|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 05/04/2016 / Brasil reduz gasto militar, mas segue entre os 15 países com maior investimento no setor


Brasil reduz gasto militar, mas segue entre os 15 países com maior investimento no setor ...


Apesar do corte de gastos, o Brasil é o 11° país que mais gastou com despesas militares em 2015. Segundo estudo do Sipri (Instituto Internacional de Estudos da Paz de Estocolmo, na sigla em inglês), o país diminuiu suas despesas em dólar em 2,2%, por conta da crise econômica. Ainda assim, o Brasil foi responsável por 1,5% dos gastos militares do mundo (US$ 24,6 bi) --mantendo a posição do ano anterior.

A queda brasileira segue a tendência do Ocidente, que diminuiu seus gastos ainda que em um ritmo menor. Entretanto, o Sipri estimou que o gasto militar mundial voltou a subir em 2015, revertendo uma tendência de baixa que durava quatro anos. Esta evolução resulta de uma forte expansão dos gastos militares no Leste Europeu, na Ásia e no Oriente Médio.

Os EUA gastaram US$ 596 bilhões no setor (36% dos investimentos no setor no mundo). A China está em segundo, com US$ 215 bilhões (13%), seguida de Arábia Saudita (US$ 87,2 bilhões; 5,2%) e Rússia (US$ 66,4 bilhões; 4%).

Somados, os quatro primeiros países representaram mais de 57% do gasto militar mundial. Nos últimos dez anos, o gasto militar americano caiu 4%, enquanto o da China cresceu 132%. No caso dos sauditas e dos russos, o crescimento foi de 97% e 91%, respectivamente.

Entre 2014 e 2015, a média de gastos dos países sul-americanos caiu 4%. A queda deve-se principalmente aos problemas financeiros da Venezuela, atingida por uma grave crise econômica. O país cortou 64% de seu orçamento militar principalmente por conta da queda do preço do petróleo, afirma o instituto. O Equador, que também mantinha elevados gastos militares, cortou suas despesas militares em 11%. Outros países sul-americanos, como Colômbia, Paraguai, Peru e Uruguai, mantiveram suas despesas.

Entre os latinos, o México destacou-se por aumentar seus gastos no setor. Afetado pelos gastos no combate contra o crime organizado e com o maior envolvimento de forças militares no combate aos cartéis e gangues, o país elevou suas despesas em 3,6%.

O instituto estimou ainda os gastos militares equivaleram a 2,3% do produto interno bruto global e que 10% disso seria suficiente para financiar os objetivos globais das Nações Unidas para terminar com a pobreza e a fome até 2030.

"Isso dá algum tipo de perspectiva que pode permitir que as pessoas vejam qual é o custo de oportunidade envolvido em gastos militares globais", afirmou Sam Perlo-Freeman, do instituto de Estocolmo, à Fundação Thomson Reuters.

Ranking de gastos militares em 2015

EUA: US$ 596 bilhões
China: US$ 215 bi
Arábia Saudita: US$ 87,2 bi
Rússia: US$ 66,4 bi
Reino Unido: US$ 55,5 bi
Índia: US$ 51,3 bi
França: US$ 50,9 bi
Japão: US$ 40,9 bi
Alemanha: US$ 39,4 bi
Coreia do Sul: US$ 36,4 bi
Brasil: US$ 24,6 bi
Itália: US$ 23,8 bi
Austrália: US$ 23,6 bi
Emirados Árabes Unidos: US$ 22,8 bi
Israel: US$ 16,1 bi




Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.



PORTAL G-1


Avião de pequeno porte faz pouso forçado em Vila Velha, ES

Sesp informou que pouso foi bem sucedido e não houve feridos. Aeronave foi levada até o aeroclube, em Vila Velha, onde foi guinchado.

Um avião monomotor fez um pouso forçado nas areias da praia da Ponta da Fruta, em Vila Velha, na tarde deste domingo (3). A aeronave de pequeno porte Savage Cub era pilotada pelo empresário italiano Kurt Kofler e teve uma parada de motor. Mesmo com a pane, o piloto conseguiu manter a estabilidade da aeronave e fazer o pouso com segurança na praia. Ninguém se feriu e o avião não sofreu danos.
O empresário italiano, que mora no Brasil há 12 anos, disse que sobrevoava a região de Setiba, em Guarapari, quando percebeu o problema. Para ele, o essencial foi ter mantido a calma para evitar um acidente.
"Eu notei uma fumaça na cabine, vi que tinha perdido a pressão do óleo no motor. Eu estava mais no interior e vi que ia parar o motor. Então tive que procurar uma praia, pensei em pousar em Setiba mesmo, mas para não machucar ninguém porque ainda tinha gente na praia fui mais para frente para a Ponta da Fruta. Se ficasse nervoso, eu não pousava", disse.
De acordo com o gerente operacional do Aeroclube de Vila Velha, Marcus Nascif, o piloto comunicou o problema à torre de controle. A remoção foi feita durante a noite e o avião foi levado para o Aeroclube, sendo rebocado pela Rodovia do Sol.
Ainda segundo Nascif, para se formar piloto é preciso treinar o procedimento realizado pelo empresário italiano neste domingo. O monomotor utilizado por ele também possui características específicas que facilitam o pouso em areia.
A Polícia Militar e a Guarda Municipal de Vila Velha foram acionadas e deram apoio ao atendimento da ocorrência.
Após o susto, Kurt Kofler disse que vai continuar pilotando o avião e já trabalha nos reparos. "Com certeza vou continuar, a gente não pode é entrar em pânico", afirmou.

Avião faz pouso forçado em área de mata na Zona Oeste de Macapá

Aeronave pousou entre o Residencial Platon e o Goiabal. Cinco pessoas estavam no avião que seguia para Monte Dourado, no Pará.

Fabiana Figueiredo

A Polícia Militar (PM) confirmou na manhã desta segunda-feira (4) que um avião monomotor fez um pouso forçado em uma área de mata entre o Residencial Platon e o ramal do Goiabal, na Zona Oeste de Macapá.
Segundo o Corpo de Bombeiros, cinco pessoas estavam na aeronave, entre elas, três mulheres, que foram encaminhadas para o Hospital de Emergências, uma com ferimento na testa. O piloto e o co-piloto ficaram no local para colaborar com a perícia.
"Uma vítima estava com um ferimento na testa e outras duas estavam apenas nervosas. Todas foram levadas para o Hospital de Emergências", reforçou o cabo Dirceu Almeida, do Corpo de Bombeiros.
A empresa TWO Aviation, responsável pela aeronave, confirmou as informações em nota, e acrescentou que o pouso ocorreu às 7h30, a cerca de 4 milhas do Aeroporto Internacional de Macapá.
A empresa informou também que o avião estava com a manutenção em dia, mas que apresentou problema no motor.
A aeronove, que fazia serviço de táxi aéreo, seguia para Monte Dourado, no Pará. De acordo com o Corpo de Bombeiros, havia risco de explosão, mas o combustível foi retirado. No pouso, uma das asas do avião chocou-se contra o solo e uma roda foi perdida.
"Estavam transportando pessoas e alguns materiais. O risco de explosão era iminente ao chegarmos ao local", falou Almeida.
A TWO lamentou o ocorrido e informou "que está auxiliando as autoridades nas investigações".

Pista de aeroporto estava livre para retorno de avião em pane, diz áudio

Amapá TV divulgou conversa entre piloto e torre da Infraero em Macapá.

Avião pousou em área de cerrado com cinco pessoas após pane em motor.
Em contato com a torre de controle do Aeroporto Internacional de Macapá Alberto Alcolumbre, o piloto Irandir Macedo Alves, que comandava o avião que fez pouso forçado nesta segunda-feira (4) na Zona Oeste da capital, foi informado pouco antes de aterrissar de que a pista do aeroporto estava livre para o retorno da aeronave.
A informação está no áudio do contato feito por ele com a torre do aeroporto de Macapá, que teve trecho da conversa divulgada na edição desta segunda-feira do Amapá TV, da Rede Amazônica.
O primeiro contato é feito pelo próprio piloto. Ele informa que a aeronave retornaria para o aeroporto. A torre, em seguida, pergunta se o comandante permanece com a visão da pista e o tempo que precisa para voltar. O comandante pede "prioridade" para pousar.
O diálogo segue com a torre informando que a pista estava livre com nuvens próximas a cabeceira 08, uma das duas existentes no aeroporto de Macapá. O piloto, no entanto, afirmou que a aeronave entrou em processo de pouso forçado.
Acidente
A aeronave, um monomotor pertencente à empresa TWO Aviation, aterrissou no cerrado após decolar do aeroporto de Macapá, por volta de 7h30. No avião estavam o piloto, co-piloto e três passageiras.
As mulheres foram levadas para o Hospital de Emergências (HE) da capital, uma com um ferimento na testa, e os tripulantes continuaram no local do pouso para prestar informações à Infraero, Corpo de Bombeiros e Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa). O caso chamou a atenção de moradores do bairro Goiabal.
A TWO Aviation disse em nota que o avião estava com a manutenção em dia, mas que apresentou problema no motor. A aeronove fazia serviço de táxi aéreo e seguia para Monte Dourado, no Pará. O piloto e co-piloto não quiseram gravar entrevista.

Marinha suspende buscas por mergulhador desaparecido no ES

Buscas serão retomadas caso surjam novas evidências da localização. Rafael mergulhava desde os 17 anos como forma de lazer.

A Marinha suspendeu, neste domingo (3), as buscas pelo mergulhador Rafael Marcolan, de 34 anos, que desapareceu após sair de barco para pescar na terça-feira (29), próximo à Ilha dos Pacotes, em Vila Velha, na Grande Vitória.
Segundo a família, Rafael mergulhava desde os 17 anos como forma de lazer.
De acordo com a Marinha, as buscas serão reiniciadas caso surjam novas evidências que possam contribuir para a localização do mergulhador.
Desaparecimento
Amigos de Rafael contaram que ele saiu com dois outros mergulhadores em uma embarcação, após a informação de que um cardume de Manjubinhas estaria atraindo peixes grandes para o local.
Ao descer da embarcação e mergulhar atrás de um desses peixes, ele não retornou mais para a superfície. Ao perceberem a situação, os mergulhadores que ficaram no barco acionaram a Capitania dos Portos.
Segundo um mergulhador que estava em uma embarcação próxima ao local de onde Rafael desapareceu, foram cerca de quatro horas de buscas.
“Primeiro chegou uma embarcação da Capitania dos Portos. Uma hora depois chegou outra e ficaram realizando buscas no local, mas não encontraram ele”, afirmou.
Buscas
Durante cinco dias, a Marinha empregou os Rebocadores de Alto Mar Tridente e Guilhobel, do Grupamento de Patrulha Naval do Sudeste; e embarcações e militares da Capitania dos Portos do Espírito Santo (CPES).
Também participaram da operação, realizada em Vitória, Vila Velha, Guarapari e sul do Espírito Santo, os mergulhadores do Corpo de Bombeiro Militar (CBMES) e uma aeronave da Polícia Militar do Estado do Espírito Santo (PMES).

Anac interdita helicóptero que deu voo rasante em cima de família

Familiares se divertiam no rio Grande quando helicóptero passou voando. Vídeo da manobra foi parar nas redes sociais; Anac investiga.

A Anac, Agência Nacional de Aviação Civil, interditou nesta segunda-feira (4) o helicóptero que deu um voo rasante sobre uma família que se divertia no rio Grande, na divisa entre os estados de São Paulo e Minas Gerais. O caso aconteceu no domingo (27) e um vídeo do voo viralizou nas redes sociais. A família é de São José do Rio Preto (SP).
Segundo uma nota enviada pela Anac, a “aeronave só será liberada quando todos os fatos tiverem sido esclarecidos e não haja perigo para a segurança de voo”. A nota diz ainda que o operador da aeronave foi oficiado e terá de prestar esclarecimentos sobre o ocorrido e sobre quem foi o responsável pelo voo naquele dia.
A Anac diz ainda que após confirmação do piloto envolvido, operador e piloto poderão sofrer sanções administrativas como multas e, de acordo com avaliação do caso, habilitações suspensas ou cassadas. O caso também será enviado ao Ministério Público Federal para que as penalidades cabíveis em âmbito criminal sejam aplicadas.
O caso
Uma família de Rio Preto foi surpreendida pelo voo rasante de um helicóptero quando se divertia no rio Grande, na divisa entre os Estados de São Paulo com Minas Gerais. Um dos familiares filmou a ação do helicóptero. A empresa responsável pelo hangar, administração e abastecimento da aeronave afirma que vai averiguar o ocorrido.
O comerciante Luis Carlos Poliseli, de 50 anos, conta que estava com o cunhado e os sobrinhos. Ele afirma que escutou o barulho estrondoso da aeronave quando passou por cima da cabeça deles. "Meu cunhado estava filmando as crianças e sem querer flagrou este momento. Foi assustador e uma sensação terrível. Acho que o piloto perdeu o controle da máquina porque a base do helicóptero ficou a cerca de 60 centímetros da minha cabeça", diz.

AGÊNCIA BRASIL


Brasil e Paraguai poderão agir juntos na fronteira

Encontros entre os dois países vão discutir operações militares como cooperação de defesa

Os governos brasileiro e paraguaio vão reunir-se periodicamente com o objetivo de ampliar a cooperação bilateral em defesa e segurança.
Os encontros vão discutir operações militares como exercícios simultâneos ou conjuntos na fronteira.
Os dois países também poderão cooperar mutuamente no sentido de compartilhar informações, capacitar e desenvolver iniciativas conjuntas no controle do espaço aéreo.
A decisão foi tomada durante reunião entre os ministros brasileiros e paraguaios das Relações Exteriores e da Defesa, ocorrida nesta segunda-feira (4).
De acordo com declaração conjunta divulgada após as negociações, os ministros concordaram em promover reuniões periódicas de cunho mais técnico em área de defesa.
O encontro reuniu em Assunção, capital do Paraguai, os chanceleres Mauro Vieira e Eladio Loizaga, e os ministros da Defesa Aldo Rebelo e Diógenes Martínez.
Na reunião, também foi assinada nota diplomática para prorrogar por mais cinco anos o Acordo entre o Governo do Paraguai e o Governo do Brasil relativo à Cooperação Militar.
O encontro marcou a inauguração do Mecanismo 2+2 de Consultas Políticas e Avaliação Estratégica entre os ministérios da Defesa e das Relações Exteriores do Brasil e do Paraguai.
"Além de estabelecer aspectos da operação do Mecanismo 2+2, os ministros decidiram dar impulso à aliança entre ambos os países", informou a declaração.

JORNAL A TARDE (BA)


Dilma vem a Salvador para cerimônia de incorporação de navio


Luana Almeida

Nesta quarta-feira, 6, a presidente Dilma Rousseff e o governador Rui Costa participam da cerimônia de incorporação do Navio Doca Multipropósito (NDM) Bahia à frota da Marinha do Brasil. O ato será realizado na sede do Comando do 2º Distrito Naval, no bairro do Comércio, a partir das 11 horas.
Adquirido por meio de um acordo entre o governo brasileiro e francês, a embarcação atracou em Salvador desde o último domingo e vai substituir o ex-navio de desembarque-doca (NDD) Rio de Janeiro, que será desativado. A capital baiana é o primeiro porto brasileiro a receber o navio.
Após a abertura oficial, a embarcação será aberta para visitação. O público poderá conhecer as principais dependências do navio, por meio de visita guiada, das 14h às 17h, com entrada gratuita.
Projetado para transportar tropas, veículos, helicópteros e munição, a embarcação, que foi comprada por 80 milhões de euros, tem capacidade para operar em grandes áreas oceânicas e na proteção de plataformas marítimas de petróleo.
De acordo com o almirante de esquadra da Marinha Bento Costa, o navio poderá ser utilizado, ainda, para comando e controle de força-tarefa, operações aéreas, operações de paz - transporte de tropas e materiais -, assistência humanitária e hospitalar, resgate e apoio em casos de catástrofes naturais e no combate à pirataria.
"O navio-doca Multipropósito atende a diversas possibilidades no âmbito militar e de defesa civil. A compra é fruto de uma carência desse tipo de equipamento na Marinha", afirmou.
Após visitar Salvador, o navio seguirá para o Rio de Janeiro, onde ficará por cerca de três meses para a realização de testes e exercícios com tropas. A previsão é que, em meados do segundo semestre, ele seja utilizado para sua primeira missão oficial: o retorno de oficiais que se revezam nas forças de paz no Haiti.
Complexo hospitalar
Dentre os destaques da embarcação está o complexo hospitalar com 500 m² e 49 leitos, 23 deles para terapia intensiva, dois para isolamento e 24 de extensão. O hospital é o primeiro de grande porte montado em uma embarcação da Marinha brasileira.
O espaço de saúde comporta, ainda, a recepção de 100 pacientes por dia e conta, também, com sala de curativos, laboratório e centro cirúrgico capaz de operar até seis cirurgias por dia.
"O acesso ao hospital pode ser realizado tanto por dentro da embarcação, tanto pelo convés de voo principal, o que permite que helicópteros de resgate realizem evacuações aeromédicas", explicou o capitão de corveta e chefe do grupo de saúde, Demóstenes Apostolides.
Um dos seis baianos a integrar a tripulação de cerca de 230 homens, o primeiro-sargento Miguel Ângelo conta sobre a emoção de retornar a Salvador a bordo do NDD.
"É gratificante mostrar aos meus conterrâneos o navio. É um prazer voltar à minha cidade natal. Considero essa como uma das maiores missões da minha carreira", afirmou.

JORNAL O POVO (CE)


O feito de superação de um ciclista cearense

Cearense Gideoni Monteiro contou com inspiração do pai para conquistar a vaga nos Jogos Olímpicos, que começam daqui a quatro meses

Fazer o que ninguém fazia há 24 anos. A classificação do cearense Gideoni Monteiro para os Jogos Olímpicos do Rio — cuja abertura está marcada para daqui a quatro meses — é a primeira de um brasileiro em quase duas décadas e meia no ciclismo de pista. E quem vê a felicidade do atleta de 26 anos nascido em Groaíras (a 273km de Fortaleza) com a vaga obtida no último mês de março nem imagina o quanto de simbolismo a conquista tem para ele.
José Lusmar, pai de Gideoni, morreu em acidente de carro em janeiro de 2014. Na época, o atleta saía da equipe em que treinava em Ribeirão Preto-SP, com sérias dúvidas sobre a continuidade da carreira. “Quando eles me mandaram embora, pensei: "Meu pai gostava tanto do que eu fazia, tenho que continuar". Decidi que iria até a Olimpíada, que era meu sonho, nem que fosse avulso”, recorda Gideoni.
Logo em seguida, o ciclista já teria uma prova de fogo. O campeonato Sul-Americano do Chile em março de 2014 seria determinante para a sequência dele na seleção brasileira. O 4º lugar veio como alívio. “Foi pouco tempo depois da morte do meu pai. Na última prova, as lágrimas desciam. Estava fazendo força para não sentir aquela dor. Meu pai me apoiava, eu sempre ligava para ele nas provas que fazia”, conta.
A partir dali, a perseguição por um lugar no Rio foi tão intensa quanto as observadas nas pistas de ciclismo. Gideoni entrou para a equipe de Santos e para Aeronáutica, o que lhe rendeu o apoio financeiro necessário para seguir treinando.
Os bons resultados apareceram e ele conseguiu vaga na Copa do Mundo, competição que conta pontos para ranking olímpico, e no Pan de Toronto, de onde saiu com um bronze no peito.
“Quando eu soube da vaga no Pan, pensei: ‘Já que vou, quero brigar’. Dormia e acordava pensando nos Jogos. Cheguei a liderar a prova no primeiro dia. Não ganhei, mas fiquei com o bronze”, conta.
Àquela altura, Gideoni já estava na briga por uma das 18 vagas na prova do Omnium da Olimpíada. Hoje, ele alterna os períodos de treino nas cidade de Indaiatuba (SP), onde mora, Maringá (PR), sede da seleção, e no Centro Mundial de Ciclismo da União Ciclística Internacional (UCI), em Aigle, na Suíça. O objetivo é a medalha. A motivação não sai da memória.
“Sempre que a coisa estava difícil, alguma coisa clareava. Meu pai não viu minha formatura na Aeronáutica, não viu minha medalha no Pan e não viu eu me classificar para Olimpíada, mas onde ele estiver, vai estar torcendo por mim”, conclui.
Saiba mais
- O Omnium é uma modalidade de ciclismo de pista composta por seis provas disputadas em dois dias de competição: Scratch, perseguição individual, corrida de eliminação, contra-relógio, volta voadora (contra o relógio) e corrida de pontos
- Gideoni nasceu em Groaíras e se mudou ainda pequeno para Aracaju. Lá, aos 13 anos, começou no ciclismo.
- Desde as Olimpíadas de Barcelona em 1992 o Brasil não tem representantes no ciclismo de pista. O último a disputar os Jogos foi Fernando Louro, na prova por pontos.
- A vaga na Olimpíada foi confirmada no Mundial de Ciclismo de Pista de Londres, em março. Gideoni terminou a competição em 18º lugar, o que lhe garantiu a 15ª posição no ranking olímpico.

Aracati recebe Parque de Abastecimento de Aeronaves


Entrou em operação, ontem (04/04), o Parque de Abastecimento de Aeronaves (PAA) do Aeroporto de Aracati, operado pela Avigás Nordeste (BR Aviation). De acordo com o assessor de infraestrutura aeroportuária do Departamento Estadual de Rodovias (DER), Paulo Edson Ferreira, Aracati é o primeiro aeroporto regional a realizar este tipo de atividade.
Segundo ele, a instalação do posto de abastecimento vai garantir flexibilidade operacional para as companhias, permitindo paradas estratégicas para reabastecimento das aeronaves em trânsito. O equipamento foi instalado depois que o Governo do Estado fez a concessão do uso da área aeroportuária externa dos aeroportos.
Além de Aracati, o aeroporto de Jericoacoara também contará com um PAA, que começará a operar no dia 2 de maio de 2016. A área concedida para a implantação dos parques é de cerca de 2,5 mil metros quadrados (m²).
Em relação ao Aeroporto de Aracati, além da PAA, passou a contar, no mês passado, com a Base de Manutenção da TAM Aviação Executiva. É a primeira base da empresa a funcionar fora do estado de São Paulo. O equipamento foi instalado em um hangar construído na área interna do Aeroporto Regional de Aracati.
A base dá manutenção a frota de aviões executivos, principalmente jatinhos, das regiões Norte e Nordeste do País. São reparos e manutenção de aviões executivos, de pequeno e médio portes. Já foi realizada manutenção de oito aeronaves.

PORTAL BRASIL


Conheça a aeronave cargueiro KC-390

O KC-390 será a espinha dorsal da aviação de transporte da Força Aérea Brasileira, substituindo os atuais Hércules C-130

O novo modelo de avião cargueiro projetado pela Força Aérea Brasileira (FAB), o KC-390, estará em Brasília nesta terça-feira (5). A aeronave está sendo fabricada pela Embraer, com a participação da Argentina, Portugal e República Tcheca. Atualmente, a aeronave encontra-se em ensaios de voo de desenvolvimento e certificação. As primeiras unidades deverão ser entregues em 2018. Com 35,20 metros de comprimento e capacidade para transportar até 23 toneladas de carga, o KC-390 é o maior avião já desenvolvido no Brasil.
O Embraer KC-390 é capaz de realizar diversas missões, como transporte e lançamento de cargas e tropas, busca e resgate, reabastecimento em voo e combate a incêndios florestais. O contrato com a FAB prevê a aquisição de 28 aeronaves, no valor de R$ 7,2 bilhões, gerando 8,5 mil empregos na fase de desenvolvimento.
O KC-390 é capaz de transportar até 26 toneladas de carga a uma velocidade de 470 nós (870 km/h), com capacidade de operar em pistas austeras, inclusive não pavimentadas, ou danificadas. Sua fuselagem é capaz de acomodar cargas de grandes dimensões, com acesso por meio da rampa de carga.
O moderno sistema de manuseio de cargas (Cargo Handling System) da aeronave permite reconfigurá-la rapidamente, utilizando roletes escamoteáveis para a movimentação da carga em pallets (estrado que permite a movimentação do material) ou um piso plano para transporte de tropas ou veículos.
Diferentes tipos de cargas podem ser transportadas, como veículos, helicópteros, tropas (até 80 soldados equipados), paraquedistas (até 66 paraquedistas equipados, que podem saltar tanto de portas laterais como da rampa de carga), macas para evacuação aeromédica (até 74 macas padrão OTAN) ou configurações mistas.
A aeronave ainda pode ser empregada como reabastecedora aérea, utilizando dois tanques internos removíveis, e possui grande flexibilidade, podendo reabastecer tanto helicópteros a baixas altitudes e velocidades quanto caças de alto desempenho em elevadas altitudes e velocidades. A pilotagem da aeronave é facilitada por um moderno sistema aviônico integrado e por um sistema de controle de voo do tipo fly-by-wire, que reduz a carga de trabalho dos pilotos e aumenta a eficiência de missão.
O KC-390 será a espinha dorsal da aviação de transporte da Força Aérea Brasileira. Da Amazônia à Antártica, a frota de 28 aeronaves, que substituirá os atuais Hércules C-130, terá papel fundamental para os mais diversos projetos do Estado brasileiro, da pesquisa científica à manutenção da soberania.
Programa KC-390
Em 2009, a FAB contratou a Embraer para realizar o desenvolvimento dessa aeronave. Em maio de 2014, a Embraer inaugurou o hangar de montagem final do jato de transporte militar, o KC-390, em Gavião Peixoto (SP).
Na época, a Embraer e o Comando da Aeronáutica assinaram o contrato para a produção seriada do modelo, o que marcou o início de uma nova fase do projeto. Além da encomenda da Força Aérea Brasileira, existem intenções de compra do avião por outros países, totalizando 32 aeronaves.
Em fevereiro de 2015, a Embraer realizou o primeiro voo experimental do KC-390. Atualmente, a aeronave encontra-se em ensaios de voo de desenvolvimento e certificação. A campanha de testes deverá durar aproximadamente de 18 a 24 meses. A certificação do KC-390 está prevista para o segundo semestre de 2017 com as primeiras entregas no primeiro semestre de 2018.
O KC-390 é equipado com dois motores turbofan V2500, produzidos pelo consórcio International Aero Engines, rampa traseira e um avançado sistema de manuseio e lançamento de carga.
Ficha Técnica – KC-390:
◾Fabricante: Embraer S.A.
◾Envergadura: 35,05 m
◾Comprimento: 35,20 m
◾Altura: 11,84 m
◾Velocidade máxima de cruzeiro: 470 nós (870 km/h)
◾Altitude máxima: 36.000 pés (11.000 m)
◾Alcance (c/ 23 toneladas de carga): 1.380 milhas náuticas (2.556 km)

REVISTA EXAME


Galeão receberá 1 milhão de passageiros a mais este ano


A movimentação de passageiros no Aeroporto Internacional Rio Galeão, no Rio de Janeiro, deverá aumentar este ano em cerca de 1 milhão de passageiros, passando dos atuais 17 milhões de usuários/ano para perto de 18,5 milhões ao longo de 2016 em decorrência dos Jogos Olímpicos, que começam em agosto.
A informação é do presidente da concessionária Rio Galeão, Luiz Rocha, que participou hoje, no salão nobre do terminal, da solenidade de anúncio do International Brazil Air Show (Ibas), que ocorrerá nas instalações do aeroporto entre 29 de março a 2 de abril do próximo ano.
Ele explicou que o terminal deverá registrar pico de entrada de passageiros para os jogos do Rio no primeiro dia do evento - 5 de agosto - quando o volume de pessoas embarcando e desembarcando deverá saltar dos atuais 40 mil passageiros/dia para cerca de 90 mil, mesmo número que será registrado no último dia dos jogos.
“Nós acreditamos que agora em 2016, com os jogos olímpicos, devemos receber ao longo do ano 18,5 milhões de passageiros, contra os 17 milhões que recebemos anualmente. Nossas estimativas indicam que o dia de maior movimento será 5 de agosto, quando da abertura dos jogos, quando deverão desembarcar cerca de 90 mil passageiros, mais que o dobro em relação aos 40 mil que desembarcam no local diariamente”, disse.
Turistas
A concessionária informou que, até o fim de abril, terá concluído a construção do novo píer, com mais de 100 mil m².
Para receber os turistas do Brasil e de todo o mundo, a Rio Galeão, empresa responsável pela administração do Aeroporto Internacional Tom Jobim terá investido até o final deste mês aproximadamente R$ 2,1 bilhões.
“A obras de ampliação e modernização do novo pier já estão praticamente prontas. Em 30 de abril nós teremos concluído todas as obrigações da fase 1-8 e, em maio, será aberto [o novo píer] ao público”, informou Rocha.
O projeto de modernização do aeroporto inclui, além da construção do Píer Sul, com mais de 100.000 m², a construção de 26 novas pontes de embarque, novos banheiros e fraldários, área de duty free duplicada para 8.000 m², além de 14 esteiras rolantes, quatro elevadores, seis escadas rolantes e 6 mil m² dedicados a salas Vips.
Três entre as 26 novas pontes de embarque contarão com especificações técnicas para acomodar aeronaves do código F, consideradas as maiores do mundo (A-380 e 747-8).
O presidente da Rio Galeão disse que a concessionária espera chegar a 2024 com um volume de embarque e desembarque de cerca de 30 milhões de passageiros, volume que deve ser duplicado até o final da concessão, que tem prazo de 25 anos.
Luiz Rocha informou, ainda, que deverá liberar em até duas semanas o restante dos R$ 2 bilhões de empréstimos do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - de um total de R$ 5,2 bilhões que o consórcio terá que investir até o final do contrato de concessão.
Brazil Air Show
O Brazil Air Show se propõe a ser “o maior evento nacional” após as Olimpíadas e o primeiro do gênero no Brasil, reunindo 200 empresas dos setores aeroespacial, aeroportuário e fornecedores da aviação civil, militar e executiva para interlocução destas categorias, desenvolvendo melhorias para o mercado.
Nos moldes dos maiores salões do mundo, contemplará em sua programação uma exposição de aeronaves e equipamentos, shows aéreos e simuladores de voo para atrair o grande público. A expectativa é reunir 100 mil pessoas durante os cinco dias do evento.

PORTAL UOL


Drones são a nova ameaça para segurança aérea


Justin Bachman

(Bloomberg) -- Você está aterrissando no aeroporto LaGuardia, em Nova York, na abordagem "expressway" - chama-se assim porque você voa baixo o suficiente para agitar a Grand Central Parkway e Citi Field do Mets antes de descer rapidamente em uma pista no meio de uma baía. Esse é um dos desembarques mais bruscos nos EUA, então, o que aconteceria se um drone aparecesse de repente no caminho do voo?
A ameaça nos últimos anos de pilotos cegos por lasers de alta potência em breve poderá ser substituída por esta perspectiva potencialmente mais temível: drones se movendo em espaço aéreo restrito em torno dos aeroportos. A cada mês, os pilotos e controladores de tráfego aéreo relatam mais de 100 "observações" de drones para a Administração Federal de Aviação (FAA), que começou a compilar e liberar relatórios periódicos sobre esses encontros. A FAA diz que tais relatórios aumentaram desde 2014, com mais de 1.200 incidentes em todo o país no último ano.
No último período de referência, de agosto de 2015 até janeiro deste ano, a área metropolitana de Nova York liderou as observações de drones por pilotos de avião com 43. A área de Los Angeles veio em seguida, com 25, de acordo com uma análise dos dados da FAA lançado em 25 de março. A área de Dallas está em terceiro, com 18.
Os pilotos consideram drones um risco de segurança que não deve ser subestimado. "Não estamos brincando quando dizemos que deve ser atenuado como uma ameaça", disse Tim Canoll, presidente da Associação de Pilotos de Linha Aérea, ou ALPA, ele mesmo um amador dos drones. "Sua imaginação pode correr solta com os problemas de choque com objetos de metal duro, a cerca de 321 quilômetros por hora".
Um dos incidentes mais recentes ocorreu em 18 de março, quando um voo da Lufthansa de Frankfurt que se aproximava do Aeroporto Internacional de Los Angeles informou um drone voando cerca de sessenta metros acima do Airbus A380. Helicópteros da polícia foram enviados para procurar o drone, informou o Los Angeles Times.
Por causa de incidentes como este, os reguladores estão trabalhando arduamente para formular regras para incorporar operações com drones comerciais no espaço aéreo dos EUA e tentando educar os entusiastas a ficar fora do caminho dos aviões.
Perigoso e ilegal
Em uma declaração que acompanha seus dados, a FAA disse que queria "enviar uma mensagem clara de que operar drones perto de aviões e helicópteros é perigoso e ilegal".

As regras atuais da FAA impedem que os operadores de drones voem dentro de oito quilômetros de um aeroporto e acima de 121 metros. Cerca de 92 por cento das mais recentes observações de pilotos ocorrem acima de 121 metros; 60 por cento estavam mais próximos do que o limite de oito quilômetros. Então, aparentemente, muitas pessoas não estão ouvindo.
Tirando 11 casos, estes encontros não exigiram nenhuma ação evasiva dos pilotos, nem ficou claro se os drones estavam muito perto da aeronave. Em duas dezenas de casos, o drone chegou a menos de quinze metros de uma aeronave tripulada, de acordo com uma análise detalhada dos dados brutos da FAA pelo centro de drones.
Pesquisadores do CRASH Lab (Crashworthiness for Aerospace Structures and Hybrids) da Virginia Tech realizaram simulações. Em um cenário, engenheiros introduziram um rotor quadcóptero de cerca de três quilos em um ventilador de motor grande, de quase 3 metros de diâmetro encontrado normalmente em modelos de jatos de longo alcance, como o Boeing 777 e o Airbus A380.
O dano foi rápido - com uma velocidade de 1.115 quilômetros em menos de 1/200 de um segundo - e catastrófico, com a destruição do drone dizimando as pás da hélice e levando a uma falha no motor. O estudo visa determinar se alguma ingestão de drones cria um cenário onde o dano não está contido dentro do alojamento do motor. Essa é uma distinção crucial, porque as lâminas de turbina não contidas representam riscos para outras partes do avião quando são ejetadas.
Motores a jato comerciais são certificados para perigos como colisões com pássaros, falhas de lâmina, chuva forte, granizo e vários tipos de gelo, dentro de certos limites. Para testar as colisões com pássaros, os engenheiros construíram "canhões de frango" para disparar aves mortas em motores. Muitos aviões sofreram uma única falha do motor devido a colisões com pássaros ou outras falhas. Todos os modelos atuais devem ser capazes de voar com apenas um motor.

Brasil reduz gasto militar, mas segue entre os 15 países com maior investimento no setor


Apesar do corte de gastos, o Brasil é o 11° país que mais gastou com despesas militares em 2015. Segundo estudo do Sipri (Instituto Internacional de Estudos da Paz de Estocolmo, na sigla em inglês), o país diminuiu suas despesas em dólar em 2,2%, por conta da crise econômica. Ainda assim, o Brasil foi responsável por 1,5% dos gastos militares do mundo (US$ 24,6 bi) --mantendo a posição do ano anterior. 
A queda brasileira segue a tendência do Ocidente, que diminuiu seus gastos ainda que em um ritmo menor. Entretanto, o Sipri estimou que o gasto militar mundial voltou a subir em 2015, revertendo uma tendência de baixa que durava quatro anos. Esta evolução resulta de uma forte expansão dos gastos militares no Leste Europeu, na Ásia e no Oriente Médio.
Os EUA gastaram US$ 596 bilhões no setor (36% dos investimentos no setor no mundo). A China está em segundo, com US$ 215 bilhões (13%), seguida de Arábia Saudita (US$ 87,2 bilhões; 5,2%) e Rússia (US$ 66,4 bilhões; 4%). Somados, os quatro primeiros países representaram mais de 57% do gasto militar mundial. Nos últimos dez anos, o gasto militar americano caiu 4%, enquanto o da China cresceu 132%. No caso dos sauditas e dos russos, o crescimento foi de 97% e 91%, respectivamente.
Entre 2014 e 2015, a média de gastos dos países sul-americanos caiu 4%. A queda deve-se principalmente aos problemas financeiros da Venezuela, atingida por uma grave crise econômica. O país cortou 64% de seu orçamento militar principalmente por conta da queda do preço do petróleo, afirma o instituto. O Equador, que também mantinha elevados gastos militares, cortou suas despesas militares em 11%. Outros países sul-americanos, como Colômbia, Paraguai, Peru e Uruguai, mantiveram suas despesas.
Entre os latinos, o México destacou-se por aumentar seus gastos no setor. Afetado pelos gastos no combate contra o crime organizado e com o maior envolvimento de forças militares no combate aos cartéis e gangues, o país elevou suas despesas em 3,6%.
O instituto estimou ainda os gastos militares equivaleram a 2,3% do produto interno bruto global e que 10% disso seria suficiente para financiar os objetivos globais das Nações Unidas para terminar com a pobreza e a fome até 2030. "Isso dá algum tipo de perspectiva que pode permitir que as pessoas vejam qual é o custo de oportunidade envolvido em gastos militares globais", afirmou Sam Perlo-Freeman, do instituto de Estocolmo, à Fundação Thomson Reuters.
Ranking de gastos militares em 2015
EUA: US$ 596 bilhões
China: US$ 215 bi
Arábia Saudita: US$ 87,2 bi
Rússia: US$ 66,4 bi
Reino Unido: US$ 55,5 bi
Índia: US$ 51,3 bi
França: US$ 50,9 bi
Japão: US$ 40,9 bi
Alemanha: US$ 39,4 bi
Coreia do Sul: US$ 36,4 bi
Brasil: US$ 24,6 bi
Itália: US$ 23,8 bi
Austrália: US$ 23,6 bi
Emirados Árabes Unidos: US$ 22,8 bi
Israel: US$ 16,1 bi

OUTRAS MÍDIAS


DIÁRIO DE GOIÁS


Marcley Matos

Marconi ressalta importância da Base Aérea de Anápolis

O governador Marconi Perillo participou, na manhã desta segunda-feira, 4, da solenidade em comemoração ao 44º aniversário da Base Aérea de Anápolis. Ele foi recebido pelo Comandante da Base, Tenente Coronel Francisco Antunes Neto, e pelo Comandante do VI Comar Major Brigadeiro Rogério Veras. Após o evento, Marconi ressaltou a importância da Base para Anápolis e para Goiás. "Ela passará a ser, a partir de 2019, a mais importante Base Aérea do Brasil e a mais importante Base Aérea da América Latina. Portanto, nós goianos só temos a agradecer a presença da base aqui e, sobretudo, agradecer as parcerias que temos".
Em 2019, chegarão à Base os novos caças Gripen, comprados da Suécia pelo governo brasileiro. Goiás está na disputa para trazer a fábrica de manutenção das aeronaves para Anápolis. Marconi já se reuniu com o ministro da Defesa, Aldo Rebelo, e com o Comandante da Aeronáutica Nivaldo Rossato para viabilizar a instalação da fábrica no Estado.
Coronel Francisco Antunes falou sobre a boa relação da Base com o governo goiano. "É muito significativa essa aproximação, principalmente, como o governador comentou, em relação ao terminal de cargas, que muito tem a contribuir com a cidade de Anápolis e com o Estado de Goiás".
Durante a solenidade, foi comemorado o 37º aniversário de criação do primeiro grupo de defesa aérea e houve entrega de medalhas.

PARANÁ SHOP


Drones na construção civil aproximam clientes das obras 

Nova forma de relacionamento com o cliente, drones colocam o cliente dentro da obra
Nova forma de relacionamento com o cliente, drones colocam o cliente dentro da obra em meio a tratores, paredes de concreto e guindastes, quem passar por alguns canteiros de obras pode se deparar com um veículo aéreo que vem ganhando adeptos em todo o mundo: os drones, também conhecidos como Vant (Veículo Aéreo Não Tripulado). Antes utilizado somente pelo exército, a máquina vem se tornando uma ótima aliada da construção civil, já que pode mostrar o andamento da obra com muito mais detalhes para o cliente.
No Brasil, não existem números oficiais sobre o uso dos drones. Porém, a Associação Brasileira de Multirrotores, entidade recém-criada, fez uma estimativa de 50 mil aparelhos em operação, mas o número pode ser bem mais alto. Dentre as diversas vantagens, os drones podem ajudar a mapear a área onde o projeto será realizado e acompanhar a evolução da obra. O veículo traz benefícios tanto para engenheiros, que podem acessar as estruturas mais altas, onde o alcance é difícil, quanto para os clientes, que podem se inteirar de cada passo da construção.
Segundo André Marin, diretor de incorporação da Construtora e Incorporadora Laguna, os drones são vistos como uma nova forma de relacionamento com o cliente. “As imagens feitas conseguem captar diversos detalhes em ângulos mais complexos. Os clientes conseguem observar melhor o andamento dos empreendimentos e até mesmo visualizar construções que ainda estão na planta, observando o terreno de cima”, diz.
Além da obra, por meio dos drones é possível simular a vista do apartamento, fazendo o cliente ter a sensação de estar dentro da residência. Na época de lançamento do novo empreendimento LLUM Batel, a Construtora Laguna lançou um óculos com vídeo em realidade virtual com imagens captadas por drones. “Além de uma projeção de como ficaria o prédio, nós utilizamos os drones para mostrar a vista dos apartamentos em diversos cômodos do LLUM, o que deixou os clientes muito mais seguros”, conta.
Ainda segundo Marin, os drones também são utilizados no “Por Dentro da Obra”, vídeos feitos para os clientes Laguna, que dão detalhes sobre o andamento da obra, além de uma entrevista com o engenheiro explicando os detalhes. “Nossa preocupação é que o cliente saiba exatamente em que pé a obra está. Nos vídeos nós não apenas mostramos, mas explicamos o que está sendo feito e quais serão os próximos passos”, finaliza.
Redução de custos
Outra vantagem dos drones é a redução de custos, já que para produzir imagens aéreas é necessária a contração de pilotos e aluguel de aeronave. Ainda, é possível verificar possíveis erros, que evitam o retrabalho e o desperdício de material.
Regulamentação
Ano passado, o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) publicou uma instrução sobre o uso do espaço aéreo por drones, mas ainda não há uma regulamentação própria. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) deve divulgar as regras até a Olimpíada, em agosto. Já Curitiba incluiu em seu Plano Diretor regras específicas sobre o uso do espaço aéreo pelos drones. No Brasil, há cerca de dez fabricantes do veículo.

DEFESA NET


ATECH - Apresenta o SAGITÁRIO

SAGITÁRIO opera integrado a sensores de vigilância ADS-B para controlar movimento de helicópteros em bacias petrolíferas no Brasil
FIDAE 2016 - PAVILHÃO BRASIL: ABIMDE - APEX BRASIL

Destaque na FIDAE 2016, sistema controla o voo de mais de 100 aeronaves que circulam na Bacia de Campos, em Macaé, no Estado do Rio de Janeiro.
A segurança no espaço aéreo brasileiro tem um novo aliado com a integração de sensores de vigilância baseados na tecnologia ADS-B (Automatic Dependent Surveillance – Broadcast) ao SAGITARIO (Sistema Avançado de Gerenciamento de Informações de Tráfego Aéreo e Relatórios de Interesse Operacional).
Desenvolvido pela ATECH, empresa do Grupo Embraer, o SAGITARIO está monitorando as aeronaves que circulam na região da Bacia de Campos, provendo informações sobre os voos em tempo real para os controladores de tráfego aéreo do Centro de Aproximação (APP) de Macaé, localizado no Estado do Rio de Janeiro. O SAGITARIO foi um dos destaques da ATECH na FIDAE 2016 -- que ocorreu entre os dias 29 de março e 03 de abril, em Santiago, no Chile.
No Estado do Rio, o transporte de pessoal para as plataformas de petróleo situadas na Bacia de Campos envolve mais de 100 helicópteros, cerca de 9.000 voos e aproximadamente 93.000 passageiros todo mês, além de cargas e equipamentos transportados, saindo, em geral, do Aeroporto de Macaé, no norte fluminense. Atualmente, toda essa movimentação vem sendo monitorada pelo SAGITARIO.
No APP (Centro de Aproximação), de Macaé, as informações das antenas ADS-B (que são compostas por quatro antenas instaladas nas plataformas petrolíferas e duas antenas instaladas no continente), são recebidas e processadas pelo SAGITARIO, apresentando ao controlador uma única informação sintética, com precisão dentro dos padrões de órgãos reguladores mundiais (EUROCONTROL – Organização Europeia para a Segurança da Navegação Aérea).
A tecnologia ADS-B permite que a posição das aeronaves rastreadas via GPS (Global Positioning System) seja enviada para as antenas ADS-B próximas, que retransmitem os dados para a estação receptora em solo em Macaé. A estação retransmite a informação das aeronaves para o SAGITARIO, sendo processada e apresentada aos controladores de tráfego aéreo em tempo real.
Desenvolvido pela ATECH em parceria com o DECEA (Departamento de Controle do Espaço Aéreo), o SAGITARIO marca a evolução do sistema de controle aéreo no Brasil. Esta nova solução mostra avanços na comunicação, navegação e vigilância para o comando e o controle do espaço aéreo brasileiro. Dentro de mais quatro anos, o sistema estará em operação em mais de 30 centros do Brasil e em dois laboratórios de simulação de capacitação e formação de controladores de tráfego aéreo.
Sobre a Atech (www.atech.com.br) - Reconhecida como a “System House” brasileira, a Atech sempre se pautou pela inovação com o objetivo de transformar o país. Com uma expertise única em engenharia de sistemas e tecnologias de consciência situacional e apoio a tomada de decisão, a Atech trabalha no desenvolvimento de soluções inovadoras com aplicações nas áreas de tráfego aéreo, sistemas de comando e controle, segurança cibernética, redes inteligentes (smart grid), sistemas de instrumentação e controle, logística e aplicativos para smartphones e dispositivos móveis (apps).
A empresa é responsável pelo desenvolvimento e modernização de todo o sistema para o gerenciamento do espaço aéreo brasileiro. Também atua em diversos outros projetos estratégicos para o País, entre eles, integrou o projeto P-3 na Espanha, onde participou do programa da FAB (Força Aérea Brasileira) de transferência de tecnologia junto a EADS para modernização dos sistemas de missão de nove aeronaves de patrulha marítima. Pela sua atuação, a companhia é reconhecida e foi certificada como Empresa Estratégica de Defesa pelo Ministério da Defesa do Brasil.

NOTÍCIAS DO ACRE


Secretaria de Saúde realiza transferência de bebê em tratamento via UTI aérea

Uma articulação do governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), junto à Força Aérea Brasileira (FAB), possibilitou que o bebê Davi Campos de Souza fosse transferido na manhã desta segunda-feira, 4, da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal da Maternidade Bárbara Heliodora, via UTI aérea, para Goiânia (GO).
O secretário de Saúde, Gemil de Abreu Júnior, e a equipe da gerência do setor de Tratamento Fora do Domicílio (TDF) da Sesacre acompanharam a transferência da criança.
Gemil comemorou o sucesso da operação realizada para que o translado da Maternidade Bárbara Heliodora até o aeroporto ocorresse da melhor maneira possível, assegurando a integridade da criança. “Graças a Deus, tudo correu bem e eu gradeço o empenho da equipe da Sesacre em sempre buscar as melhores soluções para os casos dos nossos pacientes. Nós trabalhamos para levar o melhor para a nossa população”, declarou.
O gerente da regulação do TFD, Moisés Viana, explicou que após a família da criança dar entrada na solicitação, o TFD iniciou a busca por uma vaga via Central Nacional de Regulação de Alta Complexidade (CNRAC). “Surgiu a vaga para Goiânia no Hospital da Criança para o dia 4 de abril, a partir disso, nós começamos os contatos para conseguir a UTI aérea e, felizmente, conseguimos”, contou Viana.
Leidiane Campos, mãe do bebê, afirmou que há dois meses aguardava a transferência. “Agora espero que dê tudo certo para a realização da cirurgia dele”, declarou.

GOIÁS AGORA


Governador ressalta importância da Base Aérea de Anápolis 

O governador Marconi Perillo participou nesta segunda-feira, dia 4, da solenidade em comemoração ao 44º aniversário da Base Aérea de Anápolis. Ele foi recebido pelo comandante da Base, tenente coronel Francisco Antunes Neto, e pelo comandante do 6º Comar major brigadeiro Rogério Veras. Após o evento, Marconi ressaltou a importância da Base para Anápolis e para Goiás. “Ela passará a ser, a partir de 2019, a mais importante Base Aérea do Brasil e a mais importante Base Aérea da América Latina. Portanto, nós goianos só temos a agradecer a presença da base aqui e, sobretudo, agradecer as parcerias que temos”.
Nos últimos meses, o Governo de Goiás tem se empenhado na busca para que importantes indústrias se instalem em Anápolis, onde se encontra a Plataforma Logística e o Aeroporto de Cargas. Para o governador, a Base Aérea ajudará o Estado nesse propósito. “A Base poderá nos ajudar muito no futuro em relação ao próprio Aeroporto de Cargas de Anápolis. Nós pretendemos que esse aeroporto possa servir também como uma boa base na área de defesa, na área aeronáutica. Estou aqui hoje para reverenciar a Base Aérea de Anápolis, mais uma vez trazer o apoio do governo estadual e destacar a importância desta Base Aérea para o Estado e para o País”.
Caças Gripen

Em 2019, chegarão à Base os novos caças Gripen, comprados da Suécia pelo governo brasileiro. Goiás está na disputa para trazer a fábrica de manutenção das aeronaves para Anápolis. Marconi já se reuniu com o ministro da Defesa, Aldo Rebelo, e com o comandante da Aeronáutica Nivaldo Rossato para viabilizar a instalação da fábrica no Estado. ”Eu disponibilizei ao ministro da Defesa e ao comandante da Aeronáutica, o Aeroporto de Cargas para servir ao Brasil e já fiz isso também junto ao nosso comandante, o novo comandante da Base. Esse aeroporto é o aeroporto de Goiás, aqui em Anápolis, que está disponível para servir ao Brasil”.
Coronel Francisco Antunes falou sobre a boa relação da Base com o governo goiano. “É muito significativa essa aproximação, principalmente, como o governador comentou, em relação ao terminal de cargas, que muito tem a contribuir com a cidade de Anápolis e com o Estado de Goiás”. Antunes falou também sobre a expansão da Base, que vai receber mais três unidades e novas aeronaves. Questionado sobre a importância da Base para Anápolis, ele respondeu que a cidade que é importante para a unidade militar, que “durante 44 anos recebeu seus jovens” na formação aeronáutica.
Durante a solenidade, foi comemorado o 37º aniversário de criação do primeiro grupo de defesa aérea e houve entrega de medalhas.

JCNET (SP)


Nova portaria: áreas de proteção dos aeroportos serão discutidas

Workshop gratuito será transmitido nesta quinta-feira, das 13h às 18h
Desde o fim do ano passado, a nova portaria 957/2015 do Comando da Aeronáutica (Comaer) estipulou novos parâmetros para as áreas de proteção e altura máxima de novas edificações no entorno dos aeroportos/aeródromos de todo o País. Para tratar sobre o amplo texto, o SindusCon-SP promove, nesta quinta-feira (7), das 13h às 18h, um workshop gratuito, que será transmitido por videoconferência na Regional do SindusCon-SP em Bauru.
O tema será apresentado pelo major Washington Luiz Pereira dos Santos, do Serviço Regional de Proteção ao Voo (SRPV/SP). A nova legislação traz ainda uma mudança no fluxo operacional importante. Os processos de implantações de novos prédios passarão a ser protocolados eletronicamente e diretamente nos órgãos de controle regionais (SRPV-SP e Cindacta’s) e não mais no Comaer. Com isso, o prazo para análise e deliberação passou de 90 para 60 dias.
“Os pontos positivos para as alterações da norma são a celeridade na análise dos processos e na clareza deste documento. Então, ficou mais fácil o entendimento”, aponta o diretor regional do SindusCon-SP em Bauru, Ricardo Aragão.
De acordo com o Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp), que administra o aeródromo internacional do município, o Plano Básico de Zona de Proteção de Aeródromo (PBZPA) do Aeroporto Estadual Moussa Nakhal Tobias contempla todas as determinações e padrões fixados pela nova portaria emitida pelo Comar.
Tanto para o Aeroclube, que está localizado na zona sul da cidade, quanto para o aeroporto internacional, a competência de análise e aprovação desta documentação fica a cargo do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea).
Serviço
As inscrições devem ser feitas através do e-mail bauru@sindusconsp.com.br. A Regional Bauru está localizada na rua Capitão Gomes Duarte, 19-26, Vila Cidade Nova Universitária. Outras informações através do telefone (14) 3234-1242.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented