|

Teca do Aeroporto de Goiânia oferece ampla estrutura para cargas fármaco-químicas

Antecamara-Teca-Goiania


Teca do Aeroporto de Goiânia oferece ampla estrutura para cargas fármaco-químicas ...

O terminal de logística de carga (Teca) do Aeroporto de Goiânia está intensificando suas atividades de fidelização de empresas para operação no complexo, com ênfase no ramo farmacêutico. Uma fidelização recente ocorreu no primeiro trimestre deste ano, com a assinatura de Termo de Acordo com a empresa Nutriex Importação e Exportação de Produtos Nutricionais e Farmaquímicos.

      A atividade busca aproveitar a vocação do Teca para a movimentação de cargas fármaco-químicas, responsáveis por 59,5% da movimentação de volumes do complexo. Na relação dos 100 maiores importadores do complexo goianiense, 34 deles são do ramo farmacêutico-hospitalar, sendo que 16 dessas empresas têm acordos de fidelização com a Infraero.

      Para atender à demanda do setor, o terminal de cargas do Santa Genoveva conta com uma moderna estrutura de 420,9 m² de área disponíveis somente para a alocação desses volumes. O espaço inclui duas antecâmaras com temperaturas entre 16 e 22° C, três câmaras frigoríficas com temperatura entre 2 e 8° C, uma câmara fria com temperatura de -20° C e dois contêineres refrigerados utilizados para cargas específicas, com temperaturas que podem variar de 30 até -40° C. As temperaturas desses espaços podem ser ajustadas de acordo com a necessidade da carga, dando ao complexo logístico condições ideais para atender a condições especiais de temperatura.

      Para garantir um controle ainda mais rígido das boas condições de armazenamento dessas cargas, o Teca de Goiânia disponibiliza também um sistema de monitoramento de temperatura e umidade relativa em suas áreas. O sistema é composto por termohigrômetros que obtêm as informações das áreas monitoradas e as transmitem por meio da rede de dados do terminal para um servidor, que, por sua vez, disponibiliza as informações climáticas em tempo real. Esses dados podem ser visualizados por qualquer computador no aeroporto através de um navegador web.

      O sistema também armazena as informações em banco de dados, onde se pode gerar relatórios e gráficos de acordo com a necessidade do usuário. É possível definir escopos de temperatura e umidade para cada uma das áreas, e, caso estes eventualmente sejam ultrapassados, são gerados alertas informando sobre a ocorrência no sistema, que são enviados por e-mail e ainda por mensagem de texto (SMS) para contatos determinados.

   Movimentação e particularidades do Teca de Goiânia
      O Teca do Aeroporto de Goiânia, em 2015, teve a quinta maior participação na movimentação de cargas de importação da Rede Teca da Infraero, processando 4.720 toneladas no setor. A vocação do complexo goianiense é voltada primariamente para cargas de importação, que responderam por 99,2% dos volumes processados no Teca em 2015. No primeiro trimestre de 2016, o complexo goianiense também experimentou uma alta no processamento de cargas de exportação, com um crescimento de 193% em comparação ao primeiro trimestre de 2015.

      O Teca de Goiânia tem também vocação para a nacionalização de cargas vindas do modal marítimo. Cerca de 85% das cargas recebidas no terminal vêm do modal marítimo.


Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented