|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 08/06/2016 / Airbus apresenta primeira aeronave feita por impressão 3D


Airbus apresenta primeira aeronave feita por impressão 3D ...


O drone, intitulado Thor, pesa 21 quilos e tem quatro metros de comprimento; a novidade ainda está em fase de testes ...

A Airbus apresentou nesta terça-feira, na Feira Internacional Aeroespacial ILA 2016, em Berlim, na Alemanha, o protótipo da primeira aeronave do mundo fabricada por uma impressora 3D (as únicas partes que não são impressas são os componentes elétricos). O drone (objeto voador não tripulado), intitulado Thor, pesa 21 quilos e tem quatro metros de comprimento, com envergadura também de quatro metros. O visual é bem parecido com o de um avião tradicional.

Para a companhia, o mini-avião é pioneiro e oferece uma amostra do que está por vir. De acordo com o anúncio na capital alemã, a tecnologia de impressão 3D pode ajudar no futuro da aviação, economizando tempo, combustível e dinheiro. “Este é um teste do que é possível com a tecnologia de impressão 3D”, disse Detlev Konigorski, responsável pelo desenvolvimento do Thor. “Queremos ver se podemos acelerar o processo de desenvolvimento usando impressão 3D não apenas para peças individuais, mas para um sistema inteiro”, acrescentou.

 “As peças impressas têm as vantagens de não necessitarem ferramentas e poderem ser feitas muito rapidamente”, afirma Jens Henzler, diretor de prototipagem industrial da empresa alemã Innovation Group Hofmann, especializada em técnicas de impressão 3D.

Quanto ao desempenho do Thor no ar, o engenheiro-chefe da Airbus, Gunnar Haase, garantiu que o pequeno avião “voa bem e é muito estável”. Haase foi o responsável por controlar e realizar o voo inaugural do drone da empresa em novembro do ano passado, perto de Hamburgo. A Airbus e sua rival americana Boeing já estão usando a impressão 3D para fazer algumas peças dos seus enormes aviões de passageiros, o A350 (Airbus) e o B787 Dreamliner (Boeing).

Impressão 3D no espaço – O futuro foguete Ariane 6, da Agência Espacial Europeia, programado para decolar em 2020, também será construído com algumas peças via impressora 3D. De acordo com o diretor da Airbus Safran Launchers, Alain Charmeau, a fabricação – contendo alguns componentes impressos – terá os custos significativamente reduzidos, e o foguete poderá ser vendido pela metade do preço do seu antecessor, o Ariane 5.




Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




PORTAL G-1


Temer reúne ministros no Planalto para tratar sobre a Olimpíada

Encontro no Palácio do Planalto não estava previsto na agenda oficial. Ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) deu entrevista após a reunião.

Filipe Matoso

O presidente em exercício Michel Temer se reuniu na manhã desta terça-feira (7) com pelo menos 12 ministros, entre titulares e interinos, no Palácio do Planalto, para discutir a realização dos Jogos Olímpicos Rio 2016.
Conforme a assessoria de Temer, inicialmente, a reunião no Planalto nesta terça seria comandada por Padilha e pelo ministro interino do Esporte, Fernando Avelino. Por volta das 10h, contudo, o presidente em exercício, que estava no Palácio do Jaburu, residência oficial da Vice-presidência, decidiu participar.
Ainda de acordo com a Secretaria de Imprensa, participaram da reunião, além de Temer, Padilha e Avelino, os ministros Dyogo Oliveira (interino do Planejamento), Alexandre de Moraes (Justiça), Raul Jungmann (Defesa), Ricardo Barros (Saúde), Henrique Eduardo Alves (Turismo), Mendonça Filho (Educação), Marcelo Calero (Cultura), Fernando Coelho Filho (Minas e Energia), Henrique Meirelles (Fazenda) e Sérgio Etchegoyen (Segurança Institucional).O diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência, Wilson Trezza, o secretário de Comunicação Social da Presidência, Marcio Feiras, e os secretários-executivos dos ministérios dos Transportes, Relações Exteriores e Ciência e Tecnologia também estiveram presentes.
Reunião de avaliação
Após a reunião, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, chamou a imprensa ao quarto andar do Palácio do Planalto para detalhar o encontro. Segundo ele, os ministros fizeram uma avaliação da preparação para os Jogos Olímpicos.
Na avaliação do ministro, o encontro foi importante porque permitiu o "nivelamento" de informações, já que 17 ministérios estão envolvidos na preparação do evento.Ainda de acordo com Padilha, Temer levou a mensagem de que é preciso garantir o sucesso da Olimpíada sem que "entraves ocorram". Além disso, ressaltou ser uma oportunidade "ímpar" de o Brasil mostrar ao mundo que pode receber eventos dessa magnitude. 
Em seguida, o ministro interino do Esporte, Fernando Avelino, afirmou que, embora a Olimpíada dê "preocupação", em razão do tamanho, o governo acredita que os Jogos serão "um sucesso".
"Estamos controlando todo o processo e você precisa de pontos de atenção e controle. Cada vez que chega mais próximo do evento, estamos acompanhando ainda mais de perto. [...] Queria deixar uma palavra de otimismo porque estamos no caminho certo. Vai ser um sucesso, assim como foi a Copa, a Jornada Mundial da Juventude e o Pan-Americano. Temos uma experiência já consagrada e o sucesso está por vir", declarou o interino.
Visita ao Rio
Segundo a Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Temer comunicou no encontro que irá ao Rio de Janeiro no próximo dia 15 para visitar as instalações do Parque Olímpico.
Além disso, o presidente em execício deverá se reunir com o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach. Os dois se falaram por telefone há cerca de três semanas e Temer, segundo o ministro do Esporte, Leonardo Picciani, "reafirmou todas as garantias assumidas pelo governo" em 2007.
Discurso
No início da tarde desta terça, a assessoria de Temer divulgou o áudio com o discurso do presidente em exercício durante o encontro com os ministros. Em sua rápida fala, de cerca de três minutos, o peemedebista afirmou que os Jogos têm significado "muito especial para o país", especialmente num momento em que "há certa falta de crença" no Brasil.
Temer, ao relatar o encontro que terá com Thomas Bach no próximo dia 15, disse que o objetivo é levar ao COI "injeção de ânimo". "Até porque, de vez em quando, há uma ou outra afirmação relativa a uma eventual doença, ao vírus da zika e a uma eventual insegurança. Nós temos de dar injeção de ânimo e, mais que injeção de ânimo, injeção de segurança institucional para que ele [Bach] possa transmitir essa informações", disse Temer aos seus auxiliares.

Embraer recruta ex-funcionários da Nasa para unidade nos EUA

Parte da mão-de-obra de programa especial norte americano foi absorvida. Eles atuam no primeiro centro de engenharia da empresa fora do Brasil.

Arthur Costa

O retorno da nave espacial Atlantis, em julho de 2011, marcou o fim de uma era. Depois de 30 anos acabava o programa espacial norte-americano. O impacto imediato da medida foi a demissão de mais de 7 mil profissionais da agência espacial dos EUA, a Nasa. Mas se o clima foi de despedida em Cabo Canaveral, na Flórida, sede da agência, o momento foi de oportunidade para quem buscava mão de obra qualificada na região.
A Embraer, que havia fundado uma unidade no mesmo estado poucos meses antes do fim do programa espacial recrutou parte destes demitidos, principalmente engenheiros. Eles correspondem atualmente a 10% do total de profissionais que formam a equipe de 150 funcionários do primeiro centro de engenharia da empresa fora do Brasil e atuam em um prédio inaugurado em 2013 no complexo de Melbourne. 
Brian Hammer passou 13 de seus 40 anos de vida na Nasa. Participou do projeto das últimas missões da nave Atlantis. Era responsável pelo setor que desenvolvia a tecnologia que permite a qualidade de vida dos astronautas dentro da cabine espacial, como o controle da temperatura e pressão atmosférica.
Com o fim do programa espacial, ficou em dúvida sobre o seu futuro. Tinha medo que as pesquisas e a tecnologia criada se perdessem. “Via muitos colegas perdendo o emprego e ficava pensando onde poderíamos continuar desenvolvendo toda essa tecnologia. E acho que a Embraer pensou o mesmo”, disse Brian, há quatro anos na fabricante de aviões.
Ele conta que o trabalho é parecido com o que fazia na Nasa, até porque a essência da cabine tanto de um avião quanto de uma nave espacial é a mesma - dar segurança a quem está dentro.
Kevin Charles é outro profissional ex-Nasa que integra o centro de engenharia da empresa brasileira. Ficou na agência espacial por oito anos.
Para ele, a diferença do trabalho atual para o antigo é maior no ambiente da empresa, que mistura a filosofia norte-americana com a brasileira. “Aqui é como uma família. Trabalhamos muito mais relaxados”, disse o engenheiro que trabalha no mesmo setor de Hammer. 
Quem comanda o centro de engenharia é o brasileiro Paulo Pires, na empresa há 16 anos. Há um ano foi transferido da sede de São José dos Campos para Melbourne. “O pessoal da Nasa tem uma preocupação com a segurança muito grande, assim como nós. Eles levam isso muito a sério e acho que por isso se encaixaram tão bem no nosso modo de trabalhar”, disse Pires.
Parte do trabalho em Melbourne é feito em conferências com o grupo que fica no Brasil. Em São José, a equipe da Embraer conta com 4 mil engenheiros.
Trabalho
O centro de engenharia em Melbourne é voltado para aviação executiva e trabalha em duas frentes principais, sendo uma de desenvolvimento de interiores (parte de dentro dos jatos), produzindo inovações tecnológicas que são vistas pelos clientes; e outra focada nos sistemas elétricos e aviônicos, algo mais voltado para a melhoria no desempenho das aeronaves.
O prédio conta com laboratórios e oficinas. Muita coisa é mantida em sigilo, mas uma das novidades desenvolvidas por lá que o G1 teve acesso é o “upper tech panel”, que é um painel que indica as informações do voo para o passageiro, que pode selecionar qual dado deseja visualizar no sistema touch screen. Ele é tratado como um xodó pela equipe que comanda a aviação executiva. A previsão é que ele esteja no mercado no primeiro trimestre de 2017.
"Queremos que ele seja uma marca da Embraer. Algo que o cliente, ao entrar na aeronave, vai saber que aquele é um avião da Embraer”, disse Marco Túlio Pellegrini, presidente da aviação executiva da empresa.
Inovação
Outra inovação do centro é uma sala que simula realidade mista - virtual e real. Feita em parceria com uma empresa de sistema de imagem, é usada a menos de um ano para desenvolver alternativas para o interior dos jatos.
Com um chão que parece um conjunto de QR Codes, é possível, com um capacete, estar dentro de uma aeronave e testar mudanças em tempo real.
Com a expansão na unidade em Melbourne, a meta da empresa é contratar de forma gradual mais 200 engenheiros nos próximos dois anos.
O repórter do G1, Arthur Costa, viajou para a Flórida à convite da Embraer para acompanhar a inauguração da linha de montagem dos jatos Legacy 450 e 500 nos EUA. Até quinta-feira (9) serão publicadas reportagens sobre as atividades da Embraer no país e curiosidades da empresa no mercado norte-americano.

Corpo de atleta de wingsuit será cremado nesta quarta-feira

Funeral está marcado para as 15h no Memorial do Carmo, no Caju. Especialista diz que Fernando Brito era o mais experiente na Pedra da Gávea.

Alessandro Ferreira E Fernanda

Amigos de Fernando Antônio Rezende Brito, de 42 anos, que morreu após um salto de wingsuit, no último domingo (5), ainda tentam entender o que aconteceu com o atleta, cujo corpo foi liberado do Instituto Médico Legal (IML) nesta terça-feira (7). O corpo do militar será velado na quarta-feira (8), no Memorial do Carmo, no Caju, a partir das 8h, com direito a honras militares, e cremado às 15h.
Segundo eles, Fernando era capitão de fragata da Marinha e muito experiente nos saltos. "Ele também fazia parte do grupo de mergulhadores de combate, então era um cara que tinha ótimo preparo e estava habituado a situações de risco", afirmou José Augusto dos Santos, amigo de Fernando.
Fernando e um amigo saltaram juntos da Pedra da Gávea e o amigo pousou sem problemas. "Ninguém sabe o que houve com o Fernando. Ele saltou com uma câmera GoPro, que poderia ajudar a entender o que aconteceu, mas a câmera não foi encontrada pelos bombeiros. O local onde ele caiu é de difícil acesso".
Além do wingsuit, Fernando era praticante de alpinismo e surfe, entre outros esportes, e também era um dos protagonistas do programa "Abismo", do canal por assinatura Off, contou José Augusto. "O penúltimo salto dele, inclusive, foi também da Pedra da Gávea. Ele escalou a pedra até o topo, usando cordas e ganchos de alpinismo, e de lá saltou, já de noite. Era perito mesmo, só pode ter sido uma fatalidade", acredita o amigo.
O paraquedista e especialista em wingsuit Luigi Cani conhecia Fernando Brito e acredita que o que aconteceu foi um acidente. Em entrevista ao G1, Cani disse que Fernando era o homem mais experiente em saltos na Pedra da Gávea que ele conhecia e que já tinha feito 300 saltos do local.
“É um salto bem técnico, um aprendiz não vai saltar da Pedra da Gávea. No início do salto, quando você pula da pedra, você tem que ter simetria, equilíbrio e performance de 90%. Em seis segundos, se você não tem uma saída certa, você tem uma colisão e você vai morrer. Existem montanhas que tem configuração de 12 segundos ou 20 segundos, é mais fácil. Essa saída da montanha foi exatamente o que aconteceu com Brito. Acredito que a pedra estava molhada e ele escorregou [...] Ele fez o processo correto, ele começou com paraquedismo, começou saltando de wingsuit de aeronave, era um atleta com experiência. Tem gente que acelera esse processo, ele tinha saltado dessa pedra 300 vezes, pode ter escorregado, tinha uma saída que não era simétrica, é um esporte que não aceita uma falha”, disse Brito.
Luigi conhecia Fernando Brito há, pelo menos, seis anos. Os dois já tinham viajado juntos para fazer uma séria para o programa “Mestre dos ares”, do Fantástico, da TV Globo.
“Ele saltou comigo no Brasil, na Venezuela, na África do Sul. Ele era a pessoa que mais tinha salto da Pedra da Gávea. Nesse fim de semana a condição climática não estava favorável. Ele tinha nível técnico para não ter problema nenhum no salto. Foi uma sucessão de sinais para ele não ter saltado. Desde a condição do tempo, estar cansado, condição psicológica, é uma condição de coisas, todo mundo está sujeito a isso”, disse Luigi.
O paraquedismo em wingsuit - traje (suit) de asa (wing) -, em tradução livre, é um esporte radical em que o atleta usa um macacão com formato aerodinâmico, com asas, para voos de alta performance. Segundo Luigi Cani o esporte tem duas versões: uma que é regulamentada, quando o salto é feito de uma aeronave; e outra que não é regulamentada, quando o salto é feito de montanhas.
“Todos os saltos feitos em aeronave são regulamentados, não só pelo órgão de cada país. No Brasil, é a Anac, o Ministério Aviação, e também é regulamentado através das confederações de paraquedismo. Pra você avançar em categorias, o aluno, tem pré-requisitos. A outra modalidade, que é praticada de montanha, já entra na categoria mais parecida de alpinismo. Alguém que vai subir uma montanha, não precisa de licença [...], mas ninguém tem autoridade para proibir ninguém de fazer nada. Tem lugares que o salto é legal, tem lugar que é proibido. No Brasil praticamente todos os lugares são legais, é uma pratica bem mais informal. Uma vez que você saiu da aeronave ou da montanha, você está voando igual. Eu acredito que o de montanha é mais perigoso”, explicou Luigi Cani.
O corpo de Fernando foi encontrado sem vida, nesta segunda-feira (6), na mata. Os bombeiros encontraram, primeiramente, parte do equipamento e depois, junto com escaladores, localizaram o corpo em uma área de difícil acesso na mata.
As buscas começaram no domingo, às 21h15. Além de atleta, Brito era oficial da Marinha do Brasil e Mergulhador de Combate. Ele estaria com três amigos quando fez o voo e não foi mais encontrado.
Bombeiros do Alto da Boa Vista passaram a segunda-feira procurando o esportista. Um helicóptero da Polícia Civil também foi usado nas buscas. Apenas com o auxílio de um drone, que eles encontraram parte do equipamento e, em seguida avistaram o atleta, já sem vida, preso na mata.
Em janeiro deste ano, Fernando Brito participou de uma reportagem para o Esporte Espetacular, da TV Globo. Na ocasião, o atleta fez um salto arriscado de wingsuit, passando por uma fenda entre duas pedras no Espírito Santo.
De acordo com a reportagem, esse era um sonho e um feito inédito para Fernando. Durante o voo, o atleta chegou a mais de de 2,2 mil metros de altura em uma velocidade de até 200 km/h.
Atleta considerava Pedra da Gávea um local sagrado
Fernando Brito considerava o local "sagrado", conforme declarações postadas em redes sociais. Em uma delas, Brito, diz que os saltos proporcionavam "experiências inesquecíveis".
"A Pedra da Gávea é um local sagrado para mim. Local de treino e muita reflexão. São mais de 300 saltos de wingsuit e experiências inesquecíveis", diz o texto.
Um dia antes do sumiço, em outro post ele diz que, por conta do mau tempo, desistiu do salto. "Hoje [sábado] não teve pulo mesmo. Tirei essa foto lá no alto da Pedra da Gávea e ainda fiquei esperando umas quatro horas para depois descer andando", escreveu. 
Nas redes sociais, Fernando postava fotos e era admirado pelos seus voos. Depois que a morte de Fernando foi confirmada, centenas de amigos e parentes publicaram mensagens nas redes sociais. Um primo do esportista escreveu:
"Primo, Não deu tempo de repetir essa foto.... Mas aonde quer que vc esteja agora tenho certeza que está levando alegria!
Vc estava fazendo o que gostava... Devia estar feliz, Isso que importa! Descanse em paz..."

Militares fazem treinamento no Vale do Paraíba para Olimpíada

Objetivo é se preparar para a segurança e proteger o público e atletas. Ao todo dois mil militares participam do projeto que vai até sexta-feira (10).

Cerca de dois mil militares participam de atividades nesta semana no Vale do Paraíba para atuar na Olimpíada do Rio de Janeiro. O objetivo é fazer a segurança do público nos jogos, que começam no dia 5 de agosto.
Esta etapa do treinamento começou nesta segunda (6) e vai até a próxima sexta-feira (10). As atividades acontecem em Canas, Cachoeira Paulista, Lorena e Piquete. Também participam do treino, militares de Pirassununga (SP), Curitiba (PR) e Valença (RJ). Esta etapa faz parte da série de atividades e treinamentos que começaram no início dpo ano passado e seguem até agosto de 2016, próximo a data de início aos jogos.
“Durante o treinamento, a preparação especial é para realizar a segurança e conter os possíveis problemas que possam ocorrer, como explosões, acidentes, catástrofes e também o gerenciamento de crises. Haja o que houver, estaremos preparados. Esse é o objetivo”, afirmou o major Luiz Cláudio Ferreira, oficial de comunicação social.
Na Olimpíada, os militares do Vale atuarão em conjunto com outras Forças Armadas na Barra da Tijuca, onde está concentrado o maior número de competições e a Vila Olímpica, que receberá a maior parte das delegações dos países participantes.
“Estamos em fase final de treinamento e este provavelmente será nosso último na região, mas a programação continua, e até mesmo no Rio estaremos em preparação. Acredito que seja o maior evento do mundo”, explicou ainda o major.

REVISTA ISTO É


Picciani diz ser impossível suspender Jogos por causa da zika


É “impossível” que os Jogos Olímpicos do Rio sejam suspensos por causa da zika, como havia sugerido um grupo internacional de cientistas, afirmou nesta terça-feira à AFP o ministro dos Esportes brasileiro, Leonardo Picciani.
Em entrevista na embaixada do Brasil em Londres, Picciani previu que os casos de zika serão reduzidos “praticamente a zero” em agosto, quando se celebram os Jogos (de 5 a 21).
Ele também afirmou que não têm sido feitas ameaças terroristas concretas aos Jogos Olímpicos, em meio à crescente preocupação pela Eurocopa 2016 que acontecerá na França a partir do dia 10 de junho.
“É impossível, não há a menor possibilidade” que se suspenda ou transfira os Jogos, disse Picciani. “O Brasil está seguindo todas as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) contra o vírus”, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, afirmou.
“As autoridades brasileiras estão tendo sucesso nessa luta, tivemos uma redução significativa de casos. Primeiro foram registrados 4.000 casos, em maio já havia baixado para 700 e esperamos que cheguem perto de zero em agosto”, estimou o ministro do governo interino de Michel Temer.

Picciani respondeu assim à carta aberta publicada por mais de 150 médicos, cientistas e pesquisadores internacionais que solicitavam à OMS que os Jogos Olímpicos fossem adiados devido ao risco de que centenas de milhares de pessoas possam ajudar a espalhar a doença ao redor do mundo.
A zika pode causar malformações congênitas, como a microcefalia, que faz com que os bebês nasçam com o cérebro e a cabeça menores que o normal. Cerca de 1.300 bebês nasceram no Brasil com malformações irreversíveis desde que o mosquito Aedes aegypti, vetor da dengue, começou a transmitir o zika no ano passado.
Ameaça terrorista
Picciani visita Londres para trocar opiniões com os encarregados da última sede dos Jogos Olímpicos e se encontrou com o ministro da Cultura e Esporte, John Whittingdale, e com o secretário de Estado de Relações Exteriores, Hugo Swire.
Nesta terça, precisamente, o governo britânico alertou aos torcedores que vão para a Eurocopa 2016 na França para o perigo de atentados terroristas em estádios, transportes públicos e lugares concorridos durante a competição.
“Não existe uma inquietação específica, mas a prevenção da violência e do terrorismo é um tema muito sério”, afirmou Picciani. “As autoridades brasileiras, as Forças Armadas e a polícia estão seguindo todos os protocolos de segurança. Teremos a colaboração de mais de 100 países no centro de comando e controle”, afirmou.
“Esperamos ter Jogos altamente seguros”, confiou, recordando que o Rio recebeu a final da Copa do Mundo e a visita do Papa recentemente, e que “nunca teve incidentes de segurança”.
Na coletiva de imprensa que precedeu a entrevista, Picciani confirmou que a nova linha do metrô carioca, que deve unir em 16 quilômetros os bairros turísticos de Copacabana e Ipanema (zona sul) ao centro dos Jogos na Barra da Tijuca (zona oeste), será entregue para inauguração alguns dias antes do início dos Jogos, mas só poderá ser usada por espectadores, participantes e trabalhadores do evento.

JORNAL DE BRASÍLIA


Luiz Lima defende incentivo maior a quem investe na base


O novo secretário de Alto Rendimento do Ministério do Esporte, o ex-nadador Luiz Lima, disse nesta terça-feira (7) que a Lei de Incentivo ao Esporte deveria beneficiar mais as empresas que investem em formação de atletas do que as que preferem gastar com o patrocínio de eventos. “Não sou contra o evento, mas o benefício fiscal deveria ser maior para quem cuida da base, pois muitas vezes um evento consome, de uma só vez, o orçamento que cuidaria por anos de vários atletas”, afirmou, durante o encerramento do 4° Encontro Nacional de Editores, Colunistas e Blogueiros (Enecob), encerrado agora à noite.

Lima, que vai a Brasília nesta quarta-feira para um encontro com o ministro Leonardo Picciani, elogiou as ações tomadas pelo seu antecessor no cargo, Ricardo Leyser, a quem telefonou logo após aceitar o convite para assumir a secretaria. “Reconheço e parabenizo o Leyser pelo trabalho. A gente teve belas ações com atletas”, elogiou. Afirmando não saber o que esperar, ele disse que, além de esperar gerir bem as verbas públicas, quer fazer uma gestão baseada nos esportistas. “O atleta é a razão de a Secretaria de Alto Rendimento existir”, destacou.
O novo secretário quer buscar parcerias com os vários entes esportivos, desde clubes e federações até as Forças Armadas, que hoje investem no esporte. Classificando-se como um “não-político”, ele afirmou que, caso não consiga fazer uma gestão dentro de suas metas, “desiste na hora” e retoma suas atividades nos projetos que gerenciava no Rio, de cunho social e desportivo.
Lima definiu um colaborador de sua gestão, o executivo Paulo Bicalho, e se disse otimista com o resultado esportivo dos Jogos Olímpicos. “O histórico mostra que os países-sede têm melhor desempenho em suas casas. Vejo com otimismo o Brasil nestes Jogos e acredito que alcançaremos a melhor posição”, afirmou, sem revelar se acredita que a delegação brasileira ficará no top-10 das Olimpíadas.
Pressão ajuda
A pressão da torcida também não deve assustar as equipes brasileiras, como previu Luiz Lima. A tese foi compartilhada pelos ginastas Petrix Barbosa e Sérgio Sasaki, que participaram do Enecob junto com o secretário de Alto Rendimento. Para Sasaki, a pressão ajuda. “Gosto de competir com pressão e em casa. A casa cheia me faz ir bem”, afirmou. Já Barbosa afirma que este clima pode ajudar a levar a equipe de ginástica artística masculina à final. “Nossa disputa é com China e Japão, que estáo um nível acima, e com Grã-Bretanha, Estados Unidos e Rússia pelas oito vagas da final. E na final, com a adrenalina alta, o suor e o arrepio que o público nos trazem, podemos jogara pressão toda para eles”, avaliou.
Os dois ginastas de 24 anos ainda não asseguraram vaga na equipe brasileira. Os dois entraram juntos na seleção há sete anos, tempo de muitos sacrifícios pessoais. Além do sonho de competir, os dois querem ver o esporte popularizado, com o aumento de meninos, algo que começou a ocorrer desde os títulos de Arthur Zanetti. O boom do esporte diminuiu, inclusive, o preconceito que os homens praticantes de ginástica artística costumam enfrentar.
Barbosa acredita ainda que os Jogos poderão deixar um legado positivo a mais, que é a difusão da gnástica, com a criação de mais centros. “Temos muitos talentos, um ginásio de nível internacional, mas esta estrutura deveria ter vindo quatro anos atrás. Agora, a próxima geração vai demandar estrutura profissional técnica de qualidade. Para isso, vamos precisar melhorar nossa escola de treinadores”, avaliou.
Correios farão operação especial
Responsável pela logística dos Jogos do Rio, os Correios montaram uma estrutura completa para transportar os mais de 30 milhões de itens para preparar e montar os palcos por onde passarão os 15 mil atletas. Ao todo, serão mais de 17 mil entregas, 1 milhão de ecncomendas, 980 mil partes de equipamentos esportivos, 120 mil cadeiras, 30 mil camas, 30 mil colchões, 25 mil mesas, 18 mil sofás, 36 mil bagagens de atletas e 300 quilômetros de barreiras, para citar alguns exemplos.
Com três centros logísticos, a empresa mobilizará mais de 2 mil pessoas na operação. O desafio é inédito para uma empresa de correios no mundo, como lembra o vice-presidente de Logística, José Furian Filho, que também comentou os problemas enfrentados pela empresa no dia-a-dia, como a queda na qualidade das entregas.
Ele também revelou que a empresa ão depende do caixa federal para se sustentar, mas não consegue autorização para realizar concurso e suprir vagas. Da mesma forma, sem reajuste de tarifas, pedido em março, a empresa tem uma perda de R$ 80 milões por mês, o que acarreta parte destes problemas. “O esforço é recolocar a empresa no patamar de referência do passado”, defende.

Associação dos Delegados prevê aprovação da PEC da PF


O presidente da Associação dos Delegados da Polícia Federal (ADPF), Carlos Eduardo Sobral, afirmou, nesta terça-feira (7), que acredita que a votação da admissibilidade da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 412/09, que garante autonomia funcional, administrativa e orçamentária à PF, ocorra até a quarta-feira, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados. O parecer do deputado João Campos (PRB-GO) é favorável e Sobral espera que a proposta seja aprovada e siga para a análise da comissão especial.

A declaração foi dada no segundo dia do 4º Encontro Nacional de Editores, Colunistas e Blogueiros (Enecob), que ocorre no Rio de Janeiro. Pela proposta, a Polícia Federal ganharia autonomia plena, a ser regulamentada por Lei Complementar. Com isso, seria possível escolher o seu diretor-geral por lista tríplice, não mais submetendo a corporação à indicação política, após sabatinas e discussões interna-corporis na categoria. A PF também ganharia autonomia para organização e administração, podendo abrir delegacias sem ter de se submeter ao Ministério da Justiça, como ocorre atualmente – e que é motivo de sucessivas queixas, por conta da dificuldade de se aprovar, por exemplo, delegacias específicas para investigar corrupção.

Sobral afirma que o crescimento da Polícia Federal foi grande entre 2003 e 2006, quando a corporação deixou de lado a prioridade de combate às drogas para focar nas investigações sobre a corrupção, tendo passado por uma limpeza dos seus quadros antes de enfrentar o crime organizado nos três níveis de poder do País. Mas, a partir de 2010, o cenário mudou, com sucessivos cortes e contingenciamentos, que levaram ao quadro atual de carência de 500 delegados, com mais 400 em vias de se aposentar. “Viu-se, naquele momento, que combater a corrupção e o crime organizado era mais importante que combater as drogas, pois esta luta tem várias instituições envolvidas no controle. Mas o combate à corrupção é sempre cortado das verbas orçamentárias”, disse Sobral.

Para ele, o maior problema ocorreu no final do ano passado, pouco depois de assumir a ADPF, quando foram cortados R$ 155 milhões no orçamento da PF, o que obrigou a uma mobilização para evitar a perda de recursos, pressionando o então ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, a desistir do corte.

Sobral identifica na classe política o maior rival para a pretensão de autonomia da PF, nos moldes do que ocorre com o Ministério Público. Sem dar nomes, ele afirma que a restrição orçamentária crescente na Polícia Federal leva ao sucateamento da instituição. “A tendência sempre é tirar recursos de quem vai fiscalizar e investigar”, afirmou. Caso a autonomia seja aprovada, ele avalia que cortes orçamentários e instabilidades políticas não perturbariam a PF, pois seu orçamento e organização estariam garantidos constitucionalmente.

Em busca de apoio popular para a proposta, a ADPF tem feito uma campanha para sensibilizar os eleitores brasileiros. “Esperamos que o eco popular chegue ao Congresso e que a proposta seja aprovada”, garantiu.
Segurança nos Jogos

Carlos Eduardo Sobral também falou da segurança pública durante os Jogos Olímpicos, tema do 4º Enecob. Ele dirigiu a área de segurança cibernética da PF e revelou que a integração começou em 2010, visando os grandes eventos que o Brasil iria realizar – Jogos Mundiais da Juventude (2012), Copa das Confederações (2013), Copa do Mundo (2014) e Jogos Olímpicos. Para isso, houve integração e união de vários atores do estado, como entes de defesa e segurança pública, e a promoção de uma inédita cultura de cooperação entre as instituições, que muitas vezes vinham de disputas históricas.

Para isso, foi estabelecida uma Matriz de Responsabilidade, definindo o papel das polícias, forças armadas e demais organismos, de forma que cada um soubesse de suas responsabilidades e como agir e liderar em suas respectivas áreas. A integração se completou com o estabelecimento dos Centros Integrados de Comando e Controle, que colocaram os agentes de segurança lado a lado, reduzindo os ruídos.

Ele também falou das mudanças legais, como a que ocorreu com a Lei Antiterrorismo, que passou a permitir a responsabilização dos atos preparatórios antes de um possível ataque terrorista. E garantiu que o direito à manifestação durante os Jogos Olímpicos será garantido, mas sem abrir mão da segurança.

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


Pagamento de outorga de aeroportos pode mudar

Para atrair investidores, governo estuda aliviar pressão financeira sobre empresas nos primeiros anos de operação

André Borge

Na tentativa de atrair mais interessados para o leilão de concessões dos aeroportos de Fortaleza, Salvador, Florianópolis e Porto Alegre, o governo estuda uma forma de flexibilizar a cobrança das outorgas dessas concessões. O objetivo é aliviar a pressão financeira que a cobrança impõe sobre as empresas nos primeiros anos de operação e, paralelamente, evitar quebras de contratos.
Pelas regras do leilão previsto para ocorrer no segundo semestre, fica mantida a exigência de o vencedor pagar 25% do seu preço de outorga - o lance que a empresa dá durante o pregão - no ato de assinatura do contrato. O pagamento dos demais 75%, no entanto, muda. Em vez de serem pagos em parcelas anuais fixas, corrigidas pelo IPCA, durante todo o prazo de concessão, seguiriam uma tabela progressiva.
Os valores seriam menores durante os primeiros anos da concessão e sofreriam elevações graduais até que a outorga fosse plenamente quitada. A medida atende a um dos principais pleitos dos investidores, por conta da necessidade de investimentos pesados em obras nos primeiros anos à frente dos aeroportos. 
O pedido foi bem recebido pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que já colocou uma equipe técnica para elaborar uma proposta de cobrança da outorga. “A agência está alinhada com essa proposta. Já sabemos que, tecnicamente, ela é viável”, disse ao Estado a superintendente de regulação econômica dos aeroportos da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Clarissa Barros. A decisão final cabe ao Ministério dos Transportes, Portos e Aeroportos, que também faz uma avaliação positiva da mudança.
As novas concessões têm prazo de 30 anos para os terminais de Fortaleza, Salvador e Florianópolis. No caso de Porto Alegre, o prazo é de 25 anos. O investimento total estimado para os quatro terminais é de R$ 6,042 bilhões. A outorga mínima soma R$ 4,111 bilhões. Empresas interessadas poderão ganhar até dois aeroportos, desde que em regiões diferentes.
Com a mudança, o governo quer dar um sinal estar sensível às demandas do setor privado e, paralelamente, evitar impasses financeiros no setor.

JORNAL A CRÍTICA (AM)


Helicópteros da Marinha buscam indícios de acidente de barco em Novo Airão (AM)

Denúncia foi realizada por uma emissora de rádio local, baseada em uma ligação de um dos 80 passageiros da embarcação, na manhã desta terça-feira (7)

Helicópteros do Comando do 9º Distrito Naval (Com9°DN) da Marinha do Brasil vasculham uma área nas proximidades do município de Novo Airão (AM) para checar se houve um acidente envolvendo uma embarcação com aproximadamente 80 pessoas a bordo, informou assessoria de imprensa em nota.
A bordo do navio, está uma equipe com médico e enfermeiros e dois mergulhadores.
Segundo a Marinha, a denúncia foi realizada por uma emissora de rádio local, baseada em uma ligação de um dos passageiros da embarcação, na manhã desta terça-feira (7).
"Assim que tomou conhecimento, o Com9°DN acionou a aeronave de serviço do 3º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral para o esclarecimento da área, tendo em vista que o município fica distante de Manaus cerca de 60 milhas náuticas", informa a nota.
Atualização
Em nota, a Marinha comunicou que o Navio de Serviço, o Navio-Patrulha Fluvial Rondônia, suspendeu do Cais da Estação Naval do Rio Negro, a fim de prestar o apoio necessário. 

JORNAL EXTRA


Buscas no mar por australiano desaparecido são encerradas, mas família permanece no Rio


As buscas no mar por Rye Hunt, de 25 anos, que desapareceu no dia 21 de maio, foram encerradas, informou a família do australiano, em nota divulgada nesta segunda-feira. O turista foi visto pela última vez por um pescador na Ilha de Cotunduba, a alguns metros da praia do Leme, aparentemente sob o efeito de drogas.
"De acordo com o protocolo da Marinha (e de nosso conhecimento) a busca no mar por Rye cessou após 72 horas. Nenhum corpo ou pertences pessoais foram encontrados durante a busca no mar", informou a família, em nota.
 A Marinha do Brasil informou que, caso haja um pedido da Polícia Civil, a corporação pode voltar a ajudar nas buscas. Leia a nota na íntegra:
"A Marinha do Brasil (MB), por meio do Comando do 1º Distrito Naval, informa que o serviço de Busca e Salvamento (SALVAMAR SUESTE) prestou apoio à Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, auxiliando-a nas buscas ao australiano Rye Hunt de acordo com dados levantados pela Polícia Civil em seu processo investigatório. No último fim de semana não houve solicitação da Polícia Civil e, caso seja necessário, a Marinha poderá apoiar as buscas".
Uso de drogas
Ainda em nota, a família falou sobre os indícios de que Rye teria usado uma droga alucinógena antes de desaparecer e explicou que vai permanecer no Rio de Janeiro na esperança de localizá-lo.
"Há provas suficientes que Rye tenha consumido uma substância ilícita nas 24 horas que antecederam seu desaparecimento. Nosso entendimento inicial é de que foi uma substância chamada MDMA. Relatos daqueles que estiveram ao redor de Rye nos momentos que antecederam o seu desaparecimento explicaram um comportamentos fora de seu caráter, como extrema paranóia, ansiedade e medo", diz a nota que segue: "Sem uma amostra do que foi consumido, não podemos ter a certeza da substância usada".
Parentes do australiano fizeram ainda um alerta sobre o uso de drogas. "A família acredita que essas informações são importantes na sensibilização sobre a utilização de substâncias ilíticas tanto localmente quanto no exterior. Reiteramos que o usuo de drogas ilícitas não é um comportamento típico de Rye. Os familiares permanecerão no Rio de Janeiro para continuar a procurar por Rye".
Irmã pede informações
Ao EXTRA, a irmã de Rye, Romany Brodribb, disse que os parentes do australiano ficarão na cidade até "respostas concretas" sobre o paradeiro do rapaz sejam informadas pelas autoridades.
"Nós acreditamos fortemente que os moradores podem ter informações que ainda não vieram à tona. A família está desesperada por respostas", disse Romany, que está na Austrália, mas tem recebido novas informações sobre as investigações do caso por Michael Wholohan e Bonnie Cuthert, respectivamente tio e namorada de Rye Hunt, que estão hospedados na Zona Sul do Rio.
A família pede que informações sobre o paradeiro de Rye sejam passadas para a polícia.

JORNAL FOLHA DE PERNAMBUCO


Setor de embarque e desembarque de passageiros do porto, em Noronha, é interditado

Swell, ocorrido no final de semana, atingiu um dos tubos que auxilia na flutuação da plataforma

Priscilla Costa

O setor de embarque e desembarque de passageiros do Porto Santo Antônio, em Fernando de Noronha, foi interditado pela Marinha temporariamente nesta terça-feira (7) por questões de segurança. Após um swell (onda gigante), ocorrida no último final de semana, entrou água em um dos tubos que auxilia na flutuação da plataforma, impossibilitando, assim, o acesso ao píer.
Na tarde desta terça, os passeios de barco foram suspensos até a Administração da Ilha fazer a suspensão da plataforma de aço com um guindaste e substituir o equipamento por um novo. Além disso, os tubos serão fixados por meio de soldagem a fim de amenizar os transtornos numa próxima vez em que o mar estiver agitado. Neste momento, está sendo feito o esvaziamento dos tubos. A Capitania dos Portos vai acompanhar durante toda a a tarde a conclusão do trabalho e só fará a desinterdição quando conferir se a plataforma está segura para uso dos turistas. 
Confira a nota da Administração da Ilha na íntegra:
"O swell ocorrido no último final de semana danificou a estrutura do Porto de Santo Antônio de Fernando de Noronha. Devido ao fato a Administração do Distrito realizou de forma emergencial, nesse domingo, 05 de junho, a aplicação do material Tubolit no píer de passageiros, massa específica para navios que faz reparos em furos, emendas e enchimentos, tanto dentro como fora d água, com tempo de cura de 24 horas.
Na manhã de hoje, 7, o flutuante voltou a operar e a marinha cancelou a interdição. Após o retorno dos barcos que saíram na manhã dessa terça-feira, o porto voltará a ser fechado e os passeios cancelados no horário da tarde, para o içamento do flutuante que passará por uma soldagem. Na última sexta-feira, 3 de junho, o Administrador da ilha Luís Eduardo Antunes, se reuniu com donos de embarcações e representantes de empresas de pesca e turismo em uma reunião onde foi apresentado o pré-projeto de reforma do Porto e a coleta de sugestões entre os usuários presentes, além de tratar de medidas emergenciais para o píer de passageiros.
Na ocasião, também foi montada uma comissão formada por representantes da administração de Fernando de Noronha, Conselho Distrital e representantes de associações e empresas usuárias do Porto para a elaboração do Modelo de Gestão Portuária. Uma obra definitiva está prevista para ser iniciada após a aprovação do projeto por todas as entidades envolvidas."

PORTAL VEJA.COM


Airbus apresenta primeira aeronave feita por impressão 3D

O drone, intitulado Thor, pesa 21 quilos e tem quatro metros de comprimento; a novidade ainda está em fase de testes

A Airbus apresentou nesta terça-feira, na Feira Internacional Aeroespacial ILA 2016, em Berlim, na Alemanha, o protótipo da primeira aeronave do mundo fabricada por uma impressora 3D (as únicas partes que não são impressas são os componentes elétricos). O drone (objeto voador não tripulado), intitulado Thor, pesa 21 quilos e tem quatro metros de comprimento, com envergadura também de quatro metros. O visual é bem parecido com o de um avião tradicional.
Para a companhia, o mini-avião é pioneiro e oferece uma amostra do que está por vir. De acordo com o anúncio na capital alemã, a tecnologia de impressão 3D pode ajudar no futuro da aviação, economizando tempo, combustível e dinheiro. “Este é um teste do que é possível com a tecnologia de impressão 3D”, disse Detlev Konigorski, responsável pelo desenvolvimento do Thor. “Queremos ver se podemos acelerar o processo de desenvolvimento usando impressão 3D não apenas para peças individuais, mas para um sistema inteiro”, acrescentou.
 “As peças impressas têm as vantagens de não necessitarem ferramentas e poderem ser feitas muito rapidamente”, afirma Jens Henzler, diretor de prototipagem industrial da empresa alemã Innovation Group Hofmann, especializada em técnicas de impressão 3D.
Quanto ao desempenho do Thor no ar, o engenheiro-chefe da Airbus, Gunnar Haase, garantiu que o pequeno avião “voa bem e é muito estável”. Haase foi o responsável por controlar e realizar o voo inaugural do drone da empresa em novembro do ano passado, perto de Hamburgo. A Airbus e sua rival americana Boeing já estão usando a impressão 3D para fazer algumas peças dos seus enormes aviões de passageiros, o A350 (Airbus) e o B787 Dreamliner (Boeing).
Impressão 3D no espaço – O futuro foguete Ariane 6, da Agência Espacial Europeia, programado para decolar em 2020, também será construído com algumas peças via impressora 3D. De acordo com o diretor da Airbus Safran Launchers, Alain Charmeau, a fabricação – contendo alguns componentes impressos – terá os custos significativamente reduzidos, e o foguete poderá ser vendido pela metade do preço do seu antecessor, o Ariane 5.

OUTRAS MÍDIAS


PORTAL PORTOSENAVIOS (RJ)


Marinha abre as portas do Complexo Naval para visitação do público pantaneiro

Como parte das ações em comemoração aos 151 anos da Batalha Naval do Riachuelo, Data Magna da Marinha, o Complexo Naval de Ladário abriu seus portões, no ultimo dia 04 de junho, para a população conhecer as Organizações Militares, Navios e Aeronaves da Marinha no Pantanal.
Dentro das atividades programadas, a população teve a oportunidade de conhecer a Base Fluvial, o Hospital Naval, o Comando da Flotilha de Mato Grosso, o Serviço de Sinalização Náutica do Oeste, o Hotel de Trânsito, a Sala de Memória Tenente Maximiano, o Grupamento de Fuzileiros Navais de Ladário, o Centro de Intendência da Marinha em Ladário e o 4º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral.
"A Marinha do Brasil é uma possibilidade de carreira e uma opção de vida. Para nós ladarenses, isso ganha uma importância muito grande. E passamos para nossos alunos; gera neles uma expectativa enorme de conhecer como as coisas são feitas aqui", conta a professora da Escola João Baptista, Mirna Monteiro da Silva. A professora vê na Marinha uma Instituição muito próxima da população e exalta a Data Magna como um tempo de celebração: "A parceria com as escolas da região dura o ano todo. Então, não temos como deixar de vir prestigiar uma data tão importante para uma amiga tão próxima, como é a Marinha".
Victória Andrade tem 13 anos e é aluna da Rede Municipal de Ladário. Para ela, o que mais chama atenção na visita é o cuidado e a organização que os militares têm ao receber a população: "Me sinto prestigiada toda vez que venho aqui. E todo ano vejo um monte de amigos falando que querem entrar para a Marinha depois que a gente vem aqui. Tem os navios e os helicópteros e o jeito organizadinho como é tudo por aqui."
No domingo, dia 05, a população teve oportunidade de conhecer os navios da Marinha, visitar a exposição com materiais da Marinha do Brasil e saber as formas de como ingressar na carreira militar.
No dia 7 de junho haverá cerimônia de entrega da reforma na Unidade Mista de Saúde, às 15h30 e inauguração da Casa da Cultura de Ladário, às 19h30.
Dia 8 de junho, às 19h, acontece a "Noite Cultural em Alusão aos 151 anos da Batalha Naval do Riachuelo" com apresentação da Banda de Música da Marinha e da Banda Municipal de Ladário Acyl da Silva Barbosa.
E para encerrar as comemorações da Data Magna da Marinha Brasileira, acontece sexta-feira, dia 10, às 9h, a cerimônia cívico-militar em frente ao Pórtico do Complexo Naval de Ladário.

PORTAL PANTANAL NEWS (MS)


Marinha do Brasil no Porto Geral de Corumbá

No Porto Geral de Corumbá foram realizadas ações e demonstrações para a população Pantaneira, como parte da programação especial alusivas à comemoração dos 151 anos da Batalha Naval do Riachuelo.
Neste sábado e domingo, 4 e 5 de junho, no Porto Geral de Corumbá foram realizadas ações e demonstrações para a população Pantaneira, como parte da programação especial alusivas à comemoração dos 151 anos da Batalha Naval do Riachuelo.
Os Navios Almirante Leverger, Monitor Parnaíba e o Navio de Assistência Hospitalar “Tenente Maximiano” juntos receberam cerca de 4.690 visitantes.
A estudante Júlia Serra foi conhecer a exposição, “Eu e minha família viemos passear e conhecer os Navios da Marinha. Eu não sabia que aqui no Pantanal tinha um Navio que pousava helicóptero. O Navio Monitor Parnaíba é muito grande”.Além dos navios, outras Organizações Militares mostraram para a população, o trabalho que a Marinha realiza na região. O Serviço de Sinalização Náutica do Oeste apresentou a forma que é realizada a sinalização nos Rios e as cartas náuticas; a Capitania Fluvial do Pantanal prestou esclarecimentos sobre quais documentações são necessárias para se pilotar uma embarcação e sobre os cursos de formação que oferece, e o Grupamento de Fuzileiros Navais mostrou os equipamentos utilizados em missões.
Para professora Maria Delgado, as comemorações da Data Magna da Marinha já se tornaram tradição nas cidades de Corumbá e Ladário. A senhora conta que espera o período para trazer os filhos. “Todo ano eu venho prestigiar a exposição da Marinha, meus filhos sempre pedem para comparecer ao porto”.
Jorge Gio, de 12 anos, sonha em ser marinheiro e obteve informações de como ingressar na carreira militar. “Aqui no estande fiquei sabendo que ainda não tenho idade, mas já posso ir estudando para futuramente tentar passar no Colégio Naval”.
Também no local, médicos, dentistas e enfermeiros realizaram ações de prevenção e promoção da saúde. Foram realizados 112 atendimentos médicos, 60 odontológicos e realizados 60 testes de glicemia.

JORNAL CRUZEIRO DO SUL (SP)


Exposição conta história da Batalha do Riachuelo

Fernando Guimarães
Em 11 de junho de 1865, às margens do rio Riachuelo, um afluente do rio Paraguai -- situado na província de Corrientes, na Argentina --, o almirante Barroso deu a ordem às forças navais brasileiras sob seu comando para que explodissem os navios de guerra paraguaios, vencendo assim aquela batalha naval que tinha de um lado os paraguaios e do outro os brasileiros. Sem conexão com o mar, o Paraguai queria controlar os rios da bacia do Prata, pois por ali poderia fazer com que seus navios de transporte de pessoas e de mercadorias chegassem ao Oceano Atlântico. Se conseguissem o intento, teriam conquistado, também, o Rio Grande do Sul e o Uruguai, podendo, a partir daí, fazer comércio com outros países e receber, inclusive, armas da Europa. A frota brasileira era composta por nove navios de guerra e a paraguaia, por oito navios de guerra. Cerca de 2.500 militares brasileiros combateram na Batalha do Riachuelo.
Este é apenas um resumo do que foi essa batalha naval. Se quiser conhecer mais a respeito dela, terá a oportunidade entre hoje e sexta-feira, dia 10, para aprender sobre essa conquista importantíssima para a Marinha do Brasil. A data comemorativa da Marinha é 11 de junho. Até sexta-feira, haverá a exposição Passado e Futuro, na qual painéis retratarão a batalha naval. De acordo com o presidente da Sociedade Amigos da Marinha (Soamar) de Sorocaba, Paulo Fernando Moreira, 74 anos, o objetivo é mostrar à população sorocabana a importância da Batalha Naval do Riachuelo. "Essa comemoração é o Natal da Marinha. E você sabe que os militares vivem de dogmas, e este é um dogma da Marinha", destaca Moreira. Maquetes do submarino nuclear e do reator nuclear estarão entre as peças expostas durante os quatro dias. A exposição será no salão Divo Barsotti, com capacidade para 300 pessoas, no Ipanema Clube, situado na rua 7 de Setembro, 700, Centro. A entrada é franca.
Quem visitar a exposição poderá contar também com a explanação de monitores sobre a história da Marinha do Brasil e de suas batalhas. A exposição estará aberta entre hoje e quinta-feira das 9h às 12h e das 13h às 17h. Na sexta-feira, a exposição vai até o meio-dia; depois, à tarde, às 18h30, haverá a cerimônia comemorativa dos 151 anos da Batalha Naval do Riachuelo e a posse da diretoria da Soamar Sorocaba. A diretoria executiva da Soamar está composta por Paulo Fernando Moreira (presidente); Oscar Fonseca Vieira (1º vice-presidente); Jayme Walmer de Freitas (2º vice-presidente); Leônidas Antônio Pereira (1º diretor secretário); Jair Sanches Molina (2º diretor secretário); Paulo Marcelo Marques Peixoto (1º diretor tesoureiro); Valdir Paezani (2º diretor tesoureiro); Nelson Antônio Rodrigues Garcia (1º diretor social); Mary Ines Lippi Garcia (diretora-adjunta); Alberto Streb (1º diretor cultural); Galdenoro Botura Junior (2º diretor cultural); Adair Alves Filho (diretor divulgação); Walde Ribeiro Cavalcante (diretor de editorial); e José Maria Coutinho Florenzano (diretor de patrimônio).

JORNAL A TRIBUNA (SP)


Três empresas interessadas na concessão visitam Aeroporto de Itanhaém

Complexo de Itanhaém integra pacote de concessões aeroportuárias aberto pelo Estado
Três empresas já visitaram o aeroporto Antônio Ribeiro Nogueira Jr., em Itanhaém, com o interesse na concessão do equipamento. As visitas técnicas foram abertas no fim de abril e podem ocorrer até 22 de julho. A Prefeitura espera novos agendamentos nas próximas semanas, pois a abertura dos envelopes com as propostas está prevista para o dia 26 desse mês.
O Nogueira Jr. integra um conjunto de cinco aeroportos estaduais sob administração do Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp) incluídos no plano de concessão aeroportuário. Além dele, estão os aeroportos de Ubatuba, Jundiaí, Campo dos Amarais (Campinas) e Bragança Paulista.
“Nossa expectativa é muito grande neste momento. Sabemos da importância desse aeroporto não só para Itanhaém, mas para toda a região, e temos acompanhado de perto todo o processo. É um aeroporto superavitário e que, por isso, atrai muitos interessados”, cita Eliseu Braga Chagas, secretário de Desenvolvimento Econômico de Itanhaém.
Conforme estabelecido pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), o investimento mínimo ao longo de 30 anos de concessão para Itanhaém é de R$ 15,18 milhões. Pelo menos um terço desse montante está estimado para os primeiros quatro anos. Há, no entanto, a possibilidade de esse valor chegar a até R$ 18 milhões, de acordo com Eliseu Chagas.
Para atrair interessados, a Artesp informa que os concorrentes podem utilizar linha de financiamento específica para a concessão desse lote de cinco aeroportos, oferecido pela Agência de Fomento do Estado de São Paulo – a Desenvolve SP, que dará suporte financeiro para o pagamento da outorga fixa (no valor de até 50% da oferta) e para os investimentos (em até R$ 20 milhões).
Melhoramentos
As obras previstas para os aeroportos contemplam, por exemplo, melhorias nos sistemas de pistas, pátios e sinalização, além de reformas nos terminais de passageiros e ampliações na infraestrutura de hangares.
O critério de julgamento das propostas será a oferta do maior valor de contribuição fixa ao sistema aeroportuário, a chamada outorga fixa.
Estão autorizadas a participar da licitação empresas brasileiras e estrangeiras. A modelagem financeira prevê a remuneração da concessionária por meio de tarifas das atividades aeroportuárias, definidas pela Agência Nacional da Aviação Civil (Anac), e da exploração econômica de infraestrutura aeroportuária (hangares e outros serviços postos à disposição).

MS NOTÍCIAS


Esquadrilha da Fumaça faz apresentação em Dourados

Uma parceria entre a Prefeitura de Dourados e o Aeroclube de Dourados garantiu o retorno à cidade do EDA (Esquadrão de Demonstração Aérea) da FAB (Força Aérea Brasileira), mais conhecido como Esquadrilha da Fumaça. A apresentação ocorre no dia 18 deste mês, um sábado, em local e horário ainda a ser definidos.
Em reunião na manhã de quinta-feira, dia 2, em seu gabinete, o prefeito Murilo tratou da organização do evento com a diretoria do aeroclube. Estavam presentes Juliano Soares (presidente), Waldemar Castelli Junior (vice-presidente), Wagner Nunes (tesoureiro) e Domingos Venturini (conselheiro).
De acordo com Juliano não há como realizar um evento do tamanho da apresentação da Esquadrilha da Fumaça sem a parceria da Prefeitura, uma vez que demanda uma grande ação logística, que envolve aeroporto, trânsito e segurança, entre outros assuntos.
"Nós fizemos o pedido e fomos atendidos prontamente pela Aeronáutica por conta da história e estrutura do nosso aeroclube, que é uma entidade pública federal, e está entre os melhores do país", afirma Juliano. "Com a parceria da Prefeitura conseguimos garantir a realização desse grande evento", afirma.
O prefeito Murilo afirma que a proposta é promover um dia de alegria para as famílias douradenses e também promover o turismo regional. "Show da Esquadrilha da Fumaça é um grande evento internacional que estamos trazendo mais uma vez para promover momentos de alegria para nossas famílias", diz Murilo.
O horário da apresentação e o local serão definidos ainda esta semana, após uma vistoria de uma equipe do esquadrão. A proposta da organização é fazer o show sobre o Parque do Rego D´Água Primo Vivente ou do Parque do Lago Antenor Martins. Porém existem questões técnicas que dependem a aprovação do EDA já que não se pode fazer a apresentação sobre áreas muito povoadas.
A mais recente apresentação da Esquadrilha da Fumaça em Dourados foi no dia 8 de maio de 2011, há 5 anos, no início do governo do prefeito Murilo. A penúltima apresentação foi 15 anos antes, em 1996. Na apresentação de 2011 em torno de 40 mil pessoas de Dourados e região foram ao aeroporto Francisco de Matos Pereira para ver as manobras dos ‘fumaças’. Para este ano é esperado um público semelhante.
O show tem duração de 40 a 45 minutos, com pelo menos 20 sequências de manobras em equipe e 50 individuais. Envolve pelo menos 20 militares, entre pilotos, mecânicos e equipe de solo. Da parte da Prefeitura serão muitas pessoas envolvidas na organização e logística.
O público de Dourados e região verá um show ainda mais bonito este ano. É que o EDA fará a apresentação em suas novas aeronaves, o A29 (Super Tucano), fabricados pela Embraer, que substituem os T27 Tucano, primeira geração dessas aeronaves. Os novos aviões são mais velozes e ágeis e utilizam um azul com tom mais forte na pintura. O novo avião tem o dobro da potência, favorecendo novas manobras.

PORTAL CONEXÃO TOCANTINS - ARAGUAÍNA (TO)


Prefeitura e Exército continuam ações de combate ao Aedes Aegypty em Araguaína

Soldados do Exército Brasileiro, da 23ª Brigada de Infantaria de Selva, de Marabá/PA e agentes de combate às endemias de Araguaína participam de capacitação nesta terça-feira, 7, às 14 horas, no auditório do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). A ação visa o enfrentamento ao Aedes Aegypti, transmissor da dengue, febre Chikungunya e vírus Zica, no município e antecede as visitas às residências fechadas e setores onde foram registrados mais focos.
De acordo com o superintendente municipal de Vigilância em Saúde, Eduardo de Freitas, após a capacitação, todos vão a campo para visitas em residências dos setores Sonhos Dourados e Jardim dos Ipês I e II. “O objetivo da capacitação é para que possamos atualizar juntos os números de casos de focos e traçarmos a rota. Também é uma forma dos soldados conhecer o trabalho de vigilância em saúde, que já está sendo feito no município”, destacou.
Os soldados devem ficar até sexta-feira, 10, as ações vão acontecer em setores da cidade, principalmente em residências fechadas e em setores onde foram registrados mais focos.
Parceria
Em abril, entre os dias 13 e 15, o Exército Brasileiro - batalhões Infantaria 50-Biz, de Imperatriz (MA), e 23ª Brigada de Infantaria de Selva, de Marabá (PA), e a Secretaria da Saúde levaram orientação para mais de 10 mil pessoas. Durante a ação, foram inspecionadas 4.919 imóveis, sete imóveis fechados e 62 pontos estratégicos, sendo eliminados 318 focos.
Ações
O combate ao aedes não para no município. Além das atividades em parceria com o Exército Brasileiro, as equipes de Vigilância em Saúde, do Centro de Controle de Zoonoses de Araguaína, realização palestras de Educação em Saúde, em escolas municipais, estaduais e outros órgãos parceiros, com apresentação de temas sobre doenças de forma dinâmica, utilizando fantoches.
Município confecciona armadilhas, em parceria com a Comunidade Terapêutica Vida Nova, com distribuição para as famílias. Também está sendo feita borrifação com bombas especialmente em pontos estratégicos, onde foram encontrados mais focos de infestação do mosquito.
Além disso, o trabalho de rotina foi intensificado nos setores com a força-tarefa dos agentes de combate a endemias e com os agentes comunitários de saúde.

PORTAL TECH AO MINUTO (RJ)


Drone da GE mostrará bastidores ao vivo da Cidade Olímpica

A empresa vai realizar filmagens de drone ao vivo para mostrar a tecnologia utilizada nos bastidores dos Jogos Olímpicos
No verão passado, #DRONEWEEK trouxe novas perspectivas sobre os impactos tecnológicos do mundo. Nesta campanha, a GE equipou um drone com Periscope em visitas guiadas por empresas tecnológicas dos Estados Unidos.
Este ano, a empresa está dando mais um passo e vai realizar filmagens de drone ao vivo da Cidade Olímpica no Rio de Janeiro para mostrar a tecnologia utilizada nos bastidores dos Jogos Olímpicos.
De acordo com a empresa, as filmagens terão início no dia 13 de junho.

PORTAL D24AM (AM)


Sucesso de drones atrai interesse de empreendedores

Embora setor esteja em expansão, pequenas empresas enfrentam leis rígidas e dificuldade de obter investimentos
Nos últimos anos, os drones passaram de ferramenta militar polêmica para ataques aéreos a um atrativo para quem curte um passatempo aéreo. Porém, à medida que os drones atraem o grande público, empreendedores estão encontrando formas de usar a tecnologia como base para ideias de negócios.
Ryan Jenson exibiu seu negócio potencial em uma demonstração de seu novo empreendimento, a HoneyComb. A ideia é usar os drones para vasculhar plantações em busca de problemas de irrigação ou pragas.
Ele e dois sócios da construíram um protótipo básico. Reuniram 50 agricultores na Gold Dust Farms, uma fazenda no Estado norte-americano de Oregon, que planta batata.
Geralmente os agricultores procuram problemas a pé, cobrindo aproximadamente quatro hectares por hora. O AgDrone da HoneyComb pode cobrir 283 hectares por hora, produzindo mapas de alta resolução em duas e três dimensões que podem ser utilizados para avaliar a maior parte dos aspectos da saúde de uma lavoura.
Enquanto o drone subia, os agricultores observavam em uma tela imagens da plantação, produzidas por sua câmera de vídeo. Assim que o aparelho voltou, viram as fotografias tiradas em sua viagem.
“Uma grande ficha caiu quando os produtores perceberam que podiam ver cada centímetro de sua fazenda na hora que quisessem”, conta Jenson. “Os aparelhos estavam vendidos.
”Um dos fãs do AgDrone achou um vazamento na irrigação, economizando cerca de US$ 100 mil em quebra de safra. Outro detectou o ataque de uma praga cedo o suficiente para aplicar o fungicida.
Atualmente, a HoneyComb tem 16 funcionários e já arrecadou US$ 2 milhões em investimentos. Ela integra uma nova onda de empresas de drones comerciais. Geralmente descritos como “serviços de drone”, essas companhias fornecem tanto os aparelhos para coleta de dados quanto o programa para sua análise.
“Os drones comerciais são um dos setores de mais rápido crescimento na tecnologia”, diz Lisa Ellman, diretora do setor de aeronaves não tripuladas da Hogan Lovells, escritório de advocacia, em Washington.
Embora a oportunidade pareça grande, abrir uma nova empresa centrada em drones tem seus desafios. O principal deles são as leis. Além disso, muitas firmas são pequenas, e o investimento de risco é difícil de ser obtido.
“As regras tornam muito difícil para uma empresa pequena ter sucesso sozinha”, afirma Jeffrey J. Antonelli, advogado de Chicago especializado na legislação do setor. Entretanto, as regras estão se adequando lentamente para o uso comercial da tecnologia dos drones.
Desde que a Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês) passou a emitir o que chama de “isenções” em setembro de 2014, mais de 5,2 mil autorizações foram concedidas a operadores de drones comerciais. A maioria foi dada a empresas de fotografia, cinema e do setor imobiliário.
Para a maioria dos pequenos negócios, o grande obstáculo é que, assim que obtêm a autorização para o veículo não tripulado, precisam de alguém com habilitação – de avião ou helicóptero – para pilotá-lo.
Nem toda firma de drone comercial se deu ao trabalho de tirar uma licença. “A exemplo da Lei Seca, a exigência é tão alta que muita gente tem passado por baixo dela”, conta Antonelli. Todavia, a FAA deve anunciar novas regras, previstas para junho, para drones comerciais pesando até 25 quilos, o que poderia resolver a situação.
Enquanto algumas barreiras caem, muitos antecipam uma enxurrada de novas empresas. “Quando os celulares foram inventados, não antecipamos todas as formas pelas quais eles seriam usados. Com os drones é a mesma coisa”, diz Ellman.

PORTAL TRIBUNA PARANÁ ON LINE (PR)


Sem isenções bancadas pelo passageiro, tarifa técnica do ônibus baixaria R$ 0,51

A tarifa técnica do transporte coletivo de Curitiba poderia custar R$ 0,51 a menos se as isenções tarifárias não fossem bancadas pelos próprios usuários do sistema.De acordo com a Urbs, as isenções previstas por leis federais e municipais representam 13,11% no custo da tarifa, que é integralmente repassado aos demais passageiros do sistema de transporte da capital e RMC. Apesar do peso que representam na conta do transporte, vereadores de Curitiba continuam apresentando projetos de lei que liberam o pagamento de passagem para mais pessoas, sem indicar fonte de custeio para a medida. A última proposta apresentada na casa busca isentar a tarifa para as pessoas que são cegas de um olho.
Atualmente, dos 20,5 milhões de pessoas que utilizam o sistema todos os meses, cerca de 2,8 milhões não pagam a passagem. Caso este número fosse somado aos 17,6 milhões de usuários pagantes, a tarifa técnica calculada pela Urbs poderia passar de R$ 3,66 para R$ 3,15.
Hoje, 19 leis federais, municipais e estaduais garantem a isenção tarifária a idosos com idade igual ou superior a 65 anos, portadores de deficiência ou doenças crônicas, oficiais de Justiça, aposentados por invalidez, carteiros uniformizados, policiais e guardas municipais fardados, funcionários de empresas de transporte, fiscais da Urbs e crianças de até 5 anos não pagam a passagem. Estudantes com renda familiar de até cinco salários mínimo tem desconto de 50% na tarifa. Todos seguem regras estabelecidas para utilização do benefício, que podem ser consultadas do site da Urbs.
Números
O maior número de isenções é dada aos idosos, que tem o direito à gratuidade garantido por seis leis, federais, estaduais e municipais. A previsão da Urbs é que a utilização média por mês seja de 1,6 milhões – cerca de 7% do total de utilização do transporte coletivo em um mês. Atualmente, 163.366 idosos estão cadastrados para utilizar o benefício. Pessoas com deficiência, acompanhantes e aposentados por invalidez representam 352,6 mil utilizações em um mês. Motoristas, cobradores e fiscais da Urbs representam 272,4 mil utilizações e policiais e carteiros representam juntos 292 mil tarifas isentas todos os meses. Os estudantes que tem 50% de desconto na tarifa utilizam o transporte 35 mil vezes em um mês.
Propostas dos vereadores podem aumentar isenções
Mesmo com o grande número de isenções, novos projetos de lei são propostos pela Câmara de Vereadores com frequência. O último é de autoria do vereador Chicarelli (PSDC), que pretende incluir os portadores de cegueira monocular – os chamados cegos “de um olho só” – na lista dos passageiros com isenção tarifária. A proposta já está sendo discutida da casa.
Outras diversas propostas já passaram pela Câmara e acabaram arquivadas, como as que garantiam isenção para idosos a partir dos 60 anos (a idade mínima para a isenção hoje é 65 anos), presidentes de associação de moradores, agentes de saúde, militares do Exército, Marinha e Aeronáutica. Também está em tramitação o projeto de lei que garante passe livre para estudantes e desempregados, proposta pela Frente de Luta pelo Transporte Público, proposto em 2013. Em nenhuma das propostas há estudos que mostram o impacto da proposição nas contas do transporte coletivo nem a fonte de recursos para tal isenção.
Quem tem isenção de tarifa em Curitiba?
Além da gratuidade do transporte coletivo garantida aos idosos – com idade igual ou superior a 65 anos – por meio de lei federal, outros grupos têm isenção da tarifa por conta de leis municipais. São eles:
- Aposentados por invalidez que residem em Curitiba e recebem aposentadoria de até 2 salários mínimos
- Pessoas com deficiência – física, mental, auditiva ou visual – e acompanhantes, quando a pessoa não consegue se locomover sozinha. A renda deve ser inferior a três salários mínimos para garantir a isenção.
- Pacientes com patologias crônicas, como insufiência renal em terapia renal substitutiva, câncer em tratamento de quimioterapia ou radioterapia, transtorno metal grave, portadores de HIV, hemofilia, esclerose múltipla e mucoviscidose. Todos devem passar por tratamentos de saúde continuados. Também podem ter isenção os acompanhantes daqueles que não conseguem se locomover sozinhos.
- Oficiais da Justiça Eleitoral, Federal, do Trabalho
- Fiscais do Ministério do Trabalho
- Carteiros uniformizados
- Guardas Municipais e Policiais uniformizados
- Fiscais da Urbs
- Empregados de empresas do transporte coletivo
- Crianças de até cinco anos.

CAVOK


BRASIL: Presidente interino quer abrir o mercado de companhias aéreas brasileiro

Apesar do setor aéreo brasileiro ter passado, desde os anos 1990, por um intenso processo de desestatização – o que permitiu que “os pobres andem de avião” – ainda há muitos entraves que impedem investimentos.
Por exemplo: as companhias aéreas no Brasil, graças à uma determinação estatal, têm que manter 80% do seu capital controlado por brasileiros. Por conta dessa limitação, nenhuma empresa estrangeira entra no mercado doméstico brasileiro, com exceção da companhia Azul (clone da JetBlue americana), que entrou no mercado brasileiro em 1998 porque o fundador, David Neeleman,
nasceu no Brasil.
Com o objetivo de acabar com a crise no setor, que amarga enormes perdas por conta da crise econômica criada pelo estado, a equipe de Temer pretende abrir ainda mais o mercado: seria permitido
que empresas com 100% de capital estrangeiro atuem no mercado doméstico brasileiro. Isso permitirá que algumas empresas brasileiras consigam investimentos para sair da crise e também aumentará a concorrência no setor.
A abertura do mercado aéreo brasileiro é um importante passo para o transporte brasileiro. Com o aumento do número de companhias aéreas graças à entrada de empresas estrangeiras, os preços tendem a cair no longo prazo, o que pode influenciar, inclusive, os preços das passagens de ônibus interestaduais, outro setor fortemente controlado pelo estado.

PORTAL DE OLHO NO TEMPO METEOROLOGIA


Tempestade gera destruição e deixa feridos em São Roque, SP

Uma “tempestade severa” atingiu parte do município de São Roque, no leste do estado de São Paulo, ao final da tarde desta segunda-feira (06) provocando estragos e ferindo pessoas.
De acordo com a assessoria de comunicação da prefeitura, ao menos 10 moradores ficaram feridos pelos estilhaços lançados pelo vento forte ou por desabamentos. Todos foram encaminhados para a Santa Casa da cidade. O bairro Ganguera foi o mais afetado.
Casas foram destelhadas, algumas completamente e árvores e postes caíram. A força do vento chegou a arrastar telhas de zinco para mais de 300 metros de distância.
Ainda na região, também houve registro de danos como destelhamentos de construções ou desabamentos e quedas de árvores nos municípios de Iperó, Mairinque e Piedade sendo que neste último, uma casa desabou, mas a Polícia Militar não havia confirmado vítimas.
Dados meteorológicos
O radar meteorológico do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) da Rede de Meteorologia do Comando da Aeronáutica (Redemet) instalado em São Roque detectou o deslocamento de um agrupamento de tempestades às 17h45min (Brasília).

PORTAL DEFESANET


FAB - Exercício Operacional encerra as atividades em Campo Grande (MS)

A quinta edição do treinamento reuniu dezessete esquadrões da FAB
Terminou no sábado (04/06) a quinta edição do Exercício Operacional Transportex 2016 na Base Aérea de Campo Grande (BACG). Dezessete esquadrões da Força Aérea Brasileira (FAB) participaram do treinamento que visou o aprimoramento e a capacidade de pronto emprego das unidades aéreas subordinadas à Quinta Força Aérea (V FAE) e dos Esquadrões de Transporte Aéreo (ETA), adestrando-os em cenários táticos fictícios próprios da Aviação de Transporte.
Durante 14 dias foram treinadas decolagens táticas, navegações à baixa altura, formaturas táticas diurnas e noturnas com a utilização dos óculos de visão noturna (NVG), infiltração e exfiltração aérea e lançamentos de carga e material e Sherpa Pads (Precision Aerial Delivery). “O método Sherpa Pads permitiu que a carga fosse lançada a grande atitude, diminuindo assim a exposição da aeronave às ameaças do solo e por contar com um sistema integrado de navegação por GPS, seu lançamento se torna mais preciso”, conta o Tenente Aviador Artur Corrêa do Esquadrão Onça (1°/15° GAV). As aeronaves C-130 Hércules e C-105 Amazonas atuaram nos exercícios simulados.
O destaque da edição deste ano foi a participação durante os exercícios da aviações de Caça, representada pelo Primeiro Grupo de Aviação de Caça (1° GAVCA); de Reconhecimento, com o Esquadrão Guardião (2°/6° GAV); de Busca e Salvamento, com o Esquadrão Pelicano (2°/10° GAV); e do Segundo Grupo de Defesa Antiaérea (2° GDAAE).

“Os treinamentos em conjunto com as aviações foram muito importante para a preparação dos militares. A troca de experiências durante o exercício agregou mais conhecimento para os militares e crescimento para Força Aérea. Concluo que fechamos mais uma edição da Transportex com a certeza de que o trabalho em equipe foi fundamental para o desenvolvimento das missões", conclui o Comandante da Quinta Força Aérea, Brigadeiro do Ar Mozart de Oliveira Farias.

PORTAL DEFESANET


EXCLUSIVO – SAAB Desenvolve novo Radar AESA para o Gripen E/F

SAAB retoma trabalhos em radar AESA através de sua controlada a ERICSSON
A Ericsson está desenvolvendo um novo radar para o Gripen E/F, revelou um executivo sueco com exclusividade para DefesaNet. O novo radar, que terá varredura eletrônica ativa (AESA) poderá ser oferecido como alternativa ao RAVEN, que a italiana Leonardo (ex Selex-Galileo) desenvolve no Reino Unido há sete anos.
A necessidade de um radar alternativo ficou evidente desde outubro de 2014, quando a Argentina manifestou interesse em adquirir 24 caças iguais aos selecionados pelo Programa F-X2 brasileiro em dezembro de 2013.
Em outubro de 2014, os ministros da Defesa do Brasil, Celso Amorim, e da Argentina, Agustin Rossi, assinaram um acordo de cooperação bilateral, a Aliança Estratégica em Indústria Aeronáutica. O documento visava a participação platina nos programas KC-390 e Gripen E/F. O possível embargo britânico esfriou o interesse de Buenos Aires pela proposta, mas alertou a SAAB sobre a necessidade de desenvolvimento de um produto próprio.A Ericsson, uma empresa controlada pelo Grupo SAAB AB, sediada em Gotemburgo, é uma pioneira no desenvolvimento de radares de varredura eletrônica ativa (AESA). Em 2002, ela iniciou o desenvolvimento do NORA (sigla de Not Only a RAdar — algo além de um radar, tradução livre para o português).
Em 2007 a Ericsson recebeu componentes da empresa americana Raytheon para o desenvolvimento do NORA. Porém, nesta oportunidade ficou claro que o governo americano embargaria a venda para determinados clientes.
O custo de desenvolvimento próprio bancado pelos suecos era elevado e o projeto foi cancelado pelo governo conservador de Fredrik Reinfeldt, em 2008, dois anos antes do primeiro protótipo estar pronto.
A SAAB a buscou parcerias no exterior para equipar o Gripen E/F com um radar AESA. Depois de discutir o assunto com da Raytheon, norte-americana, a primeira opção foi a francesa THALES.
O roll-out da versão Demo, 1º semestre 2008, estava equipado com o radar THALES RBE2E, o mesmo que equipa o caça Dassault Rafale. Quando no 2º Semestre do mesmo ano foi aberta a competição do F-X2 no Brasil e ficou claro que o SAAB Gripen NG e o Dassault Rafale seriam os principais competidores o governo francês embargou a participação da THALES no programa Gripen NG.
A SAAB também manteve negociações com IAI-ELTA, israelense,e por fim chegou a um acordo com a SELEX-Galileo (hoje Leonardo) para desenvolver o SELEX ES-05 RAVEN.O novo produto da Leonardo incorporou uma das ideias desenvolvidas pela Ericsson para o NORA: em lugar de fixar a antena, ela giraria 360° permitindo uma varredura de 100° em todas as direções. O RAVEN, que também é AESA, terá um alcance superior a 120 km, com capacidade de monitorar cerca de 20 alvos com engajamento simultâneo de oito alvos aéreos e quatro terrestres.
Imagem
 O novo produto da Ericsson, ainda em fase de estudos, terá desempenho superior, mas é visto como um programa de médio de longo prazo:
— O desenvolvimento do novo radar vai levar um tempo — disse o executivo para DefesaNet. — A Ericsson está trabalhando com calma e não temos pressa.
Em uma hipótese remota, caso persistam os embargos britânicos a alguns dos potenciais clientes do Gripen E/F, o radar da versão MS20 do Gripen C/D poderá ser empregado.
— Os novos aperfeiçoamentos tornaram o PS-05/A Mk4 extremamente competitivo, principalmente quando empregado com o novo míssil MBDA Meteor — afirmou o piloto de testes Hans Einarth em uma coletiva de apresentação dos aviões Gripen C/D e Gripen Demo no Hangar da SAAB em Linkoping.
No roll out do primeiro protótipo do Gripen E/F (39-8), realizado no dia 18 de maio último, não foi revelado se o protótipo 39-8 estaria equipado com o Radar SELEX ES-05 RAVEN.
Como a SAAB / ERICSSON estão desenvolvendo a versão PS-05/A Mk4, que equipa o C/D, o novo desenvolvimento do radar AESA, talvez recuperando parte dos trabalhos do NORA passsou desapercebido pela imprensa especializada internacional.

JORNAL BOA VISTA AGORA (RR)


Vila Olímpica sediará projeto social executado pelo Exército

Nesta terça-feira, 7, a Prefeitura de Boa Vista assinou uma autorização que concede o uso permanente das instalações da Vila Olímpica Roberto Marinho ao Exército Brasileiro, para a idealização do programa Segundo Tempo: Forças no Esporte, desenvolvido pelo Ministério da Defesa.
O programa busca promover a integração social por meio da prática esportiva para crianças e adolescentes de 7 a 17 anos. Alunos das escolas públicas participam do programa em horário oposto ao das aulas. Além de atividades esportivas, é oferecido alimentação, aulas sobre valores cívicos e serviços médicos e odontológicos gratuitos.
O Major Ivan de Oliveira Gomes, coordenador do programa em Roraima, explicou que Forças no Esporte atende há três anos crianças e adolescentes em vulnerabilidade social. São feitas visitas nas escolas estaduais e, na sequencia, uma seleção define quais alunos vão participar do projeto social durante o ano.
“O programa é fundamental para resgatar valores de cidadania e inclusão social. Desde 2013 atendemos anualmente 100 alunos por meio de seleções feitas na capital. Agora, com esse espaço poliesportivo concedido pela prefeita Teresa Surita, vamos realizar várias atividades físicas com esses jovens“, ressaltou Ivan.
As atividades nos espaços da Vila Olímpica começam a partir do dia 21 de junho, às 7h30. Toda a estrutura da vila será utilizada: Parque das Piscinas, pista de atletismo , as quadras poliesportivas e as salas de treino de luta marciais.
“Decidimos com o Exército que o programa social irá atender os alunos nas terças, quartas e quintas-feiras, uma forma de estreitar laços com instituições que desenvolvem projetos sociais tão importantes como esse. E é isso que queremos, levar esporte para todos”, disse a prefeita Teresa Surita.
Programa Segundo Tempo – Forças no Esporte: Em todo o país, as atividades do programa beneficiam anualmente cerca de 16 mil crianças e adolescentes com idade entre 7 e 17 anos.

PORTAL DO HOLANDA (AM)


Carros-pipa do exército devem reforçar abastecimento de água na Zona Leste de Manaus

Manaus/AM - A prefeitura de Manaus solicitou novamente uma parceria com o Exército Brasileiro para que a partir a partir desta quarta-feira(8) haja o reforço no fornecimento emergencial de água para os moradores da zona Leste da capital. Como aconteceu emn 2004, quando uma balsa abalroou a plataforma de captação do Programa Águas para Manaus (Proama).
De acordo com o coordenador da Unidade Gestora de Projeto Municipal de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário (UGPM Água), Sérgio Elias, mais de dez carros-pipa da Manaus Ambiental já estão atendendo as áreas mais altas da zona Leste, onde o abastecimento racionado não consegue alcançar, devido à baixa pressa pressão da água. “Por determinação do prefeito, enviamos um ofício ao Comando Militar da Amazônia (CMA) e a nossa expectativa é de que amanhã (quarta) os carros-pipa do Exército estejam reforçando nesse abastecimento emergencial da população”, explicou Sérgio Elias.
Ainda segundo o coordenador da UGPM Água, já estão sendo fabricadas novas peças para substituição das que foram comprometidas com o travamento da bomba de captação do Proama. Elas estão sendo confeccionadas em uma tornearia local e, ainda esta semana, devem ficar prontas para instalação. “Técnicos especializados estiveram em Manaus para respaldar todo o processo de manutenção. Nosso objetivo é dar uma solução para sociedade no menor tempo possível”, afirmou.
Rodízio no fornecimento
A Manaus Ambiental informou que a ETA Ponta das Lajes é responsável pelo atendimento dos macros setores Jorge Teixeira, Nova Floresta, São José, Mutirão, Cidade de Deus e Núcleo 23. Com exceção dos macros setores São José, núcleo 23 e Cidade de Deus, os demais estão com abastecimento comprometido e recebem fornecimento de água por escala de dia, até a normalização:
JORGE TEIXEIRA
Jorge Teixeira I, Jorge Teixeira II, Jorge Teixeira III, Jorge Teixeira IV, Brasileirinho, João Paulo e Santa Inês;
MUTIRÃO
Amazonino Mendes, Nossa Senhora de Fátima, Núcleo 16, Núcleo 21, Núcleo 22, Núcleo 24, Amadeu Botelho, Mutirão, Novo Aleixo, Águas Claras e Vila Rica;
NOVA FLORESTA
Nova Floresta, Novo Reino, Nova Conquista, Gilberto Mestrinho, Nova Vitória I, Nova Vitória II, Nova Vitória III e Grande Vitória.

PORTAL EM TEMPO ONLINE (AM)


Marinha descarta acidente envolvendo embarcação próximo a Novo Airão

A Marinha do Brasil, por meio do Comando do 9º Distrito Naval (Com9°DN), descartou na tarde desta terça-feira (7), que não houve nenhum acidente envolvendo embarcação nas proximidades do município de Novo Airão ( a 180 quilômetros da capital).
Por meio de nota, a Marinha disse que a aeronave do 3º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral (EsqdHU-3) realizou buscas da área e constatou que a embarcação navegava normalmente, subindo o Rio Negro, nas proximidades do município.
Entenda o caso
A marinha foi informada na manhã de hoje que uma embarcação, com aproximadamente 80 pessoas teria sofrido um acidente. A informação teria sido repassada por uma dos passageiros da embarcação.
Assim que tomou conhecimento do ocorrido, a Marinha mobilizou uma aeronave do EsqdHU-3, o Navio-Patrulha Fluvial Rondônia e o Navio de Assistência Hospitalar Carlos Chagas, para garantir a segurança da navegação e evitar a poluição hídrica.

REVISTA PORTOS E NAVIOS (RJ)


Federação das Indústrias e Marinha buscam aproximação

O presidente da Fiems, Sérgio Longen, recebeu, nesta terça-feira, 7, no Edifício Casa da Indústria, em Campo Grande, o comandante do 6º Distrito Naval da Marinha do Brasil, contra-almirante Petrônio Augusto Siqueira de Aguiar, para discutirem ações de aproximação entre a Federação e a organização militar, que está sediada no município de Ladário (MS). “Abordamos a importância da proximidade do Sistema Fiems com a Marinha do Brasil para o desenvolvimento de Mato Grosso do Sul”, destacou Sérgio Longen, que estava acompanhado pelo superintendente do Banco do Brasil no Estado, Evaldo de Souza, e pelo presidente da Faems, Alfrendo Zamlutti Júnior.
Ele recordou que, como parte dessa política de aproximação, no ano passado o Sistema Fiems, por meio do Senai, participou do “Fórum Rumos da Hidrovia - Ações para o Desenvolvimento Sustentável do Transporte no Rio Paraguai”, realizado em Corumbá (MS), quando apresentou a situação atual do setor industrial de Mato Grosso do Sul e quais são os desafios e perspectivas do setor para a próxima década.
“A Hidrovia do Rio Paraguai é vital para o crescimento da economia sul-mato-grossense e, para o setor industrial, essa questão logística é estratégica para o desenvolvimento do Estado, não só a da Hidrovia, mas a logística integrada, pois tem impacto no custo do material produzido aqui. Para alcançar os maiores mercados consumidores, nossos produtos têm que chegar com preços competitivos e o custo logístico tem forte impacto nisso”, destacou o presidente da Fiems.
Já o contra-almirante Petrônio de Aguiar reforçou que para se conseguir qualquer tipo de desenvolvimento em qualquer área é preciso unir forças. “Por isso, a relação da Marinha do Brasil com a Federação das Indústrias é fundamental”, declarou, salientando que a região compreendida pelos municípios de Corumbá e Ladário se trata de uma área de fronteira do Brasil com a Bolívia e, portanto, quanto mais a região se desenvolver, melhor será para o País.
Ele destacou otimismo com relação ao retorno do crescimento do Brasil e lembrou que a Marinha do Brasil tem a cultura de desenvolver novas tecnologias. “Um excelente exemplo é a energia nuclear. O nosso patamar de conhecimento sobre a energia nuclear se deu por causa na década de 50, de pesquisadores da própria Marinha do Brasil. Esse é só um exemplo, então, a Marinha sempre tem buscado oportunidades de desenvolvimento, principalmente, na área tecnológica. É um momento especial que estamos vivendo, mas, com o poder do empresariado poderemos recuperar isso facilmente”, disse.

PORTAL DEFESANET


Sistema Apolo será ativado dia 1º de julho em apoio aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos

Representantes do governo federal, das Forças Armadas e de agências públicas, que fazem parte do Sistema Nacional de Mobilização (SINAMOB), se reuniram pela última vez, nesta segunda-feira (06), antes da ativação do Centro de Coordenação de Logística e Mobilização (CCLM) que será empregado durante a realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.
O CCLM, pertencente a estrutura do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas do Ministério da Defesa (EMCFA - MD), utilizará uma ferramenta inédita de apoio à tomada de decisões na área de logística em diversas situações durante os Jogos Rio 2016, como calamidades, desastres naturais, atentado terrorista e possíveis contaminações por agentes químicos. Trata-se do Sistema de Apoio Logístico, chamado de Apolo, e que reúne informações gerenciais de diversas áreas como saúde, justiça, telecomunicações, energia, aviação, abastecimento, agricultura e pecuária, meio ambiente, entre outras.
O sistema Apolo, que entrará em funcionamento a partir do dia 1º de julho, durante a ativação do CCLM, vai ajudar a garantir a segurança e a integridade dos atletas, comissões técnicas, turistas, jornalistas, autoridades e chefes de Estado, nas cidades do Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Salvador, São Paulo e Manaus, locais em que vão acontecer os eventos olímpicos.
De acordo com o chefe de Logística do Ministério da Defesa, Almirante Luiz Henrique Caroli, o SINAMOB exerce um papel importante na preparação do País para o enfrentamento de diferentes demandas. "Grandes eventos como os Jogos Rio 2016 são exemplos desse tipo, em que o Brasil precisa reagir a diferentes questões logísticas", afirma o almirante Caroli.
Atualmente, cerca de 30 órgãos públicos participam do Apolo e poderão acessar informações para tomada de decisões. O SINAMOB, criado pela Lei n° 11.631, de 27 de dezembro de 2007, reúne um conjunto de atividades planejadas, orientadas e empreendidas pelo Estado visando ao aumento rápido de recursos humanos e materiais disponíveis para a defesa nacional, sob a coordenação do MD, como órgão central.
Para o subchefe de Coordenação de Logística e Mobilização, Brigadeiro Alcides Teixeira Barbacovi, é fundamental que se deixe um legado. “O objetivo é deixarmos uma ferramenta que seja usada em qualquer sistema e em qualquer situação de emergência que o País sofra. O nosso foco agora são os Jogos Olímpicos, mas o legado é para qualquer problema que tenhamos", acrescentou o militar.
O Apolo, desenvolvido pelo Centro de Análise e Sistemas Navais (CASNAV) da Marinha do Brasil, foi testado em operações conjuntas e interagências, como a Ágata. O sistema ainda promove a integração de conhecimento que pode ser usada, tanto na defesa do País, como em operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO).
Ele contará com informações dos ministérios da Fazenda; da Ciência, Tecnologia e Inovação; da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; das Comunicações; do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior; de Minas e Energia; do Trabalho e Previdência Social; da Saúde; dos Transportes e do Planejamento, Orçamento e Gestão, além de agências governamentais.


Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented