|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 04/03/2017 / Suécia reativa alistamento militar obrigatório por temores de segurança e falta de soldados


Suécia reativa alistamento militar obrigatório por temores de segurança e falta de soldados ...  

Daniel Dickson / Bjorn Rundstrom ...  

ESTOCOLMO (Reuters) - A Suécia irá reativar o alistamento militar obrigatório no ano que vem devido a dificuldades para preencher suas fileiras com voluntários, em um momento de aumento dos temores de segurança, informou o Ministério da Defesa nesta quinta-feira.

A Suécia encerrou o serviço militar compulsório em 2010, mas as atividades militares na região do Báltico se intensificaram desde a anexação russa da Crimeia em 2014, levando Estocolmo a fortalecer a prontidão de suas Forças Armadas.

A decisão de ressuscitar o alistamento irá contemplar homens e mulheres nascidos em 1999 ou depois, embora só uma pequena minoria vá ser selecionada para servir.

"Temos tido problema para preencher nossas unidades militares de forma voluntária, e isso precisa ser tratado de alguma maneira", disse o ministro da Defesa sueco, Peter Hultqvist, à rádio pública SR.

O serviço militar era a norma para os jovens do país durante a Guerra Fria, mas o alistamento foi amenizado gradualmente após o colapso da União Soviética, já que uma guerra na região parecia cada vez menos provável.

Mas uma Rússia reemergente e as tensões do conflito na Ucrânia fizeram políticos dos dois espectros buscarem um reforço na capacidade militar do país e abordarem a falta de talentos dispostos a fazer carreira como soldados profissionais.

Os sinais de uma falta de preparo militar se fizeram sentir em anos recentes, por exemplo quando aviões de guerra russos que realizaram uma simulação de bombardeio na Suécia em 2013 pegou as defesas aéreas de surpresa.
(Reportagem adicional de Johan Sennero)



Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




PORTAL G-1


CETESB proíbe ampliação de aterro sanitário; AGEM estuda alternativas

Local só poderá receber lixo até junho de 2018. Agência pensa em maneiras e outros locais para depositar resíduos.

Do G1 Santos

A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB) proibiu a ampliação do aterro sanitário Sítio das Neves, que fica na área continental de Santos, no litoral de São Paulo. O local só poderá receber lixo até junho de 2018.
A proibição da CETESB é motivada pela proximidade do aterro com a base aérea de Santos. De acordo com a Força Aérea Brasileira, as aves que circulam no local por conta do lixo prejudicariam a atividade aeronáutica na Baixada Santista.
Para solucionar o problema, a Agência Metropolitana da Baixada Santista (AGEM) contratou um instituto para elaborar um plano regional e desvendar para onde serão levadas as 2 mil toneladas de lixo recolhidas na região todos os dias.
O prefeito de Praia Grande, Alberto Mourão (PSDB), que também é presidente da AGEM, disse que falará sobre o assunto na próxima reunião dos prefeitos da região.

Após alerta de fumaça em porão, avião da Latam faz pouso de emergência no DF

Voo saiu do Recife em direção à capital federal, mas adiantou chegada em alguns minutos; suspeita era "alarme falso" e desembarque foi seguro, diz companhia.

Mateus Rodrigues, Do G1 Df

Um avião da Latam que saiu de Recife rumo a Brasília fez um pouso de emergência na capital federal na tarde desta sexta-feira (3). Segundo a companhia aérea, houve um "alarme falso" de fumaça no porão da aeronave, que foi descartado em solo. Ainda de acordo com a Latam, os passageiros desembarcaram em segurança.
O alerta teria aparecido no painel de controle do piloto, que reportou o problema à torre de comando e solicitou o pouso de emergência. Equipes do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal foram acionadas e aguardaram nas proximidades da pista, mas não precisaram atuar.
O Airbus A321 que faz o voo JJ3067 da Latam saiu do Aeroporto dos Guararapes, no Recife, às 15h43, e deveria pousar em Brasília às 18h02. Com o aviso do comandante, a descida foi adiantada para as 17h55. Segundo as equipes do Aeroporto Internacional de Brasília, o procedimento foi autorizado, aconteceu na mesma pista e não interferiu no trajeto de outras aeronaves.
Em nota, a Latam diz que "segue a legislação do setor e reforça que a segurança é um valor imprescindível e, sobretudo, todas as suas decisões visam garantir uma operação segura".

AGÊNCIA REUTERS


Suécia reativa alistamento militar obrigatório por temores de segurança e falta de soldados


Daniel Dickson E Bjorn Rundstrom

ESTOCOLMO (Reuters) - A Suécia irá reativar o alistamento militar obrigatório no ano que vem devido a dificuldades para preencher suas fileiras com voluntários, em um momento de aumento dos temores de segurança, informou o Ministério da Defesa nesta quinta-feira.
A Suécia encerrou o serviço militar compulsório em 2010, mas as atividades militares na região do Báltico se intensificaram desde a anexação russa da Crimeia em 2014, levando Estocolmo a fortalecer a prontidão de suas Forças Armadas.
A decisão de ressuscitar o alistamento irá contemplar homens e mulheres nascidos em 1999 ou depois, embora só uma pequena minoria vá ser selecionada para servir.
"Temos tido problema para preencher nossas unidades militares de forma voluntária, e isso precisa ser tratado de alguma maneira", disse o ministro da Defesa sueco, Peter Hultqvist, à rádio pública SR.
O serviço militar era a norma para os jovens do país durante a Guerra Fria, mas o alistamento foi amenizado gradualmente após o colapso da União Soviética, já que uma guerra na região parecia cada vez menos provável.
Mas uma Rússia reemergente e as tensões do conflito na Ucrânia fizeram políticos dos dois espectros buscarem um reforço na capacidade militar do país e abordarem a falta de talentos dispostos a fazer carreira como soldados profissionais.
Os sinais de uma falta de preparo militar se fizeram sentir em anos recentes, por exemplo quando aviões de guerra russos que realizaram uma simulação de bombardeio na Suécia em 2013 pegou as defesas aéreas de surpresa.
(Reportagem adicional de Johan Sennero)

PORTAL BRASIL


Satélite brasileiro entra na segunda fase de preparação para o lançamento

Nos próximos dias, equipamento será integrado ao veículo lançador no Centro Espacial de Kouru, na Guiana

A segunda fase de lançamento do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC) teve início neste mês. Agora, o primeiro satélite brasileiro deve entrar em órbita no dia 21 de março.
"O procedimento ficou a cargo da Arianespace. Está correndo tudo bem", afirma o gerente de Engenharia e Operações de Satélites da Telebras, Sebastião Nascimento, que acompanha as atividades no centro de Kouru, na Guiana.
Nos próximos dias, o SGDC passará pela fase final de preparação para o lançamento ao espaço. O equipamento será acoplado ao veículo lançador Ariane VA 236, junto com um equipamento sul-coreano que será levado no mesmo módulo.
O primeiro satélite geoestacionário do Brasil terá uso civil e militar. O equipamento deve ampliar a oferta de banda larga em todo o território nacional, principalmente em regiões remotas do País, e garantir a segurança das comunicações na área de defesa.
O SGDC vai operar nas bandas X e Ka. A primeira é uma faixa de frequência destinada exclusivamente ao uso militar, correspondendo a 30% da capacidade total do satélite. Já a banda Ka, que representa 70%, será usada para ampliar a oferta de banda larga pela Telebras.
Parceria
O Satélite Geoestacionário é uma parceria entre o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e o Ministério da Defesa e conta com investimentos no valor de R$ 2,1 bilhões. O processo de construção e lançamento do SGDC também envolve engenheiros e especialistas da Telebras e da Agência Espacial Brasileira (AEB), além da empresa Visiona.
Com 5,8 toneladas e 5 metros de altura, o equipamento ficará posicionado a uma distância de 36 mil quilômetros da superfície da Terra, cobrindo todo o território brasileiro e o Oceano Atlântico. Ele será operado por dois centros de controle, em Brasília e no Rio de Janeiro. Também há outros cinco gateways – estações terrestres com equipamentos que fazem o tráfego de dados do satélite – que serão instalados em Brasília, Rio de Janeiro, Florianópolis (SC), Campo Grande (MS) e Salvador (BA).

JORNAL O DIA


Explosão em condomínio deixa feridos na Ilha do Governador

Quatro pessoas foram atingidas e dois bebês inalaram fumaça

Jonathan Ferreira

Imagem
Rio - Uma explosão deixou seis feridos em um condomínio, na Estrada do Dendê, 2.030, na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio, por volta das 8h20 desta sexta-feira. Entre as vítimas estão três pessoas de uma mesma família, como um menino de 11 anos. Além disso, dois bebês inalaram fumaça e um homem que fazia um conserto no sofá também foi atingido. Já um cachorro da família morreu.
De acordo com o Corpo de Bombeiros, os três feridos e os bebês foram levados para o Hospital da Aeronáutica e o funcionário, para o Hospital Municipal Evandro Freire. A corporação disse que eles tiveram queimaduras de 2º e 3º grau, mas não estão em estado grave.

Em nota o HFAG informou que o homem teve 70% do corpo queimado e está estável, respirando sem auxílio de aparelhos. A mulher está com 50% do corpo queimado e respira normalmente. Já a criança está com 35% de queimaduras pelo corpo e respira normalmente.

Até o momento, não há informações sobre a causa da explosão, que desencadeou um incêndio no Condomínio Almirante Alves Câmara.
Ao todo, foram seis apartamentos atingidos e 12 interditados, sendo um totalmente destruído. Por volta de meio-dia, apenas o local onde começou o incêndio continuou fechado para a perícia e o restante do prédio foi liberado. Segundo o Corpo de Bombeiros, o gás é encanado no local.
A explosão ocorreu no apartamento 103 do bloco 4 e depois o fogo se alastrou rapidamente até o terceiro piso, último andar do prédio. Juliana Barbosa, de 28 anos, contou que só entendeu o que estava acontecendo quando viu um vizinho com o extintor na mão.
"Estava deitada ouvindo música com o celular e senti o impacto. Quando cheguei na sala, a minha porta tinha cedido. Tremeu tudo dentro de casa, desesperador. Corri para tentar me proteger, mas fiquei desesperada porque tinha perdido minha irmã de vista", lembra a moradora. Ela disse ainda que houve gritaria no momento do acidente. "Muitas crianças pediram socorro e os próprios vizinhos tentavam ajudar. Foi horrível, gosto nem de lembrar da cena", reforçou Juliana.
O síndico do prédio, Nivaldo Rodrigues, afirmou que os moradores poderão retornar assim que a perícia terminar. "O prédio continua interditado. A Defesa Civil disse que o local teria que passar também por uma perícia da Polícia Civil, mas não sabem por causa do pós-Carnaval", completou.
Mulher do síndico, Marilene Nunes, de 60 anos, ressaltou que a família era nova no condomínio e havia se mudado há dois meses. "Só ouvi uma criança pedindo socorro. Assim que ocorreu a explosão, o pai e a mãe correram com os filhos para fora do apartamento. Já o funcionário foi jogado para longe, mas depois conseguiu sair", acrescentou.
O militar Marcelo Barreto, também morador do prédio, afirmou que foi um vazamento de gás. "Foi no apartamento 103. Escutei o barulho e corri para tentar ajudar as vítimas. Foi assustador", destacou. Já o vizinho do apartamento que explodiu, Kennedy Falqueto, de 34 anos, contou que o funcionário que ia fazer o conserto no sofá entrou com um botijão de gás no prédio.
A explosão também pode ser sentida em outros pontos da avenida. O professor Luiz Fernando Martins, de 58 anos, disse que sentiu o tremor. "Moro a um quarteirão daqui e meu prédio tremeu com a explosão. Foi horrível", recorda-se.
De acordo com informações da 37ª DP (Ilha do Governador), foi instaurado um procedimento para apurar o caso. Segundo a Polícia Civil, peritos da engenharia do Instituto de Criminalística Carlos Éboli estão seguindo para o local.
Em nota, a CEG informou que esteve no local a pedido do síndico e detectou que o fornecimento de gás já estava interrompido. "Todas as medidas de segurança — aplicadas em casos de incêndio — já haviam sido tomadas pelo próprio Corpo de Bombeiros. Até o momento, a Ceg não identificou relação do acidente com o fornecimento de gás natural", completou.

PORTAL PALÁCIO DO PLANALTO


Temer cria força-tarefa para liberar trânsito em rodovia federal no Pará

Chuvas do sudoeste paraense transformaram a BR-163 em um grande atoleiro. Nesta sexta (3), rodovia foi liberada totalmente ao tráfego no sentido norte, por volta das 20 horas

O presidente da República, Michel Temer, determinou a criação de uma força-tarefa para recuperar e acelerar a liberação do trânsito na BR-163, que liga as cidades de Cuiabá (MT) e Santarém (PA). Por conta de fortes chuvas no sudoeste do Pará, a estrada se transformou em um grande atoleiro, interrompendo o tráfego de veículos.
Em nota, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência informou a formação de um grupo interministerial para providenciar a liberação imediata da rodovia. A força-tarefa é formada pelos ministérios da Casa Civil; Agricultura; Justiça; Defesa; Transportes, Portos e Aviação Civil; e Integração Nacional.
O tempo firme registrado nesta sexta (3) permitiu que as carretas de grande porte fossem liberadas na BR-163, por volta das 20 horas. Paralisadas há duas semanas, elas começaram a se movimentar no sentido do município de Miritituba, onde vão descarregar a soja trazida de Mato Grosso. Na quinta (2), começaram a ser liberados no mesmo sentido os caminhões transportando perecíveis e automóveis. O sentido Sul, em direção a Mato Grosso, está sendo liberado de forma alternada com o sentido Norte. A BR-163 é um dos principais caminhos para o escoamento da safra de soja via Arco Norte.
A paralisação do trânsito ocorre entre as cidades paraenses de Trairão e Novo Progresso. Filas de 50 quilômetros foram registradas na região. Por conta da dificuldade de acesso, militares do Exército e da Força Aérea Brasileira fazem o transporte e distribuição de 3 mil cestas básicas e 46 toneladas de água potável para caminhoneiros, motoristas e familiares que estão sitiados na área.

OUTRAS MÍDIAS


JORNAL DIÁRIO DE PETRÓPOLIS (RJ)


Aeronáutica e Defesa Civil juntas no combate aos incêndios florestais

Militares vão atuar no monitoramento e no combate aos focos das queimadas
ImagemA Aeronáutica e a Defesa Civil de Petrópolis vão atuar juntas no combate aos incêndios florestais durante o período de estiagem de inverno. O acordo foi firmado em uma reunião na manhã desta quinta-feira (02.03) entre o secretário de Defesa Civil, Paulo Renato Vaz e o comandante doDestacamento de Controle do Espaço Aéreo do Pico do Couto (DTCEA-PCO), tenente Pedro Henrique Mazzoni. O secretário de Defesa Civil destaca a importância do combate às queimadas, lembrando que os incêndios fragilizam o solo.
“Os incêndios florestais são hoje uma preocupação em todo mundo porque interferem nas mudanças climáticas. Em Petrópolis o cuidado e a prevenção precisam ser redobrados por conta das características da cidade. Temos um grande número de moradias em encostas. As queimadas deixam o solo descoberto e exposto, o que potencializa os riscos de deslizamentos durante as chuvas de verão e pode causar perdas de vidas humanas”, destaca o coronel Paulo Renato Vaz.
Além do monitoramento das áreas de preservação da cidade, 12 militares estão disponíveis para atuação em campo. A Secretaria de Defesa Civil vai coordenar as ações durante o período.
“É fundamental aperfeiçoarmos a resposta em caso de emergências, com a identificação e mapeamento dos riscos e as vulnerabilidades de cada região de preservação, locais seguros para servirem de alojamento adequado em caso de grandes queimadas, além de recursos materiais e humanos necessários para o serviço de proteção”, disse o secretário de Defesa Civil, Paulo Renato Vaz.
O secretário destaca ainda que a Defesa Civil vai reunir o máximo de informações possíveis para a montagem desse plano. “Ganhamos muito com a ajuda da aeronáutica, principalmente no monitoramento das áreas de preservação”, afirmou.
O DTCEA-PCO vai disponibilizar ainda para a Defesa Civil informações mais completas do radar instalado no Pico do Couto, na Fazenda Inglesa. Recentemente, os militares ajustaram o radar para que o equipamento pudesse monitorar nuvens mais baixas, otimizando a previsão de chuvas.
“O tenente Mazzoni se colocou a disposição para ajudar a Defesa Civil de Petrópolis. Fiquei muito feliz com o encontro. Podemos ganhar muito com essa parceria”, afirmou Paulo Renato. “Essa união de esforços é fundamental na hora da resposta rápida. Petrópolis está cada vez mais preparada para enfrentar as ocorrências de grande porte”, disse.
O tenente Pedro Henrique Mazzoni lembrou que a parceria com a Defesa Civil fortalece as ações de apoio à população petropolitana. “O papel da Força Aérea Brasileira é servir o Brasil e o cidadão”, afirmou.
Em 2014, o fogo se espalhou por áreas nos distritos durante 12 dias e consumiu 5.150 hectares de vegetação nativa. Na ocasião áreas de nascentes foram consumidas pelo fogo, por exemplo, dentro do Parque Nacional da Serra dos Órgãos. “A preservação das nascentes também é uma das preocupações do plano de prevenção aos incêndios ambientais”, completou o secretário Paulo Renato Vaz.
A Defesa Civil alerta que provocar incêndio em mata ou floresta é crime ambiental, com previsão de pena de reclusão de dois a quatro anos, assim como causar incêndio expondo a vida, integridade física ou patrimônio de outro a perigo sujeita o infrator à reclusão de três a seis anos.

PORTAL CAVOK


FAB: Esquadrão Falcão realiza treinamento inédito no Brasil

Fernando Valduga
O Esquadrão Falcão (1º/8º GAV) realizou um treinamento de resgate em embarcação, com apoio da Marinha do Brasil, nos dias 22 e 23 de fevereiro de 2017, na Baía do Guajará, no Pará. Pela primeira vez foi utilizada a maca de resgate para realizar o içamento da vítima a partir de uma embarcação com uma aeronave H-36 Caracal no Brasil.

Esse método de resgate, conhecido como “convés”, permite que uma vítima, geralmente em estado grave, seja resgatada em uma embarcação, sendo içada através do guincho para o helicóptero. O acionamento ocorre quando existe uma vítima embarcada e sua condição necessita de tratamento urgente, tornando sua sobrevivência uma questão de tempo, pois o transporte pela aeronave é muito mais rápido do que por embarcações.

Com o uso da maca, há uma ampliação nas capacidades do esquadrão em resgatar as vítimas, diminuindo a possibilidade de sequelas. “A utilização da maca traz para o esquadrão a possibilidade de realizar uma abordagem voltada para o trauma sofrido pela vítima”, explica o Sargento Manoel Costa Soares, instrutor da equipe de resgate do 1º/8º GAV.

Segundo o Sargento Soares, até então eram utilizados o triângulo de resgate e a alça de içamento, métodos em que a vítima era suspensa presa pela cintura. Com a implantação desse método, um paciente que tenha sofrido fraturas, por exemplo, será resgatado sem que suas lesões se agravem.

Missões desse tipo exigem muito preparo e treinamento por parte da tripulação, pois a área de um convés costuma ter muitos obstáculos, além de ser pequena. Destaca-se também a complexidade, devido ao deslocamento da embarcação que faz com que o helicóptero tenha que acompanhá-la durante o procedimento. Para a tripulação, a sinergia encontrada através do preparo técnico e teórico garante a segurança da operação.

PORTAL PCI CONCURSOS


Aeronáutica anuncia três novos Processos Seletivos para Exame de Admissão

São oferecidas 86 vagas para o Cursos de Formação na Academia de Força Área
André Fortunato

O Departamento de Ensino da Aeronáutica anuncia a realização de três novos Processos Seletivos para o exame de admissão destinado a realização dos Cursos de Formação de Oficiais de Aviadores, de Infantaria e de Intendentes da Aeronáutica, para o ano de 2018 na Academia de Força Aérea de Pirassununga - AFA, no Estado de São Paulo.
Estes cursos de níveis superior tem a duração de 4 anos, e dispõe de 86 vagas ao total, assim sendo 33 do edital de nº 11/2017, 18 oportunidades no edital de nº 12/2017, apenas para o sexo masculino, e 35 vagas para o edital nº 13/2017.
Os que vierem a ser matriculados serão submetidos a um Estágio de Adaptação Militar de aproximadamente 40 dias. Vale ressaltar que editais de nº 11 e 13 são destinados para ambos os sexos.
Para realizar a inscrição, o interessado que deve estar disposto a atuar voluntariamente, irá preencher formulário no site www.ingresso.afaepcar.aer.mil.br a partir das 10h do dia 21 de março de 2017 até às 15h do dia 10 de abril de 2017. A taxa para esta seleção é de R$ 70,00 e deve ser efetuada por meio da Guia de Recolhimento da União.
Os inscritos serão avaliados por meio de prova escrita que tem data prevista para o dia 25 de junho de 2017, os candidatos convocados passarão por uma concentração intermediária que será dividida em duas datas previstas para os dias 4 e 11 de setembro de 2017, onde serão orientados a respeito da realização das outras etapas e além do menor de idade que deve receber a autorização de seu responsável legal. Após esta fase os candidatos serão submetidos a inspeção de saúde e o exame de aptidão psicológica que provavelmente ocorrerão entre os dias 5 e 22 de setembro de 2017, e também ao teste de avaliação do condicionamento físico que será nas datas previstas de 6 a 8 de novembro de 2017.
Por ultimo, os aprovados passarão pela concentração final, onde será realizada a validação documental e a habilitação da matrícula para o curso de formação, esta fase está prevista para ocorrer no dia 11 de janeiro de 2018. Já a data provável para a realização da matrícula é do dia 15 de janeiro de 2018.
A realização da prova escrita será nas cidades de Belém/PA, Recife/PE, Salvador/BA, Natal/RN, Rio de Janeiro/RJ, Belo Horizonte/MG, Barbacena/MG, São Paulo/SP, Curitiba/PR, Campo Grande/MS, Pirassununga/SP, Porto Alegre/RS, Brasília/DF, Manaus/AM, Porto Velho/RO e Boa Vista/RR. Já todas as fases ditas na Concentração intermediária, ocorrerão nas cidades de Belém/PA, Recife/PE, Rio de Janeiro/RJ, São Paulo/SP Canoas/RS, Brasília/DF e Manaus/AM. A ultima fase será na organização de Ensino da AFA em Pirassununga - SP.
No momento de matrícula, o aprovado passa à situação de Cadete da Aeronáutica, sendo que fará jus à remuneração fixada na legislação específica, além de alimentação, alojamento, fardamento, assistência médico-hospitalar e dentária, exclusivamente para si.

PORTAL AERO AGORA


Força Aérea dos Estados Unidos poderá comprar aviões da Embraer

Henrique Soares
BELO HORIZONTE - A Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) estuda a compra dos novos Embraer A-29 Super Tucano para missões leves. A escolha foi feita para reduzir custos em missões aéreas referentes às aeronaves usadas atualmente, como o Lockheed Martin F-16 Fighting Falcon ou Boeing F/A-18E/F Super Hornet.

A USAF enfrenta dois problemas: a falta de pilotos e os jatos cada vez mais velhos. A carência de pilotos militares começa a se configurar como uma crise. Os Generais da Força Aérea Americana querem uma solução que não exija grandes lances de tecnologia que já existam e que seja de fácil disponibilidade.

As forças armadas já realizaram experiências práticas com uma aeronave bimotora, como o North American OV-10G Bronco, sobrevoando por horas o rio Tigris no Iraque, acompanhando militares inimigos em canoas, antes de realizar ataques com mísseis guiados por laser.

A USAF estima que o custo horário de um A-29 seria de alguns milhares de dólares, de US$ 18.000 de um jato de ataque A-10. Outros custos horários: US$ 19.000 para o F-16, US$ 24.000 para o F-15E e US$ 62.000 para o F-22. Os exemplares turbo-hélices serão enviados para aliados no Afeganistão e também a outros aliados. A USAF usa o Beechcraft AT-6 Texan II, em que os militares já utilizam para treinamento de pilotos.

PORTAL TELESÍNTESE


Telebras vai terceirizar operação e manutenção de toda sua rede. E dos centros de operação do satélite

A audiência pública para debate dos termos de referência do edital de terceirização do backbone nacional da operadora estatal e dos centros de operação do satélite (rede terrestre) será realizada no dia 24 de março, em Brasília. No dia 21 será lançado o satélite brasileiro, o SGDC, da base de Kourou, na Guiana.
Lia Ribeiro Dias
Depois de abrir mão de controlar integralmente a comercialização do satélite brasileiro, o SGDC – 80% da parte civil de sua capacidade vai ficar com operadoras privadas –, a Telebras tomou outra decisão no sentido de ampliar sua parceria com a iniciativa privada. Vai terceirizar integralmente a operação e manutenção de todo o seu backbone nacional que dá suporte ao Programa Nacional de Banda Larga – PNBL para uma empresa ou consórcio de empresas.
E também vai colocar nas mãos da iniciativa privada a operação e manutenção do Centro de Operações do satélite em Brasília, o COPE-P, e do instalado no Rio de Janeiro, o COPE-S. No caso dos dois centros de operações, o edital esclarece que a terceirização vai cobrir “somente os equipamentos de infraestrutura e de rede terrestre”. Também farão parte deste contrato guarda-chuva os equipamentos de infraestrutura e da rede terrestre das estações de acesso (gateways) e dos terminais CMS do projeto SGDC.
De acordo com o Termo de Referência, disponível no site da empresa, a operação e manutenção da Rede Nacional de Telecomunicações inclui, ainda, todas as atividades necessárias para a operação e manutenção preventiva, preditiva e corretiva da rede terrestre da Telebras, a manutenção de equipamentos de telecomunicações, de toda a parte de infraestrutura (torres, postes, contêiners, dutos, subdutos), sistemas de energia e sistemas de rede, incluindo aí as redes ópticas, os radioenlaces, as redes de acesso metropolitanas, as redes IP, a gerência de rede e o suporte técnico em todos os níveis.
O prazo do contrato é de 36 meses, podendo se prorrogado até o total de 60 meses. As dúvidas relativas ao Termo de Referência podem ser esclarecidas por e-mail e a audiência pública do referido edital está marcada para o dia 24 de março, a partir das 9 e 30, na sede da empresa, em Brasília (SIG – Quadra 04 – Bl. A – Salas 201 a 224 – Edifício Capital Financial Center – Brasília – DF. Telefone: 61-2027.1205).



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos







Publicidade






Recently Added

Recently Commented