|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 01/05/2016 / Satisfação do passageiro em aeroportos alcança 86%


Satisfação do passageiro em aeroportos alcança 86% ...


O dado é recorde da série histórica, iniciada em janeiro de 2013, mantendo a tendência de alta para o índice ...

Os serviços aeroportuários brasileiros obtiveram 86% de aprovação no 1º trimestre de 2016, segundo a Pesquisa Permanente de Satisfação do Passageiro, realizada pela Secretaria de Aviação da Presidência da República.

Isso significa que 86% dos entrevistados consideraram “bons” ou “muito bons” os 15 terminais que movimentam 80% do fluxo de passageiros no Brasil. O dado é recorde da série histórica, iniciada em janeiro de 2013, mantendo a tendência de alta para o índice.

No primeiro relatório de 2016, 74% dos indicadores de gestão, atendimento, infraestrutura e serviços atingiram média acima da nota 4, em uma escala de 1 a 5. A pesquisa obteve a maior média de satisfação geral dos passageiros, atingindo o índice inédito de 4,19. No mesmo período de 2015, o patamar foi de 67%. Em 2013, quando a pesquisa passou a ser divulgada, a pontuação era de 3,84.

Após três rodadas da pesquisa em 2015, os passageiros voltaram a conferir ao Aeroporto de Campinas – Viracopos (SP) o título de melhor terminal do País. Dos 38 indicadores avaliados, Viracopos venceu em 19, atingindo, com 4,64, a maior nota já obtida no item "satisfação geral" desde o início da série histórica. Viracopos apresentou esse desempenho antes do início da transferência de operações de voos domésticos, no dia 23 de abril, para o novo terminal, alvo do processo de concessão em 2012.

Segundo o secretário executivo da Aviação, Guilherme Ramalho, a pesquisa é uma ferramenta consolidada de orientação ao governo e iniciativa privada sobre as demandas do principal cliente dos aeroportos: o passageiro. "Há três anos a pesquisa serve como referência para o aprimoramento da administração dos aeroportos brasileiros. Ela é um diagnóstico preciso de falhas e acertos e, principalmente, o instrumento mais valioso de planejamento que poderíamos ter", afirma.

O posto de melhor aeroporto pertencia a Curitiba, que desta vez ficou em segundo lugar, com nota 4,51, seguido de Guarulhos (4,44), Fortaleza (4,37) e Recife (4,35). Entre os cinco melhores terminais, três são da rede Infraero, um reflexo do aumento da competitividade do serviço após o início do processo de concessões no Brasil.

Destaque para o Aeroporto de Brasília, que atingiu a nota máxima (5,00) em dois indicadores: tempo de fila de emigração e de imigração. O terminal também liderou nos itens tempo de fila (4,83) e confiabilidade na inspeção de segurança (4,88). Além disso, o tempo de fila e cordialidade no guichê de check-in alcançaram a nota 4,97.

Em contrapartida, Brasília ficou com o menor índice em tempo de fila no check-in do autoatendimento, com pontuação 3,80. Neste indicador, o Aeroporto de Manaus carimbou o primeiro lugar, com a nota máxima de 5,00.

Brasília ainda teve a menor avaliação na categoria custo-benefício do estacionamento (1,73) e de produtos comerciais (2,31), indicadores que pesam diretamente no bolso do passageiro. Já o Aeroporto de Guarulhos (SP) recebeu a melhor nota em quantidade e qualidade de estabelecimentos comerciais (4,04) e lanchonetes/restaurantes (3,95).

O Aeroporto de Natal recebeu notas altas nos critérios sensação de segurança nas áreas públicas do aeroporto (4,58) e qualidade da informação prestada pela companhia aérea (4,76).

O Aeroporto de Curitiba venceu nas categorias de velocidade de restituição de bagagem e integridade da bagagem, respectivamente com 4,69 e 4,74. Os Aeroportos do Galeão e de Salvador obtiveram os menores índices nestas duas categorias – o primeiro recebeu 3,18, e o segundo, 3,62.

Ao todo foram realizadas 13.830 entrevistas entre os meses de janeiro, fevereiro e março de 2016, divididas em 8.776 passageiros de voos domésticos e 5.054 de voos internacionais. Desde que o levantamento começou a ser feito em 2013, mais de 213 mil pessoas foram entrevistadas entre embarques e desembarques. Segundo a Praxian – Business & Marketing, responsável pela pesquisa de campo, o nível de confiança do estudo é de 95%, com margem de erro de 5%.

Nova metodologia
Desde 2013, a Secretaria de Aviação divulga trimestralmente a pesquisa permanente que mede a satisfação dos passageiros em 48 itens de infraestrutura, atendimento, serviços e itens de gestão dos 15 principais aeroportos do Brasil. Após três anos, uma avaliação foi feita pelo Departamento de Gestão Aeroportuária (DGA) decidiu pela redução de 48 para 38 os itens de medição. Três perguntas de perfil foram retiradas: uma delas é a avaliação da Sala Vip, já que nem todos os passageiros têm a experiência desse serviço.

Doze indicadores foram excluídos: entre eles, estão a cordialidade de funcionários do aeroporto, uma vez que o passageiro não distingue funcionários de companhia aérea e da área de atendimento ao cliente do aeroporto; tempo de fila e cordialidade dos funcionários em estabelecimentos comerciais e disponibilidade de carrinhos de bagagem também foram retirados do formulário de pesquisa.

Cinco indicadores foram incluídos: a qualidade de informação prestada por funcionários das companhias aéreas e a disponibilidade de vagas no estacionamento. Três indicadores voltados à pessoa com deficiência, que serão divulgados na próxima pesquisa trimestral da Secretaria de Aviação, também passarão a compor a pesquisa.

Segundo o diretor do Departamento de Gestão Aeroportuária da Secretaria, Paulo Henrique Possas, a retirada de dez índices ocorreu em função de toda experiência adquirida no manuseio dos dados nos últimos três anos, com o objetivo de aperfeiçoar cada vez mais o desempenho dos aeroportos brasileiros.

"Retiramos alguns indicadores pouco relacionados com a satisfação geral do passageiro, alteramos a nomenclatura de outros com fim de obter respostas mais precisas e, com isso, reduzimos o tempo da pesquisa, o que é mais confortável para o passageiro e também otimiza o resultado", esclarece.




Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




TV GLOBO - JORNAL NACIONAL


Santos Dumont é tema de exposição no Museu do Amanhã, no Rio

Durante a visita, o público vai poder participar da simulação de um voo pela cidade de Paris ou pelo Rio de Janeiro do início do século 20.

O Pai da Aviação, Santos Dumont, é tema de uma exposição que foi aberta esta semana no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro. Durante a visita, o público vai poder participar da simulação de um voo pela cidade de Paris ou pelo Rio do início do século 20.
Não é só o Museu do Amanhã que tem traços futuristas. Qualquer um reconhece no avião que voou pela primeira vez há 110 anos uma invenção pra lá de moderna.
“Estou impressionado porque você vê a cabine de comando, os relógios de controle, aquele painel, uma coisa magnífica mesmo”, diz Paulo Sérgio Lima, militar da reserva.
A réplica do 14 Bis convida a embarcar no sonho de um brasileiro que não conhecia a palavra limite. Santos Dumont cismou que voar não era só para os pássaros. E no início do século 20 fez o homem enxergar o mundo de outro ângulo, de cima. E foi mais do que o Pai da Aviação. “Foi o pai da inovação. Um homem generoso, um homem que une ciência, conhecimento, arte, tecnologia”, afirma Hugo Barreto, diretor da Fundação Roberto Marinho. Quando era menino, Santos Dumont se encantou com as históricas fantásticas de Júlio Verne. E das páginas dos livros tirou a inspiração para construir maquinas voadoras. Balões, dirigíveis e aviões. O 14 Bis e depois o Demoiselle, o modelo mais completo construído por Santos Dumont. Ele fez mais de 20 invenções em apenas 10 anos e provou para o mundo que voar não era só sonho de menino.
O exemplo do homem visionário, sonhador, contagia. “Para mim, Santos Dumont é o brasileiro que a gente quer ser, um brasileiro que dá certo, que acredita, que é audacioso”, diz Gringo Cardia, curador da exposição.
Na exposição todo mundo tem vontade de olhar para o alto.“Eu estou achando incrível, porque eu estou praticamente na época que Santos Dumont fez o avião, então é muito legal essa experiência”, conta Júlia Santana, de 10 anos
E uma simples folha de papel basta para dar asas à imaginação. “Isso não é só brincadeira de criança, não. Eu tenho 64 anos e agora me tornei mais criança ainda”, afirma o aposentado Ilmar Mendes. Uma fila é para embarcar no Demoiselle. O pequeno avião feito de bambu, cabos de aço, asas de seda e rodas de bicicleta voou pela primeira vez em 1909. E em 2016 ele foi recriado por artesãos da Cidade do Samba e voltou a levantar voo. Hora de apertar os cintos e decolar. É uma viagem no tempo por Paris ou pelo Rio de Janeiro do início do século 20. De carona no sonho do brasileiro que encurtou a distância entre o presente e o futuro.

JORNAL TRIBUNA DA BAHIA


Aves são perigo no céu da capital.

Pelo menos 90 casos de colisões foram registrados em 2015 na região de Salvador.

Yuri Abreu

Nesta semana, por conta de questões de segurança envolvendo o espaço aéreo nacional, o Brasil teve sua nota rebaixada pela Associação Internacional de Pilotos (Ifalpa), sendo colocado em nível semelhante ao de países em guerra e passou a ser enquadrado no nível “criticamente deficiente”. O motivo seriam os riscos de acidentes causados pela quantidade de balões que são soltos pela população.
Mas, além dos balões, outro perigo iminente que chama a atenção dos que trafegam pelo espaço aéreo são as aves como urubus e gaviões. Em Salvador, segundo o diretor do Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA) – Regional Bahia, André Carvalho, os maiores problemas são justamente registrados com esses animais.
Para se ter uma ideia, de acordo com dados do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), órgão ligado a Aeronáutica, pelo menos 90 casos de colisões foram registrados em 2015 na região de Salvador, a maioria durante o momento do pouso. Já com relação aos balões, foram registrados apenas oito casos desde 2012 na Bahia, nas cidades de Salvador, Ilhéus, Porto Seguro e Vitória da Conquista.
Este ano, aconteceu um único caso envolvendo aves, no início deste mês, quando passageiros tiveram um grande susto em um vôo da empresa aérea TAM que sairia da capital baiana em direção a Brasília. Durante o procedimento de decolagem, um pássaro entrou em uma das turbinas e a situação obrigou o piloto a cancelar o vôo, evitando um possível acidente grave.
“Na Bahia, não temos esta tradição de soltar balões diferentemente de cidades como Rio e São Paulo. Praticamente não temos ocorrências desta natureza. Nosso maior problema está com os animais circulando em locais próximos como o Parque do Abaeté e a região de Canabrava. Qualquer erro pode ser fatal, principalmente na hora dos pousos e decolagens”, afirmou Carvalho.
Ainda de acordo com ele, ao se deparar com tal situação, normalmente o comandante do vôo registra a ocorrência e entra em contato com a torre de controle para tomar as devidas medidas para manter a segurança.
“A Infraero, como forma de espantar esses animais, costuma soltar rojões quando percebe aves próximas ao aeroporto. Eles também têm uma equipe de meio ambiente que faz a captura desses animais e faz todo o monitoramento da área”, contou André Carvalho. Procurada, a Infraero não comentou sobre o assunto.
Por meio de nota, a Secretaria de Aviação Civil (SAC) rebateu o comunicado da Ifalpa e esclarece que o controle do espaço aéreo brasileiro é um dos quatro mais seguros do mundo, como aponta a auditoria da ICAO (sigla em inglês da Organização Internacional de Aviação Civil) de 2015. Além disso, ressaltou que a fabricação, a venda, o transporte e o ato de soltar balões é crime de acordo com a Lei nº 9.605 de 1998.
“Para os Jogos Olímpicos Rio 2016, o espaço aéreo do Rio de Janeiro, como das cidades que receberão as partidas de futebol, terá restrições ainda maiores conforme o manual de planejamento feito pela Secretaria em parceria com demais órgãos públicos, nos mesmos moldes dos grandes eventos já sediados pelo País”, informou a nota.
Já a assessoria da Força Aérea Brasileira informou, em comunicado, que o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) desconhece os critérios que a Ifalpa adotou para realizar essa classificação e também citou a auditoria realizada pela Organização Internacional de Aviação Civil.
“Soltar balões é uma prática cultural ainda muito difundida no Brasil, por esse motivo, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) possui um programa de prevenção específico sobre o perigo baloeiro, incluindo atividades educativas de conscientização, seminários, palestras e encontros regionais pelo país”, informou o comunicado.
Essas ações realizadas pelo Centro contam com apoio, além do próprio DECEA, da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e entidades ligadas ao setor aeroespacial.
PORTAL G-1


Aldo Rebelo visita Memorial Rondon e elogia iniciativa do Exército em RO

Ministro da Defesa cumpre agenda de visitas às bases de fronteiras. Próxima visita será ao Forte Príncipe da Beira neste domingo, 1°.

Toni Francis G1 Ro

Cumprindo agenda de visita às bases de fronteira, o Ministro da Defesa, Aldo Rebelo, fez uma parada em Porto Velho no início da noite deste sábado (30), onde visitou as dependências da 17ª Brigada de Selva e o Memorial Marechal Rondon, que conserva fotos, livros, artefatos e vídeos que registram a epopeia do desbravador na ocupação e desenvolvimento da região que deu origem a capital rondoniense.

Na ocasião, Aldo Rebelo destacou a importância do acervo histórico e elogiou a iniciativa do Exército em promover a manutenção da história através do memorial. Neste domingo (1°) o ministro e sua comitiva visitarão o Real Forte Príncipe da Beira, de onde segue para a região de fronteira no Acre.

"Nosso objetivo é valorizar e conhecer a realidade das Forças Armadas, principalmente as bases que atuam na fronteira para a manutenção e proteção da Amazônia", explicou Rabelo sobre sua visita a Rondônia, Acre e Amazonas.

Questionado sobre as dificuldades enfrentadas no cenário político do atual governo, Rebelo disse que todas as crises serão superadas sem ônus ao país. "Vamos superar as dificuldades. Em nenhum momento da história qualquer crise fez o Brasil parar. Vamos conhecer as demandas das Forças Armadas e atender no que for possível", disse, destacando a implantação do Sisfron, um sistema de monitoramento de fronteira que deve reforçar a proteção dessas regiões.

A visita do ministro foi destacada pelo general Costa Neves, da 17ª Brigada de Infantaria de Selva. "É uma visita muito oportuna, ele pôde conhecer de perto o trabalho que estamos fazendo e conheceu nossas demandas", informou.

Piloto que construiu próprio avião e o filho morrem em queda no Sul de MG.

Vítimas saíram de Pará de Minas para um encontro de aviões em Furnas. Queda ocorreu às 15h na região de Guapé, no Sul do estado.

Anna Lúcia Silva. G1 - Centro-oeste De Minas.

A queda do monomotor no Lago de Furnas, em Guapé, no Sul do Estado, na tarde deste sábado (30), ocorreu durante uma tentativa de pouso. A informação foi dada ao G1 por familiares das vítimas. O acidente terminou com a morte de Helênio Antônio Lara, de 55 anos, e o filho, Samuel Henrique Campos de Freitas Lara, de 17 anos, moradores de Itaúna, no Centro-Oeste. 
Helênio era empresário e engenheiro industrial. Ele mesmo construiu a aeronave ao longo de seis anos. Os dois haviam saído de Pará de Minas, onde a aeronave costuma ficar, para um encontro de aviões em Furnas. Nas redes sociais, Helênio informou por meio de um dispositivo que estava no Lago de Furnas. Tempos depois a publicação, o avião caiu no lago.
Primo de Samuel, Alexandre Campos contou ao G1 que os dois já haviam chegado no destino. “Eles já tinham pousado, mas levantaram voo de novo para terem uma vista aérea da barragem. Quando foram pousar novamente o avião caiu", disse.
A aeronave ficava em Pará de Minas porque Itaúna não tem aeroporto. O modelo construído por Helênio tinha 70 horas de voo. "O primeiro voo deste avião foi em janeiro do ano passado. Helênio era piloto há 20 anos, e o Samuel já tinha passado por duas provas para aprender pilotar. Samuel só estava esperando ter 18 anos para se tornar piloto", disse Campos.
Helênio deixa duas filhas, Sofia Campos e Sara Campos, de 19 e 21 anos, respectivamente. Ele morava com os três filhos em Itaúna. A esposa dele já havia falecido em 2013.
Queda em Guapé
O monomotor caiu por volta de 15h no Lago de Furnas, em Guapé. Segundo a assessoria de comunicação da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), a aeronave CB-12 Curumim II, de prefixo PU-HLA, estava registrada no órgão como aeronave experimental e, por isso, não registrava planos de voos.
O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), órgão ligado à Aeronáutica, já foi acionado. Até que os técnicos do Cenipa cheguem ao local, os corpos não serão retirados, conforme informou o Corpo de bombeiros. Ainda não há informações sobre como o acidente teria acontecido.

Marinha do Brasil suspende buscas por pescadores desaparecidos no RN.

Manoel Anchieta e Francisco Rodrigues sumiram dia 23 em Areia Branca. Segundo o 3º Distrito Naval, buscas foram feitas em mais de 1.800km².

A Marinha do Brasil suspendeu as buscas pelos dois pescadores que desapareceram na costa potiguar há uma semana. Manoel Anchieta Rodrigues, de 37 anos, e Francisco Antônio Rodrigues, de 43, saíram para pescar no dia 19 em uma jangada. Eles embarcaram na praia de Ponta do Mel, no litoral de Areia Branca, na região da Costa Branca do estado, e deveriam ter retornado no sábado (23). Não foi o que aconteceu.
A suspensão das buscas foi anunciada pela assessoria de comunicação do 3º Distrito Naval. “Após realizar buscas em mais de 1.800 quilômetros quadrados, utilizando os navios-patrulha Guaiba e Macau, embarcações da agência da Capitania dos Portos de Areia Branca e uma aeronave da Força Aérea Brasileira, além do apoio do Corpo de Bombeiros Militar e da colônia de pescadores local, sem encontrar os pescadores desaparecidos, os trabalhos foram suspensos”, afirmou.
A Marinha ressalta que permanece pronta e poderá retomar a operação caso surjam novos fatos que contribuam para a localização dos desaparecidos.
O desaparecimento
A jangada, batizada de Navegantes, foi encontrada na segunda-feira (25) em uma praia de Icapuí, no Ceará. Desde então, a Marinha e o Corpo de Bombeiros iniciaram buscas pelos pescadores. Na quarta-feira (27), a Marinha utilizou o Navio-Patrulha Macau e a FAB enviou um avião para sobrevoar a costa do estado. Contudo, não obtiveram sucesso.

Rússia intercepta avião americano que se aproximava do Mar Báltico.

Aeronave teria desligado dispositivo de telecomunicações. Pentágono diz que que intercepção foi insegura e pouco profissional.

Reuters

A Rússia informou neste sábado (30) que enviou um avião de caça na sexta para interceptar um avião dos Estados Unidos que se aproximava da fronteira do Mar Báltico, porque o avião norte-americano havia desligado um dispositivo de telecomunicações, necessário para a identificação.
O Pentágono afirmou que o avião da Força Aérea dos EUA RC-135 foi realizar um voo de rotina no espaço aéreo internacional e o caça russo SU-27 o interceptou de uma maneira "insegura e pouco profissional".
"A Força Aérea dos Estados Unidos tem duas opções: ou não voar perto das nossas fronteiras ou ativar o transponder para a identificação. O incidente de sexta as crescentes tensões entre a Rússia e os Estados Unidos sobre a Europa Oriental.
JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


Não são aviões de carreira


Celso Ming O Estado De S.paulo

Nos próximos meses, o Brasil deve, finalmente, contar com uma regulamentação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para o uso comercial de veículos aéreos não tripulados (Vants). Esses robôs voadores, que vistos do chão às vezes se parecem com insetos, são mais conhecidos como drones. Vêm atuando com certa intensidade na agricultura, em segurança pública, fiscalização de fronteiras e em filmagens. Mas a incerteza jurídica sobre sua utilização vem travando investimentos e até mesmo pesquisas acadêmicas sobre o tema.
Hoje, apenas 15 drones têm a autorização temporária exigida pela Anac para zanzar por aí. No entanto, como apontam as estimativas do pesquisador da Embrapa Instrumentação Lúcio Jorge, só no agronegócio há mais de 2 mil aparelhos empregados em pulverização de defensivos, mapeamento de pragas e otimização do uso de fertilizantes.
“Embora o Brasil apresente enorme potencial para uso de drones, estamos atrasados na regulamentação. Argentinos e chilenos operam com aplicações comerciais muito promissoras porque contam com regras definitivas”, observa Lúcio Jorge.
A Anac promete que a regulamentação sairá até a Olimpíada (em agosto). Entre as exigências estarão registro, regras específicas de segurança e manutenção, além de pré-requisitos para pilotagem. Até lá, no entanto, as autorizações provisórias para voo seguem sendo analisadas caso a caso.
Como compra e venda não estão proibidas, quem acha que vale a pena arriscar investe na fabricação ou na importação. Por isso, os números oficiais sobre o setor não são confiáveis.
O empresário Ulf Bogdawa, engenheiro mecânico e diretor da Skydrones, empresa de Porto Alegre que fabrica Vants, se queixa de que, além da ausência de legislação, a crise da economia e o grande número de equipamentos contrabandeados vêm prejudicando o mercado. Por isso, a regulamentação ajudaria muito: “As pessoas esperam um norte do governo. A maioria dos clientes que procuram utilizar os Vants acaba por ser barrada pelos próprios departamentos jurídicos de suas empresas, que não querem complicações futuras”.
Mas o interesse é enorme. Do dia 10 a 12 de maio, vai ser realizada em São Paulo a segunda edição de uma feira exclusiva sobre drones, a Droneshow, que deve reunir importadores, fabricantes, prestadores de serviços e empresas interessadas nesta tecnologia.
Para o idealizador do evento, o engenheiro Emerson Granemann, o fim da incerteza jurídica deverá tirar amadores do mercado e atrair marcas que já estão de olho no Brasil. “Muitas aplicações comerciais dos drones ainda estão para ser descobertas”, diz, entusiasmado.
Ainda não se sabe, portanto, o alcance do uso dessa ferramenta de captação de informações. No entanto, os drones já são usados no monitoramento de linhas de transmissão de energia elétrica, na manutenção de oleodutos e até mesmo no mapeamento de focos do mosquito Aedes aegypti. Deve vir mais por aí.  COM LAURA MAIA E NATHÁLIA LARGHI – ESPECIAL PARA O ESTADO.

PORTAL BRASIL


Marinha leva atendimento médico a 47 comunidades ribeirinhas no Acre

Foram realizados cerca de 2,5 mil exames laboratoriais, 214 radiográficos e 203 mamografias

Depois de quase quatro meses em missão no Acre, o Navio de Assistência Hospitalar Doutor Montenegro, da Marinha, retornou nesta sexta-feira (29) a Manaus. A equipe de 70 militares atendeu 47 comunidades ribeirinhas do Médio e do Alto Juruá.
“Bateram um recorde. Atenderam a mais de 28 mil pessoas, foram 138 mil atendimentos médicos e odontológicos e mais de 338 mil medicamentos distribuídos. O balanço foi extremamente positivo”, disse o segundo o vice-almirante do Comando do 9º Distrito Naval, Luís Hetch.
Durante a missão, iniciada em 8 de janeiro, também foram realizados cerca de 2,5 mil exames laboratoriais, 214 radiográficos e 203 mamografias.
"As pessoas não conheciam (a mamografia). Elas chegavam próximo ao mamógrafo, olhavam, questionavam o que era, faziam até por curiosidade. Tinha casos de dor mamária e muitos sintomas que a gente teve oportunidade de falar para as pacientes que aquilo era normal, que não era a doença (câncer de mama)", explicou o Primeiro Tenente Lobo, médico radiologista.
Durante a Operação Acre 2016, os ribeirinhos também receberam vacinas contra hepatite, HPV, febre amarela, poliomielite e tétano. Também foram realizados testes rápidos de doenças sexualmente transmissíveis, dengue e malária, além de palestras sobre higiene bucal e corporal, tratamento da água e de alimentos e combate ao mosquito Aedes aegypti, que transmite a dengue, a febre chikungunya e o zika vírus.

Satisfação do passageiro em aeroportos alcança 86%

O dado é recorde da série histórica, iniciada em janeiro de 2013, mantendo a tendência de alta para o índice

Portal Brasil

Os serviços aeroportuários brasileiros obtiveram 86% de aprovação no 1º trimestre de 2016, segundo a Pesquisa Permanente de Satisfação do Passageiro, realizada pela Secretaria de Aviação da Presidência da República. Isso significa que 86% dos entrevistados consideraram “bons” ou “muito bons” os 15 terminais que movimentam 80% do fluxo de passageiros no Brasil. O dado é recorde da série histórica, iniciada em janeiro de 2013, mantendo a tendência de alta para o índice.
No primeiro relatório de 2016, 74% dos indicadores de gestão, atendimento, infraestrutura e serviços atingiram média acima da nota 4, em uma escala de 1 a 5. A pesquisa obteve a maior média de satisfação geral dos passageiros, atingindo o índice inédito de 4,19. No mesmo período de 2015, o patamar foi de 67%. Em 2013, quando a pesquisa passou a ser divulgada, a pontuação era de 3,84.
Após três rodadas da pesquisa em 2015, os passageiros voltaram a conferir ao Aeroporto de Campinas – Viracopos (SP) o título de melhor terminal do País. Dos 38 indicadores avaliados, Viracopos venceu em 19, atingindo, com 4,64, a maior nota já obtida no item "satisfação geral" desde o início da série histórica. Viracopos apresentou esse desempenho antes do início da transferência de operações de voos domésticos, no dia 23 de abril, para o novo terminal, alvo do processo de concessão em 2012.
Segundo o secretário executivo da Aviação, Guilherme Ramalho, a pesquisa é uma ferramenta consolidada de orientação ao governo e iniciativa privada sobre as demandas do principal cliente dos aeroportos: o passageiro. "Há três anos a pesquisa serve como referência para o aprimoramento da administração dos aeroportos brasileiros. Ela é um diagnóstico preciso de falhas e acertos e, principalmente, o instrumento mais valioso de planejamento que poderíamos ter", afirma.
O posto de melhor aeroporto pertencia a Curitiba, que desta vez ficou em segundo lugar, com nota 4,51, seguido de Guarulhos (4,44), Fortaleza (4,37) e Recife (4,35). Entre os cinco melhores terminais, três são da rede Infraero, um reflexo do aumento da competitividade do serviço após o início do processo de concessões no Brasil.
Destaque para o Aeroporto de Brasília, que atingiu a nota máxima (5,00) em dois indicadores: tempo de fila de emigração e de imigração. O terminal também liderou nos itens tempo de fila (4,83) e confiabilidade na inspeção de segurança (4,88). Além disso, o tempo de fila e cordialidade no guichê de check-in alcançaram a nota 4,97.
Em contrapartida, Brasília ficou com o menor índice em tempo de fila no check-in do autoatendimento, com pontuação 3,80. Neste indicador, o Aeroporto de Manaus carimbou o primeiro lugar, com a nota máxima de 5,00.
Brasília ainda teve a menor avaliação na categoria custo-benefício do estacionamento (1,73) e de produtos comerciais (2,31), indicadores que pesam diretamente no bolso do passageiro. Já o Aeroporto de Guarulhos (SP) recebeu a melhor nota em quantidade e qualidade de estabelecimentos comerciais (4,04) e lanchonetes/restaurantes (3,95).
O Aeroporto de Natal recebeu notas altas nos critérios sensação de segurança nas áreas públicas do aeroporto (4,58) e qualidade da informação prestada pela companhia aérea (4,76).
O Aeroporto de Curitiba venceu nas categorias de velocidade de restituição de bagagem e integridade da bagagem, respectivamente com 4,69 e 4,74. Os Aeroportos do Galeão e de Salvador obtiveram os menores índices nestas duas categorias – o primeiro recebeu 3,18, e o segundo, 3,62.
Ao todo foram realizadas 13.830 entrevistas entre os meses de janeiro, fevereiro e março de 2016, divididas em 8.776 passageiros de voos domésticos e 5.054 de voos internacionais. Desde que o levantamento começou a ser feito em 2013, mais de 213 mil pessoas foram entrevistadas entre embarques e desembarques. Segundo a Praxian – Business & Marketing, responsável pela pesquisa de campo, o nível de confiança do estudo é de 95%, com margem de erro de 5%.
Nova metodologia
Desde 2013, a Secretaria de Aviação divulga trimestralmente a pesquisa permanente que mede a satisfação dos passageiros em 48 itens de infraestrutura, atendimento, serviços e itens de gestão dos 15 principais aeroportos do Brasil. Após três anos, uma avaliação foi feita pelo Departamento de Gestão Aeroportuária (DGA) decidiu pela redução de 48 para 38 os itens de medição. Três perguntas de perfil foram retiradas: uma delas é a avaliação da Sala Vip, já que nem todos os passageiros têm a experiência desse serviço.
Doze indicadores foram excluídos: entre eles, estão a cordialidade de funcionários do aeroporto, uma vez que o passageiro não distingue funcionários de companhia aérea e da área de atendimento ao cliente do aeroporto; tempo de fila e cordialidade dos funcionários em estabelecimentos comerciais e disponibilidade de carrinhos de bagagem também foram retirados do formulário de pesquisa.
Cinco indicadores foram incluídos: a qualidade de informação prestada por funcionários das companhias aéreas e a disponibilidade de vagas no estacionamento. Três indicadores voltados à pessoa com deficiência, que serão divulgados na próxima pesquisa trimestral da Secretaria de Aviação, também passarão a compor a pesquisa.
Segundo o diretor do Departamento de Gestão Aeroportuária da Secretaria, Paulo Henrique Possas, a retirada de dez índices ocorreu em função de toda experiência adquirida no manuseio dos dados nos últimos três anos, com o objetivo de aperfeiçoar cada vez mais o desempenho dos aeroportos brasileiros. "Retiramos alguns indicadores pouco relacionados com a satisfação geral do passageiro, alteramos a nomenclatura de outros com fim de obter respostas mais precisas e, com isso, reduzimos o tempo da pesquisa, o que é mais confortável para o passageiro e também otimiza o resultado", esclarece.

OUTRAS MÍDIAS


PORTAL MEON - SP


Meon, São José Dos Campos

ITA e Albert Einstein fecham acordo para pesquisa voltada à saúde

Instituto deve ganhar laboratório de bioengenharia em São José dos Campos
O ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) e o Hospital Albert Einstein formalizaram uma parceria para desenvolver soluções tecnológicas na área de bioengenharia. O acordo, assinado pelo reitor do ITA, professor Anderson Correia, e pelo presidente do hospital, Claudio Lottenberg, prevê a cooperação entre as duas instituições na criação de produtos inovadores voltados à saúde humana.
 "Existe um conjunto de áreas da prática médica e da gestão da saúde que demandam cada vez mais tecnologias avançadas, que provavelmente já existem em diferentes estágios no ITA, como por exemplo, sensores, monitoramento remoto e novos materiais", observa o representante do Albert Einstein. Para Lottenberg, as competências do ITA são complementares às do hospital.
A aproximação entre o ITA e o Einstein começou há cinco anos e deve ganhar força com a autorização para criar um laboratório de bioengenharia no instituto.
O Major-Brigadeiro José Elias Matieli, que atua nas áreas de intersecção entre a engenharia e a medicina no ITA, foi um dos responsáveis pela parceria com o hospital. "Com este memorando, poderemos desenvolver pesquisas nas mais diversas áreas, como eletrônica, computação, sensores, entre outras".

PORTAL 6 - ANÁPOLIS


Da Redação

GOVERNO COLOCA À VENDA OS CAÇAS MIRAGE 2000 DA BASE AÉREA DE ANÁPOLIS

Os famosos jatos Mirage 2000 da Base Aérea de Anápolis estão à venda. O Governo Federal os considera obsoletos para a defesa nacional e vai substituí-los pelos caças suecos Saab Gripen a partir de 2019.

A Força Aérea Brasileira (FAB), encarregada para as negociações, já estipulou até o lance mínimo para os supersônicos franceses: US$ 2,5 milhões.

Qualquer pessoa física poderá comprá-los desde que cumpra todos os requisitos presentes no regulamento, ainda em fase de conclusão.

De acordo com o Airway, site especializado em avião, “o Mirage 2000 ainda voa nas forças aéreas de países como Emirados Árabes Unidos, Egito, Peru, Índia, Grécia, além da própria França, com mais de 300 aeronaves ativas. A aeronave foi fabricada pela Dassault Aviation entre 1978 e 2007, chegando a 601 unidades produzidas".

JORNAL TRIBUNA DE PETRÓPOLIS


ESTADO INTENSIFICA COMBATE À SOLTURA DE BALÕES

O Linha Verde do Disque-Denúncia do Rio lançou a 17ª edição da campanha de combate e prevenção à prática de confecção, comercialização, soltura e realização de festivais de balões. O Disque Balão é sazonal e se estende até o dia 15 de setembro. Este ano, um efetivo de mais de 60 policiais militares e o Grupamento Aeromóvel (GAM) participam das ações na Região Metropolitana e na Baixada Fluminense. A operação conta ainda com o suporte de um helicóptero, duas embarcações e 18 viaturas.

Para José Maurício Padrone, da Coordenadoria Integrada de Combate aos Crimes Ambientais, dependendo do local de mata, o prejuízo por conta da queda de um balão é gigantesco.

- Quando um balão cai na mata, geralmente é um local de difícil acesso ou até mesmo inacessível. O problema se concentra aí, pois se é difícil para os grupos de resgate, também é difícil para os bombeiros e guarda-parques. O combate passa a ser mais demorado e muito caro, já que muitas vezes é preciso usar um helicóptero. Por conta da dificuldade em chegar ao local, o maior prejudicado é o meio ambiente. Esse é um prejuízo difícil de reverter - disse José Maurício Padrone.

Embora o Código Florestal proíba, desde 1965, a soltura de balões, os artefatos ainda são soltos. No período de abril e junho ocorre o maior número de casos, devido à proximidade das festas juninas. O problema é ainda agravado pela menor umidade do ar no outono. Os balões podem atingir instalações industriais, como as refinarias de petróleo, provocando incêndios em tanques e áreas adjacentes. O prejuízo se estende ainda ao espaço aéreo.

De acordo com o coronel André Vidal, comandante do Comando de Polícia Ambiental (CPAm), a campanha lançada pelo Linha Verde reforça a conscientização da população.

- A campanha Disque Balão é fundamental para desestimular esse tipo de prática criminosa, já que a conscientização da população poderá minimizar estes efeitos. As informações do Linha Verde contribuem positivamente para que o Comando de Polícia Ambiental produza conhecimentos necessários e oportunos acerca de indivíduos e grupos envolvidos na fabricação, venda, transporte, depósito, soltura e resgate de balões, a fim de realizar operações para coibir essa prática - explicou o comandante.

Desde o seu início, no dia 15 deste mês, a PM já prendeu dez pessoas em 15 operações realizadas. Além disso, foram apreendidos 25 balões, oito fogos de artifícios e mais 58 materiais diversos para a fabricação.

Em 2015 o Linha Verde registrou 7.535 denúncias referente a crimes ambientais. Dentre essas, 219 dizem respeito à prática de comercialização, confecção, soltura de balões e grupos de baloeiros. Ao todo, 25 pessoas foram presas, cerca de 500 balões apreendidos e mais de 13 mil materiais para fabricação foram apreendidos pelo Comando de Polícia Ambiental.

Sobre o Disque Balão
O Disque Balão foi criado no ano de 1999 com o objetivo de estimular a população a denunciar locais de comercialização de balões, prevenir e reprimir a ação de baloeiros e a realização de festivais. A campanha serve principalmente para sensibilizar a população sobre os riscos que os balões geram para a conservação e preservação dos recursos ambientais e para a segurança.

A prática de soltar balões é crime (artigo 42 da Lei de Crimes Ambientais nº 9.605/98) e causa acidentes graves. Fabricar, vender, transportar ou soltar balões que possam provocar incêndios nas florestas e demais formas de vegetação, em áreas urbanas ou qualquer tipo de moradia é crime, com penas que vão de 1 a 3 anos de detenção ou multa; ou ambas as penas cumulativamente.

O telefone para denunciar grupos de baloeiros, locais de soltura ou confecção de balões em todo o Estado do Rio de Janeiro é o 0300 253 1177.

Quem fizer a denúncia ao Linha Verde tem a garantia de sua identidade preservada.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented