|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 14/11/2016 / Embraer prepara lay-off


Embraer prepara lay-off ...


Depois de assumir envolvimento em um esquema internacional de pagamento de propinas, a Embraer tem vivido um verdadeiro "inferno astral".

Na quinta-feira 10, a empresa comunicou que negocia acordo de lay-off para até dois mil empregados de sua unidade de São José dos Campos, em São Paulo.

A suspensão temporária das atividades pode durar entre dois e cinco meses, e será aplicada ao longo de dois anos.

De acordo com a empresa, a iniciativa ajudará na diminuição temporária de custos.





Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




PORTAL G-1


Aeroporto de Guarulhos recebe nesta segunda o maior avião do mundo

Antonov 225 vai transportar gerador de 150 toneladas para o Chile. Operação especial foi montada para chegada da aeronave.

O Antonov 225, maior avião do mundo e único em operação, vai pousar nesta segunda-feira (14) às 23h30 no Aeroporto Internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo e decolar para o Chile na terça-feira (15) às 8h. Esta é a segunda vez que ele vem ao Brasil. A primeira foi em fevereiro de 2010.
Com 84 metros de comprimento, 88 metros de envergadura (distância entre as pontas das asas) e 175 toneladas sem carga e sem combustível, o avião tem capacidade para transportar 250 toneladas de carga em longas distâncias. 
Ele vai transportar um gerador de 150 toneladas até Santiago e antes de chegar a Guarulhos, fará uma escala em Campinas para pegar uma peça que servirá de suporte. Essa é a segunda maior carga a ser transportada na história da aviação, de acordo com a assessoria do aeroporto de Guarulhos.
O aeroporto planejou uma operação especial para receber o Antonov e para carregar o gerador até o porão da aeronave. Foram contratados um guindaste, um pórtico e trilhos para transportar o equipamento.
A aeronave ficará estacionada no pátio do Terminal 2. A operação vai ocupar sete posições de estacionamento.

REVISTA ISTO É DINHEIRO


Embraer prepara lay-off


Depois de assumir envolvimento em um esquema internacional de pagamento de propinas, a Embraer tem vivido um verdadeiro "inferno astral". Na quinta-feira 10, a empresa comunicou que negocia acordo de lay-off para até dois mil empregados de sua unidade de São José dos Campos, em São Paulo. A suspensão temporária das atividades pode durar entre dois e cinco meses, e será aplicada ao longo de dois anos. De acordo com a empresa, a iniciativa ajudará na diminuição temporária de custos.

OUTRAS MÍDIAS


Pioneiro (RS)


Colisão com pássaro pode ter forçado avião que saiu de Caxias a pousar em Porto Alegre

Incidente chamado de bird strike é comum em grandes aeródromos do Brasil
Um avião 737 da Gol que saiu de Caxias do Sul rumo a São Paulo, mas que foi obrigado a pousar em Porto Alegre, mostra que o Aeroporto Regional Hugo Cantergiani não está livre da colisão entre pássaros e aeronaves, o chamado bird strike, a exemplo do que ocorre nos grandes aeródromos do Brasil.
O incidente ocorreu na noite de sexta-feira. Embora a Gol ainda não tenha emitido relatório confirmando as causas do pouso de precaução, passageiros relataram em redes sociais que uma ave entrou numa turbina ainda na decolagem. Logo em seguida, o comandante do 737 pediu autorização para descer no Aeroporto Salgado Filho. Quinze minutos depois, o avião aterrissou na Capital sem maiores consequências. Os cerca de 100 passageiros foram transferidos para outra aeronave e seguiram para São Paulo. O 737 deveria ter saído de Caxias às 19h10min de sexta, mas chegou atrasado na cidade e só decolou por volta das 21h.
Incidentes envolvendo aves não são incomuns em Caxias do Sul. Relatórios de pilotos ao Centro de Prevenção e Investigação de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) apontam 19 ocorrências desde abril de 2011 durante o pouso, a decolagem ou a aproximação com a pista de Caxias. Desse total, sete foram colisões contra aviões de grande porte operados pela Azul e pela Gol, e outras seis envolveram aeronaves menores como jatinhos e monomotores. As demais ocorrências se referem a quase colisões ou avistamentos de aves na pista ou no trajeto do voo. A maioria provocou danos na fuselagem ou em outras partes do avião, sem alterar o voo. Conforme o Cenipa, em janeiro de 2012, um bird strike forçou uma manobra de precaução da Azul em Porto Alegre.
Para o administrador do aeroporto, Marcos Arguelles, o procedimento de pouso em Porto Alegre na última sexta-feira não seria algo extraordinário.
— O piloto percebeu a uma vibração num motor, que pode ter ocorrido por várias causas. Ele sentiu esse problema ainda na subida e realizou o pouso técnico para checagem. Não houve pânico. Não posso afirmar que foram pássaros, não recebemos o relatório, mas isso ocorre com frequência em vários aeroportos pelo país — diz Arguelles.
De acordo com o Cenipa, Porto Alegre registrou 120 incidentes neste ano. Caxias, por sua vez, teve quatro ocorrências, sem contar o caso do voo da Gol de sexta-feira.Segundo relatórios do Cenipa, os incidentes no Hugo Cantergiani desde 2011 foram causados por urubus, andorinhas e quero-queros.]
— Dependendo do horário e em dias quentes, há muitos pássaros no caminho, mas isso é variável — conta Evandro Miotte, instrutor de voo do Aeroclube de Caxias do Sul.
Marcos Arguelles explica que a primavera é um período instável para a proliferação de pássaros na pista, nas cabeceiras ou na área verde do entorno. Por esse motivo, três vezes ao dia, os funcionários fazem uma contagem de aves na área. A quantidade varia no decorrer do dia.
— Estamos intensificando esse trabalho, mas está sob controle, dentro do que se espera na primavera. Mas ressalto que não se compara com outras pistas do país — argumenta o administrador.
A reportagem não conseguiu contatar representantes da Gol para falar sobre o incidente em Caxias.
NÚMEROS
Confira os incidentes envolvendo aviões e pássaros no Aeroporto Hugo Cantergiani, segundo o Cenipa:
2011:
1 colisão com avião de pequeno porte
2012:
2 colisões com aviões da Azul
3 avistamentos de aves
2013:
3 colisões com aviões da Azul
1 avistamento de aves
1 quase colisão
2014:
1 colisão com avião da Azul
2 colisões com um jatinho e um avião de pequeno
2015:
1 colisão com avião de pequeno porte
2016*:
1 colisão com avião da Gol
2 colisões com aviões de pequeno porte
1 quase colisão
*até março

Hora de Santa Catarina


Base Aérea de Florianópolis terá efetivo reduzido pela metade

Apesar dos boatos de fechamento da estrutura, comando explica que base permanece, mas serviços serão alterados
Há alguns meses começou a circular na Capital boato sobre o fechamento da Base Aérea que fica no sul da Ilha. Ela não vai fechar, mas vai mudar. As atividades serão reduzidas para economia. Alguns militares serão desligados, outros transferidos. As informações são da repórter Mayara Vieira, do Jornal do Almoço.
Mesmo sendo uma das bases com menor custo do país, a estrutura não escapou dos cortes. O Portal da Transparência mostra que, no ano passado, pra manter a base, foram gastos R$ 7,9 milhões, o que representa 0,4% do orçamento total do comando da Aeronáutica. Os cortes vão afetar as atividades e a vida de quem trabalha aqui.
Hoje a base conta com 900 militares. Com a reestruturação, até o final do ano que vem, o número será reduzido pela metade. Os primeiros serão transferidos para Canoas, no Rio Grande do Sul, até o final desse ano. Eles fazem parte do Esquadrão Fênix, que trabalha sobre o mar. Três aviações sobrevoam parte do litoral para fazer busca e salvamento, e durante os 34 anos aqui, trabalharam em momentos que Santa Catarina precisou de ajuda, como nas enchentes. Um militar da reserva, que serviu por 16 anos em Floripa, acredita que esta deve ser a principal perda:
— Perde aquela coisa mais imediatada, porque acredito que assistência sempre vai ter, mas vai ser mais demorada — aponta Sérgio Fromholz.
O comandante da base, Antonio Ferreira Lima Junior, garante que SC não terá prejuízos:
— Essa aeronave tem facilidade de deslocamento, velocidade, muito mais eficiente que tinha no passado. É factível operar a partir de outra localidade.
O que fica
O que vai continuar sendo feito na estrutura são os serviços administrativos e os projetos sociais que atendem crianças carentes. A estrutura de 600 hectares também vai ser aproveitada para treinamentos da Força Aérea.
Mudanças como essas estão sendo feitas em outras unidades do país para cortar despesas. Mas, por enquanto, não se sabe o quanto a Base de Floripa vai contribuir para a economia.
— Vale salientar que o nosso efetivo da reserva de Florianópolis é o dobro da ativa. Então vai reduzir 10% da folha de pagamento. Não é um impacto tão grande — finaliza o comandante.

Cenário MT


Voo internacional de MT para Bolívia começará em 2017

Mais uma conquista da aviação regional está prestes a ser oficializada para Mato Grosso. Conforme a previsão, a Azul Linhas Aéreas Brasileiras passará, a partir de fevereiro de 2017, a operar o primeiro voo internacional do Aeroporto Marechal Rondon, com destino a Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia. A operação depende ainda de aprovação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e de autoridades de aviação civil bolivianas.
As autoridades aeroportuárias brasileiras e bolivianas já receberam o pedido da companhia para operar a rota. As tarifas e o início da venda de passagens serão ofertados após a aprovação do voo pelos órgãos reguladores.
“Estamos hoje atendendo a uma demanda local que anseia por esta ligação sem escalas para Santa Cruz de La Sierra. Isto sem dúvida ampliará ainda mais as oportunidades de negócios para toda a região Centro-Oeste do Brasil e aproximará brasileiros e bolivianos que viajam a turismo ou a negócios, graças à ampla conectividade de nossa malha aérea”, destaca Daniel Tkacz, diretor de Planejamento de Malha da Azul.
Hoje, a Azul realiza operações a partir do Aeroporto Marechal Rondon com conexões ou voos diretos para São Paulo (Viracopos e Guarulhos), Belo Horizonte, Goiânia, Campo Grande, Sinop, Barra do Garças, Porto Velho, Ji-Paraná, Vilhena, Rondonópolis, Cacoal, Curitiba, Florianópolis, Rio de Janeiro (Santos Dumont e Galeão), Porto Alegre e Recife.
Para o secretário adjunto de Turismo do Estado, Luís Carlos Nigro, o voo proporcionará o fortalecimento do turismo de Mato Grosso e o desenvolvimento econômico. “Estamos enxergando nesse voo internacional uma primeira conexão, que visa integrar a nossa região com a América do Sul. A ampliação dos voos em Mato Grosso fomenta não apenas o turismo de negócio, mas, também, o turismo de visitação, pois muitas pessoas vêm para visitar, por exemplo, o Pantanal e, com a novidade, ficará mais fácil receber esse público que vem da Bolívia e de outros países vizinhos para conhecer os demais pontos turísticos de Mato Grosso. Estamos nos mobilizando para conseguirmos essa operação o quanto antes”, reforçou.
Santa Cruz de la Sierra é a maior e mais populosa cidade da Bolívia, com 1,7 milhão de habitantes, além de ser a mais importante do Departamento de Santa Cruz. Motor econômico do país, Santa Cruz de la Sierra é um polo petroquímico, com foco na produção e exportação de gás natural. A cidade também é conhecida por sua tradição gastronômica.
Voo
As viagens do Aeroporto Marechal Rondon para Santa Cruz serão às terças, sextas-feiras e aos domingos, numa aeronave turboélice ATR 72-600, de 70 assentos, que garante versatilidade à frota e é ideal para atender à demanda de novas bases.
O modelo ATR 72-600, de fabricação franco-italiana e amplamente utilizado pela Azul, é o turboélice mais moderno que existe atualmente e ideal para a operação de rotas de curta e média distância.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos







Publicidade






Recently Added

Recently Commented