|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 30/05/2017 / Ante ameaças da Coreia do Norte, EUA testarão sistema antimísseis na terça


Ante ameaças da Coreia do Norte, EUA testarão sistema antimísseis na terça ...  

David Sanger ...  

O Pentágono está preparando o primeiro teste em três anos de seu multibilionário projeto de interceptação de ogivas norte-coreanas, e a esperança é demonstrar que um sistema que registrou resultados positivos em menos de metade dos nove testes anteriores agora está funcionando.

Mas no exato momento em que o Departamento de Defesa norte-americano busca provar que pode atingir um alvo lançado do outro lado do Pacífico e se movendo em alta velocidade – no teste projetado, um foguete interceptador será lançado da costa da Califórnia na terça-feira (30) para tentar atingir uma falsa ogiva –, a Coreia do Norte está apresentando um novo desafio.

A Coreia do Norte conduziu recentemente disparos de teste com uma série de mísseis baseados em uma tecnologia que daria pouco tempo de alerta aos Estados Unidos em caso de ataque.

A nova geração de mísseis usa combustíveis sólidos, e permite que eles sejam retirados de abrigos protetores escavados em montanhas e lançados em poucos minutos. Isso torna ainda mais complicado o já difícil trabalho de interceptá-los, porque o sistema antimíssil norte-americano funciona melhor caso haja alerta antecipado, por satélites de observação, de que um lançamento é iminente.

Ainda mais preocupante é que os novos mísseis parecem ser de fato funcionais, diferentemente de mísseis precedentes que costumavam explodir ou cair prematuramente no mar, em seus disparos de teste. Os grandes testes recentes foram sucessos claros, e ensinaram muito aos norte-coreanos sobre como disparar mísseis ao espaço e de lá arremessar ogivas contra alvos distantes.

Embora a Coreia do Norte ainda não tenha testado um míssil balístico intercontinental capaz de cruzar o Pacífico, o país vem afirmando repetidamente que é capaz de atingir os Estados Unidos com uma ogiva nuclear.

Há provas que sugerem que no ano passado os serviços de inteligência norte-americanos deixaram escapar indicações de que os norte-coreanos estavam avançando rapidamente na adoção da tecnologia de combustível sólido, o que está forçando Washington a correr para recuperar o atraso, de acordo com antigos e atuais funcionários do governo norte-americano.

Um antigo funcionário norte-americano que acompanhava de perto as informações sigilosas sobre a Coreia do Norte disse que embora a situação não deva ser definida como um fracasso dos serviços de inteligência, o governo dos Estados Unidos não apreciou a rapidez com que a Coreia do Norte estava mudando de abordagem.

No domingo, o secretário da Defesa norte-americano, Jim Mattis, argumentou que os Estados Unidos não podiam esperar que a Coreia do Norte completasse seu programa de testes antes de responder vigorosamente.

"É uma ameaça direta aos Estados Unidos", disse Mathis no programa "Face the Nation", na rede CBS. "A retórica deles vêm sendo bem clara – não precisamos esperar até que tenham um míssil balístico intercontinental equipado com arma nuclear para dizer que ela agora se manifestou plenamente".

Na mais recente provocação, a Coreia do Norte testou na manhã de segunda-feira um míssil balístico de curto alcance, em um lançamento que violou resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas mas não representa grande preocupação para os Estados Unidos.

A resposta norte-americana ao programa nuclear e de mísseis da Coreia do Norte, até o momento, incluiu uma campanha secreta de ataques eletrônicos e cibernéticos que o presidente Barack Obama acelerou três anos atrás, depois de concluir que as defesas contra mísseis tradicionais eram insuficientes.

O programa clandestino é conhecido como "pré-lançamento", porque os ataques cibernéticos começam antes que o míssil chegue ao local de lançamento ou antes do disparo.

O presidente Donald Trump se recusou a comentar publicamente sobre esses esforços, ainda que tenha feito comentários que parecem reconhecer sua existência.

O teste marcado para a terça-feira envolve as defesas antimísseis mais tradicionais que os Estados Unidos lutam por fazer funcionar desde o governo Eisenhower (1953-1961). Mas é o primeiro a acontecer desde que Trump assumiu prometendo "resolver" o problema da Coreia do Norte, e desde que ele começou a reforçar as sanções econômicas e aumentar a pressão militar contra os norte-coreanos.



Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Segurança abate drone que sobrevoava o Jaburu no dia seguinte a manifestação


Gustavo Uribe

No dia seguinte à manifestação contra o presidente Michel Temer, para a qual o peemedebista autorizou o emprego das Forças Armadas no zelo aos prédios públicos, a Presidência da República identificou uma invasão.
Um objeto não identificado foi visto sobrevoando o perímetro de segurança do Palácio do Jaburu, residência oficial utilizada pela família do peemedebista, na última quinta-feira (25).
A segurança presidencial descobriu se tratar de um drone, uma aeronave autopilotada, mas sem sinal de alguém que a operasse.
A suspeita inicial era de que o aparelho aéreo fosse da própria Presidência, para a realização de gravações como as utilizadas para propagandas oficiais.
A desconfiança, no entanto, não foi confirmada e a equipe de segurança foi autorizada a capturar o drone, que teria sido abatido, segundo um assessor presidencial. A gestão peemedebista abriu uma investigação para apurar a origem do objeto.
O GSI (Gabinete de Segurança Institucional) confirmou o sobrevoo do drone, disse que o departamento de segurança "adotou os procedimentos previstos para a situação" e que "não divulga procedimentos técnicos e operacionais".
Segundo a Folha apurou, há suspeitas de que o objeto seja de uma produtora que fazia registros para um documentário sobre política ou de alguém que tentasse fazer imagens sem autorização do presidente e de sua família.
De acordo com o GSI, não há registros anteriores de sobreevoos de drones não autorizados sobre instalações da Presidência e da vice.
No início de maio, a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) aprovou novas regras para o uso comercial e recreativo de drones.
Elas proíbem o uso dos equipamentos a menos de 30 metros horizontais de pessoas que não deem autorização expressa e, na prática, tornam inviáveis sobrevoos em espaços públicos urbanos e aglomerações como manifestações de ruas e shows.
Na quarta (24), devido ao protesto em Brasília que deixou 49 feridos e 8 detidos, foram reforçadas as seguranças dos palácios do Planalto e do Jaburu. Com receio de uma crise com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que criticou a utilização das Forças Armadas, o peemedebista revogou no dia seguinte decreto publicado durante o protesto.

Pedidos de refúgio de venezuelanos no Brasil saltam em quatro meses


Diego Zerbato

O número de pedidos de asilo de venezuelanos no Brasil até abril já se aproxima do total registrado em todo o ano de 2016, mostra levantamento do Comitê Nacional de Refugiados feito pela Polícia Federal (PF) a pedido da Folha.
As estatísticas, recebidas nesta segunda-feira (29), mostram que 3.181 cidadãos caribenhos fizeram o pedido nos quatro primeiros meses do ano, contra 3.375 de janeiro a dezembro de 2016.
São computados nesse total todas as solicitações, sem especificar o status. O processo de refúgio completo costuma durar mais de um ano, e ao longo dele o candidato pode permanecer no Brasil.
No ano passado, a Venezuela foi o país de origem de 30% dos solicitantes de refúgio no país —entre 2010 e 2013 a liderança era ocupada por países africanos, e em 2014 e 2015, pela Síria.
Outro exemplo do fluxo intenso rumo ao Brasil é a quantidade de entradas de venezuelanos, incluindo turistas e moradores da fronteira. Segundo a PF, foram 575 mil registros de ingresso no território nacional até o fim de abril, contra 947 mil em 2016.
A crise, porém, ainda não influenciou a emissão da carteira de identidade de estrangeiro. Houve 87.545 requerimentos no ano passado e 21.015 nos quatro meses.
As estatísticas também não mostram os efeitos resolução do Conselho Nacional de Imigração que libera a residência automática de dois anos aos venezuelanos e aos cidadãos de Guiana e Suriname, anunciada em março pelo governo de Michel Temer.
Crise Humanitária
O crescimento é uma das consequências do agravamento da crise humanitária no país governado pelo presidente Nicolás Maduro.
Relatório da ONG Human Rights Watch divulgado em abril revelou que a maioria dos imigrantes deixa sua terra natal em busca de atendimento médico e comida.
O intenso fluxo dos cidadãos do país vizinho levou ao colapso dos sistemas de saúde e de assistência social em Roraima e já começa a afetar o vizinho Amazonas.
Os números da PF também não mostram os efeitos na imigração dos dois meses da onda de protestos da oposição contra Maduro, que já deixaram 61 mortos. Rivais e aliados do chavista voltaram às ruas nesta segunda-feira.
Em discurso no fim da tarde, o presidente disse que a Assembleia Constituinte que deseja fazer é "Hugo Chávez vivo, doa a quem doer".
Ele responde às críticas de ex-aliados, como a procuradora-geral, Luisa Ortega Díaz e dois juízes do Tribunal Supremo de Justiça, que consideram a troca da lei máxima uma violação do legado chavista.

Ante ameaças da Coreia do Norte, EUA testarão sistema antimísseis na terça


David E. Sanger

O Pentágono está preparando o primeiro teste em três anos de seu multibilionário projeto de interceptação de ogivas norte-coreanas, e a esperança é demonstrar que um sistema que registrou resultados positivos em menos de metade dos nove testes anteriores agora está funcionando.
Mas no exato momento em que o Departamento de Defesa norte-americano busca provar que pode atingir um alvo lançado do outro lado do Pacífico e se movendo em alta velocidade – no teste projetado, um foguete interceptador será lançado da costa da Califórnia na terça-feira (30) para tentar atingir uma falsa ogiva –, a Coreia do Norte está apresentando um novo desafio.
A Coreia do Norte conduziu recentemente disparos de teste com uma série de mísseis baseados em uma tecnologia que daria pouco tempo de alerta aos Estados Unidos em caso de ataque.
A nova geração de mísseis usa combustíveis sólidos, e permite que eles sejam retirados de abrigos protetores escavados em montanhas e lançados em poucos minutos. Isso torna ainda mais complicado o já difícil trabalho de interceptá-los, porque o sistema antimíssil norte-americano funciona melhor caso haja alerta antecipado, por satélites de observação, de que um lançamento é iminente.
Ainda mais preocupante é que os novos mísseis parecem ser de fato funcionais, diferentemente de mísseis precedentes que costumavam explodir ou cair prematuramente no mar, em seus disparos de teste. Os grandes testes recentes foram sucessos claros, e ensinaram muito aos norte-coreanos sobre como disparar mísseis ao espaço e de lá arremessar ogivas contra alvos distantes.
Embora a Coreia do Norte ainda não tenha testado um míssil balístico intercontinental capaz de cruzar o Pacífico, o país vem afirmando repetidamente que é capaz de atingir os Estados Unidos com uma ogiva nuclear.
Há provas que sugerem que no ano passado os serviços de inteligência norte-americanos deixaram escapar indicações de que os norte-coreanos estavam avançando rapidamente na adoção da tecnologia de combustível sólido, o que está forçando Washington a correr para recuperar o atraso, de acordo com antigos e atuais funcionários do governo norte-americano.
Um antigo funcionário norte-americano que acompanhava de perto as informações sigilosas sobre a Coreia do Norte disse que embora a situação não deva ser definida como um fracasso dos serviços de inteligência, o governo dos Estados Unidos não apreciou a rapidez com que a Coreia do Norte estava mudando de abordagem.
No domingo, o secretário da Defesa norte-americano, Jim Mattis, argumentou que os Estados Unidos não podiam esperar que a Coreia do Norte completasse seu programa de testes antes de responder vigorosamente.
"É uma ameaça direta aos Estados Unidos", disse Mathis no programa "Face the Nation", na rede CBS. "A retórica deles vêm sendo bem clara – não precisamos esperar até que tenham um míssil balístico intercontinental equipado com arma nuclear para dizer que ela agora se manifestou plenamente".
Na mais recente provocação, a Coreia do Norte testou na manhã de segunda-feira um míssil balístico de curto alcance, em um lançamento que violou resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas mas não representa grande preocupação para os Estados Unidos.
A resposta norte-americana ao programa nuclear e de mísseis da Coreia do Norte, até o momento, incluiu uma campanha secreta de ataques eletrônicos e cibernéticos que o presidente Barack Obama acelerou três anos atrás, depois de concluir que as defesas contra mísseis tradicionais eram insuficientes.
O programa clandestino é conhecido como "pré-lançamento", porque os ataques cibernéticos começam antes que o míssil chegue ao local de lançamento ou antes do disparo.
O presidente Donald Trump se recusou a comentar publicamente sobre esses esforços, ainda que tenha feito comentários que parecem reconhecer sua existência.
O teste marcado para a terça-feira envolve as defesas antimísseis mais tradicionais que os Estados Unidos lutam por fazer funcionar desde o governo Eisenhower (1953-1961). Mas é o primeiro a acontecer desde que Trump assumiu prometendo "resolver" o problema da Coreia do Norte, e desde que ele começou a reforçar as sanções econômicas e aumentar a pressão militar contra os norte-coreanos.

PORTAL G-1


Exército participa de operação integrada em presídios do Acre

Ação é feita em parceria com as polícias Militar, Civil, Iapen, Corpo de Bombeiros e Aeronáutica. Trabalhos começaram no FOC e Antônio Amaro, em Rio Branco.

G1 Ac, Rio Branco

Homens do Exército Brasileiro iniciaram na manhã desta segunda-feira (29) vistorias nos presídios do Acre. A ação é feita em parceria com as polícias Civil e Militar, Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC), Corpo de Bombeiros Militar do Acre (CBMAC) e da Aeronáutica.
A Segurança Pública do Acre (Sesp-AC) explicou que a varredura começou nas celas dos presídios Francisco d’Oliveira Conde (FOC) e Antônio Amaro, em Rio Branco. Ainda de acordo com a Sesp-AC, a operação foi um pedido do Governo do Estado para o Exército Brasileiro. O objetivo é apreender materiais ilícitos dentro das unidades prisionais do estado.
O início dos trabalhos dentro dos presídios deve ser apresentado na tarde desta segunda, em coletiva na sede do 4º BIS.

Contrato de concessão do Aeroporto Pinto Martins, em Fortaleza, deve ser firmado até 27 de julho

Multinacional alemã Fraport AG adquiriu a concessão do Aeroporto Internacional Pinto Martins pelo prazo de 30 anos.

G1 Ce

O contrato de concessão do aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza, deverá ser assinado com a Fraport AG, multinacional alemã que adquiriu a concessão, até o dia 27 de julho. A informação foi prestada nesta segunda-feira (29), pelo ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella. Além do Pinto Martins, o governo pretende assinar – até esta data – os contratos de concessão de mais três aeroportos: de Porto Alegre (RS), Salvador (BA) e Florianópolis (SC).
Após a assinatura dos contratos, as concessionárias terão três meses de operação conjunta com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), para depois assumirem definitivamente os empreendimentos. A concessão do Pinto Martins é de 30 anos.
Terceiro entre os mais movimentados da Região Nordeste e o 12º do Brasil, de acordo com a Secretaria de Aviação Civil, o aeroporto de Fortaleza foi arrematado por R$ 425 milhões - 25% do valor de outorga (R$ 1,440 bilhão) mais ágio - o maior entre os quatro aeroportos leiloados neste ano. Outorga é o valor que o concessionário terá de pagar ao Governo Federal para explorar o equipamento.
De acordo com o governo estadual, a entrega à iniciativa privada representa um incremento da cadeia produtiva do turismo no Ceará, que é responsável atualmente por 11,5% do PIB local. A concessão deve aumentar o fluxo de passageiros no terminal dos atuais 6,5 milhões de passageiros/ano para 27,6 milhões de passageiros/ano, em 2047, fim do prazo de concessão.
Segundo o contrato de concessão, a empresa deverá estabelecer melhorias no sistema de pista e taxiways, ampliar o pátio de aeronaves, o terminal de passageiros, o estacionamento de veículos e o terminal de cargas. Além disso, a concessionária assumirá todas as obras em andamento.
Fraport
A operadora alemã Fraport, que também venceu a disputa pelo aeroporto de Porto Alegre, administra aeroportos em todos os continentes: cinco na Europa - sendo o de Franfkurt, um dos mais modernos do mundo - cinco na Ásia , dois na África e um na América Latina e registra um tráfego anual de mais de 99 milhões de passageiros. A Fraport já tinha mostrado interresse em terminais no Brasil, mas não conseguiu arrematar a concessão de nenhum aeroporto brasileiro no leilão feito no final de 2013.

Com detectores de metal, Exército e Sisp deflagram "Operação Conde" em presídio de Rio Branco

Segundo general, devido à extensão do Francisco d´Oliveira Conde, a ação deve ser prolongada nos próximos dias. Operação também deve ocorrer em presídios no interior do estado.

Ao menos 500 pessoas atuaram durante a “Operação Conde” deflagrada nesta segunda-feira (29), dentro do presídio Francisco d´Oliveira Conde, em Rio Branco. A ação integrada entre o Exército Brasileiro e o Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp) tem o objetivo de apreender armas, drogas e outros materiais ilícitos. Durante a operação, os detentos foram isolados para que as Forças Armadas fizessem uma varredura usando detectores de metais, minas e celulares.
O material apreendido durante a varredura deve ser apresentado durante uma coletiva de imprensa na quarta-feira (31), às 17h, no Círculo Militar, em Rio Branco. A “Operação Conde” é realizada entre as polícias Civil e Militar, Polícia Federal (PF-AC), Polícia Rodoviária Federal (PRF-AC), IInstituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC) e Corpo de Bombeiros Militar do Acre (CBMAC).
Conforme o general José Eduardo Leal Oliveira, comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva sediada em Porto Velho (RO) e que também abrange Acre e Sul do Amazonas, são apreendidos materiais considerados ilícitos ou proibidos. Segundo ele, drogas e armas são considerados ilícitos. Já no caso de uma cela poder ter um número de televisores, mas ter mais aparelhos que o permitido, esse material é considerado proibido.
“Não há qualquer contato das tropas federais com os apenados e que isso fique claro. Aí entra a importância da atividade integrada. A Polícia Militar (PM-AC) e os agentes penitenciários, em ações sequenciais, entram no presídio, isolam os detentos. Depois disso, nós entramos com o material, fazemos a varredura, recolhemos os materiais e entregamos aquilo que é ilícito à Polícia Civil que vai dar o destino adequado. O que é proibido é entregue ao sistema prisional para que deem o destino correto”, explica.
Oliveira explica que a presença do Exército Brasileiro nas unidades prisionais busca garantir a lei e da ordem. Segundo ele, as Forças Armadas estão atendendo uma solicitação do governo do Estado. A operação nos presídios foi autorizada por meio do decreto federal de 17 de Janeiro de 2017, que autoriza o serviço em todo país, caso o estado solicite.
“O presídio tem mais de 3 mil apenados e, evidentemente, é impossível fazer em uma jornada só toda essa varredura. Então essa operação vai se prolongar ao longo dos próximos dias. É provável que essa atividade se estenda também para todos os presídios do estado do Acre em função da demanda que o governo nos apresente”, destaca o general.

AGÊNCIA BRASIL


Sobe para três o número de mortos por causa das chuvas em Pernambuco


Sumaia Villela

Pernambuco registrou mais uma morte por causa das chuvas que caíram neste fim de semana no estado. Um menino de 3 anos afogou-se em um barreiro perto de sua casa. Com isso, subiu para três o número de mortos. No domingo (28), um casal morreu soterrado em Lagoa dos Gatos.
Segundo a Coordenadoria de Defesa Civil do Estado de Pernambuco (Codecipe), há 27 mil desabrigados e desalojados na Zona da Mata Sul e Agreste pernambucanos.
Duas pessoas estão desaparecidas em Caruaru. Na noite de sábado, uma mulher foi arrastada pelas águas dentro do carro e um homem foi levado pela enxurrada ao tentar desobstruir uma passagem, na estrada de Lagoa da Pedra, na zona rural. As informações são da Defesa Civil do município. Até a publicação desta reportagem, não havia novidades sobre as buscas.
Nesta manhã, o governo decretou estado de calamidade pública em 14 municípios – a decisão foi publicada em edicação extra do Diário Oficial do Estado. Os municípios são Água Preta, Amaraji, Barra de Guabiraba, Barreiros, Belém de Maria, Catende, Cortês, Gameleira, Jaqueira, Maraial, Palmares, Ribeirão, Rio Formoso, São Benedito do Sul. O motivo são as enxurradas e inundações bruscas que vêm ocorrendo por causa das chuvas. A cidade de Caruaru solicitou o reconhecimento da situação de calamidade e aguarda retorno do governo estadual.
Hoje (29), a Zona da Mata Sul e a Região Metropolitana do Recife continuam com chuva, embora em menor intensidade, segundo boletim divulgado pela Agência Pernambucana de Águas e Clima. No Agreste de Pernambuco, o tempo fica nublado e pode cair uma chuva fraca, mas sem registro de temporal.
O governador Paulo Câmara sobrevoa, nesta manhã, alguns municípios onde ocorreram problemas, como Belém de Maria, Barreiros e Palmares. Neste último, o governador deve descer para verificar de perto os estragos.
Um balanço da situação deve ser divulgado no início da tarde. A assessoria de comunicação do governo estadual divulgou nota, na qual informa sobre a intenção do governador Câmara de encaminhar ao presidente Michel Temer a proposta para criação de um cartão reforma emergencial que seria usado para atender as vítimas das enchentes.
De acordo com a assessoria do governo estadual, o hospital de campanha solicitado ao governo federal ainda não está disponível. O Estado fará, nesta manhã, um levantamento dos estragos nos municípios com estado de calamidade decretado para encaminhar um pedido detalhado de ajuda ao governo federal.
Temporal em 2010
Na última vez em que enfrentou chuvas intensas, em 2010, Pernambuco teve cidades destruídas e cerca de 80 mil desabrigados e desalojados. Desta vez, no município de Rio Formoso, por exemplo, onde mais choveu no estado, foram quase 400 milímetros de chuva no final de semana. São quase 100 milímetros a mais que na última enchente.
Das cinco barragens anunciadas, em 2010, para impedir novo desastre, nas proporções observadas à época, apenas uma será inaugurada: o reservatório de Serro Azul, localizado na cidade de Palmares. Quatro obras foram paralisadas em anos diferentes, até 2014. Um dos motivos, segundo o governo estadual, foi a falta de repasse de recursos federais.
Ontem à noite, o presidente Michel Temer (PDMB), em reunião com o governador Paulo Câmara, se comprometeu a agilizar recursos para as obras. Segundo a assessoria, a liberação de R$ 600 milhões em empréstimo do Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) foi autorizada pela Secretaria do Tesouro Nacional.
Uma equipe técnica da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) do Ministério da Integração Nacional chegou nesta segunda-feira (29) ao estado de Pernambuco. O objetivo é auxiliar o governo estadual nas ações emergenciais de socorro e assistência à população afetada pelas fortes chuvas dos últimos dias. Durante a visita, será avaliada a melhor medida de apoio emergencial e o valor de recurso que será investido em parceria com a defesa civil local.
O Ministério da Defesa informou que enviou 100 militares do Exército e 10 viaturas a Alagoas para auxiliar no resgate a moradores em áreas de risco ou isoladas. Para Pernambuco “estão sendo enviados dois helicópteros da Força Aérea e da Marinha para o transporte de pessoas em locais de difícil acesso”. Até a publicação desta reportagem, não houve retorno a respeito do hospital de campanha solicitado pelo governador Paulo Câmara.

Contratos de quatro aeroportos concedidos serão assinados até 27 de julho


Pedro Peduzzi

O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, disse hoje (29) que o governo pretende assinar até 27 de julho os contratos dos quatro aeroportos concedidos recentemente à iniciativa privada. Segundo ele, novas concessões devem ocorrer em 2018.
Quintella participou hoje da reunião do presidente Michel Temer com os presidentes das operadoras aeroportuárias vencedoras do leilão de concessão dos aeroportos de Fortaleza, Salvador, Florianópolis e Porto Alegre. Após a assinatura desses contratos, as concessionárias terão três meses de operação conjunta com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), para depois assumirem definitivamente os empreendimentos.
Segundo o ministro, os empresários se mostraram muito confiantes nos negócios, apesar da crise pela qual passa o país. “Não tivemos, durante a reunião, nenhum relato de preocupação pelos empresários. Estão eufóricos por terem arrematado esses aeroportos”, disse Quintella.
“Relatamos, na conversa, a melhora do mercado. Temos números importantes no setor de aviação civil, depois de 19 meses de quedas sucessivas na demanda por voos e no transporte de passageiros, teve reação no mês de março”, acrescentou.
Números
A demanda por voos domésticos, segundo o ministro, cresceu 5,4% em março, na comparação com o mesmo mês de 2016. Em abril, o crescimento foi 13,2%, o que, segundo ele, “aponta uma tendência de crescimento”. Em relação à quantidade de passageiros, Quintella disse que houve crescimento de 4,1% em março. “Além disso, tivemos uma notícia em relação a investimentos externos em infraestrutura no Brasil: o aumento no primeiro quadrimestre, de 500% em relação ao quadrimestre de 2016, com quase R$ 13 bilhões em investimentos em projetos de infraestrutura. Isso se deve à confiança de que o país recuperou, à qualidade dos projetos apresentados e à nova modelagem do Programa de Parcerias em Investimento [PPI]”, completou.
Na reunião desta segunda também foram tratadas outras demandas do setor aéreo, como a abertura de empresas brasileiras para 100% de capital estrangeiro. “O governo já mandou o projeto de lei [que trata deste assunto] com urgência constitucional. Agora é fundamental que o Congresso se debruce sobre essa matéria o mais rápido possível”, disse Quintella.
Outra matéria de interesse do setor é a que estabelece um teto para o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do querosene de aviação. “O Brasil é um país que cobra muito caro, e isso tem impacto na passagem. Por isso se paga mais caro para ir de São Paulo ao Nordeste do que para Buenos Aires, por exemplo.” Ainda segundo o ministro, a aprovação das novas condições gerais de transporte aéreo vai criar um “novo cardápio tarifário” para as pessoas que desejam viajar com menos bagagem.
PIB
Quintella comentou a avaliação do Boletim Focus, divulgado nesta manhã, que prevê queda no crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas do país). “Vamos trabalhar para que esse quadro não configure. Há um compromisso de se continuar votando as matérias de interesse do país, inclusive as relativas às reformas. O que queremos é trabalhar para que as expectativas de crescimento do PIB se mantenham até o final do ano. Pode haver diminuição por conta da crise política, mas nada que abale a expectativa de crescimento. Portanto não achamos que haverá evasão de investimentos estrangeiros no país”.
Agenda
Depois da reunião com setor aéreo, Temer recebeu no Palácio do Planalto o novo ministro da Justiça, Torquato Jardim, indicado ontem (28) para o lugar de Osmar Serraglio, que deve assumir o Ministério da Transparência, atualmente comandado por Jardim.
À noite, Temer embarca para São Paulo, onde participará do Fórum de Investimentos Brasil 2017, às 20h.

Missões de Paz da ONU custam menos de 1% de gastos militares globais


Onu News

Nesta segunda-feira, 29 de maio, celebra-se em todo o mundo o Dia Internacional dos Boinas-Azuis, em homenagem aos “soldados das Nações Unidas", também conhecidos como capacetes-azuis, que atuam na mediação e prevenção de conflitos em todo o mundo. Desde o início das Missões de Paz da ONU, em 1948, mais de 1 milhão de homens e mulheres já serviram à bandeira da organização "com orgulho, distinção e coragem". As informações são da ONU News.
Apesar da sua importância internacional na resolução e prevenção de conflitos, o orçamento anual das Missões de Paz da ONU gira em torno de US$ 7,8 bilhões, o que representa menos de 0,5% dos gastos militares globais. O secretário geral das Nações Unidas, António Guterres, destaca que este é um "investimento na paz global, na segurança e na prosperidade".
Atrás dos boinas-azuis, existe toda uma operação logística para o seu funcionamento efetivo, incluindo 14 mil veículos, 310 clínicas médicas, 158 helicópteros, 54 aviões e sete navios.
Baixas e presença efetiva
Ao longo dos seus quase 60 anos de atuação, mais de 3,5 mil boinas-azuis morreram em serviço, incluindo o sargento brasileiro Vicente Medeiros, que perdeu a vida no ano passado quando servia à Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti (Minustah).
Medeiros foi um dos 117 homenageados pelo secretário-geral da ONU numa cerimônia em Nova Iorque na semana passada. Guterres frisou que "os soldados de paz se colocam à frente do perigo todos os dias, no meio de grupos armados que estão tentando se matar ou causar danos aos civis".
Atualmente as Nações Unidas têm 16 Missões de Paz em operação em quatro continentes, com presença em países como Haiti, Chipre, Mali, República Centro-Africana, República Democrática do Congo e Sudão do Sul.
Mais de 124 países contribuem com os cerca de 122 mil integrantes das forças de paz da ONU, incluindo tropas militares, policiais e funcionários civis. Todos trabalham para "salvar vidas, prevenir atrocidades em massa e garantir a paz" nas regiões em que atuam.
Reforma
Em editorial publicado no jornal Boston Globe de hoje (29), o chefe da ONU mencionou os casos recentes de exploração sexual envolvendo as forças de paz. Guterres reafirma que essas ações "violaram todos os valores das Nações Unidas" e que "combater o flagelo é prioridade da organização". Ele já apresentou um plano aos 193 países-membros para acabar com a impunidade e garantir que todas as missões tenham defensores para os direitos das vítimas.
O chefe da ONU aproveitou o Dia Internacional dos Boinas-Azuis para lembrar que as Missões de Paz muitas vezes são alvo de extremistas violentos. Para lidar com essa realidade, ele quer uma "séria reforma estratégica, baseada na análise dos mandatos, das capacidades das missões e das parcerias com governos".

AGÊNCIA SENADO


Advogados previdenciários apontam erros da reforma na CPI da Previdência


Advogados do ramo do Direito Previdenciário foram unânimes em afirmar, em audiência pública na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Previdência, que a reforma proposta pelo governo para o setor parte de diagnósticos equivocados e premissas seletivas. Para eles, a reforma é “aberrativa” e leva o país “para o abismo”. A audiência, realizada nesta segunda-feira (29), foi a sexta promovida pela CPI para tratar do assunto.
Thais Maria Zuba explicou que as análises que justificam a reforma ignoram que o modelo escolhido para a Previdência brasileira já computa soluções para os seus próprios problemas. Segundo ela, os cálculos que apontam déficit no setor deliberadamente excluem receitas que, enquanto não têm caráter diretamente previdenciário, existem para minimizar riscos do sistema como um todo.
- Quando se desconsidera o conjunto das contribuições, estamos desconfigurando o que foi pensado [pela Constituição] em termos de custeio. O regime de repartição consegue pagar uma maior quantidade de riscos porque, no grupo, eles se diluem - afirmou.
Thais Maria Zuba disse que o problema do envelhecimento populacional, que reduz a proporção entre população ativa e inativa ao longo do tempo, já foi considerado na elaboração do sistema. Por isso a Previdência é abastecida com cobranças sobre lucros das empresas, importações e loterias, por exemplo – porque essas bases de cálculo, segundo a advogada, estão mais imunes a mudanças na pirâmide etária do país.
Zuba também defendeu o regime previdenciário atual, em que a Previdência é integrada a áreas como saúde e assistência social. Para ela, esse sistema é o mais eficiente para proteger a população de forma sustentável, pois usa as contribuições para garantir a qualidade de vida que vai garantir que a população economicamente ativa continue produtiva e contribuindo.
- O Estado percebeu que nós não somos previdentes. É da nossa natureza. Não pensamos que existem riscos e que eles são inerentes à existência humana. Não temos, normalmente, disciplina de fazer uma poupança para uma eventual situação de risco - disse.
Irresponsabilidade
Diego Monteiro Cherulli também observou que o cálculo que aponta déficit previdenciário mistura os servidores públicos federais e os militares ao Regime Geral da Previdência Social (RGPS), o que é incorreto porque eles têm regimes próprios, com custeio à parte, e não integram a seguridade social.
Cherulli também apontou que o Executivo federal tem usado mal o chamado “fundo poupador” da Previdência, criado pela Emenda Constitucional 20, de 1998. O fundo tinha por objetivo guardar e investir eventuais superávits previdenciários para o futuro. Porém, segundo o advogado, ele tem sido usado pelos sucessivos governos como caixa para despesas correntes.
- Quando o legislador diversificou a base de financiamento, ele sabia que ia sobrar e que precisaria poupar para garantir o pagamento dos benefícios no futuro. Os técnicos não se adaptaram às novas disposições e à vontade da emenda. Eles mantiveram a aplicabilidade da regra antiga: só folha de pagamento custeia a Previdência, e não é assim - explicou.
Para o advogado, essa prática pode ser enquadrada como uma violação à Lei de Responsabilidade Fiscal.
Gestão
Adriane Ladenthin apresentou à CPI alguns dados que estão disponíveis publicamente nos portais governamentais da Previdência Social e que, para ela, indicam erros na elaboração e no direcionamento da reforma. Conforme explicou, mais de 80% dos benefícios do RGPS são de até dois salários mínimos.
Ela também afirmou que o grande problema da Previdência, hoje, não é de estrutura, mas de gestão da seguridade social. Há ineficiência administrativa que leva a judicialização, fiscalização ineficiente que não consegue prevenir acidentes de trabalho e problemas no sistema de saúde que sobrecarregam os benefícios assistenciais. Além disso, o próprio RGPS contém distorções, como desequilíbrios para a concessão de alguns benefícios.
Ainda de acordo com Adriane Ladenthin, a Previdência faz um trabalho ruim em estimular os cidadãos a contribuírem. Ela afirmou que a população tem um entendimento equivocado do funcionamento e do objetivo da Previdência Social, e, por isso, tende a se afastar do sistema. Segundo ela, há cerca de 10 milhões de pessoas na “informalidade previdenciária”.
- As pessoas não querem contribuir para a Previdência porque ela presta um desserviço. Apesar de termos uma Previdência que tem a função de distribuição de renda, a propaganda é invertida. Falta educação previdenciária - afirmou.
Servidores e setor rural
Theodoro Agostinho também opinou que falta uma boa gestão, e também ressaltou que há desconhecimento, entre os proponentes da reforma, de aspectos como a previdência do setor público. Ele disse que o regime próprio do funcionalismo passou por alterações recentes que corrigiram desigualdades e permitirão a equalização do sistema nos próximos anos. Além disso, observou que, diferente dos trabalhadores do setor privado, os servidores públicos precisam contribuir para a Previdência mesmo quando aposentados.
Jane Lúcia Berwanger falou sobre o setor rural, e alertou sobre o risco social de se alterar o regime especial do qual se beneficiam os trabalhadores rurais. Ela afirmou que, caso passe a vigorar um sistema de contribuições individuais voluntárias, a tendência é que as mulheres fiquem desprotegidas, pois não terão como efetuar as suas próprias contribuições, e que o país vivencie um forte êxodo rural.
Além disso, segundo ela, essa mudança subverteria um dos principais objetivos da aposentadoria rural, que é a redução de desigualdades regionais. Atualmente, o sistema é desenhado para que regiões menos produtivas não fiquem descobertas.
Auditoria Cidadã
A audiência também teve a participação de Maria Lúcia Fatorelli, coordenadora da Auditoria Cidadã da Dívida, associação que milita pela investigação das origens e da composição da dívida pública brasileira. Ela pediu à CPI que vá além da análise da Previdência e que trabalhe para identificar as causas do rombo nas contas públicas do país.
Para isso, sugeriu o estudo das conclusões de outra comissão de inquérito, a da Dívida Pública, realizada pela Câmara dos Deputados entre 2009 e 2010.

AGÊNCIA CÂMARA


Projetos estratégicos do Exército brasileiro são tema de audiência pública


A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional promove audiência pública, nesta quarta-feira (31), para discutir a situação dos projetos estratégicos das Forças Armadas, os programas de cooperação internacional do Brasil na área da Defesa e os planos do Exército para o desenvolvimento tecnológico no setor.
O comandante do Exército Brasileiro, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, foi convidado para o debate, solicitado pelos deputados Bruna Furlan (PSDB-SP) e Pedro Fernandes (PTB-MA).
A reunião será realizada no plenário 3, a partir das 10 horas.
Na semana passada, a comissão debateu as prioridades da Marinha.

PORTAL DEFESANET


LM-100J - Realiza o 1º Voo

A Lockheed Martin adianta a versão comercial do C-130J, o LM-100J para competir no mercado civil com o EMBRAER KC-390

O primeiro Lockheed Martin LM-100J aeronaves cargueiro comercial [sic] alcançou um marco crítico, realizando o primeiro voo em 25 Maio 2017.
Nas palavras do piloto de testes do Programa LM-100J Wayne Roberts: “Ele foi impecável, como é típico de nossa nova aeronave de produção militar C 130J".
A Lockheed Martin prevê nichos de mercado na área comercial nas décadas vindouras, como serviço humanitário, naturalmente, na sequência de catástrofes e outros nucleares como resposta aos acidentes, contenção de derramamento de óleo e combate a incêndios Este avião irá também permitir o desenvolvimento área remotas: tais como mineração e petróleo e gás exploração. O LM-100J tem uma capacidade comercial tremenda.
O primeiro voo de testes seguiu o mesmo caminho ao longo Georgia e Alabama que é usado para todas as aeronaves C-130J Super Hercules. A LM-100J irá completar testes de produção inicial e, em seguida, começar a requisitos de teste de certificação da Federal Aviation Administration (FAA).
O LM-100J é a 17ª capacidade missão diferente desenvolvida para o C-130J Super Hercules e é uma versão atualizada da aeronave de carga L-100, que a Lockheed Martin, que foi produzido no período de 1964-1992.
A Lockheed Martin enviou uma carta de notificação à FAA, em 21 de janeiro 2014, para uma atualização de projeto de tipo para a aeronave, uma variante civil e multimissão do C-130J Super Hercules para ser comercializado como LM-100J.
Através inovações de projeto o LM-100J irá executar missões como um cargueiro aéreo comercial multimissão capaz de transporte rápido e eficiente de carga. O LM-100J é a solução ideal para transportar cargas fracionadas e também de grandes dimensões, para locais inóspitos em todo o mundial.
Como seu contraparte militar, o LM-100J será capaz de apoiar múltiplas missões, que vão desde combate a incêndios, para evacuação médica e transporte VIP.
A LM-100J incorpora melhorias tecnológicas sobre os atuais LM-100L existentes que resultam de anos de experiência operacional do C-130J, com mais de 1,5 milhão de horas voadas em toda a frota. O resultado da experiência e os avanços tecnológicos introduzidos se traduz em uma aeronave que irá fornecer um serviço confiável em uma plataforma multimissão para as próximas décadas.

No show aéreo de Farnborough no ano passado a Lockheed Martin fez uma provocação à EMBRAER assinando um contrato para a venda de 10 aeronaves LM-100J para uma desconhecida empresa brasileira.

BR-SE - SJC será sede de mais um encontro entre Brasil e Suécia

Brazil-Sweden Seminar on Aeronautical Cooperation tem como propósito catalisar a cooperação em pesquisa, desenvolvimento e inovação no setor Aeronáutico

No dia 31 de maio São José dos Campos receberá novamente representantes da Suécia para o Brazil-Sweden Seminar on Aeronautical Cooperation e a quinta edição do Brazilian Swedish Workshop in Aeronautics. 
O encontro, que será realizado no Parque Tecnológico a partir das 8h00, contará com o forte engajamento de cinco Ministérios: o da Defesa (MD), o da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), o da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), o das Relações Exteriores (MRE) e o do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPOG), na definição de diretrizes estratégicas para o Setor Aeronáutico e de Defesa.

O Brasil é um parceiro estratégico para a Suécia e de longe o seu maior mercado exportador na América Latina. São mais de 200 subsidiárias suecas e as empresas de origem sueca estabelecidas no Brasil empregam mais de 70 mil pessoas.
Porém, existe um enorme potencial inexplorado em novos setores como, por exemplo, tecnologias de informação e comunicação e biociências. Mas também em setores tradicionais como mineração e florestal, nos quais ambos são líderes, existem grandes oportunidades para o desenvolvimento de negócios e cooperações.
Os países, que já possuem projetos em andamento, propõem para o encontro um debate sobre as perspectivas futuras para criar ambientes favoráveis a interação entre as áreas tecnológicas e científicas relacionadas com o setor aeronáutico civil e militar.
Outro ponto de intenção é a possibilidade de ampliação do leque de parcerias para segmentos tecnológicos como manufatura avançada, propulsão, biocombustível aeronáutico e eletrônica, entre outros.
Esse é o terceiro ano consecutivo que os países se reúnem, através de dois encontros anuais, com a intenção de alcançarem projetos mais maduros tecnologicamente e não apenas os de pesquisa básica e acadêmica.
Na agenda desse encontro, a parte da manhã será reservada para palestras e trocas de informações. Já no período da tarde, serão realizados painéis de discussão temáticos que visam identificar os desafios para um plano de cooperação sustentável e de longo prazo entre os dois países, incluindo indicação de tecnologias a serem abordadas, aspectos relativos a financiamento, interação academia-indústria, e participação de startups, SMEs e grandes empresas do Setor.
“Esse é um encontro para buscar identificar oportunidades de interesse comum aos dois países reforçando os laços de amizade e respeito mútuos”, destacou o Diretor de Planejamento Estratégico de C&T do Estado-Maior da Aeronáutica.
Em outubro, a reunião acontecerá na Suécia, aonde as discussões terão continuidade e novas ações entre os dois países poderão ser estabelecidas.
Agenda do evento
(em inglês)
MAY 31 (Wednesday)
Morning
08:00 – Registration
08:45 – First Call for the Seminar
09:00 - Opening Remarks from Brazilian and Swedish representatives
09:30 – TECHNOLOGY CONTRIBUTIONS FROM THE ACADEMY
Prof. Dr. Anderson R. Correia, Aeronautics Institute of Technology (ITA)
Prof. Dr. Petter Krus, Linköping University (LiU)
10:10 – PERSPECTIVES ON THE AERONAUTICS MARKET
Dr. Dimas Tomelin, EMBRAER
Dr. Henrik Jonsson, SAAB
10:50 – Coffee Break
11:10 – THE FUTURE OF DEFENSE AEROSPACE TECHNOLOGY
Brigadier Paulo Eduardo Vasconcellos, Brazilian Air Staff
Col Axel Nilsson, Defence Material Administration (FMV)
12:10 – GRIPEN PROJECT OFFSET
Captain Gustavo de Oliveira Pascotto, Gripen Offset Agreement Supervisor, Brazilian Air Force (COPAC)
12:30 – Brunch offered by the Brazilian side at Technological Park (EC members, all Delegation of Sweden and official guests)
12:30 – Lunch at Technological Park (self service)
14:00 – PARALLEL WORKING GROUPS
16:00 – Working Groups Reports
17:10 – Closing

MINISTÉRIO DA DEFESA


Peacekeepers brasileiros são homenageados em Brasília (DF)


Major Sylvia Martins

Na manhã desta segunda-feira, na Ala 1 (Base Aérea de Brasília), foi comemorado o Dia Internacional dos Peacekeepers (mantenedores da paz – sigla em inglês), uma homenagem aos capacetes azuis, como são conhecidos os militares das missões de paz da Organização da Nações Unidas (ONU). O ministro da Defesa, Raul Jungmann, presidiu a cerimônia na capital federal.
Segundo o ministro Jungmann, os peacekeepers brasileiros têm representado, ao redor do mundo, um exemplo de competência e capacidade de atuação em missões de paz. “Para o Brasil, em primeiro lugar, nos tornar provedores de paz, para todo mundo; em segundo lugar, reafirmar os nossos princípios de pacifismo, de respeito à soberania, de solução das controvérsias de forma diplomática; e representa, também, para nossas Forças, uma demonstração do nosso profissionalismo, da nossa capacidade e, sobretudo, um reconhecimento de todo mundo, da ONU em particular, para excelência dos peacekeepers brasileiros”, ressaltou o ministro.
Na Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (MINUSTAH), o Brasil foi o único país a ocupar o cargo de Force Commander ao longo dos 13 anos da missão e na Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL), há seis anos, se mantém no comando, o que demonstra o empenho e o padrão dos militares brasileiros reconhecidos pela ONU.
O dia 29 de maio foi escolhido como Dia Internacional dos Peacekeepers porque, nesta data, em 1948, o Conselho de Segurança da ONU autorizou o estabelecimento da primeira operação de manutenção da paz, quando observadores foram enviados para monitorar o acordo de cessar-fogo árabe-israelense. Homens e mulheres, então, que participaram ou ainda participam de operações de paz, e aqueles que perderam a vida nessas missões, são homenageados neste dia.
A cerimônia de homenagem
O início da cerimônia foi marcado pela chegada do ministro Jungmann, recebido, no pátio da Ala 1 (Base Aérea de Brasília), pelo brigadeiro Ary Soares Mesquita, comandante da organização militar. Jungmann passou em revista a tropa, integrada por militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica.
Na leitura da Ordem do Dia (confira aqui), o ministro da Defesa lembrou que as operações de paz da ONU visam à manutenção da segurança e da paz internacionais, em especial, à proteção de civis; e que, além da MINUSTAH e da UNIFIL, o Brasil atua com observadores militares em diversos países: Chipre, Guiné-Bissau, República Centro-Africana, República Democrática do Congo, Saara Ocidental, Sudão e Sudão do Sul.
Na sequência, em momento emocionante, Raul Jungmann, acompanhado dos comandantes da Marinha e da Aeronáutica, de autoridades do Ministério da Defesa e dos mais antigos oficiais peacekeepers das três Forças, realizou a aposição de uma coroa de flores em homenagem aos brasileiros falecidos em missões de paz.
Ao final do evento, ex-capacetes azuis participaram do desfile militar ao som de canções como hino do Aviador, Cisne Branco e do Expedicionário.
Entre as autoridades, os comandantes da Marinha, almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira, e da Força Aérea, brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato; o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), almirante Ademir Sobrinho; o secretário-geral do Ministério da Defesa, general Joaquim Silva e Luna; o chefe de Operações Conjuntas do MD, general César Augusto Nardi de Souza, representando o comandante do Exército.
Brasileiros em Missões de Paz
Hoje, das 21 operações de paz da ONU, nove contam com a contribuição de 1.294 militares e policiais brasileiros. Alguns ex-peacekeepers, na cerimônia, comentaram sobre a importância da presença do Brasil nessas missões.
O integrante do Estado-Maior da Aeronáutica, major Robert Kluppel, trabalhou como observador militar no Saara Ocidental, tendo como última função assistente militar do Force Commander. “É muito importante para o Brasil, como país, como nação, participar dessas missões, porque aumenta a participação do País no cenário internacional, não só em missões de contingente, mas também em missões individuais. E, para os militares, é muito importante, porque conseguem trazer para o País, vários conhecimentos e outras formas de trabalhar”, disse Kluppel.
O tenente da Diretoria de Obras de Cooperação do Exército, Clovis Ravazi, esteve por duas vezes no Haiti, atuando como intérprete. Ao falar desses treze anos de participação do Brasil na MINUSTAH, destacou a capacidade de interação da tropa com a população. “O que ficou foi esse espírito colaborativo que o brasileiro tem, a capacidade de interagir com as pessoas em qualquer canto que vá. Além de contribuir, também, com o sistema de trabalho, de trabalhar em equipe, diferente de outros países que se mantém um pouco distante da população”, disse o tenente.
Já o coordenador da Seção de Cooperação Internacional, do Ministério da Defesa, oficial da Marinha, comandante Sergio Cysne, comentou sobre o significado do Dia do Peacekeeper. “É honrar aqueles que contribuíram para paz mundial. É reconhecer-lhes o sacrifício, todo esforço de estar deslocado de casa, longe da família, mas cumprindo uma missão maior e nobre. É também reverenciar os colegas que tombaram no cumprimento desse sagrado dever”, afirmou. Ele participou da UNIFIL em 2012, como conselheiro jurídico.
Em Brasília, a cerimônia contou ainda com policias militares, como o tenente-coronel da PMDF, Nilson Alves. “Os policiais militares com suas expertises podem contribuir para o desenvolvimento das policias desses países. E, sob o aspecto pessoal, além de contribuir, também aprendemos bastante com policiais de outras nações. Há um intercâmbio em todas as vias”, afirmou o policial.
Com o encerramento da MINUSTAH, em 15 de outubro deste ano, anunciado pela ONU, o Brasil aguarda decisão do governo federal para levar a outros países o trabalho dos capacetes azuis brasileiros, reconhecido internacionalmente.

Equipe da FAB representará o Brasil em campeonato de Paraquedismo na Alemanha


Boituva (SP), 29/05/2017 - Após oito rodadas de saltos de Precisão individual, oito rodadas de Precisão em equipe, cinco rodadas na modalidade Estilo e mais oito de Formação em Queda Livre (FQL), foram definidos os vencedores do 27º Campeonato Brasileiro de Paraquedismo das Forças Armadas. O time Falcões, da Força Aérea Brasileira (FAB) foi o grande campeão e vai representar o Brasil no campeonato mundial, em julho, na Alemanha.
O major da FAB Michel Ramos começou a saltar em 2005 e, no mesmo ano, passou a fazer parte do Time Falcões. Já participou de quatro campeonatos mundiais militares e tem uma boa expectativa para a competição em julho.
"Queremos ficar entre os sete primeiros lugares. Estes integrantes estão juntos desde 2008 e investimos muito em um período de treinamento ousado, bastante cansativo, mas que valeu a pena. No último treinamento que fizemos, aqui mesmo em Boituva, ficamos confiantes de que estávamos bem preparados", contou o major.
O time feminino da Força Aérea já começou o campeonato classificado para o mundial, mas manteve o espírito competitivo em busca dos melhores resultados. "Montamos um time estratégico, um conjunto excelente, e treinamos muito para chegar nesse resultado", ressaltou a sargento Cássia Neves, da FAB.
A sargento do Exército Juliana Souza une-se às paraquedistas da FAB e completa o time brasileiro para o mundial. Ela disputou a vaga durante o campeonato brasileiro com outra atleta do EB.
Juliana já participou de campeonatos mundiais e conhece o ambiente que as espera. "Não existe clima de rivalidade. Esperamos que o campeonato seja uma boa oportunidade de troca de experiências e de aprendizado com outras equipes. Todos os times têm boa vontade para ensinar e aprender", explicou a atleta que será a primeira mulher militar brasileira a competir na modalidade Estilo em um mundial.
Encerramento
A premiação e o encerramento do campeonato foram realizados na sexta-feira (26) com presença de autoridades da Marinha, do Exército e da Aeronáutica. Em solenidade militar, os atletas receberam medalhas e troféus.
Arbitragem
Para avaliar todos os saltos e definir os vencedores, 10 árbitros participaram do campeonato. O mais experiente tem cerca de 40 anos de arbitragem e o que está a menos tempo na função conta com cinco anos de experiência.
Esta diferença, segundo o diretor do evento, coronel do Exército José Roberto Queiroz, é fundamental para haver a continuidade e a passagem de conhecimento na arbitragem das Forças Armadas. “Nós costumamos chegar dois ou três dias antes dos campeonatos, justamente para nivelar os conhecimentos de regulamentos e avaliação. Isso já promove a troca de experiências”, explica o Coronel.
Cada modalidade tem peculiaridades na avaliação e contagem dos pontos. Nas provas de Formação em Queda Livre e Estilo, os atletas formam figuras e fazem movimentos pré-determinados em um tempo limite. Um cinegrafista acompanha tudo e só depois as imagens são avaliadas pelos árbitros para gerar a pontuação.
Nas provas de Precisão, os paraquedistas precisam acertar um alvo de dois centímetros de diâmetro em um colchão para ter a pontuação mínima, que ao contrário de outros esportes, é o objetivo dos atletas. Nesse caso, os juízes contam com sensores que marcam o raio em que o atleta pisou e determinam a pontuação.
Ainda segundo o coronel Queiroz o campeonato brasileiro tem vários objetivos. “Ele valoriza o esforço e dedicação de cada Comissão Desportiva. É a oportunidade de disputa saudável para selecionar os melhores representantes do País e é também a chance de descobrir novos talentos esportivos”, destacou.

AGÊNCIA EFE


Diretor da LaMia assume culpa por crime em acidente da Chape


Efe

O diretor da companhia aérea LaMia, Gustavo Vargas Gamboa, se declarou culpado por um dos quatro crimes de que é acusado pelos investigadores do acidente do avião que transportava a delegação da Chapecoense para a Colômbia, em novembro do ano passado, informa a imprensa da Bolívia neste domingo.
A defesa de Vargas Gamboa apresentou, em abril do ano passado, uma proposta de acordo aos promotores que averiguam o caso na Bolívia, em que aceita a admissão de culpa por homicídio culposo, ou seja, sem intenção de matar. O diretor da LaMia pede para ser condenado por dois anos de prisão, detalha o jornal "El Deber".
O acusado está detido preventivamente em Palmasola, no departamento de Santa Cruz, desde dezembro, e quer que o acordo o deixe imune de ser julgado por lesões gravíssimas, lesões culposas e desastre em meio de transporte.
O advogado de Vargas Gamboa, Jerjes Justiniano, afirmou que a decisão foi tomada pelos problemas de saúde que o diretor sofre.
"Só lhe funciona um rim. Ele teve três infartos, tem pressão arterial alta e precisa receber doses diárias de insulina. Prefere que o condenem e que possa sair da prisão para ser tratado", disse o responsável pela defesa, ao "El Deber".
O Ministério Público da Bolívia ainda não respondeu a proposta de acordo apresentada.
O avião da LaMia que levava a delegação da Chapecoense, além de jornalistas e convidados para a Colômbia, onde aconteceria a primeira partida da final da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional, colidiu com uma colina após ficar sem combustível. A tragédia matou 71 dos 77 passageiros do avião.
Além de Vargas Gamboa, também está preso o ex-supervisor de tráfego aéreo da Administração de Aeroportos e Serviços à Navegação Aérea (Aasana) Joons Miguel Teodovich.
Também está detido o filho do diretor da LaMia, Gustavo Vargas Villegas, era diretor do Registro Aeronáutico Nacional da Direção de Aeronáutica Civil, que autorizou, em 2014, a importação e matrícula provisória do avião da companhia aérea.
A companhia Bisa Seguros e Reaseguros informou nesta quinta-feira que a queda do avião de LaMia não tem cobertura de seguro. Os sobreviventes e os familiares das vítimas, no entanto, podem pedir ajuda a um fundo de cooperação que foi criado para atendê-los.
A emissora americana "CNN" exibiu em reportagem que uma carta enviada pela seguradora aos gerentes da companhia aérea, informava que a "apólice estava suspensa por falta de pagamento desde outubro" de 2016. Ou seja, o seguro não estava em vigor no momento da tragédia.
A Bisa divulgou que a apólice para a tripulação está sendo paga de forma normal, com US$ 150 mil (R$ 489 mil) para cada tripulante morto, além de ter destinado US$ 25 mil (R$ 81,5 mil) para cada sobrevivente custear as despesas médicas.
As autoridades da Bolívia, por sua vez, garantem que a apólice estava em dia, sim, no dia da queda da aeronave.

PORTAL R3 (SP)


História da aviação no Brasil ganha exposição no Museu da Casa Brasileira


Redação Portalr3

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, apresenta, em parceria com o Instituto Embraer, o universo de criação do design nacional para artefatos concebidos para voar. Como instituição dedicada às questões do design – com o qual busca contribuir anualmente por meio da realização do Prêmio Design MCB – traz, por meio da mostra design na aviação brasileira, o caso de sucesso da Embraer S.A., que apostou, desde sua fundação em 1969, no potencial inovador da engenharia e da criatividade nacional. A abertura é dia 1º de junho, às 19h30 com entrada gratuita, e a exposição permanece em cartaz até 20 de agosto.
“Como único museu no Brasil dedicado às questões do design, a oportunidade de mostrar esta tradição brasileira e trazer a trajetória de sucesso da Embraer ao grande público é um importante momento de reforço da missão da instituição”, comenta a diretora geral do MCB, Miriam Lerner.
A atuação de vanguarda do Brasil na aviação é um ponto de destaque para Paulo Cesar de Souza e Silva, diretor-presidente da Embraer. “A indústria aeronáutica faz parte de um ambiente global altamente competitivo, repleto de desafios e com demanda intensiva por tecnologia e inovação. O Brasil tem historicamente se destacado por transformar ciência em design que influencia tendências do setor. É uma satisfação poder contribuir e se inspirar com essa história”, completa.
A Embraer foi estabelecida em São José dos Campos (SP) para produzir o avião Bandeirante e atender à aviação regional. Hoje, quase cinquenta anos depois, ela é uma empresa global que projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves, sistemas e soluções para Aviação Comercial, Aviação Executiva e Defesa & Segurança.
O criador da exposição, arquiteto e artista Guto Lacaz, já concebeu para o MCB a mostra “Santos=Dumont designer” (apresentada em duas edições, 2006 e 2009). Ele é estudioso do pioneirismo de Santos Dumont e entusiasta da história da aviação e do sonho do homem em voar.“Buscamos reforçar a tradição aeronáutica do Brasil”, diz Guto Lacaz, “desde o ‘Padre Voador’ Bartolomeu Gusmão, inventor brasileiro do balão de ar quente em 1709, passando por Santos Dumont e os experimentos que antecederam a Embraer. Trata-se de uma exposição de alto valor estético e tecnológico”.
Criado para competições mundiais de voo a vela, o planador Urupema,em escala 1:2, abre a exposição já no portão do Museu da Casa Brasileira. Projetado em 1963, este planador feito de madeira e resina epóxi foi criado para competições mundiais de voo a vela.No jardim do Museu estarão dois modelos em tamanho real: o A-29 Super Tucano (EMB 314), turboélice de ataque leve e treinamento avançado, e a Máquina de Voar de Leonardo da Vinci, construída especialmente para esta exposição para ser testada pelo público, acionando as asas a partir dos pedais.
Entrando no Museu, uma linha do tempo apresenta a história da aviação brasileira com modelos tridimensionais de aeronaves em escala 1:50, desde1709 a 2017, apresentando aviões produzidos por iniciativas autônomas e outras empresas, além de todas as séries criadas pela Embraer.
A primeira sala é dedicada ao processo de projeto das aeronaves, desde os desenhos preparatórios dos aviões feitos a mão em papel vegetal, até os sistemas virtuais de projeto, incluindo vídeos de ensaios, modelos e documentação fotográfica. Para representar a sustentação do voo pela aerodinâmica e ação dos esforços do vento, Guto Lacaz preparou um modelo com ventilador que pode ser acionado pelo público, fazendo flutuar um trecho de asa.

JORNAL TRIBUNA DA BAHIA


Forças Armadas ajudam população nordestina atingida pelas chuvas

Cerca de 100 militares do Exército atuam na capital Maceió

O Ministério da Defesa, por meio do Exército, da Aeronáutica e da Marinha, está prestando apoio às populações de Alagoas e Pernambuco atingidas pelas fortes chuvas do último final de semana.
Cerca de 100 militares do Exército atuam na capital Maceió, em cidades do interior e ao redor da Lagoa de Mundau. Para estas regiões foram também deslocadas 10 viaturas para o resgate de moradores em áreas de riscos ou isoladas.
Para Pernambuco estão sendo enviados dois helicópteros da Força Aérea e da Marinha para o transporte de pessoas em locais de difícil acesso.
No domingo (21), o ministro da Defesa, Raul Jungmann, e o presidente da República, Michel Temer, estiveram em Recife para acompanhar as ações emergenciais.
Em reunião com o governador Paulo Câmara, o presidente Temer anunciou a liberação de recursos federais para dar continuidade às obras hídricas.
A Defesa Civil de ambos estados coordena os trabalhos e vem informando às organizações militares as regiões que necessitam de ajuda. As Forças Armadas estão disponíveis com recursos humanos e meios para serem empregados no resgate e transporte de pessoas.

JORNAL FOLHA DE PERNAMBUCO


Cerca de 40 casas correm risco de desabar, diz prefeito de Ribeirão

Município decretou estado de emergência. 910 famílias estão desalojadas e 40 desabrigadas

Quarenta casas do município de Ribeirão, na Mata Sul do Estado, correm risco de desabamento. De acordo com o prefeito Marcelo Maranhão, o distrito de Aripibú está isolado devido à destruição da cabeceira da ponte que dá acesso ao local. Sete abrigos estão prestando assistência aos moradores, além de equipes do Corpo de Bombeiros, Secretaria de Saúde e Ação Social.
“Até o momento, não foram sinalizados recursos financeiros para auxiliar na recuperação da cidade. Já enviamos o pedido para o Governo do Estado”, disse o prefeito. O presidente Michel Temer esteve no Recife na noite de domingo (28) e prometeu liberar um empréstimo para o estado de R$ 600 mil, do BNDES.
Segundo a prefeitura, em torno de 40 famílias estão desabrigadas e 910 estão desalojadas; foram 313 casas atingidas por deslizamento de barreiras, 40 parcialmente destruídas e 590 atingidas por alagamentos. Até às 16h do domingo (28), foram registrados 295 milímetros (mm). Os bairros de Vila Rica, Ferroviária e os distritos de Aripibú e Caxangá foram os mais atingidos no município.
“Em decorrência dessa forte precipitação foram constatados danos em diversos prédios públicos, vias públicas, cabeceiras de pontes, estradas vicinais, galerias de águas pluviais, sistema de drenagem e danos sociais", divulgou a prefeitura em comunicado.
Chuvas em PE
O governador Paulo Câmara pediu apoio ao ministro da Defesa, Raul Jungmann, que imediatamente mobilizou as três forças no estado: Exército, Marinha e Aeronáutica. Já estão destinando os equipamentos e pessoal em articulação com o governo estadual.

JORNAL TRIBUNA DO NORTE (RN)


Incerteza no ar


Com apenas três anos de uso, a pista principal do Aeroporto do Rio Grande do Norte já apresenta defeito. Isso tem gerado indignação no setor turístico e lamento entre passageiros. "É inaceitável", disse José Odécio, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hoteis no Rio Grande do Norte (Abih/RN), nesta semana. Além disso, não se sabe com precisão como será a logística para sair e entrar em Natal pelo ar, muito menos os novos preços das passagens, embora o setor tenha certeza de que vai aumentar. A certeza que existe é de que a reforma deve suspender os voos noturnos por 30 dias entre setembro e outubro deste ano. Esses meses juntos representaram 16% da movimentação do aeroporto em 2016.
Com as obras na pista, os pousos e decolagens serão transferidos na pista auxiliar das 6h da manhã às 18h.
Até agora, só a TAP Portugal confirmou que vai suspender os voos diretos em Natal e reforçar as operações em Recife neste período. A companhia aérea Azul informou que até a próxima quarta-feira (31) fará as mudanças na sua malha aérea para se adaptar ao período. As demais empresas que operam no Aeroporto potiguar disseram que estão avaliando a situação ou ainda não receberam o documento que oficializa a mudança. O Notam é um aviso com informação sobre condição, modificações de instalações, serviços, procedimentos e perigos relacionados às operações de voos.
Movimentação
O período em que a pista principal será reformada está compreendido entre meses que, somados, representaram 16% de todos os voos feitos no ano de 2016. O mês de outubro teve a 5ª maior movimentação de passageiros entre os meses do ano passado. Com 194.478 passageiros, outubro só ficou atrás dos meses de alta estação turística: janeiro (300.674), dezembro (245.764), julho (202.993) e fevereiro (198.625). Os meses de maio (153.209) e abril (153.209) foram os que registram menos passageiros. Os dados estão no site do terminal potiguar.
Em relação às cargas, 16,49% de tudo que foi transportado em 2016 ocorreu em setembro e outubro. A soma desses dois meses resulta em 1,9 mil toneladas. Isoladamente, setembro foi o 7º mês com o maior volume de carga transportada com 900 toneladas.
Em outubro, o aeroporto movimentou 1 mil toneladas, assim, o mês teve a 6º maior volume de cargas no ano. Neste tipo de voo, os meses de junho (800 toneladas) e julho (861 toneladas) foram os menos movimentados.
Em 2016, o Aeroporto de alcançou a liderança nas exportações entre os terminais aeroviários do Nordeste. No total, as movimentações de carga ultrapassaram as 12 mil toneladas no ano.
Também não se sabe quanto essa liderança pode ser comprometida. Com partidas às terças e domingos, o voo Natal – Frankfurt (Alemanha) da Lufthansa é um dos mais importantes para a fruticultura potiguar. Por voo, o cargueiro MD-11F pode transportar 80 toneladas de produtos. A companhia informou que ainda não recebeu o Notam para avaliar a possibilidade de manutenção do voo. Atualmente, o horário da partida é no início da tarde.
Sobre a pista auxiliar, a assessoria de imprensa da Inframerica, consórcio que administra o aeroporto, informou que qualquer aeronave pode usá-la para pousar e decolar. Ainda segundo a administradora do Aeroporto, assim que houver novidades sobre este período as divulgará. As pistas do terminal foram construídas pelo Exército Brasileiro e repassadas ao consórcio Inframerica, responsável por construir os prédios que compõem o terminal. Em maio de 2014, iniciaram as operações.
SAIBA MAIS
O que dizem as companhias aéreas
Lufthansa: a empresa foi comunicada sobre a reforma da pista principal, mas aguarda a informação oficial por meio de documento específico (Notam) para avaliar a possibilidade de operação do voo de carga Natal – Frankfurt. O horário do voo é diurno.
Azul: até a próxima quarta-feira a companhia fará os ajustes na malha aérea para adequação ao período de reforma.
Avianca: está avaliando com as autoridades do aeroporto os impactos nos seus voos. A companhia informará com antecedências alterações na programação.
Gol: também não recebeu comunicação oficial por meio de notam. Dessa forma, segundo a assessoria de imprensa, os voos permanecem inalterados por enquanto. A companhia opera, entre outros voos, um noturno que liga o RN de forma direta à Buenos Aires.
Latam: está avaliando as mudanças necessárias e comunicará oportunamente eventuais alterações na programação de voos em Natal.
TAP: Em nota divulgada no dia 11 de maio, informou que em consequência das medidas de manutenção anunciadas pela empresa administradora do Aeroporto, suspenderá temporariamente os voos diretos envolvendo esse destino no período de 11 de setembro a 29 de outubro de 2017. A companhia disse não ter encontrado maneira de operar dentro das condições propostas pela administradora do aeroporto, por possuir operação baseada em aviões de grande porte. Além disso, o fato de ter seus voos com saídas no período noturno em Natal, as alternativas propostas dificultariam a interligação em Lisboa com toda a malha aérea da companhia na Europa e África.
Em relação aos clientes que já haviam feito suas reservas de voos ou possuam bilhetes emitidos para esse período, a companhia está preparando um reforço de sua operação em Recife para receber esses passageiros que fariam o seu embarque ou desembarque em Natal no período acima indicado. A empresa está definindo a forma como irá transportar os passageiros, entre as cidade de Natal e Recife. “Todos os clientes afetados, serão informados, logo que a TAP tenha esta definição”, disse.
A companhia também permitirá que os clientes façam alterações de data sem penalizações para quem preferir mudar sua viagem, assim como possibilitará também o reembolso do bilhete ao passageiro que preferir não realizar o voo. “A TAP reforça o seu compromisso com todos os seus usuários informando que a partir do dia 29 de Outubro, data em que as obras de manutenção já deverão ter sido concluídas, prevê voltar a operar seus voos diretos a partir de Natalaumentando, inclusive, o número de voos de três para quatro voos semanais”, disse.
Aeroporto do RN - Interdição e números
INTERDIÇÃO DA PISTA PRINCIPAL
Período: 10 de setembro a 10 de outubro de 2017.
Horário dos pousos e decolagens na pista auxiliar: 6h às 18h.
MOVIMENTO DURANTE O ANO
16% de todos os passageiros que circularam no aeroporto durante 2016 viajaram nos meses de setembro e outubro
16,49% das cargas que passaram pelo aeroporto em 2016 foram transportadas entre os meses de setembro e outubro
Setembro de 2016
7º mês do ano com maior número de passageiros (177 mil)
7º mês do ano com maior número de transporte de cargas (980 toneladas)
Outubro de 2016
5º mês com maior movimento de passageiros em 2016 (194 mil)
6º mês do ano com maior número de transporte de cargas (1 mil toneladas)
Fonte: site do Aeroporto

OUTRAS MÍDIAS


BLOG EU VOU PASSAR


Forças Armadas têm oferecido amplo leque de vagas; 1.945 com inscrições abertas

Entre os concursos com inscrições abertas no Brasil, é possível observar que as Forças Armadas têm sido bem representadas. Enquanto o arrocho fiscal e o corte de gastos têm freado a abertura de certames federais em outras áreas, Exército, Aeronáutica e Marinha continuam lançando seleções. O presidente da Associação Nacional de Proteção e Apoio aos Concursos (Anpac), Marco Aurélio de Araújo Júnior, observa que, em 2017, a quantidade de processos seletivos dessas corporações aumentou em comparação com o ano passado.
“Há um número maior de aposentadorias de militares, provavelmente, por causa do temor da Reforma da Previdência. Em razão disso, há aumento na demanda por pessoal, tendência que deve continuar e até crescer nos próximos meses e em 2018 de forma geral”, comenta. Para quem sonha com uma carreira militar, este é um período propício. Atualmente, há 2.203 vagas abertas nas três instituições: 1.650 no Exército, 197 na Aeronáutica e 356 na Marinha. As oportunidades de níveis fundamental, médio e superior são para homens e mulheres. As remunerações podem chegar a R$ 10.048,57.
Dificuldade elevada
O processo de seleção para ser um profissional das Forças Armadas é longo: os candidatos precisam passar por provas objetivas, avaliações de saúde, psicológica e física e validação de documentos. Os conhecimentos básicos normalmente cobrados são português, matemática, química, física, história, geografia, redação e inglês.
Segundo o professor de física Marcelo Freitas, do Zero Um Cursos Preparatórios, o nível de dificuldade se eleva a cada edição, principalmente para oportunidades de formação, como a Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx), a Escola Preparatória de Cadetes do Ar (Epcar), a Escola Naval e a Escola de Formação de Oficiais da Marinha.
“A EsPCEx (uma das mais difíceis) aborda os conteúdos como se fosse vestibular. Nos concursos da Força Aérea, as questões são complicadas e longas”, analisa o professor. Mesmo que a cobrança seja mais elevada em exatas, Marcelo sugere ao candidato distribuir bem o tempo de estudo e se dedicar a outras disciplinas. “Tem que ser um preparo completo. Não pode deixar a área de humanas de lado. Os testes exigem também um conhecimento grande de gramática e interpretação de texto. A redação reprova muito, então busque orientação de profissionais e estude”, acentua.
No dia da prova, a dica também é administrar bem o tempo. “Tome cuidado para não ficar preso com as questões difíceis e deixar as mais fáceis de lado porque as pontuações são iguais. Divida-se”, conclui.
Prova esportiva
O teste físico é comum aos concursos militares e pode preocupar concorrentes. O professor André Barbosa, diretor do Curso Seleção, ressalta que corrida, flexão, barra e natação são inerentes à carreira militar. “Nenhum aluno é submetido a testes acima da capacidade humana”, pondera. O preparador físico Paulo Cruz acrescenta que é suficiente começar os treinos três meses antes do teste.
“Exercitar-se três vezes por semana seria o ideal, de 40 minutos a uma hora por dia. Eu separaria dois dias para abdominal e flexão e um para corrida”, orienta. Pessoas sedentárias precisam se dedicar mais para atingir o mínimo esperado. “Às vezes, será necessário mais que três meses, vai depender do esforço de cada pessoa, mas é possível para todo mundo”, ressalta.

NAÇÕES UNIDAS NO BRASIL


Quem são os observadores militares da ONU?

Militares servindo em missões de paz da ONU podem atuar em contingentes – que são batalhões de infantaria enviados para garantir condições de segurança e estabilidade no terreno -, mas também como oficiais de Estado-Maior e observadores.
Esses últimos são responsáveis por monitorar acordos de cessar-fogo. São oficiais que andam desarmados e têm como principal arma e escudo a bandeira e o capacete azul das Nações Unidas.
O tenente-coronel brasileiro Rodrigo Rodrigues Júnior, da Aeronáutica, já participou de duas operações de paz da ONU como observador militar.
A primeira delas foi no Saara Ocidental, onde as Nações Unidas mantêm uma missão desde 1991. O objetivo do efetivo que atua na região é monitorar um acordo de paz entre o Marrocos e a Frente Polisário, que busca a independência do território do Saara Ocidental.
Outra função é promover as condições necessárias à realização de um referendo entre a população local, a fim de determinar se a autodeterminação da região é possível. Rodrigues Júnior atuou junto à missão no período de março de 2008 a março de 2009.
A segunda operação de paz do brasileiro foi em Abyei, território sob disputa do Sudão e do Sudão do Sul. Mais uma vez, sua atuação envolveu a vigilância das condições de segurança bem como o monitoramento da população para averiguar a viabilidade um referendo popular.
Nesse caso, a votação decidiria se Abyei seria integrado ao Sudão ou ao Sudão do Sul. O tenente-coronel serviu na região também por um ano, de maio de 2013 até maio de 2014.

O PROGRESSO (MS)


Aeroporto passa a receber aviões em condições de mau tempo

Com esse procedimento, as aeronaves com destino a Dourados poderão operar em condições meteorológicas restritas
A publicação, pelo Decea (Departamento de Controle do Espaço Aéreo), organismo ligado ao Comando da Aeronáutica, das cartas para operação por instrumentos (IFR) contemplando o aeroporto Francisco de Mattos Pereira, em Dourados, conforme previsto para o dia 25 de maio, "vem coroar uma luta de todos para colocar, cada vez mais, a nossa cidade na posição que merece". A avaliação é da prefeita Délia Razuk, ao destacar a importância desse avanço na estrutura aeroportuária do Município.
Com esse procedimento, as aeronaves com destino a Dourados poderão operar em condições meteorológicas restritas, incluindo o modelo ATR 72 da Azul, por exemplo, que tem sido visto, constantemente, fazendo manobras para pouso no aeroporto de Campo Grande, diante das dificuldades do clima em determinadas circunstâncias. Com isso, na opinião da prefeita, "parte dos nossos problemas estão resolvidos".
De acordo com o piloto da aviação civil Domingos Renato Ventorini, um dos diretores do Aeroclube Dourados, "essa é uma conquista coletiva, através da somatória de esforços do Aeroclube de Dourados, da Aced, da Brigada Guaicurus, a FAB, Prefeitura de Dourados e mais um grande número de cidadãos que, unidos, começaram essa batalha, buscando uma alternativa para os cancelamentos dos voos em dias de meteorologia adversa".
Com a publicação dos novos procedimentos, as aeronaves do porte do ATR72 ou superior poderão realizar o procedimento de operação por instrumentos (na sigla IFR) na categoria "para circular", com mínimo de operação de 700 pés teto (cerca de 214 metros). "Hoje, essas aeronaves só são permitidas a operarem em condições de teto de 1500 pés (cerca de 457 metros)", lembra publicação do blog Aeroporto de Dourados, canal de notícias independente sobre as atividades do terminal.
Para a prefeita Délia Razuk, é preciso destacar "os esforços do ex-prefeito Murilo, que elegeu o nosso aeroporto como uma das prioridades do mandato dele, o empenho do Aeroclube, o trabalho de toda nossa equipe, junto às autoridades da Aeronáutica e a dedicação sempre presente do nosso comandante do Exército, o general Lourenço Willian, da 4ª. Brigada, que também não mediu esforços nesse sentido".
Agora, de acordo com o secretário municipal de Planejamento, José Elias Moreira, começa uma nova fase: "Vamos continuar trabalhando, dentro de um projeto que envolve recursos da ordem de R$ 40 milhões, para dotar o nosso aeroporto das condições para operar com aeronaves de grande porte, através da readequação do terminal de embarque/desembarque, da ampliação da pista e das mudanças necessárias para elevar nossa categoria a internacional, e facilitar a ligação com os maiores centros e países que realizam negócios com a gente", afirmou o secretário.

CAPITAL NEWS (MS)


Em Mundo Novo, aeronave é encontrada sem passageiros

Foi verificado se havia machas de sangue no local ou algo parecido, já que se tratava de uma possível queda, mas nada foi encontrado, nem passageiros
Cristiano Arruda
Em Mundo Novo, um avião foi encontrado às margens da BR-163 e os passageiros não foram localizados, a polícia suspeita de que a aeronave estava sendo usado para fazer transporte de contrabandos.
Segundo o Boletim de Ocorrências registrado, o avião de prefixo PT-RLE foi encontrado às 15 horas do ultimo domingo (28), nas proximidades de Rio Iguatemi, a poucos quilômetros do pedágio da BR-163, a suspeita é de que a mesma tenha feito um pouso de emergência no local.
Dentro da aeronave foi encontrado um galão extra de combustível, e os bancos estavam afastados. Por conta da queda, foi verificado se havia manchas de sangue no local ou algo parecido, já que se tratava de uma possível queda, mas nada foi encontrado, nem passageiros. Os policiais ainda verificaram os hospitais da região, mas nenhum paciente com ferimentos compatíveis a acidentes aéreos deu entrada nas unidades.
O delegado Claudineis Galinari, titular da Delegacia Regional de Naviraí, disse que é possível que o avião tenha feito o pouso de emergência e pelas características em que a aeronave foi achada, a principal suspeita é de que ela era usada para o transporte de contrabando.
Ainda não é possível saber o que causou o pouso de emergência, mas a Polícia Federal e a CENIPA (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) foram avisados e compareceram ao local do acidente para periciar a aeronave.
O proprietário do monomotor também já foi identificado pela polícia como Edmur Guimarães Bernardes, dono de um hangar em Paranaíba e deve prestar depoimento ainda hoje (29).
Em 2013, o hangar de Bernandes foi alvo de uma operação da Polícia Civil de Paranaíba. Ele e outros três suspeitos foram apontados como responsáveis por uma carga de cigarros e eletrônicos que seriam transportados por uma das aeronaves do local. Durante a ação dos policiais, Edmur fugiu, enquanto os comparsas eram presos.
Antes disso, em 2001, o proprietário do avião chegou a ser condenado pelo transporte de drogas. Em 2009 Edmur e outras quatro pessoas, ficaram feridas após a quede de um monomotor no município de Cáceres, no Mato Grosso. Era o suspeito quem pilotava a aeronave.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos







Publicidade






Recently Added

Recently Commented