|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 20/07/2017 / China disputa mercado de drones de combate com os EUA

Imagem

China disputa mercado de drones de combate com os EUA ...  


O drone chinês CH-5 "Rainbow" está pronto para entrar no mercado de veículos aéreos não tripulados de combate.

"O design do CH-5 foi finalizado e estamos prontos para produzi-lo em massa", confirmou o gerente do projeto do CH-5 ao jornal China Daily.

O Rainbow provavelmente vai competir com o MQ-9 Reaper, que se tornou o único drone usado pelas Forças Armadas dos EUA a partir de 1º de julho deste ano, quando o Predator foi aposentado.

Os produtores chineses não quiseram especificar quem é o mercado de seus novos produtos. Entretanto, o Wall Street Journal publicou na segunda-feira (17) que Emirados Árabes Unidos, Egito e Arábia Saudita já compraram drones chineses depois de uma negativa dos produtores estadunidenses.

"Para os EUA, esse é um golpe estratégico e comercial", observou o Wall Street Journal.

Os drones fabricados na China podem ser consideravelmente mais baratos do que os Predadores e Reapers da General Atomics.

"Estamos em sintonia com o que a China está fazendo", disse um funcionário da Casa Branca ao Wall Street Journal.

O CH-5 tem uma autonomia de voo de até 60 horas e pode carregar 24 mísseis.

Ele pode ser usado para combate, inteligência, reconhecimento e vigilância.



Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Procuradoria desiste de recurso para punir réus por acidente da TAM


Fabrício Lobel De São Paulo

O Ministério Público Federal anunciou nesta quarta-feira (19) que não irá recorrer da decisão que absolveu nas duas primeiras instâncias três executivos que eram acusados pelo envolvimento com o acidente da TAM. O processo ainda poderia ser julgado pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).
Os três réus respondiam por atentado contra a segurança do transporte aéreo, de maneira culposa (sem intenção).
Na noite de 17 de julho de 2007, um Airbus 320 da TAM não conseguiu parar ao tentar pousar no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, atravessou a pista e colidiu com um prédio da própria companhia aérea. No acidente, 199 pessoas morreram.
A decisão do Ministério público ocorre dois dias após o aniversário de dez anos da tragédia. Segundo análise da Procuradoria Regional da República da 3ª Região (PRR3), "não se vislumbra possibilidade" de recurso.
Ainda de acordo com o Ministério Público, uma súmula do STJ impediria a nova discussão do conjunto de provas contidas na denúncia.
Cronologia
Ninguém foi responsabilizado até hoje
17.jul.07
Acidente com o voo JJ 3054 da TAM no aeroporto de Congonhas mata 199 pessoas
Out.09
PF e Cenipa (órgão que investiga acidentes aeronáuticos) terminam suas investigações paralelas
Jul.11
Ministério Público apresenta denúncia contra três executivos, dois da TAM e uma da Anac
Ago.13
Começam os depoimentos dos três acusados
Mai.15
Justiça nega acusação em primeira instância
Jun.17
Justiça nega recurso da acusação em segunda instância
Os acusados
TAM
Alberto Fajerman, ex-vice-presidente, e Marco Aurélio Miranda, ex-diretor de segurança
Acusação: não fiscalizar devidamente a tripulação e não ter redirecionado o avião para outro aeroporto, sabendo que no dia anterior houve um incidente na mesma pista com outro avião
ANAC
Denise Abreu, ex-diretora da agência de aviação civil
Acusação: ter induzido equivocadamente a Justiça a liberar a pista de Congonhas para aeronaves com reversor quebrado, caso do avião da TAM
Como foi o acidente
Imagem
1. 17h16
Airbus- A320 da TAM parte de Porto Alegre com 187 pessoas a bordo
2. 18h40
Torre de controle diz ao piloto que a pista está molhada e que é preciso pousar com cautela (chovia naquela hora). Às 18h44 pouso é autorizado e, às 18h50, é iniciado
3. Airbus toca a pista
A aeronave toca o solo da pista de Congonhas. O ideal é que esse procedimento ocorra a 300 m do início da via (que tem 1.940 m)
4. ‘Vira, vira, vira agora’
Vozes de dentro da cabine da tripulação do avião dizendo ‘vira, vira, vira agora’ são escutadas por controladores da torre de controle
5. Colisão com prédio
Sem conseguir desacelerar, avião faz uma curva à esquerda. Depois, atravessa a avenida e bate em um prédio da TAM
MORTOS
187 estavam no avião
12 estavam no solo
199
mortos no total
Fontes: Anac, Justiça Federal, Aeronáutica e Infraero
Confira mais infográficos da Folha
Câmera do aeroporto
Imagem
Em alta velocidade, avião atravessa em três segundos um trecho que outros levavam 11 segundos
Imagem
No canto esquerdo da imagem, aparece um clarão junto à aeronave, ainda na pista
Imagem
Após a colisão com o prédio da empresa, é possível notar a luminosidade da explosão
Explicações
Condições
O avião da TAM estava com uma das duas turbinas sem reversor, sistema que ajuda a frear –o que não o impedia de voar
Manetes
As turbinas são controladas por duas manetes, que podem ser colocadas pelo piloto em três posições
Imagem
Hipóteses
1. Falha no avião
Uma falha no sistema de potência das turbinas teria deixado uma delas em aceleração, enquanto a outra tentava parar o avião (independentemente de como o piloto posicionou as manetes)
2. Falha humana
Sob pressão de pousar com chuva e sem reversor, o piloto teria feito um procedimento diferente do usual, não se atentando ao fato de ter deixado uma das manetes em modo aceleração

Ministro da Justiça diz que Operação Lava Jato é ‘imparável’


Isabel Fleck De Washington

O ministro da Justiça, Torquato Jardim, disse durante palestra em Washington nesta quarta-feira (19) que a Operação Lava Jato é "imparável" e que seu trabalho será "feito até o fim".
"A Lava Jato é um ganho para a nossa sociedade, é imparável. O que tiver que ser feito, de acordo com a Constituição e as leis, será feito. Seja pelo Ministério Público, pela Polícia Federal, pelo Ministério da Justiça", disse o ministro, que é crítico dos métodos da operação.
Em outro momento, Torquato disse especificamente que o escritório do procurador-geral "continuará investigando". "Tem que ser assim, não há como não ser, sob a Constituição."
Torquato falou em evento promovido em Washington pelo Brazil Institute, do think tank Wilson Center, mesmo lugar onde, há dois dias, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse não ter pressa para apresentar uma nova denúncia contra o presidente Michel Temer.
O ministro, contudo, negou que sua viagem tenha sido planejada como uma "resposta" do governo ao périplo de Janot pelos Estados Unidos nesta semana. "Foi tudo coincidência, não foi planejado", disse, rechaçando haver qualquer animosidade com o procurador-geral, o qual conhece "há muitos anos" e com o qual "tem amigos em comum".
Os dois tinham na agenda desta semana reuniões separadas no Departamento de Estado americano. Janot também se encontrou com representantes do Departamento de Justiça na segunda-feira.
Questionado sobre a possível apresentação de uma nova denúncia de Janot contra Temer, Torquato disse que agora a "bola está na quadra deles, não na nossa". "Vamos fazer o que tivermos de fazer. Vamos ver o que acontece antes."
O ministro aproveitou para defender a estabilidade política do Brasil para possíveis investidores presentes. "Lembrem-se: a Constituição prevalece, nós passamos por dois impeachments, uma série de crises de todas as formas, e os militares não foram para as ruas. A constituição criou os próprios canais para resolver isso", disse.
Ele ainda destacou a capacidade de Temer, que passou "mais de 20 anos no Congresso" e "presidiu [a Câmara] três vezes" de "formar consenso com o Congresso". "Apesar de muitos brasileiros acharem que o Executivo é fraco, a formação de consenso é muito rara na nossa vida política", disse. "Temos 28 partidos políticos, é um grande desafio."
ORÇAMENTO E PASSAPORTES
Questionado sobre as dificuldades orçamentárias da Polícia Federal, o ministro disse que o problema não é algo "peculiar" à agência e que o órgão "está sendo mais objetivo e criativo no gerenciamento". Ele destacou que a PF está implementando, no momento, 473 operações especiais sob ordens de juízes federais.
"A polícia federal e todas as agências administrativas no Brasil estão em restrição orçamentária. O mesmo ocorre com todos os ministérios. O Ministério das Relações Exteriores está sob forte restrição, serviços de diplomacias estão sendo adiados ou não entregues totalmente por causa disso. As Forças Armadas não estão fazendo todos os exercícios que precisam", disse.
Sobre a suspensão de emissão dos passaportes, o ministro disse esperar que o problema seja resolvido "em breve".
Torquato evitou falar sobre a reportagem publicada pelo "Valor", de que autoridades de investigação brasileiras teriam planejado com sua contraparte americana gravar o presidente Michel Temer durante viagem aos Estados Unidos em maio, que não ocorreu.
Ele disse não ter informações sobre o caso e disse não saber se o governo brasileiro pedirá explicações às autoridades americanas.
As negociações entre os agentes dos dois países estariam em estágio "avançado" segundo o jornal, mas a ação não foi levada adiante porque Temer desistiu da viagem a Nova York.

Com novo avião, governo reduzirá uso do Aerolula em viagem longa


Igor Gielow De São Paulo

Na tarde de 6 de julho passado, o presidente Michel Temer embarcou rumo à reunião do G20 na Alemanha.
Deixou o cargo com o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) e tomou assento em um Boeing 767-300ER da FAB, marcando o início da aposentadoria do Airbus presidencial, mais conhecido como Aerolula, em voos internacionais de longo alcance.
O governo decidiu que viagens que demandarem duas ou mais escalas serão feitas com o 767 de maior autonomia, alugado por três anos pela Força Aérea Brasileira em julho de 2016, ao custo de US$ 19,8 milhões (R$ 71 milhões). Isso inclui destinos na Ásia, por exemplo.
A ida à Alemanha necessitaria de uma escala no Airbus ACJ-319, mas Temer estava pressionado pelo tempo: precisava voltar para tourear a crise política que ameaça seu mandato e quis pular a parada de até duas horas. Essa régua, a da conveniência, também será usada daqui em diante, segundo o Planalto.
Prevendo o aumento de demanda, a Folha apurou que o Ministério da Defesa já planeja instalar uma área VIP, com cama e chuveiro, para o serviço presidencial. Hoje, o avião tem poltronas de classe executiva na sua parte posterior, enquanto o Airbus vem com suíte e sala de reuniões.
A eventual conversão repetirá o modelo utilizado até quase o fim do governo Fernando Henrique Cardoso.
Até então, presidentes voavam em aviões usados para transporte militar, com área VIP. Eram os KC-137, versões de Boeings 707 da década de 1960, conhecidas como Sucatões e compradas em 1986 pelo governo José Sarney.
O alto custo operacional e uma série de problemas técnicos encerraram o uso VIP do aparelho em 2000. FHC testou alugar voos comerciais, o que acabava sendo mais caro e menos seguro.
Lula, nadando na popularidade do primeiro mandato, bancou gasto de US$ 56,7 milhões (R$ 167 milhões no câmbio da época, que corrigidos dariam R$ 360 milhões hoje), e comprou uma versão executiva do Airbus-319, operada a partir de janeiro de 2005 pelo GTE (Grupo de Transporte Especial) da FAB.
Foi criticado. O avião ganhou o apelido pejorativo de Aerolula, entre outros mais agressivos. Uma argumentação da escolha segue válida: avião próprio dá segurança e praticidade ímpares.
Além da maior eficiência econômica, a autonomia do avião, superior à dos jurássicos Sucatões e à dos equivalentes da Embraer, era justificativa central: Lula poderia ir a Paris sem escala.
A realidade mostrou-se diferente ao longo do tempo, embora a FAB não divulgue estatísticas precisas do uso. Para atender a todos os requisitos de segurança, como sobra de combustível, viagens intercontinentais demandaram escalas. Uma para a Europa, ao menos duas para destinos mais longíquos.
O alcance do Aerolula dentro das especificações de segurança é de cerca de 8.500 km, no limite para chegar a Paris, embora teoricamente ele possa voar um pouco mais. Viagens europeias costumam ter escala em Cabo Verde (4.500 km de Brasília) ou Portugal (pouco mais de 7.000 km da capital brasileira). O 767 voa mais de 11 mil km sem parar.
"Se era para ficar com um avião menor, deveriam ter usado o produto nacional. Um 767 é muito mais vantajoso para rotas intercontinentais", diz o especialista em aviação Ronaldo Jenkins, diretor de Segurança e Operações de Voo da Associação Brasileira de Empresas Aéreas.
Por ser muito maior, potente e pesado, o 767-300ER consome mais combustível em média (5.000 kg/hora) do que o ACJ (2.800 kg/hora), ressalvando aqui que essa é uma conta superficial de consultorias sobre aviões civis, já que são inúmeros os parâmetros que definem o quanto um avião "bebe" (peso de decolagem, ventos, altitude etc.).
Mas aeronaves gastam mais que o dobro de querosene durante a primeira hora após a decolagem: com duas escalas, são três eventos desses, fora o fato de que a comitiva sempre acaba se hospedando em uma das paradas.
Consultada, a FAB não informou comparativos de custo de operação. No geral, aviões oficiais são mais baratos de usar, pois são isentos de várias taxas e operados por militares –que não têm salários de pilotos e comissários da aviação comercial.
O Aerolula, além de eventuais viagens com uma escala, seguirá sendo usado em distâncias menores. Tem 12 anos e meio de uso e deve voar até atingir os 30. Provavelmente levará Temer para Buenos Aires nesta quinta (20).

Uso de aeronave da Presidência gerou polêmicas no país


Igor Gielow De São Paulo

O uso de aviões presidenciais, comprados periodicamente por mandatários desde 1941, sempre foi motivo de polêmica no Brasil.
Na campanha de 2006, o então adversário de Lula Geraldo Alckmin (PSDB) prometeu "vender o Aerolula e construir cinco hospitais", algo definido pelo então presidente como "sandice".
Em 2010, a Folha revelou que a FAB preparava a aquisição de um avião de transporte com previsão de área VIP, apelidado então de Aerodilma, já que Dilma Rousseff estava eleita para o primeiro mandato.
Lula defendeu a compra. "Não tem por que não comprar. Acabou aquela bobagem de Aerolula. Acho que o Brasil precisa de um avião com mais autonomia para o presidente", disse, chamando de "humilhação" as escalas de até duas horas para reabastecimento.
Foi o abandono da defesa inicial do uso do Airbus, já que sua autonomia intercontinental não se comprovou na prática.
A compra acabou empacando por causa do alto custo, mas a presidente sempre se queixou do alcance do Airbus. Ainda assim, gostava de usar as escalas para fazer turismo ou apreciar a culinária local, como ocorreu em Portugal em 2012.
O aluguel do 767-300ER é considerado emergencial pela FAB e foi contratado nos EUA por meio de uma empresa paulista, a Colt, que ganhou licitação.
Ele enterrou a compra de duas unidades do mesmo avião, só que com capacidade de reabastecimento aéreo, junto à israelense IAI.
O Ministério da Defesa trabalha, contudo, com a hipótese de reativar a compra caso a situação de restrição orçamentária desanuvie. Nesse cenário, o 767 alugado poderá ser incorporado à frota da Presidência. Hoje ele está no Esquadrão Corsário, baseado no Rio.
A unidade opera o transporte de longa distância da FAB e estava sem opções desde a aposentadoria dos Sucatões, ocorrida após um acidente quase acabar em tragédia no Haiti, em 2013.
Uma semana após sua chegada ao Brasil o avião já foi usado para levar soldados para reforçar a segurança da Olimpíada do Rio.
Contando apenas com limitados turboélices Hércules C-130, a Força precisava de um avião para tropas –o 767 carrega 257 passageiros.
Enquanto isso, o reabastecimento aéreo ficará a cargo dos lentos C-130. A FAB informou que o plano é utilizar os futuros KC-390 da Embraer, que começam a chegar em 2018.
O avião é mais adequado para um cenário de reabastecimento tático, no teatro de operações brasileiro, enquanto o 767 é uma aeronave de longo alcance, de uso estratégico.

PORTAL G-1


Esquadrilha da Fumaça deve se apresentar neste domingo em Cuiabá

Apresentação com sete aeronaves será atração no Parque Tia Nair. Também está prevista exposição dos aviões no aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande.

Por G1 Mt

Sete aeronaves da Esquadrilha da Fumaça, da Força Aérea Brasileira, devem fazer apresentação neste domingo (23), em Cuiabá. A atração poderá ser vista no Parque Tia Nair, a partir das 16h. Os aviões, modelo A-29 Super Tucano, farão acrobacias e voos invertidos, sem intervalos, durante 50 minutos. O evento envolve mais de 50 militares da FAB.
A prefeitura diz que espera receber aproximadamente 15 mil pessoas durante a apresentação. Antes da performance, às 10h, as aeronaves estarão em exposição no hangar Skyline no aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá.
Na segunda-feira (24), os alunos da rede municipal de ensino vão participar de uma palestra com os pilotos da FAB no auditório da Secretaria Municipal de Educação a partir das 15h.

Trabalhador rural relembra maior nevasca já registrada em SC, há 60 anos: ‘Foi emocionante e lindo’

Em 20 de julho de 1957, nevasca em São Joaquim atingiu acumulados de 1,30 m e deixou cidade isolada por uma semana.

Por G1 Sc

Aos 88 anos, o trabalhador rural Vidal Cândido da Silva Neto lembra exatamente de quando São Joaquim, na Serra, foi atingida pela maior nevasca da história de Santa Catarina e segunda maior do país. Nesta quinta-feira (20), o fênomeno completa 60 anos, registrado em 20 de julho de 1957.
“Eu tinha 27 anos. Lembro que começou às 11h e nevou até cinco da tarde. Foi grande, dentro de uma hora estava tudo branco. Foi emocionante e lindo”, conta.
Conforme o morador, uma semana depois, a Igreja Matriz de São Joaquim ainda estava coberta de neve. “A sensação de frio era forte e de uns dois graus a menos, em relação ao que estamos acostumados, era muito melhor do que esse frio de agora, não dá tanto gelo”, relembra.
De acordo com a Central RBS de Meteorologia, naquela nevasca, os acumulados de neve chegaram a 1,30 m.
"No outro dia, quando fomos para o mato, vimos muitos passarinhos mortos. A gente achou que os porcos haviam morrido, mas não, só estavam cobertos pela neve. Nós tivemos que carregar as galinhas, elas não conseguiam caminhar pela fazenda, ficavam com os pés enterrados na neve”

Segundo o agricultor, três dias depois da nevasca, um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) foi usado para levar alimentos e remédios à cidade. “Lembro que soltaram os suprimentos em um campo de futebol, porque a cidade estava isolada”, relata.
Neve na história nacional
Conforme Bianca Souza, técnica da Central RBS de Meteorologia, a maior nevasca da história nacional caiu em Vacaria (RS), em 1979, com acumulados de 2 metros. A nevasca de São Joaquim foi a segunda maior do país, seguida por uma registrada em Itatiaia (RJ), em 1985, com acumulado de 1 metro.
Em 2013, na semana do dia 22 a 25 de julho, 113 cidades catarinenses registravam neve, além de 35 municípios que tiveram chuva congelada.
“O fenômeno é raro, porque precisa de uma intensidade de ar polar para ter temperaturas baixas em altitude. As nuvens se formam a uma certa altura, quanto mais gelado estiver entre a base da nuvem e o solo, mais inteiro chega o floco de neve. Se esse comportamento durar várias horas, ocorrerá neve por mais tempo”, explicou o meteorologista da Central RBS de Meteorologia, Leandro Puchalski.

AGÊNCIA BRASIL


EUA excluem Farc e ELN como as maiores ameaças terroristas na América Latina


Da Agência Efe

Os Estados Unidos excluíram de seu relatório anual sobre terrorismo no mundo, divulgado hoje (19), uma referência que era feita há muitos anos às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e ao Exército de Libertação Nacional (ELN), do mesmo país, como principais ameaças terroristas na América Latina. A informado é da EFE.
Os relatórios publicados pelo Departamento de Estado dos EUA há pelo menos uma década faziam referência às Farc e ao ELN como "a principal ameaça terrorista no Hemisfério Ocidental". Apesar da exclusão, os grupos seguem incluídos na lista de organizações terroristas dos EUA.
O relatório do Departamento de Estado também volta a incluir a Colômbia, ao lado da Venezuela, na relação de países que representam um "refúgio" para os terroristas. Mas o documento diminui o alerta sobre as guerrilhas colombianas. A mudança se deve, em parte, à aprovação no ano passado de um acordo de paz entre o governo da Colômbia e as Farc, e ao início das negociações para firmar um pacto similar com o ELN.
Diminuição
"A Colômbia experimentou uma queda significativa na atividade terrorista em 2016 devido em boa parte ao cessar fogo-bilateral entre as forças do governo e as Farc", indicou o relatório americano.
Desde agosto de 2016, segundo o documento, só houve um confronto letal entre os guerrilheiros das Farc e homens do governo. Também diminuiu o número de civis mortos pelo conflito, assim como o de membros das Farc e do ELN mortos em combate, capturados ou que se desmobilizaram.
A ameaça das Farc também foi reduzida no Panamá, onde a guerrilha colombiana usava a província de Darien, no sul do país, como base de operações, ponto de descanso e recuperação, além de zona de rearmamento, de acordo com o relatório.
"Com apoio americano, as autoridades panamenhas eliminaram substancialmente a capacidade das Farc de operar em Darien. E a conclusão do processo de paz na Colômbia diminuiu ainda mais a ameaça da guerrilha no país", explica o documento.
Venezuela
Quanto à Venezuela, o Departamento de Estado dos EUA volta a acusar o governo de Nicolás Maduro de manter um "ambiente permissivo que tolera e apoia atividades que beneficiam grupos terroristas". Os EUA afirmam que a Venezuela segue abrigando indivíduos ligados às Farc, ao grupo terrorista espanhol ETA e também simpatizantes da milícia libanesa Hezbollah.
"Pelo 11º ano consecutivo, Caracas não cooperou adequadamente com os esforços antiterroristas dos EUA", diz o documento. O relatório lamenta que o governo da Venezuela não tenha tomado nenhuma ação contra os funcionários do alto escalão do Executivo que foram punidos pelo Tesouro dos EUA por darem "assistência material" ou apoio de qualquer outro tipo às Farc.
Em termos gerais, o relatório indica que ainda há, na América Latina e no Caribe, “vulnerabilidades como fronteiras porosas, capacidades limitadas para aplicar a lei e rotas estabelecidas de tráfico de pessoas e drogas, o que oferece oportunidades para grupos terroristas locais e internacionais".
"A corrupção, as instituições de governo frágeis, a cooperação insuficiente entre agências, uma legislação débil ou inexistente e a falta de recursos seguem sendo as principais causas da falta de vontade política significativa para combater o terrorismo em alguns países do continente", indicou o relatório.
O Departamento de Estado, no entanto, destacou avanços significativos do Brasil e Trinidad e Tobago nos esforços contra o terrorismo na região.

JORNAL O POVO (CE)


Uma trajetória de coincidências com o desastre

Testemunha, Zé Miguel reconta a tragédia que vitimou Castelo Branco e outras quatro pessoas. Ele presenciou o acidente da fazenda onde trabalhava

Thiago Paiva

O caminhar lento denuncia a idade avançada. O tempo, porém, não afetou as recordações do aposentado José Ribeiro dos Santos, o Zé Miguel, testemunha de uma das principais tragédias da aviação cearense. Aos 90 anos, narra com riqueza de detalhes aquilo que viu no dia em que uma colisão entre aviões vitimou o ex-presidente Humberto Castelo Branco e outras quatro pessoas.
A narrativa é permeada por coincidências que ligam Zé Miguel ao desastre aéreo. Cearense, nasceu em 1927, no distrito de Cipó dos Anjos, em Quixadá, a 158 km de Fortaleza. O Município é o mesmo de onde, 40 anos depois, partiu o avião que levava Castelo para o último voo.
Ainda em novembro de 1952, “fugido de uma seca”, mudou-se com a família para Pacatuba, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). No ano seguinte, passou a trabalhar como encarregado da fazenda da família Montenegro, zelando uma propriedade no bairro José Walter, à época Mondubim, à margem da avenida Perimetral. Foi de lá que Zé Miguel avistou um avião em queda, após um estrondo.
“Ouvimos uma pancada forte. Um avião caiu e outro saiu desequilibrado. Todo mundo correu. Foi feito depressa um acesso para os carros, porque veio todo mundo pra cá. Pela notícia das comunicações do aeroporto e tudo. Eles estavam aguardando a chegada do presidente lá e, num instante, vieram pra cá. Mas aqui a gente ainda não sabia que era o presidente que tinha caído”, conta.
Acompanhado de amigos e funcionários, Zé Miguel foi a pé até o local da queda, a cerca de 4 km da sede. Viu quando o socorro chegou e ainda quando um soldado carregou o corpo do ex-presidente nas costas. “Não sei em que carro levaram ele, mas vieram muitos carros grandes. Ficou cheio de gente. Um alvoroço”.
Logo que foi contratado, uma das primeiras obras de que participou na fazenda foi a construção da barragem da Lagoa do Circaú, mesmo local onde caiu o tip-tanque do jato TF-33 da Força Aérea Brasileira (FAB). A peça foi a única danificada no caça que provocou a queda do piper aztec em que viajava o presidente. O piper aztec caiu no terreno que foi recentemente inundado para a construção da barragem do rio Cocó. Segundo Zé Miguel, o local fica a 100 metros da cerca do terreno que pertencia à família dos Alencar, parentes do ex-presidente.
“Por pouco ele não caiu ‘em casa’, nas terras da família dele. Falo isso com segurança porque quem fazia o conserto das cercas era eu. Meu patrão era muito amigo deles. Daí, qualquer conserto das cercas, eu fazia, anotava tudo e depois eles dividiam os gastos, metade a metade”, enfatiza.
O restante de parte dessa história é conhecido por todos. Zé Miguel, porém, não se furta em repeti-la sempre que é questionado. “Eu me considero muito feliz de, nessa idade, ainda estar contando como tudo aconteceu”, se envaidece.

PORTAL DEFENSA.COM (Espanha)


La Fuerza Aérea israelí compra desmontado el último Boeing 707 de la Fuerza Aérea Brasilena


Javier Bonilla

La Fuerza Aérea de Israel compró el último Boeing 707 de la Fuerza Aérea Brasilena para usar como fuente de repuestos destinados a parte de una gran actualización de su flota de aviones tanqueros. El avión fue comprado ya desmontado hace algunos meses en un contrato por valor de 410.000 dólares- varias veces mayor que el que obtuvo la FAB en su remate (28.000 dólares- similar a los que definieron la suerte de los aparatos anteriores) de acuerdo con el Ministerio de Defensa de Israel. Dicha aeronave integró un lote de 4 unidades adquiridas por la FAB en 1986 de los inventarios de la antigua aerolínea Varig.
Las aeronaves de transporte y reabastecimiento de la IAF, Re’em y Saknai (alrededor de 14 Boeing 707 entre ambas variables), muchas próximas a 60 anos de edad, son necesarias y aún vigentes para misiones de largo alcance en Ias dos facetas, mientras se retiran los Boeing 707 dotados del sistema AEW & C 1AI Phalcon, ahora montado en aviones G550.
Mientras tanto, uno de los 767/300 convertido en carguero y reabastecedor por 1AI Bedek, que la FAB se había comprometido tiempo atrás a adquirir, fue vendido por el grupo israelí a la canadiense Cargojet Airways- aerolínea que posee una flota de Boeings 767 y 757- mientras se negocia con Brasil el pago de la multa por rescisión de contrato y por el retiro de los dispositivos de reabastecimiento en vuelo.
PORTAL CONSULTOR JURÍDICO


Princípio da proteção à família não impede que militar seja transferido


Revista Consultor Jurídico

A liberdade para as Forças Armadas movimentarem seus membros é de interesse público e se sobrepõe ao princípio da proteção da família. Com esse entendimento, o Tribunal Regional Federal da 5ª Região reformou decisão da primeira instância e deu permissão para que o Exército transfira um militar de Olinda (PE) para São Paulo.
O militar entrou com o pedido alegando que sua transferência para unidade do Exército em São Paulo estaria ferindo o princípio constitucional da proteção à família. A liminar concedida então proibiu as Forças Armadas de transferi-lo para qualquer unidade que excedesse a distância de 100 km da cidade pernambucana.
A Procuradoria Regional da União da 5ª Região, unidade da Advocacia-Geral da União que atuou no caso, recorreu da decisão e alegou ao TRF-5 que o princípio que assegura proteção à família não é absoluto, devendo ser interpretado em harmonia com outras normas constitucionais que definem a relação entre a administração, os servidores e os administrados, proporcionando a necessária ordem administrativa.
A Procuradoria também argumentou que o caso em questão não trata da remoção de servidor público civil, mas de militar do Exército, sujeito à hierarquia e disciplina das Forças Armadas, de regime mais duro que o civil. “A movimentação de militares é uma peculiaridade inerente à própria carreira, o que significa dizer que militar nenhum possui a garantia de escolher o local em quer servir, principalmente quando patente a necessidade de serviço”, defenderam os advogados da União.
O TRF-5 concordou com os argumentos da AGU e suspendeu a liminar que impedia a transferência do militar. “[O tribunal] Adota firme entendimento quanto à prevalência do interesse público na movimentação dos servidores militares. [No caso] Fica clara a necessidade da administração pública de suprir espaços na unidade localizada no Estado de São Paulo”, determinou a decisão. Com informações da Assessoria de Imprensa da AGU.
Processo 0808087-71.2016.4.05.0000 – TRF5

PORTAL DEFESANET


XIV Congresso Acadêmico sobre Defesa Nacional será na próxima semana


Débora Sampaio

Equipes de Instituições de Ensino Superior (IES) de todo o Brasil, professores e alunos, e cadetes das Forças Armadas estarão reunidos, de 24 a 28 de julho, para o XIV Congresso Acadêmico sobre Defesa Nacional (CADN).
O evento será realizado na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), em Resende (RJ), e contará com a participação do secretário-geral do Ministério da Defesa (MD), general Joaquim Silva e Luna.
O objetivo do CADN é promover a interação entre os participantes e despertar nos congressistas civis o interesse por temas relacionados à segurança e à defesa, estimulando-os a refletirem sobre essas questões e, assim, contribuir para a consolidação de uma cultura de defesa no Brasil.
A programação do XIV CADN está dividida em duas partes: pela manhã, com a realização de palestras sobre temas voltados para segurança internacional, geopolítica, Defesa, Forças Armadas, missões de paz, Base Industrial de Defesa, entre outros; à tarde, será a vez de promover o debate sobre os artigos produzidos pelos participantes do evento.
Os integrantes das IES foram selecionados para participar do Congresso com base nos artigos científicos sobre Defesa Nacional, que lhes são exigidos no ato da inscrição. Neste ano, foram inscritas quarenta e seis equipes de IES, tendo sido selecionadas trinta e duas (um professor e cinco alunos de cada Instituição).
O evento contará com a participação de cento e noventa e dois civis, além de quinze equipes de cinco cadetes e aspirantes da Marinha, Exército e Aeronáutica. No total, serão duzentos e noventa e dois congressistas.
CADN
Coordenado pela Secretaria de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto (SEPESD), do MD, o Congresso Acadêmico sobre Defesa Nacional é uma atividade realizada anualmente que segue orientações da Política e da Estratégia Nacionais de Defesa. O Congresso é realizado em sistema de rodízio entre a AMAN, a Academia da Força Aérea (AFA) e a Escola Naval.

MB e FAB participam de intercâmbio com a Marinha do Paquistão


Atendendo à solicitação da Marinha do Paquistão (MPq), o Estado-Maior da Armada coordenou a realização de um intercâmbio operativo entre a MPq e a Marinha do Brasil (MB) no período de 19 e 23 de junho.
O intercâmbio consistiu em uma visita de três oficiais aviadores navais, de aeronaves P3C, da Patrulha Marítima da MPq ao Esquadrão Orungan - 1º/7º Grupo de Aviação da Força Aérea Brasileira (FAB) e à Base Naval de Aratu.
Assim, o Capitão de Fragata Saleem Nasir, o Capitão de Corveta Hafiz Muhammad Saleem e o Capitão de Corveta Muhammad Junaid Alam pertencentes ao 28º Maritime Strike Squadron, localizado em Karachi, tiveram a oportunidade de, na FAB, trocar conhecimentos; visitar o Centro de Suporte à Missão; realizar treinamento no simulador de missão e de tripulação tática; e realizar um voo em aeronave P3AM.
Além das instalações da FAB, no último dia do intercâmbio, os Oficiais da MPq visitaram a Base Naval de Aratu, tendo o intercâmbio alcançado êxito no cumprimento do propósito acordado com aquela Marinha Amiga durante a IV Reunião de Estados-Maiores realizada no Paquistão em setembro de 2016

CCOPAB prepara militares para Missão Humanitária


As missões das Forças Armadas, previstas no Art. 142 da Constituição Federal, são a defesa da Pátria, a garantia dos poderes constitucionais e a garantia da lei e da ordem. Decorrentes de sua destinação constitucional, existem servidões para as Forças Singulares, também com previsão legal, dentre as quais está a participação em operações internacionais.
Nesse contexto, no ano de 2010, foi criado, no Rio de Janeiro, o Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB), subordinado ao Ministério da Defesa, a partir da estrutura de uma organização militar do Exército Brasileiro, o Centro de Instrução de Operações de Paz.
A fim de preparar militares designados para missões de paz, o CCOPAB conduz uma série de estágios, cursos e exercícios avançados. Um deles é o "Estágio de Desminagem Humanitária”, cuja última edição foi concluída em 14 de julho, após cinco semanas de trabalhos teóricos e práticos. O objetivo da atividade foi capacitar militares brasileiros e de nações amigas a serem monitores ou supervisores em missões sob a égide de organismos internacionais.
O Estágio, realizado no idioma espanhol, teve duas semanas iniciais de Ensino a Distância (EAD), seguidas de outras três presenciais. Durante a fase EAD, foram abordados temas como: cenário mundial de ações contraminas; missões e programas sob a égide de organismos internacionais; educação para o risco de minas; e assistência a vítimas.
Nas semanas presenciais, os estagiários tiveram contato e praticaram assuntos relativos à aplicação operacional e gestão de uma Organização de Desminagem Humanitária, procedimentos relativos à neutralização e destruição de minas e artefatos explosivos, além de tópicos referentes ao planejamento e condução das atividades de monitor e supervisor de desminagem humanitária.
Concluíram o estágio 20 militares do Exército Brasileiro, três do Exército da Colômbia, dois do Exército do Paraguai e um do Exército Argentino.

PORTAL SPUTNIK BRASIL


China disputa mercado de drones de combate com os EUA


O drone chinês CH-5 "Rainbow" está pronto para entrar no mercado de veículos aéreos não tripulados de combate.
"O design do CH-5 foi finalizado e estamos prontos para produzi-lo em massa", confirmou o gerente do projeto do CH-5 ao jornal China Daily.
O Rainbow provavelmente vai competir com o MQ-9 Reaper, que se tornou o único drone usado pelas Forças Armadas dos EUA a partir de 1º de julho deste ano, quando o Predator foi aposentado.
ImagemOs produtores chineses não quiseram especificar quem é o mercado de seus novos produtos. Entretanto, o Wall Street Journal publicou na segunda-feira (17) que Emirados Árabes Unidos, Egito e Arábia Saudita já compraram drones chineses depois de uma negativa dos produtores estadunidenses.
"Para os EUA, esse é um golpe estratégico e comercial", observou o Wall Street Journal.
Os drones fabricados na China podem ser consideravelmente mais baratos do que os Predadores e Reapers da General Atomics.
"Estamos em sintonia com o que a China está fazendo", disse um funcionário da Casa Branca ao Wall Street Journal.
O CH-5 tem uma autonomia de voo de até 60 horas e pode carregar 24 mísseis. Ele pode ser usado para combate, inteligência, reconhecimento e vigilância.

KC-390, el avión brasileño que conquista los mercados mundiales

El KC-390, un avión militar de transporte fabricado por la compañía aeronáutica brasileña Embraer, realiza exhibiciones en distintos países del mundo. Su puesta de largo oficial tuvo lugar en el Salón Aeronáutico de Le Bourget (Francia), a finales de junio

ImagemEmbraer anunció a finales de junio que en los próximos meses espera firmar acuerdos para la venta de hasta seis unidades del KC-390, su nueva aeronave militar polivalente de transporte y reabastecimiento en vuelo, informó el medio Estado de Sao Paulo.
El primer acuerdo debe ser firmado con el Gobierno de Portugal. El valor final del contrato todavía se desconoce, ya que dependerá de la configuración y el equipamiento específico de cada aeronave. Pese a las cuestiones todavía pendientes, la entrada del avión de producción brasileña a la flota de un país miembro de la OTAN —mayor alianza militar del mundo— está considerada por la compañía como "un escaparate" para el mundo.
Algunos medios de comunicación de Argelia, Nueva Zelanda y Australia han informado acerca de la llegada del KC-390 brasileño a estos países como parte de una visita de exhibición que deberá tener lugar en una decena de países distintos.
Además, países como Argentina, Colombia, Chile, República Checa, Suecia y Alemania han mostrado interés en la adquisición del KC-390. Se estima que las ventas de la nueva aeronave podrían generar más de 200.000 millones de reales —cerca de 63.500 millones de dólares— a Embraer, según la revista brasileña Superinteressante.
OUTRAS MÍDIAS


D24AM (AM)


Esquadrilha da Fumaça se apresenta nesta quinta, na Praia da Ponta Negra

De acordo com o a FAB, a tarde festiva terá um colorido especial nos céus com a demonstração do Esquadrão de Demonstração Aérea com as aeronaves A-29
Com informações da assessoria
Manaus – Nesta quinta-feira, às 15h30, a Esquadrilha da Fumaça se apresenta na Praia da Ponta Negra, zona oeste de Manaus, em comemoração ao 144° Aniversário de Nascimento de Alberto Santos-Dumont, a ação é realizada pela Ala 8 da Força Aérea de Brasileira (FAB). As atividades são abertas ao público.
A programação, em homenagem ao Pai da Aviação e Patrono da Aeronáutica Brasileira, será iniciada com uma cerimônia militar, momento em que será entregue a Medalha Mérito Santos-Dumont. A condecoração é concedida a personalidades civis e militares, brasileiros ou estrangeiros que tenham prestado destacados serviços à Aeronáutica Brasileira ou, por suas qualidades ou seu valor, em relação à Aeronáutica, forem julgados merecedores. Na oportunidade, a população também poderá assistir ao desfile da tropa da Força Aérea.
De acordo com o a FAB, a tarde festiva terá um colorido especial nos céus com a demonstração da Esquadrilha da Fumaça, nome popular do Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA). O público poderá, nessa ocasião, conferir as acrobacias do Esquadrão no cenário da Ponta Negra com as aeronaves A-29 do EDA.

JORNAL BRASIL DE FATO


Morte de Teori Zavascki completa seis meses e investigação segue sem conclusão

Cenipa aguarda laudos da Polícia Federal para produzir relatórios sobre a queda do avião, no litoral do Rio de Janeiro
O órgão responsável pela investigação e prevenção de acidentes aeronáuticos no Brasil, o Cenipa, ainda espera laudos da Polícia Federal para concluir o relatório sobre a queda do avião que vitimou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, que completa seis meses nesta quarta-feira (19). Segundo a Força Aérea Brasileira (FAB), instituição a qual o Cenipa é subordinado, não existe prazo para encerrar a investigação.
O avião em que estava Zavascki, então relator da operação Lava Jato no STF, sofreu uma queda em Paraty, litoral do Rio de Janeiro. Após a trágica morte, a relatoria da Lava Jato foi redistribuída, por meio de sorteio, para o ministro Edson Fachin. A vaga de Zavascki foi preenchida por Alexandre de Moraes, ex-ministro da Justiça do governo do presidente golpista, Michel Temer (PMDB).
Além do ex-ministro, estavam na aeronave outras quatro pessoas, entre elas o empresário e dono do jatinho, Carlos Alberto Filgueiras, de 69 anos; a massoterapeuta Maira Lidiane Panas Helatczuk, 23 anos; sua mãe, Maria Ilda Panas, 55; e o piloto Osmar Rodrigues, 56.
Após a apurarão dos laudos, o relatório final será traduzido para o inglês e analisado pelos órgãos internacionais National Transportation Safety Board, dos Estados Unidos, onde a aeronave foi fabricada, e o Transportation Safety Board of Canada, que fabricou o motor do avião. As análises retornarão ao Cenipa, que dará o parecer final sobre o caso.
O avião em que estava o ex-ministro era de pequeno porte, do modelo Hawker Beechcraft King Air C90. Ele tinha capacidade para acomodar até oito pessoas e decolou às 13:01 do Campo de Marte, em São Paulo (SP), caindo por volta das 13:45, a 2 km de distância da cabeceira da pista do aeroporto de Paraty, próximo a Ilha Rasa.
A documentação da aeronave estava regular, com validade até abril de 2022, e a inspeção da manutenção anual era válida até abril de 2017, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Ao menos uma pessoa afirma ter visto uma fumaça saindo da aeronave antes da queda e, também, segundo testemunhas, chovia muito no horário da queda.
Edição: Vivian Fernandes

JORNAL MERCADO E EVENTOS


O Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, será o palco da exposição de aviação até o dia 20 de agosto

Por Leonardo Neves
O Museu da Casa Brasileira (MCB), em São Paulo, está apresentando, em parceria com a Embraer, a mostra Design da Aviação Brasileira, que expõe um acervo de artefatos concebidos para voar, como modelos de aeronaves e planadores, uma linha do tempo mostrando a trajetória da aviação no Brasil contada através da história da Embraer, entre outros. A exposição está aberta desde o dia 1º de junho e irá ocorrer até o dia 20 de agosto, com entrada gratuita.
O local conta com diferentes atrações espalhadas por diversos pontos do museu paulistano, deixando os visitantes imersos em todos os aspectos que cercam a trajetória e o desenvolvimento do segmento aéreo no Brasil, desde antes mesmo de Santos Dumont, com os voos de balões de ar quente. No final da visita, os visitantes poderão ainda ter uma experiência de realidade virtual, onde irão poder explorar o espaço interno do avião militar KC-390, da Embraer.
“Como único museu no Brasil dedicado às questões do design, a oportunidade de mostrar esta tradição brasileira e trazer a trajetória da Embraer ao grande público é um importante momento de reforço da missão da instituição”, comentou a diretora geral do MCB, Miriam Lerner.

FOLHAMT


FAB fará palestra em Barra do Garças antes da apresentação da esquadrilha da Fumaça dia 26/7

Assessoria
Na próxima quarta-feira (26/07) além de acompanhar a apresentação da esquadrilha da fumaça as 16h30 no Porto do Baé, a população de Barra do Garças e região terá a oportunidade de conhecer com detalhes o trabalho da Aeronáutica.
Uma palestra que será realizada no período da manhã na Câmara Municipal irá orientar sobre civismo, patriotismo, cidadania e a importância do trabalho desempenhado pela FAB.
Haverá uma explanação direcionada aos jovens de como fazer o ingresso e alistamento, conhecer o Serviço Militar, Esquadrilha da Fumaça e outras atividades desenvolvidas pela Força Aérea Brasileira. A palestra com os integrantes da esquadrilha da Fumaça terá início às 10 horas.
PALESTRA - 10h00 NA CÂMARA MUNICIPAL
APRESENTAÇÃO – 16H30 NO PORTO DO BAÉ

REVISTA OLHAR DIGITAL


Estudo: barulho dos drones irrita mais que o dos carros

Leonardo Pereira
Um estudo preliminar conduzido pela Nasa revelou que as pessoas acham o som emitido pelos drones mais irritante do que aquele que sai dos carros. O que pode ser problema para empresas de varejo e entregas, que pretendem usar o recurso comercialmente no futuro.
Coautor do estudo, Andrew Christian, que atua no Centro de Pesquisas Langley, disse à New Scientist que a descoberta foi uma surpresa quase desagradável, já que esse nem era o propósito do trabalho.
Eles só queriam comprovar que o ambiente acústico de Langley poderia contribuir para as pesquisas da Nasa sobre drones. Tanto que só estudaram 38 pessoas. A baixa amostragem, entretanto, não causa desconfiança nos resultados, uma vez que os participantes não sabiam que estavam ouvindo o barulho de um drone e nem qual era o motivo do experimento.
O desconforto deles em relação aos dispositivos foi tamanho que o som era comparável ao de um carro que de repente ficou duas vezes mais próximo do que estivera. E a irritação supera a do barulho de veículos tradicionais mesmo quando ambos estão no mesmo volume.
Uma das explicações imaginadas por Christian e sua equipe está na vagareza dos drones. Como demoram mais que os carros para se locomover, eles permanecem por um tempo maior emitindo som no mesmo ambiente.
Os drones usados para o estudo são mais lerdos que os em desenvolvimento pela Amazon, que planeja criar máquinas capazes de alcançar 95 km/h. Em contato com a New Scientist, um porta-voz da companhia ressaltou que seus drones devem voar em altas altitudes ("bem acima das pessoas e estruturas") e de forma mais silenciosa.

A CIDADE (SP)


Atendidos do projeto Soldado Mirim recebem visita de aluno do ITA

Votuporanguense Matheus Henrique França Laranja, aluno do ITA e aspirante do CPOR da Aeronáutica, visitou o projeto social e ministrou aulas de reforço escolar
Seguindo no seu ideal de transformar vidas e oportunizar a inclusão social de crianças e adolescentes, a Prefeitura de Votuporanga e o Tiro de Guerra, dentro do Projeto Soldado Mirim, instituíram durante este período de férias, as aulas de reforço escolar.
Na manhã desta quarta-feira (1W7), além da monitoria oferecida pelos próprios atiradores do TG 02-0 o projeto ganhou mais um colaborador, o votuporanguense Matheus Henrique França Laranja, aluno do ITA - Instituto Tecnológico da Aeronáutica e aspirante do CPOR da Aeronáutica, de São José dos Campos.
O Centro de Preparação de Oficiais da Reserva - CPOR, da Aeronáutica de São José dos Campos, forma aspirantes a Oficial da Reserva da Aeronáutica, proporcionando aos alunos do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) a prestação do Serviço Militar em nível compativel com sua formação técnico-profissional, além de atividades complementares para alunos do curso profissional do ITA (Aspirantes convocados), visando ao preparo militar de oficiais para o Quadro de Oficiais Engenheiros do Corpo de Oficiais da Aeronáutica (QOENG), da ativa.
Matheus esteve acompanhado pelo presidente da Câmara e também parceiro do projeto Osmair Ferrari, tendo sido recebidos pelo sargento Heróito Gomes, chefe de instrução da unidade militar. Também nesta quarta-feira, a tropa do Soldado Mirim foi conhecer as instalações do Fórum da Comarca e a sede do Ministério Público e, posteriormente, no auditório do MP, foram contemplados com uma palestra do Dr. José Vieira, promotor da Vara da Criança e do Adolescente. A primeira turma do projeto Soldado Mirim desenvolve várias atividades semanais e se estenderá até novembro, com as instruções ministradas por policiais militares, psicólogos e atiradores, além de visitas programadas aos vários órgãos da Prefeitura, Câmara Municipal, dentre outros.

BARBACENA ONLINE


Epcar celebra aniversário do Pai da Aviação

Cerimônia será no Pátio da Bandeira
Da Redação
O 144° aniversário de nascimento do Pai da Aviação, Marechal-do-ar Alberto Santos Dumont, será celebrado pela Escola Preparatória de Cadetes do Ar (Epcar) nesta quinta-feira (20). O comandante da Escola, Brigadeiro do Ar José Aguinaldo de Moura, presidirá a cerimônia no Pátio da Bandeira, às 10h, com entrada franca.
Durante a cerimónia o Patrono da Aeronáutica será homenageado com o hasteamento da insígnia e execução do toque de Marechal do Ar, posto mais alto da Força Aérea, e com a imposição da comenda de Mérito Santos Dumont. Oficiais e praças também serão condecorados com a "Medalha Militar". A Medalha de Mérito Santos Dumont foi criada em 5 de setembro de 1956, durante as comemorações do cinquentenário do voo do 14-Bis, e é concedida em quatro graus: Grande Colar, Ouro, Prata e Bronze. A condecoração é entregue a militares que se destacaram na profissão e também a civis que tenham prestado serviços à Aeronáutica.
Jovem mineiro, nascido em 1873, na fazenda "Cabangu", Santos Dumont dedicou anos de sua vida ao propósito de beneficiar a humanidade e protagonizou uma das façanhas mais importantes da história: elevar às alturas o 14-BIS, aeronave utilizada no primeiro voo de avião homologado da história da aviação. 

A TRIBUNA (SP)


Codesp desiste de incinerar gases tóxicos em Guarujá

Autoridade Portuária tem até esta quinta-feira para apresentar ao Gaema alternativas de descarte dos produtos químicos
Fernanda Balbino
A Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), a estatal que administra o Porto de Santos, descartou que a queima dos gases tóxicos armazenados em instalações do Valongo, em Santos, aconteça em Guarujá. Nesta quinta-feira (20), termina o prazo estipulado pelo Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente (Gaema), do Ministério Público de São Paulo, para que a Autoridade Portuária apresente uma solução para o problema.
Os produtos tóxicos foram descobertos em um armazém por técnicos da área de Meio Ambiente da Codesp há cerca de dois anos. A estimativa é que de os cilindros estejam no local há 20 anos. Mesmo aparentando bom estado, pelo tempo que permaneceram esquecidos, eles perderam a garantia de controle de suas válvulas.
De acordo com a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), sete cilindros contêm gases explosivos e 108, gases inflamáveis. Por isso, a maneira mais segura de descartar as mercadorias seria a queima dos componentes. Entre as cargas, está a fosfina (outra denominação do hidreto de fósforo), que é altamente tóxica e usada para erradicar pragas.
O plano da Docas era queimar o conteúdo dos cilindros na Base Aérea de Santos, no distrito de Vicente de Carvalho, em Guarujá. O material seria retirado do Valongo, carregado em uma embarcação e levado até a unidade da Aeronáutica, que fica às margens do canal de navegação.
No entanto, a Prefeitura de Guarujá se posicionou contra o transporte dos cilindros para o município. A alegação é de que a população da cidade não pode ser exposta a um risco, já que a própria Codesp reconhece o potencial destrutivo da carga.
Inicialmente, a Autoridade Portuária informou que, se um dos cilindros apresentar vazamentos, há a possibilidade de explosões. E como se tratam de gases tóxicos, o problema ainda poderia ocasionar a evacuação de vários bairros da cidade.
Depois, a Docas voltou atrás e disse que a situação não é tão alarmante. A estatal que administra o Porto afirma que os cilindros estão sendo monitorados através de câmeras e que há uma empresa contratada para avaliar as condições da mercadoria perigosa.
Discussão
O deputado federal Marcelo Squassoni (PRB) pretende levar o assunto à próxima reunião do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Baixada Santista (Condesb), onde os nove prefeitos da Região têm assento.
“Ainda estamos trabalhando por uma solução definitiva sobre o que fazer com os cilindros. Não se sabe ao certo os malefícios que essa queima poderia trazer, então, não tem sentido pôr em risco a população de uma cidade inteira e suas vizinhas”, destacou o deputado, que considera a hipótese de descarte do material em alto mar.

JORNAL DO GRANDE ABC


Morre empresário Jairo Cândido, um dos pioneiros da Defesa na região 

Soraia Abreu Pedrozo
Em região essencialmente industrial, dominada pelo segmento automobilístico, o empresário Jairo Cândido optou por investir no setor da Defesa e Segurança ao fundar o Grupo InbraFiltro em 1979, em Mauá – forte nome no ramo de blindagens e fornecedor das Forças Armadas e da Embraer.
Um dos pioneiros do segmento no Grande ABC, e personalidade fortemente atuante para ampliar o desenvolvimento da Defesa no Brasil, Cândido morreu na terça-feira, dia 18, aos 74 anos.
O empresário descobriu que sofria de leucemia em fevereiro e, após se submeter a três tipos de tratamento – e, mesmo assim, seguir à frente do grupo –, ele não resistiu. Cândido foi velado e enterrado no mesmo dia de seu falecimento, no Cemitério do Morumbi.
Diretor titular do Comdefesa (Comitê de Defesa) da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Cândido foi um dos principais articuladores para que o governo escolhesse o avião-caça Gripen, da Saab, para substituir a frota das 36 aeronaves da FAB (Força Aérea Brasileira).
Tanto que selou parceria com a fabricante sueca para a criação da SBTA (São Bernardo Tecnologias Aeronáuticas) – que recentemente teve seu nome modificado para SAM (Saab Aeronáutica Montagens) –, joint venture responsável por gerenciar a cadeia de suprimentos e produzir partes estruturais do avião supersônico, como as asas e as partes traseira e dianteira da fuselagem, em São Bernardo. Após atrasos no cronograma, o início da confecção é esperado para 2019.

CNN MONEY


Brazilian aircraft takes on an American military icon

Perched in the cockpit of one of the newest military aircraft in the world as it streaks through the sky, I’ve got a front row seat for a Brazilian sales pitch aimed at unseating an American icon.
by Thom Patterson
Brazilian aircraft manufacturer Embraer brought its all-new prototype jet-powered KC-390 military cargo hauler to the Paris Air Show to woo the world’s military brass and convince them it’s time to give up Lockheed Martin’s C-130 Hercules.
The C-130 is the world’s longest-running production aircraft and the preferred workhorse of the U.S. Air Force. There are just over 1,100 military and civilian C-130s flying today that will eventually need to be replaced. Embraer wants to fill those spots.
"We do respect the competition" from Lockheed (LMT), said Embraer’s chief executive, Paulo Cesar de Souza e Silva. "It’s now time to have something newer and we are there for that."
The development of the KC-390 is also part of Brazil’s broader ambition to be a bigger industrial player on the world stage.
Better known for its small commercial airliners, Embraer has, until recently, avoided going head-to-head with bigger manufacturers like Boeing (BA) and Airbus (EADSF).
"In some ways, this jet is a proxy to Brazil’s rise as a global power," says to a report by Richard Aboulafia, Vice President of Analysis at the Teal Group, an aerospace consultancy.
The nearly 61-foot-long cargo deck of the new KC-390 can carry anything from armored vehicles and troops to humanitarian supplies and aerial refueling equipment. Zipping along at 300 mph and 15,000 feet above the French countryside, it’s hauling journalists for the first time.
Heavily updated little by little over the years, the U.S. Air Force is flying the latest model of the C-130J Super Hercules.
It has new engines and avionics, but the aircraft is the same basic shape that is has flown more than 1.5 million flight hours over 60 years.
And the U.S. military’s stamp of approval is no small hurdle to overcome.
That’s "more than just a product endorsement," Aboulafia said. It’s a guarantee that spare parts will be plentiful around the globe and the C-130 will continue to be upgraded for decades to come.
Both the KC-390 and Lockheed’s Hercules are designed to land on short, unpaved dirt or sand runways, and their engines can withstand the beating from rocks and dust.
But the faster jet-powered KC-390 has a 140-mph speed advantage over the 400 mph, four-propeller driven, Hercules. Embraer says the KC-390 can haul up to 50,000 pounds of cargo on its 19-foot longer cargo deck - about 6,000 more than Lockheed’s plane.
Perhaps most essentially, Embraer thinks it can replace the C-130 for less money.
The estimated price for each KC-390 would range between $50 million to $55 million, according to a 2016 report from the Teal Group -- around $15 million less than the Hercules.
It’s "a fantastic cargo box for the price," said Aboulafia.
Embraer is betting that politicians and taxpayers will give the KC-390 an advantage.
But Lockheed’s motto is "the only replacement for a Herc is another Herc."
The Brazilian rival may be less expensive, but there are attributes of the Herc that it can’t match.
The C-130’s straight wing can get it off the ground faster in battle with more troops or cargo.
"If you’re looking for combat lift, I think that the Herc’s just going to have an advantage," Aboulafia said. "If you’re looking to simply deliver stuff from one airfield to another, the KC-390’s probably going to have better economics."
Currently only two experimental KC-390s are flying, and the airlifter is still being tested, so it will be a while before it can declare victory.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented