|

ANAC divulga relatório do setor aéreo durante os Jogos Olímpicos


ANAC divulga relatório do setor aéreo durante os Jogos Olímpicos ...  


Brasília, janeiro de 2017 – A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) publica o Relatório de Transporte Aéreo nos Jogos Olímpicos Rio 2016. O documento traz dados sobre o comportamento do mercado doméstico e internacional entre os dias 3 a 23 de agosto de 2016 e oferece também comparações com o período equivalente de 2015, com os 12 meses imediatamente anteriores e com outros grandes eventos no país.

A demanda (em passageiros-quilômetros pagos transportados – RPK) por transporte aéreo doméstico e internacional em voos com origem ou destino nos dois maiores aeroportos da cidade do Rio de Janeiro, sede dos Jogos, apresentou alta de 23,2% durante o evento, em comparação com mesmo período de 2015. Já a oferta (em assentos-quilômetros oferecidos – ASK) registrou alta de 13,9%. Estes mesmos indicadores acumularam retração de 2,2% e 5,7%, respectivamente, nos doze meses que precederam o evento, quando comparados com os mesmos meses do ano anterior.

Se considerados também os voos com origem e destino em outros aeroportos brasileiros, demanda e oferta apresentaram redução de 2,5% e 4,8% durante o evento, respectivamente. O resultado da demanda foi, portanto, mais favorável do que o verificado no acumulado dos doze meses imediatamente anteriores, cuja variação foi negativa de 3,6%.

A empresa aérea Gol registrou a maior participação na demanda por transporte aéreo doméstico no período das Olimpíadas (50,1% em RPK), enquanto a francesa Air France foi líder em demanda no mercado internacional (10,1%), seguida pela brasileira Latam (10%), considerando voos com origem ou destino na cidade do Rio de Janeiro.

A taxa de aproveitamento dos assentos das aeronaves, representada pela relação RPK/ASK, foi de 83% no período do evento, em voos domésticos e internacionais com origem ou destino na cidade-sede, o que representou alta de 8,7% em relação ao período equivalente de 2015. O aproveitamento foi de 81,1% no mercado doméstico, com aumento de 9,2%, e de 84,1% no internacional, com acréscimo de 8,1%. A empresa com melhor taxa de aproveitamento em voos domésticos foi a brasileira Avianca, com 83,7%, enquanto a portuguesa TAP obteve o maior índice nos voos internacionais, de 94,9%, considerando voos com origem ou destino na cidade do Rio de Janeiro.

A quantidade de passageiros pagos transportados em voos domésticos com origem ou destino na cidade-sede atingiu 1,330 milhões, o que representou aumento de 11,6% em relação ao período de comparação de 2015. Nos doze meses imediatamente anteriores ao evento, o número havia registrado variação negativa de 11,5%. A empresa Gol foi líder em  participação, transportando 45,1% do total desses passageiros domésticos.

O mercado internacional também apresentou alta durante os Jogos Olímpicos, com incremento de 30,8%, representando mais de 311 mil passageiros transportados. Este resultado foi mais expressivo do que a variação positiva de 1,6% verificada nos doze meses que precederam o evento para o número de passageiros em voos internacionais com origem ou destino na cidade do Rio de Janeiro/RJ.  A empresa brasileira Latam apresentou o maior número no mercado internacional, tendo transportado 14,4% do total desses passageiros.

Entre todos os aeroportos brasileiros, o de Congonhas, em São Paulo/SP, apresentou a maior quantidade de voos e de passageiros domésticos, foram 2,7 mil e 326 mil, respectivamente, de ou para a cidade do Rio de Janeiro durante os Jogos. Os três principais aeroportos do estado de São Paulo/SP foram responsáveis por 43,7% dos passageiros domésticos nas Olimpíadas. No mesmo período, o aeroporto de Goiânia/GO apresentou o maior crescimento no número de voos domésticos, com alta de 91,5%, e na quantidade de passageiros pagos transportados no mercado doméstico, com variação positiva de 88,6%, de ou para a cidade-sede em relação ao período equivalente em 2015. O aeroporto com maior taxa de aproveitamento nos voos de ou para o Rio de Janeiro no mercado doméstico foi o de Recife/PE, com 89,4%.

No mercado internacional, considerando voos com origem ou destino na cidade do Rio de Janeiro durante o evento, os Estados Unidos foram o país com a maior quantidade de passageiros pagos transportados, com 61,8 mil, seguido da Argentina, 60,3 mil, e Chile, 28,1 mil. Emirados Árabes Unidos, com alta de 105%, Canadá, com alta de 80%, e Argentina, com alta de 70%, apresentaram as maiores taxas de crescimento na quantidade de passageiros transportados em voos internacionais com origem ou destino na cidade do Rio de Janeiro/RJ durante o evento na comparação com período equivalente de 2015. O número de Rússia e Suíça, que foi zero em 2015, foi apurado em 423 e 3.380 passageiros durante o evento, respectivamente.

Tarifas Aéreas Domésticas
A Tarifa Aérea Média vendida ao público adulto em geral nos meses de agosto de 2015 a agosto de 2016 para voos domésticos programados para o período das Olimpíadas com origem ou destino na cidade-sede do evento foi apurada em R$ 341,48, correspondente a R$ 0,36758 por km, considerando-se a distância direta entre a origem e o destino do passageiro, independentemente de escalas ou conexões.

O valor médio por km em voos domésticos para os Jogos Olímpicos Rio 2016 foi 2,4% inferior ao da Copa do Mundo FIFA 2014 e 1,7% inferior ao da Jornada Mundial da Juventude Rio 2013. Quando comparado com as passagens vendidas no 1º semestre/2016 para voos domésticos em qualquer data e origem/destino, o valor do km dos Jogos Olímpicos Rio 2016 foi 26,2% maior. Na comparação com as vendas de passagens realizadas no 1º semestre/2016 para voos domésticos programados para qualquer data e com origem ou destino no Rio de Janeiro/RJ, o valor do km voado do evento foi 21,5% superior.

Tarifas aéreas domésticas inferiores a R$ 100 representaram 11,7% dos assentos vendidos ao público adulto em geral para as Olimpíadas. A maior parte deles, 57,9%, foi vendida a valores inferiores a R$ 300. Do total, apenas 0,7% foi vendido com valores superiores a R$ 1.500.

A maioria das passagens (55,5%) foi vendida ao público adulto em geral no mês de realização do evento e no mês imediatamente anterior. 71,9% foi vendida nos meses de junho a agosto/2016.

A menor tarifa aérea média foi apurada para passagens adquiridas no mês de junho/2016 (R$ 243: correspondente a 16,5% das vendas ao público adulto em geral). Os maiores valores foram verificados nas compras feitas em dezembro/2015 (R$ 569: correspondente a 0,5%) e em agosto/2016 (R$ 532: correspondente a 24%).

A região Norte experimentou a menor tarifa aérea por km (R$ 0,2247) nas passagens para voos com origem ou destino no Rio de Janeiro/RJ durante o evento, correspondente a uma distância média de 2.592 km. Já a região Sudeste registrou o maior valor, R$ 0,7738 por km, correspondente a 383 km.
O detalhamento das tarifas aéreas médias domésticas vendidas por unidade da federação também está disponível no relatório.

Consulte neste link o Relatório Transporte Aéreo nos Jogos Olímpicos Rio 2016.


Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented