|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 11/06/2016 / Presidente da Embraer sai de surpresa e chefe comercial assume


Presidente da Embraer sai de surpresa e chefe comercial assume ...


Brendan Case e Julie Johnsson ...

A Embraer informou que Frederico Curado deixará o cargo de presidente após nove anos no comando, uma saída inesperada da fabricante de aviões brasileira, que enfrenta concorrência mais forte no mercado de jatos regionais.

O vice-presidente-executivo de Aviação Comercial da empresa, Paulo César de Souza e Silva, substituirá Curado, 54, e a transferência das funções executivas ocorrerá no mês que vem, disse a empresa em um comunicado na quinta-feira. A transição plena ocorrerá até o fim do ano.

A troca de executivos pega a fabricante brasileira de aviões em um momento crítico, em que trabalha para certificar o primeiro modelo de sua família de jatos E-Jet E2. A aeronave regional atualizada enfrenta uma série de novos concorrentes, como o C Series, da Bombardier, o MRJ da Mitsubishi, e o chinês Comac C919.

"É bastante extraordinário que isso aconteça agora que o E-2 vai voar", disse Richard Aboulafia, analista aeroespacial da Teal Group, sobre a mudança de liderança.

A saída de Curado faz parte de uma "transição planejada", disse Saulo Passos, porta-voz da Embraer.

Queda das ações
A fabricante com sede em São José dos Campos, São Paulo, é a mais recente das empresas aeroespaciais a reformular sua equipe de liderança em meio a desafios no mercado e a uma maior pressão de estreantes.

A Spirit AeroSystems Holdings, a maior fornecedora da Boeing, anunciou na quarta-feira que o CEO Larry Lawson se aposentará no fim de julho. Novos líderes assumiram as rédeas da Boeing, da Bombardier, da Rolls-Royce e da United Technologies nos últimos dois anos.

A Embraer caiu 39% neste ano, contra um ganho de 18% do Ibovespa. A valorização do real poderá gerar alguns "ventos contrários" em termos de custos neste ano, disse Curado em abril. O avanço de 17% do real em relação ao dólar é o maior deste ano entre as 16 principais moedas monitoradas pela Bloomberg.

Durante o primeiro trimestre a Embraer não registrou nenhuma venda de jato, segundo dados compilados pela Bloomberg Intelligence. A pausa foi encerrada quando a Horizon Air, subsidiária da Alaska Air Group, encomendou 30 jatos E175, em abril.

A carteira de pedidos firmes da fabricante brasileira estava em US$ 21,9 bilhões no fim do primeiro trimestre, contra US$ 20,4 bilhões um ano antes e US$ 22,5 bilhões no fim de 2015.

Investigação de corrupção
A Embraer pode receber multas "substanciais" nos EUA em um momento em que se movimenta para resolver uma investigação envolvendo a chamada Lei de Práticas Corruptas Estrangeiras, disse a empresa no início deste ano.

Executivos do alto escalão, incluindo Curado, sabiam que o consultor de vendas Elio Moti Sonnenfeld estava pagando propinas ligadas à venda de aeronaves à República Dominicana, reportou o Wall Street Journal em março, citando resumos oficiais das declarações de Sonnenfeld.

A empresa disse que não poderia comentar o assunto porque a reportagem foi "baseada em alegações que aparentemente foram vazadas de uma declaração confidencial de um réu em uma ação judicial que está sob sigilo no Brasil e indisponível para a empresa". A Embraer afirma que está cooperando com as autoridades.

A saída de Curado não teve relação com nenhuma investigação oficial, disse Passos, o porta-voz da empresa.

"Não há conexão entre nenhuma investigação do governo e a transição que estamos iniciando", disse Passos.




Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




JORNAL A CRÍTICA (MS)


Superior Tribunal Militar condena dois homens por roubarem escopeta de quartel em Goiás

Após o roubo de uma escopeta calibre 12, um dos réus tirou fotos e postou em redes sociais. Ambos foram condenados a seis anos de reclusão, em regime semiaberto

O Superior Tribunal Militar condenou um ex-soldado do Exército e um civil por roubo de armamento do 6º Grupo de Lançadores Múltiplos de Foguetes e Campo de Instrução de Formosa (6º GMF), na região do Entorno do Distrito Federal.
Após o roubo de uma escopeta calibre 12, um dos réus tirou fotos e postou em redes sociais. Ambos foram condenados a seis anos de reclusão, em regime semiaberto.
Segundo a denúncia do Ministério Público Militar, no dia 9 de janeiro de 2015, por volta das 4h30 da manhã, os denunciados, um deles soldado do Exército e que servia no próprio quartel, entraram nas instalações do Grupo de Foguetes, armados com um revólver. Eles renderam a sentinela de um dos postos e roubaram uma espingarda calibre 12, Mossberg, de propriedade do Exército Brasileiro.
Depois do crime, ambos fugiram para o bairro Padre José e de lá seguiram para a cidade de Formosa, onde a arma foi escondida debaixo de um colchão, na casa de um dos acusados.
Três dias depois, após investigações, homens do Exército chegaram à residência do militar e o prenderam em flagrante, além de apreenderem a arma. Ele, posteriormente, informou sobre a participação do segundo acusado, que era um amigo de infância.
Os dois foram denunciados à Justiça Militar Federal, pelo crime de roubo qualificado, previsto no artigo 242, § 2º, do Código Penal Militar (CPM). Em juízo, o réu militar afirmou que a denúncia era verdadeira e defendeu-se dizendo que não combinou nada com o segundo acusado, mas, no dia dos fatos, recebeu a visita dele, que o convidou para ir ao quartel e lá subtrair a espingarda, tendo aceitado, pois sua "cabeça era fraca".
Em outro depoimento, o então soldado negou o crime e disse que comprou o armamento de um homem conhecido na área, na rua em que morava, pelo valor de R$ 1.500. Segundo contou, queria se precaver contra as ameaças feitas por um desafeto, que já havia tido problemas com outros amigos seus.
Julgamento na Justiça Militar
No julgamento de primeira instância, na 1ª Auditoria de Brasília, os réus foram condenados, por unanimidade de votos do Conselho Permanente de Justiça, a seis anos de reclusão, com o regime prisional inicialmente semiaberto e o direito de apelar em liberdade.
A defesa recorreu da decisão ao Superior Tribunal Militar. O defensor público federal sustentou que o simples fato de o armamento ter sido encontrado na casa do soldado - licenciado do Exército em junho 2015 -, onde também morava o segundo acusado, não tinha o condão de, por si só, incriminá-lo pelo roubo qualificado, impondo-se a absolvição e, subsidiariamente, a desclassificação para o crime de receptação.
Já o advogado constituído do réu civil pediu a reforma da sentença, afirmando haver insuficiência de provas quanto à autoria, bem como a circunstância de não ter o apelante ingressado no quartel, portando arma ou sido o mentor do delito, tendo apenas recebido o armamento do outro lado da cerca e tendo participado da fuga. Pleiteou também a aplicação da pena em seu mínimo legal, tendo em vista a primariedade, os bons antecedentes e a confissão, reveladora de sua cooperação.
No entanto, ao apreciar o recurso no STM, o ministro relator, Artur Vidigal de Oliveira, negou provimento e manteve inalterada a sentença do juízo de primeiro grau. Para o ministro, o ex-soldado trouxe uma versão totalmente isolada e não arrolou qualquer das testemunhas referidas em seu depoimento, nem mesmo a pessoa mencionada no interrogatório que supostamente lhe havia emprestado a quantia de R$ 800.
"Causa estranheza a circunstância dele ter se ausentado do quartel, sem autorização, no dia dos fatos, bem como ter falsificado uma assinatura de um chefe militar, comandante de subunidade, para poder sair do quartel no curso da apreensão conduzida pelo 6º GLMF", disse.
O relator informou que, em dados obtidos após a quebra do sigilo telefônico dos réus, verificou-se que vários contatos telefônicos foram efetuados entre os números pertencentes a ambos os réus na madrugada do roubo, às 02h15, 02h54 e 02h57. O crime ocorreu por volta das 4h30min.
"Além de tudo o que foi demonstrado, há que se considerar, ainda, que o réu era militar da ativa ao tempo do crime; portanto, conhecia a rotina do quartel, as peculiaridades do serviço e de cada um de seus postos, inclusive suas vulnerabilidades e, até mesmo, as características pessoais das sentinelas que estavam escaladas para aquele determinado posto de serviço. Ora, todos esses fatos apontam que foi ele quem procedeu ao roubo, contando com a participação do amigo, que prestou-lhe o apoio necessário ao sucesso da empreitada, porquanto permaneceu atrás da guarita para observar possíveis aproximações ou interferências externas", votou Artur Vidigal.
Por unanimidade, os demais ministros do STM mantiveram a sentença de primeira instância.

PORTAL SPUTNIK BRASIL


Novo caça russo será ultrassônico e invisível

Embora o protótipo experimental do novo caça russo de sexta geração levante voo apenas em 2025, algumas particularidades do novo avião de combate russo já foram revelados.

Imagem"O protótipo experimental do avião de sexta geração completará seu primeiro voo antes de 2025", disse ao jornal russo Vladimir Mikhailov, um alto funcionário da United Aircraft Corporation.
Além disso, ele assegurou que o caça russo será ultrassônico e invisível para os radares.
Como informa o jornal, o novo caça russo pode atingir vários Mach de velocidade, será monolugar, multifuncional, de alta capacidade de manobra e construído de materiais compósitos, o que o tornará em um avião fantasma. O avião também transportará mísseis hipersónicos de longo alcance.
Mikhailov acrescentou que o avião pode voar sem piloto e que já estão sendo adiantados os trabalhos técnicos, científicos e de pesquisa para a nova aeronave.


PORTAL JANES (Inglaterra)


Embraer names new CEO


Brazilian aerospace and defence manufacturer Embraer announced the appointment of a new chief executive officer (CEO) on 9 June.
Current CEO Frederico Fleury Curado is to relinquish the role in July in order to "concentrate on other professional and personal activities".
The position will be filled by Paulo Cesar de Souza e Silva, who currently serves as President and CEO of Embraer s Commercial Aviation division.

Lockheed Martin outlines growing Asian interest in used P-3 Orions and S-3 Vikings


Lockheed Martin has confirmed interest within the Asia Pacific to procure used P-3 Orion maritime patrol aircraft (MPA) and S-3 Viking anti-submarine warfare (ASW) aircraft.
Countries linked with potential purchases include Vietnam and South Korea, although a Lockheed Martin spokesperson did not confirm the status of discussions with potential customers.
"There is regional interest in both the S-3 Viking and P-3 Orion platforms," the spokesperson said in comments to IHS Jane s on 9 June. "Lockheed Martin stands ready to support any interest current or potential S-3/P-3 operators may have in regards to upgrading or acquiring these platforms for maritime mission requirements."

PORTAL G-1


Após decreto, FAB faz primeiro transporte de órgão para PE

10/06/2016 08h56 - Atualizado em 10/06/2016 09h25 Após decreto, FAB faz primeiro transporte de órgão para PE Segundo Força Área, fígado embarcado em Salvador foi trazido ao Recife. Decreto foi publicado na terça (7) para facilitar os transplantes no Brasil.

Do G1 Pe

ImagemA Força Área Brasileira (FAB) fez, nesta quinta-feira (9), o primeiro transporte para doação de um órgão humano para Pernambuco, após o decreto do presidente em exercício, Michel Temer, para que a Aeronáutica mantenha permanentemente à disposição um jato para atuar no transporte de órgãos e tecidos para transplantes. O orgão saiu da Base Aérea de Salvador com destino ao Recife.
Na chegada à capital pernambucana, o tenente-coronel Cláudio David, do Segundo Comando Aéreo Regional, que participou da operação de transporte no Nordeste, se disse bastante satisfeito, já que a medida pode salvar vidas. "Poder contribuir para uma missão de tamanha relevância realmente é uma satisfação que cada elo desse sistema sente e pode passar para a sociedade, uma sensação de dever cumprido", comentou.
A solicitação, segundo a FAB, partiu do Real Hospital Português. O órgão transportado foi um fígado. De acordo com a unidade de saúde, não foi possível fazer o transplante, porque a equipe médica avaliou que o órgão veio em condições inviáveis para a realização do procedimento cirúrgico.

Transporte
Reportagem publicada no domingo (5) pelo jornal "O Globo" informou que não havia jato da FAB para o transporte de emergência de órgãos para um transplante, trazendo o relato da rotina de dificuldades de equipes médicas do país para viabilizar o transporte aéreo de órgãos e tecidos doados para salvar a vida de pessoas que aguardam na fila de transplantes.
Após a publicação, o presidente interino Michel Temer anunciou na segunda-feira (6), em um pronunciamento no Palácio do Planalto, a determinação de ter sempre um jato disponível. Nos últimos dias, o uso de um avião da FAB pelo advogado-geral da União, Fábio Medina Osório, causou desgaste ao governo Temer.
Segundo o jornal “O Globo”, Medina Osório tentou embarcar, no dia 1º de junho, para Curitiba, na Base Aérea, e teve o pedido negado pela FAB. Diante da negativa, o chefe da AGU teria dado uma “carteirada” nos oficiais da Aeronáutica, dizendo ter status de ministro de Estado – no governo Temer, o advogado-geral da União perdeu essa condição.
Em nota divulgada no último domingo (5), a FAB negou a ocorrência de incidentes no uso do jato pelo advogado-geral da União. Segundo a nota da FAB, o “atendimento seguiu todos os procedimentos formais e legais” e o voo a Curitiba transcorreu “sem qualquer tipo de anormalidade”.

Aeroportos de MT devem receber R$ 500 milhões da União para reformas

Treze aeródromos do estado devem ser contemplados pelo governo federal. Entre os aeroportos, estão o de Rondonópolis, Alta Floresta e Sinop.

Do G1 Mt

Treze aeroportos de Mato Grosso devem ser contemplados com R$ 500 milhões do governo federal para melhorias na infraestrutura. Os investimentos, ainda estimados, foram informados pelo diretor do Programa Federal de Auxílio a Aeroportos, da Secretaria de Aviação Civil, Eduardo Bernardi, durante reunião com o governo do estado realizada nessa quinta-feira (9), no Palácio Paiaguás, em Cuiabá.
As obras devem ser realizadas em Alta Floresta, Barra do Garças, Cáceres, Juara, Juína, Lucas do Rio Verde, Matupá, Pontes e Lacerda, Rondonópolis, São Félix do Araguaia, Sinop, Tangará da Serra e Vila Rica.
Os recursos, segundo o represente da SAC, são do Fundo de Aviação Civil, que têm como fonte de receitas as outorgas dos grandes aeroportos do país. Técnicos da SAC estão, desde o início da semana, fazendo inspeções nas unidades de Mato Grosso.
Dos 13 aeroportos de Mato Grosso que deverão ser contemplados no programa, os de Juína, Matupá e Pontes e Lacerda estão com análise de estudos preliminares concluídas. O de Lucas do Rio Verde está com estudos de viabilidade técnica sob análise, e os de Alta Floresta, Barra do Garças, Cáceres, Juara, Rondonópolis, São Félix do Araguaia, Sinop, Tangará da Serra e Vila Rica ainda estão elaborando os anteprojetos.
No Brasil, o investimento total é estimado em R$ 7,3 bilhões na construção ou reforma de 270 aeroportos em todo o território nacional.

Passagem de Santos Dumont pelas Cataratas do Iguaçu faz 100 anos

Livro do autor Renato Rios Pruner relembra a visita do aviador ao Paraná. Dumont foi fundamental para a criação do Parque Nacional do Iguaçu

Fabiula Wurmeister, Do G1 Pr

Há 100 anos, as Cataratas do Iguaçu, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, recebiam a visita de Santos Dumont. A passagem do aclamado aviador pela região foi fundamental para a criação do Parque Nacional do Iguaçu, principal cartão-postal da região e responsável por atrair mais de 1,5 milhão de pessoas por ano à cidade.
“Quando passei por Curityba, fui falar com o presidente do Estado [Afonso Camargo] sómente sobre o lguassú: pedir-lhe se interesses pelo salto, o torne mais fácil e commoda a excursão, imagine que não existe nem hotel por aquellas paragens. Existe, com o nome de hotel, uma casinha, com dois quartos e uma sala apenas...”, declarou Dumont na época, sugerindo o que seria mais tarde a principal vocação econômica da região.
A visita não foi planejada, afirma o piloto aposentado e instrutor de voo Renato Rios Pruner, autor do livro “Frederico Engel, pioneiro no turismo e hotelaria em Foz do Iguaçu”. O bisneto de Engel falou com o G1 sobre um dos símbolos mais importante da cidade, que comemora nesta sexta-feira (10) 102 anos de emancipação.
“Meu bisavô ficou sabendo que Santos Dumont estava em Porto Aguirre, onde atracavam os vapores chegados de Posadas – capital do estado argentino de Misiones, na fronteira -, vindo de Buenos Aires. Pensou na importância que isso teria e, depois de falar com o prefeito coronel Jorge Schimmelpfeng, foi para lá fazer o convite para que ficasse uns dias na cidade”, lembra.
O aviador ficou na então Vila Iguassu de 24 a 27 de abril de 1916. Primeiro se hospedou no Hotel Brasil, na cidade. E, à tarde, partiu a cavalo com Engel e o filho até outro hotel que levava o mesmo nome, próximo aos Saltos de Santa Maria, as hoje famosas Cataratas do Iguaçu, onde ficou por dois dias, contemplando-as de todos os ângulos que podia, “de dia e de noite, à luz do luar”.
A estrada de 18 km pelo mato, rememora Renato, era mantida pelo seu bisavô e cortava uma propriedade privada que pertencia ao uruguaio Jesus Val. Eram seis horas de viagem de carroça. Atualmente, seriam necessários pouco mais de 20 minutos para percorrer a mesma distância e se deparar com o maior conjunto de quedas d água do mundo.
Cenário encantador
A “casinha” mencionada por Dumont, onde ficou hospedado, pertencia a Frederido Engel, que arrendou do uruguaio o pequeno barraco e uma porção de terra junto aos saltos para explorar turisticamente. “O que distraía o turista era a grande variedade de pássaros – tucanos, pombas, papagaios, caturritos, colibris, e muitas outras espécies. Havia muitos animais – bandos de macacos, quatis, iraras, veados, etc. Tudo isto, bem como as lindas parasitas em árvores frondosas, distraía o sacrificado viajante”, descreve no livro.
A fauna e a flora do parque ainda chamam a atenção dos visitantes, agora transportados em ônibus panorâmicos pelo mesmo trajeto na mata aberto por Engel e seu batalhão de peões responsáveis pela manutenção da estrada.
“No primeiro passeio que fez, acompanhado por Frederido, Santos Dumont subiu numa tora que estava presa às pedras e uns cinco metros por cima do Salto Floriano. Frederico ficou apavorado, considerando o imenso perigo a que estava se expondo e pela responsabilidade que havia assumido, empenhando-se em trazê-lo para o lado brasileiro. Foram momentos de verdadeira angústia. O aviador não se importou com o tempo que ali esteve, de braços cruzados, sobre um precipício de 80 metros”, cita outro trecho.
Criação do parque
Impressionado com o que tinha visto e inconformado por se tratar de uma propriedade privada, Dumont convenceu-se de que deveria fazer algo. “Posso dizer-lhe que esta maravilha não pode continuar a pertencer a um particular. Eu vou a Curitiba falar com o presidente do Estado do Paraná, para providenciar a desapropriação das Cataratas e dos 205 mil hectares de terra (o que hoje é o Parque Nacional do Iguaçu).”
Foram seis dias de viagem a cavalo até Guarapuava acompanhado de um soldado da polícia e por um fiscal da prefeitura. De lá, seguiu de carro e de trem até a capital do estado, onde chegou nove dias depois de ter deixado a fronteira. No dia 8 de maio foi recebido por Afonso Camargo, a quem sugeriu a desapropriação da área e a criação de um parque. Poucos meses depois a área passou a pertencer à União.
E, no dia 19 de janeiro de 1939, um decreto assinado pelo presidente Getúlio Vargas criava junto às Cataratas de Santa Maria o Parque Nacional do Iguaçu, com os seus atuais 185 mil hectares do lado brasileiro. Além das cataratas, o parque abriga o maior remanescente de floresta Atlântica da região sul do Brasil.
Festejadas e admiradas pelos milhões de pessoas que já fizeram o mesmo caminho percorrido por Dumont, o único desapontado com as consequências da visita às quedas d água tenha sido o antigo dono das terras. Em uma carta a Engel, Jesus Val reclama do preço pago pelo governo brasileiro pela propriedade, "muito abaixo do que gastou nas várias viagens até Curitiba para poder receber".
Uma estátua de bronze, inaugurada em 1979, homenageia a passagem do ilustre visitante ao local, considerado o padrinho da unidade de conservação, a segunda mais visitada do país, atrás apenas do Parque Nacional da Tijuca, que abriga o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro.
Para lembrar o centenário da passagem do pai da aviação pelas Cataratas do Iguaçu, um totem recebe os visitantes na entrada da reserva, intitulada Patrimônio Mundial Natural pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) desde 1986. Desde 1999, a estrutura de visitação do PNI é administrada pela Concessionária Cataratas do Iguaçu S.A.

Avião movido a energia solar encerra viagem pelos Estados Unidos

"Solar Impulse 2" chegou a Nova York após percurso de 129 quilômetros. Ideia do projeto é sensibilizar governos para uso de tecnologias "limpas".

Do G1 Sp

O avião "Solar Impulse 2", alimentado exclusivamente por energia solar, chegou a Nova York neste sábado (11) depois de sobrevoar a Estátua da Liberdade, na sua fase final nos Estados Unidos antes de ir para a Europa.
Em sua tentativa de ser a primeira dessas aeronaves a percorrer todo o mundo, o avião pousou no Aeroporto Internacional JFK às 4h local (5h no horário de Brasília), disse o site do projeto.
O "Solar Impulse 2", pilotado por um de seus inventores, André Borschberg, viajou os 129 quilômetros que o separavam da cidade de Lehigh Valley (Pensilvânia), sem qualquer tipo de combustível, apenas impulsionado pela tecnologia limpa.
A quinta e última etapa do avião nos Estados Unidos foi carregada de simbolismo para Borschberg, assim como para o outro inventor do avião, o também suíço Bertrand Piccard. "O vôo sobre a Estátua da Liberdade simboliza os valores americanos, a liberdade dos pioneiros, a liberdade para explorar, a liberdade de inventar", escreveu Borschberg em sua conta no Twitter, enquanto sobrevoava o monumento.
O projeto pretende sensibilizar e convencer os governos do mundo que implementem soluções tecnológicas para preservar o meio ambiente. Espera-se que o "Solar Impulse 2" continue sua viagem de Nova York para a Europa, norte de África e Abu Dhabi, de onde a aeronave partiu.

Dilma ingressa na Justiça contra restrição do uso de aviões da FAB

Pedido foi registrado na 6ª Vara Federal de Porto Alegre e corre sob sigilo. Ação pede que parecer da Casa Civil seja considerado ilegal.

Do G1 Rs

A presidente afastada Dilma Rousseff ingressou com uma ação na Justiça Federal pedindo a ilegalidade de um parecer da Casa Civil que a proíbe, entre outras coisas, do uso de aeronaves cedidas pela Força Aérea Brasileira (FAB). O pedido corre sob sigilo e foi registrado na quarta-feira (8) na 6ª Vara Federal de Porto Alegre.
Na quinta-feira (9), a juíza Daniela Cristina de Oliveira Pertile determinou a manifestação da União, em um prazo de cinco dias, segundo a assessoria da Justiça Federal.
A ação pede ainda que não haja restrições do uso das residências oficiais e que não ocorra alteração da nomenclatura do nome do gabinete pessoal da presidente da república. Além disso, pede que não ocorra redução de sua equipe.
O parecer da Casa Civil é assinado pelo subchefe de Assuntos Jurídicos, Gustavo do Vale Rocha. A Casa Civil explicou que, por estar afastada de suas funções presidenciais, Dilma não tem compromissos oficiais que demandem o deslocamento em aviões da FAB. Explicou, ainda, que o uso está autorizado nos deslocamentos de Brasília a Porto Alegre porque familiares de Dilma residem na capital gaúcha.
Senado
Em 12 de maio, quando foi notificada da decisão da comissão especial que autorizou a abertura do processo de impeachment, o Senado informou a Dilma os direitos dela durante o período de afastamento.
A notificação, elaborada pela Advocacia-Geral do Senado, dizia que Dilma teria direito a transporte aéreo e terrestre sem delimitar os destinos aos quais a presidente afastada poderia se deslocar utilizando o aparato público.
“[A notificação] faz saber, ainda, que, a partir do recebimento desta intimação, está instaurado o processo de impedimento por crime de responsabilidade, ficando Vossa Excelência, nos termos do art. 86, §1º, II, da Constituição Federal, suspensa das funções de Presidente da República até a conclusão do julgamento no Senado ou até a decorrência do prazo fixado no §2º do referido artigo, de 180 dias, mantendo durante esse período as prerrogativas do cargo relativas ao uso de residência oficial, segurança pessoal, assistência saúde, transporte aéreo e terrestre, remuneração e equipe a serviço do Gabinete Pessoal da Presidência”, afirma a intimação.
Defesa de Dilma
Nesta sexta-feira (3), durante entrevista coletiva em Brasília, o ex-ministro e advogado de Dilma, José Eduardo Cardozo, afirmou que ficou sabendo do parecer pela imprensa e que achou a decisão "estranha".
Para ele, não cabe ao Executivo tratar desta questão, uma vez que o processo de impeachment que afastou Dilma da Presidência é responsabilidade do Legislativo, com regras chanceladas pelo Supremo Tribunal Federal (STF).
"Vejo como tentativa de que a presidente [Dilma] não participe de reuniões. Como ela vai se locomover? Com avião de carreira? O objetivo é impedir que a presidente se locomova. É uma tentativa de impedir que o discurso da presidente seja colocado pela sociedade. É terrivel isso", disse Cardozo.
"Situações como esta são intimidação da defesa, dificulta a ação da presidente no país. E ela vai fazer o que? Pegar um carro, vai pegar um avião de carreira? O que se quer é isso? Não. Não querem que ela se locomova", acusou.
Também nesta sexta, em ato contra o presidente em exercício Michel Temer em Porto Alegre, Dilma Rousseff criticou o parecer e disse que está tendo o seu direito de defesa "cerceado".
“Nós estamos sendo cerceados do nosso direito de defesa. Eles não são democratas, são golpistas. [...] Um governo interino cujo objetivo é proibir que eu viaje. Vocês têm que ficar alegres porque meu direito de viagem é só de Brasília a Porto Alegre. Mas não fiquem felizes. É um escândalo que eu não possa viajar pro Rio, pro Pará, pro Ceará. Eu não posso pegar um avião, porque não tem segurança, é a Constituição que manda", criticou a presidente afastada.

MINISTÉRIO DA DEFESA


Rio 2016: Adidos militares participam de reunião sobre Clube CISM


Brasília, 10/06/2016 – O Departamento de Desporto Militar do Ministério da Defesa reuniu, nesta sexta-feira (10), cerca de 50 adidos militares e representantes diplomáticos no Brasil de países membros do Conselho Internacional do Esporte Militar (CISM). O objetivo do encontro foi apresentar o funcionamento do Clube CISM durante os Jogos Olímpicos Rio 2016.
“A gente acredita que a composição do Clube CISM, como ocorreu em Pequim, em Atenas, e vem ocorrendo tradicionalmente em vários jogos de inverno, é uma oportunidade para estreitarmos os laços entre os nossos países e poder também valorizar o esporte militar no âmbito internacional”, disse o diretor do Departamento de Desporto Militar, almirante Paulo Zuccaro.
O Clube CISM funcionará na Universidade da Força Aérea (Unifa), no Campo dos Afonsos, e abrigará dirigentes de delegações militares de cerca de 100 países participantes dos Jogos.
O espaço contará com estrutura de hospedagem, lazer e apoio, além de um centro de mídia, onde serão realizados encontros, coletivas de imprensa e entrevistas com atletas militares brasileiros e estrangeiros. O centro de mídia, a cargo do CISM, também divulgará os resultados da participação dos atletas militares nas provas olímpicas.
O funcionamento do Clube CISM será uma oportunidade para a promoção e divulgação do desporto militar tomando-se, como referência, países que são potências olímpicas e que possuem atletas nos quadros de suas forças armadas. A intenção é difundir a importância do desporto militar e enaltecer sua contribuição ao movimento olímpico internacional.
Sobre o CISM
Com o slogan “Amizade através dos jogos”, o Conselho Internacional do Esporte Militar é uma das maiores organizações multidisciplinares do mundo. Fundado em 1948, organiza mais de 20 eventos desportivos para as forças armadas de seus 135 países membros, entre competições continentais, regionais e Jogos Mundiais Militares, com aproximadamente 30 modalidades.
Rio 2016
O Ministério da Defesa alcançou a meta de classificar para as Olimpíadas 100 atletas militares ligados às Forças Armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica) que integram o Programa Atletas de Alto Rendimento (PAAR). Até o início dos Jogos esse número deverá ser ultrapassado.
Também como desafio e contribuição ao Time Brasil, o Ministério da Defesa, por meio dos atletas militares, pretende conquistar 10 medalhas olímpicas. Esse resultado será o dobro das Olímpiadas de Londres, em 2012, quando 51 atletas militares competiram, trazendo como resultado cinco medalhas (uma de bronze no pentatlo moderno; três de bronze e uma de ouro no judô).
A atuação da Defesa inclui ainda a preparação e a formação de atletas que, por meio de federações esportivas, poderão utilizar as modernas instalações dos centros de treinamento da Marinha (Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes - Cefan), do Exército (Centro de Capacitação Física do Exército e Complexo Esportivo de Deodoro) e da Aeronáutica (Universidade da Força Aérea - Unifa). Nos últimos anos, o Ministério da Defesa investiu aproximadamente R$ 120 milhões nesses Centros que são considerados legados das Olimpíadas.

JORNAL DIÁRIO CATARINENSE


Procura é alta para autorizações de acesso ao Morro da Igreja, em Urubici, neste fim de semana


Com o frio intenso que está derrubando as temperaturas e a previsão de neve para os pontos mais altos do Estado a partir desta sexta-feira, é grande o movimento de turistas nas cidades serranas. Por isso, é bom os turistas se programarem para visitar pontos que necessitam de autorização prévia, como o Morro da Igreja, em Urubici.
Na manhã desta sexta-feira já não havia mais vagas para a visitação ao local no sábado, dia de maior movimento do ponto turístico. Até as 11h desta manhã, 95 das 200 autorizações diárias disponibilizadas pelo ICMBio para a visitação nesta sexta-feira já haviam sido retiradas.
A expectativa é de que as senhas restantes logo devem se esgotar em função do grande fluxo de turistas que ligam ou se encaminham até o escritório do órgão para retirar a liberação. Para a visitação no domingo, o instituto já tem 70 reservas preenchidas.
Por que é necessária autorização para acessar o morro
A visitação ao Morro da Igreja é limitada por integrar uma área de preservação de fauna e flora no Parque Nacional São Joaquim, e é um dos principais atrativos turísticos de Urubici por estar a 1.822 metros acima do nível do mar. O local é um dos pontos mais altos do Brasil e tem uma vista singular para um conjunto de montanhas da Serra Geral e para a Pedra Furada, outro ponto turístico do município.
O parque foi criado em 6 de julho de 1961 e abrange atualmente os municípios de Bom Jardim da Serra, Grão Pará, Orleans e Urubici. O destaque de sua variada vegetação são as araucárias, que preenchem a paisagem superior do parque. A fauna se caracteriza pela biodiversidade com destaque para o leão-baio, também conhecido como puma, bem característico da região.
Como agendar a visita
- Os agendamentos são realizados pelo email agendamentoparque@hotmail.com e pelo telefone (49) 3278.4994
- Após o agendamento, é necessário ir até o escritório do ICMBio retirar a autorização para apresentar no parque. O escritório fica na rua Pedro Bernardo Warmling, 1.542, aberto para a retirada das 8h às 12h, e das 13h às 16h30min.
- O parque está aberto para visitação das 8h até as 18h, sendo permitida a entrada do último carro até as 17h
- As autorizações são para os carros. São aceitos 200 veículos por dia, sendo 100 no horário da manhã e mais 100 à tarde. Ao pedir a autorização deve ser informado o horário de visitação desejada
- Motos não necessitam de autorização
- O controle de acesso de veículos é realizado porque no alto do morro há vaga de estacionamento somente para 30 veículos. Assim, é realizado um controle no portão de acesso para permitir que esteja no parque até 30 veículos ao mesmo tempo. A espera é feita em fila, na estrada de acesso ao parque, por ordem de chegada.
- Não há tempo máximo de permanência no parque estabelecido
Ondas de frio em SC
A quarta-feira, dia 8 de junho, já havia sido gelada em Santa Catarina. Em Urupema, onde fez -3,4°C, o vento derrubou a sensação térmica para -20°C pela manhã. Na quinta-feira, 9 de junho, a cidade voltou a ter frio abaixo de zero grau, com amanhecer marcando -5,3°C e sensação de -29°C. Nesta sexta-feira, porém, houve novo recorde: -7,2°C no município.
Possibilidade de neve
De acordo com a Epagri/Ciram, há chance de neve nas áreas mais altas da Serra entre noite de sexta-feira e madrugada de sábado. No próximos dias haverá também condição de geada no Oeste e Serra, e isolada nas demais regiões, incluindo o Litoral.
Fim de semana
O tempo seco vai predominar no fim de semana em Santa Catarina. O sol aparece enter nuvens na maior parte do Estado. Apenas as cidades da Serra devem ter uma maior nebulosidade durante o sábado por conta da umidade que avança do mar, em razão de um ciclone.
— Essas nuvens trazem pequenas condições de neve ao longo do sábado na região serrana. As temperaturas continuam baixas nas próximas noites e madrugadas, na mesma intensidade que tivemos nesta sexta, novamente ficando abaixo de 0°C nas cidades da Serra, Meio Oeste e Planalto Norte. Durante o sábado o frio permanece, já que as temperaturas não devem subir muito nem mesmo à tarde e nem no domingo — adianta a técnica em meteorologia da RBS.
Atenção para o mar
— Como temos um ciclone no mar na altura do sul do Brasil, as ondas ficam altas e há risco para navegação de pequeno e médio porte ao longo do fim de semana — alerta Bianca Souza
Até quando vai o frio?
A previsão é que Santa Catarina tenha dias bem frios até segunda-feira, ou seja, a partir de terça as temperaturas já devem ficar mais amenas com o frio perdendo força no Estado.

AGÊNCIA CÂMARA


Debatedores criticam falta de acessibilidade em aeroportos

Em audiência pública da Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência, agência reguladora recebeu sugestões para melhorar o atendimento

O atendimento às pessoas com deficiência nos aeroportos brasileiros recebeu muitas críticas durante audiência pública realizada na quarta-feira (8) pela Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência para debater a acessibilidade dos aeroportos brasileiros.
Os pontos mais destacados pelos participantes foram as dificuldades de mobilidade urbana, em especial a falta de transporte acessível para chegar aos aeroportos, e as falhas na comunicação entre os funcionários dos aeroportos e das companhias aéreas brasileiras e os passageiros com deficiência.
A presidente do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Minas Gerais (Conped-MG), Kátia Ferraz, ressaltou que um dos piores problemas enfrentados pelas pessoas com deficiência nas cidades brasileiras é a pequena frota de táxis e ônibus acessíveis, ou seja, adaptados para transportar esses passageiros até os aeroportos.
Fiscalização e multas
Para o presidente da comissão, deputado Professor Victório Galli (PSC-MT), que solicitou a realização da audiência pública, é importante saber se as necessidades especiais desses passageiros têm sido atendidas e se fiscalização da Anac tem sido efetiva, principalmente quanto à cobrança das multas às companhias aéreas, às concessionárias que administram aeroportos.
“Não é raro chegar-nos notícias de desrespeito às pessoas com deficiência. Há casos extremos de cadeirantes que têm que se arrastar para entrar nas aeronaves, pessoas que são esquecidas nas cabines de aviões ou outras que são impedidas de embarcar por falta do equipamento de acessibilidade”, salientou.
O gerente de Operações da Gerência Geral de Ação Fiscal da Anac, Marcelo Lima, ressaltou o trabalho de fiscalização realizado pela agência, efetivamente na cobrança de multas às companhias aéreas e às concessionárias que administram os aeroportos. Segundo ele, a Anac está em segundo lugar entre as agências de fiscalização, ficando atrás apenas do Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro).
Como exemplo, citou o caso da deficiente física Katya Hemelrijk, que precisou se arrastar pelas escadas de embarque em Foz do Iguaçu (PR). Segundo ele, a companhia aérea Gol e a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) foram multadas em R$ 63 mil e R$ 56 mil, respectivamente. Ele explicou que a Gol desistiu de recorrer e já pagou a multa.
No entanto, admitiu que a agência tem algumas dificuldades, como por exemplo, ainda não conseguiu oferecer capacitação em Libras para todos os fiscais. O representante da Anac explicou também que a agência utiliza a terminologia “passageiros com necessidade de atendimento especial (PNAE), porque é uma sigla internacionalmente conhecida e abrange não apenas pessoas com deficiência, mas também idosos, crianças, grávidas, lactantes ou pessoas que tenham algum tipo de mobilidade reduzida, ainda que temporariamente.
Victório Galli indagou se esse fundo era específico para a melhoria dos serviços voltados às pessoas com deficiência. Porém Marcelo Lima explicou que é um fundo geral para onde são revertidos os recursos arrecadados com todas as multas e lamentou não haver uma aplicação específica.
O presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), Eduardo Sanovicz, avaliou que, apesar de falho, o sistema de atendimento às pessoas com algum tipo de deficiência ou mobilidade reduzida nos aeroportos tem melhorado.
“Cada vez mais me convenço de que o desafio não é apenas estar a bordo de um avião. A viagem começa quando você sai de casa e não quando você sobe a escada do avião. Então, experiência de viagem requer atenção em todo processo e, nesse sentido, eu faço coro com a reclamação da senhora Kátia Ferraz”.
Sanovicz informou que o Brasil transportou pouco mais de 90 milhões de passageiros e apenas cerca de. 3% requeriam algum tipo de assistência especial. Segundo ele, no primeiro trimestre deste ano 659 mil passageiros necessitaram deste tipo de atendimento.
Surdos
Já o representante do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade) Filipe Trigueiro Xavier reclamou da ausência de menção aos surdos na Resolução 280/13 da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que regula o transporte aéreo de passageiros com deficiência.
Na opinião do conselheiro do Conade, embora a resolução seja eficaz, os surdos nem sequer foram ouvidos quando o texto final da resolução da Anac estava sendo construído. “Tem muitos pontos em que a resolução beneficia os cegos, mas não vejo soluções para problemas sofridos pelos surdos”, lamentou.
O presidente da Abear apontou como positivo o fato de não haver mais um limite para o número de PNAEs transportados em cada aeronave. Ele ressaltou que neste ano já foram realizados 423 treinamentos, com 7.988 profissionais que lidam diretamente com esse público.
Ele reconheceu, contudo, que o Brasil ainda está na metade do caminho, apesar dos avanços conquistados na última década.

AGÊNCIA BRASIL


Governo anuncia corte de 4,3 mil cargos comissionados e funções


Wellton Máximo

O governo cortará 4.307 cargos comissionados e funções, anunciou há pouco o ministro interino do Planejamento, Dyogo Oliveira. Além disso, 10.462 cargos de Direção e Assessoramento Superiores (DAS), de livre provimento, serão convertidos em funções comissionadas, exclusivas de servidores concursados.
O decreto que detalha os cortes por pasta será publicado nesta sexta-feira (10) em edição extraordinária do Diário Oficial da União. As conversões de cargos dependem de medida provisória, que também deverá ser editada hoje. Os ministérios e os órgãos vinculados terão 30 dias para reformular a estrutura administrativa e suprimir as funções e os cargos comissionados.
De acordo com Oliveira, as mudanças permitirão ao governo economizar R$ 230 milhões por ano. Ele diz que a reformulação reduzirá gastos e melhorará a gestão dos órgão públicos. “Essas medidas são voltadas à melhor organização da administração pública, redução da administração pública e reforço na profissionalização e na utilização de técnicas de gestão e de administração mais acuradas”, declarou.
Com as mudanças, o número de cargos de DAS no governo federal cairá de 24.250 para 10.404. As maiores diminuições ocorrem nos DAS de nível 1 e 2, de menor remuneração, com redução de 4.962 e 4.082, respectivamente. O número leva em conta tanto os cortes como a transformação dos DAS em funções comissionadas.
Se forem considerados apenas os cortes nos cargos de DAS, a diminuição chega a 3.384. Para chegar à redução de 4.307 cargos e funções, o governo eliminou 823 funções gratificadas (FG) e de 100 Gratificações Temporária de Atividade em Escola de Governo (Gaeg). A conta do Ministério do Planejamento, no entanto, inclui 881 cargos de DAS que foram cortados desde dezembro.

JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Rio tem confrontos e tiros perto de arenas e rotas da Olimpíada


Por Marco Antônio Martins

Na manhã desta sexta-feira (10), o arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta, se viu no meio de um tiroteio ao sair do Cristo Redentor e passar pelo morro do Fallet, comunidade que possui uma UPP (Unidade de Polícia Pacificadora), no centro da cidade.
Ao mesmo tempo, no morro da Mangueira, na zona norte, policiais militares foram atacados por traficantes do Comando Vermelho.
Na zona oeste, PMs trocaram tiros com traficantes durante operação no morro São José Operário e Covanca, na zona oeste. Em uma das comunidades da região, o morro da Barão, uma jovem foi vítima de estupro há 20 dias.
A 55 dias da Olimpíada, em todas as regiões do Rio, seja próximo das arenas ou no percurso de delegações e atletas, sobram confrontos entre facções ou troca de tiros de criminosos com policiais.
Na capital, o morador convive com duas situações. Em ao menos 20 bairros há disputas de território entre traficantes de três facções: Comando Vermelho, Terceiro Comando e ADA (Amigos dos Amigos). No sábado (4), traficantes da Babilônia tentaram invadir o Chapéu Mangueira, no Leme.
Outra cena que se tornou comum é o constante ataque de traficantes do Comando Vermelho contra policiais. Em favelas com UPPs, jovens PMs têm sido vítimas de emboscada por criminosos.
O resultado disso é que, em seis meses, 192 policiais foram baleados no Rio. No mesmo período do ano passado, 108, e no de 2014, 61.
A cada dia, pelo menos, um policial civil, militar ou rodoviário foi vítima de um disparo de criminosos. Desse total, 70 estavam em áreas ditas pacificadas, com UPPs. Ao todo, 43 policiais morreram.
Um dos casos foi do policial Eduardo Ferreira Dias, 37, morto em 22 de maio. O soldado Dias tinha três anos de PM. Havia acabado de assumir o plantão quando teve o carro da corporação cercado por dez traficantes que atiraram contra o seu peito.
MARACANÃ
A pouco mais de um quilômetro do Maracanã, local de jogos do futebol na Rio-16, a UPP Mangueira é considerada estratégica pela distância que está do estádio.
Quando inaugurada, em 2011, foi apontada como ponto que restava para fechar o chamado "cinturão de segurança" na zona norte da cidade. O estádio foi sede da final da Copa do Mundo, em 2014.
O Maracanã será palco das cerimônias de abertura e encerramento da Olimpíada. E ter a favela da Mangueira tranquila é um dos pontos de discussão entre os responsáveis pela segurança do evento.
O problema não se concentra apenas no entorno do Maracanã. Na quinta (9), a psicóloga e sargento da Marinha Anna Paula Cotta, 27, foi baleada em um dos acessos à Linha Amarela, uma das vias de acesso ao Parque Olímpico da Barra, na zona oeste.
A jovem tentou fugir de uma falsa blitz, montada por assaltantes para roubar veículos. Até a tarde desta sexta (10), Anna Cotta permanecia internada em coma induzido.
A via foi a escolhida para transporte de delegações que saem do aeroporto internacional do Galeão até as arenas e Vila Olímpica. No caminho, os complexos da Maré e de Cidade de Deus. A um quilômetro está o Complexo do Alemão.
Neste primeiro semestre, 21 pessoas morreram na capital vítimas de bala perdida. Outras 55 pessoas foram feridas. Uma delas foi Tainá Donato Severo, 21, que levou dois tiros na perna esquerda. No momento em que foi baleada havia um confronto entre traficantes e policiais de uma das quatro UPPs do Complexo do Alemão.
OUTRO LADO
A Secretaria de Segurança do Rio afirma que investe nas UPPs para combater a violência e que os índices de criminalidade atualmente são menores do que antes da implantação dessas unidades de polícia pacificadora.
A pasta vem dizendo nos últimos meses também que a Olimpíada estará preservada com reforço de segurança.
O Estado diz ter "como prioridade a preservação da vida e a redução de índices de criminalidade no Estado". "Por isso, investe desde 2007, no processo de instalação de UPPs nas comunidades e implantação do Sistema Integrado de Metas", afirma.
Segundo a pasta, nas áreas com UPPs, as mortes violentas (homicídio doloso, letalidade violenta, lesão corporal seguida de morte e latrocínio) apresentaram redução de 58,5% quando comparadas ao primeiro semestre do ano anterior à pacificação, 2007.
A secretaria destaca ainda que nos seis primeiros meses de 2007 houve 176 mortes violentas nas 36 áreas que contam com UPPs. No mesmo período de 2015, com unidades instaladas, foram 73.
O governo diz que vem tomando uma série de medidas para baixar os índices citados: a oferta de carabinas como alternativa ao uso dos fuzis, a construção de 85 novas bases para os policiais de UPPs no interior das comunidades e o treinamento dos policiais das unidades no Comando de Operações Especiais.
Segundo a secretaria, os PMs estarão preparados para confronto com traficantes.
A secretaria prevê para o segundo semestre deste ano o aumento do efetivo da Polícia Militar, com a formatura de 2.000 policiais.

REVISTA EXAME


Com troca de CEO, Embraer acumula queda de 40% no ano


Por Karla Mamona

São Paulo - As ações ordinárias da Embraer registravam perdas de 3% nesta sexta-feira (10). No ano, os papéis da companhia acumulam perdas de 40%.
O mercado repercute a notícia da troca de comando da companhia. A partir de julho, a empresa passa a ser presidida por Paulo Cesar de Souza e Silva no lugar de Frederico Curado.
Silva é atualmente vice-presidente para o segmento de aviação comercial, área responsável pela maior parte da receita da Embraer, e está na companhia desde 1997.
No mês passado, a Embraer anunciou que fechou um contrato de vendas de 260 milhões de dólares. A Across, provedora de serviços de aviação executiva do México, irá adquirir oito aeronaves Legacy 500, oito Phenom 300 e sete Phenom 100E.
O negócio faz parte de uma nova tendência no mercado de jatos executivos: o surgimento de companhias aéreas que oferecem aeronaves executivas de uma forma flexível aos empresários.
Primeiro trimestre
No primeiro trimestre deste ano, a Embraer teve lucro líquido atribuído aos acionistas de 385,7 milhões de reais, contra prejuízo líquido de 196,1 milhões de reais no mesmo período um ano antes.
O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) da fabricante de aeronaves somou 643,8 milhões de reais de janeiro a março, alta de 50% na comparação anual.

Para onde vai o dinheiro de um bilhete aéreo


Na última década, viajar de avião deixou de ser um luxo para se tornar uma realidade recorrente para muitos brasileiros. Com tarifas em queda e promoções, o número de passageiros no país saltou de 34 milhões, em 2002, para 103 milhões, no ano passado.
A democratização do transporte aéreo no Brasil está ligada aos preços das passagens, que caíram 40% nos últimos dez anos. Só entre 2011 e 2015, por exemplo, o valor médio da tarifa para voos domésticos caiu de 341 reais para 289 reais, segundo um levantamento da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).
Isso aconteceu em grande parte devido à chamada liberdade tarifária, em vigor desde 2002. Antes, o governo era responsável por estabelecer faixas de preços para os bilhetes aéreos. Com a desregulamentação, as companhias aéreas passaram a definir os valores com base nos custos e na demanda de mercado.
O movimento estimulou a competitividade e a entrada de novas empresas aéreas no mercado brasileiro. Mas, além da concorrência, muitos outros fatores influenciam o valor final do bilhete aéreo. Conheça, abaixo, quais são.
Gasto com combustível
O maior custo para colocar um avião no ar é o combustível: 38% do valor final de uma passagem são destinados ao abastecimento das aeronaves. No Brasil, o preço do galão de querosene de aviação (QAV) varia entre 4 e 6 dólares nos aeroportos, enquanto 3 dólares é a média mundial. Por aqui, para encher o tanque de um Boeing 787, que comporta mais de 33 mil galões de combustível, o gasto pode ultrapassar 200 mil dólares.
Como o preço do QAV está atrelado ao dólar, as companhias aéreas pagam antes pelo combustível que vão usar no futuro. Assim conseguem se proteger em casos de grandes flutuações cambiais. Isso também pode se refletir no preço final da passagem.
Impostos e taxas
A percepção de que voos nacionais muitas vezes custam mais do que internacionais não somente é real como tem um motivo claro: o valor dos impostos no Brasil. O principal é o ICMS sobre o combustível, que incide apenas em voos domésticos. Sua alíquota é variável e pode alcançar o teto de 25%, de acordo com o estado.
O ICMS, sozinho, representa cerca de 8% dos custos de voar. No caso de rotas para o exterior, tanto companhias aéreas nacionais quanto internacionais são isentas desse imposto – o que explica a diferença de preço entre voos internos e externos.
Existem ainda outros impostos e taxas que impactam o valor da passagem, como as tarifas cobradas pelos aeroportos para pouso, permanência, conexões, utilização dos balcões de check-in, comunicação e serviços de auxílio à navegação. Só em 2015 o reajuste foi de 72,8% em três taxas de navegação aérea. Os valores cobrados por áreas operacionais e por espaço nos aeroportos também têm sofrido alterações. A maior parte da arrecadação tem quatro destinos: o operador do aeroporto, o Programa Nacional de Auxílio a Aeroportos, o Fundo Nacional de Aviação Civil e o Comando da Aeronáutica.
Manutenção e demais serviços
A manutenção da aeronave e dos equipamentos de segurança usados durante o voo, os serviços oferecidos a bordo, os salários da equipe de comissários, e toda a estrutura administrativa das companhias aéreas também influenciam no preço final da passagem.
A busca das companhias aéreas por preços mais competitivos gerou uma mudança nos serviços de bordo ao longo dos anos. Hoje, são oferecidos lanches nos voos e algumas companhias não têm serviço de bordo em voos curtos, para deixar as passagens mais baratas.
O peso da bagagem
A ANAC tem uma proposta de desregulamentação das franquias de bagagens despachadas. Atualmente, em voos domésticos, os passageiros brasileiros podem levar 5 quilos de bagagem de mão e despachar até 23 quilos sem cobrança adicional. Nos voos internacionais, a franquia chega a duas malas com 32 quilos cada uma.
O valor da bagagem é diluído no preço de todas as passagens. Assim, a tarifa fica mais alta e as pessoas que voam sem malas pagam pelas que carregam bagagem. Nos Estados Unidos e na Europa, por exemplo, apenas a mala de mão é gratuita. Um passageiro da American Airlines paga 25 dólares pela bagagem despachada. Na europeia Ryanair, o preço gira em torno de 40 euros (cerca de 150 reais).
Preços em queda
É muito possível que o processo de democratização do transporte aéreo, iniciado com a liberdade tarifária, na década passada, tenha continuidade nos próximos anos. Mudanças como a proposta de desregulamentação da franquia de bagagem visam aproximar a legislação brasileira dos padrões internacionais, facilitando a integração com o mercado global. Além disso, a própria concorrência entre as companhias aéreas, um dos motores da queda de preços após a liberdade tarifária, deve continuar mantendo o patamar atual dos valores praticados. “A concorrência faz com que as empresas voem com o preço bem perto do valor de custo”, afirma Felipe Souza, especialista da Lafis Consultoria.

JORNAL O POVO (CE)


R$ 1,4 bi em isenção para quem trouxer hub

A concessionária que ganhar o leilão para operar o Aeroporto de Fortaleza receberá o incentivo fiscal no período de 25 anos, que é a soma das isenções de impostos estaduais e municipais, se o hub se instalar na Capital

Por Beatriz Cavalcante

Governo do Estado e Prefeitura de Fortaleza investem em mais uma estratégia para atrair o centro internacional de conexões de voos (hub) da Latam (fusão entre a chilena LAN e a brasileira TAM) para o Ceará. Caso qualquer hub venha para a Capital, será dada a soma R$ 1,4 bilhão em isenção de impostos estaduais e municipais, no período de 25 anos, para a concessionária que ganhar o leilão do Governo Federal para operar o Aeroporto Internacional Pinto Martins. A ideia é que, além do Governo, a concessionária também lute para atrair o hub.
“A operadora (do aeroporto) vai ter incentivo fiscal de terreno, todo tipo de imposto, mas, desde que uma empresa monte um hub aqui em Fortaleza. Se não, ela vai seguir a vida dela normal. Se não tivermos hub, a concessionária não vai participar dos incentivos fiscais”, explicou Arialdo Pinho, secretário do Turismo do Estado.
O secretário ministrou palestra sobre o potencial turístico do Ceará, ontem, nos 15 anos da Câmara Brasil-Portugal no Ceará (CBP-CE), no Hotel Praia Centro. Na ocasião, Arialdo frisou que, para o hub, já tem as licenças ambientais federais, estaduais e municipais de toda a área do aeroporto, para que não haja problemas em uma construção de segunda pista ou terminais que atendam ao centro de conexões.
“O hub da Latam, quando chegamos lá, era uma lista que achávamos que era impossível de cumprir”. Ele frisou que, antes, as vantagens eram para o Rio Grande do Norte, mas agora a situação mudou. Isso porque o Ceará já cumpriu todas as exigências da Latam, como colocar o Aeroporto na lista de concessões do Governo, o terreno da Base Aérea e os incentivos fiscais.
“É claro que a TAM está esperando a decisão (da concessão) do Ceará. Por isso que ela vem adiando”, afirmou. Para ele, a vinda do centro de conexões de voos para o Nordeste é “inevitável”. Isso porque, segundo calcula, um hub fora do Nordeste custa cerca de U$S 1 bilhão e, na região, esse valor cairia para US$ 400 milhões.
Aviação regional
No âmbito da aviação regional, Arialdo disse que quer desenvolver dois voos semanais para Crateús e São Benedito, três semanais para Aracati e voos diários para Jericoacoara. A estratégia para conseguir as frequências seria custeando assentos para companhias aéreas. “Vamos mudar essa ótica dos outros estados de dar incentivo fiscal para combustível (querosene). Eu sou contra”.
Para ele, subsidiar assentos de aéreas faz com que elas se sintam estimuladas a promover os destinos turísticos do Ceará. “Vão ter que fazer propaganda, ter que colocar gente dentro para eu poder pagar (o benefício)”.
Jericoacoara
Até o final de agosto, o secretário espera que seja fechado convênio com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) para cercar o Parque Ecológico de Jericoacoara, construir três portarias na reserva e estacionamento, para que apenas carros autorizados entrem na vila. Será disponibilizado transporte público do estacionamento até Jericoacoara.
Ainda serão construídas duas ruas para acesso à vila e uma área invadida por moradores será retirada. No local da invasão, será feito o corredor eólico, que é onde o vento bate e a areia se movimenta. A ideia é deslocar areia para abastecer a duna do pôr-do-sol de Jericoacoara, que já diminuiu 12 metros.
Para realizar essas modificações, o Governo conta com U$S 65 milhões da Corporação Andina de Fomento (CAF). Arialdo acrescenta que o Estado ainda quer que o Parque Ecológico de Jericoacoara, hoje reserva Federal, passe para mãos estaduais. A ideia é cobrar ingresso para entrar na reserva, assim como se faz em Fernando de Noronha. “Se cobrasse ingresso, seria faturamento de R$ 40 milhões para Jeri, por ano, para trabalhar o destino”, disse.
NÚMEROS
1,3 bi
de reais é o mínimo a ser investido pela concessionária do Aeroporto
Saiba mais
Armando Abreu, presidente da CBP-CE, presente no evento, disse que as áreas pujantes do Ceará com Portugal são hotelaria, restaurantes, energias renováveis e construção civil. Ele adiantou que apresentará, “em breve”, junto à Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), relatório de investimento estrangeiros no Ceará
Erick Vasconcelos, secretário do Turismo de Fortaleza, disse ao O POVO que, para a alta estação, a ocupação hoteleira da Capital se encontra em 45% e deve chegar a 75% em julho
Os empresários portugueses, Emanuel Freitas, gerente geral o hotel Dom Pedro Laguna, e Jorge Chaskelmann, diretor do Aquiraz Riviera, confirmaram que há negociações para compra de parte do Aquiraz Riviera pela Manhattan, mas que não há nada finalizado ainda.

PORTAL UOL


Presidente da Embraer sai de surpresa e chefe comercial assume


Por Brendan Case E Julie Johnsson

A Embraer informou que Frederico Curado deixará o cargo de presidente após nove anos no comando, uma saída inesperada da fabricante de aviões brasileira, que enfrenta concorrência mais forte no mercado de jatos regionais.
O vice-presidente-executivo de Aviação Comercial da empresa, Paulo César de Souza e Silva, substituirá Curado, 54, e a transferência das funções executivas ocorrerá no mês que vem, disse a empresa em um comunicado na quinta-feira. A transição plena ocorrerá até o fim do ano.
A troca de executivos pega a fabricante brasileira de aviões em um momento crítico, em que trabalha para certificar o primeiro modelo de sua família de jatos E-Jet E2. A aeronave regional atualizada enfrenta uma série de novos concorrentes, como o C Series, da Bombardier, o MRJ da Mitsubishi, e o chinês Comac C919.
"É bastante extraordinário que isso aconteça agora que o E-2 vai voar", disse Richard Aboulafia, analista aeroespacial da Teal Group, sobre a mudança de liderança.
A saída de Curado faz parte de uma "transição planejada", disse Saulo Passos, porta-voz da Embraer.
Queda das ações
A fabricante com sede em São José dos Campos, São Paulo, é a mais recente das empresas aeroespaciais a reformular sua equipe de liderança em meio a desafios no mercado e a uma maior pressão de estreantes.
A Spirit AeroSystems Holdings, a maior fornecedora da Boeing, anunciou na quarta-feira que o CEO Larry Lawson se aposentará no fim de julho. Novos líderes assumiram as rédeas da Boeing, da Bombardier, da Rolls-Royce e da United Technologies nos últimos dois anos.
A Embraer caiu 39% neste ano, contra um ganho de 18% do Ibovespa. A valorização do real poderá gerar alguns "ventos contrários" em termos de custos neste ano, disse Curado em abril. O avanço de 17% do real em relação ao dólar é o maior deste ano entre as 16 principais moedas monitoradas pela Bloomberg.
Durante o primeiro trimestre a Embraer não registrou nenhuma venda de jato, segundo dados compilados pela Bloomberg Intelligence. A pausa foi encerrada quando a Horizon Air, subsidiária da Alaska Air Group, encomendou 30 jatos E175, em abril.
A carteira de pedidos firmes da fabricante brasileira estava em US$ 21,9 bilhões no fim do primeiro trimestre, contra US$ 20,4 bilhões um ano antes e US$ 22,5 bilhões no fim de 2015.
Investigação de corrupção
A Embraer pode receber multas "substanciais" nos EUA em um momento em que se movimenta para resolver uma investigação envolvendo a chamada Lei de Práticas Corruptas Estrangeiras, disse a empresa no início deste ano.
Executivos do alto escalão, incluindo Curado, sabiam que o consultor de vendas Elio Moti Sonnenfeld estava pagando propinas ligadas à venda de aeronaves à República Dominicana, reportou o Wall Street Journal em março, citando resumos oficiais das declarações de Sonnenfeld.
A empresa disse que não poderia comentar o assunto porque a reportagem foi "baseada em alegações que aparentemente foram vazadas de uma declaração confidencial de um réu em uma ação judicial que está sob sigilo no Brasil e indisponível para a empresa". A Embraer afirma que está cooperando com as autoridades.
A saída de Curado não teve relação com nenhuma investigação oficial, disse Passos, o porta-voz da empresa.
"Não há conexão entre nenhuma investigação do governo e a transição que estamos iniciando", disse Passos.

MC-21: o superavião com que a Rússia quer quebrar o domínio da Airbus e da Boeing nos céus


O MC-21, um avião que promete ser mais veloz e voar mais longe que seus rivais, é a grande aposta da Rússia para recuperar terreno perdido no mercado da aviação civil.
A aeronave azul e branca é fabricada pela empresa aeroespacial estatal Irkut e é nada menos que o primeiro avião de passageiros de média capacidade desenvolvido pela Rússia no século 21, de acordo com a mídia do país.
O MC-21 foi apresentado esta semana em uma cerimônia marcada pela presença do primeiro-ministro, Dimitri Medvedev, em um hangar da Irkut na região da Sibéria.
"É uma grande vitória da nossa indústria de aviação e de nossos cientistas, engenheiros e trabalhadores", disse Medvedev.
Seis mil quilômetros
Assim como seus rivais diretos no segmento de mercado - o Boeing 737 e o Airbus 320 -, o MC-21 é movido por duas turbinas e tem fuselagem de corredor único. Pode cobrir distâncias de até 6 mil km, autonomia maior que a do Boeing 737, mas menor que a do Airbus 320 (6,4 mil km). Dependendo do modelo, poderá transportar entre 165 e 211 passageiros.
Segundo a Irkut, a aeronave será até 15% mais eficiente que os rivais e terá custos operacionais 20% menores. Cada unidade será vendida a US$ 35 milhões, quase três vezes menos que um Airbus e quase metade do preço de um Boeing 737.
Medvedev afirmou que o novo avião, que ainda está em fase de testes e só deverá ser comercializado a partir de 2018, será "confiável e eficiente". O premiê disse estar convencido de que o MC-21 ajudará a Rússia a quebrar o duopólio da americana Boeing e da anglo-francesa Airbus no setor.
A Rússia também espera reduzir a dependência de sua própria frota destes modelos.
O MC-21 substituirá os antigos modelos da era soviética, incluindo o Tupolev Tu-204 e o Yak-40. A nova aeronave está sendo construída com base em uma liga de alumínio e titânio, que reduz seu peso e o consumo de combustível.
Primeiros voos
A Irkut diz já ter recebido 175 encomendas de aeronoves, 50 delas da companhia aérea estatal russa Aeroflot, que espera receber as primeiras unidades a partir do final de 2018. Os primeiros voos de teste deverão ocorrer já no ano que vem.
Os planos da Irkut são de fabricar 20 unidades anuais a partir de 2020 e de amplicar a produção para 70 por ano em 2023.
Apesar do discuso ufanista russo, pelo menos um terço das peças do MC-21 são fabricadas no exterior. Alguns modelos terão motores russos, ainda em desenvolvimento, ao passo que outros usarão propulsores da marca americana Pratt & Whitney.
Uma comparação entre os três aviões:
MC-21
Fabricante: Irkut Corporation (Rússia)
Quantidade máxima de passageiros: 211
Autonomia: 5.500 - 6.000 km
Primeiro voo: 2018 (previsão)
Airbus 320
Fabricante: Airbus (França - Reino Unido)
Quantidade máxima de passageiros: 189
Autonomia: 6.480 km
Primeiro voo: 1987
Boeing 737
Fabricante: Boeing (EUA)
Quantidade máxima de passageiros: 186
Autonomia: 4.600 km
Primeiro voo: 1967

JORNAL CORREIO DO POVO


Ministério da Defesa alcança meta de 100 atletas militares classificados nas Olimpíadas

O número de atletas das Forças Armadas classificados é o dobro da quantidade das Olimpíadas de Londres, em 2012

Por Tnh1

A 57 dias para o início dos Jogos Olímpicos Rio 2016, o Ministério da Defesa alcançou sua meta de classificar 100 atletas militares que irão em busca de medalhas na competição. O objetivo foi atingido nesta quinta-feira (09), após a divulgação pela Confederação Brasileira de Ciclismo dos nomes das sargentos da Aeronáutica Clemilda Fernandes e Flávia Paparella, na modalidade de ciclismo de estrada.
O número de atletas das Forças Armadas classificados é o dobro da quantidade das Olimpíadas de Londres, em 2012, quando 51 militares competiram. “É um marco relevante na história do desporto militar brasileiro e representa para nós integrantes do Ministério da Defesa um grande privilégio podermos ofertar esta vultosa contribuição para a transformação do Brasil em potência olímpica. Uma justa aspiração há muito tempo acalentada. Como ainda existem vagas em disputa, temos grandes possibilidades de ampliar esta participação”, afirma o diretor do Departamento de Desporto Militar, almirante Paulo Zuccaro.
O próximo desafio do Ministério da Defesa é contribuir para o resultado do Brasil nos Jogos com a conquista de medalhas. “Este feito aumenta nossos compromissos e nossas responsabilidades na busca de outra meta, a de que nossos atletas militares conquistem pelo menos 10 medalhas nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Com garra, técnica e vibração, chegaremos lá”, comenta Zuccaro.
Em Londres, os militares subiram ao pódio cinco vezes. A sargento do Exército, Yane Marques, obteve medalha de bronze no pentatlo moderno. Já os judocas Felipe Kitadai, Rafael Silva e Mayra Aguiar conquistaram três medalhas de bronze e o tão sonhado ouro veio pelas mãos da também judoca da Marinha, Sarah Menezes.
Até o momento, o Time Brasil conta com 214 atletas brasileiros. Desse total, 40 são da Marinha, 41 do Exército e 19 da Aeronáutica. A equipe de judô é exclusivamente militar. Os 14 atletas integram o Programa Atletas de Alto Rendimento do Ministério da Defesa. A modalidade está entre as apostas de medalhas brasileiras para as Olimpíadas.
Outra delegação composta em grande parte por atletas militares é a de natação. Estão classificados 29 nadadores, dos quais 13 integram o programa de desporto militar do Ministério da Defesa. Entre eles os já medalhistas João de Lucca, Leonardo de Deus, Guilherme Guido, Graciele Herrmann, Etiene Medeiros e Manuella Lyrio.
PAAR
O Programa Atletas de Alto Rendimento (PAAR) é uma parceria dos Ministérios da Defesa e do Esporte e tem o objetivo de fortalecer a equipe militar brasileira em eventos esportivos de alto nível.
Os esportistas têm à disposição todos os benefícios da carreira militar, como salários, plano de saúde, férias e assistência médica, incluindo nutricionista e fisioterapeuta, além de disporem de todas as instalações esportivas militares adequadas para treinamento. Os atletas também são beneficiados pelas bolsas Pódio e das categorias Olímpica, Internacional e Nacional do Ministério do Esporte.
Atualmente, integram o PAAR 670 atletas, sendo 594 militares temporários e 76 de carreira. O programa inclui 26 modalidades olímpicas (atletismo, badminton, basquete, boxe, ciclismo, esgrima, futebol, golfe, handebol, hipismo, judô, levantamento de peso, lutas associadas, maratona, nado sincronizado, natação, pentatlo moderno, remo, saltos ornamentais, taekwondo, tiro, tiro com arco, triatlo, vela, vôlei e vôlei de praia) três modalidades não olímpicas (cross country, lifesaving e futebol de areia) e cinco modalidades tipicamente militares (orientação, paraquedismo, pentatlo aeronáutico, pentatlo militar e pentatlo naval).
CLUBE CISM
Durante os Jogos Rio 2016, todos os atletas militares que estejam participando do evento, bem como integrantes do mundo desportivo militar, cuja organização central é o Conselho Internacional do Esporte Militar (CISM), terão à disposição um espaço exclusivo, localizado na Universidade da Força Aérea (UNIFA), no Campo dos Afonsos.
O Clube CISM contará com estrutura de hospedagem, lazer e apoio, além de um centro de mídia, onde serão realizados encontros, coletivas de imprensa e entrevistas com atletas militares brasileiros e estrangeiros. O centro de mídia, a cargo do CISM, também divulgará os resultados da participação dos atletas militares nas provas olímpicas.
O funcionamento do Clube CISM será uma oportunidade para a promoção do desporto militar tomando-se, como referência, países que são potências olímpicas e que possuem atletas nos quadros de suas forças armadas. A intenção é difundir a importância do desporto militar e enaltecer sua contribuição ao movimento olímpico internacional.

OUTRAS MÍDIAS


PORTAL O DIÁRIO (PR)


Pupin representa Maringá em apresentação de aeronave na Rússia

O prefeito Roberto Pupin (PP) está cumprindo agenda oficial na Rússia em viagem diplomática com o objetivo de participar de evento a convite da empresa de aviação Irkut Corporation, que assinou um termo de compromisso para investimentos em Maringá.
Pupin participou de uma reunião com o presidente da Irkut para debater os projetos de possível implantação da empresa no Polo Aeronáutico de Maringá. O encontro contou com a presença da vice-governadora, Cida Borghetti e do diretor-presidente da Agência Paraná de Desenvolvimento, Adalberto Netto.
O evento MC-21 Official Rollout Ceremony foi realizado nesta quarta-feira (8), em Irkutsk, na Rússia, ocasião em que foi apresentado o modelo da aeronave MC 21, com capacidade para até 200 passageiros, produzido pela Irkut Corporation. A empresa está entre os dez maiores fabricantes mundiais de aviões, possuindo mais de 14 mil funcionários e é uma divisão do grupo United Aircraft Corporation (UAC), cujo faturamento em 2014 superou US$ 4,8 bilhões.
O evento contou com a presença do presidente da empresa, Oleg Demchenko, do primeiroministro da Rússia, Dmitri Medvedev, além de autoridades e colaboradores envolvidos no desenvolvimento da aeronave.
"Nossa proposta é buscar investidores para viabilizar o projeto do Polo Aeronáutico do Paraná em Maringá. E é justamente para isso que estou trabalhando, para colocar a cidade na concorrida disputa entre outros municípios da América Latina e mostrar que Maringá é a melhor alternativa para a instalação da Irkut. Como gestor público, tenho o dever e a obrigação de ir atrás de investidores para estimular a economia também nesse setor, que tem recebido investimentos aqui e apoio dos governos estadual e federal", disse Pupin.
Desde 2015, Prefeitura, governo do Paraná e Agência Paraná de Desenvolvimento têm feito estudos para o desenvolvimento do setor aéreo em Maringá, tendo inclusive assinado Termo de Compromisso para viabilizar investimentos no setor. Os termos da cooperação foram definidos em setembro, em Moscou, Rússia, na última missão internacional integrada pelo prefeito.
A apresentação do novo modelo da Irkut foi feita pelo presidente da empresa, Oleg Demchenko, na planta industrial da companhia. O evento teve a presença do primeiro-Ministro da Rússia, Dmitri Medvedev, de autoridades e empresas de diversos países e continentes ligados à aviação para detalhar informações sobre o novo modelo antes do primeiro vôo, previsto para início de 2017.
Cida Borghetti representou o governador Beto Richa na cerimônia e reiterou o apoio do Governo do Paraná ao projeto da companhia russa no Estado. "São investimentos que vão estimular a inovação e a transferência de tecnologia com a formação de mão de obra qualificada e especializada. O Governo do Paraná dará o suporte necessário", afirmou a vice-governadora.
O presidente da Agência Paraná de Desenvolvimento (APD), Adalberto Netto, salientou que a empresa russa está expandindo os negócios e a instalação de uma unidade no Brasil é estratégica para a entrada nos mercados da América do Sul. "É uma grande operação que irá gerar diferentes oportunidades para parceiros brasileiros, desde fabricação de peças, a logística, financiamento de aeronaves e treinamento de instrutores", detalhou. Adalberto salientou que desde 2015 a empresa russa está expandindo os contatos com as empresas de aviação no Brasil para a seleção e qualificação de fornecedores de suprimentos, produtos e serviços. "O Paraná foi escolhido como base para as operações da América Latina da Irkut. É uma grande operação que irá gerar diferentes oportunidades para parceiros brasileiros, desde fabricação de peças, a logística, financiamento de aeronaves e treinamento de instrutores", disse ele. "É importante lembrar que o MC-21 é um avião internacional fabricado na Rússia, possuindo fornecedores de várias partes do mundo incluindo Estados Unidos, Reino Unido, França, Canadá."
MARINGÁ - O Estado definiu Maringá e região como áreas para a implantação de um polo de aeronáutica e defesa e o Governo do Estado propôs uma lei específica de incentivos. Chamada de Paraná Aéreo, a lei garante benefícios diferenciados para empresas de projeto, engenharia, manutenção, peças e montadoras de aeronaves civis e militares.
Maringá reservou uma área de 40 alqueires, ao lado do aeroporto municipal, destinada exclusivamente para a instalação de empresas do setores de defesa e aeroespacial.
A APD desenvolve, em parceria com o município e outras organizações, um programa local de atração de investimentos focado no setor aeroespacial e defesa, com o foco na preparação do município e da região para a prospecção e atração de investimentos do setor aeroespacial e defesa (A&D) no estado.
MC-21 - A nova aeronave irá competir no segmento de aeronaves comerciais médias, como Airbus A320 e Boeing 737. Os aviões têm capacidade para carregar de 150 a 212 passageiros.
Os testes de vôo estão previstos para dezembro de 2016 ou fevereiro de 2017 e a primeira entrega da aeronave a clientes para o final de 2018. A empresa afirma que já tem 175 encomendas confirmadas e mais de 100 em negociação.
A Irkut Corporation está entre os dez maiores fabricantes mundiais de aviões e tem 14 mil funcionários. A empresa é uma divisão do grupoUnited Aircraft Corporation (UAC), cujo faturamento em 2014 superou US$ 4,8 bilhões.

PORTAL GOIÁS AGORA (GO)


Uso de aviões da FAB deve aumentar transplantes 

A manutenção de um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) permanentemente à disposição para o transporte de órgãos, tecidos e partes do corpo humano para transplante foi determinada pelo presidente interino Michel Temer, que assinou decreto neste sentido nesta segunda-feira, dia 6. Segundo o gerente da Central de Transplantes do Estado de Goiás, Luciano Leão, a iniciativa é fundamental para a descentralização de ações deste tipo de cirurgia, por todo o Brasil, tornando a ‘cultura popular’ em transplantes uma nova realidade.
Para Luciano Leão, a doação efetiva e o transplante de órgãos e tecidos precisam contar com muitos fatores para acontecer com sucesso. “Pensem apenas numa situação: um órgão doado no Sul do Brasil somente tem um receptor compatível no Norte. Aí começam as maiores dificuldades logísticas, como conciliar horário de voos entre o local da doação e o do implante, respeitando-se o tempo de viabilidade do órgão, que é variável, conciliando-se esse tempo com os voos. Não é fácil”, explica Luciano.
O gerente também afirma que, como somente 3% das cidades brasileiras são atendidas por voos de carreira de empresas aéreas particulares, a realização dos transplantes é prejudicada. “E as demais cidades, como é que ficam? Não terão direito a proporcionar a um cidadão ou uma cidadã o direito à doação, conforme a legislação?”, diz.
Avaliando todos esses aspectos, de acordo com o gerente, é bem positiva a notícia, mas novos acréscimos deverão ser feitos. “Um grande desejo meu consiste em incluir a aviação de pequeno porte nessa logística. Da mesma forma, tanto poderão transportar órgãos quanto pacientes e equipes para captação, onde for necessário”, diz Leão.

PORTAL NOTÍCIAS AO MINUTO (PORTUGAL)


Stade de France: Ameaça de bomba a poucas horas do início do Euro

Segundo está a ser reportado pela imprensa francesa, o palco que hoje recebe o jogo inaugural do Euro teve de ser evacuado depois de uma ameaça de bomba. Entretanto, segundo informações mais recentes, já se sabe que tudo não terá passado de um falso alerta.
Segundo está a ser reportado nas redes sociais e pela imprensa francesa, a poucas horas do jogo inicial do Euro, o Stade de France foi evacuado de emergência depois de uma ameaça de bomba.
A sala de imprensa do estádio foi evacuada, com alguns jornalistas a publicarem no Twitter o momento de tensão.
Polícias com cães farejadores estarão agora a inspecionar as instalações. De referir que os jornalistas, antes da entrada neste recinto, foram revistados em detalhes.
De referir que França está sob alerta máximo depois do atentados em Paris, a 13 de novembro, precisamente no jogo seleção França – Alemanha.
Entretanto, surgem relatos de que todos estes procedimentos não passaram de exercícios de rotina para testar as condições de segurança no recinto.

JORNAL FLORIPA (SC)


Dilma visita obras em polo de alta tecnologia de Campinas

A presidenta afastada Dilma Rousseff fez hoje (9) a primeira viagem ao estado de São Paulo desde seu afastamento pelo processo de impeachment.
Ela foi a Campinas (SP) visitar o canteiro de obras do projeto Sirius, do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais, onde está sendo construído o acelerador de partículas com o maior brilho do mundo.
Dilma chegou por volta do meio dia e deixou o local às 13h, sem falar com a imprensa. Durante a visita, a presidenta afastada, acompanhada do ex-ministro Aloízio Mercadante, recebeu rosas vermelhas de funcionários do centro. Conversou também com um grupo de universitários que seguravam cartazes em favor de cotas raciais.
Dilma viajou de Brasília à Campinas em um avião particular, já que o Planalto restringiu o uso de aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) para seus deslocamentos.
Após a visita, ela seguiu para almoço na casa do físico Rogério Cerqueira Leite, professor emérito da Universidade de Campinas (Unicamp).
Protesto
Manifestantes contrários à Dilma concentram-se desde as 11h30 em frente ao condomínio fechado onde está programado o almoço entre Dilma, professores e intelectuais.
De acordo com a Polícia Militar, cerca de 30 pessoas fazem um ato pacífico, bloqueado a Avenida João Paulo I, na cidade de Campinas.
Acelerador de partículas
O acelerador de elétrons em construção desde dezembro de 2014 têm grande importância no cenário científico mundial.
De acordo com Antônio José Roque da Silva, diretor do projeto, o acelerador funciona como uma ponteira de laser, que cobre ultravioleta e, principalmente, Raio X. Isso gera radiação, com uma luz de altíssimo brilho.
“O acelerador pode penetrar materiais e investigar na escala dos átomos e das moléculas. Então, é um enorme microscópio que pode ajudar a investigar remédios, estrutura do cérebro, de tecidos, Zika, novas sementes e absorção de qualquer elemento por raízes”, explicou.
O projeto é financiado pelo Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação, com recurso de R$ 1,3 bilhão empenhado, o equivalente a um terço do necessário para a conclusão das obras.
O orçamento é renovado anualmente. A previsão é que o acelerador comece a operar em 2019.

PORTAL IDG NOW!


Ministério da Ciência, Tecnologia e Comunicações receberá mais R$ 1,4 bilhão

Gilberto Kassab declarou que a prioridade da sua gestão é recompor o orçamento público para investimentos em CT&I
Estrangulado por cortes no primeiro semestre, o orçamento do agora Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) começa a respirar. Em entrevista exclusiva à Agência Gestão CT&I, o titular da pasta, ministro Gilberto Kassab, afirmou que a pasta recuperou cerca de R$ 1,4 bilhão.
O ministro recebeu a notícia na manhã da última quarta-feira, pouco antes de se reunir com representantes de algumas unidades de pesquisa que compõe o MCTIC, que haviam sido contingenciados no início do ano.
A medida estava sendo negociada com o Ministério do Planejamento e será possível graças à autorização dada pelo Congresso Nacional para reduzir a meta fiscal de 2016 e permitir que o governo federal feche o ano com um déficit de até R$ 170,5 bilhões nas contas públicas. Na prática, os parlamentares liberam o Executivo para gastar mais do que arrecadar. Se confirmado esse déficit ao fim do ano, será o pior resultado da série histórica iniciada em 1997.
Do total liberado, R$ 1 bilhão é para compor as atividades de ciência, tecnologia e inovação (CT&I) e R$ 400 milhões são para o projeto Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações (SGDC-1). O Decreto Presidencial que concede mais recursos ao MCTIC será publicado ainda nesta semana.
O ministro Gilberto Kassab declarou que a prioridade da sua gestão é recompor o orçamento público para investimentos em CT&I. A pasta luta para equiparar o orçamento de 2016 ao de 2015. Uma das frentes trabalhadas pela equipe do MCTIC é desbloquear os recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT).
“Vamos trabalhar para mostrar a importância dos recursos contingenciados do FNDCT. A ideia é mostrar que as nossas áreas têm sido colocadas num patamar inferior àquilo que recomenda o bom senso. Os recursos [bloqueados] são bem menores quando comparado aos de outras áreas e são significativamente mais importantes”, declarou Kassab, à agência.
No início deste ano, a equipe econômica da presidente afastada Dilma Rousseff cortou R$ 1,08 bilhão do orçamento do então Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação (MCTI), numa tentativa de conter o rombo nas despesas do Estado.
SGDC-1
O projeto, cujo orçamento total é de R$ 1,8 bilhão, está em andamento na França e tem a participação de técnicos brasileiros no seu desenvolvimento. O Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações vai trazer mais segurança às comunicações estratégicas e militares do governo brasileiro, além de ser utilizado para cumprir os objetivos do Programa Nacional de Banda Larga (PNBL), levando internet em alta velocidade a regiões isoladas, como municípios da Amazônia.
O satélite ficará posicionado a uma distância de 36 mil quilômetros da superfície da Terra, cobrindo o território brasileiro e o oceano Atlântico. O SGDC-1 vai operar na chamada banda X, uma faixa de frequência destinada exclusivamente ao uso militar, correspondendo a 25% da capacidade total do satélite. Atualmente, as comunicações militares brasileiras são realizadas por meio do aluguel da banda X em dois satélites privados, ao custo anual de R$ 13 milhões.

PORTAL DECISION REPORT (SP)


A arma contra ciberataques durante as Olimpíadas

Os jogos Olímpicos do Rio de Janeiro estão chegando e com eles podem vir os ciberataques que deverão causar preocupações para as empresas que não se prevenirem. Segundo o diretor de operações da Arcon, Cristiano Pimenta, “os grandes eventos acabam se tornando distrações que possibilitam a aplicação de diversas estratégias de ataques cibernéticos, seja por conta da curiosidade das pessoas, propensas a acessar qualquer coisa sem uma análise crítica ou também pelas empresas que podem não relacionar diversos eventos incompatíveis com a normalidade afetando seu ambiente tecnológico e suas aplicações de negócio”.
No Brasil temos o exemplo recente da Copa do Mundo. Tendo como base o Arcon Labs, os problemas cibernéticos no período do Mundial em 2014, foram registrados aumento de 57% de ataques ligados à segurança da informação, sendo o maior crescimento dos ataques automatizados (hack tools ou botnets) que chegaram a 681%. Na sequência, estiveram os ataques web com aumento de 216%, malwares com 26% e os ataques DDoS, com 11% no período. Se esses números altos referem-se à competição de um único esporte, os riscos durante a Olimpíada, que tem uma abrangência muito maior poderão ser superiores. Um alerta para as companhias que buscam a segurança de seus negócios.
Em junho do ano passado, o Centro de Defesa Cibernética do Exército Brasileiro (CDCiber), anunciou que o Brasil contará com cerca de 200 especialistas, militares e técnicos para a proteção cibernética durante a Olimpíada. Segundo o órgão, há risco de que terroristas possam invadir sites governamentais e privados com o objetivo de roubar informações públicas, pichar ou deturpar dados antes ou durante as competições.
Alguns cuidados ajudam a minimizar, e até evitar, impactos de ataques e fraudes que podem surgir por meio de visitas a sites ou trazidos por e-mail. O caso mais comum é o Phishingscan, mensagens falsas com assuntos verdadeiros e de interesse, em que os atacantes têm o objetivo de “pescar” informações e dados pessoais importantes, e o ativismo hacker, que pode se tornar comum no período e afetar toda a segurança com à inserção de códigos maliciosos no ambiente corporativo. Segundo Pimenta, “as empresas precisam ter um plano de contingencia para esses períodos, considerando inclusive que os acessos remotos são mais frequentes e também podem ser fonte de invasão”.
Para as empresas que desejam se preparar para dificultar esse tipo de assédio, um projeto de Segurança em TI que contempla serviços de monitoramento e gerenciamento se torna uma importante arma contra os ataques. Para iniciar este projeto, o ideal é que as empresas se programem antes do início das competições. Incluir políticas claras de tecnologia e acessos, além de uma infraestrutura interna para os colaboradores, também são fatores que podem favorecer o aumento da segurança. “Durante a Copa, muitas empresas montaram telões para que seus funcionários pudessem acompanhar os jogos. Essa prática também poderia ser adotada na Olimpíada. Atitudes simples, somadas à implantação de soluções de gerenciamento de segurança, poderão reduzir os riscos de ciberataques”, pontua Pimenta.
Os jogos estão próximos. O processo de análise das demandas internas das companhias e levantamento das necessidades do ambiente corporativo - como os ativos e sistemas - que devem ser protegidos e priorizados leva tempo, inclui-los num processo de monitoração contínua pode ser uma estratégia viável de curtíssimo prazo e que tornará visível e em tempo real qualquer desvio padrão de acesso ao ambiente, possibilitando uma pronta resposta e refletindo na mitigação dos riscos. Faltando menos de 100 dias, é preciso agilidade e conscientização das empresas a fim de evitar transtornos durante o evento.




Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented