|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 08/07/2017 / Embraer e SNC intensificam campanha do A-29 Super Tucano para o programa OA-X da USAF


Embraer e SNC intensificam campanha do A-29 Super Tucano para o programa OA-X da USAF ...  


A Sierra Nevada Corp e a Embraer estão promovendo o pedigree americano do A-29 Super Tucano antes de uma demonstração de voo que poderia abrir caminho para uma competição com a Textron baseada em Wichita, Kansas, de vendas potenciais para a Força Aérea dos EUA (USAF).

A Embraer e a Sierra Nevada - a fabricante original do A-29 Super Tucano no Brasil e seu principal contratador nos Estados Unidos, respectivamente - estão se preparando para a avaliação da aeronave de ataque leve OA-X da Força Aérea em agosto próximo na Base da Força Aérea de Holloman, Novo México.

Nessa base, o A-29, o Scorpion Jet da Textron e o AT-6 Wolverine serão colocados em provas, realizando missões simuladas diariamente durante um período de quatro a seis semanas.

No final da demonstração, o serviço decidirá se deve iniciar um programa de registro para um avião OA-X que será usado para missões de apoio aéreo aproximado no Oriente Médio, liberando os aviões de combate mais caros para missões de ponta que justifiquem o seu custo operacional mais caro. Cerca de 300 aeronaves podem ser encomendadas.

O A-29 já enfrentou o AT-6 uma vez, durante a competição Light Attack Support (LAS) no início de 2010, que resultou em uma compra de 20 aeronaves para a incipiente força aérea do Afeganistão. Embora o A-29 tenha surgido vitorioso durante essa batalha, ela foi duramente travada, já que os aliados ao AT-6 no Congresso - então de propriedade da Hawker Beechcraft - interpretaram as origens brasileiras do Super Tucano na esperança de enfraquecer a chance de vencer o contrato.

A SNC e a Embraer esperam evitar uma luta similar durante uma competição OA-X, o que é uma das razões pelas quais as empresas no final de junho lançaram a campanha "A-29 for America" em mídias sociais, disse Taco Gilbert, vice-presidente sênior da SNC para Sistemas de Vigilância, Reconhecimento e Inteligência.

Embora a Embraer fabrique a maioria dos pedidos do Super Tucano no Brasil, os aviões vendidos para a Força Aérea dos EUA são produzidos em sua linha de montagem em Jacksonville, Flórida, e depois modificados pela Sierra Nevada para a configuração preferida do cliente, ele observou.

"Os trabalhadores em Jacksonville ficaram se sentindo como se fossem ignorados nessa questão, e nós queríamos que eles obtivessem o respeito que eles mereciam pela construção de aviões que, francamente, estão oferecendo importantes capacidades de combate no Afeganistão todos os dias. Eles estão salvando vidas no Afeganistão todos os dias, e esses aviões saíram da linha de Jacksonville".

A Textron, que comprou a Hawker Beechcraft em 2014, até agora não procurou caracterizar o A-29 como fizeram com o avião brasileiro. No entanto, Gilbert reconheceu que potenciais concorrentes poderiam fazê-lo no futuro na tentativa de "ofuscar" detalhes sobre a capacidade de combate da aeronave ou o ponto de vista da Embraer nos Estados Unidos.

A proposta de expansão de leis norte-americanas do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, também pode representar um obstáculo potencial, embora as autoridades da SNC e da Embraer tenham minimizado o impacto. Gilbert apontou para o apoio de Trump de uma venda da A-29 para a Nigéria como prova do endosso da administração ao programa.

"É a produção dos EUA. Nós construímos os aviões na América com os trabalhadores americanos", disse ele. "Várias vezes até o momento, o governo dos EUA concedeu contratos para a A-29, e esses contratos foram todos concedidos sob as provisões da Buy American. Então, é totalmente compatível com a compra americana e acho que o pessoal da Flórida que trabalha em Jacksonville montando o avião merecem crédito por isso".

Desde o seu lançamento em junho, uma conta no Twitter dedicada para o "A-29 for ;1-f-e. c.E:" twitou um pacote de fotos do A-29 e artigos de notícias relacionadas várias vezes por dia. Embora as imagens da aeronave em combate sejam abundantes, também estão os emojis e as imagens da bandeira americana, bem como as menções da linha de produção da Embraer em Jacksonville.

Um tweet típico, a partir do dia 30 de junho: "# A29 orgulhosamente construído em Jacksonville, Flórida - mais de 20 estados fornecem peças / produtos / serviços para apoiar a missão #MadeintheUSA".



Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




PORTAL UOL


ONU quer mais mulheres em forças de paz para "melhorar proteção"


Secretário-geral acredita que aumento de pessoal do sexo feminino no terreno pode reduzir possibilidades de exploração e abuso sexual; Conferência de Chefes Militares decorreu esta sexta-feira nas Nações Unidas.
Numa mensagem para mais de 100 oficiais de exércitos reunidos nas Nações Unidas, o secretário-geral declarou que o grupo é essencial "para garantir que a manutenção da paz continue moderna e eficiente."
António Guterres gravou um vídeo para a Conferência de Chefes Militares pedindo ações para que sejam enviadas mais mulheres ao terreno e seja apoiada a perspectiva sensível ao gênero na promoção da paz.
Proteção
De acordo com o chefe da ONU, um maior equilíbrio de gênero nas forças internacionais pode melhorar as ações de proteção e reduzir as possibilidades de exploração e abuso sexual.
No encontro, o subsecretário-geral das Operações de Manutenção da Paz, Jean-Pierre Lacroix, disse que a organização já atua para que a manutenção da paz seja como uma ferramenta adaptada, ágil e adaptável.
O chefe das operações de paz declarou que essa visão da ONU combina as habilidades e as capacidades certas para responder às necessidades específicas no terreno, considerando a redução do orçamento para a área.
Priorização
Recentemente, a Assembleia Geral autorizou o corte de 8,5% no valor para a manutenção da paz, num valor equivale a cerca US$ 700 milhões.
Para Lacroix essa realidade vai exigir uma maior priorização e um maior foco no uso eficiente dos recursos, particularmente no momento em que o Conselho de Segurança também autorizou um aumento de 6.600 soldados e policiais.

Qual o voo mais longo do mundo e o mais lotado? Veja 10 recordes da aviação


De ações humanitárias a testes de resistências ou simples extravagâncias, alguns voos se tornaram históricos e entraram para o Guinness Book como feitos inéditos. A lista de recordes mundiais da aviação inclui desde o voo com o maior número de passageiros até o mais longo feito por um aviãozinho de papel.

1.088 passageiros em um Boeing 747

No dia 24 de maio de 1991, um Boeing 747 decolou do aeroporto de Addis Abeba, na Etiópia, com 1.086 passageiros. O número já seria um recorde, mas durante o voo até Israel dois bebês nasceram a bordo. Assim, o avião pousou com 1.088 passageiros.

O voo foi feito pela companhia aérea israelense El Al em uma missão humanitária de evacuação de judeus etíopes perseguidos no país. A missão durou 36 horas, com um total de 40 voos e 14,2 mil judeus resgatados.
O voo mais rápido ao cruzar o Atlântico

Com uma velocidade média de 2.908 km/h, o Lockheed SR-71A Blackbird fez, em 1974, a travessia mais rápida sobre o oceano Atlântico. A viagem entre Nova York, nos Estados Unidos, e Londres, na Inglaterra, durou 1 hora, 54 minutos e 56 segundos. A distância total do voo foi de 5.570 km.

Dois anos depois, o mesmo avião bateu o recorde de velocidade em voo, ao chegar a 3.529,56 km/h em um voo de apenas 25 km de distância sobre a Base Aérea de Beale, na Califórnia, nos Estados Unidos.
O voo comercial mais rápido ao cruzar o Atlântico

O Concorde foi o avião mais rápido do mundo a realizar voos comerciais. Os altos custos de operação, no entanto, impossibilitaram que ele continuasse voando, e o avião foi aposentado nos anos 2000.

Enquanto esteve em operação, o Concorde quebrou vários recordes. É dele, por exemplo, o título de voo comercial mais rápido ao cruzar o Atlântico. A viagem entre Nova York e Londres, realizada pela British Airways, durou 2 horas, 52 minutos e 59 segundos. Atualmente, um voo comercial entre as duas cidades tem duração estimada em seis horas e 50 minutos.
O voo mais longo do mundo

A bordo do avião Virgin Atlantic GlobalFlyer, criado exatamente para bater recordes de distância, o norte-americano Steve Fossett realizou no dia 8 de fevereiro de 2006 o voo mais longo feito por um avião na história: durou quase 77 horas.

A aeronave contava com grandes tanques de combustível para poder percorrer longas distâncias. No voo histórico, Fossett decolou com 8,2 toneladas de combustível. O voo decolou do Kennedy Space Center, na Flórida, nos Estados Unidos, e permaneceu no ar por 76 horas e 45 minutos, até pousar em Bournemouth, na Inglaterra. Durante a viagem, o avião percorreu 42.469 km.

Além do voo mais longo do mundo, Fossett tem outros recordes aeronáuticos. É dele os títulos de primeira volta ao mundo feita sozinho a bordo de um balão, que também deu o recorde de maior voo de balão. Além disso, ostenta o título de primeira volta ao mundo em um avião sem reabastecimento e a de maior velocidade em um voo de zeppelin.
O voo mais longo feito por um avião comercial

Em 10 de novembro de 2005, a Boeing realizou um voo experimental para testar a autonomia máxima do Boeing 777-200LR. A viagem, sem reabastecimento, entre Hong Kong, na China, e Londres, na Inglaterra, percorreu 21.601 km em 22 horas e 42 minutos. O voo foi o mais longo do mundo feito por um modelo de avião comercial sem modificações.

Atualmente, nas rotas regulares, o voo da Qatar Airways entre Doha, no Catar, e Auckland, na Nova Zelândia, é considerado o mais longo do mundo em atividade. A viagem de 14,5 mil km dura 16 horas e 30 minutos.
O voo mais longo feito por um aviãozinho de papel

Parece brincadeira de criança, mas tem gente que leva o assunto muito a sério. Os norte-americanos John Collins e Joe Ayoob conseguiram o recorde de voo mais longo do mundo feito por um aviãozinho de papel.

Criado em uma folha de papel A4, o avião percorreu 69,14 metros. O lançamento foi feito na base da Força Aérea de McClellan, na Califórnia, nos Estados Unidos, em 26 de fevereiro de 2012. Collins foi o projetista do aviãozinho, e Ayoob ficou responsável pelo lançamento.
Maior número de aviões voando de ponta-cabeça

O Brasil também tem um recorde mundial da aviação. O título foi conquistado pelo Esquadrão de Demonstração Aérea, a famosa Esquadrilha da Fumaça. O recorde é o de maior número de aviões voando ao mesmo tempo de ponta-cabeça, com 12 aviões T-27 Tucano. A apresentação foi realizada no dia 29 de outubro de 2006. Os aviões ficaram na posição invertida durante 30 segundos sobre a Base Aérea de Pirassununga, em Pirassununga (211 km ao norte de São Paulo).

Maior voo em formação de helicópteros

O 1º Esquadrão de Fort Bragg, na Carolina do Norte, nos Estados Unidos, utilizou 32 helicópteros no maior voo em formação de helicópteros do mundo. A apresentação foi organizada para celebrar o fim das operações do modelo Bell OH-58D Kiowa Warrior e homenagear todos os militares que serviram naquela base aérea.

Maior quantidade de loopings consecutivos

O Blades Aerobatic Display Team, do Reino Unido, bateu o recorde de loopings (quando o avião completa um círculo na vertical) em voo em formação, ao realizar 26 voltas completas na sequência. Na apresentação, foram utilizados quatro aviões Extra 300.
Casamento coletivo a 12,5 mil metros de altitudeCinco casais resolveram fazer um casamento diferente para entrar no Guinness Book. A cerimônia é considerada o casamento na mais alta altitude a bordo de um avião, a 12,5 mil metros acima do nível do mar. O voo foi realizado pela companhia aérea Fiji Airways, entre Auckland, na Nova Zelândia, e Nadi, em Fiji.

REVISTA ISTO É


Os passageiros sumiram

Crise econômica impõe ao setor aéreo a maior crise em mais de uma década e obriga companhias a repensarem o modelo de negócios para diminuir prejuízos

Fabíola Perez

Foi-se o tempo em que as áreas de embarque dos aeroportos ficavam lotadas. Pessoas de todas as classes sociais aguardavam para levantar voo e explorar destinos nacionais e internacionais. Nos últimos anos, milhões de brasileiros trocaram os terminais rodoviários pelos aeroportos, atraídos pelas vantagens e preços acessíveis oferecidos pelas companhias. A crise econômica, porém, acabou com a festa. O setor aéreo enfrenta agora grave turbulência – a mais séria em 11 anos. De acordo com um relatório da Agência Nacional de Avião Civil (Anac), em 2016 o número de viajantes caiu 6,9%, considerando trajetos nacionais e internacionais, no pior resultado desde 2007. Para se ter ideia, 117,7 milhões de pessoas foram transportadas em 2015, um recorde histórico. No passado, foram 109,6 milhões, o que significa que 7,5 milhões de pessoas deixaram de voar. “A recessão e a queda no poder de compra dos brasileiros afetaram drasticamente a aviação, e a perspectiva é de que não haverá retomada nos próximos meses”, afirma Eduardo Sanovicz, presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear).
NOVAS ESTRATÉGIAS
O fim dos anos de ouro para o setor aéreo se deve, principalmente, à queda do poder aquisitivo da classe C, que nos anos anteriores representava parte significativa da demanda por viagens de lazer. Além disso, as viagens de negócios, que correspondem a dois terços do total, também vêm caindo. “A busca do público de lazer foi afetada pelos altos índices de desemprego e a procura das empresas caiu por causa da recessão”, afirma Sanovicz. “Se o ambiente de negócios brasileiro não está favorável, as companhias colocam o pé no freio e evitam viagens corporativas.” O resultado é uma queda também na oferta. A quantidade de voos domésticos encolheu 11,4% e os internacionais, 7,9%. Outra dificuldade que historicamente atinge o setor é a cobrança de impostos sobre o combustível das aeronaves brasileiras. Funciona assim: 35% do preço da tarifa correspondem ao valor do combustível das aeronaves. O que eleva esse percentual é a cobrança do ICMS no estado de origem e de destino. Em outros países, a cobrança do ICMS é unificada, o que torna a tarifa mais acessível. “Isso é o que faz uma passagem ser mais barata para fora do País do que para o Nordeste, por exemplo”, diz Sanovicz.
As companhias aéreas foram obrigadas a fazer ajustes para acompanhar a mudança do cenário. No ano passado, a TAM reduziu entre 6% e 9% a oferta de assentos em voos nacionais. Na Azul, o índice foi de 7%, enquanto na Gol a queda ficou entre 4% a 6%. Já a Avianca declarou que faria eventuais ajustes na oferta, dependendo do comportamento do mercado. “Foram feitos ajustes de malha e corte de custos em todas as áreas, com exceção de manutenção e segurança”, afirma Sanovicz. Além da revisão dos custos, algumas companhias desenvolveram novas estratégias para evitar o prejuízo. “Como elas não podem aumentar as tarifas de uma só vez, o que configura crime, criam mecanismos como a cobrança pelo despacho da bagagem”, diz Jorge Leal Medeiros, professor de Transporte Aéreo da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). Firmar parcerias com empresas internacionais também é uma forma de não depender do mercado nacional retraído. “Para não ter aviões parados, as companhias colocam as aeronaves à venda ou para arrendamento”, afirma Medeiros.
Para reverter prejuízos, companhias aéreas diminuíram a frota, cortaram custos e investiram em parcerias internacionais
Uma decisão considerada acertada partiu da Azul, que transferiu 17 aviões de sua frota para a portuguesa TAP. A medida faz parte de um processo de redução de voos pelo Brasil. Embora as duas empresas funcionem separadamente, ambas são controladas pelo empresário David Neeleman e estão em processo de integração. A Azul também vem apostando em aviões de pequeno porte para rotas nacionais. “É uma forma de aumentar a capilaridade no mercado doméstico e economizar com a tripulação”, diz o especialista da USP. A Avianca, por sua vez, substituiu as aeronaves modelos Fokker por Airbus. “Eles são um pouco maiores, mais modernos e consomem menos combustível”, afirma Medeiros. Outra mudança que surpreendeu o mercado foi a queda do número de passageiros para os Estados Unidos, destino mais procurado pelos brasileiros. Eram 5,3 milhões de viajantes em 2015 e foram 4,4 milhões no ano passado. Em contrapartida, o volume para a Argentina cresceu 11,4% no mesmo período. A forma como as companhias devem driblar os efeitos da crise dependerá, segundo especialistas, da gestão e também de subsídios dos governos, como a redução do ICMS. Só assim o setor deixará de amargar prejuízos e voltará a decolar como antes.

JORNAL VALOR ECONÔMICO


Pelo Twitter, Maia reforça compromisso com reformas


BRASÍLIA - Em meio a notícias de que se cacifa frente ao mercado financeiro para suceder o presidente Michel Temer (PMDB), Rodrigo Maia (DEM-RJ) afirmou que está comprometido em dar andamento à atual agenda de reformas. A mensagem foi emitida via Twitter pelo presidente da Câmara nesta sexta-feira.
Maia assume a presidência da República caso a Câmara dos Deputados acate a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra Temer, por corrupção passiva.
“Temos que estabelecer o mais rápido possível a agenda da Câmara dos Deputados. Não podemos estar satisfeitos apenas com a reforma trabalhista. Temos Previdência, Tributária e mudanças na legislação de segurança pública”, escreveu Maia.
O deputado destacou a necessidade de ter tranquilidade e prudência para ajudar o Brasil a sair da crise.
Na avaliação de interlocutores de Maia, ao se comprometer com a agenda de reformas, ele faz um aceno ao PSDB, que condicionaria o eventual apoio tucano para Maia chegar ao comando do Planalto ao estabelecimento da agenda reformista.


PORTAL G-1


Imagens inéditas mostram "cidade" de garimpeiros em plena selva amazônica no interior de Roraima

Pelo menos mil pessoas estavam vivendo em instalações no interior da Terra Yanomami. Local é alvo da operação "Curare VIII" do Exército.

G1 Rr

Imagens inéditas reveladas pelo Exército Brasileiro nesta quinta-feira (6) mostram uma verdadeira cidade de garimpeiros em plena selva amazônica, ao Norte de Roraima. No local, onde viviam pelo menos 800 pessoas, tinha mini-mercados, casas e até um salão de beleza improvisado.
Segundo o Exército, o garimpo, que nunca havia sido acessado por tropas legais, ficava entre as cidades de Alto Alegre e Amajari, a 310 Km da capital Boa Vista. A região foi alvo da operação "Curare VIII" da 1ª Brigada de Infantaria de Selva (1ª BIS) que teve início em 22 de junho.
Foi durante a missão que um avião fretado caiu deixando quatro mortos: um piloto e três servidores do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Uma pessoa sobreviveu.
A estrutura do garimpo, que ficava em uma região de difícil acesso, impressionou os militares. "É uma cidade pequena com geradores, antenas satelitais, televisão, telefones celulares satelitais”, afirmou o comandante da 1ª BIS, general Gustavo Henrique Dutra.
As quase mil pessoas que viviam irregularmente na região usavam o ouro extraído ilegamente da reserva indígena como moeda para comprar alimentos, produtos de higiene e bebida alcoólica.
Durante a operação, homens do Exército, Polícia Federal e Ibama apreenderam quatro balsas, 4.755 litros de gasolina e 25 motores usados na extração do ouro. Esses equipamentos, conforme o Exército, rendiam em torno de 8 milhões de reais por semana aos garimpeiros.
Na ação, algumas pessoas foram autuadas e outras fugiram pra dentro da mata.
Danos causados pelo garimpo
Para o geólogo Vladimir de Souza, o garimpo ilegal causa graves impactos ambientais, pois afeta a fauna, a flora e, principalmente, os recursos hídricos. Ele alerta que o uso do mercúrio na atividade tem contaminado a água do rio, os peixes e as comunidades indígenas que vivem na região.
Em 2016 uma pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) revelou que o nível de contaminação por mercúrio chegava a 92,3% nos povos das etnias Yanomami e Yekuana que moravam próximos a áreas de garimpo ilegal em Roraima.
“Tem grandes depósitos de ouro naquela floresta, debaixo do bioma da área Yanomami. Tem todos os tipos de impactos, desde o social, impacto ambiental de médio e longo prazo”, explica.
Vladimir detalha ainda como ocorre a contaminação pelo mercúrio. "Esse metal é pesado e vai direto para o fundo do rio, para o sendimento. Os peixes assimilam o sendimento e o mercúrio fica armazenado no tecido gorduroso deles e não sai mais. Quando esse peixe serve de alimentação para outras espécies vai passando esse mercúrio até chegar aos humanos".
O geólogo afirma ainda que a contaminação de humanos pelo mercúrio pode levar anos para ser identificada e causa, principalmente, danos ao sistema nervoso central.
"Não há tratamento para expelir o mercúrio, apenas para remediar os efeitos da contaminação. Essa contaminação por mercúrio é um mal silencioso e de longo prazo", afirma.
Permanência na região
Segundo o Exército, a equipe da 1ª BIS deve continuar na região para apreender mais materiais ilícitos. E afirma que a operação busca fortalecer a fronteira do país, contribuir no combate aos delitos transfronteiriços e ambientais, além de levar serviços de saúde à população indígena e reforçar o apoio à população regional.

Homem é preso e arsenal com munição antiaérea e armamento de guerra é encontrado em Ribeirão Preto

Ao todo, foram apreendidos 107 revólveres, pistolas, espingardas, fuzis e metralhadoras, além de munição e silenciadores. Suspeito fazia manutenção em armas para quadrilhas, diz polícia.

Jornal Da Eptv 2ª Edição

Um homem foi preso na tarde desta quinta-feira (6) em uma casa no bairro Vila Virgínia, em Ribeirão Preto (SP), onde havia um arsenal, com munição antiaérea e usada em tanques do Exército, além de armas utilizadas na Segunda Guerra Mundial.
Segundo a Polícia Civil, o homem estava sendo investigado há três meses e é suspeito de fazer manutenção em armas usadas por quadrilhas em assaltos no interior de São Paulo. Ao todo, 40 revólveres e pistolas, e mais 67 espingardas, fuzis e metralhadoras foram apreendidos.
"Há armas de todo calibre, de todo jeito, de uso restrito, de uso permitido, acessórios proibidos, enfim, todo esse armamento nos surpreendeu muito. Não esperávamos essa quantidade", disse o delegado Ricardo Turra.
Entre as munições apreendidas há um morteiro usado em tanques de guerra e outras de calibre 30 milímetros, capaz de derrubar aviões e perfurar veículos blindados, além de fuzis calibre 308 e submetralhadora 9 milímetros, por exemplo.
"Ele é tido como armeiro, mas não é regulamentado. Ele teria que ter autorização, tanto da Polícia Federal, quanto do Exército. Então, exerce a profissão de maneira ilegal. Constatamos que alguns criminosos estão levando as armas até ele para fazer manutenção", completou.
Ainda segundo o delegado, o homem adquiria armas furtadas ou roubadas, raspava a numeração original e remarcava cada uma delas para que pudessem voltar ao mercado, ou fossem usadas por criminosos, sem levantar suspeitas.
"Pela quantidade que nós encontramos, até para nossa surpresa, isso nos leva a acreditar que ele estaria até emprestando essas armas para que pessoas pudessem, eventualmente, praticar crimes. Vamos pesquisar arma por arma para saber a origem", disse Turra.
Os equipamentos usados para modificar a numeração das armas também foram apreendidos. A Polícia Civil informou que o suspeito não possui antecedentes criminais e só apresentou a documentação de uma das armas apreendidas.
O delegado Cláudio Sales destacou que o suspeito também montava a munição dentro de casa. No imóvel foram apreendidas prensas de recarga, projéteis, espoletas e pólvora para calibres 12, 762 e 556, essa última munição usada em fuzis AR-15.
"Há um fuzil calibre 308 e a gente notou que ele foi modificado, está com um cano usado para competição, para alcançar maiores distâncias com mais precisão. Há várias lunetas de diversas ampliações e vários silenciadores, o que é proibido, é de uso restrito", afirmou.

TRE quer forças federais em ao menos 22 cidades na eleição de governador no dia 6

Propaganda eleitoral do primeiro turno começa na próxima segunda (10). Eleito completará até dezembro de 2018 o tempo restante de mandato de José Melo (PROS), cassado pela Justiça Eleitoral.

Por Renan Ramalho, G1, Brasília

O Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) pretende pedir a presença de 7 mil militares federais para garantir a segurança em ao menos 22 municípios do estado na nova eleição para governador marcada para o próximo dia 6 de agosto.
A propaganda eleitoral do primeiro turno está prevista para se iniciar na próxima segunda-feira (10) e vai até 3 de agosto. A do segundo turno, previsto para 27 de agosto (se houver), será entre 12 e 25 do mesmo mês.
A eleição é motivada pela cassação do mandato do governador José Melo (PROS) por suposta compra de votos na eleição de 2014. O eleito concluirá o mandato de Melo, até dezembro de 2018.
A realização da eleição estava suspensa devido a uma decisão do último dia 28 de junho do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF). Mas nesta quinta-feira (6), o ministro Celso de Mello, também do STF, anulou a decisão anterior e manteve a eleição, que o TSER já havia marcado para 6 de agosto.
O diretor-geral do TRE-AM, Messias Andrade se reuniu nesta sexta-feira (7) com o diretor-geral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Maurício Caldas, a fim de acertar os últimos detalhes administrativos, logísticos e materiais para a realização do pleito no estado.
No total, o TSE disponibilizou R$ 18 milhões para o TRE-AM preparar a eleição, dos quais R$ 9 milhões para o primeiro turno e outros R$ 9 milhões, se necessário, para um eventual segundo turno, em 27 de agosto.
A presença de militares, esclareceu Andrade ao final do encontro, é procedimento normal nas eleições do estado, mas será definida numa reunião na tarde desta sexta-feira (7) em Manaus entre o presidente do TRE-AM, desembargador Yedo Simões, e a cúpula da Secretaria de Segurança Pública do estado.
"Isso é de praxe. Todos os locais de votação têm que ser guardados, e a segurança geralmente é feita pela Polícia Militar com a Polícia Civil e com as Forças Armadas. Sempre acontece. As Forças Armadas vão garantir a segurança do local de votação. E a Polícia Federal junto com Civil e apoio da Militar vão garantir a segurança", disse Andrade.

Se aprovado pelo TRE, o pedido é encaminhado ao TSE, que repassa a demanda ao governo federal.
Segundo apurou o G1, poderão contar com homens do Exército a capital, Manaus e municípios de fronteira, como Tabatinga, São Gabriel da Cachoeira e Atalaia do Norte, além de Itacoatiara, Parintins, Coari, Tefé e Benjamin Constant. Para Manacaparu, a previsão é que sejam enviados oficiais da Aeronáutica.
Segundo Messias, também deverão ser requisitados homens da Polícia Federal, como reforço, para ao menos 13 das cerca de 20 cidades. A lista completa só será fechada na reunião desta sexta entre o TRE e a Secretaria de Segurança do estado.
Cassação
O TSE decidiu no início de maio, por 5 votos a 2, manter a cassação do governador de Amazonas, José Melo (PROS), e do vice, Henrique Oliveira (SD), por compra de votos nas eleições de 2014.
A ação de cassação do governado e do vice foi proposta pela coligação adversária "Renovação e Experiência", que tinha como candidato o atual senador Eduardo Braga (PMDB), derrotado no segundo turno.
A cassação já havia sido determinada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas. A decisão do TSE negou um recurso movido pela defesa do governador, que contestava a primeira instância.
Mesmo após cassados, em 2016, Melo e Oliveira permaneceram nos cargos por decisão do próprio Tribunal Regional Eleitoral. Em março, o TRE negou o recurso da Coligação "Renovação e Experiência", que pedia a posse imediata de Eduardo Braga como governador e de Rebecca Garcia como vice.

Anac investiga empresas que fizeram voo de helicóptero com noiva que caiu em SP

Dona de helicóptero, a HCS disse que está colaborando; a companhia que intermediou contrato, a Voenext, afirma que não tem conhecimento de nenhuma investigação. Elas foram autuadas após morte de 4 pessoas em dezembro.

Por Tahiane Stochero, G1 Sp, São Paulo

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), responsável por regular e fiscalizar o setor aéreo brasileiro, investiga as empresas envolvidas na queda do helicóptero que levava uma noiva para seu casamento, em dezembro do ano passado. Um irmão da vítima encontrou uma câmera que gravou o acidente e as imagens foram passadas para a Polícia Civil e a Aeronáutica, que apuram a queda que matou os quatro ocupantes.
O órgão abriu dois processos administrativos para investigar a companhia que intermediou a contratação do voo, a Voenext, e a empresa proprietária do helicóptero Robinson 44, a Helicopter Charter Service do Brasil Táxi Aéreo (HCS).
A Voenext informou que não tem conhecimento de nenhuma investigação da Anac envolvendo a empresa. Já a HCS disse que está colaborando com as investigações e que aguarda as conclusões para se manifestar (leia mais sobre a posição das companhias abaixo).
Os vídeos desta reportagem contêm trechos do acidente. ATENÇÃO: as imagens são fortes.
Além da noiva Rosemeire Nascimento Silva, de 32 anos, morreram o irmão dela, o piloto e uma fotógrafa grávida que fazia a gravação do voo e iria registrar a cerimônia.
A aeronave, de prefixo PR-TUN, partiu de Osasco em direção a São Lourenço da Serra, na Grande São Paulo, e caiu a dois quilômetros do buffet em que a cerimônia seria realizada. O noivo não sabia que Rosemeire chegaria voando, pois seria uma surpresa.
Segundo a Anac, a HCS está sendo investigada por duas áreas técnicas da agência por suspeita de infrações às normas da aviação. Entre elas está o uso do helicóptero para voos de fins comerciais –a aeronave estava registrada e autorizada apenas para uso privado.
Logo após o acidente, a agência suspendeu cautelarmente as aeronaves operadas pela HCS por 18 dias. Outras medidas, como multas e cassação de licenças, poderão ser aplicadas após o término das investigações se houver conclusão de que a empresa desrespeita regulamentações do país.

As imagens irão ajudar a Polícia Civil e a Aeronáutica a apontar fatores que influenciaram na tragédia. O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) informou que "o vídeo que mostra o momento do acidente já está sendo analisado pelo Instituto de Pesquisas e Ensaios em Voo (IPEV)".
O objetivo da análise do Cenipa é prevenir que novos acidentes como este se repitam, propondo recomendações às autoridades aeronáuticas, empresas, operadores, pilotos e fabricantes de aeronaves para aperfeiçoar o controle de voo.
A Polícia Civil de São Lourenço da Serra também tem um inquérito em andamento para apurar as causas da queda e aguarda uma perícia técnica, que está sendo realizada pelo Instituto de Criminalística do Estado de São Paulo, para concluir as investigações. As imagens poderão oferecer elementos que indiquem eventual responsabilidade das empresas envolvidas.
Os advogados da família da noiva, de seu irmão e da fotógrafa estão analisando as imagens para entrar com um processo na Justiça contra a HCS e a Voenext. A defesa afirma que pedirá indenização por danos morais, pelas mortes, e danos materiais, pelos gastos do noivo com o casamento que não se realizou.

Segundo a Anac, tanto a Superintendência de Ação Fiscal quanto a Superintendência de Segurança Operacional estão investigando a HCS e podem aplicar penalidades ao final do processo, que variam entre multa, suspensão de funcionamento até a cassação de licenças e certificados, “além do encaminhamento do caso ao Ministério Público, para a aplicação das medidas penais e judiciais cabíveis, caso seja necessário”.
Após a perda do helicóptero PR-TUN no acidente, a HCS registrou um novo helicóptero para serviço aéreo privado, a mesma categoria do helicóptero acidentado. O registro ocorreu em 14 de maio deste ano – trata-se de um Bell 407, utilizado para voos executivos, com capacidade para seis pessoas, além do piloto.
A Anac não tem informações de que a aeronave esteja usada para fins de transporte de pessoas, como táxi aéreo, por exemplo, e informa que realiza fiscalizações contínuas, “de forma programada, não programada e sempre que há denúncia”.
“No caso dos operadores, se forem flagrados executando atividade para a qual não possuam autorização, terão sua aeronave interditada cautelarmente. Os operadores e pilotos são multados e há a previsão de cassação de certificados”, informou.
Aluguel do voo
O outro processo administrativo que corre na agência é contra a Voenext, que intermediou o aluguel do helicóptero para a Rosemeire. A noiva pagou a esta companhia, segundo os advogados da família, R$ 1.800 pelos 25 minutos de voo até o local em que o casamento ocorreria – o custo foi pago em duas parcelas, de R$ 1.200 e mais R$ 600. Documentos apontam que apenas R$ 200 foram repassados pela Voenext para HCS pelo custo da locação.
Após o acidente, ainda em dezembro, a Voenext foi autuada pela Anac por estar explorando serviço de transporte aéreo sem ter concessão e autorização para isso. A empresa foi notificada e prestou informações, e a investigação sobre eventuais responsabilidades e problemas da empresa ainda estão em andamento.

Posição das empresas
A empresa Voenext informou que não tem conhecimento de nenhuma investigação da Anac envolvendo a empresa e que recebeu um pedido de esclarecimentos à época dos fatos, que foi respondido. "A Voenext é uma agência de viagens, cujo órgão regulador é Embratur e não a Anac. O agenciamento de voos, atividade da VoeNext, é perfeitamente legal e regulamentada pela Embratur. A atividade da Voe Next se limita ao agenciamento de voos, como qualquer outra agência de viagens. A empresa de táxi aéreo responsável pelo voo é a HCS", informou a Voenext.
Sobre a aeronave PR-TUN estar registrada como uso privado e não táxi aéreo, a Vonext afirmou que "é uma questão a ser apurada junto à proprietária do helicóptero, na qualidade de contratada para realização do voo, cujo órgão regulador, neste caso sim, é a Anac".
Já a empresa HCS disse que está colaborando com as investigações e que, como correm sob segredo de Justiça, aguarda as conclusões para se manifestar em momento oportuno, segundo os advogados da empresa, o escritório de advocacia Moreira e Martarelli.

Cerimônia de abertura de 50 anos do Projeto Rondon é realizada em Porto Velho

Ao todo, 15 municípios e distritos de Rondônia receberão voluntários da missão. Ministério da Defesa trouxe 310 estudantes e professores para participar da ação.

Por Hosana Morais, G1 Ro

A abertura oficial do Projeto Rondon, que comemora 50 anos, foi realizada na quinta-feira (6) no Teatro Palácio das Artes em Porto Velho. Ao todo, 310 estudantes e professores universitários participaram da ação. O Ministro da Defesa, Raul Jungmann, e autoridades militares também compareceram à cerimônia de abertura.
A Operação "Rondônia Cinquentenário" acontecerá em 15 municípios e distritos de Rondônia, que receberão equipes capacitadas, entre 7 a 23 de julho. A viagem começa no domingo (9), quando os participantes estarão durante 12 dias realizando ações de sustentabilidade, para melhorar a convivência da população nos municípios escolhidos.

Para Jungmann, o projeto é a realização do sonho de Marechal Rondon. "O projeto começou em 1967 e já alcançou mais de 2 milhões de pessoas e mais de 21 mil universitários participaram. Ele é um patrimônio e, mais do que isso, ele é a concretização do sonho da vida de Marechal Cândido Rondon", afirmou o ministro.
O coordenador regional do Projeto Rondon, José Antônio, informou qual é o principal objetivo da ação. "O objetivo do Projeto Rondon, que faz parte da nossa concepção política e estratégica, é aumentar a responsabilidade social do estudante universitário. Outra importância é contribuir para o bem estar social e a qualidade de vida da população, fazendo a capacitação de modo que possamos ajudar de alguma maneira os moradores da localidade", explicou Antônio.

O médico Michel Assbu, de 74 anos, foi um dos estudantes que participou do Projeto Rondon em 1967 em Ji-Paraná, antiga Vila Rondônia. "Voltar pra cá é só alegria, primeiro que é um projeto sensacional, eu vibrei muito com o Projeto Rondon Zero. E já podemos perceber as diferenças, naquela época éramos em 28 e hoje já multiplicou em tudo, só isso já diz que a coisa. É um sucesso essa repercussão atual, nós temos que manter isso vivo sempre", disse Assbu.
O pioneiro contou ainda qual foi a sua primeira experiência quando começou a trabalhar pelo projeto. "Assim que chegamos, eu fui encaminhado para estrada que o 5° Batalhão de Engenhaira (BEC) do Exército estava construindo e lá eu fui informado que uma criança cortou a barriga em um caco de vidro e deixou as vísceras para fora, eu operei ela ali mesmo no mato, não tínhamos quase nada, mas salvamos a vida da criança", relatou Assbu.
A estudante de enfermagem Sophya Araújo, veio de São Paulo para participar do projeto. "Desde que eu entrei na universalidade de Araras (SP) eu sempre quis participar do projeto, e esse ano eu consegui a vaga e a minha expectativa é das melhoras. Estou ansiosa para chegar em Urupá e passar tudo que eu aprendi para a população," diz a universitária.

As 15 cidades contempladas pela Operação Rondônia Cinquentenário são: Alto Paraíso, Alvorada do Oeste, Buritis, Cacaulândia, Campo Novo de Rondônia, Candeias do Jamari, Guajará-Mirim, Itapuã do Oeste, Monte Negro, Nova Mamoré, Rio Crespo, São Miguel do Guaporé, Texeiropólis e Urupá. Em Porto Velho as ações serão as comunidades ribeirinhas do Baixo Madeira, nos distritos de Cujubim Grande, Nazaré e São Carlos.
O projeto é realizado pelo Ministério da Defesa, Ministério da Educação, Ministério da Educação, o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, o Ministério da Saúde, o Ministério do Meio Ambiente, o Ministério da Integração Nacional, o Ministério do Esporte e a Secretaria de Governo da Presidência da República.
Projeto Rondon
O Projeto Rondon teve início em 1967, sua primeira operação foi realizada em Rondônia com 30 alunos participantes e dois professores coordenando. Em 1989 as atividades foram encerradas, voltando somente em 2005.
De acordo com o Ministério da Defesa, o Projeto Rondon é uma ação governamental realizada em parcerias com as instituições de ensino superiores, prefeitos, comunidade e representantes comunitários. Além disso, tem como objetivo contribuir com o desenvolvimento local sustentável e na construção e promoção da cidadania.

Lâmpadas quebradas impedem voos à noite no aeroporto de Poços de Caldas, MG

Sinalização do local foi danificada por vândalos e ainda não foi reestabelecida.

Por Jornal Da Eptv 2ª Edição, Poços De Caldas, Mg

Desde o começo de junho, os voos comerciais foram retomados no aeroporto de Poços de Caldas (MG) com destino a Belo Horizonte (MG). No entanto, o local conta somente com voos durante o dia, já que as lâmpadas da pista estão quebradas, impedindo a realização de voos noturnos.
A iluminação noturna no aeroporto foi implantada em setembro de 1998, ou seja, há quase 19 anos. São cerca de 120 lâmpadas espalhadas por todo o local, mas um terço delas está quebrado ou danificado. Segundo a administração, cada uma custa mais de R$ 200 e, sem a iluminação, não é possível pousar à noite na cidade.
“Tanto para as aproximações por instrumentos ou visuais, é essencial um pouso noturno com balizamento, que são as luzes na pista, sinalizando o eixo dela”, diz o piloto Fabiano Santos

Mas o presidente do aeroclube da cidade diz que não basta só trocar as lâmpadas. “Um reparo dá para fazer rapidinho, mas se não colocar segurança, não dificultar essa passagem, essa travessia dos vândalos, não vai durar muito tempo não”, afirma Paulo Evangelista Lara.
A prefeitura afirma que já tem todas as lâmpadas em estoque, mas é preciso que as pessoas parem de passar pelo local pra que elas sejam instaladas.

“Os vândalos entram, quebram as lâmpadas, retiram as lâmpadas. E vale frisar que essas lâmpadas só servem para o balizamento da pista do aeroporto, elas não servem para demais usos, para dentro de casa. Elas não servem”, afirma o secretário municipal de Defesa Social, Marcos Tadeu Sala Sansão.
Em contato com a EPTV Sul de Minas, a Guarda Municipal e a Polícia Militar disseram que estão trabalhando junto com a prefeitura para coibir a entrada de pessoas na pista de pouso.

AGÊNCIA BRASIL


Governo reconhece situação de emergência em mais 19 cidades por chuvas ou seca


O Ministério da Integração Nacional reconheceu hoje (7) situação de emergência em mais19 municípios afetados por desastres naturais em seis estados das regiões Sul, Sudeste, Norte e Nordeste do país. A portaria foi publicada no Diário Oficial da União nesta sexta-feira e tem vigência de 180 dias.
As enxurradas, tempestades e inundações levaram à situação de emergência cinco cidades do Rio Grande do Sul: Barra Funda, Ametista do Sul, Palmeira das Missões, Vista Alegre e Barros Cassal. No estado de Santa Catarina, foram afetados mais sete municípios: Agronômica, Itajaí, Otacílio Costa, São Carlos, Seara, Vidal Ramos e Xanxerê. As cidades de Barreirinha, no Amazonas, e Uiramutã, em Roraima, também tiveram a emergência reconhecida por causa das chuvas.
No Sudeste, o município de Ninheira, em Minas Gerais, teve o pedido deferido por conta da estiagem. Em Sergipe, as cidades de Gararu, Nossa Senhora de Lourdes, Poço Redondo e Tobias Barreto também estão em situação de emergência por causa da seca.
Com o reconhecimento da situação de emergência, os municípios podem solicitar apoio da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) para ações de socorro, assistência, restabelecimento de serviços essenciais e recuperação de áreas danificadas. Os pedidos devem ser feitos por meio do Plano Detalhado de Resposta, no Sistema Integrado de Informações sobre Desastres, disponível no site do Ministério da Integração. Após a análise, se aprovado, o recurso é definido e liberado.

Votação histórica nas Nações Unidas aprova proibição de armas nucleares


As Nações Unidas adotaram nesta sexta-feira (7) o primeiro tratado legalmente vinculativo de proibição de armas nucleares. O documento foi aprovado com 122 votos a favor, uma abstenção (de Singapura) e um voto contra (da Holanda) e prevê que os países que o ratificaram "nunca sob nenhuma circunstância devem desenvolver, testar, produzir, fabricar, adquirir, possuir ou armazenar armas nucleares ou outros dispositivos explosivos nucleares".

Suíços aprovam futuro com mais energias renováveis e sem usinas nucleares
O documento também proíbe qualquer transferência ou uso desse tipo de armamento, além da ameaça do uso dessas armas. Antes da adoção, a presidente da conferência das Nações Unidas que negociou o tratado, Elayne Whyte Gomez, destacou o "momento histórico" pela conclusão positiva do primeiro acordo multilateral de desarmamento nuclear em mais de 20 anos.
Elayne, que também é embaixadora da Costa Rica junto à ONU em Genebra disse que essa norma legal era aguardada há 70 anos, desde o uso das bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki, no Japão, final da Segunda Guerra Mundial, em agosto de 1945.
Um total de 141 países participaram nas três semanas de negociações do tratado, que preconiza uma proibição total de armas nucleares, liderados pela Áustria, Brasil, México, África do Sul e Nova Zelândia. Nenhum dos nove países do mundo que possuem armas nucleares -- Estados Unidos, Rússia, Reino Unido, França, Israel, China, Índia, Paquistão e Coreia do Norte -- participou nas negociações.

AGÊNCIA CÂMARA


Comissões aprovam acordo entre Brasil e Índia sobre serviços aéreos


As comissões de Constituição e Justiça e de Cidadania e de Viação e Transportes aprovaram o texto do acordo entre Brasil e Índia sobre serviços aéreos, assinado em Nova Delhi, em 8 de março de 2011.
O acordo foi enviado ao Congresso por meio da Mensagem 206/16, do Poder Executivo, que foi transformada no Projeto de Decreto Legislativo (PDC) 554/2016, pela Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional.
No texto, Brasil e Índia destacam o desejo de promover serviços aéreos internacionais entre os respectivos territórios e a intenção de estabelecer um sistema de aviação internacional, fundado na competição entre as empresas do setor.
Segundo o acordo, as empresas aéreas designadas por cada uma das partes gozarão dos seguintes direitos no território do outro país:

- direito de sobrevoo;
- direito de fazer escalas com fins não comerciais;
- direito de fazer escalas nos pontos das rotas especificadas no quadro de rotas acordado, com a finalidade de embarcar e desembarcar tráfego internacional de passageiros, bagagens, carga ou mala postal.
Designação de empresas

Cada país terá o direito de designar uma ou mais empresas aéreas para operar os serviços acordados. As designações deverão ser feitas por escrito e transmitidas à outra parte, por via diplomática.
Ao receber o pedido para operar os serviços aéreos, as autoridades aeronáuticas da outra parte concederão, com mínima demora, a autorização, desde que: a propriedade e o controle efetivo da empresa aérea indicada sejam mantidos pela parte que a designa ou por seus nacionais; a empresa aérea designada atenda às leis e regulamentos aplicáveis ao transporte aéreo internacional; o país parte que designa a empresa aérea observe as disposições sobre segurança operacional e segurança da aviação.
Conforme o texto, os preços dos serviços aéreos poderão ser livremente fixados, sem estarem sujeitos à aprovação. No entanto, a capacidade e a frequência dos serviços a serem prestados, pelas empresas designadas, deverão ser acordadas entre as partes.
Com 26 artigos, o acordo também traz regras sobre direitos alfandegários; concorrência; conversão de divisas e remessas de receitas; atividades comerciais das empresas aéreas; solução de controvérsias; entre outros pontos.
Pareceres

O parecer do relator na CCJ, deputado Hildo Rocha (PMDB-MA), pela constitucionalidade, juridicidade e técnica legislativa. “Nenhum óbice foi encontrado no texto do acordo, que está em consonância com as disposições constitucionais vigentes”, disse.
Na Comissão de Viação, o acordo também recebeu parecer favorável do relator, deputado Marcelo Matos (PHS-RJ). “Espera-se, com o acordo, alcançar a ampliação das relações bilaterais nas áreas do comércio, do turismo e da cooperação, entre outras”, afirmou.
Brasil e Índia já haviam assinado acordo de serviços aéreos, em Brasília, em 2006, o qual foi aprovado pelo Congresso Nacional, em 2008, tendo sido ratificado pelo governo brasileiro naquele ano. Porém, o texto não chegou a ser ratificado pelo governo da Índia, não tendo entrado em vigor internacional.
Tramitação

A proposta, que tramita em regime de urgência, será votada agora pelo Plenário.

PORTAL VEJA.COM


Acidente com avião da TAM completa dez anos sem punição

A batida provocou a morte de 199 pessoas

Por Mauricio Xavier [com Reportagem De Catherine B

Há um mês, o Tribunal regional Federal da 3ª região manteve a decisão de absolver três pessoas no processo do acidente com um avião da TAM em 2007. Dois ex-executivos da empresa, Marco Aurélio dos Santos de Miranda e Castro e Alberto Fajerman, e a ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil Denise Ayres Abreu eram acusados de atentado contra a segurança do transporte aéreo.
O resultado da segunda instância saiu poucos dias antes de a tragédia completar dez anos. Por volta das 18h40 do dia 17 de julho de 2007, o voo 3054, que havia partido de Porto Alegre, recebeu autorização para pousar em São Paulo. O avião tocou a pista molhada pela chuva, não desacelerou como deveria e, 24 segundos depois, colidiu com o edifício da TAM Express e um posto de gasolina na Avenida Washington Luís, na Zona Sul.
A batida provocou a morte de 199 pessoas. É o acidente com o maior número de vítimas na aviação brasileira. A perícia constatou que, além de problemas de atrito na pista de Congonhas, houve uma pane no sistema de reverso do Airbus. Após o episódio, a Infraero realizou uma série de reformas no aeroporto, incluindo a recuperação de 2 000 metros da pista. Em 2012, a área do acidente foi transformada na Praça Memorial 17 de Julho, em homenagem às vítimas.

AGÊNCIA ESTADO


Demanda por bilhetes aéreos volta a crescer

Pesquisa realizada pela Associação Internacional de Transporte Aéreo apontam que esse foi o terceiro mês em quase dois anos com um resultado positivo para o mercado de aviação brasileiro

Num sinal interpretado como reflexo de uma certa recuperação da economia brasileira, cresceu a demanda por passagens aéreas em voos domésticos no País em maio. Dados divulgados pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês) apontam que esse foi o terceiro mês em quase dois anos com um resultado positivo para o mercado de aviação no Brasil.
“O mercado doméstico brasileiro registrou um crescimento de 2,6% em comparação ao ano passado”, indicou a Iata, que afirma que, apesar da melhoria do cenário econômico, a situação política “continua frágil”.
Apesar da volta da expansão, o mercado brasileiro, que chegou a ser o quinto maior do mundo, ainda está 8% abaixo de seu momento de maior demanda, em meados de 2010.
A taxa, mesmo sendo positiva, ficou bem abaixo da média de 9,3% da América Latina. “Apesar dos desafios, a melhoria da economia brasileira está ajudando a apoiar o crescimento, em especial nas rotas sul-americanas”, apontou a Iata, que destaca que empresas aéreas estão lidando de uma forma positiva com a volatilidade econômica e política na região.
O crescimento no Brasil também ficou bem abaixo do restante dos mercados emergentes e da média mundial, de 7,9% em maio. Na China, a expansão foi de 16,8% e na Índia, de 17,7%.
No mercado internacional, o mês de maio registrou uma demanda em alta de 7,7% em comparação com o mesmo mês de 2016. Ainda que a taxa seja inferior à expansão de 10,9% registrada em abril, ela está bem superior ao crescimento médio dos últimos dez anos. “A demanda de passageiros é sólida e não prevemos uma queda nos meses de verão no Hemisfério Norte”, indicou o CEO da Iata, Alexandre de Juniac.

JORNAL O POVO (CE)


Reunião decisiva será na próxima semana

O Grupo Air France KLM decidirá neste semestre qual capital do Nordeste receberá voos para Paris e Amsterdã. Fortaleza, Salvador e Pernambuco estão na disputa. A perspectiva é que do voo surja um hub na região

ImagemReunião decisiva do Grupo Air France KLM, em Paris (França), sobre novos voos no Nordeste será realizada na próxima semana, entre quarta-feira e quinta-feira, conforme O POVO apurou. Na disputa para receber as frequências estão os aeroportos de Fortaleza, Salvador e Recife. Mas o anúncio da cidade escolhida não deverá ser feito antes do fim deste mês, conforme afirma o Grupo, por meio de nota.
Caso ganhe a disputa, a perspectiva é que o Aeroporto Internacional Pinto Martins teria voos para Paris (França), pela Air France, a partir de setembro, e para Amsterdã (Holanda), pela KLM, em abril de 2018. Com isso, os passageiros que chegassem ao Nordeste, por Fortaleza, seriam distribuídos para outros destinos da América Latina.

A perspectiva é que a operação seja ampliada no próximo ano, tornando uma das capitais do Nordeste um centro internacional de conexões de voos (hub) da América Latina. A tendência é que haja ainda incremento no número de voos domésticos da Gol para atender operações internas.
De acordo com apuração do O POVO, o que a Air France KLM fará na próxima semana é analisar os documentos que os Governos dos estados enviaram, em que constam atrativos para a empresa, como benefícios financeiros e fiscais, dados de infraestrutura aeroportuária, entre outros pontos. Em nota, o Grupo franco-holandês confirma que ainda está finalizando a análise “sobre a abertura de uma nova origem/um novo destino no Nordeste do Brasil”.
Tratativas
Felipe Carreras, secretário do Turismo, Esporte e Lazer de Pernambuco, não confirma a reunião da próxima semana, mas diz que as tratativas que o Governo tinha de ter com as companhias aéreas já finalizaram. “Todas as informações nós já enviamos. Agora estamos na expectativa positiva. O Nordeste vai receber um importante voo e o Estado que receber vai ser bom para o Nordeste. As três capitais são grandes destinos turísticos. A expectativa é que o anúncio seja neste semestre”, diz.

Conforme O POVO publicou no dia 27 de junho, com exclusividade, a operadora aeroportuária alemã Fraport, que arrematou o Aeroporto Pinto Martins por R$ 1,5 bilhão, já se reuniu com a Air France KLM em busca de atraí-la para o Ceará.
O encontro ocorreu em São Paulo e o Governo do Ceará esteve presente. Além disso, o governador do Estado, Camilo Santana (PT) em viagem para a Europa, no dia 26 de junho, teve reunião com diretores do Grupo. Outra informação que se tem é que Air France KLM já visitou o Estado no dia 8 de junho, após ter passado por Pernambuco, e teve como destino final Salvador.
A Agência Nacional da Aviação Civil (Anac) informa, em nota, que “não há, até o momento, nenhuma solicitação em análise das aéreas Air France e KLM para os destinos citados (Fortaleza, Salvador e Recife.”
O POVO tentou contato com o Governo do Ceará, que informou preferir não se pronunciar sobre o assunto. O Governo da Bahia e a GOl Linhas Aéreas não retornaram até o fechamento desta edição.

MINISTÉRIO DA DEFESA


AFA realiza cerimônia de entrega de espadins a 181 novos cadetes


ImagemPirassununga, 07/07/2017 - A entrega de espadins aos cadetes da Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga (SP), traz de volta à memória toda a preparação e sacrifícios para chegar até este momento. Esses jovens sabem que muito ainda há de vir, mas a cerimônia de hoje (7) já é o primeiro passo de uma conquista muito esperada. O evento, que oficializa a conclusão do período de adaptação à vida militar, contou com a presença do ministro da Defesa, Raul Jungmann, o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, o Comandante da AFA, brigadeiro Baccarin, além de autoridades civis e militares, familiares e amigos dos formandos.
Durante os primeiros meses na Academia, esses 181 rapazes e moças realizam atividades como salto de paraquedas, exercício de campanha, instruções militares e de doutrina, inerentes à formação de oficiais da ativa para os quadros de aviadores, intendentes e de infantaria da Aeronáutica.
No início da cerimônia, a passagem de um esquadrão, formado por aeronaves T-25 universal utilizadas na formação dos aviadores, homenageou a nova turma de cadetes. A turma Chronos é composta por 131 aviadores, entre eles duas mulheres e um cadete do Senegal. Já no curso de intendência, são 16 mulheres e 17 homens. No quadro de infantaria, são 17 homens, sendo um da Guatemala.
O ministro da Defesa, Raul Jungmann, ressaltou a história da Força Aérea Brasileira (FAB), as conquistas da indústria de defesa e, recentemente, a realização da primeira comunicação criptografada utilizando a banda X do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC). Em sua saudação aos novos cadetes, Jungmann destacou ainda a importância da formação militar. "Além da formação e do conhecimento, os senhores e senhoras recebem também, nesta escola, princípios e valores para toda a vida profissional e familiar” concluiu.
Em seu discurso, o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, enalteceu o momento pelo o qual os jovens cadetes estavam passando. “Neste ato, testemunhamos a materialização de um compromisso voluntário, no qual os senhores e senhoras passam a adotar um código de conduta, que será incorporado em suas vidas pessoais e profissionai. tendo no espadim o símbolo máximo desse forte vínculo” disse o brigadeiro.
O CURSO DE FORMAÇÃO
A formação dos oficias da Academia da Força Aérea tem duração de quatro anos. Ao final desse período, os jovens recebem dois diplomas de nível superior, tornando-se bacharéis em Administração com ênfase em Administração Pública, e bacharéis na especialidade escolhida no ingresso: Ciências Aeronáuticas, com habilitação em Aviação Militar; Ciências da Logística, com habilitação em Intendência da Aeronáutica; ou Ciências Militares, com habilitação em Infantaria da Aeronáutica.
Os aviadores são preparados à pilotagem militar, sendo fomentado o desenvolvimento do espírito combativo; os intendentes, ao desempenho de funções para gerir as atividades administrativas e logísticas das Organizações Militares da Força Aérea; e os infantes são formados para as atividades desenvolvidas nas unidades de Infantaria, incluindo as tarefas de operações especiais, emprego de tropa, de autodefesa das organizações da Força Aérea e de defesa antiaérea.
A MEDALHA DE SANTOS DUMONT
No início da manhã desta sexta (7), o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, realizou a imposição da Medalha Santos Dumont ao ministro da Defesa, Raul Jungmann.
Ao agradecer a honraria, o ministro relembrou as conquistas de Dumont, que, com ousadia, persistência e disciplina, até hoje, é fonte de inspiração para todos os brasileiros.
A Medalha Santos Dumont foi criada pela Lei 1.493, de 16 de outubro de 1956. Tem o objetivo de homenagear e reconhecer o mérito cívico de pessoas e entidades que contribuem para o desenvolvimento da aviação do País.

OUTRAS MÍDIAS


NEWSRONDONIA (RO)


Esquadrilha da Fumaça Já está em Porto Velho para apresentação na Base Aérea

A última apresentação em Porto Velho foi em 2011, durante o "Portões Abertos".
Uma importante atração está prevista para 08 de Julho sábado, às 16h, em Porto Velho. A apresentação será única, gratuita, e deve atrair grande público na Base Aérea. Trata-se do show da Esquadrilha da Fumaça que leva o público ao delírio com suas manobras aéreas. A presença da Esquadrilha em Porto Velho contará com a nova aeronave A-29 Super Tucano.
A Esquadrilha da Fumaça já atingiu três recordes mundiais – “Guinness World Records”. O último recorde alcançado aconteceu em 2006, quando 12 aeronaves voaram de dorso (cabeça pra baixo) por 30 segundos, percorrendo três mil metros. O momento ocorreu na Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga.
No ano de 1996, a Esquadrilha bateu seu primeiro recorde, quando dez aeronaves fizeram o voo invertido por 30 segundos, uma marca então inédita. No ano de seu cinquentenário, 2002, o EDA atingiu mais um recorde com o voo invertido de onze aviões.

Desde julho de 2015, a Esquadrilha da Fumaça retomou sua agenda de demonstrações aéreas com as aeronaves A-29 Super Tucano, após dois anos de implantação operacional e logística. O Super Tucano é a quinta aeronave adotada na história da instituição. Fabricado pela EMBRAER, o avião já era empregado pela Força Aérea Brasileira (FAB), cumprindo missões de defesa aérea, treinamento avançado, ataque leve, escolta, patrulha aérea de combate e formação de líderes da aviação de caça.
Sua finalidade, de acordo com o EDA, é aproximar os meios aeronáuticos civil e militar, contribuir para a maior integração entre a Aeronáutica e as demais Forças Armadas e marcar a presença da FAB em eventos no Brasil e no exterior.
DEMONSTRAÇÃO AÉREA
Toda apresentação conta com sete pilotos em sete aeronaves. Cada posição de voo tem uma função específica, e as manobras são realizadas ora com os sete aviões, ora com quatro, ora com três e ora com um avião, o Isolado. Um oitavo piloto fica em solo realizando a locução. As missões também podem contar com avião de apoio para o transporte de equipe e material. A demonstração tem duração de 35 minutos e conta com cerca de 50 acrobacias.
A demonstração com o A-29 Super Tucano procurou seguir a sequência de manobras que eram realizadas com o avião anterior, o T-27 Tucano, fazendo as adequações necessárias devido ao fato de a aeronave ser mais potente e apresentar maior capacidade operacional.

A Fumaça também voltou a realizar duas manobras que não estavam mais sendo executadas pelo T-27: Lancevaque e Chumboide. As manobras consistem em uma combinação de comandos aplicados pelo piloto que provoca uma reação da aeronave que se assemelha a “cambalhotas no ar”. No caso do Lancevaque, os giros são mais verticalizados. Enquanto que o Chumboide tem o perfil mais horizontal. Para o público, traz a impressão de que o avião está descontrolado, mas o piloto tem total controle sobre a aeronave, podendo retornar ao voo normal a qualquer momento.
ESCRITA COM FUMAÇA
Outra novidade é a adoção da fumaça ecologicamente correta, baseada no conceito sustentável de não agredir o meio ambiente. O sistema de escrita com fumaça foi um projeto criado por técnicos da Fumaça para ser utilizado, inicialmente, na aeronave T-27 Tucano. Com base nessa ideia, a EMBRAER produziu, em coordenação com equipe de manutenção do EDA, um novo sistema de programação de escrita com fumaça criado especialmente para a aeronave A-29 Super Tucano, já utilizando a tecnologia padrão embarcada da própria aeronave.

Obs.: A Base Aérea estará fazendo a Coleta de Alimentos não perecíveis no dia da apresentação, "NÃO É OBRIGATÓRIO a doação de 1 kg de Alimento" a ENTRADA É GRATUÍTA, mas quem puder colaborar fique a disposição!

PORTAL AEROFLAP


Esquadrilha da Fumaça inicia turnê de demonstração no Brasil e na Colômbia

Na tarde do dia 6 de julho, a equipe da Esquadrilha da Fumaça chegou na cidade de Porto Velho (RO), após um longo deslocamento de, aproximadamente, seis horas de voo. No meio do caminho, foi realizado pouso em Cuiabá para abastecimento das aeronaves e almoço da equipe de 39 militares.

Todos os detalhes para a demonstração que irá ocorrer na tarde deste sábado, dia 8 de julho, já estão sendo verificados. Os militares da Ala 6, antiga Base Aérea de Porto Velho, estão finalizando os preparativos para a realização do "Sábado Aéreo" para que os visitantes possam ter contato mais próximo com o trabalho da Força Aérea Brasileira. A demonstração da Esquadrilha da Fumaça está marcada para às 16h.

Diversas atrações estarão disponíveis para o público a partir das 13h e a entrada é gratuita. Haverá exposição de aeronaves de combate, como o AH-2 Sabre, do esquadrão Poti, e o A-29 Super Tucano, do esquadrão Grifo, espaço voltado para diversão das crianças, parede de escalada, aferição de pressão arterial e de glicemia, orientação sobre saúde bucal e escovação, praça de alimentação, exposição de carros do Jeep Clube de Porto Velho, informações sobre formas de ingresso na Força Aérea, entre outras atividades.

A última exibição da Esquadrilha da Fumaça em Porto Velho ocorreu em 2011. O Comandante da Ala 6, Coronel Aviador Célio Gaivão, explicou sobre a programação. "Das 13h às 18h, a Ala 6 irá abrir seus portões para receber a comunidade de Porto Velho e região.

Os visitantes terão a oportunidade de conhecer as instalações da Ala, os equipamentos com os quais trabalhamos, os aviões, além de conversar com os militares para conhecer o dia a dia da profissão. Como já faz seis anos que não há exibições da Fumaça aqui, esperamos um público grande, por isso, orientamos que as pessoas cheguem com antecedência ao evento. Garantimos que a tarde de sábado será bastante agradável para toda a família", finalizou.

PORTAL CAVOK


Embraer e SNC intensificam campanha do A-29 Super Tucano para o programa OA-X

A Sierra Nevada Corp e a Embraer estão promovendo o pedigree americano do A-29 Super Tucano antes de uma demonstração de voo que poderia abrir caminho para uma competição com a Textron baseada em Wichita, Kansas, de vendas potenciais para a Força Aérea dos EUA (USAF).

A Embraer e a Sierra Nevada - a fabricante original do A-29 Super Tucano no Brasil e seu principal contratador nos Estados Unidos, respectivamente - estão se preparando para a avaliação da aeronave de ataque leve OA-X da Força Aérea em agosto próximo na Base da Força Aérea de Holloman, Novo México. Nessa base, o A-29, o Scorpion Jet da Textron e o AT-6 Wolverine serão colocados em provas, realizando missões simuladas diariamente durante um período de quatro a seis semanas.

No final da demonstração, o serviço decidirá se deve iniciar um programa de registro para um avião OA-X que será usado para missões de apoio aéreo aproximado no Oriente Médio, liberando os aviões de combate mais caros para missões de ponta que justifiquem o seu custo operacional mais caro. Cerca de 300 aeronaves podem ser encomendadas.

O A-29 já enfrentou o AT-6 uma vez, durante a competição Light Attack Support (LAS) no início de 2010, que resultou em uma compra de 20 aeronaves para a incipiente força aérea do Afeganistão. Embora o A-29 tenha surgido vitorioso durante essa batalha, ela foi duramente travada, já que os aliados ao AT-6 no Congresso - então de propriedade da Hawker Beechcraft - interpretaram as origens brasileiras do Super Tucano na esperança de enfraquecer a chance de vencer o contrato.

A SNC e a Embraer esperam evitar uma luta similar durante uma competição OA-X, o que é uma das razões pelas quais as empresas no final de junho lançaram a campanha "A-29 for America" ??em mídias sociais, disse Taco Gilbert, vice-presidente sênior da SNC para Sistemas de Vigilância, Reconhecimento e Inteligência.

Embora a Embraer fabrique a maioria dos pedidos do Super Tucano no Brasil, os aviões vendidos para a Força Aérea dos EUA são produzidos em sua linha de montagem em Jacksonville, Flórida, e depois modificados pela Sierra Nevada para a configuração preferida do cliente, ele observou.

"Os trabalhadores em Jacksonville ficaram se sentindo como se fossem ignorados nessa questão, e nós queríamos que eles obtivessem o respeito que eles mereciam pela construção de aviões que, francamente, estão oferecendo importantes capacidades de combate no Afeganistão todos os dias. Eles estão salvando vidas no Afeganistão todos os dias, e esses aviões saíram da linha de Jacksonville".

A Textron, que comprou a Hawker Beechcraft em 2014, até agora não procurou caracterizar o A-29 como fizeram com o avião brasileiro. No entanto, Gilbert reconheceu que potenciais concorrentes poderiam fazê-lo no futuro na tentativa de "ofuscar" detalhes sobre a capacidade de combate da aeronave ou o ponto de vista da Embraer nos Estados Unidos.

A proposta de expansão de leis norte-americanas do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, também pode representar um obstáculo potencial, embora as autoridades da SNC e da Embraer tenham minimizado o impacto. Gilbert apontou para o apoio de Trump de uma venda da A-29 para a Nigéria como prova do endosso da administração ao programa.

"É a produção dos EUA. Nós construímos os aviões na América com os trabalhadores americanos", disse ele. "Várias vezes até o momento, o governo dos EUA concedeu contratos para a A-29, e esses contratos foram todos concedidos sob as provisões da Buy American. Então, é totalmente compatível com a compra americana e acho que o pessoal da Flórida que trabalha em Jacksonville montando o avião merecem crédito por isso".

Desde o seu lançamento em junho, uma conta no Twitter dedicada para o "A-29 for ;1-f-e. c.E:" ??twitou um pacote de fotos do A-29 e artigos de notícias relacionadas várias vezes por dia. Embora as imagens da aeronave em combate sejam abundantes, também estão os emojis e as imagens da bandeira americana, bem como as menções da linha de produção da Embraer em Jacksonville.

Um tweet típico, a partir do dia 30 de junho: "# A29 orgulhosamente construído em Jacksonville, Flórida - mais de 20 estados fornecem peças / produtos / serviços para apoiar a missão #MadeintheUSA"



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented