|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 04/04/2016 / Marinha e Aeronáutica têm 270 vagas abertas


Marinha e Aeronáutica têm 270 vagas abertas ...


Sonho de ingressar nas Forças Armadas atrai jovens para cursos preparatórios ...

Deborah Martins ...

Rio - Quem sempre sonhou em ingressar para as Forças Armadas tem a chance agora. A Marinha do Brasil abriu 200 vagas para o Colégio Naval, e a Aeronáutica outras 70 vagas para formação de Oficiais Aviadores, Intendentes e de Infantaria. A remuneração é de até R$ 6.268,00. Quem deseja concorrer às oportunidades para o Colégio Naval, precisa se inscrever até o dia 18 de abril. E para o curso de Oficiais Aviadores, Intendentes e de Infantaria da Aeronáutica, as inscrições vão do dia 5 à 25 de abril.

O candidato para o Colégio Naval precisa ter o Ensino Fundamental, 15 anos completos e menos de 18 anos no primeiro dia do mês de janeiro de 2017. O ciclo escolar é conduzido em regime de internato com duração de 3 anos letivos, terminando no dia 6 de fevereiro de 2017.

Já para o curso de Oficiais Aviadores, Intendentes e de Infantaria da Aeronáutica, o candidato deve ter idade mínima de 17 anos e máxima de 23 anos até o dia 31 de dezembro de 2017. Durante a realização do curso, o Cadete estará em regime escolar da Academia da Força Aérea.

Segundo o diretor-pedagógico da Academia do Concurso, Paulo Estrella, para se preparar para a seleção é muito importante que o candidato resolva o maior número possível de questões das provas já aplicadas. “Com esse exercício, o candidato passa a conhecer a abordagem normalmente cobrada pelos professores e quais são os conteúdos de maior peso ou mais frequentes na prova. Isso faz o candidato se preparar em uma melhor relação custo-benefício, pois as questões orientam o estudo”, ensina o especialista.

Estrella acrescenta que fazendo isso, o candidato tem um ganho na eficiência do estudo. “Ele passa a conhecer mais profundamente os conteúdos cobrados de forma profunda e superficialmente”, observa o especialista.

Para alcançar o sonho de ingressar nas Forças Armadas, a procura pelos cursos preparatórios começa cada vez mais cedo. É o caso do jovem Mario Ailton Gonçalves dos Santos, de apenas 13 anos, que pretende entrar para a Aeronáutica.

“Eu quero fazer o concurso por uma questão familiar e para a possibilidade de uma boa carreira futura”, conta o estudante, que é aluno do curso Tamandaré, CP10, Turma 910 do Projeto Mergulho.




Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




PORTAL G-1


Engenheiro cria "cobra robô" para uso em espaços confinados na indústria

Robô pode evitar acidentes de trabalho, atuando em operações de risco. Iniciativa custou cerca de R$ 70 mil; idealizador busca mercado.

Poliana Casemiro

Um robô em formato de cobra, que pode alcançar locais inacessíveis para as mãos humanas, foi criado por um startup em São José dos Campos (SP). O “snake robot”, segundo o idealizador, pode ajudar a reduzir acidentes em fábricas. O protótipo foi projeto de doutorado do aluno Linconl Lepri, do Instituto de Tecnologia Aeronáutica (ITA).
Segundo ele, a ideia era trazer um produto que atendesse às demandas do setor aeronáutico, seu ambiente de trabalho, e que fosse inovador. Por isso, com o avançar do projeto, o robô foi adaptado a outros mercados, com o automotivo, por exemplo. “O princípio do robô é ser totalmente flexível e poder acessar locais como a asa de um avião, o motor de um carro, ou espaços de tanques de petróleo. Com isso, ele poderia evitar os riscos que esse tipo de espaço oferece ao trabalhador ”, explicou Lincoln.
A iniciativa custou cerca de R$ 70 mil e foi financiada pelo ITA e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).
Além da área industrial, o "snake robot" vai ser apresentado a empresas de defesa. Seu projeto mecânico permite que detecte bombas, vistorie locais em situação de risco ou faça buscas por vítimas de desabamentos em meio aos escombros.
Mercado
Como Lepri descreve, o sknake é um projeto flexível para o mercado. No entanto, a pesquisa precisa que alguma empresa financie as mudanças, adequando o robô de acordo com cada setor onde ele pode operar.
Algumas empresas sinalizaram o interesse, mas nada foi firmado desde o término do projeto, em 2013. “A dificuldade é conseguir o primeiro cliente parceiro, que acredite nessa ideia e nesse mercado. É ele quem vai me validar esse estudo”, explica.
Lindoln tenta engajar o produto por meio de uma startup. Para Alexandre Barros, coordenador do Cecompi no Parque Tecnológico, ainda existe uma barreira entre as grandes empresas, as empresas iniciais "startup" e o espaço acadêmico.
“As empresas não tem essa mentalidade de aproximação da academia, do que tá sendo pesquisado, e a iniciativa de construir isso junto. Elas preferem comprar um produto pronto de um provedor que precisa atender a uma série de requisitos”, explicou.
Barros ainda acrescenta que é importante a aproximação do espaço acadêmico das grandes empresas, para que a indústria possam acompanhar o desenvolvimento dos projetos e viabilizar a entrada do produto no mercado.
O robô vai ser apresentado a algumas empresas da região ainda neste ano.

JORNAL O DIA


Marinha e Aeronáutica têm 270 vagas abertas

Sonho de ingressar nas Forças Armadas atrai jovens para cursos preparatórios

Deborah Martins

Rio - Quem sempre sonhou em ingressar para as Forças Armadas tem a chance agora. A Marinha do Brasil abriu 200 vagas para o Colégio Naval, e a Aeronáutica outras 70 vagas para formação de Oficiais Aviadores, Intendentes e de Infantaria. A remuneração é de até R$ 6.268,00. Quem deseja concorrer às oportunidades para o Colégio Naval, precisa se inscrever até o dia 18 de abril. E para o curso de Oficiais Aviadores, Intendentes e de Infantaria da Aeronáutica, as inscrições vão do dia 5 à 25 de abril.
O candidato para o Colégio Naval precisa ter o Ensino Fundamental, 15 anos completos e menos de 18 anos no primeiro dia do mês de janeiro de 2017. O ciclo escolar é conduzido em regime de internato com duração de 3 anos letivos, terminando no dia 6 de fevereiro de 2017.
Já para o curso de Oficiais Aviadores, Intendentes e de Infantaria da Aeronáutica, o candidato deve ter idade mínima de 17 anos e máxima de 23 anos até o dia 31 de dezembro de 2017. Durante a realização do curso, o Cadete estará em regime escolar da Academia da Força Aérea.
Segundo o diretor-pedagógico da Academia do Concurso, Paulo Estrella, para se preparar para a seleção é muito importante que o candidato resolva o maior número possível de questões das provas já aplicadas. “Com esse exercício, o candidato passa a conhecer a abordagem normalmente cobrada pelos professores e quais são os conteúdos de maior peso ou mais frequentes na prova. Isso faz o candidato se preparar em uma melhor relação custo-benefício, pois as questões orientam o estudo”, ensina o especialista.
Estrella acrescenta que fazendo isso, o candidato tem um ganho na eficiência do estudo. “Ele passa a conhecer mais profundamente os conteúdos cobrados de forma profunda e superficialmente”, observa o especialista.
Para alcançar o sonho de ingressar nas Forças Armadas, a procura pelos cursos preparatórios começa cada vez mais cedo. É o caso do jovem Mario Ailton Gonçalves dos Santos, de apenas 13 anos, que pretende entrar para a Aeronáutica.
“Eu quero fazer o concurso por uma questão familiar e para a possibilidade de uma boa carreira futura”, conta o estudante, que é aluno do curso Tamandaré, CP10, Turma 910 do Projeto Mergulho.

JORNAL DO BRASIL


Ministro Aldo Rebelo saúda novos oficiais generais da Força Aérea

Estado-Maior da Aeronáutica tem novo comandante

Foi realizada nesta sexta-feira, na Base Aérea de Brasília, a cerimônia de transmissão de cargo de chefe do Estado-Maior da Aeronáutica. Na ocasião, o brigadeiro Hélio Paes de Barros se despediu do cargo, repassando-o ao brigadeiro Raul Botelho, que até então, estava no Comando Geral do Pessoal da Força Aérea Brasileira (FAB).
O Estado-Maior é considerado um órgão estratégico da FAB, por assessorar diretamente o comandante da Aeronáutica, cuidando também de ações que promovam o emprego eficaz do poder aeroespacial, para assegurar a soberania do espaço aéreo brasileiro.
Durante a cerimonia, o ministro da Defesa, Aldo Rebelo, fez um agradecimento às contribuições de Paes de Barros, durante toda a sua trajetória dentro da Força. “Na missão do soldado, do comandante e do chefe, há mais permanência do que partida, quando essa missão é exercida preenchendo as mais elevadas expectativas que se reúnem em torno da tarefa”, disse o ministro.
Para o brigadeiro Botelho, que assumiu o cargo, o ministro destacou a importância do debate em torno do futuro da Força Aérea. “Muito mais do que rejuvenescer a FAB com novas energias, o senhor trará também a sabedoria batizada nas vitoriosas missões que desempenhou, o que irá contribuir com o elevado debate que a Aeronáutica realiza sobre o futuro da Força”, afirmou.
O comandante da Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, que foi colega de turma do brigadeiro Paes de Barros, em 1969, fez um discurso emocionado de despedida, já que Paes de Barros, além de deixar o Estado-Maior, também está saindo do serviço ativo. “Hoje, despede-se do serviço ativo um nobre amigo: jaguar de espírito e graxeiro de coração, que doou quase uma vida inteira em beneficio de nossa Força Aérea”, disse. O comandante da FAB também elogiou o desempenho do colega à frente do Estado-Maior, em especial, pelo “rumo diferenciado” dado por ele nas áreas de logística e de operações.
Ao brigadeiro Botelho, Rossato ressaltou a importância do planejamento de ações e da união para conseguir alcançar os objetivos e “cumprir a missão institucional de manter a soberania do espaço aéreo, com vistas à defesa da pátria”.
Além do ministro da Defesa e do comandante da FAB, também participaram da cerimônia os comandantes da Marinha, Eduardo Bacellar Leal Ferreira, e do Exército, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, além do chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, almirante Ademir Sobrinho, e da ministra-chefe interina da Casa Civil, Eva Chiavon, entre outras autoridades.

21ª Bateria de Artilharia Antiaérea Pára-quedista realiza Operação Santa Cruz 2016


A 21ª Bateria de Artilharia Antiaérea Pára-quedista (21ª Bia AAAe Pqdt), no período de 28 de março a 1º de abril, realizou a Operação Escudo I, denominada Operação Santa Cruz 2016. 
A Operação consistiu no adestramento de todos os sistemas da artilharia antiaérea (sistema de armas, de controle e alerta, de comunicações e logístico) e serviu como preparação da Bateria para o cumprimento de sua missão durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.
A operação contou com sobrevoos diurnos e noturnos das aeronaves A1O Exercício Santa Cruz 2016 foi concebido num quadro tático de operações aeroterrestres para a conquista e a manutenção de uma Cabeça de Ponte Aérea (Base Aérea de Santa Cruz) por uma Força-Tarefa do Batalhão de Infantaria Pára-quedista, em território inimigo, para a condução de operações militares subsequentes.
A operação contou com sobrevoos diurnos e noturnos das aeronaves A1, do 1º e 16º Grupo de Aviação, e da aeronave F5, do 1º Grupo de Aviação de Caça, todos da Base Aérea de Santa Cruz, dando maior realismo e dinamismo ao exercício, elevando o nível de dificuldade do exercício e cooperando com o adestramento da Bateria.
A 21ª Bia AAAe Pqdt contou, ainda, com o apoio do 1º Grupo de Artilharia Antiaérea na cessão do Centro de Operações Antiaéreas Eletrônico e os Palm Tops das Unidades de Tiro, equipamentos modernos que fazem parte do Projeto Estratégico do Exército –Defesa Antiaérea, já adquiridos pelo 1º Grupo de Artilharia Antiaérea, aumentando a velocidade e o sigilo eletrônico das missões antiaéreas, contribuindo significativamente para o aumento das capacidades operacionais da Bateria.
O Exercício foi acompanhado por um oficial da Seção de Doutrina da Escola de Artilharia de Costa e Antiaérea, certificando o trabalho realizado e colaborando com a evolução e a consolidação da doutrina de emprego da Artilharia Antiaérea em operações aeroterrestres.

OUTRAS MÍDIAS


PORTAL DE NOTICIAS JOÃO FILHO (RO)


Bombeiros fazem resgate rápido às vitimas de acidente aéreo em Barreirinhas/MA

ImagemO Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA) informa que atendeu a ocorrência de queda de um avião no município de Barreirinhas. O fato ocorreu por volta das 10:30h, logo depois da aeronave decolar do aeroporto.
Tão logo tomou conhecimento do acidente, o comando da Corporação mobilizou todas as guarnições da 4ª Companhia Independente de Bombeiros, sediada naquela cidade, se deslocaram para o aeroporto. Os militares usaram uma viatura de combate a incêndio e uma ambulância. Foram adotados todos os procedimentos de resgate e socorro às vítimas, bem como de resfriamento da aeronave, evitando risco de incêndio.
Estavam abordo do monomotor de prefixo PT-CTB o piloto, identificado por Pedro Renan de Oliveira Ribeiro, 24 anos, além dos turistas, Daíses Barbosa Silva, 30 anos; Dário Alexandre D’Santana, 31 anos e Cidilene Alexandre D’Santana, 53 anos.
Os ocupantes ficaram feridos com o impacto da queda e a destruição da aeronave. As vítimas foram levadas com vida ao Hospital Regional da cidade pelos bombeiros e por equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). As causas do acidente devem ser avaliadas pela Aeronáutica.

AVIACOL.NET (CHILE)


La Esquadrilha da Fumaça en FIDAE 2016

El Escuadrón de Demostración Aérea de la Fuerza Aérea Brasileña, la Esquadrilha da Fumaça, es invitado tradicional y de honor en FIDAE. La edición de este año tiene un toque particular para el equipo: es el primer despliegue internacional desde que está volando sus nuevos Embraer A-29 Super Tucano.
En marzo de 2013 el escuadrón recibió sus A-29 en reemplazo del Embraer T-27 Tucano, avión que estuvo volando con la escuadrilla desde 1983. El entrenamiento y acople a las nuevas aeronaves exige tiempo y trabajo. Hoy la Esquadrilha está en Chile mostrando por primera vez fuera de Brasil sus nuevas aeronaves.
Un equipo de 39 personas, acompañados por un avión de apoyo Lockheed C-130 Hercules del Primer Grupo de Transporte de Tropa de la FAB, va con los aviones del equipo. El 31 de mayo arribaron las aeronaves al aeropuerto Arturo Merino Benítez de Santiago de Chile, luego de un viaje que implicó tres paradas técnicas incluyendo Mendoza, Argentina, antes de cruzar la Cordillera de los Andes. Más de 2.600 kilómetros separan la casa de la escuadrilla en Pirassununga de la capital chilena.
Los altos picos de esta cordillera, que incluyen el monumental Aconcagua de 6.960 metros de altura, no fueron problema para la escuadrilla. Los aviones, volando en formación, cruzaron sin inconvenientes la cadena montañosa, aprovechando también la mejor tecnología en sistemas de navegación presente en el Super Tucano.
Con las horas de vuelo acumuladas en el traslado desde el Aeródromo Campo de Fontenelle hasta Santiago, más los vuelos de demostración durante FIDAE, la el escuadrón alcanza las 100.000 horas de operación históricas. “Pasar del T-6 al T-27 y al A-29 solo aumenta la importancia de la escuadrilla. No solo muestra el entrenamiento, habilidad y destreza de los pilotos en las maniobras, sino la capacidad de la industria nacional y el desarrollo tecnológico de nuestro país. Es otro nivel de fuerza”, dijo el Teniente Coronel aviador de la FAB Libero Onoda Luiz Caldas, líder y comandante del escuadrón.
Junto a la Fumaça, el equipo de demostración de la FACh, Los Halcones, se encargará de poner una nota de acrobacia en FIDAE. Como recuerdo para la historia queda el vuelo en formación que realizaron las aeronaves de ambos equipos sobre Santiago de Chile, un vuelo que se une también al vuelo en formación de aviones F-16 de la FACh y F-22 de la USAF.
El grupo argentino Hangar del Cielo, Bolton Aerobatics con su Extra 300, y RV Team completan la parrilla de demostraciones acrobáticas. Aviones F-5 y F-16 de la FACh, F-22 de la USAF, KT-1P Torito de la FAP, helicópteros HH32 y Bell 412EP chilenos, más el sobrevuelo de un Boeing B-52 de la USAF, llenan la parrilla de demostraciones aéreas.
Después de FIDAE, el grupo brasileño se desplazará a Córdoba para hacer su rutina acrobática antes de regresar a Brasil.

JORNAL DO COMÉRCIO (RS)


A disseminação dos drones

Affonso Ritter
O que parecia uma realidade distante já começa a fazer parte do cotidiano das pessoas. São os drones, ou aeronaves não tripuladas. E é justamente devido à disseminação que vários países editaram normas para regularizar seu uso. No Brasil, algumas já valem, e outras aguardam aprovação da Anac. Uma das mais recentes, de novembro de 2015, segundo o advogado Geovane Alves, do escritório Freitas Macedo e especialista em Direito Aeronáutico, estabelece que todos os voos de drones no País deverão ter autorização do Decea, como no caso das aeronaves tripuladas. Sua não observância sujeita o infrator à responsabilização criminal.

Ao preço de um celular

Drone é uma palavra em inglês que significa Zangão, provavelmente pelo zumbido de suas hélices. É conhecido também por Vant (Veículo Aéreo Não Tripulado). Ele não é caro. As Casas Bahia têm promoções de drones em sua loja virtual de R$ 159,00 a R$ 7.099,00, este já em nível profissional.

PRENSA LATINA (PARAGUAI)


Paraguay y Brasil efectuarán en Asunción reunión de Mecanismo 2+2

Asunción, 4 abr (PL) Los ministros de Relaciones Exteriores y de Defensa de Brasil participarán hoy en esta capital en la I reunión del llamado Mecanismo 2+2 de Consulta y Evaluación Estratégica.
Mauro Vieira y Aldo Rebelo, titulares respectivos de esas carteras, estarán en ese encuentro junto con sus pares anfitriones, Eladio Loizaga y Diógenes Martínez.
El Mecanismo 2+2 convoca a esos ministros de ambos países con el objetivo de evaluar la cooperación existente en el área e impulsar la agenda bilateral de defensa, según una nota oficial de la cancillería paraguaya.
Vieira y Revelo serán recibidos temprano este lunes en el Palacio de Gobierno por el presidente de la República, Horacio Cartes, y posteriormente se dirigirán a la sede la cancillería para la reunión.
Allí se llevará a cabo después la firma de una prórroga, mediante intercambio de notas diplomáticas, del acuerdo vigente relativo a cooperación militar.
También se suscribirá la declaración conjunta de la visita oficial de los dos ministros brasileños y al final está programada una conferencia de prensa, en la cual las autoridades informarán sobre lo tratado en la cita del Mecanismo 2+2.
Entre los temas principales de estos encuentros figura el de las operaciones militares fronterizas coordinadas por ambas naciones contra el crimen organizado.
La colaboración en materia de defensa entre ambas naciones data de 1940, con la prestación de apoyo en las tres divisiones de sus Fuerzas Armadas: Ejército, Armada y Fuerza Aérea.
Revelo llegó al país hace dos días y ayer estuvo junto con su homólogo Martínez en sitios históricos relacionados con la Guerra de la Triple Alianza (1864-1870), para -dijo- demostrar la amistad, la convivencia fraterna y cooperativa con Paraguay.
Allí reveló que serán desclasificados documentos secretos sobre esa contienda en poder del patrimonio de su país y estarán a disposición de los investigadores paraguayos.
Ese será uno de los puntos fundamentales de un acuerdo cooperativo propuesto por Brasilia a Asunción con el objetivo que la memoria real de la guerra sea conocida por todos.
Mencionó la importancia de realizar un levantamiento de datos e inventario de todos los documentos de ese tipo existentes en Estados Unidos, Reino Unido, Francia, Argentina, Uruguay, Brasil y Paraguay, parte trascendental para preservar la historia.
El segundo punto del acuerdo será el resguardo de los sitios de la Guerra de la Triple Alianza para que las memorias de esos lugares no se apaguen y no sufran modificaciones topográficas.
Por último, se refiere el convenio a la preservación de equipamientos militares y elementos civiles usados durante esos años.
Una coalición formada por Uruguay, Argentina y Brasil emprendió en 1864 una desigual contienda bélica contra Paraguay, concluida en 1870 con la derrota de esta nación.
La igualmente llamada Guerra Grande ocasionó a Paraguay no solo un desastre económico, sino también demográfico.
Según diversas fuentes, este país perdió del 50 al 85 por ciento de su población y quizá más del 90 por ciento de la masculina adulta, tanto por las acciones militares como por epidemias desatadas.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented