|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 19/05/2016 / Avião da EgyptAir some dos radares com 69 pessoas a bordo


Avião da EgyptAir some dos radares com 69 pessoas a bordo ...


Boeing 737-800 saiu do aeroporto internacional Charles de Gaulle, em Paris, com direção ao Cairo, no Egito

Um Boeing 737-800 da EgyptAir desapareceu ontem dos radares depois de decolar do aeroporto internacional Charles de Gaulle, em Paris, com 69 pessoas a bordo – 59 passageiros e 10 tripulantes. O voo MS804 ia para o Cairo, no Egito.

Segundo a companhia aérea egípcia, o voo decolou na noite de ontem e deveria chegar na capital do Egito na manhã de hoje.“ Uma fonte da Egypt Air informa que o voo MS804, que decolou em Paris às 23h09 (18h09no horário de Brasília) ia em direção ao Cairo, desapareceu dos radares”, anunciou a linha aérea em comunicado.

Algumas horas depois, por meio de sua conta no Twitter, a EgyptAir informou que o avião sumiu dos radares às 2h45, horário local (22h45 em Brasília) – 3 horas e 40 minutos depois de decolar. O Boeing 737-800 desapareceu 16 quilômetros depois de entrar no espaço aéreo do Egito, sobre as águas do Mar Mediterrâneo, segundo a companhia.

Ele estava a mais de 11 mil metros de altitude. O governo egípcio não emitiu nenhum comunicado e não divulgou nenhum detalhe sobre as possíveis razões do provável acidente. Autoridades disseram apenas que haviam despachado uma equipe de resgate para tentar encontrar o avião.

Sequestro

Foi o segundo incidente envolvendo um avião da EgyptAir este ano. Em março, Seif al-Din Mustafa, um egípcio de 59 anos, sequestrou um Airbus A320 da companhia com 63 pessoas a bordo. O avião fazia uma rota doméstica, de Alexandria até o Cairo. O sequestrador, que afirmava estar usando um colete com explosivos, forçou o piloto a pousar em Chipre. O impasse terminou de maneira pacífica, sem vítimas e não teve nenhuma relação com o terrorismo, segundo Nicos Anastasiades, presidente do Chipre. Mustafa, mais tarde, confirmou que sequestrou o avião para chamar a atenção de sua ex-mulher e de seu filho, que viviam em Chipre.




Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.



PORTAL JANES (Inglaterra)


Saab rolls out new Gripen E fighter


Gareth Jennings, Linköping

Saab rolled out its new Gripen E fighter aircraft during a ceremony at the companys Linköping production plant in Sweden on 18 May.
The ceremony saw aircraft 39-08, the first of three prototypes, presented to governmental, military, and industrial guests that included Swedens minister of defence, Peter Hultqvist; the Swedish Air Force (SwAF) chief of staff, Mats Helgesson; and the commander of the Brazilian Air Force, Nivaldo Luiz Rossato.
That this milestone took place only three years after the Gripen E development contract was signed in February 2013 was something that Saab president and chief executive officer (CEO) Håkan Buskhe noted when he spoke to reporters on the eve of the event about its significance to the company in general and to the Gripen programme in particular.

PORTAL G-1


Ruído de explosão e tremor intrigam moradores em cinco cidades do Vale

Barulho foi ouvido em Guaratinguetá, Roseira, Aparecida, Potim e Lorena. Boato de explosão em pedreira e aeronáutica dominou as redes sociais.

Do G1 Vale Do Paraíba E Região

Um estrondo seguido de um tremor assustou moradores de Guaratinguetá, Roseira, Aparecida, Potim e Lorena na tarde desta terça-feira (17). Nas redes postagens sobre a origem do barulho geraram boatos sobre explosões na Escola de Especialistas da Aeronáutica e em uma pedreira em Aparecida. As causas do tremor ainda são desconhecidas. Segundo moradores, por volta das 14h30 foi ouvido um ruído em Guará semelhante a uma explosão seguido de um tremor. Na sequência, moradores das outras quatro cidades, vizinhas, relataram o mesmo evento.
“Ficamos todos apavorados, minha casa tremeu inteira. O barulho era de como se tivesse acontecido uma explosão próximo de casa”, disse Cecílio Mattos, morador do bairro Navio dos Comerciários 2 de Lorena. Logo após o ocorrido, grupos e páginas nas redes sociais associaram o estrondo à um pedreira às margens da Dutra em Aparecida. A reportagem do G1 apurou com a Serveng, responsável pela mineradora, que informou que não houve qualquer tipo de detonação no local na tarde desta terça-feira.
O segundo boato é de que a explosão teria acontecido na Escola de Especialistas da Aeronáutica em Guaratinguetá. A reportagem também acionou a instituição que informou que não houve nenhum tipo de explosão nas dependências da unidade.
Mistério

O meteorologista do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Gustavo Escobar, descarta a possibilidade do barulho ter sido causado por micro explosões naturais. “Isso acontece quando o ar frio das nuvens desce em alta velocidade. Quando ele chega ao solo gera uma espécie de explosão. No entanto, isso é pequeno. Não pode ser ouvido em grande escala. Ontem o Vale não tinha condições meteorológicas para esse tipo de fenômeno. Do ponto de vista meteorológico, não houve nada na região que justificasse o barulho”, explicou.
O G1 também consultou o Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat) que informou que, durante toda quarta (17) não houve registro de raio nas cidades citadas. Em todo o Estado, houve incidência somente na região de Ribeirão Preto e Franca.
De acordo com o sistema do Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP) não houve nenhum registro de abalo sísmico na região.
O corpo de Bombeiros de Guaratinguetá informou que não houve registro de chamados na região relacionados ao evento. A Defesa Civil de Aparecida informou que não houve chamado. Informou também que apurou com a pedreira e que não houve explosões no local.

Um mês após terremoto, fortes tremores voltam a atingir o Equador

Tremores tiveram magnitude 6,7 e 6,8; uma pessoa morreu. Em abril, tremor matou mais de 650 pessoas e feriu 16,6 mil.

Do G1, Em São Paulo

Um tremor de magnitude 6,8 ocorreu com epicentro perto de Rosa Zarate, no Equador, às 13h46 (hora de Brasília) desta quarta-feira (18), informa o Serviço Geológico dos EUA. Na madrugada, outro terremoto de magnitude 6,7 atingiu o país.
O presidente Rafael Correa anunciou que os tremores desta quarta deixaram um morto e 85 feridos. Mais cedo, ele havia dito que o primeiro tremor só causou "pequenos danos" e pediu calma à população ainda traumatizada pelo tremor que atingiu o país em abril.
O fenômeno desta madrugada aconteceu às 2h57 locais (4h57 de Brasília). O epicentro do tremor foi localizado 58 km ao sul de Esmeraldas, a uma profundidade de 10 km, perto da costa do Pacífico.
O sismo abalou alguns pontos da capital, Quito, e foi seguido por várias réplicas de até 5,4 de magnitude. A eletricidade em algumas áreas costeiras foi cortada e pessoas correram para as ruas até a região mais alta da cidade.
Moradores do bairro Costa Azul, no porto de Manta, na província de Manabí, também abandonaram suas casas e correram para as ruas, segundo a France Presse.
O terremoto também foi sentido em Cali, na Colômbia, onde não causou danos. Não há alerta para tsunami.
"Pior tragédia"
Em abril, um terremoto de magnitude 7,8, o mais violento em quase sete décadas, deixou mais de 650 mortos e feriu cerca de 16,6 mil pessoas. Muitos equatorianos ficaram desabrigados.
O terremoto de abril foi considerado pelo presidente do Equador, Rafael Correa, a "pior tragédia" no país desde o tremor de 1949 que deixou 6 mil mortos e 100 mil desabrigados no centro do país.
O governo tem direcionado impostos para financiar a recuperação desde o terremoto de abril, mas diz que vai levar anos para reconstruir as cidades da costa e os centros turísticos afetados pelo terremoto, segundo a Associated Press.

Noite dos Ovnis: caso completa 30 anos sem ter mistério desvendado

Ouça áudio entre piloto e controlador quando avistam objetos no céu em 86. Controlador de voo, Sérgio Mota, fala pela primeira vez sobre episódio.

Poliana Casemirodo G1 Vale Do Paraíba E Região

ImagemTrinta anos depois, a "Noite dos Ovnis" se mantém como um dos maiores mistérios ufológicos do Brasil. No dia 19 de maio de 1986, vinte e um pontos luminosos foram vistos no céu de São José dos Campos (SP). Cinco caças da Força Aérea Brasileira (FAB) foram enviados para combater os alvos, que segundo relatos documentados oficialmente pelo governo, mudavam de localização em alta velocidade. O G1 conversou com os envolvidos no episódio - o controlador de voo falou pela 1ª vez publicamente sobre o assunto.
Naquela noite, o controlador de voo Sérgio Mota da Silva avistou os pontos luminosos no céu. Eles foram detectados pelo radar da torre de comando do aeroporto de São José. Quando Silva percebeu o primeiro ponto, acionou o piloto Alcir Pereira da Silva, que passava pela rota dos objetos em viagem com o então presidente da Embraer, Ozires Silva.
Alcir pilotava um Xingu, em viagem de Brasília para São José dos Campos. No áudio da conversa daquela noite, divulgado 28 anos mais tarde, Alcir avisa que se aproximaria do “alvo”, mas ao chegar ele muda de localização em alta velocidade.
Depois da primeira tentativa de alcançar os objetos, a Força Aérea mobilizou cinco aeronaves oficiais da frota de defesa para perseguirem as luzes. Foram cerca de 4 horas de perseguição.
Apesar da repercussão do assunto na época, com declarações da Aeronáutica e capas de jornais, os documentos e áudio que traziam detalhes do episódio conhecido como Noite dos Ovnis foram considerados confidenciais pelo governo por quase três décadas e a investigação foi inconclusiva.
O único registro fotográfico do evento, de um fotojornalista de São José dos Campos, foi confiscado pela Nasa - esse material nunca foi recuperado. “À época um cientista que se dizia da Nasa foi ao jornal recolher o negativo desse material para análise. Era o único registro que tínhamos do que aconteceu naquela noite. Eles nunca devolveram esse material ou apresentaram um parecer sobre o que a análise das imagens”, contou o fotógrafo Adenir Brito.
Apesar de não ter os filmes originais das fotos, ele guarda o registro do que foi publicado em preto e branco na edição do jornal do dia 20 de maio de 1986.
Imagem
Envolvidos
Três décadas após a noite emblemática, o G1 reuniu relatos dos três personagens centrais desta história.
O evento marcou a carreira do controlador de voo Sérgio Mota, hoje com 59 anos. À época ele recebeu ordem de seu comando para que não tocasse no assunto com colegas ou desse entrevistas. Hoje, desligado da FAB, ele comenta pela primeira vez o evento e o descreve como surpreendente.
Ele contou que na época a chefia passou aos subordinados que os pontos avistados eram de uma guerra eletrônica - mas ele contesta. “Nesses eventos, possíveis inimigos usam aparelhos para confundirem o radar, colocando pontos de luz. Eles se confundem com aviões e bagunçam o controle do espaço aéreo. Apesar da explicação, esses pontos não poderiam ser vistos por olhos humanos, diferente do que aconteceu naquele dia” explicou.
A vivência, no entanto, não foi o bastante para que ele acreditasse em vida além da Terra. “Eu não sei o que houve aquele dia. A rapidez, o número de pontos, não sei dizer o que foi aquilo. Mas não acredito em alienígena, quem sabe quando ele chegar para mim e se apresentar com RG, aí eu acredite”, brincou.
Outra peça importante no quebra-cabeça do mistério é Ozires Silva, que também é cético quanto à presença de extraterrestres naquela noite, mas guarda incertezas sobre o que aconteceu. "Claro que pode haver vida fora da Terra. Mas que nós possamos nos comunicar com eles e eles se comunicarem conosco me parece muito pouco viável. As distâncias no espaço sideral são de tal ordem que é muito difícil haver comunicações entre planetas, mesmo do Sistema Solar.", disse.
Apesar de não constar nos relatórios oficiais, Ozires conta que dividiu a tarefa de pilotar a aeronave naquela noite com Alcir Pereira. Para Alcir, aquele 19 de março também é uma incógnita. “Eu fui piloto por muitos anos e nunca tinha visto algo como aquilo. Era ágil demais, impossível que houvesse um humano dentro dela. Eu não sei se era disco, mas era um brilho muito forte”, relembrou.
Mistério
Para o consultor da revista UFO, Renato Mota, o aparecimento foi o maior contato de vida inteligente fora da Terra com humanos. “São 130 milhões de estrelas. Achar que só a Terra é habitada é egoísmo. Hoje a questão não é mais se existe vida fora da Terra, já sabemos. A questão agora é quando eles vão se apresentar”, defendeu.
Segundo Mota, as respostas apresentadas pelos órgãos oficiais sobre a Noite dos Ovnis são suposições. “Não podia ser estrela porque estrelas não podem ser captadas por radares; guerras de luz não podem ser vistas pelos olhos humanos. Não há nada que responda isso a não ser que foi um contato. Para mim esse é um mistério resolvido, eram naves de civilizações avançadas”, definiu.
Para o astrofísico da Universidade do Vale do Paraíba (Univap), Oli Luiz Vors Júnior, não há comprovação científica que afirme que há vida fora da Terra e que a explicação para a noite de 19 de maio foi a passagem de um cometa.
“Quando entra na atmosfera, [o cometa] esquenta e emite luz. Isso explica os pontos brilhantes e a detecção pelo radar, já que tem massa. O número pode ser explicado pelos meteoros que acabam acompanhando o cometa”, explicou.
ConfidencialImagem
À época do fato, o então Ministro da Defesa, brigadeiro Octávio Júlio Moreira Lima, disse em entrevista coletiva com os pilotos que o fato seria apurado pelo órgão. O resultado foi um dossiê mantido sob sigilo desde 1986 e divulgado apenas em 2014.
Na oitivas, os pilotos confirmam que viram pontos de luz no céu, que mudavam de cor e se movimentavam em alta velocidade. O dossiê com título “Possível Aparecimento de Ovni em São José dos Campos e Anápolis” concluiu que “os fenômenos eram sólidos e refletem de certa forma inteligências, pela capacidade de acompanhar e manter distância dos observadores”.
Os relatórios fazem hoje parte do acervo do Arquivo Nacional, sendo o segundo material mais acessado do acervo, atrás apenas dos relatórios da ditadura militar. Pela busca, todos os arquivos foram digitalizados e em 2014 o acesso tornou-se possível pelo site.
Inconclusivo
O G1 procurou o Comando da Aeronáutica para saber, 30 anos depois, sobre as respostas para a Noite dos Ovnis.
O órgão explicou por meio de nota que “não dispõe de estrutura e de profissionais especializados para realizar investigações científicas ou emitir parecer a respeito desse tipo de fenômeno aéreo”. Informou ainda que toda vez que algum objeto voador não-identificado é visto, é elaborado um relatório em registro público.

PORTAL CAMPO GRANDE NEWS


A burocracia para o uso de drones na agricultura


Mário Sérgio Lorenzetto

O uso de aeronaves remotamente pilotadas, popularmente chamadas de drones, tem despertado o interesse de muitos agricultores. Eles podem agir diretamente no controle de pragas através de uma precisa coleta de dados, facilitando a tomada de decisões e minimizando os possíveis prejuízos de forma bastante eficaz. Também podem ser utilizados para a verificação de espaços mal-aproveitados, além de realizar a dispersão de suplementos agrícolas.
Essas aeronaves precisam, atualmente, de duas autorizações de voo para operar no Brasil. O primeiro registro deve ser feito na Agência Nacional de Aviação Civil - Anac - que poderá, com o novo governo, ser reformulado brevemente. A questão é que essa autorização - Certificado de Autorização de Voo Experimental - está levando em torno de um ano para ser liberada e exige a entrega de uma vasta gama de documentos, tais como avaliações sobre a segurança do modelo e a análise de aptidão do piloto que irá operar o drone.
Outro órgão que também deve ser acionado é o Departamento de Controle de Espaço Aéreo - Decea -, responsável pelos pedidos de decolagem e das questões referentes à segurança de navegação aérea desses equipamentos. Em suma, a burocracia está inibindo o uso de drones no campo.

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


Avião da EgyptAir some dos radares com 69 pessoas a bordo

Boeing 737-800 saiu do aeroporto internacional Charles de Gaulle, em Paris, com direção ao Cairo, no Egito

Um Boeing 737-800 da EgyptAir desapareceu ontem dos radares depois de decolar do aeroporto internacional Charles de Gaulle, em Paris, com 69 pessoas a bordo – 59 passageiros e 10 tripulantes. O voo MS804 ia para o Cairo, no Egito.

Segundo a companhia aérea egípcia, o voo decolou na noite de ontem e deveria chegar na capital do Egito na manhã de hoje.“ Uma fonte da Egypt Air informa que o voo MS804, que decolou em Paris às 23h09 (18h09no horário de Brasília) ia em direção ao Cairo, desapareceu dos radares”, anunciou a linha aérea em comunicado. Algumas horas depois, por meio de sua conta no Twitter, a EgyptAir informou que o avião sumiu dos radares às2h45,horário local (22h45 em Brasília) – 3 horas e 40 minutos depois de decolar. O Boeing 737-800 desapareceu 16 quilômetros depois de entrar no espaço aéreo do Egito,sobre as águas do Mar Mediterrâneo, segundo a companhia.

Ele estava amais de 11 mil metros de altitude. O governo egípcio não emitiu nenhum comunicado e não divulgou nenhum detalhe sobre as possíveis razões do provável acidente. Autoridades disseram apenas que haviam despachado uma equipe de resgate para tentar encontrar o avião.

Sequestro

Foi o segundo incidente envolvendo um avião da EgyptAir este ano. Em março, Seif al-Din Mustafa,um egípcio de 59 anos, sequestrou um Airbus A320 da companhia com 63 pessoas a bordo. O avião fazia uma rota doméstica,de Alexandria até o Cairo. O sequestrador, que afirmava estar usando um colete com explosivos, forçou o piloto a pousar em Chipre. O impasse terminou de maneira pacífica, sem vítimas e não teve nenhuma relação com o terrorismo, segundo Nicos Anastasiades, presidente do Chipre. Mustafa, mais tarde, confirmou que sequestrou o avião para chamar a atenção de sua ex-mulher e de seu filho, que viviam em Chipre.

PORTAL BRASIL


Galeão terá portões eletrônicos na área de embarque e migração

Equipamento estará disponível para uso do passageiro a partir de junho

Uma nova tecnologia promete agilizar o fluxo de passageiros que devem circular pelo Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro, no período dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. A concessionária Riogaleão investiu na instalação de portões automáticos, acionados por meio de leitores de código de barras dos cartões de embarque (impressos ou em dispositivos móveis), nos acessos aos terminais 1 e 2. A estimativa é que o aeroporto fluminense receba cerca de 2,54 milhões de passageiros durante o megaevento, de acordo com estudo da Secretaria de Aviação Civil.
Ainda em fase de testes, o aparelho estará disponível para o uso dos passageiros a partir da segunda quinzena de junho. Dezenove portões estão distribuídos no aeroporto: oito no Terminal 1 e onze no Terminal 2, com a garantia de comportar um fluxo acima de 50 passageiros por minuto.
Outra novidade do aeroporto será o controle migratório automatizado, área controlada pela Polícia Federal. A partir de junho, o terminal do Galeão passa a contar com e-Gates, portões cuja função é permitir uma leitura rápida e segura dos passaportes de passageiros que embarcam ou desembarcam de voos internacionais.
O procedimento também garante mais celeridade ao processo de identificação de viajantes, já que conta também com câmera de reconhecimento biométrico. Por ora, o serviço só poderá ser usado por brasileiros acima de 18 anos, portadores de passaporte eletrônico com chip. Serão quatro portões no embarque e oito no desembarque, localizados no Terminal 2 do aeroporto.
Em janeiro deste ano, o novo Terminal do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), ativou a operação de portões automáticos tornando a viagem do passageiro mais ágil e segura. O primeiro aeroporto brasileiro a contar com essa tecnologia foi o de Guarulhos.
Em setembro de 2014, a concessionária GRU Airport instalou 16 e-gates no terminal, e, ao longo de 2015, os portões automáticos foram responsáveis pelo atendimento de cerca de 20% da demanda de passageiros brasileiros em voos internacionais, o que representou quase 200 mil passageiros por mês, de acordo com a GRU Airport.
Jogos
O aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, é um dos aeroportos-referência da operação especial do setor aéreo para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. No período do evento, mais de 1 milhão de atletas, delegações e turistas circularão pelos dois aeroportos cariocas, com processamento de 4,7 milhões de volumes de bagagem. O megaevento vai trazer ao Brasil delegações de 206 países e mais de 100 chefes de Estado. Cerca de mil voluntários participarão do atendimento ao público nos aeroportos. Em torno de 2.200 controladores de voo já receberam treinamento específico para o evento e mais de 1 mil vagas extras serão criadas nos pátios dos terminais para estacionamento de aeronaves no período.
O governo federal vai monitorar toda a operação aérea para a Rio2016 a partir de uma sala de comando e controle integrados, instalada dentro do Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), pertencente ao Comando da Aeronáutica e subordinada ao Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), no Rio de Janeiro (RJ). A Sala Master funcionará de 20 de julho a 24 de setembro, 24 horas por dia, com representantes de todos os órgãos públicos, companhias aéreas e gestores envolvidos na operação aeroportuária brasileira para o evento.

JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Futuro caça da Força Aérea Brasileira, novo Gripen é apresentado na Suécia


Futuro caça da FAB (Força Aérea Brasileira), a nova geração da aeronave Gripen foi apresentada nesta quarta-feira (18) em Linköping, na Suécia.
Chamado de "Gripen E" pela fabricante sueca Saab, o modelo possui a mesma base da versão "Gripen NG", que foi escolhida pela FAB e terá equipamentos extras e mais avançados.
Em 2014, o governo federal fechou acordo para a compra de 36 caças "Gripen NG". Dos 36, 15 serão produzidos no Brasil. O contrato foi assinado no valor, da época, de US$ 5,4 bilhões. Os caças devem ser entregues à FAB entre 2019 e 2024.
Para o comandante da Aeronáutica, o tenente-brigadeiro do ar Nivaldo Luiz Rossato, a aeronave Gripen é um divisor de águas para a indústria de defesa do país.
"A qualificação de recursos altamente especializados, acompanhada pelo processo de transferência de conhecimentos, proporcionará um novo impulso ao desenvolvimento do nosso complexo científico-tecnológico, o que julgo ser um dos mais importantes legados desse projeto promissor", afirmou.
O comandante da Força Aérea da Suécia, major-general Mats Helgesson, por sua vez, disse que a máquina permitirá aos pilotos tomarem melhores decisões e também terá mais recursos para atacar e defender-se. Segundo Helgesson, a aeronave está "preparada para o combate do futuro em diferentes cenários".

JORNAL VALOR ECONÔMICO


SP planeja seis novos aeroportos


Domingos Zaparolli

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), anunciou que pretende ampliar o programa de concessões do Estado com a licitação de mais seis aeroportos regionais e expandir o programa de Parcerias Público-Privadas (PPPs) na área de habitação popular ainda em 2016.
Todos os aeroportos que fazem parte da nova leva de concessão são voltados para a aviação comercial. São eles: Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Marília, Bauru, Presidente Prudente e Araçatuba. A viabilidade econômica de cada uma das concessões já está em fase de estudo por uma equipe capitaneada pela Secretaria de Governo. "Nossa intenção é encaminhar até o final do ano o pedido de autorização para a licitação ao governo federal", disse o governador.
O modal aeroportuário é o que está em estágio mais avançado no programa de concessões de infraestrutura logística anunciado pelo governador em novembro de 2015, envolvendo projetos que somam R$ 13,4 bilhões. Em abril, o governo paulista publicou o edital de licitação em lote único de cinco aeroportos regionais -Jundiaí, Bragança Paulista, Ubatuba, Itanhaém e Campinas (Amarais) - que são dedicados à aviação executiva. A expectativa do governador é que o leilão ocorra em julho e que proporcione investimentos de R$ 90 milhões.
No modal rodoviário, porém, o governo de São Paulo recuou de sua proposta inicial de conceder neste ano 2.266 quilômetros de estradas divididas em quatro lotes. Dois lotes foram retirados do processo. O lote A, na Baixada Santista, cujos estudos de duplicação da SP-55 serão revistos, por afetar perímetros urbanos, e a licitação será reapresentada em 2017. E o lote B, na região de Sorocaba, que foi cancelado após contestações de prefeitos por conta das praças de pedágio previstas. Estão mantidas as privatizações dos lotes C, com trechos na região de Ribeirão Preto e Botucatu, e o lote D, em Marília. A previsão é que os leilões ocorram no segundo semestre.
O pacote de concessões logísticas inclui ainda licitação de cinco áreas de operação de ônibus intermunicipais e da Linha 17 - Ouro que fará a ligação por monotrilho do aeroporto de Congonhas à estação ferroviária do Morumbi.
A nova PPP da área de habitação contemplará a ocupação com moradias populares de áreas contíguas às linhas do Metrô e da rede de trens metropolitanos de São Paulo. Segundo Alckmin, os estudos de viabilidade já estão sendo realizados. A primeira PPP habitacional do Estado é um projeto de R$ 900 milhões.

JORNAL O VALE (S.J. DOS  CAMPOS -SP)


a noite de 19 de maio de 1986


20h15 - Operador da Torre de Controle de São José avista luzes se deslocando sobre a cidade
21h - Ozires Silva e o comandante Alcir Silva avistam as luzes
22h34 - Aviões da FAB são acionados e acompanham as luzes por vários minutos
fotografia
Adenir Brito, fotógrafo de São José, faz 36 imagens do fenômeno. Fotos foram confiscadas depois por um cientista americano
documentos
Em 2014, a Aeronáutica liberou documentos secretos sobre o episódio. Eles narram, minuto a minuto, a ocorrência no país, naquela noite de 19 de maio de 1986, que faz 30 anos hoje.

JORNAL ESTADO DE MINAS


OAB vai acionar Justiça para garantir verba para telecomunicações

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) quer que a União garanta aplicação de verba do dos Fundos de Universalização dos Serviços de Telecomunicação (Fust)

A Ordem dos Advogados do Brasil ajuizará uma ação civil pública requerendo que a União aplique corretamente a verba dos Fundos de Universalização dos Serviços de Telecomunicação (Fust), de Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel) e de Fiscalização das Telecomunicações (Fistel). O ajuizamento da ação foi decidido por unanimidade no Conselho pleno da OAB, instância máxima de deliberação da entidade.
Em média, menos de 10% do valor de cada fundo foi utilizado para os fins originais. Pareceres do Tribunal de Contas da União (TCU) mostram desvio de finalidade no uso da verba, com utilização praticamente nula aos fins a que se destina ou uso em outras atividades que nada têm a ver com aquelas legalmente previstas, como construção de ferrovias e revitalização de aviões da Aeronáutica.
O presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, entende que os problemas com internet e telefonia são reflexos da omissão e da negligência da Anatel. “Os números nos mostram que não há interesse da própria Agência Nacional de Telecomunicações junto à matéria. Reafirmo que esta autarquia atua muito mais como sindicato das empresas do que como representante dos usuários”, afirmou Lamachia.
Jarbas Vasconcelos, conselheiro federal pelo Pará e relator da matéria no Conselho Pleno, lembrou ainda que além do descompasso enorme entre o que é arrecadado e o que é investido pelos três fundos, há discrepâncias entre os valores apresentados pela Anatel e pela Secretaria do Tesouro Nacional.
Ao TCU, a Secretaria do Tesouro Nacional declarou que a arrecadação bruta do Fistel chegou a R$ 82,2 bilhões entre 1997 e 2015. Nas contas da Anatel, o valor correto é de R$ 67,2 bilhões. Não há entendimento sequer sobre o saldo do fundo. Em 30 de junho de 2015, declarou a Secretaria, havia R$ 15,5 bilhões na conta do Fistel. Já a Anatel enxergou R$ 64,8 bilhões no fundo.
Por decisão do Conselho Pleno, a diretoria nacional da OAB poderá tomar outras medidas que julgar cabíveis quanto ao tema. A decisão de entrar com a ação foi tomada ne3ssa terça-feira (17) pelo pleno da OAB, instância máxima de decisão da entidade, composto pelos 81 conselheiros federais (3 de cada Estado e do DF).

OUTRAS MÍDIAS


PORTAL JC NEGÓCIOS (PE)


Ministro Raul Jungmann revela que Aeronáutica estuda permuta de terreno do seu hospital no Recife 

Fernando Castilho
O ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse ao Blog JC Negócios, nesta quarta-feira, que a Aeronáutica estuda (através do II Comar) uma permuta da área ocupada pelo Hospital de Aeronáutica do Recife de forma que viabilize a construção de um outro e mais uma clínica odontológica dentro da área patrimonial do II Comar de maneira que o atual hospital possa ser transferido após a conclusão completa da obra e das novas instalações.
Jungmann revelou que sua prioridade na pasta da Defesa, será a correção da defasagem salarial da tropa e da continuidade de projetos estratégicos. “Esses projetos, alguns de alta tecnologia, são fundamentais para o pais em termos de produtividade e empregos”, disse.
Ele ainda falou sobre a retomada as operações de combate à entrada de drogas pelas fronteiras afirmando que em junho, inclusive, as unidades estarão relançando a Operação Ágata com envolvimento da Polícia Federal e da Receita Federal nas no combate as drogas.
O ministro revelou ainda que o ministério da Defesa deseja ampliar o uso do Sistema de Vigilância da Amazônia (Sivam) como ferramenta de controle e redução do tráfico a despeito de temos uma das maiores fronteiras secas do mundo (17 mil quilômetros) parte delas com países produtores e exportadores de drogas, dentre os maiores do mundo.
A Entrevista
JC Negócios – Ministro, o senhor está chegando ao ministério com um forte apoio da tropa. Sai um comunista do PC do B (Aldo Rebelo) e entra outro do antigo PCB, hoje PPS. A Defesa virou um reduto da esquerda ideológica fardada?
Raul Jungman – Não, de modo algum. A Defesa é uma pasta fora da composição política. Ela é da cota pessoal dos presidentes. Mas, internamente, inexiste qualquer preconceito quanto a orientação ideológica de quem venha a comandá-la.
JC Negócios – Diante da crise de receitas, o que é prioritário neste momento salário, equipamento ou pessoal?
Raul Jungman – prioridade vai para a defasagem salarial e a continuidade de projetos estratégicos, que não podem ser descontinuados. Esses projetos, alguns de alta tecnologia, são fundamentais para o pais em termos de produtividade e empregos. Pois, dentre outros benefícios, o domínio de tecnologia de defesa ulteriormente ganha aplicações para fins pacíficos.
JC Negócios – A questão da presença nas fronteiras foi um assunto que foi pouco tratado nos governos do PT – a despeito de ser uma cobrança da tropa. Como encaminhar ou retomar essa questão nesse tempo de crise?
Raul Jungman – Creio que sim, sem dúvida. Inclusive, agora me junho, estaremos relançando a Operação Ágata com esse fim, e envolvimento da PF e da Receita Federal nas no combate as drogas nossas fronteiras.
JC Negócios – O Sistema de Vigilância da Amazônia não poderia pode virar uma ferramenta efetiva de combate ao narcotráfico?
Raul Jungman – O Sivam já é uma ferramenta de controle e redução do tráfico, sem dúvida. Nosso problema é que temos uma das maiores fronteiras secas do mundo (17 mil quilômetros), parte delas com países produtores e exportadores de drogas, dentre os maiores do mundo. Mas, estarei em breve constituindo um grupo de trabalho com o ministério da Justiça e das Relações Exteriores para tratar de soluções para nossos problemas na área.
JC Negócios – Na questão da compra das novas encomendas de aviões quando será possível concluir a aquisição?
Raul Jungman – A aquisição, e transferência de tecnologia no âmbito do projeto FX-2, com a Suécia, está em curso. Porém restrições orçamentárias têm retardado o seu desenvolvimento.
JC Negócios – Como o ministério da Defesa analisa as propostas de abertura total do capital das empresas aéreas?
Raul Jungman – Sobre esse assunto ainda não detenho as informações necessárias para lhe responder agora.
JC Negócios – A Aeronáutica está oferendo ao mercado o terreno do Hospital de Aeronáutica do Recife, a beira-mar, para uma permuta imobiliária com troca de área construída?
Raul Jungman – Sim, O Hospital de Aeronáutica do Recife foi construído pelos americanos há 70 anos e precisa de uma reforma, da ordem de R$ 20 milhões. Existem estudos de concretizar uma permuta da área ocupada pelo hospital que viabilize a construção de um outro e de uma clínica odontológica dentro da área patrimonial do II Comar no Recife. Posso afirmar que caso a permuta seja concretizada, a mudança do hospital será realizada após a conclusão completa da obra e das novas instalações.

BARBACENA ONLINE


Epcar celebra aniversário de 67 anos

Concerto com a Banda de Música e solenidade militar na programação
A Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR) vai celebrar, nos dias 19 e 20 de maio, o aniversário de 67 anos da instituição. A programação inclui a tradicional solenidade militar, sexta-feira (20), que contará com a presença de autoridades do Comando da Aeronáutica e das instituições da cidade de Barbacena, além da participação dos alunos veteranos de 1950, a primeira turma a concluir o Curso Preparatório de Cadetes do Ar. Entre as festividades haverá a apresentação da Banda de Música da Escola, quinta-feira (19), no Auditório Brig Eduardo Gomes, a partir das 19h30. O concerto tem um repertório com estilos variados que vai do clássico à Música Popular Brasileira.
A EPCAR foi criada para atender as necessidades emergentes da Força Aérea Brasileira, a capacitação de futuros oficiais aviadores, o preparo de jovens, intelectual e militarmente, com vistas à integração à Escola de Aeronáutica, atual Academia da Força Aérea.

PORTAL CENÁRIO MT (MT)


Aeronautas temem desemprego com MP que aumenta participação estrangeira em companhias

Em audiência pública da comissão mista que analisa a medida provisória (MP 714/16) que eleva a participação estrangeira em empresas aéreas brasileiras, o representante do Sindicato Nacional dos Aeronautas, Tiago Rosa, afirmou que a redação atual da proposta traz riscos para os profissionais do setor.
Tiago Rosa: “O Brasil passará de exportador de mão de obra qualificada para importador" Segundo explicou Tiago, a transferência de rotas internacionais, hoje operadas por companhias brasileiras, acarretará uma perda de empregos diretos e indiretos em torno de 15.500 postos.
“Serão utilizados pilotos estrangeiros com custos trabalhistas menores e com treinamento desconhecido”, declarou, nesta terça-feira (17). Além disso, disse ele, pelo menos R$ 4,4 bilhões em impostos serão levados ao ano para o exterior.
Para o sindicalista, se for aprovada como foi editada, a MP representará o “fim da profissão dos aeronautas brasileiros”. “O Brasil passará de exportador de mão de obra qualificada para importador, como países como China e Índia já o fazem, porque todos os brasileiros ou vão mudar de ofício ou vão atuar em outras nações. Enquanto isso, as empresas daqui vão buscar melhores custos, trazendo tripulantes mais baratos", argumentou.
A MP eleva, de 20% para 49%, o limite para a participação estrangeira no capital com direito a voto das companhias aéreas brasileiras. A norma altera o Código Brasileiro de Aeronáutica (Lei 7.565/86), que restringia a atuação estrangeira a 20% do capital votante da empresa. O código também limitava a direção das companhias a brasileiros. Essa exigência é revogada pela medida provisória, abrindo espaço para a presença de administradores de outras nacionalidades.
Sugestões

Tiago Rosa informou que já foi apresentada uma sugestão de alteração ao texto que resolveria o impasse com o sindicato. Pela proposta de mudança, os voos internacionais de empresas aeroviárias brasileiras ou empresas estrangeiras que realizem operação societária com companhia aérea brasileira deverão ser operados exclusivamente por tripulações brasileiras, com contrato de trabalho no País.
O presidente da Associação Brasileira das Empresas Aeroportuárias, Eduardo Sanovicz, considerou a medida provisória positiva, mas ressaltou que alguns pontos podem ser revistos. Na concepção dele, é preciso incentivar dispositivos que possibilitem uma aviação mais competitiva, com preços acessíveis, empregando mais gente e com mais segurança.
Relator

O relator da MP, deputado Zé Geraldo (PT-PA), destacou que já foram recebidas mais de 50 emendas ao texto. Ele adiantou que pretende manter a ampliação da participação estrangeira. Em relação à sugestão dos profissionais do setor que querem assegurar os postos de trabalho no País de origem, o parlamentar explicou que ainda não há nada definido, mas que a reivindicação será analisada.
"Vou fazer um estudo sobre essa possibilidade, porque não adianta eu querer acatar e depois, lá na frente, ter um veto. Irei me aprofundar nisso na próxima semana, com toda assessoria e em conjunto com o presidente do colegiado, para que aquilo que a gente acatar realmente vire lei."
A medida provisória também acaba com o Adicional de Tarifa Aeroportuária (Ataero) a partir de 1º de janeiro de 2017. O tributo é incluído nas tarifas pagas pelos passageiros, nas passagens, e pelas companhias aéreas, sobre os procedimentos de pouso e permanência das aeronaves.
A comissão mista volta a se reunir na próxima terça-feira (24), quando deverá ouvir representantes da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

PORTAL PARACATUNEWS (MG)


Piloto de 29 anos morre após queda de Avião agrícola em Unaí,MG

O avião monomotor realizava o serviço de dedetização em uma lavoura da fazenda quando aconteceu o acidente.
Um avião monomotor agrícola caiu na manhã de ontem (17) na fazenda Cachoeira Xingu, na zona rural do município de Unaí, MG. O piloto chegou a ser socorrido, mas acabou morrendo a caminho do pronto socorro.
De acordo com a Polícia Militar (PM), era por volta de 9h, quando os militares receberam informações de um acidente aéreo a cerca de 60km da cidade de Unaí. No local, os militares depararam com a aeronave, PIPER PAWNEE 235, PR-TAC, da empresa Serrana Aviação Agrícola Ltda, completamente destruída em meio á vegetação. O piloto Alex Antônio Espanhol, de 29 anos, estava preso às ferragens.
A equipe do Corpo de Bombeiros foi acionada e chegou a socorrer o piloto ainda com vida, contudo a Alex de 29 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do Pronto Socorro Municipal. O avião monomotor realizava o serviço de dedetização em uma lavoura da fazenda quando aconteceu o acidente.
A Perícia Técnica compareceu ao local do acidente e realizou os trabalhos. O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) está responsável pelas investigações, para descobrir as causas do acidente.

PORTAL DEFENSE NEWS


Gripen E Debuts as Saab Reports Continued Interest in C Variants

Andrew Chuter
LINKOPING, Sweden — Saab executives hosting the rollout of the companys Gripen E fighter said they have a new customer in their sights, not for the latest version of the jet but the existing C variant.
Speaking to reporters ahead‎ of the rollout, Jerker Ahiqvist, the head of the Gripen program, said a deal with Slovakia for eight of the single-seat C variant of the Gripen was the nearest to being closed.
Confirmation of a deal‎ for the lease of new-build aircraft has been delayed by a recent general election in the central European nation but discussions between the Swedish and Slovakian governments continue.
Saab intends to continue upgrading and building the C/D version‎ alongside the more powerful E/F version capturing the attention at the rollout.
Speaking at the rollout, Saab CEO Hakan Buskhe said that the company would be integrating some of the capabilities from the E development into the earlier version.
Company officials said there is still plenty of interest in the C/D variant among those nations that dont require the additional range, more weapons and sensors, and other capabilities offered by the Gripen E making its debut Wednesday.
Croatia, Bulgaria and maybe even Botswana, if media reports are to be believed, are among the possible customers for a jet already flown by the Swedish Air Force and four others nation as well as Britains Empire Test Pilots School.
Swedish Air Force chief Maj. Gen. Mats Helgesson said no decision had yet been made about whether the aircraft would be sold on the second-hand market.
The Swedish jets are receiving an extensive update known‎ as MS20, the centerpiece of which is the introduction of the potent Meteor beyond visual range air-to-air missile made by MBDA and also destined to be operated onboard Rafale, Typhoon and F-35 jets.
The star of the show here Wednesday though was the Gripen E.
The aircraft has already secured deals for 60 aircraft from Sweden and a further 36 machines for the Brazilian Air Force, including eight twin-seat F versions.
A further two batches of ai‎rcraft are expected to be ordered by Brazil, although the timing is unclear.
‎India, Finland, Belgium, Switzerlan and Columbia are some of the possible customers for a jet that Saab reckons is among the most effective and affordable available.
If the flags adorning the Gripen E hangar were anything to go by, Mexico,‎ Chile, Uruguay, Peru and Canada are also possible targets for Saab.
Buskhe told the audience that Gripen interest is at an all-time high among potential customers.
The Saab boss said the company had focused on "quality, performance and even capped the cost curve" on fighter development costs with Gripen.
The Gripen E test aircraft being rolled out Wednesday is expected to make its maiden flight around the end of the year.
Swedish Air Force Es are scheduled to reach initial operating capability in 2023 with full capability set for three years later.

PORTAL FLIGHT GLOBAL


PICTURES: Saab rolls out first Gripen E fighter

Saab has unveiled its next-generation Gripen E fighter, some three years before delivering its first of at least 96 production examples to the air forces of Sweden and Brazil.
Craig Hoyle
ImagemRolled out at the Swedish manufacturer s Linköping site in Sweden on 18 May, aircraft 39-8 is the first of three test aircraft which will support the Gripen E programme. It will be handed over to the flight test department at the site "this summer", and is on track to make its debut flight before the end of this year, the company says. It will be used initially to verify the evolved design s general systems, airframe and aerodynamics. The additional two Swedish test assets are already in different stages of structural assembly.
One test aircraft will also be manufactured for Brazil, with this to undergo around one year of flight testing in Sweden before being transferred to a new facility at local partner Embraer s Gavião Peixoto site late this decade.
Sweden has ordered 60 Gripen Es, while Brazil will acquire an initial batch of 36: 28 single-seat NG examples and eight twin-seat aircraft, including locally-assembled units.
Speaking at the roll-out, Brazilian air force commander Gen Brig Nivaldo Luiz Rossato described the development of the advanced combat aircraft as "a significant milestone in the history of both countries." He adds: "The Gripen NG will represent a major advance to face any threat to airspace sovereignty. These fighters will be the backbone of the Brazilian air force."
Powered by a GE Aviation F414 turbofan engine, the Gripen E will offer increased range, payload and endurance performance over the legacy Gripen C/D and also have updated avionics, electronic warfare systems and an active electronically scanned array radar.
"This is the only fighter programme on time and on budget," says Ulf Nilsson, Saab s head of aeronautics. Initial operational capability is planned to be achieved by the Swedish air force in 2021, with full capability to be declared two years later.
Imagem
The event also included an aerobatic display by a Gripen C (above), and a static appearance by one of the Swedish air force s fighters in the new MS20 operating standard. Now being fielded by the service s squadrons, this adds new capabilities including MBDA s Meteor beyond-visual-range air-to-air missile and Boeing GBU-38 small diameter bombs (below). Up to 16 of the latter can be carried using four smart weapons launchers.

PORTAL MEON (SÃO JOSÉ DOS CAMPOS)


Depois de 30 anos, aparição de óvnis em São José ainda é mistério

FAB liberou documentos secretos com relatos sobre o caso
Henrique Macedo
Passados 30 anos, o mistério sobre a aparição de óvnis (objetos voadores não identificados) no Brasil na noite do dia 19 de maio de 1986, especificamente em São José dos Campos, continua um grande mistério e um dos mais emblemáticos casos de ufologia do mundo.
Era uma noite com céu limpo e boa visibilidade. De acordo com o relatório confidencial da FAB (Força Aérea Brasileira), liberado em 2009, por volta de 23h15 o radar da torre de controle do aeroporto de São José dos Campos detectou objetos não-identificados sobre a cidade.
O fenômeno também foi percebido no ar. O coronel Ozires Silva, um dos fundadores da Embraer e então recém-nomeado presidente da Petrobras, voava num avião Xingu e avistou as luzes. Em relatos publicados na imprensa, Ozires disse que “as luzes tinham presenças reais, eram alvos primários no radar, alvos positivos, uma coisa concreta”.
Por volta de 1h, radares em São Paulo e Brasília detectaram as luzes e acionaram caças nas bases aéreas de Santa Cruz (RJ) e Anápolis (GO) para perseguir as luzes de forma esférica, que se deslocavam a velocidades acima de 1.000 km/h. Relatos de pilotos dos caças dizem que objetos foram detectados pelo radar mas tinham um nível de agilidade incompatível com aeronaves terrestres e superavam com facilidade a velocidade das aeronaves.
Para Ricardo Varela Corrêa, pesquisador do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e ufólogo de carteirinha, como ele mesmo frisou, o caso tem forte fundamentação por ter sido relatado por profissionais treinados para reconhecer e diferenciar aeronaves. "O operador da torre de controle [do aeroporto de São José dos Campos] relatou ter visto objetos no radar de solo. Esse é um dos eventos mais impactantes na ufologia mundial porque há testemunhas abalizadas, com treinamento para não identificar Vênus como disco voador".
Em 25 de setembro de 2009 foi divulgado o relatório oficial da FAB sobre o caso, que diz textualmente: "Como conclusão dos fatos constantes observados, em quase todas as apresentações, este Comando é de parecer que os fenômenos são sólidos e refletem de certa forma inteligência, pela capacidade de acompanhar e manter distância dos observadores, como também voar em formação, não forçosamente tripulados". O documento é assinado pelo Brigadeiro do Ar José Pessoa Cavalcanti de Albuquerque.
Para Varela, parte importante dos documentos ainda não foi liberada. "A gente acha que houve um escalonamento de alguma documentação, de confidencial para secreto, e aí a liberação só ocorre depois de 50 anos. Em 1987 nós mandamos uma solicitação ao Comdabra (Comando de Defesa Aerospacial Brasileiro), questionando o ocorrido. A resposta do ministro da época foi que não tinha o que falar porque não existia relatório. Anos depois eles liberam um relatório de 10 páginas. Foram liberadas três horas de gravação da torre de controle. Então, a gente fica desconfiado", concluiu.
Cronologia do caso
23h15 - O controlador da torre de controle do aeroporto de São José dos Campos avistou luzes amarelas, verdes e laranja se deslocando sobre a cidade. O radar detectou objetos não-identificados, nas posições correspondentes a essas luzes.
1h - Radar da Base Aérea de Anápolis (GO) registrou objetos não identificados. Os sinais de radar indicaram a direção e a velocidade de deslocamento dos objetos.
1h34 - O Comando da Aeronáutica autorizou a decolagem de um caça da Base Aérea de Santa Cruz, no Rio de Janeiro. O avião seguiu para São José dos Campos para investigar. No caminho, o piloto viu uma luz branca voando abaixo do avião, que estava a aproximadamente 5 mil metros de altitude. O objeto se posicionou acima do caça. O piloto perseguiu a luz, que subiu até 10 mil metros e mudou de cor. O radar do caça registrou o objeto, que estava entre 16 e 18 km de distância do avião e voava na direção do mar. A perseguição continuou até que a aeronave atingiu o ponto de não-retorno (em que não teria mais combustível para voltar), e o piloto desistiu.
1h48 - Um caça decolou da Base Aérea de Anápolis para perseguir objetos detectados naquela região. O piloto registrou um óvni pelo radar, mas não conseguiu aproximação visual. O caça voava em velocidade supersônica (acima de 1.100 km/h), mas o objeto tinha um nível de agilidade incompatível com aeronaves convencionais.
1h50 - Mais um caça decolou em direção a São José dos Campos. O piloto observou uma luz vermelha, na mesma posição captada pelos radares em solo. Ele começou a perseguição, sem conseguir se aproximar, até que a luz se apagou. No momento seguinte, o radar em terra registrou 13 objetos não-identificados atrás do avião. O piloto fez uma curva de 180 graus para tentar observá-los, mas eles sumiram.
3h30 - O militares encerram a operação.

PORTAL REDETV


Embraer anuncia lançamento de avião "revestido" com teto solar

A Embraer anunciou a produção de um avião "revestido" com teto solar. A aeronave Lineage 1000, avaliada em US$ 53 milhões (R$ 184 milhões) com o recurso "Kyoto Airship" foi anunciada por Jay Beever, vice-presidente de design de interiores da companhia, na revista Wired. 
As janelas foram instaladas no teto e nos lados da aeronave, e são do tamanho de uma porta de um avião comercial. Apesar de tantas belezas, as largas janelas vão acrescentar um peso extra ao avião, que vai "beber" mais combustível.
A Embraer também anunciou que está experimentando um vidro que permite a aplicação de insufilm. Além do teto solar, o Lineage 1000 tem um espaço de nada menos de 800 metros quadrados e vem equipada com uma cama queen size e um chuveiro para duas pessoas.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented