|

NOTIMP - Noticiário da Imprensa - 25/05/2016 / Restos mortais recuperados do avião da EgyptAir mostram que houve uma explosão


Restos mortais recuperados do avião da EgyptAir mostram que houve uma explosão ...


Especialista analisou os 80 restos mortais transportados ao Cairo, mas disse que ainda não pode determinar o que teria levado a aeronave a explodir ...

CAIRO - Os restos mortais recuperados do voo MS-804 da EgyptAir apontam que houve uma explosão a bordo, o que poderia ter derrubado a aeronave, segundo uma fonte forense egípcia. O avião caiu na quinta-feira no Mar Mediterrâneo com 66 pessoas a bordo quando ia de Paris ao Cairo. “A explicação lógica é que uma explosão o derrubou”, indicou.

A fonte faz parte de uma equipe de investigação do Egito e estudou pessoalmente os restos mortais no Cairo. Ela pediu anonimato porque não tinha autorização para divulgar a informação.

Os 80 restos mortais transportados à capital egípcia são pequenos. “Não há nem sequer uma parte completa do corpo, como um braço ou uma cabeça”, disse o especialista, indicando que um dos fragmentos era a parte esquerda de um crânio.

“Mas não posso dizer o que provocou a explosão”, ressaltou.

Autoridades egípcias disseram que acreditam que um atentado terrorista é uma explicação mais provável do que falha técnica, e alguns especialistas em aviação afirmaram que as manobras bruscas descritas pelo ministro de Defesa grego apontam para a explosão de um bomba ou uma luta dentro da cabine do piloto.

No momento, ainda não há provas definitivas das causas do acidente.

Um jornal do Cairo, Al-Watam, citou uma fonte forense não identificado em sua edição desta terça-feira, 24, dizendo que o avião havia explodido no ar, mas ainda não foi determinado se a ação foi causada por um dispositivo explosivo.

O especialista disse que os restos mortais encontrados até agora “não são maiores que o tamanho de uma mão”.

Tese negada. Apesar do que disse a fonte, o diretor de análises forenses do Egito, Hesham Abdelhamid, negou as afirmações de que um exame inicial dos restos mortais apontam para uma explosão, segundo a agência de notícias Mena.

"Tudo que tem sido publicado sobre esse assunto é completamente falso, e são meras suposições que não foram divulgadas pela Autoridade de Análises Forenses", disse Abdelhamid em um comunicado.

Ele ainda pediu aos meios de comunicação que "tenham cautela na hora de divulgar assuntos que a Autoridade Forense estuda, porque causam confusão na opinião pública, propagam rumores falsos e prejudicam o interesse supremo e a segurança nacional do Estado".




Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.




PORTAL G-1


Barulho que assustou moradores da região foi causado por jato, diz USP

USP diz que estrondo foi por quebra na barreira do som causado por avião. FAB fazia voo teste com jato supersônico na região na ocasião.

Poliana Casemiro Do G1 Vale Do Paraíba

O estrondo seguido de um tremor que assustou moradores de ao menos seis cidades da região na última terça-feira (17) é compatível com o ruído causado pela quebra da barreira do som por alguma aeronave em voo supersônico. A informação é do Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP). A Força Aérea Brasileira (FAB) informou nesta terça-feira (24) que havia um voo de teste na região no dia e horário do incidente.
ImagemSegundo moradores, por volta das 14h30 foi ouvido um ruído em Guaratinguetá semelhante a uma explosão seguido de um tremor. Na sequência, moradores de Roseira, Guaratinguetá, Pindamonhangaba, Lorena e Potim relataram o mesmo evento. Nas redes postagens sobre a origem do barulho geraram boatos sobre explosões na Escola de Especialistas da Aeronáutica e em uma pedreira em Aparecida. Ambas foram descartadas.
De acordo com o Centro de Sismologia da USP, a estação mantida em Paraibuna registrou por volta das 14h48 um sinal compatível com quebra de barreira do som, resultado do voo de jatos supersônicos.
Por ser a única estação sismológica do Vale, o fato de o estrondo ter sido registrado em Paraibuna, não significa que ocorreu na cidade -a estação deve ter captado um reflexo dessa onda sonora propagada no ponto de impacto.
A reportagem do G1 apurou com a FAB que naquele dia, a partir das 13h30 um caça F-5 fazia sobrevoo pela região do Vale do Paraíba. A aeronave voa tanto em velocidades subsônicas quanto supersônicas.
Segundo o órgão, o caça havia passado por manutenção e fazia um voo de teste na região. Apesar da coincidência e do apontamento do Centro de Sismologia, a Força Aérea Brasileira não confirmou a relação entro estrondo e o voo teste.

Plano de reconstrução para áreas em Monte Alegre deve ser feito em 90 dias

Medida visa definir ações emergenciais para os bairros atingidos pela chuva. Ministro Helder Barbalho visitou a cidade e anunciou repasse de 123,4 mil.

Do G1 Santarém

A Prefeitura de Monte Alegre, no oeste do Pará, tem um prazo de 90 dias para elaborar um plano para a reconstrução das áreas afetadas pela forte enxurrada que atingiu o município o dia 2 de maio deste ano. Na segunda-feira (23), o Ministro da Integração Nacional Helder Barbalho e Técnicos da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) estiveram na cidade para avaliar de perto os danos causados pela chuva.
Técnicos da Defesa Civil Estadual e Municipal devem ajudar na elaboração do plano, nos quais são apresentados os estragos causados pela enxurrada. A intenção é agilizar a liberação dos 123,4 mil destinados ao município para a reconstrução da infraestrutura pública, aquisição de materiais e assistência às famílias. A partir da apresentação do plano de reconstrução, o Ministério da Integração irá avaliar liberar os repasses ao município.
Do total de recursos, R$ 67,1 mil serão investidos na aquisição de 100 kits de higiene pessoal, outros 100 kits de alimentação e no pagamento de aluguel social a 30 famílias durante o período de 90 dias. Outros R$ 56,3 mil vão garantir a locação de equipamentos para desobstruir vias públicas. A portaria que autoriza o repasse de recursos solicitados pelo município foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira. O apoio federal é complementar às ações estaduais e municipais.
O ministro Helder Barbalho garantiu apoio as famílias e ainda colaborar com as ações da Prefeitura. “Vir em loco verificar a realidade das pessoas e dos bairros atingidos sem dúvida dar uma dimensão maior daquilo que efetivamente aconteceu. Fiz questão de está aqui para ouvir a população, as famílias atingidas, conversar com as autoridades locais para que possamos juntos fazer as ações e diminuir os problemas das famílias”, explica.
Helder Barbalho, responsável pela Defesa Civil do Governo Federal, desembarcou na manhã desta segunda-feira (23) acompanhado de uma comitiva. A viagem ao município foi em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) e o desembarque ocorreu por volta das 11h. A vinda do ministro demonstrou a gravidade da situação do município atingido pela chuva e a necessidade de ajuda para a reconstrução dos bairros mais afetados.
Situação de emergência
O decreto de situação de emergência em Monte Alegre foi assinado na noite do dia 4 de maio pelo prefeito da cidade. O município foi enquadrado nessa situação por ter sido afetado pelas enxurradas. O relatório sobre a situação foi encaminhado para a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil por meio do Serviço Geológico do Brasil que conclui ameaça de risco por conta do danos causados na cidade. O decreto de emergência foi reconhecido pelo Governo Federal conforme a portaria 117, publicada no Diário Oficial da União no dia 16 de maio em Brasília (DF).
A forte chuva
A forte chuva atingiu Monte Alegre na madrugada do dia 2 de maio e causou estragos em vários bairros da cidade. Encostas desmoronaram, muros e ruas ficaram alagadas e a população teve sérios prejuízos. O local mais atingido foi o bairro Pajuçara, que registrou inundações nas ruas 17 de outubro, Laila Bechara, Manoel Cayres e João de Freitas. Pelo menos três casas desabaram nos bairros Surubeju, Serra do Papagaio e Pajuçara. Não houve confirmação de vítimas. A Prefeitura deu apoio e encaminhou às famílias para locais seguros.
O número de pessoas afetadas pela chuva foi de 15.265 mil, segundo um relatório elaborado pela Defesa Civil e divulgado ao G1 no dia 12 de março. Segundo os dados, 145 pessoas ficaram desabrigadas e 130 desalojadas após a enxurrada causada pela forte chuva no município. A maior parte das ocorrências, ainda conforme a Defesa Civil, foi causada pelos alagamentos e pelo rompimento de barragens. Não houve registros de mortos ou feridos no desastre, segundo o relatório.

Ministro dos Transportes escolhe novo presidente para Infraero

Ministro Maurício Quintella indicou Antonio Claret, informou assessoria. Nome ainda será submetido à aprovação do Palácio do Planalto.

Filipe Matoso Brasília

O ministro dos Transportes, Maurício Quintella, decidiu nesta terça-feira (24) indicar Antonio Claret para a presidência da Infraero, informou a assessoria da pasta.
Segundo o ministério, contudo, antes de assumir o comando da empresa pública, Claret terá de ter seu nome aprovado pelo Palácio do Planalto.
A Infraero é uma empresa pública vinculada à Secretaria de Aviação Civil, responsável por implantar, administrar, operar e explorar a infraestrutura aeroportuária.
Ainda de acordo com a assessoria do ministério, o nome de Antonio Claret foi levado por Quintella à Casa Civil que, por sua vez, disse ter encaminhado a indicação à Secretaria de Governo – o G1 procurou a pasta, e aguardava resposta até a última atualização desta reportagem.
As assessorias do Ministério dos Transportes e da Casa Civil disseram não ter informações sobre a formação de Antonio Claret.
Até o início deste mês, a Secretaria de Aviação Civil, à qual a Infraero é vinculada, tinha status de ministério.
No último dia 12, porém, ao assumir como presidente em exercício, Michel Temer fundiu a pasta com o Ministério dos Transportes, que também absorveu a Secretaria de Portos.
Se Claret tiver seu nome aprovado pelo Palácio do Planalto, ele substituirá no comando da Infraero Gustavo do Vale, que passou a ocupar o posto em março de 2011, dois meses após a então presidente Dilma Rousseff assumir a Presidência da República.

AGÊNCIA SENADO


Ministro da Defesa poderá explicar monitoramento de movimento social na CDH


O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) conseguiu ter aprovado, nesta terça-feira (24), na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), requerimento de informações ao Ministro da Defesa, Raul Jungmann, para confirmar a suposta participação de comandantes militares no respaldo ao afastamento da presidente Dilma Rousseff (PT) e no monitoramento de movimentos sociais no país. A informação sobre esta suposta participação surgiu com a divulgação da conversa telefônica entre o senador Romero Jucá (PMDB-RR) e o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado pelo jornal Folha de S.Paulo na segunda-feira (23).
— Não me consta que entre as atribuições das Forças Armadas esteja intrometer-se nos assuntos que dizem respeito à vida política brasileira e também monitorar o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Queremos saber ainda com quais comandantes militares Jucá dialogou sobre o processo de impedimento de Dilma Rousseff — declarou Randolfe, que cogita convocar Jungmann a prestar esclarecimentos pessoalmente no Senado caso essas questões não sejam respondidas até a próxima semana.
Na sequência a comissão aprovou outro requerimento proposto por Randolfe Rodrigues: de convocação do ministro da Saúde, Ricardo Barros, para também explicar declarações polêmicas divulgadas pela Folha. Eventual repactuação de aposentadorias, revisão no Sistema Único de Saúde (SUS) e dispensa da fiscalização dos planos de saúde privados pelo governo foram temas abordados na reportagem que motivaram a reação do parlamentar da Rede.
— Causa espécie saber que o ministro interino da saúde teve sua campanha financiada por planos de saúde — comentou Randolfe, sugerindo um debate conjunto da CDH e da Comissão de Assuntos Sociais (CAS), que já convidou o ministro da Saúde a falar sobre sua atuação.
Outros requerimentos
O presidente da CDH, senador Paulo Paim (PT-RS), também teve aprovados quatro requerimentos na reunião desta terça-feira (24). Três deles reivindicam a convocação de mais três ministros do governo Temer — do Trabalho, Ronaldo Nogueira; do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra; e da Fazenda, Henrique Meirelles — a prestar contas de mudanças na estrutura das respectivas pastas pelo presidente interino da República.
— Nunca imaginei que o Ministério da Previdência, com mais de 80 anos, ia ser extinto e virar um "puxadinho" do Ministério da Fazenda — comentou Paim.
O petista também quer promover um ciclo de debates pelo país sobre trabalho escravo, terceirização e atuação do educador social. Nesta terça (24), a comissão aprovou requerimento para iniciar essa discussão pelas cidades de Florianópolis (SC) e Curitiba (PR).
Por fim, a senadora Regina Sousa (PT-PI) aprovou requerimento de audiência pública com o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, sobre a absorção das atribuições nas áreas de direitos humanos e defesa das mulheres pela pasta. Como a CCJ também já aprovou a vinda do ministro ao Senado, o debate deverá ser realizado em conjunto com a CDH.

Para debatedores, MP pode melhorar serviços aéreos


A necessidade de melhorar os serviços dos aeroportos, aumentar as rotas aéreas no Brasil e reduzir o preço das passagens, especialmente para o interior, foi destacada na audiência nesta terça (24) pela comissão mista que analisa a Medida Provisória 714/2016.
Os participantes do debate afirmaram que esses são alguns dos resultados esperados com a aprovação da MP, que estabelece o fim, em 2017, do Adicional de Tarifa Aeroportuária, e aumenta a participação estrangeira no capital das companhias aéreas brasileiras de 20% para 49%.
O presidente da comissão, senador Hélio José (PMDB-DF), disse que o atual momento da aviação civil requer modernização e maior abertura para investimentos.
— Depois de passarmos por seguidas altas de demandas por bilhetes aéreos, a situação se inverteu e enfrentamos quedas recorrentes. A MP pode fomentar novamente a demanda — afirmou.
Rogério Teixeira Coimbra, da Secretaria de Política Regulatória do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, disse que a MP permite que a Infraero tenha um aumento de receita para viabilizar a melhoria dos serviços de infraestrutura e expansão dos aeroportos.
O diretor-geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), tenente-brigadeiro do ar Carlos Vuyk de Aquino, sugeriu uma emenda à MP que possibilite a transferência de subsidiárias da Infraero que tenham como objeto a navegação aérea ao Comando do Aeronáutica e ao Ministério da Defesa, que já executam 85% de toda a atividade de controle de tráfego aéreo no Brasil. Assim, a Infraero ficará mais focada em infraestrutura aeroportuária.
Preço exorbitante
Superintendente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Ricardo Bisinotto Catanant disse que a abertura prevista na MP não levará as empresas estrangeiras a dominar o mercado nacional nem expulsará as companhias brasileiras das rotas internacionais.
O relator, deputado Zé Geraldo (PT-PA), destacou a preocupação com a retirada de voos das rotas menos lucrativas e com os preços “exorbitantes” de serviços nos aeroportos.
— Você chega a pagar R$ 5 em um cafezinho ou em uma água mineral.
O diretor financeiro da Infraero, Thiago Pereira Pedroso, disse que em alguns lugares a concorrência pelo espaço de serviços nos aeroportos é muito maior do que a demanda. Como é um processo público, há licitação pelo aluguel, o que acaba alavancando o preço, repassado ao consumidor.
— O que tem sido feito é a busca de disponibilização de novos espaços para serem licitados para os serviços.
O deputado Otavio Leite (PSDB-RJ) disse que as rotas que têm mais passageiros dividindo o custo do voo tendem a ser mais baratas do que as menos procuradas. A solução para atenuar essa diferença, segundo ele, está numa maior concorrência no setor.
— Não se pode garantir que, ao liberar capital estrangeiro, vai ser criada uma empresa nova, mas a probabilidade é muito grande.

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


Restos mortais recuperados do avião da EgyptAir mostram que houve uma explosão

Especialista analisou os 80 restos mortais transportados ao Cairo, mas disse que ainda não pode determinar o que teria levado a aeronave a explodir

Associated Press E Reuters

CAIRO - Os restos mortais recuperados do voo MS-804 da EgyptAir apontam que houve uma explosão a bordo, o que poderia ter derrubado a aeronave, segundo uma fonte forense egípcia. O avião caiu na quinta-feira no Mar Mediterrâneo com 66 pessoas a bordo quando ia de Paris ao Cairo. “A explicação lógica é que uma explosão o derrubou”, indicou.
A fonte faz parte de uma equipe de investigação do Egito e estudou pessoalmente os restos mortais no Cairo. Ela pediu anonimato porque não tinha autorização para divulgar a informação.
Os 80 restos mortais transportados à capital egípcia são pequenos. “Não há nem sequer uma parte completa do corpo, como um braço ou uma cabeça”, disse o especialista, indicando que um dos fragmentos era a parte esquerda de um crânio.
“Mas não posso dizer o que provocou a explosão”, ressaltou.
Autoridades egípcias disseram que acreditam que um atentado terrorista é uma explicação mais provável do que falha técnica, e alguns especialistas em aviação afirmaram que as manobras bruscas descritas pelo ministro de Defesa grego apontam para a explosão de um bomba ou uma luta dentro da cabine do piloto. No momento, ainda não há provas definitivas das causas do acidente.
Um jornal do Cairo, Al-Watam, citou uma fonte forense não identificado em sua edição desta terça-feira, 24, dizendo que o avião havia explodido no ar, mas ainda não foi determinado se a ação foi causada por um dispositivo explosivo.
O especialista disse que os restos mortais encontrados até agora “não são maiores que o tamanho de uma mão”.
Tese negada. Apesar do que disse a fonte, o diretor de análises forenses do Egito, Hesham Abdelhamid, negou as afirmações de que um exame inicial dos restos mortais apontam para uma explosão, segundo a agência de notícias Mena.
"Tudo que tem sido publicado sobre esse assunto é completamente falso, e são meras suposições que não foram divulgadas pela Autoridade de Análises Forenses", disse Abdelhamid em um comunicado.
Ele ainda pediu aos meios de comunicação que "tenham cautela na hora de divulgar assuntos que a Autoridade Forense estuda, porque causam confusão na opinião pública, propagam rumores falsos e prejudicam o interesse supremo e a segurança nacional do Estado".

JORNAL FOLHA DE PERNAMBUCO


Hospital de Aeronáutica do Recife pode dar lugar a empreendimentos imobiliários


A área ocupada pelo Hospital de Aeronáutica do Recife (HARF) pode, em breve, dar lugar a empreendimentos imobiliários, na beira-mar da cidade. A unidade de saúde, que abriu as portas em julho de 1946, está entre os planos do novo Governo Federal, com o indicativo de uma operação de permuta. Na manhã desta terça (24), o ministro da Defesa, Raul Jungmann, se reúne com o alto comando da pasta para iniciar as tratativas sobre a mudança. Segundo o ministro, cerca de R$ 20 milhões seriam necessários para reformar o prédio, hoje apresentando falhas estruturais. Há o interesse em concretizar parceria com a iniciativa privada para tocar o projeto, com a construção de um novo centro médico e odontológico, ampliando a capacidade de atendimento.
“Existe a necessidade de se erguer uma unidade hospitalar em melhores condições, sendo nosso dever garantir isso. Trata-se de um prédio de 70 anos e que se mostra bastante carente de reparos. Apesar de ainda não termos batido o martelo, o cenário aponta para que a medida se concretize”, explicou Jungmann, que negou a existência de recursos ou propostas para uma requalificação sem a ajuda.
Conforme o gestor, serão necessários estudos, mas a transferência deve se dar para a avenida Armindo Moura, em Piedade, dentro do complexo do Segundo Comando Aéreo (Comar). “O Estado poderia utilizar a atual área da orla para alguma finalidade pública. Contudo, se as empresas demonstrarem maior interesse, devemos avançar”, disse, em relação ao terreno com área superior a 90 mil metros quadrados.
Prazo
Ainda não existe calendário definido, mas pelo avançar das negociações, os primeiros passos podem ocorrer já no segundo semestre deste ano. O ministro Raul Jungmann ainda terá encontros no Recife e Brasília com as chefias da Marinha e também do Exército. “Teremos uma grande reformulação à vista, exigindo muitas decisões”, adiantou. Apesar de levar o nome da Capital, o hospital fica localizado no território de Jaboatão dos Guararapes.
No início deste ano, informações obtidas pelos próprios oficiais apontavam uma mudança em toda a base do alto comando da Aeronáutica, partindo para Natal, no Rio Grande do Norte. A versão foi logo rebatida pela Força Aérea, não descartando, porém, a existência de um processo de reestruturação, com o objetivo de otimizar o uso de recursos materiais e humanos. “Ainda é cedo para se falar sobre isso”, minimizou o líder da Defesa. Após a compra de 36 aviões-caça suecos, ao custo de R$ 18 bilhões, a FAB iniciou uma restruturação, implicando no fechamento imediato de diversas bases-aéreas.
Incertezas
Viúva de um sargento da Aeronáutica, a dona de casa Elionalda Mendes, 66 anos, é uma das pacientes que utiliza o hospital. “Os médicos são atenciosos, mas sempre temos dificuldades para conseguir exames e consultas. Em algumas salas há infiltração e mofo. Está mesmo precisando de uma reforma” revelou, sem esconder o desagrado com a mudança de local.
“Acaba ficando mais longe”, admitiu. Próximos dali, diversas residências, entre casas e apartamentos, são ocupadas, há décadas, por oficiais e seus familiares. As mudanças no sistema já deixam algum deles apreensivos para novas intervenções. “Espero que não venham mexer com a gente, temos raízes por aqui”, disse o administrador Jorge Medeiros, 36, filho de um segundo-tenente da corporação.
O Clube da Aeronáutica, a poucos metros da unidade de saúde, fechou as portas em março deste ano, sob a justificativa da não renovação do contrato de Cessão de Uso a Título Oneroso. A informação, à época, foi de que a área seria incorporada ao conjunto residencial utilizado pelos militares.
A operação, no entanto, não foi concretizada. Ocupando um dos metros quadrados mais valorizados da Região Metropolitana, na orla, o terreno do HARF deve despertar interesse de construtoras, com a visão de aproveitá-lo para os segmentos residencial e comercial. Conforme Jungmann - caso a permuta seja concretizada - a mudança do hospital deve acontecer logo após a conclusão da obra.

JORNAL VALOR ECONÔMICO


Forças Armadas querem o dobro de medalhas em 2016

Medalhistas criaram polêmica no ano passado ao bater continência no pódio

Robson Sales

O número de medalhas conquistadas por atletas militares na Olimpíada do Rio de Janeiro deve definir o futuro do Programa Atletas de Alto Rendimento (PAAR) para o ciclo de 2020, rumo a Olimpíada de Tóquio, no Japão. Após os Jogos, comandantes das Forças Armadas se reunirão para avaliar o desempenho da equipe militar e o tamanho dos incentivos para a formação da delegação nos próximos quatro anos. O objetivo em 2016 é dobrar o número de medalhas conquistadas há quatro anos em Londres, quando os atletas militares saíram com cinco conquistas.
No ano passado, o Ministério do Esporte diminuiu os beneficiários de outro programa federal de incentivo ao atleta profissional. O Palácio do Planalto reduziu em 8,6% o número de benefícios ao Bolsa Atleta no período entre 2014 e 2015. O programa atendeu no ano passado 6.132 atletas — 860 deles no atletismo e 506 na natação, as duas principais modalidades. Os benefícios concedidos pelo Bolsa Atleta vinham crescendo ano a ano. Em 2005, quando foi criado, 975 pessoas receberam o benefício. Segundo a pasta, não houve corte, mas foram estabelecidas “novas regras para concessão do patrocínio”.
O governo se inspirou em países como Rússia e China para incorporar atletas civis às Forças Armadas, 670 homens e mulheres participam do programa militar, criado em 2008 para impulsionar o país nos Jogos Mundiais Militares. Através de um edital, as Forças Armadas escolhem os atletas, classificados por ordem de resultados nas competições oficiais. Somente 76 entraram no programa já como militares de carreira. Normalmente, os atletas entram na carreira militar como terceiro sargento, recebem R$ 6,2 mil e têm contrato válido por no máximo oito anos. Metade dos 670 atletas militares também recebe o Bolsa Atleta.
De acordo com o diretor do Departamento de Desporto Militar do Ministério da Defesa, Pau- lo Zuccaro, a meta é levar cem atletas militares para os Jogos de 2016. Através desse programa, o governo gasta anualmente R$ 15 milhões apenas com salários, outros R$ 3 milhões são investidos no pagamento de viagens, compra de equipamentos e uniformes, entre outros itens destinados ao treinamento.
Ao entrar no Exército, Marinha ou Aeronáutica, o atleta fica dois meses em estágio probatório, recebendo treinamento e aprendendo diretrizes do serviço militar. Eles não estão completamente dispensados de trabalhos burocráticos, embora fiquem a maior parte do tempo dedicados à vida esportiva.
Desde 2005, o Ministério do Esporte investiu cerca de R$ 600 milhões em pagamentos mensais para financiar atletas. Atualmente, 242 atletas de modalidades individuais (olímpicas e paralímpicas) são patrocinados com bolsas que variam de R$ 5 mil a R$ 15 mil.
No ano passado, dos 862 atletas convocados para o Pan-Americano e Parapan-Americano de Toronto, 675 foram apoiados pelos programas do governo federal, o que correspondeu a 78,4% da delegação.
Foi nessa competição em que os medalhistas militares bateram continência no pódio, durante a cerimônia de premiação. O gesto gerou dúvidas se a iniciativa era espontânea ou havia sido um pedido das Forças. Naquele período, alguns protestos de rua pediam intervenção militar como solução da crise política, o que serviu para ampliar o eco da discussão. Medalhistas em diferentes modalidades, como judô, natação e tiro esportivo, entre outros, bateram continência no pódio, uma cena pouco usual na história esportiva brasileira. Zuccaro nega que o gesto tenha sido uma ordem da corporação.
Parte do legado em infraestrutura prometida logo após o Rio ter sido escolhido cidade-sede não será concluída. Dos 22 centros de treinamentos, apenas dez serão entregues antes dos Jogos Olímpicos. Do investimento anunciado para construção da infraestrutura, R$ 450 milhões foram gastos — menos da metade do R$ 1 bilhão prometido pelo ministério.
O Ministério do Esporte, porém, lista outras entregas: investimento de R$ 301,8 milhões para construção de 47 pistas oficiais de atletismo — mas apenas 19 já foram entregues; R$ 881,5 milhões na construção de 246 centros de iniciação ao esporte (CIEs) em 233 municípios; além dos gastos nas arenas para a própria Olimpíada.

JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Traduzindo o economês: o que o governo Temer anunciou


De São Paulo

O governo Temer anunciou nesta terça-feira (24) medidas para reduzir os gastos públicos e iniciar a retomada econômica do país.
Confira, abaixo, as medidas anunciada.
1) TETO PARA DESPESAS PÚBLICAS
O governo vai propor ao Congresso que, a cada ano, as despesas públicas só possam crescer na proporção da inflação do ano anterior.
Por exemplo, se neste ano o governo gastar 100 dinheiros e a inflação for 10%, em 2017 o teto para gastos será de 110 dinheiros.
 Imagem
Qual é o efeito disso?
Na prática, vai reduzir os gastos do governo, que, nas últimas décadas, vêm crescendo acima da inflação.
Quais os obstáculos para implantar?
Pelas regras atuais, gastos com itens como educação e saúde precisam cumprir uma porcentagem do PIB. Isso terá que mudar para que o governo consiga cumprir o teto proposto. Dependerá de aprovação, pelo Congresso, de uma emenda constitucional (o que exige 3/5 dos votos).
Imagem
2) BLOQUEIO DE NOVOS SUBSÍDIOS
Subsídios são repasses do governo para diversos programas, como os de agricultura familiar (em que os produtores não conseguiriam se manter comercialmente) ou o Minha Casa, Minha Vida (em que o governo custeia boa parte dos imóveis para renda mais baixa). O governo vai propor que não sejam ampliados a não ser que haja uma compensação para essa despesa.
Qual o efeito disso?
Impede o aumento de gastos do governo.
Quais os obstáculos para implantar?
Depende de aprovação no Congresso.
3) FIM DO FUNDO SOBERANO
Fundo foi criado para receber recursos da exploração do pré-sal. Com a crise no setor de petróleo, a previsão de recursos não se concretizou. O saldo atual é de R$ 2 bilhões.
Qual o efeito disso?
O dinheiro volta para o Tesouro, que, assim, não precisa emitir mais títulos (endividar-se mais) para cobrir o rombo das contas públicas
Quais os obstáculos para implantar?
Governo estuda se há alguma restrição jurídica. Se não houver, basta a decisão do governo
4) ANTECIPAÇÃO DE PAGAMENTOS DO BNDES
Como antecipou a Folha, banco de fomento pagará antecipadamente ao governo R$ 100 bilhões de dívida que tem com o Tesouro Nacional.
Qual o efeito disso?
O dinheiro volta para o Tesouro, que, assim, não precisa emitir mais títulos (endividar-se mais) para cobrir o rombo das contas públicas.
Quais os obstáculos para implantar?
Governo estuda se há alguma restrição jurídica, já que poderia se caracterizar como antecipação de receita com empresa ou banco publico, proibida pela Lei de Responsabilidade Fiscal.
Se for possível resolver apenas mudando os termos do contrato com o BNDES, depende apenas de decisão do governo.

PORTAL TERRA


A Guerra do Paraguai e o rombo da Previdência

Pensão para filhas solteiras de militares foi generalizada depois do conflito, quando milhares de mulheres ficaram desamparadas

Luiza Villaméa

A guerra do Paraguai acabou há quase 150 anos, mas ainda impacta os cofres da Previdência Social. Em tempos de paz, cerca de R$ 3,8 bilhões foram gastos em 2015 com o pagamento de pensões vitalícias a filhas solteiras de militares das três forças – Aeronáutica, Exército e Marinha. A conta é do Ministério da Defesa, enviada à Comissão de Orçamento do Congresso Nacional.
Em 1864, quando Brasil, Argentina e Uruguai se uniram contra o Paraguai, o império brasileiro prometeu mundos e fundos a seus combatentes. Dos 160 mil brasileiros alistados, cerca de 50 mil não voltaram para casa ao final da guerra, em 1870. Milhares de mulheres ficaram desemparadas, pois o império relutou a pagar as pensões prometidas, similares às instituídas tempos antes, apenas para viúvas e “filhas donzelas” de oficiais.
A situação mudou na República. Em uma época em que poucas mulheres tinham renda própria, leis promulgadas em 1946 e em 1960 garantiram às filhas solteiras de militares pensão vitalícia após a morte do pai, mesmo que não fosse em campo de batalha. Nas décadas seguintes, de olho na pensão, filhas de militares continuaram a se casar, sem jamais assinar papel. Ajudaram, é claro, a aumentar o rombo da Previdência.
Em dezembro de 2000, a pensão especial das filhas foi extinta, mas a medida não alivia os cofres da Previdência. A lei só vale para quem for incorporado nas Forças Armadas a partir daquela data. Detalhe: o militar que já estava na ativa tem como assegurar a continuidade do contingente de filhas com direito à pensão vitalícia. Basta optar por um adicional de 1,5% da renda na contribuição previdenciária.

OUTRAS MÍDIAS


DEFESA NET


CLA recebe embaixadores e Força Aérea dos Estados Unidos

O Centro de Lançamento de Alcântara recebeu nos dias 19 e 20 de maio, a visita técnica de integrantes da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil e da United States Air Force (USAF). A visita teve por objetivo promover a troca de conhecimentos sobre as atividades espaciais desenvolvidas tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos.
Participaram da visita o Ministro Conselheiro para Assuntos Comerciais da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, Enrique Galindo Ortiz que foi acompanhado de oficiais do Escritório de Ligação Militar do órgão diplomático norte-americano. Pela USAF estiveram presentes o oficial especialista em assuntos espaciais da 12ª Força Aérea (AFSOUTH), Tenente Coronel Banta York, além de representante da Divisão de Operações Espaciais do Air Force Space Command (AFSPC) e do Air Force Research Laboratory (AFRL).
A atividade foi iniciada com uma apresentação institucional da organização militar da Força Aérea Brasileira (FAB) realizada pelo Coronel Aviador Cláudio Olany Alencar de Oliveira, Diretor do CLA. Na apresentação, o coronel Olany destacou o histórico das atividades espaciais no Brasil, estrutura de funcionamento do Sistema Nacional de Desenvolvimento das Atividades Espaciais (SINDAE), meios operacionais e de apoio atualmente disponíveis no CLA, principais operações realizadas, futuros lançamentos e desafios enfrentados pelo Centro.
Os visitantes puderam conhecer as instalações operacionais do Centro de Controle – coordenação das operações de lançamento – estações do Setor de Comando e Controle (SCC) como a Meteorologia, Telemedidas e Rastreio. No Setor de Preparação e Lançamento (SPL), a comitiva norte-americana conheceu as novas instalações do Prédio de Segurança e do Prédio de Depósito de Propulsores, essenciais para o aumento da segurança durante as campanhas de lançamentos.
Além dos prédios recém-inaugurados, os visitantes conheceram o mock-up em dimensões reais do foguete suborbital VSB-30, veículo certificado para lançamentos no exterior que já cumpriu mais de 20 operações com sucesso em solo europeu. Também foi visitada, a Casamata, a estrutura mais próxima das plataformas de lançamentos e que abriga em segurança parte das equipes envolvidas com as operações. O primeiro dia de visita foi encerrada na Torre Móvel de Integração (TMI), estrutura de montagem e operação do Veículo Lançador de Satélites (VLS), o maior foguete de desenvolvimento nacional.
O Ministro Conselheiro para Assuntos Comerciais da Embaixada dos Estados Unidos, Enrique Galindo Ortiz, apresentou dados atualizados sobre o setor espacial no mundo e perspectivas de negócios relacionadas à área junto aos Estados Unidos por meio de acordos e parcerias. O subchefe da Divisão de Operações Espaciais do Comando Espacial da Força Aérea (AFSPC), Timothy Leroy, apresentou a política, doutrina e processos de lançamento espacial nos Estados Unidos.
No último dia da visita, o tenente coronel York, especialista em atividades espaciais da 12ª Força Aérea (AFSOUTH) e do Comando Espacial da Força Aérea (AFSPC) fez uma realizou uma apresentação com o histórico das atividades espaciais nos Estados Unidos, contemplando os primórdios da corrida espacial no pós II Guerra Mundial, últimos avanços com o lançamento de veículos reutilizáveis e o futuro do setor espacial. Na sequência, Timothy Leroy, do Comando Espacial da Força Aérea (AFSPC) detalhou as missões da 45ª Ala Espacial/ Grupo de Operações Espaciais e de esquadrões de lançamento nos Estados Unidos, com ênfase na alta operacionalidade das organizações envolvidas na área.
Por fim, o físico de Pesquisa Sênior, Ronald Glen Caton, da Diretoria de Veículos Espaciais do Laboratório de Pesquisas da Força Aérea (AFRL) falou sobre as atividades desempenhadas pela instituição de pesquisas da USAF que desenvolve estudos e pesquisas espaciais por meio dos lançamentos e observações na Estação Espacial Internacional, resultando em novos produtos e melhorias na vida cotidiana de toda sociedade.
“Foi um encontro muito significativo, onde foi criado um diálogo entre os países e compartilhada experiências e práticas desenvolvidas no âmbito do programa espacial para a competitividade dos países, desenvolvimento de indústrias vinculadas à área espacial e criação de emprego e renda”, afirmou Enrique Galindo Ortiz, Ministro Conselheiro para Assuntos Comerciais da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil.
“Devido as altas cifras envolvidas na atividade espacial, a cooperação mútua é um caminho que as nações vêm seguindo, como forma de reduzir custos e obter máximo desempenho com ganhos compartilhados”, afirmou o coronel aviador Cláudio Olany Alencar de Oliveira, diretor do CLA.

FOLHA VITÓRIA (ES)


Fuzil das Forças Armadas é encontrado dentro de tubo de PVC em VV

Os militares foram acionados por policiais do serviço de inteligência. A casa onde o armamento foi encontrado estava com o portão aberto e o terreno todo revirado
Um fuzil com alto poder de destruição foi encontrado enterrado no quintal de uma casa, em Vila Velha. O local seria a residência de uma mulher que foi presa por tráfico na semana passada.
De acordo com a polícia, o fuzil é novo. Pelo bom estado de conservação, até os investigadores tiveram dificuldade para saber se era verdadeiro ou uma réplica. O armamento calibre cinco ponto 56 tem um alto poder de destruição capaz até de derrubar um helicóptero, informou os policiais.
Os militares foram acionados por policiais do serviço de inteligência. A casa estava com o portão aberto e o terreno todo revirado. Os militares foram até lá, entraram na casa e encontraram o fuzil escondido dentro de um tudo de PVC.
De acordo com a polícia, a residência seria de uma mulher presa suspeita de comandar o tráfico em Interlagos, em Vila Velha. O fuzil usado apenas pelas forças armadas foi entregue na Delegacia de Vila Velha e ninguém foi detido.

ECONÓMICO.SAPO.PT (PORTUGAL)


Avião desvia-se de três drones para conseguir aterrar

O incidente ocorreu em Espanha e os culpados ainda não foram identificados.
Um avião comercial da Lufthansa teve que fazer várias manobras para desviar-se de três drones, quando fazia a descida para aterrar no aeroporto de Bilbau, Espanha, conta o jornal espanhol "El País".
O caso aconteceu no passado sábado com um Airbus 320, que fazia a ligação entre Frankfurt, na Alemanha, e Bilbau.
Os aparelhos voavam a cerca de 900 metros de altitude e os seus proprietários não foram ainda identificados.
Segundo a imprensa espanhola, não foi feita uma denúncia formal às autoridades, pelo que não é possível saber mais detalhes acerca dos acontecimentos, nem sequer avançar com a investigação.
Recorde-se que, no passado mês de Março, um drone quase embateu contra um avião no aeroporto Charles de Gaulle.

WWW.SWISSINFO.CH (SUÍCA)


Egito diz ser cedo demais para dizer se explosão derrubou avião da EgyptAir

Por Amina Ismail e Lin Noueihed
CAIRO (Reuters) - O diretor da autoridade forense do Egito descartou como prematura a insinuação surgida nesta terça-feira de que os restos mortais recuperados de corpos das vítimas da queda de um avião da empresa aérea EgyptAir na semana passada indicam que houve uma explosão a bordo.
Os investigadores empenhados em descobrir por que o Airbus 320 desapareceu dos radares na quinta-feira passada com 66 passageiros e tripulantes estão procurando indícios nos pequenos pedaços de corpos e destroços encontrados no mar Mediterrâneo até agora.
A aeronave e as caixas-pretas com os registros de voo, que podem explicar o que derrubou o voo de Paris para o Cairo quando entrava em espaço aéreo egípcio, ainda não foram localizadas.
Um agente forense egípcio disse que 23 sacos com partes de corpos foram recolhidos desde domingo e que as maiores delas não ultrapassam o tamanho da palma de uma mão. O agente, que falou sob condição de anonimato, disse que essas dimensões levam a crer que houve uma explosão, embora não se tenham detectado vestígios de explosivos.
Mas Hisham Abdelhamid, chefe da autoridade forense do Egito, disse que a avaliação não representa mais do que "mera suposição" e que é cedo demais para se tirar conclusões.
Ao menos duas outras fontes com conhecimento direto da investigação confirmaram ser prematuro afirmar o que causou o mergulho do voo 804 da EgyptAir no mar.
"Tudo o que sabemos é que ele desapareceu subitamente sem emitir um pedido de socorro", disse uma delas, acrescentando que só através da análise das caixas-pretas ou uma grande quantidade de destroços as autoridades podem começar a formar uma imagem mais clara do que pode ter dado errado.
Investigadores franceses disseram que a aeronave enviou alertas indicando a detecção de fumaça a bordo, assim como outras possíveis falhas de computador, pouco antes de desaparecer.
Os sinais não indicavam o que causou a fumaça, e especialistas em aviação não descartaram sabotagem deliberada ou falha técnica.
Os investigadores contam com resquícios, malas e roupas, além de testes químicos, para detectar indícios de uma explosão, de acordo com pessoas envolvidas em dois inquéritos anteriores a respeito de detonações propositais.
Dezoito lotes de destroços também foram recuperados, disse o comitê de investigação egípcio, com ajuda de aviões da França e da Grécia.
(Reportagem adicional de Haitham Ahmed, Ahmed Tolba e Ahmed Aboulenein, no Cairo; Lefteris Papadimas, em Atenas; Tim Hepher, em Paris; e Idrees Ali, em Washington)


Acidente áereo com Huck em MS ainda é investigado

Um ano depois, as causas da queda da aeronave modelo Embraer 820 C, que trazia a Campo Grande os apresentadores Luciano Huck e Angélica, seus filhos e duas babás, no dia 24 de maio de 2015, ainda são desconhecidas. No fim da manhã do dia 24 de maio de 2015, o avião precisou fazer um pouso forçado numa fazenda próxima a rodovia MS-080 em decorrência de uma "pane".
Segundo o Campo Grande News, nove passageiros estavam a bordo da aeronave que decolou da Estância Caiman, no município de Miranda, e tinha como destino a capital do Estado, Campo Grande: os apresentadores globais Luciano Huck, Angélica e seus três filhos, as babás Marcileia Eunice Garcia, Francisca Clarice Canelo Mesquita; e dois tripulantes, o piloto Osmar Frattini e o co-piloto, José Flávio de Souza Zanatto.
Segundo divulgado pela FAB (Força Aérea Brasileira) na época, a 10 minutos de Campo Grande, uma luz amarela indicou que havia uma pane na bomba de combustível.
Imediatamente, o piloto mudou bomba de combustível, mas o problema persistiu. O avião começou a perder velocidade e altura rapidamente, então, para não se chocar contra morros que estava mais a frente, o piloto decidiu pousar na Fazenda Palmeira, na rodovia MS-080.
Os passageiros e tripulantes sofreram apenas escoriações leves em virtude do impacto com o solo e foram levados para a Santa Casa de Campo Grande, exceto o piloto, Osmar Frattini, que foi encaminhado inicialmente para UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro Universitário e depois transferido para a unidade hospitalar
Conforme o Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) a investigação do acidente com a aeronave que transportava Huck e seus familiares está na fase final de análise. Entretanto, nenhuma informação preliminar sobre possíveis causas foram divulgadas.
O órgão acrescenta que o objetivo destas investigações é prevenir que novos acidente com características semelhantes ocorram. A necessidade de descobrir todos os fatores contribuintes garante a liberdade de tempo para a investigação. Dessa forma, não há prazo definido para a conclusão de qualquer investigação conduzida pelo Cenipa, dependendo sempre da complexidade do acidente.
Reviravolta – O episódio foi marcado por inúmeras reviravoltas. O piloto Osmar Frattini, intitulado de herói, inclusive, chegou a passar dificuldades ao ter a sua licença cassada pela Anac (Agência Nacional de Avião Civil), retomada somente no fim do ano passado.
Recentemente, foi divulgado que Luciano Huck teria firmado um acordo financeiro com o piloto como forma de retribuir pelo "susto" e reconhecer o seu trabalho que evitou que o pior acontecesse.

ROBERTO LORENZON (SC)


Homem é preso com arma restrita das forças armadas

Foi na linha Itatiba
Um homem de 22 anos, foi preso ontem 23, na linha Itatiba, interior do município de Campo Erê/SC, numa ação conjunta das policia civil e militar.
A arma uma pistola calibre 9 milímetros, de fabricação Belga e de uso restrito das forças armadas foi apreendida, depois de buscas efetuadas, em virtude do acusado ameaçar familiares. Com a arma foi apreendido também um carregador e três munições do mesmo calibre.
Por se tratar de crime inafiançável, o homem foi recolhido a Unidade Prisional de São José do Cedro, onde esta a disposição da justiça, que arbitrou na tarde de hoje fiança de 10 salários mínimos vigentes.

JORNALFLORIPA.COM.BR (SC)


Divinópolis comemora 104 anos com programação especial

O Prefeito de Divinópolis , Vladimir Azevedo (PSDB), apresentou nesta terça-feira (24) a programação do aniversário de 104 anos de emancipação político-administrativa da cidade.
As atividades começaram nesta tarde e vão até julho, com inaugurações de obras, eventos culturais, exposições, visitas técnicas, shows e desfile. Os temas das celebrações são os dez anos das “cidades amigas” e os 100 anos das oficinas da ferrovia.
Nesta terça, aconteceu a solenidade de Hasteamento das Bandeiras, na Praça Dom Cristiano. O próximo evento é a inauguração do Banco de Alimentos, no próximo sábado (28), a pavimentação e drenagem na Rua Pains e diversas inaugurações de unidades de saúde, da sede do Centro de Reabilitação Regional (Crer) da Praça Nossa Senhora das Graças e do Centro de Artes e Esportes Unificados.
Na quarta-feira (1º) acontece o desfile cívico-militar, com início às 8h30, na Avenida 1º de Junho, com participação das “cidades amigas”. A partir das 22h, haverá show com a dupla Guilherme e Santiago no Parque de Exposições da cidade, com entrada franca.
Durante as próximas semanas, serão lançados editais de licitações para nova etapa de obras do programa de pavimentação urbana, obras do Programa Aceleração do Crescimento (PAC) e da nova fase de obras de reurbanização do Bairro Alto São Vicente.
No dia 5 de junho, o Esquadrão de Demonstração da Força Aérea Brasileira (Esquadrilha da Fumaça) vai se apresentar pelo céu da cidade. Na data, também será celebrado o primeiro aniversário de implantação da linha aérea entre Divinópolis e Campinas (SP). Já no dia 8 de junho, produtores rurais receberão visitas técnicas da Cooperativa e Associação dos Produtores da Agricultura Familiar.

PLANO BRASIL


SAAB oferece entregar o Gripen C/D aos colombianos em 18 meses, e a versão E/F (ou NG) em 2021

 Roberto Lopes
Em uma curta nota publicada nesta terça-feira (24.05) pelo site Infodefensa.com, o cientista político Eric Saumeth Cadavid, principal analista civil de assuntos militares colombianos, informa que, em março passado, o Grupo SAAB ofereceu (por escrito) à Força Aérea Colombiana (FAC) dotá-la de caças Gripen C/D no prazo de 18 meses a partir da assinatura do contrato, e de aeronaves da versão Evolution (no Brasil conhecidas como New Generation, ou NG) a partir do ano de 2021.
Saumeth diz que obteve essas informações durante entrevista com o chefe da área de mercado da América Latina do programa Gripen, Bo Torresdedt, e com o chefe de marketing do Gripen para a Colômbia, Henrik Höjer.
Não houve menção de valores.
O encontro dos três aconteceu na cidade sueca de Linköping onde, semana passada, a SAAB apresentou, oficialmente, o primeiro protótipo do Gripen.
A FAC procura, desde 2014, uma aeronave de 4,5ª geração (eletrônica) capaz de atualizar a sua Aviação de Caça, cujos préstimos, hoje, repousam em cerca de 20 jatos israelenses Kfir.
A produção do Gripen NG, que já é conhecido nos círculos militares internacionais como Gripen E/F, terá início em 2019. A primeira unidade será entregue à Força Aérea da Suécia, e o 2º exemplar à Força Aérea Brasileira (FAB), que encomendou 36 desses aviões (oito deles, biplace).
Ante os rumores que circularam no roll-out do Gripen, de que a FAB já tem preparada a encomenda de mais dois lotes dessa aeronave, os oficiais brasileiros presentes ao evento preferiram não adiantar qualquer informação.

TV JORNAL (PE)


Ministro da Defesa interessado em usar tecnologia do Recife em projetos estratégicos

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, esteve nessa segunda-feira (23) no Recife, onde participou de um encontro com empresas do Porto Digital. Na reunião, Jungmann discutiu o interesse em usar a tecnologia desenvolvida no espaço em projetos das Forças Armadas. De acordo com o presidente do Porto Digital, Francisco Saboya, existem projetos em andamento que podem interessar ao governo federal. "Aqui tem uma base instalada de inteligência artificial muito forte, de redes neurais, de soluções baseadas em games para simulação de jogos estratégicos e situações complexas", afirma.Raul Jungmann afirmou que após a primeira conversa sobre o que o Porto Digital tem a oferecer, a equipe vai se reunir em Brasília para discutir o que o Ministério da Defesa tem a contratar na área de tecnologia.



Leia também:









Receba as Últimas Notícias por e-mail, RSS,
Twitter ou Facebook


Entre aqui o seu endereço de e-mail:

___

Assine o RSS feed

Siga-nos no e

Dúvidas? Clique aqui




◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share



Eventos






Publicidade






Recently Added

Recently Commented