|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 16/07/2016 / Embraer abre inscrições do seu programa para engenheiros


Embraer abre inscrições do seu programa para engenheiros ...


Germano Lüders ...

Engenheiros recém-formados que estejam interessados em desenvolver aviões já podem se inscrever no Programa de Especialização em Engenharia (PEE) da Embraer. Em parceria com o ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), o programa é um mestrado profissional em engenharia aeronáutica, reconhecido pela CAPES/MEC, a turma de 2017 recebe inscrições até 31 de agosto, e o curso começa no dia 6 de fevereiro do ano que vem.

Os alunos farão o curso em regime de dedicação integral das 7h30 às 17h, nas dependências da Embraer em São José dos Campos (SP), e terão aulas com profissionais da Embraer e consultores contratados. Lançado em 2001, o PEE já formou 1,4 mil engenheiros.

Podem participar do processo seletivo engenheiros formados entre 2014 e 2016 nas áreas aeronáutica, civil, computação, elétrica, eletrônica, mecânica, mecatrônica, materiais, naval, produção. Inglês avançado é um requisito. A bolsa oferecida, segundo a Embraer, é compatível com bolsas de mestrado do mercado. No site da Embraer há um documento com mais informações sobre o programa e seu processo seletivo.
Serviço
Programa de Especialização em Engenharia (PEE) da Embraer
Inscrições: até 31 de agosto pelo site da Embraer




Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




TV GLOBO - JORNAL DA GLOBO


"Estou preocupado", diz ministro da Defesa sobre segurança na Olimpíada

O governo brasileiro assumiu preocupação e já tem em mãos uma lista com nomes de 500 mil pessoas suspeitas ou que têm relação com o terrorismo.

No Brasil, o governo mostrou-se preocupado com a segurança na olimpíada evidentemente reagindo ao atentado na França.
O governo brasileiro já tem em mãos uma lista com os nomes de 500 mil pessoas suspeitas ou que têm relação com o terrorismo.
"Eu estou mais preocupado e evidentemente acho que o mundo inteiro fica preocupado, agora nós não temos nenhum indicativo que mude o nosso sentimento, a nosssa percepção de ameça potencial, porque até agora, justiça seja feita, nenhum órgão de inteligência no mundo nos chegou, nenhum indicativo de ameaça real ou potencial nas Olimpíadas do Brasil", declara Raul Jungmann, ministro da Defesa.
Na operação montada até agora, o Rio Olímpico ficou dividido em quatro grandes regiões: Barra, Copacabana, Deorodo e Maracanã. As ruas próximas às instalações esportivas ficarão interditadas. As instalações esportivas estarão cercadas por duas fileiras de grades, só passa quem tiiver ingresso.
O perímetro de segurança vai funcionar entre 300 e 500 metros de distânica das arenas e as interdições podem aumentar.
"Alguns constrangimentos as pessoas não vão poder passar aqui e ali. as áreas mais afetadas as pessoas estão informadas. Muitas reuniões já há algum tempo, mas nós vamos ter sim contingências na cidade", afirma Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro.
No total, 47 mil homens das forças de segurança vão trabalhar na Olimpíada. Um dia depois do atentado na França, um professor franco-argelino da UFRJ está no aeroporto do galeão para ser deportado.
Segundo a Justiça francesa, ele trocou mensagens com um representante da rede terrorista Al-Qaeda. Depois de cumprir pena por terrorismo na França, Adlène Richê veio ao Brasil em 2013. Ele disse que foi preso de forma injusta e negou as acusações.
A UFRJ afirmou que foi surpreendida com a notícia da deportação, anunciada sem apresentação de justificativas clara e sem o direito de defesa.
O Ministério da Justiça disse que autorizou a deportação acolhendo uma recomendação da Polícia Federal. O professor embarcou na noite de sexta-feira (15) na França.


PORTAL FATO ONLINE


Autoridades de Brasília assinam os protocolos que estabelecem a segurança de Brasília para a Olimpíada

Eles foram especificados em três planos: um para a área interna e o entorno do Estádio Mané Garrincha; outro para a região do hotel das delegações; e um para os centros de treinamento das seleções

O planejamento completo de segurança para Brasília para as partidas de futebol da Olimpíada 2016 que a cidade vai sediar está concluído. Nesta sexta-feira (15), diferentes protocolos serão assinados para finalizar a organização da segurança pública para os jogos, que ocorrem de 4 a 13 de agosto.
Entre os documentos há os chamados protocolos integrados de segurança e ordenamento urbano. Eles foram especificados em três planos — um para a área interna e o entorno do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, outro para a região do hotel oficial das delegações e um terceiro para os quatro centros de treinamento que atenderão as seleções (Cave, Bezerrão, Centro de Capacitação Física dos Bombeiros e Abadião).
Representantes de instituições locais e federais também vão firmar protocolos operacionais conjuntos com o Ministério da Defesa. Além disso, vão ser oficializados protocolos operacionais integrados de enfrentamento ao terrorismo, que inclui planejamento para toda a cidade. Como são sigilosos, os documentos não serão detalhados nem se tornarão públicos.
O coordenador de Brasília da Comissão Distrital de Segurança Pública e Defesa Civil para os Jogos Olímpicos Rio 2016, coronel da Polícia Militar Paulo Roberto Batista de Oliveira, destaca que a integração, tanto entre os órgãos locais quanto com as instituições federais, trará resultado nas ações. “A divisão de responsabilidades está muito clara, e todos sabem o que cada um tem de fazer.” Para utilizar os recursos e a capacidade de resposta das forças de segurança da melhor forma possível, foram identificados quais serão os principais impactos em diferentes áreas da cidade e traçou-se um planejamento conjunto da operação.
O coronel explica ainda que a organização considera as necessidades dos turistas e torcedores, mas também dos moradores. “Todo o planejamento tem o foco de trazer um ambiente de segurança, tranquilidade e paz para que tudo ocorra sem transtornos e cause o menor impacto possível na rotina da população.”

PORTAL G-1


Neymar visita a AFA e deixa recado para atletas que disputarão Olimpíada

Craque foi a Pirassununga (SP) para prestigiar a 50ª edição da Navamaer. Atleta conversou com cadetes e sentou no cockpit de um Super Tucano.

ImagemO craque Neymar esteve na quinta-feira (14) na Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga (SP), para prestigiar a 50ª edição da Navamaer, competição entre as escolas de formação de oficiais das Forças Armadas, e conversar com os cadetes. Na visita, ele também conheceu a Esquadrilha da Fumaça e deixou um recado para os atletas que disputarão a Olimpíada do Rio.
Segundo a AFA, um dos objetivos foi discutir valores que podem ser passados aos jovens brasileiros. "São os valores que vêm da sua família também, para crescer, para se tornar não só um esportista, e sim um homem de verdade", disse Neymar em entrevista à FAB TV.
"É um programa que nós temos aqui na Academia que é justamente isso: preservar valores e princípios, não só aqueles naturais do militar em si, mas que são valores da própria sociedade", afirmou o Brigadeiro Saulo Valadares do Amaral, comandante da AFA.
Ao lado do pai, Neymar recebeu miniaturas de aviões, deu autógrafos, conheceu o Espaço das Aeronaves Históricas e subiu em uma aeronave A-29 Super Tucano ao lado do Comandante da Fumaça, Tenente-Coronel Líbero Onoda Luiz Caldas, que explicou um pouco sobre a estrutura do avião.
Também foi ao ginásio conversar com os participantes da Navamaer.
"Ter ele aqui é uma gratificação muito grande para todos os cadetes, não só para os cadetes em si mas para toda a Academia da Força Aérea porque, com certeza, é uma figura que traz sonhos", comentou o cadete Lucas Torquato, capitão do time de futebol da AFA.
Recado para a Olimpíada
O jogador também deixou um recado para os atletas que vão disputar a Olimpíada do Rio.
"Fala, meus atletas do Brasil inteiro, os militares, os que não são também, os que vão estar nas Olimpíadas, desejo toda a sorte, todo o sucesso do mundo para vocês, que vocês treinem, se esforcem, que, se Deus quiser, vai dar tudo certo e nós vamos trazer muitas medalhas para o Brasil".

Tropas treinadas contra terrorismo chegam ao Rio para Olimpíada

Soldados tiveram treinamento para atuar até em caso de ataque biológico. Militares saíram de Brasília para integrar contingente de 22,8 mil homens.

Mateus Rodrigues Do G1 Df

Tropas das Forças Armadas desembarcaram nesta sexta-feira (15) na Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro, para atuar no esquema de segurança da Olimpíada, que tem abertura oficial no dia 5 de agosto. O voo desta sexta reuniu cerca de 200 militares da Força Aérea e da Marinha em Roraima, Amazonas e Pará e foi o primeiro no novo Boeing 767 comprado para o transporte de tropas.
Os militares saíram de Brasília no início da tarde em um voo da FAB para integrar um contingente de 22,8 mil membros das Forças Armadas que atuarão na sede olímpica a partir do dia 24. Eles vão se juntar a soldados do Rio, Mato Grosso, Pará e Amazonas, que chegaram ao Rio de Janeiro durante a semana.
Além das ações de defesa nacional e monitoramento de portos e aeroportos, cerca de 3 mil militares vão atuar em situações de rua similares ao trabalho realizado pelas polícias Civil e Militar.
Imagem
As tropas da Marinha, do Exército e da Aeronáutica receberam mais de cem horas de instruções e treinamento específico nos últimos meses para enfrentar situações extremas, como terrorismo ou ataque biológico. As tropas permanecem no Rio até o encerramento da Paralimpíada, que ocorre após os Jogos Olimpícos.
O ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou durante o voo acompanhado pelo G1 a convite da FAB que o Brasil enviará um emissário a Paris para acompanhar as investigações sobre o atropelamento de uma multidão que assistia à cerimônia do dia da Bastilha em Nice, na Riviera Francesa, nesta quinta-feira (14), que deixou ao menos 84 mortos.
"Sabemos que eles não poderão nos passar algumas orientações, mas o que eles puderem será de grande ajuda", disse Jungmann.
Mais cedo, antes de embarcar, Jungmann disse em entrevista à Globo News que a atenção em relação à segurança dos Jogos Olimpícos será ampliada depois do atentado na França.
"Em resumo, isso nos preocupa e nós estamos revendo e ampliando os nossos controles, as nossas checagens, embora isso venha representar um desconforto a mais para aqueles que vão participar ou para aqueles que vao assistir as Olimpíadas, mas isso se faz necessário em nome da segurança de todos", disse o ministro da Defesa.
Ele disse que está trocando informações com a área de inteligência da Segurança Institucional e também com o Ministério da Justiça para poder fazer uma readequação dos procedimentos e protocolos de defesa, de segurança e também inteligência, por causa do atentado.
Revisão de esquema de segurança
O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sérgio Etchegoyen, informou nesta sexta-feira (15) em entrevista no Palácio do Planalto que o governo vai “revisar” as medidas de segurança para a Olimpíada, em razão das mortes registradas nesta quinta (14) em Nice (França). Entre as medidas, explicou, estão mais “postos de controle, mais barreiras e restrições no trânsito”.
“Desde aquele momento [mortes em Nice], o Ministério da Justiça, o Ministério da Defesa e o GSI estão trabalhando para garantir que continuemos no mesmo nível de segurança nos Jogos Olímpicos, e isso vai exigir revisões, novas providências e exige muito trabalho intenso daqui para frente para que possamos manter o nível de segurança”, disse Etchegoyen.

"Contingências vão acontecer", diz Paes sobre segurança na Olimpíada

Para prefeito do Rio, população da cidade terá que ficar alerta a mudanças. Paes disse ainda que bloqueios em áreas de competição podem aumentar.

O prefeito Eduardo Paes afirmou nesta sexta-feira (15), em entrevista ao RJTV, que a população do Rio de Janeiro deve estar preparada para "contingências" na área de segurança durante o período dos Jogos Olímpicos. Paes falou sobre os ajustes no planejamento anunciados pelo governo federal após o mais recente ataque terrorista em Nice, na França, com mais de 80 mortos.
"O Brasil não é alvo preferencial do terrorismo, mas organizar um grande evento com países que são alvo sempre tem um risco. Provavelmente as forças de segurança vão demandar da gente mais bloqueios, mais transtornos. A Olimpíada é um superevento, mas temos alertado a população de que contingências vão acontecer (...) É importante que as pessoas estejam atentas", disse.
"Se quiser ir para um lugar seguro do mundo, em agosto, venha para o Rio de Janeiro", acrescentou o prefeito.
Índices de segurança
Paes disse que, de 2009 para cá, os índices de segurança melhoraram muito devido à ação efetiva do governo e que, após críticas públicas ao papel do estado, chegou a conversar com o governador em exercício, Francisco Dornelles, e com o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame.
"Até brinquei outro dia falando com o próprio governador e com o secretário Beltrame: ‘Olha, na verdade, a minha reclamação é porque eu estava acostumando com a redução do nível de segurança", explicou.
O prefeito disse não considerar a violência como um "problema olímpico", devido à presença da Força Nacional e das Forças Armadas. "O que me preocupa, que deve ser nosso foco de atenção, é a segurança antes e depois dos Jogos."
Paes disse acreditar que é possível regredir os níveis de violência ainda mais e que as autoridades e a população não podem se acostumar com o crime.
"A gente não pode achar que é assim mesmo. O Rio já mostrou que, em determinado momento, com uma política de segurança bem definida e objetiva, é possível melhorar as condições de segurança da população, principalmente da população mais carente. O importante é a gente não achar que é normal. Não é normal.”
O prefeito comentou também o bate-boca que teve, pelo Twitter, com internautas. Em uma das postagens, ele recomendou que a pessoa se mudasse da cidade.
“Eu não tenho problema nenhum que falem mal de mim. Agora, vamos parar de falar mal do Rio. De fato, não é a melhor maneira de responder a alguém, mas chegar a dizer que tem "nojo" do Rio de Janeiro... Essa cidade é uma cidade muito especial. A gente conhece os problemas dela (...) Esse complexo de vira-lata é muito ruim”, disse Eduardo Paes.
O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sérgio Etchegoyen, informou nesta sexta, em entrevista no Palácio do Planalto, que o governo vai “revisar” as medidas de segurança para a Olimpíada. Entre as medidas, explicou, estão mais “postos de controle, mais barreiras e restrições no trânsito”.
Atentado na França
Nesta quinta, um jovem tunisiano atropelou com um caminhão diversas pessoas que estavam assistindo à queima de fogos em comemoração ao 14 de Julho, Dia da Queda da Bastilha, em Nice, no sul da França, matando ao menos 80 pessoas. (veja no vídeo como ocorreu o ataque)
O presidente francês François Hollande anunciou que irá estender por mais três meses o estado de emergência no país, além de reforçar suas operações na Síria e no Iraque.
“Desde aquele momento [mortes em Nice], o Ministério da Justiça, o Ministério da Defesa e o GSI estão trabalhando para garantir que continuemos no mesmo nível de segurança nos Jogos Olímpicos, e isso vai exigir revisões, novas providências e exige muito trabalho intenso daqui para frente para que possamos manter o nível de segurança”, disse Etchegoyen.
“Essa revisão, obviamente, identificará algumas lacunas e posso lhes dizer, com bom grau de probabilidade, que o quadro atual nos sugere incremento de algumas medidas relativas aos Jogos. São medidas práticas, como mais postos de controle, mais barreiras e algumas restrições de trânsito. […] É importante que a população entenda que vamos trocar um pouquinho de conforto por muita segurança”, acrescentou.
Segundo o ministro, o planejamento de segurança feito até aqui será “auditado” para encontrar se houve “eventual lacuna” nas ações de preparação.
De acordo com o ministro do GSI, o presidente em exercício, Michel Temer, que está em São Paulo, antecipou sua volta para Brasília para a tarde desta sexta (que ocorreria somente no início da noite) para comandar, no Palácio do Planalto, uma reunião com o núcleo de ministérios responsável pela segurança das Olimpíadas: Justiça, Defesa e Segurança Institucional.
Ainda segundo Etchegoyen, as preocupações do governo em relação à segurança dos Jogos "subiram de patamar" desde o episódio na França, e por isso serão necessários o "ajuste e a revisão" de "todo o dispositivo de segurança" planejado para o evento esportivo.
De acordo com o ministro, será preciso "maior integração" entre as pastas do governo responsáveis pela segurança. "Mas sem querer transmitir um falso otimismo, o que seria de enorme irresponsabilidade, estamos pronto para os Jogos, não há dúvida. Apenas vamos revisar o planejamento, os procedimentos", disse.

Governo reúne dados de 500 mil suspeitos de ligação com terrorismo

Mapeamento tem informações de países com Estados Unidos e França. Segurança na Olimpíada terá até 10 mil agentes à paisana, disse ministro.

Mateus Rodrigues

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse nesta sexta-feira (15) que o governo federal reuniu dados de 500 mil pessoas de todas as partes do mundo suspeitas de associação com terrorismo em um cadastro unificado para a Olimpíada do Rio.
O mapeamento reúne dados de países com Estados Unidos e França e, segundo o Ministério da Defesa, será usado para monitorar o acesso dessas pessoas ao país e às arenas de competição, tanto no Rio quanto nas subsedes dos Jogos Olimpícos.
O ministro informou que, dos 206 países que enviarão atletas à Olimpíada, cerca de cem terão representantes no Centro Integrado de Inteligência Antiterrorismo, que será inaugurado na próxima semana.
"Quem quiser assistir aos Jogos terá de passar por duas barreiras. Na primeira, os dados serão batidos com esse banco. Na segunda, malas, garrafas e recipientes serão passados por um escâner", afirmou.
Uma "terceira barreira", segundo o ministro, será o "código de conduta" dentro das arenas. "A pessoa terá de se comportar nos locais de jogos de modo a não chamar a atenção", declarou em viagem ao Rio nesta sexta.
Segundo o ministro, militares da Força Nacional farão o monitoramento no interior dos estádios, pistas e quadras, prontos para agir em caso de tumulto ou risco. Além disso, um contingente de 8 mil a 10 mil agentes de segurança atuará "à paisana", sem identificação visual.
"Brasileiro terrorista"
Jungmann afirmou que, até esta sexta, não havia nenhuma confirmação oficial sobre a suspeita de que um brasileiro ligado ao Estado Islâmico estaria planejando ataques à Olimpíada. O suposto vazamento foi divulgado pela imprensa francesa no início da semana.
Quem quiser assistir aos Jogos terá de passar por duas barreiras. Na primeira, os dados serão batidos com esse banco. Na segunda, malas, garrafas e recipientes serão passados por um escâner"
"Nós estamos em contato com a inteligência francesa há dois anos e meio, três anos. Nunca nos passaram essa informação vazada. Mobilizamos nossos adidos aqui e lá é não encontramos essa informação", declarou.
Questionado sobre a necessidade de proteção especial à delegação francesa após o ataque terrorista em Nice nesta quinta (14), o ministro informou que o país europeu já era classificado como de alto risco nos protocolos antiterror.
A lista é composta de cerca dez países, de acordo com a Defesa, e também inclui Estados Unidos e Israel, por exemplo. As outras nações consideradas de alto risco não foram informadas.
O protocolo também prevê médio e baixo risco, com níveis diferentes de monitoramento e escolta. A delegação norte-americana, por exemplo, ficará hospedada fora da Vila Olímpica, na Escola Naval do Rio de Janeiro.
Em áreas com pouco espaço para pouso, a operação deve ser feita com o helicóptero H36 Caracal, comprado no segundo semestre de 2015. A aeronave transporta até 29 combatentes e tem grande capacidade para carregar feridos.
O helicóptero será usado apenas dentro do Rio de Janeiro, porque tem pouca autonomia de voo. Caso seja preciso transportar feridos ou suspeitos entre as subsedes (Manaus, São Paulo e Brasília, por exemplo), será usado o avião SC-105 Amazonas.
Segundo a Aeronáutica, a última vez que um transporte do tipo foi feito, com risco de contaminação radiológica, foi no acidente com césio-137 em Goiânia, em 1987. Se for necessária a remoção para outros países, uma aeronave com autonomia ainda maior (C-130 Hércules) entra em cena.
Todos as aeronaves designados para esta função estão equipados com "bolhas" de isolamento, máscaras e kits com proteção radiológica e macas especiais. Material químico para desinfecção também deverá ser usado pelos profissionais (veja vídeo da simulação).
Embarque de tropas
Jungmann embarcou em Brasília na manhã desta sexta com cerca de 200 militares das Forças Armadas que vão atuar nos Jogos Olimpícos, que tem abertura oficial no dia 5 de agosto. O voo desta sexta foi o primeiro no novo Boeing 767 comprado para o transporte de soldados. O G1 acompanhou o embarque a convite da FAB.
As tropas da Marinha, do Exército e da Aeronáutica receberam mais de cem horas de instruções e treinamento específico nos últimos meses para enfrentar situações extremas, como terrorismo ou ataque biológico. As tropas permanecem no Rio até o encerramento da Paralimpíada, que ocorre após os Jogos Olímpicos.
Os militares vão integrar um contingente de 22,8 mil membros das Forças Armadas que atuarão na sede olímpica a partir do dia 24. Eles vão se juntar a soldados do Rio, Mato Grosso, Pará e Amazonas, que chegaram ao Rio de Janeiro durante a semana.
Além das ações de defesa nacional e monitoramento de portos e aeroportos, cerca de 3 mil militares vão atuar em situações de rua similares ao trabalho realizado pelas polícias Civil e Militar.

FAB libera pousos simultâneos no DF após quatro meses de suspensão

Ação foi interrompida no terminal em março, após dois incidentes em 9 dias. Decolagens ao mesmo tempo devem ser retomadas em 18 de agosto.

O Cindacta I, órgão da Aeronáutica que cuida do tráfego aéreo, liberou a realização de pousos simultâneos no Aeroporto Juscelino Kubitscheck, em Brasília, a partir da próxima segunda-feira (18). Movimentos simultâncos foram suspensos em março, após dois incidentes em decolagens ao mesmo tempo – foram duas ocorrências em nove dias.
Segundo a Inframerica, concessionária que administra o terminal, as decolagens simultâneas serão autorizadas em 18 de agosto. O Aeroporto JK é o único do país com pistas paralelas em distância segura para realizar pousos ou decolagens simultâneos independentes.
Os movimentos simultâneos serão retomados após uma análise de riscos e relatos de voos feitas pelo Cindacta I. Os controladores de tráfego passaram por reclicagem, com treinamento em simuladores.
Pilotos e operadores receberam informações aeronáuticas sobre pousos e decolagens e um mapa com redesenho de como serão feitas as operações simultâneas no aeroporto.
Um por vez
A Força Aérea Brasileira (FAB) decidiu suspender as decolagens simultâneas depois que duas aeronaves quase se chocaram pela segunda vez em nove dias. Os incidentes ocorreram nos dias 23 de fevereiro e 2 de março.
No primeiro caso, dois aviões quase se chocaram durante a decolagem depois que um deles desobedeceu às instruções do controlador de tráfego aéreo. As aeronaves deixariam o terminal às 7h30, mas em direções diferentes: um faria uma curva para a direita logo após deixar o solo, rumo a Guarulhos (São Paulo), mas acabou virando para a esquerda e invadiu a área do veículo da FAB O controlador percebeu a falha e pediu ao piloto da Aeronáutica para interromper o procedimento e, em seguida, alterar a rota.
No dia 2 de março, dois aviões comerciais decolavam ao mesmo tempo por volta de 10h, um para Goiânia (GO) e o outro para Palmas (TO). Uma aeronave decolou na pista da direita e cumpriu o procedimento de subida virando à direita após a subida, conforme carta de voo.
O segundo veículo decolou da pista da esquerda e deveria seguir reto, mas virou à direita. A carta de saída padrão, documento que todos os pilotos têm e determina as instruções de rota, mostra o que estava previsto era que “o piloto deveria virar para a esquerda apenas quando chegasse ao ponto identificado como "kotvu", a 18,5 km de distância.
Números
Brasília tem o aeroporto com maior capacidade de pista do país, com 60 voos e decolagens por hora e 1,2 mil passageiros a cada 60 minutos. O terminal recebeu 18,14 milhões de passageiros em 2014 e se tornou o segundo mais movimentado do país.
O terminal do DF ficou na 11ª colocação (4,11) em pesquisa divulgada nesta quinta (14) pelo Ministério de Transportes, Portos e Aviação Civil. Foram ouvidos 13.452 passageiros dos 15 maiores aeroportos do país, que avaliaram os terminais com notas de 1 a 5.
PORTAL CAMPO GRANDE NEWS


Ida de 425 militares e policiais para as Olimpíadas força remanejamentos


ImagemPelo menos 425 pessoas, entre militares das Forças Armadas, policiais e bombeiros de Mato Grosso do Sul, irão reforçar a segurança no Rio de Janeiro para as Olimpíadas e Paralimpíadas, entre os dias 5 de agosto e 18 de setembro. A medida forçou remanejamentos em algumas dessas corporações para tentar contornar o déficit de agentes no período.
Somente a PM (Polícia Militar) encaminhou 160 homens e mulheres. Metade do grupo é de Campo Grande. Conforme o subcomandante da entidade, coronel Francisco de Assis Ovelar, o embarque do grupo já foi realizado e coincidiu com a formatura de 110 novos soldados, o que ajudou a suprir a falta do efetivo ausente.
Assim, houve a redistribuição de militares para suprir os 50 postos que ficaram temporariamente vagos.
Contudo, Ovelar destaca os benefícios da participação da corporação nos jogos, já que os policiais retornarão com viaturas e armamentos novos. Todos os 160 integrantes foram aprovados em uma espécie de concurso interno e receberam uma capacitação, que também será interessante para o trabalho realizado dentro do estado futuramente.
Ainda com relação às forças de segurança pública, foram encaminhados também outras 40 pessoas, entre bombeiros e policiais civis. A assessoria de imprensa da Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública) não soube dizer ao certo qual a divisão entre as duas entidades.
Forças Armadas – Neste sábado (16) embarcam para o Rio de Janeiro 31 militares da Base Aérea de Campo Grande. Ao todo serão enviados 90 homens e mulheres de diversas unidades. Desses, 13 já estão na sede dos jogos e outros 18 devem viajar nos próximos dias.
Eles irão cumprir missões de busca e salvamento; evacuação aeromédica; defesa biológica, química, radiológica e nuclear; transporte aéreo logístico, operações especiais de combate ao terrorismo e manutenção da lei e da ordem.
As tropas passaram por um treinamento antes de partir. A assessoria de imprensa da corporação garante que embora seja alto, o efeito ausente não irá interferir nas atividades diárias da base, já que há gente suficiente para cobrir a demanda.
Nesta sexta-feira também foram para o Rio 135 integrantes do Grupamento de Fuzileiros Navais de Ladário, município localizado a 419 quilômetros de Campo Grande.
Eles devem ser empregados nos locais onde serão disputadas as competições de vôlei de praia, triatlo, ciclismo de estrada e maratona aquática; todas em Copacabana; vela olímpica, na Marina da Glória; remo e canoagem, na Lagoa Rodrigo de Freitas, além da maratona que ocorrerá no Aterro do Flamengo.
O Campo Grande News também entrou em contato com o Exército para saber o efetivo que irá ajudar na segurança dos Jogos Olímpicos, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


Por Jogos, espaço aéreo terá restrições até para asa-delta e parapente

Voos suspeitos serão interceptados e até derrubados

Clarissa Thomé

Durante a Olimpíada do Rio, turistas não poderão apreciar a cidade do alto, em voos de asa-deltas, parapentes e helicópteros. Por segurança, o espaço aéreo terá restrições já a partir do próximo dia 24, quando será aberta a Vila Olímpica, na Barra da Tijuca, na zona oeste da capital fluminense. O Aeroporto Santos Dumont terá a operação suspensa nas tardes de 8 a 18 de agosto para as provas de vela, disputadas na Baía de Guanabara, bem ao lado das pistas de pouso e decolagem. Voos suspeitos que invadirem áreas restritas serão interceptados e até derrubados.
"A defesa aérea tem de identificar e colocar a aeronave em situação regular. Não há nenhuma intenção de chegar ao ponto extremo. Se não houver colaboração, adota-se medida mais severa, de pouso obrigatório ou modificação da rota. Se não houver resposta, há o tiro de aviso. Só depois, o de destruição, com autorização direta do comandante da Aeronáutica", disse o major-brigadeiro Mário Jordão, comandante de Defesa Aeroespacial Brasileira. Na Copa do Mundo, aeronaves invadiram o espaço aéreo restrito, por engano dos pilotos, e as rotas foram corrigidas.
A Confederação Brasileira de Voo Livre recorreu à Justiça Federal contra a proibição. "Trezentos pilotos vivem dessa atividade. O fechamento do espaço aéreo é uma arbitrariedade. Nem na Copa do Mundo nem na Jornada Mundial da Juventude isso aconteceu. Trabalhamos nesses períodos com espaço restrito, entre a Pedra Bonita e São Conrado", disse o presidente da entidade, Chico Santos.
O fechamento do Santos Dumont ocorrerá para que a equipe de filmagem contratada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) possa registrar as provas de vela das 12h40 às 17h10. O aeroporto, no entanto, funcionará em esquema de 24 horas entre 3 e 23 de agosto. A medida afetará 150 mil passageiros, que tiveram voos remanejados.
As restrições para voos de treinamento, instrução e turísticos ocorrerão em 24 de julho e de 3 a 22 de agosto entre Angra dos Reis (litoral sul) e Cabo Frio (Região dos Lagos). Neste trecho do litoral fluminense, que inclui o Rio, também serão proibidos os voos entre o litoral e a divisa com Minas Gerais. A medida vale para saltos de paraquedas, voos de parapente e asa-deltas. A pulverização agrícola e o reboque de faixas para publicidade também estarão suspensos, assim como drones e aeromodelos. A Aeronáutica tem equipamentos com sensores que interferem na frequência de drones e faz com que pousem ou retornem ao local de origem.
Os complexos esportivos (Deodoro, Maracanã, Barra e Copacabana) serão considerados "áreas vermelhas". Nos dias de prova, só poderão sobrevoá-las aeronaves autorizadas pela Defesa Aeroespacial Brasileiro (Condabra), entre elas as das Forças Armadas, órgãos de segurança e helicópteros-ambulância. As áreas estarão protegidas por artilharia anti-aérea, com mísseis solo-ar e canhões. "Essa é uma atuação limite e só será utilizada para evitar mal maior", disse Jordão.
A FAB atuará com caças, helicópteros e aviões-radar. Onze mil militares farão o gerenciamento do tráfego aéreo durante os Jogos. Chefes de Estado chegarão ao Rio pela Base Aérea do Galeão, na zona norte da cidade. Atiradores de elite ficarão no entorno da base. Haverá forças militares de contingência para reagir em caso de ataque e forças antidistúrbio contra protestos. A capacidade será de receber três chefes de Estado a cada 20 minutos. Nas cidades-sede do futebol (Manaus, Belo Horizonte, Salvador, São Paulo e Brasília), haverá restrições no espaço aéreo somente nos dias das partidas.

Temer realiza reunião de emergência para discutir segurança na Olimpíada

Presidente em exercício recebe ministros e representantes das Forças Armadas no Palácio do Planalto

Carla Araújo

O presidente em exercício, Michel Temer, iniciou uma reunião de emergência no Palácio do Planalto nesta sexta-feira, por volta das 16h30, para discutir a segurança nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Participam do encontro o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sérgio Etchegoyen; o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha; o chefe do Estado-Maior conjunto das Forças Armadas, Almirante Ademir Sobrinho; o ministro interino da Justiça, José Levi; e o secretário-geral do Ministério das Relações Exteriores, Marcos Galvão. O ministro da Defesa, Raul Jungmann, que estava inicialmente previsto para comparecer a reunião não está presente. Ainda não há definição se haverá coletiva de imprensa no fim do encontro.
Temer antecipou sua volta de São Paulo para Brasília para discutir mudanças na segurança nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, após o atentado de Nice, na França.
Mais cedo outras duas autoridades do País anunciaram que o esquema de segurança para os Jogos do Rio de Janeiro deve mudar. Primeiro, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sérgio Etchegoyen, afirmou que o governo revisará ações de segurança e irá tomar "uma série de novas providências" para o evento esportivo na capital fluminense. Em função do ataque em Nice ter sido realizado com o atropelamento de civis por um caminhão, "postos de controle, barreiras e restrições de trânsito" serão implementados, afirmou Etchegoyen.
Horas depois, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, reforçou que as medidas atuais de segurança serão revistas. O chefe da pasta anunciou que 3.200 militares de diversos Estados ficarão de prontidão para se dirigirem ao Rio em caso de alguma emergência.
Também em face dos atentados em Nice, o Comitê Olímpico Internacional (COI) divulgou uma nota na qual afirma que o governo brasileiro está fazendo "de tudo para garantir a segurança antes e durante o evento". O comunicado ainda diz que "a segurança dos Jogos é responsabilidade das autoridades locais e não temos dúvidas de que eles vão prever medidas extras se considerarem necessário". E completou: "Eles são os especialistas e temos total confiança de que vão tomar as medidas apropriadas para realizar Jogos seguros em 2016".

Após reunião, Paes afirma que Rio será "a cidade mais segura do mundo"

Prefeito dá declaração em intervalo de reunião no Comitê do Rio-2016

Um dia após um atentado terrorista matar mais de 70 pessoas na França, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), afirmou que durante a Olimpíada o Rio será "a cidade mais segura do mundo". A afirmação foi feita aos jornalistas no intervalo de uma reunião na sede do Comitê Organizador da Rio-2016 em que Paes esteve com o presidente do Comitê, Carlos Arthur Nuzman, o ministro do Esporte, Leonardo Picciani, e autoridades públicas das áreas de segurança e transporte.
Segundo Paes, a reunião não foi marcada em razão do atentado - ela estava prevista há duas semanas - e não houve nenhuma discussão especial sobre segurança. "Segurança e mobilidade são as questões mais importantes para nós, mas não mudamos nada em função do atentado de ontem", disse o prefeito. "Se os responsáveis pela segurança determinarem alguma alteração, ela será feita".
A declaração de Paes nesta sexta contrasta com a resposta concedida em entrevista ao canal de TV norte-americano CNN, no início do mês de julho. À ocasião, o político afirmara que o trabalho de segurança pública do Rio estava em "um momento horrível". O prefeito ainda declarou que "esse é o assunto mais sério do Rio, e o Estado está fazendo um trabalho terrível, horrível. O governo está falhando completamente em seu trabalho de polícia, em tomar conta da segurança pública".
Poucos dias depois, Eduardo Paes recuou e disse que foi mal interpretado. Ele ainda anunciou que sua "atuação como comentarista de segurança pública já se encerrou". As palavras também não foram bem recebidas pelos auxiliares de Michel Temer, presidente em exercício do País e um líderes do partido de Paes, o PMDB. De acordo com pessoas próximas, as críticas foram "como um tiro no próprio peito".
Em outra entrevista, uma semana depois, ao jornal britânico The Guardian, Paes voltou a criticar o contexto atual em que a Olimpíada será realizada. Segundo ele, "esta é uma oportunidade perdida". E ainda completou ao expor que "nós (brasileiros) não estamos apresentando a nós mesmos. Com todas estas crises econômicas e políticas, com todos esses escândalos, não é o melhor momento para estar nos olhos do mundo. Isto é ruim".
Apesar dos prejuízos financeiros sofridos pela cidade-sede dos Jogos Olímpicos deste ano, ele entende que a população mais pobre não foi ignorada pelos investimentos no Rio de Janeiro.
Com informações de Fabrio Grellet, Marcio Dolzan e Erich Decat.

Concessões pressionam o caixa da Infraero

Para manter fatia de 49% na Gru Airport, que controla o aeroporto de Guarulhos, estatal precisa desembolsar cerca de R$ 160 milhões

André Borges

Dona de um caixa já esvaziado, a Infraero terá de quitar uma conta salgada neste ano, estimada em cerca de R$ 160 milhões, caso queira manter sua participação de 49% na concessionária Gru Airport, que controla o aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.
O valor é referente ao pedaço da dívida que a estatal precisa honrar para quitar o pagamento da outorga do aeroporto paulista neste ano, um total de R$ 1,1 bilhão. Na segunda-feira, a concessionária, que tem uma fatia de 51% nas mãos da Invepar, efetuou o desembolso de R$ 350 milhões. Até dezembro, a Gru Airport promete pagar os restantes R$ 750 milhões. Ocorre que as receitas estimadas no período não darão conta de cobrir tudo.
A necessidade de aporte de R$ 160 milhões já chegou ao Ministério dos Transportes, Portos e Aeroportos. Segundo uma fonte do governo, chegou a ser analisada a possibilidade de a Infraero abrir mão de sua parte no desembolso, o que refletiria em diminuição de sua fatia na sociedade. Para que isso ocorresse, porém, seria necessário que a Invepar ampliasse seu capital, assumindo a parte da Infraero. Apesar de a alternativa ter sido analisada pelo governo, a conclusão é de que, ao menos neste ano, não deve haver alteração na fatia da estatal, ou seja, a Infraero deverá bancar a conta e manter os mesmos 49%.
Questionada sobre o assunto, a Infraero declarou que seus desembolsos já estão programados e que não haverá diluição de sua fatia na concessionária. A Gru Airport declarou que o pagamento da outorga é de responsabilidade da concessionária e foi feito diretamente pela empresa, e não pelos acionistas.
O pagamento anual das outorgas é recolhido pelo Fundo Nacional de Aviação Civil (Fnac). No plano de parcelamento da dívida aprovado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), as demais parcelas serão pagas até dezembro. Além de entrar em acordo com as empresas privadas que estão à frente das concessões dos seis aeroportos já concedidos – Guarulhos, Viracopos, Brasília, Confins, Galeão e São Gonçalo do Amarante –, o governo tem procurado soluções para tentar reduzir a pressão financeira sobre a Infraero. Em cada um desses terminais, a estatal é dona de 49% das concessões, ou seja, tem de bancar metade de suas dívidas.
Nas quatro novas concessões previstas – Fortaleza, Salvador Florianópolis e Porto Alegre – já está decidido que a Infraero não terá participação. O governo tem reafirmado que o leilão desses terminais vai ocorrer ainda no segundo semestre. Não há, porém, uma data definida.
O destino da estatal ainda não está selado. Sobre a mesa há uma proposta de parceria com a iniciativa privada para operar os aeroportos de Congonhas, Santos Dumont, Manaus e Curitiba. Toda a operação ficaria debaixo de uma holding da Infraero.
Como praticamente todos os demais projetos da área de infraestrutura, porém, os sinais são de que as decisões só serão efetivamente tomadas após a conclusão do processo de impeachment pelo Senado.

JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Ataque na França leva Brasil a revisar todo plano de segurança para Rio-2016


Rubens Valente

O atentado em Nice, na França, nesta quinta-feira (14) levou o governo brasileiro a revisar todos os procedimentos de segurança e inteligência relativos aos Jogos Olímpicos no Rio.
A informação foi dada nesta sexta-feira (15) pelo general Sérgio Etchegoyen, ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), em entrevista coletiva no Palácio do Planalto. Segundo o militar, a preocupação com o evento esportivo "subiu de patamar".
O general mencionou como novas medidas "mais postos de controle, mais barreiras, algumas restrições de trânsito". Ele afirmou que "é importante que a imprensa nos ajude para que a população entenda que vamos trocar um pouquinho de conforto por muita segurança".
Etchegoyen disse que o Brasil ainda não foi informado pela França se o atentado em Nice tem ligações com terrorismo islâmico, porém foi visto como um ponto de reflexão para segurança para os Jogos. Ele informou que o presidente interino Michel Temer telefonou cedo nesta sexta-feira (15) para marcar uma reunião entre ele, o general e os ministros Raul Jungmann (Defesa) e Alexandre de Moraes (Justiça).
"Já estamos, desde então, os três órgãos e os três ministros [das áreas de Defesa, Justiça e Inteligência] fazendo a revisão de todo o nosso dispositivo de segurança para que possamos identificar eventuais lacunas e fazer uma integração mais intensa dos três itens", disse o general.
Etchegoyn afirmou que o caso em Nice "exige uma série de revisões e uma série de novas providências e um trabalho intenso para que mantenhamos o nível de segurança".
Ele comparou esse trabalho a uma espécie de "auditoria" do plano de segurança.
"Estamos revisando o planejamento porque temos o dever, a partir do que aconteceu, de checar se há lacunas", afirmou.
O general informou que nesta manhã ocorre uma reunião na sede da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) "com representantes franceses para que possamos obter novas informações, detalhes, que nos ajudem no planejamento".
Outra medida será enviar a Paris um oficial de inteligência da Abin para "buscar no terreno as lições aprendidas desta tragédia".
O general voltou a dizer que o Brasil ainda não recebeu informações concretas sobre um suposto plano terrorista em elaboração contra a delegação francesa nos Jogos, conforme divulgado pela imprensa francesa nesta quarta-feira (13). O ministro disse que "não existe histórico de negação de informação" do serviço de inteligência francês para o serviço brasileiro.
"Nosso intercâmbio com os franceses é muito bom, eles nos têm ajudado muito, até porque a delegação deles vem para cá e depende da estrutura que montamos. Nosso embaixador em Paris, por determinação do Ministério das Relações Exteriores, está fazendo um pedido de informações, esclarecimentos, oficialmente ao governo francês".
O ministro-chefe do GSI, que na nova configuração administrativa de Michel Temer voltou a ter o controle sobre os trabalhos de inteligência da Abin, informou que o governo fez um trabalho de treinamento de "motoristas táxi, funcionários do Metrô, funcionários de hotéis, restaurantes, vendedores ambulantes, diversas pessoas que lidam com o público em geral" no Rio e em outras cidades que sediarão eventos da Olimpíada para que estejam "preparados para identificar situações [de risco], atividades e pessoas com comportamentos anômalos".
Indagado se o Brasil trabalha com foco em algum grupo terrorista, como o Estado Islâmico, Etchegoyen negou.
"Nós não temos a identificação de uma organização voltada... Nós temos possibilidades de ocorrência, como em qualquer lugar. Falo da possibilidade de ocorrência de eventos terroristas. Mas nós não focamos nesta ou naquela organização".
Reunião
À tarde, o presidente interino, Michel Temer (PMDB), reuniu-se com o general e representantes dos ministérios da Justiça e da Defesa para autorizar a revisão do plano. As medidas devem ser fechadas, segundo o ministro, até o meio da semana que vem.
O uso de um caminhão para matar dezenas de pessoas na cidade francesa levou o governo, por exemplo, a ter por foco questões relativas ao trânsito. "Ninguém poderia imaginar que um caminhão fosse usado como arma de destruição em massa", disse.
Ele comparou a revisão a uma "auditoria" do plano de segurança. "Temos o dever, a partir do que aconteceu, de checar se há lacunas."
Segundo ele, o objetivo é fazer uma "auditoria do nosso planejamento para ver se sobra alguma lacuna que tenhamos negligenciado".
O general rebateu a ideia de que possa ter ocorrido falha no planejamento por ter determinado revisão a poucos dias do início da Rio-2016.
"Seria uma monumental irresponsabilidade se nós não revisássemos o que estamos fazendo em benefício da segurança. Eu não posso ter a pretensão, a arrogância, de dizer "não erramos nada, não há nada a verificar e não precisa passar a limpo", disse.
O ministro-chefe do GSI informou que o governo fez um treinamento de "motoristas de táxi, funcionários do Metrô, funcionários de hotéis, restaurantes, vendedores ambulantes, diversas pessoas que lidam com o público em geral" no Rio e em outras cidades que sediarão eventos dos Jogos para que estejam "preparados para identificar situações [de risco], atividades e pessoas com comportamentos anômalos".
Revisão
O ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse nesta sexta (15) que o esquema de segurança dos Jogos Olímpicos poderá ser modificado por causa dos atentados em Nice na quinta (14).
Ele citou que novas barreiras para a revista do público e a ampliação de áreas em que o tráfego será proibido serão estudadas nos próximos dias.
"Vamos rever barreiras e adicionar mais gente. É o princípio de um processo que ao longo da semana terá seus desdobramentos informados", afirmou o ministro.
Jungmann esteve no voo que saiu de Brasília com 200 militares da Força Aérea Brasileira e da Marinha do Brasil e desembarcou no Rio no início da tarde. Os militares vieram de batalhões das cidades de Manaus, Belém e Brasília.
A tropa da FAB cuidará dos saguões e entorno do aeroporto internacional do Rio, incluindo as vias de acesso.
Os da Marinha vão monitorar a orla, de São Conrado, na zona sul, até a zona portuária do Rio.
O Exército cuidará das principais vias das cidades, como as Linhas Amarela e Vermelha, a Avenida Brasil e orla, o BRT Transolímpico e de seis estações de trem.
"Os acontecimentos em Nice nos preocupa é não poderia ser diferente. Nossa resposta será mais controle e segurança, com ampliação dos procedimentos", disse o ministro.
Jungmann adiantou que haverá reforço nos três níveis de procedimentos de segurança que os espectadores passarão para chegar aos locais de competição: identificação, checagem a um banco de dados internacional com cadastro de suspeitos de terrorismo e scanner.
"Estamos em contato com a França e outros 106 países que tem representantes no Centro Internacional de Combate ao Terrorismo. Não há nenhum indicativo de ameaça real até o momento", disse.

Brasileiros na Turquia reportam medo e dificuldade de comunicação


Chico Felitti E Angela Boldrini

Brasileiros em viagem à Istambul, na Turquia, para turismo relatam caos e falta de orientação depois da tentativa de golpe militar ocorrido no país nesta sexta (15). Os voos foram suspensos no aeroporto internacional da cidade.
"Eu acho que não deveria ter vindo", diz a maquiadora capixaba Ana Sousa, 27. Ela chegou à Turquia há dois dias, e seguiria para a Grécia no domingo (17). "Agora noticiaram que o aeroporto foi fechado pelo Exército e eu não consigo falar com a companhia aérea", diz Sousa, que está hospedada em Sultanahmet, bairro onde ficam pontos turísticos como a Mesquita Azul e o museu Santa Sofia. "Não ouvimos tiros, mas o clima na rua está tenso."
As Forças Armadas da Turquia anunciaram nesta sexta-feira (15) que passaram a controlar o governo, em golpe de Estado contra o presidente Recep Tayyip Erdogan, que pediu a seus seguidores que desafiem os militares.
No primeiro dia de viagem Sousa conheceu o estudante de administração Paulo Brito, 25, cujo voo estava marcado para a noite de sábado (16). "Já avisei a família que não devo voltar pra casa tão cedo, mas disseram na recepção do hotel que a situação deve se normalizar rápido. Pelo menos para estrangeiros."
Os viajantes afirmaram que não têm planos de sair do hotel. "Minha família ia ligar no Itamaraty para avisar que estávamos aqui, porque não consegui falar no número da Embaixada Brasileira aqui", diz Sousa.
O estudante de arquitetura João Pedro Nogueira, 21, chegou ao país com a mãe, Paula, e a irmã de 12 anos, Isadora, nesta quarta (14).
"Hoje, quando fomos jantar, o taxista disse que estava tendo um protesto, que ia desviar, mas achei normal", afirma João. "Fomos dormir por volta da meia-noite, mas logo em seguida um amigo me mandou mensagem falando sobre o que aconteceu."
A família e os outros cinco brasileiros do grupo, que seguiria para Ancara, capital do país, cujos acessos foram interrompidos, estão acompanhando o desenrolar dos acontecimentos de dentro de um hotel na parte europeia da cidade, sem previsão de saída.
"Estamos ouvindo tiros, bem alto, e às vezes passam carros e pessoas com a bandeira do país", afirmou ele, que diz que o acesso às redes sociais chegou a ser cortado durante a madrugada, mas já foi restabelecido.
Perdidos
"A gente está completamente perdido", disse à Folha sua mãe, a relações públicas Paula Pedrão. "A gente está preso no hotel, não sabe para onde ir", diz o filho.
Segundo Paula, os turistas brasileiros estão à espera do guia, turco, para decidir o que fazer. "Não sei se vamos sair do país ou ficar, o que for mais fácil."
O grupo tentou entrar em contato com o plantão do consulado brasileiro em Istambul, mas não conseguiu. "O telefone normal ninguém atende, e o do plantão não chama", afirma João.
No hotel também relataram dificuldades para conseguir orientação. Mas, segundo o estudante, os funcionários pareciam estar "tranquilos" com a situação. "Eu liguei na recepção, estava debaixo da mesa, ouvindo tiros, e o recepcionista parecia bem tranquilo."
Procurado, o Itamaraty informou que "está acompanhando de perto a situação". Em nota, informaram que brasileiros na Turquia devem fazer "contato com seus familiares no Brasil a fim de tranquilizá-los" e recomendaram "evitar a circulação pelas ruas, em todo o país, até que a situação se normalize".
Menos brasileiros
Profissionais do turismo afirmam que o número de brasileiros no país é mais baixo do que nas últimas férias de julho.
"Dez grupos cancelaram sua vinda para cá em julho, depois do atentado no aeroporto [em que ao menos 44 pessoas foram mortas e cerca de 240 ficaram feridas, quando homens-bomba armados entraram no principal aeroporto do país]", diz Mehmet Ali Başkut, guia especializado na comunidade brasileira e ciceroneou parte da equipe da novela "Salve Jorge" (2012), da TV Globo, que teve cenas gravadas no país. "Por isso a gente se deu umas férias mais prolongadas."

JORNAL DO BRASIL


FAB alerta para drones, balões e terroristas

Defesa do território aéreo dos Jogos começa dia 24

Como forma de prevenção a possíveis ataques terroristas, a Força Aérea Brasileira (FAB) começa no dia 24 de julho as restrições ao espaço aéreo do Rio de Janeiro. Em coletiva à imprensa, a FAB avisa que as aeronaves que não cumprirem as regras estipuladas vão ser interceptadas durante o voo.
Em coletiva à imprensa, a Força Aérea Brasileira apresentou os detalhes do esquema de controle e defesa do espaço aéreo brasileiro, que vai contar com mais de 15 mil militares e 80 aeronaves fazendo a segurança da cidade durante o período dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos.
Segundo o Major Brigadeiro Jordão, as ações da FAB na abordagem de aeronaves não identificadas, incluem a verificação, interrogação, pouso forçado, modificação de rota, tiros de aviso e detenção da aeronave hostil.
"O tiro só é realizado em uma aeronave considerada como hostil, porque ela já deu provas suficientes que tem a intenção de cometer o ilícito. 99% das situações são resolvidas antes de chegar a necessidade de se fazer um tiro de aviso ou então, um tiro de detenção."
O esquema de restrições do espaço aéreo está dividido por áreas e cores: Branca, Amarela e Vermelha.
De 24 de julho a 22 de agosto, entrará em vigor a Área Branca, de tráfego reservado, que abrange grande parte do Estado do Rio de Janeiro, de Angra dos Reis a Cabo Frio, e do Oceano Atlântico até quase a divisa com o Estado de Minas Gerais. A restrição será retomada de 7 a 19 de setembro para os Jogos Paralímpicos.
Na Área Branca, não serão permitidos voos de treinamento, de instrução, comerciais e turísticos, além de operações com paraquedas, parapentes, balões, dirigíveis, ultraleves, aeronaves experimentais, asas-delta, pulverização agrícola, reboque de faixas, aeromodelos, foguetes e os populares drones.
Já de 3 de agosto, quando começam os jogos de futebol, até o dia 22 de agosto, será ativada a Área Amarela, de tráfego restrito, que inclui os aeroportos Santos Dumont e Internacional Tom Jobim, o Galeão, incluindo ainda a região que vai de Niterói a Grumari, na zona oeste do Rio, e de Nova Iguaçu ao Oceano Atlântico. Apenas aeronaves devidamente autorizadas poderão trafegar nesses locais.
Ainda de acordo com o Major Brigadeiro Jordão, a área mais restrita, é a Vermelha, de tráfego proibido, que vai entrar em vigor nos momentos de competição. A área Vermelha abrange 7,4 quilômetros de raio ao redor dos complexos esportivos da Barra, Deodoro, Maracanã, Engenhão e Copacabana. Nesses locais só vão poder sobrevoar aeronaves com autorização expressa do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (Comdabra). As restrições vão até o fim dos Jogos Paralímpicos no dia 19 de setembro.
"Só está autorizado o voo na área vermelha, para aeronaves que estejam diretamente envolvidas com a segurança do evento, altas autoridades do governo brasileiro classificadas pela Casa Civil, e pela empresa que foi contratada pelo Comitê Olímpico, que é a OBS para fazer as imagens."
Sobre possíveis ameaças terroristas, o Tenente Brigadeiro Aquino, da Força Aérea Brasileira, destacou que as Forças Armadas estão preparadas para combater e coibir qualquer ação.
"As ações da inteligência, que não são única e exclusivamente das Forças Armadas do Brasil, mas das agências de inteligência do governo, e em coordenação com as demais agências de inteligência no mundo, principalmente as mais avançadas americanas e europeias, estão trabalhando de forma conjunta no sentido de que todo e qualquer informe existente dentro desse tipo de atividade, que ele seja passado, que seja montado e processado um mosaico, e que a partir daí teremos uma capacidade de análise de risco de acontecer ou não um evento dessa natureza."
A Força Aérea Brasileira informou ainda que na região da Barra da Tijuca a Área Vermelha vai ficar ativa 24 horas por dia para proteger a Vila dos Atletas. O Aeroporto de Jacarepaguá, que fica a uma milha e meia do Parque Olímpico, será usado apenas para operações de segurança.
Para impedir a operação de drones, populares na captação de imagens, a defesa do espaço aéreo adquiriu equipamentos capazes de causar a interferência no sinal do equipamento, para que seja forçado a pousar. Outra preocupação da FAB é com relação aos balões, que vão ser combatidos com trabalho de superfície para evitar que sejam soltos. A Aeronáutica pede neste caso, a ajuda da população que tenha consciência do risco que o artefato pode representar para a segurança de todos.

Tropas da FAB e da Marinha chegam ao Rio para reforçar segurança na Olimpíada


Mais de 200 militares da Força Aérea Brasileira (FAB) e da Marinha do Brasil viajaram ao Rio de Janeiro na tarde de hoje (15) para reforçar as forças de segurança durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro. O ministro da Defesa, Raul Jungmann, acompanhou os militares na viagem.
O avião foi lotado de militares de batalhões de Manaus, Belém, Brasília e Porto Velho. Eles embarcaram devidamente equipados para atuar na capital fluminense, que será o centro das atenções do mundo nos próximos dois meses, em função da Olimpíada, realizada pela primeira vez em uma cidade sul-americana.
Natural do Ceará, o sargento Francisco de Souza Chagas, que serve atualmente na Base Aérea de Porto Velho, chega ao Rio de Janeiro com experiência em eventos internacionais na bagagem, ambos em Fortaleza. “Já participei do encontro do Brics [grupo de países formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul] lá em Fortaleza, que foi um evento grande. A Copa do Mundo também. Olimpíada é um evento novo, mas tenho uma bagagem boa em eventos de grande porte.”
Chagas disse que todas as tropas deslocadas ao Rio de Janeiro passaram por um treinamento específico e não demonstrou preocupação com a possibilidade de atentados durante os Jogos Olímpicos. “Aqui no Brasil nunca teve essa situação. Caso ocorra, mas creio que não vá ocorrer, temos o pessoal preparado. Acredito que será um evento tranquilo. Estamos aqui para garantir a lei e a ordem, para que o evento tenha sucesso e para que os atletas, turistas e a população do Rio de Janeiro fiquem seguros.”
Transportadas por um Boeing 767 da FAB, as tropas chegaram à Base Aérea do Galeão, pouco antes das 15h, onde outros grupos de militares aguardavam, em forma, a chegada do ministro da Defesa, para saudá-lo. “Quero dizer que nosso adestramento nos trazem ao dia de hoje, e aos próximos, absolutamente preparados e treinados para exercer as funções de defesa nos Jogos de 2016. A tarefa é assegurar que os Jogos Olímpicos transcorram na mais absoluta tranquilidade e segurança”, disse Jungmann aos militares.
Defesa química
Em seguida, o ministro mostrou aos jornalistas a aeronave de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear. O C-105 Amazonas será usado para transporte de eventuais vítimas de contaminação química. Em caso de ameaça química, biológica, radiológica ou nuclear, o C-105 Amazonas fará a evacuação do local. Segundo a FAB, será montada uma estrutura para descontaminação de possíveis pacientes, e algumas aeronaves estão prontas para transportá-las com segurança, seguindo os protocolos internacionais exigidos.
No próximo dia 24, as Forças Armadas e as demais forças de segurança, como a Polícia Militar e a Força Nacional, vão assumir oficialmente a segurança do Rio de Janeiro para os Jogos Olímpicos Rio 2016.

PORTAL BRASIL


Anac interdita 188 aeródromos para reforçar segurança

Determinação pretende evitar a construção de edifícios nas proximidades das unidades

A partir desta sexta-feira (15), a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) vai fechar temporariamente 188 aeródromos públicos nacionais que ainda não submeteram seus planos de zona de proteção à aprovação do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea).
A intenção da Anac é evitar operações fora do padrão de segurança e incentivar que os administradores se regularizem.
Entre os aeródromos, 64 localizam-se na Região Sul, cinco na Região Sudeste, 65 na Região Centro-Oeste, 28 na Região Nordeste e 26 na Região Norte. A relação dos autódromos foi divulgada no Diário Oficial da União de 30 de maio e também estão na página do Decea.
As unidades poderão voltar a operar após os administradores comprovarem ter ingressado com o processo de Alteração no Cadastro de Aeródromos nos termos da Instrução do Comando da Aeronáutica (ICA) 11-3/2015, que trata de Processos da Área de Aeródromos.
O Decea ainda pode autorizar o retorno das operações aéreas nesses aeródromos por meio da assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), em que a Administração Aeroportuária Local se compromete a confeccionar e a apresentar seus Planos de Zona de Proteção.
A solicitação para firmar um TAC pode ser feita por meio de documento do administrador e enviado ao Decea (Avenida General Justo, nº 160, Centro, Rio de Janeiro/RJ, CEP 20.021-130).

Militares que farão parte da segurança chegam ao Rio

Somente nesta sexta (15), 200 homens das Forças Armadas desembarcam na capital carioca; no próximo dia 24, mais 21 mil militares reforçarão o esquema

Militares de diversas regiões do País que integrarão a segurança dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 começaram a chegar ao Rio de Janeiro para a concentração final. Somente nesta sexta-feira (15), mais de 200 militares da Força Aérea Brasileira (FAB) e da Marinha do Brasil chegam à cidade.
Vindos de batalhões de Manaus (AM), Belém (PA) e Brasília (DF), esses militares atuarão em ações de Defesa Nacional e, no caso da tropa vinculada à FAB, atuarão nos saguões e o entorno do aeroporto Galeão, e ao longo das principais vias de acesso ao aeroporto, principal porta de entrada de delegações e turistas.
O voo também levará ao RJ cerca de 100 fuzileiros navais que serão empregados em ações de garantia da lei e da ordem, em atendimento ao pedido do governo do estado que solicitou apoio extra das Forças Armadas para ações de Segurança Pública.
A partir do próximo dia 24, os mais de 21 mil militares das Forças Armadas que ficarão no Rio já estarão em condições de atuar, juntamente com os órgãos de Inteligência e Segurança Pública, para assegurar um ambiente tranquilo e pacífico aos turistas, brasileiros e delegações.
Juntamente com outros órgãos da área da Saúde e da Segurança Pública, como bombeiros, SAMU e outros, os militares passaram por diversos treinamentos, desde a Copa do Mundo de 2014, e estão prontos para lidar com qualquer tipo de ameaça desta natureza.
O assessor de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear do Ministério da Defesa, coronel Chamon De Lamare, explica que o setor avançou de forma intensa com a realização dos últimos grandes eventos no Brasil. “Com a experiência adquirida em outras situações, conseguimos ampliar a nossa rede de contatos e de envolvimento dos órgãos envolvidos”, afirmou.

Aeronáutica terá infraestrutura para monitorar Olimpíada

Força Aérea montou estrutura de telecomunicações para monitorar, em tempo real, câmeras, tropas e aeronaves nas seis cidades-sede

Todas as ações de defesa e segurança durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 serão monitoradas em tempo real em centros de defesa de área. Para isso, a Força Aérea Brasileira trabalhou com uma equipe de 184 militares para a instalação, até o começo de julho, de toda a logística no Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Belo Horizonte, Brasília, Salvador e Manaus.
A estrutura de telecomunicações é composta por pontos de transmissão e recepção de dados, telefonia e radiocomunicações. No Rio de Janeiro, foram instalados quase cem pontos de presença, com capacidade de transmissão de dados de 52 Mbps (megabytes por segundo). Tudo isso para receber informações de aeronaves remotamente pilotadas (ARP), câmeras e tropas, por exemplo.
A infraestrutura compreende, ainda, meios de datalink, comunicação via satélite, enlaces terrestres, enlaces por microondas, centrais telefônicas, comunicações por voip e visualização de dados radar, que permitem receber e enviar dados e voz em apoio às diversas posições operacionais.
“Essa infraestrutura de comunicações permite que os centros de decisões sejam alimentados com as informações para comando e controle”, explica o comandante do Primeiro Grupo de Comunicações e Controle (1º GCC), Tenente-Coronel Aviador Jorge Maurício Motta.
Operação
As Células de Operação Local do Rio de Janeiro e de São Paulo, que abrangem os principais aeroportos internacionais brasileiros, vão contar com sistemas de comunicações terra-ar em V/UHF, telefonia com linhas específicas, sinal radar local e sinal radar da aeronave E-99. Os recursos permitirão que as células, que funcionarão como backup dos Centros de Operações Militares, tenham condições de assumir o controle de uma interceptação caso necessário.
Toda a infraestrutura foi testada, como o recebimento dos dados das aeronaves-radar E-99, que executam alarme antecipado em voo, e a tramitação das imagens das aeronaves remotamente pilotadas. A verificação também incluiu a certificação da confiabilidade das comunicações nos locais de grande fluxo de tráfego aéreo. “Isso possibilita que todo o controle das aeronaves de defesa aérea possa ser realizado em locais alternativos, em caso de situações anormais”, detalha o comandante do 1° GCC.
Os pontos de comunicação do Ministério da Defesa foram instalados nos seguintes locais: Centro de Operações Aéreas do Coordenador-Geral de Defesa de Área (CGDA), a Sala Master do Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), a Célula de Operações Local do Aeroporto do Galeão, os pontos onde estarão localizados os grupos de artilharia antiaérea, além de todas as áreas vermelhas de exclusão aérea.
JORNAL EXTRA


Rio 2016 terá reforço em número de militares após ataque na França, diz ministro da Defesa


O ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou nesta sexta-feira que o Brasil vai reforçar a segurança da Olimpíada do Rio de Janeiro com revistas mais rigorosas nos locais de competição e um aumento do número de militares na cidade, depois do ataque com um caminhão que deixou mais de 80 mortos em Nice, na França.
Segundo o ministro, um adicional de 3.200 homens das Forças Armadas será disponibilizado para uma força de contingência que se somará aos mais de 21 mil militares já designados para a cidade do Rio durante os Jogos Olímpicos, que começam em 5 de agosto.
"O evento de Nice nos preocupa e o evento de Nice vai se traduzir em mais controle, mais segurança, mais gente e procedimentos que vão ser ampliados", afirmou Jungmann a jornalistas em evento no Rio, explicando que vai haver um "pente-fino" em todos os protocolos de segurança.
Jungmann participará ainda nesta sexta de uma reunião em Brasília convocada pelo presidente interino, Michel Temer, para tratar do assunto após o atentado na França, na quinta-feira à noite, quando um caminhão atropelou uma multidão que acompanhava fogos de artifício no feriado do Dia da Bastilha e matou 84 pessoas.
O ministro da Defesa destacou que até agora não houve nenhum indicativo de ataque terrorista à Olimpíada. "Mantemos contato com 106 países que mandarão gente para o centro internacional de inteligência e até agora não há nenhum indicativo de ameaça potencial."
"Temos hoje aproximadamente 500 mil cadastros de pessoas que têm alguma relação ou suspeitos de relação com terrorismo", acrescentou.
O ministro disse ainda que vai haver de 8 mil a 10 mil pessoas disfarçadas dentro das arenas como parte de um plano que prevê 85 mil homens para fazer a segurança olímpica no Rio e nas cidades-sede do futebol.
"Para chegar nos estádios já se teria que passar por três barreiras e o que vai se fazer agora é ser mais rigoroso, duplicar "mag e bag" (revista de bolsas) e scanner e ser muito rígido, o que vai gerar desconforto, mas em nome da segurança", explicou.

PORTAL TERRA


Super resistente! Esmalte dental inspira aeronáutica

Composto essencialmente por um material inorgânico muito forte, esmalte dental é estudado para melhorar a estrutura de aviões e automóveis

Coluna Saúde Bucal

Se alguém perguntar qual é a parte mais resistente do corpo humano, o que você responderia? Ossos? Resposta errada! A parte mais forte do nosso corpo é o esmalte dental. Sua estrutura é tão forte que ela tem sido estudada por profissionais da aeronáutica que buscam matérias mais leves e resistentes para fabricar aviões.

O resultado da pesquisa da aeronáutica mostrou que os dentes são feitos de um material que reage muito bem a grandes pressões evitando rachaduras maiores e quebras.
Segundo João Paulo Pinto, cirurgião-dentista especializado em Periodontia, a composição do esmalte dental é essencialmente inorgânica (97%). “Ela possui um arranjo de cristais de hidroxiapatita (feitos de cálcio e fósforo) e apresenta apenas 3% de matéria orgânica como água e outras proteínas”, diz o especialista.
E é exatamente essa predominância inorgânica que confere ao esmalte o título de substância mais resistente do corpo humano. E por que não são os ossos os mais resistentes? “Os ossos apresentam apenas 70% de compostos inorgânicos”, diz João.
Mas você deve estar se perguntando: se ele é tão resistente assim, como que o açúcar e algumas bactérias invisíveis podem danificá-lo tanto? João responde:
“Essa elevada resistência não o torna indestrutível, especialmente pelo fato de ele estar exposto a diferentes substâncias 24 horas por dia, o que não ocorre com os ossos. As bactérias da boca produzem ácidos, a partir da metabolização dos açúcares da dieta, que são capazes de desmineralizar o esmalte, gerando a cárie dental. Além disso, os componentes ácidos dos alimentos que ingerimos também são capazes de causar perda do esmalte (erosão ácida)”, diz o especialista.
Resistência aeronáutica
Para os cientistas da revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences, essa explicação de João é válida, mas ainda não explica como o dente resiste a tanta pressão, afinal, ao mastigarmos exercemos uma força de mais de 10 quilos sobre os alimentos.
No estudo, os pesquisadores fizeram testes em dentes extraídos de pacientes para desvendar esse mistério. Para eles, o segredo estava na forma como as moléculas do esmalte dental se organizam. E eles estavam certos.
O resultado mostrou que os dentes são feitos de um material que reage muito bem a grandes pressões, pois suas fibras não são dispostas na forma de uma rede, como nos materiais de fibra de carbono (usados em aviões modernos), elas são encontradas em forma de ondas. Mas o que isso quer dizer?
Bem, segundo os cientistas, isso quer dizer que quando submetido a grandes pressões, esse formato ondulado espalha a força toda (que eles chamam de estresse) de forma aleatória criando microfissuras que absorvem a pressão em conjunto, evitando rachaduras maiores e quebras.
E não para por aí. O dente ainda tem uma vantagem adicional: ele é capaz de se recuperar das microfissuras. Com todas essas informações, os cientistas poderão pensar em novos materiais (mais resistentes e leves) para a estrutura de aviões e automóveis.
Mantê-los resistentes
O melhor é que nós podemos adotar algumas práticas para deixar nossos dentes ainda mais resistentes. “O uso de pastas de dente com flúor é importantíssimo, pois os fluoretos são capazes de formar uma proteção (fluoreto de cálcio) conferindo maior resistência ao esmalte contra o desafio bacteriano”, diz João.
Outro componente importantíssimo para manutenção do esmalte dental é a saliva. Esse líquido pode ser considerado um verdadeiro "medicamento natural" da boca. “A saliva é capaz de neutralizar os ácidos produzidos pelas bactérias, impedindo a desmineralização do esmalte”, diz o especialista.
Cuidar da dieta também pode ajudar. É recomendado diminuir a ingestão de doces, alimentos ácidos como refrigerantes, isotônicos e até frutas cítricas para prevenir a erosão dental.

Paes minimiza riscos na segurança da Olimpíada após ataque na França

Prefeito do Rio diz que o tema, junto com mobilidade urbana, é questão prioritária

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, minimizou o risco de uma ação terrorista durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, um dia após o atentado na cidade de Nice (FRA), na última quinta-feira.
Ele se reuniu nesta sexta-feira por cerca de cinco horas na cidade com secretários, profissionais da área de segurança e o presidente do Comitê Rio-2016, Carlos Arthur Nuzman, para tratar da operação dos Jogos. O encontro que já estava previsto antes do incidente.
Na saída, Paes preferiu não entrar em detalhes sobre o que mudará no plano de combate ao terror, mas mostrou confiança.
- Esta é uma das poucas áreas que eu não tenho interferência nenhuma. Tenho plena confiança nas forças de segurança. Estão há anos se preparando para este evento, e tenho certeza de que a cidade estará muito segura. Não tem foco especial (em segurança). Mas junto com mobilidade, diria que é a principal questão - afirmou Paes.
O prefeito afirmou que o encontro serviu para tratar de detalhes, como asçõs para evitar o fluxo de veículos intenso nas vias em caso de acidente durante os Jogos.
- Se você tem um acidente entre carros dos militares, duas motos da Polícia Rodoviárias Federal, a lei proíbe que aquele policial acidentado saia sem chegar a perícia. Mas temos a preocupação grande com acidentes e que se trave o trânsito porque a perícia não chegou. Todo mundo está apresentando seu plano - afirmou.
No mesmo dia, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, havia dito que a segurança do Brasil para os Jogos será revisada após a tragédia na França.

Audiências no Senado Federal em agosto vão abordar temas como serviços, tarifas e aviação experimental

Debates giram em torno da votação do Anteprojeto do novo Código Brasileiro de Aeronáutica. Emendas poderão ser apresentadas até 25 de agosto

No próximo dia 2 de agosto, acontece a reunião da comissão que vai analisar o anteprojeto do Novo Código Brasileiro de Aeronáutica, presidida pelo senador Vicentinho Alves (PR-TO). Depois disso, começam as audiências para debater os temas e formalizar novas emendas. A votação deverá ser na primeira quinzena de setembro. Para o presidente da comissão, a participação de todos os segmentos da indústria da aviação e da sociedade é fundamental para que o código seja efetivo. "Esta comissão vai trabalhar no texto que representa o marco regulatório da aviação nacional", complementou. 
Elaborado com a contribuição de vários segmentos, incluindo o de ground handling, o documento contém 374 artigos e foi produzido por um grupo de especialistas ao longo dos últimos 12 meses. O atual código brasileiro de aeronáutica é de 1986, anterior até mesmo ao Código de Defesa do Consumidor e à criação da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil).
Para Ricardo Aparecido Miguel, presidente da Abesata (Associação Brasileira das Empresas de Serviços Auxiliadores de Transporte Aéreo), o debate será fundamental, como disse o presidente Vicentinho, mesmo porque existem temas urgentes, polêmicos e que afetam os interesses de muitos envolvidos.
O presidente da Abesata quer a presença ainda maior da ANAC nos processos de certificação, homologação ou autorização de todos os elos do sistema de aviação.
Entre as mudanças sugeridas no anteprojeto estão a desburocratização das atividades aeroportuárias e a adoção de um novo modelo de tarifas aeroportuárias estão contemplados. Além disso, uma maior eficiência nos processos de licenciamento e certificação de aeronaves, a regulamentação do uso de drones, maior apoio a familiares de vítimas de acidentes aéreos, a vedação da prática de balonismo com a utilização de balões sem dirigibilidade, punição rigorosa aos passageiros que não respeitem regras de conduta nos aviões e o fim da indenização por cancelamento ou atraso de voos quando provocados por motivos de força maior (como condições climáticas, por exemplo), também foram sugeridas.
Uma das principais mudanças propostas pelo novo Código é o fim de restrições à participação de capital estrangeiro em companhias aéreas brasileiras de transporte de carga e de passageiros. O anteprojeto propõe a extinção do atual limite de 20% de participação externa em empresas de aviação do Brasil.
AGÊNCIA BRASIL


Anac vai intensificar procedimentos de segurança em aeroportos


Sabrina Craide

A partir da próxima segunda-feira (18), a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) vai reforçar os procedimentos de inspeção nos aeroportos do país, como a verificação de bagagens e a revista de passageiros para acesso ás áreas de embarque, pista e aeronaves. “É muito importante que os passageiros contribuam para que o embarque ocorra de forma eficiente e segura”, diz a Anac.
Além da passagem pelo pórtico que identifica possíveis objetos proibidos, os passageiros poderão ser sujeitos a passagem pelo scanner corporal ou revista física aleatória. Neste caso, o passageiro poderá ser revistado por um agente de proteção da aviação civil do mesmo sexo, independentemente do disparo do alarme do equipamento de raio X.
A revista poderá ocorrer em local público ou reservado, a critério do passageiro e dos agentes, e com presença de testemunha. Se o passageiro se recusar a ser submetido à revista física, poderá ser proibido de entrar na área de embarque.
A retirada de computador portátil e de outros dispositivos eletrônicos do interior de malas e mochilas transportadas na bagagem de mão será obrigatória na passagem pelo raio X para voos domésticos.
Atualmente, a medida é adotada para voos internacionais. A Anac explica que a presença do notebook dificulta a visualização dos demais itens no interior da bagagem durante a inspeção pelo equipamento de raios X.
A inspeção manual aleatória de pertences de mão no momento da passagem pelo equipamento de raios X também poderá ser solicitada. Nesse caso, os passageiros deverão abrir a bagagens de mão para inspeção pelos agentes. Se o passageiro se recusar a abrir a bagagem de mão, poderá ser impedido de entrar na área de embarque.
Segundo a Anac, o reforço nos procedimentos de segurança não está ligado aos Jogos Olímpicos ou a qualquer outro fator externo. “As medidas estão sendo adotadas em função da atualização normativa sobre a segurança da aviação civil contra atos de interferência ilícita, necessária para a melhoria contínua da segurança do transporte aéreo a todos os passageiros”, explica a agência.

Tropas da FAB e da Marinha chegam ao Rio para reforçar segurança na Olimpíada


Marcelo Brandão

Mais de 200 militares da Força Aérea Brasileira (FAB) e da Marinha do Brasil viajaram ao Rio de Janeiro na tarde de hoje (15) para reforçar as forças de segurança durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro. O ministro da Defesa, Raul Jungmann, acompanhou os militares na viagem.
O avião foi lotado de militares de batalhões de Manaus, Belém, Brasília e Porto Velho. Eles embarcaram devidamente equipados para atuar na capital fluminense, que será o centro das atenções do mundo nos próximos dois meses, em função da Olimpíada, realizada pela primeira vez em uma cidade sul-americana.
Natural do Ceará, o sargento Francisco de Souza Chagas, que serve atualmente na Base Aérea de Porto Velho, chega ao Rio de Janeiro com experiência em eventos internacionais na bagagem, ambos em Fortaleza. “Já participei do encontro do Brics [grupo de países formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul] lá em Fortaleza, que foi um evento grande. A Copa do Mundo também. Olimpíada é um evento novo, mas tenho uma bagagem boa em eventos de grande porte.”
Chagas disse que todas as tropas deslocadas ao Rio de Janeiro passaram por um treinamento específico e não demonstrou preocupação com a possibilidade de atentados durante os Jogos Olímpicos. “Aqui no Brasil nunca teve essa situação. Caso ocorra, mas creio que não vá ocorrer, temos o pessoal preparado. Acredito que será um evento tranquilo. Estamos aqui para garantir a lei e a ordem, para que o evento tenha sucesso e para que os atletas, turistas e a população do Rio de Janeiro fiquem seguros.”
Transportadas por um Boeing 767 da FAB, as tropas chegaram à Base Aérea do Galeão, pouco antes das 15h, onde outros grupos de militares aguardavam, em forma, a chegada do ministro da Defesa, para saudá-lo. “Quero dizer que nosso adestramento nos trazem ao dia de hoje, e aos próximos, absolutamente preparados e treinados para exercer as funções de defesa nos Jogos de 2016. A tarefa é assegurar que os Jogos Olímpicos transcorram na mais absoluta tranquilidade e segurança”, disse Jungmann aos militares.
Defesa química
Em seguida, o ministro mostrou aos jornalistas a aeronave de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear. O C-105 Amazonas será usado para transporte de eventuais vítimas de contaminação química. Em caso de ameaça química, biológica, radiológica ou nuclear, o C-105 Amazonas fará a evacuação do local. Segundo a FAB, será montada uma estrutura para descontaminação de possíveis pacientes, e algumas aeronaves estão prontas para transportá-las com segurança, seguindo os protocolos internacionais exigidos.
No próximo dia 24, as Forças Armadas e as demais forças de segurança, como a Polícia Militar e a Força Nacional, vão assumir oficialmente a segurança do Rio de Janeiro para os Jogos Olímpicos Rio 2016.

Brasil terá 142 atletas militares no Rio, 30% entre os 428 que irão à Olimpíada


Akemi Nitahara

Entre os 428 atletas confirmados que vão representar o Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, de 5 a 21 de agosto próximo, 142 são militares. A informação foi divulgada hoje (15) pela Marinha, durante apresentação do Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (Cefan), que será usado como centro oficial de treinamento para equipes estrangeiras pelo Comitê Organizador Rio 2016.
De acordo com o presidente da Comissão de Desportos da Marinha, contra-almirante Carlos Chagas Vianna Braga, as Forças Armadas começaram a investir no Programa Olímpico de atletas de alto rendimento em 2011, quando o Brasil recebeu a quinta edição dos Jogos Mundiais Militares e terminou em primeiro lugar no quadro de medalhas.
“As expectativas [para a Rio 2016] são as melhores possíveis para o resultado, em termos de atletas militares. Temos hoje 142 atletas militares já selecionados, com vaga garantida. Desses, 55 são da Marinha do Brasil. O resultado é muito bom e reflete o acerto do Programa Olímpico da Marinha, que é contribuir para transformar o Brasil em uma potência olímpica”.

O contra-almirante lembra que os militares conquistaram cinco medalhas nos jogos de Londres, em 2012, sendo duas de atletas da Marinha. No ano passado, os atletas militares representaram 22,5% da delegação brasileira nos Jogos Pan-Americanos de Toronto e foram responsáveis por metade das medalhas. Também em 2015, o país conquistou a segunda posição nos Jogos Mundiais Militares da Coreia.
Entre os destaques, Chagas cita a equipe de judô, que é inteiramente formada por atletas militares, sendo a feminina da Marinha e a masculina do Exército, além da equipe de revezamento 4x100m feminina de atletismo, nadadores e velejadores.
O secretário Nacional de Esporte de Alto Rendimento do Ministério do Esporte, Luiz Lima, diz que, para muitos, o número de atletas militares pode surpreender: “Pouco mais de 25% dos atletas que estarão nos Jogos Olímpicos Rio 2016 são militares, seja da Marinha, da Aeronáutica ou do Exército” e a contribuição dos militares também é muito importante com equipamentos, locais de treinamento e pessoal especializado na preparação dos atletas.
A Marinha conta atualmente com 210 atletas de alto rendimento, além de 21 mil crianças e adolescentes que participam do programa de base em todo o país. A levantadora de peso Jaqueline Ferreira, de 29 anos, é uma das que vão representar o país na Olimpíada. Há quatro anos na Marinha, ela é terceiro sargento e explica que entrou para a corporação por meio de um edital de seleção.
“A Marinha abriu um edital e deu essa oportunidade para os atletas de levantamento de peso. Fiz a inscrição e fui chamada. A vantagem é a tranquilidade financeira, diz ela, para treinar exclusivamente, e o respeito em si à modalidade. Por isso, diz que é muito importante estar num quadro de atletas das Forças Armadas, porque o esporte acaba sendo mais valorizado. Para os jogos, a expectativa de Jaqueline é bater os recordes brasileiros e ficar entre as oito melhores
A nadadora Nathalia Almeida, 19 anos, terminou o curso de treinamento militar da Marinha no começo do ano, mas não foi classificada para a Olimpíada. Ela diz que o apoio das Forças Armadas tem sido fundamental para os atletas e que é uma honra representar o Brasil em competições como militar: “Eles [Forças Armadas] nos dão bastante apoio, qualquer problema que tiver posso vir treinar aqui, onde tem fisioterapia, psicologia, nutrição, posso usar todo o suporte. Fora que é uma honra para o atleta poder ser militar e representar o Brasil dessa forma também”.
Entre os atletas militares que vão representar o Brasil nos jogos estão a campeã olímpica de judô Sarah Menezes, a saltadora Juliana Veloso, as nadadoras Joanna Maranhão e Etiene Medeiros, Yane Marques, do pentatlo moderno, Martine Grael da Vela, Keila Costa, do salto em distância, Poliana Okimoto, da maratona aquática, Robson Conceição, do boxe, e as duplas de vôlei de praia Ágatha e Bárbara e Alison e Bruno Schmidt.

Pousos simultâneos serão novamente liberados no aeroporto de Brasília


Sabrina Craide

Depois de quatro meses de suspensão, o Aeroporto de Brasília voltará a realizar operações simultâneas de pouso na próxima segunda-feira (18). As decolagens simultâneas poderão voltar a ser realizadas em agosto.
Em março deste ano, as operações simultâneas foram suspensas depois do registro de dois incidentes, quando aeronaves quase colidiram no terminal. Após estudar os relatos dos voos, o Primeiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta I) refez todas as análises de risco necessárias para retomar as operações de pousos e decolagens simultâneos.
Os controladores de tráfego aéreo passaram por uma reciclagem, com treinamentos em simuladores. Foram também divulgadas informações aeronáuticas aos pilotos e operadores, redesenho e publicação das cartas de pousos e decolagens do aeroporto.
Segundo a Aeronáutica, o aeroporto de Brasília é o único do país que tem pistas paralelas com uma distância segura para realizar pousos ou decolagens simultâneas independentes. Atualmente, o aeroporto tem capacidade para realizar 62 decolagens por hora na capital federal, e a operação independente permite ampliar a capacidade para até 80 decolagens por hora.

Marinha entrega centro de treinamento que será usado por delegações estrangeiras


Akemi Nitahara

A Marinha entregou hoje (15) as instalações que serão usadas por delegações estrangeiras como sede de treinamento para a Olimpíada. O Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (Cefan), na Penha, zona norte do Rio, passou por obras com recursos do Ministério do Esporte.
Foram investidos R$ 19 milhões na construção de dois campos de futebol e um prédio de apoio, calçamento das vias de acesso, acessibilidade e reforma no tanque de saltos, no vestiário, na piscina e no ginásio poliesportivo.
Além do centro de treinamento, a Marinha comprou 90 embarcações que serão utilizadas na logística dos Jogos Olímpicos, como transporte de árbitros, imprensa e organizadores nas competições aquáticas.
Usain Bolt
De acordo com o presidente da Comissão de Desportos da Marinha, contra-almirante Carlos Chagas Vianna Braga, o Comitê Olímpico Rio 2016 será o responsável pela organização das equipes que treinarão no local a partir do dia 24 deste mês. A Marinha também fez acordos diretamente com algumas delegações para receber no local as equipes de boxe de Cuba; atletismo, boxe, taekwondô e lutas associadas de Porto Rico; futebol feminino da Nova Zelândia; basquete paralímpico do Canadá; e o atletismo da Jamaica, inclusive o campeão olímpico e recordista mundial Usain Bolt.

“É sempre uma grande expectativa, um corredor com as características dele, que é um grande ídolo. Além de tudo representa uma chance de aquisição de conhecimento para os nossos técnicos e para os nossos atletas, de uma fonte de inspiração para todas essas crianças do nosso projeto de base que estão por aí. Quem não gostaria de conviver com um atleta que está no topo do mundo inteiro de atletismo?”, disse o contra-almirante.
O secretário Nacional de Esporte de Alto Rendimento do ministério, o nadador Luiz Lima, disse que o Cefan já é uma referência para a educação física no país e, após a Rio 2016, será um grande legado para o desenvolvimento esportivo brasileiro.
“Quando a gente investe nas Forças Armadas não é um investimento exclusivo nos militares não. Hoje, tanto Marinha, Aeronáutica como Exército tem suas instalações abertas para o desenvolvimento do esporte nacional.”
Na apresentação das instalações houve demonstração de salto, revezamento de natação uma partida de futebol feminino entre a seleção brasileira sub-17 e a seleção militar. Quem deu o pontapé inaugural do campo foi o ex-jogador Zico, que disse que a expectativa para a Olimpíada é a “melhor possível”, mas que os brasileiros devem deixar o “pessimismo” de lado para “usufruir da competição, da festa, dos grandes nomes do esporte” que estarão no Rio.

Exército anuncia tomada de poder na Turquia


Ansa Brasil

O Estado-Maior do Exército da Turquia anunciou nesta sexta-feira (15) que tomou o controle do país em um golpe contra o primeiro-ministro Binali Yildirim e o presidente Recep Tayyip Erdogan.
"Para recuperar nossos direitos humanos, constitucionais e democráticos, estamos oficialmente assumindo o controle do país", diz uma declaração da ala das Forças Armadas responsável pela revolta.
Por volta das 22h, tiros foram ouvidos em Ancara, capital do país, onde caças faziam voos rasantes e helicópteros militares tomavam os céus. Em seguida, foram fechadas as duas pontes sobre o estreito de Bósforo, em Istambul, no sentido Ásia-Europa - no caminho inverso, o tráfego seguiu fluindo.
Logo depois foi bloqueado o acesso às redes sociais e militares invadiram a sede da TV estatal. Além disso, tanques se dirigiram ao Aeroporto Internacional de Ataturk, em Istambul, o mais movimentado do país.
"Os autores [do golpe] pagarão o preço mais alto", garantiu Binali Yildirim, que ainda prometeu usar "força contra a força". Nos últimos meses, o presidente Erdogan vinha sendo acusado de promover um governo autoritário no país, atingindo até alguns de seus antigos aliados.
Além disso, o país convive com a ameaça do terrorismo do Estado Islâmico e de grupos separatistas curdos. O partido AKP, fundado por Erdogan, é acusado de interferir na Justiça para abafar casos de corrupção e de censurar a imprensa. Para isso, fechou jornais opositores e afastou juízes tidos como "adversários".
Erdogan foi primeiro-ministro até 2014, mas no fim de seu mandato foi eleito presidente, mantendo o poder em suas mãos, apesar de a Turquia ser parlamentarista. Nos últimos meses, vinha tentando emplacar uma mudança para o regime presidencialista, o que lhe deria ainda mais força. Segundo a emissora "CNN", apesar do golpe, ele se encontra a salvo.
JORNAL ZERO HORA


Atentado em Nice causa auditoria em medidas de segurança dos Jogos Olímpicos

Serviços de inteligência checam dados de 400 mil pessoas e se reúnem para detectar pontos falhos no aparato antiterrorismo das cidades que vão receber atletas na Olimpíada

Humberto Trezzi

Desde o início de julho, 400 mil pessoas que estarão no Brasil durante os Jogos Olímpicos tiveram seus antecedentes checados pelos serviços de segurança brasileiros. O rastreamento, reforçado nesta sexta-feira, é um trabalho conjunto para prevenir atentados, feito pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin), pela Polícia Federal (PF) e pelas polícias Civil e Militar dos Estados onde ficarão hospedadas delegações. Eles fazem parte do recém-criado Centro Integrado Antiterrorismo — sediado em Brasília e o primeiro desse tipo em Jogos Olímpicos, segundo o governo —, que conta com a presença de agentes de diversos países, entre eles Estados Unidos, Rússia, Israel e França.
A preocupação com terrorismo cresceu diante de dois fatos. O primeiro em maio, quando o chefe da Direção de Inteligência Militar (DRM) da França, general Christophe Gomart, revelou que o grupo extremista Estado Islâmico (EI) poderia estar planejando um atentado contra a delegação olímpica francesa. A informação aparece na transcrição de um depoimento dele, durante audiência no dia 26 de maio na comissão parlamentar francesa de luta contra o terrorismo (que investiga os atentados de 2015), mas só foi revelada esta semana.
O segundo alerta foi despertado pelo atentado de quinta-feira em Nice. A Abin nega ter recebido da França aviso sobre possível atentado terrorista, mas a negativa pode ser apenas tentativa de conter o pânico que esse tipo de anúncio causa. É difícil que o governo brasileiro não saiba do alerta feito pela DRM, já que o entrosamento com os franceses é bom. Tanto que em novembro a PF enviou dois agentes a Paris. Um deles se tornou adido da embaixada na França. O objetivo é coleta de dados sobre possíveis ameaças à Olimpíada. Um agente da Abin também foi enviado, esta semana, a Nice para coletar informações sobre o atentado.
O Comitê Olímpico Internacional (COI) ressalta que a segurança começou a ser reforçada em 5 de julho, com 85 mil pessoas para garantir proteção nas ruas do Rio de Janeiro durante os Jogos (aí incluídas tropas da Força Nacional de Segurança). Para proteger visitantes de qualquer ameaça, os serviços de segurança têm realizado verificação dos antecedentes de todos envolvidos na Olimpíada. "No total, os antecedentes de cerca de 400 mil pessoas foram avaliados, incluindo voluntários, jornalistas e dirigentes", revelou o COI há poucos dias, em nota oficial. A triagem inclui funcionários, de várias nacionalidades, que vão atuar em todos os pontos onde ocorrerão jogos. Parte das informações foi recebida de serviços policiais estrangeiros.
A Abin produziu até o momento 61 relatórios de análise de risco sobre a Olimpíada, que são mantidos em sigilo.
Fontes da Abin confirmam a Zero Hora que será feito reforço de segurança para as delegações-alvo, como é o caso da francesa, que terá atletas inclusive em Porto Alegre. Além dos 85 mil policiais e militares brasileiros, outros 250 policiais estrangeiros (de 55 países) vão compor a segurança dos jogos. Entre eles, membros dos serviços de inteligência de Bélgica, França e EUA. Isso porque foi em Bruxelas, Paris e Estados Unidos que os últimos ataques terroristas importantes ocorreram.
A segurança própria (feita por agentes dos países que competem nos jogos) só é permitida para chefes de Estado. Os policiais franceses, americanos e israelenses, para ficar nos mais visados, têm inclusive direito de usar armas, desde que para proteção dos governantes de seus países. Já os atletas não gozam de proteção especial de seus conterrâneos. A segurança deles será feita, a partir do dia 24, pela PF. O efetivo designado para Porto Alegre não foi informado. As polícias militares farão o patrulhamento de vias e também o rastreamento de prédios onde ocorrerão treinos e disputas atléticas.
A PF não revela quantos policiais federais terá em cada cidade onde ficam hospedados atletas olímpicos, mas no Rio serão 4,5 mil durante a Olimpíada. Isso é sete vezes mais que os 700 usuais. Fica também no Rio o Cise (Centro de Inteligência dos Serviços Estrangeiros), que reúne representantes de cerca de 100 serviços de inteligência de outros países.
A rede de proteção antiterrorista feita para a Olimpíada está a cargo de um gaúcho, o delegado da PF Andrei Rodrigues. Ele é o secretário de Segurança para Grandes Eventos. Outro gaúcho, o também delegado federal Luciano Flores de Lima, é coordenador do Centro de Cooperação Policial Internacional, cuja função é justamente entrosar a PF no rastreamento internacional de possíveis ameaças contra os Jogos Olímpicos, a partir de informes de policiais do mundo inteiro.

REVISTA EXAME


Embraer abre inscrições do seu programa para engenheiros


Germano Lüders

Engenheiros recém-formados que estejam interessados em desenvolver aviões já podem se inscrever no Programa de Especialização em Engenharia (PEE) da Embraer. Em parceria com o ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), o programa é um mestrado profissional em engenharia aeronáutica, reconhecido pela CAPES/MEC e a turma de 2017 recebe inscrições até 31 de agosto e o curso começa no dia 6 de fevereiro do ano que vem.
Os alunos farão o curso, em regime de dedicação integral das 7h30 às 17h, nas dependências da Embraer em São José dos Campos (SP) e terão aulas com profissionais da Embraer e consultores contratados. Lançado em 2001, o PEE já formou 1,4 mil engenheiros.
Podem participar do processo seletivo engenheiros com formados entre 2014 e 2016 nas áreas aeronáutica, civil, computação, elétrica, eletrônica, mecânica, mecatrônica, materiais, naval, produção. Inglês avançado é um requisito. A bolsa oferecida, segundo a Embraer, é compatível com bolsas de mestrado do mercado. No site da Embraer há um documento com mais informações sobre o programa e seu processo seletivo.
Serviço
Programa de Especialização em Engenharia (PEE) da Embraer
Inscrições: até 31 de agosto pelo site da EMBRAER
OUTRAS MÍDIAS


YAHOO! ESPORTES


Neymar conhece instalações da Força Aérea Brasileira e manda recado aos atletas olímpicos

ImagemCom a Olimpíada batendo à porta - a disputa do futebol começa em 4 de agosto -, o craque Neymar visitou a Academia da Força Aérea (AFA), Pirassununga (SP), na quinta-feira (14) passada, durante a NAVAMAER, competição interna entre as Academias Militares. O camisa 10 da Seleção, que buscará o ouro inédito nos jogos do Rio, desejou boa sorte aos militares que também integrarão a delegação olímpica brasileira.
"Fala, meus atletas do Brasil inteiro, os militares, os que não são também, os que vão estar nas Olimpíadas, desejo toda a sorte, todo o sucesso do mundo para vocês, que vocês treinem, se esforcem, que, se Deus quiser, vai dar tudo certo e nós vamos trazer muitas medalhas para o Brasil", declarou Neymar.
O astro do Barça também conheceu a Esquadrilha da Fumaça e os aviões presentes na AFA. “Esse avião atinge qual velocidade?”, perguntou sobre o A-29, que chega a quase 600 km/h.
A Seleção figura no Grupo A dos Jogos, junto de África do Sul (duelo dia 04 de agosto) Iraque (07) e Dinamarca (10).

MUNDO DEPORTIVO (ESPANHA)


Julio Collado

Neymar visita las Fuerzas Aéreas

El brasileño aprovecha sus vacaciones para saludar a la Esquadrilha da Fumaça, un grupo de exhibición aérea.
Neymar ha aprovechado sus vacaciones en Brasil para visitar la Esquadrilha da Fumaça, un grupo de exhibición aérea de la Fuerza Aérea Brasileña en Pirassununga (Sao Paulo). El jugador del Barça fue el encargado de honorar la 50ª edición de Navamaer, una competición entre las escuelas de formación de oficiales, haciendo un pequeño discurso sobre los valores que se deben fomentar con el deporte a los jóvenes.
Posteriormente, se acercó al gimnasio dónde pudo saludar personalmente y animar a los participantes del Navamaer, que se mostraron encantados con la visita del futbolista para darles ánimo. Acompañado de su padre, Neymar recibió aviones en miniatura, firmó autógrafos y tuvo el privilegio de subirse a un avión A-29 Super Tucano al lado del comandante de la escuadrilla del aire.
Además, a menos de un mes para los Juegos Olímpicos de Río, el capitán de la selección brasileña de fútbol aprovechó para apoyar a los atletas que como él representarán a Brasil y a los que deseó todo el éxito del mundo y animó a entrenarse y esforzarse para llevar muchas medallas a Brasil.
Neymar apura sus últimos días de vacaciones y el próximo lunes se concentrará en la sede de la Confederação Brasileira de Futebol, a 99 kilómetros de Río de Janeiro, para preparar los Juegos Olímpicos donde debutarán el 4 de agosto ante Sudáfrica.

PORTAL METRÓPOLES (DF)


Nas Olimpíadas, DF terá reforço de 4,5 mil agentes de segurança

Efetivo vai atuar exclusivamente nas áreas de treinamento, pontos turísticos, no Mané Garrincha e na movimentação dos atletas. Forças garantem que estão preparadas para eventuais ameaças de atentados terroristas
O Distrito Federal terá o reforço de 4,5 mil agentes de segurança nas Olimpíadas. O esquema especial começa no próximo domingo (24/7), quando a primeira delegação, a de futebol do Iraque, desembarca na capital do país. O anúncio foi feito nesta sexta-feira (15). Quanto a ameaças de ataques terroristas, as forças garantem estar preparadas para garantir a paz a quem estiver em Brasília.
O contingente extra terá como prioridade os centros de treinamento, estádio e hotéis usados pelas delegações, além dos pontos turísticos, já que a previsão é de que até 300 mil visitantes venham ao DF durante os jogos. “Serão 44 agências envolvidas. O intuito é repetir o sucesso obtido durante as copas das Confederações e do Mundo, quando Brasília foi considerada a cidade mais segura”, afirmou o coordenador da comissão distrital de segurança para os jogos olímpicos, coronel Paulo Roberto Batista de Oliveira. Durante a Copa, cerca de 11 mil agentes estiveram no DF.
Para garantir a tranquilidade nas 10 partidas de futebol realizadas entre os dias 4 e 13 de agosto, no Mané Garrincha, as forças devem reforçar operações na cidade, inclusive com bloqueios de trânsito. Além desse efetivo, o contingente destinado ao policiamento ostensivo e preventivo será mantido, bem como aquele destinado a operações de rotina, como blitz de trânsito. Entre os pontos turísticos, terão reforço a Torre de TV, a Catedral e a Esplanada dos Ministérios, locais mais procurados durante a Copa.
Quanto à preocupação com atos terroristas, Oliveira considera que a cidade estará preparada: “O protocolo conta com 25 situações de terrorismo, incluindo casos semelhantes ao ocorrido em Nice, na França, na quinta (14). As forças de segurança garantirão a paz dos torcedores e atletas”.
Impeachment e cassação
A secretária de Segurança Pública e Paz Social, Márcia de Alencar (foto de destaque), ressaltou que, além dos jogos, a época será marcada por decisões políticas, uma vez que está prevista a votação, no Senado, do pedido de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff (PT), e da cassação do mandato do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). “Estaremos preparados para lidar com as partidas e votações no Congresso que acontecerão simultaneamente”.
Entre os protocolos de segurança assinados nesta sexta, três receberam atenção especial: a área interna e o entorno do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, a região do hotel oficial das delegações e os quatro centros de treinamento que atenderão as seleções (Cave, Bezerrão, Centro de Capacitação Física dos Bombeiros e Abadião).
“A divisão de responsabilidades está muito clara, e todos sabem o que cada um tem de fazer.” Para utilizar os recursos e a capacidade de resposta das forças de segurança da melhor forma possível, foram identificados quais serão os principais impactos em diferentes áreas da cidade e traçou-se um planejamento conjunto da operação.
O coronel explica ainda que a organização considera as necessidades dos turistas e torcedores, mas também dos moradores. “Todo o planejamento tem o foco de trazer um ambiente de segurança, tranquilidade e paz para que tudo ocorra sem transtornos e cause o menor impacto possível na rotina da população.”

PORTAL DEFESA E SEGURANÇA (RJ)


RIO2016

Veja as 4 aeronaves que vão defender as Olimpíadas 

A Força Aérea Brasileira (FAB) já apresentou os modelos responsáveis pelas interceptações das aeronaves que invadirem o espaço aéreo restrito durante os Jogos Olímpicos. Veja quais são os quatro modelos usados:
F-5EM TIGER
Caça tático de defesa aérea e ataque ao solo, construído e desenvolvido nos Estados Unidos. Na FAB, ele é usado desde 1975. Em 2013, 46 aeronaves foram modernizadas pela FAB.
A-29 SUPER TUCANO
Aeronave turboélice de ataque leve e treinamento avançado. As aeronaves podem ser armadas com metralhadoras e carregar até 1.550 quilos de armas. A plataforma do avião foi projetada para proporcionar uma vida útil em potencial de 18 mil horas para missões típicas de treinamento, ou 12 mil horas em ambientes operacionais, dependendo das cargas de missão e da utilização.
AH-2 SABRE
Os AH-2 Sabre são os primeiros helicópteros de combate em operação nas Forças Armadas brasileiras e começaram a ser utilizados em 2009. Cada AH-2 conta com um canhão de 23 mm capaz de disparar até três mil tiros em um minuto. Cada tiro de 23mm causa o mesmo impacto de quase 100 tiros de uma arma calibre 7,62mm, como os fuzis utilizados por tropas no solo. Com peso de 12 toneladas, os helicópteros têm blindagens em partes essenciais, como no tanque de combustível. A cabine dos pilotos, além de blindada, também é vedada para o caso de contaminação química ou biológica. Atuam em missões de defesa aérea, ataque, escolta, supressão de defesa aérea inimiga, varredura e apoio aproximado.
H-60 BLACK HAWK
Helicóptero médio bimotor de transporte utilitário e assalto. O UH-60L tem duas turbinas cuja potencia maxima atinge 1940 Hp cada que permitem voar a uma velocidade máxima que supera 300 km/h. Possui quatro tanques de combustivel externos. O Black Hawk pode transportar 11 soldados totalmente equipados ou 6 macas para evacuação aéromedica.

JORNAL DE FLORIPA (SC)


Tropas treinadas contra terrorismo chegam ao Rio para Olimpíada

Tropas das Forças Armadas desembarcaram nesta sexta-feira (15) na Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro, para atuar no esquema de segurança da Olimpíada.
O voo desta sexta reuniu cerca de 200 militares da Força Aérea e da Marinha em Roraima, Amazonas e Pará e foi o primeiro no novo Boeing 767 comprado para o transporte de tropas.
Os militares saíram de Brasília no início da tarde em um voo da FAB para integrar um contingente de 22,8 mil membros das Forças Armadas que atuarão na sede olímpica a partir do dia 24. Eles vão se juntar a soldados do Rio, Mato Grosso, Pará e Amazonas, que chegaram ao Rio de Janeiro durante a semana.
Além das ações de defesa nacional e monitoramento de portos e aeroportos, cerca de 3 mil militares vão atuar em situações de rua similares ao trabalho realizado pelas polícias Civil e Militar. As tropas da Marinha, do Exército e da Aeronáutica receberam mais de cem horas de instruções e treinamento específico nos últimos meses para enfrentar situações extremas, como terrorismo ou ataque biológico.
As tropas permanecem no Rio até o encerramento da Paralimpíada, que ocorre após os Jogos Olimpícos. O ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou durante o voo acompanhado pelo G1 a convite da FAB que o Brasil enviará um emissário a Paris para acompanhar as investigações sobre o , na Riviera Francesa, nesta quinta-feira (14), que deixou ao menos 84 mortos. "Sabemos que eles não poderão nos passar algumas orientações, mas o que eles puderem será de grande ajuda", disse Jungmann. Mais cedo, antes de embarcar, Jungmann disse em entrevista à Globo News que depois do atentado na França. "Em resumo, isso nos preocupa e nós estamos revendo e ampliando os nossos controles, as nossas checagens, embora isso venha representar um desconforto a mais para aqueles que vão participar ou para aqueles que vao assistir as Olimpíadas, mas isso se faz necessário em nome da segurança de todos", disse o ministro da Defesa. Ele disse que está trocando informações com a área de inteligência da Segurança Institucional e também com o Ministério da Justiça para poder fazer uma readequação dos procedimentos e protocolos de defesa, de segurança e também inteligência, por causa do atentado.
Revisão de esquema de segurança
O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sérgio Etchegoyen, informou nesta sexta-feira (15) em entrevista no Palácio do Planalto que , em razão das mortes registradas nesta quinta (14) em Nice (França). Entre as medidas, explicou, estão mais “postos de controle, mais barreiras e restrições no trânsito”. “Desde aquele momento [mortes em Nice], o Ministério da Justiça, o Ministério da Defesa e o GSI estão trabalhando para garantir que continuemos no mesmo nível de segurança nos Jogos Olímpicos, e isso vai exigir revisões, novas providências e exige muito trabalho intenso daqui para frente para que possamos manter o nível de segurança”, disse Etchegoyen.

PORTAL FOLHA DIRIGIDA (RJ)


Área Militar: 360 vagas. 2º e 3º graus 

As três corporações que compõem as Forças Armadas recebem inscrições em um total de cinco concursos. São três seleções para o Exército, uma para a Marinha e uma para a Aeronáutica.
Das 360 vagas, 98 exigem ensino médio completo e são para o Instituto Militar de Engenharia (IME-RJ). As demais são para cargos que exigem ensino superior. Entre as áreas contempladas, estão as de Direito, Medicina, Medicina Veterinária, Odontologia e Engenharia.
Em quatro dos cinco concursos com inscrições abertas para as Forças Armadas, homens e mulheres podem concorrer. Um dos atrativos de participar é a remuneração bruta inicial após o curso de formação, que pode chegar a R$8.877 mensais.
Veja, abaixo, as principais informações sobre cada um dos concursos para Exército, Marinha e Aeronáutica, que estão com inscrições abertas:
IME-RJ recebe inscrições a partir desta segunda, 18
Na próxima segunda-feira, dia 18, o Exército brasileiro abrirá o período de inscrições para concurso de admissão no Instituto Militar de Engenharia (IME-RJ). Homens e mulheres, que tenham o ensino médio
completo ou condições de concluí-lo até a data da matrícula no curso, podem participar.
Ao todo, são ofertadas 98 vagas, sendo 75 para o quadro da ativa, destinado aos candidatos que desejam ingressar na carreira militar, e 23 para o quadro de reserva, neste caso, o candidato não fará parte dos quadros da corporação.
Os interessados em concorrer para o quadro da ativa, após o curso de formação de duração de quatro anos, realizado no próprio IME-RJ, que fica na Urca, zona sul do Rio, ingressam no posto de primeiro-tenente, cuja a remuneração bruta inicial é, atualmente, de R$8.887 mensais.
Já para o quadro da reserva, o aluno formado pelo IME-RJ é declarado aspirante a oficial da reserva, e não pode ser incorporado aos quadros do Exército. Ele pode atuar em qualquer empresa do ramo da Engenharia, assim como os demais formados na área, em outras universidades.
As inscrições deverão ser feitas no site do IME-RJ até o dia 26 de agosto. Como procedimento, o candidato deverá preencher o formulário e imprimir o boleto para pagamento da taxa no valor de R$100.
Inscritos no Cadastro Único (Cad-Único) e membros de família de baixa renda, nos termos da legislação vigente, podem solicitar a isenção desse valor. O pedido pode ser feito via Correios ou protocolado diretamente na Subdivisão de Concursos, até 29 de julho. A lista com os pedidos deferidos será divulgada no dia 5 de agosto.
A primeira etapa do processo seletivo será composta por um Exame Intelectual, com 40 questões, distribuídas entre as matérias de Física, Química e Matemática, no dia 12 de outubro. Quem for aprovado nesta fase ainda terá que fazer três provas discursivas de disciplinas específicas, mais duas de provas mistas e uma Redação. Além disso, o concurso ainda terá etapas de inspeção de saúde e exame de aptidão física.
Serviço
www.www.ime.eb.br/
Últimos dias para pedir isenção de taxa no concurso EsSEx 2017
Os interessados em solicitar a isenção do pagamento da taxa de inscrição do concurso para a Escola de Saúde do Exército (EsSEx) têm até esta sexta-feira, dia 15, para fazer o envio dos documentos, via SEDEX. Podem obter o benefício membros de família baixa renda, nos termos da legislação vigente, e inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais (Cad-Único).
Para ter chance de ser contemplados com a isenção, o candidato deve anexar ao requerimento, entre outros documentos, cópia do comprovante de rendimento e contas de consumo como: água, luz e gás. Os demais documentos podem ser consultados no site da EsSEx. A lista dos beneficiados será divulgada no dia 22 de julho.
O processo seletivo oferece um total de 120 vagas distribuídas entre as áreas de Medicina (110), Farmácia (4) e Odontologia (6). Após o curso de formação, ministrado na própria Escola de Saúde do Exército, localizada no bairro de Benfica, os classificados são nomeados 1º Tenente do Serviço de Saúde do Exército e recebem remuneração bruta inicial que, atualmente, é de R$8.877 mensais.
O concurso é destinado a candidatos de ambos os sexos com idade máxima de 36 anos completos até o dia 31 de dezembro de 2017. Além disso, para concorrer é preciso ser registrado no órgão fiscalizador da profissão e ter título de especialista.
O diploma de conclusão do curso de graduação da respectiva área só é exigido na matrícula. A lista completa de requisitos para participação e o quadro com a distribuição de vagas, dentro de cada área ofertada, podem ser consultados no edital, disponível na FOLHA DIRIGIDA Online.
As inscrições devem ser realizadas por meio de um requerimento disponível no site da EsSEx, até o dia 5 de agosto. O documento deve ser preenchido e enviado, via Sedex, para o Comandante da Escola de Saúde. Por fim, é preciso acessar o site do Tesouro da Fazenda, seguir as instruções nela contidas e imprimir a Guia de Recolhimento da União para pagamento da taxa de R$130.
O Exame Intelectual do concurso está previsto para ocorrer no dia 16 de outubro e será composto por uma prova com 20 questões de conhecimentos gerais, uma avaliação de conhecimentos específicos com 30 questões e mais 10 de Língua Estrangeira.
Os classificados na etapa inicial ainda terão que passar, em caráter eliminatório, por etapas de inspeção de saúde, teste de aptidão física, revisão médica e comprovação dos requisitos biográficos.
Serviço
www.essex.ensino.eb.br
Concurso EsFCEx 2017: 40 vagas em cinco áreas
Quem possui nível superior e deseja ingressar na carreira militar tem uma ótima oportunidade por meio do concurso de admissão ao curso de Formação de Oficiais em 2017, da Escola de Formação Complementar do Exército (EsFCEx 2017). O concurso oferece 40 vagas distribuídas entre as áreas de Direito (15), Ciências Contábeis (7), Enfermagem (6), Informática (10) e Veterinária (2).
Podem participar candidatos de ambos os sexos, com no máximo 36 anos até o dia 31 de dezembro. O candidato não precisa ter o diploma de graduação na área escolhida quando se inscrever. Mas, precisará enviá-lo, até 16 de novembro, com outros documentos, por conta da etapa de verificação documental preliminar. Outras exigências podem ser consultadas no edital disponível na FOLHA DIRIGIDA Online.
Um dos atrativos é a remuneração bruta inicial de R$8.877, caso concluam a formação com sucesso, que será realizado na própria EsFCEx, localizada na Bahia. A inscrição no processo seletivo deve ser feita por meio do site da EsFCEx até às 15h do dia 5 de agosto. O candidato deve preencher a ficha de inscrição e imprimir o boleto para pagamento da taxa no valor de R$120.
O Exame Intelectual, primeira etapa do processo seletivo, está marcado para o dia 18 de setembro. Na ocasião, os candidatos deverão responder questões objetivas de Língua Portuguesa, Conhecimentos Gerais, História do Brasil, Geografia do Brasil e Língua Estrangeira.
Quem conseguir classificação nesta etapa ainda terá que passar por pelas seguintes etapas, todas de caráter eliminatório: inspeção de saúde, teste físico, verificação documental e revisão médica e comprovação dos requisitos para a matrícula. A previsão é que o resultado final do concurso seja divulgado no dia 27 de março de 2017.
Serviço
http://www.esfcex.ensino.eb.br
Força Aérea Brasileira abre concurso com 58 vagas para médicos
A Força Aérea Brasileira recebe inscrições no concurso de admissão ao curso de Adaptação de Médicos da Aeronáutica (CAMAR), em 2017. O processo seletivo é destinado a candidatos de ambos os sexos, que não completem 36 anos até 31 de dezembro de 2017 e possuam, além do diploma de Medicina, título de especialista, reconhecido por órgão competente.
Podem concorrer candidatos de ambos os sexos. Ao todo, são oferecidas 58 vagas. Caso concluam o curso de formação, ministrado em Belo Horizonte, os classificados ingressam no posto de primeiro-tenente e receberão remuneração bruta inicial, que, atualmente, é de R$8.877,60.
As vagas são para as áreas de Anestesiologista (6), Anatomia Patológica (2), Cancerologia (1), Cardiologia (1), Cirurgia Geral (4), Clínica Médica (10), Ginecologia e Obstetrícia (6), Medicina Intensiva (2), Hemoterapia (1), Medicina da Família e Comunidade (7), Oftalmologia (3), Otorrinolaringologia (3), Ortopedia (1), Pediatria (1), Psiquiatria (7) e Radiologia (3).
Os interessados podem se inscrever até do dia 9 de agosto por meio do site da Força Aérea Brasileira. A taxa de participação é de R$120. Durante o prazo para inscrições, inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) e membros de família de baixa renda podem solicitar isenção do pagamento da taxa. O resultado dos pedidos deverá ser divulgado no dia 12 de agosto.
O processo seletivo será composto por provas escritas que abordarão questões de Língua Portuguesa e Conhecimentos Especializados, composta por assuntos relativos à especialidade a que concorre o candidato. Em caso de classificação nesta etapa, os candidatos passarão, em caráter eliminatório, por fases de inspeção de saúde, exame de aptidão psicológica, prova prático-oral, teste de condicionamento físico e por fim, validação documental.
Serviços
www.ciaar.com.br
www.fab.mil.br
Quadro Complementar da Marinha: remuneração inicial de R$8.055,45
A Marinha do Brasil está com inscrições abertas para o concurso de admissão aos Quadros Complementares de Apoio da corporação. Ao todo, são ofertadas 44 vagas, sendo 32 para área de oficiais fuzileiros navais e 12 para oficiais da armada. A remuneração bruta inicial, para os classificados, após o curso de formação, é de R$8.055,45 mensais.
As vagas são para trabalhar nos setores de Eletrônica, Máquinas, Sistemas de Armas e Educação Física. Todas as vagas exigem nível superior na profissão. A maior parte das oportunidades são para quem possui formação em Engenharia, no entanto, também há cargos para bacharelados em Educação Física e Ciências Náuticas. O quadro com a distribuição detalhada dos cargos oferecidos pelo concurso pode ser consultado no edital, disponível na FOLHA DIRIGIDA Online.
O processo seletivo é destinado a candidatos do sexo masculino com menos de 29 anos de idade no primeiro dia do mês de janeiro de 2017 e que possuam registro no órgão fiscalizador da profissão a que concorre. As inscrições ocorrem até o dia 29 de julho e são realizadas no site da Marinha ou, de forma presencial, em uma das organizações militares disponíveis para o procedimento.
O valor da taxa de inscrição é de R$70. Durante o prazo, inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) e membros de famílias de baixa renda podem solicitar a isenção do pagamento desse valor. A relação dos contemplados com o benefício será divulgada a partir do dia 2 de agosto.
A primeira etapa do concurso é composta por uma prova, com 50 questões de conhecimentos profissionais, e uma redação. Os classificados ainda passarão, em caráter eliminatório, por etapas de inspeção de saúde, teste de aptidão física, verificação de dados biográficos e avaliação psicológica.
Serviço
www.densm.mar.mil.br




Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos







Publicidade






Recently Added

Recently Commented