|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 11/05/2017 / Airbus conclui com sucesso teste de contato automático de reabastecimento aéreo com F-16 da FAP


Airbus conclui com sucesso teste de contato automático de reabastecimento aéreo com F-16 da FAP ...  


Durante os testes foram realizados seis contatos; os voos foram realizados sobre a costa de Portugal...

A Airbus Defence and Space concluiu com sucesso os testes de contato automático de reabastecimento aéreo (Air-to-Air Refueling – AAR), anunciou a empresa que afirma ser a única no mundo a realizar este tipo de contato.

Nos testes estiveram envolvidos uma aeronave Airbus A310 MRTT tanque e um caça F-16 da Força Aérea Portuguesa. De acordo com a Airbus Defence and Space, foram realizados seis contatos automáticos em uma demonstração técnica que a empresa acredita ser a grande promessa das operações AAR.

O sistema automático não requer nenhum equipamento adicional na aeronave receptora, e tem o objetivo reduzir a carga de trabalho do operador, aumentar a segurança e optimizar a taxa de condições operacionais para maximizar a eficiência em combate, segundo a Airbus Defense and Space.

O novo sistema de contato automático pode ser introduzido na atual produção de aeronaves A330 MRTT a partir de 2019.

O funcionamento do sistema de contato automático de reabastecimento aéreo, como de costume, consiste em uma abordagem inicial e rastreamento do receptor realizado pelo Operador de Reabastecimento Aéreo (ARO). Utilizando então técnicas passivas inovadoras, tais como o processamento de imagens, determinam a posição do receptáculo da aeronave receptora, quando o sistema automático é ativado.

Uma vez ativado, um sistema de controle de voo totalmente automatizado dirige a lança no sentido do receptáculo da aeronave que receberá combustível. Um feixe telescópico dentro da lança permite realizar o contato de diversas maneiras, incluindo: manualmente pelo ARO; em um modo de manutenção relativa; ou em modo totalmente automático.

Durante os testes realizados no dia 21 de março sobre a costa portuguesa, a aeronave tanque realizou seis contatos em condições de voo de 25.000 pés (7.600 metros) a uma velocidade de 270 nós (500 km/h) durante 1h15m de teste. Ambas as  tripulações reportaram que a operação ocorreu sem falhas.

“A coisa mais importante foi que o sistema pode acompanhar o receptáculo. Foi muito gratificante, porque ele funcionou perfeitamente e nós conseguimos realizar os contatos com a automação ligada como planejado. Isso certamente vai reduzir a carga de trabalho, especialmente em condições meteorológicas adversas”, disse David Piatt, Operador de Sonda de Reabastecimento, ou “boomer” da aeronave tanque.

“A missão de teste foi bem monótona e realizada sem problemas inesperados - que bom sinal. A partir do momento que o boomer aceitou o contato, a lança se dirigiu imediatamente para o local correto. O contato em si foi muito preciso e rápido. Você pode notar a diferença - você sente menos no cockpit, e nota que o sistema é mais preciso”, disse o piloto do F-16 da FAP, conhecido pelo indicativo “Prime”.

Miguel Gasco, chefe do Laboratório Incubador da Airbus Defence and Space, disse: “Isso representa um avanço fundamental nas operações da lança AAR, com a promessa de aumentar a taxa de contatos, reduzindo nomeadamente a carga de trabalho do operador e aumentando a segurança. A operação automática é um pilar importante do nosso desenvolvimento Smart MRTT que já está em andamento”.

A tecnologia de imagem subjacente a técnica automática AAR foi originalmente desenvolvida para ser usada na divisão espacial da Airbus, afim de fornecer soluções para reabastecer satélites no espaço ou para a remoção de detritos espaciais e aplicada pelo Laboratório Incubador Airbus Defence and Space em aeronaves de reabastecimento aéreo.




Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




JORNAL CORREIO DO ESTADO (MS)


Pedro Chaves: "Não à cobrança da bagagem despachada!"


O Senador da República está fazendo um grande esforço para impedir que as empresas aéreas cobrem adicional dos passageiros por bagagem transportada. Inclusive votou Decreto Legislativo de autoria do senador Humberto Costa revogando parcialmente a resolução da Agência Nacional de Aviação (Anac) que autorizava as companhias aéreas a cobrarem por bagagem com peso acima de 10 quilos. 
Por entender que essa taxa é ilegal à luz do direito do consumidor, conforme posição da OAB, do juiz José Henrique, da Vara Cível de São Paulo e do Procon de Fortaleza, entre outras entidades, a Comissão Especial do Código Brasileiro de Aeronáutica, da qual sou vice-presidente, realizou consulta popular sobre diversos temas ligados ao setor aeronáutico nacional, inclusive sobre a possibilidade de cobrança de bagagem dentro da cota histórica.
A decisão a que chegamos, depois de muito debate, é que não há justificativa econômica para cobranças extras por bagagem. As empresas devem buscar outros caminhos para resolver eventuais dificuldades financeiras ou operacionais. A bagagem dos passageiros não foi nem será empecilho ao crescimento das empresas aéreas.
A busca por lucro extra, na verdade, se aproxima daquilo que se chama na literatura jurídica de “venda casada”. Isso é uma afronta ao princípio da vulnerabilidade que rege toda teoria consumerista brasileira e aos seus mais legítimos direitos.
Por isso, em 14 de dezembro de 2016 aprovamos o Projeto de Decreto Legislativo número 578 de 2016 que, entre outras coisas, proíbe a controversa cobrança. Em seguida, enviamos para a Câmara de Deputados para ser analisado e votado.
O problema é que o projeto não está andando na Câmara, mesmo existindo, na Mesa Diretora, um requerimento de urgência, de autoria do deputado Carlos Zarattini. A impressão que se tem é que existe uma força misteriosa que, na prática, está ajudando as empresas a conseguirem seu intento, pois, lamentavelmente, elas estão autorizadas desde 29 de abril a vender passagem cobrando por cada item despachado.
Não tenho dúvida de que isso é um grande erro. A sociedade está sendo penalizada em um momento de profunda crise econômica. A queda no número de passageiros nos aviões brasileiros é uma prova do que estamos falando.
Assim, pensando no Brasil e naqueles que não podem pagar um centavo a mais pelo preço de passagem aérea, solicitamos as lideranças da Câmara dos Deputados que coloquem em votação o Decreto 587/2016. Tenho esperança de que os deputados votarão contra a resolução da Anac.
A sociedade espera de nós, parlamentares, posicionamento firme em defesa dos seus mais sagrados direitos. Não podemos retroceder. A defesa do elo mais vulnerável na relação de consumo é nossa missão.

Mais informações sobre esse tema você leitor e leitora pode obter no hot site “bagagem sem preço”, da OAB.

RADIO  FRANÇA INTERNACIONAL - RFI


Eleição de Macron beneficiará relações econômicas entre França e Brasil

A eleição do novo presidente da França, o centrista Emmanuel Macron, deve ter impactos positivos nas relações econômicas e comerciais entre Brasil e França e, mais amplamente, entre o Mercosul e a União Europeia (UE). O Brasil se beneficiaria do fortalecimento do euro e experimentaria um aumento no volume das suas exportações.

Augusto Pinheiro

“A visão de Macron é de negociação, integração e conciliação de interesses. Ele e as pessoas em volta dele com quem eu conversei querem aperfeiçoar uma negociação do tipo "ganha-ganha". Vejo muito mais espaço para o Brasil em uma relação bilateral, mas mais especificamente entre a União Europeia e o Mercosul, já que Macron que fortalecer a UE, com possibilidades de aumentar as exportações brasileiras”, explica o economista francês Yann Duzert, professor de negociação e resolução de conflitos da Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro.
Para ele, outro dado interessante é que “o fortalecimento do euro significa um dólar mais baixo, o que levaria a uma diminuição da dívida pública brasileira”.
“Isso daria um novo impulso ao crescimento do país. E isso é provável que aconteça, pois Macron tem uma política de fortalecimento do bloco europeu, contrariamente à ideia de "protecionismo patriota" da candidata derrotada Marine Le Pen. Então vejo dois laços interessantes de se explorar. Uma nova forma de negociação a "newgociation", também chamada de "neogociação", que vai buscar benefícios mútuos, pensamento duradouro, e não o "pegar ou largar" ou "ameaça e recompensa", que são um velho jeito de negociar, praticados por Vladimir Putin (presidente da Rússia) e Donald Trump (presidente dos EUA)”, opina.
O Brasil é o principal mercado para a França na América Latina, absorvendo 2/3 das exportações francesas no continente. Para Duzert, que passa seis meses por ano em Paris lecionando na universidade Paris-Dauphine, essa posição do Brasil deve ser fortalecida no governo Macron.
“Há especialmente empresas de energias renováveis, como a Vassy, que vêm cada vez mais investir no Brasil, além de empresas de construção. No meio da Lava Jato, vai haver uma competição internacional, com nova governança. As próprias empresas brasileiras vão se beneficiar dessa competição internacional.”
Mercado atraente
Segundo ele, a França vai continuar a investir nas cidades brasileiras. "As PPP (parcerias público-privadas) tem R$ 500 bilhões que devem investidos em 2 anos. O acesso ao mercado público vai ser aberto para as empresas europeias, então o mercado brasileiro vai continuar a ser muito interessante para as empresas francesas. A nova governança e as exigências de transparência formam parte de uma nova cultura e de uma transformação que está acontecendo no Brasil, que o tornam mais atraente para a França."
Para Pedro Frizo, economista do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais, a política pro-europeia de Macron pode beneficiar o Brasil “A consolidação da UE proposta pelo novo presidente francês, principalmente depois da crise do Brexit, pode beneficiar o Brasil, já que o bloco é um dos principais mercados dos bens brasileiros. Macron defende um Parlamento e um orçamento único para a zona do euro", explica.
O comércio mundial supõe uma série de vantagens para a economia francesa, ao beneficiar setores como o luxo, a química, a aeronáutica, a agroalimentar. Segundo o ministério da Economia francês, o país conta atualmente com 124 mil empresas exportadoras, entre elas vários pesos-pesados, como L"Oréal, Danone e Safran.

PORTAL UOL


Passageiros relatam fogo em turbina e voo é cancelado em Porto Alegre


Demétrio Vecchioli

Uma das turbinas de um avião da GOL que decolaria de Porto Alegre para São Paulo na manhã desta quarta-feira emitiu fogo na pista do Aeroporto Internacional Salgado Filho, na capital gaúcha, e assustou os passageiros. De acordo com o relato de um deles, houve pânico dentro da aeronave.
"Os passageiros que estavam sentados logo atrás da asa direita perceberam as labaredas de fogo e chamaram os comissários. Houve um pequeno pânico logo, mas todos se acalmaram com o anúncio do comandante", contou ao UOL o gestor de de colégio Jader Luiz Henz, de 27 anos.
Ainda segundo o relato dele, o comandante já havia informado que recebera a permissão de decolagem por parte da torre de comando. Depois de abortada a decolagem, os passageiros foram retirados do avião. As chamas teriam sido causadas pela queima de combustível na turbina, que não foi danificada.
Já a GOL não citou fogo e afirmou que, durante a partida dos motores, foi identificada "a necessidade de uma reavaliação técnica no motor direito". Ainda de acordo com a empresa aérea, o avião foi encaminhado para manutenção e o voo cancelado. Os clientes foram reacomodados em outros voos.
Em nota, a GOL disse ainda que "preza pelos mais altos padrões de segurança, principal valor de sua política de gestão e, reitera que, em nenhum momento, houve risco aos passageiros".

REVISTA ISTO É


Governo prepara medidas para dar conteúdo a encontro entre Temer e Trump


Brasília, 10 - Uma delegação de técnicos do Departamento de Comércio dos Estados Unidos está no Brasil discutindo medidas para facilitar o comércio entre os dois países. "Há espaço para bons avanços concretos, numa visão muito orientada a resultados", disse à reportagem o secretário de Comércio Exterior, Abrão Neto, que coordena os entendimentos pelo lado do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). Algumas das medidas discutidas nesses encontros poderão integrar a agenda de uma reunião de trabalho entre os presidentes do Brasil, Michel Temer, e dos Estados Unidos, Donald Trump, que deverá ocorrer ainda este ano.
O comércio entre os dois países cresceu 18% este ano, segundo o secretário. Em 2016, o número de empresas brasileiras que exportou para os EUA cresceu 11,6% e, nos primeiros quatro meses deste ano, houve uma nova expansão, de 5,6%.
Ele atribui esses resultados a um trabalho que as burocracias dos dois países desenvolvem desde 2006 para facilitar o comércio bilateral. A eliminação de travas aos negócios é o centro das relações comerciais, uma vez que não há, nem está em discussão, um acordo de livre comércio.
Na atual rodada, por exemplo, os técnicos concordaram que, em seis meses, as exportações de produtos agropecuários serão autorizadas mediante a apresentação de certificados fitossanitários digitais, e não mais em papel como é hoje. "Isso vai beneficiar um comércio que chega a US$ 4 bilhões", disse Abrão. Os principais produtos atendidos pela medida são: madeira, frutas, café e cacau. Já está em operação um projeto piloto desse documento. Ele deverá ser adotado para as exportações para os demais países.
Nesta quinta-feira, 11, técnicos dos dois países participam de um workshop em São Paulo para colocar em contato empresas interessadas em exportar para os EUA e os laboratórios e certificadoras que fazem uma análise prévia para verificar se os produtos estão em conformidade com as normas técnicas exigidas lá. Essa certificação é obrigatória e, até há pouco tempo, a única forma de obtê-la era enviar uma amostra do produto aos EUA. Agora já há estabelecimentos no Brasil habilitados a fazer esse trabalho, mas essa facilidade é pouco conhecida. O workshop será destinado também a micro e pequenas empresas apoiadas pelo Sebrae.
Brasil e Estados Unidos integram o acordo de facilitação de comércio anunciado este ano pela Organização Mundial do Comércio (OMC). Uma das medidas previstas nele é a adoção de uma "janela única" para as transações comerciais. O Brasil lançou seu Portal Único do Exportador em março passado.
Por coincidência, a primeira exportação registrada nele foi para os EUA: uma venda de partes e peças da indústria aeronáutica. Os dois países atuam em conjunto para que outros parceiros comerciais adotem as normas da OMC.
A data do encontro entre Temer e Trump ainda não está marcada. O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, deverá ir em junho a Washington para reunir-se com o secretário de Estado, Rex Tillerson, e avançar nos preparativos. Além de comércio, a agenda deverá passar por outros temas, como por exemplo o uso da base de lançamento de Alcântara (MA) e a segurança na fronteira. Também estão na lista programas de cooperação nas áreas acadêmica e tecnológica.

JORNAL ZERO HORA


Passageiros veem fogo em turbina e voo é cancelado durante decolagem no Salgado Filho

Dois passageiros relataram labaredas saindo de turbina de uma das asas

Vitor Rosa

Um voo que iria de Porto Alegre para São Paulo foi cancelado na manhã desta quarta-feira (10) durante a decolagem no Aeroporto Salgado Filho. Duas pessoas que estavam na aeronave relataram que saiam labaredas da asa direita, o que exigiu um rápido trabalho da tripulação. A Infraero e a Gol confirmam o cancelamento, mas se resumiram a dizer que ocorreram "problemas técnicos".

Conforme o analista de sistemas Mauro Bitencourt, que estava dentro da aeronave, ele mesmo percebeu que algo estava errado e avisou a aeromoça. Ele diz que a funcionária fez uma "chamada de urgência para o piloto".
– O avião estava pronto para decolar, na cabeceira da pista. Já havia sido autorizado o voo. Eu estava sentado e percebi um clarão do lado direito do avião, e que saia labaredas da turbina – relatou.
Bitencourt estava acompanhado da colega de trabalho Renata Mallmann, que também viu as chamas. Segundo eles, apesar do susto, os passageiros se mantiveram calmos e não houve correria.
Segundo a Infraero, o voo para Congonhas estava previsto para as 6h30min, mas atrasou e foi confirmado para 7h22min. Enquanto a aeronave decolava, houve o novo cancelamento.
Em nota, a Gol informa que antes da decolagem, ao dar partida nos motores da aeronave, "foi identificada a necessidade de uma reavaliação técnica no motor direito". "A aeronave foi encaminhada para manutenção e o voo cancelado. Os clientes foram desembarcados normalmente e em segurança para serem reacomodados em outros voos da companhia, além de receberem toda a assistência necessária", diz o texto da empresa aérea.
Por fim, a companhia "esclarece que preza pelos mais altos padrões de segurança, principal valor de sua política de gestão e, reitera que, em nenhum momento, houve risco aos passageiros".

ÁUDIO: passageiro relata problema em avião no Salgado Filho

Mauro Bitencourt conta que estava no voo e viu labaredas de fogo em uma turbina de avião da Gol que partiria de Porto Alegre para São Paulo

O analista de sistemas Mauro Bitencourt, um dos passageiros do voo cancelado no aeroporto Salgado Filho, relata que as pessoas que estavam no avião mantiveram a calma e não houve correria no momento em que foram avistadas labaredas de fogo saindo de uma turbina do avião. O caso ocorreu na manhã desta quarta-feira (10). A Infraero e a Gol confirmam o cancelamento, mas se resumiram a dizer que ocorreram "problemas técnicos".
Bitencourt estava acompanhado da colega de trabalho Renata Mallmann, que também viu as chamas. Ele relata que os passageiros avisaram a aeromoça e o piloto sobre as chamas.
O voo com destino ao aeroporto de Congonhas, em São Paulo, deveria ter partido às 6h30min e foi reconfirmada para 7h22min. Depois, a viagem foi cancelada. Segundo a Infraero, os clientes estão sendo reacomodados para as próximas partidas.

JORNAL ESTADO DE MINAS


Brasil e Colômbia fortalecem segurança na fronteira


Brasil e Colômbia acertaram nesta terça-feira fortalecer a segurança na fronteira comum a partir da troca de informações de inteligência, anunciou nesta terça-feira o ministro colombiano da Defesa, Luis Carlos Villegas.
"Temos a necessidade de compartilhar dados sobre nossa fronteira que, apesar de ser na maioria selva fechada, tem uma permeabilidade e uma porosidade que pode ser usada pelas distintas ameaças de crime organizado e organizações armadas", disse Villegas após se reunir com o ministro brasileiro da Defesa, Raul Jungmann.
Os dois ministros concordaram em "aprofundar a cooperação sobre o sistema de vigilância na fronteira" comum, acrescentou Villegas.
Brasil e Colômbia criarão uma comissão conjunta, liderada pelo Exército brasileiro e a Força Aérea Colombiana (FAC), para desenhar os mecanismos técnicos que permitam tornar compatíveis os dados produzidos pelos sistemas de satélite e de radar dos dois países.
"Para nós o combate ao crime internacional, ao tráfico, ao contrabando (...) e a tudo o que ameaça as nossas sociedades deve ocorrer no âmbito da integração", declarou Jungmann.
A Polícia colombiana compartilhará informação sobre feminicídios e crime organizado nas regiões comuns. Também haverá troca de informações de inteligência carcerária, um tema que segundo Villegas gera "imensa preocupação" no Brasil devido à infiltração de criminosos colombianos nas prisões brasileiras.
Também ficou acertada a troca de informação científica a partir da experiência de missões brasileiras na Antártica, de atividades de retirada de minas e sobre os esforços para a construção de um navio amazônico de projeto comum.
O encontro teve a participação do general Sérgio Westphalen Etchegoyen, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência brasileira, e de comandantes militares e policiais dos dois países.
Brasil e Colômbia compartilham uma fronteira de 1.100 km.

Cheiro de fumaça em avião leva piloto a pedir prioridade de pouso em Uberlândia

Aeronave fazia o voo AD 4966, que partiu no fim da tarde de Campinas, apresentou problema técnico, segundo a Azul Linhas Aéreas. Pouso foi normal

Um cheiro de fumaça na cabine do voo AD 4966, com destino a Uberlândia, no Triângulo Mineiro, levou o comandante da aeronave da Azul Linhas Aéreas pedir prioridade de aterrissagem. Militares do Corpo de Bombeiros ficaram de prontidão, porém, o avião turbo-hélice modelo ATR 72, que vinha do Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), pousou sem maiores problemas, às 17h50 desta terça-feira.
Devido ao problema técnico, a aeronave foi submetida à revisão e o voo AD 4967, que retornaria para Campinas, foi suspenso e os passageiros, levados para um hotel. De acordo com o Corpo de Bombeiros, não foi necessário qualquer procedimento de emergência na pista para a aterrissagem.
Depois que o avião estava parado no setor de desembarque, militares dos bombeiros subiram a bordo para chegar se havia algum princípio de incêndio, o que não foi constatado. Equipes da companhia aérea e da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) então realizaram uma vistoria.
A Azul Linhas Aéreas Brasileiras informou, por meio de nota, que a aeronave que realizou o voo 4966, com origem em Campinas e destino Uberlândia, apresentou um problema técnico durante o trajeto. O comandante da aeronave solicitou prioridade para pouso no aeroporto de Uberlândia, que ocorreu normalmente, assim como o desembarque dos passageiros. “A companhia ressalta que ações como essas são necessárias para conferir a segurança de suas operações.”
PORTAL G-1


Drone cai em competição e derruba ciclista


Por G1

Vídeo mostra momento em que drone bate em árvore, cai na pista, trava roda de corredor e o leva ao chão.
Um vídeo no YouTube mostra os perigos da cobertura de imagens de eventos esportivos feita por drones. Na publicação do usuário Kaito C., é possível ver o momento em que uma das máquinas cai na pista e derruba um ciclista, de acordo com o site The Next Web.
O video mostra o drone batendo em uma árvore e caindo na pista. Um dos ciclistas não consegue desviar, passa por cima e diminui a velocidade para evitar acidentes, mas um dos pedaços trava a roda da frente e o competidor voa por sobre o guidão.

Homens da Força Nacional aguardam plano de segurança para atuar no Rio

Agentes estão instalados no Cefap. Reunião definirá estratégia de policiamento.

Os homens da Força Nacional de Segurança estão instalados no Escola de Formação de Praças da Polícia Militar do Rio de Janeiro, o Cefap, e devem permanecer no local até ser divulgado um plano de policiamento. Nesta quarta (10), deve acontecer uma reunião entre os agentes federais e estaduais para definir os pontos de patrulhamento. O local e horário do encontro não foram divulgados
Possivelmente, os agentes ficarão nas vias expressas e nas áreas com o registro do maior número de casos de roubo de cargas.
Na terça-feira (9), o juiz federal Firly Nascimento Filho, da 5ª Vara Federal no Rio, concedeu uma liminar favorável a uma ação popular movida pelo advogado Dennis Cincinatus, que pede o envio de, pelo menos, 500 homens da Força Nacional e de cerca de 200 policiais rodoviários federais ao Rio.
Os governos federal e estadual já foram notificados e têm até sexta (12) para se manifestar.
Nesta terça (9), cerca de 300 homens da Força Nacional chegaram ao Rio, vindo de Brasília, após liberação do Ministério da Justiça. O contingente é menor do que muitos batalhões da Polícia Militar.

Colisões de aviões com aves em Viracopos caem 53%, mas aeródromo tem média de 3 casos por mês

Terminal teve 12 ocorrências no primeiro quadrimestre deste ano; contra 26 no mesmo período do ano anterior.

Luciano Calafiori

O número de colisões entre aeronaves e aves na área do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), caiu 53,84% no primeiro quadrimestre de 2017, frente ao mesmo período de 2016. Mesmo com a redução, o terminal registrou média de três casos por mês neste ano, segundo a empresa que administra o terminal.
Dados do aeródromo apontam 12 colisões nos quatro primeiros meses deste ano. No primeiro quadrimestre de 2016 foram 26.
O último caso relatado ocorreu no dia 4 de maio, quando uma aeronave da Azul Linhas Aéreas se chocou com um urubu e foi obrigado a retornar ao aeroporto. Ninguém se feriu. O voo 4179, que tinha como destino Brasília, se chocou com ave logo após deixar o espaço aéreo do aeroporto. Este caso ainda não consta na estatística divulgada ao G1 por ter ocorrido em maio.
Fora do aeroporto
O relatório de Viracopos sobre os choques aponta ainda que foram registrados oito casos de choques avefauna fora da área do sítio aeroportuário nos 120 primeiros dias deste ano, contra 9 no ano passado. Os números revelam queda de 11%.
De acordo com a Concessionária Aeroportos Brasil Viracopos, a queda das colisões avifauna tem três razões principais.
A primeira é o trabalho da empresa contratada para manejo indireto, que é feito com o uso de falcões. Estas aves são treinadas para afugentar outras como garças e urubus na área do sítio aeroportuário.
Outro fator de redução é o esclarecimento aos moradores da região de quais são os focos que atraem garças e urubus, como lixo, por exemplo. Desta forma, ações podem ser realizadas para reduzir estes fatores atrativos.
Por fim, segundo os técnicos, é feito um trabalho de conscientização nas escolas para o descarte correto de lixo.
Balões
O número de choques de balões com aeronaves em Viracopos registrou queda de 30% nos quatro primeiros meses do ano. Foram nove ocorrências neste ano, contra 13 no ano passado.
Já os avistamentos registraram alta. Nenhum ocorreu no ano passado, contra 22 neste ano.
Movimentação
De acordo com a Concessionária Brasil Viracopos, no primeiro trimestre de 2017 2,4 milhões de passageiros passaram pelo aeroporto internacional, alta de 1,50% em relação ao primeiro trimestre do ano passado.
No mesmo período o aeródromo registrou 28.602 pousos e decolagens, número 4% menor do que nos primeiros 90 dias de 2016.
Campos dos Amarais
De acordo com o Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp), no Aeroporto Estadual Campos dos Amarais, em Campinas (SP), foram registradas em 2016 uma ocorrência envolvendo balão e duas relacionadas a fauna.
Os dados do Daesp são baseados no Centro de Investigações e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). E eles podem estar relacionados aos choques ou aos avistamentos, quando não ocorrem colisões
Em relação a 2017, entre 1º de janeiro e 9 de maio, a região do Aeroporto dos Amarais registrou quatro ocorrências, duas sobre balão e duas de fauna. O Daesp lembra que soltar balões é crime, pois coloca em risco pousos e decolagens de aeronaves.
Movimentação
O Daesp, que administra os aeroportos estaduais, informou que em março o Aeroporto dos Amarais registrou a movimentação de 1.559 voos não regulares e 8.751 passageiros passaram pelo terminal. O Campos dos Amarais está em processo de privatização.

Avião de pequeno porte faz pouso forçado na Baixada Fluminense

Aeronave pousou em Prados Verdes, bairro de Nova Iguaçu. Segundo o Corpo de Bombeiros, ninguém se feriu.

Por G1 Rio

O Corpo de Bombeiros de Nova Iguaçu foi acionado para verificar um pouso forçado de um avião de pequeno porte em Nova Iguaçu, Baixada Fluminense, no início da noite desta quarta-feira (10). De acordo com a Corporação, ninguém se feriu.
Ainda segundo os bombeiros, uma viatura foi enviada ao local para verificar se havia algum vazamento de combustivel ou algo que oferecesse riscos.
Imagem


Avião derrapa e sai da pista em Goianésia, sudeste do Pará

Deputado estadual e dois assessores estavam na aeronave.

Por G1 Pa, Belém

Um avião monomotor derrapou na tarde desta quarta-feira (10), em Goianésia, sudeste do Pará. Estavam a bordo da aeronave o deputado estadual Hélio Leite (DEM), e os dois assessores Eduardo Júnior e Leonice Leal.
O parlamentar saiu do município de Tailândia às 13h33. O avião derrapou e saiu da pista no momento do pouso. Segundo a assessoria do deputado, não há informações sobre o que provocou o incidente. Ninguém ficou ferido.

Homens da Força Nacional aguardam plano de segurança para atuar no Rio

Agentes estão instalados no Cefap. Reunião definirá estratégia de policiamento.

Os homens da Força Nacional de Segurança estão instalados no Escola de Formação de Praças da Polícia Militar do Rio de Janeiro, o Cefap, e devem permanecer no local até ser divulgado um plano de policiamento. Nesta quarta (10), deve acontecer uma reunião entre os agentes federais e estaduais para definir os pontos de patrulhamento. O local e horário do encontro não foram divulgados
Possivelmente, os agentes ficarão nas vias expressas e nas áreas com o registro do maior número de casos de roubo de cargas.
Na terça-feira (9), o juiz federal Firly Nascimento Filho, da 5ª Vara Federal no Rio, concedeu uma liminar favorável a uma ação popular movida pelo advogado Dennis Cincinatus, que pede o envio de, pelo menos, 500 homens da Força Nacional e de cerca de 200 policiais rodoviários federais ao Rio.
Os governos federal e estadual já foram notificados e têm até sexta (12) para se manifestar.
Nesta terça (9), cerca de 300 homens da Força Nacional chegaram ao Rio, vindo de Brasília, após liberação do Ministério da Justiça. O contingente é menor do que muitos batalhões da Polícia Militar.

Exército abre 1,1 mil vagas para cursos de formação de sargentos

Candidatos devem ter nível médio. Oportunidades são as áreas de combatente, logística-técnica e aviação, música e saúde.

O exército divulgou três editais de concursos públicos para um total de 1.100 vagas para os cursos de formação de sargentos. Os candidatos devem ter nível médio completo ou cursar o 3º ano.
No site do Exército é possível ver os editais.
As inscrições devem ser feitas até o dia 12 de junho pelo site www.esa.enisno.eb.br. A taxa é de R$ 80.
O processo seletivo é composto de exame intelectual, valoração de títulos, inspeção de saúde, exame de aptidão física e exame de habilitação musical. O exame intelectual será em 24 de setembro.
Os cursos serão realizados em dois períodos, sendo o básico composto por 34 semanas, e o de qualificação por 43 semanas.
Combatente, Logística-Técnica e Aviação
O primeiro edital é para o concurso público para a admissão aos Cursos de Formação de Sargentos das Áreas Combatente, Logística-Técnica e Aviação. São 900 vagas para o sexo masculino e 100 para o sexo feminino.
Os candidatos devem ter entre 17 e 24 anos idade, referenciados a 31 de dezembro do ano de matrícula e altura mínima de 1,60m para o sexo masculino e 1,55m para o sexo feminino.
Para o sexo masculino, as oportunidades são nas áreas geral e aviação nos cursos de infantaria, cavalaria, artilharia, engenharia, comunicações, intendência, topografia, material bélico – armamento, material bélico – mecânico operador, manutenção de comunicações, material bélico – manutenção vtr auto e aviação – manutenção.
Para o sexo feminino, as oportunidades são para geral e aviação nos cursos de intendência, topografia, material bélico – manutenção armamento, material bélico – mecânico operador, manutenção de comunicações, material bélico – manutenção vtr auto e aviação – manutenção.
No ano passado, foram 70 vagas para o sexo feminino. A jovem Gabrielli Lopes, de 21 anos, foi a primeira colocada no concurso, vencendo uma concorrência de 179 candidatas por vaga (um total de 12,5 mil inscritas).
Músicos
O segundo edital é para 40 vagas para o concurso público para admissão aos Cursos de Formação de Sargentos Músicos com início em abril de 2017 e término em dezembro de 2018.
Os candidatos devem ter entre 17 e 26 anos idade, referenciados a 31 de dezembro do ano de matrícula e altura mínima de 1,60m para o sexo masculino e 1,55m para o sexo feminino.
As oportunidades são para os naipes de clarineta (10), fagote em dó/ flautim em dó (2), saxhorne (5), saxofone (4), trombone tenor/ trombone baixo (7), trompa (1), tompete/ cornetim/ flueghorne (9) e tuba (2).
Saúde
O terceiro é para o concurso público para admissão aos Cursos de Formação de Sargentos de Saúde com início em abril de 2017 e término em dezembro de 2018. São 60 vagas.
Os candidatos devem ter concluído o curso técnico em enfermagem até a data de sua apresentação na organização militar, ter registro no Conselho Regional de Enfermagem (Coren), ter entre 17 e 26 anos idade, referenciados a 31 de dezembro do ano de matrícula e altura mínima de 1,60m para o sexo masculino e 1,55m para o sexo feminino.

Comissão exclui exigência de líder religioso se afastar para disputar eleições

Comissão da Reforma Política da Câmara fixa em 6 meses prazo de desincompatibilização, mas retira líderes religiosos. Proposta ainda terá de ser votada no plenário antes de ir ao Senado.

Por Fabiano Costa, G1, Brasília

Deputados que integram a bancada evangélica conseguiram barrar nesta terça-feira (9), na comissão especial da Câmara criada para discutir a reforma política, a exigência de líderes religiosos se afastarem de suas atividades para disputar eleições.
Para impedir a aprovação da regra, os parlamentares ligados a igrejas lotaram o plenário da comissão a fim de pressionar o relator do texto, deputado Vicente Cândido (PT-SP).
Ao final da votação, a comissão especial aprovou a fixação, em seis meses, do prazo de desincompatibilização dos candidatos a cargos eletivos, mas excluiu líderes religiosos, que, pela proposta, ficam livres da exigência.
O texto aprovado nesta terça-feira pelos integrantes da comissão especial é um relatório parcial apresentado por Vicente Cândido. O petista é o responsável na Câmara pela elaboração de projetos para mudar as regras políticas e eleitorais.
Agora, a proposta vai virar um projeto de lei complementar que, se for aprovado pelo Congresso Nacional e sancionado pelo presidente da República, vai alterar a Lei de Inelegibilidade. Atualmente, a legislação prevê prazo de afastamento de seis meses para a maior parte dos cargos, mas quatro ou três meses para alguns deles.
O projeto regulamenta o prazo mínimo de afastamento de diversas atividades profissionais da administração pública - como chefes de Poderes - e também da iniciativa privada.
Funcionários de empresas com grande visibilidade pública - entre os quais radialistas e jornalistas que atuam na televisão - e dirigentes sindicais terão de se afastar de suas funções seis meses antes das eleições para disputar um cargo eletivo, se o projeto virar lei.
Além disso, a proposta de Vicente Cândido aprovada na comissão determina que militares e integrantes do Ministério Público e do Judiciário terão de deixar suas funções públicas para se filiar a partidos políticos. Até o momento, militares com mais de uma década de serviço e sem cargo de comando só precisam se afastar das Forças Armadas na hipótese de se elegerem.
Pressão evangélica
Inconformados com a inclusão dos religiosos na regra de desincompatibilização, integrantes da bancada religiosa criticaram duramente a proposta de Vicente Cândido.
“Eu não vou dizer agora que isso é perseguição religiosa, mas é complicada a situação. Eu acho que tem que separar a situação. Uma coisa é eu ir fazer algo que, supostamente, gere uma promoção pessoal. Outra é estar exercendo a minha função sacerdotal”, reclamou o deputado Pastor Eurico (PHS-PE).
“Isso ofende o princípio constitucional da proporcionalidade, da razoabilidade e da legalidade. Não dá para colocar no mesmo nível um líder religioso e um chefe de Poder estadual e municipal”, ressaltou o deputado Marcos Rogério (DEM-RO).
Defensor da proposta que obriga, inclusive, líderes religiosos a se afastarem dos cargos para disputarem eleições, o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) afirmou: “O relatório do deputado Vicente Cândido procura equilibrar mais o processo político, procura fazer uma assepsia política para limpar o terreno de modo que a disputa se dê de modo mais equilibrado e todos possam concorrer em igualdade de oportunidades”, declarou.
Relator do projeto, Vicente Cândido afirmou durante a sessão que a sugestão para incluir religiosos na regra de desincompatibilização não era uma perseguição, e sim uma busca de isonomia entre os possíveis candidatos.
Ele argumentou ainda que, da mesma forma como apresentador de rádio ou televisão tem uma audiência, o líder religioso tem a possibilidade de falar a grandes públicos e, por esse motivo, precisa deixar suas funções seis meses antes das eleições.
Apesar de ter sido derrotado pela bancada evangélica na comissão, o relator ponderou que a proposta poderá voltar ao texto futuramente.
“O assunto é tão relevante que temos aqui uma bancada com 90 parlamentares ligados a instituições religiosas. Estou no caminho da isonomia”, disse o deputado do PT.

AGÊNCIA BRASIL


Temer recebe bancada paulista e discute reforma da Previdência


Pedro Peduzzi

Na manhã desta quarta-feria, o presidente Michel Temer recebe, para um café da manhã no Palácio do Jaburu, deputados e senadores da bancada paulista. Foram previamente confirmadas a presença de 57 deputados federais. Os três senadores da bancada do estado não confirmaram presença, mas a expectativa é de que também participem desta reunião de hoje (10) que tem na pauta a reforma da Previdência.
Também foram confirmadas a presença dos ministros da Secretaria de Governo, Antônio Imbassahy; da Secretaria-Geral, Moreira Franco e do ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha.
Ontem (9), a Comissão especial da reforma da Previdência concluiu a votação dos destaques ao relatório do deputado Arthur Maia (PPS-BA). Foram apreciados os dez destaques que não foram votados na sessão anterior, por conta da invasão do plenário da comissão por agentes penitenciários, em protesto contra o relatório de Maia.
Sob a justificativa de evitar novos tumultos, a sessão de ontem teve reforço na segurança. O prédio foi cercado por grades e o esquema teve a participação de policiais militares, do Batalhão de Choque e da Força Nacional de Segurança.
Com exceção de um destaque, a orientação do governo foi para que a base aliada rejeitasse todos os adendos, sob a justificativa de finalizar a votação do texto sem grandes modificações. A única alteração aprovada por todos os partidos com representação na comissão é a que devolve à Justiça estadual a competência para julgar casos relacionados a acidentes de trabalho e aposentadoria por invalidez.
Todos os destaques do PT foram rejeitados. O partido queria eliminar as mudanças no acesso aos benefícios assistenciais, entre eles o Benefício de Prestação Continuada (BCP). Os deputados também rejeitaram um destaque apresentado pela bancada do PSB, que queria garantir que servidores que começaram a contribuir até 2003 tivessem a aposentadoria com 100% do valor do salário no último cargo que ocuparam, além de terem reajuste equivalente ao dos servidores ativos.
Também foi rejeitado um destaque semelhante, apresentado pela bancada do PDT, mas que tratava apenas dos servidores que ingressaram no serviço público até 31 de dezembro de 2003. Com o acréscimo, o partido queria que esses servidores tivessem a aposentadoria com 100% do valor do salário no último cargo que ocuparam.
Referendo
A última votação foi de um destaque apresentado pelo PSOL que propunha a realização de uma consulta à população sobre a validade da reforma. O destaque estabelecia que, em caso de aprovação da proposta no Congresso, o texto deveria passar por um referendo, instrumento previsto na Constituição e pelo qual a população vota pela aprovação ou rejeição de medidas propostas ou aprovadas pelo Parlamento.
O destaque do PSOL sobre o referendo foi derrubado por 21 votos a 14.
O relatório de Maia diz que a integralidade do salário só será garantida se o servidor atingir 65 anos (homem) e 62 anos (mulher) e o tempo mínimo de 25 anos de contribuição.
Com a votação concluída, o texto está liberado para ser levado ao plenário da Câmara, para uma votação em dois turnos prevista inicialmente para os dias 24 e 31 de maio.
Edição: Denise Griesinger

Satélite brasileiro vai permitir acesso mais rápido e eficaz à internet

Na última quinta-feira (4), foi lançado da base de Kourou, na Guiana Francesa, o primeiro Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações brasileiro. Moderno e com alta capacidade de conexão, o satélite vai alcançar os lugares onde a rede de fibra ótica não chega, atendendo as necessidades do Plano Nacional de Banda Larga

O programa Forças do Brasil traz uma matéria sobre o lançamento do primeiro Satélite Geoestacionário brasileiro na última quinta-feira (4), na Guiana Francesa, e explica como é o treinamento dos fuzileiros navais, entre outros assuntos.
No dia 8 de maio, data que marca o fim da Segunda Guerra Mundial, é comemorado o Dia da Vitória. Em entrevista ao programa, o doutor em Aplicações, Planejamento e Estudos Militares, general Luiz Eduardo Rocha Paiva, fala sobre a importante história de coragem de nossos militares que estiveram no conflito mundial.
O Forças do Brasil vai ao ar toda segunda-feira, às 21h, em rede com as rádios Nacional AM, Nacional da Amazônia e Nacional do Alto Solimões. A reprise é no sábado, às 9h, na Nacional AM, e às 8h na Nacional da Amazônia.

AGÊNCIA SENADO


Garibaldi Alves Filho pede a presença da Força Nacional no RN


O senador Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN) pediu o apoio de forças federais no combate à onda de crimes em seu estado, situação que classificou como intolerável e estarrecedora. Garibaldi citou estatísticas sobre o aumento da criminalidade no Rio Grande do Norte, chamando atenção para o elevado número de homicídios verificados este ano.
O senador mencionou a mobilização da bancada potiguar no Congresso, que cobrou do ministro da Justiça, Osmar Serraglio, o envio da Força Nacional ao estado. Ele citou sugestões de especialistas em segurança pública encaminhadas ao governo do Rio Grande do Norte, mas sublinhou que o envio de tropas federais é uma solução emergencial e temporária diante dos pedidos de socorro da população.
- Foi isso que nos levou a solicitar ao governador do estado que se ponha à frente da bancada federal para solicitar novamente a presença da Força Nacional, das Forças Armadas, no Rio Grande do Norte - disse o senador.

JORNAL O TEMPO (MG)


Com risco de incêndio, piloto faz pouso de emergência em Uberlândia

Voo da empresa Azul decolou em Campinas (SP); tripulação percebeu cheiro de fumaça na cabine quando avião chegava ao seu destino no interior de MG

A tripulação de uma aeronave da empresa Azul, que decolou em Campinas, em São Paulo, rumo a Uberlândia, no Triângulo Mineiro, levou um susto na noite desta terça-feira (9) quando o avião chegava ao seu destino.
Segundo o Corpo de Bombeiros, o piloto percebeu um cheiro de fumaça dentro da cabine e comunicou a torre de controle sobre o risco de incêndio. A corporação foi até o local para acompanhar a aterrissagem de emergência e o desembarque dos passageiros e funcionários da companhia.
“Nós entramos na aeronave por medida de segurança. Constatamos o cheiro de fumaça, mas não houve princípio de incêndio, tanto que o painel não demonstrou ao piloto qualquer pane”, afirmou o subtenente Gildo Gomes Menezes, do Batalhão de Bombeiros de Uberlândia.
Conforme a corporação, os passageiros desembarcaram normalmente. “Eles até perceberam a nossa presença, mas não teve pânico ou tumulto. Os 58 passageiros e quatro tripulantes estavam em segurança”, garantiu o militar.
Procurada pela reportagem, a assessoria da Azul informou que houve um problema técnico na aeronave, mas ressaltou que o pouso em Uberlândia ocorreu sem “nenhuma anormalidade”.
O modelo da aeronave é o ATR 72-600, um avião bimotor de médio porte e propulsão turboélice com asas altas, utilizado em viagens intermunicipais e interestaduais – rotas domésticas.

Funai será presidida por um militar após 25 anos

General do Exército Franklimberg Ribeiro de Freitas, 61, é uma indicação do Partido Social Cristão

BRASÍLIA. Após 25 anos sendo comandada por civis, a Fundação Nacional do Índio (Funai) voltará a ser presidida por um militar. O ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) nomeou nessa terça-feira (9) para o cargo, de forma interina, o general do Exército Franklimberg Ribeiro de Freitas, 61, que até janeiro era assessor de Relações Institucionais do Comando Militar da Amazônia, em Manaus (AM).
O último militar a presidir a Funai foi o sargento da Aeronáutica Cantídio Guerreiro, durante o governo Fernando Collor, de agosto de 1990 a julho de 1991. Ele era amigo do atual senador Romero Jucá (PMDB-RR).
Freitas é uma indicação do Partido Social Cristão (PSC), presidido por Pastor Everaldo (RJ). Em agosto do ano passado, o PSC tentou emplacá-lo na presidência da Funai, mas não obteve sucesso, e o militar acabou destinado a uma das diretorias da fundação, a de Promoção ao Desenvolvimento Sustentável.
Na época, o PSC espalhava que o general era um indígena Mura, mas o fato foi negado pelo próprio general, em agosto: “Não sou índio, sou de origem indígena. Minha mãe, avó e bisavó eram indígenas”. Ele disse que foi consultado pelo PSC e “aceitou ter seu nome avaliado”.
O general substitui outro indicado pelo PSC, Antonio Costa, que na semana passada foi exonerado. Em entrevista, ele disse que saiu por pressões e “ingerências políticas” e que o ministro da Justiça, Osmar Serraglio (PMDB-PR), é “ministro de uma causa”, em referência ao agronegócio.
Em nota, Serraglio disse que havia uma exigência do Planalto, a partir de manifestações do governo de Roraima, para que Costa agilizasse procedimentos internos na Funai a fim de permitir a construção de uma linha de energia elétrica de alta tensão que cortaria a terra indígena Vaimiri-Atroari. A obra foi repelida pelos indígenas, mas a Eletronorte, em consórcio com uma empreiteira, diz que vai realizá-la, ao preço estimado em R$ 2 bilhões.

PORTAL TERRA


Sobreviventes do voo da Chapecoense visitam local da queda


Jogadores Alan Ruschel, Neto, Jackson Follmann e o radialista Rafael Henze vão à colina onde "renasceram" e reencontram médicos que salvaram suas vidas. Acidente da LaMia deixou 71 mortos. Os sobreviventes brasileiros do acidente aéreo da Chapecoense visitaram, na terça-feira (09/05), o local da tragédia que deixou 71 mortos, concluindo um capítulo doloroso com a ida até a colina do município de La Unión, no noroeste da Colômbia.
Os jogadores Alan Ruschel, Neto, Jackson Follmann e o jornalista Rafael Henzel percorreram, ao lado de seus familiares, a agora batizada "Colina Chapecoense", numa espécie de ritual onde puderam ter uma ideia de quão complicado foi o trabalho de resgate após a queda da aeronave da LaMia, na noite chuvosa de 29 de novembro.
"O que aconteceu foi um milagre. Eu precisava voltar para ver tudo o que aconteceu", disse Follmann, então goleiro reserva da equipe e que teve parte de sua perna direita amputada.
Os quatro sobreviventes tiveram um momento de privacidade na área em que a cauda do avião caiu e realizaram uma oração. O local da queda fica a quase 40 quilômetros de Medellín, onde a Chapecoense jogaria a partida decisiva da Copa Sul-Americana de 2016. O local também marca o "renascimento" dos quatro brasileiros, além de dois tripulantes bolivianos.
"Não sei como as equipes de resgate fizeram para chegar até aqui. Estou impressionado. Mas hoje este ciclo se encerra para mim", disse Henzel. Os sobreviventes usaram seus telefones celulares para registrar a paisagem verde, cruzes de madeira e pequenos altares que foram formados no local em homenagem às pessoas que morreram no acidente aéreo.
Antes da ida ao local da queda e desse momento espiritual e nostálgico, os sobreviventes visitaram os hospitais onde foram atendidos após o resgate e reencontraram os médicos que salvaram suas vidas. "É um momento especial. Com um abraço, falamos tudo", disse Ruschel, em sua passagem pelo hospital San Vicente Fundación, agradecendo especialmente ao diretor-médico, Ferney Rodríguez.
Esse episódio de emoção contrastou com a recepção eufórica da população, com aplausos, cânticos, presentes e fotografias. "Agradeço a todos que rezaram por nós. De coração, estamos felizes por estar aqui", disse Follmann.
Henzel, por sua vez, disse estar "impressionado" com a grande quantidade de colombianos que participaram da homenagem, que não foi ofuscada nem pela chuva nem pelo atraso de quatro horas. "Sou colombiano, nasci em La Unión", afirmou o radialista brasileiro, que está pronto para narrar na noite desta quarta-feira a partida de volta da Recopa Sul-Americana, entre Atlético Nacional e a Chapecoense.
A entrega de objetos pessoais recuperados da aeronave, que transportava há quase seis meses a equipe catarinense que sonhava em vencer a Copa Sul-Americana, foi realizada em um local privado. Chuteiras, relógios, uniformes, documentos e carteiras fazem parte das memórias que os moradores ajudaram a juntar para devolver aos familiares dos falecidos.
"Tenham fé em Deus, acreditem em Jesus Cristo. A vida é muito mais do que o que vemos", foi a mensagem que Neto deixou antes de seguir para Medellín.
No domingo, 159 dias depois da tragédia, a Chapecoense conquistou seu primeiro título. O Verdão do Oeste conquistou seu sexto título catarinense, apesar da derrota por 1 a 0 frente ao Avaí, na Arena Condá.

PORTAL DEFESANET


Parceria entre Brasil e Colômbia busca fortalecer o combate aos crimes de fronteira


Roberto Cordeiro

Brasil e Colômbia buscam unificar as ações no combate aos crimes transfronteiriços. Esta foi a tônica do segundo encontro dos ministros da Defesa do Brasil, Raul Jungmann, e da Colômbia, Luís Carlos Villegas Echeverri, no Comando Geral das Forças Armadas, na capital colombiana.
“Recordo que no primeiro encontro citei com ênfase a palavra confiança. E tenho certeza que com confiança iremos longe no combate aos principais problemas que verificamos hoje nossa fronteira”, destacou Jungmann.
O ministro colombiano informou durante o encontro que até o fim do mês as FARC concluirão o processo de desarmamento. Villegas propôs ampliar parceria também na indústria de defesa e o treinamento com as Forças Aéreas dos dois países para o combate aos voos clandestinos. Sobre este assunto, o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, informou que em julho haverá treinamento envolvendo as Forças da Colômbia e do Equador.
Neste sentido, o ministro Jungmann defendeu no encontro a participação de outros países vizinhos, como por exemplo, o Peru. Segundo o ministro brasileiro, as ações conjuntas dos governos sul-americanos permitirão o combate aos crimes transfronteiriços. 
“Estamos atentos ao monitoramento da entrega de armas por parte das FARC; o combate e o patrulhamento conjunto do narcotráfico na fronteira; e ações de combate aos grupos organizados no tráfego aéreo e marítimo na região fronteiriça”, destacou.
Durante o encontro os dois ministros se propuseram a manter uma linha de comunicação direta entre os comandos das Forças Armadas e o compartilhamento das redes de inteligência. Deste modo, Jungmann e Villegas acreditam no fortalecimento com vistas ao combate as quadrilhas criminosas.
O ministro colombiano afirmou que tem total apoio do presidente Juan Manuel Santos nesta parceria. O ministro chefe do Gabinete da Segurança Institucional (GSI), general Sérgio Etchegoyen, contou que desta ação integrada permitirá ao Brasil o combate as quadrilhas que atualmente tentam se internacionalizar.
“A integração é o ponto mais importante para que tenhamos êxito no combate ao crime organizado”, disse. Jungmann e Etchegoyen afirmaram que o presidente Michel temer, desde o primeiro momento, vem dando integral apoio no combate aos grupos criminosos.
O chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), almirante Ademir Sobrinho, informou também que o governo brasileiro dará apoio necessário para que os militares da Colômbia possam conhecer o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteira (SISFRON). Além disso, segundo o almirante Ademir, 18 militares brasileiros estarão neste país entre julho e outubro auxiliando no processo de desminagem.
Indústria de defesa
O secretário de Produto de Defesa (Seprod), Flávio Basílio, defendeu também maior integração dos dois países na indústria de defesa. Basílio contou que o BNDES dispõe de uma linha de crédito especial para financiar governos que desejam investir no setor. De acordo com o secretário, as linhas de crédito são as melhores do mercado.
O secretário executivo do Ministério da Justiça, José Levy, que integrou a comitiva brasileira, contou também que Brasil e Colômbia estão desenvolvendo parceria na área de inteligência. Dentro das próximas semanas policiais colombianos irão a São Paulo para treinamento na sede da Polícia Federal.
Estiveram na comitiva o comandante da Marinha, almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira; o comandante Militar da Amazônia (CMA), general Geraldo Miotto; o secretário Nacional de Segurança Pública, general Carlos Alberto Santos Cruz; e o embaixador Nelson Tabajara, diretor para Assuntos de Defesa e Segurança do Ministério das Relações Exteriores. O próximo encontro está previsto para setembro, no Brasil.

Força Aérea colombiana fabrica primeiro radar tático de defesa aérea

Colômbia constrói radares para controle aéreo e de infraestrutura crítica.

Yolima Dussán

As operações de segurança e controle realizadas pela Força Aérea da Colômbia (FAC) contam, desde 1º de abril, com novos aliados: dois radares projetados e construídos por engenheiros colombianos. São os primeiros radares fabricados no país e os únicos de seu tipo na Colômbia, por serem concebidos com base na topografia nacional. O país investiu US$ 14 milhões em sua produção.
Na Base Aérea “Capitán Luis F. Gómez Niño”, onde opera o Comando Aéreo de Combate N.º 2 da FAC, localizada na região de Meta, o ministro da Defesa Nacional Luis Carlos Villegas apresentou ao país o Radar Tático de Defesa (TADER, por sua sigla em inglês) e o Radar de Vigilância de Superfície (SINDER, por sua sigla em inglês), desenvolvidos pela Corporação de Alta Tecnologia para a Defesa (CODALTEC), empresa do Ministério da Defesa Nacional.
TADER, controle aéreo
“O radar é de curto alcance, com 70 quilômetros de rastreamento, capaz de conectar-se a um sistema de comando e controle necessário para a defesa dos locais mais críticos do país, por ser um radar ‘cobre clarões’ que detecta todos os buracos ou sombras que os radares grandes não conseguem captar, diante da necessidade de se elevarem devido à curvatura para avançar e criar uma área desprotegida”, disse à Diálogo o Tenente-Brigadeiro-do-Ar (R) Julio Alberto González Ruiz, gerente da CODALTEC. O TADER é um sistema de radar portátil e com capacidade de defesa aérea com o qual a Colômbia pretende cobrir as áreas de defesa do espaço aéreo nacional.
Esta nova capacidade a serviço da FAC possui um sistema de alta mobilidade com base em um radar primário 3D, projetado para áreas de vigilância e defesa antiaéreas. Ele possui um radar secundário de Identificação Amigo ou Inimigo (IFF, por sua sigla em inglês) integrado que permite identificar as aeronaves que possuem um transportador e facilita a confirmação de alvos, ao vincular as informações do radar primário às do secundário.
“O TADER passou a fazer parte vital do sistema de defesa antiaérea da Colômbia, pois, logo após detectar uma aeronave suspeita, o Centro de Comando e Controle da Força Aérea poderá decidir se utiliza ou não o sistema de armamento da instituição”, explicou o Capitão Gustavo González Castañeda, chefe da Divisão de Sensores da CODALTEC.
SINDER, vigilância de infraestrutura crítica
O SINDER, também portátil, tem capacidade de vigilância de superfície, detecção de pessoas, veículos e drones, para a proteção e a segurança das instalações militares e de infraestrutura crítica do país, como refinarias, oleodutos, campos de petróleo, reservatórios, aeroportos, planícies, parques naturais, redes elétricas, rotas de carvão e torres de comunicação, entre outras. É um radar menor, de alta resolução, com tecnologia de transmissão de estado sólido, capaz de detectar aviões que voam baixo e, em geral, tudo aquilo que se movimente por terra, para gerar um alerta antecipado que permita reagir para combater qualquer ameaça.
A engenharia colombiana definiu duas versões para o SINDER: “uma de longo alcance, habilitada para rastrear pessoas a 5 km e veículos a 20 km; e outra de médio alcance, com faixa de ação para captar pessoas em um raio de 3 km e veículos até 12 km. O custo médio de um sistema SINDER é de US$ 1 milhão”, disse o Cap González.
Ciência, tecnologia e inovação
A construção de radares na Colômbia feita por membros das Forças Armadas não é um acidente. É o resultado de um plano que começou em 2012, quando o Ministério da Defesa acolheu a política estatal de ciência, tecnologia e inovação para o setor com o objetivo de dinamizar a indústria nacional, ser autossuficiente e reduzir a dependência de outros países nas áreas estratégicas.
“Com a necessidade de equipamentos e tecnologia para a defesa do território e o controle das ameaças como o narcotráfico, não podíamos continuar esperando por recursos e sendo dependentes dos países donos da tecnologia. Cada força precisou criar uma estratégia para capacitar seus membros e conseguir desenvolver a tecnologia com seus próprios recursos”, disse o Ten Brig González à Diálogo.
Com as bases jurídicas estabelecidas e as ferramentas criadas, o Ministério da Defesa e Segurança Nacional colocou em funcionamento o programa setorial de sensores, por meio do qual desenvolveram a capacidade de controle de frequências do espectro eletromagnético, neste caso específico, na área de radiofrequência e micro-ondas.
Engenheiros militares e civis
Para o desenvolvimento dos radares, o Ministério da Defesa da Colômbia criou um projeto estratégico, abrindo uma convocatória para integrar um grupo de 12 profissionais civis, e as Forças Militares selecionaram oito militares. Essa equipe de 20 engenheiros ficou encarregada de assumir o desafio de estabelecer seu país como fabricante de radares. Eles tiveram 30 meses para fazê-lo.
A meta estabelecia três resultados: a aquisição de capacidades nacionais para o desenvolvimento e a inovação tecnológica na área de sensores que permitissem desenvolver soluções próprias; a construção de dois radares para a Força Aérea colombiana, com os quais não contava até o momento, apesar de sua necessidade urgente (caso específico do TADER); e a criação do “Grupo de Pesquisa e Desenvolvimento de Sensores (GIDS, por sua sigla em espanhol)”, com o qual pretendem realizar pesquisas e gerar uma base de conhecimento com outros grupos e universidades na área de sensores.
A Colômbia alcançou seu objetivo. Os radares foram construídos e estão funcionando. “Com esse projeto de radares aéreos e de superfície, a Colômbia dá um grande passo para o avanço de sua tecnologia. Além disso, nos permite entrar nos mercados internacionais, oferecendo essa capacidade a outros países com os quais temos acordos de cooperação”, finalizou o ministro Villegas na cerimônia de entrega.

Forças Armadas homenageiam ex-combatentes em Belém (PA)

Cerimônia militar em Belém marca 72 anos do fim da II Guerra. Integrantes da Força Expedicionária Brasileira recebem homenagem.

Tenente Brenda Alvarez / Aspirante Aline Fuzisaki

As Forças Armadas se reuniram em Belém, no dia 8 de maio, para celebrar o Dia da Vitória. A cerimônia militar ocorreu na Praça da Bandeira, no centro da cidade, e foi presidida pelo Major-Brigadeiro do Ar Carlos Minelli de Sá, Comandante do Primeiro Comando Aéreo Regional (I COMAR) e Presidente da Comissão de Aeroportos da Região Amazônica (COMARA).
Na ocasião, foram homenageados o Segundo-Tenente Raimundo Nonato de Castro e o Segundo-Tenente Josias Malaquias de Araújo, dois ex-combatentes da Força Expedicionária Brasileira (FEB), que residem na capital paraense.
Em seu discurso, o Comandante do I COMAR enfatizou a importância do evento, pois marca a comemoração do fim da guerra e do retorno da paz e, especialmente, do fim do sofrimento que esses combates trazem. “Homens e mulheres de honra estão presentes em todos os países para manter a preservação da paz, mas, se necessário, entrarão em guerra para defender o território e a sua nação”, completou o Major-Brigadeiro Minelli.
O evento em Belém reuniu militares do I COMAR, do Comando Militar do Norte (CMN) e do 4º Distrito Naval (4º DN). O público conferiu algumas atividades realizadas pelas Forças Armadas em estandes montados na Praça. A Ala 9 ficou responsável pela exposição da FAB, que mostrou as atividades realizadas na Amazônia, além de fazer a divulgação das formas de ingresso e distribuir informativos sobre segurança de voo.
O Dia da Vitória marca a rendição do exército nazista e o fim da Segunda Guerra Mundial, ocorridos no mesmo dia, no ano de 1945, considerado o maior e mais cruel conflito da história da humanidade. Durante a missão na Segunda Guerra, o Pará enviou para o solo europeu 595 militares, sendo que quatro deles morreram em batalhas em solo italiano.

Comando Militar do Sul celebra o Dia da Vitória em Porto Alegre¹
O Comando Militar do Sul (CMS) realizou, nesta terça-feira, ato em celebração ao Dia da Vitória no Parque da Redenção, na região central de Porto Alegre. O evento comemora o aniversário do fim da II Guerra Mundial, em 1945. Um dos principais objetivos da ação foi destacar a atuação da Força Expedicionária Brasileira (FEB) no conflito armado que mobilizou a Europa de 1939 a 1945.
O ato reuniu militares do Exército, da Marinha, da Aeronáutica e veteranos da FEB, única tropa sul-americana que participou dos combates da II Guerra. A cerimônia foi presidida pelo general de divisão Valério Stumpf Trindade, comandante da 3ª Região Militar, que possui sede no Estado.
Por meio de comunicado, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, destacou a importância da atuação da FEB no triunfo dos países aliados contra as forças lideradas pela Alemanha nazista:
"A Força Expedicionária Brasileira, FEB, composta por mais de 25 mil homens do Exército Brasileiro, teve um notável papel no triunfo das forças democráticas no continente europeu, que resistia a regimes autoritários em vários países".
A FEB, que desembarcou em Nápoles no dia 16 de julho de 1944, combateu por 239 dias, vencendo as batalhas de Camaiore, Monte Prano, Monte Castelo, Montese, Fornovo. Os militares brasileiros também participaram da rendição da 148ª Divisão de Infantaria Alemã.
¹com ZH via Notimp Agência Força Aérea

PORTAL R3 (SP)


Marinha realiza ativação do 26º Grupamento de Fuzileiros Navais – Haiti


Por: Redação Portal R3

Será realizada, a partir das 8h30 do dia 12 de maio, no Pátio Brigada Real da Marinha, no Comando da Divisão Anfíbia, Ilha do Governador, a Cerimônia de Ativação do 26° Contingente do Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais – Haiti. Durante a solenidade os 175 militares selecionados para a missão farão a troca do gorro camuflado pelo gorro azul, símbolo dos Mantenedores da Paz das Organizações das Nações Unidas (ONU). A cerimônia militar será presidida pelo comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, Vice-Almirante (FN) Cesar Lopes Loureiro.
O primeiro grupo dos militares preparados para atuar na Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (MINUSTAH) começa a embarcar em voos da Força Aérea Brasileira a partir do dia 16 de maio, quando iniciará o revezamento de Tropas de Fuzileiros Navais. Esta será a última missão dos Fuzileiros Navais no Haiti após 13 anos de serviços prestados à ONU.
Durante seis meses, os militares do 26º Grupamento passaram por uma preparação que envolveu exercícios de primeiros socorros, controle de distúrbios, patrulhas mecanizadas e a pé, “check points”, controle de comboio, segurança de autoridades, realização de Ações Cívico Sociais, ocupação e operação de Ponto Forte, além de instruções sobre o Direito Internacional dos Conflitos Armados.
A preparação também contou com o Adestramento de Batalhão de Proteção, realizado em Itaóca (ES) de 19 a 30 de abril. Esse exercício incluiu em seu final um tema tático com o objetivo de estar o mais próximo possível da realidade local, visando consolidar a prática teórica e os ensinamentos das fases de preparação individual e coletiva.


OUTRAS MÍDIAS


JORNAL A TRIBUNA (SANTOS-SP)


Praia Grande estuda implantar drones em monitoramento

Prefeitura planeja usar esse tipo de aparelho para reforçar o sistema municipal de segurança e na fiscalização
A Prefeitura de Praia Grande estuda a possibilidade de utilizar drones para reforçar o sistema de segurança e para fiscalizar o território do Município. Uma comissão foi formada para fazer levantamentos e deve ter uma proposta até setembro.
Caso a decisão seja favorável às aeronaves não tripuladas, elas serão usadas como suporte às atuais 1.650 câmeras inteligentes de monitoramento espalhadas por toda a Cidade e aos dez veículos elétricos que circulam no calçadão da orla praia-grandense. A utilização de drones foi regulamentada no dia 4 pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).
Criada em março, a comissão está elaborando propostas, estudos e pareceres quanto à viabilidade do uso do equipamento, além de ter-se encarregado de fazer o levantamento sobre os tipos de aparelhos disponíveis e suas principais funções.
“Este estudo vai apontar os benefícios quanto ao uso (do aparelho) e nos mostrar qual o equipamento melhor se adequará às nossas necessidades”, explicou o secretário de Assuntos de Segurança Pública de Praia Grande, José Américo Franco Peixoto.
Apesar do estudo, ele está certo de que o sistema será favorável às necessidades e para incrementar o atual sistema de segurança na Cidade. “Uma das apostas é que eles sejam utilizados em locais de difícil acesso, tanto para a segurança quanto, por exemplo, para atividades de fiscalização no Município”, destacou.
Pela proposta, os drones serviriam para fiscalização ambiental, gestão urbana, fiscalização territorial e de construções, em policiamento, salvamento marítimo, combate a incêndios, investigações e em inteligência policial, controle de queimadas e desmatamentos, monitoramento de prédios e áreas públicas, acompanhamento de eventos e manifestações, missões táticas em áreas de risco e de ações de Defesa Civil.
“Além de ampliarmos a ação na área de segurança, que é uma das prioridades em Praia Grande, essa tecnologia (drones) estaria a serviço de outros setores. Por meio dela, por exemplo, seria mais fácil controlar e evitar novas invasões”, destacou Peixoto. Atualmente, segundo informações da Prefeitura, Praia Grande reúne 29 núcleos, entre invasões e lotes irregulares.
Presidida por Peixoto, a comissão é constituída por oito membros titulares e por suplentes, que representam as secretarias de Administração, Assuntos de Segurança Pública, Trânsito, Meio Ambiente, Planejamento, Urbanismo e Comunicação Social.
“Outros órgãos, como Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, serão convidados a participar das reuniões conforme as demandas a serem discutidas. O mesmo pode ocorrer no caso de outras secretarias municipais, que não componham a comissão. Queremos agregar o máximo de conhecimento e tecnologia em favor da comunidade”, declarou o secretário.

24 HORAS NEWS (MT)


Senador volta a cobrar pleno funcionamento do aeroporto de Sinop

Os PAPIs fazem parte da estação e a principal função desta central é auxiliar os pilotos com informação de voo através de uma estação meteorológicas com sistemas de torre e de comunicação.
Noventa dias após a promessa da Aeronáutica, o senador Wellington Fagundes (PR) voltou a cobrar agilidade na liberação da estrutura operacional do Aeroporto de Sinop, no Norte de Mato Grosso. Ao lado da prefeita Rosana Martinelli e do deputado federal Nilson Leitão (PSDB), ele pediu ao Brigadeiro Maurício Medeiros pressa na homologação de equipamentos para operação de pousos de precisão "antes que chegue o período de chuvas".
Fagundes alertou as autoridades que as futuras condições climáticas podem afetar sobremaneira a capacidade de pousos na região – o que fará com que os pilotos tenham que remeter as aeronaves para Cuiabá, como já ocorreu em algumas ocasiões este ano. "Essa situação vem causando grandes transtornos e prejuízos à população" - frisou o senador.
Rosana conta que o trabalho do senador e do deputado tem sido fundamental para fazer com que as necessidades do papel passem a existir na realidade. "Tivemos o apoio significativo de toda a equipe da Aeronáutica, que se prontificou a resolver o problema. Fizemos e faremos nosso dever de casa para buscar a resolução", garantiu a prefeita.
A Estação Prestadora de Serviço de Telecomunicações e de Tráfego Aéreo (EPTA) e os Indicadores de Precisão de Trajetória de Aproximação (PAPI) a serem liberados se encontram instalados, há cerca de 10 meses, aguardando que sejam homologados pelo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA IV).
Os PAPIs fazem parte da estação e a principal função desta central é auxiliar os pilotos com informação de voo através de uma estação meteorológicas com sistemas de torre e de comunicação.
O Brigadeiro Medeiros reconheceu a necessidade de agilizar o processo do aeroporto de Sinop e garantiu que o ministério dará celeridade à tramitação. Segundo ele, Sinop se tornou um polo no Estado e não pode ficar sem o funcionamento do terminal. "Temos feito contato com o CINDACTA e o processo está tramitando rapidamente, em primeira posição na pilha de prioridades", adiantou o comandante.
Assim como há 3 meses, o senador fez questão também de destacar também o trabalho e apoio do deputado Nilson Leitão, que lamentou a regressão observada no terminal. "O aeroporto perdeu toda sua força. Antes tínhamos voos todos os dias, agora estamos implorando por pousos e decolagens", lamentou o deputado federal.

AQUIDAUANA NEWS (MS)


Força de Paz que cumprirá missão no Haiti concluiu treinamento em Aquidauana

O município de Aquidauana mais uma vez recebeu militares para treinamento do 26º Contingente Brasileiro da Companhia de Engenharia de Força de Combate. Os exercícios aconteceram no mês de Abril e início de maio.
Cerca de 120 homens, vindos de diversas organizações militares, estão no 9º Batalhão de Engenharia de Combate Carlos Camisão, onde durante este período se prepararam para a Minustah (Missão Para Estabilização do Haiti). Toda a estrutura do Batalhão, comandando pelo tenente-coronel Fábio Bogoni, esteve à disposição da tropa, onde foi realizada grande parte das instruções, alternando com atividades externas na cidade.
Um diferencial foi o suporte das equipes do 3º Batalhão de Aviação do Exército, passando técnicas e realizando treinamentos com os militares que irão para a Força de Paz, fazendo transporte aéreo de feridos, identificação de estradas através da observação aérea, entre outros. O JNE acompanhou parte do treinamento de uma equipe do 3º BAVEX e pôde fazer com eles, um voo de reconhecimento, como parte das instruções ministradas pelo Batalhão.
A escolha de Aquidauana
As instalações do 9º BE Cmb são ideais para o treinamento do contingente, a área de instrução Sargento Ribeiro Pires, o lago do quartel, o clima da cidade, que é parecido com o do Haiti. São aspectos que contribuíram para que a cidade fosse novamente escolhida.
Nesta sexta-feira (05) aconteceu a formatura dos militares de vários estados do Brasil, que vão para o Haiti, após intenso treinamento, agora preparados para mais uma Força de Paz no referido país. Autoridades militares e o prefeito de Aquidauana, Odilon Ribeiro, junto com alguns vereadores, acompanharam a solenidade.
“Hoje foi um dia histórico no Batalhão Carlos Camisão. Encerrou-se nesta data o preparo da 26ª Companhia de Engenharia de Força de Paz, BRAENGCOY 26. Esta será a última participação brasileira em solo haitiano, encerrando um ciclo de 13 anos de bons serviços prestados a esse país amigo. Os integrantes do 9º Batalhão de Engenharia de Combate sente-se honrados de poder ter contribuído na preparação dessas tropas, e deseja a todos os integrantes dessa briosa subunidade muito sucesso e êxito na missão que ora se inicia”, falou o comandante do 9º BE Cmb, sobre o encerramento das atividades.
Da pacificação à organização
Nas ruas onde no passado ocorriam tiroteios diários entre gangues e militares da Força de Paz, hoje a maior ameaça que esses homens enfrentam são alguns cachorros latindo. Por causa dessa ação que ocorre há anos no Haiti, o sinal está claro de que é hora de encerrar, já que o Exército pacificou e organizou o país.
A missão no Haiti deixará de existir?
A Minustah será substituída por uma “operação sucessora”, chamada de Missão das Nações Unidas para o Apoio à Justiça no Haiti. Além de fazer o monitoramento, elaborar relatórios e analisar situações relacionadas aos direitos humanos, a nova missão também auxiliará o governo haitiano no reforço das instituições do Estado de Direito.
De acordo com a Agência ONU, a nova missão será composta por até sete unidades policiais, com 980 militares e 295 oficiais de polícia individuais por um período inicial de seis meses, a partir de 16 de outubro. A atual tem pouco mais de 1000 policiais individuais e 11 unidades policiais.
A nova missão também atuará na proteção dos civis sob ameaça iminente de violência física, dentro das suas capacidades e áreas de implantação, conforme necessário.

DIÁLOGO DIGITAL MILITARY MAGAZINE


Acordos entre Brasil e Estados Unidos estreitam cooperação em área de defesa

Após uma série de convênios sobre intercâmbio de produtos e de informações, os dois países almejam o desenvolvimento de um projeto binacional.
Andréa Barretto
No dia 4 de abril, durante a feira internacional de defesa e segurança LAAD Defence & Security 2017, foi anunciado um convênio entre as empresas brasileiras Embraer Defesa e Segurança e a norte-americana Rockwell Collins. Atuantes no setor aeroespacial, as companhias preveem a incorporação de produtos de uma ao portfólio da outra, de forma mútua.
“Haverá produtos que poderão potencialmente ser produzidos pela Rockwell Collins e que integraremos com nossas soluções, e tem produtos da Bradar e Savis que poderão ser produzidos com soluções da Rockwell Collins”, afirmou Jackson Schneider, presidente da Embraer e diretor das companhias Bradar e Savis.
O intercâmbio entre as duas companhias acontece há cerca de 50 anos, “mas agora damos um passo adiante nessa parceria”, reforçou Schneider, que citou como caso recente o avião KC-390, uma das últimas aquisições da Força Aérea Brasileira. Fabricado pela Embraer, o avião usa um sistema aviônico criado pela Rockwell Collins.
O comunicado foi feito no Rio de Janeiro, com a presença do Colin Mahoney, vice-presidente da Rockwell Collins; Peter Michael McKinley, embaixador dos Estados Unidos em Brasil, e do Flávio Augusto Basílio, Secretário de Produtos de Defesa do Ministério da Defesa brasileiro.
“Esse acordo é um símbolo da importância da relação entre Estados Unidos e Brasil no contexto da defesa. Os dois países já são parceiros há muito tempo e estamos trabalhando ativamente para ampliar e reforçar essa relação”, afirmou o embaixador McKinley.
No dia anterior à assinatura do convênio, representantes dos governos dos dois países já tinham sentado juntos no II Diálogo das Indústrias de Defesa, com o objetivo de dar continuidade a uma série de conversas sobre cooperação na área de produção de materiais de defesa. “O Brasil decidiu ter os Estados Unidos como parceiro estratégico. Temos conversado sobre a possibilidade de desenvolvimento de um projeto binacional”, disse o secretário Basílio, afirmando ainda que “o acordo entre Bradar e Savis e a Rockwell Collins é um exemplo concreto dessa ação”.
Para ele, “o mais importante é que não é uma colaboração assimétrica. São duas grandes empresas e nesse caso o Brasil ganha e os Estados Unidos ganham. Isso vai abrir a possibilidade de desenvolvimento conjunto de produtos e de exploração de terceiros mercados”.
Marco na relação
O ano de 2017 tem sido marcante na relação entre os setores de defesa brasileiro e norte-americano. Após 10 anos de intercâmbio de ideias, o Ministério da Defesa do Brasil e o Departamento de Defesa dos Estados Unidos assinaram o Acordo Mestre de Troca de Informações (MIEA, por sua sigla em inglês), no dia 22 de março.
O documento prevê a cooperação bilateral para desenvolvimento de projetos tecnológicos na área da defesa. “Nosso nível de diálogo com os Estados Unidos vai agora para outro patamar. Sem esse acordo não conseguiríamos ter colaboração nas áreas de defesa, ciência e tecnologia”, contou o secretário Basílio.
O desentrave na importação de produtos norte-americanos para projetos estratégicos das Forças Armadas brasileiras é uma das facilidades proporcionadas a partir do convênio. Nesse bojo também se insere a discussão sobre certificação mútua, que possibilitará que produtos certificados por laboratórios brasileiros sejam reconhecidos por laboratórios norte-americanos, sendo integrados por esse mercado sem precisar de dois processos de certificação. “Esse tipo de acordo permite uma relação mais fluida e gera benefícios para as duas economias”, ressaltou Basílio.
Histórico de diálogos
O MIEA assinado recentemente efetiva dois documentos fechados anteriormente entre Brasil e Estados Unidos: o Acordo Bilateral sobre Cooperação em Matéria de Defesa (DCA, por sua sigla em inglês) e o Acordo de Proteção de Informações Militares Sigilosas (GSOMIA, por sua sigla em inglês). Ambos foram promulgados em junho de 2015, depois de terem passado cinco anos no Congresso Nacional brasileiro, aguardando apreciação pelos deputados e senadores.
O DCA trata do fortalecimento e da aproximação do Brasil e dos Estados Unidos no campo da defesa, com especial atenção aos setores de tecnologia, sistemas e equipamentos, aquisição de material, intercâmbio de informações e experiências, exercícios e treinamentos conjuntos. Já o GSOMIA é responsável por criar bases jurídicas favoráveis a iniciativas de intercâmbio nas áreas de ciência e tecnologia, comunicações e logística. Tendo em conta o sigilo e a proteção das informações militares, o objetivo desse convênio é impulsionar contratos comerciais e industriais.
Próximos passos
A conversa entre os dois países continua. “Temos mais dois acordos sendo discutidos, um relacionado ao intercâmbio de engenheiros, para que profissionais brasileiros possam ir para os EUA e os norte-americanos possam vir para cá, e outro na área de desenvolvimento, pesquisa e tecnologia”, disse o secretário Basílio. “Quando esse terceiro acordo for alcançado, poderemos chegar ao nosso objetivo que é desenvolver um produto binacional”, afirmou.
O Ministério da Defesa brasileiro tem encontro agendado com o Departamento de Defesa norte-americano em outubro, em Washington.

JORNAL DO AR


Airbus conclui com sucesso teste de contato automático de reabastecimento aéreo com F-16 da FAP

Durante os testes foram realizados seis contatos; os voos foram realizados sobre a costa de Portugal
A Airbus Defence and Space concluiu com sucesso os testes de contato automático de reabastecimento aéreo (Air-to-Air Refueling – AAR), anunciou a empresa que afirma ser a única no mundo a realizar este tipo contato.
Nos testes estiveram envolvidos uma aeronave Airbus A310 MRTT tanque e um caça F-16 da Força Aérea Portuguesa. De acordo com a Airbus Defence and Space, foram realizados seis contatos automáticos em uma demonstração técnica que a empresa acredita ser a grande promessa das operações AAR.
O sistema automático não requer nenhum equipamento adicional na aeronave receptora, e tem o objetivo reduzir a carga de trabalho do operador, aumentar a segurança e optimizar taxa de condições operacionais para maximizar a eficiência em combate, segundo a Airbus Defense and Space.
O novo sistema de contato automático pode ser introduzido na atual produção de aeronaves A330 MRTT a partir de 2019.
O funcionamento do sistema de contato automático de reabastecimento aéreo, como de costume, consiste em uma abordagem inicial e rastreamento do receptor realizado pelo Operador de Reabastecimento Aéreo (ARO). Utilizando então técnicas passivas inovadoras, tais como o processamento de imagens, determinam a posição do receptáculo da aeronave receptora, quando o sistema automático é ativado. Uma vez ativado, um sistema de controle de voo totalmente automatizado dirige a lança no sentido do receptáculo da aeronave que receberá combustível. Um feixe telescópico dentro da lança permite realizar o contato de diversas maneiras, incluindo: manualmente pelo ARO; em um modo de manutenção relativa; ou em modo totalmente automático.
Durante os testes realizados no dia 21 de março sobre a costa portuguesa, a aeronave tanque realizou seis contatos em condições de voo de 25.000 pés (7.600 metros) a uma velocidade de 270 nós (500 km/h) durante 1h15m de teste. Ambas tripulações reportaram que a operação ocorreu sem falhas.
“A coisa mais importante foi que o sistema pode acompanhar o receptáculo. Foi muito gratificante, porque ele funcionou perfeitamente e nós conseguimos realizar os contatos com a automação ligada como planejado. Isso certamente vai reduzir a carga de trabalho, especialmente em condições meteorológicas adversas”, disse David Piatt, Operador de Sonda de Reabastecimento, ou “boomer” da aeronave tanque.
“A missão de teste foi bem monótona e realizada sem problemas inesperados - que bom sinal. A partir do momento que o boomer aceitou o contato, a lança dirigiu imediatamente para o local correto. O contato em si foi muito preciso e rápido. Você pode notar a diferença - você sente menos no cockpit, e nota que o sistema é mais preciso”, disse o piloto do F-16 da FAP, conhecido pelo indicativo “Prime”.
Miguel Gasco, chefe do Laboratório Incubador da Airbus Defence and Space, disse: “Isso representa um avanço fundamental nas operações da lança AAR, com a promessa de aumentar a taxa de contatos, reduzindo nomeadamente a carga de trabalho do operador e aumentando a segurança. A operação automática é um pilar importante do nosso desenvolvimento Smart MRTT que já está em andamento”.
A tecnologia de imagem subjacente a técnica automática AAR foi originalmente desenvolvida para ser usada na divisão espacial da Airbus, afim de fornecer soluções para reabastecer satélites no espaço ou para a remoção de detritos espaciais e aplicada pelo Laboratório Incubador Airbus Defence and Space em aeronaves de reabastecimento aéreo.

CONVERGECOM - TELETIME (SP)


Martinhão explica preços do satélite brasileiro

LÚCIA BERBERT
Questionado por deputados, o secretário de Política de Informática do MCTIC, Maximiliano Martinhão, afirmou nesta quarta-feira, 10, que o custo do satélite geoestacionário brasileiro (SGDC) não quadruplicou. Ele explicou que o preço inicial de R$ 1,2 bilhão diz respeito apenas ao satélite, enquanto que o projeto como um todo saiu por quase R$ 2,8 bilhões.
"O projeto envolve a instalação de seis gateways, o centro de comando e controle, o satélite e os custos com o lançamento, que foi objeto de outro contrato", disse Martinhão. Segundo ele, a comparação feita pelo colunista foi com um satélite muito diferente do brasileiro, bem menor e em banda Ku.
O presidente da Telebras, Antonio Loss, disse que vai divulgar uma nota especificando os custos do programa do SGDC. Martinhão e Loss participaram de audiência pública na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados.

CONVERGECOM - TELETIME (SP)


TCU continua acompanhando TAC da Telefônica e venda de capacidade do SGDC

BRUNO DO AMARAL
As decisões tomadas pelo Conselho Diretor da Anatel sobre complementações ao Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) da Telefônica na semana passada já foram repassadas ao Tribunal de Contas da União e agora se encontram em análise na unidade técnica. Segundo o secretário de Infraestrutura Hídrica, de Comunicações e de Mineração do Tribunal de Contas da União, Ivan Rogedo, entretanto, ainda não há um prazo definido para que o TCU aprove essas mudanças.
"Mesmo depois de manifestação da unidade técnica, vai ser encaminhado ao Ministério Público, que vai se manifestar, e será repassado ao relator, que vai submeter a julgamento de plenário", contou ele a este noticiário após workshop sobre fundos de telecomunicações na Fiesp nesta quarta-feira, 10, em São Paulo. Mesmo depois de encerrado esse procedimento todo para avaliar o TAC, o prazo ainda depende do tempo das instâncias, segundo Rogedo.
SGDC e RJ
Da mesma forma, ele também não quis dar um prazo para a avaliação da licitação de capacidade do satélite geoestacionário de defesa e comunicação (SGDC). O TCU está ainda aguardando informações do Ministério da Ciência, Tecnologia, Comunicações e Inovações (MCTIC) e da Telebras, afirma Rogedo. Perguntado se não haveria uma pressão para que essa diligência ocorresse logo, uma vez que o satélite já foi lançado e deverá entrar em operação em setembro, o secretário do Tribunal de Contas afirmou apenas que o órgão está "fazendo acompanhamento". "É concomitante às ações (do SGDC) até que, se for encontrada qualquer irregularidade, seja possível corrigi-la antes de qualquer prejuízo para o interesse público."
O TCU também mantém o acompanhamento da recuperação judicial da Oi e considera a mediação da questão da dívida da companhia entre governo e Justiça Estadual, que cuida da recuperação judicial da empresa, de acordo com Ivan Rogedo. "Tem artigo que diz que, quando se trata de processo onde houve ou há participação do TCU, tem que haver uma anuência do Tribunal em relação a esses valores relacionados a esse processo", declara.
A própria Anatel está submetida ao controle do Tribunal de Contas, que analisa ainda as ações da agência no caso da negociação dos valores na RJ. Esse papel só aumentaria em caso de eventual intervenção do governo. "Aumenta a participação e a responsabilidade do TCU, que passa a ter mais coisa dentro do processo."

PORTAL D24AM (AM)


TSE aprova orçamento de R$ 18,5 milhões para nova eleição no AM em agosto

Pleno do TSE vai analisar a resolução do TRE que propõe a realização do primeiro turno em 6 de agosto. Nova eleição acontece após a cassação do mandato de Melo, acusado de compra de votos
Beatriz Gomes
Manaus - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou, nesta quarta-feira (10), o orçamento de R$ 18,5 milhões para a eleição suplementar do Amazonas. A informação foi repassada pelo diretor-geral do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE), Messias Andrade, que participou da reunião em Brasília. O pleno do TSE vai analisar a resolução do TRE que propõe a realização do primeiro turno em 6 de agosto, na sexta-feira (12).
De acordo com Andrade, a reunião que definiu as regras da próxima eleição durou pouco mais de duas horas e envolveu todos os atores do TSE, que participam do processo eleitoral, entre eles, direção geral, secretaria de Tecnologia da Informação (TI) e os setores judiciário, administrativo e de orçamento.
O planejamento dos custos elaborado pelo TRE inclui, ainda, a participação das forças armadas e o deslocamento de civis e militares, assim como os equipamentos de apoio, informou Messias Andrade.
“Solicitamos no orçamento R$ 18,5 milhões já incluindo custeio pessoal e o orçamento foi aprovado pelo TSE. Definimos, também, algumas regras de negócio como por exemplo o fechamento do cadastro (dos candidatos), 60 dias antes do pleito, ou seja, dia 6 de junho termina, também fizemos o mapeamento das necessidades de participação das forças militares com apoio logístico e de pessoal custeado pelo TSE. Definimos também o pagamento do deslocamento do efetivo militar e civil do Estado e definimos a quantidade de equipamentos necessários para fazermos a transmissão dos dados e pequenos ajustes em datas da nossa resolução que deve ser aprovado na sexta”, disse o diretor.
Na reunião, o TSE orientou o TRE a envie um cronograma de recebimento dos repasses e qual o quantitativo que deve ser imediato. A resolução do TRE deve ser apreciada pelo pleno do TSE nesta sexta-feira. Se for acatada, a eleição poderá ser confirmada para o começo de agosto, explicou o diretor.
“Caso seja aprovada a nossa resolução, o primeiro turno será dia 6 de agosto e o segundo turno no dia 27 de agosto, que é uma espécie de analogia do que diz a Constituição que o pleito deve ser realizado no primeiro fim de semana de outubro e o segundo, no último”, disse.
A reunião foi considerada “excelente” pelo diretor, após o apoio irrestrito, inclusive com efetivo técnico do TSE. “Nós saímos daqui com o coração aliviado e cientes da reponsabilidade enorme que temos de fazer um pleito eficaz seguro e célere”, concluiu Andrade.

CONVERGECOM - TELETIME (SP)


Ministro reafirma: não haverá privatização do satélite brasileiro

LÚCIA BERBERT
O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, disse nesta quarta-feira, 10, que não vai haver privatização do satélite brasileiro. "O que saíram publicadas foram críticas levianas, críticas de quem não conhece como será sua operação. Estou muito tranquilo com relação a isso", afirmou o ministro na audiência pública na Câmara dos Deputados, que discutiu o tema.
Ele não detalhou como será a operação do satélite, que foi idealizado para garantir a segurança das comunicações públicas e levar a banda larga às regiões remotas. "O que é mais importante registrar é que esse é o primeiro satélite de propriedade do Brasil e que garantirá a operação da banda larga com autonomia brasileira", disse o ministro. Segundo ele, a capacidade do satélite geoestacionário brasileiro equivale ao dobro da capacidade de todas operadoras atuais.
A banda X do satélite será destinada ao Ministério da Defesa, enquanto a banda Ka servirá para atender áreas importantes do governo, como saúde e a educação. O modelo de comercialização da capacidade prevê que cerca de 80% da capacidade não-militar será licitada à iniciativa privada. "Estamos bem adiantados nos acertos e essas áreas terão prioridades. Apenas no Ministério da Educação, sete mil escolas rurais já foram identificadas e terão prioridades", disse.
Kassab afirma que está iniciando na semana que vem negociações com o ministro da Agricultura para levar a banda larga "para todos os campos de Brasil" visando fortalecer a agricultura de alta precisão. O ministro deixou para o presidente da Telebras, Antonio Loss, e o secretário de Política de Informática, Maximiliano Martinhão, para que respondessem as dúvidas dos deputados.
Operação
Loss afirmou que o satélite está próximo a alcançar a órbita final, o que deve acontecer neste final de semana. Depois disso passará por testes, como a checagem de itens como a capacidade de fornecimento de dados dos transponders, dos feixes e das bandas X e Ka. A verificação acabe em agosto, mas a entrada em operação somente ocorrerá em setembro.
O presidente da Telebras não quis adiantar como será a operação do satélite, alegando que está ainda em construção o edital de licitação. E afirmou que não haverá ingerência do Tribunal de Contas da União no modelo. "Ainda temos tempo para isso", ressaltou.
A estatal colocou em consulta pública uma proposta de venda da capacidade em três lotes. O Lote 1 é a cessão de 9.661 MHz de capacidade em Banda Ka do SGDC, sendo parcela desta capacidade a integralidade dos feixes 18, 23, 37 e 42 (de cobertura oceânica, exclusivamente alocados a este lote). A capacidade restante distribuída proporcionalmente nos dois lotes seguintes, com capacidade de 5.809 MHz cada, distribuídos em 63 feixes cobrindo todo o território nacional, sem compromissos mínimos de oferta de serviço. Esses compromissos devem ser observados pela cessionária do Lote 1 no atendimento das demandas da Telebras, mas a vencedora da licitação será paga por isso, com recursos dos ministérios que solicitarem os serviços.
O satélite geoestacionário de defesa e comunicações estratégicas (SGDC) foi lançado ao espaço na última quinta-feira, 4, a partir do Centro Espacial de Kouru, na Guiana Francesa. Kassab disse que os próximos satélites deverão ser lançados da base de Alcântara, no Maranhão, que começa a ser reativada após o rompimento do acordo com a Ucrânia.

PORTAL PILOTO POLICIAL E RESGATE AEROMÉDICO (SP)


Mecânicos do Grupamento Aéreo da PM realizam curso de familiarização do helicóptero Esquilo na FAB

De Eduardo Alexandre Beni
São Paulo - Uma parceria entre a Força Aérea Brasileira (FAB) e a Polícia Militar do Estado de São Paulo proporcionou a participação de 10 (dez) policiais militares no Curso de Familiarização na aeronave modelo AS350 Esquilo. Esse é o modelo dos Águias que a Polícia Militar opera através do Grupamento de Radiopatrulha Aérea “João Negrão” em suas missões de apoio aéreo policial e de defesa civil.
Os policiais militares são mecânicos de manutenção aeronáutica do GRPAe, responsáveis pela segurança e o bom desempenho das aeronaves. Segundo o Primeiro Tenente PM Fabio Aiello, piloto policial e habilitado nas três especialidades da área de manutenção aeronáutica, “o curso proporciona aos mecânicos de manutenção aeronáutica o conhecimento dos diversos sistemas da aeronave, para a atividade do dia a dia de manutenção no pátio e na nossa oficina de manutenção”.
O curso está sendo realizado no período de 08 a 26/05 no Parque de Material Aeronáutico de São Paulo da Força Aérea Brasileira (FAB - PAMA-SP).
Atualmente, a Polícia Militar conta com a maior frota de aeronaves em atividade de segurança pública do Brasil, com 27 helicópteros, sendo 23 do modelo AS350 Esquilo que atuam diretamente em missões de apoio policial, salvamento, resgate, transporte de órgãos, e tantas outras missões em prol da sociedade.




Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented