|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 28/01/2017 / Argentina planeja importar ao menos 15 caças russos MiG-29


Argentina planeja importar ao menos 15 caças russos MiG-29 ...  


A Argentina se juntou aos 25 países que já possuem aviões MiG-29 russos, caças ligeiros de 4ª geração destinados a missões de defesa antiaérea, domínio aéreo e destruição de alvos tanto aéreos como terrestres.

As autoridades argentinas estão dispostas a comprar pelo menos 15 aviões de combate MiG-29 russos, já tendo sido enviadas as respectivas propostas comerciais, afirmou o vice-chefe da Agência Federal para a Cooperação Técnico-Militar russa, Anatoly Punchuk, nesta sexta-feira (27), durante a apresentação internacional do caça MiG-35 russo na cidade de Lukhovitsy.

"A Argentina nos enviou propostas comerciais quanto à compra de pelo menos 15 caças MiG-29 russos e estamos preparando a resposta", afirmou Punckuk.

Porém, o alto responsável da Agência Federal para a Cooperação Técnico-Militar não especificou de que modelo do MiG-29 se trata.

Punchuk também adiantou que os produtores russos participam da licitação organizada pelas autoridades colombianas para a compra de caças, propondo seu modelo MiG-29. Além disso, o responsável afirmou que o Peru também pode vir a importar aviões de combate russos para sua Força Aérea.

Punchuk assinalou que o Peru já possui caças de fabricação russa e "considera comprar mais um lote se baseando na experiência de exploração destes aviões".

O MiG-29 é o avião de combate de 4ª geração destinado à eliminação de todos os alvos aéreos através de mísseis guiados e fogo de canhão em todas as condições meteorológicas, no espaço aéreo e próximo da superfície terrestre, inclusive em situações com interferências, podendo ainda eliminar alvos terrestres por meio de projéteis não guiados.

Atualmente, para além das Forças Armadas da Rússia, mais de 25 países possuem aparelhos MIG-29 em operação.



Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Exército entra em presídio de RR onde 33 morreram para garantir revista


Soldados da 1ª Brigada de infantaria de Selva, do Exército, entraram nesta sexta-feira (27) na Pamc (Penitenciária Agrícola de Monte Cristo), na zona rural de Boa Vista (RR), para fazer uma varredura no local em que 33 detentos morreram em rebelião no início do mês.
O Exército está dando suporte a homens da Polícia Militar e da Secretaria de Justiça e Cidadania durante a revista. Com o agravamento da crise no sistema prisional, o presidente Michel Temer reconheceu que a situação ganhou "contornos nacionais" e liberou as Forças Armadas para atuarem dentro das prisões brasileiras.
Na ação desta sexta, estão sendo empregados detectores de metais de chão e de parede para auxiliar nos serviços. Em dezembro de 2015 foi realizada uma operação desse tipo na Pamc.
Os presos estão sendo retirados das celas e a operação deve se estender por todo o dia, até que todas as alas sejam vistoriadas. No domingo (22), detentos voltaram a fazer tumulto iniciaram um tumulto após uma revista ter sido iniciada nas celas de um das alas.
A agitação aconteceu um pouco mais de duas semanas após um massacre que matou 33 presos na unidade prisional, causado por briga de facções.
MASSACRE
Trinta e três presos foram mortos no dia 6 de janeiro na Pamc (Penitenciária Agrícola de Monte Cristo), a maior penitenciária de Roraima, durante uma briga de facções. O caso envolveu presos ligados ao Comando Vermelho e ao PCC (Primeiro Comando da Capital), facção mais numerosa na penitenciária, após alguns deles quebrarem cadeados e invadirem a ala onde ficavam homens de menor periculosidade.
A maior parte das vítimas foi decapitada. Segundo a Sejuc, havia 1.475 presos na unidade quando o massacre aconteceu – a capacidade é para 750 detentos.
Foi o terceiro pior massacre já ocorrido dentro de uma unidade prisional na história do país e aconteceu quatro dias depois de 56 presos serem mortos no Compaj (Complexo Penitenciário Anísio Jobim), em Manaus. O pior deles foi em 1992, quando uma ação policial terminou com 111 presos mortos no caso que ficou internacionalmente conhecido como massacre do Carandiru, em São Paulo.

Vereador de BH é preso após pousar de helicóptero em praia do ES


Carlos Eduardo Cherem

Imagem
Helicóptero alugado pelo vereador Bim da Ambulância desce em praia de Guarapari (ES)
O vereador de Belo Horizonte Rubens Gonçalves de Brito (PSDB), o Bim da Ambulância, foi preIImagemmagemsImagemo após pousar de helicóptero na praia da Bacutia, em Guarapari (ES), na manhã desta sexta-feira (27).
O vereador vai responder pelos crimes de "expor a vida ou a saúde de outrem a perigo" (artigo 132 do Código Penal) e "expor a perigo embarcação ou aeronave, própria ou alheia" (artigo 261), de acordo com o delegado Marcos Luiz Nery, responsável pela ocorrência na Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio e de Infrações de Guarapari.
Se condenado, Bim da Ambulância pode pegar de três a seis anos e meio de prisão.
Além de Bim e do piloto, estava na aeronave um outro passageiro. Pouco depois da descida, alguns banhistas acionaram a Polícia Militar, que deu voz de prisão ao vereador.
"Recebemos a denúncia que tinha um helicóptero pousando na praia. Entramos em contato com um militar responsável pela ocorrência e fomos ao local. Realmente tinha a aeronave. Constatamos que expôs a saúde das pessoas que estavam ali a perigo de vida e também expôs a própria aeronave", explicou Nery.
Segundo o delegado, a ocorrência será enviada a um juiz federal, que será responsável pela liberdade provisória ou a manutenção da prisão do parlamentar.
Alugada, a aeronave foi apreendida e levada para o aeroporto de Guarapari. De acordo com o delegado, a hora de voo do helicóptero custa, em média, cerca de R$ 3 mil.
O UOL não conseguiu localizar o advogado do vereador. As chamadas para o telefone do gabinete de Bim da Ambulância na Câmara de Belo Horizonte na noite desta sexta-feira (27) não foram atendidas.

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


Forças Armadas iniciam varredura na Penitenciária de Monte Cristo, em RR

Presídio foi palco de massacre no dia 6; outros quatro Estados pediram ajuda ao governo federal para vistoria em celas: AM, MS, RO e RN

Tânia Monteiro

BRASÍLIA - As Forças Armadas iniciaram na manhã desta sexta-feira, 27, na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, em Boa Vista, o trabalho de varredura nas celas e na área administrativa do presídio. Conforme antecipou o Broadcast - serviço de informação em tempo real da Agência Estado -, Roraima é o primeiro Estado a receber as tropas das Forças Armadas. A penitenciária foi palco de um massacre de mais de 30 presos no dia 6.
O trabalho principal dos militares será de uso de detectores de metais nas celas e na área administrativa. Equipamentos mais sofisticados empregados na Olimpíada e na Copa do Mundo também serão usados agora, incluindo os que detectam armas dentro de paredes e enterradas no chão. O trabalho das Forças Armadas nos presídios terá como base as operações deste tipo feitas pelo Exército primeiro no Recife, em março de 2015, quando equipamentos foram usados para rastrear bombas, minas terrestres e metais, no Presídio Frei Damião de Bozzano, que faz parte do Complexo do Curado, na zona oeste da capital pernambucana.
O Exército fará uma ação eminentemente técnica, sem contato com os presos. A ideia é de que o trabalho seja feito ao longo do dia e, além do pessoal que faz a varredura, tenha o efetivo que protege os militares, para que não haja nenhuma surpresa. O trabalho é todo feito em conjunto com forças locais do sistema carcerário e da Polícia Militar.
Além de Roraima, outros quatro Estados pediram ajuda ao governo federal para ajudar na varredura das celas e instalações: Amazonas, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Rio Grande do Norte.

PORTAL G-1


Temer determina ajuda ao Chile após incêndios e presta solidariedade às vítimas

Presidente publicou informação no Twitter e disse acompanha situação no país com "grande preocupação"; Chile decretou estado de emergência após seis mortes causadas pelos incêndios.

Por G1, Brasília

O presidente Michel Temer informou na noite nesta quinta-feira (26), em mensagem publicada no Twitter, ter determinado às autoridades brasileiras que ajudem o governo do Chile em razão dos incêndios florestais que têm atingido o país nos últimos dias, considerados os piores da história.
Mais cedo, a presidente chilena, Michelle Bachelet, decretou estado de emergência e pediu ajuda a outros países. Ao todo, seis pessoas (dois policiais e quatro bombeiros) morreram e 12 ficaram feridas. Segundo a GloboNews, os incêndios atingem cidades das regiões central e sul do país há mais de dez dias.
"Determinei às autoridades competentes que o governo brasileiro preste toda a ajuda possível", escreveu o presidente na rede social.
Temer ainda acrescentou que o Brasil se solidariza com as vítimas, com as famílias dos que morreram e com o povo chileno. "Acompanho com grande preocupação os incêndios no Chile", completou (veja mais detalhes sobre os incêncios no vídeo abaixo).
O G1 entrou em contato com o Ministério das Relações Exteriores para saber como será a ajuda brasileira, mas ainda não havia obtido resposta até a última atualização desta reportagem.
Segundo a agência EFE, pelo menos mil imóveis foram arrasados pelo fogo entre a noite de quarta (25) e a madrugada desta quinta (26) na cidade de Santa Olga, na região de Maule, uma das mais atingidas pelos incêndios florestais.
Ainda de acordo com a agência internacional, relatórios iniciais das autoridades locais indicam que entre 6 mil e 7 mil pessoas perderam as casas onde moravam.
Segundo a GloboNews, quartéis da polícia, dos bombeiros, escolas, um centro de atendimento médico e instalações industriais também foram atingidos pelos incêndios. Ao todo, 190 mil hectares foram destruídos.

Ministro da Defesa vai receber Forças Armadas da Colômbia para discutir tráfico de armas e drogas

"Há um temor, justificado ou não, que uma parte desse arsenal possa migrar", apontou Raul Jugmann. Ministro falou sobre varredura em Roraima e pedido de outros estados.

Thays Estarque, G1 Pe

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, vai se encontrar com as Forças Armadas da Colômbia para tratar da questão de segurança da fronteira, além de tráfico de armas e drogas. O anúncio foi feito durante coletiva nesta sexta-feira (27), no Recife, em que Jungamann também afirmou que quatro estados solicitaram varreduras, semelhantes as que estão sendo feitas em Roraima.
"A Colômbia vive hoje um processo de paz. Existe alguns dissidentes que não estão dispostos a entrar nesse processo de paz. Há um temor, justificado ou não, que uma parte desse arsenal [das guerrilhas] possa migrar para as nossas áreas. Só no Rio de Janeiro, Beltrame antes de sair comentou conosco que estavam apreendendo, em média, 1,5 fuzil por dia", apontou o ministro.
O encontro acontece em Manaus, na terça-feira (31). " Vamos tratar de armas, de drogas, de cooperação e de inteligência. Não se faz combate ao crime sem inteligência", destacou.
Descrito como "estratégico", o encontro reunirá os comandantes das Forças Armadas da Colômbia, o vice-ministro do país vizinho, além de um representante da polícia colombiana. A intenção é estabelecer uma série de protocolos de cooperação para impedir a entrada de armas e drogas na fronteira brasileira.
Varredura
Uma varredura é feita com apoio das Forças Armadas na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, em Boa Vista, nesta sexta (27). No início do mês, 33 detentos foram assassinados dentro da unidade por presos de uma facção criminosa.
"Estamos fazendo uma varredura de armas, munições, explosivos, drogas e o que mais tiver que possa potencializar e multiplicar uma tragédia como a que vimos. Esses são vetores que potencializam a selvageria. Não podemos deixar que ocorra novamente", explicou o ministro.
No momento, 335 militares e 15 cães realizam esse pente fino na unidade prisional de Roraima. Em 33 equipes, eles vasculham celas, áreas comuns, telhados e túneis por meio de um equipamento de Raio-X. "Ninguém que está fazendo a verredura é de Boa Vista ou de Roraima para evitar contaminação. A operação está sendo monitorada pelo Ministério Público Militar", afirmou.
Mesmo ao pontuar que a segurança do sistema carcerário é de responsabilidade de cada estado, Jungmann adiantou que, além de Roraima, Amazonas, Rio Grande do Norte e Mato Grosso do Sul solicitaram a intervenção militar nos seus presídios.
"A polícia de Roraima entrou antes e encaminhou os detentos para um pátio. Vamos fazer a varredura em todas as alas da Monte Cristo. Isso só foi possível porque tivemos certeza que não haveria contato dos militares com os presos. Só entraremos em Alcaçuz, por exemplo, se estiver seguro, se estiver confirmado que não haverá risco. Um choque entre militares e presos significa risco para aqueles que realizam a operação", completou o ministro.

PORTAL SPUTNIK BRASIL


Argentina planeja importar ao menos 15 caças russos MiG-29


A Argentina se juntou aos 25 países que já possuem aviões MiG-29 russos, caças ligeiros de 4ª geração destinados a missões de defesa antiaérea, domínio aéreo e destruição de alvos tanto aéreos como terrestres.
As autoridades argentinas estão dispostas a comprar pelo menos 15 aviões de combate MiG-29 russos, já tendo sido enviadas as respectivas propostas comerciais, afirmou o vice-chefe da Agência Federal para a Cooperação Técnico-Militar russa, Anatoly Punchuk, nesta sexta-feira (27), durante a apresentação internacional do caça MiG-35 russo na cidade de Lukhovitsy.
"A Argentina nos enviou propostas comerciais quanto à compra de pelo menos 15 caças MiG-29 russos e estamos preparando a resposta", afirmou Punckuk.
Porém, o alto responsável da Agência Federal para a Cooperação Técnico-Militar não especificou de que modelo do MiG-29 se trata.
Punchuk também adiantou que os produtores russos participam da licitação organizada pelas autoridades colombianas para a compra de caças, propondo seu modelo MiG-29. Além disso, o responsável afirmou que o Peru também pode vir a importar aviões de combate russos para sua Força Aérea.
Punchuk assinalou que o Peru já possui caças de fabricação russa e "considera comprar mais um lote se baseando na experiência de exploração destes aviões".
O MiG-29 é o avião de combate de 4ª geração destinado à eliminação de todos os alvos aéreos através de mísseis guiados e fogo de canhão em todas as condições meteorológicas, no espaço aéreo e próximo da superfície terrestre, inclusive em situações com interferências, podendo ainda eliminar alvos terrestres por meio de projéteis não guiados.
Atualmente, para além das Forças Armadas da Rússia, mais de 25 países possuem aparelhos MIG-29 em operação.

JORNAL A CRÍTICA (AM)


Entidades e fóruns amazônicos criticam proposta de fechar fronteiras da Amazônia

O fechamento das fronteiras teria como objetivo impedir a entrada de drogas e armas no Brasil para enfraquecer facções criminosas que atuam nos presídios brasileiros

Antônio Paulo - Brasília (df)

Entidades e fóruns amazônicos, como o Núcleo de Cultura Política do Amazonas (NCPAM), da Universidade Federal do Amazonas, e a Associação PanAmazônia, estão criticando duramente a proposta dos governadores da Amazônia e da Região Centro-Oeste de “fechamento das fronteiras” com os países vizinhos; aumentar o rigor na fiscalização, por parte das Forças Armadas, a fim de impedir a entrada de drogas, armas e minar o abastecimento do tráfico, enfraquecendo as facções criminosas nos presídios brasileiros. Essas instituições dizem que a sugestão nada mais é do que a ‘criminalização’ e ‘militarização’ das fronteiras. Elas apontam o caminho da cooperação entre os países como receita para estancar os atos ilícitos na região.
“De toda esta carnificina ocorrida no sistema penitenciário do Amazonas, Roraima e por todo o Brasil, uma lição pode ser tirada quanto à ignorância dos agentes públicos que de forma arrogante não buscam estreitar nenhuma relação com as academias. Veja, por exemplo, o Governo do Amazonas, em algum momento solicitou da UEA (Universidade Estadual do Amazonas) estudo específico sobre a questão do crime organizado, na possibilidade de orientar as políticas públicas, o desenvolvimento regional, considerando, sobretudo, a potencialidade das fronteiras física e humana marcada pela diversidade etnocultural e ambiental da nossa Amazônia”, critica o professor e antropólogo Ademir Ramos, coordenador do Núcleo de Cultura Política do Amazonas (NCPAM/Ufam).
Na opinião dele, as ações de contenção na crise dos presídios foram feitas “no chute” à revelia dos municípios, das representações populares, indígenas, empresariais, não merecendo respeito dos seus pares e muito menos do governo central. “Comprova-se com isto um divórcio entre os governantes, as universidades e os institutos de pesquisa de forma pensada, contribuindo diretamente para o custo da ignorância a provocar o crime, o retrabalho e o descrédito da política e de suas representações”, completa o coordenador do NCPAM.
Cooperação
Para o presidente da organização não-governamental Associação PanAmazônia, Belisário Arce, a grande maioria dos problemas amazônicos só terá solução por meio de um tratamento pan-amazônico, com a cooperação entre todos os países que compartilham a região. “Fechamento de fronteiras é uma tolice. As fronteiras amazônicas são totalmente permeáveis. Podemos até conseguir fechar a fronteira para o que é lícito, mas o ilícito sempre encontra um caminho alternativo”, afirma Arce. Na opinião do presidente da PanAmazônia, esse é o drama das fronteiras amazônicas: elas são “impermeáveis” para a cooperação pan-amazônica (não há intercâmbio comercial, científico, tecnológico, cultural), mas são 100% permeáveis para o que é ilícito.
Solução
Para Belisário Arce, da PanAmazônia, a solução não virá das capitais nacionais. “Uma tragédia para o desenvolvimento regional da grande Amazônia. Nós, amazônidas, é que temos de ter a determinação de fazer acontecer”.
Calha Norte
Para caracterizar a ‘militarização’ das fronteiras, o coordenador do NCPAM/Ufam, Ademir Ramos, cita o programa Calha Norte, criado no período da ditadura militar, na lógica da integração regional. O programa foi criado para intensificar a presença do Estado na região ao norte dos rios Solimões e Amazonas, promovendo a ocupação ordenada da Amazônia Setentrional, área marcada pela cobiça de traficantes, grileiros e madeireiros. Para o professor e antropólogo, se o governo federal quer realmente investir no combate ao narcotráfico deve repensar o Calha Norte como verdadeira frente avançada das forças da sociedade industrial e urbana.
Blog: José Melo, governador do Amazonas
“Na reunião dos governadores das Regiões Norte e Centro-Oeste com o presidente Michel Temer, na semana passada, o Amazonas deu a ideia de fechar as fronteiras. Nessas regiões fronteiriças, que vão do Amazonas ao Mato Grosso, estão os países que produzem 93% da cocaína consumida no mundo. Sugerimos ainda a aplicação da Lei Complementar 97/99 que dá poder de polícia às Forças Armadas, mas não aponta os recursos para atuação. É preciso que haja a liberação de recursos financeiros para a compra de equipamentos a fim de que o Exército, a Marinha e Aeronáutica possam executar esse trabalho importante e evite que as drogas saiam do Peru, Colômbia, Bolívia e Paraguai. Foi nossa também a ideia da integração: as inteligências têm de ser integradas. Outra sugestão que a gente ainda está escrevendo é para a Amazônia toda. O presidente lançará o Plano Nacional de Desenvolvimento Sustentável, que vai dar aos empresários, com recursos do BNDES e Banco Mundial, recursos para investir no Amazonas”.
Reunião de ministros da Amazônia
O governo federal começa a intensificar ações de fiscalização e segurança nas fronteiras, juntamente com as medidas de apoio ao sistema prisional dos estados. Ao visitar o Município de Tabatinga (a 1.105 quilômetros e Manaus), no Amazonas, na última quarta-feira (18), o ministro da Defesa, Raul Jungmann, anunciou uma série de encontros e reuniões com os ministros de Defesa de países vizinhos. A primeira delas ocorrerá no dia 31 de janeiro, com o ministro da Colômbia, para tratar da segurança nas fronteiras.
O comandante do 8º Batalhão de Infantaria de Selva (BIS), em Tabatinga, coronel Júlio César Belaguarda Nagy de Oliveira, contou que, no início de dezembro, guarnições abordaram duas lanchas e, no confronto com uma delas, um traficante colombiano foi ferido e morreu. No interrogatório, os militares souberam que, dias antes, transportaram um carregamento de cocaína.
Na virada do ano, os militares apreenderam quase uma tonelada de “skank” – maconha mais sofisticada – e armamentos no rio Juruá, perto do 3º Pelotão Especial de Fronteiras (PEF), na localidade de Vila Bittencourt.
Jungmann também foi a Dourados (MS), para acompanhar a operação do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron), considerado o maior sistema desenvolvido no mundo.
OTCA não se manifesta
Durante dois dias, a reportagem de A CRÍTICA procurou a coordenação da OTCA, com sede em Brasília, para se posicionar sobre a proposta dos governadores das Regiões Norte e Centro-Oeste sobre o “fechamento das fronteiras”, mas não obteve resposta. A OTCA, formada por Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela, foi criada em 1978. De lá pra cá, as iniciativas para integração se multiplicaram, entre elas, o Mercosul, de 1991, e, em 2008, a União de Nações Sul-Americanas (Unasul), formada por 12 países.
Fracassam políticas integradas na região
Ao criticar a proposta de “fechamento das fronteiras” e propor a cooperação entre os países amazônicos, o presidente da Associação PanAmazônia traz elementos e experiências de sua atuação quando foi chefe de gabinete da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), em Brasília. “Acompanhei muitas agendas com propostas para políticas integradas entre os países amazônicos em diversas áreas, tais como saúde, educação, etc. Infelizmente, nada prosperou. A diplomacia multilateral não funciona”, diz Belisário Arce.
Ele conta que em 2006, a OTCA promoveu reunião de Ministros de Defesa dos países amazônicos. Na ocasião, a secretária-geral da OTCA, Rosalía Arteaga, propôs uma agenda de cooperação pan-amazônica para combate ao narcotráfico “e o governo do Brasil disse que o tema não era prioritário”. A Organização do Tratado de Cooperação Amazônica não tem em seus programas e protocolos a questão da segurança das fronteiras, por exemplo. Os acordos multilaterais entre os oito países da Amazônia tratam de monitoramento da fauna e flora, recursos hídricos, cobertura florestal e povos indígenas.
Em novembro de 2010, uma reunião dos países-membros da América do Sul, realizada no Brasil, chegou a discutir um plano de segurança de fronteiras para combater o crime organizado na região. O objetivo era fazer ações conjuntas e desenvolver a cooperação entre 12 países da Unasul, como intercâmbio de inteligência, divisão de pessoas e mapeamento do crime organizado na região de fronteira.
Em 2014, em Cartagena, Colômbia, a entidade implementou a Escola de Defesa Sul-americana (Esude) onde os países da Unasul deram aval para a criação de um Centro de Estudos Estratégicos de Defesa (CEED) para a formação de defesa civil e militar e da segurança regional. Foi estabelecida como um instrumento de intercâmbio entre especialistas e profissionais da região que devem promover o diálogo sobre o conhecimento teórico e prático na defesa e fornecer a reflexão de questões estratégicas e militares.

JORNAL TRIBUNA DO NORTE (RN)


Conferência do Potengi será celebrada com encenação na Rampa


Heitor Gregorio

ImagemA Fundação Rampa e o Aeroclube do Rio Grande do Norte realizam, no sábado (28), na Rampa, a partir das 9 horas, a encenação histórica da Conferência do Potengi, que retrata o encontro dos presidentes brasileiro Getúlio Vargas e americano Franklin Delano Roosevelt, ocorrido em Natal, no dia 28 de janeiro de 1943, durante a Segunda Guerra Mundial.
A encenação está em sua nona edição, celebrando 74 anos da conferência original, e serve como resgate da história da segunda guerra em Natal, bem como chamar a atenção da sociedade para a recuperação do prédio histórico da Rampa, em Santos Reis. Como em todos os anos, os organizadores pretendem fazer um comboio de veículos antigos e viaturas militares, que percorrerão as ruas da capital.
Nesta edição, os participantes seguirão da Rampa – vizinho ao comando do 3º Distrito Naval, em Santos Reis – até a praia de Ponta Negra, passando pelo Centro, Alecrim, Avenida Bernardo Vieira, BR-101 e Avenida Engenheiro Roberto Freire, retornando para o encerramento na sede do Aeroclube, na Avenida Hermes da Fonseca.
No Aeroclube, a partir das 10 horas, o comboio histórico será recepcionado com apresentação da banda de música da Ala 10 – antiga Base Aérea de Natal (BANT) – e a exposição de fotos antigas de Natal, artigos militares e históricos. Esta exposição ficará aberta até as 17 horas, com entrada gratuita.
O evento conta com a parceria da Prefeitura do Natal, por meio da Secretaria Municipal de Turismo (Seturd), da Associação dos Oficiais da Reserva do Exército (Aore), da Secretaria de Estado do Turismo (Setur/RN), da 7ª Brigada de Infantaria do Exército Brasileiro, da Ala 10 da Força Aérea Brasileira (FAB) e da Cruz Vermelha do Rio Grande do Norte.

OUTRAS MÍDIAS


REIVSTA AERO MAGAZINE


Caça russo de última geração faz seu primeiro voo

Presidente Vladimir Putin assistiu à demonstração inaugural do exemplar de prova do MiG-35 por videoconferência
Por Edmundo Ubiratan
O presidente russo, Vladmir Putin, assistiu por videoconferência ao primeiro voo de prova do novo MiG-35. A plataforma de combate baseada no MiG-29M/K deverá contar com capacidade de combate ar-ar, ar-terra e ar-mar, dentro da filosofia atual de multiemprego.
ImagemEmbora seja uma evolução dos veteranos MiG-29, considerados aeronaves de elevado custo operacional, o novo caça mantém a ampla capacidade de emprego do irmão mais velho, incluindo a grande manobrabilidade e a capacidade de operar em pistas pouco preparadas.
Durante a conferência, o presidente Putin saudou os engenheiros russos e mostrou confiança no potencial de exportação do MiG-35, que poderá substituir grande parte da frota mundial de MiG-29, usado em mais de 30 países.
“Tenho confiança que nossos exércitos serão amplamente reforçados por essa aeronave, que possui também um grande potencial de exportação” afirmou Putin.
A expectativa inicial era iniciar a produção em série do MiG-35 em meados do próximo ano, mas alguns atrasos levaram a fabricante russa UAC (United Aircraft Corporation) a postergar o início das entregas para 2019.
O MiG-35 foi projetado para atuar em conflitos de grande intensidade, especialmente em territórios com forte defesa antiaérea. O avião recebeu oito pontos duros de armas, podendo incorporar praticamente a totalidade do arsenal disponível na força aérea russa, inclusive no futuro poderá ser equipado com armas laser, ainda em desenvolvimento.
O MiG-35 deverá ser o último caça da chamada geração 4++, que inclui os Saab Gripen E/F, Dassault Rafale, Eurofighter Typhoon, Boeing F/A-18 E/F e Sukhoi Su-35.

CAPITAL TERESINA (PI)


Piauí recebe 40 cubanos do Mais Médicos

O estado conta com 334 médicos do programa, desses, 243 são cubanos.
Chegam ao Piauí neste sábado (28), 40 novo profissionais do Programa Mais Médicos .Eles partem de Brasília em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), a chegada está prevista para o final da tarde. Após pousarem em solo piauiense, os médicos serão conduzidos para atuarem em 30 municípios.
Este é mais um grupo a chegar ao estado para substituir 130 médicos que concluíram o ciclo de três anos no programa em 2016. Em dezembro, chegaram 51 e outros 39 chegarão no início de fevereiro.
"O Mais Médicos vem tendo grande aceitabilidade no Piauí, tanto por parte dos gestores quanto por parte da população, como já era previsto num estado onde existe muita dificuldade de fixar médicos nos municípios. E nessa mudança de gestores municipais, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) tem registrado uma procura enorme pela adesão ao programa”, diz a coordenadora do Mais Médicos no Piauí, Idivani Braga.
Ela explica que atualmente não existe a possibilidade de novas adesões ao Mais Médicos, porque a Sesapi está trabalhando com reposição de vagas. Mas, segundo Idivani, o secretário de Gestão do Ministério da Saúde, Rogério Abdala, acenou com a possibilidade de abrir um edital de expansão de vagas para o Piauí. “Mas ainda não temos a previsão de quando será lançado esse edital”, completa Braga..
Chegando ao município, os 40 médicos ingressam, imediatamente, na equipe e iniciam o trabalho. O Piauí conta com 334 médicos do programa, desses, 243 são cubanos que trabalham em 130 municípios, distribuídos nos 11 territórios de saúde.
Os médicos que chegam no sábado (28), irão atender nos municípios de Ribeiro Gonçalves, Amarante, Avelino Lopes, Caldeirão Grande do Piauí, Cocal, Corrente, Cristalândia, Gilbués, Guaribas, João Costa, Luis Correia, Matias Olímpio, Pimenteiras, Prata do Piauí, Regeneração, Santa Filomena, São Francisco de Assis, São João do Arraial, São Julião, São Raimundo Nonato, Vila Nova do Piauí, Jaicós, Miguel Alves, Parnaguá, Parnaíba, Picos, Pio IX, São João do Piauí, Sigefredo Pacheco e Buriti dos Lopes.

24 HORAS NEWS ( MT)


Polícia registra segundo caso de tentativa de roubo de avião no Aeroporto de Poconé em 27 dias

Nos dois casos, os bandidos chegaram arrastar o avião para a pista, mas fugiram sem concretizar o roubo e o furto
ENCOMENDAS ABANDONADAS - Em 27 dias deste mês, bandidos ainda desconhecidos tentaram roubar e furtar dois pequenos aviões de dentro do Aeroporto Municipal de Poconé (Baixada Cuiabana, a 100 quilômetros da Capital). Nos dois casos os bandidos desistiram de suas empreitadas. A Polícia suspeita que as aeronaves tenham sido “encomendadas” para serem usadas no tráfico internacional de drogas.
Na madrugada desta sexta-feira, 27, bandidos ainda desconhecidos tentaram furtar uma aeronave do mesmo aeroporto. O avião, um monomotor, de proprie4dade de um empresário da região, chegou a ser arrastado de dentro do hangar até a pista.
Os bandidos, no entanto, segundo constatou a Polícia, desistiram, deixando a aeronave no meio da pista, e ao lado um galão de combustível com mais de 300 litros de gasolina. A Polícia desconhece os motivos da desistência do furto.
A primeira tentativa de roubo de um avião no Aeroporto de Poconé aconteceu no início deste mês de janeiro. Um bando de criminosos armado rendeu o único segurança que estava no local, de da mesma maneira do que aconteceu nesta madrugada, também desistiram do roubo.
Armados, os bandidos renderam o segurança. Arrastaram a aeronave para o meio da pista, mas acabaram fugindo do local sem roubar o avião. Nos dois casos, a Polícia trabalha com hipótese que as duas aeronaves não se enquadravam com as “encomendas” feitas pelos traficantes.
A Polícia também suspeita que os bandidos contratados para roubar e furtar os aviões, desistiram porque o piloto não apareceu no local para decolar a aeronave, que seriam levadas direto para a Bolívia. A Polícia Civil está investigando os dois casos.

PORTAL A TARDE (BA)


Operação de drones exige licenças da Anac, Anatel e Decea

Os drones tomaram conta do céu das cidades do mundo inteiro e não é diferente aqui em Salvador. E é no verão e, principalmente no Carnaval, que o número de aparelhos no ar aumenta. Usados principalmente para captar imagens aéreas é preciso muito cuidado com eles.
O que pouca gente sabe é que, para operar o aparelho, são necessárias licenças nas agências nacionais de Aviação Civil (Anac) e de Telecomunicações (Anatel), e cada voo tem que ser autorizado pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo da Aeronáutica (Decea).
Com a concentração de pessoas durante o Carnaval, o risco de acidentes com drones aumenta. A infração das regras para a utilização do aparelho pode configurar crime, e a fiscalização é de responsabilidade da Polícia Militar.
Segundo o comandante do Graer, tenente-coronel Carlos Renato Lima, no dia 15 de janeiro de 2015, os policiais estavam sobrevoando a Festa do Bonfim e observaram um drone próximo ao helicóptero. “Isso foi um risco real e, desde então, nós decidimos fazer este trabalho de conscientização. Havendo voos clandestinos ou ilegais, prejudicando a segurança da população, entra a Polícia Militar”, disse o tenente-coronel, durante uma palestra promovida pelo Grupamento Aéreo da Polícia Militar (Graer), nesta sexta-feira, 27.
De acordo com o comandante do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta III), major Wagner Baroni, os aparelhos leves e que não voem a grandes alturas podem obter a autorização da Cedea em até 45 minutos. “Se for para uso recreativo, será tratada como aeromodelismo e fica subordinada à portaria 207 da Anac. Se for para uso comercial, estará subordinada a regras diferenciadas. Os operadores precisam ter as autorizações e obedecer regras, como manter 30 metros de distância de carros, pessoas e construções, e não invadir espaço reservado para navegação aérea e para serviços de emergência”, explicou.
O fiscal da Anatel, Gilmar Ferreira, destacou que os drones geralmente usam uma frequência que não exige licença. “Mas é necessária a certificação da Anatel de que eles estão utilizando essas faixas, para não haver descontrole e para que não invadam outras frequências utilizadas para a comunicação, provocando interferências”.
O empresário Márcio Santos que utiliza drones para captação de imagens aéreas reconhece a importância da regulamentação, “esse avanço na legislação foi muito bom. Eu sou um dos pioneiros no trabalho de captação de imagens com drones e tive mais dificuldade, levei um ano para homologar a aeronave e a frequência que uso na Anatel. Hoje, isso é resolvido em até 15 dias”.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented