|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 24/03/2016 / Avião Russo pousa na Base Aérea de Porto Velho com mísseis e simuladores

Imagem

Avião Russo pousa na Base Aérea de Porto Velho com mísseis e simuladores ...


A aeronave modelo Illyushin – 76 de fabricação Russa pousou no início da tarde desta quarta-feira (23), na Base área de Porto Velho carregada de misseis e simuladores de helicópteros, que vão ser usados em um treinamento para militares do 2º/ 8 GAV (Grupo de Aviação da Aeronáutica).

De acordo com a assessoria de imprensa da Base Aérea, a aeronave fica em solo rondoniense por pelo menos cinco dias. Uma equipe de oficiais russos está no comando do avião, que neste momento descarrega todo o material no hangar do grupamento aéreo.

No ano passado o avião modelo Antonov desembarcou na capital, quando trouxe helicópteros modelo AH2 SABRE, que hoje compõem o Esquadrão POTI, que tem a única mulher piloto de helicóptero de guerra da história da aeronáutica.




Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




PORTAL G-1


Dilma visita obras de satélite militar no Distrito Federal

Segundo Defesa, satélite dará mais segurança à comunicação militar. Depois, ela participará de evento sobre verbas para combate ao Aedes.

Filipe Matoso Do G1, Em Brasília

A presidente Dilma Rousseff visitou nesta quarta-feira (23) as obras do centro de controle do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), em Brasília, no VI Comando Aéreo Regional (COMAR).
Segundo o Ministério da Defesa, o satélite dará "mais segurança" às comunicações estratégicas e militares do governo, além de ser utilizado para cumprir os objetivos do Programa Nacional de Banda Larga (PNBL), "levando internet em alta velocidade a regiões isoladas, como a Amazônia".
De acordo com a agenda de Dilma, divulgada pela Secretaria de Imprensa, a presidente ainda participará nesta quarta de um evento no Palácio do Planalto no qual anunciará investimentos em pesquisas de combate ao Aedes aegypti. O mosquito transmite os vírus da zika (associado aos casos de microcefalia em bebês), da dengue e da febre chikungunya.
À tarde, Dilma assinará a lei que dispõe sobre a quantidade de biodiesel no óleo diesel.
Segundo explicou o Ministério da Defesa, as peças do satélite estão sendo montadas em Cannes e o lançamento ocorrerá na Guiana Francesa.
Em 2013, foi denunciado pelo ex-funcionário da NSA Edward Snowden que o governo dos Estados Unidos espionou diversos líderes internacionais, entre eles a presidente Dilma.
À época o governo anunciou que construiria um satélite próprio para fazer as comunicações militares e estratégicas de governo - atualmente, a Defesa aluga 2 satélites privados para fazer as comunicações.
De acordo com a Defesa, o satélite deve custar cerca de R$ 1,7 bilhão e transmitirá 54 gigabits por segundo por meio da banda X, de uso militar.
O satélite, que ficará a 36 mil quilômetros da Terra, será gerenciado por meio de duas antenas instaladas em Brasília e no Rio de Janeiro.
O custo anual com o aluguel dos atuais satélites é de R$ 13 milhões e, diz a Defesa, quando o satélite brasileiro estiver pronto, será de R$ 6,5 milhões.

PORTAL R7


Substituta de Lula na Casa Civil já gerou polêmica com militares

Eva Maria Chiavon trabalhou com Jaques Wagner em quatro ministérios e no governo da Bahia

Enquanto o STF (Supremo Tribunal Federal) não decide sobre a posse do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como Ministro Chefe da Casa Civil da Presidência da República, a pasta será comandada pela substituta Eva Maria Cella Dal Chiavon.
Na noite desta terça-feira (22), a Casa Civil atualizou seu site — que antes tinha o nome de Jaques Wagner, atual chefe de gabinete da Presidência da República — e incluiu informações sobre a substituta.
"Eva Maria Cella Dal Chiavon é natural da cidade de Chapecó-SC, onde nasceu em 16 de dezembro de 1960. Graduou-se Bacharel em Enfermagem e Obstetrícia, pela FEUC (Fundação Educacional do Alto Uruguai Catarinense) e possui especialização em Saúde Pública e em Planejamento Estratégico Público Participativo. Durante sua trajetória profissional ocupou diversos cargos públicos", diz a descrição.
Durante sua trajetória profissional, Eva Maria ocupou diversos cargos públicos, entre eles o de Secretária-Executiva do Ministério da Defesa, de janeiro a outubro do ano passado. Nesse período, ela protagonizou o polêmico episódio do decreto 8.515, que delegava ao ministro da Defesa competência para assinar atos relativos a pessoal militar, como transferência para a reserva remunerada de oficiais superiores, intermediários e subalternos; reforma de oficiais da ativa e da reserva; promoção aos postos de oficiais superiores; nomeação de capelães militares, entre outros.
O ministro da Defesa naquela época era Jaques Wagner, que estava na China quando o decreto foi editado. O documento estava na gaveta da Casa Civil havia mais de três anos e, no dia 3 de setembro do ano passado, foi assinado por Dilma Rousseff.
O decreto gerou "uma histeria geral", pela maneira como foi feita a publicação, sem que a cúpula militar fosse avisada. O comandante da Marinha, almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira, que estava ocupando o cargo de ministro interino da Defesa, e que viu seu nome publicado no Diário Oficial endossando o decreto, disse que não sabia da existência dele.
Após a polêmica, Jaques Wagner assinou uma portaria devolvendo aos titulares do Exército, da Marinha e da Aeronáutica o poder de editar atos relativos a pessoal militar, como transferência para a reserva remunerada de oficiais superiores, intermediários e subalternos, reforma de oficiais da ativa e transferências para o exterior.
No Diário Oficial, de 10 de setembro, foi publicada a retificação subdelegando aos Comandantes das Forças Armadas a competência em relação ao decreto 8.515.
Histórico
Além do Ministério da Defesa, Eva Maria Chiavon já trabalhou diretamente com Jaques Wagner na Casa Civil da Presidência da República, na Casa Civil do governo da Bahia, na Secretaria de Relações Institucionais da Presidência, no Ministério do Trabalho e Emprego, e na Secretaria Especial do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência.
Posse
Apesar da suspensão decretada pelo STF, o governo vinha tratando Lula oficialmente como titular da Casa Civil. Desde quinta-feira (17), dia seguinte à nomeação, Lula era identificado no DOU (Diário Oficial da União) como ministro de Estado chefe da Casa Civil. A Imprensa Nacional, responsável pela edição do DOU, é subordinada à Casa Civil.
A Casa Civil explicou que o nome de Lula estava sendo publicado no DOU como ministro da Casa Civil porque a Presidência da República ainda não havia sido notificada pela Justiça da decisão do ministro do STF (Superior Tribunal Federal), Gilmar Mendes, de "sustar a eficácia da nomeação".
Como o comunicado só chegou ao Planalto na tarde desta terça-feira (22), a partir desta quarta, os atos relativos à Casa Civil no Diário Oficial estarão assinados pela secretária-executiva da pasta, Eva Chiavon.
De acordo com a Casa Civil, a decisão judicial primeiro foi encaminhada para a AGU (Advocacia-Geral da União) e, somente nesta terça-feira, é que chegou ao departamento jurídico do Planalto. Lula tomou posse no dia 17 de março.
Mas sua nomeação foi publicada em edição extra do Diário Oficial de quarta-feira, dia 16 de março. Com isso, seu nome constava como titular da Casa Civil nas edições do Diário Oficial de 17, 18, 21 e 22 de março. A partir desta quarta-feira, os atos já terão o nome de Eva.
A Casa Civil informa, no entanto, que Lula não assinou efetivamente nenhum ato. O ministro da Advocacia Geral da União, José Eduardo Cardozo, também assegurou que "o presidente Lula não está praticando nenhuma ação porque a liminar sustou a eficácia".

JORNAL O POVO (CE)


LÚCIO BRASILEIRO


Para ar
Esteve em Fortaleza brigadeiro Paulo Vasconcelos que convidou Henrique Daniel mister falar sobre Metodologia de Projetos pro alto comando da Aeronáutica.

JORNAL DE BRASÍLIA


10 caminhões fumacês percorrem o DF nesta quarta (23)

O Guará I foi uma das regiões administrativas visitadas hoje. Foram confirmados na última semana 41 novos casos de dengue em Brasília

Os caminhões fumacês continuam a atuar no combate ao mosquito transmissor da dengue, do zika vírus e da febre chikungunya. Nesta quarta-feira (23), endereços de dez regiões administrativas foram percorridos: QNN 17 e 39 e QNP 26, em Ceilândia; QI 4 e QE 8, no Guará I; Quadras 61, 301, 302 e 327 no Condomínio Del Lago e Fazendinha, no Itapoã; Condomínio Instância, no Jardim Botânico; QI 7 e QL 9 no Lago Norte; QRs 104, 506 e 508, em Samambaia; Quadras 117, 415 e 416 em Santa Maria; Quadras 10 e 14 em Sobradinho; ARs 13, 14 e 18, do Condomínio Vale das Acácias, em Sobradinho II; e QSB 2, em Taguatinga.
Nesta quinta-feira (24), o fumacê passará no Gama, no Lago Sul, no Lucio Costa, no Núcleo Bandeirante, em Planaltina, no Recanto das Emas, em Taguatinga, em São Sebastião, em Sobradinho e em Sobradinho II.
Já a força-tarefa de combate ao Aedes aegypti faz visitas ao comércio e aos condomínios do Jardim Botânico desde segunda-feira (21). O trabalho de orientação e de verificação nas casas conta com o apoio de 60 militares do Exército Brasileiro, da Força Aérea Brasileira e do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal e de agentes da Diretoria de Vigilância Ambiental, da Subsecretaria de Vigilância à Saúde, vinculada à Secretaria de Saúde. O grupo percorreu mais de 60% dos condomínios da área. A previsão é que até o fim desta semana todos os domicílios e comércios do Jardim Botânico tenham sido visitados. Os trabalhos também permanecem de forma rotineira em todo o Distrito Federal.
Novos casos
Foram confirmados na última semana 41 casos de dengue no Distrito Federal. Os dados são do informe epidemiológico, divulgado semanalmente pela Secretaria de Saúde. Durante o mês de março, foram 817 casos confirmados e, no ano, 6.958. A febre chikungunya foi identificada em 27 pacientes. Outras 27 ocorrências de zika vírus também foram constatadas neste ano. O boletim foi atualizado no dia 21 e faz referência à 11ª semana epidemiológica.
Brazlândia, Ceilândia, Planaltina, São Sebastião, Samambaia e Taguatinga são as regiões que apresentam maior número de ocorrências de dengue, respondendo por 4.072 (59%). Brazlândia está na frente, com 1.313 confirmações.
De acordo com o boletim, a maioria dos casos (53%) ocorreu com pessoas na faixa etária de 20 a 49 anos. Menores de 1 ano até 19 anos somam 28%. Pessoas acima dos 50 anos representam 18% dos pacientes.

JORNAL FOLHA DE PERNAMBUCO


Luciana reúne com ministro da Aviação para viabilizar Hub


A deputada Luciana Santos (PCdoB) esteve na Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República, em Brasília, onde se reuniu com o ministro Mauro Ribeiro Lopes para tratar de cessão de terreno e contrapartida da União para viabilizar a instalação do hub do Grupo Latam em Pernambuco. A parlamentar entregou documento do governador Paulo Câmara (PSB) com a solicitação de cessão da área da Força Aérea Brasileira no aeroporto Gilberto Freyre à Infraero e explicou que este espaço é imperativo para instalação do centro de conexão de vôos domésticos.
O local é necessário para expandir e adaptar a infraestrutura, criando um novo terminal, de modo a viabilizar as atividades hub. O ministro se comprometeu em analisar a viabilidade das contrapartidas necessárias; e a partir daí assinar acordo de cessão de terreno com o Governo de Pernambuco. Luciana convidou, ainda, o ministro para uma visita a Pernambuco.
“Essa foi uma reunião determinante para concretizar o apoio da União ao HUB/LATAM em Pernambuco. Viabilizar esse empreendimento é importante para nós, porque ele vai gerar desenvolvimento e oportunidades de trabalho e geração de renda ao nosso estado. Faremos o que tiver ao nosso alcance para que Recife seja a capital escolhida pelo grupo Latam para seu hub no Nordeste”, disse Luciana.
A estimativa, baseada em estudo da Consultoria Oxford Economics, é que o novo centro de vôos aumente em até cinco pontos percentuais o PIB da Região Metropolitana do Recife e gere até 29 mil postos de trabalhos diretos e indiretos no estado.

AGÊNCIA BRASIL


Satélite vai permitir universalização da banda larga em todo o país


Andreia Verdélio Repórter Da Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff visitou hoje (23) as obras de construção do centro de controle do satélite que vai levar internet de alta velocidade a regiões longínquas do país, onde ainda não é possível chegar com cabos de fibra ótica. O Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas está sendo fabricado na França desde janeiro de 2014 e o lançamento deve ocorrer entre dezembro de 2016 e fevereiro de 2017.
“Ele vai ser lançado em parceria com a França e é um patamar tecnológico que temos de alcançar. Lançar o satélite, mas, em um segundo momento, sermos capazes de produzir esse satélite no Brasil”, disse Dilma. A construção do equipamento está sendo acompanhada pela Visiona, uma empresa brasileira de cooperação entra a Telebras e a Embraer.
Durante a visita às obras da antena de monitoramento do satélite, no 6º Comando Aéreo Regional em Brasília, o ministro das Comunicações, André Figueiredo, explicou que o equipamento é um grande instrumento para alcançar a universalização do acesso à internet, por meio da banda KA, dentro do novo Programa Nacional de Banda Larga.
“Queremos chegar, até o fim de 2018, com fibra ótica a 70% dos municípios brasileiros que representam 95% da população, propiciando não apenas a integração da população brasileira mas o acesso ao conhecimento”, disse Figueiredo. “No restante onde não conseguirmos chegar com fibra ótica, vamos com satélite, que vai servir como redundância para que possamos chegar em locais mais longínquos, mesmo já cobertos com fibra ótica. Por exemplo, na Região Nordeste, vamos chegar em Fernando de Noronha”, explicou.
O equipamento deve entrar em operação no primeiro trimestre de 2017. Um segundo ponto de monitoramento será montado em outro centro de operações no Rio de Janeiro.
Segurança Nacional
Além de internet, o satélite tem o objetivo de trazer mais segurança às comunicações estratégicas e militares do governo brasileiro, utilizando a banda X, faixa destinada exclusivamente ao uso militar. Segundo o comandante do Centro de Operações Espaciais, coronel Hélcio Vieira Júnior, o satélite vai cobrir todo o território brasileiro, o Atlântico Sul e grande parte da área de interesse do país, do Haiti até a Antártica.
“Militarmente falando, ele vai possibilitar que façamos comando e controle de todos os tipos de ações em que as Forças Armadas estão envolvidas, desde combate a ilícitos nas fronteiras e ajuda humanitária até, se for o caso, ações realmente militares”, disse.
O projeto do satélite geoestacionário é uma parceria entre os ministérios das Comunicações e da Defesa e tem investimento de R$ 1,7 trilhão. Hoje, segundo as pastas, as comunicações militares brasileiras são feitas por meio de aluguel da banda X em dois satélites privados, ao custo anual de R$ 13 milhões. Quando o satélite geoestacionário do Brasil entrar em operação, apenas um dos contratos será mantido, como garantia em caso de falha do novo satélite.
O satélite geoestacionário, segundo o coronel Vieira, é o primeiro do Programa Estratégico de Sistemas Espaciais, do Ministério da Defesa, que inclui vários grupos de satélites.
O primeiro visa a levar muitas informações a pontos distantes. Além do satélite geoestacionário, o grupo terá satélites de sensoriamento remoto que vão possibilitar o monitoramento de toda a fronteira seca e molhada e o controle do tráfego marítimo. “Além disso, estão previstos satélites de geoposicionamento, a exemplo do GPS americano, que vão permitir que o governo brasileiro tenha um referencial de tempo nacional. Vão melhorar muito nossos sistemas bancário, de transmissão de energia e de bolsa de valores, entre outros”, afirmou.

AGÊNCIA SENADO


Indicações para diretoria da Anac são aprovadas em comissão e vão ao Plenário


Rodrigo Baptista

ImagemA Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) aprovou, nesta quarta-feira (23), os nomes de três indicados para a diretoria da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Seguem agora para análise do Plenário as indicações do economista Juliano Alcântara Noman; do tenente-brigadeiro do ar Hélio Paes de Barros Júnior; e do advogado e administrador de empresas Ricardo Sérgio Maia Bezerra. Todos receberam 20 votos favoráveis e 1 contrário a suas nomeações.
Os dois primeiros foram indicados pela presidente Dilma Rousseff para ocupar os cargos dos diretores que deixaram a Anac na semana passada, respectivamente, o diretor-presidente Marcelo Guaranys e o diretor Cláudio Passos. Já Ricardo Sérgio Maia Bezerra está sendo reconduzido após um ano afastado do cargo.
As indicações visam recompor a diretoria da agência para impedir que processos fiquem sem análise.
— Passamos períodos bastante delicados no passado por ausência de indicações para a diretoria da Anac. Desta vez, o governo está agindo com mais velocidade - observou o senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES).
Antes da votação, eles foram simultaneamente sabatinados pelos senadores, quando abordaram temas como ampliação da aviação regional, autorização para que uma pessoa transfira uma passagem aérea para outra e o fim da franquia de bagagem despachada nos voos domésticos. O último assunto é objeto de consulta pública feita pela agência.
Sobre a aviação regional, Noman afirmou que trabalhará em uma regulamentação que estimule a criação de novas rotas aéreas:
— Acho que é de suma importância levar para o interior do país o mesmo desenvolvimento que os grandes centros observaram na aviação civil. Todo cidadão que não mora nos grandes centros merece e tem o direito de receber também transporte aéreo de qualidade. Isso passa pelo desenvolvimento da aviação regional – afirmou.
Bagagem
A proposta da Anac de acabar, gradualmente, com a franquia de bagagem despachada nos voos domésticos, o que fará com que o viajante tenha que pagar por volumes com peso superior a 10 kg, foi tema de questionamentos de vários senadores como Ricardo Ferraço (PSDB-ES), Raimundo Lira (PMDB-PB), Flexa Ribeiro (PSDB-PA) e Ronaldo Caiado (DEM-GO).
Da mesma forma, outros parlamentares como Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) perguntaram como funcionará o aumento da participação do capital estrangeiro nas empresas, prevista na Medida Provisória (MP) 714/2016 em análise no Congresso. A intenção do Executivo é atrair novos investidores para a aviação comercial e até frear a elevação dos preços das passagens aéreas.
As mudanças podem abrir espaço para a entrada de companhias com modelo de operação low cost, como as que funcionam na Europa. Elas praticam uma política de preços bastante agressiva, mas cobram por qualquer serviço extra, como o despacho de bagagens.
Para Ricardo Bezerra, “não se faz empresa de low cost simplesmente tirando a franquia de babagem”.
— Temos que ter empresas de low cost, mas com legislação específica, que tenham que parar em determinados terminais, por exemplo, e com outros atrativos – avaliou.
Os três indicados enfatizaram também que a Anac tem como preocupação principal garantir a segurança dos voos.
— Cabe à Anac, em primeiro plano, zelar pela segurança de voo, garantindo que todos os recursos humanos, máquinas e infraestruturas do sistema estejam conforme as regras estabelecidas pelos organismos nacionais e internacionais – destacou Hélio Paes de Barros Júnior.
Perfil
Noman é economista, formado pela Universidade de Brasília (UnB). Ocupa atualmente o cargo de secretário de Navegação Aérea Civil da Secretaria de Aviação Civil. Servidor público de carreira da Anac, já foi gerente de Acompanhamento de Mercado e Superintendente de Regulação Econômica no órgão.
Já Ricardo Sérgio Maia Bezerra é graduado em Direito pelo Centro Universitário do Distrito Federal (UDF) e em Administração de Empresas pelo Centro de Ensino Unificado de Brasília (Ceub), além de pós-graduado em Gestão da Aviação Civil. Foi diretor de Regulação Econômica da Anac, cargo que ocupou de 2010 até março do ano passado.
Hélio Paes de Barros Júnior, por sua vez, é tenente-brigadeiro do ar. Atualmente, ocupa o cargo de chefe do Estado-Maior da Aeronáutica (Emaer).

OUTRAS MÍDIAS


MAXPRESS (SP)


Ministério da Defesa e FAB celebram o Dia do Especialista de Aeronáutica

LOC/REPÓRTER: Para comemorar o Dia do Especialista de Aeronáutica, celebrado na próxima sexta-feira, dia 25 de março, foi realizada cerimônia na realizada na Base Aérea de Brasília, com a presença do ministro da Defesa, Aldo Rebelo, e de cento e sessenta e três homens e mulheres, civis e militares das três Forças Armadas - Marinha, Exército e Aeronáutica - que foram agraciados com a Medalha Bartolomeu de Gusmão.
TEC/SONORA: ministro da Defesa, Aldo Rebelo: A comemoração do Dia do Especialista é a comemoração de uma data essencial para a defesa aérea do Brasil. Esses profissionais constituem parte insubstituível do nosso projeto de defesa aérea e aeroespacial. E o dia é comemorado com a Medalha Bartolomeu de Gusmão, que celebra um grande brasileiro, um inventor, um herói da nossa pátria, pioneiro nas invenções aéreas.
LOC/REPÓRTER: O Especialista da Aeronáutica representa trinta porcento do efetivo da FAB. A formação dos especialistas dura de seis meses a dois anos. Há militares que atuam como membros de esquadrões aéreos e tripulantes de aeronaves, a exemplo dos especialistas em armamento, fotointeligência e mecânica de aeronaves. O suporte às atividades aéreas envolve ainda as especialidades de equipamento de voo, estrutura e pintura, eletricidade e instrumentos, eletromecânica e bombeiro aeronáutico. Ao final da cerimônia, integrantes da Força Aérea Brasileira desfilaram ao som do dobrado "Asas de Prata" e da Canção do Especialista.

RONDÔNIA AO VIVO (RO)


Avião Russo pousa na Base Aérea de Porto Velho com mísseis e simuladores

A aeronave modelo Illyushin – 76 de fabricação Russa pousou no início da tarde desta quarta-feira (23), na Base área de Porto Velho carregada de misseis e simuladores de helicópteros, que vão ser usados em um treinamento para militares do 2º/ 8 GAV (Grupo de Aviação da Aeronáutica).
Imagem
De acordo com a assessoria de imprensa da Base Aérea, a aeronave fica em solo rondoniense por pelo menos cinco dias. Uma equipe de oficiais russos está no comando do avião, que neste momento descarrega todo o material no hangar do grupamento aéreo.
No ano passado o avião modelo Antonov desembarcou na capital, quando trouxe helicópteros modelo AH2 SABRE, que hoje compõem o Esquadrão POTI, que tem a única mulher piloto de helicóptero de guerra da história da aeronáutica.

AQUIACONTECE.COM.BR (AL)


Defesa Civil inicia plano de contingência para eventuais desastres naturais

Em Alagoas, o clima é de muito sol e altas temperaturas na maior parte do ano. Mesmo assim, o Estado está sujeito a períodos de fortes chuvas, com sérias consequências para a população, principalmente as que residem em áreas de risco. Pensando nisso, a Defesa Civil do Estado começa a se preparar para eventuais desastres naturais.
Um plano de contingência para esses casos foi discutido na segunda-feira (21), com o objetivo de organizar e saber o que cada órgão deve fazer em casos de desastres naturais.
Órgãos como as secretarias de Educação (Seduc), Saúde (Sesau) e Esporte e Lazer (SEE), além da Casal e Instituto de Meio Ambiente (IMA) participaram da reunião.
O coordenador da Defesa Civil, major Moisés Henrique, destacou que o plano de contingência é para que não haja desorganização e que a população, num eventual desastre, não seja mais afetada.
“Estamos integrando os órgãos para que cada um saiba seu papel em caso de necessidade. O plano está pronto, mas pode sempre ser melhorado. Ele existe para o caso de anormalidade, para que o resgate possa acontecer da forma mais rápida possível, salvaguardando vidas”, enfatizou o major.
O coordenador explicou que o plano de contingência está dividido em três etapas. A primeira delas já foi concluída, com a reunião dos órgãos para discutir o plano. A segunda etapa, segundo explicou o major Moisés, será discutida em reunião no próximo dia 30, quando serão definidos o dia, horário e local de uma simulação de desastre natural, com a participarão do Exército, Marinha, Corpo de Bombeiros, entre outros órgãos de salvamento, que estão preparados para agir em ocorrências como essa.
“Tudo tem que estar pronto e todos devem estar preparados para que não haja erro e, principalmente, vidas sejam salvas”, disse o coordenador da Defesa Civil de Alagoas.
A terceira e última etapa consiste na apresentação do plano de contingência aos municípios e saber deles qual a estrutura das cidades, para que, em caso de desastres naturais, a Defesa Civil possa, juntamente com os municípios, dar toda assistência à população.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented