|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 08/07/2016 / Aeroporto de Congonhas terá limite maior de atraso e cancelamento de voos


Aeroporto de Congonhas terá limite maior de atraso e cancelamento de voos ...


Sabrina Craide ...

O governo federal decidiu mudar as regras de distribuição de slots (horários de pouso e decolagem) para o Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Com isso, também serão alterados os percentuais máximos de atrasos e de cancelamentos de voos permitidos no aeroporto, que é o terceiro mais movimentado do país.

Os cancelamentos, que atualmente são limitados a 10% do total de voos, passarão a ser de 20% e os atrasos, antes limitados a 20%, poderão chegar a 25% do total. Os novos índices são os mesmos seguidos por outros aeroportos do país, como Brasília, Guarulhos (SP), Viracopos (SP), Galeão (RJ), Santos Dumont (RJ), Confins (MG) e Pampulha (MG). O terminal de Congonhas tinha regras diferentes desde 2014.

Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), ainda não está definido quando os novos índices vão começar a vigorar.

A revogação da resolução que tratava da coordenação de slots de Congonhas vai permitir que o aeroporto possa receber aeronaves comerciais com menos de 90 assentos, o que não era permitido desde 2014. Segundo a Anac, a mudança dará mais autonomia para as operações em Congonhas. Os limites de infraestrutura disponíveis no aeroporto (como pista, pátio e terminal) e os limites de segurança operacional ou de voo continuam considerados. A restrição do número de movimentos por hora e a restrição de movimentos noturnos continua inalterada.

Para a Proteste Associação de Consumidores, a medida é um retrocesso aos direitos dos consumidores. “Essa tolerância prejudica a parte vulnerável nessa relação, o passageiro, que se sujeitará a esperas mais longas e cancelamentos de voos. Cabe à Anac fazer cumprir os direitos dos passageiros, que preveem assistência progressiva (comunicação, alimentação e acomodação) de acordo com o período da demora na saída do voo, ou em caso de cancelamento”, diz a Proteste.

A entidade orienta que os consumidores prejudicados devem recorrer a entidades de defesa do consumidor ou ao Juizado Especial Cível. A Proteste enviou um ofício à Anac cobrando medidas contra as mudanças.

Em 2015, Congonhas recebeu em média 585 movimentações por dia, entre pousos e decolagens, e mais de 19 milhões de passageiros, interligando São Paulo a 30 localidades.




Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.



JORNAL HOJE EM DIA (MG)


Corrupção suspende investimentos em infraestrutura e trava a economia


Tatiana Lagôa E Tatiana Lagôa

O efeito cascata do roubo de dinheiro público faz vítimas em todos os setores da economia. E vai mais longe do que se imagina, conforme mostra a quarta matéria da série “O Custo da Corrupção”. Somente em 2015, mais de R$ 160 bilhões deixaram de girar no Brasil em decorrência da redução dos investimentos em obras, grande parte interrompidas devido às ações da operação “Lava Jato”, que investiga e pune desvios de recursos, lavagem de dinheiro, recebimento de propinas e ligações fraudulentas entre órgãos e empresas do governo e as maiores empreiteiras do país.
Em 2010, auge dos investimentos em infraestrutura, e, também, marco das denúncias de financiamentos ilegais de campanhas eleitorais de diversos partidos, o governo federal aportou R$ 114,7 bilhões em obras no país. Um ano após a instalação da Lava Jato, em 2015, os aportes caíram para R$ 12,7 bilhões, diferença de R$ 102 bilhões.
Segundo levantamento do Sindicato Nacional da Indústria da Construção (Sinicon), a cada R$ 1 milhão investido na construção, R$ 1,6 milhão é injetado na economia. Nesta proporção, os R$ 102 bilhões deixados de lado em 2015 na construção se transformariam em mais de R$ 160 bilhões distribuídos em setores diversos.
“O país tinha um programa de investimento em infraestrutura avançado em 2010. E esse programa deveria ser mantido. Em 2015, ele voltou ao ritmo lento de 2008”, ressalta o diretor-executivo do Sinicon, Petrônio Lerche Vieira.
Em Lagoa Santa, por exemplo, as obras de construção do Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (Ciaar), tocadas pela Schahin Engenharia, estão paradas, após falência do braço de construção da empresa – investigada na “Lava Jato”. Inicialmente orçado em R$ 216,4 milhões, o valor do Ciaar foi revisto para R$ 237,6 milhões após uma sucessão de erros e atrasos .
Comércio
Além da própria construção, o comércio é um dos setores mais afetados pela redução no ritmo de obras. A cada R$ 1 milhão investido em obras, R$ 173 mil giram no varejo. Se o ritmo do investimento em construção de 2010 fosse mantido em 2015, mais de R$ 17,7 bilhões circulariam no setor.
O montante poderia dar alívio ao desempenho negativo do comércio brasileiro em 2015. No ano, houve recuo de 4,5% nas vendas na comparação com 2014, o pior resultado da série histórica, iniciada em 2001, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Empregos que foram ceifados no segmento também poderiam ter sido poupados. Segundo o Cadastro Geral de Empregos (Caged), do Ministério do Trabalho e da Previdência Social, 246.406 vagas foram encerradas no varejo em 2015.
A relação entre corrupção, interrupção de grandes obras públicas e queda vertiginosa no comércio é clara e direta, segundo o vice-presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL-BH), Marco Antônio Gaspar.
Ele ressalta que a economia é cíclica e que as demissões provocadas no setores da construção civil e pesada fazem com que as pessoas coloquem o pé no freio quando o assunto é consumo. Como reflexo a indústria produz menos e há um descompasso geral no país. 

PORTAL SPUTNIK BRASIL


Portugal e EUA negociam criação de base espacial nos Açores


Lucas Rohan

A Base Aérea das Lajes, localizada na Ilha Terceira, poderá sediar a partir do próximo ano um centro internacional de investigação que, entre outras coisas, servirá como local de lançamento de pequenos satélites em parceria com os Estados Unidos.
A possibilidade foi discutida recentemente em reunião em Nova York e, nos últimos dias, na capital açoriana Ponta Delgada e em Lisboa.
Lajes conta, desde os anos 70, com forte presença de militares norte-americanos e a criação do centro seria uma forma de reduzir o impacto da retirada de boa parte desses efetivos anunciada no ano passado. No entanto, o anúncio feito em ano de eleições legislativas nas ilhas gera desconfiança nos partidos de oposição que veem o fato como uma tentativa de compensação após os impactos negativos da diminuição das tropas norte-americanas.
De acordo com o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal, Manuel Heitor, as ilhas oferecem oportunidades únicas para sediar uma base de lançamento de satélites que vai auxiliar na investigação de questões relacionadas às mudanças climáticas. A localização privilegiada das ilhas portuguesas é o principal atrativo para os pesquisadores internacionais. As negociações para criação do centro de investigação estão em estágio avançado, de acordo com fontes da Sputnik, e a instalação da infraestrutura pode começar já no ano que vem.
Uma das grandes pendências está relacionada às eleições presidenciais norte-americanas deste ano. O futuro centro já tem até nome: se chamará Azores International Research Center (AIR Center), mas sua criação ainda depende de negociações com o governo dos Estados Unidos. O avanço do projeto está diretamente relacionado com a disputa eleitoral. Pesquisadores envolvidos citam que uma vitória da democrata Hillary Clinton seria o melhor cenário para a evolução da ideia, enquanto que uma eventual consagração de Donald Trump semeia dúvidas quanto ao futuro das negociações.
O próprio ministro português da Ciência é cauteloso ao comentar o assunto. Embora a criação do centro de investigação pareça já ser algo decidido, ainda há dúvidas sobre como ele será administrado. A criação do AIR Center começou no mês passado com um encontro em Nova York, foi discutido mais a fundo recentemente em Ponta Delgada e em Lisboa e deve ser pauta de um encontro em Bruxelas no próximo dia 19 de setembro, quando a proposta será apresentada à Comissão Europeia. Manuel Heitor afirma que o projeto vai arrancar em 2017.
Segundo adiantaram fontes do Governo português, fazem parte das negociações para criação do AIR Center, além do Ministério da Ciência e do governo regional dos Açores, a agência especial norte-americana (NASA), a agência de meteorologia e oceanos dos EUA (NOAA), universidades portuguesas e americanas e empresas.
Presença norte-americana
A Base Aérea de Lajes possui uma área de cerca de 10 quilômetros quadrados, sendo que boa parte das estruturas existentes estão hoje desativadas. Criada no contexto da Segunda Guerra Mundial e objeto de desejo norte-americano durante a Guerra Fria, a base é administrada pela Força Aérea Portuguesa e conta com a presença de militares dos Estados Unidos desde o final da década de 70 devido à sua localização. Lajes é um ponto estratégico de fácil acesso à Europa, à África e ao Oriente Médio.
​Em 2015, o governo dos Estados Unidos anunciou a retirada de 500 efetivos da base, o que gerou um grande desconforto nas autoridades locais. Os militares norte-americanos que lá estavam (ainda restam pouco mais de uma centena) movimentam a economia da ilha e a retirada foi vista à época pelo Governo Regional dos Açores como negativa.
Jogo eleitoral
Como a retirada de boa parte dos militares norte-americanos da ilha teve uma repercussão muito negativa em 2015, o anúncio dos estudos para a criação deste centro de pesquisa é visto com desconfiança pelos partidos de oposição. O atual Governo Regional dos Açores é comandando pelo Partido Socialista (PS) do primeiro-ministro António Costa, mas em outubro deste ano os açorianos vão às urnas para as eleições gerais legislativas. Por isso, opositores à direita e à esquerda do PS veem o anúncio do AIR Center como uma barganha eleitoral.
"Encaramos este anúncio, como mais um palpite, sem qualquer consequência, a não ser mera propaganda eleitoral", disse à Sputnik a deputada regional Zuraida Soares, do Bloco de Esquerda. Ela não esconde sua desconfiança no Governo Regional, o qual vê incapaz de ter "opinião assertiva sobre o futuro desta infraestrutura". "Temos assistido, a cada semana que passa, aos mais diversos palpites sobre a futura instalação desta infraestrutura", argumenta.
"Como é sabido, o Bloco de Esquerda tem defendido a saída das tropas americanas da base e a consequente reconversão desta infraestrutura para fins civis e comerciais. Estamos disponíveis para analisar qualquer iniciativa, nesta área, que se mostre sólida, pensada e credível. Não estamos disponíveis para meros anúncios eleitorais", critica a deputada esquerdista.
Desconfiança similar também foi expressa pelo deputado regional Paulo Ribeiro, do PSD, principal partido da direita portuguesa, em entrevista à Sputnik. "O presente anúncio de uma possível instalação de um centro de lançamento espacial nas Lajes é bem-vindo, como são bem-vindas todas as iniciativas que potenciem o desenvolvimento dos Açores e contribuam para a criação de emprego e de riqueza na Região. Tememos, contudo, é que esta não passe de mais uma iniciativa em período pré-eleitoral sem consequências práticas. Até porque, desta iniciativa, a Administração Norte-Americana não tem conhecimento sendo que, por isso, as razões para a desconfiança sejam mais que legítimas", afirma Ribeiro.
De acordo com o deputado do PSD, o seu partido concorda com a importância "geoestratégica" da Base das Lajes e, por isso, defende a busca de uma utilização alternativa ou complementar que garanta e potencie o desenvolvimento económico da ilha Terceira e dos Açores. "É de notar que, com a redução do efetivo militar norte-americano nas Lajes, foram evidenciadas as fragilidades da economia desta ilha que passados 20 anos de governação socialista se mantém e manteve à sombra da boa-vontade, da iniciativa e do investimento de terceiros sem que medidas pró-ativas tenham sido implementadas pela Administração Regional", critica.

PORTAL G-1


Casd abre inscrições para 520 vagas em vestibulinho gratuito em São José

Alunos podem se inscrever pela internet até o dia 21 de agosto. Em 2015, 200 alunos conquistaram vagas em universidades públicas.

Do G1 Vale Do Paraíba E Região

O Curso Alberto Santos Dumont (Casd) de São José dos Campos está com inscrições abertas para o processo seletivo 2017. O curso é gratuito e tem como objetivo preparar estudantes da região para os vestibulares mais concorridos do país. Ao todo, são oferecidas 520 vagas.
Para participar da seleção, o estudante deve ser morador do Vale do Paraíba e cursar o 2º ou 3º ano do ensino médio, ou já ter concluído os estudos. Os interessados podem se inscrever pelo site do curso até o dia 21 de agosto.
O curso é gratuito e tem a participação de alunos do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e professores de outras universidades. No último processo seletivo, três mil alunos concorreram as 500 vagas. Em 2015, 200 alunos conquistaram vagas em universidades públicas.
A seleção é composta por uma prova e entrevista de renda, ambos classificatórios. O exame está previsto para o dia 4 de setembro, às 14h, no campus da Universidade Paulista (Unip) em São José dos Campos.

Exército faz treinamento para atuar em caso de ataque durante Olimpíada

Na simulação, 20 pessoas foram contaminadas pelo gás tóxico no Mineirão. Ao todo, 250 pessoas participaram do treinamento nesta quinta-feira.

G1 / Mg

Mais um treinamento para a Olimpíada 2016 foi realizado, na manhã desta quinta-feira (7), na Região da Pampulha, em Belo Horizonte. As atividades foram feitas no Estádio Mineirão, que será palco de jogos do evento. O treinamento foi dividido em várias etapas. Uma, envolvendo os militares do Exército, foi para padronizar os procedimentos de como agir em casos de ataques químicos.
Na simulação, 20 pessoas foram contaminadas por um gás tóxico chamado sarin. O atendimento às vítimas foi rápido e toda a equipe envolvida estava protegida com máscaras. Tendas também serão montadas para servir de apoio durante o socorro.
Ao todo, 250 pessoas participaram do treinamento no Mineirão. O estádio vai receber dez jogos da Olimpíada – seis deles pela categoria feminina. O último treinamento para a Olímpiada, na capital mineira, será no dia 18 de julho.
No dia 2 de junho, o Exército, a Polícia Federal e a Polícia Militar fizeram um treinamento de enfretamento ao terrorismo no Mineirão. As equipes de segurança simularam o combate a um ataque no estádio.

Venda de avião deflagrou nova fase da Lama Asfáltica em MS

Avião adquirido com recursos desviados, foi vendido para lavagem, diz PF. Com venda do avião, PF diz que suspeitos pretendiam pulverizar recursos

Anderson Viegas - G1/ms

 A descoberta da venda de um avião por R$ 2 milhões para a lavagem do dinheiro, desencadeou nesta quinta-feira (7) a terceira fase da Operação Lama Asfáltica, que recebeu em razão deste motivo o nome de “Aviões de Lama”. Uma força tarefa formada por 20 agentes da Polícia Federal (PF), além de técnicos da Receita Federal e Controladoria Geral da União (CGU) participou da ação.
A Operação Lama Asfáltica investiga um grupo criminoso que desviava recursos de obras públicas em Mato Grosso do Sul por meio de fraudes em licitações e recebimento de propinas. A ação apura mais de R$ 2 bilhões em obras executadas no estado e estima que pelo menos 20% dos recursos foram desviados.
O delegado regional de Combate ao Crime Organizado da PF, Cléo Mazzotti, explicou que na análise de documentos apreendidos na fase anterior da operação, foi descoberto que três suspeitos de envolvimento no esquema haviam vendido o avião, que havia sido adquirido com recursos desviados, para dilapidar o patrimônio e desse modo pulverizar os recursos. Desse modo, tentavam dificultar a identificação da origem do dinheiro. 
O avião que foi vendido, conforme o delegado é uma aeronave que pertencia a ASE Participações e Investimentos, uma das empresas do empreiteiro João Amorim, que é apontado pela PF como um dos líderes do grupo criminoso. Mazzotti, explica que na segunda fase da operação, a aeronave foi um dos bens do empresário que foi bloqueado pela Justiça, mas antes já havia sido vendida, sem que houvesse a transferência para o novo proprietário.
“Primeiro, o avião foi vendido em uma negociação de boca para Edson Giroto (ex-secretário estadual de Obras e ex-deputado federal) e seu cunhado, Flávio Henrique Scrocchio, e depois foi revendido para um terceiro, por R$ 2 milhões. Parte desse valor foi pago com uma outra aeronave, avaliada em R$ 350 mil e o restante foi parcelado. Na primeira parcela, o comprador pagou R$ 250 mil e deu outros três cheques no valor R$ 100 mil cada”, detalhou.
O delegado comenta que os recursos recebidos nesta venda e outros que também vieram do esquema, estavam sendo utilizados por Amorim, Giroto e Scrocchio para fazer grandes pagamentos principalmente em serviços e aquisições. Os valores variavam de R$ 100 mil até R$ 700 mil. “Os pagamentos eram feito sempre em dinheiro e tinham um objetivo claro, pulverizar esses recursos, porque a medida que eles são usados para fazer pagamentos de serviços e compras lícitas, eles são inseridos no sistema financeiro, fazendo a lavagem desses recursos e dificultando a descoberta de sua origem”, explicou o delegado.
Com a descoberta desta operação de lavagem, a PF junto com a Receita Federal e a CGU deflagrou a nova fase da Lama Asfáltica. A Justiça Federal em Campo Grande expediu mandados de prisão preventiva para Giroto, que foi preso em casa nesta quinta-feira, Scrocchio, que se apresentou na Superintendência da unidade, e para Amorim, que está viajando, mas negocia com a PF sua apresentação.
Também foram expedidos dois mandados de busca e apreensão. Um para a aeronave avaliada em 350 mil, que foi dada como parte do pagamento do outro avião. Ela foi apreendida no Aeroporto Santa Maria, em Campo Grande. O outro mandado foi para o avião que motivou a própria operação. Até o fim da manhã desta quinta-feira a PF ainda não havia confirmado a localização da aeronave, informava apenas que ela estava em uma cidade de Mato Grosso.
A delegada adjunta da Receita Federal em Mato Grosso do Sul, Adalgisa Paes da Costa Fujita, disse também nesta manhã, que o órgão já tem vários processos fiscais abertos contra os suspeitos de envolvimento com o esquema, para apurar práticas como a ocultação de patrimônio. Ela revelou que cálculos preliminares apontam que somente nestas práticas os suspeitos deixaram de recolher aproximadamente R$ 20 milhões em impostos federais e que também serão cobrados por isso.
O advogado Alberto Toron, que representa João Amorim, disse que precisa ter acesso ao mandado de prisão preventiva para se pronunciar sobre o caso. Entretanto, assegurou que ainda nesta quinta-feira seu cliente se apresenta a PF. Da mesma foram, o advogado de Giroto e de seu cunhado, Valeriano Fontoura, disse que também precisa de informações sobre o inquérito para analisar o caso.
Giroto e Scrocchio estão presos na carceragem da Superintendência da Polícia Federal em Campo Grande, mas devem ainda nesta quinta-feira ser transferidos para um presídio da cidade. Em relação ao empresário que comprou a aeronave, a Polícia Federal aponta que ele não tem envolvimento nos crimes investigados na Operação Lama Asfáltica.

Navio Escola ‘Brasil’ chega ao Porto de Santos, SP, nesta sexta-feira

Navio ficará no porto até segunda-feira (11). Visitação pública acontecerá no domingo (10).

G1 / Santos - Sp

O Navio Escola ‘Brasil’ chegará ao Porto de Santos, no litoral de São Paulo, nesta sexta-feira (8) e ficará atracado no Cais da Marinha, sede da CPSP, entre os armazéns 27/29, até segunda-feira (11).
Serão ministradas aulas práticas de navegação, meteorologia, marinharia, operações navais, controle de avarias e administração naval.
Uma visitação pública acontecerá no domingo (10), das 14h às 17h, o horário limite de acesso é às 16h30. A entrada é franca.
O navio participa de treinamentos operativos para a preparação da 30º Viagem de Instrução de Guardas-Marinha (VIGM). O objetivo é complementar os conhecimentos teóricos dos Guardas-Marinha na Escola Naval; e aprimorar a formação cultural dos futuros Oficiais da Marinha do Brasil e representar o país e a Marinha nos diversos portos visitados.

Exército será multado em R$ 40 mil por morte de onça em Manaus

Onça-pintada foi abatida após participar do revezamento da Tocha Olímpica. Multa foi aplicada pelo Ipaam; animal não tinha autorização para ser exibido.

G1 / Am

O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) informou nesta quinta-feira (7) que o relatório técnico sobre a morte da onça pintada Juma, morta durante o revezamento da tocha olímpica em Manaus, foi concluído. O órgão determinou multa de R$ 40 mil ao Exército por falhas em procedimentos que resultaram no abate do animal. O Exército pode recorrer.
A onça, que era mascote do 1º Batalhão de Infantaria de Selva (BIS), foi morta por um soldado no dia 20 de junho, após exposição no evento. Ela foi baleada depois de escapar da coleira que a prendia e avançar contra um militar. O caso ocorreu no momento em que ela era transportada para a jaula.
De acordo com o Ipaam, a multa atinge o Comando Militar da Amazônia (CMA), o 1º BIS e Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS). 
O Ipaam informou que o CMA foi autuado em R$ 5 mil por contribuir para a utilização de um espécime da fauna silvestre nativa sem a autorização do órgão ambiental competente. O CIGS foi autuado em $R 5 mil por utilizar o animal sem a autorização do órgão ambiental competente. Enquanto o 1º BIS recebeu três multas: uma de R$ 5 mil por transportar o animal sem autorização, outra de R$ 5 mil por mantê-lo em cativeiro sem a devida autorização; e outra de R$ 20 mil por construir e fazer funcionar mantenedouro da fauna sem a licença do órgão ambiental.
As multas estão baseadas na Lei de Crimes Ambientais 9.605/ 1998 e no Decreto 6.514/2008.
O relatório técnico do Ipaam será remetido ao Ministério Público Federal (MPF) para que medidas cabíveis sejam tomadas. O Ipaam diz ainda que o CMA já foi notificado das infrações. O G1 aguarda retorno do Exército em Manaus.
"Os autuados terão 20 dias para apresentar a defesa e, depois desse prazo, podem recorrer ao Ipaam e ao Conselho Estadual de Meio Ambiente", informou o órgão.
Relatório

O relatório técnico apontou que foram feitas quatro tentativas de sedar o animal em fuga, sendo alvejado com apenas um dos dardos.
"O que ocorreu no incidente foi que um dos mosquetões, uma estrutura metálica que prendia a coleira se soltou, por apresentar uma falha. Neste momento ela escapou dos tratadores. Temos o laudo da necropsia que diz que foram dados os tiros na região frontal. Não foi que o animal fugiu e atiraram por trás. Ele (o animal) estava correndo na direção da pessoa que atirou”, disse o gerente de Fauna do Ipaam, Marcelo Garcia, por meio da assessoria.O dinheiro das multas será destinado ao Fundo Estadual de Meio Ambiente que utiliza os recursos para promover diversas ações ambientais no Amazonas, como compra de equipamentos, recuperação de áreas, degradadas e projetos de fiscalização.
A Gerência de Fauna do Ipaam ressaltou que as seis onças do CIGS estão todas com chips e as devidas autorizações do órgão ambiental.
Multas
Comando Militar da Amazônia- CMA:

Autuado em 5.000,00 (cinco mil reais) por concorrer para a utilização de um (01) espécime da fauna silvestre nativa sem a autorização do órgão ambiental competente.
Centro de Instrução de Guerra na Selva – CIGS:
Autuado em 5.000,00 (cinco mil reais) por utilizar de um (01) espécime da fauna silvestre nativa sem a autorização do órgão ambiental competente.
1º Batalhão de Infantaria de Selva (Aeromóvel) - 1º BIS Amv:

Autuado em 5.000,00 (cinco mil reais) por transportar um (01) espécime da fauna silvestre nativa sem a autorização do órgão ambiental competente.
Autuado em 5.000,00 (cinco mil reais) por ter em cativeiro um (01) espécime da fauna silvestre nativa sem a autorização do órgão ambiental competente.
Autuado em 20.000,00 (vinte mil reais) por construir e fazer funcionar mantenedouro da fauna silvestre nativa sem a Licença do órgão ambiental competente.
Entenda o caso

ImagemA onça foi abatida pelo Exército após fugir e avançar contra um militar, informou o Comando Militar da Amazônia (CMA). O fato ocorreu na segunda-feira (20), após o local receber o Tour da Tocha. Juma era mascote do 1º Batalhão de Infantaria de Selva (1º BIS) e tinha entre 8 e 9 anos.
O CMA diz ainda que onça morta não era "protagonista" de tour da Tocha.
"A onça-pintada Juma, mascote do 1º Batalhão de Infantaria de Selva (1º BIS), estava, por coincidência, no Centro de Veterinária do CIGS no mesmo dia do evento, para realização de revisões e cuidados da saúde como, por exemplo, a limpeza da cavidade bucal e a medição biométrica para acompanhamento do estado de higidez da onça", cita nota enviada pelo Exército.Segundo o CMA, a onça escapou no momento em que o Cigs estava fechado para visitas. Uma equipe de militares composta de veterinários especializados tentou resgatar o animal. Porém, mesmo atingido com tranquilizantes, Juma se deslocou em direção a um militar e foi realizado um tiro de pistola por medida de segurança. O animal morreu no local.
Ambientalistas criticaram o ocorrido. Ao G1, Diogo Lagroteria, analista ambiental especializado em fauna silvestre e veterinário, disse que, mesmo com anos de treinamento e em cativeiro, a onça nunca poderá ser considerada um animal domesticado. "O incidente no Cigs aconteceu pelo simples fato dele [o animal] ser uma onça. Animais selvagens sempre serão animais selvagens. Não tem como prever a reação deles nesse tipo de situação", disse o analista ambiental ao G1.
Comitê Olímpico

A organização dos Jogos Olímpicos Rio 2016 se pronunciou na terça-feira (21) sobre a morte da onça Juma. "Erramos ao permitir que a Tocha Olímpica, símbolo da paz e da união entre os povos, fosse exibida ao lado de um animal selvagem acorrentado", admitiu o comitê.
Em nota divulgada em sua página no Facebook, a Rio 2016 disse que o ocorrido "contraria as crenças e valores" da organização.


Criação da brigada reflete importância do AP, diz comandante do Exército

General Villas Bôas fez visita à obra da Brigada Foz do Amazonas. Comandante do Exército Brasileiro está cumprindo agenda em Macapá.

Fabiana Figueiredo - G1 / Ap

As obras da Brigada Foz do Amazonas, em Macapá, receberam a visita do comandante do Exército Brasileiro, general Eduardo Villas Bôas, nesta quinta-feira (7). A previsão é que o complexo que vai ampliar a atuação militar na fronteira ao Norte do país seja entregue em 2017.
O comandante da força armada veio ao Amapá acompanhar a construção da brigada em uma área pertencente ao 34º Batalhão de Infantaria de Selva (BIS), no bairro Alvorada, na Zona Oeste da capital, e definir o prazo de inauguração da primeira etapa da obra.
O complexo vai abrigar o corpo da guarda, pavilhão de comando, companhia de comando, além de blocos de alojamento. O projeto está orçado em R$ 18 milhões em recursos do próprio Exército.
“A criação da brigada é um reflexo da importância que o exército atribui a essa região. O Amapá é um estado que tem no seu futuro, em função da sua geopolítica, uma importância crescente. A brigada se projeta sobre o oceano atlântico, a vizinhança com a Guiana Francesa e nós precisamos adensar nossa presença aqui. Em razão disso, estamos transferindo o comando de brigada, intensificando ainda mais a nossa presença”, comentou Villas Bôas.
O 34º BIS será uma das unidades subordinadas à Brigada da Foz, assim como o 2º BIS, em Belém, no Pará, e o 24º Batalhão de Infantaria Leve (BIL), de São Luís, no Maranhão. De acordo com o Comando Militar do Norte (CMN) do Exército Brasileiro, o complexo operacional e administrativo vai abrigar até 3 mil militares.
A obra também vai oportunizar o crescimento no número de jovens que serão convocados para o Exército. Anualmente, a unidade amapaense contabiliza mais de 8 mil alistamentos. Desses, 200 são selecionados.

No AM, avião cai após decolagem e dois estão desaparecidos em garimpo

Acidente ocorreu por volta das 16h desta quinta-feira (7). Aeronave seguiria para sede do município de Apuí.

G1 / Am

Um avião de pequeno porte caiu na tarde desta quinta-feira (7) em uma região de garimpo na divisa entre os municípios de Apuí e Borba, no interior do Amazonas. O piloto e um passageiro da aeronave estão desaparecidos, de acordo com informações da Rede Amazônica em Apuí. O acidente ocorreu por volta das 16h. 
O G1 procurou o Serviço Regional de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa-7) e a Força Aérea Brasileira (FAB) e aguarda informações.
Segundo a Rede Amazônica em Apuí, a aeronave caiu durante a decolagem. O avião operava em um garimpo no rio Acari.Ela iria para a sede de Apuí, que fica a 22 minutos de viagem do local do acidente.
A Rede Amazônica informou ainda que o avião foi localizado pelo piloto de outra empresa, que sobrevoou o local.
O passageiro da aeronave trabalha em garimpo como operador de máquinas. O piloto é dono da aeronave. Ainda não há informações sobre o modelo do avião.

Operação Medellin prende nove e apreende 20 armas de fogo no Ceará

Entre os presos estão empresários que vendiam armas para criminosos. Foram cumpridos 20 mandados de busca e apreensão na Região do Cariri.

G1 / Ce

A polícia apreendeu 20 armas de fogo e mais de 2,5 mil munições de calibres variados durante a 2ª fase da Operação Medellin, deflagrada nesta quinta-feira (7), na Região do Cariri, interior do Ceará. Ao todo, nove pessoas foram presas por envolvimento no comércio e porte ilegal de armas.
Entre os suspeitos estão empresários que, segundo a polícia, vendiam armamentos com criminosos, principalmente traficantes de drogas. As prisões ocorreram nas cidades de Juazeiro do Norte, Missão Velha, Crato e Barbalha. Dois presos acabaram sendo liberados após pagamento de fiança.
Durante a operação foram apreedidos quatro revólveres calibre 38, quatro pistolas 380, um rifle calibre 38 e 11 espingardas. Ainda foram apreendidas diversas caixas de munições, que também eram comercializadas ilegalmente.
Os policiais também identificaram dois estabelecimentos que vendiam de armas e munições. Um deles possuía registro para o negócio, contudo, munições eram vendidas também de forma ilícita para compradores sem a devida autorização. As investigações também apontaram que munições usadas em um homicídio foram compradas neste local.
De acordo com o delegado Giuliano Sena, da Delegacia Regional do Crato e responsável pela operação, a loja era a única autorizada pelo Exército na cidade a vender armas e munição, conforme a lei, mas comercializava produtos para qualquer pessoa.
"Temos diálogos interceptados com bandidos, prendemos pessoas que compraram essas armas e temos ainda provas até de homicídio que aconteceu com essa munição", descreveu o delegado.
O outro empreendimento não possuia registro para vender armas. No local, os policias encontraram munições de revólveres, pistolas e fuzis de uso restrito das forças armadas.
Mandados
Ao todo, foram cumpridos 20 mandados de busca e apreensão, além de cinco de condução coercitiva e um de prisão preventiva. Houve também uma suspensão cautelar de atividade econômica de uma das empresas investigadas.
A Operação Medellin contou com a participação de equipes da Delegacia Regional do Crato e do Batalhão de Polícia de Meio Ambiente (BPMA) da PM. “O trabalho é resultado de investigações que foram iniciadas há seis meses, sobre o comércio ilícito de armas e munições para pessoas envolvidas com o tráfico”, explicou o delegado Giuliano Sena.
Operação Medellin do Cariri

​A operação foi realizada pela primeira vez no dia 7 de janeiro e contou com 130 policiais civis entres delegados, escrivães e inspetores, com o apoio de um helicóptero da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) e de 40 viaturas. No total, quarenta e três pessoas foram capturadas e 112 mandados de prisão, busca e apreensão foram cumpridos.
Atualmente, há 47 pessoas presas em cumprimento aos mandados de prisão referentes à operação. O nome da operação "Medellín", é uma alusão ao Cartel de Medellín, uma rede de traficantes de drogas na Colômbia.

REVISTA ISTO É


Um dos legados da Lava Jato é fortalecimento institucional, diz Moraes


O ministro da Justiça e Cidadania, Alexandre de Moraes, afirmou nesta quinta-feira, 7, que um dos principais legados da Operação Lava Jato, cuja origem é a apuração de desvios da Petrobras, é o fortalecimento institucional. Segundo ele, em função da Lava Jato, há um trabalho no governo para verificar “por que tanta falha, por que a possibilidade de balanços serem fraudados, por que não se rastreou o dinheiro antes.”
“Temos de ser mais ágeis para coibir fatos (como os da Lava Jato). A Itália, em um determinando momento, perdeu o time para fazer este fortalecimento”, disse. Durante evento do LIDE – Grupo de Líderes Empresariais -, em São Paulo, ele também citou, como um importante legado da Lava Jato, as alterações legislativas no sentido de uma reforma política.
Moraes afirmou ainda, citando a nova etapa da Lava Jato, deflagrada nesta quinta, que a Operação continuará enquanto houver crimes passíveis de investigação. “É a maior operação de corrupção já feita no Brasil”, lembrou.  
Segurança pública
O ministro afirmou também que a segurança pública é um “problema de todos”, e não apenas dos Estados. Ele afirmou ainda o País está “cansado de diagnósticos” quanto ao problema de segurança e da pouca ação efetiva na área.
Moraes destacou que o Brasil é o segundo maior consumidor de cocaína do mundo e o maior consumidor de maconha. Lembrou ainda que o Brasil não fabrica armamento pesado, mas que estes equipamentos são encontrados no Rio de Janeiro e, nos últimos anos, também em São Paulo.
Para solucionar o problema, o ministro afirmou que o governo trabalha na formação de grupos especiais de combate ao tráfico, planejamento de operações e troca de informações de inteligência. “Temos a ideia de fronteiras mais seguras, com um aumento do policiamento ostensivo nas fronteiras. Hoje, temos pouquíssimo policiamento nas fronteiras”, avaliou.
“Além do núcleo de inteligência, hoje o presidente Michel Temer editou uma medida provisória permitindo que a Força Nacional possa chamar aos seus quadros também policiais militares com até 5 anos de inatividade”, destacou o ministro. Poderemos chamá-los para que, com isso, possamos ter corpo permanente da Força Nacional. A ideia é chegar a até 20 mil homens para trabalho específico de fronteiras”, disse.
O ministro criticou ainda a postura de alguns países da América Latina em relação ao controle de fronteiras. “Não é razoável que Paraguai e Bolívia não coíbam, o pouco que seja, a entrada de drogas, de contrabando e de armas pesadas no Brasil”, afirmou.  
Forças Armadas
Moraes defendeu que a atuação das Forças Armadas na área de Segurança Pública deve ser apenas suplementar à das polícias. “Forças Armadas não devem ser transformadas em força policial”, afirmou.
O ministro citou a importância da atuação das Forças Armadas em regiões específicas, como as de rios e lagos, como forma de fiscalização de fronteiras. “Vamos criar um colchão entre as polícias e as Forças Armadas, que é a Força Nacional permanente, atuando com a polícia federal, a polícia rodoviária e, de forma suplementar, com as Forças Armadas, sem que haja a substituição”, resumiu.
Olimpíada
Moraes afirmou ainda que a probabilidade de o Brasil sofrer atentados terroristas durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro é “quase zero ou mesmo zero”. A 29 dias da abertura dos Jogos, o ministro afirmou que, ainda assim, o governo trabalha com esta possibilidade, para prevenção, “como em qualquer lugar do mundo”.
O ministro também abordou o aumento das ocorrências policiais no Rio nas semanas que antecedem o evento. “Houve acirramento de problemas de segurança porque a polícia não recebeu salários. Havia atrasos desde dezembro”, comentou. “Mas a crise foi solucionada. O presidente Michel Temer editou uma medida liberando R$ 2,9 bilhões para o Rio e, na segunda-feira, pagou-se metade dos salários de maio. Ontem, os atrasos salariais e os bônus foram pagos. Quitou-se tudo”, disse.
Moraes também destacou o aumento do número de homens envolvidos no policiamento do Rio durante a Olimpíada. A segurança envolverá as polícias, a Força Nacional e as Forças Armadas. “A primeira leva de fuzileiros chega ao Rio na semana que vem. São Paulo cedeu um efetivo para o Rio, de mil homens. Teremos quase 38 mil homens fazendo a segurança no Rio na Olimpíada”, citou. “Será o período mais tranquilo no Rio de Janeiro”, acrescentou.

JORNAL A CRÍTICA (AM)


Avião cai em região de garimpo no sul do Amazonas, diz polícia. Há dois desaparecidos

O local exato do acidente ainda não foi confirmado, mas seria próximo aos municípios de Apuí, Novo Aripuanã e Borba. A Aeronáutica ainda não confirmou a queda da aeronave

Vinicius Leal

Uma aeronave de pequeno porte caiu em uma área de garimpo no sul do Amazonas no final da tarde desta quinta-feira (7), numa região localizada entre os municípios de Apuí, Novo Aripuanã e Borba. O local exato do acidente ainda não foi confirmado. A aeronave envolvida seria uma Paradise Experimental Asa Alta. Duas pessoas estão desaparecidas.
As duas vítimas do acidente seriam o piloto e o dono da aeronave. Segundo o delegado Francisco Rocha, titular da 71ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Apuí, a vítima proprietária do avião seria José Pereira da Silva, conhecido como “Zé Comprido”, empresário e dono do garimpo. “Foram dois. O piloto e o ‘Zé Comprido’. Ele e um ajudante, um trabalhador que estava prestando serviço”, disse.
As informações sobre a queda do avião foram repassadas pelo delegado. “Estão confirmados dois mortos, só que em razão da falta de visibilidade agora a noite não tem como chegar ao local, que é uma área de garimpo”, disse.
Até o momento, a Aeronáutica ainda não confirmou o acidente. “Soubemos da suspeita, mas não tivemos nenhum tipo de informe ou comunicado. Mas estamos em contato com a delegacia local”, disse o chefe do Sétimo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa VII), tenente-coronel André Luiz Mota.
Como a localização do acidente não foi confirmada, e devido a pouca de visibilidade no local durante a noite, os trabalhos de buscas pelas vítimas devem começar somente na manhã desta sexta-feira (8). “O acidente foi fora do perímetro do município (de Apuí), mas as pessoas são daqui. Só vão sair amanhã para resgatar e trazer (as vítimas)”, explicou o delegado Rocha.
O órgão da Aeronáutica que trata de trabalhos de busca e de salvamento em acidentes aéreos – a Salvaero Serviço de Busca e Salvamento, também não confirmou a queda do avião. “A Salvaero tem base em Manaus, mas sempre é acionada em casos de acidentes para fazer as buscas”, explicou o comandante do Seripa VII, tenente-coronel Mota.
O Corpo de Bombeiros do Amazonas não foi acionado para a ocorrência. “Procurei me informar sobre o ocorrido com a aeronave e sobre a situação das vítimas. No entanto, até o momento o sistema 193 não recebeu qualquer chamado. Estamos reunindo informações com o pessoal de Apuí para que possamos prestar pessoal, materiais e equipamentos para os trabalhos no local”, disse o soldado Denis Ferreira, dos bombeiros.

PORTAL TERRA


Ministro da Defesa garante ambiente seguro e pacífico nos Jogos Rio 2016

Em um encontro com a imprensa internacional, Raul Jungmann abordou o tema terrorismo e afirmou que o Brasil está preparado para lidar com qualquer tipo de ameaça

O Brasil está pronto para oferecer um ambiente seguro e pacífico, tal qual como foi demandado pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. A afirmação foi feita nesta quinta-feira pelo ministro da Defesa, Raul Jungmann, durante encontro com jornalistas da mídia internacional.
O ministro destacou a importância do papel da imprensa no sentido de mostrar ao mundo o planejamento integrado de segurança feito pelo Brasil, baseado em três eixos de atuação: Defesa, Segurança Pública e Inteligência.
Segundo ele, tudo o que foi planejado já foi cumprido e todos os eixos já estão com suas tropas, equipamentos e ações em dia, prontos para entrar em ação, o que acontecerá nos próximos dias, com a proximidade da Olimpíada e Paralímpiada. O ministro destacou que, mesmo tendo enfrentado momentos difíceis nos cenários político e econômico, além de problemas no Rio de Janeiro, os Jogos serão realizados com todo o sucesso.
- Essas serão as Olimpíadas da superação, mesmo com todas as dificuldades, vamos realizar os Jogos a contento - afirmou.
Raul Jungmann também explicou quais são as atribuições da Defesa, que atuará com cerca de 41 mil militares, estabelecidas no Plano Estratégico de Segurança Integrada (PESI), e destacou a importância do documento. O ministro falou ainda sobre as ações extras voltadas ao policiamento ostensivo em algumas vias do Rio de Janeiro, que serão executadas para atender ao pedido do governo do estado. Ele lembrou que, além disso, as Forças Armadas contarão com militares em contingência que também poderão entrar em cena em caso de necessidade.
Ao falar sobre o enfrentamento ao terrorismo, o ministro destacou que, apesar de não ter tradição nesse tipo de ataque, o Brasil está preparado para lidar com qualquer tipo de ameaça.  
- O Brasil é um país pacifico, mas não é um país desarmado, não é um país que não saiba se defender e, se necessário, não tenham dúvidas de que vamos atacar - disse.
Comprovando a intensa sinergia entre os três eixos de segurança e representando o setor de Inteligência, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, general Sergio Etchegoyen, também participou do encontro.
Segundo o general, o país contará com um centro de inteligência nacional , que ficará em Brasília; com centros regionais em cada uma das cidades-sede do futebol olímpico e, no Rio de Janeiro, com duas estruturas: o Centro de Inteligência dos Jogos e o Centro de Inteligência e Serviço Estrangeiros, que já conta com a colaboração de mais de 116 países.
Os dois ministros informaram ainda que, no início de agosto, acompanhados pelo ministro da Justiça e Cidadania, Alexandre de Moraes, eles estarão no Rio de Janeiro para acompanhar de perto as ações de segurança e, no decorrer do evento, se revezarão de forma que sempre pelo menos um deles esteja no local. O chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, almirante Ademir Sobrinho, e o assessor especial para Grandes Eventos do Ministério da Defesa, general Luiz Felipe Linhares, também participaram da conversa com os jornalistas estrangeiros.

JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Brasil aplica resolução da ONU sobre Estado Islâmico e Al Qaeda


Entrou em vigor nesta quinta (7) um decreto que valida, no Brasil, a resolução do Conselho de Segurança da ONU que obriga os países-membros a aplicar sanções contra indivíduos, empresas ou entidades que tenham qualquer associação com a rede terrorista Al Qaeda e com a facção Estado Islâmico.
A resolução, de 17 de dezembro de 2015, prevê o congelamento de ativos, a proibição de viagens e o embargo de armas para pessoas ou organizações que tenha vínculos ou financie um dos grupos. O decreto foi assinado pelo presidente interino, Michel Temer, a menos de um mês dos Jogos Olímpicos do Rio. A proximidade do evento que atrairá delegações de 206 países tem gerado temores de uma possível ação terrorista.
Segundo a resolução, podem ser considerados indivíduos com ligação com o EI e a Al Qaeda aqueles que tiverem "participação no financiamento, planejamento, facilitação, preparação ou perpetração de atos (...) em conjunto com, em nome de ou em apoio a" um dos grupos.
Também está na mira quem vende armas, ajuda no recrutamento ou mesmo hospeda sites relacionados ao EI ou à Al Qaeda.
O texto exorta os países a estabelecerem "como crime grave em sua legislação a violação deliberada da proibição" de financiar, direta ou indiretamente, pessoas ligadas a ações terroristas. A proibição foi aprovada em resolução anterior do conselho, duas semanas após os atentados de 11 de setembro de 2001.
Em março, entrou em vigor no Brasil a Lei Antiterrorismo, que prevê pena de 15 a 30 anos de prisão para quem ajudar a financiar pessoas ligadas a ações terroristas.



MINISTÉRIO DA DEFESA


Ministério da Defesa terá normativos divulgados para consulta pública


Débora Sampaio

Dados abertos referentes ao Ministério da Defesa serão disponibilizados em breve. Para tanto, os cidadãos deverão responder a uma enquete sobre quais temas relacionados ao assunto mais geram curiosidade. O objetivo é fazer um compilado dessas informações e disponibilizá-las no site de Dados Abertos do governo federal.
A enquete está disponível no site do Ministério da Defesa (MD) e poderá ser respondida até a próxima segunda-feira (11), às 18h.
A próxima fase consiste na disponibilização do Plano de Dados Abertos a ser elaborado pela Comissão Técnica de Governança Digital do MD. O Plano poderá ser encontrado, para Consulta Pública, de 8 a 25 de julho, no site participa.br.
De acordo com o coordenador da Comissão e analista do Departamento de Tecnologia da Informação (DEPTI), Luiz Alexandre Rodrigues Silva, o objetivo do plano é implementar a Política de Dados Abertos no âmbito do MD. “A publicação deverá proporcionar a melhoria da qualidade dos serviços prestados ao cidadão, aumentando a transparência e potencializando o canal de interação com a sociedade”, disse.
Esta é a primeira vez que a Defesa realiza uma Consulta Pública por meio do portal participa.br. A medida atende a uma das metas da Estratégia de Governança Digital, publicada em 7 de março deste ano (portaria do MPOG, nº 68).
De acordo com o diretor do DEPTI, Sergio Luiz Goulart Duarte, com o cumprimento de todas as etapas anteriores, as informações serão divulgadas no portal de Dados Abertos do Governo Federal. “O objetivo é que até o dia 1º de agosto, o Plano de Dados Abertos do Ministério da Defesa esteja pronto para publicação”, explicou.
Dados Abertos
Dados Abertos são informações que podem ser utilizadas, livremente, por qualquer pessoa, reutilizadas e redistribuídas, estando sujeitas a, no máximo, a exigência de creditar a sua autoria e compartilhar pela mesma licença. Isso pode ser feito por meio de publicações em formato aberto e sob uma licença aberta.
A divulgação dos dados atende a Lei de Acesso à Informação (LAI nº12.527/2011). Entre os benefícios destacam-se: o aumento da transparência na gestão pública, o aprimoramento na qualidade de informações governamentais, a viabilização de novos negócios e a contribuição com serviços inovadores ao cidadão. 

JORNAL O DIA


Exército foi multado em R$ 40 mil por morte de onça em Manaus

O órgão ambiental amazonense informou que os autuados terão 20 dias para apresentar a defesa

Manaus - O Exército Brasileiro foi autuado e multado em R$ 40 mil pela morte da onça Juma, que foi exposta durante evento de passagem da tocha olímpica no Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), em Manaus. A sanção foi aplicada pelo Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), que ficou responsável por apurar o ocorrido. No dia 20 de junho, o felino, um macho de 18 anos, escapou da coleira ao ser transportado para a jaula. Mesmo sob efeito de tranquilizantes, a onça avançou em um soldado que atirou no animal.
A multa foi aplicada a três órgãos do Exército. O Comando Militar da Amazônia deverá pagar R$ 5 mil por contribuir para a utilização de espécime da fauna silvestre nativa sem a autorização do órgão ambiental competente.
O CIGS também foi autuado em R$ 5 mil por utilizar o animal sem a devida autorização. O 1º Batalhão de Infantaria de Selva, que era responsável pela onça, deverá pagar R$ 30 mil por transportar e manter em cativeiro o felino sem autorização e por construir e fazer funcionar mantenedouro da fauna sem a licença do órgão ambiental.
“O Ipaam tenta cumprir sua função da forma mais eficiente possível. Evidentemente foi uma fatalidade, mas evidentemente havia um animal sem registro, por isso as demais providências foram tomadas. Nós cumprimos o nosso papel com relação à guarda e proteção de animais. A Gerência de Fauna tem essa responsabilidade”, declarou em nota, a diretora-presidente do instituto, Ana Aleixo.
O órgão ambiental amazonense informou que os autuados terão 20 dias para apresentar a defesa e, depois desse prazo, poderão recorrer ao instituto e ao Conselho Estadual de Meio Ambiente. O Comando Militar da Amazônia e o CIGS foram procurados, mas até o fechamento desta reportagem não foram encontrados.
O incidente
O relatório técnico, divulgado nesta quinta-feira pelo Ipaam, aponta que foram quatro tentativas de sedar o animal em fuga, mas apenas um dardo atingiu Juma. “O que ocorreu no incidente foi que um dos mosquetões, uma estrutura metálica que prendia a coleira, se soltou por apresentar uma falha. Neste momento ela escapou dos tratadores. Temos o laudo da necropsia que diz que foram dados os tiros na região frontal. Não foi que o animal fugiu e atiraram por trás. Ele [a onça] estava correndo na direção da pessoa que atirou”, esclareceu em nota o gerente de Fauna do Instituto, Marcelo Garcia.
O documento também será encaminhado ao Ministério Público Federal (MPF).

PORTAL UOL


Rio-2016 terá gabinete antiterrorismo com informações vindas de 97 países


Vinicius Konchinski

O terrorismo é uma das maiores preocupações de autoridades responsáveis pela segurança da Olimpíada de 2016, mesmo com informes apontando a baixa probabilidade de ataques durante os Jogos do Rio. A atenção contra o terror é tamanha que um gabinete especial voltado ao combate e prevenção foi criado no Rio. 
O gabinete será composto por militares do Exército, Marinha e Aeronáutica. Centralizará todas as informações sobre ameaças à Olimpíada. Contará, inclusive, com dados fornecidos por agências de inteligência de 97 países para contenção e monitoramento de suspeitos que possam tentar cometer um ato terrorista no país.
O ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou na quarta-feira (6) que a Olimpíada de 2016 é a primeira a contar com tantos dados internacionais para o combate ao terrorismo. Segundo ele, por meio de acordos de cooperação já firmados, militares saberão instantaneamente se suspeitos embarcarem em um avião sentido Brasil.
“Qualquer suspeito que entrar num aeroporto do mundo será monitorado”, afirmou. “Sabendo disso, vamos decidir se é o caso de o mandar de volta ao país de origem ou fazer as averiguações necessárias. ”
Jungmann disse também que Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, Israel e outros países ajudaram a planejar o esquema de combate ao terrorismo da Rio-2016. Afirmou até que, na semana passada, teve uma audiência com a embaixadora dos EUA, Liliana Ayalde, para tratar das possíveis ameaças aos Jogos Olímpicos, entre outros assuntos.
O ministro da Defesa ressaltou que não há qualquer informação sobre planos de ataques ao país na Olimpíada. Nem os órgãos de inteligência do Brasil nem os estrangeiros emitiram qualquer alerta sobre o assunto. Por isso, ele diz que não há motivos para temer o terrorismo.
O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, repetiu que não é provável que ataques aconteçam, mas disse que a possibilidade existe, como em qualquer lugar do mundo. Ele afirmou, aliás, que os órgãos de segurança do Brasil usarão a base de dados dos Estados Unidos para controlar a entrada de suspeitos no país.
“Sabemos quem são os suspeitos de terrorismo, quem são os simpatizantes do terrorismo, sabemos tudo”, afirmou de Moraes. “Vamos usar o que há de mais moderno no combate ao terrorismo.”

Militar inativo vai poder reforçar segurança na Rio-16 de forma voluntária


A um mês do início dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, o governo interino de Michel Temer editou a Medida Provisória 737 para permitir que militares inativos atuem de forma voluntária no âmbito da Força Nacional de Segurança Pública.
Segundo o texto, publicado no Diário Oficial da União (DOU), as atividades de cooperação federativa desempenhadas por militares e servidores civis dos entes federados que celebrarem convênio com a União poderão ser exercidas "excepcionalmente" e "em caráter voluntário" por militares dos Estados e do Distrito Federal que tenham passado para a inatividade há menos de cinco anos.
A MP ainda estabelece que os militares voluntários que atuarem nessas condições terão direito ao recebimento de diária e aqueles que, eventualmente, forem vitimados durante as atividades farão jus, no caso de invalidez incapacitante para o trabalho, à indenização no valor de R$ 100 mil, e seus dependentes, ao mesmo valor, no caso de morte.

JORNAL EXTRA


Câmara aprova lei que altera julgamento de militares durante a Olimpíada


A Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 5768/16, do deputado Esperidião Amin (PP-SC), que prevê o julgamento dos militares pela Justiça Militar no caso de crimes dolosos contra civis por ocasião de eventos nos quais atuem na garantia da lei e da ordem. A ideia é atribuir esse foro de julgamento para aqueles que trabalharão na segurança das Olimpíadas.
A matéria foi aprovada na forma do substitutivo, ou seja, o texto do deputado Julio Lopes (PP-RJ), que altera o conteúdo original da proposta. O texto será votado ainda pelo Senado e prevê que as regras valerão até 31 de dezembro de 2016 e, após essa data, voltarão a valer as regras atualmente previstas no Código Penal Militar (Decreto-Lei 1.001/69).
De acordo com Lopes, a medida é importante para explicitar prerrogativas das Forças Armadas no cumprimento de suas funções: “Serão 23 mil militares para proteger não só os visitantes e brasileiros nas Olimpíadas, mas para proteger também a imagem do Brasil e o patrimônio cultural dos Jogos Olímpicos”.
Atualmente, o Código Penal Militar lista alguns crimes, principalmente relacionados a atividades militares, nos quais o julgamento é feito pela Justiça Militar, exceto se forem dolosos contra civis. Com o projeto, outras situações de crime doloso contra a vida cometido por militares das Forças Armadas contra civis serão julgados pela Justiça Militar — se cometidos até 31 de dezembro de 2016 — nas seguintes situações: no cumprimento de atribuições estabelecidas pelo presidente da República ou pelo ministro da Defesa; em ação que envolva a segurança de instituição militar ou de missão militar ou em atividade de natureza militar, de operação de paz, de garantia da lei e da ordem.

Procuradoria vai pedir reforço das Forças Armadas para eleições na Baixada Fluminense


Igor Ricardo E Marina Lins

O procurador regional eleitoral do Rio de Janeiro, Sidney Sardinha, afirmou que existe informações de que grupo paramilitares estão tentando impor o medo e terror em moradores da Baixada, assim como fizeram nas últimas eleições. Uma das formas de atuação seria impedir a circulação de certos candidatos nas áreas dominadas pela milícia. Sidney disse ainda que na próxima segunda-feira irá se reunir com representantes do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio para elaborar um pedido formal solicitando o reforço das Forças Armadas nas áreas dominados por milícias, principalmente, na Baixada Fluminense e na Zona Oeste do Rio. A ideia é de que os militares fiquem no estado mesmo após a Olimpíada. O documento será enviado para Brasília.
— Temos que garantir o direito de voto das pessoas que estão à mercê da milícia. Vamos estar atentos e priorizar essas áreas mais vulneráveis — declarou Sardinha.
Na noite desta quarta-feira, mais um assassinato envolvendo um pré-candidato a vereador em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, chocou a população da cidade. Foi o segundo em menos de uma semana no município. Denivaldo Meireles da Silva, de 41 anos, conhecido como Denivaldo de Xérem, estava saindo do estacionamento do Caxias Shopping, quando foi morto a tiros por dois homens armados. Imagens mostram o momento em que o segurança é atingido pelos atiradores, que usavam camisa da Polícia Civil.
A Polícia Civil também investiga se as recentes mortes de pré-candidatos a vereador em cidades da Baixada Fluminense estão interligadas e possuem atuação direta de milícias da região. Desde o mês passado, foram pelo menos quatro assassinatos de pessoas que tentariam uma vaga no Legislativo de seus municípios.
— Temos conhecimento da relação da morte de pré-candidatos com a milícia. Estamos investigando. Não posso afirmar que a execução do Denivaldo está ligada a esses grupos, mas é possível. O modo de agir é o mesmo — disse o delegado Alexandre Herdy, titular da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e de Inquéritos Especiais (Draco-IE).
Outros casos
O assassinato brutal de Denivaldo, morto na frente do filho de 8 anos, e de sua mulher, Andreia Ornelas, de 30, que também foi baleada e está internada em estado grave, é o quarto noticiado pelo EXTRA desde o mês passado envolvendo pré-candidatos a vereador na Baixada Fluminense. No último sábado, Sérgio da Conceição de Almeida, mais conhecido como Berem do Pilar, foi morto na porta de casa por dois armados. Câmeras de segurança flagraram o momento exato em que a vítima é atingida pelos disparos.
No último dia 17, a vítima foi o subtenente Manoel Primo Lisboa, de 52 anos, lotado no 20° BPM (Mesquita), morto com um tiro na cabeça em plena luz do dia em Nova Iguaçu. Testemunhas contaram que ele era atuante no bairro de Cabuçu e seria candidato nas próximas eleições. Também em Nova Iguaçu, no início do mês passado, o professor Anderson Vieira Gomes, de 38 anos, mais conhecido como Anderson Soró, foi assassinado a tiros por mais de dez disparos na porta da escola onde era diretor, em Corumbá.

PORTAL BRASIL


Aeronaves terão de cumprir medidas de segurança específicas durante Jogos

Aviões vão passar por procedimentos realizados por empresas habilitadas em centros de conexão de voos

Todas as aeronaves da aviação geral (serviços aéreos não operados por companhias aéreas, empresas de voos charter ou por militares) que planejam acessar os aeroportos da cidade do Rio de Janeiro e das cidades-sede do futebol – Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP), Salvador (BA) e Manaus (AM) – durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 deverão cumprir medidas adicionais de segurança. 
Esses aeroportos estão próximos a locais onde serão realizadas competições esportivas e que, por medida de segurança, serão regiões excluídas do espaço aéreo nos horários de jogos.
Por conta disso, para ingresso em um desses terminais, as aeronaves da aviação geral deverão, obrigatoriamente, cumprir procedimentos de segurança realizados por uma das respectivas empresas habilitadas em um dos aeroportos-hub (centro de conexões de voos).
Entenda as regras de restrição
A partir da localização do estádio de futebol, foram criadas áreas de exclusão do espaço aéreo classificadas como reservada, restrita e proibida, identificadas como branca, amarela e vermelha, respectivamente. Uma hora antes e quatro horas depois do início do jogo as áreas estarão ativadas.
Durante as cinco horas, na área reservada, com raio de 54 milhas (97,2 km), não serão permitidos voos de treinamento e instrução ou a circulação de asa delta, por exemplo. Na região restrita, que compreende 12 km, não serão permitidos voos de aviação geral (táxi aéreo ou aeronave particular). Já na área proibida, com cerca de 7 km, só poderão voar as aeronaves previamente autorizadas, como as militares, de busca e salvamento, ambulância e segurança pública.
Só as aeronaves que possuem o transponder (equipamento de identificação para tráfego) poderão entrar nas áreas de exclusão. As informações relativas aos períodos de ativação das áreas de exclusão e as regras específicas para a circulação aérea estão publicadas na Circular de Informação Aeronáutica – AIC N 07/16.
A lista dos aeroportos-hub nacionais com empresas privadas habilitadas a realizar estas medidas foi aprovada pela Comissão Nacional de Autoridades Aeroportuárias (Conaero). Cada empresa selecionada possui um Plano Operacional de Segurança que engloba os procedimentos de inspeção em aeronaves, tripulantes, passageiros, bagagens e cargas.

AGÊNCIA SENADO


Adiada para terça-feira reunião da Comissão do Código de Aeronáutica


Da Redação

Foi adiada para o para o dia 12 de julho, terça-feira, às 14h, a primeira reunião da Comissão Especial destinada a examinar o projeto de lei do Senado que que institui o novo Código Brasileiro de Aeronáutica (PLS 258/2016) . A reunião estava originalmente marcada para as 10h10 desta quinta-feira e já havia sido transferida para as 11h. A nova reunião deverá ocorrer na sala 3 da Ala Senador Alexandre Costa, no Anexo II do Senado Federal.

AGÊNCIA BRASIL


Aeroporto de Congonhas terá limite maior de atraso e cancelamento de voos


Sabrina Craide

O governo federal decidiu mudar as regras de distribuição de slots (horários de pouso e decolagem) para o Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Com isso, também serão alterados os percentuais máximos de atrasos e de cancelamentos de voos permitidos no aeroporto, que é o terceiro mais movimentado do país.
Os cancelamentos, que atualmente são limitados a 10% do total de voos, passarão a ser de 20% e os atrasos, antes limitados a 20% poderão chegar a 25% do total. Os novos índices são os mesmos seguidos por outros aeroportos do país, como Brasília, Guarulhos (SP), Viracopos (SP), Galeão (RJ), Santos Dumont (RJ), Confins (MG) e Pampulha (MG). O terminal de Congonhas tinha regras diferentes desde 2014.
Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), ainda não está definido quando os novos índices vão começar a vigorar.
A revogação da resolução que tratava da coordenação de slots de Congonhas vai permitir que o aeroporto possa receber aeronaves comerciais com menos de 90 assentos, o que não era permitido desde 2014. Segundo a Anac, a mudança dará mais autonomia para as operações em Congonhas. Os limites de infraestrutura disponíveis no aeroporto (como pista, pátio e terminal) e os limites de segurança operacional ou de voo continuam considerados. A restrição do número de movimentos por hora e a restrição de movimentos noturnos continua inalterada.
Para a Proteste Associação de Consumidores, a medida é um retrocesso aos direitos dos consumidores. “Essa tolerância prejudica a parte vulnerável nessa relação, o passageiro, que se sujeitará a esperas mais longas e cancelamentos de voos. Cabe à Anac fazer cumprir os direitos dos passageiros, que preveem assistência progressiva (comunicação, alimentação e acomodação) de acordo com o período da demora na saída do voo, ou em caso de cancelamento”, diz a Proteste.
A entidade orienta que os consumidores prejudicados devem recorrer a entidades de defesa do consumidor ou ao Juizado Especial Cível. A Proteste enviou um ofício à Anac cobrando medidas contra as mudanças.
Em 2015, Congonhas recebeu em média 585 movimentações por dia, entre pousos e decolagens, e mais de 19 milhões de passageiros, interligando São Paulo a 30 localidades.

Temer “tranquiliza” turistas sobre zika e segurança na Olimpíada


Paulo Victor Chagas

O presidente interino Michel Temer gravou um vídeo buscando tranquilizar os turistas e atletas para que venham ao Brasil sem se preocupar com problemas de segurança ou contaminação com o vírus da Zika. Na mensagem, que será enviada às embaixadas brasileiras no exterior, Temer diz que o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor do vírus, já foi feito no Brasil.
Citando mais uma vez a expressão “pacificação nacional”, como já utilizou outras vezes, o presidente interino disse que o governo federal tem feito “seguidas reuniões” para “garantir” a segurança das pessoas que viajarem ao país durante o período. O vídeo terá versões legendadas em espanhol e inglês para que possam ser vistas por turistas estrangeiros que visitarão o país devido aos Jogos Olímpicos Rio 2016.
“As Olimpíadas se constituem num momento de união internacional, de pacificação nacional, de harmonia nacional. Eu quero com essa minha palavra tranquilizar a todos. Não deve haver preocupação com nenhuma espécie de doença tropical”, disse. O presidente lembra que, devido ao fato de o país estar no inverno, os mosquitos transmissores operam com “menor intensidade”.
“Não temos a menor preocupação em relação a isso, tendo em vista o tema segurança e o tema saúde. O que nós queremos é nos confraternizarmos com todos os povos do mundo nesta reunião histórica. Venha, portanto. Seja bem-vindo e venha tranquilo”, diz Temer na gravação.



OUTRAS MÍDIAS


JORNAL HOJE EM DIA (MG)


Forças de segurança fazem treinamento contra ataques terroristas no Mineirão

A esplanada do Mineirão recebeu, na manhã desta quinta-feira (7), o treinamento prático de ações de defesa contra ataque químico e neutralização de artefatos explosivos com foco nos Jogos Olímpicos.
Imagem
Participaram da ação, integrantes de forças de segurança. As atividades envolveram ataque químico, estrutura de defesa química, biológica, radiológica e nuclear (DQBRN), procedimentos de prevenção, descontaminação de agentes QBRN e neutralização de artefatos explosivos.
O treinamento integrado contou com a participação de militares das Forças Armadas, Polícia Federal, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Defesa Civil, Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear, agentes de segurança privada entre outros.
Números
Para a Olimpíada Rio 2016 são esperados no Brasil 15 mil atletas de 206 países. São 32 mil profissionais de imprensa credenciados e uma estimativa de 4,5 bilhões de expectadores no mundo inteiro.
Em Belo Horizonte, de acordo com estimativas da Abin, são esperados de 15 a 20 mil turistas durante os jogos. A cidade receberá entre 400 e 500 atletas e 1.500 jornalistas. BH receberá dez partidas de futebol masculino e feminino.

PORTAL ECONOMÍA Y NEGOCIOS (ARGENTINA)


Argentina interesada en fabricar caza Gripen con Brasil

Río de Janeiro La empresa Embraer tiene un contrato para construir 36 de estas aeronaves de diseño sueco.

En un intento por reforzar la alianza militar con Brasil, el ministro de Defensa argentino, Julio Martínez, concluyó esta semana una breve gira por Brasilia y San Pablo, en la que expresó a las autoridades brasileñas el interés de la Argentina por participar de la fabricación de aviones supersónicos Gripen NG, con tecnología sueca.
"Queremos ser parte del contrato que firmó Embraer con la sueca Saab, y podríamos hacerlo a través de la Fábrica Argentina de Aviones (FAdeA). Les pedimos también si podemos sacar de los cazas los componentes británicos para que la Argentina no tenga problemas para trabajar. En este momento, nuestro país está sin aviones supersónicos y queremos ver si podemos definir esto cuanto antes", señaló Martínez a La Nación, tras reunirse con su par brasileño, Raúl Jungmann, y visitar la sede central de Embraer (Empresa Brasileña de Aeronáutica) en San José de los Campos, en las afueras de San Pablo.
Los brasileños señalaron que analizarán la solicitud argentina para ingresar en el acuerdo sellado entre Brasil y Suecia a fines de 2014, por US$ 5.400 millones, que prevé la construcción aquí de un lote inicial de 36 Gripen NG para la Fuerza Aérea brasileña hasta 2019. Luego, se empezarían a fabricar en conjunto más aeronaves para exportación.
Argentina ya colabora con Brasil en la fabricación de otro avión de Embraer, el KC-390, de carga militar, que tiene seis componentes argentinos. El proyecto cuenta con un prototipo que está en fase de pruebas, y la intención del gobierno argentino es que parte de esos tests se hagan también en suelo trasandino.

PORTAL BRASIL DE FATO (RS)


Oito pessoas são presas por armazenamento irregular e descarte ilegal de agrotóxicos

Também foram lavrados 46 autos de infração, registradas 29 notificações e apreendidas armas e munições
Catiana Medeiros 
 A Comissão Permanente de Fiscalização e Controle do Fórum Gaúcho de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos apresentou, nesta terça-feira (5), os resultados finais da Operação Integrada de Fiscalização (OIF), que resultou na prisão de oito pessoas numa ação realizada entre os dias 27 de junho e 1º de julho no Rio Grande do Sul.
De acordo com o promotor de justiça Daniel Martini, a operação teve como objetivo dissuadir o uso irregular dos agrotóxicos e coibir o seu contrabando. “As ações realizadas pelo fórum apresentaram resultados expressivos. Por termos uma fronteira seca, é muito comum a entrada ilegal de agrotóxicos de outros estados e países vizinhos”, explicou.
Além das oito pessoas presas em flagrante por armazenamento irregular e descarte ilegal de agrotóxicos, gerando mais de R$ 100 mil em pagamentos de fiança, foram lavrados 46 autos de infração, registradas 29 notificações e apreendidas armas e munições. Uma aeronave também foi apreendida e 21 suspensas ou interditadas, de um total de 52 inspecionadas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).
A operação aconteceu em 12 municípios: Restinga Seca, São Vicente do sul, Rosário do Sul, Cachoeira do Sul, Cruz Alta, Dilermando de Aguiar, Jari, Mata, São Gabriel, Santa Maria, São Pedro do Sul e São Sepé.
Irregularidades
Esta foi a quarta ação realizada no âmbito da comissão e teve o envolvimento da Anac, Ibama, Fundação Estadual de Meio Ambiente (Fepam), Laboratório de Análise de Resíduos de Agrotóxicos (Larp-UFSM), Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público do RS (MPRS), Delegacia de Meio Ambiente da Polícia Civil (Dema/PC-RS), e Secretaria de Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi).
Dentre as irregularidades encontradas pelas equipes nas empresas, cooperativas e propriedades agrícolas fiscalizadas destacam-se o uso irregular de agrotóxicos, produtos irregulares ou vencidos, embalagens de agrotóxicos vazias descartadas no ambiente, queima de embalagens vazias, depósitos inadequados, aeronaves em desacordo com as normas de aeronavegabilidade, empresas operando sem ou em desacordo com a licença ambiental, empresas sem autorização da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação e empresas sem Cadastro Técnico Federal. Conforme o superintendente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Kuriakin Humberto Toscan, essas infrações geraram até o momento R$ 260 mil em multas. 
OIF
A Operação Integrada de Fiscalização é uma iniciativa dos órgãos integrantes da Comissão Permanente de Controle e Fiscalização do Fórum Gaúcho de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos, espaço que tem facilitado a articulação interinstitucional da sociedade civil e de órgãos públicos. Através da iniciativa são promovidos intercâmbios de conhecimentos, informações e experiências na busca da redução dos impactos dos agrotóxicos no estado.
Em 2015 foi apreendida pelos órgãos fiscalizadores, aproximadamente, uma tonelada de agrotóxicos contrabandeados, cuja destinação adequada está estimada em R$ 1 milhão.

PORTAL AGORAVALE (SP)


Militares da Aviação do Exército partem para missão nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro

Lays Guerrero
O Comando de Aviação do Exército (CAVex) de Taubaté realizou, na manhã desta quinta-feira (7), a formatura de Apronto Operacional para as Olimpíadas do Rio de Janeiro. Apenas o CAVex empregará diretamente 485 militares e 48 aeronaves para os Jogos, e da região mais de mil militares vão atuar na segurança no período de 11 de julho a 20 de outubro.
A Aviação do Exército atuará enquadrada pelo Comando Geral de Defesa de Área (CGDA), no Comando Militar do Leste (CML) e tem como missão proporcionar aeromobilidade e multiplicar as capacidades das forças empregadas sob a responsabilidade de Exército, trabalhando de modo integrado com a Marinha, Força Aérea Brasileira e demais agências envolvidas na segurança do evento.
O Capitão do Exército e Piloto do 1º Batalhão de Aviação do Exército de Taubaté, Fabiano Fernandes Crovato, explica que o Exército está em constante atividade nos últimos 3 anos. Ele destaca a participação na visita do Papa, Copa das Confederações e Copa do Mundo 2014, atividades que serviram de base para treinamento necessário para as Olimpíadas. Apenas em 2016, foram realizados 2 treinamentos operacionais de campo, em abril e junho, no Rio de Janeiro, marcando as conquistas das metas de adestramentos.
"A partir de domingo, dia 10, as primeiras aeronaves chegam ao Rio de Janeiro. São 48 aeronoves e mais de mil militares envolvidos diretamente, entre os que atuarão em campo, mecânicos e logística. Toda essa equipe veio nos últimos meses passando por todas as possibilidades de ações que poderão ocorrer durante os Jogos. E estamos bem preparados para esses mais de dois meses de trabalho intenso, contribuindo para a defesa do país e da população", explica Capitão Crovato.
Alem do Rio de Janeiro, as tropas do Exército também estarão em outras cidades que receberam eventos relacionados com as Olimpíadas, como Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Manaus (AM) e São Paulo (SP).
"Como atual comandante da Aviação do Exército, destaco com orgulho que temos aqui homens e mulheres preparados para essa missão. A aviação não é composta apenas de aeronaves e hangares, mas também de pessoas que levam os valores mais caros do Exército Brasileiro e todos os ensinamentos e experiências adquiridas ao longo dos anos. Estamos prontos, tanto na parte material como em espírito, para essa missão. São anos de treinamento e dedicação para que tudo ocorra bem e tenho certeza que no fim seremos recompensados com mais uma missão bem sucedida", completa o General de Brigada Achilles Furlan Neto, Comandante Atual da Aviação do Exército.
Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro começam oficialmente no dia 5 de agosto e seguem até 21 do mesmo mês. Os Jogos Paraolímpicos acontecem entre os dias 7 e 18 de outubro.

PORTAL DEFESANET


FT Sistemas - MB adquire SARP FT-100

Marinha firma contrato com a FT Sistemas para aquisição de um Sistema de Aeronaves Remotamente Pilotadas
A Marinha do Brasil assinou contrato com a FT Sistemas para a compra de um SARP FT-100 – certificado pelo Ministério da Defesa como PED (Produto Estratégico de Defesa). Os equipamentos serão utilizados pelos Grupamentos Operativos de Fuzileiros Navais em missões de monitoramento e vigilância.
Essa é a primeira negociação que a FT Sistemas firma com a Marinha, já tendo contratos com o Exército, além de ter desenvolvido tecnologia de navegação e controle para a Aeronáutica. Para o presidente da FT Sistemas, Nei Brasil, essa parceria é de grande importância, pois consolida a presença da companhia nas Forças Armadas Brasileiras.
“Nós somos pioneiros nesse segmento e, hoje, praticamente, a única empresa a atender as três Forças. Isso demonstra a seriedade e a capacidade da FT Sistemas para desenvolver aeronaves remotamente controladas. Também nos credencia, fortalecendo nossa atuação nos mercados interno e externo”
As aeronaves do Sistema FT-100 possuem propulsão elétrica, podendo ser lançadas com a mão. Com envergadura de 2,7 metros, comprimento de 1,9 metros e pesando em torno de oito quilos, essas aeronaves podem ser usadas em missões militares, de governo e também em projetos privados.
Com essa venda, a FT Sistema terá aeronaves na Marinha e no Exército, à disposição das Forças Armadas para atuar nas missões de monitoramento e vigilância do País. “É um orgulho para nós estar presente em operações tão relevantes para o Brasil. Isso só reforça nossa missão de contribuir para o desenvolvimento e autonomia tecnológica do país”, conclui Brasil.
Sobre a FT
A FT Sistemas foi fundada em 2005 com a premissa de desenvolver VANTs (Veículo Aéreo Não Tripulado) Táticos Leves para o Brasil e para o mundo, diretamente da sede da aviação nacional, em São José dos Campos.
Com foco no mercado civil e militar, a FT tem posição estratégica para o estabelecimento de programas de desenvolvimento tecnológico no país, já tendo participado dos principais programas e projetos brasileiros de Aeronaves Remotamente Pilotadas capitaneados pelo Ministério de Defesa.
A empresa vem investindo no desenvolvimento de sistemas críticos de navegação e controle, e, em novos produtos e soluções. Para isso, conta com uma equipe de profissionais vindos das mais importantes entidades de formação de pessoal técnico no ramo aeronáutico e de sistemas, como: Instituto Tecnológico de Aeronáutica-ITA, USP-São Carlos, PUC-RS e Instituto Militar de Engenharia-IME.
Com atuação de destaque nacional na área de Aeronaves Remotamente Pilotadas, foi homologada pelo Ministério da Defesa como uma Empresa Estratégica de Defesa-EED, através da Portaria no 3.228/2013 MD, transformando-se, portanto, na empresa nacional fornecedora destes equipamentos para as Forças Armadas.

JORNAL DIÁRIO DE NOTÍCIAS (PORTUGAL)


Ameaças de terrorismo estão a ser acompanhadas pelo governo

Nos Jogos Olímpicos haverá um centro de informações gerido pela Agência Brasileira de Inteligência e outro centro de inteligência do serviço de estrangeiros.
O ministro do Gabinete de Segurança Institucional brasileiro, Sérgio Westphalen Etchegoyen, garantiu hoje, a menos de um mês dos Jogos Olímpicos Rio2016, que todas as ameaças e fontes de instabilidade relacionadas com terrorismo estão a ser acompanhadas.
"Todas as possibilidades, todas as ameaças, todas as fontes de instabilidade foram identificadas, estudadas e estão sendo acompanhadas", afirmou, em conferência de imprensa com os correspondentes estrangeiros em Brasília, frisando, contudo, que "o mundo não tem sido o lugar mais seguro".
O governante não quis falar do trabalho das autoridades relativamente à possível fuga do terrorista sírio Jihad Ahmad Diyab, ex-presidiário de Guantánamo que foi acolhido no Uruguai como refugiado, para o Brasil, como foi alertado pela companhia aérea Avianca. 
O Almirante Ademir Sobrinho, chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, também presente no evento, explicou que ao perder o paradeiro desse indivíduo, o Uruguai, "por obrigação, tem de informar toda a gente", lançando um alerta, que também inclui empresas áreas.
Porém, afirmou, não há "nenhum indício de que ele esteja no Brasil", podendo "estar até no Uruguai".
Ao comentar a existência de um grupo em português no serviço de mensagens instantâneas Telegram, criado pelo Estado Islâmico, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional reconheceu que existe uma "guerra psicológica" e uma "campanha dirigida para o Brasil".
Durante os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, haverá um centro de informações para o evento, gerido pela Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), e outro centro de inteligência do serviço de estrangeiros, no qual irão participar, pelo menos, serviços de informações de 116 países.
Também presente no encontro, o ministro da defesa, Raul Jungmann, afirmou que 100% dos compromissos assumidos com o Comité Olímpico Internacional (COI) estão cumpridos.
O ministro lembrou que os jogos terão 85 mil homens envolvidos no esquema de segurança e que existem ainda reservas de contingência.
Em resposta à Lusa, referiu que os eventos de grande dimensão que têm sido organizados no Rio de Janeiro, como o campeonato do mundo de futebol em 2014, mostram que há uma "retração do crime organizado", porque aumenta o policiamento.
O governo reconheceu, contudo, que existem dificuldades em termos de fronteiras, e que, por isso, na semana passada foi criado um comité executivo de fronteiras, com vários órgãos, desde o Ministério das Relações Exteriores à Polícia Federal.
Para fazer a segurança, haverá ainda um satélite de baixa altitude, que foi cedido pelo governo israelita, e equipas especificas para as áreas químicas e nuclear.
Os ministros agendaram o encontro com a imprensa estrangeira para afastar receios relativamente à segurança no Rio de Janeiro durante o maior evento desportivo do mundo, depois de o equipamento de uma televisão alemã ter sido roubado e uma atleta paralímpica australiana ter sido assaltada.
O próprio presidente da câmara do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, afirmou recentemente, em declarações à televisão norte-americana CNN, que o governo estatal está a fazer um "trabalho terrível" na área da segurança, mas mais tarde recuou nas declarações.
Segundo o governo, até agora está confirmada a presença de 44 líderes mundiais na abertura dos Jogos Olímpicos, mas são esperados mais.

JORNAL NOTISUL (SC)


Acidente deixa um desaparecido

Um homem caiu no mar a 170 milhas náuticas ao sul do Farol de Santa Marta, em Laguna.
Kalil de Oliveira
Um pedido de ajuda emitido de uma embarcação a 170 milhas náuticas da costa (aproximadamente 273,6 km) mobilizou uma aeronave de socorro da Marinha da cidade de Rio Grande, do Rio Grande do Sul, e dois navios para um difícil resgate em condições de mar adverso por causa do mau tempo.
Segundo informações da Delegacia da Capitania dos Portos de Laguna, o pedido era para ajudar a localizar um pescador e socorrer outro ferido. No meio da tarde, a aeronave já havia encontrado a embarcação e seguia nas buscas do desaparecido, apesar do vento forte.
Para o dia de ontem, a Marinha já havia emitido um alerta desaconselhando a atividade de pesca na faixa de mar entre o Chuí e Laguna. Conforme o serviço de comunicação social da Salvamar Sul, órgão vinculado à Marinha do Brasil, de Rio Grande (RS), trata-se do Barco de Pesca Ana Luiza, inscrito na Delegacia da Capitania dos Portos em Itajaí. Assim que recebeu o chamado, orientou a embarcação a se deslocar para Imbituba em direção do Navio-Patrulha “Benevente”.
As primeiras informações eram de que o ferido poderia ser levado de helicóptero para Laguna ou Itajaí, dependendo da avaliação médica. A Força Aérea Brasileira também foi acionada e está apoiando as buscas ao desaparecido com uma aeronave, a partir da Base Aérea de Florianópolis. 
Ondas podem passar dos sete metros

Para o presidente da Associação dos Pescadores de Laguna, Antônio Manoel de Souza, a morte de um pescador na região é bastante rara devido aos cuidados da categoria com a segurança, porém há barcos de outras regiões que exploram a atividade no litoral catarinense.
“Nesta distância, apenas atuam barcos de pesca industrial”, diz Antônio, que exerce a pescaria artesanal, com autorização para avançar até três milhas da costa. “São mais de 400 metros de profundidade e ondas de seis a sete metros. Aí não importa o tamanho do barco. Uma onda destas derruba qualquer um”, avalia.
O mercado da pesca na região de Laguna segue em aquecimento, segundo Antônio. O interesse dos pescadores industriais é por espécies como papa-terra e principalmente a anchova, que está na época de desova, com maior valor comercial.

PORTAL D24AM (AM)


Homem é preso com arsenal de armas e munições no bairro Santa Luzia, em Manaus

Em depoimento, o suspeito disse que estava guardando as armas para uma pessoa, mas não revelou o nome do responsável pelo armamento.
Jucélio Paiva
Manaus - Policiais da 2ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) prendeu Rick Carvalho da Silva, 31, na casa em que ele morava na Rua Santa Luzia, no bairro Santa Luzia, zona sul de Manaus, com sete armas e munições, de grosso calibre, de acordo com o comandante da 2ª Cicom, capitão Alberto Neto.
A ação aconteceu, segundo Neto, após denúncia anônima de que um homem estaria guardando munição dentro de casa. No local, a polícia encontrou dois fuzis de uso exclusivo das Forças Armadas, três pistolas de uso exclusivo das Polícias Militar e Civil – sendo uma PT.40, PT.940, PT.100 – um revólver calibre 38 e uma granada, além de diversas munições de fuzis, pistolas e revólveres.
De acordo com o capitão, as armas são usadas pelos próprios criminosos do bairro Santa Luzia. Em depoimento, o suspeito disse que estava guardando as armas para uma pessoa, mas não revelou o nome do responsável pelo armamento.
Rick será apresentado, nesta sexta-feira, no 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e vai responder pelo crime de porte ilegal de arma de fogo e posse ilegal de munição.

JORNAL A GAZETA DO IGUAÇU (PR)


Marinha assina convênio com ICLI para apoiar o Projeto Velejar é Preciso

A Marinha do Brasil, por intermédio da Capitania Fluvial do Rio Paraná, assinou um convênio, na semana passada com o Iate Clube Lago de Itaipu (ICLI) para apoiar o Projeto Velejar é Preciso. A divulgação foi feita ontem (7). A parceria é parte do Programa Segundo Tempo – Forças do Esporte desenvolvido pelo Ministério da Defesa, e contribuirá para o amparo a crianças em situação de vulnerabilidade social, mediante o incentivo à prática de esporte a vela em Foz do Iguaçu. É mais um passo importante que a Marinha do Brasil faz em direção ao esporte e de reconhecimento do projeto relevante que o ICLI vem realizando para inclusão social, valorização da cidadania e na realização de atividades esportivas e de lazer. 

JORNAL O REGIONAL (SP)


Transplante

Um relatório da Força Aérea Brasileira (FAB) indicou que desde que foi assinado o decreto pelo presidente da república interino, Michel Temer, foram realizados 15 missões para transplante de órgãos em todo o país. Um deles ocorreu em Catanduva no dia 1 de julho. Foram nove corações, seis fígados, dois pâncreas, dentre outros.

PORTAL NOTÍCIAS DO ACRE (AC)


Governos do Acre e Rondônia assinam cooperação na área da Segurança

Os governos do Acre e Rondônia assinaram nesta quinta-feira, 7, um termo de cooperação técnica que normatiza parcerias nas áreas da inteligência policial e capacitação profissional de operadores da segurança dos dois Estados. A solenidade foi realizada no Centro Político e Administrativo (CPA) de Rondônia.
Representando o governador Tão Viana no evento, Emylson Farias, secretário de Estado de Segurança Pública, foi recebido pelo vice-governador de Rondônia, Daniel Pereira, acompanhado do secretário da pasta daquele Estado, Antônio Carlos dos Reis, além de representantes do Exército Brasileiro, Marinha, Polícia Federal, Aeronáutica e Polícia Nacional Boliviana.
“O acordo de cooperação assinado pelos governos dos dois Estados regula a troca de informações e expertises em diversas áreas. Com isso, podemos promover capacitações de policiais do Acre em Rondônia e vice-versa. Os critérios serão definidos a partir das áreas mais desenvolvidas de cada Estado, no âmbito da segurança”, destacou Farias.
O vice-governador de Rondônia, Daniel Pereira, destacou o empenho do governador Tião Viana pela união dos estados do Norte para enfrentar a criminalidade em bloco. Pereira também pediu um estudo detalhado dos gestores da segurança de Rondônia que possa facilitar o repatriamento de veículos roubados ou furtados no Brasil, que acabam entrando na Bolívia, seja pelos Departamentos de Beni ou Pando [ambos localizados na faixa de fronteira].
Antônio Carlos dos Reis lembrou ainda que Acre e Rondônia ocupam uma região distante dos grandes centros do Brasil, e essa parceria permite pensar ações operacionais em conjunto, em terra ou pelos rios. “A palavra de ordem é parceria. Precisamos melhorar conceitos sociais, mas, ao mesmo tempo, temos nossas obrigações, que dão uma melhor segurança para todos”, disse.

PORTAL PODER AÉREO


KC-390 pousando em Farnborough

Imagem
A Embraer divulgou, via Twitter, a imagem acima de protótipo do jato de transporte militar KC-390 pousando hoje (7 de julho) em Farnborough, na Inglaterra, onde é realizada uma das mais importantes feiras aeronáuticas do mundo.
A empresa também divulgou as imagens abaixo, do novo jato comercial E190-E2, que realizou recentemente seu primeiro voo, e do jato executivo Legacy 500, ambos também chegando para participar da feira em Farnborough.
Imagem
Imagem



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented