|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 19/10/2017 / Armas autônomas podem fugir do controle do homem, alerta estudo



Armas autônomas podem fugir do controle do homem, alerta estudo ...  


Gemma Tetlow ...  


Uma nova corrida armamentista na inteligência artificial e robótica corre o risco de escapar ao controle humano, de acordo com um relatório preparatório para o Fórum Econômico Mundial de Davos, que acontece na próxima semana.

O relatório anual sobre "Riscos Globais" destaca a crescente preocupação com a falta de restrições regulatórias às tecnologias de inteligência artificial, cada vez mais usadas no setor de defesa e em outras áreas da vida, e que em breve poderão ser capazes de superar os seres humanos intelectualmente.


(Continue a ler abaixo ...)



Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Armas autônomas podem fugir do controle do homem, alerta estudo


Gemma Tetlow Financial Times

Uma nova corrida armamentista na inteligência artificial e robótica corre o risco de escapar ao controle humano, de acordo com um relatório preparatório para o Fórum Econômico Mundial de Davos, que acontece na próxima semana.

O relatório anual sobre "Riscos Globais" destaca a crescente preocupação com a falta de restrições regulatórias às tecnologias de inteligência artificial, cada vez mais usadas no setor de defesa e em outras áreas da vida, e que em breve poderão ser capazes de superar os seres humanos intelectualmente.

Embora argumente que reduzir o poder de comando humano pode aumentar a eficiência e ser necessário para aplicações como os carros autoguiados, o estudo também adverte sobre "o perigo de depender inteiramente das decisões de sistemas de inteligência artificial quando não compreendemos plenamente de que maneira os sistemas estão tomando suas decisões."

Até o momento, as aplicações da inteligência artificial vêm sendo relativamente estreitas e limitadas à solução de problemas como transações automatizadas de ações. No entanto, o campo está se desenvolvendo rapidamente, e tecnologias desse tipo já começam a ser empregadas em áreas nas quais as preocupações éticas e de segurança são mais fortes.

O relatório registra preocupação especial quanto ao campo dos sistemas autônomos de armas, que vem atraindo grandes investimentos.

Declarando que "uma nova corrida armamentista está se desenvolvendo no campo das armas robotizadas", o relatório diz que, à medida que o uso da inteligência artificial se torne mais comum, "também crescerão os riscos de que esses aplicativos operem de maneira imprevista ou que escapem ao controle dos seres humanos."

O texto acrescenta que "alguns pensadores sérios consideram que a inteligência artificial possa um dia vir a ameaçar nossa existência: uma "superinteligência" poderia buscar objetivos que não se alinhariam à existência continuada da humanidade."

Controle insuficiente
Bill Gates, fundador da Microsoft, declarou no ano passado que "sou uma das pessoas que se preocupam com a superinteligência. Primeiro as máquinas farão muitos trabalhos para nós, e não serão superinteligentes. Isso deve ser positivo, se administrarmos bem o processo. Mas algumas décadas depois, a inteligência delas talvez se torne forte o suficiente para causar preocupação."

O relatório afirma que a inteligência artificial tem o potencial de melhorar a produtividade e os processos decisórios em muitas áreas, mas destaca aquilo que descreve como o perigo do controle insuficiente.

"A inteligência artificial toma uma decisão, de uma maneira ou de outra. Pode nem ser uma decisão programada, mas algo aprendido ao longo do tempo por meio do reconhecimento de padrões", disse John Drziak, um dos autores do relatório, presidente de produtos especializados e risco internacional no grupo Marsh, que trabalha com corretagem de seguros e gestão de riscos.

Os perigos dessa forma de aprendizado mecânico foram revelados no ano passado quando um chatbot do Twitter teve de ser desativado depois de começar a postar mensagens cada vez mais racistas, sexistas e xenófobas, baseado naquilo que havia "aprendido" on-line.

O relatório destaca preocupações especiais quanto ao uso da inteligência artificial para fins militares, argumentando que usar a tecnologia para criar armas "representará uma mudança de paradigma na maneira pela qual guerras são combatidas, com profundas consequências para a segurança e estabilidade internacional."

Apontando o temor de que seres humanos encarreguem máquinas de tomar decisões sobre o uso de força letal, o estudo destaca que alguns dos princípios subjacentes da inteligência artificial não se enquadram aos padrões normais de pensamento humano.

"Se essa lógica binária —na qual a única coisa que importa é vencer, e a margem de vitória é irrelevante— for incorporada a um grande sistema de armas, isso pode levar à violação do princípio da proporcionalidade, porque um algoritmo não veria diferença entre vitórias que requerem matar um adversário ou matar mil", afirma o relatório.

"Talvez já tenhamos passado do ponto em que seria possível proibir o desenvolvimento desse tipo de arma. Uma corrida armamentista rumo a sistemas de armas autônomos é muito provável no futuro próximo."

Tradução de PAULO MIGLIACCI

Planalto diz que Temer não contradiz regras de segurança ao utilizar e-mail e celular


Marina Dias

O Palácio do Planalto informou que o uso de aparelhos convencionais de celular e contas de e-mail no Gmail pelo presidente Michel Temer não contrariam as normas de segurança da Presidência da República.
O GSI (Gabinete de Segurança Institucional) disponibiliza a Temer um telefone criptografado, na mesa de seu gabinete, com tecnologia desenvolvida pela Abin (Agência de Segurança de Inteligência), mas o presidente prefere continuar fazendo uso de linhas pessoais, como noticiou o jornal "O Globo".
Segundo a assessoria de comunicação do Planalto, Temer trocou os dois números que utilizava depois que os dados foram publicados pelo site oficial da Câmara dos Deputados.
Os contatos estavam registrados em um aparelho do ex-ministro Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo), hoje preso pela Lava Jato, e foram divulgados no site da Câmara, junto com vídeos da delação do operador Lúcio Funaro, que implica diretamente Temer. A Casa votará a segunda denúncia contra o presidente este mês.
Conta Gmail
O Planalto informou também que Temer utiliza "prioritariamente" contas de e-mail da Presidência da República, mas que, "em caos de limitações técnicas", faz uso de e-mail privado.
O site da Câmara mostrou que o presidente utiliza e-mail hospedado no Gmail, da Google, mantido desde quando era vice-presidente do governo Dilma Rousseff. A informação também está disponível no celular apreendido de Geddel.
Temer utiliza a conta para se comunicar com aliados, inclusive com Geddel, antes deste ser preso suspeito de ser o dono de R$ 51 milhões apreendidos em um apartamento em Salvador (BA).
O uso de servidores privados causou uma das maiores crises da campanha da democrata Hillary Clinton à Presidência dos Estados Unidos no ano passado.
Quando foi secretária de Estado, de 2009 a 2013, Hillary dispensou o e-mail oficial e, "por conveniência", segundo ela própria, usou servidores pessoais.
Parte do conteúdo ou já era classificado –como supersecreto, por exemplo– ou foi colocado desta maneira em seguida.
Portanto, ao usar um servidor privado, Hillary no mínimo teria posto em risco segurança nacional, ficando vulnerável, por exemplo, a ataques de hackers.
O episódio foi utilizado contra Hillary durante a campanha pelo então candidato republicano, Donald Trump.
O FBI, política federal americana, chegou a investigar o caso e, por fim, disse que não recomendaria o indiciamento da democrata, embora a tenha acusado de ser "extremamente descuidada".

PORTAL UOL


Comandante da FAB diz que faltam recursos para voos de suprimento a bases militares nas fronteiras


Luis Kawaguti

O comandante da FAB (Força Aérea Brasileira), tenente-brigadeiro do ar Nivaldo Luiz Rossato, afirmou que estão faltando recursos para a realização de voos frequentes de abastecimento destinados a pelotões especiais de fronteira do Exército, isolados em áreas remotas do Brasil. Ele estimou que cerca de 30% dos pilotos da Força Aérea não estão realizando voos por contingenciamento de verbas.
Os voos de apoio da FAB para bases do Exército na fronteira servem para levar comida, gás de cozinha, combustível, munições e outros itens básicos para guarnições isoladas na selva amazônica. Quando esses voos não são frequentes, o suprimento dos militares depende de pequenos comboios que seguem em pequenos barcos ou a pé pela selva em viagens que duram vários dias.
"Nós estamos voando 120 mil horas [por ano] e já voamos 200 mil horas. Temos uma grande quantidade de pilotos fora do voo por falta de recursos", disse Rossato em entrevista ao UOL durante o Segundo Encontro Internacional Sobre Financiamento de Projetos de Defesa, em São Paulo.
ImagemNos últimos cinco anos, as Forças Armadas sofreram com cortes de mais de 40% em seus orçamentos.
Segundo o comandante da FAB, além de não conseguir voar semanalmente para os 24 pelotões de fronteira do Exército na região amazônica, ainda haveria falta de recursos para levar suprimentos para bases militares em Porto Velho (RO), Boa Vista (RR), Manaus (AM), Belém (PA).
"Aquele militar que está a 2 mil quilômetros, a 3 mil quilômetros [dos centros urbanos], se ele tivesse toda a semana um avião pequeno o atendendo, ele ficaria feliz da vida. Se rareia isso é preciso ir de barco, o que dificulta o trabalho. Queríamos atendê-los com muito mais frequência", disse.
Os pelotões de fronteira são muitas vezes a única representação do Estado brasileiro em regiões remotas de selva. A função deles é proteger a fronteira de ameaças externas e combater o tráfico de armas de drogas.
Voos de apoio para a reconstrução da base da Marinha no continente Antártico também estariam sendo afetados.
O comandante afirmou que a FAB vai propor ao Ministério da Defesa que antecipe a disponibilização de recursos para atender o Exército e a Marinha.
Reestruturação
Imagem
Rossato também disse que a FAB está apostando em recursos de tecnologia da informação e na contratação de militares temporários para tentar fechar até 25 mil vagas nos próximos 20 anos. Hoje a Força Aérea tem cerca de 70 mil militares.
Ele afirmou, porém, que o processo de reestruturação da Aeronáutica não está relacionado aos cortes de orçamento nas Forças Armadas.
A redução de tamanho da FAB, que começou em 2015, está relacionada às novas características da aviação, que necessitaria mais de alta tecnologia do que de pessoal.
Bases aéreas antigamente necessárias para proteger todo o território nacional estão sendo fechadas. Isso porque os aviões modernos têm velocidade e autonomia de voo para para atingir regiões distantes sem bases de apoio.
"Mas nós não vamos demitir ninguém, nós deixamos de ingressar gente nova na Força Aérea e colocamos pessoal temporário", disse o comandante. As escolas de formação da Aeronáutica estão tentando reduzir pela metade o número de alunos.
Segundo ele, enquanto isso os oficiais de carreira vão se aposentando naturalmente. Muitos postos vão então sendo substituídos por vagas de oficiais temporários.
"Temos engenheiros, médicos, dentistas, comunicadores, todo o tipo de especialização. Esse pessoal entra e permanece por até oito anos. Eles já vêm prontos do mercado e crescem profissionalmente". Outro fator de redução de custos é que a FAB não precisa pagar pensões aos temporários.
Questionado se isso não reduz a capacidade da Força Aérea, Rossato disse que não. Segundo ele, a economia de recursos poderia ser usada para outros destinos, se isso for autorizado pelo Legislativo.

PORTAL R7


Operações policiais na Rocinha completam um mês

Apesar da presença da PM, favela registra confrontos diários

As operações das Forças de Segurança na Rocinha, zona sul do Rio, completam um mês nesta quarta-feira (18). Com tiroteios quase que diários, os moradores da favela ainda vivem em clima de insegurança. Com emprego das Forças Armadas e ações frequentes das policiais estaduais, 27 suspeitos foram presos, sete menores apreendidos e dez suspeitos mortos. Também foram apreendidos 19 fuzis, 39 granadas e mais de duas toneladas de drogas, entre outros itens.

AGÊNCIA CÂMARA


Audiência nesta quinta debate exigências orçamentárias de novo avião cargueiro da FAB

A Comissão Mista de Orçamento realiza nesta quinta-feira (19) audiência pública para debater as necessidades orçamentárias relacionadas ao projeto do novo avião cargueiro da Força Aérea Brasileira (FAB), o KC-390.

O deputado Victor Mendes (PSD-MA), autor do requerimento para o debate, ressalta que “o avião KC-390, produzido pela Embraer, vem sendo considerado uma mudança de paradigma quando o assunto se relaciona com os cargueiros utilizados pelos países em operações militares”.
“Nos últimos 60 anos, o avião que vem sendo o cargueiro principal nesse tipo de ação é o Lockheed Martin C-130 Hercules, criado em 1954. Agora, a expectativa é transformar o KC-390 no novo Hercules, o que significaria a venda de cerca de 700 desses aviões no mundo nas próximas duas décadas. A FAB, por sua vez, já encomendou 28 jatos”, afirma o deputado.
Victor Mendes destaca, entre as características do avião: parte da fuselagem blindada; sistemas para despistar mísseis; fly-by-wire (sistema eletrônico que substitui os velhos cabos e sistemas hidráulicos dos aviões de projeto mais antigo); motores a jato que permitem alcançar velocidade de 870 km/h.
Produção
O deputado lembra que o KC-390 começou a ser produzido em 2007, “saindo de fato do papel somente em 2015”. "O cargueiro deve fazer a sua estreia na FAB em 2018, e a Força Aérea de Portugal está em negociação para a aquisição de cinco unidades. Outros países da Europa e também da América do Sul demonstraram interesse. Pela importância do projeto, é fundamental a suplementação orçamentária nas ações de aquisição e desenvolvimento do cargueiro tático militar”, diz Mendes.
Foi convidado para a audiência o presidente da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (Copac/Brasília), brigadeiro-do-ar Marcio Bruno Bonotto.
A audiência está marcada para as 10h15, no plenário 2.

PORTAL EXAME.COM


Após rejeitar denúncia na CCJ, Câmara tenta retomar normalidade

ÀS SETE - Hoje os parlamentares têm na pauta uma audiência para debater as necessidades orçamentárias relacionadas ao projeto do novo avião cargueiro da FAB

Como se nada houvesse acontecido, a Câmara dos Deputados tem na pauta desta quinta-feira uma audiência para debater as necessidades orçamentárias relacionadas ao projeto do novo avião cargueiro, o KC-390, da Força Aérea Brasileira. Nem parece que em dois dias, ou quase 24 horas somadas de discussão, os parlamentares trataram de uma denúncia contra o presidente da República.
Na noite de quarta, foi aceito o relatório de Bonifácio Andrada (PSDB-MG) que recomenda o arquivamento da acusação por obstrução de Justiça e organização criminosa contra Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco.
O placar, mais esperado impossível, foi de 39 votos favoráveis e 26 contra. Está exatamente na margem que o governo contava, que iria até 41 votos pró-Temer. Orientaram votação a favor do parecer: PMDB, PP, PSD, PR, DEM, PRB, PTB, SD, PSC e Pros, enquanto PT, PSB, PDT, Podemos, PCdoB, PPS, PHS, Rede e PSOL foram contrários. PSDB e PV liberaram suas bancadas.
A denúncia vai agora a Plenário e está pré-agendada para a próxima quarta-feira, dia 25 de outubro. Assim como aconteceu com a votação no Senado, que desautorizou o Supremo Tribunal Federal e devolveu o mandato de Aécio Neves (PSDB-MG), não há viva alma que acredite que as acusações da Procuradoria-Geral da República ficarão de pé.
A pauta desta quinta na Câmara é um demonstrativo de como o Congresso promete – depois de uma semana que deveria ser de intensa emoção, mas foi de episódios intensos de fisiologismo – voltar aos ares de normalidade.
Ao entrar o mês de novembro, governistas tentarão embarcar de vez na reforma da Previdência. Daqui em diante, esse será o único assunto em pauta em Brasília. Parlamentares terão até o recesso de fim de ano para aprovar alguma mudança no sistema de aposentadoria, sem que uma pauta desgastante adentre o ano eleitoral.

PORTAL DEFESANET


Exclusivo - KC-390 – Testes ao Extremo

Teste de ESTOL (perda de sustentação) da aeronave cargueira multimissão KC-390 é para tripulação com "nervos de aço"

Nelson Düring Editor-chefe Defesanet

No dia 12 de Outubro, seguindo o cronograma de testes, a aeronave protótipo do Cargueiro Multimissão KC-390, PT-ZNF, decolou da pista da EMBRAER de Gavião Peixoto (GPX) para o voo de Prova 38 segundo o registro do Flight Radar.
Após cerca 51 minutos de voo, quando a +- 21/22.000 pés a aeronave iniciou um teste de ESTOL (Stall) perda de sustentação, que levou perder cerca 18.000 pés em curto espaço de tempo 6 a 8 minutos.
Imagem
No ponto onde está a aeronave em amarelo, começou a perda de altitude, após estabilizar, em 3 a 4000 pés, e cerca de 200 milhas horárias até o pouso em GPX.
Muitos leitores de DefesaNet acompanharam a notificação de emergência dada pela tripulação.
Solicitada a EMBRAER enviou à DefesaNet o comunicado abaixo.
Comunicado EMBRAER

18 Outubro 2017
Um protótipo do avião de transporte multimissão KC-390 realizou na manhã de quinta-feira, 12 de outubro, ensaios em voo para situação de estol, que resultam em perda de altitude da aeronave, devido à diminuição da força de sustentação, como parte da campanha de testes para certificação.
Em razão das manobras efetuadas e seguindo os protocolos estabelecidos, a tripulação solicitou retorno antecipado à base, pousando normalmente no aeródromo da companhia em Gavião Peixoto (SP) onde a campanha de ensaios é realizada.
A entrada em serviço do KC-390 está prevista para acontecer em 2018, conforme o cronograma do programa. Atualmente, dois protótipos do KC-390 somam mais de 1.300 horas de voo.
A surpresa é que aeronaves de grande porte, civis e militares, realizam testes de ESTOL. No caso do KC-390 uma série de cuidados foram preparados.
ImagemImagens capturadas do Flightradar24. Observar o tempo de voo e a altitude.

Nas aeronaves civis são colocados limites nos comandos para que a tripulação não ultrapasse os limites críticos da aeronave. O evento de perda da força de sustentação também pode ocorrer por questões naturais como uma corrente de vento.
No caso do KC-390 aeronave militar, uma situação tática operacional de emergência pode requerer uma manobra brusca.
A surpresa é que aeronaves de grande porte, civis e militares, realizam testes de ESTOL. No caso do KC-390 uma série de cuidados foram preparados:
- Testes em túnel de vento sobre a possível interferência do fluxo de ar das asas nos lemes traseiros (crítico para aeronaves com cauda em T);
- Inúmeros testes em simulados para checar a performance do Fly by Wire (FBW);
- A resistência ao stress imposto aos comandos elétricos;
- A resposta dos comando de voo, e,
- Redundância de sistemas.
DefesaNet cumprimenta à equipe de projeto do KC-390 e a perícia da tripulação que é posta à grande pressão durante o teste. Como diz o documento sobre testes de ESTOL em aeronaves de grande porte.

“Patience is a virtue because several thousand
feet of altitude may need to be traded for airspeed.”
Ou simplesmente ter "nervos de aço".

“ Stalling Transport Aircraft” Technical paper de engenheiros da Airbus e Boeing

JORNAL O TEMPO (MG)


Rádio Super Notícia FM vence primeiro prêmio


Da Redação

Menos de quatro meses depois de estrear, a rádio Super Notícia FM conquistou seu primeiro prêmio nacional. A reportagem “Vida que Vem do Céu”, das repórteres Ana Paula Pedrosa e Queila Ariadne, venceu o prêmio Abear de Jornalismo, promovido pela Associação Brasileira de Empresas Aéreas, na categoria Experiência de Voo. Foram 176 trabalhos inscritos de rádios, TVs, jornais impressos e portais de notícias de todas as regiões do Brasil.
A reportagem, veiculada nos jornais “Super N Últimas Notícias” e “Super N Primeiras Notícias” nos dias 19 e 20 de setembro, mostra como é feito o transporte de órgãos para transplante quando doador e receptor estão em cidades ou até países diferentes.
Os órgãos são levados em aviões oficiais, como os da Força Aérea Brasileira (FAB), da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, e também por companhias comerciais, que o fazem gratuitamente.
“É muito bom ter o trabalho reconhecido, principalmente quando o trabalho envolve contar histórias tão humanas”, afirma Queila Ariadne. “Fiquei impressionada com o amor que esses enfermeiros têm à sua profissão e com a logística complexa”, diz Ana Paula Pedrosa. A reportagem concorre agora ao grande prêmio Abear, que será revelado na cerimônia de entrega da premiação, em novembro, em São Paulo.

OUTRAS MÍDIAS


O RIO BRANCO (AC)


Acre será palco de nova agenda nacional para a Segurança Pública

Nos dias 26 e 27 de outubro, o Acre sediará dois grandes eventos: o 16º Fórum de Governadores da Amazônia Legal e o Encontro de Governadores do Brasil pela Segurança Pública e Controle das Fronteiras – Narcotráfico, uma Emergência Nacional. Através da iniciativa do governador Tião Viana, os dois momentos serão uma defesa de união do país, sobretudo no combate ao narcotráfico e na proteção da soberania nacional.
“Isso pode significar uma nova agenda de responsabilidades, uma nova maneira de enxergar o problema da droga, uma nova maneira de priorizar esse tema dentro do nosso país. O êxito disso pode significar o debate direto e aberto sobre o mais grave e ameaçador problema que nós temos no nosso país”, ressaltou o governador em entrevista coletiva nesta segunda-feira, 16.
A questão tem se agravado tanto no Brasil, que dados demonstram que de 2011 a 2015, o país registrou mais vítimas de mortes violentas intencionais (279.567) que a guerra da Síria no mesmo período (256.124). Só em 2015 foram apreendidas 110.327 armas no Brasil.
Na questão das drogas, o país é vizinho dos maiores produtores de cocaína do mundo: Bolívia, Peru e Colômbia. Devido a isso, o Brasil exerce papel estratégico no tráfico, o que reflete no aumento da criminalidade dentro do país.
“A solução é o caminho da inteligência, medidas de fiscalização e um trabalho de controle permanente. É preciso investir. Nós não podemos ter um grande efetivo das Forças Armadas do Brasil no Centro-Sul, e um investimento tão pequeno ainda na Amazônia”, reforça Tião Viana.
Investir e unir para salvar
Histórico no país e organizado em tempo recorde no Acre, o Encontro de Governadores Pela Segurança e Controle das Fronteiras já tem confirmada a presença do presidente Michel Temer, a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Eunício Oliveira.
Além de governadores do Brasil, devem participar também chefes de estados subnacionais e embaixadores da Colômbia, Bolívia, Peru, Equador e Alemanha.
Com tamanha mobilização de forças institucionais, a expectativa do Encontro é que saia dele a concretização de um Plano Nacional de Segurança Pública nos mesmos moldes dos já existentes para saúde e educação, além de uma Força-Tarefa de combate aos crimes transfronteiriços e proteção da soberania do país.
Com base em dados da ONU, América Latina e Caribe corresponderam, em 2012 e 2013, a 80% das apreensões de cocaína e por um quarto das apreensões de maconha do mundo. Paralelo a isso, a criminalidade tem feito suas vítimas principalmente entre os jovens entre 15 a 29 anos, que correspondem a mais da metade (53%) do total de mortos em 2015, sendo 31.264 pessoas mortas nesta faixa etária.
“O narcotráfico é o assunto mais ameaçador para as gerações presentes e futuras. Esse encontro pode significar uma nova maneira de enxergar o problema da droga e de priorizar o tema dentro do país. O êxito disso pode ser um debate direto e aberto sobre o mais grave problema que temos. Eu vivia dividindo a aflição com os meus colegas. Precisávamos fazer algo emergencial para uma intervenção imediata”, afirmou ainda o governador.
No cálculo dos investimentos, as disparidades são ainda maiores. Enquanto a União aplicou R$ 9 bilhões na Segurança Pública em todo o país em 2015, os nove estados da Amazônia Legal (Acre, Amazonas, Amapá, Rondônia, Roraima, Tocantins, Mato Grosso, Maranhão e Pará) investiram R$ 8,9 bilhões – praticamente o mesmo valor. Para o governador, é a hora de uma mudança profunda nesse sistema.
“Isso é uma desproporção, algo muito grave que estamos vivendo e não pode se dar dessa maneira.”

PORTAL NOVO NOTÍCIAS (RN)


Invasão chilena

Cassiano Arruda Câmara
Natal está recebendo, desde segunda-feira, 60 oficiais da Força Aérea de Chile, que vieram participar de um programa de cooperação com a FAB para treinamento, no CATRE, para se tornarem pilotos militares.

NOTICIAS SIN (REPÚBLICA DOMINICANA)


Senadores consideran es preocupante la salida de la Minustah de Haití

SANTO DOMINGO, República Dominicana.- Senadores de la zona fronteriza consideraron como preocupante la salida de la Misión de la ONU para la Estabilización de Haití (Minustah), luego de 13 años dando ayuda a esa nación.
El senador por Elías Piña, Adriano Sánchez Roa consideró que el organismo fracasó en su intento de formar una policía organizada.
Dijo que las autoridades dominicanas deben estar atentas a los movimientos de aquellos grupos que eran contenidos por la MINUSTAH.
Tanto Sánchez Roa como el senador por la provincia Independencia Juan Orlando, entienden que los organismos de Defensa dominicanos deben reforzar la seguridad en la frontera.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented