|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 24/03/2018 / Estação espacial chinesa deve cair na Terra durante a Páscoa



Estação espacial chinesa deve cair na Terra durante a Páscoa ...  


Reentrada na atmosfera ocorrerá entre 30 de março e 3 de abril ...  


Cesar Baima ...  


A estação espacial chinesa Tiangong-1 deve reentrar na atmosfera terrestre nesta Páscoa, entre os dias 30 de março e 3 de abril. Esta é a mais recente estimativa do Escritório de Detritos Espaciais da Agência Espacial Europeia (ESA), que acompanha a lenta queda da estação, com a qual os cientistas chineses perderam o contato de rádio, e o controle, em março de 2016.

A expectativa é de que a Tiangong-1 seja quase totalmente destruída na reentrada mas, devido às dimensões da estação — composta por um módulo com cerca de 10,4 metros de comprimento, 3,4 metros de largura e massa total original, incluindo combustível já gasto, de 8,5 toneladas —, é possível que fragmentos (em especial de peças maiores e mais resistentes, como os bocais de seus foguetes) “sobrevivam” ao processo e cheguem à superfície de nosso planeta. As chances de que eles atinjam uma região povoada e, consequentemente, uma pessoa, no entanto, são ínfimas.

Primeiro porque, como cerca de 70% da superfície da Terra é coberta pelos oceanos, é mais provável que a reentrada aconteça sobre a água. Além disso, devido à configuração da órbita da estação em torno do planeta, ela se dará necessariamente entre aproximadamente os 43 graus de latitude Norte e 43 graus de latitude Sul. Assim, embora a região abranja todo o Brasil, a África, o Sul da Ásia e a Austrália, ela deixa de fora algumas das principais massas de terra e áreas mais populosas do planeta, como parte da América do Norte e o centro-Norte da Europa e da Ásia, incluindo a própria China.

Segundo informações da ESA, as últimas observações da Tiangong-1 sobre as quais as previsões foram feitas colocam a estação chinesa a uma altitude de cerca de 250 quilômetros. Ainda de acordo com os cientistas da agência europeia, a situação é “altamente variável” e em nenhum momento será possível precisar quando e onde ela vai reentrar na atmosfera.

Em outra avaliação recente, a pedido da própria ESA, o Instituto Fraunhofer para Física de Alta Frequência e Técnicas de Radar (Fraunhofer FHR), na Alemanha, usou sua antena de 34 metros de diâmetro na cidade de Wachtberg, perto de Bonn, para fazer imagens e medir a rotação da Tiangong-1, o que também pode influenciar o processo de reentrada. As imagens mostram a estação chinesa com sua estrutura geral, inclusive os frágeis painéis solares, ainda intacta a uma altitude calculada em 270 quilômetros e velocidade de cerca de 29 mil km/h.

"Palácio Celestial" serviu de teste
A Tiangong-1 (“palácio celestial” em chinês) foi lançada em setembro de 2011 como ensaio inicial para uma estação espacial de maior porte e ocupação permanente que a China — fora do consórcio de nações que construiu a Estação Espacial Internacional (ISS) — planeja colocar na baixa órbita da Terra na próxima década. Ao longo dos primeiros dois anos de operações oficiais, ela foi visitada três vezes.

A primeira visita foi em novembro de 2011, pela cápsula não tripulada Shenzhou-8 (“barco mágico”, também em chinês), em um teste de seu sistema de acoplamento. Já em junho de 2012 a Tiangong-1 recebeu seus primeiros tripulantes, os “taikonautas” Jing Haipeng, Liu Wang e Liu Yang, primeira chinesa no espaço, a bordo da cápsula Shenzhou-9. Um ano depois, em junho de 2013, os últimos a passarem por lá foram os taikonautas Nie Haisheng, Zhang Xiaoguang e Wang Yaping, segunda chinesa no espaço, na Shenzhou-10.

Depois disso, a ideia original dos cientistas chineses era destruir a Tiangong-1 em uma reentrada controlada na atmosfera. Sua permanência no espaço, porém, acabou sendo estendida para que pudessem analisar a resistência e durabilidade dos materiais e componentes usados na fabricação do módulo, já de olho na construção da futura estação de maior porte. O experimento foi interrompido com a perda de contato de 2016, que também impediu que os cientistas chineses continuassem a acionar os foguetes da Tiangong-1 para que pudesse manter sua órbita operacional, em que alcançava uma altitude máxima (apogeu) de 362 quilômetros, e ela começou a decair.



#aviação:Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




JORNAL O GLOBO


Estação espacial chinesa deve cair na Terra durante a Páscoa

Reentrada na atmosfera ocorrerá entre 30 de março e 3 de abril

Cesar Baima Publicado Em 24/03/2018 - 08:33

A estação espacial chinesa Tiangong-1 deve reentrar na atmosfera terrestre nesta Páscoa, entre os dias 30 de março e 3 de abril. Esta é a mais recente estimativa do Escritório de Detritos Espaciais da Agência Espacial Europeia (ESA), que acompanha a lenta queda da estação, com a qual os cientistas chineses perderam o contato de rádio, e o controle, em março de 2016.


(leia acima ...)


Boeing quer vender jato de defesa da Embraer

Com discussões avançadas para acordo, americana propõe comercializar o KC-390, desenvolvido no Brasil

Roberta Scrivano Publicado Em 24/03/2018 - 04:30

SÃO PAULO - A Embraer e a Boeing estão em um estágio avançado nas discussões sobre o modelo de combinação de seus negócios de aviação comercial, com o objetivo de apresentar ao governo federal uma proposta que exclua a área de defesa da nova empresa a ser criada. A preocupação, contudo, segundo uma fonte próxima das negociações, é preservar a possibilidade de a Boeing usar a sua força de venda para comercializar o KC-390, o jato de carga e transporte militar desenvolvido pela área de defesa da Embraer, que permaneceria sob o controle exclusivo da companhia brasileira.
O argumento da Embraer para convencer o governo a aprovar o negócio tem sido o de haver uma certa dúvida sobre a sustentabilidade da empresa, que, na prática, seria reduzida à atual divisão de defesa, sem uma parceria comercial com a Boeing, que aliás colabora com o projeto do KC-390. De acordo com o balanço de 2017 da empresa, da receita total, de R$ 18,7 bilhões, 50,7% vieram da aviação comercial, 33,2%, da executiva e apenas 15,8% da área da defesa.
— O KC-390 é um bom avião. Em defesa, no entanto, ter um bom modelo não é fator determinante para o sucesso do negócio, mas sim um posicionamento geopolítico estratégico e forte diante do mundo, coisa que o Brasil não tem — explicou um executivo com conhecimento na área, que pediu para não ser identificado.
Fôlego para lançar nova família de aeronaves
O modelo de negócio que os executivos da Embraer e da Boeing estão elaborando terá como foco principal a proposta de criação de uma nova empresa de aviação comercial, da qual a Boeing deteria o controle de 80% das ações, com os 20% restantes ficando com a brasileira. Paulo Cesar de Souza e Silva, diretor-presidente da Embraer, disse, no fim de fevereiro, que, se não houvesse necessidade do aval do governo, “o negócio já teria saído”.
No âmbito da aviação comercial, a união com a Boeing é estratégica, segundo fontes, porque a Embraer não teria fôlego para desenvolver uma nova família de aviões para lançar ao mercado daqui a cinco ou dez anos, dando início ao que internamente chama-se de “terceira onda” da empresa. Dentro da Embraer, considera-se que a história da companhia até aqui dividiu-se em duas ondas. A primeira vai desde sua fundação até a privatização, em 1994, e a segunda, começa no pós privatização, com o sucesso do Tucano, e terminaria agora, quando começam as entregas dos modelos da nova família de jatos (os E2), com os maiores modelos já produzidos no Brasil, com até 150 lugares.
Abrindo os resultados da Embraer de acordo com a área de negócios, é possível entender melhor o que as fontes envolvidas nas negociações do modelo de venda dizem. Enquanto o segmento de jatos regionais, que representa 50,7% das receitas da empresa, tem proporcionado margens e retornos elevados à Embraer, respondendo por 85% do lucro operacional da fabricante de aeronaves desde 2013, os resultados do segmento de defesa vão do positivo para o negativo de um ano para outro.
— É um sonho de uma noite de verão pensar que os orçamentos militares do Brasil poderão manter uma Embraer Defesa viva — avalia o engenheiro Adalberto Febeliano, especialista em economia do transporte aéreo.
Febeliano calcula que, se não houver uma amarração no modelo de negócios para que a Boeing venda o KC-390, “certamente a Embraer Defesa será desidratada e morrerá em, no máximo, dez anos”. Ele diz ainda que a gigante americana poderá viabilizar a entrada do KC-390 na Força Aérea dos Estados Unidos, além do Exército e da Marinha daquele país, e ainda auxiliar a brasileira na obtenção de uma série de certificações exigidas pelas forças armadas dos EUA, Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), ou mesmo do Japão, aliado dos americanos.
— Sem a associação com a Boeing, a Embraer poderá vender uma centena dos jatos KC. Com o negócio, venderá milhares — diz Febeliano.
Potencial para dobrar encomendas
A Embraer é líder mundial no segmento de aviação regional, com mais de 50% do mercado global para modelos de até 130 lugares. Neste segmento, porém, há dúvida se é promissor fazer aeronaves ainda maiores que os jatos E2 para concorrer. Outro ponto que está no radar da empresa brasileira, e que também tem sido usado como argumento para impulsionar as negociações com o governo, é o fortalecimento dos seus concorrentes diretos.
A Bombardier, por exemplo, fechou, no ano passado, um acordo de parceria com a gigante europeia Airbus para a produção de sua nova linha de jatos regionais, os C-Series. No início deste ano, ainda, foi beneficiada com a suspensão da sobretaxa que havia sido imposta pelo governo americano.
Paralelamente, a japonesa Mitsubishi está investindo pesado no segmento para apresentar em breve uma linha de aviões de até 130 lugares, além da russa United Aircraft e da chinesa Comac, que estão na reta final de desenvolvimento de seus modelos.
Num exemplo do efeito da força de vendas que a Boeing daria aos modelos da Embraer, o Bradesco BBI estima que a americana poderia acrescentar 462 aviões à atual carteira de pedidos da Embraer — número equivalente à frota de jatos regionais operados pelos 26 clientes da Boeing. A carteira de pedidos firmes para esses jatos na Embraer hoje é de 435 aeronaves.

JORNAL CORREIO BRAZILIENSE


Militares acusados de tráfico


Publlicado Em 24/03/2018

Policiais civis prenderam 25 pessoas, incluindo dois militares da ativa e dois da reserva do Exército, além de um militar da reserva da Aeronáutica, na manhã dessa sexta-feira, durante a operação Shooter (atirador, em inglês), que desarticulou um esquema de tráfico de armas no Distrito Federal.
O grupo era investigado por associação criminosa dedicada ao comércio ilegal de armas de fogo e munições. Com os presos, a polícia encontrou várias armas, entre elas, três pistolas, sendo duas 9mm de uso restrito, e outra .380, um rifle .44, um revolver .38, além de munição diversa. Responsável pela investigação, o delegado Fernando César, coordenador de Repressão à Corrupção, ao Crime Organizado, contra a Administração Pública e a Ordem Tributária (Cecor), afirmou que muitas dessas armas foram usadas em roubos e homicídios no DF e no Entorno. “São armas de alto poder destrutivo”, reforçou o delegado.
Agentes monitoraram o grupo por 40 dias. Nesse período, os suspeitos compraram e venderam ao menos 40 pistolas, revólveres e espingardas. O líder do bando, segundo a Polícia Civil, é Mauro de Souza Ferreira, inativo do Exército. “O Mauro era o contato entre os colecionadores e as pessoas voltadas ao crime. Ele fazia a ponte entre aqueles que executavam a compra e a revenda”, explicou o delegado Adriano Valente, diretor da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (Draco).
Os policiais o prenderam no Novo Gama, Entorno do DF, com uma pistola .380. Ainda de acordo com os investigadores, ele tem uma loja de móveis na Feira da Torre de TV, que usava para esconder e negociar armas. Policiais querem saber, agora, o lucro da quadrilha com venda e compra de armas.
Células criminosas
Investigadores da Draco identificaram a formação de três células: uma delas era composta só por militares. A segunda reunia colecionadores de armas, inclusive com a participação de dois integrantes das Forças Armadas. A terceira era formada por criminosos presos pelas polícias do DF e de Goiás. Inclusive um deles tinha mandado de prisão em aberto por extorsão mediante sequestro.
Dois militares integravam o núcleo de colecionadores. No entanto, o delegado Fernando César afirmou que não houve armas desviadas das Forças Armadas. “São militares de baixas patentes. Não havia relação direta entre as atividades profissionais e criminosas deles. Não se tratava de um delito profissional”, comentou o coordenador da Cecor.
Outro homem preso na operação é um assessor parlamentar do deputado federal José Otávio Germano (PP-RS). Robson vendeu uma arma sem registro para um dos integrantes do grupo, segundo a polícia. Ele também mantinha outra em casa, mas com a posse legalizada.
Assessor
O advogado de Robson, no entanto, negou que o cliente esteja envolvido com a quadrilha. “Ele foi preso porque um dos envolvidos disse que comprou a arma de Robson. Mas o meu cliente prestou depoimento e esclareceu todas as dúvidas. Confiamos no trabalho da polícia”, afirmou o advogado Amaury Santos de Andrade.
O deputado José Otávio Germano ressaltou que “tem total confiança no assessor parlamentar Robson Pereira” e “acredita que tudo será esclarecido”. Disse, por fim, que vai aguardar a conclusão das investigações. Robson foi nomeado para exercer o cargo no gabinete do parlamentar em 26 de junho de 2015, segundo consta no Diário Oficial da União.
Presos em quartéis
Os militares vão ficar presos em instalações das Forças Armadas. O Exército informou que acompanha o caso com a Polícia Civil e destacou que o Comando Militar do Planalto aguarda outras informações sobre as investigações para “adotar os procedimentos legais e disciplinares cabíveis”.
A Aeronáutica ressaltou que um cabo reformado foi preso e está em uma das suas unidades, em Brasília, mas não revelou qual. Garantiu que colabora com os policiais responsáveis pela investigação.

PORTAL G-1


Aeroclube de GO dá curso de mecânico de aeronaves a menino que criou "laranjocóptero" no Acre

"Ele já é um vencedor", diz presidente de aeroclube que doou bolsa a Daniel Lima. Pai diz que vai dar apoio para filho seguir o sonho.

Quésia Melo, G1 Ac, Rio Branco Publicado Em 23/03/2018 - 10:31

O sonho de Daniel de Holanda Lima, de 10 anos, está cada vez mais próximo de se tornar realidade. O acreano, que criou o “laranjocóptero” e sonha em fazer o curso de mecânico de aeronaves, ganhou uma bolsa de estudos integral do Aeroclube de Goiás. A informação foi confirmada ao G1 pelo presidente da escola de aviação, Arsênio Costa, nesta quinta-feira (22).
A criatividade de Daniel, que vive em Mâncio Lima, no interior do Acre, ficou conhecida após ele criar um helicóptero usando laranja, uma pilha, fios, um motor velho de DVD e uma hélice de plástico. Ele batizou a engenhoca de "laranjocóptero" e fez sucesso na cidade.
“Reafirmo a minha posição e ofereço mais uma vez a bolsa. O aeroclube já fez isso no passado e hoje o rapaz, de 16 anos na época, é comandante de boeing. Isso é o máximo. Ele tem um sonho na vida e foca nisso e afirma que vai alcançar isso sim. Se ele tiver foco nos estudos ele vai longe, tenho certeza. Se ele fizer isso já é um vencedor”, afirma Costa.
Curso após o ensino médio
Para fazer o curso de mecânico de aeronaves, o menino precisa concluir o ensino médio. Por isso, o presidente do aeroclube afirma que é importante ele focar nos estudos. A proposta da bolsa gratuita vai continuar valendo até que Daniel se forme no 2º grau.
“Mas, antes disso vamos falar com a família para ele visitar o aeroclube nas férias e quem sabe até passar uma semana por aqui. Essa profissão é sensacional, pois ele pode trabalhar no mercado daqui e até na China se ele quiser. Queremos que ele conheça as aeronaves e o hangar para ficar ainda mais entusiasmado e empolgado e não desistir”, finaliza.
O pai do menino, Claudemir da Silva Lima, de 41 anos, relata que além do Aeroclube de Goiás, a Força Aérea Brasileia (FAB) e uma equipe do astronauta brasileiro Marcos Pontes também entraram em contato. Ele falou que ainda estava lendo todas as mensagens que recebeu para poder dar mais detalhes.
“Se ele quiser ir estudar fora eu vou dar todo o apoio que ele. Esse é o sonho dele e vou apoiar. Ainda não tenho muito detalhes sobre como seria essa bolsa, mas sei que vai ser muito bom para ele”, destaca o técnico de eletrônica.

Voando pela primeira vez
O menino realizou o sonho de andar de avião na quinta-feira (22). Feliz com o presente, ele agradeceu pediu para que o piloto saísse de Cruzeiro do Sul e sobrevoasse sua cidade natal, Mâncio Lima. Daniel relatou que os 30 minutos que passou com o pai dentro do avião foram os melhores de toda sua vida. O sonho foi realizado por um empresa de táxi aéreo do estado.
Lima diz ainda que em nenhum momento pensou que a história do filho tomasse uma proporção tão grande. Segundo ele, Daniel não pára de sorrir e está ainda mais focado em ser mecânico de aeronaves.
“O sorriso dele é de orelha a orelha. A gente nunca pensou em dar tantas entrevistas na vida, ficamos até meio envergonhados. Estou feliz que conheceram a história do meu filho e mais feliz ainda que o sonho dele pode se tornar realidade como ele sempre quis”, comemora o pai.

Municípios da região aderem ao programa "Internet para Todos" e ministro formaliza desligamento do sinal analógico

Evento foi realizado em Presidente Prudente e contou com a presença de autoridades municipais e do titular do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab.

Por G1 Presidente Prudente Publicado Em 23/03/2018 - 14:26

Municípios da região de Presidente Prudente aderiram na manhã desta sexta-feira (23) ao programa do governo federal “Internet Para Todos”, que possibilita, através de antenas, a distribuição de sinal de internet para localidades sem conectividade. No encontro, realizado em Presidente Prudente, também foi anunciada a primeira fase do desligamento do sinal analógico na região, que ocorre na próxima quarta-feira (28).
Segundo o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), prefeitos, vereadores e demais autoridades municipais participaram do encontro, e as cidades de Mariápolis, Pacaembu, Dracena e Presidente Bernardes formalizaram a adesão ao programa.
Conforme o ministro Gilberto Kassab, mais de 90% dos municípios da região de Presidente Prudente já aderiram ao programa. “Vamos levar internet para todas escolas, todos equipamentos de saúde e todos os bairros, localidades que não têm, mediante a colocação de antenas que trazem conectividade para o local, mediante vinculação com o satélite, o primeiro de propriedade do governo brasileiro. Em um raio de um quilômetro e meio desta antena vai se ter internet”, disse Kassab ao G1.
A conexão à banda larga oferecida pelo “Internet para Todos” será feita por meio do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), de propriedade do governo brasileiro e que recebeu R$ 3 bilhões em investimentos. Com vida útil de 18 anos, o satélite tem capacidade para expandir a oferta de internet pelo país.

Grupo que inclui militares traficou pelo menos 40 armas em 40 dias, diz Polícia Civil do DF

Operação Shooter prendeu 25 nesta sexta; pelo menos quatro serviram às Forças Armadas. Exército nega relação com suposto chefe do esquema.

G1 Df Publicado Em 23/03/2018 - 18:12

O esquema de tráfico de armas desarticulado nesta sexta-feira (23) no Distrito Federal movimentou pelo menos 40 armas, além de munição, nos últimos 40 dias, afirma a Polícia Civil. Ao todo, 25 pessoas foram detidas por suposto envolvimento nos crimes.
De acordo com os investigadores, cinco suspeitos cumpriram serviço militar nas Forças Armadas – um da reserva, três ex-militares e um que segue na ativa. O número inclui o suposto chefe do esquema, Mauro de Souza Ferreira, que, segundo a Polícia Civil, serviu ao Exército e se apresentava como militar na hora de negociar o armamento.
Em nota ao G1 (veja íntegra no fim do texto), o Comando Militar do Planalto (CMP) contestou a informação. Segundo o texto, Ferreira "foi dispensado do Serviço Militar por excesso de contingente, isto é, não serviu ao Exército".
No mesmo comunicado, o CMP confirma a prisão de um militar da ativa e dois "ex-militares" – que já cumpriram o tempo devido no Exército. O órgão diz aguardar informações adicionais para tomar as medidas legais cabíveis.
Também em nota ao G1, a Força Aérea confirmou que um "cabo reformado" – ou seja, que já serviu à Aeronáutica, mas não atua mais na instituição – foi preso nesta sexta. Segundo a Aeronáutica, ele foi transferido para a Ala 1 (antiga Base Aérea de Brasília), onde ficará à disposição da Justiça.
"A FAB colabora com a autoridade policial que está conduzindo as investigações", diz o texto. A Força Aérea não informou se pretende tomar medidas administrativas – como abrir um inquérito militar, por exemplo – neste caso.
Operação extensa
A operação Shooter (atirador, em inglês) cumpriu 22 mandados de prisão pela manhã, e outros 43 mandados de busca e apreensão ao longo do dia, em seis regiões do DF e duas cidades de Goiás (Valparaíso e Novo Gama, ambas no Entorno da capital).
Com os presos, a polícia encontrou várias armas, entre elas, pistola calibre .40, .380 e 9 mm, fuzil 7,62 e munição pesada. O número de presos (25) é maior que o de mandados de prisão (22) porque, durante o cumprimento dos mandados de busca de apreensão, três pessoas foram detidas em flagrante por posse ilegal de arma de fogo.
Segundo o delegado-chefe da Divisão de Repressão ao Crime Organizado do DF, Adriano Chaves Valente, o esquema de venda ilegal de armas funcionava a partir de três núcleos: o dos militares, dos colecionadores de armas e dos criminosos.
Mauro de Souza Ferreira, apontado como chefe do esquema, era responsável por comprar as armas dos colecionadores – dois deles eram militares – e revender aos criminosos.
“Ele estava se articulando para fazer o cadastro de colecionador e atirador, para evitar essa ponte com os militares. Tendo acesso mais fácil às armas, ele lucraria muito mais e inseriria mais armas no ‘mundo do crime’. Por isso, deflagramos a operação agora.”
De acordo com Valente, o principal objetivo da segunda fase da operação será descobrir a origem das armas que chegavam às mãos de Mauro. Entre os 25 detidos preventivamente nesta sexta, há um criminoso com mandado de prisão anterior, aberto pelo crime de extorsão mediante sequestro.
Ativa, reserva ou reforma?
Ao longo da sexta-feira, enquanto os mandados eram cumpridos, informações desencontradas foram prestadas pelos investigadores e pelas Forças Armadas. As divergências se referiam, principalmente, ao "status" dos militares supostamente envolvidos no esquema.
O Estatuto dos Militares mais recente é de 1980, e define as "situações" possíveis para cada membro das Forças Armadas. Entenda:
Na ativa: são os profissionais que estão "em serviço". Inclui os militares de carreira, quem está no serviço inicial, os reservistas convocados nas situações previstas em lei e alunos de órgãos de formação. Em contextos de guerra, todo cidadão brasileiro mobilizado é considerado na ativa.
Na reserva: inclui a reserva remunerada – similar à aposentadoria, concedida sob requerimento aos militares que cumprirem 30 anos de serviço – e os cidadãos em "condições de convocação ou mobilização" – por exemplo, quem foi dispensado quando se apresentou aos 18 anos. Policiais militares e bombeiros também são considerados reserva.
Reformado: são os militares que, após terem prestado serviço por um tempo, foram dispensados em definitivo, mas continuam a receber remuneração. Essa inativação pode ocorrer por diversos motivos – idade-limite, incapacidade, condenação pelo Código Penal Militar ou fim do tempo de serviço pré-estabelecido, por exemplo.
Assessor parlamentar preso
O assessor parlamentar Robson Pereira da Rocha Silva, que trabalha com o deputado federal José Otávio Germano (PP-RS), também foi preso durante a operação. Segundo a polícia, ele também estava com uma pistola calibre .380.
Robson Pereira da Rocha Silva foi nomeado para exercer o cargo no gabinete do parlamentar em 26 de junho de 2015, segundo consta no Diário Oficial da União. O deputado disse à TV Globo que "tem total confiança no assessor parlamentar" e que "acredita que tudo será esclarecido".
Colecionadores de armas estavam entre os alvos da Operação Shooter, mas a polícia informou que apenas um estava irregular – ele tinha uma pistola 9 mm, que foi confiscada.
Confira a íntegra do posicionamento enviado pelo Comando Militar do Planalto ao G1:
"Até o presente momento, de acordo com as informações recebidas, quatro indivíduos foram identificados como militares ou ex-militares do Exército. Esclarecemos que Mauro de Souza Ferreira foi dispensado do Serviço Militar por excesso de contingente, isto é, não serviu ao Exército. Dentre os demais indivíduos detidos, 2 serviram ao Exército e 1 é militar da ativa.
O Comando Militar do Planalto aguarda outras informações sobre as investigações desenvolvidas e tomará todas as medidas legais cabíveis para investigar os fatos e apurar as responsabilidades.
O Exército Brasileiro encontra-se em perfeita sintonia com os Órgãos de Segurança Pública do DF, para a completa elucidação dos fatos.
Reitera-se que o Exército não compactua com ações delituosas dessa natureza que não encontram guarda no estamento das Forças Armadas, nem coadunam com os princípios morais e éticos observados por seus integrantes."

AGÊNCIA BRASIL


Comando da Intervenção divulga ações na Vila Vintém e Angra dos Reis


Douglas Corrêa Publicado Em 23/03/2018 - 14:02

O Comando Conjunto das Forças Armadas divulgou hoje (23), no Rio de Janeiro, o balanço das operações do Grupo de Intervenção Federal, realizadas ontem (22) nas comunidades do Frade, em Angra do Reis, no sul fluminense, e na Vila Vintém, em Bangu, zona oeste do Rio. Durante a ação, foram feitos autos de prisão, cumprimentos de mandados, revistas e apreensões de armamento, drogas e veículos roubados.
Na Vila Vintém, houve cinco autos de prisão em flagrante delito e 10 mandados cumpridos, além da desobstrução de seis vias, recuperação de nove veículos, sendo feitas mais de quinhentas revistas com apreensão de armamentos, incluindo uma granada.
Em Angra dos Reis, na comunidade do Frade, foram aprendidos 60 kg de maconha e autuadas três pessoas e recuperados cinco carros e duas motos. Foram revistadas mil pessoas, 56 caminhões, 610 veículos de passeio, 256 motocicletas e 41 vans e ônibus.
Angra dos Reis pede ajuda a Brasília
O prefeito de Angra dos Reis, Fernando Jordão, vem tomando medidas para reforçar a segurança na cidade. Nos próximos dias, será aumentado de 22 para 46 o número de policiais militares, através do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis), o que possibilita a contratação voluntária de policiais militares, durante as folgas, para o reforço da segurança no município, com a ampliação do policiamento no período noturno.
A prefeitura está em negociação para compra de viaturas visando melhorar a segurança na cidade. Alguns bairros de Angra dos Reis foram dominados recentemente pelo crime organizado, com uma disputa entre facções rivais pelo domínio do território.
O prefeito pediu ajuda do governo federal. Em Brasília, ele esteve reunido com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, a quem solicitou apoio para a questão da segurança em Angra.
Homens do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e do Batalhão de Choque foram deslocados para a região, pouco antes do carnaval, onde nove pessoas envolvidas com o crime organizado morreram em uma semana.
Edição: Kleber Sampaio

REVISTA EXAME


Exército faz operação em Angra dos Reis, palco de disputa entre facções

Ação acontece após a cúpula da intervenção na segurança do Estado ter anunciado o início da retirada de agentes da Vila Kennedy

Estadão Conteúdo Publicado Em 23/03/2018 - 12:58

Rio – Militares desencadearam nesta quinta-feira, 22, duas operações simultâneas de combate ao crime no Rio. Uma foi em Angra dos Reis, município da Costa Verde fluminense a cerca de 200 quilômetros da capital, na localidade do Frade, sob disputa de facções criminosas há semanas. A outra foi na Vila Vintém, comunidade pobre na zona oeste carioca, dominada pelo tráfico.
As duas ações aconteceram após a cúpula da intervenção na segurança do Estado ter anunciado o início da retirada de agentes da Vila Kennedy.
A favela na zona oeste até então era apontada como “laboratório” da ação das Forças Armadas contra a criminalidade. Foi a primeira operação organizada pelos militares fora da Grande Rio após o início da intervenção.
Segundo o Comando Conjunto das operações, os objetivos das ações eram cumprir mandados de prisão e promover “cerco, estabilização dinâmica da área e desobstrução de vias”.
Essas tarefas eram idênticas às cumpridas na Vila Kennedy, onde traficantes sucessivamente reconstruíam barreiras destruídas pelos militares horas antes. No fim do dia, o Comando Conjunto anunciou que só divulgará nesta sexta-feira, 23, o balanço das ações.
A comunidade do Frade, em Angra dos Reis, é uma das favelas envolvidas na disputa entre as facções Comando Vermelho (CV) e Terceiro Comando Puro (TCP), que aterroriza a cidade desde o fim de janeiro.
Os confrontos pelo controle do tráfico começaram em 26 de janeiro, com tiroteios nas ruas e ameaças a moradores. Nas primeiras duas semanas, 11 morreram.
Os confrontos se estenderam por mais de cinco horas, mesmo com intervenção da polícia. Houve ainda protesto de moradores contra a falta de segurança. A disputa entre as duas facções se espalhou para outros bairros de Angra e chegou ao Parque Belém, de onde o CV conseguiu expulsar o TCP.
Na capital
Moradores da Vila Kennedy foram surpreendidos pela informação de que a tropa deverá sair do local em até três semanas. O comando da intervenção disse várias vezes que a favela serviria de laboratório não só para patrulha e retirada de obstáculos, mas também de ocupação social. Todos acreditaram que a ação seria longa.
“Quando as tropas chegaram foi um alívio porque ninguém conseguia sair de casa”, contou o comerciante S., de 38 anos.
Nascido e criado na favela, ele pensa se mudar caso as tropas deixem o local. “Não quero que meus filhos passem pelo que estou passando. Nosso temor é que as coisas voltem ao que era antes. Quando as tropas chegaram, os bandidos sumiram e, quando apareciam, eram sem tanta força, sem armas. Estamos todos com muito medo”, disse. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

MINISTÉRIO DA DEFESA


Aviso de Pauta: Ministro da Defesa vai a Roraima acompanhar ações das Forças Armadas em prol de venezuelanos


Brasília, 23/03/2018 – O ministro da Defesa interino, Joaquim Silva e Luna, estará na próxima segunda-feira (26) em Roraima, onde acompanhará as ações das Forças Armadas inseridas no esforço do governo federal e da ACNUR (Agência das Nações Unidas para Refugiados) em prol da população venezuelana que buscou o Brasil como refúgio.
Acompanhado do ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, Sérgio Etchegoyen, e de oficiais responsáveis por viabilizar o apoio, o ministro da Defesa visitará abrigos em Pacaraima e em Boa Vista, e se reunirá com autoridades locais.
O ministro atenderá a imprensa após encontro com a governadora do Estado, Suely Campos, marcado para às 12h30.
SERVIÇO
Ministro da Defesa cumpre agenda em Roraima para acompanhar ações das Forças Armadas em apoio a venezuelanos.
Data: 26/03
Horário: 12h30
Local: Palácio Senador Hélio Campos
Endereço: Praça do Centro Cívico - Boa Vista/RR
Contato: Alexandre Gonzaga (61) 9-9966-4064

OUTRAS MÍDIAS


JORNAL O LEME.COM - Rio de Janeiro: três policiais mortos em menos de 24 horas


Edmundo Miranda Publicado Em 23/03/2018 - 15:45

Felipe Santos Mesquita foi morto durante um confronto de PMs e bandidos da favela da Rocinha, Zona Sul do Rio. O tiroteio recomeçou às 21h10 e terminou às 21h30.
A terceira vítima foi o cabo Luciano Batista Coelho, de 38 anos. Agentes do 25º BPM foram acionados, mas ao chegarem ao local já encontraram Luciano morto.
Em nota, o Comando Militar Leste afirmou que a ação, coordenada com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), Força Nacional de Segurança Pública e Secretaria de Estado de Segurança, faz parte do contexto de medidas implementadas pela intervenção federal na Segurança Pública.
Em fevereiro de 2015, Luciano matou a própria filha, na época com 11 meses, com um disparo acidental.
A ação acontece pouco mais de um dia depois de um tiroteio deixar três mortos e uma criança de dois anos ferida na região de São Gonçalo. Ela chegou a ser socorrida na UPA do bairro Botafogo, mas não resistiu aos ferimentos.
Cerca de 1.400 militares das Forças Armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica) e 110 policiais militares, com apoio de veículos blindados e aeronaves, participam da operação.
Na manhã de hoje, o sargento Maurício Chagas Barros, de 37 anos, foi morto durante um ataque de traficantes na Favela Gogó da Ema, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Houve confronto, e Maurício acabou atingido. Ele foi o 27º PM morto do Estado do Rio somente este ano - foram nove em serviço, 16 de folga e dois reformados, informou a corporação.

BAND NEWS FM - Avião monomotor cai às margens da Rodovia Presidente Dutra

Não há informações oficiais sobre feridos

Daniella Dias Publicado Em 23/03/2018 - 15:06

A Polícia Civil e o órgão regional do Centro de Investigações e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos vão investigar as causas da queda de um avião monomotor na tarde desta sexta-feira (23). A aeronave caiu no canteiro da via Dutra, na altura de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, sentido Rio de Janeiro e não deixou feridos.
O piloto já foi ouvido pela polícia junto com a mulher que o acompanhava no momento do acidente.
A identidade dele e o conteúdo do depoimento ainda não foram divulgados.
O acidente aconteceu por volta das três e vinte da tarde após um pouso de emergência.
Segundo testemunhas, o ultraleve teria batido em um veículo da Uber que transportava uma mulher grávida. Nem ela, nem o motorista ficaram feridos.
Procurado, o Corpo de Bombeiros informou que não realizou nenhum atendimento pois, quando chegou ao local, os passageiros do avião já tinham sido retirados.
A CCR Nova Dutra, concessionária que administra a via e o Corpo de Bombeiros enviaram equipes para o resgate.
De acordo com a PRF, o avião ultraleve é do modelo Bravo 700, pesa 650 kg e acomoda duas pessoas. Ele caiu a menos de 1 km do aeroclube de Nova Iguaçu, que está desativado.
Uma fonte da BandNews FM informou que mesmo sem possuir homologação para pousos e decolagens, pilotos continuam usando o local já que não há fiscalização.
De acordo com as normas da Agência Nacional de Avião, para operar, o piloto precisa ter licença teórica e prática e a aeronave precisa ser certificada pela agência.
O trânsito na Via Dutra chegou a ter 2 km de lentidão devido à curiosidade dos motoristas que pararam na pista para observar o acidente.

CGN.COM - Ministro da Segurança Pública chega para inauguração de unidade da PRF

Jungmann vai participar da solenidade de entrega da estrutura na BR-277

Mariana Lioto Publicado Em 23/03/2018 - 09:48

O Ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, chegou a Cascavel, em avião da Força Aérea Brasileira.
A aeronave pousou no aeroporto da cidade, onde forte esquema de segurança o aguardava para escolta até a unidade da Polícia Rodoviária Federal que será inaugurada.
O Ministro vai participar da solenidade de entrega da estrutura na BR-277, juntamente com outras autoridades.
 Vídeo: cgn.inf.br/noticia/283057/ministro-da-segurana-chega-para-inaugurao-de-unidade-da-prf



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented