|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 21/07/2016 / Embraer é a empresa campeã na área de inovação em 2016


Embraer é a empresa campeã na área de inovação em 2016 ...


Gustavo Brigatto e Luciano Máximo ...

No ano passado, quase metade da receita da Embraer veio de novos produtos ou produtos significativamente melhorados. "Para manter-se competitiva, a Embraer tem de ser inovadora o tempo todo", afirma o vice-presidente-executivo de operações, Mauro Kern Jr. Para isso, a companhia aplica 5,6% do faturamento em P&D, o que representa cerca de R$ 1,13 bilhão por ano. "Temos uma equipe de engenheiros cujo papel é olhar 15 anos à frente", explica Kern.

Para 2016, a empresa, que tem 90% da produção vendida ao exterior, quer investir até R$ 2,12 bilhões em atividades inovadoras, quase o dobro de 2015. "Perseguimos o investimento de 10% do faturamento global." disse Kern.

A Embraer foi apontada como a empresa mais inovadora do país na segunda edição do anuário "Valor Inovação Brasil", produzido pelo Valor em conjunto com a consultoria Strategy&. Com o objetivo de estimular o desenvolvimento de tecnologias e reconhecer esforços de companhias que investem em inovação, o anuário, que circula hoje, listou as cem empresas mais inovadoras do Brasil.

As dez primeiras do ranking e as 17 líderes em cada setor foram premiadas ontem à noite em São Paulo, num evento que reuniu mais de 400 pessoas. Foi quase o dobro do número de presentes do ano passado, durante a primeira edição do prêmio. "E ano que vem vai dobrar de novo", brincou Henrique Luz, vice-presidente da PwC, controladora da Strategy&.

A maioria dos executivos das empresas vencedoras destacou que já sente sinais de melhora na confiança e que, nas companhias em que atuam, os investimentos em inovação não têm sofrido com a crise econômica.

Para Jorge Lopez, presidente da 3M, multinacional que ficou em segundo lugar no ranking geral da premiação e líder do segmento Indústria Química e de Transformação, os meses de abril e maio "foram complicados", mas há expectativa de melhora a partir do segundo semestre. "Nossas projeções indicam que a economia começa a avançar a partir de junho com um segundo semestre mais favorável ", disse Lopez.

"Já tivemos alguns sinais na economia que estamos indo melhor do que já passamos e isso é fundamental", disse André Fachetti, gerente-geral de gestão tecnológica do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento da Petrobras. De acordo com o executivo, a empresa tem mantido o investimento em inovação mesmo diante do cenário de crise e dos ajustes na companhia.

Os investimentos da companhia estão atrelados às regras do setor de petróleo, que exigem aporte de 1% da receita bruta em projetos de pesquisa e inovação. Ele explicou que houve pequena queda nos valores em dólar por conta da variação cambial e da queda do valor do petróleo, mas a Petrobras redirecionou esforços, focando-se em questões que afetam a companhia como um todo e projetos com impacto no longo prazo.

Segundo Alfredo Miguel Neto, diretor de assuntos corporativos para América Latina da fabricante John Deere, primeira colocada na categoria Veículos e Peças, a economia vai levar mais tempo para retomar um ritmo mais intenso de crescimento. "Vemos expansão a partir do segundo semestre do ano que vem, começo de 2018. Se você vislumbra que o mercado volta em dois anos, e não se prepara, não tem produto adequado." A John Deere tem buscado fazer investimentos de pesquisa com recursos próprios, sem depender de linhas de financiamento públicas.

Márcio Estefan, diretor comercial da Algar Telecom, inovadora campeã do setor Telecomunicações, diz que vê recuperação da economia a partir do ano que vem. "Em tempos de crise, é preciso ter organização na busca por recursos e calibrar bem o risco. O resultado é que os clientes nos procuram, não retraímos nosso investimento. Prova disso foram as aquisições de empresas de fibra ótica no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, em novembro do ano passado.

"Nascida no mundo digital, a varejista Netshoes tem a inovação como parte do dia a dia, disse Graciela Tanaka, diretora de operações da companhia. "A idade média na empresa é de 27 anos, são pessoas que querem fazer diferente. Pode ser uma coisa simples, uma mudança de processo que faça a diferença para a empresa", disse.

O representante da campeã do setor Farmacêuticas e Ciências da Vida, Stephani Saverio, diretor de novos negócios, parcerias e internacionalização da Aché, informou que a meta de investimento em inovação da companhia está entre 8% e 10% do faturamento líquido. "Foram R$ 200 milhões no ano passado e queremos estar dentro dos 10% este ano.

"Para Saverio, "a questão política é importante, atrapalha a economia no curto prazo, mas mantemos as previsões de investimento porque entendemos que os fundamentos macroeconômicos estão mantidos, apesar da política".




Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




JORNAL O TEMPO (MG)


Forças de segurança simulam ataque terrorista no metrô de BH

Treinamento, com foco nos Jogos Olímpicos do Rio, envolveu 70 pessoas e terminou na madrugada desta quarta (20); Capital receberá dez partidas de futebol

Gustavo Lameira

Setenta integrantes de forças de segurança participaram de um treinamento prático de defesa contra ataques químicos, no metrô de Belo Horizonte, com foco nos Jogos Olímpicos do Rio.
A simulação de ataque terrorista com gás tóxico contra passageiros aconteceu entre o final da noite dessa terça-feira (19) e madrugada desta quarta (20), na estação Gameleira.
O treinamento, que envolveu ataques químicos, estruturas de defesa química, biológica, radiológica e nuclear (DQBRN), procedimentos de prevenção e descontaminação de agentes QBRN, faz parte das ações da Comissão Extraordinária de Grandes Eventos de Minas Gerais (Coesge-MG) e do Núcleo de Articulação Minas 2016, criados pelo governo do Estado em abril de 2015.
Jogos em BH
Os Jogos Olímpicos do Rio começam em 5 de agosto. Conforme a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), 15 a 20 mil turistas são esperados na capital. Belo Horizonte receberá dez partidas de futebol masculino e feminino - cerca de 500 atletas - mais 1.500 profissionais de imprensa.
Quem participou
Militares das Forças Armadas, servidores da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), agentes e técnicos da Polícia Federal, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Guarda Municipal, BHTrans, Fundação Ezequiel Dias, Secretaria de Estado de Saúde, Secretaria de Saúde Municipal de Belo Horizonte, Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear, funcionários da CBTU e agentes de segurança privada.

PORTAL G-1


Para Alckmin, segurança em SP na Olimpíada preocupa mais que terror

Governador disse que SP terá plano de contingência para receber jogos. Dez partidas do torneio de futebol serão realizadas na Arena Corinthians.

Kleber Tomaz Do G1 São Paulo

Para o governador Geraldo Alckmin (PSDB), a questão relacionada à segurança em São Paulo durante a Olimpíada na cidade preocupa mais do que o risco de terrorismo. A declaração foi dada na manhã desta quarta-feira (20) durante evento relacionado aos Jogos Olímpicos na capital paulista.
Apesar de o governador não ter entrado em detalhes, o governador se refere à preocupação das forças de segurança em coibir eventuais crimes que possam ocorrer na cidade durante a Olimpíada. Para Alckmin, essa preocupação é maior do que o risco de possíveis ataques de grupos extremistas.
A Arena Corinthians, em Itaquera, Zona Leste de São Paulo, irá receber dez jogos do torneio de futebol dos Jogos Oimpiucos Rio-2016: seis masculinos e quatro femininos, além da passagem da tocha olímpica.
Ao ser questionado por uma jornalista de língua espanhola sobre alertas de terrorismo no Brasil, Alckmin respondeu que a segurança local preocupa mais.
“Nós fizemos um plano de contingência, que vai desde a parte de segurança, a parte médica, descontaminação, corpo de bombeiros, especialistas, mas eu concordo com o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, quando diz que é mais preocupante a questão da segurança local do que terrorismo”, disse o governador de São Paulo. “Quer dizer, eu acho que o foco tem que estar na questão inclusive além da questão externa além da questão interna”.
Nesta quarta-feira, o jornal "Folha de S.Paulo" publicou uma entrevista com o ministro Moraes, na qual ele declarou que “a criminalidade preocupa mais que o terrorismo” na Olimpíada do Rio. O evento esportivo vai durar de 5 a 21 de agosto. Os jogos de futebol, no entanto, começarão antes: no dia 3 do próximo mês.
O estado também receberá a aclimatação das delegações dos EUA, Israel, Inglaterra, Alemanha e França, entre outros países que já foram alvos de ataques terroristas. Chefes de estado de alguns países também passarão por São Paulo.
“Nós teremos aqui em São Paulo primeiro a aclimatação de inúmeros países no mundo com seus atletas. Aqui fará a aclimatação Argentina, Canadá, China, Itália, França, Inglaterra. Mais de 20 países ficarão em São Paulo nesse período de aclimatação. “No dia 14 de julho, um caminhão atropelou e matou 84 pessoas e feriu outras 50 que estavam assistindo à queima de fogos em comemoração da Queda da Bastilha, em Nice, no sul da França.
O presidente François Hollande disse que o ataque tem um "caráter terrorista que não pode ser negado". No entanto, nenhuma organização reivindicou o ataque, apesar de o atentado ter sido comemorado nas redes sociais ligadas ao Estado Islâmico. Segundo a agência AP, o gabinete da Procuradoria de Paris abriu uma investigação para apurar se há ligação de grupos radicais.
Indagado se a delegação da França terá alguma atenção especial por conta das ameaças de terrorismo contra o país, Alckmin respondeu, sem entrar em detalhes, que “isso está dentro do nosso plano de contingência”.
Também perguntado se a polícia francesa estará em São Paulo, o governador declarou que “eu não tenho essa informação, de que nós tenhamos aqui policiais franceses, mas certamente há entre os setores de segurança do Brasil e da França um grande intercâmbio neste trabalho”.
Questionado se São Paulo está preparada para enfrentar o terrorismo, o governador respondeu que “nós temos a maior força policial do Brasil. A força policial mais treinada, mais equipada. Recebemos grandes eventos em São Paulo, todo dia, permanentemente, então sim, as medidas que podem ser tomadas estão sendo tomadas”.
Segundo Alckmin, São Paulo terá estrutura para receber as partidas de futebol da Olimpíada em Itaquera até as fases semifinais. “E estamos preparados. É um dos poucos estádios que você tem estação de trem, estação de metrô na porta. Então como já foi um sucesso na Copa do Mundo [de 2014, quando a Arena Corinthians recebeu o jogo inaugural e demais partidas] nós teremos também um ótimo trabalho nas Olimpíadas”, disse o governador.
De acordo com ele, São Paulo também receberá alguns esportes da Paralimpíada. “Que são em seguida, no dia 7 de setembro. Temos aqui o Centro Paralímpico, que foi inaugurado há 120 dias”, afirmou Alckmin.
Durante a coletiva, o risco de terrorismo na Olimpíada foi o tema mais perguntado ao governador, principalmente após os ataques recentes na França. “É verdade. Você tem um fato novo no mundo. Agora o Brasil é um país de paz, é um país multirracial, é um país onde todos aqui convivem, diferentes religiões, o país da diversidade, também é uma característica diferente”, disse o governador, passando uma mensagem de tranquilidade.
Questionado se a população pode ficar tranquila em São Paulo, Alckmin respondeu “esse é um trabalho que você está 24 horas lutando. Uma luta permanente. Agora todas as medidas estão sendo tomadas”.
O governador negou que o plano de contingência em São Paulo tenha sido aumentando por conta dos atentados em Nice. “Não, ele é permanente. É um processo dinâmico”.
Na noite de terça-feira (19), a Policia Militar (PM) foi acionada para averiguar uma mala que havia sido deixada próxima ao Banco Central e ao Consulado Francês na região da Avenida Paulista, na região central de São Paulo.
Equipes do esquadrão antibombas e do Corpo de Bombeiros foram acionadas e a Rua Ministro Rocha Azevedo foi isolada. Um robô foi utilizado para detectar o que havia dentro da mala e nenhum explosivo foi encontrado, apenas roupas, um caderno e uma bandeira do Brasil.
“Infelizmente você tem também um alarme falso [diz sobre suspeita de bomba], mas que a gente não pode duvidar. Tem que ir lá e trabalhar como se fosse então... um dia desses em Piracicaba foi uma confusão danada. No fim a polícia foi lá, desmontou a tal da caixa e não tinha bomba nenhuma, mas a polícia é preparada para esse tipo de trabalho”, disse Alckmin.
São Paulo mandará cerca de 1 mil policiais para ajudar na segurança do Rio durante os Jogos Olímpicos. “Nós encaminharemos um grupo grande policiais, são em torno de mil policiais no período, nesse período da Olimpíada e não para ajudar o governo federal, ajudar o estado irmão Rio de Janeiro e sem nenhum prejuízo para São Paulo porque nós vamos fazer uma Dejem [Diária Especial de Jornada Extraordinária de Trabalho Policial Militar], que é a diária de jornada extramilitar. Então a gente compensa os mil policiais colocando outros mil na rua pagando uma jornada extra militar, que é a Dejem”
Segundo os jogos de futebol da Olimpíada deixarão um legado para São Paulo. “E teremos como contrapartida, como legado, equipamentos, computadores, armamento, colete à prova de balas, veículos do governo federal para o estado.”
Aproximadamente 3 mil militares das Forças Armadas vão fazer a segurança da Olímpiada, a partir de agosto, no estado de São Paulo. As informações são do SPTV.
Militares do Exército, da Marinha e da Aeronáutica brasileiros, mais policiais estaduais e de outros órgãos federais, farão a segurança da Olimpíada.
Os agentes envolvidos diretamente na segurança da Arena Corinthians são agentes de elite das forças armadas que poderão ser acionados a qualquer momento para coibir eventuais ataques químicos, contaminações biológicas ou agir no caso de suspeitas de bombas.

França desmente suposto plano de ataque terrorista no Rio

Polícia Militar do Rio lançou campanha para que população avise sobre possíveis situações de ameaça. Treinamentos têm sido diários na cidade.

O governo da França declarou que é falsa a informação de que um brasileiro, supostamente vinculado ao Estado Islâmico, estaria planejando um atentado durante a Olimpíada do Rio.
Na terça-feira (19), a Polícia Militar do Rio de Janeiro lançou uma campanha para que a população colabore com a Olimpíada, avisando sobre possíveis situações de ameaça. Os treinamentos da segurança têm sido diários.
Foi um dia intenso de treinamentos de segurança. Na estação do metrô do Maracanã, a simulação de um atentado terrorista. Na Praia do Flamengo, o ensaio foi do desembarque de tropas para controlar um protesto violento. Bombeiros simularam o socorro de feridos depois de uma explosão, no Sambódromo.
O principal treinamento no Rio foi no Aeroporto Internacional do Galeão que foi ocupado por tropas da Polícia da Aeronáutica. Além dos militares, agentes da Polícia Federal tiveram ajuda de cães para vistoriar bagagens e cargas suspeitas. Mil e duzentos homens participaram. Eles agiram como se uma bomba de verdade tivesse explodido no saguão de desembarque.
Na segunda-feira (18), moradores do Leblon chamaram o Esquadrão Antibomba depois que um homem deixou uma mala em frente a um prédio. A polícia descobriu que na mala só tinha roupa suja. A Polícia Militar lançou uma campanha alertando as pessoas para que fiquem atentas a objetos que possam representar ameaça.
“Se você imagina que uma determinada bolsa que está na rua não deveria estar ali, respeite a sua intuição, chame um policial militar, avise a um funcionário. Basicamente a maneira de ajudar a população é isso, fazendo valer seu direito de participar do processo de segurança”, declarou Daniel Puga, do Comitê da Coordenação de Comunicação (COE).

Trote de ameaça de bomba assusta passageiros no aeroporto de Belém


Um voo da companhia aérea Gol atrasou a decolagem por cerca de meia hora na madrugada desta quarta-feira (20), no aeroporto de Belém. A companhia recebeu uma denúncia de ameaça de bomba na aeronave. A Polícia Federal foi comunicada e detectou que a queixa era um trote.
De acordo com o PF, uma criança fez a ligação e foi identificada. Ela e a mãe foram impedidas de viajar. O voo seguiu normalmente, com destino a São Paulo, fazendo conexão no Rio de Janeiro.
A criança com a mãe prestaram depoimento na PF do aeroporto e foram liberadas. As duas são naurais de Rondon do Pará, sudeste do estado.
A GOL informou em nota, que seguiu todos os protocolos de segurança conforme a legislação e as normas do setor, colaborando com as autoridades responsáveis até esclarecer que a ameaça era falsa. A companhia ainda lamentou o desconforto causado aos clientes, mas ressaltou que as medidas tomadas, ainda que tenham gerado atrasos na operação, visam a segurança de todos.
Aeroportos
Desde a última segunda-feira (18), medidas mais rigorosas de segurança começaram a valer nos aeroportos brasileiros. Entre as novas medidas está a possibilidade de revista física em todos os passageiros; a obrigação de retirar da bagagem computadores portáteis e dispositivos eletrônicos, além da inspeção das bagagens de mão, mesmo depois de passar pelo raio-x. Medidas passaram a valer devido a proximidade do Jogos Olímpicos que serão realizados no Rio de Janeiro.

Infraero não cumpriu determinação e sonegou dados sobre obras, diz TCU

Estatal deixou de analisar condições de preço e contratação, afirma a corte. Infraero disse que não foi notificada, mas que está à disposição do TCU.

Laís Alegretti Do G1, Em Brasília

O Tribunal de Contas da União (TCU) afirmou nesta quarta-feira (20) que a Infraero desobedeceu determinação e sonegou à sua equipe de auditoria informações sobre contratos de obras nos aeroportos de Guarulhos, Viracopos, Galeão e Brasília. A estatal é sócia com 49% de participação nas concessionárias que administram esses quatro aeroportos.
Procurada pelo G1, a Infraero informou que ainda não foi notificada sobre a decisão e que "segue à disposição dos órgãos de fiscalização e controle para o pleno esclarecimento dos fatos, em consonância com os princípios de transparência da governança no sentido da busca da melhoria contínua da empresa".
Em 2014, o TCU constatou que a Infraero deixou de fazer uma análise crítica sobre os contratos e os aditivos de obras realizadas de 2012 a 2014 nos quatro aeroportos. Segundo o TCU, a Infraero “simplesmente assinou embaixo”, em vez de cumprir a obrigação de analisar as condições de preço e condições de mercado das contratações. 
Depois, o tribunal fez um monitoramento para checar se a Infraero cumpriu as determinações feitas à época, que incluíam a análise dos contratos, mesmo que posterior à contratação. Nesta quarta, o plenário da corte analisou o processo que trata desse monitoramento. A constatação foi que a estatal desobedeceu a decisão e ainda sonegou informações à equipe de auditoria do tribunal.
“Verificamos que a Infraero recebia pareceres de consultorias contratados pelas SPEs [Sociedades de Propósito Específico], eles atestavam que seguiam condições de mercado e a Infraero concordou sem exercer análise mínima sobre adequação", firmou o secretário de Infraestrutura de Aeroportos e Telecomunicações do TCU, Marcelo Cunha.
"Ela [Infraero] não exerceu poder de veto e não analisou [os contratos]. Foi uma omissão. Ela simplesmente assinou embaixo”, completou Cunha.
A SPE é a empresa formada pelos vencedores do leilão de cada um desses terminais - e que detém 51% dos aeroportos - e pela Infraero, com os outros 49%. Segundo o TCU, a Infraero argumentou que não deveria interferir nas decisões por ser sócia minoritária.
A equipe do TCU analisou contratos de obras nos quatro aeroportos e encontrou “indícios de problemas”. O tribunal ainda vai apurar se houve sobrepreço nas contratações.
Uma medida cautelar de dezembro proíbe a Infraero de autorizar contratações das concessionárias até que as determinações do TCU sejam atendidas. Essa proibição foi mantida pelos ministros em decisão desta quarta-feira.
Segundo Marcelo Cunha, gestores da estatal serão chamados para prestar explicações sobre o descumprimento das determinações e a sonegação de informações.

JORNAL CORREIO BRAZILIENSE


Auxílio extra na segurança


Para garantir a segurança nas Olimpíadas, o governo brasileiro vai receber a colaboração de mais de 100 agentes de inteligência na operação dos jogos. O ministro do Esporte, Leonardo Picciani, informou ontem, após a reunião semanal do megaevento, no Palácio do Planalto, que cada país deve mandar um ajudante para colaborar na identificação de possíveis atentados ou ameaças.
Entre as medidas de segurança, Picciani informou também que o governo está atento para não subestimar nenhuma informação e que todos os protocolos recomendados de segurança internacional foram preenchidos. “Nada está sendo subestimado. O governo adotou todas as medidas recomendadas pelos protocolos de segurança internacional e há a colaboração de mais de uma centena de países que estão enviando agentes de segurança para colaborar com a inteligência.”
O ministro ressaltou que mais de 50 chefes de Estado já confirmaram presença no evento esportivo e que o governo tem tratado com “seriedade” os riscos de um possível atentado durante os jogos. “Os ministros da Justiça (Alexandre de Moraes) e do Gabinete de Segurança Institucional (Sérgio Etchegoyen) expuseram os procedimentos de segurança e as ações adotadas”, afirmou Picciani.
“O Brasil tem tratado a questão de segurança pública e do terrorismo com grande seriedade. Mas nós temos a convicção de que adotamos as principais e mais modernas técnicas de enfrentamento a esse tema. Estão sendo disponibilizados todos nos efetivos, 88 mil homens envolvidos na operação de segurança dos Jogos Olímpicos”, enfatizou Picciani. Desde a semana passada, quando um caminhão atropelou e matou 84 pessoas em Nice, na França, o governo brasileiro ligou o alerta em relação aos riscos de ataques.
Picciani afirmou que as possíveis ameaças são monitoradas pela inteligência e que não houve nenhuma incidência capaz de alterar o roteiro já previsto dos jogos ou cerimônias. “Está mantida a recepção que o presidente (em exercício, Michel Temer) fará aos chefes de Estado no dia da abertura dos jogos”, confirmou. “A atenção com segurança é permanente, não é pontual, e volto a repetir que todos os efetivos necessários, técnicas mais modernas e protocolos estão sendo cumpridos, portanto, o governo tem absoluta convicção de que os jogos serão seguros”, frisou.
Palácio Itamaraty
O ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse no Rio de Janeiro existir em locais mais seguros que o Palácio Itamaraty para o encontro dos chefes de Estado com Temer na abertura das Olimpíadas. “Eu acho que existem outros locais que contribuem melhor para a segurança dos mandatários. Mas se houver determinação de realizar o encontro ali, vamos garantir todas as condições de segurança para que os chefes de Estado cheguem ao palácio, sejam recebidos e transitem sem qualquer problema”, afirmou o ministro da Defesa.
Para Jungmann, o Palácio Duque de Caxias, sede do Comando Militar do Leste, é uma alternativa ao Itamaraty. “O Rio de Janeiro tem muitos salões. É claro que há todo um simbolismo no Palácio Itamaraty. É um prédio belíssimo e abriga nossas melhores tradições em termos de diplomacia. A decisão final (sobre o local do evento) cabe ao Ministério das Relações Exteriores”, afirmou.
Diante dos riscos de ataques terroristas, o governo francês pediu ao Brasil proteção adicional a seis instituições regulares de ensino, quatro consulados (Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia e Recife) e 68 escolas de idioma da língua francesa. Além disso, um esquema especial de segurança será montado para a visita do presidente François Hollande.
Na terça-feira, a Secretaria de Imprensa da Presidência (SIP) negou por meio de nota que um brasileiro, supostamente vinculado ao Estado Islâmico, estivesse planejando um atentado contra a delegação francesa durante os jogos. “A informação é falsa, razão pela qual o diretor de Inteligência Militar da França não a transmitiu para o Ministério da Defesa brasileiro naquela ocasião.”
A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) também divulgou nota alegando que todas as ameaças relacionadas aos jogos “estão sendo minuciosamente apuradas, em particular as relacionadas ao terrorismo”. “Muitas são descartadas e as que merecem atenção são exaustivamente investigadas. Devido à sensibilidade do tema, as ameaças são tratadas, de forma integrada, pelas unidades especializadas de enfrentamento ao terrorismo dos três eixos responsáveis pela segurança dos jogos.”

Simulação de ação terrorista no metrô


Os Jogos Olímpicos no Brasil se aproximam e a principal preocupação de todos continua sendo a segurança. Para evitar qualquer tipo de surpresa, as Forças Armadas de São Paulo realizaram, na madrugada desta quarta-feira, uma simulação de um ataque terrorista na estação Paraíso do Metrô. Com mais de 200 mil pessoas transitando diariamente no local, a estação é uma das alternativas para quem assistirá a uma das 10 partidas do torneio de futebol olímpico na Arena Corinthians, na Zona Leste da capital paulista.
Com cerca de 100 militares das Forças Armadas de São Paulo e de Goiânia, a primeira etapa do treinamento começou por volta da 1h e foi uma encenação sem luz na estação, com os agentes utilizando equipamentos para enxergar nestas condições. Além disso, no roteiro planejado pelas Forças Armadas, houve encenação de troca de tiros e até mesmo uso de bombas. No fim da cena, três terroristas acabaram “mortos” e todos os reféns, representados por figurantes, foram resgatados com vida.
Também em São Paulo, uma suspeita de bomba próxima ao Consulado Geral da França e ao Banco Central fechou um trecho da Alameda Ministro Rocha Azevedo, na altura da Avenida Paulista, na Bela Vista, em São Paulo. Por volta das 22h50 de terça, uma pessoa telefonou para o 190 da Polícia Militar (PM) avisando que uma maleta havia sido abandonada no local.
Uma equipe do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foi acionada e verificou, após cerca de duas horas e meia, que a bolsa não continha artefatos explosivos. A PM não soube informar o que estava dentro dela. A Alameda Ministro Rocha Azevedo ficou interditada entre 1h e 1h50, sem maiores reflexos para o trânsito, informou a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).
"Nada está sendo subestimado. O governo adotou todas as medidas recomendadas pelos protocolos de segurança internacional”, disse Leonardo Picciani, ministro do Esporte

PORTAL UOL


Afastado, Cunha voa 13 vezes pela FAB e gasta o equivalente a R$ 569 mil


Leandro Prazeres

O ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) gastou o equivalente a R$ 569 mil em voos entre Brasília e Rio de Janeiro no período em que esteve afastado da presidência da Casa. O levantamento foi feito pelo UOL com base em dados disponibilizados pela FAB (Força Aérea Brasileira) e em cotações com empresas de táxi aéreo.
Eduardo Cunha ficou afastado da presidência da Câmara entre os dias 5 de maio (quando o STF decidiu pelo seu afastamento) e 7 de julho, quando ele renunciou ao cargo.
Presidentes da Câmara, do Senado e do STF (Supremo Tribunal Federal) têm direito a utilizar jatos da FAB para seus deslocamentos a trabalho e no retorno às cidades onde residem. Tanto o presidente interino, Michel Temer, quanto a presidente afastada, Dilma Rousseff (PT), também têm direito a utilizar voos da FAB em seus deslocamentos. Uma decisão da Justiça Federal do Rio Grande do Sul, no entanto, determinou que Dilma deverá ressarcir os custos de seus voos pela FAB enquanto estiver afastada.
No período em que esteve afastado do cargo, Cunha continuou mantendo benefícios destinados ao presidente da Câmara, como a residência oficial e voos da FAB entre Brasília e seu local de residência.
De acordo com a FAB, Eduardo Cunha fez 13 voos entre os dias 5 de maio (data de seu afastamento) e 7 de julho (dia em que ele renunciou à presidência da Câmara). Foram sete voos partindo de Brasília para o Rio de Janeiro e seis voos partindo do Rio de Janeiro para Brasília. 
A FAB não informa os custos de seus voos por considerar essas informações "estratégicas", mas o UOL fez duas cotações com empresas do ramo de táxi aéreo para estimar qual o custo dos voos realizados por Cunha no período em que esteve afastado.
As cotações feitas pelo UOL levaram em consideração os seguintes critérios: custos do trajeto Brasília/Rio de Janeiro e Rio de Janeiro/Brasília com voos saindo em uma segunda-feira e retornando em uma sexta-feira em uma aeronave Legacy 600 (modelo utilizado pela FAB para o deslocamento de Cunha) ou equivalente. Os critérios são semelhantes ao padrão de utilização dos voos feitos por Cunha no período.
A companhia que apresentou o custo mais baixo foi a Líder Aviação. A empresa, que tem um Legacy 600 em sua frota, estimou o custo dos 13 voos de Cunha em aproximadamente R$ 569 mil.
A TAM Aviação Executiva não tem o Legacy 600 em sua frota, mas fez uma cotação para a aeronave Citation 10, um pouco menor que a anterior. O custo estimado pela TAM foi superior à da Líder Aviação: R$ 574,7 mil.
Privilégios
O transporte aéreo realizado pela FAB não foi o único privilégio a que Cunha teve direito enquanto esteve afastado da presidência da Câmara.
No dia 13 de maio, um ato da mesa assinado pelo então presidente interino da Casa, Waldir Maranhão (PP-MA), determinou que, mesmo afastado do cargo, Cunha continuaria a ter direito a: residência oficial da presidência da Câmara; salário integral de R$ 33,7 mil; assistência de saúde; segurança pessoal; equipe parlamentar; e transporte aéreo ou terrestre.
O transporte de autoridades em aeronaves da FAB é regulamentado pelo decreto 4.244/2002. O decreto determinava que vice-presidente da República, ministros de Estado e presidentes da Câmara, Senado e STF poderiam usar aviões da FAB para seus deslocamentos de trabalho e para retornar às cidades onde residem.
Em 2015, um decreto proibiu que ministros de Estado utilizassem as aeronaves para retornar às cidades onde moram.
Procurado pela reportagem do UOL, Eduardo Cunha disse, por meio de sua assessoria de imprensa, que "não vai se manifestar" sobre o assunto.

AGÊNCIA CÂMARA


Comissão aprova transporte aéreo gratuito de órgãos e tecidos para transplante

Relator da Proposta incluiu a obrigatoriedade de transportar profissionais responsáveis pela captação dos órgãos; proposta segue para a CCJ

A Comissão de Viação e Transportes da câmara dos deputados aprovou proposta que obriga as companhias aéreas nacionais a transportar gratuitamente órgãos e tecidos destinados a transplantes.
De acordo com o projeto haverá uma cooperação técnica entre as companhias aéreas, o Ministério da Saúde e os órgãos de gestão da aviação civil, como a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e o Comando da Aeronáutica.
Recentemente um decreto da Presidência da República também colocou aeronaves da Força Aérea Brasileira, a disposição para o transporte de órgãos.
O relator da proposta na comissão também incluiu no projeto a obrigatoriedade de transportar gratuitamente profissionais das equipes de captação de órgãos.
A proposta segue agora para análise da comissão de constituição e justiça e de cidadania.

JORNAL DO BRASIL


Nuzman vê com simpatia a continência dos atletas militares no pódio


O presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e do Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, vê com naturalidade o fato de atletas militares prestarem continência em um momento de premiação. Para o dirigente, essa manifestação ocorre há tempos, e no seu entender, “eles transmitem o orgulho de serem militares, e é natural". Nuzman salientou que o fato existe, historicamente, em diferentes países, antes mesmo da Segunda Guerra Mundial.
"Nós nos sentimos muito contentes deles poderem prestar continência”, disse Nuzman após participar da cerimônia de entrega oficial das instalações do Centro de Treinamento de Alta Performance do Time Brasil (CTAP Brasil) ao COB, no Forte São João, na Urca, zona sul do Rio de Janeiro. O CTAP Brasil está instalado no Centro de Capacitação Física do Exército (CCFEx) e é a maior base de treinamento e acomodação do COB, fora da Vila dos Atletas, na Barra da Tijuca, zona oeste. Os atletas poderão usar instalações e equipamentos para treinos de alto nível, laboratórios para aperfeiçoamento técnico, sala de fisioterapia e infraestrutura de alojamento e alimentação.
Para Nuzman, a parceria entre as Forças Armadas e o COB já mostrou bons resultados. “Há uma história muito grande de relacionamento do Comitê Olímpico com as Forças Armadas; em especial, com o Centro de Capacitação Física do Exército, a começar comigo. Daqui saí como atleta olímpico. Isso é uma história exemplar não só para o Brasil, mas para o resto do mundo de como essa união traz benefícios enormes à sociedade, ao esporte e aos atletas”, contou.
O presidente do COB espera que os atletas possam continuar usando as instalações daquela unidade do Exército depois do término dos Jogos de 2016. “Do nosso lado, com toda a certeza, é bom lembrar que essa relação, esse convênio é muito antigo. Quando presidi a Confederação Brasileira de Voleibol, daqui saíram atletas da geração de prata e da geração de ouro. Todos eles foram formados aqui nesta casa, o que nos orgulha muito”, revelou.
O chefe do Centro de Capacitação Física do Exército, general Décio dos Santos Brasil, disse que a Força ganha com a entrada de atletas de alto rendimento, porque participam de competições internacionais. “Nós passamos a participar efetivamente nos campeonatos mundiais do Conselho Internacional de Esporte Militar. Nós tínhamos participações, algumas de destaque, em algumas modalidades, e a partir da incorporação dos atletas de alto rendimento passamos, efetivamente, a competir nesses campeonatos. O Brasil é hoje conhecido e reconhecido como uma potência no desporto militar, graças ao Programa de Atleta de Alto Rendimento”, apontou.
Medalhas
Nuzman acrescentou que mesmo tendo, em 2016, a maior delegação brasileira da história dos Jogos Olímpicos, há também o grande desafio de ficar entre os dez países mais bem colocados, mas está confiante. “É a maior delegação do esporte brasileiro. O objetivo é um desafio grande de poder ficar entre os dez primeiros. Isso motiva o atleta a se superar e conquistar os resultados, e nós podemos alcançar este objetivo”, afirmou.
O presidente do COB, no entanto, evitou indicar quantas medalhas podem ser conquistadas pelos atletas militares do Brasil. “É difícil falar em número de medalhas". Mas salientou que sempre há expectativas de medalhas em todas as competições. "Esse é o esporte, e o esporte por isso se torna tão atrativo para o mundo”, disse ele.

JORNAL O POVO (CE)


Entidades discutem legislação e usos de drones


Não é raro visualizar Aeronaves Remotamente Pilotadas (RPAs), os chamados drones, sobrevoando a fim de registrar eventos, realizar atividades agrícolas e monitoramento meteorológico, ou até servir de suporte para uma cobertura jornalística. A regulamentação para o uso do objeto, entretanto, ainda é pouco conhecida por quem pretende utilizá-lo para fins corporativos ou recreativos. Um Momento de Integração Tecnológica foi realizado ontem no Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará (Nutec), no bairro Pici, para discutir o uso da tecnologia. 
Além de informações sobre certificação e homologação do equipamento, dados sobre a frequência eletromagnética de comunicação — que precisa ser dialogada com entidades de tráfego aéreo — e de utilização do espaço aéreo foram abordados. “A legislação aplicada às aeronaves convencionais é a mesma direcionada aos drones”, reforçou, durante apresentação do Código Brasileiro de Aeronáutica (CBA), o capitão Charles Gomes de Moura, que é chefe de normas do Departamento de Controle do Espaço Aéreo do Comando da Aeronáutica.
Tamanho, peso e características de voo do equipamento, como a altitude adequada para uso, são requisitos que precisam ser respeitados, principalmente quando se utiliza o drone próximo a áreas urbanas. A distância mínima seria de 30 metros acima do nível do solo. As multas, caso a legislação seja ferida, variam entre R$ 800 e R$ 12 mil, podendo haver penalidades administrativas e criminais.
Anatel
Além de representantes da Anac e da Aeronáutica, o especialista em regulação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Francisco Matias, participou da atividade. “Enquanto a certificação do drone é feita pela Anac e o uso do espaço aéreo compete à Aeronáutica, a Anatel se responsabiliza pela homologação das radiofrequências do objeto. A fiscalização é um trabalho em conjunto”, afirmou.
Para o presidente do Nutec, Francisco Magalhães, o encontro foi essencial para se discutir os rumos do uso do equipamento com outros órgãos, principalmente para “prevenir irregularidades”. O Nutec já trabalha no desenvolvimento de drones para pesquisa. (Caio Faheina/Especial para O POVO)

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


Estado Islâmico sugere formas de disseminar o terror no Jogos

EI e outros grupos jihadistas indicam métodos de atuação para seus "lobos solitários"

O Estado Islâmico e outros grupos jihadistas conclamaram seus seguidores a atuar como "lobos solitários" e realizar ataques terroristas durante os Jogos Olímpicos do Rio. Entre os alvos sugeridos estão as delegações e visitantes dos EUA, Inglaterra, França e Israel. Os métodos propostos abrangem a utilização de drones com pequenos explosivos, acidentes de trânsito e o uso de veneno e medicamentos.
A defesa dos ataques foi realizada em inglês por meio do aplicativo de mensagens Telegram, que costuma ser usado para estimular a ação de "lobos solitários", revelou análise do SITE Intelligence, consultoria especializada na atuação de grupos extremistas na internet, que é referência no tema até para o governo dos EUA.
Em junho, o Estado Islâmico criou no Telegram o primeiro canal para disseminação de propaganda jihadista em português, voltado para o público brasileiro. Desde então, seguidores do grupo passaram a disseminar a incitação de atos terroristas por um grupo que se autointitula "Ansar al-Khilafah Brazil", que se apresenta como baseado no País. O autor das mensagens orientou os seguidores a se aproveitarem das favelas do Rio onde a criminalidade é disseminada e a usarem a "porosa fronteira" com o Paraguai para levar armas ao Brasil. "O recente post sobre os Jogos Olímpicos do Rio diz que vistos, entradas e viagens para o Brasil serão fáceis de obter", ressaltou a análise do SITE. Segundo a empresa, os jihadistas utilizam o Telegram para fornecer manuais para realização de atentados e celebram a realização de ataques.
O SITE sugeriu que o governo brasileiro não descarte nenhuma ameaça e estude a ação online do Estado Islâmico e outros grupos jihadistas voltada não apenas para o público que fala português. "O terrorismo moderno é um novo fenômeno para o qual as mídias sociais desempenham um papel perigoso, com chamadas para ataques que alcançam usuários ao redor de todo o mundo", afirmou a análise. "Os ataques terroristas nos últimos dois anos mostram que nenhum país do mundo está imune à ameaça do EI e de jihadistas radicais."
Na avaliação da consultoria, os recentes chamados para ataques nos Jogos não são surpreendentes. "Esse é um evento mundial e um alvo que é justificável tanto para EI quanto para outros jihadistas".
Na avaliação da consultoria, ataques recentes por lobos solitários mostraram que a estratégia dos terroristas tem sido bem-sucedida. Há três dias, um imigrante afegão feriu quatro pessoas a machadadas na Alemanha, em um ataque que parece ter sido inspirado no EI. Na semana passada, um tunisiano matou 84 pessoas em Nice usando um caminhão como arma. Um mês antes, um filho de afegãos nascido nos EUA assassinou 49 pessoas a tiros em uma casa noturna gay de Orlando.
"Isso só alimenta mais chamados por ataques e será preciso apenas um atacante disposto a agir no Brasil para desempenhar esse papel", observaram os analistas do SITE.

Inteligência detecta contatos de brasileiros com membros do EI

Órgãos brasileiros concentram esforços para identificar células terroristas no País

Marcelo Godoy

Integrantes do Sistema Brasileiro de Inteligência (Sisbin) receberam informações de que brasileiros radicados no País estão mantendo contato com integrantes do Estado Islâmico. A localização, identificação e monitoramento dessas pessoas é a maior prioridade de órgãos como a Agencia Brasileira de Inteligência (Abin).
Na busca por informações sobre brasileiros que tenham entrado em contato com grupos terroristas muçulmanos, os agentes do (Sisbin) procuraram a polícia federal alemã (BKA). Queriam informações sobre os 22 mil nomes de integrantes do EI entregues aos alemães por um informante em abril. Na lista, porém, não havia brasileiros.
Os agentes mantém sob vigilância integrantes de comunidades salafistas e wahabitas no País, que se aglutinam em torno de mesquitas e mussalas – espaços usados para as orações diárias dos muçulmanos. Para esse serviço, órgãos como a Abin redirecionaram pessoal para realizar a tarefa, principalmente, durante os Jogos Olímpicos.
Outra prioridade dos agentes do sistema é identificar os possíveis brasileiros envolvidos no recente anúncio feito por meio de um canal no Telegram sobre a criação do grupo autodenominado Ansar al-Khilafah, que declarou no dia 18 lealdade ao Estado Islâmico no Brasil. O grupo publicou um texto em árabe com o símbolo do EI sobre o mapa do País. A imensa maioria dos informes colecionados pelos agentes é resultado do trabalho de campo feito no Brasil.
Outra fonte de preocupação para os agentes do sistema são os filhos de brasileiros residentes na Europa que tenham sido atraídos pelos radicais islâmicos, como Brian de Mulder, conhecido como Abu Qassem Brazili, que se integrou ao EI na Bélgica e foi lutar na Síria, onde teria sido morto em 2015.
Em seu trabalho, os agentes não conseguiram "verificar de forma independente" a existência de pessoas que seriam possíveis alvos do EI ou de outros grupos no País. Os contatos com os serviços estrangeiros são mantidos pela Coordenação de Relações Institucionais, da Abin. Mas pelo menos um desses serviços – a Direction Générale de la Sécurité Extérieure (DGSE), da França – estaria, às vésperas dos Jogos sem oficial próprio de ligação no Brasil.

PORTAL TERRA


Terroristas divulgam "manual" para ataques nos Jogos do Rio

Extremistas publicaram 17 técnicas e cronograma de ações

Extremistas islâmicos publicaram na rede social Telegram recomendações de 17 técnicas a serem usadas em atentados terroristas durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, que começam no dia 5 de agosto. De acordo com a especialista norte-americana em contraterrorismo Rita Katz, os extremistas deram instruções para possíveis ataques, assim como um cronograma de ações. 
Entre as técnicas citadas, estão atentados a aeroportos e meios de transporte públicos, esfaqueamento, envenenamento, sequestro de reféns e veiculação de falsas ameaças. Os jihadistas também pediram para que os chamados "lobos solitários" (pessoas que atuam sozinhas em ataques) se dirijam ao Brasil. Na última segunda-feira (18), Rita Katz, que trabalha na agência de contraterrorismo SITE, informou que um grupo no Brasil havia declarado lealdade ao Estado Islâmico (Isis, também chamado de EI ou Daesh). Eles criaram um canal no Telegram com o nome "Ansar al-Khilafah Brazil". Foi a primeira vez que alguém da América do Sul explicitou uma suposta aliança com o EI.
A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) divulgou ontem uma nota oficial garantindo que "todas as ameaças relacionadas aos Jogos do Rio 2016 estão sendo minuciosamente apuradas, em particular as relacionadas ao terrorismo". "Devido à sensibilidade do tema, as ameaças são tratadas, de forma integrada, pelas unidades especializadas de enfrentamento ao terrorismo dos três eixos responsáveis pela Segurança dos Jogos Rio 2016 - Inteligência, Segurança Pública e Defesa", informou a Abin.
A estimativa é de que cinco mil homens da Força Nacional de Segurança Pública e 22 mil oficiais das Forças Armadas (14,8 mil do Exército, 5,9 mil da Marinha e 1,3 mil da Aeronáutica), além do contingente fixo do Rio de Janeiro, atuem durante os Jogos Olímpicos. Nesta semana, militares do Exército intensificaram ações de patrulhamento motorizado e a pé na região do Parque Olímpico, na Barra da Tijuca. As Olimpíadas ocorrerão do dia 5 de agosto, quando acontece a cerimônia de abertura no Maracanã, até 21 do mesmo mês.

AGÊNCIA BRASIL


Aeronáutica entrega medalha Mérito Santos Dumont a 162 personalidades


Michelle Canes - Repórter Da Agência Brasil

Em comemoração ao 143º aniversário de Santos Dumont, patrono da Aeronáutica, a Força Aérea Brasileira (FAB) realizou hoje (20), na Base Aérea de Brasília, a cerimônia de entrega da medalha Mérito Santos Dumont.
Na cerimônia, estiveram presentes os ministros da Justiça e Cidadania, Alexandre de Moraes, dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, e da Indústria e do Comércio, Marcos Antônio Pereira. Eles foram condecorados. O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, também estava na lista das autoridades homenageadas, mas não compareceu.
Em Brasília 162 pessoas receberam a medalha. Segundo a FAB, ao todo foram condecoradas 639 pessoas em 23 cidades brasileiras e também em outros 24 países. Na capital da República, a solenidade contou com a participação de representantes das Forças Armadas, ministros de estado e do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski.
A medalha Mérito Santos Dumont foi criada em 1956 para comemorar o aniversário de 50 anos do voo do avião 14 Bis e é entregue a militares que se destacaram na profissão e também a civis que tenham prestado notáveis serviços à Aeronáutica.

Começa operação especial para monitorar espaço aéreo para a Rio 2016


Começou hoje (20) o esquema de monitoramento de todos os voos relacionados aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, a partir da Sala Master de Comando e Controle da Aviação Civil, ao lado do aeroporto Santos Dumont, no centro do Rio de Janeiro. A sala vai funcionar até 24 de setembro e acompanhar os 40 aeroportos envolvidos na operação especial para o megaevento.
Apenas da abertura da Olimpíada, no dia de 5 de agosto, serão monitorados mil pousos e decolagens de aeronaves executivas e cerca de 700 movimentos de voos comerciais somente nos aeroportos Santos Dumont e Galeão, no Rio.
De acordo com o secretário executivo do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Fernando Fortes, que acompanhou o primeiro dia de operações da Sala Master, o governo pretende garantir a fluidez dos serviços nos aeroportos, causando mínimo impacto à rotina do passageiro e mantendo a regularidade da operação no ar e em solo.
“A aviação trabalha com parâmetros de máxima eficiência e são soluções de integração como essa que fazem a diferença no desempenho do setor. Considero a Sala Master um exemplo de ação compartilhada no setor público. Sem dúvida esse modelo de monitoramento contribui para manter o setor aéreo brasileiro entre os mais seguros do mundo”, disse Fortes.
Todos os voos procedentes e com destino ao Rio de Janeiro neste período, seja no transporte de atletas, membros de delegações, chefes de Estado, outras autoridades e demais turistas, serão acompanhados em tempo real por meio do Sistema de Gerenciamento de Voos Olímpicos e Paralímpicos (SVOP), um software desenvolvido especialmente para a Rio 2016.
A Sala Master reúne representantes de ministérios, secretarias, agências governamentais, empresas aéreas e organizações envolvidas direta ou indiretamente na estrutura do transporte aéreo do Brasil durante o megaevento.
O monitoramento permanente da operação aérea está previsto no Manual de Planejamento do Setor Aéreo para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, que define, entre outros pontos, o planejamento dos terminais de passageiros, a ocupação de pátios e pistas, questões de segurança e defesa aérea, capacidade de operação dos aeroportos e acessibilidade.
Restrição do espaço aéreo
Durante o período especial de operação para a Rio 2016, serão ativadas três áreas de restrição do espaço aéreo: branca, vermelha e amarela, com diferentes proibições de voo. Além de aeronaves comerciais e executivas, voos de ultraleves, saltos de paraquedas, voos de parapente e de aeronaves remotamente pilotadas (drones) serão afetados pelas limitações.
Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos devem trazer ao Brasil delegações de 206 países e mais de 100 chefes de Estado. Cerca de 2,2 mil controladores de voo receberam treinamento específico para administração do fluxo da aviação no período da competição e mais de 1 mil vagas extras foram mapeadas nos pátios dos terminais para estacionamento de aeronaves no período. Os dez principais aeroportos que devem atender à demanda majoritária do evento terão um efetivo aproximado de 11 mil profissionais no período.
Apenas no dia da abertura da Olimpíada, a expectativa é que os dez principais aeroportos envolvidos na operação aérea para os Jogos Rio 2016 registrem cerca de 350 mil embarques/desembarques.

JORNAL VALOR ECONÔMICO


Embraer é a empresa campeã na área de inovação em 2016


Por Gustavo Brigatto E Luciano Máximo | De São Paulo

No ano passado, quase metade da receita da Embraer veio de novos produtos ou produtos significativamente melhorados. "Para manter-se competitiva, a Embraer tem de ser inovadora o tempo todo", afirma o vice-presidente-executivo de operações, Mauro Kern Jr. Para isso, a companhia aplica 5,6% do faturamento em P&D, o que representa cerca de R$ 1,13 bilhão por ano. "Temos uma equipe de engenheiros cujo papel é olhar 15 anos à frente", explica Kern.

Para 2016, a empresa, que tem 90% da produção vendida ao exterior, quer investir até R$ 2,12 bilhões em atividades inovadoras, quase o dobro de 2015. "Perseguimos o investimento de 10% do faturamento global." disse Kern.

A Embraer foi apontada como a empresa mais inovadora do país na segunda edição do anuário "Valor Inovação Brasil", produzido pelo Valor em conjunto com a consultoria Strategy&. Com o objetivo de estimular o desenvolvimento de tecnologias e reconhecer esforços de companhias que investem em inovação, o anuário, que circula hoje, listou as cem empresas mais inovadoras do Brasil.

As dez primeiras do ranking e as 17 líderes em cada setor foram premiadas ontem à noite em São Paulo, num evento que reuniu mais de 400 pessoas. Foi quase o dobro do número de presentes ano passado, durante a primeira edição do prêmio. "E ano que vem vai dobrar de novo", brincou Henrique Luz, vice-presidente da PwC, controladora da Strategy&.

A maioria dos executivos das empresas vencedoras destacou que já sente sinais de melhora na confiança e que, nas companhias em que atuam, os investimentos em inovação não têm sofrido com a crise econômica.

Para Jorge Lopez, presidente da 3M, multinacional que ficou em segundo lugar no ranking geral da premiação e líder do segmento Indústria Química e de Transformação, os meses de abril e maio "foram complicados", mas há expectativa de melhora a partir do segundo semestre. "Nossas projeções indicam que a economia começa a avançar a partir de junho com um segundo semestre mais favorável ", disse Lopez."Já tivemos alguns sinais na economia que estamos indo melhor do que já passamos e isso é fundamental", disse André Fachetti, gerente-geral de gestão tecnológica do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento da Petrobras. De acordo com o executivo, a empresa tem mantido o investimento em inovação mesmo diante do cenário de crise e dos ajustes na companhia.

Os investimentos da companhia estão atrelados às regras do setor de petróleo, que exigem aporte de 1% da receita bruta em projetos de pesquisa e inovação. Ele explicou que houve pequena queda nos valores em dólar por conta da variação cambial e da queda do valor do petróleo, mas a Petrobras redirecionou esforços, focando-se em questões que afetam a companhia como um todo e projetos com impacto no longo prazo.

Segundo Alfredo Miguel Neto, diretor de assuntos corporativos para América Latina da fabricante John Deere, primeira colocada na categoria Veículos e Peças, a economia vai levar mais tempo para retomar um ritmo mais intenso de crescimento. "Vemos expansão a partir do segundo semestre do ano que vem, começo de 2018. Se você vislumbra que o mercado volta em dois anos, e não se prepara, não tem produto adequado." A John Deere tem buscado fazer investimentos de pesquisa com recursos próprios, sem depender de linhas de financiamento públicas.

Márcio Estefan, diretor comercial da Algar Telecom, inovadora campeã do setor Telecomunicações, diz que vê recuperação da economia a partir do ano que vem. "Em tempos de crise, é preciso ter organização na busca por recursos e calibrar bem o risco. O resultado é que os clientes nos procuram, não retraímos nosso investimento. Prova disso foram as aquisições de empresas de fibra ótica no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, em novembro do ano passado.

"Nascida no mundo digital, a varejista Netshoes tem a inovação como parte do dia a dia, disse Graciela Tanaka, diretora de operações da companhia. "A idade média na empresa é de 27 anos, são pessoas que querem fazer diferente. Pode ser uma coisa simples, uma mudança de processo que faça a diferença para a empresa", disse.

O representante da campeã do setor Farmacêuticas e Ciências da Vida, Stephani Saverio, diretor de novos negócios, parcerias e internacionalização da Aché, informou que a meta de investimento em inovação da companhia está entre 8% e 10% do faturamento líquido. "Foram R$ 200 milhões no ano passado e queremos estar dentro dos 10% este ano.

"Para Saverio, "a questão política é importante, atrapalha a economia no curto prazo, mas mantemos as previsões de investimento porque entendemos que os fundamentos macroeconômicos estão mantidos, apesar da política".

Governo destina mais R$ 76 milhões para Defesa na Olimpíada


Por Valor

BRASÍLIA - O Ministério do Planejamento abriu crédito suplementar de R$ 76 milhões em favor do Ministério da Defesa para reforçar o apoio à realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos. Os recursos decorrem de anulação parcial de dotação orçamentária do Ministério do Esporte, que seria aplicada na implantação de infraestrutura para os jogos.

A medida foi publicada nesta quarta-feira, 20, no Diário Oficial da União (DOU).

JORNAL ESTADO DE MINAS


Governo de Minas anuncia novas rotas de voos para o interior

Doze municípios de Minas contarão, a partir de agosto, com voos diretos para o aeroporto da Pampulha, em aeronaves de baixo custo fretadas para transporte de passageiros e cargas

A partir da segunda quinzena de agosto, 12 municípios de Minas Gerais terão voos diretos para Belo Horizonte. O Projeto de Integração Regional de Minas Gerais Modal Aéreo (Pirma) do governo do estado escolheu Curvelo, Diamantina, Divinópolis, Juiz de Fora, Muriaé, Patos de Minas, Ponte Nova, São João del-Rei, Teófilo Otoni, Ubá, Varginha e Viçosa para integrar a primeira fase da iniciativa. Ao todo, serão 60 voos semanais dessas cidades até o aeroporto da Pampulha, na capital.
O governo de Minas vai assumir o custo operacional da operação para viabilizar a medida. De acordo com a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), que, com a Secretaria de Transportes e Obras Públicas (Setop), é responsável pela implementação do projeto, uma pesquisa de mercado verificou a aceitação do emprego de aviões monomotores de baixo custo operacional – Cessna Grand Caravan 208 B – para ofertar o serviço de transporte de passageiros e de carga. Foram ouvidas 2.100 pessoas em 31 municípios.
A escolha das cidades foi feita seguindo o critério de municípios que apresentavam demanda, mas que não tinham rotas operadas pela aviação regular. Outro requisito observado foi a capacidade financeira da população em função do valor das tarifas. As passagens serão vendidas via site (www.voeminasgerais.com.br) e por aplicativos para tablets e smartphones. Cada voo cobrirá em média 200km e custará em R$ 300 por passageiro, em média.
Juiz de Fora, na Zona da Mata, é a cidade que terá o maior número de voos semanais. Serão 11 partidas sentido BH e o mesmo número de chegadas de voos da capital por semana. Divinópolis, São João del-Rei e Curvelo também terão voos todos os dias. Diamantina terá três voos semanais, enquanto Ponte Nova, Ubá e Muriaé terão apenas dois. A operação ocorre somente em dias úteis para todas as cidades.
Segundo o presidente da Codemig, Marco Antônio Castello Branco, a ideia não é criar um modelo de competição com a aviação comercial tradicional, mas “complementá-la”. “Nosso objetivo não é competir com a aviação comercial tradicional, mas criar um modelo sólido e viável para complementá-la, usando empresas privadas e a infraestrutura aeroportuária já instalada”, diz. Já o secretário de Transportes e Obras Públicas, Murilo Valadares, considera que o investimento, associado a ações nos aeroportos regionais, serve para reestruturar a rede de aviação regional. “A alavancagem de investimentos em infraestrutura é fundamental para que Minas Gerais volte a crescer, fixando empresas e mão de obra qualificada”, afirmou Valadares.
A empresa que vai operar os voos é a Two Táxi Aéreo Ltda. vencedora da licitação no modelo de ata de registro de preços, em que são descritos todos os gastos, que são ressarcidos pelo contratante, no caso, o governo de Minas. A empresa opera desde 2001 aviões Cessna Grand Caravan. Cada aeronave que vai operar o trecho tem capacidade para até nove pessoas, conforme regulamentação da Agência Nacional de Aviação (Anac). Se o projeto conseguir se viabilizar, a expectativa é de que, em breve, outras cidades sejam incluídas no projeto. O governo não informou o prazo de avaliação para definição da entrada de novos municípios no projeto, nem o investimento feito pelo estado.
Enquanto isso...
...grandes aéreas têm retração
A demanda por transporte aéreo doméstico registrou, em junho, queda de 5,87% na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo dados divulgados ontem pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), que compila as estatísticas das associadas Avianca, Azul, Gol e Latam, responsáveis por 99% do mercado aéreo brasileiro.
A entidade destacou que é a 11ª queda mensal consecutiva na demanda doméstica e o pior resultado para o mês, em termos absolutos, desde 2012. O comportamento da demanda foi acompanhado pela oferta, que apresentou retração mais expressiva, de 6,4% no mês. Com isso, houve leve melhora no fator de aproveitamento dos voos, de 0,44 ponto percentual, para 78,19%. O volume de passageiros transportados no mês foi de 6,803 milhões, número 7,03% abaixo do anotado em igual período de 2015. Entre as companhias aéreas, a Gol liderou o mercado doméstico, com 36,42% de participação; em seguida vem a Latam, com 34,96%; a Azul, com 17,15%; e a Avianca, com 11,48%. Com o resultado de junho, no acumulado em seis meses, a demanda doméstica recua 6,62%, ante igual mês de 2015.

JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Obras em aeroportos privatizados vão passar por fiscalização do TCU


Dimmi Amora

As obras de quatro dos cinco aeroportos privatizados entre 2012 e 2013 vão passar por uma fiscalização do TCU (Tribunal de Contas da União) por suspeitas de que seus preços possam ter causado prejuízo à Infraero, estatal de aeroportos, que é sócia das concessões.
A decisão do órgão, nesta quarta-feira (20), ocorreu após quase dois anos de debate com a estatal sobre o papel dela na fiscalização dos contratos das concessionárias da qual é sócia com 49% das ações. Para o TCU, a empresa deveria ter analisado se as obras estavam com custos adequados porque os sócios delas nas concessionárias —empresa privadas que venceram o leilão de concessão— eram também acionistas das construtoras contratadas para realizar as ampliações das unidades.
A Infraero alega que fez o que estava determinado no contrato das concessões, ou seja, escolheu uma empresa privada para fazer uma auditoria nos preços. Como os laudos dessas empresas não apontaram problemas nos custos, ela não exerceu o seu direito de vetar a contratação da construtora que é do mesmo sócio.
Para a área técnica do TCU, que teve sua posição referendada pelo relator, ministro Augusto Nardes e pelo plenário, esse laudo não teria tido por parte da Infraero a análise suficiente. Por isso, o tribunal determinou à estatal que essa análise terá que ser feita até o fim do ano e apresentada ao órgão. O TCU também abrirá um processo para saber se houve negligência dos dirigentes da estatal em não fazê-lo.
Além disso, ficou proibida a contratação de empresa dos mesmo sócios para fazer as obras até que a Infraero apresente um sistema adequado para fazer essa fiscalização. O órgão também abriu um processo separado para investigar dirigentes da Infraero por eles não terem enviado todos os documentos solicitados pelo órgão.
CONCESSIONÁRIAS
As quatro concessionárias que terão seus contratos fiscalizados são as dos aeroportos de Brasília (DF), Campinas (SP), Guarulhos (SP) e Galeão (RJ). Os sócios da Infraero nessas unidades eram também acionistas das construtoras Engevix, Triunfo e UTC, OAS e Odebrecht, respectivamente.
Numa análise prévia, o órgão apontou que os custos das obras chegaram a ficar quase o dobro do previsto em alguns contratos. Além disso, havia contratações por parte da concessionária que o tribunal entendeu que não seriam justificáveis.
O TCU também fez uma análise de parte dos custos das construções de três unidades (Brasília, Campinas e Guarulhos) com os custos médios considerados pelo próprio órgão. Neles, o órgão indicou que os valores são cerca de 38% acima dessa referência do TCU.
Mas os técnicos não apontam que isso é sobrepreço porque são necessárias mais análises já que as obras de concessão podem ter parâmetros diferentes dos utilizados pelo TCU, que utiliza em suas análise referências de obras públicas. A Infraero também alega que os custos de não fazer a obra no prazo até a Copa do Mundo, menos de dois anos, eram muito elevados por causa das multas previstas no contrato e que, por isso, foram feitas contratações que encarecem o projeto, entre elas obras em três turnos, por exemplo.
A questão só é relevante porque, nessas concessões, o governo da presidente afastada Dilma Rousseff obrigou que a Infraero fosse sócia das concessões com 49% das ações. Na época, a área técnica do tribunal foi contrária a essa determinação, mas os ministros tiveram entendimento diferente e aprovaram o edital com a determinação de que a Infraero fosse sócia. A principal alegação dos ministros era a pressa para fazer as obras para a Copa.
Um dos argumentos dos técnicos era que poderia haver esse tipo de problema agora sob análise, ou seja, a sócia privada poderia contratar uma empresa de seu próprio grupo para fazer a obra e jogar custos a mais na construção. Esse custo a mais seria em parte sustentado pela Infraero, que é pública, por ela ser obrigada a concordar com o projeto do sócio majoritário.
No fim, foi dinheiro do Tesouro que bancou parte das obras dessas concessões. Como sócia, a Infraero tinha que colocar recursos dela nas obras (a maior parte é emprestada).
Como a estatal não tinha recursos próprios por ter perdido a receita de seus maiores aeroportos, o governo usava o dinheiro que as concessionárias privadas pagavam pela outorga (espécie de aluguel pela administração do aeroporto) para colocar na Infraero e ela repassava às concessões.

Governo monitora cem suspeitos de simpatia com o terror no Brasil


Gabriel Mascarenhas / Gustavo Uribe

O governo brasileiro monitora, a poucos dias do início dos Jogos Olímpicos do Rio, que serão abertos em 5 de agosto, cerca de cem pessoas suspeitas de serem simpatizantes de terrorismo no país.
Essa lista foi elaborada pelas autoridades a partir do comportamento desses cidadãos —brasileiros e estrangeiros que vivem em território nacional— na internet, conforme a Folha apurou com integrantes do alto escalão das forças responsáveis pelo combate ao risco de terror durante a Olimpíada.
A grande maioria dos rastreados, aproximadamente 90%, entrou na mira por adotar conduta suspeita ao entrar mais de duas vezes nos portais ou peças de propaganda com conteúdo de exaltação a grupos extremistas.
As forças de segurança não identificaram, no entanto, que esse grupo tenha feito insinuações ou se manifestado favoravelmente a organizações terroristas.
Os outros 10% vêm chamando mais a atenção do serviço de inteligência. Trata-se de pessoas que, ao navegar por essas páginas, escreveram mensagens mais elaboradas, inclusive elogiando iniciativas extremistas, ou compartilharam conteúdos relacionados ao terror.
As autoridades de segurança destacam que, ao menos por enquanto, nenhum dos cem monitorados é visto até agora como ameaça iminente, já que não foram encontrados elementos que comprovem uma ligação direta com terroristas, como diálogos ou repasses de recursos a grupos extremistas.
Todos os suspeitos serão monitorados pelo menos até o fim dos Jogos Olímpicos, no dia 21 de agosto.
Três dessas pessoas foram identificadas pelo serviço de inteligência depois que um delegado da Polícia Federal os flagrou falando em árabe sobre bombas e explosões em um bar em São Paulo.
Sem domínio do idioma, ele soube do conteúdo da conversa porque o dono do estabelecimento era árabe e traduziu para o policial o que estava ouvindo.
Até o momento, o caso considerado mais delicado é o do físico franco-argelino e ex-professor da UFRJ (Universidade Federal Fluminense) Adlène Hicheur, deportado pelo governo brasileiro na última sexta-feira (15).
Ele foi investigado e condenado por "associação com criminosos com vistas a planejar um atentado terrorista" na França em 2009, segundo a revista "Época" publicou em janeiro deste ano. Hichuer cumpriu dois anos e sete meses de prisão naquele país e em 2013 aterrissou no Brasil para trabalhar como professor-visitante na UFRJ.
VIOLÊNCIA
Nos últimos dias, a preocupação com terrorismo nos Jogos cresceu, principalmente em razão do atentado em Nice, na França. O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Sérgio Etchegoyen, chegou a dizer que a preocupação com o tema havia "subido de patamar".
Na quarta (20), o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, baixou o tom e negou que a preocupação com terrorismo tenha aumentado.
Em entrevista à Folha, publicada nesta quarta, ele disse que a criminalidade preocupa mais que o terrorismo.
"Não só as nossas agências como as internacionais colocam a probabilidade no nível mais baixo. Agora, existe possibilidade no mundo inteiro, não seria no Brasil que não existiria. A probabilidade é mínima, mas estamos tomando todos os cuidados e todas as medidas", disse.  
AJUDA DO FBI E DA CIA
Desde 2015, agentes de segurança brasileiros contam com o apoio do FBI (a polícia federal americana) e da CIA (o serviço de inteligência dos Estados Unidos) para prevenir a ocorrência de atos terroristas durante os Jogos Olímpicos do Rio.
Agentes do Mossad (serviço secreto de Israel) também têm colaborado com as autoridades do Brasil, que sentem a necessidade de apoio internacional em uma área, a do combate ao terrorismo, que nunca havia sido prioridade no país.
Em busca de qualquer rastro de ameaça, o grupo de combate ao terrorismo tem vasculhado redes sociais, informações de inteligência estrangeiras e registros de imigração para detectar possíveis militantes de grupos terroristas.
Além da ajuda direta de FBI, CIA e Mossad, o Brasil também conta com um centro policial colaborativo, em que agentes de mais de 50 países ajudam a monitorar a segurança dos Jogos, e um centro antiterrorismo internacional, com especialistas de países como EUA, Grã-Bretanha, França e Espanha.

OUTRAS MÍDIAS


A REDE (PR)


Transplantes de órgãos mudam a vida de centenas de paranaenses

Número de doações concretizadas no primeiro semestre no Paraná já é 28% maior do que no ano passado.
Mais uma vez o Paraná fecha o primeiro semestre comemorando excelentes resultados na área de transplantes de órgãos. O número de doações concretizadas já é 28% maior do que no mesmo período do ano passado. Isso permitiu que o Estado também batesse o recorde no número de transplantes, garantindo uma nova vida a 283 paranaenses.
“Mais que bater recordes, estamos tirando pacientes da fila de espera e salvando vidas. Isso não tem preço”, destaca o governador Beto Richa. Para ele, isso é resultado de uma mudança de conceito na gestão. “Hoje, saúde é levada a serio. Nunca o setor recebeu tanto investimento do Governo do Estado”, afirmou.
Um dos beneficiados com um transplante em 2016 foi o pequeno Rafael Ribeiro, de dois anos de idade. Diagnosticado com uma grave doença cardíaca, sua única alternativa era o transplante de coração. “Os médicos disseram que não havia perspectiva de cura. Nossa última esperança era que encontrassem um coração compatível, algo raro por se tratar de uma criança”, conta o pai Israel Veríssimo.
Rafael ficou três meses no cadastro de receptores do Sistema Estadual de Transplantes do Paraná. “Foi uma espera muito angustiante. O tempo passava e o quadro clínico dele só piorava”, lembra a mãe Rosineia Ribeiro. “Até que na madrugada de uma segunda-feira recebemos uma mensagem, haviam encontrado um órgão compatível. Foi a melhor notícia que poderíamos receber”, complementa o pai.
O transplante de Rafael foi um sucesso. A cirurgia aconteceu no dia 11 de abril, no Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba, referência no atendimento infantil pela rede pública de saúde. Três meses após o procedimento, o menino se recupera bem, recebeu alta do hospital e vive com os pais na Capital.
“Ele lutou muito para sobreviver e hoje é uma nova criança. Dá para ver no olhar, no sorriso que ele está feliz. Não pode ver uma bola que já quer logo brincar. Finalmente somos uma família completa”, afirma a mãe, emocionada por ter o filho em casa.
Solidariedade
Histórias como a do menino Rafael estão cada vez mais frequentes no Estado. A solidariedade dos paranaenses tem feito com que a fila de espera por um órgão venha ficando menor a cada ano. O cadastro, que já chegou a ter mais de 2.500 pessoas, hoje tem 1.952 pacientes à espera por um coração, fígado, rim ou pâncreas.
O curitibano Nilson José Dybas, de 43 anos, fazia parte desta lista em 2015. Com problemas no fígado, que depois também atingiram o rim, o representante comercial viveu três meses de idas e vindas ao hospital. “Meu fígado e meu rim funcionavam com apenas 20% da capacidade. Os médicos disseram que eu tinha pouco tempo de vida. Foi um momento muito difícil, que felizmente durou pouco tempo. Fiquei apenas 35 dias na fila”, explicou.
Pela gravidade do caso e pelo seu tipo sanguíneo raro (AB+), Dybas foi priorizado na procura de órgãos. O transplante foi feito no dia 16 de setembro e correu tudo bem. “Minha recuperação surpreendeu até os médicos. Em pouco tempo voltei a trabalhar e já estou liberado inclusive para praticar atividades físicas”, comemora o curitibano, que toma 12 medicamentos por dia para evitar que o organismo rejeite o órgão.
O representante comercial conta ainda que iniciou uma campanha para chamar a atenção de seus familiares, amigos e clientes sobre a importância da doação de órgãos. “Só quem passou por uma experiência dessa sabe o quanto este gesto é importante para salvar vidas. Nós, transplantados, seremos eternamente gratos às famílias que autorizaram a doação de seus entes queridos falecidos e permitiram que tivéssemos uma nova chance”, afirmou.
Segundo a diretora do Sistema Estadual de Transplantes do Paraná, Arlene Badoch, para se tornar um doador de órgãos basta que a pessoa expresse o seu desejo à família. “Não precisa deixar nada por escrito. É a família que autoriza a doação após ser declarada a morte encefálica”, diz.
Agilidade garante maior número de transplantes
Dados da Secretaria Estadual da Saúde apontam que neste primeiro semestre foram registradas 159 doações de órgãos, viabilizando um total de 302 transplantes. Além dos órgãos captados no Paraná, foram utilizados corações, rins, fígados e pâncreas de outros Estados graças ao uso da frota aérea do governo estadual.
Assim que assumiu o mandato, em 2011, o governador Beto Richa determinou que todas as aeronaves do governo estadual passassem a dar prioridade absoluta ao atendimento a pessoas em situação de urgência e emergência, a transporte de órgãos para transplantes e ao resgate de vítimas de acidentes naturais, automobilísticos e domésticos. De lá pra cá, 4.478 atendimentos foram realizados.
“Nesta área, cada minuto é decisivo para se salvar uma vida. Não há tempo a perder e por isso colocamos nossa frota aérea à disposição para agilizar todo esse processo, desde a captação até o efetivo transplante”, destacou o governador, que facilitou o acesso das equipes transplantadoras às aeronaves. Antes de 2011, era preciso autorização expressa do governador para utilizar os aviões do governo.
Baseando-se na experiência paranaense, o governo federal também adotou estratégia semelhante há pouco mais de um mês. Por determinação do presidente interino Michel Temer, a Força Aérea Brasileira (FAB) agora também dispõe de um avião permanente para o transporte de órgãos e tecidos para transplante em todo o território nacional.
Recusa familiar ainda é principal barreira para aumento em doações
Neste primeiro semestre, a cada quatro notificações de potenciais doadores, uma não se concretizou por conta da negativa familiar. Em muitas vezes, a recusa foi motivada pela falta de informação sobre o desejo do paciente em se tornar doador após a confirmação da morte encefálica.
Para reverter este quadro, o Governo do Paraná mantém a campanha “Fale Sobre Isso”, que incentiva as pessoas a se declarem doadoras de órgãos às suas famílias. “Para isso, contamos com o apoio de diversas empresas e instituições parceiras para fomentar a discussão do tema na sociedade. Só através da informação vamos avançar ainda mais na área de transplantes”, explica o secretário estadual da Saúde em exercício, Sezifredo Paz.
Segundo ele, a recente reorganização do Sistema Estadual de Transplantes fez com que o Estado se tornasse modelo no setor. “Hoje os serviços do Paraná trabalham em rede, o que facilita o andamento de todo o processo, desde a captação até o transplante. A capacitação das equipes dos hospitais, das regionais e até mesmo da Central, aqui em Curitiba, nos colocaram em um patamar de excelência na área de transplantes”, declarou Sezifredo.

A REDE (PR)


Boeing 737 quase fica entalado em trevo no PR

Boeing quase ficou entalado ao passar por um trevo na cidade de Pato Branco, no Sudoeste do Paraná. Aeronave segue para fazer parte de uma inusitada coleção na região.
Um Boeing 737 quase ficou entalado ao tentar passar por um trevo na cidade de Pato Branco, no Sudoeste do Paraná. O avião seguia para Itapejara d’Oeste, na fazenda do Comandante Eloi Biassus, que tem um jato como esse em sua coleção de aeronaves.
Apaixonado pela aviação desde criança, o comandante está aposentado e tem como hobby a coleção. O Boeing 737 é um avião comercial e jato, bimotor, de fuselagem estreita e corredor único produzido pela Boeing.
É a aeronave de maior venda na história da aviação civil e uma das mais antigas em operação no mundo. Esta unidade seguiu para a coleção que chama atenção em Itapejara do Oeste. Pelo tamanho, o transporte é delicado e perigoso, feito por uma empresa especializada.
As informações são do CGN.

PORTAL DA RMC (SP)


Universidade em Campinas receberá novo simulador de voo A320Neo

Redação RMC
A Azul Linhas Aéreas Brasileiras, e a Airbus, uma das maiores fabricantes de aeronave do mundo, anunciaram um acordo que prevê a instalação de um simulador da aeronave A320Neo avaliado em aproximadamente US$ 15 milhões (R$ 48,7 milhões) dentro da Universidade da Azul (UniAzul), próximo ao Aeroporto Internacional de Viracopos em Campinas. Nos moldes dessa parceria, o novo simulador será administrado pela Airbus e será utilizado para treinamento dos pilotos da companhia.
Esse será o quinto simulador de voo a ser instalado na UniAzul (considerada a maior universidade corporativa do setor em toda a América Latina). Com esse acordo, a UniAzul passa a ser o primeiro e único Centro de Treinamento Aprovado pela Airbus na América do Sul. O treinamento total leva 27 dias, além dos exames de certificação. O período é dividido em treinamento teórico e mais de 60 horas nos simuladores de voo. A parceria firmada entre as duas empresas contempla 12 anos de serviços de treinamento e devem ser iniciados até o fim deste ano. Durante esse período, estão previstas mais de 70 mil horas de treinamento. A Azul também contará com a Airbus no fornecimento de serviços de reparo e substituição de componentes para manutenção de toda a sua frota de aeronaves Airbus.
Para Antonoaldo Neves, presidente da Azul, os novos contratos reforçam o principal valor da companhia, a Segurança, além de fortalecer a parceria da empresa com a Airbus, trazendo ainda mais dinamismo aos treinamentos dos Tripulantes e à manutenção de aeronaves. “Seremos um grande operador de aeronaves Airbus, já que receberemos mais de 60 unidades da família A320neo nos próximos anos. O fato de termos o fabricante dentro de nossa unidade de treinamentos é essencial para garantirmos uma sólida formação e uma alta performance de nossos Tripulantes”, diz Neves.

A Azul encomendou 63 aviões A320neo. As aeronaves farão parte da frota da companhia entre 2016 e 2023. Os novos aviões têm capacidade para 174 passageiros e serão usados em rotas regionais. Um dos principais destaques do novo modelo da Airbus é sua tecnologia que permite uma economia de combustível de 15%.
A UniAzul fica na Rua Sérgio Fernandes Borges Soares, Distrito Industrial, Campinas. O acesso é feito pela marginal da Rodovia Santos Dumont.

FOLHA DE VITÓRIA (ES)


Aeronáutica divulga edital com 149 vagas para sargentos

A Aeronáutica divulgou edital de seleção com 149 vagas para o Curso de Formação de Sargentos (CFS) para o segundo semestre de 2017. Desse total, 21 vagas são para as especialidades de guarda e segurança e 128 para controle de tráfego aéreo. Os candidatos devem ter ensino médio completo e ser maior de 18 anos de idade. As inscrições vão de 1º a 25 de agosto, nos sites www.fab.mil.br e www.eear.aer.mil.br. A taxa é de R$ 60. Provas dia 13 de novembro.

ELDO GOMES BLOGUE


Governo Federal entrega instalações da UNIFA e do CAER

Os ministros do Esporte, Leonardo Picciani, e da Defesa, Raul Jungmann, inauguram nesta segunda-feira (18), às 15h, o Centro de Treinamento Olímpico da Aeronáutica, na Universidade da Força Aérea (Unifa) e o Clube da Aeronáutica (Caer), no Rio de Janeiro (RJ). A solenidade terá a presença do Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, do comandante da Unifa e do presidente da Comissão de Desportos da Aeronáutica (CDA), Major-Brigadeiro do Ar Paulo João Cury, e do presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Carlos Arthur Nuzman.
O Ministério do Esporte investiu R$ 58,2 milhões na Unifa e R$ 31,8 milhões no Caer. Os complexos serão utilizados por delegações estrangeiras como sede de treinamento para os Jogos Olímpicos Rio 2016 das modalidades de futebol, polo aquático e vôlei (Unifa), atletismo (olímpico e paralímpico), futebol, futebol de 7, rúgbi, vôlei e vôlei sentado (Caer).
Na Unifa, serão inaugurados e entregues dois ginásios esportivos, uma piscina olímpica (50 metros) coberta e aquecida, duas pistas de atletismo (as únicas que vão ser utilizadas pelos atletas para treinamento), zona de arremesso de peso, três campos de rúgbi, hotel para 142 atletas, além do Instituto de Ciências da Atividade Física (ICAF). As instalações servirão para os treinos de atletas durante os jogos, das modalidades de atletismo (olímpico e paralímpico), natação, vôlei e vôlei sentado.
Já no Caer, foram construídos dois novos campos (futebol e rúgbi), uma pista de atletismo, de acordo com as normas da Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês), com as respectivas áreas de saltos, e um ginásio poliesportivo, bem como as obras de infraestrutura elétrica, hidráulica e de pavimentação necessárias. Também foi reformada a rua de acesso ao aeródromo na parte sul do terreno e acessibilidade em todas as dependências a serem utilizadas pelo Rio 2016.

PORTAL D24AM (AM)


Em Manaus, 7º Comando Aéreo Regional comemora 143º aniversário de Santos Dumont

O evento aconteceu no pátio operacional da Base Aérea de Manaus, na Avenida General Rodrigo Otávio, Aleixo.
Patrick Marques / portal@d24am.com
Manaus - O Sétimo Comando Aéreo Regional, da Força Aérea Brasileira, realizou na tarde desta quarta-feira (20) uma cerimônia militar em comemoração ao 143º aniversário do pai da aviação e patrono da Aeronáutica brasileira, Alberto Santos-Dumont. O evento aconteceu no pátio operacional da Base Aérea de Manaus, na Avenida General Rodrigo Otávio, Aleixo.
O evento teve início com o astramento da insígnia de Marechal do Ar. Em seguida ocorreu a cerimônia da entrega de medalhas Mérito Santos-Dumont para 21 militares que prestaram notáveis serviços a Força Aérea Brasileira. A cerimônia teve fim com um desfile com 771 militares, pelo pátio operacional da Base Aérea de Manaus.
O major-brigadeiro Waldeísio Campos, da Força Aérea Brasileira relembrou o espírito inventivo e criativo que Alberto Santos-Dumont teve ao dedicar todo seu tempo se dedicar aos dirigíveis e aeronaves de asas fixas.
"Ele projetou, idealizou e criou o Avião. Esse veículo que encurta as distâncias. Nós, Força Aérea, temos muito haver com Santos-Dumont. Nada mais justo do que homenageá-lo no dia de seu aniversário", disse.Sobre a medalha Mérito Santos-Dumont, entregue durante o evento, o major-brigadeiro Waldeísio informou que é uma forma de se materializar o reconhecimento, pelo desempenho de pessoas tanto dentro, quanto fora da Força Aérea Brasileira.
Segundo ele, não só militares, mas também personalidades que tenham contribuído significativamente com o trabalho da Força Aérea Brasileira, podem ter o mérito de receber a medalha. Nesta edição da comemoração, somente militares foram agraciados.
Um dos agraciados com a medalha Mérito Santos-Dumont foi o major aviador Tito Alencar. Para ele, receber a homenagem foi um orgulho muito grande, por ter ganhado uma medalha que representa um dos brasileiros mais notáveis da história.
"Ele é o pai da aviação e patrono da Força Aérea Brasileira. Dentre tantos excelentes profissionais que a Força Aérea possui, eu fui um dos escolhidos para receber essa honraria. É um prazer muito grande", disse.
Outro militar que recebeu a medalha foi o suboficial Cláudio Mota dos Santos, também da Força Aérea Brasileira. Ele relembrou quando entrou na Força Aérea ainda em 1991 e sempre sonhou em receber a medalha Mérito Santos-Dumont.
"As autoridades reconheceram o meu trabalho e fui agraciado com essa medalha. Estou muito feliz, orgulhoso e isso é um ânimo a mais para permanecer com excelência no trabalho", finalizou o suboficial

CORREIO DA BAHIA


Secretário de Segurança Pública recebe homenagem na Aeronáutica

O secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa, recebeu, nesta quarta-feira (20), a medalha Mérito Santos-Dumont, na Base Aérea de Salvador. Na homenagem pelos serviços prestados à Aeronáutica, ele representou o governador Rui Costa. 
A solenidade militar comemorou o 143º aniversário do patrono da Aeronáutica e marechal do ar Alberto Santos Dumont. Outras seis autoridades também foram condecoradas. Barbosa recebeu a medalha das mãos do comandante da base, tenente-coronel aviador Marcelo Lobão Schiavo.
“Agradeço a homenagem feita pela Aeronáutica, uma instituição de grande importância para a soberania nacional e que sempre desenvolve ações em conjunto com a polícia baiana, sejam em operações, como na Copa do Mundo e agora nas Olimpíadas, e em treinamentos”, ressaltou.

PORTAL SEGS (SP)


Aviação executiva busca alternativas para restrições aéreas nas Olimpíadas

Normas mais rígidas impõe novos padrões durante a competição
Norma regulamentada este ano pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), da Aeronáutica, para organizar a aviação durante os Jogos Olímpicos, estabelece que serão ativadas zonas de exclusão, que dividirão em três níveis o espaço aéreo do Estado do Rio de Janeiro. As regras também valem para empresas de aviação executiva, que buscam alternativas para atender sua clientela no período.
As zonas de exclusão contarão com uma área branca, que cobrirá um raio de 72 quilômetros a partir de qualquer arena esportiva; uma amarela, com um raio de 27 quilômetros; e a vermelha, com um raio de 7,2 quilômetros. Nas áreas brancas e amarela, somente aeronaves autorizadas poderão voar. Na vermelha, os voos terão restrição máxima e só serão liberadas aeronaves oficiais ou ligadas à competição.
Décio Galvão, presidente da Global Aviation, empresa de taxi aéreo brasileira especializada no transporte executivo, considera que as normas de segurança são positivas. “Elas são necessárias diante de um evento internacional como as Olímpiadas”, afirma.
O executivo lembra ainda que alguns aeroportos como o Santos Dumont, no Rio de Janeiro, operarão alguns dias com horários reduzidos durante a competição internacional. Além disso, todos os aeroportos que estão localizados dentro das zonas de exclusão estarão sujeitos a normas mais rígidas de segurança como necessidade obtenção de slots e inspeções de segurança das aeronaves e passageiros.
“Essas regras vão gerar mais custos. As aeronaves que tiverem como destino final os aeroportos das zonas de exclusão, e que decolarão dos mesmos, obrigatoriamente terão que realizar as inspeções de segurança". Ele explica que, além do próprio custo da referida inspeção, as aeronaves que saírem de um aeroporto que não tenha a inspeção de segurança deverão, por exemplo, contratar uma empresa especializada ou sair de outro aeroporto onde este serviço esteja disponível, gerando custos adicionais com o translado.
Global Aviation
Com 22 anos de história, a Global Aviation nasceu da paixão pela aviação, sempre com o compromisso de oferecer serviços personalizados, seguindo rigorosos padrões internacionais de segurança e de qualidade nas suas operações.
Desde 1994, a companhia já cuidou do caminho de mais de 240 mil pessoas, sempre oferecendo a melhor opção de aeronave para cada tipo de roteiro, consolidando-se como uma das forças do mercado aéreo executivo nacional. Operando uma frota de 25 aeronaves entre aviões e helicópteros, a empresa conta com bases próprias nos principais aeroportos do Brasil.
A companhia possui ainda três importantes certificações internacionais do setor da Aviação Executiva: Argus, IS-BAO e Wyvern, atestando os elevados padrões da Global.

SEJA BIXO (SP)


Forças Armadas farão a segurança do Enem 2016

O apoio para a Operação Enem 2016 foi solicitado pelo Ministério da Educação visando a garantir a segurança no armazenamento das provas
As Forças Armadas vão prestar novamente apoio logístico para a realização das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O apoio para a Operação Enem 2016 foi solicitado pelo Ministério da Educação visando a garantir a segurança no armazenamento das provas.
A participação das Forças Armadas foi oficializada com a publicação de portaria na edição da última segunda-feira (18) do Diário Oficial da União. Desde 2009, os ministérios da Educação e da Defesa trabalham em parceria para assegurar que os exames não cheguem a mãos indevidas ou sejam utilizados de forma criminosa.
As provas do Enem de 2016 serão aplicadas nos dias 5 e 6 de novembro. A nota do exame é usada na seleção para vagas em instituições públicas, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e bolsas na educação superior privada, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni).
O resultado do exame também é requisito para receber o benefício do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e participar do Programa Ciência sem Fronteiras. Para pessoas maiores de 18 anos, o Enem pode ser usado como certificação do ensino médio.
Estudos
A plataforma Hora do Enem disponibiliza gratuitamente um plano de estudos individual para quem quer se preparar para o exame. O site também permite ao candidato participar de simulados nacionais, além de ter acesso ao Mecflix, portal com mais de 1,2 mil videoaulas.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented