|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 01/08/2017 / Embraer está confiante que os EUA aprovarão a venda de aviões para o Irã


Embraer está confiante que os EUA aprovarão a venda de aviões para o Irã ...  


A Embraer pode vender em breve aeronaves para o Irã, mas isso se o Departamento do Tesouro dos EUA aprovar a compra. A fabricante brasileira disse que por enquanto o órgão americano ainda está avaliando a compra das aeronaves regionais por companhias do Irã.

A empresa também está mantendo o otimismo na aprovação do governo americano, já que o mesmo autorizou a venda de aviões da Airbus para o Irã e está no caminho de aprovar uma encomenda da Boeing para a Iran Air. De acordo com a Embraer, os requisitos solicitados pelo Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros dos EUA para emitir as licenças não são um problema grave para a empresa.

Em fevereiro o Irã confirmou que duas companhias do país, a ATA e a Kish Air, estavam negociando com a Embraer a compra de 50 aviões regionais para equipar as companhias aéreas do país, e essa informação foi confirmada pelo porta-voz do governo iraniano, Mohammad Bagher Nobakht. O acordo de compra dos E195 E2 pode valer mais de US$ 1 bilhão quando finalizado.

Como o E195 da Embraer é equipado com motores da GE, os Estados Unidos exigem uma aprovação especial para o motor americano equipar uma aeronave direcionada ao Irã, e como nós sabemos, não é possível vender um avião sem o motor.

Essa encomenda deriva de uma importante visita do Ministro do Comércio do Brasil, Armando Monteiro, onde houve a negociação da venda de vários produtos industriais, como carros, ônibus, caminhões e os aviões da Embraer.



Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


No 4º dia no Rio, militares patrulham vias, mas deixam zona sul e centro

Soldados agem em pontos como o Arco Metropolitano, onde interceptaram três homem que portavam 200 gramas de maconha

Mariana Durão, O Estado De S.paulo

ImagemRIO - No quarto dia da Operação o Rio Quer Segurança e Paz, as Forças Armadas seguem presentes em alguns pontos do Estado, como o Arco Metropolitano. No centro e na zona sul do Rio de Janeiro, onde no fim de semana havia muitos militares, em especial na orla, não houve patrulhamento ostensivo nesta segunda-feira, 31. O mesmo ocorreu em vias importantes de acesso ao Rio, como as Linhas Vermelha e Amarela.
Pela manhã militares, faziam blitze nos dois sentidos do Arco Metropolitano, na altura do município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Eles paravam em torno de quatro carros a cada dez minutos e chegaram a interceptar três homens que portavam 200 gramas de maconha. As tropas também reforçavam a segurança em locais como a Avenida Brasil, a Ponte Rio-Niterói e a zona portuária da cidade.
A Operação O Rio Quer Segurança e Paz começou na sexta-feira, 28, com a mobilização de 8,5 mil militares em ações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO).
 Nas ruas
A redução da presença dos militares nas ruas já era prevista na segunda etapa da operação. No sábado, 29, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse que ela já estava sendo preparada e que consistiria em ações de inteligência contra o crime organizado, principalmente o tráfico de drogas e armas, além de ter menos homens nas ruas.
"Nossa lógica não é a da ostensividade, mas de golpear o crime organizado", disse Jungmann.
O porta-voz do Comando Militar do Leste, coronel Itamar, disse nesta segunda-feira, em entrevista ao telejornal RJTV, da Rede Globo, que após três dias de operações os objetivos de reconhecimento, adaptação das tropas e levantamento de dados foram atingidos.
Segundo ele, à medida em que isso ocorre é natural que haja uma presença menor das tropas nas ruas. "Hoje não há necessidade de todo o efetivo (de 8,5 mil homens) nas ruas", disse o coronel.
Ele não descartou uma volta surpresa dos militares a qualquer momento. O foco no momento será trabalhar os dados obtidos para planejar com eficiência as ações futuras.
No início da manhã desta segunda-feira, o ministro Jungmann recebeu uma atualização da operação no Comando Militar do Leste. Em seguida se reuniu com o procurador-geral da Justiça, Eduardo Gussem, na sede do Ministério Público do Rio. Há ainda uma reunião marcada com o prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB).
Neste domingo, 30, o presidente Michel Temer (PMDB) veio ao Rio e fez um sobrevoo de helicóptero sobre os pontos com atuação militar. Em rápida declaração à imprensa após reunião de avaliação com autoridades estaduais, federais e militares, ele comemorou os primeiros resultados.
"A primeira conclusão que se tem é que já diminuiu nesses dois ou três dias enormemente os índices de criminalidade, especialmente o roubo de cargas", disse Temer.

PORTAL UOL


Guarda Municipal vai ajudar Forças Armadas em operação no Rio, anuncia Jungmann


Carolina Farias

Após reunião com o prefeito do Rio, Marcello Crivella, o ministro da Defesa, Raul Jungmann (PPS), anunciou nesta segunda-feira (31) que a GM (Guarda Municipal) da cidade vai ajudar na Operação Segurança e Paz, que mobiliza as Forças Armadas em ações de combate contra a criminalidade no Estado.
"Ainda hoje pela manhã batemos em todas as portas das instituições, das lideranças, do governo, das associações no sentido de nos unir. Ainda ontem [domingo], com a visita do presidente, o prefeito colocou à disposição a Guarda Muunicipal que já está participando da operação", afirmou o ministro.
O presidente Michel Temer esteve neste domingo (30) no Rio para acompanhar a operação das tropas e para afirmar que as forças federais de segurança ficam no Rio até o fim de seu mandato.
Segundo Jungmann, a GM tem 8.500 homens que vão atuar nas ruas para combater crimes como roubos e furtos e assim deixar a Polícia Militar para atuar em outras operações.
"Não antecipamos nada, não vamos passar ao nosso adversário onde vamos golpeá-lo. Teremos o elemento-surpresa. Quanto à GM, ela tem dados, informações, conhece a realidade da população. Ela tem condições de ajudar dentro de suas dentro de suas diretrizes", afirmou o ministro.
"É o varejo, combater o roubo de celular, os arrastões nas praias e assim as operações ficam por conta da PM, Polícia Civil, Polícia Federal", disse Crivella.
A Operação Segurança e Paz deve mobilizar 8.500 militares ao menos até o final deste ano para tentar diminuir os índices de violência e a sensação de insegurança. No entanto, segundo Jungmann, a presença das forças federais nas ruas será menos ostensiva a partir de agora.
"Entramos na fase de encerramento e reconhecimento que iríamos fazer. Há uma retração que se iniciou hoje e já estamos no planejamento da segunda etapa que deve ocorrer brevemente", afirmou.
Aplausos
O ministro disse que a presença de tanques em pontos turísticos, como na Praça Mauá, e lugares na zona sul, como no Largo do Machado, motivou aplausos na população.
"É motivo de aplausos, alegria e de festa como todos nós vimos. O que assusta é a bandidagem, que inclusive se retraiu nesse período. Na população não é motivo de susto, mas de alegria e segurança", afirmou o ministro.
Jungmann disse que recebeu informe da Polícia Civil de que roubos de cargas diminuíram desde a presença das Forças Armadas nas ruas. "A polícia nos relatou que houve redução nos roubos de carga na região metropolitana. Os números Os números estão com a Polícia Civil", afirmou.
Jungmann negou que as tropas estejam privilegiando pontos turísticos ou a zona sul carioca.
"Estamos com 10 mil homens. Estamos na zona norte, na zona oeste, na baixada, região metropolitana. Não tem região privilegiada. Não descartamos uma segunda, terceira ou quarta fase da operação no Estado ou outras regiões", afirmou.

PORTAL G-1


Guarda municipal do Rio vai ajudar a combater o crime, diz ministro da Defesa

Ministro da Defesa e prefeito se encontraram na sede municipal nesta segunda-feira (31). Mesmo sem armas, corporação ajudaria contra pequenos delitos.

Por Gabriel Barreira, G1 Rio

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, se reuniu nesta segunda-feira com o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, na sede da prefeitura, no Centro. Após o encontro, eles declararam que a Guarda Municipal vai ajudar na operação Seguranca e Paz, liderada pelas forças armadas.
De acordo com o secretário municipal de ordem pública, Coronel Paulo César Amêndola, que também participou da reunião, a guarda ficaria incumbida de coibir pequenos delitos para liberar a Polícia Militar no enfrentamento ao tráfico de drogas.
Ele não esclareceu como o trabalho será feito sem o uso de armas letais por parte dos guardas, já que é proibido.
"A Guarda Municipal, ocupando determinados trechos da cidade do Rio de Janeiro, vai liberar a Polícia Militar para uma atuação mais repressiva, conforme disse o ministro, para desarmar os arsenais da droga. Quem vai ocupar o asfalto é a Guarda Municipal com a sua ostensividade e efetivo, tirando a sobrecarga da Polícia Militar", destacou Amêndola.
Jungmann afirmou ainda que a guarda auxiliará também com trabalhos de inteligência, já que "conhece a realidade da população".
"A guarda tem condições de nos ajudar imensamente neste combate ao crime organizado dentro daquilo que são as diretrizes estabelecidas pelo senhor prefeito", afirmou o ministro.
O ministro da Defesa confirmou que houve diminuição do número de militares nas ruas, mas justificou pelo fim do que chamou de "primeira etapa" da operação, que seria de reconhecimento. A segunda, diz ele, pode começar a qualquer momento. Mas ele não detalhou como foi idealizada.
Sobre o uso de carros e militares fortemente armados nas ruas, Jungmann afirmou que a postura é bem vista por moradores, dizendo que a população se sente mais segura. "Isso é motivo de aplauso, de alegria e de festa. O que assusta é a bandidagem, que inclusive se retraiu durante esse período".

Forças Armadas já preparam segunda fase da operação no RJ

Cariocas já sentiram menor presença das Forças Armadas na cidade nesta segunda-feira (31). Comando Militar do Leste diz que segunda fase terá menos ostensividade.

Por Rjtv

O Rio de Janeiro e o Governo Federal preparam a segunda fase da operação das Forças Armadas na cidade e em vias expressas do Estado. Por causa disso, o RJTV mostra o que já havia sido dito pelo Ministro da Defesa, Raul Jungmann, no último sábado (29): os cariocas começaram a sentir a ausência dos militares nesta segunda-feira (31).
"À medida que os objetivos vão sendo atingidos, ocorre uma presença menor das tropas no terreno. Os objetivos atingidos já estão sendo trabalhados. A presença das tropas foi menor porque concentramos os esforços no Arco Metropolitano e alguns pontos da Avenida Brasil", afirmou o coronel Roberto Itamar, porta-voz do Comando Militar do Leste. "Terminada essa primeira fase, começamos a segunda fase, com base no trabalho de inteligência para que se possa, através do elemento surpresa, atingir o crime organizado na sua infraestrutura", afirmou ele.
Já no Arco Metropolitano, a segurança e presença dos militares era reforçada. Em Copacabana, no Aterro do Flamengo, Leblon, Ipanema e Botafogo, não havia militares, assim como no Centro da cidade. "A ostensividade cessa e depois volta. Se me permitem uma imagem, é como um vagalume, cuja luz acende e apaga, acende e apaga", afirmou Jungmann no sábado.
"O objetivo é atacar a espinha dorsal do crime. Já começamos inclusive no fim de semana os planejamentos para a segunda fase. As pessoas podem ajudar muito contribuindo com o Disque-Denúncia", explicou o general responsável pela operação Segurança e Paz.
O Presidente Michel Temer afirmou que houve diminuição dos índices de criminalidade, especialmente no roubo de cargas. No entanto, não foram apresentados números na coletiva de imprensa neste domingo (30).

Petrópolis, RJ, faz simulado para prevenir enchentes e deslizamentos

Essa é considerada a maior ação de apoio à Defesa Civil e reúne as Forças Armadas em cinco cenários de desastre.

Por G1, Petrópolis

Começa nesta segunda-feira (31), a partir das 13h, em Petrópolis, Região Serrana do Rio, o Exercício Conjunto de Apoio à Defesa Civil (Ecadec), maior simulado de prevenção de desastres do país. As atividades serão realizadas na sede do 32° Batalhão de Infantaria Leve - Batalhão Dom Pedro II, na Vila Militar. Cerca de 100 pessoas vão participar do treinamento na cidade, segundo a Defesa Civil.
Os cenários escolhidos para a realização do exercício na cidade foram de chuvas intensas, seguidas por inundações, deslizamentos de terras e vendavais e um incêndio florestal de grande proporção. Essa é a primeira vez que o exercício ocorre fora de uma capital do país.
As atividades começam às 13h. O simulado prevê ainda, na quinta-feira (3), a evacuação de uma comunidade após o acionamento da sirene do sistema de alerta e alarme. O local escolhido para esse exercício foi a Rua João Xavier, no Bingen.
Segundo o diretor de Treinamento e Capacitação da Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias, tenente-coronel Gileno Alves, o objetivo do treinamento é trabalhar com os desastres mais comuns que acontecem em Petrópolis.
“A prevenção deve ser tratada como prioridade em Petrópolis. O simulado vai trabalhar com os desastres mais comuns que acontecem na cidade. Acredito que será um aprendizado enorme para a Defesa Civil municipal e de todo o Estado. Quando trabalhamos de forma organizada, podemos responder as catástrofes de forma mais rápida”, disse Gileno.
A primeira edição do Ecadec aconteceu em 2015, em Santa Catarina. Em 2016, o exercício ocorreu no Espírito Santo e, neste ano, será a vez do Estado do Rio de Janeiro sediar o simulado.
“É fundamental que a Defesa Civil trabalhe em conjunto com as Forças Armadas para que em um momento de catástrofe, a resposta seja mais rápida e eficaz. Estamos muito felizes em receber a atividade”, comentou Gileno.
O exercício conta ainda com a participação de representantes da Aeronáutica, Marinha, do Exército, Ministério da Integração Nacional, da Secretaria Nacional de Defesa Civil, da Universidade Federal Fluminense (UFF) por meio do Mestrado em Defesa Civil, da Secretaria Estadual e Municipal de Defesa Civil.
Como funciona o Ecadec
Sem tropas ou equipes no terreno, as situações são simuladas em fatos que já ocorreram anteriormente na cidade. No exercício, tudo funciona por meio de rede de computadores, sendo que os protocolos, planos e ações são coordenados entre as instituições para o emprego real. O treinamento é moldado para testar a integração entre todas as forças participantes em situações de apoio à Defesa Civil.

Gastos com eleição para governo do AM já somam R$ 22 milhões, diz TRE

Novas decisões do STF ainda podem resultar em eleição indireta; pleito está previsto para domingo (6).

Por G1 Am

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) já gastaram juntos cerca de R$ 22 milhões com a eleição suplementar para escolher o próximo governador. O Supremo Tribunal Federal (STF) volta do recesso nesta semana e, com a possibilidade de suspender o pleito, o dinheiro não volta mais para os cofres públicos.
Do total de gastos, o TRE desembolsou R$ 13 milhões, enquanto o TSE gastou R$ 3 milhões com a aquisição de um aparelho chamado "began", para transmissão de dados via satélite. Além disso, foram gastos R$ 6 milhões pelo TSE e pelo Ministério da Integração com envio de tropas.
O primeiro turno do pleito está marcado para ocorrer no domingo (6). Entretanto, a eleição ainda pode ter uma reviravolta. Isso porque ainda há processos a serem analisados pelo STF, que podem resultar na realização de eleição indireta. Na ocasião, a escolha do novo governador pode ficar nas mãos dos deputados.

ImagemForças armadas

Cerca de 5 mil homens das Forças Armadas e polícias Federal, Civil e Militar vão reforçar a segurança na eleição. As equipes do exército começam a ser deslocadas para 20 municípios do Amazonas nesta terça-feira (1º).
A Marinha vai reforçar a segurança em Itacoatiara e, a Aeronáutica, em Manacapuru. Eles saem de Manaus no fim de semana. Policiais federais vão atuar em 15 cidades do interior. Policiais Militares e Civis vão ser enviados para todos os municípios. Veja como será o reforço na segurança:

*(Colaborou Roberta Bindá, da Rede Amazônica)

JORNAL DIÁRIO DE PERNAMBUCO


Licitação para o Aeroporto de Caruaru é oficializada

Também durante o Pernambuco em Ação, nesse sábado, foi confirmada a instalação de sinalizações turísticas.

Durante a edição do Pernambuco em Ação, em Caruaru, nesse sábado, foi assinada a autorização para a licitação do Aeroporto de Caruaru. O evento também marcou a confirmação da instalação de sinalizações turísticas relacionadas ao cicloturismo e aos patrimônios culturais e naturais da região. A ação da licitação do aeroporto contou com a assinatura do secretário de Turismo, Esportes e Lazer, Felipe Carreras, do secretário de Transportes, Sebastião Oliveira, da prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, e do governador do Estado, Paulo Câmara.
Até o fim do ano, está previsto o início dos serviços de recuperação, administração, operação e manutenção do Aeroporto Oscar Laranjeira. Para o secretário Felipe Carreras, a assinatura é o começo de um novo tempo para a aviação pernambucana. “Fico feliz em anunciar a publicação do edital da primeira fase de uma obra de grande importância para o turismo e desenvolvimento de uma região tão importante do estado. Falar de aviação é falar de oportunidades, facilitando a chegada de turistas, melhorando o ambiente de negócios e, por consequência, impactando na economia. Até o fim do ano, a Azul Linhas Aéreas deverá iniciar as operações no aeroporto", declarou Carreras.
Também durante o Pernambuco em Ação foi assinada a ordem de serviço de implantação de sinalizações para o cicloturismo e também para o indicativo turístico dos patrimônios culturais e naturais nos municípios de Gravatá, Bezerros, Bonito e Caruaru, os quais estão inseridos no Polo Agreste. Essa é uma iniciativa da Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco por meio do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur).
Serão implantadas placas de sinalização turística verticais, placas indicativas de sentido, placas de identificação do atrativo e de pedestres. A indicativa leva os usuários da via aos pontos turísticos existentes, orientando sobre sua direção ou identificando os atrativos. As placas são compostas por pictograma e legenda correspondente a cada atrativo, associado ou não a distâncias ou setas direcionais. O valor do investimento da obra é de R$ 469 mil e ela tem prazo de início no dia 1º de agosto deste ano.

AGÊNCIA BRASIL


Brasil desaprova nova Constituinte na Venezuela e pede que não seja instalada


Aécio Amado - Repórter Da Agência Brasil*

O governo brasileiro criticou a decisão do governo venezuelano de convocar a Assembleia Constituinte, mesmo diante do pedido da comunidade internacional pelo seu cancelamento. Em nota, o Itamaraty informou que o Brasil lamenta a convocação da Constituinte “nos termos definidos pelo Executivo” da Venezuela e solicita que a assembleia não seja instalada.
“Diante da gravidade do momento histórico por que passa a Venezuela, o Brasil insta as autoridades venezuelanas a suspenderem a instalação da assembleia constituinte e a abrir um canal efetivo de entendimento e diálogo com a sociedade venezuelana, com vistas a pavimentar o caminho para uma transição política pacífica e a restaurar a ordem democrática, a independência dos Poderes e o respeito aos direitos humanos”, diz a nota.
De acordo com a chancelaria brasileira, a “iniciativa do governo de Nicolás Maduro viola o direito ao sufrágio universal, desrespeita o princípio da soberania popular e confirma a ruptura da ordem constitucional na Venezuela”. Para o Itamaraty, o país já dispõe de uma Assembleia Nacional legitimamente eleita e uma nova assembleia formaria “uma ordem constitucional paralela, não reconhecida pela população, agravando ainda mais o impasse institucional que paralisa a Venezuela”.
A oposição venezuelana convocou para hoje (31) um protesto contra a Assembleia Nacional Constituinte que, a partir desta semana, começa a reescrever as regras do país. A eleição dos 545 constituintes, ontem, foi marcada pela violência. Segundo o Ministério Publico da Venezuela, dez pessoas morreram em enfrentamentos entre manifestantes e as forças de segurança – entre elas, um sargento e dois adolescentes.

A nota ressalta também que o governo brasileiro está preocupado com a escalada da violência em face do acirramento da crise naquele país, “agravada pelo avanço do governo sobre as instâncias institucionais democráticas ainda vigentes no país e pela ausência de horizontes políticos para o conflito”. O Brasil condena o cerceamento do direito constitucional à livre manifestação e repudia a violenta repressão por parte das forças do Estado e de grupos paramilitares, durante a votação para a escolha dos constituintes nesse domingo (30).
Legislativo
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também divulgou nota lamentando a decisão do governo da Venezuela. Maia afirmou que Maduro ignorou os apelos da comunidade internacional, incluindo o comunicado dos chefes de Estado do Mercosul e violou as normas da Constituição vigente no país.
Maia diz ainda que a assembleia é ilegítima e que “não reconhecerá, nem dará validade a qualquer ato jurídico” que resultar da nova constituinte. O presidente reafirmou que o Parlamento brasileiro reconhece apenas a assembleia nacional já constituída no país.
*colaborou Débora Brito

Exercícios vão simular reação a desastres em Petrópolis


Vinicius Lisboa - Repórter Da Agência Brasil

Ações simuladas em cenários de chuvas intensas, deslizamentos de encostas e inundações reunirão militares e civis em Petrópolis a partir de hoje (31). A cidade da região serrana do Rio de Janeiro já foi cenário de desastres causados pela natureza e receberá o terceiro Exercício Conjunto de Apoio à Defesa Civil, que termina na próxima sexta-feira. As edições anteriores ocorreram em Santa Catarina, em 2015, e no Espírito Santo, em 2016.
No maior desastre natural da história do Brasil, mais de 900 pessoas morreram na Região Serrana do Rio de Janeiro em 2011. Naquele ano, chuvas intensas caíram em poucas horas, causando estragos e mortes em cidades como Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo.
Agora, cerca de 150 pessoas vão participar das simulações, que contam com organização dos Ministérios da Defesa, da Integração e da Saúde. O exercício ocorrerá no 32º Batalhão de Infantaria do Exército e vai treinar decisões que seriam necessárias nesses cenários, sem a simulação do emprego de tropas no terreno.
As situações de crise serão criadas de forma virtual, segundo o capitão de mar e guerra Walter Marinho. Os agentes envolvidos vão tomar decisões que envolvem desde o resgate de vítimas até a distribuição de alimentos para os sobreviventes.
Como será
"O exercício prepara a atuação das Forças Armadas de forma integrada com outras agências para atuar em diversas ocasiões. Pode ser no resgate às vítimas, mas também pode ser no atendimento de saúde e desobstrução de vias. Vários cenários em que as Forças Armadas podem atuar em conjunto com órgãos da Defesa Civil, visando reduzir o sofrimento das pessoas", explicou o oficial da Marinha.
Além do desastre natural mais comum na Região Serrana do Rio, o exercício vai simular também situações decorrentes de um acidente industrial/químico na Refinaria de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.
Outro cenário incluso no exercício envolverá incêndios florestais, que também já ameaçaram ecossistemas e moradores na Região Serrana, onde fica o Parque Nacional da Serra dos Órgãos. Será a primeira vez que o combate a incêndios fará parte da atividade, o que atendeu a um pedido da Defesa Civil estadual, segundo o Exército.

JORNAL DIÁRIO DE CUIABÁ


Só de boas


Depois de duas semanas gripado e uma com o PC no estaleiro nada como retomar o elã com boas notícias que precisam ser compartilhadas, em especial, em momentos como este em que o lado ruim do Brasil predomina nos noticiários. Ainda que a pretexto de execração as más notícias se alastram como vírus perverso e contaminam todos os meios de comunicação, corações e mentes, dando impressão de que tudo virou essa tranqueira nefasta e que tudo é negativo sem luzes indicativas para possíveis saídas. Mas não é bem assim, ou melhor, talvez a gente não queira que seja assim apegando-nos às notícias boas que aparecem aqui e ali nesse mar de lama como se fossem boias de esperança.
E vamos às boas. Semana trazada Cuiabá sediou uma das etapas do Gran Prix Mundial de Vôlei Feminino com jogos decisivos para a classificação da seleção brasileira para as finais na China. Estiveram no calor cuiabano, amainado naqueles dias por uma ligeira virada do tempo, algumas das melhores seleções do mundo, Brasil, Bélgica, Holanda e Estados Unidos, esta treinada por Karch Kiraly, ícone mundial do esporte. Uma grande chance para os jovens mato-grossenses verem ao vivo as grandes atletas, sentindo que seus ídolos são gente da carne e osso, igual a todos, e não um feixe de elétrons, distantes, servidos no conforto dos sofás, com pipocas, pizzas e refrigerantes. São reais e podem muito bem servirem como boas inspirações de vida.
Num mesmo domingo, tendo pela manhã o jogo decisivo do Brasil contra os Estados Unidos, no período da tarde aconteceu a espetacular apresentação da Esquadrilha da Fumaça, enchendo as ruas da cidade no entorno do belo Parque Tia Nair. Tanto nas ruas quanto no Ginásio Aecim Tocantins o público em delírio a cada jogada das extraordinárias jogadoras brasileiras e americanas ou a cada manobra dos exímios pilotos da Força Aérea Brasileira. Cinquenta mil pessoas? É muito bom ver jovens e adultos, famílias inteiras vibrando juntos positivamente.
Nessa mesma linha de grandes eventos surgiu a determinação do prefeito Emanuel Pinheiro pela inserção da cidade no circuito nacional de corridas de Stock Cars, e já iniciando tratativas para viabilização do grande evento como parte das comemorações dos 300 anos de Cuiabá. A ideia é ser nas pistas em volta do belo Parque das Águas, local bem escolhido. Há que se torcer muito, pois trata-se de evento de altos custos. Mas se outras cidades de mesmo porte podem ter por que não se pode tentar aqui. O perigo são aqueles “do contra” e que nessa hora para dourar seus discursos lembram de hospitais, escolas, cadeias, esquecendo que investir pesado em esporte e lazer de qualidade é a forma mais eficaz e sustentável de se promover a Saúde verdadeira.
Outra boa notícia partiu também do prefeito de Cuiabá, acenando em presentear a cidade no seu Tricentenário com seu Centro Histórico revitalizado como um centro cultural universitário com o apoio de diversas instituições de ensino que já teriam manifestado interesse. Promete muitas possibilidades de incentivos fiscais e de serviços de apoio. Brilhante, muito embora o rebaixamento da fiação seja um obstáculo a esse antigo sonho cuiabano. Mas isso já é o vírus da ruindade querendo contaminar nossa esperança. O prefeito saberá como somar as forças da prefeitura, com o estado e a União, esta com importante responsabilidade no assunto já que se trata de um Patrimônio Histórico Nacional.
Sem dúvidas boas notícias. O mais importante é encarar o presente e o futuro de forma positiva e nas dimensões atuais de Mato Grosso e sua capital. Bem trabalhados todos os custos voltarão em forma de emprego, renda e qualidade de vida para a população.
JOSÉ ANTONIO LEMOS DOS SANTOS, arquiteto e urbanista, é conselheiro do CAU/MT e professor universitário

JORNAL A CRÍTICA (MS)


Comissão federal vai discutir atuação das forças armadas em MS, diz Temer a Reinaldo Azambuja


Campo Grande (MS) – A inclusão de Mato Grosso do Sul no plano de ação das Forças Armadas será discutida por uma comissão federal, a mando do presidente Michel Temer. Nesta segunda-feira (31.7), Temer se reuniu com o governador Reinaldo Azambuja e durante o encontro ficou definido que uma Comissão formada por integrantes dos ministérios da Defesa e da Justiça e Segurança Pública virá ao Estado nos próximos dias para verificar a situação nas fronteiras.
“Mais uma vez, o presidente Michel se mostrou sensível à situação de abandono das nossas fronteiras, que estão escancaradas. Ele (presidente) disse que vai mandar uma equipe para Mato Grosso do Sul para avaliar a situação e discutir um plano de ação das Forças Armadas em nosso Estado”, divulgou Reinaldo Azambuja.
O documento “Importância dos Investimentos em Segurança Pública nas Fronteiras do Brasil com o Paraguai e a Bolívia” mostra, em dados estatísticos, a fragilidade da segurança nas fronteiras e reforça o pedido do envio das tropas federais a Mato Grosso do Sul. Foi entregue pessoalmente pelo governador Reinaldo Azambuja ao presidente Michel Temer e aos ministros Aloysio Nunes (Relações Exteriores), Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo), Torquato Jardim (Justiça e Segurança Pública) e Sérgio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional).
Além de reforçar o pedido da presença federal nos mais de 1,5 mil quilômetros de fronteiras entre Mato Grosso do Sul e países vizinhos, Reinaldo Azambuja reiterou a importância do combate ao tráfico internacional de armas e de drogas – que abarrota o sistema carcerário estadual e aumenta o índice de criminalidade em todo o país.
Levantamento da Procuradoria-Geral do Estado (PGE-MS) aponta que cada preso federal custa R$ 3.617,29 por mês aos cofres públicos – valor superior à média nacional, de R$ 2,4 mil. No Estado, são 16.224 presos para 7.327 vagas. Em 2016, a polícia estadual apreendeu 296,8 toneladas de drogas, cujas operações, incluindo prisão de traficantes, também oneram o orçamento estadual. Nos últimos cinco anos, o volume de drogas apreendidas foi de 977 toneladas.

PORTAL DEFESANET


Inserção da Defesa como área científica traz perspectivas para o mestrado na FAB

Recém portaria que cria o doutorado profissional no país promove abertura para pesquisadores civis.

Na quinta reportagem da série sobre a reestruturação do ensino, destacamos como a recente inclusão da Defesa como área de saber científico, pela CAPES, vai trazer novas perspectivas para o ensino da pós-graduação na Universidade da Força Aérea (UNIFA), contribuindo como atrativo para pesquisadores civis da academia.
A atual criação do doutorado profissional no País também traz perspectivas para o desenvolvimento de pesquisas avançadas no campo da Defesa brasileira. Essas mudanças irão afetar o mestrado profissional do Programa de Pós-Graduação em Ciências Aeroespaciais (PPGCA) da Aeronáutica, em termos de parcerias, crescimento e internacionalização.
A Defesa como saber científico
Em entrevista realizada sobre o assunto, o Vice-Reitor Acadêmico da UNIFA, Brigadeiro Intendente Tirre Freire, da reserva, analisou o que simboliza essa decisão para a FAB. “O segmento da Defesa é um assunto antigo, que possui concepções iniciadas com a criação de documentos, como a Estratégia Nacional de Defesa e o Livro Branco de Defesa.
Essa decisão vai fazer com que os processos da Defesa sejam melhor recebidos, agora com roupagem civil no segmento acadêmico, promovendo uma integração do ambiente militar com a sociedade como parte do processo”, afirmou.
O Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa da UNIFA, Coronel Aviador Hudson Ávila Diniz, complementou como a novidade vai trazer integração entre pesquisadores civis com as temáticas militares. “A medida vai nos levar a ter pesquisadores para pensar especificamente no poder aeroespacial, mais sensíveis aos temas de defesa e segurança nacionais, sejam militares ou civis, o que irá contribuir estrategicamente para a abertura de vagas para pensadores na área de segurança do País, para pessoas capacitadas a preencher vagas no Ministério da Defesa”, destaca.
Aprovação da modalidade doutorado profissional pelo MEC
Outra novidade é a recente portaria divulgada pelo Ministério da Educação, n° 389, de 23 de março de 2017, que institui, no âmbito da pós-graduação stricto sensu, a modalidade do doutorado profissional, até então não existente no Sistema Nacional de Pós-Graduação.
A portaria tem o objetivo de capacitar profissionais qualificados para o exercício da prática profissional avançada, visando atender demandas profissionais e do mercado de trabalho; transferir conhecimento para a sociedade, por meio da solução de problemas e aplicação de processos de inovação apropriados; além de contribuir para aumentar a produtividade em empresas, organizações públicas e privadas.
A importância da abertura da pesquisa para o doutorado profissional traz perspectivas para o futuro desenvolvimento da UNIFA. “Pretendemos submeter um projeto de doutorado ao Alto-Comando da Aeronáutica.
Após a avaliação e decisão primeira do comandante em relação ao doutorado, a ideia é que, na sequência, passe pela análise para autorização do Comando-Geral do Pessoal e da Diretoria de Ensino, para que, em nosso planejamento, possamos, ao final do processo, realizar a submissão de um projeto junto à CAPES”, explica o Brigadeiro Tirre Freire.
A proposta de envio, segundo informou o Comandante, é no segmento de Ciências Aeroespaciais, área de maior expertise da UNIFA, que possui credenciamento pela CAPES, desde 2012, além de esse ser um dos pré-requisitos necessários para a aprovação e o reconhecimento acadêmico externo na futura implantação de um programa de doutorado na UNIFA.
“O curso do PPGCA existe desde 2004. Isso significa um processo que foi maturado ao longo dos anos. Nesse sentido, o alcance da concepção do doutorado significa coroar o processo iniciado na decisão de implantação do mestrado por autoridades no passado na FAB, além de ser uma oportunidade de realização do primeiro programa com doutorado oficial pela CAPES, realizado pelas escolas de pós-formação da Aeronáutica", ressalta o Oficial-General.
Parceria universitária entre os mundos civil e militar
A integração entre o mundo civil e o militar foi iniciada por uma série de parcerias da UNIFA em atuação junto às universidades de reconhecimento nacional.
Destacam-se as parcerias com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), além de outras escolas militares, como a Escola de Comando e Estado-Maior do Exército. “No País, temos duas parcerias que se destacam. No trabalho conjunto com o Instituto Tecnológico de Aeronáutica [ITA], universidade de renome internacional, através do Laboratório de Biotecnologia, os pesquisadores da UNIFA desenvolvem com os pesquisadores do ITA novos mecanismos para dar suporte aos futuros combatentes, de forma a prover a aplicação de novas tecnologias no auxílio da missão. Já na UFRJ, a parceria ocorre junto à graduação em Gestão de Defesa e os alunos da universidade têm a possibilidade de realizar estágio na UNIFA, promovendo uma maior troca entre o mundo civil e militar. Este ano já realizamos esse estágio no primeiro semestre e a intenção é de renovação do processo para o segundo semestre”, complementa o Brigadeiro Tirre Freire.
A intenção dessas parcerias e integrações é contribuir para a otimização os recursos humanos. “A reestruturação almeja integrar os processos, para tornar a Força Aérea mais moderna, mais flexível, mais ágil e mais econômica, utilizando melhor os recursos humanos e materiais”, avalia o Coronel Aviador Hudson Diniz.
Internacionalização como perspectiva
Entre os planos futuros da UNIFA está o interesse de internacionalização do programa de mestrado da instituição. "Esperamos que, daqui a quatro anos, o nosso programa já seja reconhecido internacionalmente. Há alguns anos tentamos, via Estado-Maior da Aeronáutica, uma aproximação com a Air University, da Força Aérea Americana. Também estamos abertos e atentos a oportunidades na América Latina, como em parcerias com a Argentina e com o Chile”, frisa o Coronel Hudson Diniz.
Na internacionalização, o PGCA da Força Aérea Brasileira já possui a publicação do livro Culture and Defense in Brazil, desenvolvido em parceria com a Universidade norte-americana Air University.
O interesse da FAB na internacionalização parece ganhar maior peso no planejamento. "A partir de 2019, é nossa pretensão oferecer um curso que ocorra simultaneamente com o da Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica, recebendo alunos internacionais, como os Oficiais das Nações Amigas. Estamos indo ao encontro de universidades internacionais para, futuramente, entrar no processo de solicitação de autorização de acordos bilaterais com os países. Devemos receber futuros alunos de outros países na nossa universidade, completando o processo de internacionalização”, finaliza o Brigadeiro Tirre Freire.

Esquadrão Pampa realiza Jornada Científica

Os trabalhos analisaram desde o uso do capacete até a situação em que o míssil sai da aeronave sem contato visual com o alvo

ImagemPara valorizar o trabalho realizado por seus militares e compartilhar conhecimento, o Primeiro Esquadrão do Décimo Quarto Grupo de Aviação (1º/14º GAV), Esquadrão Pampa, localizado em Canoas (RS), realizou, no dia 13 de julho, a Jornada Científica Pampa, com apresentação de trabalhos no âmbito da aviação.
Na abertura do evento, o Chefe do Estado-Maior da Ala 3, Coronel Aviador Omar José Sarmento dos Santos, afirmou que a pesquisa e a produção de artigos são de suma importância e têm impacto positivo na operacionalidade.
“Nossos equipamentos são excepcionais e lemos nos manuais todos os recursos que eles disponibilizam. No teatro de operações, esse conhecimento é fundamental. E cruzar o conhecimento teórico e a análise de experiências expande o conhecimento”, afirmou.
A excelência na operacionalidade dos esquadrões de voo depende de profissionais capacitados, equipamentos de qualidade em tecnologia e treinamento. Nesse contexto, na realização do Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais, na Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais da Aeronáutica (EAOAR), no Rio de Janeiro, os militares aprofundam seus conhecimentos em análises científicas.
Os trabalhos expostos na Jornada Científica Pampa tiveram abordagens diversas e são de autoria de militares do Esquadrão Pampa e do Comandante da EAOAR, Tenente-Coronel Aviador Helmer Barbosa Gilberto, convidado para o evento. Com o trabalho Combate BVR: uma arena complexa para tomadas de decisões, o Tenente-Coronel Helmer falou sobre os níveis de consciência situacional, influência nas tomadas de decisão e melhorias no modelo mental para ingresso na arena BVR (do inglês Beyond Visual Range, em que o míssel sai da aeronave sem contato visual com o alvo).
Tomada de decisão em ambientes complexos e a influência na liderança situacional no combate aéreo foi o tema do trabalho apresentado pelo Comandante do Esquadrão Pampa, Tenente-Coronel Aviador Mateus Barros de Andrade, que expôs uma pesquisa realizada com pilotos líderes para analisar a influência da complexidade na liderança, os estilos de liderança e os tipos de decisões, de acordo com cada estilo de liderança, dada a rapidez com que as decisões são tomadas no ambiente operacional.
Já o Capitão Aviador Primo Antonio Corral De Medeiros apresentou o trabalho O HMD e o risco de colisão com o solo, que abordou um estudo sobre voos a baixa altura com combate visual com e sem HMD (Helmet Mounted Display, capacete utilizado pelos pilotos) e a relação de danos gerais e colisão com o solo, mostrando menor variação de altura com HMD e proporcional assertividade.
Aplicação de Indicadores de Desempenho na Análise de Eficiência foi o trabalho apresentado pelo Major Aviador Fábio Nóbrega Do Rosário, que mostrou como a análise de eficiência permite identificar os indicadores mais determinantes (como qualidade de tiro, capacidade de defesa, probabilidade de abater e ser abatido), desenvolver ações que melhorem tais índices, como treinamento específico, de forma a melhorar índices dos pilotos, e determinar novas e melhores metas, aumentando a eficiência.
Fonte: Agência Força Aérea

OUTRAS MÍDIAS


TELECOMPAPER.COM (GRÉCIA)


Brazil prepares to award satellite capacity

Brazilian telecom infrastructure provider Telebras has launched a roadshow to promote the award of part of the Ka-band capacity of the Geostationary Satellite for Defense and Strategic Communications (SGDC).The capacity has been divided into three lots. One of them will be destined for the provision of telecommunications services by Telebras to meet government demands in the areas of education, security and health. The capacity of the other two lots will be offered during a public invitation, for which bids are being accepted until 28 August.
According to Telebras interim president Jarbas Valente, the winning companies of the public offering will be able to offer broadband connections at competitive prices, which it expects will be 10 times lower than those currently on the market
Next week, Telebras will present the public offer for the award of capacity on the SGDC, in London and New York.

FOLHA DE VITÓRIA (ES)


Marinha suspende buscas por tripulantes capixabas vítimas de naufrágio

Em caso de novas informações, as buscas podem ser retomadas. Um Procedimento Administrativo apura as causas do acidente com seis tripulantes de Itapemirim. Três retornaram para casa na última quinta-feira (27)

O Comando do 1° Distrito Naval da Marinha do Brasil suspendeu no último domingo (30), as buscas pelos três náufragos da embarcação pesqueira "Kairós", de Itapemirim, que afundou na madrugada da última quarta-feira (26), com seis pescadores a bordo, na altura da cidade de São João da Barra, no estado do Rio de Janeiro, cerca de 80 quilômetros da costa.
Na tarde do mesmo dia do acidente, a embarcação pesqueira "Lavínia II" resgatou três dos seis tripulantes. Eles chegaram ao Porto de Itaipava, em Itapemirim, por volta das 6h15 da última quinta-feira (27). Eles foram encaminhados para o Hospital Menino Jesus, onde foram atendidos e, em seguida, receberam alta.
Eles contaram que perceberam que estava entrando água na embarcação por volta de meia noite, e tentaram vedar, sem saber de onde entrava a água. Por volta de 1h, o barco começou a afundar e eles emitiram o primeiro pedido de socorro para as embarcações e para a estação de rádio do Porto de Itaipava.

De acordo com a Marinha do Brasil, durante cinco dias foi realizada uma operação de busca e salvamento, onde foram empregados um navio-patrulha e um helicóptero da Marinha, uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), navios mercantes e barcos pesqueiros.
"No decorrer da operação, uma área de cerca de oito mil quilômetros quadrados foi varrida por navios e aeronaves, mas infelizmente nenhum dos outros três tripulantes foram encontrados", afirma a nota oficial da Marinha.

O naufrágio continua sendo divulgado para os navios e embarcações que transitam na área do ocorrido, e as buscas poderão vir a ser retomadas caso surjam novas informações. As causas do acidente e as responsabilidades serão apuradas em Procedimento Administrativo instaurado pela Marinha do Brasil.

JORNAL SÃO GONÇALO (RJ)


Concursos somam mais de 600 vagas no Rio de Janeiro

Quatro processos seletivos têm inscrições abertas

Quatro opções de concursos públicos estão disponíveis para o estado do Rio, nesta semana. Juntas, as chances somam 627 vagas, para todos os graus de escolaridade (fundamental, médio/técnico e superior).
Se você concluiu o Ensino Médio Técnico e tem entre 18 e 25 anos, fique atento. A Marinha do Brasil abre, amanhã, 90 vagas para o Corpo Auxiliar de Praças (CAP), destinadas a brasileiros de ambos os sexos. As áreas abertas este ano são: Contabilidade, Desenho de Arquitetura, Estatística, Eletrônica, Enfermagem, Estruturas Navais, Gráfica, Geodésia e Cartografia, Marcenaria, Metalurgia, Meteorologia, Motores, Processamento de Dados e Química.
O candidato fará provas de conhecimentos profissionais e redação, além de testes físicos (natação e corrida) e inspeção de saúde. Após a sua aprovação no Curso de Formação, com duração de 17 semanas, será nomeado Cabo com remuneração de R$3,1 mil.
Ainda nas Forças Armadas, continua aberto concurso para a Aeronáutica. A seleção visa admissão para o segundo semestre de 2018 (EA CFS 2/2018) e, para participar do processo, o candidato precisa ter Ensino Médio completo.
Número de vagas por função - Para aeronavegantes, nas especialidades de Comunicações e Foto Inteligência, são oferecidas 23.
Para não-aeronavegantes nas especialidades de Guarda e Segurança, Eletricidade e Instrumentos, Meteorologia, Suprimento, Informações Aeronáuticas, Cartografia, Desenho, Estrutura e Pintura, Eletromecânica, Metalurgia e Bombeiro, são 137.
Já para a área de Controle de Tráfego Aéreo (BCT) são 128 cargos.
A especialidade de Guarda e Segurança será apenas para candidatos do sexo masculino, ficando as demais áreas abertas também para mulheres.
Na área da saúde, a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina - Programa de Atenção Integral a Saúde (SPDM/PAIS) está com quatro editais abertos para atuação no município do Rio. Ao todo, os processos somam 159 vagas em diferentes escolaridades.
Para conferir os cargos, basta acessar os editais no site www.spdmpais.org.br, onde também é feita a inscrição.
Já a Câmara de Nilópolis, na Baixada Fluminense, reabriu 90 vagas imediatas, além da formação de cadastro reserva, para os três níveis de escolaridade (fundamental, médio e superior). Os cadastros terminam em 21 de agosto e podem ser feitos em: www.inesapconcursos.com.br

REVISTA AERO FLAP


Via – Press Tv

Embraer está confiante que os EUA aprovarão a venda de aviões para o Irã


A Embraer pode vender em breve aeronaves para o Irã, mas isso se o Departamento do Tesouro dos EUA aprovar a compra, a fabricante brasileira disse que por enquanto o órgão americano ainda está avaliando a compra das aeronaves regionais por companhias do Irã.
A empresa também está mantendo o otimismo na aprovação do governo americano, já que o mesmo autorizou a venda de aviões da Airbus para o Irã e está no caminho de aprovar uma encomenda da Boeing para a Iran Air. De acordo com a Embraer, os requisitos solicitados pelo Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros dos EUA para emitir as licenças não são um problema grave para a empresa.
Em fevereiro o Irã confirmou que duas companhias do país, a ATA e a Kish Air, estavam negociando com a Embraer a compra de 50 aviões regionais para equipar as companhias aéreas do país, essa informação foi confirmada pelo porta-voz do governo iraniano, Mohammad Bagher Nobakht. O acordo de compra dos E195 E2 pode valer mais de US$ 1 bilhão quando finalizado.
Como o E195 da Embraer é equipado com motores da GE, os Estados Unidos exigem uma aprovação especial para o motor americano equipar uma aeronave direcionada ao Irã, e como nós sabemos, não é possível vender um avião sem o motor.
Essa encomenda deriva de uma importante visita do Ministro do Comércio do Brasil, Armando Monteiro, onde houve a negociação da venda de vários produtos industriais, como carros, ônibus, caminhões e os aviões da Embraer.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented