|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 14/06/2017 / Farc entregam 60% de seu arsenal à ONU


Farc entregam 60% de seu arsenal à ONU ...  

Guerrilheiros entregaram o segundo lote à missão que monitora o desarmamento ...  

LA ELVIRA, COLÔMBIA - As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) iniciaram nesta terça-feira a entrega à missão da ONU de um segundo lote de 30% das armas de seu arsenal, em um ato na zona rural de La Elvira, no Departamento de Cauca, no sudoeste do país.

Na quinta-feira passada as Farc já tinham anunciado a entrega à ONU de um primeiro lote equivalente a 30% de suas armas, entre as quais havia fuzis, pistolas, lança-granadas e lança-foguetes.

Desta forma, a guerrilha entregou 60% das suas armas à ONU, em uma processo que deve terminar no próximo dia 20 de junho com os 40% restantes.

O ato desta terça-feira não foi presenciado pelo presidente colombiano, Juan Manuel Santos, em razão do mau tempo na região que impediu a aterrissagem do helicóptero em que viajava na companhia do ex-primeiro-ministro da Espanha Felipe González e do ex-presidente do Uruguai José Mujica.

Por essa razão, a comitiva presidencial retornou a Cali, capital do departamento vizinho de Valle del Cauca, de onde acompanhou o ato pela televisão ao lado dos dois ex-governantes que lideram o mecanismo de verificação e acompanhamento internacional para a implementação do acordo de paz.

O chefe da Missão Especial da ONU, Jean Arnault, destacou durante o ato em La Elvira o passo dado pelas Farc rumo à vida civil e declarou que "a política sem armas é possivelmente o melhor símbolo deste processo".

"Somos testemunhas hoje da etapa final do processo de entrega de armas individuais, com 30% destas armas já armazenadas nos contêineres da missão", ressaltou.

Arnault afirmou ainda que, apesar de o processo de paz não ter sido isento de "episódios de desalento" e "momentos de ceticismo", no futuro "haverá outros momentos difíceis".

"No entanto, algo que caracterizou o processo de paz da Colômbia é a determinação do governo da Colômbia e das Farc de persistir e de superar uma e outra vez os desafios no caminho da paz", comentou.

Por sua parte, o comandante guerrilheiro Jorge Torres Victoria, codinome "Pablo Catatumbo", principal representante das Farc no ato, declarou que "o cessar-fogo evitou mais de 2.500 mortos, soldados, policiais e guerrilheiros filhos de famílias colombianas".

Além disso, destacou que é hora de "construir pontes" e lembrou que a entrega das armas por parte da guerrilha está sendo realizada de acordo com seu compromisso.

"Esperamos que os guerrilheiros tenham garantias jurídicas e econômicas para a sua reintegração à vida normal do país", disse "Catutumbo", ao mesmo tempo em que exigiu a instalação da comissão especial de combate ao paramilitarismo, segundo ele "a principal ameaça que paira sobre a paz".

Ao final do ato, os guerrilheiros de La Elvira receberam o documento em que a ONU certifica que deixaram suas armas para que possam empreender seu caminho para a vida civil. / EFE



Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




JORNAL CORREIO DO ESTADO (MS)


Ernesto Caruso: "Credibilidade das Forças Armadas"

Militar reformado

De um modo geral, as pesquisas feitas sobre a confiança da população nas instituições, têm demonstrado a prevalência do seguimento militar sobre as entidades componentes da sociedade brasileira, políticas, administrativas, judiciais, etc.
Para exemplificar, no extrato do ICJBRASIL (Índice de Confiança na Justiça), elaborado pela Direito GV, em 2012, consta: ”As Forças Armadas lideram o ranking das instituições em que a população mais confia com 73% das respostas, seguida da Igreja Católica (56%), Ministério Público (55%), grandes empresas (45%) e imprensa escrita (44). Depois... aparecem o Judiciário, com 42% e o Governo Nacional com 40%... emissoras de TV, com 33% de confiança... Congresso Nacional (22%) e Partidos Políticos (5%).
“O índice de confiança no Poder Judiciário fica atrás das Forças Armadas, que lidera o ranking com 59% da confiança, da Igreja Católica (57%), imprensa escrita (37%), Ministério Público (36%), grandes empresas (34%) e emissoras de TV (33%).” (Estadão 28/10/2016)
Por que as Forças Armadas desfrutam de elevado conceito junto à sociedade? Vale perguntar e refletir em especial diante das campanhas orquestradas por notórias fontes contra essas instituições, não pelo que elas representam, mas pelo período histórico do regime militar instituído em 1964, quando o país esteve muito próximo de se tornar comunista.
No interregno considerado até 1985, quando foi eleito um civil para presidente, houve incontestável desenvolvimento nos vários campos do Poder Nacional superando momentos de tensão vividos na fase da luta armada, a cita o atentado por carro-bomba contra a guarda do QG do II Exército em São Paulo, em 26 de junho de 1968, que vitimou o soldado de sentinela, Mário Kozel Filho.
Repete-se à exaustão que a “ditadura matou, torturou, prendeu, estuprou,...”, mas não convence a sociedade que viveu aquela fase e que transmite aos filhos a outra versão dos fatos.
Paralelamente ao nível de agressão do jargão “tortura nunca mais” (omitindo o “terrorismo” praticado pelos marxistas-leninistas) se pretende enlamear o estamento militar com a podridão que contaminou políticos, agentes públicos e empresários, corruptos de elevada periculosidade capitaneados pelo Partido dos Trabalhadores no projeto de poder criminoso, com alguns dos líderes condenados, o indiciamento de outros, e o rastro do esbulho nas empresas e bancos públicos.
Ânsia por vingança não faltou aos muitos adeptos do marxismo e aos partícipes da luta armada para vasculhar o passado e encontrar algum dos presidentes militares ou seus parentes com sinais de riqueza ilícita. Ou que tenham deixado heranças de vulto. Pisaram e repisaram na questão política, se locupletaram com ricas indenizações, mas nada se comprovou sobre corrupção como hoje, sendo Lula guindado com o título de penta denunciado e candidato à presidência de República em 2018. Será?
Embora nenhuma entidade esteja livre de servidores corruptos, parece que a resultante da dupla-agressão não atinge as forças singulares, pois continuam em alta no conceito geral.
Lula em discurso se refere ao presidente Médici como popular, trata do “auge do milagre brasileiro”, “o emprego era uma loucura... os trabalhadores estavam na porta de uma empresa procurando emprego e passava um ônibus de outra oferecendo para ganhar mais...” e que o Médici ganharia uma eleição se houvesse.
Em 2017, depõe o empresário Emílio Odebrech afirmando tratar-se de 30 anos de corrupção, como “negócio institucionalizado”. Ou seja... pós 1987.
A crença nas Forças Armadas é tão elevada, como demonstrado em pesquisa, que 30% da população são favoráveis à intervenção militar, índice não alcançado pelos partidos na disputa eleitoral. Mas, como afiançado pelos comandos militares não há solução fora do que rege a Constituição.
No topo a revolta do brasileiro contra essa esquerda que assumiu o país pregando o “tudo pelo social”; assaltou os cofres públicos; detonou os sistemas de saúde e de segurança; contribuiu para a degradação dos costumes; definhou a autoridade do profissional de educação, componente de suma importância para complementar a formação dos jovens alunos e os tornar responsáveis, conscientes dos seus direitos e obrigações; e, continua solapando as tradições da família cristã.

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


Farc entregam 60% de seu arsenal à ONU

Guerrilheiros entregaram o segundo lote à missão que monitora o desarmamento

LA ELVIRA, COLÔMBIA - As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) iniciaram nesta terça-feira a entrega à missão da ONU de um segundo lote de 30% das armas de seu arsenal, em um ato na zona rural de La Elvira, no Departamento de Cauca, no sudoeste do país.
Na quinta-feira passada as Farc já tinham anunciado a entrega à ONU de um primeiro lote equivalente a 30% de suas armas, entre as quais havia fuzis, pistolas, lança-granadas e lança-foguetes.
Desta forma, a guerrilha entregou 60% das suas armas à ONU, em uma processo que deve terminar no próximo dia 20 de junho com os 40% restantes.
O ato desta terça-feira não foi presenciado pelo presidente colombiano, Juan Manuel Santos, em razão do mau tempo na região que impediu a aterrissagem do helicóptero em que viajava na companhia do ex-primeiro-ministro da Espanha Felipe González e do ex-presidente do Uruguai José Mujica.
Por essa razão, a comitiva presidencial retornou a Cali, capital do departamento vizinho de Valle del Cauca, de onde acompanhou o ato pela televisão ao lado dos dois ex-governantes que lideram o mecanismo de verificação e acompanhamento internacional para a implementação do acordo de paz.
O chefe da Missão Especial da ONU, Jean Arnault, destacou durante o ato em La Elvira o passo dado pelas Farc rumo à vida civil e declarou que "a política sem armas é possivelmente o melhor símbolo deste processo".
"Somos testemunhas hoje da etapa final do processo de entrega de armas individuais, com 30% destas armas já armazenadas nos contêineres da missão", ressaltou.
Arnault afirmou ainda que, apesar de o processo de paz não ter sido isento de "episódios de desalento" e "momentos de ceticismo", no futuro "haverá outros momentos difíceis".
"No entanto, algo que caracterizou o processo de paz da Colômbia é a determinação do governo da Colômbia e das Farc de persistir e de superar uma e outra vez os desafios no caminho da paz", comentou.
Por sua parte, o comandante guerrilheiro Jorge Torres Victoria, codinome "Pablo Catatumbo", principal representante das Farc no ato, declarou que "o cessar-fogo evitou mais de 2.500 mortos, soldados, policiais e guerrilheiros filhos de famílias colombianas".
Além disso, destacou que é hora de "construir pontes" e lembrou que a entrega das armas por parte da guerrilha está sendo realizada de acordo com seu compromisso.
"Esperamos que os guerrilheiros tenham garantias jurídicas e econômicas para a sua reintegração à vida normal do país", disse "Catutumbo", ao mesmo tempo em que exigiu a instalação da comissão especial de combate ao paramilitarismo, segundo ele "a principal ameaça que paira sobre a paz".
Ao final do ato, os guerrilheiros de La Elvira receberam o documento em que a ONU certifica que deixaram suas armas para que possam empreender seu caminho para a vida civil. / EFE

PORTAL UOL


Embraer está perto de assinar contrato para venda de cargueiro KC-390 a Portugal, diz fonte


Rodrigo Via Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Embraer espera assinar em cerca de três meses um contrato de venda de aviões modelo KC-390 com o governo português, o que marcará uma nova era para a fabricante brasileira, que negocia ainda com outros 10 países a comercialização do cargueiro, disse à Reuters uma fonte próxima às negociações.
Executivos da Embraer estão nesta semana na Suécia para apresentar o cargueiro brasileiro ao mercado local e, depois, o KC-390 também será uma das atrações da empresa na tradicional feira de Le Bourget, em Paris, na França.
Há conversas em andamento com vários países, incluindo Suécia, Alemanha e Chile, para a venda do KC-390, disse a fonte, na condição de anonimato.
"A Embraer trata com cerca de 10 países e as conversas estão em diferentes estágios. Esperamos que possam evoluir", afirmou a fonte à Reuters. "Os portugueses já aprovaram no conselho de ministros a autorização para iniciar negociações de um contrato para cinco aeronaves", acrescentou a fonte.
A partir da semana que vem, representantes da Embraer devem fortalecer as tratativas com os portugueses para que em três meses já se tenha um contrato pronto para ser assinado com o governo de Portugal.
"As negociações vão se intensificar na próxima semana e a perspectiva é de que o contrato estará pronto para ser assinado em cerca de 3 meses", frisou a fonte.
Se concretizado o negócio, será a primeira venda externa do cargueiro KC-390. Até agora, a empresa tinha um contrato com o governo brasileiro para fornecer 28 aeronaves ao longo dos próximo anos. Os dois primeiros aviões devem ser entregues à Força Aérea Brasileira (FAB) no ano que vem.
"Para a Embraer é um novo estágio e algo muito importante porque representará o primeiro contrato internacional", avaliou a fonte. "Isso tende a abrir portas", complementou.
Os valores do negócio e da aeronave são guardados em sigilo pela empresa, mas comenta-se que a FAB investiu 7,2 bilhões de reais para a compra dos cargueiros.
Em abril, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, e a então presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Maria Silvia Bastos Marques, anunciaram a criação de uma linha de financiamento voltada para a exportação de bens e serviços de defesa produzidos no país.
O BNDES poderá financiar até 100 por cento do bem e as condições serão definidas caso a caso. O cargueiro aéreo KC-390 produzido pela Embraer seria um potencial item financiável, assim como blindados e submarinos, de acordo com Jungmann.

ITA encerra pedidos de isenção do Vestibular 2018 nesta quarta-feira (14)

É preciso atender critérios de escolaridade, renda e idade para solicitar o benefício.

Lorraine Vilela Campos

O Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) encerra nesta quarta-feira, 14 de junho, as inscrições do Programa de Isenção de Pagamento da Taxa de Inscrição (PIPTI).
Os interessados precisam preencher o formulário eletrônico para solicitar a isenção. Após o preenchimento, o comprovante será gerado com um código e o endereço para envio dos documentos comprobatórios.
A documentação (disponível neste link) deve ser encaminhada via Sedex ou entrega expressa, sendo a data máxima de postagem o dia 26 de junho.
Quem pode pedir a isenção?
A isenção é voltada para os candidatos com condições médicas e físicas para o serviço militar e que estejam inclusos nos seguintes critérios:
- Estudar em escola pública ou como bolsista integral em colégio particular com renda familiar per capita de até 1,5 salário mínimo;
- E ter no máximo 23 anos completos até 31 de dezembro de 2017.
Resultado
O resultado do Programa de Isenção de Pagamento da Taxa de Inscrição do Vestibular 2018 do ITA será publicado no dia 21 de julho, a partir das 16h.
O vestibulando isento não estará automaticamente inscrito no Vestibular 2018 do ITA. Ele (a) precisará se inscrever normalmente.
Vestibular
O Vestibular do ITA contará com inscrições de 1º de agosto a 15 de setembro. O valor da taxa ainda não foi informado.
O Exame de Escolaridade será entre os dias 12 a 15 de dezembro. As provas serão constituídas das disciplinas de Física, Inglês, Matemática, Português e Química. Além disso, existe a Inspeção de Saúde dos candidatos classificados.
A data do resultado final do Vestibular 2018 do ITA ainda não foi divulgado, assim como a quantidade de vagas.
O Vestibular do ITA 2018 preencherá vagas no Curso Fundamental de Engenharia. A oferta é para São José dos Campos/SP. Após o 1º ano, os alunos escolhem uma das modalidades da Engenharia.
Mais informações no site do ITA e no edital do Programa de Isenção.

REVISTA VEJA.COM


Não faltou aviso para Temer evitar jatinhos de empresários

Uma vez ou outra, ele usou apenas aeronaves de aliados políticos

Por Gabriel Mascarenhas

Auxiliares próximos a Michel Temer o alertaram diversas vezes sobre os riscos de se pegar caronas em aviões de empresários desde o dia em que ele passou a ocupar uma sala no Palácio do Planalto.
Não foram poucas as vezes em que o peemedebista ouviu coisas como “Presidente, vá para onde for, mas de FAB”. Temer parecia obediente. No máximo, vez ou outra, embarcava em jatinhos de aliados políticos, tipo Sandro Mabel e Newton Cardoso.
Não por acaso, quando ignorou a pregação dos assessores, foi para aceitar um favor de Joesley Batista, aquele que iria explodir seu governo seis anos depois do voo que agora ele jamais se esquecerá. Não foi por falta de aviso.

AGÊNCIA BRASIL


Correio Aéreo Nacional completa 86 anos

Ainda está entre os destaques desta edição do Forças do Brasil, a Data Magna da Marinha do Brasil pela Batalha Naval do Riachuelo

No Ar Em 13/06/2017 - 10:43

No Forças do Brasil desta semana conheça o Correio Aéreo Militar, que comemorou, nesta segunda-feira (12), 86 anos de atividades.
A importância da Família Militar é um dos temas de uma entrevista exclusiva que o ministro da Defesa, Raul Jungmann, concedeu ao programa. O ministério completou 18 anos no último sábado (10).
Ainda está entre os destaques desta edição, a Data Magna da Marinha do Brasil pela Batalha Naval do Riachuelo: primeira grande vitória militar do Brasil.

AGÊNCIA CÂMARA


Chega à Câmara projeto que define crimes de abuso de autoridade

Proposta causou polêmica entre os senadores durante a análise do texto naquela Casa

Lara Haje Com Informações Da Agência Senado

A Câmara dos Deputados começa a analisar o Projeto de Lei 7596/17, do Senado, que define os crimes de abuso de autoridade, cometidos por servidores públicos e membros dos três poderes da República, do Ministério Público, dos tribunais e conselhos de contas e das Forças Armadas.
A proposta lista 37 ações que poderão ser consideradas abuso de autoridade, quando praticadas com a finalidade específica de prejudicar alguém ou beneficiar a si mesmo ou a terceiro. Entre elas, obter provas por meios ilícitos; executar mandado de busca e apreensão em imóvel, mobilizando veículos, pessoal ou armamento de forma ostensiva, para expor o investigado a vexame; impedir encontro reservado entre um preso e seu advogado; e decretar a condução coercitiva de testemunha ou investigado sem intimação prévia de comparecimento ao juízo.
Além disso, poderá ser punida a divulgação de gravação sem relação com a prova que se pretendia produzir, expondo a intimidade do investigado; fotografar ou filmar um preso sem o seu consentimento; colocar algemas no preso quando não houver resistência à prisão.
O projeto prevê também punição para a “carteirada” – o ato de uma autoridade fazer uso do seu cargo para obter vantagem ou privilégio indevido. Também será punida a autoridade que demorar demasiada e injustificadamente no exame de processo de que tenha requerido vista em órgão colegiado, para retardar o julgamento.
Penas
As penas previstas variam de seis meses a quatro anos de prisão, mais multa, e serão aplicadas independentemente das sanções de natureza civil ou administrativa cabíveis.
Além disso, as autoridades condenadas terão que indenizar a vítima, devendo o juiz fixar na sentença o valor mínimo de reparação.
Em caso de reincidência, também poderá haver a inabilitação para exercício da função pública pelo período de um a cinco anos e a perda do cargo, mandato ou função.
Segundo o texto, algumas penas restritivas de direitos poderão substituir as penas privativas de liberdade, como prestação de serviços à comunidade; suspensão do exercício do cargo pelo prazo de um a seis meses, com a perda dos vencimentos; proibição de exercer funções de natureza policial ou militar no município em que tiver sido praticado o crime pelo prazo de um a três anos.
Polêmica
O autor do projeto, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), explica que o texto foi apresentado a partir de contribuições encaminhadas pela Procuradoria-Geral da República ao Parlamento.
No Senado, o projeto (PLS 85/17) provocou polêmica. Alguns senadores criticaram a proposta, afirmando que poderia prejudicar a Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que investiga esquemas de corrupção no poder público federal e tem diversos parlamentares e ministros como alvo.
A proposta só foi aprovada após a retirada do texto do chamado “crime de hermenêutica” (que pune o juiz por uma interpretação da lei que fosse revertida em instância superior) e da possibilidade de ações penais privadas a qualquer momento contra os crimes descritos.
Ação penal
Segundo o texto, os crimes de abuso de autoridade serão alvo de ação penal pública incondicionada. Será admitida ação privada apenas se a ação penal pública não for oferecida no prazo legal. A ação privada será admitida em até seis meses após o esgotamento desse prazo.
No caso de ação privada, caberá ao Ministério Público aditar a queixa, repudiá-la e oferecer denúncia substitutiva, intervir em todos os termos do processo, fornecer elementos de prova, interpor recurso e, a todo tempo, no caso de negligência do autor, retomar a ação como parte principal.
O projeto diz ainda que o mandado de prisão temporária conterá necessariamente o período de duração dela, bem como o dia em que o preso deverá ser libertado. Esse período poderá, porém, ser prorrogado.
Tramitação
A proposta ainda será distribuída às comissões permanentes.
Caso o projeto seja aprovado pela Câmara, será revogada a atual Lei do Abuso de Autoridade (4.898/65)


PORTAL VEJA.COM


Por dentro do projeto do “carro voador” da Uber

Reportagem de VEJA mostra detalhes da empreitada, uma parceria da empresa americana com a brasileira Embraer

Jennifer Ann Thomas

Quem cresceu assistindo na TV aos desenhos da produtora americana Hanna-Barbera construiu no imaginário uma ideia de futuro tal como ele era vivido em Os Jetsons. Lançada em 1962, a animação exibia o cotidiano de uma família no então longínquo ano de 2062, com carros voadores nos céus. O sonho de voar corriqueiramente foi também tema de outras obras da ficção científica. Até há pouco tempo, porém, tal anseio parecia irrealizável. Contudo, a Uber, empresa por trás do aplicativo homônimo de transporte urbano, pretende mudar o cenário. VEJA teve acesso a detalhes de um projeto para a fabricação, em parceria com a Embraer, de planadores — similares a drones, mas gigantes — que devem ser utilizados para viagens em cidades. O veículo, chamado de Vtol (sigla em inglês para “aeronaves com decolagem e pouso na vertical”), já ganhou o apelido de… “carro voador”.
Imagem
JORNAL HOJE EM DIA (MG)


Dia Mundial do Doador de Sangue é celebrado com festa em Belo Horizonte


Da Redação

Quem doar sangue nesta quarta-feira (14) na Fundação Hemominas, na Alameda Ezequiel Dias, na região hospitalar de Belo Horizonte, vai participar de uma atividade diferente. Para celebrar o Dia Mundial do Doador de Sangue, o órgão irá promover degustação de comidas típicas das festas juninas e apresentações de grupos de quadrilha e da banda da Força Aérea Brasileira (FAB), das 9h às 17h.
Também estão previstas ações de divulgação no posto de coleta do Shopping Estação e na estação do metrô Vilarinho, em Venda Nova. No interior do Estado, cada unidade da Hemominas terá uma programação.
As atividades integram o Junho Vermelho, mês em que se intensificam as campanhas de conscientização da importância da doação de sangue. Nesse período, os estoques ficam muito baixos em razão da queda na temperatura, quando as pessoas costumam ficar mais em casa, porém, mais propensas a resfriados. Outro ingrediente que diminui o número de doadores é a vacinação, como a da gripe.
Requisitos
Para ser doador de sangue, o interessado deve ter entre 16 e 69 anos, peso acima dos 50 kg, estar em condições plenas de saúde, estar alimentado e não ter ingerido bebida alcoólica nas 24 horas que antecedem a doação.
O candidato deve apresentar documento original oficial com foto, filiação e assinatura. De cada pessoa é possível retirar até 450 ml de sangue, volume que não faz falta ao doador e contribui para atender até quatro pacientes.
O horário de atendimento das unidades e os endereços em todo o estado podem ser acessados no site www.hemominas.mg.gov.br. Nesse mesmo endereço, é possível, realizar o agendamento online da doação de sangue. Todas as condições, critérios e restrições podem ser consultados neste link página da Hemominas.

PORTAL DEFESANET


Militares da FAB revelam experiências em missões humanitárias

Dia da Aviação de Transporte é comemorado em 12 de junho

Ten Raquel Timponi

Matéria veiculada em 12/06/2017
“Saímos de Manaus (AM) com destino a Medellín, na Colômbia. De volta ao Brasil, outra equipe do esquadrão assumiu a aeronave e seguiu até o velório, em Chapecó (SC). O resgate envolveu três aviões C-130 Hércules. Minha incumbência foi acompanhar a Defesa Civil colombiana no embarque de cerca de 20 urnas funerárias e conferir as certidões de óbito dos jogadores”.
Imagem
O depoimento é do Capitão Rafael Portella Santos, piloto de C-130 Hércules, do Esquadrão Cascavel (1º GTT), ao contar sua experiência na Aviação de Transporte. No mês em que se comemora o Dia da Aviação de Transporte, o NOTAER selecionou histórias de profissionais sobre missões de ajuda humanitária.
Emoção no transporte em ajuda às causas humanitárias Entre as diversas missões vivenciadas pelo Capitão Portella, em seus 17 anos de atuação na FAB, ele destaca as três mais relevantes. Transporte das vítimas da Chapecoense - novembro de 2016 - “Sabemos que somos sujeitos a várias situações inerentes a nossa atividade.
O traslado das vítimas do time da Chapecoense foi uma triste, mas importante missão. O que nos motivou foi saber que muitas famílias e parentes precisavam daquele retorno. Focamos em fazer o melhor que podíamos no cumprimento da missão”.
Combate ao incêndio no Chile - janeiro de 2017 - No caso específico do Chile, optamos por atuar de forma concentrada no combate ao incêndio por voo, em regiões próximas às populações. O incêndio estava descendo a montanha, quase atingindo uma pequena vila na cidade de Dichato. Com o jato concentrado, conseguimos controlar e impedir que o fogo chegasse às casas”, conta emocionado. “Quando saíamos para o mercado ou restaurante, a população nos abraçava, falava sobre o C-130 Hércules, nos agradecia. Foi muito gratificante”, revela.
Imagem
Enchentes no Peru - março e abril de 2017 - No Peru, uma das regiões mais atingidas com alagamentos foi Piúra. Como eram muitos desabrigados, adaptamos a aeronave, de forma alternada, para o transporte de pessoas e mantimentos. Nos sobrevoos, víamos casas alagadas, estradas interditadas. Levávamos mantimentos e, quando retornávamos para Lima, a gente trazia passageiros, para que pudessem ter uma assistência melhor.
Variedade do serviço da Aviação de Transporte na FAB
O serviço de aviação de transporte existe desde a criação da Força Aérea Brasileira, em 1941. No segmento, a FAB atua em diversas atividades que atendem todo o País, como: segurança, transporte de cargas, de enfermos, Correio Aéreo Nacional (CAN), apoio às aviações de caça, helicóptero, patrulha e reconhecimento. Além disso, executa ressuprimento aéreo, lançamento de paraquedista, transporte de autoridades e também de órgãos para transplantes.
Cada missão exige um tipo específico de aeronave, conforme salienta o Tenente Aviador Renan da Silva de Souza, do Esquadrão Guará (6º ETA). “Alguns dos pré-requisitos técnicos devem ser observados para a escolha, como o tipo de missão, o tempo necessário para o cumprimento, o modelo de aeronave e o local do apoio prestado, de acordo com as características da pista”, informa.
A logística do transporte na ajuda humanitária ao Haiti
Outra história impactante foi a vivenciada pelo Brigadeiro do Ar Mozart de Oliveira Farias, Comandante da Ala 11, no Rio de Janeiro. Ele era piloto do Esquadrão Corsário (2º/2º GAV) e atuou no controle logístico da operação de transportes no terremoto do Haiti, em 2010.
O oficial-general conta como aconteceu o início da missão do terremoto. “Partíamos para uma missão rotineira, no dia 12 de janeiro de 2010. Eu era o comandante da aeronave Boeing KC-137 e faria um voo direto do Rio de Janeiro até Porto Príncipe. Quando sobrevoávamos o mar do Caribe, recebemos a informação sobre o terremoto no Haiti. A partir daquele dia, teria início a ponte aérea Brasil-Haiti de ajuda humanitária, durante os quatro primeiros meses do ano de 2010”, relembra.
A respeito da logística de transporte para a operação no Haiti, o Brigadeiro Mozart explica como ocorria o planejamento. “Trabalhávamos em turnos, para não interromper o fluxo de saída dos C-130 Hércules e do KC-137 - aeronaves escolhidas devido à característica de velocidade, para facilitar a chegada ao local do desastre.
Na época, o Centro do Correio Aéreo Nacional (CECAN) passou a ser o principal órgão logístico responsável pelo recebimento, montagem do material para embarque e desembarque das cargas. Transportava-se de tudo. Desde água, medicamentos, roupas, comida e até equipamentos sanitários. Foram enviadas aproximadamente 2 mil toneladas de carga, além do transporte do Hospital de Campanha da FAB”, conta. Ao final da participação, a Força Aérea cumpriu cerca de 200 missões.

Esquadrilha da Fumaça realiza apresentação histórica em Bauru (SP)

Voo com réplica da aeronave 14 Bis ocorreu durante 3º Arraiá Aéreo, realizado pelo Astronauta Marcos Pontes

Motivar jovens para a educação por meio da ciência, da tecnologia e da aviação. Esse foi o objetivo da 3ª edição do Arraiá Aéreo, que aconteceu nos dias 10 e 11 de junho, no Aeroclube de Bauru (SP). Com o tema Inspirando Gerações, o evento celebrou o 11º aniversário da Missão Centenário, que levou ao espaço o Astronauta Marcos Pontes, Tenente-Coronel da reserva da Força Aérea Brasileira (FAB).
Quem compareceu pode conferir mais de 60 atrações, como palestras sobre profissões, oficinas de mecânica e robótica, além de acompanhar o pouso dos paraquedistas das equipes Falcões, da FAB, e Cometas, do Exército Brasileiro, e visitar exposições de aeronaves civis e militares.
O evento também contou com diversas barracas de comida típicas e apresentações musicais. Mas o público não tirou mesmo os olhos do céu, que estava azul e limpo, oferecendo as condições ideais para o show mais aguardado da festa no domingo: a apresentação do Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA), conhecido como Esquadrilha da Fumaça.
“Bauru tem uma história com a aviação muito grande, principalmente com os planadores, com o Astronauta, então, a Fumaça estar presente neste evento, que está se tornando uns dos maiores do Brasil, junto com a Força Aérea Brasileira, cria a oportunidade de termos contato mais intenso com o público, mais próximo do que em outros tipos de shows aéreos”, afirmou o Comandante da Esquadrilha da Fumaça, Tenente-Coronel Líbero Onoda Luiz Caldas.
E por falar em história, foi durante a apresentação da Fumaça que passado e presente se encontraram, quando uma réplica do 14 Bis voou juntamente com as aeronaves da Esquadrilha, em um rasante que encerrou o show aéreo.
A Fumaça retornou a Bauru após sete anos e trouxe uma novidade: a participação do primeiro piloto bauruense a integrar a Esquadrilha, o Capitão Nilson Rafael Oliveira Gasparelo.
A apresentação durou cerca de 50 minutos e encantou o público presente. “Eu fiquei emocionada com o que vi. Realmente, é algo incrível”, relatou Fernanda Pires, sobre as acrobacias da Esquadrilha. Após o pouso, os pilotos da Fumaça distribuíram autógrafos e tiraram fotos com o público.
De acordo com estimativa da organização do evento e informações da Polícia Militar de Bauru, cerca de 100.000 pessoas compareceram nos dois dias de festa, superando as expectativas. A entrada era gratuita, mas o público colaborou doando 1kg de alimento.
Segundo Edson Mitsuya, diretor de operações da Fundação Astronauta Marcos Pontes, toda a arrecadação será destinada a entidades assistenciais da cidade. “O evento teve um caráter filantrópico, por isso, nós solicitamos que a população doasse alimentos. Além de inspirar gerações, nós também queremos inspirar boas ações”, explicou.
O 3º Arraiá Aéreo foi uma realização conjunta da Fundação Astropontes e a Prefeitura de Bauru, em parceria com as Forças Armadas e Forças Auxiliares. Mitsuya destacou a participação da FAB no evento e agradeceu o apoio recebido. “Em nome da nossa instituição e do Astronauta, eu quero agradecer imensamente o apoio de todos os envolvidos, mas, principalmente, o apoio da Força Aérea Brasileira. Não temos palavras para dizer o quanto somos gratos. Muito, muito obrigado”, concluiu.

JORNAL A CRÍTICA (AM)


MPF/AM denuncia donos de avião que caiu em Manaus e resultou na morte de seis

Os irmãos e empresários Alexandre José e Vitor César Catuzzo Marmentini foram apontados como responsáveis pela queda de aeronave em 2013

O Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM) denunciou à Justiça Federal os empresários Alexandre José Catuzzo Marmentini e Vitor César Catuzzo Marmentini, sócios-administradores da Construtora e Transportadora Pioneiro Ltda. (Cotrap) e da empresa Apuí Táxi Aéreo, por atentado contra segurança de transporte aéreo. Os irmãos são apontados como responsáveis pela queda da aeronave de prefixo PR-OKK, em área próxima ao Aeroporto Eduardo Gomes, em 16 de julho de 2013, que resultou na morte de seis pessoas.
Segundo o relatório da investigação, o avião decolou com destino a Apuí (distante 408 quilômetros de Manaus), mas caiu após colidir com a vegetação local, sem deixar sobreviventes. De acordo com a denúncia, Alexandre Marmentini acompanhou a saída da aeronave, fez o check-in dos passageiros e aguardou a finalização do taxiamento. As investigações concluíram que ele estava ciente das condições em que o avião se encontrava quando deixou o aeroporto.
Vitor César Marmentini é o responsável legal pelas empresas perante a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e órgãos ligados à atividade aeronáutica. Para o MPF, ele se omitiu quando poderia ter tomado as medidas preventivas necessárias para o treinamento, detecção de instabilidades e anormalidades da aeronave.
As vítimas fatais foram o comandante Elcio Miguel Carneiro da Silva, Messias de Alencar Neto, Aurélio Queiroz Simonetti, Adonay Pessoa Campos, Edson e Oliveira Pavon e Vanessa Guedes de Aguiar. Os três primeiros morreram no ato da queda, os demais morreram em decorrência da ação térmica gerada pela queda do avião.
Os documentos apresentados pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), juntamente a cópia do processo administrativo da Anac e do relatório policial de investigação, comprovam que critérios de certificação necessários foram ignorados, colocando em risco a vida dos passageiros e das pessoas no solo.
O MPF/AM pede que, após recebida a denúncia, os irmãos Marmentini sejam condenados ao crime previsto no artigo 261 do Código Penal Brasileiro - atentado contra a segurança de transporte aéreo. A pena prevista varia de quatro a 12 anos de prisão, e havendo casos de morte a pena pode ser duplicada.
Investigação
Duas hipóteses são apontadas como causas principais do acidente: a primeira seria o excesso de peso, já que a aeronave estava com carga de 114 quilos acima do máximo permitido; a segunda sugere uma possível perda do motor esquerdo.
Os documentos relatam muitas as situações omissas que contribuíram para a queda do avião, como a falta de treinamento contínuo do piloto, o que pode ter dificultado a compreensão dos comandos diante da emergência. De acordo com o relatório da investigação, não havia sistema formal da empresa para recrutar, selecionar e avaliar o desempenho de profissionais que trabalhavam pela companhia.
No processo administrativo instaurado pela Anac apurou-se o fato de que a empresa Apuí Táxi Aéreo teve o certificado suspenso para realizar atividades, em 5 de julho de 2013, poucos dias antes do acidente. No registro junto à agência, a aeronave PR-OKK estava cadastrada na categoria "transporte aéreo privado", porém, na ocasião do sinistro, exercia atividade comercial remunerada, conforme a cópia do bilhete de embarque que havia sido vendido a uma das vítimas.
A ação penal tramita na 4ª Vara Federal da Seção Judiciária do Amazonas, sob o número 0005362-25.2017.4.01.3200.

OUTRAS MÍDIAS


PORTAL RBJ (PR)


Alistamento Militar acaba no próximo dia 30 

Juliana Raddi
O Ministério da Defesa ainda espera 500 mil jovens para o alistamento das forças armadas deste ano. O prazo final vai até o dia 30 deste mês de junho. Para jovens do sexo masculino que completam 18 anos em 2017, o alistamento é obrigatório. As Forças Armadas é dividida pela Marinha, Aeronáutica e o Exército. Após o alistamento, caso o jovem seja convocado para servir ele vai escolher em qual força vai trabalhar. Até o momento, mais de um milhão e 300 mil jovens já se apresentaram. A maior parte deles na região sudeste, seguida pelo nordeste e depois pela região sul.
Para se alistar o jovem deve ir na junta militar mais próxima de casa com a identidade e um comprovante de residência. Para servir não precisa ter o ensino fundamental ou o médio completo, mas precisa ser alfabetizado. Um soldado no período de formação que dura nove meses, recebe o salário de 769 reais. Após cumprir o primeiro ano, o militar poderá ficar na força por até sete anos com um salário de até mil e 400 reais. Na condição de alistado o militar pode chegar até a patente de sargento.

SITE BOA INFORMAÇÃO (AL)


Concurso Aeronáutica: inscrição aberta para 56 vagas

A Aeronáutica está com inscrições abertas do concurso público que visa o preenchimento de 56 vagas para ingresso no curso de adaptação de médicos. Após a conclusão do curso, o candidato será nomeado primeiro-tenente e será incluído no quadro de oficiais médicos.
As ofertas estão distribuídas entre as especialidades de alergologia (1 vaga), anestesiologia (7), anatomia patológica (1), cardiologia (7), cancerologia (2), cirurgia cardíaca (1), clínica médica (4), cirurgia torácica (1), cirurgia vascular-periférica (1), geriatria (1), ginecologia e obstetrícia (5), infectologista (2), hematologia (1), hemoterapia (1), nefrologia (2), oftalmologia (2), otorrinolaringologia (1), ortopedia (2), psiquiatria (6), radiologia (4) e urologia (4).
Para concorrer a uma das vagas é necessário ter concluído com aproveitamento o curso superior em medicina, possuir título de especialista, registro no conselho de classe e idade inferior a 36 anos.
Interessados em participar do concurso da Aeronáutica deverão preencher a ficha de cadastro, disponível na página eletrônica www.fab.mil.br/ciaar, até as 15h do dia 3 de julho. O valor da taxa de inscrição é de R$ 130.
Avaliações do concurso da Aeronáutica
Os candidatos serão avaliados por meio de prova escrita sobre língua portuguesa e conhecimentos especializados. Com quatro horas de duração, ela será aplicada na data prevista de 3 de setembro.
No ato da inscrição o candidato deverá escolher a localidade onde deseja realizar a prova: Belém/PA, Recife/PE, Jaboatão dos Guararapes/PE, Fortaleza/CE, Natal/RN, Parnamirim/RN, Salvador/BA, Rio de janeiro/RJ, Belo Horizonte/MG, Lagoa Santa/MG, São Paulo/SP, Guarulhos/SP, Campo Grande/MS, Porto Alegre/RS, Canoa/RS, Curitiba/PR, Brasília/DF e Manaus/AM.
O concurso da Aeronáutica ainda será constituído das seguintes etapas: inspeção de saúde; exame de aptidão psicológica; teste de avaliação do condicionamento físico; prova prático-oral; validação documental; e curso de adaptação.
Curso de adaptação da Aeronáutica
O curso terá duração aproximada de 17 semanas e abrange instruções nos campos geral, militar e técnico-especializado. Ele será realizado no Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (CIAAR), em Belo Horizonte/MG, no ano de 2018.
A instrução ministrada no campo geral proporcionará o conhecimento a respeito de teorias e ensinamentos que possibilitem aos alunos atuar com eficiência na gestão de pessoas e processos e na ampliação da cultura geral.
Já a instrução ministrada no campo militar procurará, primordialmente, transmitir e reforçar os postulados básicos da vida castrense, referentes aos futuros postos, bem como desenvolver elevado grau de vibração, devoção e entusiasmo pela carreira na Força Aérea.
A instrução ministrada no campo técnico-especializado adaptará o profissional às condições peculiares do ambiente em que exercerá a sua atividade ou especialidade e proporcionará conhecimento sobre a estrutura e o funcionamento do Comando da Aeronáutica, bem como sobre os procedimentos de rotina do oficial nos vários setores, de acordo com a sua área de atuação.

PORTAL RD NEWS (MT)


Piloto de avião conta ao GCCO detalhes do cativeiro, mas delegado omite informação

Bárbara Sá
O piloto Rogério Lana Gomes, de 61 anos, que foi sequestrado pela quadrilha que levou um monomotor do Hotel Sesc, na região do Pantanal mato-grossense, contou detalhes dos dias de cativeiro em depoimento à Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), na tarde desta segunda (13).
O delegado da GCCO, Diogo Santana Souza, ouviu o piloto, mas não quis adiantar nenhuma informação sobre o teor do depoimento. Apesar disso, informou que a Polícia Federal dará continuidade às investigações, porque a aeronave foi levada para outro país, neste caso a Bolívia.
O piloto foi libertado na madrugada de sábado (10) em uma área de mata fechada em Rondônia. Ele reencontrou a família após três dias que foi levado por criminosos, que também levaram uma aeronave do Hotel Sesc Porto Cercado, em Poconé (104 km de Cuiabá).
O caso
Rogério foi levado pelos bandidos na última quarta (7), por volta das 16h. Desde então, a secretaria estadual de Segurança Pública (Sesp), o Centro Integrado de Operações Aéreo (Ciopaer) e as polícias Civil e Federal vem atuando no caso.
A aeronave que pertence ao grupo Sesc foi roubada do aeródromo Porto Cercado, dentro do hotel pousada no Pantanal mato-grossense. Segundo informações, o avião, prefixo PR-ESC, foi levado juntamente com o piloto. Os criminosos sequestraram o profissional identificado como Rogério Lana Gomes, de 61 anos, e em seguida alçaram voo.

PORTAL JORNAL DAS MONTANHAS JM1 (MG)


Indústria de assassinatos

Devair G. Oliveira
Números do Atlas da Violências 2017, divulgado anteontem pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública com base no Sistema de Informação sobre Mortalidade do Ministério da Saúde, confirma que o Brasil lidera o ranking mundial de assassinatos com o registro de 59.080 homicídios em 2015. Significa dizer que o país tem uma taxa de 28,9 assassinatos para cada 100 mil brasileiros, com aumento da violência superior a 100% nas taxas nas regiões Norte e Nordeste. Na geografia das mortes, o Rio Grande do Norte aparece como Estado com índice mais negativo, onde os casos de homicídios apresentaram crescimento de 232%, saltando de 13,5 assassinatos para cada 100 mil habitantes em 2002 para 44,9 homicídios para cada 100 mil habitantes em 2015. Outros dois Estados tiveram crescimento assombroso no número de assassinatos entre 2005 e 2015, com Sergipe apurando alta de 134,7% no período e o Maranhão de 130,5%. A pergunta que não quer calar é uma só: se entidades não governamentais conseguem apurar com precisão os locais dominados pela violência e apontam as causas de tantos homicídios, por que os governos federal e estaduais não agem contra essa guerra civil mascarada?
Os números da violência no Brasil são assombrosos e superam até mesmo os atos terroristas que tanto chocam o mundo. O Atlas da Violências 2017 revela que enquanto os 498 atentados terroristas do planeta nos cinco primeiros meses de 2017 mataram 3.314 pessoas, em apenas três semanas deste ano, foram registrados 3.400 homicídios no Brasil. O estudo revela ainda que, quando o Estado age, a violência recua, prova disso é que em São Paulo a taxa caiu 44,3% entre 2005 e 2015, recuando de 21,9 assassinatos por grupo de 100 mil pessoas para 12,2 por grupo de 100 mil, enquanto no Rio de Janeiro, onde a violência ganha mais destaque no noticiário, o recuo foi de 36,4%, caindo de 48,2 para cada grupo de 100 mil para 30,6 por 100 mil habitantes. Em números absolutos, a Bahia registrou em 2015 o maior número de assassinatos, com 6.012 ocorrências, número que significa mais que o dobro do apurado em 2005, quando 2.881 pessoas foram assassinadas. No âmbito municipal, entre as cidades brasileiras com mais de 100 mil habitantes, o município de Altamira, no Pará, aparece como o mais violento do Brasil, com taxa de 105,2 homicídios por grupo de 100 mil pessoas em 2015.
No oposto, aparece a cidade de Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, classificado como o município com mais de 100 mil habitantes que registra a menor violência letal, com ocorrência de 3,1 homicídios por grupo de 100 mil habitantes. Detalhe: entre 2005 e 2015 foram assassinados mais de 318 mil jovens, sendo que apenas em 2015 foram 31.264 homicídios de pessoas com idade entre 15 e 29 anos, numa comprovação que homens jovens continuam sendo as principais vítimas da violência no Brasil, respondendo por mais de 92% dos homicídios que acontecem. Outros números chamam a atenção: a cada 100 pessoas assassinadas no Brasil, 71 são negras, de forma que os negros possuem chances 23,5% maiores de serem assassinados em relação a brasileiros de outras raças, já descontado o efeito da idade, escolaridade, do sexo, estado civil e bairro de residência. Tudo isso faz com que o país precise repensar urgentemente sua política de segurança pública, sobretudo no que diz respeito à vigilância das fronteiras por onde entram as armas e munições que ceifam vidas nos centros urbanos.
É preciso dar urgentemente poder de polícia às Forças Armadas para que o Exército, a Marinha e a Aeronáutica atuem com liberdade nos 16.886 quilômetros de fronteira que passam por 11 Estados. Uma área de fronteira com 16.886 quilômetros de extensão, sendo 7.363 quilômetros de linha seca e 9.523 quilômetros de rio, lagos e canais, que é atendida por 23.415 quilômetros de rodovias federais, cortando os Estados do Amapá, Pará, Roraima, Amazonas, Acre, Rondônia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, não pode ser fiscalizada de forma efetiva apenas durante as operações esporádicas do Ministério da Defesa. Ademais, os 16.886 quilômetros de fronteira separam o território brasileiro de cidades problemáticas localizadas em países como a Guiana Francesa, Guiana, Suriname, Venezuela, Colômbia, Bolívia, Peru, Paraguai, Argentina e Uruguai, que deveriam ser dotadas de forças de segurança permanente não apenas por parte do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, mas, também, pela Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Receita Federal (RF), Ministério Público Federal (MPF), Polícia Militar (PM) e Polícia Civil (PC). Enquanto isso não ocorrer, o país seguirá registrando 60 mil homicídios por ano!

SITE AMAZONAS ATUAL (AM)


Privatização do aeroporto de Manaus provocaria caos em aviação no interior

Por Iram Alfaia, de Brasília
BRASÍLIA – O projeto do governo federal que prevê o desmonte da Infraero e a entrega à iniciativa privada da operação de praças altamente rentáveis como o Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, em Manaus, e o Brigadeiro Protásio de Oliveira, em Belém, provocaria um caos em outros aeródromos da região.
Segundo fontes da Infraero, os dois aeroportos, junto com Santos Dumont, Congonhas, Curitiba e Recife, considerados superavitários, contribuem para a manutenção dos demais aeródromos em todo o país por meio do subsídio cruzado.
Na região Norte estariam inviabilizados importantes aeroportos administrados pela empresa como o de Marabá (PA), Santarém (PA), Altamira (PA), Macapá (AP), Porto Velho (RO), Tabatinga (AM), Tefé (AM) e Rio Branco (AC).
O plano do governo é privatizar os campos mais rentáveis em seis blocos. O de Manaus seria arrematado com outros terminais do Norte: Belém, Maranhão e Amapá. Quem adquirisse o Santos Dumont, por exemplo, ficaria com outros aeroportos pequenos do Rio e Vitória (ES). O vencedor de Congonhas, levaria outros terminais em São Paulo e Mato Grosso.
Porém, muitos aeródromos pequenos ficariam de fora pela falta de interesse, sobretudo por parte do capital estrangeiro como o Chinês, país que está na mira do governo para fechar negócios.
Desmonte da Infraero
O plano do governo é fazer as privatizações sem a participação da Infraero, que teria parte de seus funcionários transferida para a Nav Brasil, empresa pública que está sendo criada para ser administrada pela Aeronáutica. A nova empresa ficaria responsável apenas pelo controle de voos.
Um comando dos funcionários da empresa quer que o governo desista do envio de Medida Provisória ao Congresso. Nesta quarta, 14, às 14h, eles estarão reunidos com o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, para discutir o assunto.




Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented