|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 14/10/2016 / Novo PDV da Embraer tem adesão de 180 funcionários nas plantas do Brasil


Novo PDV da Embraer tem adesão de 180 funcionários nas plantas do Brasil ...

Inscrições serão avaliadas até esta sexta-feira (14) e aptos serão demitidos. Em pacote anterior, 1,4 mil já haviam optado pela demissão ...

O Programa de Demissão Voluntária (PDV) da Embraer, aberto no último dia 6, teve a adesão de 180 funcionários nas unidades que a fabricante de aviões tem no Brasil. Os desligamentos devem ser feitos a partir de 17 de outubro.

A medida, parte de um pacote para redução de custos na companhia, foi voltada apenas para engenheiros, técnicos de nível médio e secretários.

As intenções de adesão ao plano serão avaliadas individualmente até está esta sexta-feira (14) e os funcionários considerados aptos serão demitidos. A empresa não informou a quantidade de pedidos por planta.

Segundo a empresa, o novo pacote foi um pedido dos funcionários, alegando que ainda havia desejo de desligamentos.

Primeiro PDV
Antes, no PDV lançado em agosto, 1,4 mil trabalhadores já haviam aderido à medida em todas as unidades do Brasil.

Os dois PDVs lançados pela Embraer prevêem, além do pagamento rescisório aos demitidos, também indenização de 40% do salário nominal, sendo proporcional ao tempo de empresa; direito a seis meses de plano de saúde e odontológico e apoio em programas de palestras e workshops de qualificação.

Nas fábricas e subsidiárias, como a Eleb, que mantém no Brasil e no exterior, a Embraer tem atualmemente cerca 19 mil empregados - sendo 13 mil em São José dos Campos. As fábricas no Brasil ficam, além de duas em São José, em Taubaté, Sorocaba, Botucatu e Gavião Peixoto

Crise
No último trimestre, a Embraer sofreu prejuízo de R$ 337,3 milhões, revertendo resultado positivo de R$ 399,6 milhões obtidos no mesmo período do ano passado. A companhia também cortou estimativas para entregas de aviões executivos e comerciais.

Com isso, a projeção de receitas líquidas neste ano teve queda para o intervalo de US$ 1,6 bilhão a US$ 1,75 bilhão ante previsão anterior de US$ 1,75 bilhão a US$ 1,9 bilhão. Nos últimos seis meses, o consumo de caixa da companhia foi de US$ 600 milhões.



Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.



TV GLOBO - JORNAL NACIONAL


Piauí entra em estado de alerta por causa de incêndios

Dez novos focos são registrados por hora. Uma nuvem de fumaça encobre Teresina.

O Piauí entrou em alerta e pediu ajuda do Exército para combater os incêndios. A cada hora, surgem dez novos focos
Faz três dias que uma nuvem de fumaça toma conta de Teresina. Resultado dos focos de incêndio espalhados pela cidade
Na quarta-feira (12) e nesta quinta-feira (13), a umidade relativa do ar ficou muito abaixo do considerado ideal pela Organização Mundial da Saúde. Só nas últimas 48 horas foram mais de 500 focos de incêndio no Piauí, 41 só na capital.
Com apenas cinco equipes para atender Teresina e as cidades vizinhas, o Corpo de Bombeiros não consegue dar conta dos chamados.
“Mais de uma hora a gente chamando os bombeiros e nunca apareceu”, diz a comerciante Sônia Dias.
Os moradores de um condomínio tiveram que sair por causa da fumaça.
O fogo vem da mata que fica logo ao lado do condomínio, e o vento ajuda a propagar as chamas. Quem está apagando o incêndio são os jardineiros que trabalham aqui. A água vem das a piscina das casas.
“Uma cidade pegando fogo, simplesmente pegando fogo e ninguém toma providência”, disse a funcionária pública Fernanda Meneses.
Nesta quinta, o governo do Piauí pediu ajuda do Exército no combate aos incêndios e liberou R$ 3 milhões para reforçar o trabalho dos bombeiros.
O fogo destruiu casas e deixou 40 pessoas desabrigadas.
“Quando nós demos fé, o fogo chegou e tomou de conta da casa logo. Não deu tempo para tirar nada”, contou o agricultor Antônio Oliveira.
"Não sei como vou fazer, só sei que tenho que tirar força para recomeçar minha vida de novo. Porque tudo que eu tinha, construí, está tudo perdido aqui”, lamentou a doméstica Francisca Pereira.

PORTAL G-1


Novo PDV da Embraer tem adesão de 180 funcionários nas plantas do Brasil

Inscrições serão avaliadas até esta sexta-feira (14) e aptos serão demitidos. Em pacote anterior, 1,4 mil já haviam optado pela demissão.

O Programa de Demissão Voluntária (PDV) da Embraer, aberto no último dia 6, teve a adesão de 180 funcionários nas unidades que a fabricante de aviões tem no Brasil. Os desligamentos devem ser feitos a partir de 17 de outubro.
A medida, parte de um pacote para redução de custos na companhia, foi voltada apenas para engenheiros, técnicos de nível médio e secretários.
As intenções de adesão ao plano serão avaliadas individualmente até está esta sexta-feira (14) e os funcionários considerados aptos serão demitidos. A empresa não informou a quantidade de pedidos por planta.
Segundo a empresa, o novo pacote foi um pedido dos funcionários, alegando que ainda havia desejo de desligamentos.
Primeiro PDV
Antes, no PDV lançado em agosto, 1,4 mil trabalhadores já haviam aderido à medida em todas as unidades do Brasil.
Os dois PDVs lançados pela Embraer prevêem, além do pagamento rescisório aos demitidos, também indenização de 40% do salário nominal, sendo proporcional ao tempo de empresa; direito a seis meses de plano de saúde e odontológico e apoio em programas de palestras e workshops de qualificação.
Nas fábricas e subsidiárias, como a Eleb, que mantém no Brasil e no exterior, a Embraer tem atualmemente cerca 19 mil empregados - sendo 13 mil em São José dos Campos. As fábricas no Brasil ficam, além de duas em São José, em Taubaté, Sorocaba, Botucatu e Gavião Peixoto
Crise
No último trimestre, a Embraer sofreu prejuízo de R$ 337,3 milhões, revertendo resultado positivo de R$ 399,6 milhões obtidos no mesmo período do ano passado. A companhia também cortou estimativas para entregas de aviões executivos e comerciais.
Com isso, a projeção de receitas líquidas neste ano teve queda para o intervalo de US$ 1,6 bilhão a US$ 1,75 bilhão ante previsão anterior de US$ 1,75 bilhão a US$ 1,9 bilhão. Nos últimos seis meses, o consumo de caixa da companhia foi de US$ 600 milhões.

TSE aprova envio de tropas federais para o segundo turno em São Luís

Cidade teve registros de atos violentos na véspera do primeiro turno. Ministério da Defesa vai definir quantos homens irão para o Maranhão.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou nesta quinta-feira (13) o envio de tropas federais para reforçar a segurança no segundo turno da eleição municipal em São Luís, no Maranhão.

As tropas deverão estar na cidade 48 horas antes do pleito, em 30 de outubro. O Ministério da Defesa ainda vai definir quantos homens vão para o Maranhão.

São Luís ja teve reforço no primeiro turno, após ataques a ônibus e locais de votação organizados por grupos criminosos nos dias que antecederam a eleição.

O presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, e o ministro da Defesa, Raul Jungmann, chegaram a visitar a cidade na véspera do primeiro turno.

Em São Luís, o segundo turno será disputado entre Edivaldo Holanda Júnior (PDT) e Eduardo Braide (PMN).

Governo brasileiro anuncia envio de dez toneladas de donativos ao Haiti

Serão enviados alimentos, materiais de higiene pessoal e material escolar. País foi atingido pelo furacão Matthew, que deixou pelo menos 473 mortos.

Em Brasília

O Ministério da Defesa informou nesta quinta-feira (13) que enviará na próxima semana cerca de dez toneladas de donativos para ajudar as vítimas do furacão Matthew no Haiti. Segundo a pasta, os donativos foram arrecados pela Rede de Solidariedade ao Haiti. O ministério informou ainda que destacou 64 militares para levar os donativos ao país caribenho.

O furacão Matthew deixou pelo menos 473 mortos durante sua passagem pelo Haiti na semana passada, segundo um balanço provisório oficial, divulgado pela Defesa Civil haitiana.

O furacão é o mais forte a atingir o Caribe desde 2007, e foi justamente no Haiti que o Matthew causou mais destruição. O país mais pobre das Américas foi devastado por um terremoto em 2010 e até hoje ainda não se recuperou completamente.

De acordo com a Defesa, serão enviados ao Haiti alimentos, material de limpeza, de higiene pessoal, material escolar, roupas e outros itens de primeira necessidade.

"A iniciativa de arrecadação começou em abril para ser entregue no fim do ano, entretanto, em virtude da ocorrência do furacão, o Ministério da Defesa está envidando todos os esforços para antecipar o envio dos donativos utilizando-se de aeronaves da Força Aérea em voos de apoio logístico programados", informou o ministério.

Nesta quarta, o governo brasileiro havia anunciado o envio de 75 barracas, com área útil de 25 metros quadrados cada, para abrigar as vítimas do furacão. O envio das barracas deve ser feito nesta sexta (14).

Desastre

De acordo com autoridades haitianas, mais de de 1,4 milhão de pessoas necessitam de uma ajuda rápida no país.

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, fez um apelo para que a comunidade internacional mostre solidariedade e trabalhe junta em uma resposta efetiva a esta emergência.

O mais forte furacão a atingir o Caribe desde 2007 destruiu reservas de comida, plantações e colheitas, segundo a France Presse. Alguns povoados e cidades foram dizimados.

Medo do cólera

Como é comum após os desastres naturais, a Organização Mundial de Saúde (OMS) teme o aumento no número de casos de cólera. Depois do terremoto de 2010, o país enfrentou a pior epidemia da doença na história mundial: foram registrados mais de 500 casos de contágio semanais e 10 mil pessoas morreram em decorrência de cólera.

No entanto, até o momento o representante da Organização Mundial de Sáude (OMS) no Haiti, Jean-Luc Poncelet, afirmou que há registros de dezenas de casos, mas que o número de ainda é considerado baixo.

Enquanto um grupo ainda tenta realizar uma avaliação precisa da situação de saúde dos haitianos, espera-se a chegada de mais provisões que sejam rapidamente distribuídas. "As pessoas estão muito ansiosas. Não tem vindo nenhum tipo de ajuda sistemática nos últimos dias", acrescentou Poncelet.

Monomotor cai durante tentativa de pouso em São Lourenço, MG

Aeronave estava próxima do solo quando houve uma falha no motor. Piloto teve apenas ferimentos leves e não precisou de atendimento.

Um monomotor caiu durante um voo em São Lourenço (MG) na tarde desta quinta-feira (13). Segundo o Corpo de Bombeiros, a aeronave se preparava para fazer o pouso no aeroporto da cidade quando houve uma falha no motor.
Ainda conforme os bombeiros, o piloto estava sozinho e sofreu apenas ferimentos leves. Ele não precisou ser levado para nenhum hospital. A perícia da Aeronáutica foi acionada para apurar as causas do acidente.

Temer diz que PEC do teto de gastos pode ser revisada em 4 ou 5 anos

Presidente deu a declaração ao programa GloboNews Miriam Leitão. Entrevista foi exibida na noite desta quinta-feira (13) na GloboNews.

O presidente da República, Michel Temer, afirmou em entrevista ao programa GloboNews Miriam Leitão que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que estabelece um teto para os gastos públicos nas próximas duas décadas poderá ser revista daqui a quatro ou cinco anos para não engessar a administração federal, se a economia brasileira se recuperar neste período. A entrevista foi exibida na GloboNews nesta quinta-feira (13) entre 21h30 e 22h.
A PEC 241, que também é conhecida como PEC dos gastos públicos, é a principal aposta do governo Temer para tentar reequilibrar a economia. A proposta foi aprovada em primeiro turno na Câmara dos Deputados na última segunda (10).
“Pergunto, não se pode revisar daqui a quatro, cinco, seis anos? De repente, o Brasil cresce da forma que você Miriam Leitão está dizendo, aumenta a arrecadação e pode-se modificar? Eu acho que pode. Você propõe uma nova emenda constitucional que reduz o prazo de dez anos para quatro, cinco anos. Ou seja, o país não ficará engessado em função do teto”, disse Temer.
Segundo o texto analisado neste momento pelo Congresso Nacional, somente a partir do décimo ano o presidente que estiver no poder poderá alterar o formato de correção das despesas públicas.
No entanto, a proposta de revisão terá de ser enviada ao parlamento por meio de projeto de lei complementar. O texto da PEC ressalta que será admitida somente uma alteração nos critérios de correção por mandato presidencial.
Por se tratar de uma emenda à Constituição, a PEC do teto de gastos precisa ser aprovada em dois turno na Câmara e outros dois no Senado.
Na Câmara, em cada rodada de votação, são necessários os votos de, no mínimo, 308 deputados. No primeiro turno, a PEC foi aprovada por 366 votos a favor e 111 contra.
Saúde e educação
Em meio à entrevista, Temer rebate as críticas de que a PEC sucateará as áreas de saúde e educação por restringir o orçamento dos dois setores por 20 anos.
O peemedebista ressaltou que, mesmo com a restrição de elevar os gastos apenas como reposição da inflação, será possível realocar recursos internamente entre os orçamentos de cada área. Ele exemplificou que a PEC não impede transferir dinheiro de um setor específico para dar um aumento real à saúde e à educação.
“Não é um teto para a educação, um para a saúde, para a cultura, para a justiça. Então, quando dizemos que será revisável a cada orçamento apenas pela inflação, não significa que não pode ser além da inflação. Ora, se você vai aumentar para saúde e educação, você vai ter que tirar de outros setores”, enfatizou.
FHC e Lula
Nesta quarta (12), o peemedebista ofereceu um almoço ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso no Palácio do Jaburu, residência oficial da Vice-Presidência. Temer relatou na entrevista que FHC elogiou a iniciativa de o governo ter proposto um teto para os gastos públicos federais.
Indagado se há “clima” para um diálogo com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva após o litígio com o PT motivado pelo impeachment de Dilma Rousseff, o presidente disse que estaria disposto a sentar à mesa com o petista.
“Não sei bem como ele [Lula] receberia esse chamado, mas eu, se for possível conversar, converso com todo mundo”, enfatizou.
Congresso Nacional
Por se tratar de uma emenda à Constituição, a PEC do teto de gastos precisava do apoio de, no mínimo, 308 deputados na Câmara, mas a proposta foi aprovada em primeiro turno por 366 votos a favor e 111 contra. O resultado foi considerado pelo governo como uma "vitória maiúscula".
Questionado por Miriam Leitão se acredita que o Executivo conseguirá manter o mesmo ritmo de apoio no Congresso Nacional em futuras votações de seu interesse, Temer disse que sim, mas ressaltou que um bom diálogo com os parlamentares não é suficiente para aprovar projetos.
Segundo o peemedebista, é preciso que os parlamentares tenham consciência da crise pela qual o país atravessa.
“Hoje, o Poder Legislativo está pleno de consciência que tem que fazer alguma coisa pelo país. Ou nós repetimos [a quantidade de votos a favor], ou teremos mais.”
Para aprovar os projetos de seu interesse, o presidente disse que está conversando com líderes dos e com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).
Reforma da Previdência
Tanto Temer quanto o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, e o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, se aposentaram com menos de 55 anos. Questionado sobre como convencer a sociedade brasileira do aumento da idade mínima, o peemedebista afirmou que o seu próprio exemplo serve para revelar a “impropriedade” de sua aposentadoria pelo regime atual.
“Passados 20 anos e estamos aqui conversando e acho que ainda estou bem, né? Pelo menos consigo trabalhar. A minha aposentadoria é uma revelação. Naquele tempo não se pensava nisso”, ressaltou.
Temer disse que ainda não recebeu por completo os estudos sobre a proposta do novo sistema, mas afirmou que o governo pretende dar uma “uma certa igualdade entre os vários regimes”, incluindo o dos políticos.
“Estamos examinando isso. É a mesma ideia de igualdade. Nós queremos uniformizar, o tanto quanto possível, as categorias, naturalmente. Tenho absoluta convicção de que se isto acontecer, a classe política vai colaborar, não tenho dúvida disso.”
Desemprego
Em meio à entrevista, o presidente defendeu mais investimentos na indústria, no setor de serviços e no agronegócio para reduzir o desemprego no país, em especial na iniciativa privada.
"Primeiro, você tinha esperança, gerou confiança. Confiança deve gerar investimentos. Leva algum tempo para que se opere as modificações. Temos que ter paciência para isso. Paciência para enfrentar as dificuldades, até políticas do país.”
Temer afirmou que não desistiu de propor uma reforma nas regras trabalhistas. Ele ressaltou que só deve dar andamento ao tema se, após conseguir aprovar a PEC do teto de gastos e a reforma da Previdência, ainda avaliar que é necessário alterar a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) para reequilibrar a economia brasileira.
Lava Jato
Temer foi citado na Operação Lava Jato pelo ex-senador Delcídio do Amaral e pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, ambos delatores no processo. Segundo Amaral, o atual presidente teria indicado Jorge Zelada para a Diretoria Internacional da Petrobras.
Já Machado alega que Temer teria pedido dinheiro para a campanha de Gabriel Chalita em 2012, que disputava a prefeitura de São Paulo, em uma sala da Base Aérea de Brasília. Machado teria então conseguido R$ 1,5 milhão por meio de doações da empreiteira Queiroz Galvão.
Em relação à acusação de Amaral, Temer disse que a bancada do PMDB na Câmara o apresentou o nome de um dos diretores da Petrobras, mas não chegou a fazer a indicação. Sobre a acusação de Machado, Temer afirmou ter prestígio “a essa altura para não precisar dele, que é um sujeito secundário, para pleitear alguma contribuição para o partido de empresários.”
Na entrevista, o presidente ainda negou que a sala da Base Aérea exista e falou que encontrou diversas vezes com Machado, inclusive no Jaburu. Portanto, não precisa de se esconder.
Processo no TSE
Atualmente, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) analisa a cassação da chapa da ex-presidente Dilma Rousseff e do presidente Michel Temer. A ação foi apresentada pelo PSDB. O partido argumenta que houve abuso de poder político e econômico durante as eleições de 2014 e que eles tiveram as campanhas financiadas com dinheiro ilegal, desviado da Petrobras.
Se o tribunal decidir cassar a chapa e a Justiça confirmar a decisão após todos os recursos cabíveis, Temer afirmou que “jamais se insurgiria”. Entretanto, ele voltou a sustentar que as figuras do presidente e do vice são diferentes.

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


Brasília avaliará crise de refugiados venezuelanos

Governo brasileiro admite que situação na fronteira de Roraima com a Venezuela pode piorar e marca reunião de órgãos federais na segunda-feira

Felipe Corazza/tania Monteiro

Preocupado com o aumento da entrada de venezuelanos no Brasil por Roraima, em razão da crise na Venezuela, o governo brasileiro marcou para segunda-feira, no Palácio do Planalto, uma reunião para avaliar a situação.
Coordenada pela Casa Civil, a reunião contará com representantes dos Ministérios das Relações Exteriores, da Defesa, do Gabinete de Segurança Institucional, da Justiça e da Agência Brasileira de Inteligência. O número de pedidos de refúgio feitos por venezuelanos este ano já supera os cinco anos anteriores somados. Apenas em 2016, foram 1.805 solicitações, contra 1.096 entre 2010 e 2015, segundo informou o Ministério da Justiça e Cidadania.
“No total da imigração venezuelana, sabe-se que o número de entradas supera o de saídas, em uma tendência que começou a crescer a partir de janeiro de 2016. Não é possível afirmar, entretanto, ser essa uma tendência definitiva, no entanto é inegável que a situação pode se acentuar”, afirmou, em nota, o órgão.
O ministério afirmou, ainda, que acompanha com atenção a situação na fronteira, descrita por autoridades locais de Roraima como uma crise humana. Segundo a assessoria do ministro Alexandre de Moraes, “a situação da Venezuela tem induzido em aumento do movimento migratório.
A questão não está restrita apenas ao refúgio, mas está ligada a uma onda migratória com viés econômico”.
Haverá, segundo o ministério, averiguação in loco das condições da região de Pacaraima, cidade mais próxima à fronteira, porpartedopróprio MJC, Polícia Federal, Ministério das Relações Exteriores e Alto-Comissariadoda ONU para os Refugiados (Acnur). Após as visitas, o órgãos tentarão articular em conjunto soluções para a crise.
Por seu lado, o Ministério da Integração Nacional informou que “a atuação da Defesa Civil Nacional é complementar às ações dos Estados e municípios. Para receber apoio federal, o prefeito ou o governador do Estado ou do Distrito Federal deve decretar situação de emergência ou estado de calamidade pública”. “O próximo passo é solicitar reconhecimento federal à Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil para análise. Com o reconhecimento publicado no Diário Oficial da União, o Estado ou município pode solicitar recursos. Até o momento, a equipe técnica do Ministério da Integração Nacional não recebeu solicitações sobre o assunto”, diz a nota.
A governadora de Roraima, Suely Campos (PP), assinará na segunda-feira o decreto que cria um gabinete de emergência estadual para tratar da crise, segundo informação obtida pelo Estado. A ideia da criação do gabinete, envolvendo todas as secretarias estaduais em uma frente conjunta para tentar minimizar o problema, ganhou corpo ao longo da semana. A minuta do texto que será ratificado por Suely – que teve como base um decreto utilizado pelo Acre em 2013, quando Rio Branco enfrentou uma crise semelhante com refugiados haitianos – foi concluída na quarta-feira. Roraima chegou perto de decretar estado de emergência motivado pela situação dos venezuelanos, mas o governo havia recuado por temer que a criação de estruturas formais de acolhimento acabassem aumentando o fluxo de pessoas pela fronteira.

JORNAL VALOR ECONÔMICO


Após acusação de suborno nos EUA, Embraer pretende “ultimar acordos”


João José Oliveira

A Embraer divulgou na noite de ontem, quarta-feira, um fato relevante em que informa estar em busca de “ultimar acordos definitivos” com as autoridades dos Estados Unidos para resolver alegações de descumprimento criminal e cível das leis anticorrupção no país, além de algumas leis brasileiras.
A empresa é alvo de uma ação coletiva em um tribunal de Nova York movida por investidores locais que afirmam ter tido prejuízos com as ações da companhia brasileira, diante de acusações de prática de suborno.
A companhia afirma ainda que também “está buscando ultimar acordo com o Ministério Público Federal e a Comissão de Valores Mobiliários para a resolução de alegações de descumprimento de determinadas leis brasileiras”.
Bolsa Perto das 10h30 desta quinta-feira, as ações da fabricante de aeronaves negociavam próximo da estabilidade. O papel registrava leve alta de 0,21%, cotado a R$ 14,04.
Na divulgação de balanço referente ao segundo trimestre, em 29 de julho, a Embraer informou ao mercado que provisionou US$ 200 milhões para fazer frente a eventuais custos relacionados a acordos com autoridades americanas para encerrar os processos nos Estados Unidos.
Leia a íntegra do comunicado, divulgado no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM):
EMBRAER S.A
FATO RELEVANTE
São José dos Campos, 12 de outubro de 2016 Embraer S.A. (NYSE: ERJ; BMF BOVESPA: EMBR3) comunica a seus acionistas e ao mercado em geral, em seguimento aos seus Fatos Relevantes de 19 de maio de 2015 e de 29 de julho de 2016, que está buscando ultimar acordos definitivos com o Departamento de Justiça dos E.U.A. (U.S. Department of Justice) e a Comissão de Valores Mobiliários e Bolsa dos E.U.A. (Securities and Exchange Commission) para a resolução de alegações de descumprimento criminal e cível das leis anticorrupção dos E.U.A. (FCPA). Adicionalmente, a Companhia está buscando ultimar acordo com o Ministério Público Federal e a Comissão de Valores Mobiliários para a resolução de alegações de descumprimento de determinadas leis brasileiras.
Tais acordos, se vierem a ser ultimados, deverão ser consistentes com o Fato Relevante de 29 de julho de 2016.
Em atendimento à regulamentação aplicável, a Companhia informará seus acionistas e ao mercado em geral se e quando os referidos acordos tenham sido ultimados e entrarem em vigor. A Companhia continuará a cooperar com todas as autoridades competentes, conforme as circunstâncias requeiram.
São José dos Campos, 12 de outubro de 2016.
José Antonio de Almeida Filippo

AGÊNCIA BRASIL


Ministério da Defesa enviará dez toneladas de donativos ao Haiti


Ivan Richard Esposito

O Ministério da Defesa enviará na próxima segunda-feira (17) cerca de dez toneladas de donativos ao Haiti, país recentemente atingido pelo furacão Matthew. Serão enviados alimentos, material de limpeza e de higiene pessoal, material escolar, roupas e outros itens de primeira necessidade.
De acordo o ministério, os donativos foram angariados pela Rede de Solidariedade ao Haiti, coordenada pelo Ordinariado Militar do Brasil, entidade religiosa que organiza os serviços de todas as capelanias militares católicas do país. A arrecadação, segundo o Exército, começou em abril e deveria ser entregue no fim do ano. Contudo, em virtude do furacão, decidiu-se antecipar o envio dos donativos.
Um Boeing da Força Aérea Brasileira partirá do Rio de Janeiro levando apoio logístico para o 24º Contingente Brasileiro de Força de Paz no Haiti. Serão 64 militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, que compõem a equipe de especialistas de manutenção do Batalhão Brasileiro de Infantaria de Força e Paz e da Companhia Brasileira de Engenharia de Paz. A aeronave fará um pouso em Brasília para embarcar as doações.
Além desse apoio, o contingente brasileiro deslocou mais de 450 militares para a região do sul do Haiti, área mais devastada pelo Matthew para auxiliar as vítimas da catástrofe.
Barracas
Amanhã (14), um avião da FAB parte de Brasília para o Haiti levando 75 barracas com área útil de 25 metros quadrados cada, a serem usadas pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) do Ministério da Integração. As barracas, que serão entregues por dois agentes da Defesa Civil Nacional, são de fácil manejo, têm piso e cobertura de PVC e estrutura tubular de alumínio.
As estruturas serão usadas por famílias haitianas que ficaram desabrigadas depois que o furacão Matthew, de categoria 4, assolou extensas áreas do país caribenho no último dia 4. Com ventos de 235 quilômetros por hora, o furacão devassou diversas regiões do Caribe e do Sudeste dos Estados Unidos. No Haiti, segundo números da Organização das Nações Unidas (ONU), 1,4 milhão de pessoas foram afetadas.

JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Devastação pós-furacão leva ONU a estender missão de paz no Haiti


O Conselho de Segurança da ONU estendeu nesta quinta-feira (13) em seis meses o mandato da Minustah (Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti), que é liderada pelo Brasil.
Com isso, as forças da ONU ficarão em solo haitiano até 15 de abril de 2017. A renovação já era esperada em meio à devastação provocada pelo furacão Matthew, que deixou mais de mil mortos no país e levou ao adiamento da eleição presidencial, marcada para o domingo (9).
Além da miséria, o país mais pobre das Américas foi atingido, nos últimos dez anos, por um furacão (Felix, em 2007) e um terremoto em 2010 que matou 220 mil pessoas e devastou a já precária infraestrutura haitiana.
Logo após o terremoto, um surto de cólera originado entre membros nepaleses da Minustah matou mais de 9.000 pessoas. Casos da doença voltaram a ser registrados na última semana, devido à contaminação da água pelas inundações causadas pelo furacão.
A Minustah é composta por 2.730 soldados e 2.601 policiais. Foi criada pela ONU em 2004 para restabelecer a normalidade institucional no Haiti depois de sucessivos episódios de turbulência política, que culminaram com a partida do então presidente Jean Bertrand Aristide para o exílio.

Confederação atrasa reembolso e deve R$ 25 mil a medalhista do taekwondo


ImagemAlém de não pagar o bônus pela medalha olímpica de bronze obtida nos Jogos do Rio, em agosto, a CBTkd (Confederação Brasileira de Taekwondo) tem outra pendência com Maicon Andrade, 23.
A entidade ainda não fez um reembolso ao atleta, terceiro na categoria acima de 80 kg, no valor de R$ 12.363,60 referente à compra de passagens para a vinda de dois sparrings iranianos ao Brasil para treinos antes dos Jogos.
Se somado este débito ao prometido bônus de R$ 12,5 mil pelo pódio – conforme a Folha revelou no mês passado –, o calote da CBTkd ao mineiro atinge R$ 24,8 mil.
A pedido de Maicon, a confederação se comprometeu a trazer os lutadores iranianos Mehran Askri e Jalal Khodamo Boroujeni para auxiliá-lo na reta final de preparação para a Olimpíada do Rio.
Foram então comprados dois bilhetes para que eles viessem ao Brasil, com escala na Alemanha. Não se atentou, porém, que seriam necessários vistos para que ambos completassem a viagem. Sem a documentação, eles foram impedidos de prosseguir.
Para não perder o treino, a CBTkd e Maicon acordaram que as parcelas de junho, julho, agosto e setembro da verba que lhe é repassada mensalmente em razão do patrocínio da Petrobras seriam usadas pela entidade para emitir novos tíquetes – no valor de R$ 12,3 mil. Com isso, os iranianos vieram ao país.
O reembolso das passagens anteriores seria dado ao atleta brasileiro como compensação, deduzido o valor da multa pelo cancelamento.
Em 5 de julho, as duas partes assinaram documento confirmando o acerto.
Entretanto, já passados quase dois meses do final da Olimpíada, que terminou em 21 de agosto, nem o reembolso nem o prêmio pela medalha foram pagos pela CBTkd.
A Petrobras, que patrocina a confederação, disse já ter feito o repasse da quantia referente ao "bicho" olímpico.
"Isso está me atrapalhando. É um dinheiro de que estou precisando no momento. Mas a confederação não explica nada, não fala nada", afirmou Maicon à Folha no mês passado, em referência à premiação pelo pódio.
Na ocasião, o lutador contou que tentou entrar em contato com a entidade várias vezes, mas não obteve resposta. Ele é apenas o segundo atleta do taekwondo nacional a subir ao pódio olímpico. Natália Falavigna, bronze em Pequim-2008, é a outra.
Caçula de oito irmãos, Maicon trabalhou como garçom em um buffet infantil e servente de pedreiro durante o ciclo olímpico para se sustentar. Ele não tem patrocinadores pessoais. Recebe Bolsa Atleta, no valor de R$ 3.100 por mês, e auxílio da Aeronáutica, de R$ 3.200.
OUTRO LADO
Procurada na tarde desta quinta-feira (13), por telefone e e-mail, a assessoria de imprensa da CBTkd não foi encontrada nem retornou.
No final do mês passado, também indagada pela Folha, a entidade afirmou que o atraso nos pagamentos se deveu à troca em sua cúpula. Ela teria tido que alterar todas as senhas de suas contas.
Seu presidente, Carlos Fernandes, foi afastado do cargo em agosto depois de operação deflagrada pela Polícia Federal, por suspeita de fraudes em licitações e desvios de recursos repassados pelo Ministério do Esporte.
O cartola estaria envolvido no esquema. Ele nega participação.
"Tão logo a situação se normalize e sejam concluídos os trâmites burocráticos de alteração de representante legal e respectivas senhas das contas bancárias, o atleta Maicon Siqueira será convidado a vir ao Rio para acertar as pendências com a confederação" disse a CBTkd, em nota.

JORNAL ZERO HORA


Helicóptero cai durante pouso em Canela

Duas pessoas tiveram ferimentos leves e foram encaminhados ao hospital

Um helicóptero caiu durante o procedimento de pouso na área do aeroporto de Canela por volta do meio-dia desta quinta-feira. Duas pessoas, o piloto e um mecânico, tiveram ferimentos leves e foram encaminhados ao Hospital de Caridade de Canela. Um terceiro ocupante da aeronave, o co-piloto, já estava em outro local no aeroporto quando as equipes de socorro chegaram e, por isso, não foi atendido. O piloto e o mecânico passam por atendimento, mas não correm risco de morte. O aeroporto de Canela fica na Av. José Luiz Corrêa Pinto, entre os bairros São José, Laje de Pedra e Vila Dante. As identidades do piloto, co-piloto e do mecânico não foram divulgadas.
Conforme o instrutor de vôo Tiago Tissiani, que atua no Aeroclube de Canela, a aeronave se preparava para pousar quando houve uma pane, ainda não identificada. O helicóptero estaria vindo de Eldorado do Sul.
O piloto teve a habilidade de fazer o procedimento de emergência ainda em voo. Dependendo de onde cai, e como cai, a aeronave pode ficar bastante deteriorada. Nesse caso, uma das pás da hélice bateu no chão, o que fez com que o helicóptero virasse.
A aeronave parou em um banhado a 100m da pista. Conforme Tissiani, os ocupantes do helicóptero saíram por conta própria. Os bombeiros de Canela e o Samu atenderam a ocorrência e encaminharam os feridos ao hospital. A ocorrência nesta quinta-feira não afeta a operação do aeroporto, de acordo com Tissiani.
A área onde o helicóptero caiu foi isolada. A investigação sobre as causas do acidente ficará a cargo da Força Aérea Brasileira. Uma equipe do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) do V Comando Aéreo Regional (Comar), sediado em Canoas, está em deslocamento para levantar as primeiras informações.

Manobra de piloto de helicóptero impediu tragédia em Canela

Leandro Gaudino Leal percebeu a pane a cerca de 300 metros do aeroporto da cidade

Embora a Aeronáutica ainda prefira não relacionar a sobrevivência de três ocupantes que estavam num helicóptero que caiu em Canela a uma questão de sorte ou a uma habilidade do piloto, é fato que as consequências poderiam ter sido graves não apenas para a tripulação como para os vizinhos do local onde ocorreu o acidente, por volta das 12h30min de ontem.
A aeronave pilotada por Leandro Gaudino Leal, 40 anos, despencou sobre um terreno vazio rodeado de moradias, no bairro São José. Na carona, estavam o mecânico de veículos Carlos Alberto Rockenbach Dias, 45, e o outro passageiro Lucas Campos Pinheiro, 25. O helicóptero ficou destruído, mas dois deles sofreram ferimentos leves. Dias, por sua vez, teve lesões no rosto e seria transferido para um hospital de Porto Alegre ainda na noite desta quinta-feira. Pinheiro e Leal receberam alta.
Piloto experiente, Leal percebeu a pane quando estava a cerca de 300 metros do aeroporto de Canela, onde pretendia pousar. Numa manobra de emergência, conseguiu desviar de casas e prédios para prevenir maiores estragos e salvar vidas. O helicóptero virou de lado sobre um terreno descampado ao lado da pista do aeroporto. Em seguida, as pás da hélice tocaram o chão. Com o impacto, a aeronave rodopiou e tombou sobre um banhado, o que pode ter amortecido a queda.
Os três homens saíram sozinhos da cabine retorcida. Em pouco tempo, foram cercados por dezenas de curiosos. Dali, dois seguiram para o hospital da cidade em ambulâncias. Um deles não recebeu atendimento na hora, mas procurou por conta própria para o médico.
A aeronave é de propriedade da Frisonfly, empresa de Porto Alegre que havia sido contratada para transportar Dias e Pinheiro. O trio saiu de Eldorado do Sul com destino a Canela. Pinheiro e Dias pretendiam desembarcar no aeroporto da cidade serrana, de onde seguiriam para o Hotel Pampas, onde ocorre o 1º Encontro Sul Americano Amigos Land Rover, a poucos metros do ponto do acidente.
A capitã do Serviço Regional de Investigação de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) do V Comando Aéreo Regional (Comar), Camila Bolzan, esteve em Canela para apurar as causas da queda. A oficial diz que Os destroços serão removidos nos próximos dias para uma base, onde serão analisados.
— Acidentes de helicóptero são sempre muito complexos. Não dá para saber o que ocorreu. Também é difícil medir o que poderia ter ocorrido se tivesse caído em outro local. Leva tempo para a conclusão da investigação — pondera.
O dono da Frisonfly, Alcindo Frison, garante que a manutenção do helicóptero estava em dia. A aeronave é um modelo Robison R-44, fabricado em 2000.
— O ano é esse, mas os equipamentos são trocados sempre, o que faz dela uma aeronave renovada — explica o empresário.
O aparelho não tinha seguro e o prejuízo estimado é de mais de R$ 1 milhão.
_ Vou conseguir aproveitar algumas peças. Felizmente, o piloto e passageiros estão bem _ diz Frison.
A investigação da Aeronáutica deve levar 180 dias.
A reportagem não conseguiu conversar com os ocupantes do helicóptero, que estavam em atendimento médico.

OUTRAS MÍDIAS


PORTAL AZ (PI)


Discovery exibe documentário gravado na Serra da Capivara

O programa é um docu-reality de aventura que estreia dia 23 de outubro, às 21h30
O Parque Nacional Serra da Capivara, em São Raimundo Nonato, será cenário da nova série do Canal Discovery, Desafio Celebridades. O programa é um docu-reality de aventura que estreia dia 23 de outubro, às 21h30.
No decorrer deste ano, o Discovery Channel esteve na região de São Raimundo Nonato e gravou dois episódios da nova série. Impressionados com a beleza da região a equipe também decidiu gravar dessa vez um episódio da série no Parque Nacional Serra das Confusões. Toda equipe local foi contratada na região, entre eles os mais experientes guardas-parque e mateiros da Serra da Capivara.
"Tenho orgulho de ter sido o produtor local dessa epopéia em terras piauienses pela terceira vez. Eu já tinha coordenado as filmagens na Serra da Capivara, no Delta do Parnaíba e no Raso da Catarina (Bahia), nas duas temporadas do "Desafio em Dose Dupla" em 2011 e 2013. Agora acrescento mais dois trabalhos com repercussão internacional para o curriculum com muita satisfação e alegria em levar a imagem positiva do Piauí para dezenas de países do continente americano", disse um dos produtores.
O programa
Os especialistas em sobrevivência Coronel Leite e Karina Oliani vão levar 10 celebridades para uma aventura de dois dias em um ambiente selvagem. Coronel Leite, perito em resgate da Força Aérea Brasileira, e Karina Oliani, atleta e médica de emergência em áreas remotas, vão se alternar nesta missão de levar famosos ao limite nos locais mais extremos do Brasil.
O público vai descobrir um novo lado de celebridades como o humorista Fábio Porchat, o vocalista do NX ZERO Di Ferrero, a modelo Isabeli Fontana, o campeão de Skate Bob Burnquist, o chef de cozinha e apresentador de TV Carlos Bertolazzi, o humorista Oscar Filho, a atriz e humorista Maria Paula, o sambista Diogo Nogueira, o baterista e fundador da banda SEPULTURA Iggor Cavalera, e o medalhista olímpico Robson Caetano. Todos eles vão passar por jornadas emocionantes e divertidas de perigo e autoconhecimento, em uma aventura onde a fama não vale nada.

JORNAL CORREIO DO ESTADO (MS)


Cezar Benevides: "Exército e futuro da nação"

Professor aposentado pela UFMS
Apesar da carreira militar parecer pouco atrativa para a juventude, a disputa por uma vaga nas escolas militares continua sendo muito intensa e o acesso é realizado por concurso público. Os oficiais são formados para ser líderes da nação em Estado democrático de direito. Não é uma missão fácil. A rotina desgastante é idêntica a dos quartéis, mas tudo funciona muito bem.
O descrédito com a educação brasileira não atinge as escolas militares. O Instituto Militar de Engenharia (IME), Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), Academia da Força Aérea (AFA), Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), Escola Naval e as escolas de formação de oficiais generais como, por exemplo, a Escola de Guerra Naval continuam sendo instituições exemplares. Passei por algumas delas e muito me orgulho da minha experiência na caserna.
Existe na historiografia brasileira um grande número de publicações sobre generais do passado. Entendo que a grande questão atual é enfocar a geração de líderes militares pouco conhecidos, verdadeiros guardiões de nossa democracia. Ninguém que está começando a vida profissional na adolescência pode saber o que encontrará no futuro. Estou tendo a sorte de encontrar um país que vem fortalecendo as suas instituições e ao mesmo tempo reencontrando, aqui em Campo Grande, grandes camaradas da juventude que são hoje respeitáveis lideranças militares. Cabe a essa geração a difícil missão de apontar para o futuro o papel de nossas Forças Armadas. Posso assegurar que os militares brasileiros trocaram artefatos bélicos e regime de força por informação, tecnologia e desenvolvimento econômico, integrado e sustentável. Podemos ver, claramente, que o conceito atual de defesa ultrapassa a questão meramente territorial, tema a que estou novamente me dedicando em novos estudos de estratégia militar. Assim, nesse novo mapeamento da geopolítica nacional a integralidade do Estado está profundamente associada à qualidade de vida da sociedade brasileira.
Há algo de essencialmente novo nesta política institucional, mas a questão da fiscalização das fronteiras continua sendo muito grave e ultrapassa a missão constitucional das Forças Armadas. O tráfico de drogas é indiscutivelmente o principal responsável pela criminalidade neste país. Acredito que é preciso eliminar imediatamente o caráter territorial do tráfico brasileiro. Entendo que essa luta passa necessariamente pelo Congresso Nacional.
Neste momento, em que destinos de colegas estão mudando, como o do general de Exército Paulo Humberto, que está deixando o Comando Militar do Oeste, quero desejar muito êxito em sua nova missão em Brasília para que continue ajudando o Alto Comando a encontrar caminhos possíveis para o futuro do Brasil. É necessário olhar para frente para fortalecer o estado democrático com formas mais sofisticadas de participação e inclusão política das Forças Armadas. No Brasil os sinais de esgotamento do atual modelo político são visíveis. Por outro lado, o mundo experimenta um período de perda de confiança nas instituições democráticas, abrindo espaço para o avanço de regimes autoritários. Neste ponto as Forças Armadas brasileiras estão demonstrando uma enorme maturidade.

THE HINDU (Índia)


Sweden’s SAAB sweetens deal for Gripen jet

To load the aircraft with latest radar technology and provide design consultancy for developing LCA Mk-1A.
In an aggressive push to capture a share in India’s fighter aircraft market, Swedish aerospace major SAAB has offered its latest radar technology as part of the Gripen fighter package along with significant technology transfer in addition to design consultancy for developing the Light Combat Aircraft (LCA) Mk-1A which the Indian Air Force (IAF) plans to induct in large numbers.
The move comes even as India is looking to select a single engine fighter aircraft to be built in India in large numbers under the ‘Make in India’ initiative.
Explaining the developments in Advanced Electronically Scanned Array (AESA) radar, Lars Tossman, vice-president & Head of Communications of SAAB said that they were the first company to develop an AESA radar with Gallium Nitride which, he said, significantly enhances its efficiency and performance over the current AESA radars.
“We will be willing to share this and transfer the technology to India,” he told a group of visiting Indian journalists. India is looking to select a single engine fighter aircraft to be built in large numbers in India with extensive technology transfer for which the SAAB had offered its latest Gripen E fighter. “Our Transfer of Technology [ToT] is more than just transfer of assembly work aiming for an indigenous system of systems integration capability to create indigenous capabilities,” said Mats Palmberg, heading the SAAB Gripen program for India. Mr. Palmberg said that with AESA radar, stealth was not as important as it was earlier.
Strategic partnership
The company officials said that SAAB was looking for a strategic partner for the Gripen program in the long-term and India and Sweden have good relations without political compulsions.
Officials said Gripen was the first fighter to be integrated with the Meteor, Beyond Visual Range (BVR) missile. India is procuring the Meteor, considered a game changer with its range of 150 km, as part of the Rafale package concluded with France recently.
Hindustan Aeronautics Ltd., which is manufacturing the LCA, is looking for foreign design assistance on the LCA Mk-1A to make specific improvements sought by the IAF which include an AESA radar, mid-air refuelling and improved electronic warfare suite which need design change in addition to other minor improvements.
The SAAB officials said that both the LCA and the Gripen are of similar class and also share the same General Electric engine citing commonality in maintenance and operation. “We have submitted proposals to India on LCA,” Mr. Tossman said.
In addition the SAAB officials offered help in the development of the next-generation Advanced Medium Combat Aircraft (AMCA) being designed by Aeronautical Design Agency (ADA).

PORTAL AERO MAGAZINE


Embraer pode fornecer mais quatro Super Tucanos aos afegãos

Aeronave tem sido empregada no combate a insurgência e apoio aéreo

A Força Aérea do Afeganistão pode receber mais quatro aeronaves Embraer A-29 Super Tucanos. O monomotor turbo-hélice brasileiro está sendo empregado pelos afegãos, com suporte norte-americano, para ações de ataque ao solo e combate a insurgentes.
Atualmente, o Pentágono possui uma encomenda para vinte Super Tucanos, podendo incluir as quatro aeronaves num novo pedido.
As unidades adicionais continuarão a ser montadas nos Estados Unidos, numa parceria entre a Embraer e a Sierra Nevada Corporation.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented