado contundente con la ampliación del área terminal de Posadas en beneficio del cercano aeropuerto paraguayo de Encarnación. Gracias al acuerdo alcanzado, Encarnación dispondrá de una aproximación instrumental empleando señales de la radioayuda VOR de Posadas. Luego del Encuentro de Puerto Iguazú, EANA y DINAC pudieron resolver en apenas dos días de trabajo en Buenos Aires una cuestión técnica que llevaba años sin avances.
Por otra parte, EANA ya está en conversaciones con DINACIA para integrarla al proceso de rediseño de BAIRES, principal área terminal aérea argentina, la cual incluye los principales aeropuertos del país por movimiento de vuelos, nacionales (Aeroparque Jorge Newbery), internacionales (Ezeiza – Ministro Pistarini) y privados (San Fernando), y los aeródromos de Morón, El Palomar, y La Plata. Gran parte de los límites orientales de la terminal BAIRES lindan con el espacio aéreo uruguayo, por el cual entra y sale la mayor parte del tránsito aéreo regional e internacional que con destino u origen Buenos Aires.
“Los resultados logrados desde el Primer Encuentro Regional de Integración y Cooperación ANSP a la fecha nos alientan a seguir andando juntos. Trabajamos mucho para elevar la seguridad operacional de todos -nuestros sistemas aeronáuticos son de por sí seguros- y brindar un servicio uniforme de excelencia, que trascienda las fronteras individuales. Además, queremos más eficientes, contribuyendo a la eficiencia de todo el transporte aéreo. Esta transformación adquiere una importancia superior con los saludables índices de crecimiento del movimiento de pasajeros en nuestra región, con mayor conectividad y desarrollo socio-económico. Seguimos el ejemplo de muchos de los mejores sistemas aeronáuticos del mundo: Integrarse y cooperar. Con hechos concretos vamos reescribiendo la historia de la aviación de la región.” – Agustín Rodríguez Grellet, Presidente de EANA.

PORTAL RONDONIA AGORA


Prefeito de município do Amazonas é preso em operação contra organização que desviou mais de R$ 62 milhões

Publicado em 28/11 - 08h41
O Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU), o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e a Polícia Civil, com o apoio da Força Aérea Brasileira, realizam nesta terça-feira (28) a Operação Tapauara, que visa desarticular organização criminosa que desviava recursos públicos oriundos, entre outros, da Educação e da Saúde em Tapauá, no Amazonas.
O prefeito do município de Tapauá, Zezito (PMDB), foi um dos presos. As informações foram confirmadas pelo procurador-geral, Fábio Monteiro. Também são alvos da operação, o vereador e presidente da Câmara de Tapauá, Alvemir Oliveira Maia, o empresário Walter de Oliveira Maia e o representante do município Euclides Guedes.
No total, estão sendo cumpridos dez mandados de prisão preventiva, nove de condução coercitiva e 29 vinte e nove de busca e apreensão em órgãos do Poder Executivo, do Poder Legislativo, em residências e empresas nos municípios de Tapauá e Manaus, ambos no Amazonas.
O trabalho teve por base investigação do Ministério Público do Estado do Amazonas – por meio do Gaeco – que verificou a ocorrência de crimes em licitações, peculato, corrupção e lavagem de capitais, praticados por agentes públicos do Poder Executivo, membros da Câmara de Vereadores tapauense e particulares.
Conforme apontam as investigações, licitações estavam sendo acordadas por um grupo de empresários que atuava em parceria com o prefeito, o presidente da Câmara de Vereadores e o representante do município, determinando previamente os vencedores. Com o aprofundamento da investigação foram identificados crimes de lavagem de dinheiro, fraudes em processos licitatórios, abuso de autoridade, peculato, dentre outros.
A CGU fará a análise do material apreendido, incluindo processos licitatórios, processos de pagamento, mídias, com vistas a apurar irregularidades contra a Administração Pública, com a identificação de superfaturamento, fraudes em licitação, pagamentos por serviços não prestados, dentre outros.
A operação conta a participação de servidores do Ministério Público Estadual, policiais civis e oito auditores da CGU, sendo que três auditores estão cumprindo mandados de busca e apreensão no município de Tapauá e cinco na capital amazonense.

PORTAL PARAÍBA ONLINE


Seagri vai usar drones para monitoramento e modernização dos serviços em CG

Publicada em 28/11 - 14h16
A Secretaria de Agricultura de Campina Grande vai começar a utilizar drones para modernizar o trabalho.
O aparelho vai ser usado para monitoramento meteorológico, acompanhamento de crescimento de lavouras, mapeamento de pragas e doenças, drenagem topográfica, acompanhamento de desmatamento, monitoramento de barreiros e açudes, focalizar perfuração de poços entre outros.
– Estamos buscando inovar com o uso do drone, como forma de modernizar e facilitar o nosso trabalho. Essa inovação vai trazer muitos benefícios para o homem do campo. A Secretaria deve contratar pessoal ou até capacitar os próprios técnicos, para usar esse tipo de instrumento – disse o secretário de agricultura de Campina Grande, Fábio Medeiros Agra.
Ele ainda contou que o drone vai começar a ser usado a partir de 2018, com objetivo de ajudar os agricultores campinenses.
*As informações são da Rádio Campina FM



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented