|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 13/09/2016 / Embraer defende ações de curto prazo para retomada econômica


Embraer defende ações de curto prazo para retomada econômica

João José Oliveira ...

SÃO PAULO - A fabricante de aeronaves e empresas de segurança e defesa Embraer, vencedora no setor de Veículos e Peças da edição 2016 do anuário “Valor 1000”, considera que a grande prioridade do governo Michel Temer deve ser transformar em realidade iniciativas que facilitem a atividade produtiva e estimulem o ambiente de negócios no Brasil.

Melhoria de infraestrutura, redução da burocracia, simplificação da tributação, são medidas bem-vindas”, disse o diretor-presidente da empresa, Paulo Cesar de Souza e Silva. O executivo diz que a empresa não sofreu impacto direto da recessão brasileira, uma vez que o setor aeroespacial tem pouca relação com o ambiente econômico interno. Mais de 90% da receita da Embraer é obtida no exterior.

Mas o executivo pondera que a indústria da aviação global tem apresentado indicadores pouco favoráveis desde o ano passado, especialmente no segmento de aviação executiva. “E não dá sinais de retomada no curto prazo” afirmou.

Nesse contexto, então, estabilidade e previsibilidade política e econômica no Brasil acabam favorecendo todas as empresas, mesmo as que — como a Embraer — dependem da demanda agregada do exterior. “O mercado aeroespacial tem como característica seus ciclos de negócios de longo prazo”, afirma Souza e Silva.

Ela aponta que a concepção de uma nova aeronave — dos primeiros estudos até a certificação final, por exemplo, leva em média de seis a oito anos. “Isso se reflete em projetos e investimentos igualmente de longo prazo, que são pouco suscetíveis a aspectos conjunturais”, disse o presidente da Embraer.

Sobre a possibilidade de que o processo de recuperação das condições de previsibilidade e estabilidade política sejam influenciadas pelas manifestações populares contrárias ao novo governo federal, Souza e Silva afirma que as manifestações populares são parte do processo democrático. “É importante que a sociedade civil tenha meios de expor suas demandas”, afirmou.




Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




PORTAL G-1


Lobo-guará "invade" pista de pouso do aeroporto de Brasília

Animal foi visto por mecânico de aviões perto do hangar da Polícia Federal. Funcionário que fotografou o bicho pensou inicialmente que ele era um cão.

Gabriel Luiz Do G1 Df

Um lobo-guará entrou na pista de pouso do Aeroporto de Brasília na madrugada desta segunda-feira (12). O animal foi visto às 2h por um funcionário seguindo em direção ao hangar da Polícia Federal. Depois, ele foi para a pista do aeroporto. A Inframerica, consórcio que administra o terminal, informou que uma equipe apurava para onde foi o bicho.
O mecânico de aviões Antônio Figueiredo fez uma foto do bicho. "Pensei que era um cachorro, aí me aproximei e vi que era um baita de um guará", disse ao G1. "Acho que ele passou pela cerca. Como é um bicho meio arisco, chamei a equipe do aeroporto e esperei até chegarem. Só não sei se pegaram ou apenas espantaram."
A “invasão” da pista pelo animal não causou problemas para o tráfego, apesar de ter ocorrido uma decolagem às 2h25 de um avião para o Panamá.
O lobo-guará é uma espécie característica do cerrado, que se alimenta de carne e frutas. Quando adulto, o animal atinge até 1,15 m de comprimento. Em cativeiro, animais do tipo vivem em média entre 12 e 15 anos.
De volta à mata
Na última sexta-feira (9), o Zoológico de Brasília e o Ibama devolveram à natureza uma loba-guará, quatro cobras (duas cascavéis, uma jiboia e uma cobra-cipó com nove ovos), um ouriço-cacheiro, um tamanduá-mirim e um saruê (gambá). Os animais eram tratados por técnicos do Ibama e foram soltos em uma área de cerrado em uma propriedade privada em Goiás.
Na hora de ser reintroduzida a seu habitat, a loba-guará não queria deixar a caixa em que havia sido transportada. O animal passou cerca de 40 minutos observando a mata até tomar coragem e desaparecer entre as árvores.

Marinha vai utilizar magnetômetro para retomar buscas por caça e piloto

Aeronave e militar sumiram no mar de Saquarema, RJ, no dia 26 de julho. Instrumento é utilizado em medidas de intensidade de campo magnético.

A Marinha vai utilizar um magnetômetro, equipamento utilizado em medidas de intensidade de um campo magnético, para tentar encontrar vestígios do caça AF-1 Skyhawk e, consequentemente, do piloto, que desapareceram no mar de Saquarema, RJ, no dia 26 de julho, após um acidente aéreo. Segundo a companhia, as buscas, que foram paralisadas na semana passada, serão retomadas nos próximos dias, assim que os navios receberem o equipamento, com características especiais, que irá ampliar as capacidades das embarcações em procurar a aeronave.
Nesta terça-feira (3), os militares serão treinados para utilizar o instrumento, que é baseado em um tipo de sensor, que converte o campo magnético em um sinal elétrico. Com o magnetômetro, a Marinha espera varrer o litoral de Saquarema e as adjacências de Maricá e Arraial do Cabo para tentar encontrar algum sinal dos equipamentos do caça.
Capitão da Marinha comenta acidente
Em entrevista ao G1 no dia 9 de agosto, o Capitão de Mar e Guerra Fonseca Júnior, Chefe de Estado Maior do Comando da Força Aeronaval, falou sobre a dificuldade em conseguir sucesso nas buscas. "São as características do mar, as condições de ressaca que por determinados momentos dificultam um pouco as ações de buscas", disse Fonseca Júnior.
Caças se chocaram no ar
O acidente aconteceu durante um treinamento padrão de ataque a alvos de superfície no dia 26 de julho. Dois modelos idênticos do caça, que é modernizado, se chocaram no ar. O outro caça conseguiu voltar para a base, em São Pedro da Aldeia. Segundo a Marinha, o piloto deste caça conseguiu ver o outro "cair de barriga" na água. O órgão informou ainda que o caça não possuía equipamento GPS (Global Positioning System ou Sistema de Posicionamento Global), mas tinha dois equipamentos Personal Locator Beacon (PLB), espécie de localizador para o piloto.
Os equipamentos estavam instalados no colete, com acionamento manual; e no assento ejetável, com acionamento automático durante a ejeção do assento.
Investigações
A corporação abriu um Inquérito Policial Militar, que tem prazo para a apresentação de um parecer em até 60 dias depois da abertura do processo, no dia 27, um dia após a aeronave desaparecer no mar. Uma comissão também investiga o caso.
Ex-militar opina sobre o caso
Para o especialista Alexandre Galante, ex-militar da Marinha e consultor em assuntos militares, defesa e acidentes aéreos, o caça pode ter se desintegrado ao se chocar contra a água, dificultando a localização das partes do caça. Alexandre conversou com o G1 por telefone diretamente do Texas, no Estados Unidos, onde mora atualmente.

JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


COLUNA MÔNICA BERGAMO


VAI...

O governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) foi de carona com o ministro Alexandre de Moraes (Justiça) em um jato da FAB (Força Aérea Brasileira) para a posse da ministra Cármen Lúcia como presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), nesta segunda-feira (12). O senador José Aníbal (PSDB-SP) também estava no voo, que partiu do aeroporto de Congonhas.

JORNAL VALOR ECONÔMICO


Embraer defende ações de curto prazo para retomada econômica


João José Oliveira

SÃO PAULO - A fabricante de aeronaves e empresas de segurança e defesa Embraer, vencedora no setor de Veículos e Peças da edição 2016 do anuário “Valor 1000”, considera que a grande prioridade do governo Michel Temer deve ser transformar em realidade iniciativas que facilitem a atividade produtiva e estimulem o ambiente de negócios no Brasil.
Melhoria de infraestrutura, redução da burocracia, simplificação da tributação, são medidas bem-vindas”, disse o diretor-presidente da empresa, Paulo Cesar de Souza e Silva. O executivo diz que a empresa não sofreu impacto direto da recessão brasileira, uma vez que o setor aeroespacial tem pouca relação com o ambiente econômico interno. Mais de 90% da receita da Embraer é obtida no exterior.
Mas o executivo pondera que a indústria da aviação global tem apresentado indicadores pouco favoráveis desde o ano passado, especialmente no segmento de aviação executiva. “E não dá sinais de retomada no curto prazo” afirmou.
Nesse contexto, então, estabilidade e previsibilidade política e econômica no Brasil acabam favorecendo todas as empresas, mesmo as que — como a Embraer — dependem da demanda agregada do exterior. “O mercado aeroespacial tem como característica seus ciclos de negócios de longo prazo”, afirma Souza e Silva.
Ela aponta que a concepção de uma nova aeronave — dos primeiros estudos até a certificação final, por exemplo, leva em média de seis a oito anos. “Isso se reflete em projetos e investimentos igualmente de longo prazo, que são pouco suscetíveis a aspectos conjunturais”, disse o presidente da Embraer.
Sobre a possibilidade de que o processo de recuperação das condições de previsibilidade e estabilidade política sejam influenciadas pelas manifestações populares contrárias ao novo governo federal, Souza e Silva afirma que as manifestações populares são parte do processo democrático. “É importante que a sociedade civil tenha meios de expor suas demandas”, afirmou.

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


Plano de concessões trará 25 projetos e mudanças nas regras de financiamento

Aportes. Medidas para destravar as obras de infraestrutura incluem a contratação do financiamento de longo prazo logo no início das obras e a aposta na emissão de debêntures: pacote também terá medida para viabilizar a Ferrogrão e a privatização da Lotex

Adriana Fernandes/lu Aiko Otta / Brasília

O pacote de concessões que o governo Michel Temer divulga hoje, com uma lista de 25 projetos, além da privatização da loteria instantânea da Caixa, a Lotex, trará mudanças nas regras de financiamento – com a extinção, por exemplo, dos empréstimosponte que marcaram os grandes projetos de infraestrutura financiados pelo BNDES.
Também será anunciado um decreto permitindo que o traçado da ferrovia Ferrogrão atravesse uma área de preservação ambiental no Pará. O decreto vai redimensionar a faixa de domínio da BR-163, que já existia na época da criação do Parque Nacional Jamanxim, em fevereiro de 2006, ainda no governo Lula. A rodovia e seu entorno foram excluídos dos limites do parque, que ocupa área de cerca de 860 mil hectares e abriga espécies ameaçadas de extinção, como onçaspintadas e ariranhas.
A Ferrogrão, que ligará Sinop (MP), um centro produtor de soja e milho, até o porto fluvial de Itaituba (PA), será construída em área contígua à rodovia. Com investimento estimado em R$ 12,6 bilhões, barateará o frete em aproximadamente 40%. Integram a lista de concessões do governo também aeroportos, portos, rodovias e empreendimentos de energia elétrica e óleo e gás. O desenho do novo modelo de financiamento das concessões, segundo fontes, estabelece que o empréstimo de longo prazo será contratado logo no início das obras, afastando a necessidade de empréstimos intermediários, os “ponte”, que eram liberados por um prazo geralmente de um ano e meio, até que o contrato de longo prazo fosse efetivado.
A avaliação do governo é de que esse modelo aumentava o custo e burocratizava as operações. O programa vai apostar também na emissão de debêntures (um título de crédito) como instrumento principal de captação. Na gestão de Dilma Rousseff, o governo tentou, sem sucesso, ampliar a participação do setor privado por meio de debêntures de infraestrutura para reduzir o peso do BNDES no financiamento às concessões. Na fase das obras, o risco de crédito será assumido pelos bancos. O programa prevê que as garantias serão compartilhadas entre credores e debenturistas. Assim, o governo avalia ser possível minimizar os riscos dos financiadores de longo prazo. Além do BNDES e do Fundo de Investimentos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS) – administrado pela Caixa –, o novo modelo prevê a participação dos bancos privados e de outras fontes financiadoras.
Essa estratégia, disse uma fonte envolvida na elaboração do programa, visa a incentivar a elaboração de projetos bem qualificados que apresentem taxas de retorno adequadas às condições de captação do mercado. Ou seja, o governo deixará a cargo do mercado a fixação das taxas de retorno de cada
projeto.
TRANSPORTES
Aeroportos
Porto Alegre
Salvador
Florianópolis
Fortaleza
Portos
Terminais de combustíveis de Santarém
Terminal de trigo do Rio de Janeiro
Rodovias
BR-364 / 365 (Goiás / Minas Gerais)
BR- 101 / 116 / 290 / 386 (Rio Grande do Sul)
Ferrovias
l Norte-Sul (SP/MG/GO/TO)
l Fiol (BA)
l Ferrogrão (MT/PA)
MINAS E ENERGIA
4ª Rodada de licitações de campos marginais (terrestres) de petróleo
e gás – regime de concessão
14ª Rodada de licitações de blocos exploratórios de petróleo e gás – regime de concessão
2ª Rodada de licitações sob regime de partilha da produção (áreas unitizáveis)
Ativos da Companhia de Pesquisa e Recursos Minerais (CPRM)
Amazonas Distribuidora de Energia
Boa Vista Energia
Cia. de Eletricidade do Acre
Cia. Energética de Alagoas
Cia. de Energia do Piauí
Usinas hidrelétricas
Centrais Elétricas de Rondônia SANEAMENTO (BNDES)
Cedae – RJ
Caerd – RO
Cosanpa – PA
CAIXA
Lotex – loteria instantânea
(privatização)

PORTAL UOL


Balão cai em arena do Parque Olímpico e causa princípio de incêndio


Daniel Brito Do Uol, No Rio De Janeiro

Um susto durante a madrugada desta segunda-feira (12) mobilizou bombeiros no Parque Olímpico. Um balão caiu em cima da Arena Carioca 3, onde são disputadas as competições de esgrima a partir desta segunda.
Segundo o Comitê Rio-2016 informou, por volta das 3h um balão caiu na Arena Carioca 3. Os bombeiros foram até o local e o fogo foi contido, no entanto, o episódio comprometeu uma área da arena, que ficará interditada até a tarde de segunda-feira (12).
Ainda pinga água do local onde o balão caiu e uma parte do sistema de som foi afetada. Segundo o Rio-2016, foi a água usada para apagar o fogo que comprometeu o local. A origem ou o tipo do balão não foram informadas. A Rede Globo informou que o balão caiu dentro de uma tubulação e uma área foi isolada.
As provas de esgrima, previstas para as 9h começaram com um pouco de atraso por conta do episódio. A Arena Carioca 3 não estará lotada para as competições da manhã desta segunda, portanto, o público não será afetado.
O espaço aéreo do Rio de Janeiro está com restrições durante a Rio-2016. Há um decreto presidencial que autoriza o abatimento de um drone e de qualquer outro objeto voador, como avião, parapente, ultra-leve, asa delta, balões a tiros.

JORNAL DO BRASIL


Times of India: EUA investigam vendas de aviões da Embraer para Arábia Saudita e Índia

Reportagem fala que empresa brasileira deve pagar multa de 200 milhões de dólares

Matéria publicada pelo noticiário Times of India nesta segunda-feira (12) conta que as investigações abertas pelo governo dos Estados Unidos para apurar suspeitas de que a Embraer pagou propina para obter contratos no exterior atingiram negócios fechados pela empresa brasileira na Arábia Saudita e na Índia.
Segundo a reportagem empresa é investigada pelo Departamento de Justiça dos EUA desde 2010, quando um contrato com a República Dominicana despertou suspeitas dos americanos. Desde então, a investigação foi ampliada para examinar negócios em mais oito países. A Embraer colabora com as investigações e anunciou em julho que espera fechar em breve um acordo com as autoridades dos EUA. A empresa separou US$ 200 milhões (R$ 642 milhões) para pagar multas decorrentes do processo.
Times of India acrescenta que a fabricante brasileira de aviões é alvo de uma nova denúncia sobre pagamento de propinas para governos da República Dominicana, Arábia Saudita, Indonésia e outros países, com a finalidade de conseguir contratos nestes locais.
De acordo com o noticiário, o Ministério da Defesa da Índia já entrou com um pedido de explicações à Embraer sobre o suposto esquema de propina, que teria se dado em 2008. Se a corrupção for comprovada, haverá abertura de investigação criminal.

PORTAL CAMPO GRANDE NEWS


Companhia aérea quer implantar voo entre Campo Grande e Goiânia


Priscilla Peres

Campo Grande deve ganhar uma rota aérea até o fim do ano, para Goiânia. A Azul aguarda o aval da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e a previsão é de que o novo voo entre em operação em dezembro deste ano.
Atualmente, passageiros com destino a capital de Goiás precisam fazer escala em Cuiabá, São Paulo ou Brasília. De acordo com a companhia, a nova rota vai facilitar também, viagens para o nordeste, principalmente para Recife. A previsão da azul é cumprir cinco voos semanais nesta rota. “A nossa ampliação de operações, com a inclusão dos voos em Campo Grande atenderá à demanda local e também servirá ao turismo em âmbito nacional”, comenta Daniel Tkacz, diretor de Planejamento de Malha da Azul.
Se aprovado, clientes poderão sair de Campo Grande às 6h50 para chegar em Goiânia às 9h10, quatro vezes por semana. A volta sairá da capital de Goiás às 20h50 para chegar a cidade morena às 21h10, também quatro vezes por semana.

PORTAL BRASIL


Centro de Treinamento da Aeronáutica recebe atletas de mais de 50 países

Rio 2016 Espaço conta com uma pista de atletismo, área de lançamentos e arremessos e dois ginásios

ImagemAs instalações do Comando da Aeronáutica são o local de treinamento de atletas de mais de 50 países. Pistas, campos, piscinas, ginásios e demais áreas do Centro de Treinamento Olímpico da Aeronáutica, localizado na zona oeste do Rio de Janeiro, recebem cerca de 450 atletas com necessidades especiais diariamente.
Com uma pista de atletismo, área de lançamentos e arremessos e dois ginásios, o centro permite que as delegações possam treinar o vôlei sentado e todas as modalidades do atletismo paralímpico de campo e de pista. Para oferecer acessibilidade, todas as instalações receberam rampas de acesso, banheiros, centro médico, vestiário e área da administração. Foram instaladas, ainda, rampas para a entrada e saída dos ônibus das equipes e piso tátil para facilitar a mobilidade dos atletas com deficiência visual.
Além das adaptações de acessibilidade nos locais de treinamento, foram instalados 23 setores para arremesso e lançamento, dentre eles 15 plataformas oficiais de competição para cadeirantes que garantem segurança para a prática esportiva.
Avaliação dos atletas
A competidora brasileira das provas de 100m e 200m rasos (Classe T-12) e no revezamento 4x100 (Classes T-11 e T-13), Alice Corrêa, ressalta a importância de ter um espaço para treinar. “Está sendo muito bom treinar aqui. Nós não tínhamos onde treinar, e a Força Aérea Brasileira nos deu um local com academia, sala de material e tudo o que precisamos, o que foi muito importante para minha preparação para os Jogos.”
Há quase dois anos, parte do Time Brasil Paralímpico treina nas dependências da Comissão de Desportos da Aeronáutica.

AGÊNCIA BRASIL


Lava Jato age com independência e estímulo do governo, diz Padilha


Fernanda Cruz

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, negou hoje que o governo está tentando abafar a Operação Lava Jato. 
Os principais atores da Lava Jato, a Polícia Federal, a Procuradoria-Geral da República e Poder Judiciário agem na plenitude, absoluta independência e estímulo do governo, disse ao participar do evento Os desafios do Brasil, promovido pela Consulting House, na capital paulista.
A declaração do ministro rebate acusações feitas pelo ex-chefe da Advocacia-Geral da União, Fábio Medina Osório, demitido na última sexta-feira. Em entrevistas à imprensa após a demissão, Fábio Medina disse que foi afastado do cargo por ter tomado iniciativas dentro da Lava Jato e acusou o governo de colocar obstáculos para tentar abafar as investigações.
Para Padilha, os responsáveis pela declaração contrária ao governo querem fazer com que o holofote da Lava Jato lhes dê um pouquinho de luz, disse. Como mariposas, que querem chegar à luz que a Lava Jato tem. O ministro garantiu que o governo faz tudo o que estiver ao seu alcance para que a operação chegue ao seu objetivo.
Previdência
O ministro também falou sobre a reforma da Previdência. Com o aumento no defícit da Previdência Social, o reforma é uma das prioridades do governo. As adequações poderão estabilizar o orçamento em 10 a 12 anos. Uma nova forma de financiamento para cobrir o defícit, segundo o ministro, sairá de outras rubricas do Orçamento, com exceção de saúde e educação.
Não devemos trazer para o debate amplo nenhum tema que não seja reforma fiscal e da Previdência. Temos de conscientizar a população, defendeu. Padilha citou os exemplos de outros países, onde a aposentadoria mínima está em torno dos 65 anos.
A reforma da Previdência começará pelos militares, que atualmente não integram o sistema previdenciário. Ouvimos os militares, eles não tinham oposição à idade, na medida que tivessem as demais compensações dos outros servidores, explicou o ministro.
Com relação aos trabalhadores rurais, o ministro afirmou que vem discutindo com várias lideranças uma forma para que esses segurados não sejam penalizados. Em 2015, a contribuição dos pequenos agricultores à Previdência foi de 2%, mas a participação chegou a 26%.
O ministro pediu paciência da população, já que é preciso reconhecer que o agricultor convive com a dificuldade da lavoura, sobretudo no Nordeste. A participação [na Previdência] é quase simbólica, senão inviabilizamos a atividade deles, disse Padilha.

OUTRAS MÍDIAS


PORTAL ODIARIO.COM (PR)


Feira Internacional de Aviação terá shows aéreos todos os dias em Maringá

A 19ª Feira Internacional de Aviação, EAB Air Show, que acontece em Maringá de 21 a 24 de setembro, terá shows aéreos todos os dias, com apresentação da Esquadrilha da Fumaça no domingo, 25 de setembro. Estarão em Maringá os maiores ases da acrobacia aérea do Brasil, com apresentações diárias a partir das 15 horas.
Um dos pilotos mais consagrados do meio, Alberto Bazaia Junior, conhecido como Tike Bazaia confirmou presença no evento. Tike Bazaia se dedica à aviação desde 1973, e foi aluno do lendário Alberto Bertelli com o qual teve o prazer de fazer seu primeiro show aéreo em 1980. Com mais de 950 shows aéreos e 9 mil horas de voo, além de piloto de demonstração aérea é também instrutor de acrobacia o que lhe garantiram alguns prêmios e condecorações.
A EAB AIR SHOW – Feira Internacional de Aviação é realizada pelo terceiro ano em Maringá, e atrai todo segmento para a Cidade Canção durante os quatro dias do evento. Além das principais indústrias da aviação civil, a feira atrai um grande público formado especialmente por proprietários de aeronaves, pilotos, colecionadores, executivos e apreciadores da aviação. A expectativa dos realizadores é um público de 30 mil pessoas.

PORTAL INFODEFENSA


Brasil mostra sua sistema Astros 2020 de Avibras no Dia da Independência

Roberto Caiafa
O Governo brasileiro apresentou na semana passada durante o desfile comemorativo da Independência do Brasil os veículos lançadores de mísseis e foguetes Avibras Aeroespacial Astros 2020, recentemente entregues as duas corporações. Este sistema de lançamento múltiplo foi uma das principais inovações do desfile realizado em 7 de setembro em Brasília.
O jato de transporte militar Embraer KC-390 abriu o desfile aéreo realizado na Esplanada dos Ministérios em Brasília e liderado pelo presidente Michel Temer. Outras 23 aeronaves da Força Aérea brasileira também sobrevoaram o evento, entre eles os turboélices Supertucano A-29 da Esquadrilha da Fumaça, os caças F-5EM Tiger II, o bimotor Embraer C-97 Brasília, o jato especializado U-35A Learjet e os helicópteros de ataque A-H2 Sabre (MI-35M) e transporte/manobra VH-34 Super Puma.
Ao final do desfile, a Esquadrilha da Fumaça realizou uma apresentação sobre a Esplanada dos Ministérios, com direito a frases escritas com fumaça nos céus da capital federal. A Marinha e o Exército levaram para o desfile novos equipamentos de artilharia. Armamento de caráter estratégico, foi desenhado para bater alvos como concentrações de tropas, refinarias, complexos industriais ou realizar a defesa de costa (artilharia de litoral) até uma distância declarada de 300 km, quando é empregado o míssil cruise tático AV-TM 300.
Também desfilaram os veículos blindados dos Fuzileiros Navais (Mowag Piranha, Claanf, M-113B, caça tanques SK-105A2S) e o carro de combate principal de batalha do Exército, o KMW Leopard 1A5 BR, mais o VBTP-MR 6x6 Guarani, produzido pela Iveco Veículos de Defesa em Sete Lagoas (MG) e os tradicionais Cascavel e Urutu, ambos fabricados pela extinta Engesa nos anos de 1970 e 1980 do século passado e ainda bastante utilizados.
Entre as tropas das três forças, destaque para as unidades de Forças Especiais (1º BFE, BTL Tonelero, Para-Sar), unidades especializadas de Caatinga, Montanha e Selva, tropas do Corpo de Fuzileiros Navais especializadas com seus equipamentos. Unidades tradicionalmente presentes aos desfiles em Brasília, como o 1º Regimento de Cavalaria de Guarda, mais conhecidos como Dragões da Independência, despertaram a reação do público presente.
Além do presidente da República e da primeira-dama, Marcela Temer, os ministros da Defesa, Raul Jungmann, da Casa Civil, Eliseu Padilha, da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, e da Justiça, Alexandre de Moraes, prestigiaram o desfile. Os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, também estiveram presentes.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented