|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 04/06/2016 / Desenvolvimento de 2ª geração de E-Jets da Embraer está à frente do cronograma, diz executivo


Desenvolvimento de 2ª geração de E-Jets da Embraer está à frente do cronograma, diz executivo ...


DUBLIN (Reuters) - O desenvolvimento da primeira aeronave da segunda geração da família de E-Jets da Embraer está à frente do cronograma e uma data de lançamento no início de 2018 será anunciada em breve, disse o vice-presidente da área de aviação comercial da fabricante brasileira John Slattery nesta sexta-feira.

O E190-E2, primeiro avião da linha de aeronaves comerciais com novas asas e motores e melhor eficiência de combustível, fez seu voo inaugural em maio.

"Está claro que estamos um pouco à frente do cronograma", disse Slattery à Reuters às margens do evento anual geral da Associação Internacional de Transportes Aéreos (Iata, na sigla em inglês), em Dublin.

"Estou esperançoso de que em algum momento (nosso engenheiro-chefe) dará mais visibilidade sobre a data de entrada em serviço, além de apenas (dizer) primeiro semestre de 2018, que é a orientação atual que estamos recebendo", disse.

Slattery também acusou a rival canadense Bombardier de "dumping" com a venda de 75 jatos CSeries para a companhia aérea norte-americana Delta Air Lines.

"Nossa única preocupação aqui é que aquilo que só pode ser descrito como ´dumping´ ocorreu", disse Slattery, citando uma provisão de "contrato oneroso" de 500 milhões de dólares que a Bombardier disse que faria em seu resultado do segundo trimestre após o acordo com a Delta Air Lines.

"Isso é potencialmente danoso para a indústria se for feito em uma base frequente", acrescentou. "Estamos muito desapontados com essa ação."

Executivos da Bombardier têm negado ter usado qualquer tática além de marketing comercial normal para reviver o postergado projeto da família de jatos CSeries.

Ao anunciar o negócio com a Delta Air Lines em conjunto com os resultados do primeiro trimestre em abril, a Bombardier disse que faria uma "provisão onerosa de contrato" de 500 milhões de dólares para três acordos de venda envolvendo 127 jatos CSeries com a própria Delta Air Lines, além de Air Canada e Air Baltic.




Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




JORNAL ZERO HORA


Casa Civil proíbe Dilma de viajar a outros Estados com aviões da FAB

Presidente afastada mencionou a limitação de deslocamentos em Porto Alegre, onde participou de dois atos políticos nesta sexta-feira

Débora Cademartori

Na Capital para atos "a favor da democracia", a presidente afastada Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira que o governo interino a proibiu de usar aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) para viajar a outros Estados do Brasil. Dilma disse que só haveria permissão para deslocamentos a Porto Alegre, onde tem residência.
 — Hoje houve uma decisão da Casa Civil, ilegítima, provisória e interina, cujo objetivo é proibir que eu viaje. Vocês tem de ficar alegres porque o meu direito de viagem é só de Brasília a Porto Alegre, mas vocês não podem ficar alegres, porque isso é um escândalo. A troco de quê? Por que isso? Isso é grave — exclamou a presidente afastada.
Nos dois atos que participou, na Assembleia Legislativa e na Esquina Democrática, Dilma abordou o assunto, em tom de denúncia. Ela justificou a gravidade dizendo que não pode, por questões de segurança, utilizar aeronaves comerciais.
 — Eu não posso, como qualquer outra pessoa, pegar um avião. Pra eu pegar um avião tem de ter toda uma segurança. A Constituição manda. Estamos diante de uma situação que precisa ser resolvida. Eu vou viajar. Vamos ver como vai ser a minha viagem — afirmou.
A Casa Civil confirmou a decisão. Segundo assessores do Palácio do Planalto, foi estipulada uma limitação do uso de aviões da FAB, autorizando viagens de Dilma entre Brasília e Porto Alegre, somente. Nos bastidores, o governo interino avalia que a presidente afastada estaria usando as aeronaves para atos políticos e que o custeio dos deslocamentos deveria correr por conta do Partido dos Trabalhadores.
 Imagem
A decisão foi com base em parecer da Subchefia de Assuntos Jurídicos, assinado em 30 de maio. A seção é comandada por Gustavo do Vale Rocha, ex-advogado do presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB).  
Logo depois de admitido o impeachment no Senado, no dia 12 de maio, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), informou que Dilma poderia manter os benefícios da Presidência, como o uso do Palácio da Alvorada e assessores pagos pelo governo federal. Na ocasião, Renan afirmou que ela também poderia contar com aviões da Força Aérea Brasileira, que alertou sobre a necessidade de decreto para regrar o uso dos aviões.
Polêmica com cabeleireiro
Nesta sexta-feira, os eventos em Porto Alegre começaram a partir das 16h30min, quando a presidente afastada chegou ao palco do teatro Dante Barone, na Assembleia. Além de mencionar discordâncias com atos do governo interino, Dilma rebateu a informação do jornal O Globo de que usou dinheiro de propina da Petrobras para custear os serviços desempenhados por seu cabeleireiro, Celso Kamura.
— Eu o conheci (Kamura) na campanha de 2010. Ele fazia meu cabelo e eu gostei. Quando acabou a campanha, o contratei pessoalmente. Qual é a vantagem? Tenho os comprovantes. Paguei a passagem e o serviço de cabelo. Eles ligam o cabelo com Pasadena. Acontece que Pasadena foi em 2006 e em 2006 eu não conhecia o Celso Kamura. Fui conhecer ele quatro anos depois. Não passava nem pelo meu sonho que seria candidata à Presidência da República — disse.
O profissional confirmou ao mesmo jornal que os pagamentos eram feitos por Dilma Rousseff e pela agência de João Santana à época das campanhas, em 2010 e em 2014.
Depois de participar do primeiro ato, onde houve o lançamento do livro Resistência ao golpe de 2016, Dilma foi até a Esquina Democrática discursar para 10 mil pessoas, segundo a Frente Brasil Popular, organizadora do evento. A Brigada Militar não divulgou estimativa de público. Ela saiu do local depois de falar ao público por cerca de 15 minutos e depois, por volta das 18h30min, se dirigiu até a sua casa, na zona sul de Porto Alegre.
Diversos integrantes do PT e de organizações sociais participaram das manifestações em apoio à presidente afastada. Os ex-governadores Olívio Dutra e Tarso Genro foram os mais aplaudidos pelo público.

JORNAL A TARDE (BA)


Solenidade homenageia os boinas azuis


Lidenilson Marinho

O som das cornetas da Banda de Música da 6ª Região Militar que ecoaram, pontualmente, às 9h30 da manhã de sexta-feira, 3, na praça Duque de Caxias, no bairro de Nazaré, marcou o início da solenidade em comemoração ao Dia dos Peacekeepers, os chamados "boinas azuis".
Os boinas azuis fazem parte das tropas em missões de paz da Organização das Nações Unidas (ONU), enviadas para contribuir na reconstrução de países que vivem os impactos da guerra.
A cerimônia contou com a marcha de integrantes da Marinha, Exército e Aeronáutica, que atuaram como missionários em diversos países.Depois de atuar dois anos na reconstrução do Timor-Leste, uma pequena ilha banhada pelo oceano Índico, que sofreu com uma guerra civil durante 28 anos, a capitã Gilmara de Oliveira, uma das poucas mulheres presentes ao evento, destacou a importância da representatividade feminina na corporação. "Somos poucas, me sinto honrada em representar as mulheres".
Sobreviver com muito pouco em condições extremas é o que o sargento Sena, membro da Força Área Brasileira baseado em Salvador, absorveu em relação à troca de experiência que teve durante um ano de convivência com o povo haitiano.
O Haiti é um país caribenho, que foi devastado por um terremoto em 2010, onde estima-se que mais de 120 mil pessoas morreram em consequência da catástrofe natural.
Atuação
Em 2016, o Brasil completa 12 anos assumindo a missão de manutenção da paz no país, por meio do comando do Exército.
"Hoje, homenageamos esse militares que foram cumprir sua missão de levar a paz aos países mais necessitados", frisou o comandante da 6ª Região Militar, general Artur Moura.
Ao todo, o Brasil já participou de mais de 30 missões das Nações Unidas, com cerca de 27 mil militares enviados ao exterior.
Atualmente, 1.743 militares brasileiros integrantes das três Forças Armadas atuam em nove missões de paz pelo mundo.

AGÊNCIA BRASIL


Planalto recomenda que Dilma use aviões da FAB apenas para ir a Porto Alegre


Paulo Victor Chagas E Daniel Isaia

A Casa Civil da Presidência da República recomendou que a presidente afastada Dilma Rousseff use os aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) somente nos deslocamentos de Brasília até Porto Alegre, onde mora sua família.
De acordo com parecer elaborado pela pasta a pedido do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, o transporte aéreo de Dilma deve ser concedido levando em conta que ela está afastada das funções presidenciais e não tem agenda oficial como chefe de governo, nem como chefe de Estado.
Conforme o documento, a aeronave da FAB deve destinar-se exclusivamente a Dilma e auxiliares imediatos "previamente apontados", entre eles um coordenador de segurança e um aéreo. Os demais integrantes da equipe devem pegar voos comerciais, mas terão despesas pagas pela União, "da mesma forma que ocorre com os demais servidores públicos", informa o parecer. O exame foi feito após consulta do GSI, órgão responsável pela segurança do presidente da República, do vice-presidente e de seus auxiliares.
A Casa Civil informou que o parecer será encaminhado também à Secretaria de Administração da Presidência e está embasada em notificação elaborada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), em maio, no dia em que os senadores aprovaram o afastamento de Dilma. Pela notificação, a presidente afastada deve manter as prerrogativas do cargo relativas à residência oficial, segurança pessoal, assistência à saúde, transporte aéreo e terrestre, remuneração e equipe a serviço no gabinete pessoal da Presidência.
O parecer da Casa Civil, aprovado na última quarta-feira (1), recomenda pagamento de remuneração integral com base em pressupostos constitucionais que pregam a irredutibilidade do salário. A Casa Civil entende também que a única residência oficial a que Dilma tem direito e,m um período de 180 dias é o Palácio da Alvorada, como já ocorria antes. O parecer detalha que os deslocamentos terrestres devem ser feitos com cinco veículos e uma ambulância, também como era de praxe.
Nesta sexta-feira (3), durante evento em Porto Alegre, a presidente afastada considerou a decisão "grave" e disse que o objetivo é "proibir" que ela viaje.
"Hoje houve uma decisão dessa Casa Civil ilegítima, provisória e interina. Não sei se vocês sabem, mas eu não posso, como qualquer outra pessoa, pegar um avião. Para eu pegar um avião, tem de ter toda uma segurança atrás de mim", disse Dilma. A presidente afastada lembrou que a Constituição garante sua segurança. "É a Constituição que manda. Estamos diante de uma situação que vai ter de ser resolvida. Porque eu vou viajar! Vamos ver como vai ser a minha viagem", afirmou Dilma, que participou, na capital gaúcha, do lançamento do livro A Resistência contra o Golpe em 2016.A presidente afastada Dilma Rousseff criticou a decisão do relator da Comissão do Processante do Impeachment no Senado, Antonio Anastasia (PSDB-MG), de não permitir à sua defesa incluir no processo de impeachment as gravações realizadas pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado com políticos do PMDB. A crítica foi feita hoje, em Porto Alegre, durante lançamento do livro A Resistência ao Golpe em 2016, no Teatro Dante Barone, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, organizado por movimentos ligados à Frente Brasil Popular.
“[Anastasia] teve uma atitude clara de tentar impedir que nós exerçamos o direito de defesa. Por que isso? Porque eles percebem que, a cada dia, também pelas próprias revelações gravadas dos que articularam o golpe, as dificuldades de legitimar e justificar o golpe são muito fortes”, afirmou Dilma. Ela aproveitou o momento para criticar, também, a gestão de Michel Temer como presidente interino: “Eles estão implantando um projeto de governo ultraliberal e ultraconservador que não foi votado nem sequer em uma reunião de condomínio, quanto mais pela população brasileira”.A presidente afastada também buscou se defender de informações divulgadas pelo jornal O Globo, de que ela teria utilizado dinheiro do esquema de corrupção na Petrobras para pagar as contas e as viagens do cabeleireiro Celso Kamura. “O mais interessante é que eles ligam o cabelo à compra da refinaria de Pasadena. Esse caso foi em 2006, e nesse ano eu não conhecia o Celso Kamura. Não passava nem pelo meu sonho que eu seria candidata à presidência da República”, ressaltou Dilma. Ela afirmou, ainda, que conheceu o cabeleireiro durante a campanha eleitoral de 2010 e guardou todos os recibos dos pagamentos a Kamura, tanto das passagens aéreas quanto do serviço profissional.
Após o lançamento do livro, por volta das 18h, a presidenta afastada Dilma Rousseff seguiu para a Esquina Democrática, no centro histórico de Porto Alegre, para participar de um ato público que contou com milhares de pessoas. “Jamais esperei enfrentar um novo golpe. Eu não tenho contas na Suíça, minhas mãos não estão sujas com esse dinheiro [da corrupção]”, afirmou aos presentes. A presidenta afastada conclamou o povo a lutar para “vencer o golpe”.
Após o ato, Dilma foi para a acasa de parentes, na zona sul da capital gaúcha, onde deve passar o fim de semana.

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


Governo Temer restringe uso de avião da FAB por Dilma

Para presidente afastada, decisão de restringir seu direito de viajar ao trecho Brasília-RS é ilegítima

Carla Araújo, Tânia Monteiro

Um parecer elaborado pela sub-chefia de assuntos jurídicos da Casa Civil restringiu o uso de aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) pela presidente afastada Dilma Rousseff. O parecer foi emitido nesta quinta-feira e, conforme o órgão comandado pelo ministro Eliseu Padilha (Casa Civil), já está em vigor. Com isso Dilma só poderá solicitar a aeronave para ir para o Rio Grande do Sul, onde reside.
A decisão contraria a principal estratégia da petista que pretendia neste período de afastamento defender o seu mandato. Desde que o impeachment foi aceito no Senado, no dia 12 de maio, Dilma já viajou para atos em Belo Horizonte e para o Rio de Janeiro, além de ter ido três vezes a Porto Alegre, onde tem família.
"Hoje houve uma decisão da Casa Civil ilegítima, cujo objetivo é proibir que eu viaje", disse ao participar do lançamento de um livro na capital gaúcha, nesta sexta-feira. "É um escândalo que não eu não possa viajar para o Rio, para o Pará ou qualquer outro lugar", disse.
Ela justificou que não pode pegar um avião comercial, como qualquer outra pessoa faria, porque a Constituição determina que é preciso haver um aparato de segurança fazendo sua escolta. "Então temos uma situação que tem ser resolvida, porque eu vou viajar", afirmou. 
De acordo com fontes da Casa Civil, o parecer não tem cunho político e limita-se a "uma análise técnica e jurídica da Casa". A justificativa para o veto ao uso da aeronave é que Dilma não tem compromissos oficiais e o transporte aéreo é destinado apenas a atos oficiais. "Envolve uma logística enorme, muita segurança. É uma estrutura de chefe de estado", disse uma fonte da Casa Civil. 
"A regra a que se impõe a todo gestor de recursos públicos é a do reconhecimento de que todo e qualquer ato do poder público deve se dar em conformidade com os ditames constitucionais, em especial aqueles relativos aos princípios que norteiam a atividade administrativa, a saber, a legalidade, a razoabilidade, o interesse público, a transparência, a economicidade e a moralidade", diz o parecer.
Apesar de ter sido emitido na quinta-feira, a decisão não afetou a viagem que a presidente afastada Dilma Rousseff fez para o Rio de Janeiro. Segundo fontes do Planalto, a decisão de permitir a viagem ao Rio foi para "evitar maiores constrangimentos". "Ontem a solicitação já havia sido feita com antecedência. Agora, depois de hoje já começa a valer", afirmou uma fonte do Planalto.

REVISTA ÉPOCA


Ministério da Defesa prepara campanha para prevenir ameaças terroristas

A iniciativa deve consistir na distribuição de fôlderes para alertar sobre objetos abandonados em locais públicos

Murilo Ramos

Imagem
O Ministério da Defesa vai lançar nas próximas semanas uma campanha educativa para prevenir ameaças terroristas. A iniciativa está sendo feita em parceria com a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e com o Ministério da Justiça e tem como objetivo evitar ameaças terroristas durante a realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos no Rio de Janeiro.
A campanha ainda está em construção, mas deve consistir na distribuição de fôlderes, cartilhas e cartazes para chamar a atenção da população para sinais que podem colocar em risco a segurança pública. O planejamento passa ainda por alertas que serão feitos nos telões dos estádios onde serão realizados os Jogos. Entre as mensagens de alerta haverá destaque para objetos abandonados em locais públicos, como malas, mochilas e caixas.
A ação é coordenada pelas Forças Armadas por meio do Comando Conjunto de Prevenção e Combate ao Terrorismo, estrutura criada pelo Ministério da Defesa para a realização dos Jogos. O Comando, hoje localizado em Goiânia, será deslocado para o Rio de Janeiro no dia 13 de junho. Na capital fluminense também estão sendo realizados treinamentos de segurança para evitar e combater ameaças terroristas.



JORNAL DIÁRIO CATARINENSE


Espaço do Trabalhador: Força Aérea Brasileira vai selecionar 58 médicos


 A Força Aérea Brasileira (FAB) receberá, de 11 de julho a 9 de agosto de 2016, inscrições para o Exame de Admissão ao Curso de Adaptação de Médicos da Aeronáutica (Camar), que selecionará médicos de carreira. São 58 vagas.
Os interessados devem acessar o SITE para se inscrever, e pagar taxa de R$ 120. Mas, para participar, devem ter Curso Superior em Medicina, comprovar a formação na especialidade à qual pretende concorrer e não completar 36 anos de idade até o dia 31 de dezembro de 2017.
As provas escritas serão no dia 25 de setembro em várias capitais, entre elas Porto Alegre (RS) e Curitiba (PR). O processo consiste em provas escritas (língua portuguesa e conhecimentos especializados), inspeção de saúde, exame de aptidão psicológica, prova prático-oral, teste de avaliação do condicionamento físico e validação documental.  
Se aprovado em todas as etapas, o candidato fará o curso em Belo Horizonte (MG), durante 17 semanas. Após a aprovação final, será nomeado primeiro-tenente e receberá salário inicial bruto de R$ 8.877,60.

JORNAL ESTADO DE MINAS


Mineirão recebe simulação de ataque terrorista

Polícia e Exército participaram de treinamento conjunto com ações contraterrorista em preparação para a Olimpíada 2016.

O Estádio do Mineirão, na Pampulha, foi “invadido” ontem por 70 agentes do Exército Brasileiro, Polícia Federal e do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) da Polícia Militar para um treinamento conjunto com ações contraterroristas. As tropas simularam o combate a um ataque no campo, que vai sediar 10 partidas de futebol masculino e feminino durante a Olimpíada 2016. As atividades estão sendo desenvolvidas em todas as capitais que vão sediar os jogos. Em BH, as várias etapas de treinamento tiveram início em janeiro e outras ainda estão previstas antes dos times entrarem em campo na capital mineira. Os Jogos Olímpicos vão ocorrer entre 5 e 21 de agosto, com a disputa de 42 esportes.
Na ação de ontem no Mineirão, policiais e homens do Exército simularam o desembarque de um helicóptero na esplanada, a entrada pelos corredores e o combate a invasores, que já haviam feito vítimas e mantinham pessoas reféns. Os grupos portavam armamentos e equipamentos comumente usados no dia a dia de trabalho, entretanto as armas estavam adaptadas para disparar balas de festim e tinta. Houve a encenação de vítimas mortas e criminosos fazendo ameaças. “O objetivo foi neutralizar a ação dos terroristas e resgatar reféns”, disse o subcomandante do Gate, major Alexandre Oliveira. 
Nessa etapa, as atividades tiveram três dias de duração. Na terça-feira, as tropas treinaram ações antibomba, usando artefatos explosivos improvisados presos ao corpo de uma pessoa, em forma de colete. Para essa intervenção, o esquadrão antibomba do Gate usou equipamentos especiais, como raio-X, braço mecânico e robô. “Se isso ocorrer no Mineirão ou em algum lugar com concentração de pessoas, é preciso fazer a evacuação do local, total ou parcial, a depender do espaço, além da neutralização do artefato”, afirmou o major. Já na quarta-feira, foi a vez de os agentes simularem tiros de precisão em terra e também de dentro das aeronaves pairando sobre o solo.
“É importante lembrar que o Brasil não tem histórico de terrorismo, mas a Olimpíada tem”, afirma o subcomandante.

JORNAL DIÁRIO DE PERNAMBUCO


PF entrega ao Exército 250 armas, 800 munições e duas granadas para destruição

Em 1.778 dias de campanha, foram recebidas 9.986 armas e 16.520 munições

Desarmamento
 Imagem
A Polícia Federal de Pernambuco entrega nesta sexta-feira ao Exército 250 armas, 800 munições e duas granadas para destruição. Também hoje, a PF divulgou a segunda estatística do ano referente à campanha do desarmamento. Os números apontam para estabilidade no recebimento de armas de fogo.
Em 1.778 dias de campanha, compreendidos entre 14 de maio de 2011 e três de junho de 2016 foram recebidas 9.986 armas e 16.520 munições, o que corresponde a seis armas entregues por dia e 42 por semana e 168 por mês. Já as munições são nove entregues por dia.
A entrega voluntária de armas garante o pagamento, em até 48horas, de indenizações que variam de R$ 150 a R$ 450 dependendo do calibre e total anonimato. As armas e calibres de munições mais entregues em Pernambuco são 1º revólveres, 2º espingardas e 3º pistolas, já as munições são as de calibre. 38.
Além das armas de fogo também são recebidas munições armas de brinquedo, simulacros, armas artesanais ou de fabricação caseira, porém sem o pagamento de indenização. As armas arrecadadas na campanha são enviadas para o exército afim de que seja procedida a sua consequente destruição. Há casos, porém em que o anonimato não interessa ao cidadão, como ocorre com os possuidores e proprietários de armas adquiridas legalmente e que manifestam o desejo de baixar tal registro do SINARM-Sistema Nacional de Armas.
Além dos postos da Polícia Federal em Recife, Caruaru e Salgueiro e da Polícia Rodoviária Federal que fica localizada no bairro do Pina-PE, também recebem armas 22 (vinte e dois) postos Polícia Militar (15 Batalhões e 07 Companhias) além de um posto itinerante, numa parceria firmada entre a PF e a SDS-PE, facilitando assim o acesso das pessoas para entrega de armas, principalmente no agreste e sertão, evitando grandes deslocamentos para a capital; A população brasileira já entregou voluntariamente 649 mil armas, existem 2.127 postos de entrega em todo o Brasil e já foram pagos mais de R$ 12 milhões em indenizações.
Quem quiser entregar uma arma deve primeiro acessar o site www.entreguesuaarma.gov.br ou www.pf.gov.br e preencher uma guia de trânsito que tem validade de um dia e acondicioná-la de forma discreta e desmuniciada (sem munição) de forma a não caracterizar o seu pronto uso e, caso, a pessoa seja parada por uma blitz policial estará acobertada de qualquer apreensão ou prisão, caso contrário, a guia de trânsito não terá valor nenhum, ficando o infrator sujeito as penas da lei. Após a conclusão do procedimento de entrega nos casos em que a arma seja indenizada, será solicitado ao responsável o cadastro de uma senha numérica de quatro dígitos que será confeccionada apenas pelo próprio requerente sem a ajuda de terceiros.

AGÊNCIA REUTERS


Desenvolvimento de 2ª geração de E-Jets da Embraer está à frente do cronograma, diz executivo


DUBLIN (Reuters) - O desenvolvimento da primeira aeronave da segunda geração da família de E-Jets da Embraer está à frente do cronograma e uma data de lançamento no início de 2018 será anunciada em breve, disse o vice-presidente da área de aviação comercial da fabricante brasileira John Slattery nesta sexta-feira.
O E190-E2, primeiro avião da linha de aeronaves comerciais com novas asas e motores e melhor eficiência de combustível, fez seu voo inaugural em maio.
"Está claro que estamos um pouco à frente do cronograma", disse Slattery à Reuters às margens do evento anual geral da Associação Internacional de Transportes Aéreos (Iata, na sigla em inglês), em Dublin.
"Estou esperançoso de que em algum momento (nosso engenheiro-chefe) dará mais visibilidade sobre a data de entrada em serviço, além de apenas (dizer) primeiro semestre de 2018, que é a orientação atual que estamos recebendo", disse.
Slattery também acusou a rival canadense Bombardier de "dumping" com a venda de 75 jatos CSeries para a companhia aérea norte-americana Delta Air Lines.
"Nossa única preocupação aqui é que aquilo que só pode ser descrito como ´dumping´ ocorreu", disse Slattery, citando uma provisão de "contrato oneroso" de 500 milhões de dólares que a Bombardier disse que faria em seu resultado do segundo trimestre após o acordo com a Delta Air Lines.
"Isso é potencialmente danoso para a indústria se for feito em uma base frequente", acrescentou. "Estamos muito desapontados com essa ação."
 Executivos da Bombardier têm negado ter usado qualquer tática além de marketing comercial normal para reviver o postergado projeto da família de jatos CSeries.
Ao anunciar o negócio com a Delta Air Lines em conjunto com os resultados do primeiro trimestre em abril, a Bombardier disse que faria uma "provisão onerosa de contrato" de 500 milhões de dólares para três acordos de venda envolvendo 127 jatos CSeries com a própria Delta Air Lines, além de Air Canada e Air Baltic.


JORNAL VALOR ECONÔMICO


Governo interino de Temer restringe viagens aéreas de Dilma


Andrea Jubé

BRASÍLIA - Parecer da subchefia de assuntos jurídicos da Casa Civil definiu que os descolamentos aéreos da presidente afastada Dilma Rousseff, utilizando aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB), serão restritos ao trecho Brasília-Porto Alegre-Brasília, onde residem seus familiares.
A recomendação será acolhida pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI), a quem compete autorizar o uso das aeronaves.
O mesmo parecer decidiu que Dilma terá direito ao salário integral. Havia dúvidas se durante o período do afastamento ela receberia apenas metade da remuneração, conforme a lei do impeachment de 1950. Mas a partir de uma interpretação ampla da Constituição federal, a Casa Civil decidiu que ela receberá o subsídio integral.
A restrição ao uso de aeronaves da FAB compromete o amplo roteiro de viagens que Dilma havia traçado para participar de atos contra o golpe que alega ter sido vítima.
 Dilma participa de ato em Porto Alegre. Na próxima semana e até o fim do mês ela programou eventos em Pernambuco, Paraíba, Bahia, São Paulo, Ceará e Belém.
Dilma foi afastada da Presidência em 12 de maio, como consequência do processo de impeachment, e permanece residindo no Palácio da Alvorada.

REVISTA EXAME


Latam reforçará operação com 300 voos durante as Olimpíadas

Latam: "A Latam está pronta para o desafio olímpico, que será único e ainda maior do que a Copa de 2014"

Reuters

Santiago - A Latam Airlines, maior empresa de transporte aéreo da América Latina, disse nesta sexta-feira que reforçará com até 300 voos adicionais suas operações no Brasil durante os Jogos Olímpicos que ocorrem em agosto no Rio de Janeiro.
A companhia, que engloba as antigas LAN e TAM, projeta transportar aproximadamente 25 por cento dos passageiros que viajarão de avião ao evento.
"A Latam está pronta para o desafio olímpico, que será único e ainda maior do que a Copa de 2014 devido à concentração da demanda e a alta complexidade logística", disse Eduardo Costa, diretor de serviços e inovação da Latam Airlines Brasil.
A Copa do Mundo de 2014 no Brasil acabou sendo um mau negócio para a Latam, já que grande parte da demanda de passageiros de negócios caiu com força durante o período.
Entre agosto e setembro, o Brasil receberá um fluxo concentrado de passageiros em datas específicas como a abertura e o encerramento do evento. A companhia disse que se focará na pontualidade da operação durante as datas chave dos jogos.

Azul ainda pode tirar mais 8 aviões da frota, diz presidente

Aviões da Azul: empresa aérea tem espaço para eliminar mais oito aviões além dos 20 que cortou desde novembro passado

Fabiola Moura, Da Bloomberg

 A Azul Linhas Aéreas Brasileiras, terceira maior empresa do setor no Brasil em número de passageiros, continua buscando reduzir capacidade diante da mais baixa demanda por viagens aéreas em quatro anos.
A empresa aérea tem espaço para eliminar mais oito aviões além dos 20 que cortou desde novembro passado, disse o presidente da empresa, Antonoaldo Neves, em entrevista.
Além disso, a chinesa HNA Group, maior acionista da Azul, concordou em ficar com dois Airbus A350 cuja entrega estava prevista para 2018, disse Neves.
Empresas áreas como a Latam Airlines e a Gol Linhas Aéreas Inteligentes vêm reduzindo sua capacidade no Brasil em meio a dois anos de recessão na maior economia da América Latina. A demanda por viagens aéreas atingiu o menor patamar desde 2012 após cair pelo nono mês consecutivo em abril, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas Aéreas, a Abear.
“O setor hoje não está saudável. O setor está doente. Está diminuindo de tamanho e não é só por causa da crise. É que chegou num limite de rentabilidade”, disse Neves, na sede da Azul, em Barueri, São Paulo.
Encolhimento das frotas
A frota atual da empresa é de 123 aeronaves. Desde novembro, 17 aviões foram enviados à portuguesa TAP, na qual a Azul é acionista minoritária. Entre eles havia um Airbus A330, seis aviões turboélice ATR 72-600 e 11 jatos Embraer 190.
Além disso, a Azul devolveu três aviões a arrendadores após o fim dos contratos de leasing. A empresa deverá receber dois jatos Airbus A320neo neste ano, dois aviões A350 no ano que vem e mais outro A350 em 2018.
A Gol está reduzindo sua frota em 25 aviões Boeing 737. A Latam procura diminuir seus ativos em US$ 2 bilhões a US$ 3 bilhões até 2018 reduzindo os compromissos de entregas de aeronaves, vendendo parte de sua frota e deixando de renovar alguns aluguéis, segundo comunicado da empresa de 11 de maio que não revelou quantos aviões poderiam ser eliminados da frota.
“Além da retomada do crescimento, são necessárias mudanças na regulamentação para que os investimentos voltem”, disse Neves.
Cobrança por bagagem
 Apesar de grupos de proteção dos direitos do consumidor terem se manifestado contra as mudanças, Neves disse que os passageiros se beneficiarão porque pagarão apenas pelos serviços que desejam.
“Tem toda uma parte regulamentar relacionada ao direito do consumidor que, na verdade, é uma penalidade ao consumidor porque quem quer pagar mais barato não pode porque está pagando pelos outros”, disse ele.

OUTRAS MÍDIAS


PORTAL RONDONIAOVIVO (RO)


“Político que enriquece é porque roubou”, diz ministro da defesa

O novo ministro da defesa, Raul Jungmann, nomeado pelo governo interino do presidente Michel Temer (PMDB) já disse há que veio em uma de suas primeiras reuniões públicas com os chefes da Marinha, Exército e Aeronáutica do estado brasileiro.
Em coletiva, o ministro afirmou seu posicionamento radical quando o assunto é corrupção cometidas por agentes públicos no país, de acordo com ele, “Político que enriquece na política só tem um jeito: roubou”. Em Brasília, Raul Jungmann foi um dos proponentes da CPI do Mensalão, considerado por muitos articulistas políticos como o início da derrocada da administração petista.
O ministro da defesa é responsável em resguardar os interesses de segurança e soberania nacional além de administrar e gerir as tropas das Forças Armadas no Brasil. Para isso ele conta com um orçamento de R$ 82 bilhões por ano, sendo que 77% desse dinheiro é destinado para o pagamento pessoal.
Aumentar a receita das Forças Armadas é uma das principais reivindicações dos comandantes militares no Brasil, ano após ano, o déficit no orçamento militar vem prejudicando a valorização das tropas e o fortalecimento da estrutura bélica.
O presidente Michel Temer, que tem histórico político de gestão de entidades de segurança pública já demonstra abrir um maior espaço para as Forças Armadas dentro do processo político.
Porém um rombo de R$ 170 bilhões nos cofres da União podem dificultar o aumento da receita das Forças Armadas de forma breve.

JORNAL DO COMÉRCIO (RS)


Audiência debate concessão do aeroporto Salgado Filho

Adriana Lampert
Mais de 200 pessoas compareceram à audiência pública sobre o processo de desestatização do Aeroporto Internacional Salgado Filho, realizada nesta quinta-feira, no auditório da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em Porto Alegre. A superintendente de Regulação de Aeroportos da agência, Clarissa Barros, apresentou as principais disposições do edital de leilão e do contrato para o futuro concessionário do empreendimento.
Por cerca de seis horas, a superintendente da Anac e outros gestores da Agência de Aviação Civil escutaram as manifestações de dezenas de pessoas, incluindo representantes de secretarias municipais, empresas, sindicatos, associações, Defensoria Pública e órgãos de defesa do consumidor. Também houve protestos e apelos por parte de entidades como o Sindicato Nacional dos Aeroportuários (Sina), que representa os mais de 10 mil funcionários da Infraero em todo o País, e da Associação Comunitária da Vila Dique. "Somos totalmente contra as concessões", lembrou o diretor do Sina, Marco Antônio Pinheiro. Até 2011, a Infraero administrava 66 aeroportos, que respondiam por 95% do transporte aéreo de passageiros do Brasil, lembrou o dirigente.
"A partir das concessões, perdemos muito público; e, por consequência, mais de R$ 1 bilhão deixou de entrar na receita", destacou Pinheiro, observando que, no futuro, isso irá gerar um problema, devido ao sucateamento do grupo de aeroportos que ficará fora dos leilões. O sindicalista critica o governo federal, e lamenta que o mesmo esteja "rapinando os aeroportos que geram lucro e deixando os demais para serem pagos com impostos da população".
Marcelo Maia, da Associação da Vila Dique, reclamou que a obra de ampliação da pista do Salgado Filho está atrapalhando a vida de centenas de famílias. "Estamos isolados, metade das pessoas será removida, e a outra irá ficar ali sem nenhuma estrutura, é muito descaso", disparou.
De acordo com a diretora-geral do Departamento Municipal de Habitação (Demhab), Luciana Skrebsky de Freitas, as famílias da Vila Dique que ainda estão no local devem ser removidas em breve. "Nosso maior problema é referente à retirada do pessoal da Vila Nazaré, pois já faz um ano e meio que o contrato foi assinado com o agente financeiro, mas o governo federal não autorizou o início das obras." Ao todo, são 900 famílias que estão esperando por este desfecho.
"São desafios que podem ser resolvidos", defendeu Clarissa. "É preciso divulgar os direitos dos funcionários da Infraero e dar cabo da conclusão da desocupação da área destinada à nova pista, de forma que se resolva o problema das famílias que residem naquele entorno." Segundo a superintendente, a Anac deverá encaminhar o pleito da prefeitura junto ao governo federal para a liberação dos recursos do programa Minha Casa Minha Vida necessários para a realocação das famílias da Vila Nazaré.
Além de Porto Alegre, estão na mira das concessões os aeroportos de Fortaleza, Salvador e Florianópolis. O prazo estipulado para a maioria é de 30 anos, com exceção do Salgado Filho, cujo tempo de concessão ficou estabelecido em 25 anos, que poderá ser prorrogado por mais cinco anos. O investimento estimado durante o tempo de concessão é de R$ 1,622 bilhão. A outorga mínima é de R$ 729 milhões. Com movimento atual de 8,4 milhões de passageiros por ano, a expectativa, segundo a superintendente da Anac, é que, ao fim do contrato de concessão, em 2041, o Salgado Filho atinja o total de 21,8 milhões de pessoas/ano.
Esta é a quarta etapa de concessão dos aeroportos, que integra o Programa de Investimentos em Logística do governo federal para conceder a construtoras os projetos de infraestrutura como rodovias, ferrovias, aeroportos e portos. O primeiro a ser entregue para a iniciativa privada, em 2012, foi o de São Gonçalo do Amarante, em Natal (RN). Depois, foi a vez dos aeroportos internacionais de Brasília, Rio de Janeiro, Guarulhos (SP), Confins (MG) e o de Viracopos, em Campinas (SP).
 Imagem









PORTAL EM TEMPO (AM)


 Ministro da Defesa nega que haja informação sobre plano de ataque terrorista na Olimpíada

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, descartou a existência de qualquer informação sobre um suposto plano de ataque terrorista durante os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, de 5 a 21 de agosto deste ano, que poderia ser realizado pelo Estado Islâmico. Segundo Jungmann, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) garantiu que não há este tipo de previsão.
“Peguntei diretamente ao ministro do GSI, Sérgio Etchegoyen, se ele confirmava isso, e ele negou. Ele disse que não tem essa informação”, revelou Jungmann, após participar da transmissão de cargo da presidência do BNDES, do professor Luciano Coutinho para a economista Maria Sílvia Bastos. A cerimônia foi na sede do banco, no centro do Rio de Janeiro.
Jungmann afirmou que este tipo de monitoramento vem sendo feito por órgãos de inteligência das forças brasileiras em parceria com os órgãos de inteligência de diversos países, como Estados Unidos, Inglaterra, França, Israel e Rússia: “No nosso radar não existe nenhuma ameaça. Claro que essa é uma área em que você tem que contar com a imprevisibilidade, mas, até aqui, nós não temos nenhum alerta, nenhum risco de que esteja ocorrendo alguma operação externa, fruto de alguma entidade ou de algum grupo terrorista”.
O ministro destacou ainda que ,além do monitoramento prévio, será a primeira vez que os Jogos Olímpicos e Paralímpicos vão dispor de um centro de inteligência com representação de inteligência de aproximadamente 60 países. “Eles vão estar todos aqui. Nós já temos este centro montado, além do Centro Integrado de Comando e controle. Eu vou estar aqui na maior parte das Olimpíadas”, garantiu.
Jungmann revelou que já se dedica, há algum tempo, a este assunto e foi o primeiro parlamentar a fazer duas audiências públicas sobre terrorismo: “No caso, evidentemente, se pudesse prevê-lo [ataque terrorista] não teria Munique [em 1972, ataque a atletas israelenses], o que aconteceu em Paris [em 2015, atentado contra o jornal Charlie Hebdo]. O que tem hoje, em contrainformação, é que não se captou e não se percebeu um movimento no sentido de promover, até porque, o Brasil é um país sem grandes conflitos étnicos, sem conflitos religiosos, sem conflitos de fronteira”.
O ministro comentou a preocupação do secretário de estado de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, com algum atentado conhecido como Lobo Solitário, quando um terrorista age individualmente, e reconheceu que esta é uma preocupação, “Não só para nós, para o mundo inteiro, porque é difícil a detecção”. Mas repetiu que até agora não existe informação sobre essa possibilidade.
Jungmann adiantou que o esquema de segurança das áreas olímpicas do Maracanã e de Copacabana contará com uma reserva para atuação, se necessário, de quatro batalhões de Fuzileiros Navais, além do contingente já definido.
Com relação à área de Deodoro, na zona oeste, onde serão disputadas as provas de hipismo, o ministro disse que não recebeu nenhum pedido adicional para o efetivo. Segundo ele, por ser uma área militar, os contingentes das Forças Armadas terão poder de polícia.

PORTAL DEFESANET (RS)


Assinatura de contrato entre FAB e Receita Federal vai otimizar treinamento de pilotos 

Com a parceria, contrato vai ter 30% de redução no custo
Ten Iris Vasconcellos
ImagemUma economia de cerca de 30%. Esse é o resultado da parceria entre a Força Aérea Brasileira (FAB) e a Secretaria da Receita Federal na assinatura do Termo de Execução Descentralizada com a empresa Bond Trading Services, sediada na Inglaterra, para o treinamento de pilotos no simulador do helicóptero EC-135, operado pelas duas instituições. A autenticação foi realizada nesta quinta-feira (02/06) em Brasília (DF).
De acordo com o Diretor do Centro Logístico da Aeronáutica, Brigadeiro André Luiz Fonseca e Silva, essa parceria é o típico contrato 100% vantajoso. “Realizamos uma licitação unificada, o que simplificou os processos. Nesse sentido, houve uma grande vantagem de custo para as duas organizações”, destacou.
Segundo o oficial-general, as duas organizações vão poder se ajudar. “Tanto a Receita Federal, que tem o papel de proteger o comércio nas nossas fronteiras, quanto a FAB, que tem o papel de proteger as fronteiras em si, vão poder fortalecer as suas missões institucionais”, ressaltou.
A FAB e a Receita Federal devem enviar anualmente cerca de 15 pilotos para realizar o treinamento no simulador. A princípio, os pilotos da FAB serão instrutores que vão auxiliar os aviadores da Receita. O objetivo, no futuro, é que a Receita possua seus próprios instrutores e a FAB também envie seus pilotos para treinar no simulador. O contrato terá duração de cinco anos.
De acordo com o Secretário Dr. Jorge Antonio Deher Rachid, um dos destaques da assinatura do Termo de Execução é a troca de conhecimento entre as duas instituições. “As aeronaves da Receita atendem principalmente os processos de combate aos ilícitos aduaneiros, combate aos descaminhos e ao contrabando. Então, temos o papel principal de acompanhar, monitorar e passar a informações para as equipes de terra. O que configura um trabalho com outras agências e com as Forças Armadas”, ressaltou. 
De acordo com o secretário, nos Jogos Olímpicos as aeronaves da Receita e os pilotos com treinamento no simulador do EC-135 vão ser deslocados para a capital carioca durante o evento. “Nesse período das Olimpíadas, nós pretendemos atuar em conjunto com as outras Forças no Rio de Janeiro”, ressaltou.
Simulador 
O uso do equipamento permite a economia em horas de voo e o treinamento de procedimentos sob condições realistas, em ilimitadas combinações de situações de emergências, condições meteorológicas, ambientais, geográficas, fases e parâmetros de voo. Diferentemente da simulação de emergências na própria aeronave, o uso do simulador não expõe a tripulação e a aeronave a riscos de danos patrimoniais e lesões pessoais.
O treinamento de emergências é a oportunidade para que o piloto se auto avalie e também seja avaliado pela sua organização diante de situações de emergência.

PORTAL FECOMERCIO (SP)


Novas mudanças do transporte aéreo aumentam o livre comércio e a competitividade no segmento, aponta FecomercioSP

Para Entidade, as novas condições discutidas entre a ANAC e a sociedade favorecem tanto os consumidores quanto as companhias aéreas
São Paulo, 3 de junho de 2016 - O Conselho Executivo de Viagens e Eventos Corporativos (CEVEC) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), considera que as novas condições do transporte aéreo discutidas entre a sociedade brasileira, em audiência pública promovida pela ANAC - Agência Nacional de Aviação Civil - favorecerão o livre comércio e a competitividade no segmento de transporte comercial de passageiros no Brasil.
 A liberação da franquia mínima obrigatória para o transporte de bagagens está estão entre as mudanças propostas pela Anac para a revisão das Condições Gerais de Transporte Aéreo. Outros pontos abordados são a isenção de assistência aos passageiros em casos de atraso ou cancelamento de voos por motivos que fujam da responsabilidade das empresas, como por exemplo, em casos de problemas meteorológicos, e o direito ao cancelamento de compra.
De acordo com Viviânne Martins, presidente do Conselho Executivo de Viagens e Eventos Corporativos (CEVEC) da FecomercioSP, a adoção de tais medidas é uma tendência mundial neste setor, em que o preço da passagem aérea deve ser vinculado à segurança e transporte de viajantes. "As medidas de mudanças no transporte de bagagens permitiria a prestação de um serviço mais customizado às necessidades de cada passageiro, além da alteração de outra regra, que quando temos um eventual atraso nos voos por causas meteorológicas, as companhias aéreas não serão mais responsabilizadas e obrigadas a arcar com comunicação, alimentação e hospedagem para os passageiros afetados." 
A Federação avalia ainda que a exemplo de outros países, as regras para o transporte aéreo valem diferentes limites de peso e cobranças, são estabelecidas de acordo com as normas estabelecidas em cada país ou região. Nos Estados Unidos, por exemplo, a maioria das companhias cobra pelas bagagens despachadas em voos dentro do país: cerca de US$ 25 para a primeira mala e US$ 35 para a segunda. O limite de peso é de 23 kg para cada unidade. Já na Europa, algumas empresas possuem diferentes tarifas de bagagem e limites de pesos e volumes, dependendo da origem e destino do voo. As taxas variam de US$ 17 a US$ 220.
Após as análises da Anac, as alterações debatidas até agora deverão entrar em vigor a partir de outubro de 2016.
Sobre o CEVEC
O Conselho Executivo de Viagens e Eventos Corporativos (CEVEC) tem como missão gerar inteligência de mercado, buscando a transversalidade e a sustentabilidade do setor de viagens, turismo e eventos corporativos. O objetivo é debater temas relevantes e de impacto para as empresas do segmento. Composto por um comitê executivo, um conselho consultivo e grupos de trabalho temáticos - que serão formados por profissionais representativos do setor - o CEVEC é presidido por Viviânne Martins, que também é diretora da Academia de Viagens Corporativas, escritora, palestrante e presidente do Conselho da Associação Latino Americana de Gestores de Eventos e Viagens Corporativas (Alagev).
Sobre a FecomercioSP
A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) é a principal entidade sindical paulista dos setores de comércio e serviços. Congrega 157 sindicatos patronais e administra, no Estado, o Serviço Social do Comércio (Sesc) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). A Entidade representa um segmento da economia que mobiliza mais de 1,8 milhão de atividades empresariais de todos os portes. Esse universo responde por 11% do PIB paulista - aproximadamente 4% do PIB brasileiro - e gera 5 milhões de empregos.

PORTAL A TRIBUNA (SP)


Forças Armadas procuram militar desaparecido na costa de São Paulo

Homem é tripulante do Navio Hidroceanográfico Vital de Oliveira, que esteve em Santos na última semana
Equipes da Força Aérea e da Marinha do Brasil tentam localizar um militar que desapareceu na costa do Litoral de São Paulo na noite desta quinta-feira (2). Ele estava a bordo do Navio Hidroceanográfico Vital de Oliveira, que esteve em Santos há uma semana.
As buscas são pelo marinheiro Bruno Martins do Nascimento Santos, que integra a equipe do navio de pesquisas que pertence à Marinha. O desaparecimento foi notado pela tripulação enquanto a embarcação navegava próxima à Ilha de Alcatrazes, em São Sebastião.
Conforme nota oficial, foram deslocados três navios, uma embarcação de menor porte e um helicóptero da Autoridade Marítima, que conta com o apoio de equipes do Grupamento Marítimo do Corpo de Bombeiros (GBMar) nas proximidades da costa do Estado.
A Aeronáutica deslocou a aeronave P-95, a Bandeirulha, equipada com radares e sensores que podem localizar o tripulante desaparecido no mar. A Operação de Busca e Salvamento começou iniciaram nesta sexta-feira (3) e não tem prazo para ser encerrada.
Visita ao Porto de Santos
No último fim de semana, o navio esteve aberto à visitação no Porto de Santos, no Cais da Marinha. O embarcação foi adquirida a partir de uma parceria entre a Vale, a Petrobras e os ministérios da Defesa e da Ciência, Tecnologia e Inovação.  
A embarcação possui diversos equipamentos científicos, servindo como plataforma marítima e laboratório oceânico e multiuso, e é utilizada no monitoramento e na caracterização de áreas oceânicas estratégicas, para a exploração de recursos naturais.

REVISTA PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCIOS


Conheça a cidade brasileira que conserta aviões de todos os tamanhos 

Sorocaba é considerada o maior polo de aviação da América do Sul e tem 34 empresas autorizadas para manutenção de aeronaves
Dos 60 mil aviões que aterrissaram em 2015 no Aeroporto Bertram Luiz Leupolz, em Sorocaba (SP), pelo menos 40 mil não levantaram voo no mesmo dia. De monomotores a jatos de longo curso, essas aeronaves permaneceram em terra, em hangares e oficinas das 34 empresas da cidade credenciadas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para manutenção e reparo. Há ainda outras 18 de apoio e suporte ao setor. Juntas, somam 1,2 mil empregos diretos, a maioria de nível técnico ou superior.
Instaladas nos arredores da pista de pouso, elas formam uma das maiores concentrações de serviços para aviação do País. No polo aeronáutico de Sorocaba, estão centros de serviços de grandes companhias da aviação mundial, como Embraer, Pratt&Witney, Bombardier e Dassault-Breguet. Por ser um boa opção para posicionamento temporário das aeronaves, Sorocaba passou a ser conhecida no meio aeronáutico como a "cidade-dormitório" dos aviões privados. "Já somos o maior polo de aviação executiva da América do Sul", diz Ari Bordieri Junior, presidente da Associação dos Operadores do Aeroporto de Sorocaba.
No mês passado, a Federal Aviation Administration (FAA), autoridade aeronáutica dos Estados Unidos, emitiu certificado de aprovação do centro de serviços da Embraer para manutenção de todos os jatos executivos da companhia com registro de operação americana. Certificação semelhante havia sido emitida pela Agência Europeia para a Segurança da Aviação (Easa). Com isso, a unidade de Sorocaba passa a fazer parte de um grupo restrito de oficinas de manutenção e reparos na América Latina certificados para atender os jatos executivos da Embraer com matrícula nacional ou estrangeira, em passagem pelo País.
No caso da Embraer, as instalações no aeroporto somam 20 mil metros quadrados de hangares, oficinas e serviços para jatos das famílias Phenom, Legacy e Lineage, incluindo áreas VIP para tripulação e passageiros. No total, até 40 jatos podem ser atendidos simultaneamente.
Atualmente, há mais de 200 jatos executivos da Embraer na América do Sul que podem utilizar Sorocaba ou outros seis centros de serviços na região. No mundo, são mais de mil aeronaves executivas da companhia, 70% delas registradas nos EUA e na Europa.
Até o ano passado, o centro de serviços de Sorocaba era restrito à manutenção de aviões de matrícula nacional, da América do Sul, principalmente Argentina, Paraguai, Chile e Colômbia, e de alguns países da América Central. Mesmo assim, mais de 650 atendimentos foram realizados, entre manutenção, reparo e serviços aeroportuários.
 "Com a validação internacional, a expectativa é de aumento na demanda. Autoridades estrangeiras visitaram as instalações e avaliaram itens como capacitação dos profissionais, ferramentas e equipamentos", informou Ricardo Santos, da área de comunicação. O centro Embraer tem cerca de 200 funcionários e está ampliando o leque de serviços, o que já resultou em contratações. Já o centro de serviços Dassault, mais conhecido como "Falcon do Brasil", está instalado desde 2009 numa área de 2,1 mil metros quadrados e pode atender até quatro aviões ao mesmo tempo.
O diretor da Master Serviços Aeronáuticos, Marcos Valdir Dias, lembra que o Brasil tem a segunda maior frota de aviões do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, e todos têm de fazer manutenção periódica. "No Brasil, são mais de 15 mil aviões leves e médios que procuram Sorocaba porque fazemos todos os tipos de manutenção, desde motores, até pinturas e reparos após acidentes."
O crescimento desse mercado atraiu para a cidade escolas para pilotos e técnicos, como a Wings Aviação Civil. "Só dois aeroportos no mundo reúnem essa quantidade de empresas e uma gama tão variada de serviços: o de Le Bourget, em Paris, e o de Sorocaba", diz o professor Carlos Alberto Tavares, diretor da Wings. Entre os cursos mais procurados está o de mecânico de manutenção aeronáutica, com duração de dois anos. 
Internacional
Com o polo consolidado, o próximo passo será internacionalizar o aeroporto de Sorocaba para reduzir a limitação aos voos executivos procedentes do exterior, explica Bordieri Junior.
Como as aeronaves são obrigadas a entrar ou sair do País por aeroportos internacionais, elas não podem se dirigir diretamente ao terminal de Sorocaba, que não tem esse status, e têm de passar pelos aeroportos de Campinas, Guarulhos, Belo Horizonte ou Curitiba, que não dão prioridade à aviação executiva. "No momento em que houver a internacionalização, nosso movimento dobra", diz. 
Segundo ele, grandes multinacionais passarão a deixar os aviões na cidade e poderão decolar direto de Sorocaba. Para ser internacional, o aeroporto precisa atender às formalidades da alfândega, da polícia de fronteira e de vigilância agropecuária. O processo de Sorocaba já teve anuência do Ministério da Agricultura e Pecuária, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Polícia Federal, mas parou na Receita Federal, que alega falta de pessoal.
A parte técnica avança com a mudança de categoria do terminal. O Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp) encaminhou pedido de homologação da ampliação da pista, de 1,4 mil para 1,6 mil metros de extensão, ao Departamento de Controle do Tráfego Aéreo (Decea). A torre de controle, necessária para a operação por instrumentos, deve ficar pronta no primeiro semestre de 2017. O Estado prepara licitação para os equipamentos e contratação de pessoal. Segundo Bordieri, com a operação da torre, o movimento cresce de 40% a 50%. "As seguradoras de multinacionais que trabalham com aeronaves caras, entre US$ 30 milhões e US$ 80 milhões, não permitem que usem aeroportos não controlados.

JORNAL CORREIO DE NOTÍCIAS (RS)


1ª Usina de Energia Solar do Estado do RS

O Quinto Comando Aéreo Regional (V COMAR) deu um passo fundamental para contribuir com o desenvolvimento do Estado do Rio Grande do Sul, anunciando a construção da 1ª Usina de Energia Solar do Estado. Atualmente, a geração de eletricidade em escala comercial é realizada nos estados de Santa Catarina, Minas Gerais e Ceará, sendo este último o precursor em 2011.
BENEFÍCIOS
Com a construção do Parque de Energia Solar, o V COMAR visa reduzir custos de maneira sustentável, ou seja, produzir energia de forma limpa e renovável, processo inovador e pioneiro na administração pública por não envolver aumento de gastos, uma vez que utiliza o princípio de permuta de área por serviços. Desta forma, o projeto terá custo zero para a Aeronáutica.
Com essa finalidade, o V COMAR está cedendo uma área de mais de 20 hectares em sua sede no município de Canoas, para a construção da Usina, com capacidade inicial de geração de até 17 Megawatts, possibilitando à empresa vencedora do processo licitatório comercializar energia equivalente ao consumo aproximado de 9 mil residências. A contrapartida será a geração de energia para as unidades militares sediadas no Quartel General do V COMAR e Base Aérea de Canoas.
O Comando da Aeronáutica pretende, com esse modelo, construir usinas de energia solar em todas as Organizações Militares do âmbito do COMAER nos próximos anos. De acordo com o parecer da Consultoria Jurídica da União no Rio Grande do Sul, “o projeto é inovador e merece elogios.”
GANHOS
A construção da Usina do V COMAR ira possibilitar a geração de empregos e aumento de arrecadação de ICMS para o estado do Rio Grande do Sul.
O projeto ambicioso de construção da 1ª Usina Fotovoltaica do RS é de autoria do Comandante do V COMAR, Major-Brigadeiro do Ar Jeferson Domingues de Freitas. Segundo o Comandante, “o sol é a solução para a crescente necessidade de energia elétrica do País, além da economia, evita poluição ambiental e sonora, diferente da termoelétrica que é poluidora ou da hidrelétrica que inunda áreas para a construção de uma usina”. 
LICITAÇÃO 
O processo de construção da Usina ficará a cargo da empresa vencedora da licitação que, durante um período de 25 anos, terá cessão de uso da área.
A empresa que vencer o processo licitatário, venderá energia de forma direta ou leilão. A forma de distribuição será definida pela própria concessionária.
A publicação do edital de “concorrência da cessão de uso de bem imóvel federal sob administração do Comando da Aeronáutica, mediante regime jurídico de arrendamento, para instalação de usina de energia fotovoltaica (solar)”, será no próximo dia 3 de junho.
SERVIÇO: 
O QUE: Processo licitatório para construção da 1ª Usina Fotovoltaica (Solar) do RS.
QUANDO: Publicação no D.O.U. dia 3 de junho.
ONDE: VISITA TÉCNICA: de 6 à 22 de junho. Fornecedores interessados poderão agendar visita técnica guiada no QG do V COMAR, na Av. Guilherme Schell, nº 3950, bairro Mato Grande, Canoas/RS.
ABERTURA DA LICITAÇÃO: dia 5 de julho, presencial, no QG do V COMAR.

PORTAL CAVOK - ASAS DA INFORMAÇÃO


FAB realiza exercício operacional Transportex em Campo Grande

Fernando Valduga
Dezessete esquadrões da Força Aérea Brasileira (FAB) participam até sábado (04/06) da quinta edição do Exercício Operacional Transportex 2016 na Base Aérea de Campo Grande (BACG). O treinamento visa o aprimoramento e a capacidade de pronto emprego das unidades aéreas subordinadas à Quinta Força Aérea (V FAE) e dos Esquadrões de Transporte Aéreo (ETA), adestrando-os em cenários táticos fictícios próprios da Aviação de Transporte.

O destaque da edição deste ano é a atuação durante os exercícios das aviações de Caça, representada pelo Primeiro Grupo de Aviação de Caça (1° GAVCA); da aviação de Reconhecimento, com o Esquadrão Guardião (2°/6° GAV); de Busca e Salvamento, com o Esquadrão Pelicano (2°/10° GAV); e do Segundo Grupo de Defesa Antiaérea (2° GDAAE).
Um dos exercícios realizados em conjunto é o de lançamento de carga, momento em que, ao receber a demanda do lançamento de carga para tropas aliadas que estão em território inimigo, a aeronave de transporte, C-130 Hércules, decola em direção a área hostil. Sem escolta, a aeronave de transporte é interceptada por um F-5, dificultando a entrega da carga aos militares.

Nesse contexto o R-99, aeronave de reconhecimento, envia informações ao Hércules relatando as posições de ameaça e, a partir daí, começa o combate simulado. O treinamento proporciona às Unidades Aéreas da FAB testarem suas técnicas de emprego em ambientes hostis e sistemas de autodefesa.

“Os treinamentos em conjunto com essas aviações são de grande relevância para que nossos militares estejam sempre preparados para cumprir as missões. A troca de experiências durante os exercícios agrega mais conhecimento para os militares e crescimento para a FAB ”, destaca o Comandante da Quinta Força Aérea (V FAE), Brigadeiro do Ar Mozart de Oliveira Farias.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented