|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 11/05/2018 / Detalhes sobre divisão de áreas da Embraer com Boeing prolongam negociações, dizem fontes



Detalhes sobre divisão de áreas da Embraer com Boeing prolongam negociações, dizem fontes ...  


Tatiana Bautzer e Brad Haynes ...  


SÃO PAULO (Reuters) - O difícil trabalho de dividir três segmentos de negócios da Embraer está atrasando um acordo para combinar operações da fabricante brasileira de aviões com a norte-americana Boeing, disseram três pessoas com conhecimento do assunto.

A decisão de separar a unidade de jatos comerciais da Embraer, vender seu controle e dividir o portfólio de jatos executivos, ajudou a ganhar apoio do governo brasileiro para uma operação entre as duas empresas, mas criou outras dores de cabeça, segundo as fontes.

Os negociadores estão agora analisando detalhes dos contratos de serviço de longo prazo entre as empresas e como distribuir os milhares de engenheiros da Embraer, muitos dos quais migraram entre projetos militares e civis durante a carreira.

Representantes da Boeing e da Embraer não responderam imediatamente a pedido de comentários sobre o assunto.

As empresas anunciaram no mês passado que estavam em negociações para criar uma nova companhia focada em aviação comercial, o que excluiria a divisão de produtos militares da Embraer e “potencialmente” sua unidade de jatos executivos. Isso ajudou a superar as preocupações do governo sobre o controle soberano dos programas militares da Embraer. O governo tem poder de veto sobre decisões estratégicas da empresa.

“Estou bastante otimista”, disse nesta semana o ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna, responsável pela força-tarefa que supervisiona as negociações, quando questionado sobre a negociação. “Está em estágios avançados e deve ser resolvido este ano.”

A proposta original da Boeing, uma aquisição direta da Embraer, poderia já estar concluída e tem se mostrado mais desafiador fazer uma oferta que exclua a área de defesa da fabricante brasileira de um eventual acordo, disseram fontes.

Os jatos de 70 a 130 assentos da Embraer, que competem com o programa C-Series projetado pela canadense Bombardier, respondem por cerca de 60 por cento da receita da Embraer e por quase todo o lucro operacional da fabricante brasileira.

A divisão de defesa da Embraer mal obteve lucro nos últimos anos, uma vez que o governo brasileiro cortou gastos militares em um esforço para fechar déficit orçamentário.

A Embraer também vem perdendo dinheiro com uma nova linha de jatos executivos, já que esse mercado continua estagnado.

As empresas ainda não chegaram a uma decisão final sobre a inclusão da unidade junto com a divisão de jatos comerciais em uma nova empresa, na qual a Boeing teria cerca de 80 por cento de participação, segundo duas fontes.



Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


Em campanha, Rodrigo Maia troca FAB por voo de carreira


Naira Trindade Publicada Em 10/05 às 18h19

Pré-candidato ao Planalto, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), embarca logo mais a noite para Manaus em um avião de carreira. Ele tem direito a voar de FAB em agendas oficiais da Câmara e comprou a passagem em empresa particular por se tratar de agenda de campanha.

JORNAL CORREIO BRAZILIENSE


Militar de 23 anos morre com tiro na cabeça em treinamento do Exército

Incidente aconteceu em Formosa (GO). Victor Campos Ferreira era praça e tinha o sonho de seguir carreira na corporação

Luiz Calcagno Publicado Em 10/05 - 15h53

Um militar do Exército de 23 anos morreu com um tiro na cabeça durante um treinamento da Brigada de Operações Especiais em Formosa (GO). O incidente aconteceu por volta de 16h30 desta quarta-feira (9/5). Victor Campos Ferreira era praça e tinha o sonho de seguir carreira dentro da corporação. Uma aeronave da Força Aérea Brasileira fará o traslado do corpo da vítima para o Pará, onde ela será enterrada.
Victor Campos fazia treinamento no 6º Grupo de Instrução de Lançadores Múltiplos de Foguetes das Forças Armadas. A reportagem do Correio apurou que o tiro foi disparado por um sargento e atingiu a parte de trás e atravessou a cabeça de Victor. Ainda não se sabe se o disparo aconteceu durante o treinamento de tiro. Ele morreu na hora. A Polícia do Exército foi acionada e fez a perícia.
O militar era primo do deputado federal João Campos (PRB). O parlamentar, que é delegado, disse que levará o caso ao presidente da república, Michel Temer. “O fato aconteceu. Partimos do pressuposto que foi acidental. Mas não posso conceber que, em pleno Século XXI, com a tecnologia que temos, as Forças Armadas façam um treinamento com munição letal. Temos todos os recursos para que essas atividades sejam feitas com o mesmo desempenho com munição não letal”, criticou.
João Campos também questionou a forma com que a família foi tratada pelo exército. Foi após uma reclamação do parlamentar que o Exército disponibilizou um avião para levar o corpo de Victor para o Pará. "A segunda coisa que me incomodou é que, em países desenvolvidos, e não estou falando de quem está em guerra, quando um militar sofre um acidente, ele e a família tem todo um apoio da força. Ele colocou a vida a favor da pátria. Tem aeronave, ambulância, tudo. Mas fui descobrir que as Forças Armadas tem um contrato com uma seguradora, e essa empresa que cuida da funerária e da questão do translado do corpo", afirmou.
Ainda de acordo com João Campos, Victor é de Redenção do Pará, no sul do estado e não há voos comerciais para a região. "É um membro do exército brasileiro, e que perdeu a vida na função. É uma questão de estado", disse. Por meio de nota, a assessoria de imprensa do Exército comentou o ocorrido. Segundo o texto, uma equipe médica prestou os primeiros socorros e transportou a vítima para o Hospital Municipal de Formosa, onde verificou-se que Victor estava morto. Além disso, a investigação ficará a cargo de uma equipe de perícia do Batalhão de Polícia do Exército de Brasília. "Um inquérito policial militar será instaurado para apurar o fato ocorrido", afirma o texto.
Por último, a assessoria da corporação informou que o Comando de Operações Especiais "está tomando todas as providências para apoiar a família do militar, através de uma equipe, composta por um psicólogo e um capelão militar".

PORTAL G-1


Após incidente com avião militar, Embraer estuda transferir testes para 2º protótipo

Aeronave KC-390 produzida na fábrica de Gavião Peixoto (SP) teve danos nos trens de pouso, além de avarias na parte estrutural da fuselagem.

Por G1 São Carlos E Araraquara Publicada Em 10/05 às 12h52 - Atualizado às 14h50

Após um incidente em Gavião Peixoto (SP) com o protótipo 001 da aeronave de transporte e reabastecimento KC-390, maior avião já construído no Brasil, a Embraer informou nesta quinta-feira (10) que estuda transferir os testes para outra aeronave.
“A empresa está avaliando o planejamento para continuidade dos ensaios de certificação, incluindo a possibilidade de transferir alguns testes para o protótipo 002 e também para as primeiras aeronaves de série que já se encontram em estágio avançado de montagem”, diz o comunicado.
Fora da pista
No último sábado (5), o protótipo 001 saiu da pista quando realizava testes de prova em solo (veja o vídeo acima). Segundo a Embraer, a tripulação deixou a aeronave em segurança e sem ferimentos. A equipe de apoio foi acionada imediatamente.
Segundo a Embraer, após uma avaliação inicial foram identificados danos extensos nos três trens de pouso da aeronave além de avarias à parte estrutural da fuselagem.
“Análises iniciais apontam que a aeronave e todos os sistemas comportaram-se normalmente conforme as características de projeto”, diz o texto.
A Embraer afirmou ainda que já iniciou a investigação para elucidação das causas do incidente e permanece à inteira disposição das autoridades aeronáuticas.
A empresa afirmou que mantém a previsão de atingir a capacidade final de operação, assim como a primeira entrega à Força Aérea Brasileira (FAB), no quarto trimestre de 2018.
Imagens mostram a distância que o avião percorreu depois de sair da pista até conseguir parar. Perto da aeronave, que estava com partes cobertas por lona, havia caminhões do Corpo de Bombeiros.
A Embraer informou que iniciou a investigação das causas do incidente. A ocorrência foi comunicada ao Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Força Aérea Brasileira (FAB). A aeronave estava com partes cobertas para preservar o local.
Segundo incidente
Em 12 de outubro do ano passado, o protótipo teve um incidente durante um voo de teste em Gavião Peixoto. O caso foi divulgado à imprensa somente no dia 8 de novembro.
Na ocasião a empresa informou que o avião "experimentou um evento além do limite planejado no teste de uma das várias configurações experimentadas", mas não informou se a tripulação esteve em risco.
De acordo com a Embraer, o incidente aconteceu durante um voo de teste de certificação para avaliar as qualidades de voo em baixa velocidade com simulação de formação de gelo.
Protótipo do KC-390
O KC-390 é um projeto da Força Aérea Brasileira (FAB) que, em 2009, contratou a Embraer para realizar o desenvolvimento da aeronave. Foram sete anos de estudo em parceira com Argentina, Portugal e República Tcheca para desenvolver o protótipo.
A campanha de testes do KC-390 está avançando de forma extremamente satisfatória, atendendo todos os requisitos da aeronave e validando os objetivos de desempenho e capacidade previstos por meio do uso de avançadas ferramentas de engenharia.
Desde o início da campanha de testes em voo, em outubro de 2015, os protótipos do KC-390 têm apresentado uma alta taxa de disponibilidade, acumulando mais de 1.200 horas de voo.
Autonomia
Com turbinas a jato, o KC-390 pode alcançar a velocidade de 850 km/h. Uma aeronave poderá decolar de Brasília e chegar sem escalas a qualquer capital brasileira com 23 toneladas de carga, sua capacidade máxima.
Nas asas, o avião poderá levar até 23,2 toneladas de combustível. Além de alimentar as próprias turbinas, também será possível fazer o reabastecimento em voo (REVO) de outros aviões ou helicópteros. É por isso que a aeronave é chamada de KC: C de Carga e o K de tanker, ou reabastecedor, em inglês. O KC-390 também terá a capacidade de ser reabastecido em voo por outras aeronaves.
O compartimento de carga tem 18,54 metros de comprimento, um pouco maior que uma quadra de vôlei. A largura é de 3,45 metros e a altura é de 2,95 metros. O espaço é suficiente para acomodar equipamentos de grandes dimensões, além de blindados, peças de artilharia, armamentos e até aeronaves semi-desmontadas.
Também poderão ser levados 80 soldados em uma configuração de transporte de tropa, 64 paraquedistas, 74 macas mais uma equipe médica ou ainda contêineres, carros blindados e outros equipamentos.

PORTAL R7


Destroços de helicóptero que caiu no mar são retirados de praia no Rio

Empresa contratada por proprietários da aeronave fizeram a remoção com a ajuda de um guincho na orla da praia da Barra da Tijuca

Bruna Oliveira, Do R7 Publicada Em 10/05 às 10h58 - Atualizada às 13h21

Os destroços do helicóptero que caiu no mar foram retirados da praia da Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro, na madrugada de quinta-feira (10). O acidente deixou o piloto morto e três passageiros feridos na manhã de ontem. 
Com a ajuda de um caminhão guincho, funcionários de uma empresa contratada pelos proprietários da aeronave removeram os destroços da orla. Ténicos do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) acompanharam o trabalho que terminou por volta das 3h.
O helicóptero foi encaminhado à base aérea do Galeão, onde será realizada uma perícia. O laudo que apontará as causas do acidente deve ficar pronto em 30 dias.
Vítimas internadas
Os três passageiros do helicóptero que sobreviveram ao acidente foram transferidos para um hospital particular na quarta-feira (9). Marcelo Freitas, de 52 anos, Helio Gomes, de 45, e Paulo Pereira Seixas, de 55, foram levados primeiro ao Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra, e, segundo boletim médico, apresentavam estado de saúde estável.
O acidente
O helicóptero caiu no mar da praia da Barra da Tijuca, altura do posto 4, por volta de 11h, na quarta. De acordo com a FAB (Força Aérea Brasileira), a aeronave de matrícula PT-HKY decolou de um heliponto no Recreio, zona oeste do Rio, com destino à cidade de Cabo Frio, na Região dos Lagos.
O piloto da aeronave foi a única vítima fatal do acidente. Ele foi identificado como Murilo Cesar de Castro Rebello. O sepultamento do corpo será no Cemitério São João Batista, em Botafogo, na sexta-feira (11).

AGÊNCIA SENADO


Manter embaixada do Brasil no Mali é vantajoso, afirma diplomata


Da Redação - Agência Senado Publicada Em 10/05 às 18h10 - Atualizado às 18h43

A Embraer acaba de finalizar a venda de 4 aviões modelo super-tucano às Forças Armadas do Mali no valor de U$ 60 milhões, negócio concretizado graças à participação ativa da embaixada brasileira naquele país africano.
A informação foi dada pelo diplomata Rafael de Mello Vidal durante sabatina na Comissão de Relações Exteriores (CRE) nesta quinta-feira (10), quando teve sua indicação para a chefia da representação brasileira em Bamako (a capital do Mali) aprovada pelo colegiado. A análise da indicação segue agora ao Plenário do Senado.
Vidal esclareceu que apenas a venda destes aviões equivale aos custos de manutenção da embaixada no Mali por período superior a 60 anos, incluindo nesta conta o pagamento de vencimentos ao corpo diplomático brasileiro e à força de trabalho local. A informação foi dada devido ao questionamento de alguns senadores quanto à viabilidade de se manter representações diplomáticas em países com os quais o Brasil ainda não possui vínculos econômicos mais expressivos, como é o caso do Mali e de outras nações africanas.
— Como é possível constatar, uma única operação comercial bem-sucedida já paga a manutenção por décadas. E é óbvio que nos próximos 60 anos muitas outras vendas e oportunidades de exportações de produtos brasileiros serão concretizadas. Existe a possibilidade concreta, já encaminhada, da venda de mais 2 super-tucanos, e até do cargueiro KC-390, uma tecnologia ainda mais sofisticada. As portas já estão abertas e são promissoras para a venda de produtos bélicos ao Mali.
Segundo o diplomata, o Mali necessita modernizar suas forças militares pois o país tem sido, desde 2012, um dos principais focos de atuação de grupos terroristas de inspiração jihadista, como o Estado Islâmico. Mas Vidal garante que sua atuação também estará voltada para a venda de outros produtos industriais e para o incremento das relações na área da agricultura, uma vez que a nação africana também é uma grande importadora de alimentos.

AGÊNCIA CÂMARA


Câmara proíbe atribuir a bens públicos nomes de pessoas que tenham cometido tortura na ditadura


Murilo Souza / Rachel Librelon

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou na terça-feira (8), em caráter conclusivo, proposta que proíbe atribuir a bens públicos o nome de pessoas, civis ou militares, que comprovadamente tenham cometido atos de tortura durante a ditadura militar (entre 1º de abril de 1964 e 15 de março de 1985). O texto aprovado segue para o Senado.
Para verificar a viabilidade do nome, conforme a proposta, deverá ser consultado o relatório da Comissão Nacional da Verdade, criada pela Lei 12.528/11.
Foi aprovado o substitutivo adotado pela Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados, de autoria do deputado Tadeu Alencar (PSB-PE).
O substitutivo prevê ainda que as denominações de ruas, obras, serviços, monumentos, prédios e espaços públicos só poderão ser alteradas pela autoridade competente com a participação da comunidade envolvida.
Relator na CCJ, o deputado Chico Alencar (Psol-RJ) apresentou parecer pela constitucionalidade, juridicidade e boa técnica legislativa do substitutivo, que reúne seis projetos de lei, e pela rejeição do projeto de lei principal (PL 1949/11) da ex-deputada Rosinha da Adefal.
Alencar concordou com o relator da Comissão de Cultura que considerou inconstitucional o Projeto de Lei 1949/11 por interferir na autonomia político-administrativa de estados, Distrito Federal e municípios, uma vez pretendia proibir a atribuição de nome de pessoa viva a bem público em todas as esferas da administração.

Íntegra da proposta:PL-1949/2011, PL-7314/2014 e PL-8304/2014.

PORTAL DEFESANET


Saab busca ampliar parcerias no setor de Defesa com o Brasil


Publicado Em 10/05 - 09h40

ImagemO ministro da Defesa, interino, Joaquim Silva e Luna, recebeu, nesta quarta-feira, o embaixador da Suécia no Brasil, Per-Arne Hjelmborn, o presidente da Saab, Hakan Buskhe, e comitiva composta por representantes da empresa sueca que é parceira do Brasil no projeto Gripen NG, que tem como objetivo reequipar a frota de caças da Força Aérea Brasileira (FAB), num processo que envolve elevado índice de transferência de tecnologia.
No encontro, que contou com as presenças do comandante da FAB, brigadeiro Nivaldo Rossato, e do chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), almirante Ademir Sobrinho, os suecos falaram sobre o excelente relacionamento entre os dois países, sobre a qualidade do projeto Gripen, e manifestaram o interesse de ampliar parcerias com o governo brasileiro, aumentando, inclusive, os investimentos suecos no Brasil.
“Gostaria de dizer que a relações entre os dois países é excelente, e que estamos muito ansiosos em ampliar o relacionamento com o Brasil”, disse. “Entendemos que o projeto Gripen é o foco central deste relacionamento, mas queremos, também, olhar para o futuro”, completou.
O ministro da Defesa declarou que o interesse em ampliar a relação com a Suécia também é grande por parte do Brasil, e explicou que uma das prioridades está relacionada ao esforço em proteger a extensa faixa de fronteira terrestre do País.
“É grande o nosso desafio e, nesse sentido, é do nosso total interesse a busca por tecnologias de ponta que possam ampliar a nossa capacidade de proteção do espaço aéreo, setor onde está inserido o nosso projeto comum”, explicou o ministro.
O brigadeiro Rossato destacou o sucesso da parceria entre Brasil e Suécia no escopo do projeto Gripen, e falou sobre o importante conhecimento de ponta que vem sendo adquirido por engenheiros brasileiros envolvidos na ação.
Do chefe do EMCFA, almirante Ademir Sobrinho, os representantes da Saab ouviram que o grande interesse do Brasil está voltado para o desenvolvimento de sistemas e equipamentos que possibilitem, cada vez mais, uma atuação conjunta entre militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, na chamada “interoperabilidade” entre as Forças.
Os representantes da Saab disseram que, até o final desta semana, terão um encontro com ministros e representantes de importantes agências suecas para tratar dos projetos que podem ser fechados com o governo brasileiro, e levaram ainda o interesse do ministro da Defesa sueco em realizar um encontro com o ministro Silva e Luna.

EMBRAER KC-390 - Comunicado - Communiqué


Publicada Em 10/05 às 14h10

Comunicado
Gavião Peixoto, 10 de maio de 2018 – A EMBRAER informa que, após uma avaliação inicial do protótipo 001 da aeronave KC-390 que se envolveu em um incidente no último dia 05 de maio, quando saiu da pista enquanto realizava testes de prova em solo na unidade de Gavião Peixoto (SP), foram identificados danos extensos nos três trens de pouso da aeronave além de avarias à parte estrutural da fuselagem.
Análises iniciais apontam que a aeronave e todos os sistemas comportaram-se normalmente conforme as características de projeto.

A Empresa está avaliando o planejamento para continuidade dos ensaios de certificação, incluindo a possibilidade de transferir alguns testes para o protótipo 002 e também para as primeiras aeronaves de série que já se encontram em estágio avançado de montagem.
Deste modo, a EMBRAER mantém a previsão de atingimento da Capacidade Final de Operação (Final Operational Capability), objeto da certificação final militar da aeronave, assim como a primeira entrega à Força Aérea Brasileira, no quarto trimestre de 2018.

A Empresa já iniciou a investigação para elucidação das causas do incidente e permanece à inteira disposição das autoridades aeronáuticas.

Sobre a EMBRAER

Empresa global com sede no Brasil, a EMBRAER atua nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança e Aviação Agrícola. A empresa projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer suporte e serviços de pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a EMBRAER já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela EMBRAER decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A EMBRAER é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.
Communiqué
Gavião Peixoto, Brazil, May 10, 2018 – Embraer informs that after an initial evaluation of the KC-390, prototype 001, which was involved in an incident on May 05, when it experienced a runway excursion while performing ground tests at Embraers Gavião Peixoto (SP) facility, extensive damage was identified on each of the three landing gear of the aircraft, as well as damage to the structure of the fuselage. Initial analyses indicate that the aircraft and all systems behaved normally, according to the design characteristics.

The Company is evaluating the planning schedule for the continuation of certification tests, including the possibility of transferring some tests to prototype 002 and to the first series aircraft, which are already in an advanced stage of assembly. Embraer maintains its forecast for the achievement of the Final Operational Capability, object of the final military certification of the aircraft, as well as the first delivery to the Brazilian Air Force, in the fourth quarter of 2018.

The Company has already initiated the investigation to find the causes of the incident and remains at the disposal of the aeronautical authorities.

About EMBRAER

EMBRAER is a global company headquartered in Brazil with businesses in commercial and executive aviation, defense & security. The company designs, develops, manufactures and markets aircraft and systems, providing customer support and services.

Since it was founded in 1969, Embraer has delivered more than 8,000 aircraft. About every 10 seconds an aircraft manufactured by Embraer takes off somewhere in the world, transporting over 145 million passengers a year.

EMBRAER is the leading manufacturer of commercial jets up to 150 seats. The company maintains industrial units, offices, service and parts distribution centers, among other activities, across the Americas, Africa, Asia and Europe.

JORNAL CORREIO DO ESTADO (MS)


Ministro da Defesa interino acompanhará treinamento de militares na Capital

Mais de 700 militares participam de treinamento da FAB nesta sexta

Glaucea Vaccari Publicada Em 10/05 às 19h11

ImagemO ministro da Defesa interino, Joaquim Silva e Luna, estará em Mato Grosso do Sul nesta sexta-feira (11) para acompanhar ações da Força Aérea Brasileira (FAB), do Exercício Operacional Tápio, que tem como objetivo treinar militares.
Conforme informações das Forças Armadas, militares serão treinados para situações que envolvam missões de busca e salvamento, apoio aéreo aproximado, lançamento de paraquedistas e cargas, reconhecimento aéreo e evacuação aeromédica.
Operação foi iniciada no dia 25 de abril e a atividade é realizada em Campo Grande, região que abriga a Ala 5 da FAB, onde estão três importantes esquadrões aéreos.
Ações envolvem mais de 700 militares e diversas aeronaves, como C-130 Hércules, o C-105 Amazonas, o C-95 Bandeirante, o E-99, os caças A-1 AMX e A-29 Super Tucano e os helicópteros H-36 Caracal, AH-2 Sabre e H-60 Black Hawk.

PORTAL JANES (Inglaterra)


Light Attack Experiment enters next phase


David Donald Publicada Em 10/05

On Monday the US Air Force began the second phase of its Light Attack Experiment (OA-X) to gather data ahead of a potential buy of aircraft that could perform close air and special operations support in permissive air defence environments.
The first phase was undertaken at Holloman AFB, New Mexico, last August. Four aircraft took part: the Textron AT-6B Wolverine, Sierra Nevada/ Embraer A-29 Super Tucano, L-3/ Air Tractor AT-802L LongSword and Textron Scorpion. The LongSword and Scorpion were eliminated following phase one. OA-X is being undertaken to examine whether light attack aircraft can operate effectively and safely in the close air support role, and also inform a potential selection decision should the US Air Force proceed with the light attack concept.
Data gained during OA-X Phase 2 would allow a rapid production decision to be reached. The second phase will again be undertaken from Holloman, and will last for three months.
During that period a range of experienced test pilots – including those from the special operations world – will fly a wide range of missions by day and night. Combat disciplines to be assessed not only include close air support, but also cover air interdiction, search and rescue support, and convoy overwatch. The maintenance and support elements of the flying operations will also be monitored and assessed.
A key feature of the OA-X programme is to explore the aircraft’s potential interoperability with assets from partner nations. According to the Air Force Posture Statement for 2018: “Retaining irregular warfare as a core competency at a lower cost, and strengthening our alliances are key elements of our National Defense Strategy.”
A common architecture and intelligence-sharing network with allied nations would likely form a part of future light attack operations if the Air Force proceeds with the purchase.
The Wolverine is an attack-optimised version of the T-6 that is the standard US military basic trainer, itself based on the Pilatus PC-9.
The Super Tucano serves with a number of nations and, following a temporary cease-work order due to a legal challenge, is now in production under a US Air Force contract that provides 20 aircraft to the Afghan air force.

REVISTA ISTO É DINHEIRO


Embraer mantém prazos de entrega do KC-390, apesar de incidente


Afp Publicado Em 10/05 - 18h05

A fabricante aeronáutica brasileira Embraer garantiu, nesta quinta-feira (10), que o incidente com um protótipo do KC-390 não atrasará a entrega do avião de transporte militar, o maior já construído no Brasil, prevista para o último trimestre de 2018.
Neste sábado, um protótipo desta aeronave saiu da pista durante testes em Gavião Peixoto, no interior de São Paulo, sem deixar vítimas, mas provocando “danos extensos nos três trens de pouso da aeronave além de avarias à parte estrutural da fuselagem”, admitiu a Embraer em nota.
A terceira maior construtora mundial de aviões anunciou a abertura de uma investigação para revelar as causas do incidente.
“Análises iniciais apontam que a aeronave e todos os sistemas comportaram-se normalmente conforme as características de projeto”, destaca a empresa.
A Embraer também disse estudar “a possibilidade de transferir alguns testes para o protótipo 002 e também para as primeiras aeronaves de série que já se encontram em estágio avançado de montagem”.
Mas a empresa não alterou suas previsões para obter as certificações necessárias e para as entregas iniciais.
Encomendado em 2009 pela Força Aérea Brasileira (FAB), o KC-290 deve medir 35,2 metros e ter capacidade de transporte que pode alcançar 23 toneladas.

Negado pedido de cancelamento de contrato da Telebras para gerir Gesac


Agência Brasil Publicada Em 10/05 às 19h12

A Justiça Federal no Distrito Federal negou o pedido do Sinditelebrasil, sindicato que representa as operadoras de telefonia no Brasil, para cancelar contrato firmado pela Telebras para que a empresa preste os serviços do Programa Governo Eletrônico – Serviço de Atendimento ao Cidadão, conhecido como Gesac, ao Ministério de Ciência, Tecnologia, Comunicação e Inovações.
Na última segunda-feira (7), o Sinditelebrasil entrou com o pedido de suspensão na Justiça alegando quebra de isonomia de mercado e concorrência pela Telebras, ao ser contratada pelo governo diretamente para gerir a exploração do satélite com o argumento de inexigibilidade de licitação.
Ao negar liminar, o juiz Marcio Luiz Coelho de Freitas, da 9ª Vara Federal do Distrito Federal, disse que, até agora,não foram oferecidos elementos que permitissem “uma conclusão segura de que houve indevida inexigibilidade da licitação”. A sentença foi proferida na quarta-feira (9).
Lançado em maio do ano passado, o satélite geoestacionário de defesa e comunicações (SGDC) custou mais de R$ 2,7 bilhões e também serve para uso da comunicação estratégica das Forças Armadas, na Banda X. Desde antes do lançamento, o governo havia manifestado intenção de privatizar parte da banda do satélite a cargo da Telebras.
Após sucessivos adiamentos, o leilão, realizado em novembro passado, terminou sem interessados em tocar a iniciativa. Com isso, o governo teve que retomar a responsabilidade da Telebras de levar banda larga para as áreas previstas no Plano Nacional de Banda Larga (PNBL).
No pedido, as teles argumentaram que tinham tecnologia para levar o serviço pela Banda Ka ou tecnologias similares e que fossem compatíveis” e que não deveriam ter sido excluídas do processo.
O juiz acatou argumentos oferecidos pelo ministério de que das três bandas disponíveis atualmente para prestação de serviços de comunicação via satélite (C, Ku e Ka), as duas primeiras não apresentam frequência disponível para a quantidade de bandas e de pontos de presença necessários ao programa.
“Além disso, todas as empresas que prestam serviços de comunicação via satélite em Banda Ka (ou que estão prestes a iniciar esses serviços nos próximos anos) não conseguem atender aos requisitos mínimos de qualidade e garantia de utilização da internet, uma vez que não possuem cobertura em todo o território nacional, gerando desigualdades de qualidade de atendimento de acordo com a região”, disse o magistrado.
De acordo com o juiz, apesar da argumentação das teles suscitar dúvidas quanto à iniciativa do governo de promover a contratação direta, sem licitação, na atual fase do processo, “não há elementos que permitam uma conclusão segura de que houve indevida inexigibilidade da licitação”.
PNBL
O Plano Nacional de Banda Larga tem o objetivo de levar internet de banda larga às escolas, postos de saúde, hospitais e postos de fronteira, especialmente na região amazônica e em outras regiões de baixa densidade demográfica.
A Telebras acabou sendo contratada pelo governo, pelo valor de R$ 663 milhões, por cinco anos. Em fevereiro, a empresa anunciou o fechamento de acordo com a empresa norte-americana Viasat para operação do programa e também da exploração comercial da Banda Ka do satélite. Na ocasião, não foram revelados detalhes dos custos envolvidos.
Em março, a Via Direta Telecomunicações por Satélite e Internet, de Manaus, entrou com uma ação que resultou na suspensão do contrato. A Viasat afirma que já estava negociando com a Telebras, tendo investido US$ 5 milhões em equipamentos, mas que foi surpreendida com a divulgação do contrato com a empresa norte-americana.
Na liminar indeferida pela Justiça Federal no DF, o sindicato das teles também queria que fosse apresentada cópia do contrato com a Viasat, além de cópia integral do processo referente ao Chamamento Público 01/2017 da Telebras. Tais pedidos foram negados.
Na terça-feira (8), a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, defendeu, em parecer encaminhado ao Supremo Tribunal Federal (STF), a suspensão do contrato com a Viasat. Para a procuradora, o acordo é “temerário”, fere a Lei das Estatais e agride a soberania do país.
“É temerário que 100% dos dados operacionalizados na Banda Ka do satélite brasileiro – incluindo as referidas demandas da administração pública – estejam sendo compartilhados com a empresa americana Viasat, principalmente levando-se em consideração que as regras de confidencialidade da informações firmadas entre as parceiras não são conhecidas. Tampouco sabe-se acerca das obrigações da organização estrangeira para com seu Estado-nação”, disse Raquel Dodge.

PORTAL BRASIL


Conheça ações de acolhimento do Governo do Brasil para os imigrantes venezuelanos

Ajuda humanitária Interiorização já levou mais 500 imigrantes que optaram às cidades de São Paulo, Manaus e Cuiabá

Publicado Em 10/05 - 17h40

Com a intensificação da entrada de venezuelanos em Roraima, que buscam melhores condições no País, o Governo do Brasil tem realizado ações de acolhimento em diversas frentes. Do reconhecimento da situação de emergência da região à interiorização dos imigrantes, o Executivo federal atua para solucionar a questão.
Em fevereiro, o presidente da República, Michel Temer, reconheceu o problema do fluxo migratório devido à emergência humanitária na Venezuela, além de ter criado o Comitê Federal de Assistência Emergencial, que foi instalado no fim do mês, composto por 13 pastas.
Abrigos
No mês seguinte, foram destinados ao Ministério da Defesa R$ 190 milhões para uso em 12 meses de operação. O valor será utilizado para construção de abrigos e unidades de apoio, manutenção de abrigos, alimentação e transporte dos imigrantes que optarem pela interiorização, processo de transferência para outras cidades do País. No momento, 401 militares da Marinha, Exército e Aeronáutica trabalham pelos imigrantes: 273, em Boa Vista; e 128, em Pacaraima.
Em Roraima, foram implantados nove abrigos para oferecer condições humanas de moradia, alimentação e saúde aos venezuelanos em situação de vulnerabilidade, além de documentação. De acordo com a Casa Civil, há cerca de 3,8 mil pessoas nos locais, construídos em Boa Vista e Pacaraima. A Força Aérea é responsável pelas refeições em abrigos de Boa Vista, distribuindo cerca de 4,5 mil por dia.
Novos endereços
A interiorização foi iniciada em 5 de abril, com o transporte de 267 venezuelanos de Boa Vista para São Paulo e Cuiabá. Nas cidades, os imigrantes recebem documentação e vacinação, são acolhidos em abrigos e auxiliados para se integrar no mercado de trabalho, enquanto as crianças são matriculadas no ensino público. No último sábado (5), a Força Aérea levou mais 233 venezuelanos para Manaus e São Paulo.
Para garantir a atenção às fronteiras e ao acompanhamento da saúde dos cidadãos venezuelanos, foram ainda instituídos, na última quinta-feira (3), os subcomitês de recepção, identificação e triagem e de ações para a saúde.
Fonte: Governo do Brasil, com informações da Casa Civil, do Ministério da Defesa e da Força Aérea

PORTAL GLOBO.COM


"Conversa com Bial" promove reflexão sobre os 130 anos da abolição da escravatura

O rapper Emicida e os professores Hélio Santos e Sônia Guimarães apontaram as marcas deixadas na sociedade brasileira

Publicado Em 11/05 - 01h57

O Conversa com Bial desta quinta-feira, 10/5, promoveu uma reflexão sobre os 130 anos de abolição da escravatura, que serão completados no dia 13/5, e suas marcas na sociedade brasileira. A primeira professora negra do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) e primeira mulher negra PHD em Física, Sonia Guimarães; o presidente do Instituto Brasileiro de Diversidade e precursor do debate sobre cotas no Brasil, professor Helio Santos, e o rapper e compositor Emicida debateram sobre a questão.
“O que se chamou de liberdade era sinônimo de desamparo. Milhões de negros despejados na rua no dia 14 de maio, sem projeto de inclusão, sem projeto de nação. O mais longo dos dias, 14 de maio de 1888, até hoje não acabou. Cento e trinta anos depois, há que se fazer ainda, todos os dias, a nova abolição”, ressaltou Pedro Bial no início do programa.
Falsa heroína
“Na escola, era uma sensação desagradável (quando se falava sobre a abolição), já que o protagonismo da nossa história não era nosso, era comum sermos alvo de piadas e insultos”, afirmou Emicida.
Lei Áurea
“A princesa recebe todos os louros, mas ela estava ali muito por acaso, não era envolvida com a militância; descobri que ela tinha verdadeiro afastamento da questão política", disse Emicida.
"É curioso como uma pessoa que estava ali por acaso se torna ícone de um momento tão importante e transforme em seres invisíveis todos esses personagens gigantes que lutaram por tantos anos pela libertação dos negros”, concluiu o cantor.
Desigualdade histórica
"A desigualdade no Brasil tem procedência histórica, tem cor e tem também sexo. Então, a desigualdade é o principal obstáculo para que o país avance”, aponta Helio.
Relato da primeira professora negra do ITA
Sonia falou sobre sua experiência como professora da instituição de ensino superior pública da Força Aérea Brasileira, vinculada ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial:
“Neste ano, eram mais de 12 mil candidatos, entraram 112 alunos, sendo sete meninas".
"Eles estão acostumados a ver esse tipo de gente (como eu) limpando a casa, cuidando deles".
"Aí, veem que sou eu que vou dar aula, que vou corrigi-los, que vou dizer: ‘não, você está errado’".
"A minha autoridade tem que ser dita a cada dia, a cada minuto, a cada correção, a cada nota baixa”.

OUTRAS MÍDIAS


GQ Brasil - Uber e Embraer revelam conceitos de drone tripulado


Redação Gq Publicada Em 10/05 às 12h41

Para quem tem mais de 30 anos e nunca imaginou que estaria vivo para ver carros voadores tal qual previa o desenho de Os Jetsons, a Uber e a Embraer anunciaram que tal cena pode estar mais próximo do que se pensava. Mais precisamente em 2020.
Essa é a data prevista pelas duas empresas para a realização da primeira demonstração de voo do drone tripulado projetado por elas. Nessa semana, a Embraer e a Uber revelaram as primeiras informações do projeto conhecido como eVTOL, sigla em inglês para veículo elétrico de decolagem e pouso vertical. O lançamento foi feito durante um evento do Uber sobre mobilidade em Los Angeles, nos Estados Unidos.
O projeto do eVTOL é para transportar até quatro passageiros em ambientes urbanos. As duas empresas prevêem que o primeiro voo teste será realizado até 2020. Entre os principais desafios para tornar o drone tripulado em realidade estão o tamanho e peso das baterias e também a questão regulatória, uma área ainda pouco debatida no mundo.
Além do eVTOL, o Uber apresentou iniciativas nessa área em parceria com empresas como a Boeing, Bell e Aurora Flight Sciences.

DIÁLOGO - U.S. Certifies Brazilian Air Force Institute

The U.S. National Airworthiness Council recognized the Brazilian Militarys Airworthiness Authority.

Taciana Moury Publicada Em 10/05

In February 2018, the Brazilian Air Forces (FAB, in Portuguese) Institute for Industrial Development and Coordination (IFI, in Portuguese) received a significant distinction for its technical capacity: the Military Airworthiness Authority Certificate from the National Airworthiness Council (NAC), a U.S. government organization that comprises U.S. military technical authorities. NAC certifies IFIs continued performance on airworthiness, inspection, certification, and production activities on military aircraft under its jurisdiction.
For FAB Colonel José Renato de Araújo Costa, IFIs director, the certification is a testament to Brazils level of competency in all life cycle phases of aerospace and defense products. "In practical terms, it facilitates the exchange of information related to all mutually operated products, which help ensure performance, safety, and availability of our aircraft," Col. Araújo said.
The officer told Diálogo that NACs recognition reaffirms the institutes prestige as a certified authority, facilitating the negotiation of international reciprocity agreements with other similar institutions and organizations around the world and the emergence of contracts or cooperation agreements between the Brazilian defense industry and foreign armed forces or defense industries. "The advantages of the certification not only extend to the Air Force, Army, and Navy commands but also to [Brazil’s] aerospace and defense industry, as NAC can acknowledge more quickly certificates the institute issues. The local industry benefits from the possible U.S. acquisition and operation of national products," explained Col. Araújo.
Evaluation criteria
NAC examined the following criteria in its assessment: material and available human resource conditions, document collection and management framework, inspection methodologies for maintenance organizations, and production line supervision. The evaluation criteria also included IFIs work during fleet certification for the Brazilian Army (EB, in Portuguese) and Brazilian Navy (MB, in Portuguese), based on work done on EC725 (known as H-36 Caracal in Brazil) helicopters of the armed forces’ three branches.
The certification process began in 2015 and included analysis of technical-administrative documentation and technical visits in both countries. The first meeting took place in the United States in 2016, when a preliminary IFI team held meetings with NAC members to initiate the process for mutual recognition.
In 2017, NAC visited IFI facilities. "During this meeting, a highly qualified technical group verified that IFI, complemented by continued airworthiness activities, under the auspices of FABs Aeronautical and Warfare Material Directorate, has the processes, procedures, levels of expertise, and necessary capacity and authority to be recognized as a Military Airworthiness Authority," Col. Araújo said.
In July 2018, an IFI technical group will go to the United States to better understand the nature of NACs work. The visit aims to audit U.S. military airworthiness technical authorities to establish mutual recognition between the Brazilian and U.S. authorities on aeronautical certifications. During the visit, the same criteria the American institute used will be adopted in Brazil. "The main focus will be on activities managed by technical authorities: the U.S. Army Aviation Engineering Directorate, the U.S. Navy Naval Air Systems Command, and the U.S. Air Force Technical Airworthiness Authority," Col. Araújo said.
A superior path
For Col. Araújo, the institutes course since its inception in 1971 resulted in the certification. The director highlighted IFIs important contribution to the development of Brazils national defense industry, referring to the civil certification of Embraers Bandeirante aircraft and other factors that fostered the companys growth, including the pursuit of safety for national military aircraft.
"The IFI falls under the Aerospace Science and Technology Department and is located in São José dos Campos, in the interior of São Paulo state," stated the Brazilian Air Force Public Affairs Office. In Brazil, aircraft certification for military use falls on the institute. The National Civil Aviation Agency (ANAC, in Portuguese) certifies civilian aircraft. The certification process for military aircraft follows the same guidelines top certified organizations around the world adopted. The agency employs 280 people, including civilian and military. IFI certifies all aircraft FAB, EB, and MB use, like the H-36 Caracal (EC725) helicopter, Gripen NG fighter jet, and the KC-390 freighter, a new plane Embraer developed in Brazil.
KC-390: the final phase of certification
According to Col. Araújo, the certification process for the KC-390 follows the current worldwide philosophy regarding military aviation: as civil as possible, as militaristic as necessary. "Considering that military aircraft operate above densely populated areas, in aerodromes, and share the skies with civilian aircraft most of the time, its pertinent for these aircraft to incorporate all design, safety, and operation guidelines in force in civil aviation," he said.
According to the officer, civil certification for the aircraft advances along with ANACs issuance of a provisional certificate. In 2018, military teams began to assess whether requirements are met through laboratory and on the ground testing and analyses. "Once completed, the applicant is allowed to present evidence of compliance with military requirements to obtain the IFI Military Certificate," he said.
The most challenging aspect of the KC-390s certification, Col. Araújo said, due to the multidisciplinary and innovative nature of the project, was to put together a team of highly trained and qualified individuals. "It was necessary to structure a certification process aligned with the best practices existing in the world, such as using the accredited project organization concept in coordination with the applicant and maximum use of civil certification concepts," he said.
The General Accreditation Coordinating Body of the National Meteorology Institute, Quality and Technology of Brazil—signatory of the Multilateral Recognition Agreement for the International Accreditation Forum—also recognizes IFI’s work. The institute maintains many agreements, partnerships, and memorandums of understanding with several countries, including Sweden, Canada, France, and Spain.

PORTAL COSTA NORTE - Suman e Squassoni apresentaram planos de aeroporto em Guarujá à Aeronáutica

O prefeito e o deputado federal estimam que, após as autorizações, durem 90 dias as obras para transformar galpão em área de check-in e reformar píer para ligação com o terminal de passageiros do Porto de Santos

Redação Publicado Em 10/05 - 14h40

ImagemNa quarta-feira, 9, o deputado federal Marcelo Squassoni (PRB) e o prefeito de Guarujá, Valter Suman (PSB), apresentaram ao chefe de gabinete do Comando da Aeronáutica (GABAER), major-brigadeiro do ar Marcelo Kanitz Damasceno, em Brasília, os planos preliminares para as intervenções necessárias à instalação do Aeroporto Civil Metropolitano da Baixada Santista na Base Aérea de Santos, em Guarujá.

A aprovação do uso compartilhado de áreas civil e militar na Base Aérea já foi anunciada no início de janeiro de 2018. A partir da aprovação das obras propostas pela prefeitura de Guarujá será possível relançar o edital de concorrência para o Aeroporto, informa Suman. A primeira licitação fracassou em 2017, com o único consórcio inscrito no certame desclassificado por falta de apresentação de documentos.
As intervenções sugeridas pela prefeitura têm o objetivo de reformar um galpão para instalar o saguão para check-in dos passageiros e realizar as adaptações necessárias em um píer onde atracarão embarcações que farão o transporte de passageiros, pelo canal do Porto de Santos, entre o futuro aeroporto e o Terminal Marítimo de Passageiros do Concais, que atende ao público dos cruzeiros turísticos, já em território santista, conta Suman.
O prefeito estima que, a partir das autorizações necessárias, as obras devem durar 90 dias: “O brigadeiro ouviu com simpatia nossas ideias, porque são propostas simples, exequíveis, rápidas e econômicas”. Na próxima semana, Squassoni e Suman discutirão o desenho do projeto com o Secretário Nacional de Aviação Civil do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Dario Rais Lopes. A ideia é, a seguir, apresentar o projeto definitivo ao comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do ar Nivaldo Luiz Rossato.
“O Aeroporto de Guarujá será um equipamento decisivo para aquecer não só a economia da cidade, mas de toda a Baixada Santista e do estado de São Paulo”, destaca Squassoni. “Essa reunião preparatória foi um passo decisivo para tirar o aeroporto do papel e realizar o sonhado primeiro voo ainda nesse ano. Vamos continuar dando total prioridade ao assunto e abrindo todas as portas necessárias em Brasília para encurtar esse prazo o máximo possível”.

REUTERS - Detalhes sobre divisão de áreas da Embraer com Boeing prolongam negociações, dizem fontes


Tatiana Bautzer E Brad Haynes Publicada Em 10/05 às 17:22

SÃO PAULO (Reuters) - O difícil trabalho de dividir três segmentos de negócios da Embraer está atrasando um acordo para combinar operações da fabricante brasileira de aviões com a norte-americana Boeing, disseram três pessoas com conhecimento do assunto.
A decisão de separar a unidade de jatos comerciais da Embraer, vender seu controle e dividir o portfólio de jatos executivos, ajudou a ganhar apoio do governo brasileiro para uma operação entre as duas empresas, mas criou outras dores de cabeça, segundo as fontes.
Os negociadores estão agora analisando detalhes dos contratos de serviço de longo prazo entre as empresas e como distribuir os milhares de engenheiros da Embraer, muitos dos quais migraram entre projetos militares e civis durante a carreira.
Representantes da Boeing e da Embraer não responderam imediatamente a pedido de comentários sobre o assunto.
As empresas anunciaram no mês passado que estavam em negociações para criar uma nova companhia focada em aviação comercial, o que excluiria a divisão de produtos militares da Embraer e “potencialmente” sua unidade de jatos executivos. Isso ajudou a superar as preocupações do governo sobre o controle soberano dos programas militares da Embraer. O governo tem poder de veto sobre decisões estratégicas da empresa.
“Estou bastante otimista”, disse nesta semana o ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna, responsável pela força-tarefa que supervisiona as negociações, quando questionado sobre a negociação. “Está em estágios avançados e deve ser resolvido este ano.”
A proposta original da Boeing, uma aquisição direta da Embraer, poderia já estar concluída e tem se mostrado mais desafiador fazer uma oferta que exclua a área de defesa da fabricante brasileira de um eventual acordo, disseram fontes.
Os jatos de 70 a 130 assentos da Embraer, que competem com o programa C-Series projetado pela canadense Bombardier, respondem por cerca de 60 por cento da receita da Embraer e por quase todo o lucro operacional da fabricante brasileira.
A divisão de defesa da Embraer mal obteve lucro nos últimos anos, uma vez que o governo brasileiro cortou gastos militares em um esforço para fechar déficit orçamentário.
A Embraer também vem perdendo dinheiro com uma nova linha de jatos executivos, já que esse mercado continua estagnado.
As empresas ainda não chegaram a uma decisão final sobre a inclusão da unidade junto com a divisão de jatos comerciais em uma nova empresa, na qual a Boeing teria cerca de 80 por cento de participação, segundo duas fontes.

PORTAL DIÁRIO DA AMAZÔNIA - Semosp faz limpeza onde será o Centro de Comunicação Aérea

A execução é da equipe da Secretaria Municipal de Obras (Semosp) de Vilhena

Por Redação Diário Da Amazônia Publicado Em 10/05 - 18h26

Começou o serviço de limpeza na área onde será instalado o comando da Aeronáutica em virtude do Centro de Comunicação Aérea de Vilhena. A execução é da equipe da Secretaria Municipal de Obras (Semosp).
De acordo com o Executivo Municipal, o inicio da montagem está previsto para hoje (11) e deve seguir até o dia 31. Em meio as montagem estará acontecendo uma operação aérea militar com a participação de aeronave modelo A-29 da ALA 6 da Capital.
Segundo informações do comandante da Aeronáutica, a central será usada para manter o esquadrão em condições de operar e em nível orgânico e controle de aproximação de precisão transportável. “Além disso, vamos realizar treinamento de controladores de trafego aéreo em localidade diferente da usual. O controle será usado até o pouso da aeronave militar”, disse major Campos.
Major Campos lembrou que o controlador obterá recursos e informações propiciados pelo radar que fará transmissão das instruções por meio de voz via rádio WHF.
TRANSPORTE
Todos os meios técnicos serão transportados por via terrestre por viaturas próprias do esquadrão Zagal, com apoio de grupos das forças armadas brasileira.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented