|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 22/07/2017 / Prefeitura de SP acerta acordo para transformar parte do Aeroporto Campo de Marte em parque


Prefeitura de SP acerta acordo para transformar parte do Aeroporto Campo de Marte em parque ...  

Parque irá ocupar área verde de cerca de 400 mil metros quadrados. Acordo foi fechado com Ministério da Defesa nesta sexta-feira (21) ...

A Prefeitura acertou um acordo com o Ministério da Defesa nesta sexta-feira (21) para transformar parte do Aeroporto Campo de Marte, na Zona Norte de São Paulo, em um parque. Será o décimo na região.

O Campo de Marte não tem linhas comerciais regulares, mas recebe um grande movimento de helicópteros e jatos executivos. É o endereço de escolas de pilotagem, do serviço aerostático das polícias, do Hospital da Força Aérea e de um clube para oficiais. É esse espaço que será dividido com um parque público.

O parque vai ocupar uma extensa área verde dentro do Campo de Marte. Cerca de 400 mil metros quadrados, o equivalente à metade do Parque Villa Lobos, na Zona Oeste. O espaço ainda deve ganhar um museu aeroespacial.

Ainda não é possível para saber quando o parque deve começar a funcionar. Não há nem projeto pronto, mas ele poderá ajudar a resolver uma disputa judicial que já dura mais de 50 anos para decidir quem é dono do terreno do campo de marte.

O Superior Tribunal de Justiça já reconheceu a área como propriedade do município, mas a União entrou com recurso no Supremo Tribunal Federal e ainda não saiu uma decisão. O Ministério da Defesa informou que o acordo será oficializado no dia sete de agosto.

Áreas verdes
A maioria dos nove parques municipais da Zona Norte está localizada mais para o lado do bairro de Pirituba, distante do Campo de Marte. O mais próximo do aeroporto é o Parque do Trote - a cinco quilômetros.

Colado ao aeroporto, porém, a dois quilômetros, está o Parque da Juventude, administrado pelo governo do estado.



Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Acordo entre prefeitura e União prevê parque em área do Campo de Marte


Luiza Franco, Brasília; Guilherme Seto, São Paulo

O governo federal e a Prefeitura de São Paulo devem assinar no mês que vem um acordo para transformar parte da área do Campo de Marte, na zona norte de São Paulo, em um parque.
O acerto foi negociado nesta sexta-feira (21) em reunião na capital paulista do ministro da Defesa, Raul Jungmann, com João Doria (PSDB), prefeito da cidade.
Apesar de ter aceitado ceder parte da área, Jungmann não explicou se a decisão significará a retirada ou redução de voos do aeroporto.
"O Campo de Marte terá sua destinação requalificada para um parque. Serão três fases. A primeira vai destinar 401 mil m² do campo para a construção desse parque, que, com isso, passa a ser o terceiro maior da cidade. Vamos anunciar todos os detalhes no dia 7 de agosto com a presença do presidente Temer", disse Doria.
Na reunião, segundo relato de participantes à Folha, ficou acordado que a prefeitura tocaria gradualmente esse processo de construção do parque, que seria feito aproveitando um trecho preservado de Mata Atlântica, cortado por um córrego, que é gerido pelo Ministério da Defesa. Ao todo, a pasta administra uma área de 1,1 milhão de metros quadrados. O restante do Campo de Marte, 975 mil metros quadrados, é gerido pela Infraero.
Em tom amistoso, a reunião foi marcada pela ideia de que prefeitura e Ministério da Defesa devem conversar sobre esse tema sem a necessidade da intermediação da Justiça. Prefeitura e União disputam a posse do terreno onde fica o Campo de Marte desde 1958 (veja abaixo). Em 2011, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) deu razão à prefeitura; o caso está no STF (Supremo Tribunal Federal).
Ficou acertado entre Doria e Jungmann que outras reuniões serão marcadas para tratar do tema. Nesta sexta-feira (21), a desativação do aeroporto no Campo de Marte foi apenas esboçada como tópico para outros encontros.
Durante sua gestão, o prefeito Fernando Haddad (PT) apresentou a intenção de fechar o local para aviões. A tese do ex-prefeito era de que falta emprego na zona norte de São Paulo porque a presença do Campo de Marte impõe limitações à verticalização. As restrições decorrem do movimento de aviões no entorno do aeroporto no pouso e na decolagem.
A história do terreno
1929
Campo de Marte é inaugurado em terreno então municipal
1932
Com a derrota de SP na Revolução Constitucionalista, governo federal ocupa a área
1945
Com o fim do Estado Novo, município retoma parte de sua autonomia e passa a negociar a devolução do espaço
1958
Prefeitura entra na Justiça para retomar local
2003
Tribunal Regional Federal decide que área é da União
2008
STJ muda entendimento e determina que terreno é do município
2011
Segunda turma do STJ corrobora decisão de 2008 e manda União devolver imediatamente áreas sem uso ao município e a pagar indenização pelo espaço usado para decolagens; União recorre ao STF
2013
Fernando Haddad diz que desativaria o aeroporto. Ideia de criar parque no local já havia sido proposta por Celso Pitta e José Serra
2017
Gestão Doria tenta negociar construção de parque em parte do local sem intermediação da Justiça

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


Campo de Marte vai virar parque municipal


Sonia Racy

Ministério da Defesa e Prefeitura bateram o martelo: o Campo de Marte vai virar parque municipal. A decisão foi tomada em encontro de Doria com o ministro Raul Jungmann — que, por chegar meia hora atrasado já entrou fazendo piada: “Se eu fosse secretário, de quanto seria a multa, prefeito?” Doria, segundo relato de quem participou, não titubeou: “800 reais!”
Ao tomar a palavra, após o prefeito abrir a reunião, o ministro — segundo essa fonte — comentou que o grupo avançou com rapidez sob o comando do prefeito “The Flash”. Na conversa ficou decidida a criação de um parque público municipal naquela área de cerca de 400 mil metros quadrados, não muito longe da Marginal do Tietê, aproveitando área remanescente de mata atlântica que existe no local.
Será um dos maiores parques da cidade. O futuro projeto vai incluir a criação de um museu aeroespacial, que deve aproveitar o acervo do museu que era mantido pela TAM.
A Aeronáutica ligou para esclarecer que continuarão funcionando, no local, o aeroporto, o hospital da Aeronáutica e o parque de manutenção. A pasta confirma que 400 mil metros quadrados do campo virarão parque da Prefeitura.

TV GLOBO - JORNAL NACIONAL


Estado do Rio tem 90 policiais militares assassinados em 2017

Governador Pezão voltou para o spa para cuidar da saúde. Ministro da Defesa anunciou envio de mais tropas federais.

Chegou a 90 o número de policiais militares assassinados no Estado do Rio em 2017. Na manhã desta sexta-feira (21), o soldado Fabiano de Brito e Silva reagiu a um assalto em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Ele era casado e tinha três filhos.
Um helicóptero atingido por um tiro quando sobrevoava o morro do Vidigal teve que fazer um pouso de emergência perto da praia de São Conrado. O piloto e os três passageiros não se machucaram.
O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, voltou nesta sexta para o spa em que está cuidando da saúde.
O ministro da Defesa, Raul Jungmann, anunciou para os próximos dias o envio de mais tropas federais para o Rio de Janeiro: homens das Forças Armadas, da Força Nacional e da Polícia Rodoviária Federal. O ministro não deu números, mas disse que o reforço vai permanecer no Rio até o fim de 2018.

REVISTA ISTO É


Brasil polar

O que explica a massa de ar frio que congelou cachoeiras no Sul do País e obrigou moradores do Maranhão a vestir casacos

Thaís Skodowski

A queda brusca de temperatura provocada pela massa polar que atravessou o País na semana passada atingiu não só as regiões acostumadas com as baixas temperaturas durante o inverno e avançou para territórios historicamente mais quentes, como o Centro-Oeste e o Nordeste. Em Santa Inês, cidade do Maranhão, que costuma registrar entre 35º C e 38º C, a população estranhou ao acordar com a temperatura marcando os 20º C.
No Rio de Janeiro, os moradores chamaram a atenção dos turistas europeus ao reclamarem dos termômetros marcando 13º C. Já no Sul, como esperado, teve neve granular e cachoeiras congeladas. No Rio Grande do Sul, 17 cidades marcaram temperaturas negativas. Em Santa Catarina, ao menos 58 municípios ficaram abaixo de zero, inclusive cidades litorâneas. A cidade recordista foi Bom Jardim da Serra, onde os termômetros chegaram a –8,8º C.
“As estradas congelaram e o frio era insuportável”, afirma o empresário catarinense Marcelo Schlickmann, que na semana passada esteve nas cidades de Bom Jardim da Serra e São Joaquim. “Eu já viajei para muitos lugares com neve, mas aqui, por conta da umidade, a sensação térmica de frio é impressionante”. A rodovia estadual SC-110 em Urubici, na serra catarinense, ficou mais de três horas interditada por causa do gelo na pista. A neve, em sua forma granular (quando os flocos congelam ao atingir o solo), atingiu o interior do Paraná. Em Curitiba e São Paulo, moradores de ruas morreram por hipotermia.
A explicação para tanto frio, segundo os meteorologistas, é que desta vez o País não está sofrendo os efeitos do El Niño, o fenômeno atmosférico que tem como característica o aquecimento anormal de águas superficiais no Oceano Pacífico.
O El Niño inibe a entrada de frentes frias e de massas de ar polar, fazendo as temperaturas subirem. Foi isso que aconteceu no Brasil, com mais intensidade, entre novembro de 2014 e abril de 2016 — o que deixou a população desacostumada a um frio tão rigoroso como o da semana passada.
Sem a interferência do fenômeno atmosférico, o País voltou a ter um inverno gelado. A massa polar veio da Argentina, onde causou uma nevasca colossal. O aeroporto de Bariloche foi fechado e turistas ficaram impedidos de deixar a cidade.
A intensa onda de frio levou a especulações sobre o impacto que o desprendimento de uma gigantesca placa continental da Península Antártica, na semana anterior, poderia ter causado no clima. As consequências do evento, resultado do aquecimento global, ainda não são totalmente previsíveis.
NEVASCA HISTÓRICA
A semana de frio intenso coincidiu com os 60 anos da maior nevasca da história de Santa Catarina e a segunda maior do país (a primeira foi em Vacaria, no Rio Grande do Sul, em 1979). A neve atingiu São Joaquim, na serra catarinense, no dia 20 de julho de 1957, e deixou a cidade, que tinha aproximadamente 10 mil habitantes, isolada. De acordo com os moradores do local, começou a nevar por volta das 10h e às 16h, o nível de neve já ultrapassava os para-choques dos carros.
Com praticamente um dia inteiro de neve ininterrupta, o acúmulo atingiu picos de 1,30 m. Todas as estradas ficaram cobertas de gelo. No terceiro dia após a neve, um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) precisou se deslocar de Curitiba para levar alimentos, remédios e roupas para a cidade. Muitas pessoas ficaram desabrigadas, porque o telhado das casas acabou cedendo com o peso da neve. Animais de estimação também morreram por causa das temperaturas baixas. Os acessos a São Joaquim só foram retomados uma semana depois, quando todo o gelo derreteu.
Para a alegria dos que preferem o calor, desta vez a onda de frio não será duradoura. De acordo com o Menedes Luiz Melo, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as temperaturas vão ficar mais altas até que outra massa polar se aproxime. Melo destaca que essa não é a primeira e sim a quarta onda de frio a castigar o brasileiro em 2017. “A diferença é que dessa vez tivemos mais dias seguidos de temperaturas baixas”.

PORTAL G-1


Helicóptero faz pouso forçado em São Conrado, na Zona Sul do Rio, após ser atingido por tiro

Disparo atingiu o rotor de cauda da aeronave. Peritos da Polícia Civil investigam o caso. Ninguém se feriu.

Por G1 Rio

Um helicóptero precisou fazer um pouso forçado nesta sexta-feira (21), em São Conrado, na Zona Sul do Rio. Segundo a polícia, um tiro teria atingido o rotor de cauda da aeronave, forçando o pouso. Ninguém se feriu.
Peritos da Polícia Civil, que investiga o caso, foram para o local do pouso, na área gramada próxima ao túnel que liga São Conrado à Barra.
O helicóptero que fez o pouso forçado é particular, operado pela empresa Ultra-planna Táxi Aéreo. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a aeronave é do modelo PR-BAR e está em situação regular.
Tanto o certificado de aeronavegabilidade como a inspeção anual de manutenção estão em dia. Ainda segundo a Anac, "informações acerca da investigação e causas do pouso não programado podem ser apuradas com a força de segurança pública local".


Prefeitura acerta acordo para transformar parte do Aeroporto Campo de Marte em parque

Parque irá ocupar área verde de cerca de 400 mil metros quadrados. Acordo foi fechado com Ministério da Defesa nesta sexta-feira (21).

Por G1, São Paulo

A Prefeitura acertou um acordo com o Ministério da Defesa nesta sexta-feira (21) para transformar parte do Aeroporto Campo de Marte, na Zona Norte de São Paulo, em um parque. Será o décimo na região.
O Campo de Marte não tem linhas comerciais regulares, mas recebe um grande movimento de helicópteros e jatos executivos. É o endereço de escolas de pilotagem, do serviço aerostático das polícias, do Hospital da Força Aérea e de um clube para oficiais. É esse espaço que será dividido com um parque público.
O parque vai ocupar uma extensa área verde dentro do Campo de Marte. Cerca de 400 mil metros quadrados, o equivalente à metade do Parque Villa Lobos, na Zona Oeste. O espaço ainda deve ganhar um museu aeroespacial.
A inda não é possível para saber quando o parque deve começar a funcionar. Não há nem projeto pronto, mas ele poderá ajudar a resolver uma disputa judicial que já dura mais de 50 anos para decidir quem é dono do terreno do campo de marte.
O Superior Tribunal de Justiça já reconheceu a área como propriedade do município, mas a União entrou com recurso no Supremo Tribunal Federal e ainda não saiu uma decisão. O Ministério da Defesa informou que o acordo será oficializado no dia sete de agosto.
Áreas verdes
A maioria dos nove parques municipais da Zona Norte está localizada mais para o lado do bairro de Pirituba, distante do Campo de Marte. O mais próximo do aeroporto é o Parque do Trote - a cinco quilômetros.
Colado ao aeroporto, porém, a dois quilômetros, está o Parque da Juventude, administrado pelo governo do estado.

AGÊNCIA BRASIL


Polícia investiga se helicóptero que pousou em praia do Rio levou tiro


Por Douglas Corrêa

A Polícia Civil está investigando se o helicóptero de uma empresa particular que fez um pouso de emergência, hoje (21), na praia de São Conrado, zona sul do Rio, foi atingido por um tiro. O piloto aterrissou no mesmo lugar onde descem os praticantes de voo livre que saltam da Pedra Bonita, na Gávea.
O helicóptero transportava quatro pessoas que faziam um voo turístico pela cidade. A aeronave teria sido atingida ao sobrevoar o morro do Vidigal, em São Conrado. O disparo pode ter ocorrido na parte traseira do helicóptero.
De acordo com a Polícia Civil, há marcas prováveis de tiros. O registro foi feito na 15ª delegacia policial (Gávea), que já foi ao local e acionou a perícia técnica. Representantes da empresa estão sendo ouvidos na delegacia, entre eles, o piloto. Os donos da aeronave serão chamados para depor posteriormente.
A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que a aeronave, de prefixo PR-BAR, está em situação regular, uma vez que o certificado de aeronavegabilidade do helicóptero está válido até novembro de 2021 e que a inspeção anual de manutenção está em dia, com prazo de validade até novembro deste ano.

PORTAL JANES (Inglaterra)


Brazilian Navy to receive four KC-2 COD/AAR aircraft in 2021


Por Victor Barreira

The Brazilian Navy is to receive all of its four KC-2 carrier-on-board delivery/air-to-air refuelling (COD/AAR) aircraft in 2021, the service told Jane’s . Deliveries for that year are to run in April and July, with the final two aircraft being delivered in October, it added.
The first flight of the modernised aircraft is planned for April 2019. The fleet will operate from São Pedro da Aldeia naval air base in the state of Rio de Janeiro by the future VC-1 squadron.
Eight Grumman C-1A Trader COD aircraft formerly in-service with the US Navy were purchased from the United States in 2010.

JORNAL DIÁRIO DE CUIABÁ


Amanhã tem Esquadrilha da Fumaça no Parque Tia Nair


Por Joanice De Deus

Cerca de 15 mil pessoas são esperadas para a apresentação da Esquadrilha da Fumaça, da Força Aérea Brasileira (FAB), que acontece neste domingo (23), no Parque Tia Nair, que fica no Jardim Itália, em Cuiabá. Antes, hoje (sábado), a equipe da FAB estará em Sinop (503 quilômetros ao norte da capital).
Na capital, o espetáculo aéreo está previsto para começar às 16 horas. Antes, às 10 horas, tem exposição de aeronaves, no Hangar Skyline, que fica no Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande. Em Mato Grosso, a Esquadrilha também se apresenta em Barra do Garças (26) e Rondonópolis (29).
Quem for ao Parque Tia Nair vai assistir à exibição feita por sete aeronaves, modelo A-29 Super Tucano. Ao todo, serão 50 minutos de acrobacias e voos invertidos, sem intervalos. O evento envolve mais de 50 militares da FAB. A última vez que a Esquadrilha da Fumaça esteve na capital foi em 2004. À época, onze pilotos realizaram 24 sequências com 55 tipos de manobras com sete aviões do modelo T-27 Tucano.
Para o secretário municipal de Cultura, Esporte e Turismo, Francisco Vuolo, a apresentação da esquadrilha representa um marco não só para os cuiabanos como para todos os brasileiros. “Aproximadamente 15 mil pessoas são esperadas durante a apresentação”, reforçou. A entrada é franca.
De acordo com o major Eduardo Maia Arantes, piloto de uma das aeronaves, a apresentação é dinâmica e sem intervalo. “A gente representa não só os pilotos, mas todos os militares e especialidades que existem na Força Aérea”, ressaltou. Segundo ele, a Esquadrilha da Fumaça é uma unidade que tem por missão divulgar a Força Aérea Brasileira. Neste ano, a Esquadrilha já passou por Rondônia, Amazonas e Colômbia.
Conforme a assessoria de imprensa da prefeitura, a equipe da FAB também fará uma palestra, na segunda-feira (24), para os alunos da rede municipal de ensino. O evento ocorre no auditório da Secretaria Municipal de Educação (SME), localizada no Bairro Bandeirantes, a partir das 15 horas.
Em Sinop, as equipes farão uma apresentação aérea, a partir das 15 horas no Centro de Eventos Dante de Oliveira. Antes de cada demonstração, os militares fazem o reconhecimento da área e detalhamento da organização do evento.
HISTÓRIA - Há 65 anos, a Esquadrilha da Fumaça surgia na Escola de Aeronáutica, no Rio de Janeiro (RJ), com os instrutores de voo treinando acrobacias aéreas a bordo dos aviões T-6 Texan em seus momentos de folga.
Depois de mais de seis décadas, eles ainda têm o privilégio e a honra de comemorar a força que a instituição possui até hoje, sempre com a nobre missão de difundir a imagem institucional da Força Aérea Brasileira, encantando crianças, jovens e adultos com suas acrobacias aéreas.

JORNAL O DIA


Forças Armadas vão patrulhar as ruas do Rio

Ministro da Defesa disse que reforço fica até dezembro de 2018

Rio - O ministro da Defesa Raul Jungmann informou, na noite desta sexta-feira, que as Forças Armadas voltarão a patrulhar as ruas do Rio pela segunda vez em 2017. Agora, segundo o ministro, o efetivo do Exército, Marinha e Aeronáutica ficará até dezembro de 2018. No início de fevereiro, a pedido do governador Luiz Fernando Pezão, nove mil homens foram destacados para a função durante nove dias.
Na ocasião, com a Garantia da Lei e Ordem (GLO), os militares patrulharam a orla da Zona Sul da cidade e vias expressas, como a Avenida Brasil e Transolímpica, além de pontos de Niterói e São Gonçalo, na Região Metropolitana. À época, a GLO foi decretada no Rio num momento em que o estado enfrentava protestos de familiares de policiais e de manifestações sobre a votação da privatização da Cedae.
Em entrevista ao RJTV, o ministro não revelou o dia que a atuação deve começar efetivamente, alegando que a surpresa é um fator importante do plano, mas disse que disse os militares podem ser acionados a qualquer momento, em operações conjuntas com as forças de segurança estaduais.
"A presença será permanente mas descontínua. Ou seja, teremos ações que serão realizadas contando com apoio das Forças Armadas e policiais. No momento seguinte, se para essa operação e se iniciam outras (operações)”, afirmou o ministro.
O contingente de militares a ser utilizado nas operações não foi especificado. “Não precisamos de muitos recursos de fora (do estado). Só para dar um exemplo, a Vila Militar (na Zona Oeste), que é a maior unidade militar da América do Sul, tem 12 mil homens. Na totalidade das três Forças temos 35 mil homens (no estado)”, afirmou.
O comando das operações deve ser integrado entre as forças federais e estaduais. “Nós já estamos ativando um Estado-Maior Conjunto com Exército, Marinha e Aeronáutica para apoiar esse plano integrado (...). A essência deste plano é a inteligência para que você saiba onde está o comando do crime organizado. (...) Utilizando o efeito surpresa e a integração de todas as forças sejam elas policiais e militares (vamos) golpear o crime organizado, a bandidagem no Rio de Janeiro”, prometeu.
União vai liberar R$ 700 milhões
O governo federal vai desembolsar cerca de R$ 700 milhões para apoiar ações de segurança no Rio. A verba deverá ser usada, entre outras finalidades, para pagamento de insumos, como munições e até abastecimento de viaturas de polícia.
Os recursos não serão entregues para o governo do estado porque há temor de que sejam destinados a outras atividades, devido à crise, e serão desembolsados mês a mês, até o fim do ano. O dinheiro será usado ainda para garantir o trabalho da Polícia Rodoviária Federal, que controla as estradas para coibir o contrabando de armas e drogas, além de manter a atuação de agentes da Força Nacional.
Anunciada como uma novidade pelo governador Luiz Fernando Pezão, após reunião realizada na quinta-feira no Palácio do Planalto, com o presidente Michel Temer, o envio dos 800 novos homens da Força Nacional e da PRF, na verdade, já tinha acontecido. Como esclareceu o governo federal, eles estão trabalhando no Rio há duas semanas.
Atualmente, 260 agentes da PRF e 620 da Força Nacional estão auxiliando no patrulhamento do Rio desde maio, quando chegaram os primeiros agentes de outros estados. Também está prevista a chegada de 120 policiais rodoviários federais ao estado nos próximos dias. Este contingente ficará no Rio até dezembro do ano que vem.
Medida já foi criticada por especialista
A primeira presença das Forças Armadas já foi alvo de críticas. À época, O DIA ouviu uma das autoridades no assunto. Especialista em segurança pública e professor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), Ignácio Cano acredita que a presença das Forças Armadas no Rio ocorre devido à perda de controle do governo estadual no avanço da criminalidade. “É óbvio que a Garantia de Lei e Ordem (GLO) é um atestado da incapacidade do Rio em prover segurança”, disse.
GLOs são ações coordenadas ou apoiadas pelas Forças Armadas que visam garantir “a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio”. Os alvos, de acordo com a portaria que a instituiu, são “grupos de pessoas cuja atuação momentaneamente comprometa a preservação da ordem pública ou ameace a incolumidade das pessoas e do patrimônio”.
A ideia de usar as Forças Armadas para defender a Assembleia (Legislativa) dos manifestantes é perigosa e coloca as mesmas em uma situação muito delicada”, afirmou Cano.

JORNAL DIÁRIO DO NORDESTE


Melhor infraestrutura atrairá investimentos

Medidas aprovadas pelo poder público para captar mais voos na Capital fortalecem terminal de Fortaleza

Yohanna Pinheiro

Além de cidadãos fortalezenses e turistas que chegarem à cidade poderem contar com mais conforto ao passar pelo terminal de passageiros, a melhoria da infraestrutura do Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza, é também essencial para a atração de investimentos que impactarão positivamente a economia local. É o que se espera a partir da nova administração do aeroporto, pela companhia alemã Fraport.
De acordo com o professor Cláudio Jorge, do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), o que se pode observar dos resultados da concessão de outros aeroportos, como os de Confins (MG), Guarulhos (SP), Viracopos (SP), Brasília e Galeão (RJ), entre outros no País, é a realização de reforma e ampliação tocadas de maneira mais eficiente e que proporcionaram uma melhora significativa aos terminais.
"Quem assume um aeroporto está querendo prepará-lo para receber melhor a demanda. A melhoria para o público é semelhante a que os paulistanos experimentaram com a concessão das rodovias - passou a ter que pagar pedágio, mas pelo menos está em melhor qualidade", destaca o professor.
Competência reconhecida
Em relação ao terminal de Fortaleza, especificamente, Cláudio Jorge destaca que a nova operadora, a alemã Fraport, tem competência operacional reconhecida internacionalmente.
Ele pondera que, mesmo que a redução do volume de passageiros tenha prejudicado algumas das concessionárias que já administram aeroportos no País, as empresas que participaram mais recente rodada de concessões já estariam mais preparada para esse cenário.
"Nos processos anteriores, foi feita uma previsão de aumento de passageiros que não se concretizou. Mas essa redução já vem acontecendo há dois anos, já está na conta", afirma.
Incentivos
Os dois principais investimentos que estão sendo buscados, até agora, pelo governo e pela Fraport, são o hub da Latam (disputado com Natal e Recife) e os voos do grupo Air France-KLM (disputado com Recife e Salvador). No primeiro caso, a companhia está reavaliando o momento de realizar o investimento, devido à redução no volume de passageiros. No segundo, o grupo estrangeiro prevê uma decisão até o fim de agosto.
Desde o anúncio do investimento pela Latam, em 2015, o governo do Estado e a prefeitura de Fortaleza se mobilizaram para aprovar medidas que beneficiassem a empresa caso o terminal escolhido fosse o de Fortaleza. Entre as medidas, foram aprovadas leis para isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e Imposto Sobre Serviços (ISS) incidentes em operações e prestações relacionadas com a construção, instalação e funcionamento de um centro de conexão de voos.
A proposta aprovada na Câmara de Fortaleza ainda reduziu de 5% para 2% o tributo municipal para serviços como manutenção de aeronaves, hospedagem das tripulações e venda de passagens aéreas e pacotes turísticos.
A matéria também concedeu isenção do Imposto sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) e do Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) para empresas que instalarem hubs na cidade.
Em relação aos voos da Air France-KLM, sendo uma ligação para Paris e outra para Amsterdã, que pode incentivar um maior número de voos domésticos pela Gol, parceira do grupo, o Estado já contava com dispositivos legais de incentivo.
Desde 2013, a alíquota do ICMS incidente sobre o querosene da aviação foi reduzida de 30% para 12% a companhias que contassem com rotas internacionais regulares a partir de Fortaleza.
Perspectiva
O professor Cláudio Jorge avalia que, sem dúvida, a perspectiva para o Aeroporto de Fortaleza a partir da assinatura do contrato de concessão é de investimentos e melhoria da infraestrutura.
"Há a oportunidade de atrair novos voos e também de novas companhias aéreas. O cenário é maravilhoso e a probabilidade de novos investimentos acontecerem são muito grandes", destaca o professor.

Vantagens competitivas são diferencial de Fortaleza


Yohanna Pinheiro

Estudos preliminares mostram que Fortaleza tende a ser uma candidata mais forte, mas serão vantagens competitivas suaves que deverão fazer a diferença na disputa por investimentos das companhias aéreas, avalia Alessandro Oliveira, especialista do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Entre elas, diferenças operacionais, de capacidade do aeroporto, do estágio da administração e do processo de privatização.
"Os aeroportos que correrem mais rápido com todo esse procedimento vão ter vantagem. Entra também o Estado com algumas garantias", pontua. A concessão garante grande vantagem competitiva ao terminal cearense, segundo Oliveira. Mesmo que, embora o Aeroporto de Salvador também tenha sido concedido, o Pinto Martins se sobressairia por ter uma localização geográfica diferenciada, avalia.
Os voos da Air France em Fortaleza não prejudicariam um futuro hub da Latam, de acordo com fontes do setor ouvidas pela reportagem, porque neste equipamento será necessário um acordo de investimentos compartilhados entre o operador de aeroporto e a linha aérea.
O operador, no caso, a Fraport, não investiria no hub caso não houvesse um acordo de utilização da infraestrutura, sob o risco de a empresa aérea sair do aeroporto e deixar o prejuízo para o operador.
Experiências de fora
De acordo com a análise de Oliveira, a escolha de uma cidade como sede de um hub aéreo pode tanto ter um efeito atrativo, com outras empresas fazendo o mesmo, como também de dominância, afastando companhias aéreas concorrentes.
"Nos Estados Unidos, após a desregulamentação, cada empresa correu atrás de uma cidade. A American Airlines escolheu Dallas; a Continental, Houston; a Delta está em Atlanta", exemplifica.
O especialista pondera que, na regulação brasileira, não há empecilho para que uma companhia "domine" um aeroporto, como é o caso da Azul em Viracopos, em São Paulo.
"Só que Fortaleza não tem essa característica de dominância tão forte e nunca vai ter. Mesmo que a Latam a eleja futuramente como sede do hub, ela não vai conseguir implementar uma dominância muito alta", observa o especialista do ITA.
Uma outra fonte do setor comenta ainda que haveria espaço tanto para os voos extras da Air France como para o hub da Latam, dependendo da negociação entre as partes.
E por vir a ser um terminal privado, a Fraport terá muito mais liberdade para negociar e apresentar soluções caso a Latam venha mais tarde a escolher o terminal Pinto Martins como sede do hub do grupo no Nordeste.
Distribuição de voos
Fontes do segmento de aviação civil também destacam a ampliação de voos da Gol para atender a demanda da parceira Air France não se configurariam como um hub - modelo que vem sendo pensado pela Latam. Um hub é algo mais definitivo, validado com algum tipo de acordo de investimentos entre as partes, enquanto o início de alguns voos internacionais não tem sequer o compromisso de manutenção a longo prazo.
O que se tem, segundo fontes do setor, é um aumento da operação da Air France em parceria com a Gol, que poderá aproveitar isso para ter descontos do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o combustível e até iniciar um plano de hub no futuro juntamente com o grupo francês. Mas isso ainda estaria longe, afirmam especialistas, uma vez que o equipamento exige um conjunto de investimentos. (YP)

AGÊNCIA ESTADO


Governo federal libera R$ 700 milhões e admite até abastecer viatura no Rio

Em reunião, as autoridades até chegaram a anunciar um reforço de efetivo da Força Nacional e da Polícia Rodoviária que já tinha acontecido

Idiana Tomazelli E Tânia Monteiro

O governo federal definiu que desembolsará cerca de R$ 700 milhões para apoiar ações de segurança pública no Rio, e a verba deverá ser usada, entre outras finalidades, para pagamento de insumos, como munições e até abastecimento de viatura. Em reunião que contou com o presidente Michel Temer e do governador do Estado, Luiz Fernando Pezão (PMDB), as autoridades até chegaram a anunciar um reforço de efetivo da Força Nacional e da Polícia Rodoviária que já tinha acontecido.
Os agentes extras estão no Rio há duas semanas. Os recursos não serão entregues para o governo do Rio porque há temor de que sejam destinados a outras atividades e serão desembolsados mês a mês, até o fim do ano. A verba vai diretamente para pagamento de insumos, como compra de munições, manutenção e até abastecimento das viaturas da Polícia Militar do Estado.
O dinheiro será usado ainda para garantir o trabalho da Polícia Rodoviária Federal, que controlará as estradas para tentar coibir o contrabando de armas e drogas para o Estado.
Outros recursos vão para a permanência da Força Nacional de Segurança Pública.
Sem reforço
Anunciada como uma novidade por Pezão após a reunião realizada no Palácio do Planalto, o envio dos 800 novos homens da Força Nacional e da PRF, na verdade, já tinha acontecido. Como esclareceu o governo federal, eles estão trabalhando no Rio de Janeiro há duas semanas.
Com a convocação da reunião, realizada pouco antes de Temer embarcar para o encontro do Mercosul, na Argentina, o governador interrompeu licença médica e embarcou para Brasília. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), que é do Rio, e também está sendo cobrado pela caótica situação da segurança pública no Estado, participou do encontro cunho meramente político, sem definição de operações a serem executadas.
Hoje, mil agentes federais - da PRF (380) e da Força Nacional (620) - estão auxiliando no patrulhamento do Rio desde maio, quando chegaram os primeiros policiais de outros Estados. Este contingente ficará no Rio até dezembro de 2018.
Na entrevista, Pezão, que havia assegurado que os 800 homens iam chegar ao Estado "até agosto", afirmou que as ações da Polícia Rodoviária serão fundamentais "no combate à entrada de armas", o que ocorre pelas estradas federais, que estão sendo patrulhadas pela PRF.
"Vamos ter resultados significativos", insistiu. Procurada ontem após a coletiva, a Secretaria Estadual de Segurança Pública do Rio não se manifestou.
A coordenadora do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania da Universidade Cândido Mendes, no Rio, Julita Lemgruber, fez ressalvas quanto à capacidade de mudança que uma tropa de até mil agentes pode representar.
"A PM fluminense tem 50 mil policiais. De que forma 600 ou 800 a mais podem realmente contribuir para uma alteração nesse quadro caótico?"está causando mortes de todos os lados."
Forças Armadas
Está em discussão o emprego de militares das Forças Armadas em operações específicas no Rio. Prova disso foi a criação de um Estado-Maior conjunto regional - uma espécie de centro de planejamento - que começará a funcionar de imediato, para integrar operações dos governos estadual e federal.
O uso de tropas federais será feito em consenso com Pezão, mas este trabalho será esporádico e pontual.
Ministro da Defesa, Raul Jungmann, que participou do encontro, disse que o Rio terá "apoio integral e permanente das Forças Armadas, se necessário for", mas não detalhou quando e como.
O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, lembrou que o plano de segurança pública "será de longo prazo, até o fim deste governo", com busca de operações de inteligência.
"Não queremos ações pirotécnicas", emendou, acrescentando que "todos os meios disponíveis da União estão à disposição" do Rio.

PORTAL DEFESANET


FAB - Operação Ostium intercepta 150 voos em 4 meses

Com base em MS, a Operação Ostium começou no dia 24 de março e segundo a FAB reduziu em 80% o tráfego aéreo desconhecido na fronteira

Helio De Freitas

Em quatro meses, a Operação Ostium, iniciada em março deste ano pela FAB (Força Aérea Brasileira), fez 150 interceptações de aeronaves suspeitas que sobrevoavam a fronteira brasileira.
Em alguns casos, os aviões Super Tucanos usados na interceptação decolaram do aeroporto de Dourados, a 233 km de Campo Grande, onde a Ostium mantém uma base de operações.
Os números fazem parte do balanço referente ao período de 24 de março, quando a operação começou, até o início de julho. Os dados foram enviados ao Campo Grande News pela assessoria de comunicação da FAB, que avalia a Ostium como a maior operação de combate a ilícitos da sua história.
Segundo a FAB, a operação permitiu até o momento uma redução de 80% nos tráfegos aéreos desconhecidos na região de fronteira. Um desses casos ocorreu no final de maio, em data não informada pela Força Aérea.
Um avião monomotor que decolou da Bolívia e voava baixo ao entrar em espaço aéreo brasileiro, foi interceptado pelo Super Tucano que decolou do aeroporto de Dourados.
O piloto da FAB adotou os procedimentos previstos na Lei de Abate, mas não foi preciso derrubar a aeronave suspeita. O outro piloto seguiu as ordens e pousou em uma pista indicada. O avião estava com a documentação vencida e foi apreendido.
A FAB não revela detalhes, como datas e locais exatos das interceptações, nem informa quantos aviões abordados nesse período estavam sendo usados para o tráfico de drogas. “Os números referentes às regiões e períodos de maior incidência de interceptações são reservados e compõem os estudos de inteligência da Operação Ostium.
Com base nesses dados, os esforços de defesa aérea são intensificados e remanejados para garantir a efetividade da operação”, informou a assessoria. Trabalho permanente – A Operação Ostium, que não tem previsão de quando será encerrada, é o reforço das ações realizadas corriqueiramente pela FAB, que faz a vigilância do espaço aéreo brasileiro 24 horas por dia através de uma rede de radares que cobre o continente e parte do Oceano Atlântico.
Para reforçar a cobertura, são utilizados ainda aviões-radar E-99, baseados em Anápolis (GO). As informações são reunidas em Brasília, no Comando de Operações Aeroespaciais, que pode, de acordo com a necessidade, acionar aeronaves de caça em qualquer parte do país.
A FAB conta com supersônicos F-5M baseados em Manaus (AM), Anápolis (GO), Rio de Janeiro (RJ) e Canoas (RS), além de turboélices A-29 Super Tucano em Boa Vista (RR), Porto Velho (RO), Campo Grande (MS) e Natal (RN). Também tem helicópteros AH-2 Sabre, baseados em Porto Velho (RO) e H-60 Black Hawk, em Manaus e Santa Maria (RS).
Durante operações, como a Ostium e Ágata, essas aeronaves podem operar a partir de outras localidades, como ocorre atualmente em Dourados, onde os militares estão de prontidão para o acionamento, caso os radares identifiquem um tráfego aéreo desconhecido ou ilícito.
Ao soar a sirene, o piloto corre para a aeronave, já pronta e armada. Somente em voo, ele é informado dos detalhes da missão. O piloto passa, então, a seguir as orientações do Centro Integrado de Defesa Aérea.

Emprego com eficiência operacional e logística


Entre os dias 10 e 13 de julho, o Comando Militar do Norte (CMN) promoveu os 2º Jogos de Guerra. O adestramento visou ao planejamento e à condução de operações militares, a fim de exercitar e desenvolver os atributos de chefia e liderança em cenários operacionais simulados e integrar as armas quadros e serviços do Exército Brasileiro na Amazônia Oriental, com foco na eficiência operacional e logística do emprego de tropa.
Os participantes foram divididos em dois partidos: o azul, que realizou operação defensiva; e o vermelho, responsável pela operação ofensiva. A diretoria do exercício coordenou e acompanhou as atividades. Foi utilizado o Programa de Simulaçao COMBATER, do Comando de Operações Terrestres (COTER), além de cartas com o mapeamento da área da guerra simulada, produzidas pelo Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam).

Oficiais do CMN, Comandantes e Estado-Maior de organizações militares do CMN, da 23ª Brigada de Infantaria de Selva e da futura 22ª Brigada de Infantaria de Selva participaram dos Jogos de Guerra, que receberam o apoio de militares do COTER, do Comando Militar do Nordeste, do Comando Militar do Sudeste, do 4º Distrito Naval e do I Comando Aéreo Regional.


IACIT - Recebe comitivas da CISCEA e do PAME

Durante as visitas, a empresa apresentou os principais projetos desenvolvidos na área de controle e segurança de tráfego aéreo

A IACIT, empresa brasileira com atuação consolidada no desenvolvimento de produtos e serviços de alta tecnologia, recebeu, na semana passada, comitivas da CISCEA (Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo) e do PAME (Parque de Material de Eletrônica da Aeronáutica), quando foi possível apresentar os principais projetos desenvolvidos na área de controle de tráfego aéreo.
A visita da CISCEA aconteceu no dia 11 e contou com a presença do presidente da entidade Major-Brigadeiro-do-Ar Sérgio Roberto de Almeida e do vice-presidente, Coronel Rubem Muller Schneider. Além de conhecer a matriz da empresa, os visitantes estiveram presentes na unidade fabril da IACIT. A empresa mostrou os principais projetos na área de controle de tráfego aéreo, que foram desenvolvidas no departamento de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) da IACIT, com tecnologia nacional.
Tendo a inovação como parte de seu DNA, a IACIT conta com um portfólio completo de soluções na área de controle de tráfego aéreo, entre elas o DME 0200, o GBAS 0100 e 0300, e o VIGILANT 0100 (para tecnologia de vigilância ADS-B e MLAT - Multilateração), além de desenvolver softwares para meteorologia e navegação, de acordo com o conceito SWIN. Tecnologias exclusivas da IACIT como o Radar Oceânico RADH 0200, o Radar Além do Horizonte OTH 0100 e até mesmo a família de contramedida eletrônica também foram apresentados com grande repercussão entre os presentes.
Ao final da visita, a CISCEA contemplou a IACIT com uma placa em reconhecimento pela parceria.
No dia 13, o PAME, representado pelo Coronel Marques, Coronel Maurício, pelo Major Cléber e pela Capitão Carla visitaram a sede da IACIT. Na ocasião, a equipe da IACIT apresentou os principais projetos desenvolvidos em parceria com o PAME, além de contar um pouco da história da empresa, que completou 31 anos, no último mês de maio.

Sobre a IACIT
Certificada pelo Ministério da Defesa como Empresa Estratégica de Defesa (EED), a IACIT vem atuando há mais de 30 anos em projetos ligados ao setor. Com a criação do Departamento de Engenharia de Pesquisa e Desenvolvimento e a implantação de uma unidade fabril há cerca de 10 anos, a empresa ampliou o portfólio de produtos e serviços. Atualmente, a IACIT é a única empresa brasileira fabricante de auxílios à radionavegação aérea, e fabrica também radares meteorológicos, radares Oceânicos, radares para Vigilância Marítima – OTH, sistemas de telemetria e telecomandos e equipamentos e soluções de contramedida eletrônica aplicadas à segurança pública e defesa. Possui uma estrutura de engenharia certificada para o desenvolvimento de soluções tecnológicas complexas tanto para hardware como para software estabelecida em São José dos Campos, tendo lançado recentemente produtos meteorológicos de software baseados em redes neurais artificiais (RNA) para aplicação a gestão do tráfego aéreo, proporcionando grandes benefícios para rotas e pouso de aeronaves.

OUTRAS MÍDIAS


PORTAL A CRÍTICA (AM)


Markus Nagawo

Esquadrilha da Fumaça encanta em apresentação na praia da Ponta Negra

O espetáculo no ar faz parte da celebração do 144° aniversário de nascimento de Alberto Santos-Dumont, o inventor do avião
Mesmo debaixo de sol, amazonenses compareceram em massa na praia da Ponta Negra, na Zona Oeste de Manaus, para prestigiar o espetáculo em comemoração ao 144º aniversário do aeronauta e inventor brasileiro Santos-Dumont, o criador do avião. Realizado na tarde dessa quinta-feira (20), pelo Esquadrão Demonstração Aérea, popularmente conhecido como “Esquadrão da Fumaça”.O porta-voz do grupo, tenente Marcos Lemos, disse que o esquadrão retorna à capital com o objetivo de mostrar energia e o poder tecnológico energia para os amazonenses.
“Já estamos longe da capital a mais de cinco anos. A Amazônia tem grande importância para o brasileiro e, consequentemente, para todos nós das Forças Aéreas e vamos demonstrar isso por meio das nossas acrobacias no céu”, contou.
O 7º Comando Aéreo Regional da Forca Aérea Brasileira (7º Comar) também fez uma grande apresentação militar no evento.

PORTAL D24AM (AM)


Girlene Medeiros

Esquadrilha da fumaça ‘corta’ o céu de Manaus com acrobacias

Evento comemorou o 144º aniversário de nascimento de Alberto Santos Dumont. Homenagem contou, também, com a condecoração de 21 militares com a medalha Mérito Santos Dumont
Manaus – O Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA), popularmente conhecido como ‘Esquadrilha da Fumaça’, comemorou o 144º aniversário de nascimento de Alberto Santos Dumont, ‘cortando’ o céu com acrobacias do esquadrão na orla da Ponta Negra, zona oeste de Manaus, na tarde desta quinta-feira (20). A homenagem ao ‘Pai da Aviação’ e patrono da Força Aérea Brasileira (FAB) contou, também, com a condecoração de 21 militares com a medalha Mérito Santos Dumont.
A aposentada Isele Viana, 77, disse que fez questão de ir prestigiar o show. “Acho muito importante conhecermos essas atividades militares”, disse enquanto aplaudia as acrobacias dos aviões no céu. Entre os aplausos e as surpresas, causadas pelos pilotos que faziam movimentos individuais ou em conjunto com outros pilotos, a estudante de Serviço Social, Juçara Ribeiro, 32, afirmou acreditar ser imprescindível que a população tenha esse contato com os shows e os oficiais da Força Aérea. “Nós brasileiros temos que nos lembrar das nossas riquezas e de tudo o que isso representa positivamente para a agente”, afirmou enquanto observava os aviões que passavam de um lado para o outro no céu da Ponta Negra.
Há 19 atuando na FAB, seis deles dedicados à ‘esquadrilha’ o piloto número 7 da equipe do esquadrão, major aviador Eduardo Arantes, disse que um dos objetivos do evento é proporcionar o contato da atividade da FAB com a população. “Muitos conhecem apenas os aviões e não as atividades da Força Aérea”, disse o major, acrescentando que o show também tem a intenção de inspirar novos jovens a ingressar na FAB.
O major-brigadeiro do ar Waldeísio Ferreira Campos, comandante da Ala 8, acrescentou que a homenagem a Santos Dumont recorda o ‘Pai da Aviação’ que, com determinação e segurança, conseguiu dominar os ares e decolar com um equipamento pesado no ar. “Nós ficamos muito felizes, porque conseguimos conciliar a homenagem da Força Aérea com um evento cívico-militar, despertando valores de cidadania, de amor a pátria e orgulho pelo País”, afirmou o comandante, mencionando com o paraquedismo militar e apresentação da ‘esquadrilha da fumaça’.

PORTAL BARUERI NA REDE (SP)


Aeronáutica abre concurso para curso de sargentos

São 288 vagas para jovens de 17 a 24 anos e com ensino médio completo. Salário de R 1.010 durante o curso e R$ 3.584 após graduação
A Força Aérea Brasileira (FAB) recebe a partir desta sexta-feira, 21/7, inscrições para concurso público para Curso de Formação de Sargentos da Aeronáutica. São 288 vagas para ingresso no segundo semestre de 2018. É exigido o nível médio de escolaridade e a taxa de inscrição é de R$ 60. O salário durante o curso é de R$ 1.010 e depois da promoção a terceiro-sargento de R$ 3.584.
As inscrições devem ser feitas no site ingresso.eear.aer.mil.br no período de 21/7 a 14/8. No ato da inscrição será emitida uma guia de recolhimento da taxa de inscrição no valor de R$ 60 pelo sistema bancário. Candidatos inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (Cadúnico) e forem membros de família de baixa renda serão isentos da taxa.
Para admissão o candidato não poderá ter menos que 17 anos de idade nem completar 25 anos antes de 31/12/18. As vagas são para ambos os sexos, com exceção daquelas destinadas à Guarda e Segurança.
A primeira etapa, classificatória e eliminatória, será composta de prova escrita contendo questões de múltipla escolha nas disciplinas de Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Matemática e Física. As provas serão realizadas no dia 29/10, nas cidades de Belém (PA), Recife (PE), Fortaleza (CE), Salvador (BA), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP), São José dos Campos (SP), Campo Grande (MS), Canoas (RS), Santa Maria (RS), Curitiba (PR), Brasília (DF), Manaus (AM e Porto Velho (RO).
As demais etapas serão compostas de Inspeção de Saúde e Exame de Aptidão Psicológica, que acontecem entre 23/1 e 9/2/18; Teste de Avaliação do Condicionamento Físico, entre 24 e 27/4/18; e Validação Documental, no momento da matrícula.
Os convocados serão admitidos com o alunos na Escola de Especialistas de Aeronáutica (Eear), em Guaratinguetá (SP) e terão durante os dois anos de duração do curso a remuneração de R$ 1.010,00, ou a mesma remuneração caso seja militar da ativa da Aeronáutica. Os alunos ainda recebem alimentação, alojamento, fardamento e assistência médico-hospitalar e dentária.
Após a conclusão do curso e promoção à graduação de terceiro-sargento, a remuneração passa a ser de R$ 3.584.

PORTAL MERCADO MILITAR (COLÔMBIA)


Embraer desafía a Lockheed Martin

El fabricante de aviones brasileño Embraer (ERJ) trajo su nuevo prototipo de transportista de carga militar KC-390 al Salón del Aire de París para atraer a los militares del mundo y convencerlos de que es hora de abandonar el C-130 Hércules de Lockheed Martin.
El C-130 es el avión de producción más largo del mundo y el caballo de batalla preferido de la Fuerza Aérea de los Estados Unidos. Hay poco más de 1.100 militares y civiles C-130 volando hoy que con el tiempo tendrá que ser reemplazado. Embraer quiere llenar esos lugares.
“Respetamos la competencia” de Lockheed (LMT), dijo el presidente ejecutivo de Embraer, Paulo César de Souza e Silva. “Ahora es el momento de tener algo más nuevo y estamos ahí para eso”.
Desempeño a escala Mundial
El desarrollo de la KC-390 también es parte de la ambición más amplia de Brasil de ser un jugador industrial más grande en la escena mundial.
Mejor conocido por sus pequeños aviones comerciales, Embraer ha evitado, hasta hace poco tiempo, enfrentarse a grandes fabricantes como Boeing (BA) y Airbus (EADSF).
“De alguna manera, este jet es una aproximación al ascenso de Brasil como una potencia global”, dice un informe de Richard Aboulafia, vicepresidente de Análisis del Grupo Teal, una consultora aeroespacial.
La cubierta de carga de casi 61 pies de largo del nuevo KC-390 puede transportar desde vehículos blindados y tropas hasta suministros humanitarios y equipos de reabastecimiento aéreo.
Zipping a 300 millas por hora y 15.000 pies sobre el campo francés, es transportar a los periodistas por primera vez.
Poco a poco, poco a poco, la Fuerza Aérea de los EEUU, está volando poco a poco con el último modelo del C-130J Super Hércules.
Tiene nuevos motores y aviónica, pero la aeronave es la misma forma básica que ha volado más de 23 millones de horas de vuelo en 60 años – 1,6 millones para el C-130J solo.
Y el sello de aprobación de los militares estadounidenses no es un pequeño obstáculo que superar.
Eso es “algo más que un respaldo de producto”, dijo Aboulafia. Es una garantía de que las piezas de repuesto serán abundantes en todo el mundo y el C-130 seguirá siendo mejorado en las próximas décadas.
Tanto el KC-390 como el Hércules de Lockheed están diseñados para aterrizar en suciedad corta o no pavimentada o en pistas de arena, y sus motores pueden soportar golpes de rocas y polvo.
Pero el más rápido KC-390 con propulsión a chorro tiene una ventaja de velocidad de 140 millas por hora sobre los 400 mph, cuatro hélices impulsado, Hércules. Embraer dice que el KC-390 puede transportar hasta 50.000 libras de carga en su plataforma de carga de más de 19 pies de largo – unos 6.000 más que el avión de Lockheed.
¿y el precio?
Quizás más esencialmente, Embraer cree que puede reemplazar al C-130 por menos dinero.
El precio estimado para cada KC-390 oscilaría entre 50 millones y 55 millones de dólares, según un informe del Grupo Teal de 2016, unos 15 millones menos que el Hércules.
Es “una caja de carga fantástica por el precio”, dijo Aboulafia.
Embraer apuesta a que los políticos y los contribuyentes darán el KC-390 una ventaja.
Pero el lema de Lockheed es “el único reemplazo para un Herc es otro Herc”.
El rival brasileño puede ser menos costoso, pero hay atributos del Herc que no puede igualar.
El ala recta del C-130 puede sacarlo del terreno más rápido en batalla con más tropas o carga.
“Si buscas ascensor de combate, creo que los Hercules van a tener una ventaja”, dijo Aboulafia. “Si usted está mirando para entregar simplemente la materia de un aeródromo a otro, el KC-390 probablemente va a tener economía mejor.”
Actualmente sólo dos KC-390 experimentales están volando, y el airlifter todavía está siendo probado, por lo que será un tiempo antes de que pueda declarar la victoria.

PORTAL MADISON.COM (EUA)


Embraer Stock Is a Better Buy Than Boeing Stock Right Now

U.S. aerospace giant Boeing (NYSE: BA) has been one of the best-performing large-cap stocks of the past year. In fact, the stock has nearly doubled since bottoming out last February. Over the last five years, Boeing stock has almost tripled.
By contrast, Embraer (NYSE: ERJ) -- which is a distant No. 3 in aircraft manufacturing -- has struggled mightily in recent years, largely due to weak demand for business jets. Embraer stock has fallen about 24% over the past five years.
Boeing Stock vs. Embraer Stock Performance, data by YCharts.
However, Boeing stock has flown so high that it no longer looks like a compelling buy. On the other hand, Embraer is primed to make a comeback within the next few years. As a result, Embraer stock now looks like a better investment opportunity.
Momentum is on Boeing s side -- but the valuation is getting stretched
A year or two ago, many investors were worried that an ongoing order slowdown would prevent Boeing from sustaining its production plans, particularly for widebody jets. Indeed, the company has had to reduce deliveries of its 777 widebody jet dramatically. Last year, it was building 8.3 per month. By the end of this year, 777 output will drop to 5 per month -- and the actual delivery rate will fall to just 3.5 per month in 2018.
Fortunately, order activity has improved during 2017 -- even for widebody jets. Additionally, Boeing recently started ramping up production of the profitable 737 family from 42 per month to 57 per month. Meanwhile, 787 Dreamliner production has finally turned profitable.
Boeing is boosting production of the popular 737 family. Image source: Boeing.
As a result, Boeing s free cash flow rose from $6.9 billion in 2015 to $7.9 billion in 2016, and the company expects to generate free cash flow of about $8.45 billion this year. Based on its recent price, Boeing stock trades for about 15 times free cash flow.
That may not seem very expensive. However, aircraft manufacturing is a cyclical business, and it is probably closer to a peak than to a trough right now. Furthermore, Boeing may have to spend heavily between 2020 and 2030 to design all-new jets and bring them to market. This will put a damper on its free cash flow growth in the future.
While Embraer has posted erratic financial results in recent years, its core commercial jet business is quite lucrative. Whereas Boeing has struggled to sustain a 10% operating margin in its commercial airplanes segment, Embraer s commercial aviation segment routinely earns 12%-13% margins.
Embraer has warned that commercial jet production and the segment s profit margin could dip next year as the company transitions to building the next-generation E2-series jets. This is a key reason the stock has been mired below the $20 level recently.
Embraer s next-generation E190-E2 will enter service in early 2018. Image source: Embraer.
On the bright side, any dip in production and profit margins should be temporary. Embraer ended last quarter with 285 firm orders for E2-series jets, enough to support nearly three years of production. Some of those orders are likely to fall through, but Embraer has another 445 signed options, letters of intent, and purchase rights -- some of which will turn into firm orders in the coming years.
So far, the E2 jets have exceeded performance expectations in testing. That bodes well for future order activity. Embraer executives have said that they expect order volume to accelerate in the second half of 2017, as the 2018 entry-into-service date for the E190-E2 approaches. Of course, there is no guarantee that orders will materialize as expected, but the outlook is promising.
Declining sales and weak margins in the executive jets and defense segments have also crimped Embraer s performance in recent years. In fact, both of those segments lost a good deal of money in the first quarter of 2017. However, Embraer s guidance indicates that performance in those business segments will be much better going forward.
Right now, the market is working through a glut of used business jets. When the supply-demand balance improves, sales and profitability in that segment could soar. In the meantime, Embraer is prioritizing margins over sales, which should lead to stronger profitability in the executive jets segment during the remainder of 2017.
As for the defense segment, sales and profits could rise dramatically in the next few years as Embraer ramps up output of its new KC-390 tanker/transport plane, which should be fully certified in 2018. Embraer hopes to eventually earn $1.5 billion annually from KC-390 export sales. By contrast, the entire defense segment generated less than $1 billion of revenue in 2016.
In spite of its massive long-term growth potential, Embraer stock trades for less than 11 times earnings. As the company gets profit growing again in the next couple of years, Embraer stock is likely to soar higher -- just as Boeing stock has skyrocketed in the past five years.
10 stocks we like better than Embraer
When investing geniuses David and Tom Gardner have a stock tip, it can pay to listen. After all, the newsletter they have run for over a decade, Motley Fool Stock Advisor, has tripled the market.*
David and Tom just revealed what they believe are the 10 best stocks for investors to buy right now...and Embraer was not one of them! That s right -- they think these 10 stocks are even better buys.

PORTAL MASSA NEWS (PR)


Avião faz pouso forçado em lavoura em Francisco Beltrão

João Carlos Frigério
Uma aeronave do modelo Embraer EMB-810C Seneca II realizou um pouso forçado no início da tarde desta sexta-feira (21) na Comunidade Linha São Marcos, no município de Francisco Beltrão, no sudoeste do Paraná.
As primeiras dão conta que um dos motores da aeronave prefixo PT-LKX parou de funcionar logo após a decolagem do Aeroporto Municipal de Francisco Beltrão. O piloto que seguiria para Pato Branco tentou fazer o retorno para o aeroporto, mas ele não conseguiu chegar até a cabeceira da pista.
O piloto que estava sozinho fez o pouso forçado em uma lavoura e sofreu apenas ferimentos leves.
O Corpo de Bombeiros foi até o local e prestou atendimento ao piloto e isolou o local, para que seja feita a perícia por parte da Cenipa.

PORTAL AGORA (SP)


Força Aérea recebe inscrição para 288 vagas

Vanessa Sarzedas
A FAB (Força Aérea Brasileira) recebe inscrições no concurso com 288 vagas para curso de formação de sargentos.
Há oportunidades para homens e mulheres.
Para concorrer, é preciso ter concluído o ensino médio e ter idade entre 17 e 25 anos até o dia 31 de dezembro do ano que vem.
Os aprovados no concurso irão fazer o curso de formação de sargentos no segundo semestre do ano que vem.
Essa etapa será realizada na cidade de Guaratinguetá (187 km de SP) e tem duração de cerca de dois anos.

JORNAL CORREIO DE NOTÍCIAS (RS)


FAB OFERECE CURSO PROFISSIONALIZANTE GRATUITO EM CANOAS

Em Canoas, região metropolitana da capital gaúcha, o Hospital de Aeronáutica de Canoas, HACO, está oferecendo um curso profissionalizante gratuito, oportunizando a jovens uma nova opção de trabalho.
O curso é o de Auxiliar em Saúde Bucal (ASB), no qual o jovem se capacita para poder auxiliar nas diversas atividades de um consultório odontológico. Com aulas teóricas e estágio prático, o curso está previsto para 06 de novembro de 2017 e terá duração de seis meses.
São apenas 12 vagas, mas a previsão é que nos próximos anos mais turmas sejam formadas. Para se candidatar, é necessário ser brasileiro, civil, ter 18 anos ou mais, ter concluído o ensino médio e apresentar a documentação solicitada.
As inscrições serão presenciais, de 01 de agosto a 01 de setembro de 2017, no Hospital de Aeronáutica Canoas, na Avenida Guilherme Schell, nº 3950, próximo à estação Fátima do Trensurb, dentro do antigo Quinto Comando Aéreo Regional. As informações completas estão no edital, disponível no site www.fab.mil.br/haco.
SERVIÇO:
O que: Curso profissionalizante de Auxiliar em Saúde Bucal.
Valor: Curso e inscrições gratuitas.
Inscrições: Presenciais de 01 de agosto a 01 de setembro de 2017.
Curso: Início em 06 de novembro de 2017 com duração de seis meses.
Local: Hospital de Aeronáutica de Canoas. Avenida Guilherme Schell, nº 3950, próximo à estação Fátima do Trensurb.
Pré-requisitos: Homens e mulheres, civis, ter mais de 18 anos, ter concluído o ensino médio e apresentar a documentação solicitada.
Edital: Disponível em www.fab.mil.br/haco

PORTAL FLIGHT GLOBAL (EUA)


Leigh Giangreco

KC-390 wraps world tour

Embraer’s KC-390 wrapped its 40-day demonstration tour this week after stops in 18 countries throughout Europe, Africa and Asia.
The Brazilian transport tanker made its flight display debut at the Paris air show this June and went on to a series of flight demonstrations before returning to Brazil. The KC-390 covered 49,537nm during its trip, demonstrating high temperature and high altitude take-offs, low-level navigation and simulated operational conditions, such as paratroopers dropping, a 21 July Embraer release states.
Flight testing is on track for the KC-390’s primary mission, tactical transport, as Embraer prepares to deliver the first production aircraft to the Brazilian air force next year, FlightGlobal previously reported. The aircraft can transport a maximum of 26 metric tons of cargo at 470kt, according to the company. Embraer is taking on the KC-390’s air refuelling role, with dry contacting testing underway on Northrop F-5 fighters and wet contacts slated to start soon.
The Brazilian air force contracted Embraer to develop the KC-390 in 2009 and the programme is scheduled to reach initial operational capability at the beginning of 2018. The air force will receive the first two KC-390s of its 28 aircraft order that year, with two the following year and three each in subsequent years.

JORNAL DIÁRIO DE RIBEIRÃO PIRES (SP)


Diego Alves

Fábrica clandestina de balões é encontrada em RP

Nesta semana, mais um local que servia como fábrica e armazenamento de balões foi descoberto em Ribeirão Pires. Na hora que a polícia ambiental chegou, foi encontrado um homem e também um balão de aproximadamente 10 metros de altura, além de rifas que teriam como prêmio, um balão.
A apreensão foi feita na Vila Rica, região da Quarta Divisão, e foi através de denúncias anônimas que a polícia chegou até o local. Essa apreensão foi fruto da Operação Caça Balão, iniciada no início do mês de Julho.
O homem foi encaminhado até a Delegacia do Meio Ambiente de Santo André por ter sido pego em flagrante. Ele segue preso até o pagamento de um salário mínimo, valor estipulado para fiança.
Mesmo sendo considerado crime, a atividade é muito comum em todo o país, sendo mais comum aos finais de semana ou feriados.
Recentemente o Diário RP fez duas reportagens sobre a temática, sendo que, em uma delas a polícia chegou na hora em que um festival de balões estava ocorrendo, e na outra a polícia encontrou outro local que servia como armazenamento de balões e seus derivados.
O artigo 42 da lei nº 9.605, diz que fabricar, vender, transportar ou soltar balões que possam provocar incêndios nas florestas e demais formas de vegetação, em áreas urbanas ou qualquer tipo de assentamento humano, é crime, podendo ocasionar como pena a detenção de um a três anos, multa, ou ambas as penas cumulativamente.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos







Publicidade






Recently Added

Recently Commented