|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 17/04/2016 / Emerging Weapons Producers Poised to Send Strategists Back to the War Room

Imagem
The new EMBRAER multi funcional aircraft KC-390 is displayed at Brasilia's Air Base on April 5, 2016 ...

Emerging Weapons Producers Poised to Send Strategists Back to the War Room ...


At least seven countries which have relatively recently forayed into the global arms and military equipment market may partner with Russia in the near future, according to the Russian news website Lenta.Ru ...

The next few year may see Russia continue developing defense ties with at least seven countries which relatively recently managed to break into the international global arms and military equipment market, the Russian news website Lenta.Ru reported.

It referred to a book published by the Center for Analysis of Strategies and Technologies, a Moscow-based non-governmental think tank, which focuses on the development of the military industries of Brazil, Indonesia, Iran, Pakistan, Singapore, South Africa and South Korea.

Importantly, the authors of the book said, Russia already started to bolster its cooperation with each of these countries with respect to weapons development; they may become Moscow´s full-fledged partners in this field in the immediate future.

Notably, the new players are able to challenge the leaders of the global arms and military equipment market by offering their own competitive products, the authors said, citing the Brazilian KC-390 military transport aircraft, which they described as a possible alternative to the Russian project Il-214 in terms of its possible supplies to India.

In general, the new players´ ever-increasing clout comes amid the continued degradation of the defense industries of a number of EU countries, and promises major changes in the market for military products and dual-use goods in the next 15 years, according to the authors. They pointed out that the further development of Russia´s defense industry will greatly depend on Moscow´s interaction with these new players on the global arms and military equipment arena.




Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




PORTAL SPUTNIK BRASIL


Emerging Weapons Producers Poised to Send Strategists Back to the War Room

At least seven countries which have relatively recently forayed into the global arms and military equipment market may partner with Russia in the near future, according to the Russian news website Lenta.Ru.

The next few year may see Russia continue developing defense ties with at least seven countries which relatively recently managed to break into the international global arms and military equipment market, the Russian news website Lenta.Ru reported.
It referred to a book published by the Center for Analysis of Strategies and Technologies, a Moscow-based non-governmental think tank, which focuses on the development of the military industries of Brazil, Indonesia, Iran, Pakistan, Singapore, South Africa and South Korea.
Importantly, the authors of the book said, Russia already started to bolster its cooperation with each of these countries with respect to weapons development; they may become Moscow´s full-fledged partners in this field in the immediate future.
Imagem
The new EMBRAER multi funcional aircraft KC-390 is displayed at Brasilia´ s Air Base on April 5, 2016
Notably, the new players are able to challenge the leaders of the global arms and military equipment market by offering their own competitive products, the authors said, citing the Brazilian KC-390 military transport aircraft, which they described as a possible alternative to the Russian project Il-214 in terms of its possible supplies to India.
In general, the new players´ ever-increasing clout comes amid the continued degradation of the defense industries of a number of EU countries, and promises major changes in the market for military products and dual-use goods in the next 15 years, according to the authors. They pointed out that the further development of Russia´s defense industry will greatly depend on Moscow´s interaction with these new players on the global arms and military equipment arena.

AGÊNCIA BRASIL


Moradores de Belo Horizonte estão divididos quanto a futuro do país


Léo Rodrigues

Pesquisa realizada pelo Grupo Opinião Pública da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em parceria com o Instituto Ver Pesquisa e Estratégia, revelou que parcela significativa da população de Belo Horizonte não acredita que um impeachment da presidenta Dilma Rousseff traria melhorias ao país. Entre os entrevistados, 30% consideram que tudo iria continuar da mesma forma e 18% acham que haveria piora, o que totaliza 48% de pessimistas.

Por outro lado, 47% se mostraram otimistas com as consequências de um eventual impeachment. Para 12% dos participantes do levantamento, a situação iria melhorar muito e outros 35% consideram que melhoraria alguma coisa. A pesquisa ouviu 801 moradores de Belo Horizonte entre os dias 12 e 13 de abril e sua margem de erro é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos.

Segundo Helcimara Telles, professora de ciências políticas da UFMG e coordenadora do estudo, a falta de perspectiva no futuro alimentada por parte expressiva da população está ligada a um cenário preocupante marcado pelo desencantamento com a política. "O levantamento mostrou que 98% dos moradores de Belo Horizonte acreditam que existe corrupção no Brasil e 38% disseram que ela está, não só na política, mas em todos os setores. Quando a percepção da corrupção aumenta muito, as pessoas começam a punir os partidos políticos. E, ao punir os partidos políticos, ela pune também o Congresso Nacional, abrindo espaço para outras instituições ocuparem o lugar de confiança. Essas instituições são as forças armadas, a mídia, as igrejas, ou seja, as instituições não representativas", analisa.
Apesar do alto percentual de pessoas descrentes com a possibilidade de melhorias após um eventual impeachment, 67% dos entrevistados se disseram favoráveis ao processo que afastaria Dilma, e 68% desejam o afastamento do vice-presidente Michel Temer. Mas se pudessem apontar uma melhor saída para o país, 38% prefeririam a convocação de novas eleições e 23% acreditam no impeachment como a solução mais adequada. Outros 18% disseram preferir manter a presidenta no cargo.
Indagados se sabem por qual motivo Dilma Rousseff pode sofrer um impeachment, apenas 23% responderam corretamente e citaram as pedaladas fiscais ou que foi um crime de responsabilidade fiscal. Um total de 46% mencionaram como justificativa a corrupção, os desvios de verbas da Petrobras ou a Operação Lava Jato. Outros 30% admitiram não saber as razões. "A corrupção contaminou tanto a percepção da população sobre a realidade política e econômica, que o cidadão comum acredita que ela é a razão pela qual foi pedido o afastamento da presidenta. E não é. O próprio Judiciário proibiu que informações contidas nas delações e os demais elementos que vieram à tona com a Operação Lava Jato sejam considerados pelos deputados", assinala Helcimara Telles.
Instituições
A pesquisa avaliou também a confiança nas instituições. Em uma escala de 0 a 10, a nota média dos partidos políticos ficou em 2, a do governo federal em 2,6 e a do Congresso em 2,7. As médias mais altas ficaram com as igrejas, que receberam 5,9; as Forças Armadas, com 5,5; e as organizações não governamentais (ONGs), com 5,4. A mídia e o Supremo Tribunal Federal (STF) receberam, respectivamente, as notas médias 5 e 4,9.

A boa avaliação da mídia não surpreende a pesquisadora. "Mais ou menos metade da população acha que a mídia faz oposição à Dilma Rousseff, e a outra metade acha que ela é neutra. Por que a mídia aparece com esta nota, se tanta gente acredita que ela tem preferência por um lado? Justamente pelo descrédito dos partidos. Se os líderes estão desacreditados, em quem a população vai acreditar para buscar informação? Na mídia. E nós temos mais de 40% da população dizendo que se informa sobre a política através da televisão", aponta Helcimara.

Partidos

Também foi medida a confiança dos entrevistados nos três maiores partidos do Brasil. A menor média foi atribuída ao PMDB, com 2,64. O PT e o PSDB também receberam notas baixas. O primeiro ficou com 2,68 e o segundo, com 3,03.

Segundo Helcimara, nunca houve no Brasil um cenário de alta confiança nos partidos políticos, mas também nunca houve uma situação como a atual onde tão poucas pessoas se identificam com as legendas. "O descrédito é geral. Mesmo com a visibilidade dos casos de corrupção envolvendo políticos do PT, os demais partidos não conseguem oferecer credibilidade e prestígio e assim não atraem o eleitorado insatisfeito e desencantado. Nesse cenário de criminalização de todas as siglas, os grupos opositores não se tornam alternativa", alertou.

O desencanto atinge também o regime político em vigor. Embora 61% dos entrevistados tenham dito que a democracia é sempre melhor do que qualquer outra forma de governo, 17% opinaram que democracia ou ditadura não faz diferença e 16% acreditam que, em certas situações, a ditadura é preferível.

Helcimara se disse preocupada com o que considera ser uma visão distorcida de democracia. "Há setores expressivos que não veem na ditadura um problema. Também 35% dos entrevistados indicaram o juiz Sérgio Moro [que coordena os processos relativos à Operação Lava Jato] como a pessoa capaz de colocar ordem no país. Isso significa a total judicialização da política e a crença em um justiceiro que surge para ocupar o lugar dos partidos. Isso ocorreu em outros países como Grécia, Itália, Portugal, que passaram por crises políticas semelhantes, também combinando com uma crise econômica. E as saídas apresentadas por fora da política são, até hoje, muito questionadas", alertou.

JORNAL O POVO (CE)


Aeronave faz pouso de emergência no Aeroporto de Fortaleza

Um alerta de fumaça na aeronave da Iberia Linhas Aéreas (voo 6012) fez com que houvesse na tarde deste sábado, 16, um pouso de emergência no Aeroporto Internacional Pinto Martins

Um alerta de fumaça na aeronave da Iberia Linhas Aéreas - voo 6012 (saída de Montevidéu (Uruguai) no sábado, 16, e estava previsto para chegar a Madri (Espanha) no domingo, 17) fez com que houvesse na tarde deste sábado um pouso de emergência no Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza. Por conta do ocorrido, o aeroporto fechou por meia hora, mas já opera normalmente.
Em conversa com O POVO Online, o coronel do Corpo de Bombeiros, Ricardo Rodrigues (comandante da operação), informou que a aeronave, modelo airbus A 330, transportava 269 passageiros quando teve que sair de seu percurso (a aeronave não tinha Fortaleza como rota). Ela teve que fazer um pouso de emergência com suspeitas de “problema junto ao trem de pouso e uma de princípio de incêndio na cabine da aeronave”. “São suspeitas. As causas serão esclarecidas depois de uma avaliação técnica mais apurada. Todos os passageiros desembarcaram para que a aeronave fosse melhor avaliada”, disse.
Antes da aeronave pousar na pista, a brigada de incêndio do Corpo de Bombeiros já estava posicionada para combater a fumaça. Segundo o coronel Ricardo Rodrigues, os passageiros e aeronave permanecerão em solo fortalezense até serem feitas as investigações sobre o que tenha causado a alerta de fumaça.
A assessoria de imprensa da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) não foi encontrada para comentar sobre o assunto.

JORNAL VALOR ECONÔMICO


Governo não cogita Estado de Defesa para controle de manifestações


Rosângela Bittar

BRASÍLIA - Como coordenador da atuação das Forças Armadas, o ministro da Defesa, Aldo Rebelo (PCdoB/SP) está tranquilizando os parlamentares e representantes da sociedade que o procuram para saber da real possibilidade de haver uma provocação de manifestantes suficiente para justificar o Estado de Defesa e a convocação de conselhos do alto comando para enfrentar a crise de segurança. Diz que não há cogitação disso e nem a menor possibilidade de vir a ocorrer.
Nas consultas que tem recebido, o ministro é questionado também sobre a utilização de dispositivos constitucionais inseridos nas medidas denominadas pela sigla GLO (garantias da lei e da ordem), geralmente acionadas quando há greves de polícia, visita do Papa, Copa do Mundo, Conferências com chefes de Estado, entre outros grandes acontecimentos. Nada existe sobre isso, nem intenção, nem cogitação nem fato concreto.
“O comandante da Marinha está em Paris, o comandante do Exército está na Amazônia, e o comandante da Aeronáutica está no Rio, que ninguém é de ferro”, diz Aldo Rebelo.

MINISTÉRIO DA DEFESA


Brasil e Suécia ampliam parceria estratégica


Assessoria De Comunicação Social (ascom)

Brasília, 15/04/2016 – O embaixador da Suécia no Brasil, Per-Arne Hjelmborn, se reuniu, nesta sexta-feira (15), com o ministro da Defesa, Aldo Rebelo, a fim de ampliar a parceira em programas de alta tecnologia. O objetivo é expandir o sucesso da cooperação alcançada com o F-X2, projeto que envolve além dos caças Gripen NG, o intercâmbio profissional, apoio logístico e a transferência de tecnologia para indústrias brasileiras.
Imagem
A expectativa é que a atuação conjunta dos países transborde a área de defesa e envolva os segmentos de ciência, tecnologia e inovação. “Com a colaboração do Gripen, viramos parceiros pelos próximos 30, 40 anos. A intenção é usar o projeto Gripen para que juntos possamos tirar o máximo proveito dos efeitos multiplicadores, tanto dentro quanto fora do setor da defesa”, destacou o embaixador.
Como parte da parceria estratégica, foi criado durante a Comissão Mista Intergovernamental Brasil-Suécia, em maio 2015, o grupo de alto nível (High Level Group in Aeronautics), integrado por membros dos dois países. A primeira reunião foi realizada no país nórdico, em outubro do ano passado, e o próximo encontro está previsto para outubro deste ano no Brasil.
“Acho que o Brasil e a Suécia dispõem de todos os requisitos, exigências e condições para um amplo processo de cooperação científica, tecnológica e de defesa. Temos o interesse não apenas em manter, como em ampliar essa parceria”, ressaltou o ministro Aldo Rebelo.
Projeto FX-2
Anunciado em dezembro de 2013, o projeto FX-2 envolve transferência de tecnologia, política industrial, formação de mão-de-obra especializada e desenvolvimento de ciência e pesquisa. O contrato com a empresa sueca SAAB inclui a compra de aeronaves de combate, suporte logístico e compra de armamentos necessários à operação dos caças Gripen NG.
A Força Aérea Brasileira receberá 36 aviões de caça Gripen NG. A primeira aeronave deverá ser entregue em 2019 e, a última, em 2024. O contrato prevê ainda a fabricação de 15 das 36 unidades no Brasil, incluindo oito unidades de dois lugares, um modelo criado especialmente para a FAB.
A participação do Brasil no desenvolvimento do projeto dará à indústria aeronáutica brasileira acesso a todos os níveis de tecnologia, incluindo os códigos-fonte do Gripen. O programa de transferência de tecnologia incluirá itens como a integração de hardware, aviônicos, software e sistemas da aeronave, além do intercâmbio de conhecimento com mais de 350 brasileiros indo a Suécia para treinamento.
Em paralelo, a Embraer também vem se preparando para receber o Gripen NG e já realizou as obras de terraplanagem para construção do prédio que abrigará o Centro.

PORTAL UOL


Guerra Cibernética, estamos preparados para o caos?


Blog De Jamildo (osvaldo Matos De Melo Júnior)

No momento em que os Estados Unidos ameaçam detonar amplas ações de guerra cibernética contra o estado islâmico, os brasileiros que pensam começam a questionar se o nosso país está preparado para conter ataques de outras nações, de grupos separatistas e radicais internos, terroristas, crime organizado e até de malucos.
Sabemos que as Forças Armadas brasileiras, apesar da total escassez de recursos e falta de pessoal mais qualificado, estão tentando mostrar aos gestores a importância dos investimentos nessa área e estão com departamentos e pessoal fazendo das tripas coração para defender o Brasil de ciberataques, mas parece que tirando a grande forca de vontade e visão dos nossos militares, o governo não leva isso muito a sério.
A nova guerra pode destruir a economia inteira de uma nação, além de causar pânico, acidentes, prejuízos incalculáveis, mortes, desconfortos e muito sofrimento.
Através de programas que danificam informações, equipamentos e outros dispositivos de informática e comunicação hospitais, policia, sistemas eleitorais, penal, fábricas, usinas, refinarias, empresa de água e energia, controle de rodovias, portos e ferrovias, sistema financeiros, arquivos públicos, justiça e tudo que estiver ligado a internet pode simplesmente sumir ou ser modificado.
Malucos do mundo inteiro, programadores do mal, já invadiram muitos sistemas e causaram grandes prejuízos. Os Estados Unidos praticamente destruiu uma usina de enriquecimento de urânio do Irã implantando um vírus no computador que comandava o reator. Agora ataque promete acabar com as comunicações do estado islâmico, dificultando suas operações financeiras, compra de armas e munição, propaganda de alistamento e controle de tropas.
Vamos esperar sentados para colocar a nossa defesa cibernética como prioridade, ou deixar a coisa acontecer causando danos irreversíveis?
Já chegou a hora das nossas forças armadas contratarem jovens programadores, hackers do bem, para apoiar as ações de prevenção. Não adianta tentar fazer concurso público para isso, eles devem ser contratados só pelo talento e até pelo mal que possam fazer. Esse recrutamento não é difícil, usando a inteligência e divulgando muitos vão aparecer e ajudar a proteger o nosso país das cyber ameaças internas e externas.

OUTRAS MÍDIAS


PORTAL COMPANHIA DA NOTÍCIA (NATAL)


ImagemCâmara de Natal recebe visita do comandante da Primeira Força Aérea

O presidente da Câmara Municipal de Natal, vereador Franklin Capistrano (PSB) recebeu na manhã desta quinta (14), a visita do novo comandante da Primeira Força Aérea, Brigadeiro do Ar Pedro Luís Farcic. Também participou do encontro o vereador Ubaldo Fernandes (PMDB).
Na visita de cortesia, o comandante, que assumiu a primeira Força no mês de fevereiro entregou ao Presidente Capistrano o livro “Dimensão 22” que retrata o trabalho e a história da Força Aérea Brasileira. “Ao assumir o comando da primeira Força, temos plena consciência do nosso dever em relação à cidade e à população de natal, por isso, procuramos falar com quem representa o povo. Nossa intenção é trabalhar para que a Força Aérea Brasileira esteja ainda mais presente na vida dos natalenses”, disse.
“Uma visita importante e produtiva à Casa legislativa. Conversamos para continuarmos estabelecendo laços interinstitucionais, sabemos do trabalho social e de proteção da Força Aérea”, falou vereador Franklin Capistrano, que ainda afirmou que poderá ser celebrado um convênio de reprodução dos vídeos da Força na TV Câmara.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS


ImagemSétimo Comando Aéreo Regional tem novo comandante

O Major-Brigadeiro do Ar Waldeísio Ferreira Campos é o novo comandante do Sétimo Comando Aéreo Regional (VII Comar). O oficial substitui o Major Antônio José Mendonça de Toledo Lobato que passou dois anos à frente da entidade. A cerimônia de posse aconteceu na manhã desta sexta-feira (15), no pátio operacional da Base Aérea de Manaus, na zona sul, com direito a desfile militar.
Além de resguardar o céu brasileiro, o Comando tem realizado uma série de parcerias com órgãos como o Governo do Amazonas, a Assembléia Legislativa do Estado, a Polícia Federal, a Justiça Eleitoral, entre outros. “Tivemos muita sorte, nesses últimos anos, com os oficiais que são designados para trabalhar no Amazonas. Nós tivemos apoio incondicional das Forças Armadas, da Aeronáutica em especial por conta das nossas distâncias. As asas da entidade levam o apoio para a população em lugares que nem os rios chegam em algumas épocas do ano”, elogiou o titular da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), Sérgio Fontes.
A parceria do Comando Aéreo com o Estado se dá através do transporte de gêneros alimentícios, suprimentos logísticos, munição, combustível, materiais de construção, medicamentos, vacinas, urnas eleitorais, provas do Enem e de tropas, ações que, de acordo com Waldeísio, devem ser mantidas ao longo de sua administração. “As expectativas são as melhores possíveis e com motivação, disposição e a parceria com os Estados, nós ultrapassaremos todos os obstáculos que possam aparecer”, completou.
Durante os dois anos em que esteve à frente do Comar, entre abril de 2014 e abril de 2016, o Major Lobato, que deixou a função, foi responsável pela Força Aérea nos estados do Acre, Amazonas, Rondônia e Roraima, área equivalente a 26% do território nacional. “Essa foi uma missão muito intensa, com o apoio dado em toda a região, mas também foi muito gratificante. Eu volto para Brasília agora com o sentimento de missão cumprida”.
Durante sua gestão, foram realizados 8.514 atendimentos, em doze Ações Cívico-Sociais (Aciso), onde médicos e dentistas da Aeronáutica realizam atendimentos em diferentes localidades da região. Nesse biênio também foram realizadas 73 Evacuações Aeromédicas (Evam), o que contribuiu para que cidadãos com problemas de saúde fossem transportados para os grandes centros, onde pudessem receber tratamento mais específico.

PORTAL DIÁRIO DE S. PAULO


Dilma conta 175; oposição fala em 367

Leandro Mazzini
Esplanada Doc
A Abin e as Forças Armadas escalaram seus mais experientes agentes para registrarem em fotos e vídeos a movimentação dos protestos na Esplanada.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented